SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
A palavra cerâmica é derivada
da palavra grega “kéramos”
que significa "terra queimada"
é um material de imensa
resistência, sendo
frequentemente encontrado em
escavações arqueológicas.
Existem dois tipos de cerâmica
• Os produtos da cerâmica
vermelha caracterizam-se pela
cor vermelha, representados por
tijolos, blocos, telhas, tubos, lajes
para forro, lajotas, vasos
ornamentais, agregados leve de
argila expandida entre outros.
• A indústria oleira no Brasil usa processos
de moldagem manuais, por extrusão e por
prensagem. As temperaturas de queima
da argila oscila entre 950°C e 1250°C,
conforme a natureza da argila, do produto
cerâmico e do forno utilizado, e as
condições econômicas locais
•Ceramica no geral
suporta altas
temperaturas e é um
otiomo condutor.
• A secagem é uma das principais operações para a
fabricação da cerâmica industrial que incluem também
a preparação da matéria-prima, preparação da massa,
tratamento térmico.Após a etapa de formação, as peças
em geral continuam a conter água, proveniente da
preparação da massa. Para evitar defeitos nas peças, é
necessário eliminar essa água, de forma lenta e
gradual, em secadores intermitentes ou contínuos, as
temperaturas variam entre 50 ºC e 150 ºC.
Alguns fatores importantes a considerar na escolha do
procedimento de secagem industrial são a temperatura
a ser utilizada, tempo de secagem, teor de umidade
final exigido, volume da produção e tipo de
equipamento.
•Ayrton Borges
•Gabriela Alves
•Jessica policarpo 2QA
•Marlei Santos
•Nathalia Lima

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FabricaçãO Cimento Portland
FabricaçãO Cimento PortlandFabricaçãO Cimento Portland
FabricaçãO Cimento Portland
guestd71d29
 
Aglomerantes
AglomerantesAglomerantes
Aglomerantes
DandaEDF
 
Materiais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptx
Materiais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptxMateriais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptx
Materiais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptx
Cleisianne Barbosa
 

Mais procurados (15)

Materiais modernos
Materiais modernosMateriais modernos
Materiais modernos
 
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmico sv2
Aula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmico sv2Aula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmico sv2
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmico sv2
 
FabricaçãO Cimento Portland
FabricaçãO Cimento PortlandFabricaçãO Cimento Portland
FabricaçãO Cimento Portland
 
Processo de fabricação do cimento porthland
Processo de fabricação do cimento porthlandProcesso de fabricação do cimento porthland
Processo de fabricação do cimento porthland
 
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
Aula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmicosAula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
 
01
0101
01
 
Ceramica
CeramicaCeramica
Ceramica
 
Artigo na revista cerâmica industrial v21n2a06
Artigo na revista cerâmica industrial   v21n2a06Artigo na revista cerâmica industrial   v21n2a06
Artigo na revista cerâmica industrial v21n2a06
 
Aula 06 cimento
Aula 06  cimentoAula 06  cimento
Aula 06 cimento
 
Aglomerantes
AglomerantesAglomerantes
Aglomerantes
 
Materiais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptx
Materiais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptxMateriais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptx
Materiais aglomerantes, agregados e adições minerais.pptx
 
Apresentação forne cer alumina em revestimentos cerâmicos
Apresentação forne cer alumina em revestimentos cerâmicosApresentação forne cer alumina em revestimentos cerâmicos
Apresentação forne cer alumina em revestimentos cerâmicos
 
Cimento portland aula
Cimento portland aulaCimento portland aula
Cimento portland aula
 
Materiais de construção civil. materiais cerâmicos
Materiais de construção civil. materiais cerâmicosMateriais de construção civil. materiais cerâmicos
Materiais de construção civil. materiais cerâmicos
 
Cimento Portland
Cimento PortlandCimento Portland
Cimento Portland
 

Semelhante a Cerã¢mica power point

Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
profNICODEMOS
 
Estruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicos
Estruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicosEstruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicos
Estruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicos
Pedro Fernando
 
Apresentação ciências dos materiais
Apresentação ciências dos materiaisApresentação ciências dos materiais
Apresentação ciências dos materiais
Rosana Pires
 
Artigo Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção Civil
Artigo   Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção CivilArtigo   Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção Civil
Artigo Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção Civil
Kleber Marcelo Carvalho .'.
 

Semelhante a Cerã¢mica power point (19)

Aula indústria de cerâmicas.pdf
Aula indústria de cerâmicas.pdfAula indústria de cerâmicas.pdf
Aula indústria de cerâmicas.pdf
 
Industria da Cerâmica.pptx
Industria da Cerâmica.pptxIndustria da Cerâmica.pptx
Industria da Cerâmica.pptx
 
Pedra artificial ceramica
Pedra artificial ceramicaPedra artificial ceramica
Pedra artificial ceramica
 
Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3Aula 2  cimento e outros aglomerantes v3
Aula 2 cimento e outros aglomerantes v3
 
Aula 2 cimento e outros aglomerantes
Aula 2  cimento e outros aglomerantes Aula 2  cimento e outros aglomerantes
Aula 2 cimento e outros aglomerantes
 
Cimento polimig
Cimento polimigCimento polimig
Cimento polimig
 
Estruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicos
Estruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicosEstruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicos
Estruturas i capitulo_ii_materiais_ceramicos
 
P1-2-Introducao.pdf
P1-2-Introducao.pdfP1-2-Introducao.pdf
P1-2-Introducao.pdf
 
Materiais Cerâmicos
Materiais CerâmicosMateriais Cerâmicos
Materiais Cerâmicos
 
Aula de construções
Aula de construçõesAula de construções
Aula de construções
 
Cerâmica
CerâmicaCerâmica
Cerâmica
 
Resumo sobre Materiais cerâmicos e Tintas
Resumo sobre Materiais cerâmicos e TintasResumo sobre Materiais cerâmicos e Tintas
Resumo sobre Materiais cerâmicos e Tintas
 
Aula8materiais 120604063301-phpapp01
Aula8materiais 120604063301-phpapp01Aula8materiais 120604063301-phpapp01
Aula8materiais 120604063301-phpapp01
 
Apresentação ciências dos materiais
Apresentação ciências dos materiaisApresentação ciências dos materiais
Apresentação ciências dos materiais
 
Trabalho sobre porcelanato e cerâmica
Trabalho sobre porcelanato e cerâmicaTrabalho sobre porcelanato e cerâmica
Trabalho sobre porcelanato e cerâmica
 
AULA_06_CIMENTO (1).pptx
AULA_06_CIMENTO (1).pptxAULA_06_CIMENTO (1).pptx
AULA_06_CIMENTO (1).pptx
 
Cerâmicas oscar
Cerâmicas   oscarCerâmicas   oscar
Cerâmicas oscar
 
Artigo Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção Civil
Artigo   Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção CivilArtigo   Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção Civil
Artigo Tijolos e Alvenaria - no Âmbito da Construção Civil
 
Tijolo ceramico
Tijolo ceramicoTijolo ceramico
Tijolo ceramico
 

Mais de Cristyan Ribeiro

Mais de Cristyan Ribeiro (20)

Separação magnetica 1
Separação magnetica 1Separação magnetica 1
Separação magnetica 1
 
Separação magnetica2
Separação magnetica2Separação magnetica2
Separação magnetica2
 
Separação magnetica1
Separação magnetica1Separação magnetica1
Separação magnetica1
 
Separação de misturas sublimação
Separação de misturas sublimaçãoSeparação de misturas sublimação
Separação de misturas sublimação
 
Senai2
Senai2Senai2
Senai2
 
Senai2
Senai2Senai2
Senai2
 
Senai mario amato
Senai mario amatoSenai mario amato
Senai mario amato
 
Reposição de conteúdo bruno luz 2 qa
Reposição de conteúdo bruno luz 2 qaReposição de conteúdo bruno luz 2 qa
Reposição de conteúdo bruno luz 2 qa
 
DESTILAÇÃO ALCOOL
DESTILAÇÃO ALCOOLDESTILAÇÃO ALCOOL
DESTILAÇÃO ALCOOL
 
OPU
OPUOPU
OPU
 
Petrquimica
PetrquimicaPetrquimica
Petrquimica
 
Peneiramento
PeneiramentoPeneiramento
Peneiramento
 
Opu tipos-de-separação
Opu tipos-de-separaçãoOpu tipos-de-separação
Opu tipos-de-separação
 
Opu tipos-de-separação
Opu tipos-de-separaçãoOpu tipos-de-separação
Opu tipos-de-separação
 
Opu
OpuOpu
Opu
 
Opu transformações mecânicas dos plásticos
Opu   transformações mecânicas dos plásticosOpu   transformações mecânicas dos plásticos
Opu transformações mecânicas dos plásticos
 
Framaceutica (2)
Framaceutica (2)Framaceutica (2)
Framaceutica (2)
 
Filtração 2 qa-
Filtração 2 qa-Filtração 2 qa-
Filtração 2 qa-
 
Filtração
FiltraçãoFiltração
Filtração
 
Cosméticos 2 qa
Cosméticos 2 qaCosméticos 2 qa
Cosméticos 2 qa
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 

Cerã¢mica power point

  • 1.
  • 2.
  • 3. A palavra cerâmica é derivada da palavra grega “kéramos” que significa "terra queimada" é um material de imensa resistência, sendo frequentemente encontrado em escavações arqueológicas.
  • 4. Existem dois tipos de cerâmica
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. • Os produtos da cerâmica vermelha caracterizam-se pela cor vermelha, representados por tijolos, blocos, telhas, tubos, lajes para forro, lajotas, vasos ornamentais, agregados leve de argila expandida entre outros.
  • 12.
  • 13. • A indústria oleira no Brasil usa processos de moldagem manuais, por extrusão e por prensagem. As temperaturas de queima da argila oscila entre 950°C e 1250°C, conforme a natureza da argila, do produto cerâmico e do forno utilizado, e as condições econômicas locais
  • 14. •Ceramica no geral suporta altas temperaturas e é um otiomo condutor.
  • 15.
  • 16.
  • 17. • A secagem é uma das principais operações para a fabricação da cerâmica industrial que incluem também a preparação da matéria-prima, preparação da massa, tratamento térmico.Após a etapa de formação, as peças em geral continuam a conter água, proveniente da preparação da massa. Para evitar defeitos nas peças, é necessário eliminar essa água, de forma lenta e gradual, em secadores intermitentes ou contínuos, as temperaturas variam entre 50 ºC e 150 ºC. Alguns fatores importantes a considerar na escolha do procedimento de secagem industrial são a temperatura a ser utilizada, tempo de secagem, teor de umidade final exigido, volume da produção e tipo de equipamento.
  • 18. •Ayrton Borges •Gabriela Alves •Jessica policarpo 2QA •Marlei Santos •Nathalia Lima