SlideShare uma empresa Scribd logo
Reunião Pública
“Sono e Sonhos”
Isnande Barros
Imperatriz - MA
2012
O SONO E OS SONHOS
LIVRO DOS ESPÍRITOS
C A P Í T U L O V I I I
Da emancipação da alma
• Visitas espíritas entre pessoas vivas;
• Transmissão oculta do pensamento;
• Letargia, catalepsia, mortes aparentes;
• Sonambulismo;
• Êxtase;
• Dupla vista;
• Resumo teórico do sonambulismo,
do êxtase e da dupla vista.
• O sono e os sonhos;
O SONO E OS SONHOS
Sono
1– estado fisiológico temporário, que ocorre periodicamente,
caracterizado por supressão da vigilância, desaceleração do
metabolismo, relaxamento muscular, diminuição da atividade
sensorial, suspensão das experiências conscientes que estão
referidas no momento ao indivíduo e ao mundo e pela aparição
concomitante de sonhos.
Sonhos
1-visão involuntária que ocorre a uma pessoa em estado de vigília.
2-conjunto de imagens, de pensamentos ou de fantasias que se
apresentam à mente durante o sono.
3-sequência de ideias soltas e incoerentes às quais o
espírito se entrega;
O SONO E OS SONHOS
O SONO E OS SONHOS
401. Durante o sono, a alma repousa como o corpo?
“Não, o Espírito jamais está inativo. Durante o sono,
afrouxam-se os laços que o prendem ao corpo e, não
precisando este então da sua presença, ele se lança
pelo espaço e entra em relação mais direta com os
outros Espíritos.”
O SONO E OS SONHOS
403. Por que não nos lembramos sempre dos
sonhos?
“Em o que chamas sono, só há o repouso do corpo, visto
que o Espírito está constantemente em atividade.
Recobra, durante o sono, um pouco da sua liberdade e
se corresponde com os que lhe são caros, quer neste
mundo, quer em outros. Mas, como é pesada e
grosseira a matéria que o compõe, o corpo dificilmente
conserva as impressões que o Espírito recebeu, porque
a este não chegaram por intermédio dos órgãos
corporais.”
O SONO E OS SONHOS
407. É necessário o sono completo para a
emancipação do Espírito?
“Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o
Espírito recobre a sua liberdade. Para se emancipar, ele
se aproveita de todos os instantes de trégua que o
corpo lhe concede. Desde que haja prostração das
forças vitais, o Espírito se desprende, tornando-se
tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo.”
Assim se explica que imagens idênticas às que vemos, em sonho, vejamos
estando apenas meio dormindo, ou em simples modorra.
O SONO E OS SONHOS
408. E qual a razão de ouvirmos, algumas vezes em
nós mesmos, palavras pronunciadas
distintamente e que nenhum nexo têm com o que
nos preocupa?
“É fato: ouvis até mesmo frases inteiras, principalmente
quando os sentidos começam a entorpecer-se. É, quase
sempre, fraco eco do que diz um Espírito que convosco
se quer comunicar.”
O SONO E OS SONHOS
409. Doutras vezes, num estado que ainda não é
bem o do adormecimento, estando com os olhos
fechados, vemos imagens distintas, figuras cujas
mínimas particularidades percebemos. Que há aí,
efeito de visão ou de imaginação?
“Estando entorpecido o corpo, o Espírito trata de
desprender-se. Transporta-se e vê. Se já fosse completo
o sono, haveria sonho.”
O SONO E OS SONHOS
410. Dá-se também que, durante o sono, ou quando
nos achamos apenas ligeiramente adormecidos,
acodem-nos ideias que nos parecem excelentes e
que se nos apagam da memória, apesar dos
esforços que façamos para retê-las. Donde vêm
essas ideias?
“Provêm da liberdade do Espírito que se emancipa e que,
emancipado, goza de suas faculdades com maior
amplitude. Também são, frequentemente, conselhos
que outros Espíritos dão.”
O SONO E OS SONHOS
410. a) De que servem essas ideias e esses conselhos,
desde que, pelos esquecer, não os podemos
aproveitar?
“Essas ideias, em regra, mais dizem respeito ao mundo
dos Espíritos do que ao mundo corpóreo. Pouco
importa que comumente o Espírito as esqueça, quando
unido ao corpo. Na ocasião oportuna, voltar-lhe-ão
como inspiração de momento.”
O SONO E OS SONHOS
411. Estando desprendido da matéria e atuando
como Espírito, sabe o Espírito encarnado qual
será a época de sua morte?
“Acontece pressenti-la. Também sucede ter plena
consciência dessa época, o que dá lugar a que, em
estado de vigília, tenha a intuição do fato. Por isso é
que algumas pessoas preveem com grande exatidão a
data em que virão a morrer.”
O SONO E OS SONHOS
412. Pode a atividade do Espírito, durante o repouso,
ou o sono corporal, fatigar o corpo?
“Pode, pois que o Espírito se acha preso ao corpo qual
balão cativo ao poste. Assim como as sacudiduras do
balão abalam o poste, a atividade do Espírito reage
sobre o corpo e pode fatigá-lo.”
O SONO E OS SONHOS
VISITAS ESPÍRITAS ENTRE PESSOAS VIVAS
413. Do princípio da emancipação da alma parece
decorrer que temos duas existências simultâneas:
a do corpo, que nos permite a vida de relação
ostensiva; e a da alma, que nos proporciona a vida
de relação oculta. É assim?
414. Podem duas pessoas que se conhecem visitar-se
durante o sono?
O SONO E OS SONHOS
VISITAS ESPÍRITAS ENTRE PESSOAS VIVAS
416. Pode o homem, pela sua vontade, provocar as
visitas espíritas? Pode, por exemplo, dizer, quando
está para dormir: Quero esta noite encontrar-me
em Espírito com Fulano, quero falar-lhe para
dizer isto?
417. Podem Espíritos encarnados reunir-se em certo
número e formar assembleias?
O SONO E OS SONHOS
"Antes de dormir, cumpre sejam fixadas
as ideias agradáveis e positivas, visualizando
aquilo com que se deseja sonhar, certamente
para tirar proveito útil no processo cultural,
intelectual, moral e espiritual".
Por Joanna de Ângelis.
"Autodescobrimento - Uma Busca Interior".
Divaldo Pereira Franco.
CEAL
Boa Noite!!!
Sigamos com a paz do Nazareno.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
umecamaqua
 
O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
carlos freire
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Marta Gomes
 
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
2.9.3 Afeição dos Espíritos por certas pessoas
2.9.3   Afeição dos Espíritos por certas pessoas2.9.3   Afeição dos Espíritos por certas pessoas
2.9.3 Afeição dos Espíritos por certas pessoas
Marta Gomes
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
Jorge Luiz dos Santos
 
Anjo da guarda
Anjo da guardaAnjo da guarda
Anjo da guarda
Lisete B.
 
Fluidos e Perispírito
Fluidos e PerispíritoFluidos e Perispírito
Fluidos e Perispírito
igmateus
 
Concentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e IrradiaçãoConcentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e Irradiação
Graça Maciel
 
Fluído Cósmico (Universal)
Fluído Cósmico (Universal)Fluído Cósmico (Universal)
Fluído Cósmico (Universal)
Antonino Silva
 
O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Inferno
igmateus
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hs
home
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
Temor da morte – Livro dos Espíritos
Temor  da  morte – Livro dos EspíritosTemor  da  morte – Livro dos Espíritos
Temor da morte – Livro dos Espíritos
Izabel Cristina Fonseca
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
Jorge Luiz dos Santos
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
Centros de força.pptx
Centros de força.pptxCentros de força.pptx
Centros de força.pptx
Marta Gomes
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz
26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz
26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz
Lar Irmã Zarabatana
 
Das evocações
Das evocaçõesDas evocações
Das evocações
home
 

Mais procurados (20)

O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
 
O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
 
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
2.9.3 Afeição dos Espíritos por certas pessoas
2.9.3   Afeição dos Espíritos por certas pessoas2.9.3   Afeição dos Espíritos por certas pessoas
2.9.3 Afeição dos Espíritos por certas pessoas
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
 
Anjo da guarda
Anjo da guardaAnjo da guarda
Anjo da guarda
 
Fluidos e Perispírito
Fluidos e PerispíritoFluidos e Perispírito
Fluidos e Perispírito
 
Concentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e IrradiaçãoConcentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e Irradiação
 
Fluído Cósmico (Universal)
Fluído Cósmico (Universal)Fluído Cósmico (Universal)
Fluído Cósmico (Universal)
 
O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Inferno
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hs
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
 
Temor da morte – Livro dos Espíritos
Temor  da  morte – Livro dos EspíritosTemor  da  morte – Livro dos Espíritos
Temor da morte – Livro dos Espíritos
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
Centros de força.pptx
Centros de força.pptxCentros de força.pptx
Centros de força.pptx
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
 
26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz
26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz
26/03/2014 Cap 6 Livro Missionários da Luz
 
Das evocações
Das evocaçõesDas evocações
Das evocações
 

Destaque

Palestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E SonhoPalestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E Sonho
Grupo Espírita Cristão
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
jcevadro
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e SonhosMocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Sergio Lima Dias Junior
 
Sono e sonhos
Sono e sonhosSono e sonhos
Sono e sonhos
Graça Maciel
 
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Shantappa Jewur
 
Cm 12 - fenomenos correlatos & viagem astralconsc
Cm   12 - fenomenos correlatos & viagem astralconscCm   12 - fenomenos correlatos & viagem astralconsc
Cm 12 - fenomenos correlatos & viagem astralconsc
Norberto Scavone Augusto
 
O sono e os sonhos
O sono e os sonhosO sono e os sonhos
O sono e os sonhos
Shantappa Jewur
 
53 o sono e os sonhos
53 o sono e os sonhos53 o sono e os sonhos
53 o sono e os sonhos
Antonio SSantos
 

Destaque (8)

Palestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E SonhoPalestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E Sonho
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e SonhosMocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
 
Sono e sonhos
Sono e sonhosSono e sonhos
Sono e sonhos
 
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421Comunicação dos pensamentos 413 a 421
Comunicação dos pensamentos 413 a 421
 
Cm 12 - fenomenos correlatos & viagem astralconsc
Cm   12 - fenomenos correlatos & viagem astralconscCm   12 - fenomenos correlatos & viagem astralconsc
Cm 12 - fenomenos correlatos & viagem astralconsc
 
O sono e os sonhos
O sono e os sonhosO sono e os sonhos
O sono e os sonhos
 
53 o sono e os sonhos
53 o sono e os sonhos53 o sono e os sonhos
53 o sono e os sonhos
 

Semelhante a O SONO E OS SONHOS

SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)
O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)
O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)
Laboratório de Cimentos da UFRN - LABCIM/UFRN
 
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
dariosr40
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e Sonhos
Antonino Silva
 
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da almaPrimeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
CeiClarencio
 
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Maria Salete da Cunha
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Maria Salete da Cunha
 
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2
Graça Maciel
 
Visaoespiritasonosonhos
VisaoespiritasonosonhosVisaoespiritasonosonhos
Visaoespiritasonosonhos
Neusa Lustosa
 
Experiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo FísicoExperiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo Físico
Ponte de Luz ASEC
 
O sono e os sonhos
O sono e os sonhosO sono e os sonhos
O sono e os sonhos
Shantappa Jewur
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
Silvio Figueirôa
 
Emancipação da alma
Emancipação da almaEmancipação da alma
Emancipação da alma
Maria Salete da Cunha
 
2.8.4 sonambulismo
2.8.4   sonambulismo2.8.4   sonambulismo
2.8.4 sonambulismo
Marta Gomes
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 

Semelhante a O SONO E OS SONHOS (20)

SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
 
O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)
O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)
O sono e os sonhos (g.e. cristao a caminho da luz)
 
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e Sonhos
 
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
 
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da almaPrimeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
 
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
 
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
 
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...( Espiritismo)   # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
( Espiritismo) # - aluney e a silva - atividade noturna do espirito, desdob...
 
Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2Emancipação Parcial da Alma 2
Emancipação Parcial da Alma 2
 
Visaoespiritasonosonhos
VisaoespiritasonosonhosVisaoespiritasonosonhos
Visaoespiritasonosonhos
 
Experiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo FísicoExperiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo Físico
 
O sono e os sonhos
O sono e os sonhosO sono e os sonhos
O sono e os sonhos
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
 
Emancipação da alma
Emancipação da almaEmancipação da alma
Emancipação da alma
 
2.8.4 sonambulismo
2.8.4   sonambulismo2.8.4   sonambulismo
2.8.4 sonambulismo
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Mais de Isnande Mota Barros

UM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptx
UM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptxUM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptx
UM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptx
Isnande Mota Barros
 
O ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptx
O ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptxO ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptx
O ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptx
Isnande Mota Barros
 
Lei do Trabalho.pptx
Lei do Trabalho.pptxLei do Trabalho.pptx
Lei do Trabalho.pptx
Isnande Mota Barros
 
A Parábola dos Talentos.pptx
A Parábola dos Talentos.pptxA Parábola dos Talentos.pptx
A Parábola dos Talentos.pptx
Isnande Mota Barros
 
Fabiano de Cristo
Fabiano de CristoFabiano de Cristo
Fabiano de Cristo
Isnande Mota Barros
 
Eurípedes Barsanulfo - educador e médium
Eurípedes Barsanulfo - educador e médiumEurípedes Barsanulfo - educador e médium
Eurípedes Barsanulfo - educador e médium
Isnande Mota Barros
 
A Parábola dos Talentos
A Parábola dos TalentosA Parábola dos Talentos
A Parábola dos Talentos
Isnande Mota Barros
 
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Isnande Mota Barros
 
Os trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última horaOs trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última hora
Isnande Mota Barros
 
Jesus e as Parábolas
Jesus e as ParábolasJesus e as Parábolas
Jesus e as Parábolas
Isnande Mota Barros
 
A cara da gincana vermelha 002
A cara da gincana   vermelha 002A cara da gincana   vermelha 002
A cara da gincana vermelha 002
Isnande Mota Barros
 
A cara da gincana vermelha 001
A cara da gincana   vermelha 001A cara da gincana   vermelha 001
A cara da gincana vermelha 001
Isnande Mota Barros
 
A cara da gincana azul 002
A cara da gincana   azul 002A cara da gincana   azul 002
A cara da gincana azul 002
Isnande Mota Barros
 
verde 001
verde 001verde 001
azul 001
azul 001azul 001
REFORMA ÍNTIMA
REFORMA ÍNTIMAREFORMA ÍNTIMA
REFORMA ÍNTIMA
Isnande Mota Barros
 
A MEDIUNIDADE DE MOISÉS
A MEDIUNIDADE DE MOISÉSA MEDIUNIDADE DE MOISÉS
A MEDIUNIDADE DE MOISÉS
Isnande Mota Barros
 
A PRECE
A PRECEA PRECE
FABIANO DE CRISTO
FABIANO DE CRISTOFABIANO DE CRISTO
FABIANO DE CRISTO
Isnande Mota Barros
 

Mais de Isnande Mota Barros (20)

UM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptx
UM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptxUM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptx
UM DESAFIO CHAMADO FAMÍLIA.pptx
 
O ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptx
O ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptxO ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptx
O ENSINO DE JOÃO BATISTA.pptx
 
Lei do Trabalho.pptx
Lei do Trabalho.pptxLei do Trabalho.pptx
Lei do Trabalho.pptx
 
A Parábola dos Talentos.pptx
A Parábola dos Talentos.pptxA Parábola dos Talentos.pptx
A Parábola dos Talentos.pptx
 
Fabiano de Cristo
Fabiano de CristoFabiano de Cristo
Fabiano de Cristo
 
Eurípedes Barsanulfo - educador e médium
Eurípedes Barsanulfo - educador e médiumEurípedes Barsanulfo - educador e médium
Eurípedes Barsanulfo - educador e médium
 
A Parábola dos Talentos
A Parábola dos TalentosA Parábola dos Talentos
A Parábola dos Talentos
 
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
 
Os trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última horaOs trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última hora
 
Jesus e as Parábolas
Jesus e as ParábolasJesus e as Parábolas
Jesus e as Parábolas
 
A cara da gincana verde 002
A cara da gincana   verde 002A cara da gincana   verde 002
A cara da gincana verde 002
 
A cara da gincana vermelha 002
A cara da gincana   vermelha 002A cara da gincana   vermelha 002
A cara da gincana vermelha 002
 
A cara da gincana vermelha 001
A cara da gincana   vermelha 001A cara da gincana   vermelha 001
A cara da gincana vermelha 001
 
A cara da gincana azul 002
A cara da gincana   azul 002A cara da gincana   azul 002
A cara da gincana azul 002
 
verde 001
verde 001verde 001
verde 001
 
azul 001
azul 001azul 001
azul 001
 
REFORMA ÍNTIMA
REFORMA ÍNTIMAREFORMA ÍNTIMA
REFORMA ÍNTIMA
 
A MEDIUNIDADE DE MOISÉS
A MEDIUNIDADE DE MOISÉSA MEDIUNIDADE DE MOISÉS
A MEDIUNIDADE DE MOISÉS
 
A PRECE
A PRECEA PRECE
A PRECE
 
FABIANO DE CRISTO
FABIANO DE CRISTOFABIANO DE CRISTO
FABIANO DE CRISTO
 

Último

PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 

Último (10)

PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 

O SONO E OS SONHOS

  • 1. Reunião Pública “Sono e Sonhos” Isnande Barros Imperatriz - MA 2012
  • 2. O SONO E OS SONHOS LIVRO DOS ESPÍRITOS C A P Í T U L O V I I I Da emancipação da alma • Visitas espíritas entre pessoas vivas; • Transmissão oculta do pensamento; • Letargia, catalepsia, mortes aparentes; • Sonambulismo; • Êxtase; • Dupla vista; • Resumo teórico do sonambulismo, do êxtase e da dupla vista. • O sono e os sonhos;
  • 3. O SONO E OS SONHOS Sono 1– estado fisiológico temporário, que ocorre periodicamente, caracterizado por supressão da vigilância, desaceleração do metabolismo, relaxamento muscular, diminuição da atividade sensorial, suspensão das experiências conscientes que estão referidas no momento ao indivíduo e ao mundo e pela aparição concomitante de sonhos. Sonhos 1-visão involuntária que ocorre a uma pessoa em estado de vigília. 2-conjunto de imagens, de pensamentos ou de fantasias que se apresentam à mente durante o sono. 3-sequência de ideias soltas e incoerentes às quais o espírito se entrega;
  • 4. O SONO E OS SONHOS
  • 5. O SONO E OS SONHOS 401. Durante o sono, a alma repousa como o corpo? “Não, o Espírito jamais está inativo. Durante o sono, afrouxam-se os laços que o prendem ao corpo e, não precisando este então da sua presença, ele se lança pelo espaço e entra em relação mais direta com os outros Espíritos.”
  • 6. O SONO E OS SONHOS 403. Por que não nos lembramos sempre dos sonhos? “Em o que chamas sono, só há o repouso do corpo, visto que o Espírito está constantemente em atividade. Recobra, durante o sono, um pouco da sua liberdade e se corresponde com os que lhe são caros, quer neste mundo, quer em outros. Mas, como é pesada e grosseira a matéria que o compõe, o corpo dificilmente conserva as impressões que o Espírito recebeu, porque a este não chegaram por intermédio dos órgãos corporais.”
  • 7. O SONO E OS SONHOS 407. É necessário o sono completo para a emancipação do Espírito? “Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o Espírito recobre a sua liberdade. Para se emancipar, ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede. Desde que haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, tornando-se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo.” Assim se explica que imagens idênticas às que vemos, em sonho, vejamos estando apenas meio dormindo, ou em simples modorra.
  • 8. O SONO E OS SONHOS 408. E qual a razão de ouvirmos, algumas vezes em nós mesmos, palavras pronunciadas distintamente e que nenhum nexo têm com o que nos preocupa? “É fato: ouvis até mesmo frases inteiras, principalmente quando os sentidos começam a entorpecer-se. É, quase sempre, fraco eco do que diz um Espírito que convosco se quer comunicar.”
  • 9. O SONO E OS SONHOS 409. Doutras vezes, num estado que ainda não é bem o do adormecimento, estando com os olhos fechados, vemos imagens distintas, figuras cujas mínimas particularidades percebemos. Que há aí, efeito de visão ou de imaginação? “Estando entorpecido o corpo, o Espírito trata de desprender-se. Transporta-se e vê. Se já fosse completo o sono, haveria sonho.”
  • 10. O SONO E OS SONHOS 410. Dá-se também que, durante o sono, ou quando nos achamos apenas ligeiramente adormecidos, acodem-nos ideias que nos parecem excelentes e que se nos apagam da memória, apesar dos esforços que façamos para retê-las. Donde vêm essas ideias? “Provêm da liberdade do Espírito que se emancipa e que, emancipado, goza de suas faculdades com maior amplitude. Também são, frequentemente, conselhos que outros Espíritos dão.”
  • 11. O SONO E OS SONHOS 410. a) De que servem essas ideias e esses conselhos, desde que, pelos esquecer, não os podemos aproveitar? “Essas ideias, em regra, mais dizem respeito ao mundo dos Espíritos do que ao mundo corpóreo. Pouco importa que comumente o Espírito as esqueça, quando unido ao corpo. Na ocasião oportuna, voltar-lhe-ão como inspiração de momento.”
  • 12. O SONO E OS SONHOS 411. Estando desprendido da matéria e atuando como Espírito, sabe o Espírito encarnado qual será a época de sua morte? “Acontece pressenti-la. Também sucede ter plena consciência dessa época, o que dá lugar a que, em estado de vigília, tenha a intuição do fato. Por isso é que algumas pessoas preveem com grande exatidão a data em que virão a morrer.”
  • 13. O SONO E OS SONHOS 412. Pode a atividade do Espírito, durante o repouso, ou o sono corporal, fatigar o corpo? “Pode, pois que o Espírito se acha preso ao corpo qual balão cativo ao poste. Assim como as sacudiduras do balão abalam o poste, a atividade do Espírito reage sobre o corpo e pode fatigá-lo.”
  • 14. O SONO E OS SONHOS VISITAS ESPÍRITAS ENTRE PESSOAS VIVAS 413. Do princípio da emancipação da alma parece decorrer que temos duas existências simultâneas: a do corpo, que nos permite a vida de relação ostensiva; e a da alma, que nos proporciona a vida de relação oculta. É assim? 414. Podem duas pessoas que se conhecem visitar-se durante o sono?
  • 15. O SONO E OS SONHOS VISITAS ESPÍRITAS ENTRE PESSOAS VIVAS 416. Pode o homem, pela sua vontade, provocar as visitas espíritas? Pode, por exemplo, dizer, quando está para dormir: Quero esta noite encontrar-me em Espírito com Fulano, quero falar-lhe para dizer isto? 417. Podem Espíritos encarnados reunir-se em certo número e formar assembleias?
  • 16. O SONO E OS SONHOS "Antes de dormir, cumpre sejam fixadas as ideias agradáveis e positivas, visualizando aquilo com que se deseja sonhar, certamente para tirar proveito útil no processo cultural, intelectual, moral e espiritual". Por Joanna de Ângelis. "Autodescobrimento - Uma Busca Interior". Divaldo Pereira Franco.
  • 17. CEAL Boa Noite!!! Sigamos com a paz do Nazareno.