SlideShare uma empresa Scribd logo
Realização:
O REVESTIMENTO DE GESSO
COM APROVEITAMENTO TOTAL
Criatividade Combina com Responsabilidade
O emprego de produtos a base de gesso na construção civil oferece grandes vantagens como
economicidade, versatilidade, excelente desempenho, isolamento termo-acústico, rapidez do
serviço. Além de apresentar a rigidez necessária às construções, equilibra a umidade do ar em
áreas fechadas. Na forma de pó misturado a água na própria obra para revestimento de paredes e
tetos, na forma de pré-moldados, como blocos ou placas, o gesso está presente em várias etapas
da construção. Os produtos de gesso permitem ainda a criação de formas e desenhos,
proporcionando mais flexibilidade na elaboração de ambientes decorados
E o melhor é poder combinar todas essas vantagens com responsabilidade social e ambiental,
reaproveitando as sobras do gesso. Isso quer dizer produção com otimização de resultados.
1. Régua L de Alumínio 2” x 2” x 2 m (cantoneira de alumínio) I
2. Masseira I .
3. Régua tubular de alumínio de secção retangular I
4. Desempenadeira de PVC I
5. Desempenadeira de aço I
6. Espátula de aço de 2” ou 4” I
7. Colher de pedreiro I
8. Apiloador de madeira I
usada para raspar o excesso de
gesso aplanando a superfície após a colocação da pasta de gesso nas alvenarias em bloco de
cimento, cerâmico e elementos de concreto.
recipiente de PVC onde é realizada a mistura do gesso
utilizada para a execução das guias-mestras
e verificação da planicidade do revestimento em gesso.
serve para a aplicação da pasta de gesso nas alvenarias em bloco
de cimento, cerâmico e elementos de concreto.
serve para o alisamento da superfície de gesso.
utilizada para limpar a masseira de PVC e as ferramentas.
utilizada para mistura a pasta de gesso na maceira de PVC.
utilizado para triturar as sobras de pasta de gesso endurecidas para
reutilização.
Parceria Moldada em Gesso
O estímulo ao desenvolvimento de pequenos negócios tem
sido alvo constante das atividades do SEBRAE, dentro da
preocupação de fomentar e difundir programas e projetos
inovadores para micro e pequenas empresas (MPEs). Com
esse enfoque é que o SEBRAE vem implementando, de forma
crescente, ações voltadas à gestão pela qualidade.
Nesse quadro, a cadeia produtiva da Construção Civil,
grande absorvedora de mão de obra, vem apresentando
invulgar atuação no desenvolvimento econômico e na
urbanização do país. E o melhor exemplo é o conjunto de
ações desencadeadas, no âmbito nacional, para tornar o
setor mais competitivo. Seja através da melhoria do padrão
de qualidade, seja através da segurança dos processos
construtivos.
São inovações tecnológicas que sempre demandam
profissionais qualificados. E esta Cartilha, apresentando
como base a referência técnica para aplicação do resíduo
da pasta de gesso no revestimento interno de paredes, se
configura como novo avanço. Uma inovação tecnológica,
solucionando problemas econômicos e ambientais, com
enormes vantagens.
Essa tecnologia é economicamente viável porque permite a
reciclagem do gesso no próprio canteiro de obra e, ao
mesmo tempo, é ambientalmente correta porque não
necessita de local específico para aterro. Além disso, com
esta publicação, o SEBRAE e o SINDUSGESSO irão capacitar
microempresas prestadoras de serviços do segmento de
aplicação dos produtos de gesso, combatendo a não
conformidade e reduzindo o desperdício nas construções,
objetivo comum de todos envolvidos nessa parceria.
Ganham o produto e o produtor. Ganha a nossa economia.
Nilo Simões
Superintendente do SEBRAE em Pernambuco
As Ferramentas para Manuseio do Gesso
Deve seguir as recomendações da NBR 13207 (ABNT, 1994), ou seja: o
gesso em pó deve chegar a obra, embalados em sacos de papel ou de
polipropileno com filme plástico, com a identificação e recomendações
de uso pelo fabricante, que devem ser armazenados e mantidos em locais
secos, arejados e protegidos da ação da água, sempre sobre estrados de
madeira com altura de 10 cm do chão e distância das paredes em 50 cm.
Este procedimento evita a hidratação não desejada e preserva a qualidade
do gesso em pó. E em caso de inspeção, garante o fácil acesso ao
material e identificação de cada lote. As pilhas de sacos não devem
conter mais de 15 unidades superpostas.
Transporte do gesso
O transporte deve garantir a integridade da embalagem para manter a
qualidade do gesso.
Antes de iniciar a execução do revestimento interno da parede o
ambiente deve estar livre e desimpedido de quaisquer materiais. O
contrapiso deve estar concluído, limpo e coberto com uma lona plástica
de proteção onde as sobras do gesso serão recolhidas para posterior
reutilização, permitindo o aproveitamento total.
Proteção do piso
Armazenamento
Colocar água limpa em um recipiente de PVC (masseira), conforme
quantidade indicada pelo fabricante. Polvilhar o gesso para revestimento
sobre a água cobrindo toda a superfície da masseira e esperar até o
completo molhamento do pó. Misturar metade do volume na masseira,
utilizando a colher de pedreiro e deixar a pasta em repouso entre cinco
e dez minutos ou atingir a consistência de uso.
Executar as guias-mestras na alvenaria para definir o plano e o prumo do
revestimento por meio de uma régua tubular de alumínio de secção
retangular, conforme recomenda a NBR 13867 (ABNT, 1997). Colocar a
pasta de forma a preencher toda a superfície da menor largura de uma
régua tubular de alumínio de secção retangular com o auxílio de uma
espátula de aço. Apoiar a régua tubular de alumínio de secção retangular
com a face preenchida com a pasta de gesso sobre dois pontos de
mestras na parede, prensando a pasta de gesso entre a régua e a
alvenaria. Após o endurecimento da pasta de gesso à parede, remover
régua tubular de alumínio de secção retangular.
Deixar a sobra da pasta de gesso para revestimento endurecer,
triturando-o com auxilio de um apiloador de madeira deixando-o com
dimensão aproximada de 5 (cinco) milímetros. Para cada saco de 40 kg
de gesso para revestimento adicionar o equivalente a 1 galão e meio,
com volume de 3,6 litros cada galão, da sobra de gesso reidratado
triturado.
Execução das guias-mestras
O gesso para revestimento é um pó branco e fino que, misturado a água, endurece liberando calor,
e apresenta um tempo de endurecimento entre 25 e 35 minutos.
A água deve ser limpa e isenta de impurezas, como: argila, areia, cimento, cal, etc.
Tratamento da sobra de gesso reidratado
Aproveitamento Total do Gesso, Inovando a Forma de Trabalho
Colocar água limpa em um recipiente de PVC (masseira), conforme
quantidade indicada pelo fabricante. Polvilhar o gesso para revestimento
sobre a água cobrindo toda a superfície da masseira e esperar até o
completo molhamento do pó, em seguida, deve-se adicionar polvilhando
sobre a metade da masseira a sobra já tratada do gesso reidratado de
acordo com a quantidade de sacos de gesso para revestimento a ser
utilizado (1 galão e meio para cada 40 quilos) e mistura-lo com a colher
de pedreiro. Esta metade do volume da masseira misturada á sobra de
gesso deve ser utilizada para enchimento da parede, ou primeira demão.
A outra metade da masseira, sem a adição de sobra de gesso
rehidratado, deve ser utilizada para completar o enchimento e executar
o acabamento de toda a superfície.
Preparo da pasta de gesso com aproveitamento total
Preparo da pasta de gesso para execução das guias-mestras
Revestimento de paredes com aproveitamento totalProcedimentos no Local da Obra
Características do gesso em pó e da água a ser utilizada
Primeiros Passos: Preparando o Ambiente
Construções e reformas que utilizam o gesso exigem menor número de
material para completar o m . Assim, se ganha em tempo e dinheiro,
além de reduzir o desperdício na obra;
O trabalho com o gesso é prático e rápido e a obra fica pronta em
menos tempo;
Para atender às necessidades de cada obra/ambiente, de acordo com
tamanho, número de divisórias, tipos de decoração;
A fabricação do gesso segue normas que o preparam para suportar um
bom nível de pressão, adequado à construção civil;
Paredes, tetos e divisórias de gesso apresentam resistência ao frio e ao
calor semelhante à alvenaria convencional. É uma propriedade natural do
gesso;
Outra característica do gesso é o isolamento de barulhos e ruídos
externos;
O gesso não pega fogo e a molécula de água presente em sua
composição oferece grande resistência às chamas;
A porosidade do gesso permite que ele retire ou devolva a umidade ao
ambiente, de acordo com as condições internas e externas.
baixo custo
facilidade de montagem
flexibilidade
resistência
isolamento térmico
isolamento acústico
incombustível
regulação higrométrica
Vantagens do Gesso na Construção Civil
2
Transformar o entulho em lucro. Esse é o maior desafio da construção civil.
Utilizar as sobras de gesso e amenizar o impacto ambiental, através do uso do
, contribui para o
desenvolvimento sustentável.
revestimento de gesso com aproveitamento total
Gesso na Obra não se Perde.
Na Natureza, se Transforma.
A pasta de gesso deve ser colocada sobre uma desempenadeira e ser
cuidadosamente espalhada na alvenaria. Espalhada a pasta de gesso, a
superfície deve ser sarrafeada com a ajuda de uma régua L de alumínio
2” x 2” x 2 m (cantoneira de alumínio) e das guias-mestras executadas.
Após o completo enchimento com pasta de gesso sem a adição das
sobras, entre as mestras e o aplanamento da superfície com o uso da
régua L de alumínio 2” x 2” x 2 m (cantoneira de alumínio), deve-se
aplicar uma fina camada de pasta de gesso para revestimento com ajuda
de desempeno de aço, para obtenção de uma superfície plana e lisa.
Execução do revestimento de gesso
Acabamento final
Conselho Deliberativo - Pernambuco
Banco do Brasil S/A
Banco do Nordeste do Brasil
Caixa Econômica Federal
Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco - FAEPE
Federação do Comércio do Estado de Pernambuco - FECOMÉRCIO
Federação das Associações Comerciais do Estado de Pernambuco - FACEP
Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco - FIEPE
Instituto Euvaldo Lodi - IEL
Secretaria de Desenvolvimento Econômico
Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SENAC/PE
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI/PE
Serviço Nacional de Aprendizagem Rural -SENAR/PE
Sociedade Auxiliadora da Agricultura do Estado de Pernambuco
Universidade de Pernambuco - UPE
Presidente do Conselho Deliberativo
Ricardo Essinger
Diretor Superintendente
Nilo Simões
Diretor Técnico
Roberta Correia
Diretor Administrativo Financeiro
Gilson Monteiro
Unidade de Negócios
Setorial Indústria
Jussara Leite
Cadeia da Construção Civil
Gestora do projeto
Erika Isabel Raposo
Produção
NoAR Comunicação
Redação:
Mannuela Costa
Direção de Arte:
Mariana Marques
Ilustração:
Raoni Assis
Tiragem: 3.000
Expediente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tijolo ecologico
Tijolo ecologicoTijolo ecologico
Tijolo ecologico
Marcello Abdala Martins
 
Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...
Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...
Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...
Daniel Capobianchi
 
Pau a pique
Pau a piquePau a pique
Pau a pique
Carlos Elson Cunha
 
Estrumeira solocimento
Estrumeira solocimentoEstrumeira solocimento
Estrumeira solocimento
mvezzone
 
1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento
Edilaine Souza
 
Art solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)
Art  solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)Art  solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)
Art solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)
Petiano Camilo Bin
 
Habitare tijolos prensados_de_terra_crua
Habitare tijolos prensados_de_terra_cruaHabitare tijolos prensados_de_terra_crua
Habitare tijolos prensados_de_terra_crua
Ely Barros
 
Fogao lenha
Fogao lenhaFogao lenha
Fogao lenha
Marcia Rita
 
De olho na_agua_guia_de_referencia
De olho na_agua_guia_de_referenciaDe olho na_agua_guia_de_referencia
De olho na_agua_guia_de_referencia
Míriam Morata Novaes
 
Drywall fabio francio
Drywall fabio francioDrywall fabio francio
Drywall fabio francio
Ambiente Construído II
 
Apresentação Argamassas HoriMassa
Apresentação Argamassas HoriMassaApresentação Argamassas HoriMassa
Apresentação Argamassas HoriMassa
Augusto Cesar Mendes
 
Assuntos de Interesse - Março 2019
Assuntos de Interesse - Março 2019Assuntos de Interesse - Março 2019
Fogão ecoeficiente
Fogão ecoeficienteFogão ecoeficiente
Fogão ecoeficiente
Rafael Ferreira
 
Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02
Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02
Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02
TobiasAndrade
 
Trabalho técnicas ii
Trabalho técnicas iiTrabalho técnicas ii
Trabalho técnicas ii
patitrizotto
 
Apresentação (1)
Apresentação (1)Apresentação (1)
Apresentação (1)
TobiasAndrade
 
DESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOSDESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOS
Luciana Santos
 
Aula mc-05--agregados - prof aline
Aula mc-05--agregados - prof alineAula mc-05--agregados - prof aline
Aula mc-05--agregados - prof aline
Lailson Ancelmo
 

Mais procurados (18)

Tijolo ecologico
Tijolo ecologicoTijolo ecologico
Tijolo ecologico
 
Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...
Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...
Forro para redução de temperatura sem perda de luminosodade de bambu ecológic...
 
Pau a pique
Pau a piquePau a pique
Pau a pique
 
Estrumeira solocimento
Estrumeira solocimentoEstrumeira solocimento
Estrumeira solocimento
 
1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento
 
Art solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)
Art  solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)Art  solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)
Art solo cimento + esíduos de concreto- souza et al. (2008)
 
Habitare tijolos prensados_de_terra_crua
Habitare tijolos prensados_de_terra_cruaHabitare tijolos prensados_de_terra_crua
Habitare tijolos prensados_de_terra_crua
 
Fogao lenha
Fogao lenhaFogao lenha
Fogao lenha
 
De olho na_agua_guia_de_referencia
De olho na_agua_guia_de_referenciaDe olho na_agua_guia_de_referencia
De olho na_agua_guia_de_referencia
 
Drywall fabio francio
Drywall fabio francioDrywall fabio francio
Drywall fabio francio
 
Apresentação Argamassas HoriMassa
Apresentação Argamassas HoriMassaApresentação Argamassas HoriMassa
Apresentação Argamassas HoriMassa
 
Assuntos de Interesse - Março 2019
Assuntos de Interesse - Março 2019Assuntos de Interesse - Março 2019
Assuntos de Interesse - Março 2019
 
Fogão ecoeficiente
Fogão ecoeficienteFogão ecoeficiente
Fogão ecoeficiente
 
Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02
Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02
Trabalho Técnicas Construtivas II parte 02
 
Trabalho técnicas ii
Trabalho técnicas iiTrabalho técnicas ii
Trabalho técnicas ii
 
Apresentação (1)
Apresentação (1)Apresentação (1)
Apresentação (1)
 
DESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOSDESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III REVESTIMENTOS
 
Aula mc-05--agregados - prof aline
Aula mc-05--agregados - prof alineAula mc-05--agregados - prof aline
Aula mc-05--agregados - prof aline
 

Semelhante a Cartilha revestimento

Apresentação Grupo 8
Apresentação Grupo 8Apresentação Grupo 8
Apresentação Grupo 8
Kaoanee
 
Apostila de gesseiro
Apostila de gesseiroApostila de gesseiro
Apostila de gesseiro
pauloweimann
 
8 apostila de gesseiro
8 apostila de gesseiro8 apostila de gesseiro
8 apostila de gesseiro
Ricardo Akerman
 
9 apostila de gesseiro
9 apostila de gesseiro9 apostila de gesseiro
9 apostila de gesseiro
Ricardo Akerman
 
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
VITORHUGOSANTANADASI
 
Filme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobáFilme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobá
Ludmila Souza
 
Matérias não convencionais utilizados na construção
Matérias não convencionais utilizados na construção Matérias não convencionais utilizados na construção
Matérias não convencionais utilizados na construção
Marcelo Daniel Trindade
 
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
luzidio
 
Dicas
DicasDicas
Manual concretoestampadoconvencionalmoldadoinloco
Manual concretoestampadoconvencionalmoldadoinlocoManual concretoestampadoconvencionalmoldadoinloco
Manual concretoestampadoconvencionalmoldadoinloco
Luiz Avelar
 
Drywall debora
Drywall deboraDrywall debora
Drywall debora
Ambiente Construído II
 
Drywall debora
Drywall deboraDrywall debora
Drywall debora
Ambiente Construído II
 
1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento
Bruno Barros
 
Revestimentos
RevestimentosRevestimentos
Revestimentos
Sofia Medeiros
 
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológicaCartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
danius2009
 
Apresentação America do Sul - Piso Drenante MT
Apresentação America do Sul - Piso Drenante MTApresentação America do Sul - Piso Drenante MT
Apresentação America do Sul - Piso Drenante MT
Leandro Bosaipo
 
Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012
Hilrocha
 
Trabalho técnicas ii
Trabalho técnicas iiTrabalho técnicas ii
Trabalho técnicas ii
patitrizotto
 
Informaçõ.. (1)
Informaçõ.. (1)Informaçõ.. (1)
Informaçõ..
Informaçõ..Informaçõ..

Semelhante a Cartilha revestimento (20)

Apresentação Grupo 8
Apresentação Grupo 8Apresentação Grupo 8
Apresentação Grupo 8
 
Apostila de gesseiro
Apostila de gesseiroApostila de gesseiro
Apostila de gesseiro
 
8 apostila de gesseiro
8 apostila de gesseiro8 apostila de gesseiro
8 apostila de gesseiro
 
9 apostila de gesseiro
9 apostila de gesseiro9 apostila de gesseiro
9 apostila de gesseiro
 
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
 
Filme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobáFilme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobá
 
Matérias não convencionais utilizados na construção
Matérias não convencionais utilizados na construção Matérias não convencionais utilizados na construção
Matérias não convencionais utilizados na construção
 
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
 
Dicas
DicasDicas
Dicas
 
Manual concretoestampadoconvencionalmoldadoinloco
Manual concretoestampadoconvencionalmoldadoinlocoManual concretoestampadoconvencionalmoldadoinloco
Manual concretoestampadoconvencionalmoldadoinloco
 
Drywall debora
Drywall deboraDrywall debora
Drywall debora
 
Drywall debora
Drywall deboraDrywall debora
Drywall debora
 
1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento1 artigo tijolos_solo_cimento
1 artigo tijolos_solo_cimento
 
Revestimentos
RevestimentosRevestimentos
Revestimentos
 
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológicaCartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
 
Apresentação America do Sul - Piso Drenante MT
Apresentação America do Sul - Piso Drenante MTApresentação America do Sul - Piso Drenante MT
Apresentação America do Sul - Piso Drenante MT
 
Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012
 
Trabalho técnicas ii
Trabalho técnicas iiTrabalho técnicas ii
Trabalho técnicas ii
 
Informaçõ.. (1)
Informaçõ.. (1)Informaçõ.. (1)
Informaçõ.. (1)
 
Informaçõ..
Informaçõ..Informaçõ..
Informaçõ..
 

Último

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 

Cartilha revestimento

  • 1. Realização: O REVESTIMENTO DE GESSO COM APROVEITAMENTO TOTAL
  • 2. Criatividade Combina com Responsabilidade O emprego de produtos a base de gesso na construção civil oferece grandes vantagens como economicidade, versatilidade, excelente desempenho, isolamento termo-acústico, rapidez do serviço. Além de apresentar a rigidez necessária às construções, equilibra a umidade do ar em áreas fechadas. Na forma de pó misturado a água na própria obra para revestimento de paredes e tetos, na forma de pré-moldados, como blocos ou placas, o gesso está presente em várias etapas da construção. Os produtos de gesso permitem ainda a criação de formas e desenhos, proporcionando mais flexibilidade na elaboração de ambientes decorados E o melhor é poder combinar todas essas vantagens com responsabilidade social e ambiental, reaproveitando as sobras do gesso. Isso quer dizer produção com otimização de resultados. 1. Régua L de Alumínio 2” x 2” x 2 m (cantoneira de alumínio) I 2. Masseira I . 3. Régua tubular de alumínio de secção retangular I 4. Desempenadeira de PVC I 5. Desempenadeira de aço I 6. Espátula de aço de 2” ou 4” I 7. Colher de pedreiro I 8. Apiloador de madeira I usada para raspar o excesso de gesso aplanando a superfície após a colocação da pasta de gesso nas alvenarias em bloco de cimento, cerâmico e elementos de concreto. recipiente de PVC onde é realizada a mistura do gesso utilizada para a execução das guias-mestras e verificação da planicidade do revestimento em gesso. serve para a aplicação da pasta de gesso nas alvenarias em bloco de cimento, cerâmico e elementos de concreto. serve para o alisamento da superfície de gesso. utilizada para limpar a masseira de PVC e as ferramentas. utilizada para mistura a pasta de gesso na maceira de PVC. utilizado para triturar as sobras de pasta de gesso endurecidas para reutilização. Parceria Moldada em Gesso O estímulo ao desenvolvimento de pequenos negócios tem sido alvo constante das atividades do SEBRAE, dentro da preocupação de fomentar e difundir programas e projetos inovadores para micro e pequenas empresas (MPEs). Com esse enfoque é que o SEBRAE vem implementando, de forma crescente, ações voltadas à gestão pela qualidade. Nesse quadro, a cadeia produtiva da Construção Civil, grande absorvedora de mão de obra, vem apresentando invulgar atuação no desenvolvimento econômico e na urbanização do país. E o melhor exemplo é o conjunto de ações desencadeadas, no âmbito nacional, para tornar o setor mais competitivo. Seja através da melhoria do padrão de qualidade, seja através da segurança dos processos construtivos. São inovações tecnológicas que sempre demandam profissionais qualificados. E esta Cartilha, apresentando como base a referência técnica para aplicação do resíduo da pasta de gesso no revestimento interno de paredes, se configura como novo avanço. Uma inovação tecnológica, solucionando problemas econômicos e ambientais, com enormes vantagens. Essa tecnologia é economicamente viável porque permite a reciclagem do gesso no próprio canteiro de obra e, ao mesmo tempo, é ambientalmente correta porque não necessita de local específico para aterro. Além disso, com esta publicação, o SEBRAE e o SINDUSGESSO irão capacitar microempresas prestadoras de serviços do segmento de aplicação dos produtos de gesso, combatendo a não conformidade e reduzindo o desperdício nas construções, objetivo comum de todos envolvidos nessa parceria. Ganham o produto e o produtor. Ganha a nossa economia. Nilo Simões Superintendente do SEBRAE em Pernambuco As Ferramentas para Manuseio do Gesso
  • 3. Deve seguir as recomendações da NBR 13207 (ABNT, 1994), ou seja: o gesso em pó deve chegar a obra, embalados em sacos de papel ou de polipropileno com filme plástico, com a identificação e recomendações de uso pelo fabricante, que devem ser armazenados e mantidos em locais secos, arejados e protegidos da ação da água, sempre sobre estrados de madeira com altura de 10 cm do chão e distância das paredes em 50 cm. Este procedimento evita a hidratação não desejada e preserva a qualidade do gesso em pó. E em caso de inspeção, garante o fácil acesso ao material e identificação de cada lote. As pilhas de sacos não devem conter mais de 15 unidades superpostas. Transporte do gesso O transporte deve garantir a integridade da embalagem para manter a qualidade do gesso. Antes de iniciar a execução do revestimento interno da parede o ambiente deve estar livre e desimpedido de quaisquer materiais. O contrapiso deve estar concluído, limpo e coberto com uma lona plástica de proteção onde as sobras do gesso serão recolhidas para posterior reutilização, permitindo o aproveitamento total. Proteção do piso Armazenamento Colocar água limpa em um recipiente de PVC (masseira), conforme quantidade indicada pelo fabricante. Polvilhar o gesso para revestimento sobre a água cobrindo toda a superfície da masseira e esperar até o completo molhamento do pó. Misturar metade do volume na masseira, utilizando a colher de pedreiro e deixar a pasta em repouso entre cinco e dez minutos ou atingir a consistência de uso. Executar as guias-mestras na alvenaria para definir o plano e o prumo do revestimento por meio de uma régua tubular de alumínio de secção retangular, conforme recomenda a NBR 13867 (ABNT, 1997). Colocar a pasta de forma a preencher toda a superfície da menor largura de uma régua tubular de alumínio de secção retangular com o auxílio de uma espátula de aço. Apoiar a régua tubular de alumínio de secção retangular com a face preenchida com a pasta de gesso sobre dois pontos de mestras na parede, prensando a pasta de gesso entre a régua e a alvenaria. Após o endurecimento da pasta de gesso à parede, remover régua tubular de alumínio de secção retangular. Deixar a sobra da pasta de gesso para revestimento endurecer, triturando-o com auxilio de um apiloador de madeira deixando-o com dimensão aproximada de 5 (cinco) milímetros. Para cada saco de 40 kg de gesso para revestimento adicionar o equivalente a 1 galão e meio, com volume de 3,6 litros cada galão, da sobra de gesso reidratado triturado. Execução das guias-mestras O gesso para revestimento é um pó branco e fino que, misturado a água, endurece liberando calor, e apresenta um tempo de endurecimento entre 25 e 35 minutos. A água deve ser limpa e isenta de impurezas, como: argila, areia, cimento, cal, etc. Tratamento da sobra de gesso reidratado Aproveitamento Total do Gesso, Inovando a Forma de Trabalho Colocar água limpa em um recipiente de PVC (masseira), conforme quantidade indicada pelo fabricante. Polvilhar o gesso para revestimento sobre a água cobrindo toda a superfície da masseira e esperar até o completo molhamento do pó, em seguida, deve-se adicionar polvilhando sobre a metade da masseira a sobra já tratada do gesso reidratado de acordo com a quantidade de sacos de gesso para revestimento a ser utilizado (1 galão e meio para cada 40 quilos) e mistura-lo com a colher de pedreiro. Esta metade do volume da masseira misturada á sobra de gesso deve ser utilizada para enchimento da parede, ou primeira demão. A outra metade da masseira, sem a adição de sobra de gesso rehidratado, deve ser utilizada para completar o enchimento e executar o acabamento de toda a superfície. Preparo da pasta de gesso com aproveitamento total Preparo da pasta de gesso para execução das guias-mestras Revestimento de paredes com aproveitamento totalProcedimentos no Local da Obra Características do gesso em pó e da água a ser utilizada Primeiros Passos: Preparando o Ambiente
  • 4. Construções e reformas que utilizam o gesso exigem menor número de material para completar o m . Assim, se ganha em tempo e dinheiro, além de reduzir o desperdício na obra; O trabalho com o gesso é prático e rápido e a obra fica pronta em menos tempo; Para atender às necessidades de cada obra/ambiente, de acordo com tamanho, número de divisórias, tipos de decoração; A fabricação do gesso segue normas que o preparam para suportar um bom nível de pressão, adequado à construção civil; Paredes, tetos e divisórias de gesso apresentam resistência ao frio e ao calor semelhante à alvenaria convencional. É uma propriedade natural do gesso; Outra característica do gesso é o isolamento de barulhos e ruídos externos; O gesso não pega fogo e a molécula de água presente em sua composição oferece grande resistência às chamas; A porosidade do gesso permite que ele retire ou devolva a umidade ao ambiente, de acordo com as condições internas e externas. baixo custo facilidade de montagem flexibilidade resistência isolamento térmico isolamento acústico incombustível regulação higrométrica Vantagens do Gesso na Construção Civil 2 Transformar o entulho em lucro. Esse é o maior desafio da construção civil. Utilizar as sobras de gesso e amenizar o impacto ambiental, através do uso do , contribui para o desenvolvimento sustentável. revestimento de gesso com aproveitamento total Gesso na Obra não se Perde. Na Natureza, se Transforma. A pasta de gesso deve ser colocada sobre uma desempenadeira e ser cuidadosamente espalhada na alvenaria. Espalhada a pasta de gesso, a superfície deve ser sarrafeada com a ajuda de uma régua L de alumínio 2” x 2” x 2 m (cantoneira de alumínio) e das guias-mestras executadas. Após o completo enchimento com pasta de gesso sem a adição das sobras, entre as mestras e o aplanamento da superfície com o uso da régua L de alumínio 2” x 2” x 2 m (cantoneira de alumínio), deve-se aplicar uma fina camada de pasta de gesso para revestimento com ajuda de desempeno de aço, para obtenção de uma superfície plana e lisa. Execução do revestimento de gesso Acabamento final Conselho Deliberativo - Pernambuco Banco do Brasil S/A Banco do Nordeste do Brasil Caixa Econômica Federal Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco - FAEPE Federação do Comércio do Estado de Pernambuco - FECOMÉRCIO Federação das Associações Comerciais do Estado de Pernambuco - FACEP Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco - FIEPE Instituto Euvaldo Lodi - IEL Secretaria de Desenvolvimento Econômico Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SENAC/PE Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI/PE Serviço Nacional de Aprendizagem Rural -SENAR/PE Sociedade Auxiliadora da Agricultura do Estado de Pernambuco Universidade de Pernambuco - UPE Presidente do Conselho Deliberativo Ricardo Essinger Diretor Superintendente Nilo Simões Diretor Técnico Roberta Correia Diretor Administrativo Financeiro Gilson Monteiro Unidade de Negócios Setorial Indústria Jussara Leite Cadeia da Construção Civil Gestora do projeto Erika Isabel Raposo Produção NoAR Comunicação Redação: Mannuela Costa Direção de Arte: Mariana Marques Ilustração: Raoni Assis Tiragem: 3.000 Expediente