SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Federal do Paraná
Setor de Ciências Biológicas
Departamento de Fisiologia
Autoras: Allana Kiara Peretti da Silva
Ana Carolina Gonçalves Macedo
Orientadora: Ana Maria Caliman Filadelfi
Coorientadora: Profa Dra. Gabriela Reyes
Fisiologia na educação de jovens conscientes para a cidadania II”
Leitura recomendada para pais, professores, crianças e adolescentes!
Trata-se de uma situação em que uma
criança ou adolescente é invadido em
sua sexualidade e usado para
gratificação sexual de um adulto ou mesmo
de um adolescente mais velho.
Contatos físicos “forçados”, como beijos e
toques em outras partes do corpo, podem
ser considerados abuso sexual!
O QUE É ABUSO SEXUAL INFANTIL?
É importante apontar que o abuso
pode ocorrer de diferentes formas
As mais comuns são:
1. Contato não físico: mostrar órgãos genitais, observar
outras pessoas ou seus órgãos e abuso verbal;
2. Contato físico: carícias, toques em órgãos genitais,
penetração ou tentativas de penetração;
3. Uso de força física: estupro.
Agora que já sabemos o que é abuso e como ele
ocorre, devemos entender que existem partes do
nosso corpo que são íntimas. Elas são chamadas
assim, porque não são para que todos vejam ou
toquem.
Elas são: seios, bumbum, ânus, coxas, vagina,
virilha e pênis. Na figura ao lado, estão apontadas
onde ficam essas partes.
ÂNUS
BUMBUM
VAGINA
SEIOS
BOCA
VIRILHA
COXA
BOCA
ÂNUS
BUMBUM
COXA VIRILHA
PÊNIS
Como vimos anteriormente, contatos como beijos
forçados também são considerados abusos! Então, nossa
boca também é uma parte íntima!
QUAIS PARTES DO NOSSO CORPO NÃO PODEM SER
TOCADAS SEM NOSSO CONSENTIMENTO?
Aprendemos que existem partes do corpo que são só nossas. Ninguém pode ficar olhando ou
tocando se a gente não quiser ou não estivermos à vontade.
Tudo bem alguns adultos, como médicos ou pais, ajudar-nos em algumas situações com o
nosso corpo. Mas nem mesmo eles podem fazer carinhos e nos tocar se isso fizer você se
sentir invadido, com medo, triste ou desconfortável.
DIFERENCIANDO TOQUES LEGAIS E TOQUES RUINS
É importante sabermos que não importa a pessoa, existem toques em nosso corpo que são
legais e alguns outros que não são.
Como saber quais são legais? Aqui estão alguns exemplos:
Andar de mãos dadas, receber cafuné antes
de dormir, abraços ou ir ao médico cuidar da
saúde!
Beijos forçados, carinhos em segredo, toques
nas partes íntimas ou qualquer outro que
você não se sinta confortável!
Quando ocorrerem toques inde-
sejados, você sempre pode pedir
para a pessoa parar; e depois contar
ou desenhar o que aconteceu para
outro adulto no qual você tenha
confiança e que possa te ajudar.
CARINHO FORÇADO NÃO FAZ BEM!
Outro ponto a ser abordado é que uma criança não deve ser obrigada ou pressionada a
oferecer ou receber carinho de ninguém. Até porque, a partir do momento que vira
obrigação, deixou de ser carinho! Por isso, as crianças não devem ser obrigadas a dar
beijos ou abraços sem o seu consentimento. Essa pode ser a maneira com a qual elas
estabelecem seus limites com o desconhecido.
Em geral, os abusos de crianças ocorrem por pessoas próximas a elas. Isso pode ser
uma consequência da complacência da criança por ser “carinhosa”. Sendo obrigadas a
dar carinho, elas não sabem dizer não ao contato físico.
Por isso, os pais devem sempre perguntar à elas se estão confortáveis com o carinho:
A violência costuma ser praticada
por pessoas próximas ou, como já
dito, por familiares!!
O abusador costuma manipular
emocionalmente a criança (que
não percebe estar sendo vítima),
ganhando sua confiança e
fazendo com que ela se cale.
90% dos casos dos casos
de abuso sexual entre
crianças e adolescentes
acontece em casa!!
O medo é um dos maiores
motivos do silêncio das vítimas.
ABUSO SEXUAL NA INTERNET
Cerca 1 caso em cada
5 de abuso sexual
contra menores tem
início pela internet!!
A internet e as redes sociais são muito legais para várias coisas: fazer
lições de casa, ouvir música ou falar com amigos e parentes!
Apesar disso, temos que ter muito cuidado ao usar a internet e fazer
amizades “virtuais”. Existem pessoas na internet que não são
confiáveis.
Os abusadores costumam se passar por outra criança/adolescente e
marcar encontros em segredo, nos quais o abuso ocorre.
Por isso, é importante ficar atento! Caso perceba conversas e
pedidos suspeitos de pessoas on-line, como pedir fotos (que nunca
devemos mandar), pedir para você manter a amizade em segredo ou
querer marcar encontros, deve ser procurado algum responsável de
confiança para que ele tome as medidas necessárias!
Aos pais e responsáveis pelas crianças: é importante observar as
amizades, sites visitados e conversas nas redes sociais dos menores!
É importante aprender a
identificar sinais repentinos que
as vítimas dão. Na maioria das
vezes, esses sinais não são verbais,
mas são indicativos que algo está
errado...
Crianças e adolescentes que sofrem algum tipo de abuso podem demonstrar sinais e
mudanças de comportamento. Vítimas de abuso sexual tendem a ficar em silêncio, por
isso, pessoas próximas à elas como amigos, professores, pais e irmãos devem observar
características anormais no comportamento das crianças.
Devemos ficar atentos à esses sinais:
- Depressão
- Agressividade
- Dificuldades nos relacionamentos
- Pânico de certas pessoas
- Mudanças estranhas de comportamento
- Medo de ficar sozinho ou do escuro
- Não querer estar com outras pessoas
- Manchas (hematomas), machucados (lesões) ou dores nas partes
íntimas ou próximo delas
SINAIS DE ABUSO SEXUAL
Como podemos cuidar uns dos outros? Se meu coleguinha ou alguém que eu
amo, apresentar algum dos sinais de abuso que vimos anteriormente, mesmo
que seja difícil, podemos contar para um adulto de confiança, por exemplo, uma
professora! Assim, as medidas corretas poderão ser tomadas.
Ah! E nada de bullying* ou
brincadeirinhas com a
situação do colega, ok?!
Devemos ficar juntos e
dar apoio a quem precisa!
*”Forma de violênciaque,sendo verbal ou física, acontece de modo repetitivoe persistente,sendodirecionada contra um ou mais colegas, caracterizando-se por
atingir os mais fracos de modo a intimidar, humilhar ou maltratar os que são alvos dessas agressões”.
CUIDANDO UNS DOS OUTROS
Identificar o abuso sexual é apenas o primeiro passo. Após a denúncia, é
necessário garantir que a vítima receba tratamento médico e
psicológico. Infelizmente, a maioria dos casos não é denunciado.
Além disso, quando há envolvimento de algum familiar, é mais difícil que
a vítima consiga contar o que aconteceu ou denunciar, por medo de
perder os pais, medo de que não acreditem nela ou medo de ser culpada.
Por isso, devemos lembrar que a culpa nunca é da vítima!
É preciso ficar claro que a denúncia é a forma mais correta de impedir
que o abusador continue praticando seus atos e seja punido pela justiça.
É muito difícil uma criança
inventar histórias sobre
abuso. Pais, professores e
responsáveis: ACREDITEM
NELAS! Elas precisam de
acolhimento e apoio.
FALE, ESCUTE, DENUNCIE!
Se você sofreu ou sofre algum tipo de abuso, você pode
conversar, desenhar ou contar o que aconteceu para
alguém que confie. E lembre-se que você não está sozinho(a)!
Se alguém próximo à você é uma vítima, fale, denuncie!
Você pode procurar ajuda nesses locais:
▪ Conselho Tutelar da sua cidade
▪ Delegacia da Infância e Adolescência
da sua cidade
▪ Disque Direitos Humanos – Disque 100
▪ Ministério Público – Disque 127
▪ Disque Denúncia – Disque 181
LINKS RECOMENDADOS
Identifique quais carinhos são bons e quais são abusivos: https://www.youtube.com/watch?v=vjwSPkguQxc
Identificando toques que são legais de receber e aqueles que causam qualquer tipo de sentimento ruim:
- https://www.youtube.com/watch?v=0mTpFWuyk6g
Videos da campanha “Que corpo é esse?”: Parte do projeto “crescer sem violência”, parceria entre Childhood Brasil, UNICEF
Brasil e Canal Futura:
- https://www.childhood.org.br/criancas-em-quarentena-conheca-a-serie-educativa-que-corpo-e-esse-
“Abuso sexual: 20% dos casos contra menores têm início a partir das redes sociais” - Apesar do nome, trata do abuso em vários
âmbitos (como tratar as crianças, abusos de dentro de casa e sobre a subnotificação de casos, por exemplo):
- http://eshoje.com.br/abuso-sexual-20-dos-casos-contra-menores-tem-inicio-a-partir-das-redes-sociais/
“Como denunciar assédio contra as crianças na internet?” - Orienta sobre como e onde realizar denúncias de assédio on-line:
- http://www.anabrocanelo.com.br/publicacoes/como-denunciar-assedio-contra-criancas-na-internet/
“Abuso sexual” - Explica termos relacionados ao tema (estupro, estupro de vulnerável, exploração e importunação sexual, etc):
- https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/sexualidade/abuso-sexual.htm
Childhood pela proteção da infância - Site da organização, que busca defesa das crianças e adolescentes e a garantia de uma
juventude protegida, focando na prevenção e enfrentamento da violência sexual. Possui muito conteúdo notável:
- https://www.childhood.org.br/
REFERÊNCIAS
-http://eshoje.com.br/abuso-sexual-20-dos-casos-contra-menores-tem-inicio-a-partir-das-redes-sociais/
(Acessado em 01/05/2020)
-https://www.ufsm.br/cursos/pos-graduacao/santa-maria/ppgd/wp-content/uploads/sites/563/2019/09/5.19.pdf
(Acessado em 01/05/2020)
-https://www.childhood.org.br/informe-se-e-saiba-como-
agir?gclid=Cj0KCQjwka_1BRCPARIsAMlUmEpOP2LzphfaGf39_4rcvRl5oQJDe1ai4oFKsk2p948UvD-
lkTR3GOAaAl30EALw_wcB#denuncie (Acessado em 01/05/2020)
-https://www.childhood.org.br/tipos-de-abuso-sexual-de-criancas-e-adolescentes (Acessado em 03/03/2020)
-ttps://www.childhood.org.br/10-maneiras-de-identificar-possiveis-sinais-de-abuso-sexual- infanto-juvenil (Acessado em
03/03/2020)
-https://www.portalraizes.com/10-maneiras-de-ensinar-a-crianca-a-se-defender-de-abusadores/ (Acessado em 03/03/
2020)
-http://www.escoteirossc.org.br/download/docs/Sete_passos.pdf (Acessado em 03/03/2020)
Autoras: Allana Kiara Peretti da Silva
Ana Carolina Gonçalves Macedo
Orientadora: Ana Maria Caliman Filadelfi
Coorientadora: Prof. Dra. Gabriela Reyes
“Fisiologia na educação de jovens conscientes
para a cidadania II”
Setor de Ciências Biológicas
Departamento de Fisiologia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente. Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Aline Kelly
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
Ivanílson Santos
 
Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1
Patrícia Alvarenga Sá
 
Violência contra a Mulher
Violência contra a MulherViolência contra a Mulher
Violência contra a Mulher
Donizete Soares
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
Emanuel Oliveira
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Michelle Moraes Santos
 
Violência contra mulher -
Violência contra mulher - Violência contra mulher -
Violência contra mulher -
Conceição Amorim
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
Diego Alvarez
 
Violencia contra mulher
Violencia contra mulherViolencia contra mulher
Violencia contra mulher
Faculdade União das Américas
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Luisa Sena
 
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
Rosane Domingues
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
Beatriz Miranda
 
Dinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estimaDinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estima
rosangelars
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
laboratório de informática cef15
 
Dinâmica das emoções
Dinâmica das emoçõesDinâmica das emoções
Dinâmica das emoções
Thais Fraga
 
Empoderamento feminino
Empoderamento femininoEmpoderamento feminino
Empoderamento feminino
RebecadeFreitasLima
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulherTCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher
Marcia Oliveira
 
Empoderamento feminino
Empoderamento femininoEmpoderamento feminino
Empoderamento feminino
Paulo Delmondes
 
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha  Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Vyttorya Marcenio
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Fabiana Subrinho
 

Mais procurados (20)

Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente. Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
 
Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1Sexualidade e afetividade 1
Sexualidade e afetividade 1
 
Violência contra a Mulher
Violência contra a MulherViolência contra a Mulher
Violência contra a Mulher
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
 
Violência contra mulher -
Violência contra mulher - Violência contra mulher -
Violência contra mulher -
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
 
Violencia contra mulher
Violencia contra mulherViolencia contra mulher
Violencia contra mulher
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
 
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
 
Dinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estimaDinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estima
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
 
Dinâmica das emoções
Dinâmica das emoçõesDinâmica das emoções
Dinâmica das emoções
 
Empoderamento feminino
Empoderamento femininoEmpoderamento feminino
Empoderamento feminino
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulherTCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher
 
Empoderamento feminino
Empoderamento femininoEmpoderamento feminino
Empoderamento feminino
 
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha  Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
 

Semelhante a Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância

Tudo sobre o abuso infantil
Tudo sobre o abuso infantilTudo sobre o abuso infantil
Tudo sobre o abuso infantil
Vitoriadriaa
 
Abuso da sexualidade pais 97 2003
Abuso da sexualidade pais 97 2003Abuso da sexualidade pais 97 2003
Abuso da sexualidade pais 97 2003
Rodrigo Adilio Franco
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
GabrieleMachado16
 
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuEloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Quando o inesperado acontece
Quando o inesperado aconteceQuando o inesperado acontece
Quando o inesperado acontece
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Infancia violentada
Infancia violentadaInfancia violentada
Infancia violentada
pastorlinaldo
 
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
WilnaMargelaOliveira1
 
Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)
PrLinaldo Junior
 
AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...
AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...
AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...
SulenDeArajoNeves
 
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
LLidiana
 
Abuso infantil
Abuso infantilAbuso infantil
Abuso infantil
thainessa
 
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_paisProtecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Cláudia Dantas
 
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkabuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
crasPREFNOVARESENDE
 
ESS - " Namoro sem violência"
ESS - " Namoro sem violência"ESS - " Namoro sem violência"
ESS - " Namoro sem violência"
Ilda Bicacro
 
BULLYING
BULLYINGBULLYING
BULLYING
ParJov
 
Violência sexual
Violência sexualViolência sexual
Violência sexual
Fabiana Ribeiro
 
Pedofilia - Temas Contemporâneos
Pedofilia - Temas ContemporâneosPedofilia - Temas Contemporâneos
Pedofilia - Temas Contemporâneos
Alexandra Alves
 
Palestra sobre abuso sexual na Infância
Palestra sobre abuso sexual na InfânciaPalestra sobre abuso sexual na Infância
Palestra sobre abuso sexual na Infância
Psicólogo - Vilson da Mata
 
abuso sexxual
abuso sexxualabuso sexxual
abuso sexxual
Lucas Carvalho Silva
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
IpdaWellington
 

Semelhante a Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância (20)

Tudo sobre o abuso infantil
Tudo sobre o abuso infantilTudo sobre o abuso infantil
Tudo sobre o abuso infantil
 
Abuso da sexualidade pais 97 2003
Abuso da sexualidade pais 97 2003Abuso da sexualidade pais 97 2003
Abuso da sexualidade pais 97 2003
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
 
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuEloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
 
Quando o inesperado acontece
Quando o inesperado aconteceQuando o inesperado acontece
Quando o inesperado acontece
 
Infancia violentada
Infancia violentadaInfancia violentada
Infancia violentada
 
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
-Apresentação_Abuso-Infantil.pptx
 
Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)Infancia violentada (aprovado)
Infancia violentada (aprovado)
 
AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...
AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...
AJUSTADO Violência contra crianças e adolescentes - como perceber os sinais e...
 
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
 
Abuso infantil
Abuso infantilAbuso infantil
Abuso infantil
 
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_paisProtecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
 
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkabuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
abuso sexual -kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
ESS - " Namoro sem violência"
ESS - " Namoro sem violência"ESS - " Namoro sem violência"
ESS - " Namoro sem violência"
 
BULLYING
BULLYINGBULLYING
BULLYING
 
Violência sexual
Violência sexualViolência sexual
Violência sexual
 
Pedofilia - Temas Contemporâneos
Pedofilia - Temas ContemporâneosPedofilia - Temas Contemporâneos
Pedofilia - Temas Contemporâneos
 
Palestra sobre abuso sexual na Infância
Palestra sobre abuso sexual na InfânciaPalestra sobre abuso sexual na Infância
Palestra sobre abuso sexual na Infância
 
abuso sexxual
abuso sexxualabuso sexxual
abuso sexxual
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 

Mais de Ana Filadelfi

Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdfFisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Ana Filadelfi
 
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfCartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Ana Filadelfi
 
Cartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilCartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer Infantil
Ana Filadelfi
 
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeCartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Ana Filadelfi
 
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarCartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Ana Filadelfi
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema Respiratório
Ana Filadelfi
 
Cartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoCartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema Nervoso
Ana Filadelfi
 
Cartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicaçãoCartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicação
Ana Filadelfi
 
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
Cartilha  A nossa saúde e o ambienteCartilha  A nossa saúde e o ambiente
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
Ana Filadelfi
 
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
Cartilha ritmos biológicos   sono em animaisCartilha ritmos biológicos   sono em animais
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
Ana Filadelfi
 
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesCartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Ana Filadelfi
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambiente
Ana Filadelfi
 
Cartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoCartilha hipertensão
Cartilha hipertensão
Ana Filadelfi
 
Cartilha diabetes
Cartilha diabetesCartilha diabetes
Cartilha diabetes
Ana Filadelfi
 
Cartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarCartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estar
Ana Filadelfi
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúde
Ana Filadelfi
 
Cartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosCartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicos
Ana Filadelfi
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Ana Filadelfi
 
Aula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicação
Ana Filadelfi
 
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosCartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Ana Filadelfi
 

Mais de Ana Filadelfi (20)

Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdfFisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
Fisiodivulgando - projeto de extensão universitária - DFISIO - BL - UFPR.pdf
 
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfCartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
 
Cartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilCartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer Infantil
 
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeCartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
 
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarCartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema Respiratório
 
Cartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoCartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema Nervoso
 
Cartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicaçãoCartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicação
 
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
Cartilha  A nossa saúde e o ambienteCartilha  A nossa saúde e o ambiente
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
 
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
Cartilha ritmos biológicos   sono em animaisCartilha ritmos biológicos   sono em animais
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
 
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesCartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambiente
 
Cartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoCartilha hipertensão
Cartilha hipertensão
 
Cartilha diabetes
Cartilha diabetesCartilha diabetes
Cartilha diabetes
 
Cartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarCartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estar
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúde
 
Cartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosCartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicos
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
 
Aula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicação
 
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosCartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitos
 

Último

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância

  • 1. Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Biológicas Departamento de Fisiologia Autoras: Allana Kiara Peretti da Silva Ana Carolina Gonçalves Macedo Orientadora: Ana Maria Caliman Filadelfi Coorientadora: Profa Dra. Gabriela Reyes Fisiologia na educação de jovens conscientes para a cidadania II” Leitura recomendada para pais, professores, crianças e adolescentes!
  • 2. Trata-se de uma situação em que uma criança ou adolescente é invadido em sua sexualidade e usado para gratificação sexual de um adulto ou mesmo de um adolescente mais velho. Contatos físicos “forçados”, como beijos e toques em outras partes do corpo, podem ser considerados abuso sexual! O QUE É ABUSO SEXUAL INFANTIL?
  • 3. É importante apontar que o abuso pode ocorrer de diferentes formas As mais comuns são: 1. Contato não físico: mostrar órgãos genitais, observar outras pessoas ou seus órgãos e abuso verbal; 2. Contato físico: carícias, toques em órgãos genitais, penetração ou tentativas de penetração; 3. Uso de força física: estupro.
  • 4. Agora que já sabemos o que é abuso e como ele ocorre, devemos entender que existem partes do nosso corpo que são íntimas. Elas são chamadas assim, porque não são para que todos vejam ou toquem. Elas são: seios, bumbum, ânus, coxas, vagina, virilha e pênis. Na figura ao lado, estão apontadas onde ficam essas partes. ÂNUS BUMBUM VAGINA SEIOS BOCA VIRILHA COXA BOCA ÂNUS BUMBUM COXA VIRILHA PÊNIS Como vimos anteriormente, contatos como beijos forçados também são considerados abusos! Então, nossa boca também é uma parte íntima! QUAIS PARTES DO NOSSO CORPO NÃO PODEM SER TOCADAS SEM NOSSO CONSENTIMENTO?
  • 5. Aprendemos que existem partes do corpo que são só nossas. Ninguém pode ficar olhando ou tocando se a gente não quiser ou não estivermos à vontade. Tudo bem alguns adultos, como médicos ou pais, ajudar-nos em algumas situações com o nosso corpo. Mas nem mesmo eles podem fazer carinhos e nos tocar se isso fizer você se sentir invadido, com medo, triste ou desconfortável. DIFERENCIANDO TOQUES LEGAIS E TOQUES RUINS É importante sabermos que não importa a pessoa, existem toques em nosso corpo que são legais e alguns outros que não são. Como saber quais são legais? Aqui estão alguns exemplos: Andar de mãos dadas, receber cafuné antes de dormir, abraços ou ir ao médico cuidar da saúde! Beijos forçados, carinhos em segredo, toques nas partes íntimas ou qualquer outro que você não se sinta confortável! Quando ocorrerem toques inde- sejados, você sempre pode pedir para a pessoa parar; e depois contar ou desenhar o que aconteceu para outro adulto no qual você tenha confiança e que possa te ajudar.
  • 6. CARINHO FORÇADO NÃO FAZ BEM! Outro ponto a ser abordado é que uma criança não deve ser obrigada ou pressionada a oferecer ou receber carinho de ninguém. Até porque, a partir do momento que vira obrigação, deixou de ser carinho! Por isso, as crianças não devem ser obrigadas a dar beijos ou abraços sem o seu consentimento. Essa pode ser a maneira com a qual elas estabelecem seus limites com o desconhecido. Em geral, os abusos de crianças ocorrem por pessoas próximas a elas. Isso pode ser uma consequência da complacência da criança por ser “carinhosa”. Sendo obrigadas a dar carinho, elas não sabem dizer não ao contato físico. Por isso, os pais devem sempre perguntar à elas se estão confortáveis com o carinho:
  • 7. A violência costuma ser praticada por pessoas próximas ou, como já dito, por familiares!! O abusador costuma manipular emocionalmente a criança (que não percebe estar sendo vítima), ganhando sua confiança e fazendo com que ela se cale. 90% dos casos dos casos de abuso sexual entre crianças e adolescentes acontece em casa!! O medo é um dos maiores motivos do silêncio das vítimas.
  • 8. ABUSO SEXUAL NA INTERNET Cerca 1 caso em cada 5 de abuso sexual contra menores tem início pela internet!! A internet e as redes sociais são muito legais para várias coisas: fazer lições de casa, ouvir música ou falar com amigos e parentes! Apesar disso, temos que ter muito cuidado ao usar a internet e fazer amizades “virtuais”. Existem pessoas na internet que não são confiáveis. Os abusadores costumam se passar por outra criança/adolescente e marcar encontros em segredo, nos quais o abuso ocorre. Por isso, é importante ficar atento! Caso perceba conversas e pedidos suspeitos de pessoas on-line, como pedir fotos (que nunca devemos mandar), pedir para você manter a amizade em segredo ou querer marcar encontros, deve ser procurado algum responsável de confiança para que ele tome as medidas necessárias! Aos pais e responsáveis pelas crianças: é importante observar as amizades, sites visitados e conversas nas redes sociais dos menores!
  • 9. É importante aprender a identificar sinais repentinos que as vítimas dão. Na maioria das vezes, esses sinais não são verbais, mas são indicativos que algo está errado...
  • 10. Crianças e adolescentes que sofrem algum tipo de abuso podem demonstrar sinais e mudanças de comportamento. Vítimas de abuso sexual tendem a ficar em silêncio, por isso, pessoas próximas à elas como amigos, professores, pais e irmãos devem observar características anormais no comportamento das crianças. Devemos ficar atentos à esses sinais: - Depressão - Agressividade - Dificuldades nos relacionamentos - Pânico de certas pessoas - Mudanças estranhas de comportamento - Medo de ficar sozinho ou do escuro - Não querer estar com outras pessoas - Manchas (hematomas), machucados (lesões) ou dores nas partes íntimas ou próximo delas SINAIS DE ABUSO SEXUAL
  • 11. Como podemos cuidar uns dos outros? Se meu coleguinha ou alguém que eu amo, apresentar algum dos sinais de abuso que vimos anteriormente, mesmo que seja difícil, podemos contar para um adulto de confiança, por exemplo, uma professora! Assim, as medidas corretas poderão ser tomadas. Ah! E nada de bullying* ou brincadeirinhas com a situação do colega, ok?! Devemos ficar juntos e dar apoio a quem precisa! *”Forma de violênciaque,sendo verbal ou física, acontece de modo repetitivoe persistente,sendodirecionada contra um ou mais colegas, caracterizando-se por atingir os mais fracos de modo a intimidar, humilhar ou maltratar os que são alvos dessas agressões”. CUIDANDO UNS DOS OUTROS
  • 12. Identificar o abuso sexual é apenas o primeiro passo. Após a denúncia, é necessário garantir que a vítima receba tratamento médico e psicológico. Infelizmente, a maioria dos casos não é denunciado. Além disso, quando há envolvimento de algum familiar, é mais difícil que a vítima consiga contar o que aconteceu ou denunciar, por medo de perder os pais, medo de que não acreditem nela ou medo de ser culpada. Por isso, devemos lembrar que a culpa nunca é da vítima! É preciso ficar claro que a denúncia é a forma mais correta de impedir que o abusador continue praticando seus atos e seja punido pela justiça. É muito difícil uma criança inventar histórias sobre abuso. Pais, professores e responsáveis: ACREDITEM NELAS! Elas precisam de acolhimento e apoio. FALE, ESCUTE, DENUNCIE! Se você sofreu ou sofre algum tipo de abuso, você pode conversar, desenhar ou contar o que aconteceu para alguém que confie. E lembre-se que você não está sozinho(a)! Se alguém próximo à você é uma vítima, fale, denuncie!
  • 13. Você pode procurar ajuda nesses locais: ▪ Conselho Tutelar da sua cidade ▪ Delegacia da Infância e Adolescência da sua cidade ▪ Disque Direitos Humanos – Disque 100 ▪ Ministério Público – Disque 127 ▪ Disque Denúncia – Disque 181
  • 14. LINKS RECOMENDADOS Identifique quais carinhos são bons e quais são abusivos: https://www.youtube.com/watch?v=vjwSPkguQxc Identificando toques que são legais de receber e aqueles que causam qualquer tipo de sentimento ruim: - https://www.youtube.com/watch?v=0mTpFWuyk6g Videos da campanha “Que corpo é esse?”: Parte do projeto “crescer sem violência”, parceria entre Childhood Brasil, UNICEF Brasil e Canal Futura: - https://www.childhood.org.br/criancas-em-quarentena-conheca-a-serie-educativa-que-corpo-e-esse- “Abuso sexual: 20% dos casos contra menores têm início a partir das redes sociais” - Apesar do nome, trata do abuso em vários âmbitos (como tratar as crianças, abusos de dentro de casa e sobre a subnotificação de casos, por exemplo): - http://eshoje.com.br/abuso-sexual-20-dos-casos-contra-menores-tem-inicio-a-partir-das-redes-sociais/ “Como denunciar assédio contra as crianças na internet?” - Orienta sobre como e onde realizar denúncias de assédio on-line: - http://www.anabrocanelo.com.br/publicacoes/como-denunciar-assedio-contra-criancas-na-internet/ “Abuso sexual” - Explica termos relacionados ao tema (estupro, estupro de vulnerável, exploração e importunação sexual, etc): - https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/sexualidade/abuso-sexual.htm Childhood pela proteção da infância - Site da organização, que busca defesa das crianças e adolescentes e a garantia de uma juventude protegida, focando na prevenção e enfrentamento da violência sexual. Possui muito conteúdo notável: - https://www.childhood.org.br/
  • 15. REFERÊNCIAS -http://eshoje.com.br/abuso-sexual-20-dos-casos-contra-menores-tem-inicio-a-partir-das-redes-sociais/ (Acessado em 01/05/2020) -https://www.ufsm.br/cursos/pos-graduacao/santa-maria/ppgd/wp-content/uploads/sites/563/2019/09/5.19.pdf (Acessado em 01/05/2020) -https://www.childhood.org.br/informe-se-e-saiba-como- agir?gclid=Cj0KCQjwka_1BRCPARIsAMlUmEpOP2LzphfaGf39_4rcvRl5oQJDe1ai4oFKsk2p948UvD- lkTR3GOAaAl30EALw_wcB#denuncie (Acessado em 01/05/2020) -https://www.childhood.org.br/tipos-de-abuso-sexual-de-criancas-e-adolescentes (Acessado em 03/03/2020) -ttps://www.childhood.org.br/10-maneiras-de-identificar-possiveis-sinais-de-abuso-sexual- infanto-juvenil (Acessado em 03/03/2020) -https://www.portalraizes.com/10-maneiras-de-ensinar-a-crianca-a-se-defender-de-abusadores/ (Acessado em 03/03/ 2020) -http://www.escoteirossc.org.br/download/docs/Sete_passos.pdf (Acessado em 03/03/2020)
  • 16. Autoras: Allana Kiara Peretti da Silva Ana Carolina Gonçalves Macedo Orientadora: Ana Maria Caliman Filadelfi Coorientadora: Prof. Dra. Gabriela Reyes “Fisiologia na educação de jovens conscientes para a cidadania II” Setor de Ciências Biológicas Departamento de Fisiologia