SlideShare uma empresa Scribd logo
CARTILHA
   ÁRVORES DO
PARQUE DO MIRANTE
   Clique para editar o estilo do subtítulo mestre




                              NEA
NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Açoita-cavalo-miúdo
                  (Luehea dvaricata)
Essa árvore recebe esse nome
devido a flexibilidade de seus galhos.

    Encontrada desde o sul da Bahia, Rio de
    Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e
    Mato Grosso do Sul até o Rio Grande do Sul.


Possui uma madeira resistente, flexível e que
facilita o acabamento e confecção de móveis
curvados,    hélices   de    avião,  caixotaria,
instrumentos musicais e etc.
                                             Pode chegar de 25 a 30 metros

                                             de altura.

    Pode ser chamada pau-de-canga,       caiboti,
    ivatingui, ibatingui, entre outros.
Alecrim-de-ampinas
               (Holocalyx balansae)
Espécie nativa da Mata Atlântica que
pode também ser conhecida como
ibirapepê, uirapepê, alecrim e pau-de-
alecrim.

         Encontrada de São Paulo até
         o Rio Grande do Sul, em áreas
         litorâneas.

               Possui madeira pesada, dura e de grande resistência,
               apresenta grande durabilidade e é utilizada para a fabricação de
               móveis de luxo, construções de grande porte, postes.


    Essa espécie   cresce
    apróximadamente     25                 O alecrim-de-campinas é
    metros.                                considerada  uma    planta
                                           tóxica.
Cabreúva
                   (Myrocarpus frondosus)
    Madeira para vários fins, construção civil,
    móveis, para a indústria naval, entre
    outras aplicabilidades.

                          Pode ser encontrada nos fundos
                          de vale, no início das encostas e
                          no entorno de cursos d'água
                          (compõe a mata ciliar)

    Pode chegar até
                             30
    metros de altura.

                                    Conhecida também como: Cabreúva-parda,
                                    Cabriúna, Caburé, Jataúba, Caboriba, Óleo-
Do tronco pode-se extrair          pardo, Pau-de-Bálsamo, Bálsamo e outros.
um     líquido   aromático
(bálsamo) que é usado para
fins medicinais.
Cássia-grande
                            (Cassia grandis)
    A polpa do fruto, de sabor amargo e cheiro
    desagradável é também empregado na medicina
    popular, por ser considerado purgativo e laxativo.




Encontradas na Bahia, no Mato Grosso,
Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba,
Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo,
entre outros.
                                                         Pode alcançar os 20 metros
                                                         de altura.


        Madeira é considerada resistente e é utilizada para a construção civil
        principalmente em acabamentos internos, e também é usada para a
        fabricação de móveis rústicos e decorativos.
Embaúva
               (Cecropia pachystachya)
É conhecida por embaúba, imbaúba,
umbaúba, umbaubeira e ambaíba.

           Encontrada em várias regiões do Brasil,
           como, Ceará, Bahia, Minas Gerais, Goiás
           e do Mato Grosso do Sul até Santa
           Catarina.



    O nome embaúva vem do Tupi-guarani,
    e significa “árvore do tronco oco”.            Pode chegar de 5 a 10
                                                   

                                                   metros de altura.

O suco que se obtém de suas          Comum em formações de mata ciliar e é
raízes é considerado um               muito utilizada nos plantios destinados ao
poderoso diurético.                   reflorestamento.
Embira-de-sapo
         (Lonchocarpus muehlbergianus)
                    Espécie brasileira e que pode ser
                    encontrada em Minas Gerais, Mato
                    Grosso do Sul, até o Rio Grande do Sul.



Possui madeira pesada que é utilizada
para a confecção de caixas, em serviços
de carpintaria e para a construção civil,
além de ser utilizada como lenha.
                                                Árvore pode alcançar de 15
                                                a 25 metros de altura


                       Devido ao seu rápido crescimento e desenvolvimento
                       também é usada para plantios de recomposição em
                       áreas de preservação permanente.
Embiruçu
      (Pseudobombax grandiflorum)
 Conhecido      como       Imbiruçu,
 Embiruçu-da-mata,    Paina-amarela,
 Paina-de-arpoador,     Cedro-d'água
 entre outros, os nomes variam de
 acordo com cada região do Brasil.

              Embiruçu vem do tupi mbira-
              assu que significa Embira
              Grande.
 Produz uma fibra que pode ser
 usada   para     encher   colchões,    A madeira do Embiruçu é
 almofadas e travesseiros.              bastante leve e não muito
                                        resistente e é mais usada para
Árvore grande que pode                  a     fabricação   de   papel,
alcançar os 25 metros de                embalagens e caixas.
altura
Ipê-amarelo-da-casca-lisa
                  (Tabebuia vellosoi)
                 Ela pode ser encontrada nos estados de
                 Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul,
                 Goiás e Rio de Janeiro.


Conhecida por todos, o ipê-amarelo-da-casca-lisa, ou
somente ipê-amarelo, que também é conhecido como ipê-
tabaco, ipê-una, pau-d'arco amarelo, piúva.


     A casca do ipê-amarelo é adstringente
                                                         Árvore de grande porte
     e é usada na medicina popular contra
                                                         chegando aos 25 metros
     febres, úlceras e como diurético, além
                                                         de altura.
     do tratamento da sífilis.

                            Madeira é pesada, dura e de grande durabilidade
                            mesmo em ambientes externos, por isso é usada na
                            construção civil.
Jequitibá-Rosa
                        (Cariniana legalis)
Pode ser encontrada no Espírito Santo, Rio de
Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso
do Sul.

               O Jequitibá-Rosa infelizmente,
               está ameaçada de extinção.


Em      tupi-guarani    (dialeto
usado pelos índios)     “Gigante                 Pode chegar até 50 metros
da floresta”.                                    de altura,



     No Parque do Mirante encontramos um exemplar com mais 300
     anos e aproximadamente 20 metros de altura, é a maior e mais
     antiga árvore do Parque e uma das maiores do estado.
Jerivá
                (Syagrus romanzoffiana)
Conhecida como coqueiro-gerivá,
coqueiro, coco-de-cachorro, baba-de-
boi ou coco-catarro.

                               Recomendável   para   o
                               plantio.


  Encontrada no Espírito Santo, Rio de
  Janeiro, Minas Gerais, Goiás e do Mato
  Grosso do Sul até o Rio Grande do Sul.
                                                Pode chegar aos    20
                                                metros de altura.


 Madeira pesada, empregada na construção de pontes,
 passarelas que tenham contato com água e também em
 construções sobre solos úmidos.
Mamica de porca
               (Zanthoxylum rhoifolium)
Árvore conhecida também como mamica de cadela,
mamiqueira,     tembetari,   tembetaru,     tambatarão,
tinguaciba, guarita, tamanqueira entre outros.



É utilizada na construção civil,
principalmente em ambientes internos,
para a confecção de cabos de
ferramentas e instrumentos agrícolas.                     Alcança os 12 metros de
                                                          altura.

                                     Folhas e caule da mamica de porca
                                     possuem ação farmacológica e medicinal.

Encontrada     em   todo    o  país
principalmente na em regiões de Mata
Atlântica.
Marinheiro
         Guarea guidonia (L.) Sleumer
       Pode ser chamada de camboatã,
       carrapeta-verdadeira, cedro-branco, taúva,
       jataúba.



Várias regiões do Brasil, desde a região
amazônica até o Rio de Janeiro, Minas Gerais,
São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná.


                                                              Pode chegar a 20
                                                              metros de altura.

    Fins medicinais, a casca do caule é utilizada para o
    tratamento de dores e tensão no globo ocular e conjuntivite.
Paineira-Rosa
    Chorisia speciosa (Bombacaceae)

A madeira dessa árvore é bem leve, mole e pouco
resistente, e é utilizada para fazer calçados, caixas,
celulose (matéria-prima para a fabricação de papel) e
artesanato.



Também é conhecida por Árvore-de-
paina,   Paina-de-seda,     Árvore-de-lã,                Alcançar a altura de 30
Barriguda, Paineira-de-espinho.                          metros.




                          Utilizada na recuperação         de
                          áreas degradadas.
Pau D'alho
               (Gallesia integrifolia)
  As folhas e as cascas são cozidas e
  usadas para banhar ferimentos como
  anti-inflamatório.



  Conhecido também por Guararema ou
  Ibirarema.

                                                 A árvore recebe esse nome
Encontrado em várias regiões do Brasil,         devido    ao    seu  cheiro
desde a Bahia até o Paraná.                      característico.



                       Apresenta grande porte
                       podendo chegar a 30 metros de
                       altura.
Peroba-rosa
             (Aspidosperma polyneuron)
Conhecida como, peroba-amargosa,
peroba-rajada,      peroba-açu, peroba-
paulista, entre outros.


    Pode ser encontrada no estado de
    São Paulo, Bahia, Paraná,     Mato
    Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás,
    Mato Grosso e Rondônia.

                                                     Pode alcançar os 30 metros
É bastante utilizada para a                         de altura.
construção civil e para a fabricação
de móveis.                                  Possui uma madeira dura e
                                            durável
                  O chá amargo de sua casca é utilizado para curar
                  a febre.
Pitangueira
                    (Eugenia uniflora)
É conhecida também por pitangueira-
vermelha,   pitanga-roxa,     pitanga-rósea,
pitanga do mato, cerejeira-brasileira e ginja.


  Pode ser encontrada desde Minas Gerais até
  o Rio Grande do Sul.


                                                 Pode chegar aos 12 metros de
        É utilizada para plantios em
                                                 altura.
        reflorestamentos.



É usada para o tratamento de afecções no fígado,
bronquite, cólica menstrual, diabetes, diarréia, febres,
infecções na garganta entre outros problemas de saúde.
Unha-de-vaca
                        (Bauhinia forficata)
Conhecida por diversos nomes que
variam de acordo com a região, entre os
mais conhecidos estão: pata-de-vaca,
casco-de-vaca, pata-de-boi, unha-de-boi
e unha-de-vaca.


 Usada para plantio em áreas
 degradadas      como       forma      de
 recomposição,     principalmente     em
 recuperação de áreas de mata ciliar.
                                                    Pode chegar até 9 metros de
                                                    altura.
As folhas dessa árvore também são usadas para tratamento de doenças
renais, hepáticas, intestinais, infecções urinárias, como cicatrizante, e também
no tratamento de doenças de pele, e ajuda na diminuição do colesterol e
auxilia o emagrecimento.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Madeiras
MadeirasMadeiras
Palmeiras nativas do brasil
Palmeiras nativas do brasilPalmeiras nativas do brasil
Palmeiras nativas do brasil
Emerson Silva
 
Cartilha zoo atualizada 2012
Cartilha zoo atualizada 2012Cartilha zoo atualizada 2012
Cartilha zoo atualizada 2012
zoopira
 
Analise de terrenos
Analise de terrenosAnalise de terrenos
Analise de terrenos
celaine_gomes
 
Detalhamento - Madeiras Transformadas
Detalhamento - Madeiras TransformadasDetalhamento - Madeiras Transformadas
Detalhamento - Madeiras Transformadas
danilosaccomori
 
Madeira
MadeiraMadeira
Madeira
celizgeo
 
íNdios guaranis
íNdios guaranisíNdios guaranis
íNdios guaranis
viajante2
 
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
Crissio Costa
 
Caderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOS
Caderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOSCaderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOS
Caderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOS
Gilka Guimaraes
 
Elementos utilizados para fazer um jardim
Elementos utilizados para fazer um jardimElementos utilizados para fazer um jardim
Elementos utilizados para fazer um jardim
Ana Cunha
 
Arte Conceitual
Arte ConceitualArte Conceitual
Arte Conceitual
Sandro Bottene
 
Arte modular
Arte modularArte modular
Arte modular
LelaUdesc
 
Bambu
BambuBambu
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento históricoA alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
Felipe Lima da Costa
 
POWER POINT - Brasil: Artesanato Região Norte
POWER POINT - Brasil: Artesanato Região  NortePOWER POINT - Brasil: Artesanato Região  Norte
POWER POINT - Brasil: Artesanato Região Norte
guest61a86db
 
Aula3 materiais
Aula3 materiaisAula3 materiais
Aula3 materiais
Tiago Cruz
 
1 paisagismo - introdução
1 paisagismo - introdução1 paisagismo - introdução
1 paisagismo - introdução
Urban Acabamentos
 
Ilustração é...
Ilustração é...Ilustração é...
Ilustração é...
anaritamor
 
Africa e vestimentas
Africa e vestimentas Africa e vestimentas
Africa e vestimentas
Adriana Lentz Della Vecchia Magnus
 
Aula 2 composição visual
Aula  2 composição visualAula  2 composição visual
Aula 2 composição visual
Artedoiscmb Cmb
 

Mais procurados (20)

Madeiras
MadeirasMadeiras
Madeiras
 
Palmeiras nativas do brasil
Palmeiras nativas do brasilPalmeiras nativas do brasil
Palmeiras nativas do brasil
 
Cartilha zoo atualizada 2012
Cartilha zoo atualizada 2012Cartilha zoo atualizada 2012
Cartilha zoo atualizada 2012
 
Analise de terrenos
Analise de terrenosAnalise de terrenos
Analise de terrenos
 
Detalhamento - Madeiras Transformadas
Detalhamento - Madeiras TransformadasDetalhamento - Madeiras Transformadas
Detalhamento - Madeiras Transformadas
 
Madeira
MadeiraMadeira
Madeira
 
íNdios guaranis
íNdios guaranisíNdios guaranis
íNdios guaranis
 
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
 
Caderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOS
Caderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOSCaderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOS
Caderno 2 QUANTIFICAÇÃO, REGISTROS E AGRUPAMENTOS
 
Elementos utilizados para fazer um jardim
Elementos utilizados para fazer um jardimElementos utilizados para fazer um jardim
Elementos utilizados para fazer um jardim
 
Arte Conceitual
Arte ConceitualArte Conceitual
Arte Conceitual
 
Arte modular
Arte modularArte modular
Arte modular
 
Bambu
BambuBambu
Bambu
 
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento históricoA alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
A alvenaria estrutural e seu desenvolvimento histórico
 
POWER POINT - Brasil: Artesanato Região Norte
POWER POINT - Brasil: Artesanato Região  NortePOWER POINT - Brasil: Artesanato Região  Norte
POWER POINT - Brasil: Artesanato Região Norte
 
Aula3 materiais
Aula3 materiaisAula3 materiais
Aula3 materiais
 
1 paisagismo - introdução
1 paisagismo - introdução1 paisagismo - introdução
1 paisagismo - introdução
 
Ilustração é...
Ilustração é...Ilustração é...
Ilustração é...
 
Africa e vestimentas
Africa e vestimentas Africa e vestimentas
Africa e vestimentas
 
Aula 2 composição visual
Aula  2 composição visualAula  2 composição visual
Aula 2 composição visual
 

Destaque

Atividade Roberta
Atividade RobertaAtividade Roberta
Atividade Roberta
Elisângela Ribas
 
Arvores do RS: Henrique
Arvores do RS: HenriqueArvores do RS: Henrique
Arvores do RS: Henrique
Elisângela Ribas
 
Cultura do coqueiro
Cultura do coqueiroCultura do coqueiro
Cultura do coqueiro
Rogerio de Souza Souza
 
Madeiras Brasileiras para Luteria
Madeiras Brasileiras para LuteriaMadeiras Brasileiras para Luteria
Madeiras Brasileiras para Luteria
Gabriel Vandresen
 
Conceito de paisagismo
Conceito de paisagismoConceito de paisagismo
Conceito de paisagismo
Juliana Oliveira
 
Algumas especies nativas da mata atlantica
Algumas especies nativas da mata atlanticaAlgumas especies nativas da mata atlantica
Algumas especies nativas da mata atlantica
arboreo.net
 
Árvores do RS
Árvores do RSÁrvores do RS
Árvores do RS
Elisângela Ribas
 
Fauna e flora amazônica 2º B
Fauna e flora amazônica   2º BFauna e flora amazônica   2º B
Fauna e flora amazônica 2º B
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Avaliação de Madeiras Amasônicas para uso em Luteria
Avaliação de Madeiras Amasônicas para uso em LuteriaAvaliação de Madeiras Amasônicas para uso em Luteria
Avaliação de Madeiras Amasônicas para uso em Luteria
Gabriel Vandresen
 
Arvores do rs
Arvores do rsArvores do rs
Arvores do rs
Elisângela Ribas
 
áRvores do rs 4°b
áRvores do rs 4°báRvores do rs 4°b
áRvores do rs 4°b
Elisângela Ribas
 
Plantas em extinção no brasil
Plantas em extinção no brasilPlantas em extinção no brasil
Plantas em extinção no brasil
Colégio 7 de São Paulo
 
Madeiras
MadeirasMadeiras
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGuaEra Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
maria leite
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
pedagogianh
 

Destaque (15)

Atividade Roberta
Atividade RobertaAtividade Roberta
Atividade Roberta
 
Arvores do RS: Henrique
Arvores do RS: HenriqueArvores do RS: Henrique
Arvores do RS: Henrique
 
Cultura do coqueiro
Cultura do coqueiroCultura do coqueiro
Cultura do coqueiro
 
Madeiras Brasileiras para Luteria
Madeiras Brasileiras para LuteriaMadeiras Brasileiras para Luteria
Madeiras Brasileiras para Luteria
 
Conceito de paisagismo
Conceito de paisagismoConceito de paisagismo
Conceito de paisagismo
 
Algumas especies nativas da mata atlantica
Algumas especies nativas da mata atlanticaAlgumas especies nativas da mata atlantica
Algumas especies nativas da mata atlantica
 
Árvores do RS
Árvores do RSÁrvores do RS
Árvores do RS
 
Fauna e flora amazônica 2º B
Fauna e flora amazônica   2º BFauna e flora amazônica   2º B
Fauna e flora amazônica 2º B
 
Avaliação de Madeiras Amasônicas para uso em Luteria
Avaliação de Madeiras Amasônicas para uso em LuteriaAvaliação de Madeiras Amasônicas para uso em Luteria
Avaliação de Madeiras Amasônicas para uso em Luteria
 
Arvores do rs
Arvores do rsArvores do rs
Arvores do rs
 
áRvores do rs 4°b
áRvores do rs 4°báRvores do rs 4°b
áRvores do rs 4°b
 
Plantas em extinção no brasil
Plantas em extinção no brasilPlantas em extinção no brasil
Plantas em extinção no brasil
 
Madeiras
MadeirasMadeiras
Madeiras
 
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGuaEra Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
 

Semelhante a Cartilha arvores mirante

A Diversidade Das Flores
A Diversidade Das FloresA Diversidade Das Flores
A Diversidade Das Flores
michelechristine
 
A Diversidade Das Flores
A Diversidade Das FloresA Diversidade Das Flores
A Diversidade Das Flores
michelechristine
 
5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf
Rodolfo Antônio da Silva
 
Arvores do RS: Nicholas
Arvores do RS: NicholasArvores do RS: Nicholas
Arvores do RS: Nicholas
Elisângela Ribas
 
Flora e fauna do cerrado brasileiro
Flora e fauna do cerrado brasileiroFlora e fauna do cerrado brasileiro
Flora e fauna do cerrado brasileiro
LeilocaTavares
 
Plantas Tìpicas da Caatinga
Plantas Tìpicas da CaatingaPlantas Tìpicas da Caatinga
Plantas Tìpicas da Caatinga
goretteleal
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
Luciane Sv
 
BIOMAS BRASILEIROS
BIOMAS BRASILEIROSBIOMAS BRASILEIROS
BIOMAS BRASILEIROS
gracielatonin
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
gracielatonin
 
Arvores Estado de sao paulo
Arvores Estado de sao pauloArvores Estado de sao paulo
Arvores Estado de sao paulo
FernandoBuenoBarboBu
 
Atividade da Roberta
Atividade da RobertaAtividade da Roberta
Atividade da Roberta
Elisângela Ribas
 
Mata de araucarias
Mata de araucarias Mata de araucarias
Mata de araucarias
Hávila Said
 
As maiores árvores do mundo
As maiores árvores do mundoAs maiores árvores do mundo
As maiores árvores do mundo
Piaget1623
 
Apresentação do Trabalho a Campo - Horto Florestal
Apresentação do Trabalho a Campo - Horto FlorestalApresentação do Trabalho a Campo - Horto Florestal
Apresentação do Trabalho a Campo - Horto Florestal
Maria Cristina Marques Mota
 
Trabalho Biologia
Trabalho Biologia Trabalho Biologia
Trabalho Biologia
PorfSIlva
 
Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"
Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"
Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"
nissiasauer
 
Florestas de coníferas.pptx
Florestas de coníferas.pptxFlorestas de coníferas.pptx
Florestas de coníferas.pptx
DayaneValencio1
 
Agroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negroAgroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negro
Adriana Andrade
 
Tundra e pradarias
Tundra e pradariasTundra e pradarias
Tundra e pradarias
Henrique Suguimoto
 
Ecossistemas brasileiros csanl
Ecossistemas brasileiros csanlEcossistemas brasileiros csanl
Ecossistemas brasileiros csanl
Ricardo Vilas
 

Semelhante a Cartilha arvores mirante (20)

A Diversidade Das Flores
A Diversidade Das FloresA Diversidade Das Flores
A Diversidade Das Flores
 
A Diversidade Das Flores
A Diversidade Das FloresA Diversidade Das Flores
A Diversidade Das Flores
 
5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf
 
Arvores do RS: Nicholas
Arvores do RS: NicholasArvores do RS: Nicholas
Arvores do RS: Nicholas
 
Flora e fauna do cerrado brasileiro
Flora e fauna do cerrado brasileiroFlora e fauna do cerrado brasileiro
Flora e fauna do cerrado brasileiro
 
Plantas Tìpicas da Caatinga
Plantas Tìpicas da CaatingaPlantas Tìpicas da Caatinga
Plantas Tìpicas da Caatinga
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
BIOMAS BRASILEIROS
BIOMAS BRASILEIROSBIOMAS BRASILEIROS
BIOMAS BRASILEIROS
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Arvores Estado de sao paulo
Arvores Estado de sao pauloArvores Estado de sao paulo
Arvores Estado de sao paulo
 
Atividade da Roberta
Atividade da RobertaAtividade da Roberta
Atividade da Roberta
 
Mata de araucarias
Mata de araucarias Mata de araucarias
Mata de araucarias
 
As maiores árvores do mundo
As maiores árvores do mundoAs maiores árvores do mundo
As maiores árvores do mundo
 
Apresentação do Trabalho a Campo - Horto Florestal
Apresentação do Trabalho a Campo - Horto FlorestalApresentação do Trabalho a Campo - Horto Florestal
Apresentação do Trabalho a Campo - Horto Florestal
 
Trabalho Biologia
Trabalho Biologia Trabalho Biologia
Trabalho Biologia
 
Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"
Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"
Projeto "A Girafa e o Mede-palmo"
 
Florestas de coníferas.pptx
Florestas de coníferas.pptxFlorestas de coníferas.pptx
Florestas de coníferas.pptx
 
Agroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negroAgroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negro
 
Tundra e pradarias
Tundra e pradariasTundra e pradarias
Tundra e pradarias
 
Ecossistemas brasileiros csanl
Ecossistemas brasileiros csanlEcossistemas brasileiros csanl
Ecossistemas brasileiros csanl
 

Cartilha arvores mirante

  • 1. CARTILHA ÁRVORES DO PARQUE DO MIRANTE Clique para editar o estilo do subtítulo mestre NEA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL
  • 2. Açoita-cavalo-miúdo (Luehea dvaricata) Essa árvore recebe esse nome devido a flexibilidade de seus galhos. Encontrada desde o sul da Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul até o Rio Grande do Sul. Possui uma madeira resistente, flexível e que facilita o acabamento e confecção de móveis curvados, hélices de avião, caixotaria, instrumentos musicais e etc. Pode chegar de 25 a 30 metros de altura. Pode ser chamada pau-de-canga, caiboti, ivatingui, ibatingui, entre outros.
  • 3. Alecrim-de-ampinas (Holocalyx balansae) Espécie nativa da Mata Atlântica que pode também ser conhecida como ibirapepê, uirapepê, alecrim e pau-de- alecrim. Encontrada de São Paulo até o Rio Grande do Sul, em áreas litorâneas. Possui madeira pesada, dura e de grande resistência, apresenta grande durabilidade e é utilizada para a fabricação de móveis de luxo, construções de grande porte, postes. Essa espécie cresce apróximadamente 25 O alecrim-de-campinas é metros. considerada uma planta tóxica.
  • 4. Cabreúva (Myrocarpus frondosus) Madeira para vários fins, construção civil, móveis, para a indústria naval, entre outras aplicabilidades. Pode ser encontrada nos fundos de vale, no início das encostas e no entorno de cursos d'água (compõe a mata ciliar) Pode chegar até  30 metros de altura. Conhecida também como: Cabreúva-parda, Cabriúna, Caburé, Jataúba, Caboriba, Óleo- Do tronco pode-se extrair pardo, Pau-de-Bálsamo, Bálsamo e outros. um líquido aromático (bálsamo) que é usado para fins medicinais.
  • 5. Cássia-grande (Cassia grandis) A polpa do fruto, de sabor amargo e cheiro desagradável é também empregado na medicina popular, por ser considerado purgativo e laxativo. Encontradas na Bahia, no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, entre outros. Pode alcançar os 20 metros de altura. Madeira é considerada resistente e é utilizada para a construção civil principalmente em acabamentos internos, e também é usada para a fabricação de móveis rústicos e decorativos.
  • 6. Embaúva (Cecropia pachystachya) É conhecida por embaúba, imbaúba, umbaúba, umbaubeira e ambaíba. Encontrada em várias regiões do Brasil, como, Ceará, Bahia, Minas Gerais, Goiás e do Mato Grosso do Sul até Santa Catarina. O nome embaúva vem do Tupi-guarani, e significa “árvore do tronco oco”. Pode chegar de 5 a 10  metros de altura. O suco que se obtém de suas Comum em formações de mata ciliar e é raízes é considerado um muito utilizada nos plantios destinados ao poderoso diurético. reflorestamento.
  • 7. Embira-de-sapo (Lonchocarpus muehlbergianus) Espécie brasileira e que pode ser encontrada em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, até o Rio Grande do Sul. Possui madeira pesada que é utilizada para a confecção de caixas, em serviços de carpintaria e para a construção civil, além de ser utilizada como lenha. Árvore pode alcançar de 15 a 25 metros de altura Devido ao seu rápido crescimento e desenvolvimento também é usada para plantios de recomposição em áreas de preservação permanente.
  • 8. Embiruçu (Pseudobombax grandiflorum) Conhecido como Imbiruçu, Embiruçu-da-mata, Paina-amarela, Paina-de-arpoador, Cedro-d'água entre outros, os nomes variam de acordo com cada região do Brasil. Embiruçu vem do tupi mbira- assu que significa Embira Grande. Produz uma fibra que pode ser usada para encher colchões, A madeira do Embiruçu é almofadas e travesseiros. bastante leve e não muito resistente e é mais usada para Árvore grande que pode a fabricação de papel, alcançar os 25 metros de embalagens e caixas. altura
  • 9. Ipê-amarelo-da-casca-lisa (Tabebuia vellosoi) Ela pode ser encontrada nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás e Rio de Janeiro. Conhecida por todos, o ipê-amarelo-da-casca-lisa, ou somente ipê-amarelo, que também é conhecido como ipê- tabaco, ipê-una, pau-d'arco amarelo, piúva. A casca do ipê-amarelo é adstringente Árvore de grande porte e é usada na medicina popular contra chegando aos 25 metros febres, úlceras e como diurético, além de altura. do tratamento da sífilis. Madeira é pesada, dura e de grande durabilidade mesmo em ambientes externos, por isso é usada na construção civil.
  • 10. Jequitibá-Rosa (Cariniana legalis) Pode ser encontrada no Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. O Jequitibá-Rosa infelizmente, está ameaçada de extinção. Em tupi-guarani (dialeto usado pelos índios) “Gigante Pode chegar até 50 metros da floresta”. de altura, No Parque do Mirante encontramos um exemplar com mais 300 anos e aproximadamente 20 metros de altura, é a maior e mais antiga árvore do Parque e uma das maiores do estado.
  • 11. Jerivá (Syagrus romanzoffiana) Conhecida como coqueiro-gerivá, coqueiro, coco-de-cachorro, baba-de- boi ou coco-catarro. Recomendável para o plantio. Encontrada no Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e do Mato Grosso do Sul até o Rio Grande do Sul. Pode chegar aos 20 metros de altura. Madeira pesada, empregada na construção de pontes, passarelas que tenham contato com água e também em construções sobre solos úmidos.
  • 12. Mamica de porca (Zanthoxylum rhoifolium) Árvore conhecida também como mamica de cadela, mamiqueira, tembetari, tembetaru, tambatarão, tinguaciba, guarita, tamanqueira entre outros. É utilizada na construção civil, principalmente em ambientes internos, para a confecção de cabos de ferramentas e instrumentos agrícolas. Alcança os 12 metros de altura. Folhas e caule da mamica de porca possuem ação farmacológica e medicinal. Encontrada em todo o país principalmente na em regiões de Mata Atlântica.
  • 13. Marinheiro Guarea guidonia (L.) Sleumer Pode ser chamada de camboatã, carrapeta-verdadeira, cedro-branco, taúva, jataúba. Várias regiões do Brasil, desde a região amazônica até o Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná. Pode chegar a 20 metros de altura. Fins medicinais, a casca do caule é utilizada para o tratamento de dores e tensão no globo ocular e conjuntivite.
  • 14. Paineira-Rosa Chorisia speciosa (Bombacaceae) A madeira dessa árvore é bem leve, mole e pouco resistente, e é utilizada para fazer calçados, caixas, celulose (matéria-prima para a fabricação de papel) e artesanato. Também é conhecida por Árvore-de- paina, Paina-de-seda, Árvore-de-lã, Alcançar a altura de 30 Barriguda, Paineira-de-espinho. metros. Utilizada na recuperação de áreas degradadas.
  • 15. Pau D'alho (Gallesia integrifolia) As folhas e as cascas são cozidas e usadas para banhar ferimentos como anti-inflamatório. Conhecido também por Guararema ou Ibirarema. A árvore recebe esse nome Encontrado em várias regiões do Brasil, devido ao seu cheiro desde a Bahia até o Paraná. característico. Apresenta grande porte podendo chegar a 30 metros de altura.
  • 16. Peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron) Conhecida como, peroba-amargosa, peroba-rajada, peroba-açu, peroba- paulista, entre outros. Pode ser encontrada no estado de São Paulo, Bahia, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Rondônia. Pode alcançar os 30 metros É bastante utilizada para a de altura. construção civil e para a fabricação de móveis. Possui uma madeira dura e durável O chá amargo de sua casca é utilizado para curar a febre.
  • 17. Pitangueira (Eugenia uniflora) É conhecida também por pitangueira- vermelha, pitanga-roxa, pitanga-rósea, pitanga do mato, cerejeira-brasileira e ginja. Pode ser encontrada desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul. Pode chegar aos 12 metros de É utilizada para plantios em altura. reflorestamentos. É usada para o tratamento de afecções no fígado, bronquite, cólica menstrual, diabetes, diarréia, febres, infecções na garganta entre outros problemas de saúde.
  • 18. Unha-de-vaca (Bauhinia forficata) Conhecida por diversos nomes que variam de acordo com a região, entre os mais conhecidos estão: pata-de-vaca, casco-de-vaca, pata-de-boi, unha-de-boi e unha-de-vaca. Usada para plantio em áreas degradadas como forma de recomposição, principalmente em recuperação de áreas de mata ciliar. Pode chegar até 9 metros de altura. As folhas dessa árvore também são usadas para tratamento de doenças renais, hepáticas, intestinais, infecções urinárias, como cicatrizante, e também no tratamento de doenças de pele, e ajuda na diminuição do colesterol e auxilia o emagrecimento.