SlideShare uma empresa Scribd logo
Cartilha sobre
uso de opções e
mercado futuro
do boi gordo
1.   O que são derivativos?

Trata-se de um contrato financeiro cujo valor depende (deriva) do preço de outro ativo financeiro. Por isso, os
preços no mercado futuro estão intimamente ligados ao comportamento observado no mercado físico.

                       Boi Gordo (físico)                         Boi Gordo (futuro)

2.   O que é preço futuro?

É a cotação de determinado produto em uma data futura. Esse preço reflete as expectativas que os participantes
têm em relação ao mercado.

3.   Como é negociado o preço futuro na BM&FBovespa?

Os negócios acontecem na Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBovespa), através do pregão
eletrônico. Os contratos futuros são padronizados e os participantes se comprometem em comprar ou vender
esses contratos, numa determinada data futura. Essa data futura é previamente acordada, assim como o preço.
O mercado futuro é equivalente ao mercado a termo de boi gordo, por exemplo, onde o pecuarista se
compromete a vender o gado para o frigorífico, numa data futura e preço específico previamente combinado,
assim como a indústria se compromete a comprar. A diferença, no caso dos futuros, é que a bolsa garante que a
contraparte do negócio vai honrar sua promessa. Não há risco algum de quem comprou não receber ou vice-
versa. Já no mercado a termo, no dia da realização do negócio, existe o risco de o pecuarista não entregar os
bois ou de o frigorífico não querer pagar o preço acordado anteriormente.

4.   Quais commodities agrícolas são negociadas na BM&FBovespa?

Boi gordo, milho, soja, café, açúcar e etanol.

5.   O preço futuro se refere a qualquer região do Brasil?

Não. Cada produto negociado na BM&FBovespa está associado a um local de formação de preço. Assim, a bolsa
determina o local que considera referência de preço para cada commodity:

- Açúcar e Café: município de São Paulo (SP);
- Boi Gordo: média de preços de São Paulo – indicador Cepea-Esalq/USP;
- Milho: município de Campinas (SP);
- Soja: município de Paranaguá (PR);
- Etanol: porto de Santos (SP).

Por isso a importância de ficar de olho nos diferenciais de base. O diferencial de base é a diferença entre o preço
de um produto de certa região e a região de referência. Exemplo: a diferença entre o preço da arroba em São
Paulo (referência BM&F) e Goiânia. Caso essa diferença seja 7,0%/@, historicamente, se a bolsa indica que o
contrato de boi gordo para outubro vale R$102,00/@, automaticamente, sabe-se que o boi em Goiânia, para
outubro, está em R$95,00/@.




6.   Padronização dos contratos:


                                                                            Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                            CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                            fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                            www.brasilhedge.com.br
1 contrato de boi gordo:
         •        Objeto de negociação: bovino macho, castrado, bem acabado em pasto ou confinamento; peso
                  vivo entre 450 kg e 550 kg e idade máxima de 42 meses

         •        Unidade de negociação: 330@ (1 caminhão de boi - 16,5@ x 20 animais)

         •        Cotação: R$/@ à vista

         •        Data de vencimento: último dia útil do mês

         •        Vencimentos: todos os meses

         •        Preço de referência: média ponderada dos negócios realizados no Estado de São Paulo – Indicador
                  Esalq/BM&F

         •        Liquidação: financeira

Para mais informações sobre a padronização de contratos dos outros produtos, consulte: www.bmf.com.br.

7.   O que eu preciso para travar meu preço?

É muito importante saber os seus custos de produção. Assim, fica fácil de delinear um preço interessante para
venda que garanta uma boa margem de lucro ao produtor. Depois, basta definir a estratégia adotada no
mercado financeiro (opções/futuro) e operacionalizar o processo através de uma corretora.

8.   Qual é a dinâmica do mercado futuro?

No mercado futuro, o participante assume uma posição, comprada ou vendida, onde os preços irão variar
diariamente. Por exemplo: um investidor comprou um contrato futuro de boi gordo, para um determinado
vencimento, em R$ 80,00/@. Se ele comprou esse contrato, significa que alguém vendeu para ele. Nesse mesmo
dia, no encerramento do pregão, o mercado subiu e encerrou em R$81,00/@. O resultado para esses dois
participantes, desse dia, seria:

Comprador: ganha R$1,00/@
Vendedor: perde R$1,00/@

                         R$ 81,00/@
              PERDE                    GANHA
             R$ 1,00/@                R$ 1,00/@


                           +1,00


                                                                   Esse mecanismo é chamado de ajuste diário e foi
 VENDA                   R$ 80,00/@               COMPRA
                                                                   criado para evitar o risco do não cumprimento do
                            -1,00                                  contrato futuro. Vendedores e compradores
              GANHA
             R$ 1,00/@
                                       PERDE
                                      R$ 1,00/@
                                                                   acertam diariamente a diferença – anterior e atual –
                         R$ 79,00/@
                                                                   entre os preços futuros, de acordo com as
                                                                   elevações ou quedas no preço futuro da
                                                                   mercadoria.




                                                                                 Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                                 CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                                 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                                 www.brasilhedge.com.br
9.   Quando vendo a futuro, recebo dinheiro antecipadamente? E quando compro, pago na frente?

O investidor não recebe, nem paga antecipadamente nada relacionado ao objeto negociado a futuro. Ele está
sujeito apenas aos ajustes diários decorrentes das oscilações dos preços. Portanto, a partir do primeiro dia, até a
liquidação do contrato, o fluxo do dinheiro é relativo somente as oscilações diárias (ajustes).

10. O que é margem de garantia?

É um dos instrumentos de salvaguarda financeira utilizado pelo mercado futuro. Trata-se de depósito (em
dinheiro, CDB, ações, títulos públicos, ouro ou carta de fiança) exigido pela bolsa, para cobrir o risco de suas
posições. Estas garantias funcionam como um “cheque calção” e são devolvidas quando o cliente encerra suas
posições na BM&FBovespa. Caso o investidor não pague os ajustes diários, a BM&FBovespa o considerará
inadimplente e executará suas garantias (margem). Assim, o investidor perderá o direito de operar na bolsa e
seu nome será divulgado no mercado.

11. Posso encerrar minha posição na bolsa antes do vencimento do contrato?

Sim, pode sair a qualquer momento. Basta realizar a operação inversa, isto é, comprar o mesmo número de
contratos anteriormente vendidos ou vender o mesmo número de contratos anteriormente comprados, para o
mesmo vencimento.

12. Quando faço uma operação de hedge (proteção de preço) na bolsa, tenho que realizar a entrega física
   também?

Não. A operação realizada na bolsa para proteção de preços (hedge) é independente da operação física. Serve
somente como uma ferramenta financeira de gestão de risco, que permite fixar antecipadamente o preço de
compra ou de venda de uma mercadoria no futuro.

13. Exemplo de hedge de venda com futuro:

Um pecuarista, com um sistema de engorda à pasto, no Mato Grosso do Sul, deseja fazer uma proteção (hedge)
do seu preço de venda do boi gordo na bolsa. Sabe-se que seu custo está em R$85,00/@ e que o diferencial de
base entre MS e São Paulo está em 8,0%/@.

O produtor deseja travar seu preço de venda em outubro, que naquele momento encontra-se em R$102,00/@
na bolsa para este mês. Assim, julgando que esse seja um bom valor para receber, que garanta uma boa
rentabilidade, o pecuarista decide vender um contrato de boi gordo para outubro, no dia 30 de maio de 2012.

Cenário 1:

No vencimento, o futuro em outubro está em R$95,00/@.

O pecuarista se protegeu contra uma queda, que aconteceu!

Operação no futuro:

Vendeu R$102,00/@ (1 contrato futuro) - R$95,00/@ (preço no vencimento que encerra o contrato) =

= RECEBE DA BOLSA R$7,00/@




                                                                            Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                            CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                            fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                            www.brasilhedge.com.br
Operação no físico:

Pecuarista vendeu os animais por R$88,00/@, no mercado físico, no MS.

*Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$95,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o
diferencial de base está em torno de 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$88,00/@.

Resultado final do hedge (trava financeira):

R$88,00/@ (físico) + R$7,00/@ (futuro) = R$95,00/@

Cenário 2:

No vencimento, o futuro em outubro está em R$105,00/@.

O pecuarista se protegeu contra uma queda, mas o mercado subiu!

Operação no futuro:

Vendeu R$102,00/@ (1 contrato futuro) - R$105,00/@ (preço no vencimento que encerra o contrato) =

= PAGA PARA A BOLSA R$3,00/@

Operação no físico:

Pecuarista vendeu os animais por R$97,00/@, no mercado físico, no MS.

*Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$105,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o
diferencial de base está em torno 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$97,00/@.

Resultado final do hedge (trava financeira):

R$97,00/@ (físico) - R$3,00/@ (futuro) = R$94,00/@

14. O que é opção?

É um contrato que dá ao seu detentor, ou titular, ou comprador, o direito, mas não a obrigação, de comprar ou
vender um ativo, a um determinado preço (strike price), em uma certa data definida (expiration date).

Existem dois tipos de opções:

Opção de compra (call): direito de comprar

Opção de venda (put): direito de vender

No caso do produtor, para fazer um hedge de venda ele compra opção de venda (put). Ele paga um prêmio para
ter o direito de vender, em um determinado preço e em uma data previamente estabelecida. Funciona como um
seguro. A diferença básica de opções para futuros é que o pecuarista não fica exposto às oscilações dos ajustes
diários. Ele só arca com a despesa do prêmio, no ato do fechamento do negócio, e pode ou não exercer seu
direito de vender no preço acordado.




                                                                               Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                               CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                               fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                               www.brasilhedge.com.br
15. Exemplo de hedge de venda com opção (put):

Um pecuarista, com um sistema de engorda à pasto, no MS, deseja fazer uma proteção (hedge) do seu preço de
venda do boi gordo utilizando o mercado de opção. Sabe-se que seu custo está em R$80,00/@ e que o
diferencial de base entre MS e São Paulo está em torno 8,0%/@.

O produtor deseja travar seu preço de venda em outubro. Assim, julgando que um bom valor para receber, que
garanta uma rentabilidade desejada seja acima de R$90,00/@, o pecuarista decide comprar uma opção de
venda (put) de um contrato de boi gordo para outubro, no dia 30 de maio de 2012.

Por essa opção de venda, ele paga um prêmio de R$2,00/@. O preço alvo escolhido, que garante uma
rentabilidade perto da desejada é R$99,00/@ (strike base SP).

Portanto, o valor assegurado a esse pecuarista no MS, considerando o strike, valor do prêmio pago e o
diferencial da base:

             Hedge = R$99,50 (strike) – R$2,00 (prêmio) – 8,0% (diferencial de base) = R$90,00/@

Cenário 1:

Supondo que no vencimento da opção, o mercado futuro esteja em R$94,00/@. Nesse caso, o pecuarista exerce
seu direito de vender em R$99,00/@.

Operação com opção:

R$99,00 (strike)-R$2,00 (prêmio) = R$97,00/@

R$97,00 - R$94,00 (preço no vencimento da opção) = RECEBE DA BOLSA R$3,00/@


Operação no físico:

Pecuarista vendeu os animais por R$87,00/@, no mercado físico, no MS.

*Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$94,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o
diferencial de base está em torno de 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$87,00/@.

Resultado final do hedge (trava financeira):

Vende R$87,00/@(físico) + R$3,00/@ (recebe da bolsa) = R$90,00/@

Cenário 2:

Supondo que no vencimento da opção, o mercado futuro esteja em R$104,00/@. Nesse caso, o pecuarista não
exerce seu direito de vender em R$99,00/@.

Operação com opção:

PAGA PARA A BOLSA R$2,00/@ referente ao prêmio (seguro).

Não exerce a opção de vender em R$99,00/@.




                                                                               Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                               CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                               fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                               www.brasilhedge.com.br
Operação no físico:

Pecuarista vendeu os animais por R$96,00/@, no mercado físico, no MS.

*Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$104,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o
diferencial de base está em torno de 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$96,00/@.

Resultado final do hedge (trava financeira):

Vende R$96,00/@(físico) - R$2,00/@ (paga para a bolsa) = R$94,00/@

16. Comparativo: termo x futuro x opções




17. Custos Operacionais

Os custos envolvidos nas operações no mercado de derivativos da BM&F são:

            •   Taxa de Emolumentos

A taxa de emolumentos refere-se ao serviço de negociação ou registro de operações.

            •    Taxa de Liquidação

A taxa de liquidação refere-se à liquidação física por entrega de produtos agropecuários e objetiva a cobertura
das despesas da Clearing com os procedimentos envolvidos na entrega física.

            •    Taxa de Permanência

A taxa de permanência refere-se ao serviço de acompanhamento de posições e emissão de relatórios pela
Clearing e objetiva a cobertura de custos operacionais para a manutenção de posições inativas em produtos
derivativos, exceto no mercado de opções.




                                                                               Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                               CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                               fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                               www.brasilhedge.com.br
•   Taxa de Registro
A taxa de registro refere-se ao serviço de registro pela Clearing e incide somente nas negociações que impliquem
a abertura de posições ou o seu encerramento antes do vencimento.
           •   Custos de Tributação
Os custos de tributação referem-se à incidência de impostos sobre a receita da Bolsa, decorrente da cobrança
das taxas de emolumentos, registro, liquidação e permanência e são pagos pela Bolsa, mas são repassados para
os negociadores de produtos da Bolsa e demonstrados separadamente nas notas de corretagem.


OBS: A corretagem sobre os contratos futuros agrícolas na BM&F é calculada com base no preço de ajuste do
segundo vencimento em aberto, ou seja, independe do preço de posicionamento do player. Para as opções
sobre futuros, a corretagem segue a mesma referência, também independente do strike da opção negociada,
bem como os prêmios pagos e recebidos!
Link para regras de custos no mercado de derivativos:
http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/regulacao/custos-e-tributos/custos-operacionais/derivativos.aspx?
Idioma=pt-br


18. Curiosidades

   Ajuste diário: Mecanismo por meio do qual as posições mantidas pelos clientes, nos mercados futuros, são
   acertadas financeiramente todos os dias, conforme apresentem ganho ou perda em relação ao preço de
   ajuste do dia anterior.

   Base: Em inglês, basis é a diferença entre o preço futuro e o preço a vista de uma commodity, em função de
   custos de frete, capacidade de estocagem, taxas de juro, qualidade, expectativa de preços etc.

   Clearing House ou Câmara de Compensação: Sistema que compatibiliza as posições compradas com as
   vendidas, de forma a garantir o fiel cumprimento de obrigações contratuais assumidas em mercados
   organizados. A Clearing BM&F tem como responsabilidade registrar as operações realizadas, acompanhar e
   controlar a evolução das posições em aberto, compensar financeiramente os fluxos de pagamentos, efetuar
   a liquidação física e financeira dos contratos e administrar as garantias financeiras exigidas dos participantes.
   Esse processo apóia-se em sólido sistema de salvaguardas financeiras.

   Day Trade: Operações abertas e encerradas no mesmo dia.

   Hedge: Estratégia de proteção financeira para a administração do risco de preço. O mercado futuro
   proporciona proteção de preços e de margens de lucro. Hedge com contratos futuros contrabalança a
   posição na commodity física, mediante o estabelecimento de outra posição, inversa e igual, no mercado
   futuro.

   Hedger: É aquele que assume, na Bolsa, posição contraria à que possui no mercado a vista. O hedger
   estabiliza sua estrutura de lucro e reduz seu risco comercial ao operar no mercado futuro,.

   Lançador: O cliente que lança (vende) uma opção assume a obrigação de vender ao titular ou dele comprar,
   se este a exercer, o objeto a que se refere o contrato, pelo preço de exercício, a qualquer tempo, até o
   vencimento da opção.

   Limite Diário de Oscilação: Variação máxima permitida por pregão, para mais ou menos, na cotação de um
   contrato, em relação à cotação do dia anterior.


                                                                            Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                            CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                            fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                            www.brasilhedge.com.br
Margem de Garantia: Depósito em dinheiro, carta de fiança ou títulos públicos ou privados, dentre outros
ativos aceitos pela Bolsa, exigido para garantir cada operação, com a finalidade de cobrir o risco de oscilação
de preço de dois ajustes diários, ou outro critério estabelecido, que é devolvido ao cliente quando a
operação é liquidada.

Mercado Flat ou Inalterado: Ocorre toda vez que a oferta e a demanda estão absolutamente equilibradas e
que o preço de um vencimento futuro fica muito próximo dos demais vencimentos.

Opção: Instrumento que proporciona a seu titular, ou comprador, um direito futuro sobre um ativo, mas não
uma obrigação; e a seu vendedor, ou lançador, uma obrigação futura, caso seja exercido pelo titular.

Opção de Compra: Do inglês call. Contrato pelo qual o titular pode comprar do lançador a mercadoria-
objeto da opção, na data de vencimento, pelo preço de exercício. Para tanto, deve pagar um valor
antecipado (prêmio).

Opção de Venda: Do inglês Put. Contrato pelo qual o titular adquire o direito de vender ao lançador a
mercadoria-objeto da opção, na data de vencimento, pelo preço de exercício. Para tanto, também deve
pagar um prêmio.

Posição: Saldo de um contrato em determinada data, resultante das operações realizadas pelo mesmo
cliente.

Prêmio: Preço pelo qual a opção é negociada, cujo valor é determinado pelo preço corrente e pela
volatilidade da mercadoria-objeto, pelo preço de exercício e pelo prazo de vencimento da opção, e pela taxa
de juro.

Sazonalidade: Pelo fato de os produtos agrícolas terem safra e entressafra, estas condicionam a oferta dos
mesmos e, conseqüentemente, seus preços.

Spot: Mercado a vista ou disponível.

Trader: Em português, negociador, comerciante, exportador, mas também o operador que negocia por
conta própria.

Vencimento: Nome dado a cada período para o qual determinada commodity é negociada.

Volatilidade: Oscilação de preços em determinado período (diário, mensal ou anual). Quanto maior a
variação de preços no período considerado, maior a volatilidade.

Fique por dentro das novidades do mercado pecuário em nossos sites e redes sociais:

www.brasilhedge.com.br

www.bigma.com.br

www.coanconsultoria.com.br

www.beefpoint.com.br




                                                                        Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição
                                                                        CEP 04537-002 / São Paulo           Fone: 011-2609-0576
                                                                        fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br
                                                                        www.brasilhedge.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capítulo 1 introdução a contabilidade gerencial
Capítulo 1   introdução a contabilidade gerencialCapítulo 1   introdução a contabilidade gerencial
Capítulo 1 introdução a contabilidade gerencial
LIVIA SANTOS DE MIRANDA
 
Economia aula 6 - a moeda e o sistema bancário
Economia   aula 6 - a moeda e o sistema bancárioEconomia   aula 6 - a moeda e o sistema bancário
Economia aula 6 - a moeda e o sistema bancário
Felipe Leo
 
Aula defumacao
Aula defumacaoAula defumacao
Aula defumacao
Edis Kuznyer
 
Estudo sobre o fundo de maneio completo
Estudo sobre o fundo de maneio completoEstudo sobre o fundo de maneio completo
Estudo sobre o fundo de maneio completo
Calculos Na Veia
 
Plano de contas bar e restaurante
Plano de contas bar e restaurantePlano de contas bar e restaurante
Plano de contas bar e restaurante
Fabiana Souza
 
Macroeconomia resumo
Macroeconomia resumoMacroeconomia resumo
Fundo de maneio completo
Fundo de maneio completoFundo de maneio completo
Fundo de maneio completo
Calculos Na Veia
 
Relatório cenoura minimamente processada
Relatório  cenoura minimamente processadaRelatório  cenoura minimamente processada
Relatório cenoura minimamente processada
Rogerio Moraes
 
Treasy - Modelo de Plano de Contas simplificado
Treasy - Modelo de Plano de Contas simplificadoTreasy - Modelo de Plano de Contas simplificado
Treasy - Modelo de Plano de Contas simplificado
Treasy | Planejamento e Controladoria online!
 
Ciclo operacional exercícios
Ciclo operacional exercícios Ciclo operacional exercícios
Ciclo operacional exercícios
Renato Ribeiro Soares
 
Tesouraria
TesourariaTesouraria
Tesouraria
simuladocontabil
 
Surimi e derivados
Surimi e derivadosSurimi e derivados
Surimi e derivados
Ligia Góes
 
Derivativos Introdução
Derivativos IntroduçãoDerivativos Introdução
Derivativos Introdução
Fundação de Economia e Estatística
 
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
Edgar Gonçalves
 
Exercicios classificações e nomeclaturas de custos
Exercicios classificações e nomeclaturas de custosExercicios classificações e nomeclaturas de custos
Exercicios classificações e nomeclaturas de custos
simuladocontabil
 
Manual
ManualManual
Mercados de derivativos
Mercados de derivativosMercados de derivativos
Mercados de derivativos
Universidade Pedagogica
 
Contabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabaritoContabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabarito
custos contabil
 
Contabilidade e Fiscalidade
Contabilidade e FiscalidadeContabilidade e Fiscalidade
Contabilidade e Fiscalidade
JL Saldanha Sanches
 
A Bolsa de Valores
A Bolsa de ValoresA Bolsa de Valores
A Bolsa de Valores
Kenneth Corrêa
 

Mais procurados (20)

Capítulo 1 introdução a contabilidade gerencial
Capítulo 1   introdução a contabilidade gerencialCapítulo 1   introdução a contabilidade gerencial
Capítulo 1 introdução a contabilidade gerencial
 
Economia aula 6 - a moeda e o sistema bancário
Economia   aula 6 - a moeda e o sistema bancárioEconomia   aula 6 - a moeda e o sistema bancário
Economia aula 6 - a moeda e o sistema bancário
 
Aula defumacao
Aula defumacaoAula defumacao
Aula defumacao
 
Estudo sobre o fundo de maneio completo
Estudo sobre o fundo de maneio completoEstudo sobre o fundo de maneio completo
Estudo sobre o fundo de maneio completo
 
Plano de contas bar e restaurante
Plano de contas bar e restaurantePlano de contas bar e restaurante
Plano de contas bar e restaurante
 
Macroeconomia resumo
Macroeconomia resumoMacroeconomia resumo
Macroeconomia resumo
 
Fundo de maneio completo
Fundo de maneio completoFundo de maneio completo
Fundo de maneio completo
 
Relatório cenoura minimamente processada
Relatório  cenoura minimamente processadaRelatório  cenoura minimamente processada
Relatório cenoura minimamente processada
 
Treasy - Modelo de Plano de Contas simplificado
Treasy - Modelo de Plano de Contas simplificadoTreasy - Modelo de Plano de Contas simplificado
Treasy - Modelo de Plano de Contas simplificado
 
Ciclo operacional exercícios
Ciclo operacional exercícios Ciclo operacional exercícios
Ciclo operacional exercícios
 
Tesouraria
TesourariaTesouraria
Tesouraria
 
Surimi e derivados
Surimi e derivadosSurimi e derivados
Surimi e derivados
 
Derivativos Introdução
Derivativos IntroduçãoDerivativos Introdução
Derivativos Introdução
 
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
 
Exercicios classificações e nomeclaturas de custos
Exercicios classificações e nomeclaturas de custosExercicios classificações e nomeclaturas de custos
Exercicios classificações e nomeclaturas de custos
 
Manual
ManualManual
Manual
 
Mercados de derivativos
Mercados de derivativosMercados de derivativos
Mercados de derivativos
 
Contabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabaritoContabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabarito
 
Contabilidade e Fiscalidade
Contabilidade e FiscalidadeContabilidade e Fiscalidade
Contabilidade e Fiscalidade
 
A Bolsa de Valores
A Bolsa de ValoresA Bolsa de Valores
A Bolsa de Valores
 

Destaque

Esquema contábil do setor petroleiro
Esquema contábil do setor petroleiroEsquema contábil do setor petroleiro
Esquema contábil do setor petroleiro
M2M Escola de Negócios
 
Contabilidade de derivativos e hedge accounting
Contabilidade de derivativos e hedge accountingContabilidade de derivativos e hedge accounting
Contabilidade de derivativos e hedge accounting
M2M Escola de Negócios
 
Estratégias com derivativos: futuros e opções
Estratégias com derivativos: futuros e opçõesEstratégias com derivativos: futuros e opções
Estratégias com derivativos: futuros e opções
Gustavo Florêncio Pontes
 
Risco de derivativos
Risco de derivativosRisco de derivativos
Risco de derivativos
Renato Vicente
 
Apostila mba gefin
Apostila mba gefinApostila mba gefin
Apostila mba gefin
Rodrigo Quirino
 
Tópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés Bagagi
Tópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés BagagiTópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés Bagagi
Tópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés Bagagi
Moises Bagagi
 

Destaque (6)

Esquema contábil do setor petroleiro
Esquema contábil do setor petroleiroEsquema contábil do setor petroleiro
Esquema contábil do setor petroleiro
 
Contabilidade de derivativos e hedge accounting
Contabilidade de derivativos e hedge accountingContabilidade de derivativos e hedge accounting
Contabilidade de derivativos e hedge accounting
 
Estratégias com derivativos: futuros e opções
Estratégias com derivativos: futuros e opçõesEstratégias com derivativos: futuros e opções
Estratégias com derivativos: futuros e opções
 
Risco de derivativos
Risco de derivativosRisco de derivativos
Risco de derivativos
 
Apostila mba gefin
Apostila mba gefinApostila mba gefin
Apostila mba gefin
 
Tópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés Bagagi
Tópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés BagagiTópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés Bagagi
Tópicos Especiais em Contabilidade I Alfacastelo Moisés Bagagi
 

Semelhante a Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - 2012

17 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 170512
17 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 17051217 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 170512
17 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 170512
AgroTalento
 
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Revista Cafeicultura
 
Como operar commodities agrcolas
Como operar commodities agrcolasComo operar commodities agrcolas
Como operar commodities agrcolas
BeefPoint
 
Guia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro Benitez
Guia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro BenitezGuia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro Benitez
Guia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro Benitez
BeefPoint
 
Arroba Do Boi
Arroba Do BoiArroba Do Boi
Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...
Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...
Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...
Revista Cafeicultura
 
Quanto vale seu produto ?
Quanto vale seu produto ?Quanto vale seu produto ?
Quanto vale seu produto ?
herisonbatista
 
Quanto vale o seu Produto
Quanto vale o seu ProdutoQuanto vale o seu Produto
Quanto vale o seu Produto
herisonbatista
 
Operando Mini Contrato de Índice
Operando Mini Contrato de ÍndiceOperando Mini Contrato de Índice
Operando Mini Contrato de Índice
Bom Fundamento
 
Mercado e comercialização do milho 2ª safra
Mercado e comercialização do milho   2ª safraMercado e comercialização do milho   2ª safra
Mercado e comercialização do milho 2ª safra
Geagra UFG
 
Arroba Do Boi
Arroba Do BoiArroba Do Boi
Soja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentação
Soja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentaçãoSoja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentação
Soja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentação
AzizGalvao
 
Curso Minicontrato De íNdice Futuro
Curso Minicontrato De íNdice FuturoCurso Minicontrato De íNdice Futuro
Curso Minicontrato De íNdice Futuro
Bom Fundamento
 
Curso Minicontrato De índice Futuro
Curso Minicontrato De índice FuturoCurso Minicontrato De índice Futuro
Curso Minicontrato De índice Futuro
Bom Fundamento
 
Produto estruturado vf
Produto estruturado vfProduto estruturado vf
Produto estruturado vf
nkatarivas
 
Minicontratos
MinicontratosMinicontratos
Minicontratos
galaivp
 

Semelhante a Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - 2012 (16)

17 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 170512
17 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 17051217 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 170512
17 leandro-bovo-palestra opções beefpoint 170512
 
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
Luis Eduado 09 03 2010 - AGROCAFÉ 2010
 
Como operar commodities agrcolas
Como operar commodities agrcolasComo operar commodities agrcolas
Como operar commodities agrcolas
 
Guia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro Benitez
Guia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro BenitezGuia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro Benitez
Guia rapido como operar commodities agrcolas - Leandro Benitez
 
Arroba Do Boi
Arroba Do BoiArroba Do Boi
Arroba Do Boi
 
Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...
Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...
Perspectivas para o Mercado Macro-Econômico e Ferramentas do Banco do Brasil ...
 
Quanto vale seu produto ?
Quanto vale seu produto ?Quanto vale seu produto ?
Quanto vale seu produto ?
 
Quanto vale o seu Produto
Quanto vale o seu ProdutoQuanto vale o seu Produto
Quanto vale o seu Produto
 
Operando Mini Contrato de Índice
Operando Mini Contrato de ÍndiceOperando Mini Contrato de Índice
Operando Mini Contrato de Índice
 
Mercado e comercialização do milho 2ª safra
Mercado e comercialização do milho   2ª safraMercado e comercialização do milho   2ª safra
Mercado e comercialização do milho 2ª safra
 
Arroba Do Boi
Arroba Do BoiArroba Do Boi
Arroba Do Boi
 
Soja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentação
Soja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentaçãoSoja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentação
Soja plusmg viabilidadeeconomica_comercializaçãoapresentação
 
Curso Minicontrato De íNdice Futuro
Curso Minicontrato De íNdice FuturoCurso Minicontrato De íNdice Futuro
Curso Minicontrato De íNdice Futuro
 
Curso Minicontrato De índice Futuro
Curso Minicontrato De índice FuturoCurso Minicontrato De índice Futuro
Curso Minicontrato De índice Futuro
 
Produto estruturado vf
Produto estruturado vfProduto estruturado vf
Produto estruturado vf
 
Minicontratos
MinicontratosMinicontratos
Minicontratos
 

Mais de AgroTalento

Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
AgroTalento
 
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker NetoPalestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
AgroTalento
 
Ativos Pecuária de Corte
Ativos Pecuária de CorteAtivos Pecuária de Corte
Ativos Pecuária de Corte
AgroTalento
 
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
AgroTalento
 
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
AgroTalento
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
AgroTalento
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
AgroTalento
 
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
AgroTalento
 
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e FinançasCriando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
AgroTalento
 
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
AgroTalento
 
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
AgroTalento
 
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
AgroTalento
 
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
AgroTalento
 
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
AgroTalento
 
Valorização do bezerro atrai atenção para a cria
Valorização do bezerro atrai atenção para a criaValorização do bezerro atrai atenção para a cria
Valorização do bezerro atrai atenção para a cria
AgroTalento
 
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistreAvanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
AgroTalento
 
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
AgroTalento
 
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
AgroTalento
 
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
AgroTalento
 
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
AgroTalento
 

Mais de AgroTalento (20)

Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
 
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker NetoPalestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
 
Ativos Pecuária de Corte
Ativos Pecuária de CorteAtivos Pecuária de Corte
Ativos Pecuária de Corte
 
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
 
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
 
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
 
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e FinançasCriando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
 
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
 
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
 
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
 
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
 
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
 
Valorização do bezerro atrai atenção para a cria
Valorização do bezerro atrai atenção para a criaValorização do bezerro atrai atenção para a cria
Valorização do bezerro atrai atenção para a cria
 
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistreAvanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
 
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
 
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
 
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
 
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
 

Brasil Hedge: Cartilha sobre o uso de opções e mercado futuro do boi gordo - 2012

  • 1. Cartilha sobre uso de opções e mercado futuro do boi gordo
  • 2. 1. O que são derivativos? Trata-se de um contrato financeiro cujo valor depende (deriva) do preço de outro ativo financeiro. Por isso, os preços no mercado futuro estão intimamente ligados ao comportamento observado no mercado físico. Boi Gordo (físico) Boi Gordo (futuro) 2. O que é preço futuro? É a cotação de determinado produto em uma data futura. Esse preço reflete as expectativas que os participantes têm em relação ao mercado. 3. Como é negociado o preço futuro na BM&FBovespa? Os negócios acontecem na Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBovespa), através do pregão eletrônico. Os contratos futuros são padronizados e os participantes se comprometem em comprar ou vender esses contratos, numa determinada data futura. Essa data futura é previamente acordada, assim como o preço. O mercado futuro é equivalente ao mercado a termo de boi gordo, por exemplo, onde o pecuarista se compromete a vender o gado para o frigorífico, numa data futura e preço específico previamente combinado, assim como a indústria se compromete a comprar. A diferença, no caso dos futuros, é que a bolsa garante que a contraparte do negócio vai honrar sua promessa. Não há risco algum de quem comprou não receber ou vice- versa. Já no mercado a termo, no dia da realização do negócio, existe o risco de o pecuarista não entregar os bois ou de o frigorífico não querer pagar o preço acordado anteriormente. 4. Quais commodities agrícolas são negociadas na BM&FBovespa? Boi gordo, milho, soja, café, açúcar e etanol. 5. O preço futuro se refere a qualquer região do Brasil? Não. Cada produto negociado na BM&FBovespa está associado a um local de formação de preço. Assim, a bolsa determina o local que considera referência de preço para cada commodity: - Açúcar e Café: município de São Paulo (SP); - Boi Gordo: média de preços de São Paulo – indicador Cepea-Esalq/USP; - Milho: município de Campinas (SP); - Soja: município de Paranaguá (PR); - Etanol: porto de Santos (SP). Por isso a importância de ficar de olho nos diferenciais de base. O diferencial de base é a diferença entre o preço de um produto de certa região e a região de referência. Exemplo: a diferença entre o preço da arroba em São Paulo (referência BM&F) e Goiânia. Caso essa diferença seja 7,0%/@, historicamente, se a bolsa indica que o contrato de boi gordo para outubro vale R$102,00/@, automaticamente, sabe-se que o boi em Goiânia, para outubro, está em R$95,00/@. 6. Padronização dos contratos: Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br
  • 3. 1 contrato de boi gordo: • Objeto de negociação: bovino macho, castrado, bem acabado em pasto ou confinamento; peso vivo entre 450 kg e 550 kg e idade máxima de 42 meses • Unidade de negociação: 330@ (1 caminhão de boi - 16,5@ x 20 animais) • Cotação: R$/@ à vista • Data de vencimento: último dia útil do mês • Vencimentos: todos os meses • Preço de referência: média ponderada dos negócios realizados no Estado de São Paulo – Indicador Esalq/BM&F • Liquidação: financeira Para mais informações sobre a padronização de contratos dos outros produtos, consulte: www.bmf.com.br. 7. O que eu preciso para travar meu preço? É muito importante saber os seus custos de produção. Assim, fica fácil de delinear um preço interessante para venda que garanta uma boa margem de lucro ao produtor. Depois, basta definir a estratégia adotada no mercado financeiro (opções/futuro) e operacionalizar o processo através de uma corretora. 8. Qual é a dinâmica do mercado futuro? No mercado futuro, o participante assume uma posição, comprada ou vendida, onde os preços irão variar diariamente. Por exemplo: um investidor comprou um contrato futuro de boi gordo, para um determinado vencimento, em R$ 80,00/@. Se ele comprou esse contrato, significa que alguém vendeu para ele. Nesse mesmo dia, no encerramento do pregão, o mercado subiu e encerrou em R$81,00/@. O resultado para esses dois participantes, desse dia, seria: Comprador: ganha R$1,00/@ Vendedor: perde R$1,00/@ R$ 81,00/@ PERDE GANHA R$ 1,00/@ R$ 1,00/@ +1,00 Esse mecanismo é chamado de ajuste diário e foi VENDA R$ 80,00/@ COMPRA criado para evitar o risco do não cumprimento do -1,00 contrato futuro. Vendedores e compradores GANHA R$ 1,00/@ PERDE R$ 1,00/@ acertam diariamente a diferença – anterior e atual – R$ 79,00/@ entre os preços futuros, de acordo com as elevações ou quedas no preço futuro da mercadoria. Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br
  • 4. 9. Quando vendo a futuro, recebo dinheiro antecipadamente? E quando compro, pago na frente? O investidor não recebe, nem paga antecipadamente nada relacionado ao objeto negociado a futuro. Ele está sujeito apenas aos ajustes diários decorrentes das oscilações dos preços. Portanto, a partir do primeiro dia, até a liquidação do contrato, o fluxo do dinheiro é relativo somente as oscilações diárias (ajustes). 10. O que é margem de garantia? É um dos instrumentos de salvaguarda financeira utilizado pelo mercado futuro. Trata-se de depósito (em dinheiro, CDB, ações, títulos públicos, ouro ou carta de fiança) exigido pela bolsa, para cobrir o risco de suas posições. Estas garantias funcionam como um “cheque calção” e são devolvidas quando o cliente encerra suas posições na BM&FBovespa. Caso o investidor não pague os ajustes diários, a BM&FBovespa o considerará inadimplente e executará suas garantias (margem). Assim, o investidor perderá o direito de operar na bolsa e seu nome será divulgado no mercado. 11. Posso encerrar minha posição na bolsa antes do vencimento do contrato? Sim, pode sair a qualquer momento. Basta realizar a operação inversa, isto é, comprar o mesmo número de contratos anteriormente vendidos ou vender o mesmo número de contratos anteriormente comprados, para o mesmo vencimento. 12. Quando faço uma operação de hedge (proteção de preço) na bolsa, tenho que realizar a entrega física também? Não. A operação realizada na bolsa para proteção de preços (hedge) é independente da operação física. Serve somente como uma ferramenta financeira de gestão de risco, que permite fixar antecipadamente o preço de compra ou de venda de uma mercadoria no futuro. 13. Exemplo de hedge de venda com futuro: Um pecuarista, com um sistema de engorda à pasto, no Mato Grosso do Sul, deseja fazer uma proteção (hedge) do seu preço de venda do boi gordo na bolsa. Sabe-se que seu custo está em R$85,00/@ e que o diferencial de base entre MS e São Paulo está em 8,0%/@. O produtor deseja travar seu preço de venda em outubro, que naquele momento encontra-se em R$102,00/@ na bolsa para este mês. Assim, julgando que esse seja um bom valor para receber, que garanta uma boa rentabilidade, o pecuarista decide vender um contrato de boi gordo para outubro, no dia 30 de maio de 2012. Cenário 1: No vencimento, o futuro em outubro está em R$95,00/@. O pecuarista se protegeu contra uma queda, que aconteceu! Operação no futuro: Vendeu R$102,00/@ (1 contrato futuro) - R$95,00/@ (preço no vencimento que encerra o contrato) = = RECEBE DA BOLSA R$7,00/@ Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br
  • 5. Operação no físico: Pecuarista vendeu os animais por R$88,00/@, no mercado físico, no MS. *Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$95,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o diferencial de base está em torno de 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$88,00/@. Resultado final do hedge (trava financeira): R$88,00/@ (físico) + R$7,00/@ (futuro) = R$95,00/@ Cenário 2: No vencimento, o futuro em outubro está em R$105,00/@. O pecuarista se protegeu contra uma queda, mas o mercado subiu! Operação no futuro: Vendeu R$102,00/@ (1 contrato futuro) - R$105,00/@ (preço no vencimento que encerra o contrato) = = PAGA PARA A BOLSA R$3,00/@ Operação no físico: Pecuarista vendeu os animais por R$97,00/@, no mercado físico, no MS. *Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$105,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o diferencial de base está em torno 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$97,00/@. Resultado final do hedge (trava financeira): R$97,00/@ (físico) - R$3,00/@ (futuro) = R$94,00/@ 14. O que é opção? É um contrato que dá ao seu detentor, ou titular, ou comprador, o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender um ativo, a um determinado preço (strike price), em uma certa data definida (expiration date). Existem dois tipos de opções: Opção de compra (call): direito de comprar Opção de venda (put): direito de vender No caso do produtor, para fazer um hedge de venda ele compra opção de venda (put). Ele paga um prêmio para ter o direito de vender, em um determinado preço e em uma data previamente estabelecida. Funciona como um seguro. A diferença básica de opções para futuros é que o pecuarista não fica exposto às oscilações dos ajustes diários. Ele só arca com a despesa do prêmio, no ato do fechamento do negócio, e pode ou não exercer seu direito de vender no preço acordado. Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br
  • 6. 15. Exemplo de hedge de venda com opção (put): Um pecuarista, com um sistema de engorda à pasto, no MS, deseja fazer uma proteção (hedge) do seu preço de venda do boi gordo utilizando o mercado de opção. Sabe-se que seu custo está em R$80,00/@ e que o diferencial de base entre MS e São Paulo está em torno 8,0%/@. O produtor deseja travar seu preço de venda em outubro. Assim, julgando que um bom valor para receber, que garanta uma rentabilidade desejada seja acima de R$90,00/@, o pecuarista decide comprar uma opção de venda (put) de um contrato de boi gordo para outubro, no dia 30 de maio de 2012. Por essa opção de venda, ele paga um prêmio de R$2,00/@. O preço alvo escolhido, que garante uma rentabilidade perto da desejada é R$99,00/@ (strike base SP). Portanto, o valor assegurado a esse pecuarista no MS, considerando o strike, valor do prêmio pago e o diferencial da base: Hedge = R$99,50 (strike) – R$2,00 (prêmio) – 8,0% (diferencial de base) = R$90,00/@ Cenário 1: Supondo que no vencimento da opção, o mercado futuro esteja em R$94,00/@. Nesse caso, o pecuarista exerce seu direito de vender em R$99,00/@. Operação com opção: R$99,00 (strike)-R$2,00 (prêmio) = R$97,00/@ R$97,00 - R$94,00 (preço no vencimento da opção) = RECEBE DA BOLSA R$3,00/@ Operação no físico: Pecuarista vendeu os animais por R$87,00/@, no mercado físico, no MS. *Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$94,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o diferencial de base está em torno de 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$87,00/@. Resultado final do hedge (trava financeira): Vende R$87,00/@(físico) + R$3,00/@ (recebe da bolsa) = R$90,00/@ Cenário 2: Supondo que no vencimento da opção, o mercado futuro esteja em R$104,00/@. Nesse caso, o pecuarista não exerce seu direito de vender em R$99,00/@. Operação com opção: PAGA PARA A BOLSA R$2,00/@ referente ao prêmio (seguro). Não exerce a opção de vender em R$99,00/@. Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br
  • 7. Operação no físico: Pecuarista vendeu os animais por R$96,00/@, no mercado físico, no MS. *Considerando que o futuro na bolsa, no encerramento está em R$104,00/@ (referência preços de São Paulo), e como o diferencial de base está em torno de 8,0%/@, sabe-se que no MS o físico está em R$96,00/@. Resultado final do hedge (trava financeira): Vende R$96,00/@(físico) - R$2,00/@ (paga para a bolsa) = R$94,00/@ 16. Comparativo: termo x futuro x opções 17. Custos Operacionais Os custos envolvidos nas operações no mercado de derivativos da BM&F são: • Taxa de Emolumentos A taxa de emolumentos refere-se ao serviço de negociação ou registro de operações. • Taxa de Liquidação A taxa de liquidação refere-se à liquidação física por entrega de produtos agropecuários e objetiva a cobertura das despesas da Clearing com os procedimentos envolvidos na entrega física. • Taxa de Permanência A taxa de permanência refere-se ao serviço de acompanhamento de posições e emissão de relatórios pela Clearing e objetiva a cobertura de custos operacionais para a manutenção de posições inativas em produtos derivativos, exceto no mercado de opções. Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br
  • 8. Taxa de Registro A taxa de registro refere-se ao serviço de registro pela Clearing e incide somente nas negociações que impliquem a abertura de posições ou o seu encerramento antes do vencimento. • Custos de Tributação Os custos de tributação referem-se à incidência de impostos sobre a receita da Bolsa, decorrente da cobrança das taxas de emolumentos, registro, liquidação e permanência e são pagos pela Bolsa, mas são repassados para os negociadores de produtos da Bolsa e demonstrados separadamente nas notas de corretagem. OBS: A corretagem sobre os contratos futuros agrícolas na BM&F é calculada com base no preço de ajuste do segundo vencimento em aberto, ou seja, independe do preço de posicionamento do player. Para as opções sobre futuros, a corretagem segue a mesma referência, também independente do strike da opção negociada, bem como os prêmios pagos e recebidos! Link para regras de custos no mercado de derivativos: http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/regulacao/custos-e-tributos/custos-operacionais/derivativos.aspx? Idioma=pt-br 18. Curiosidades Ajuste diário: Mecanismo por meio do qual as posições mantidas pelos clientes, nos mercados futuros, são acertadas financeiramente todos os dias, conforme apresentem ganho ou perda em relação ao preço de ajuste do dia anterior. Base: Em inglês, basis é a diferença entre o preço futuro e o preço a vista de uma commodity, em função de custos de frete, capacidade de estocagem, taxas de juro, qualidade, expectativa de preços etc. Clearing House ou Câmara de Compensação: Sistema que compatibiliza as posições compradas com as vendidas, de forma a garantir o fiel cumprimento de obrigações contratuais assumidas em mercados organizados. A Clearing BM&F tem como responsabilidade registrar as operações realizadas, acompanhar e controlar a evolução das posições em aberto, compensar financeiramente os fluxos de pagamentos, efetuar a liquidação física e financeira dos contratos e administrar as garantias financeiras exigidas dos participantes. Esse processo apóia-se em sólido sistema de salvaguardas financeiras. Day Trade: Operações abertas e encerradas no mesmo dia. Hedge: Estratégia de proteção financeira para a administração do risco de preço. O mercado futuro proporciona proteção de preços e de margens de lucro. Hedge com contratos futuros contrabalança a posição na commodity física, mediante o estabelecimento de outra posição, inversa e igual, no mercado futuro. Hedger: É aquele que assume, na Bolsa, posição contraria à que possui no mercado a vista. O hedger estabiliza sua estrutura de lucro e reduz seu risco comercial ao operar no mercado futuro,. Lançador: O cliente que lança (vende) uma opção assume a obrigação de vender ao titular ou dele comprar, se este a exercer, o objeto a que se refere o contrato, pelo preço de exercício, a qualquer tempo, até o vencimento da opção. Limite Diário de Oscilação: Variação máxima permitida por pregão, para mais ou menos, na cotação de um contrato, em relação à cotação do dia anterior. Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br
  • 9. Margem de Garantia: Depósito em dinheiro, carta de fiança ou títulos públicos ou privados, dentre outros ativos aceitos pela Bolsa, exigido para garantir cada operação, com a finalidade de cobrir o risco de oscilação de preço de dois ajustes diários, ou outro critério estabelecido, que é devolvido ao cliente quando a operação é liquidada. Mercado Flat ou Inalterado: Ocorre toda vez que a oferta e a demanda estão absolutamente equilibradas e que o preço de um vencimento futuro fica muito próximo dos demais vencimentos. Opção: Instrumento que proporciona a seu titular, ou comprador, um direito futuro sobre um ativo, mas não uma obrigação; e a seu vendedor, ou lançador, uma obrigação futura, caso seja exercido pelo titular. Opção de Compra: Do inglês call. Contrato pelo qual o titular pode comprar do lançador a mercadoria- objeto da opção, na data de vencimento, pelo preço de exercício. Para tanto, deve pagar um valor antecipado (prêmio). Opção de Venda: Do inglês Put. Contrato pelo qual o titular adquire o direito de vender ao lançador a mercadoria-objeto da opção, na data de vencimento, pelo preço de exercício. Para tanto, também deve pagar um prêmio. Posição: Saldo de um contrato em determinada data, resultante das operações realizadas pelo mesmo cliente. Prêmio: Preço pelo qual a opção é negociada, cujo valor é determinado pelo preço corrente e pela volatilidade da mercadoria-objeto, pelo preço de exercício e pelo prazo de vencimento da opção, e pela taxa de juro. Sazonalidade: Pelo fato de os produtos agrícolas terem safra e entressafra, estas condicionam a oferta dos mesmos e, conseqüentemente, seus preços. Spot: Mercado a vista ou disponível. Trader: Em português, negociador, comerciante, exportador, mas também o operador que negocia por conta própria. Vencimento: Nome dado a cada período para o qual determinada commodity é negociada. Volatilidade: Oscilação de preços em determinado período (diário, mensal ou anual). Quanto maior a variação de preços no período considerado, maior a volatilidade. Fique por dentro das novidades do mercado pecuário em nossos sites e redes sociais: www.brasilhedge.com.br www.bigma.com.br www.coanconsultoria.com.br www.beefpoint.com.br Rua Clodomiro Amazonas, 1422 sala 46 Vila Nova Conceição CEP 04537-002 / São Paulo Fone: 011-2609-0576 fernando.rodrigues@brasilhedge.com.br www.brasilhedge.com.br