SlideShare uma empresa Scribd logo
Ensino de EstatísticaEnsino de Estatística
Prof. Gercino Monteiro FilhoProf. Gercino Monteiro Filho
EstatísticaEstatística
Conceitos IniciaisConceitos Iniciais
Divisão da EstatísticaDivisão da Estatística
Delineamento de uma pesquisa;Delineamento de uma pesquisa;
Coleta dos dados;Coleta dos dados;
Apuração dos dados;Apuração dos dados;
Apresentação;Apresentação;
Cálculos de medidas;Cálculos de medidas;
Análise dos dados;Análise dos dados;
Conclusão de seus resultados.Conclusão de seus resultados.
Delineamento de uma pesquisaDelineamento de uma pesquisa
Delinear uma pesquisa éDelinear uma pesquisa é
proceder todas as formalidadesproceder todas as formalidades
para que seja executada compara que seja executada com
toda segurança reduzindo o riscotoda segurança reduzindo o risco
de ocorrências de detalhes parade ocorrências de detalhes para
prejudicar a sua execução.prejudicar a sua execução.
Delineamento de uma pesquisaDelineamento de uma pesquisa
Definir a população;Definir a população;
Caracterizar cada uma das variáveis aCaracterizar cada uma das variáveis a
serem avaliadas;serem avaliadas;
Estabelecer o tamanho da amostra;Estabelecer o tamanho da amostra;
Criar datas para a sua execução;Criar datas para a sua execução;
Criar formas de coletas da amostra;Criar formas de coletas da amostra;
Definir os modelos matemáticos deDefinir os modelos matemáticos de
análise.análise.
Principio Fundamental daPrincipio Fundamental da
Estatística.Estatística.
O principio fundamental daO principio fundamental da
estatística é o de fazer estudoestatística é o de fazer estudo
sucinto, completo e detalhadosucinto, completo e detalhado
das variáveis criadas por umdas variáveis criadas por um
pesquisador no intuito de tirarpesquisador no intuito de tirar
conclusões eficazes da pesquisaconclusões eficazes da pesquisa
proposta.proposta.
VariáveisVariáveis
Considere o exemplo:Considere o exemplo:
Pesquisa:Pesquisa: Avaliar o estado de saúde deAvaliar o estado de saúde de
crianças que sofreram acidentescrianças que sofreram acidentes
domésticos.domésticos. (Dra. Karine – 2003(Dra. Karine – 2003
Goiânia)Goiânia)
Nesta pesquisa, a Dra. Karine criouNesta pesquisa, a Dra. Karine criou
as seguintes variáveis:as seguintes variáveis:
Idade da criança;Idade da criança;
Sexo da criança;Sexo da criança;
Idade do pai;Idade do pai;
Idade da mãe;Idade da mãe;
Acompanhante no momento doAcompanhante no momento do
acidente;acidente;
Variáveis Dra. Karine – Cont.Variáveis Dra. Karine – Cont.
Local do acidente;Local do acidente;
Tipo de acidente;Tipo de acidente;
Número de lesões sofridas;Número de lesões sofridas;
Tipo de lesão;Tipo de lesão;
Dia da semana do acidente;Dia da semana do acidente;
Período do dia.Período do dia.
Formas de Classificar umaFormas de Classificar uma
variávelvariável
Por valor;Por valor;
Por forma de obtenção;Por forma de obtenção;
Por participação na pesquisa.Por participação na pesquisa.
VariáveisVariáveis
Classificação Por ValorClassificação Por Valor
Idade da criançaIdade da criança ––
É uma variável pelo qualÉ uma variável pelo qual
cada um de seus resultados écada um de seus resultados é
um número e alem do maisum número e alem do mais
quando observados foramquando observados foram
avaliados através de umaavaliados através de uma
medida (cronômetro);medida (cronômetro);
Sexo da criançaSexo da criança
É uma variável cujos únicosÉ uma variável cujos únicos
valores são:valores são:
masculino e femininomasculino e feminino
e assim é não-numérico;e assim é não-numérico;
Idade do paiIdade do pai // Idade da mãeIdade da mãe
Mesmo comentário da idade daMesmo comentário da idade da
criança;criança;
Acompanhante no momento doAcompanhante no momento do
acidenteacidente
Seus valores são as pessoas queSeus valores são as pessoas que
no momento do acidente era(m)no momento do acidente era(m)
a(s) responsável pela criança ea(s) responsável pela criança e
assim é uma variável não-assim é uma variável não-
numérica.numérica.
Local do acidenteLocal do acidente
seus valores possíveis são:seus valores possíveis são:
Casa; escola; rua;Casa; escola; rua;
praça; clube de lazer, etcpraça; clube de lazer, etc
e então é uma variável não-e então é uma variável não-
numérica;numérica;
Tipo de acidenteTipo de acidente
Seus valores são:Seus valores são:
Queda, queimadura, transito,Queda, queimadura, transito,
afogamento etcafogamento etc
E trata-se de uma variávelE trata-se de uma variável
não-numérica;não-numérica;
Número de lesões sofridasNúmero de lesões sofridas
É uma variável numérica peloÉ uma variável numérica pelo
qual quando de sua avaliação équal quando de sua avaliação é
obtida através deobtida através de contagemcontagem
Tipo de lesãoTipo de lesão
Seus valores possíveis são:Seus valores possíveis são:
Fratura, queimadura,Fratura, queimadura,
ingestão de objeto estranho, etcingestão de objeto estranho, etc
Trata-se de uma variável não-Trata-se de uma variável não-
numérica;numérica;
Dia da semana do acidenteDia da semana do acidente
É uma variável não-numérica;É uma variável não-numérica;
Período do diaPeríodo do dia
Seus valores possíveis são:Seus valores possíveis são:
Manhã, tarde, noiteManhã, tarde, noite
É uma variável não-numéricaÉ uma variável não-numérica
Classificação de variáveis, porClassificação de variáveis, por
valor em uma pesquisa.valor em uma pesquisa.
Percebe-se, pelo exemploPercebe-se, pelo exemplo
acima que existe umaacima que existe uma
classificação pela grandeza declassificação pela grandeza de
seus valores, esta divisão foiseus valores, esta divisão foi
criada devido ao fato de que,criada devido ao fato de que,
quando analisados, os modelosquando analisados, os modelos
matemáticos não são os mesmos.matemáticos não são os mesmos.
Classificação de variáveis, porClassificação de variáveis, por
valor em uma pesquisa.valor em uma pesquisa.
Numérica – Conhecida porNumérica – Conhecida por
QUANTITATIVAQUANTITATIVA;;
Não-numérica – Conhecida porNão-numérica – Conhecida por
QUALITATIVA.QUALITATIVA.
Variáveis NuméricasVariáveis Numéricas
Existem dois tipos a saber:Existem dois tipos a saber:
Discreta:Discreta: Quando seus únicosQuando seus únicos
valores são do tipo inteira;valores são do tipo inteira;
Contínua:Contínua: Pode assumir valoresPode assumir valores
quaisquer dentro de um intervaloquaisquer dentro de um intervalo
real.real.
Variáveis DiscretasVariáveis Discretas
RestritaRestrita – Assume poucos– Assume poucos
valores distintos entre si;valores distintos entre si;
Não-RestritaNão-Restrita – caso contrário da– caso contrário da
Restrita.Restrita.
Variáveis QualitativasVariáveis Qualitativas
OrdinalOrdinal – quando existe uma– quando existe uma
ordem de grandeza entre seusordem de grandeza entre seus
diversos valores;diversos valores;
Não-OrdinalNão-Ordinal – Quando não for– Quando não for
possível classifica-la porpossível classifica-la por
grandeza de ordem.grandeza de ordem.
ExemploExemplo
Avaliando as variáveis daAvaliando as variáveis da
pesquisa anterior (Dra. Karine)pesquisa anterior (Dra. Karine)
tem-se que:tem-se que:
Idade da criança;Idade da criança;
É uma variável numérica e real;É uma variável numérica e real;
Sexo da criançaSexo da criança
É uma variável nominal;É uma variável nominal;
(não-ordinal);(não-ordinal);
Idade do paiIdade do pai
É uma variável numérica e real;É uma variável numérica e real;
Idade da mãeIdade da mãe
É uma variável numérica e realÉ uma variável numérica e real
Acompanhante no momento doAcompanhante no momento do
acidenteacidente
É uma variável qualitativaÉ uma variável qualitativa
(Não-ordinal);(Não-ordinal);
Local do acidenteLocal do acidente
É uma variável qualitativaÉ uma variável qualitativa
(Não-ordinal);(Não-ordinal);
Tipo de acidenteTipo de acidente
É uma variável qualitativa NãoÉ uma variável qualitativa Não
Ordinal.Ordinal.
Número de lesões sofridasNúmero de lesões sofridas ––
É uma variável numérica DiscretaÉ uma variável numérica Discreta
(inteira);(inteira);
Alem do mais é restrita devido aoAlem do mais é restrita devido ao
fato de em um mesmo acidente umafato de em um mesmo acidente uma
mesma pessoa não tem anomalia emmesma pessoa não tem anomalia em
uma quantia grande de locais;uma quantia grande de locais;
Tipo de lesãoTipo de lesão
É uma variável qualitativa não-É uma variável qualitativa não-
ordinalordinal
Dia da semana do acidenteDia da semana do acidente
É uma variável qualitativa ordinalÉ uma variável qualitativa ordinal
Período do diaPeríodo do dia
É uma variável qualitativa ordinalÉ uma variável qualitativa ordinal
Classificação de uma variávelClassificação de uma variável
quanto à forma de obtençãoquanto à forma de obtenção
IndependentesIndependentes –– É o caso em que aÉ o caso em que a
população é dividida em sub-populaçõespopulação é dividida em sub-populações
(GRUPOS) onde cada elemento pertence a(GRUPOS) onde cada elemento pertence a
um único destes grupos;um único destes grupos;
PareadasPareadas –– Neste caso as variáveis sãoNeste caso as variáveis são
obtidas de elementos do mesmo grupo,obtidas de elementos do mesmo grupo,
porem com alguma característica que asporem com alguma característica que as
diferencie.diferencie.
Classificação de uma variávelClassificação de uma variável
quanto à objetivo na pesquisaquanto à objetivo na pesquisa
CONCLUSIVACONCLUSIVA –– São aquelas pelasSão aquelas pelas
quais irá tirar conclusões;quais irá tirar conclusões;
FATORESFATORES –– Aquelas pelos quaisAquelas pelos quais
acredita possa contribuir com o resultadoacredita possa contribuir com o resultado
da conclusiva;da conclusiva;
BALANCEAMENTOBALANCEAMENTO –– Aquelas pelosAquelas pelos
quais deseja possuírem valores identicosquais deseja possuírem valores identicos
em cada grupoem cada grupo
Conceitos sobre variáveisConceitos sobre variáveis
FIMFIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
Sonia Azevedo
 
Inequações do 1º e 2º grau
Inequações do 1º e 2º grauInequações do 1º e 2º grau
Inequações do 1º e 2º grau
Zaqueu Oliveira
 
Medidas de tendencia central
Medidas de tendencia centralMedidas de tendencia central
Medidas de tendencia central
rosania39
 
Moda, Média e Mediana
Moda, Média e MedianaModa, Média e Mediana
Moda, Média e Mediana
Juliana Perleto
 
Slides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão GeométricaSlides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão Geométrica
Ketlin Cavane
 
Aula 01 introdução a estatística
Aula 01   introdução a estatísticaAula 01   introdução a estatística
Estatística básica
Estatística básicaEstatística básica
Estatística básica
Jose_ferreira
 
Analise de clusters
Analise de clustersAnalise de clusters
Analise de clusters
Kleverton Saath
 
Progressão aritmética
Progressão aritméticaProgressão aritmética
Progressão aritmética
leilamaluf
 
Medidas estatísticas
Medidas estatísticasMedidas estatísticas
Medidas estatísticas
Helena Borralho
 
Interpretação de gráficos e tabelas
Interpretação de gráficos e tabelasInterpretação de gráficos e tabelas
Interpretação de gráficos e tabelas
Carlos Priante
 
Medidas de tendência central
Medidas de tendência centralMedidas de tendência central
Medidas de tendência central
paulocsm
 
Regressão Linear Simples
Regressão Linear SimplesRegressão Linear Simples
Regressão Linear Simples
Federal University of Bahia
 
Aula 12 medidas de dispersão
Aula 12   medidas de dispersãoAula 12   medidas de dispersão
Media, moda e mediana
Media, moda e medianaMedia, moda e mediana
Media, moda e mediana
Jeremias Manhica
 
Aula 22 probabilidade - parte 1
Aula 22   probabilidade - parte 1Aula 22   probabilidade - parte 1
Aula 07 Medidas de Tendencia Central de Dados Não Agrupados
Aula 07   Medidas de Tendencia Central de Dados Não AgrupadosAula 07   Medidas de Tendencia Central de Dados Não Agrupados
Aula 07 Medidas de Tendencia Central de Dados Não Agrupados
João Alessandro da Luz, Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Campo Mourão - Pr
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
Liliana Carvalho
 
Porcentagem
PorcentagemPorcentagem
Porcentagem
Letinha47
 
Aula 02 - Gráficos
Aula 02 - GráficosAula 02 - Gráficos
Aula 02 - Gráficos
ProfGeoJean
 

Mais procurados (20)

Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
 
Inequações do 1º e 2º grau
Inequações do 1º e 2º grauInequações do 1º e 2º grau
Inequações do 1º e 2º grau
 
Medidas de tendencia central
Medidas de tendencia centralMedidas de tendencia central
Medidas de tendencia central
 
Moda, Média e Mediana
Moda, Média e MedianaModa, Média e Mediana
Moda, Média e Mediana
 
Slides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão GeométricaSlides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão Geométrica
 
Aula 01 introdução a estatística
Aula 01   introdução a estatísticaAula 01   introdução a estatística
Aula 01 introdução a estatística
 
Estatística básica
Estatística básicaEstatística básica
Estatística básica
 
Analise de clusters
Analise de clustersAnalise de clusters
Analise de clusters
 
Progressão aritmética
Progressão aritméticaProgressão aritmética
Progressão aritmética
 
Medidas estatísticas
Medidas estatísticasMedidas estatísticas
Medidas estatísticas
 
Interpretação de gráficos e tabelas
Interpretação de gráficos e tabelasInterpretação de gráficos e tabelas
Interpretação de gráficos e tabelas
 
Medidas de tendência central
Medidas de tendência centralMedidas de tendência central
Medidas de tendência central
 
Regressão Linear Simples
Regressão Linear SimplesRegressão Linear Simples
Regressão Linear Simples
 
Aula 12 medidas de dispersão
Aula 12   medidas de dispersãoAula 12   medidas de dispersão
Aula 12 medidas de dispersão
 
Media, moda e mediana
Media, moda e medianaMedia, moda e mediana
Media, moda e mediana
 
Aula 22 probabilidade - parte 1
Aula 22   probabilidade - parte 1Aula 22   probabilidade - parte 1
Aula 22 probabilidade - parte 1
 
Aula 07 Medidas de Tendencia Central de Dados Não Agrupados
Aula 07   Medidas de Tendencia Central de Dados Não AgrupadosAula 07   Medidas de Tendencia Central de Dados Não Agrupados
Aula 07 Medidas de Tendencia Central de Dados Não Agrupados
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
 
Porcentagem
PorcentagemPorcentagem
Porcentagem
 
Aula 02 - Gráficos
Aula 02 - GráficosAula 02 - Gráficos
Aula 02 - Gráficos
 

Mais de Regis Andrade

PARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo Fixo
PARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo FixoPARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo Fixo
PARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo Fixo
Regis Andrade
 
PARTE 1 - Consideracoes Iniciais
PARTE 1 - Consideracoes IniciaisPARTE 1 - Consideracoes Iniciais
PARTE 1 - Consideracoes Iniciais
Regis Andrade
 
CAP11 - PARTE 2 - Tendencia
CAP11 - PARTE 2 - TendenciaCAP11 - PARTE 2 - Tendencia
CAP11 - PARTE 2 - Tendencia
Regis Andrade
 
PARTE 4 - Índice Agregativo Composto
PARTE 4 - Índice Agregativo CompostoPARTE 4 - Índice Agregativo Composto
PARTE 4 - Índice Agregativo Composto
Regis Andrade
 
PARTE 3 - Indice Agregativo Simples
PARTE 3 - Indice Agregativo SimplesPARTE 3 - Indice Agregativo Simples
PARTE 3 - Indice Agregativo Simples
Regis Andrade
 
PARTE 2 - Relativo Simples
PARTE 2 - Relativo SimplesPARTE 2 - Relativo Simples
PARTE 2 - Relativo Simples
Regis Andrade
 
PARTE 1 - Conceitos - cap11
PARTE 1 - Conceitos - cap11PARTE 1 - Conceitos - cap11
PARTE 1 - Conceitos - cap11
Regis Andrade
 
PARTE 4 - Modelo Aditivo
PARTE 4 - Modelo AditivoPARTE 4 - Modelo Aditivo
PARTE 4 - Modelo Aditivo
Regis Andrade
 
PARTE 3 - Modelo Multiplicativo
PARTE 3 - Modelo MultiplicativoPARTE 3 - Modelo Multiplicativo
PARTE 3 - Modelo Multiplicativo
Regis Andrade
 
CAP7 - PARTE 1 - CONCEITOS
CAP7 - PARTE 1 - CONCEITOSCAP7 - PARTE 1 - CONCEITOS
CAP7 - PARTE 1 - CONCEITOS
Regis Andrade
 
CAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANN
CAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANNCAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANN
CAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANN
Regis Andrade
 
Cap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados Agrupados
Cap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados AgrupadosCap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados Agrupados
Cap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados Agrupados
Regis Andrade
 
Cap8 - Parte 1 - Teste Qui Um Critério
Cap8 - Parte 1 - Teste Qui Um CritérioCap8 - Parte 1 - Teste Qui Um Critério
Cap8 - Parte 1 - Teste Qui Um Critério
Regis Andrade
 
Cap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De ClassificaçãoCap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De Classificação
Regis Andrade
 
Cap9 - Parte 5 - Teste De Coeficientes
Cap9 - Parte 5 - Teste De CoeficientesCap9 - Parte 5 - Teste De Coeficientes
Cap9 - Parte 5 - Teste De Coeficientes
Regis Andrade
 
Cap10 - Parte 1 - Anova Conceitos
Cap10 - Parte 1 - Anova ConceitosCap10 - Parte 1 - Anova Conceitos
Cap10 - Parte 1 - Anova Conceitos
Regis Andrade
 
Cap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De ClassificaçãoCap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De Classificação
Regis Andrade
 
Cap9 - Parte 2 - Correlação De Pearson
Cap9 - Parte 2 - Correlação De PearsonCap9 - Parte 2 - Correlação De Pearson
Cap9 - Parte 2 - Correlação De Pearson
Regis Andrade
 
Cap9 - Parte 4 - Regressão Linear
Cap9 - Parte 4 - Regressão LinearCap9 - Parte 4 - Regressão Linear
Cap9 - Parte 4 - Regressão Linear
Regis Andrade
 
Cap9 - Parte 1 - Conceitos Inciais
Cap9 - Parte 1 - Conceitos InciaisCap9 - Parte 1 - Conceitos Inciais
Cap9 - Parte 1 - Conceitos Inciais
Regis Andrade
 

Mais de Regis Andrade (20)

PARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo Fixo
PARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo FixoPARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo Fixo
PARTE 1 - Indices Educacionais Com Tempo Fixo
 
PARTE 1 - Consideracoes Iniciais
PARTE 1 - Consideracoes IniciaisPARTE 1 - Consideracoes Iniciais
PARTE 1 - Consideracoes Iniciais
 
CAP11 - PARTE 2 - Tendencia
CAP11 - PARTE 2 - TendenciaCAP11 - PARTE 2 - Tendencia
CAP11 - PARTE 2 - Tendencia
 
PARTE 4 - Índice Agregativo Composto
PARTE 4 - Índice Agregativo CompostoPARTE 4 - Índice Agregativo Composto
PARTE 4 - Índice Agregativo Composto
 
PARTE 3 - Indice Agregativo Simples
PARTE 3 - Indice Agregativo SimplesPARTE 3 - Indice Agregativo Simples
PARTE 3 - Indice Agregativo Simples
 
PARTE 2 - Relativo Simples
PARTE 2 - Relativo SimplesPARTE 2 - Relativo Simples
PARTE 2 - Relativo Simples
 
PARTE 1 - Conceitos - cap11
PARTE 1 - Conceitos - cap11PARTE 1 - Conceitos - cap11
PARTE 1 - Conceitos - cap11
 
PARTE 4 - Modelo Aditivo
PARTE 4 - Modelo AditivoPARTE 4 - Modelo Aditivo
PARTE 4 - Modelo Aditivo
 
PARTE 3 - Modelo Multiplicativo
PARTE 3 - Modelo MultiplicativoPARTE 3 - Modelo Multiplicativo
PARTE 3 - Modelo Multiplicativo
 
CAP7 - PARTE 1 - CONCEITOS
CAP7 - PARTE 1 - CONCEITOSCAP7 - PARTE 1 - CONCEITOS
CAP7 - PARTE 1 - CONCEITOS
 
CAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANN
CAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANNCAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANN
CAP9 - PARTE 3 - CORRELAÇÃO DE SPEARMANN
 
Cap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados Agrupados
Cap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados AgrupadosCap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados Agrupados
Cap2 - Parte 5 - Medidas Para Dados Agrupados
 
Cap8 - Parte 1 - Teste Qui Um Critério
Cap8 - Parte 1 - Teste Qui Um CritérioCap8 - Parte 1 - Teste Qui Um Critério
Cap8 - Parte 1 - Teste Qui Um Critério
 
Cap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De ClassificaçãoCap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 3 - Anova Dois Caminho De Classificação
 
Cap9 - Parte 5 - Teste De Coeficientes
Cap9 - Parte 5 - Teste De CoeficientesCap9 - Parte 5 - Teste De Coeficientes
Cap9 - Parte 5 - Teste De Coeficientes
 
Cap10 - Parte 1 - Anova Conceitos
Cap10 - Parte 1 - Anova ConceitosCap10 - Parte 1 - Anova Conceitos
Cap10 - Parte 1 - Anova Conceitos
 
Cap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De ClassificaçãoCap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De Classificação
Cap10 - Parte 2 - Anova Um Caminho De Classificação
 
Cap9 - Parte 2 - Correlação De Pearson
Cap9 - Parte 2 - Correlação De PearsonCap9 - Parte 2 - Correlação De Pearson
Cap9 - Parte 2 - Correlação De Pearson
 
Cap9 - Parte 4 - Regressão Linear
Cap9 - Parte 4 - Regressão LinearCap9 - Parte 4 - Regressão Linear
Cap9 - Parte 4 - Regressão Linear
 
Cap9 - Parte 1 - Conceitos Inciais
Cap9 - Parte 1 - Conceitos InciaisCap9 - Parte 1 - Conceitos Inciais
Cap9 - Parte 1 - Conceitos Inciais
 

Último

28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 

Último (20)

VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 

Cap1 - Parte 1 - Variáveis

  • 1. Ensino de EstatísticaEnsino de Estatística Prof. Gercino Monteiro FilhoProf. Gercino Monteiro Filho
  • 3. Divisão da EstatísticaDivisão da Estatística Delineamento de uma pesquisa;Delineamento de uma pesquisa; Coleta dos dados;Coleta dos dados; Apuração dos dados;Apuração dos dados; Apresentação;Apresentação; Cálculos de medidas;Cálculos de medidas; Análise dos dados;Análise dos dados; Conclusão de seus resultados.Conclusão de seus resultados.
  • 4. Delineamento de uma pesquisaDelineamento de uma pesquisa Delinear uma pesquisa éDelinear uma pesquisa é proceder todas as formalidadesproceder todas as formalidades para que seja executada compara que seja executada com toda segurança reduzindo o riscotoda segurança reduzindo o risco de ocorrências de detalhes parade ocorrências de detalhes para prejudicar a sua execução.prejudicar a sua execução.
  • 5. Delineamento de uma pesquisaDelineamento de uma pesquisa Definir a população;Definir a população; Caracterizar cada uma das variáveis aCaracterizar cada uma das variáveis a serem avaliadas;serem avaliadas; Estabelecer o tamanho da amostra;Estabelecer o tamanho da amostra; Criar datas para a sua execução;Criar datas para a sua execução; Criar formas de coletas da amostra;Criar formas de coletas da amostra; Definir os modelos matemáticos deDefinir os modelos matemáticos de análise.análise.
  • 6. Principio Fundamental daPrincipio Fundamental da Estatística.Estatística. O principio fundamental daO principio fundamental da estatística é o de fazer estudoestatística é o de fazer estudo sucinto, completo e detalhadosucinto, completo e detalhado das variáveis criadas por umdas variáveis criadas por um pesquisador no intuito de tirarpesquisador no intuito de tirar conclusões eficazes da pesquisaconclusões eficazes da pesquisa proposta.proposta.
  • 7. VariáveisVariáveis Considere o exemplo:Considere o exemplo: Pesquisa:Pesquisa: Avaliar o estado de saúde deAvaliar o estado de saúde de crianças que sofreram acidentescrianças que sofreram acidentes domésticos.domésticos. (Dra. Karine – 2003(Dra. Karine – 2003 Goiânia)Goiânia)
  • 8. Nesta pesquisa, a Dra. Karine criouNesta pesquisa, a Dra. Karine criou as seguintes variáveis:as seguintes variáveis: Idade da criança;Idade da criança; Sexo da criança;Sexo da criança; Idade do pai;Idade do pai; Idade da mãe;Idade da mãe; Acompanhante no momento doAcompanhante no momento do acidente;acidente;
  • 9. Variáveis Dra. Karine – Cont.Variáveis Dra. Karine – Cont. Local do acidente;Local do acidente; Tipo de acidente;Tipo de acidente; Número de lesões sofridas;Número de lesões sofridas; Tipo de lesão;Tipo de lesão; Dia da semana do acidente;Dia da semana do acidente; Período do dia.Período do dia.
  • 10. Formas de Classificar umaFormas de Classificar uma variávelvariável Por valor;Por valor; Por forma de obtenção;Por forma de obtenção; Por participação na pesquisa.Por participação na pesquisa.
  • 12. Idade da criançaIdade da criança –– É uma variável pelo qualÉ uma variável pelo qual cada um de seus resultados écada um de seus resultados é um número e alem do maisum número e alem do mais quando observados foramquando observados foram avaliados através de umaavaliados através de uma medida (cronômetro);medida (cronômetro);
  • 13. Sexo da criançaSexo da criança É uma variável cujos únicosÉ uma variável cujos únicos valores são:valores são: masculino e femininomasculino e feminino e assim é não-numérico;e assim é não-numérico;
  • 14. Idade do paiIdade do pai // Idade da mãeIdade da mãe Mesmo comentário da idade daMesmo comentário da idade da criança;criança;
  • 15. Acompanhante no momento doAcompanhante no momento do acidenteacidente Seus valores são as pessoas queSeus valores são as pessoas que no momento do acidente era(m)no momento do acidente era(m) a(s) responsável pela criança ea(s) responsável pela criança e assim é uma variável não-assim é uma variável não- numérica.numérica.
  • 16. Local do acidenteLocal do acidente seus valores possíveis são:seus valores possíveis são: Casa; escola; rua;Casa; escola; rua; praça; clube de lazer, etcpraça; clube de lazer, etc e então é uma variável não-e então é uma variável não- numérica;numérica;
  • 17. Tipo de acidenteTipo de acidente Seus valores são:Seus valores são: Queda, queimadura, transito,Queda, queimadura, transito, afogamento etcafogamento etc E trata-se de uma variávelE trata-se de uma variável não-numérica;não-numérica;
  • 18. Número de lesões sofridasNúmero de lesões sofridas É uma variável numérica peloÉ uma variável numérica pelo qual quando de sua avaliação équal quando de sua avaliação é obtida através deobtida através de contagemcontagem
  • 19. Tipo de lesãoTipo de lesão Seus valores possíveis são:Seus valores possíveis são: Fratura, queimadura,Fratura, queimadura, ingestão de objeto estranho, etcingestão de objeto estranho, etc Trata-se de uma variável não-Trata-se de uma variável não- numérica;numérica;
  • 20. Dia da semana do acidenteDia da semana do acidente É uma variável não-numérica;É uma variável não-numérica;
  • 21. Período do diaPeríodo do dia Seus valores possíveis são:Seus valores possíveis são: Manhã, tarde, noiteManhã, tarde, noite É uma variável não-numéricaÉ uma variável não-numérica
  • 22. Classificação de variáveis, porClassificação de variáveis, por valor em uma pesquisa.valor em uma pesquisa. Percebe-se, pelo exemploPercebe-se, pelo exemplo acima que existe umaacima que existe uma classificação pela grandeza declassificação pela grandeza de seus valores, esta divisão foiseus valores, esta divisão foi criada devido ao fato de que,criada devido ao fato de que, quando analisados, os modelosquando analisados, os modelos matemáticos não são os mesmos.matemáticos não são os mesmos.
  • 23. Classificação de variáveis, porClassificação de variáveis, por valor em uma pesquisa.valor em uma pesquisa. Numérica – Conhecida porNumérica – Conhecida por QUANTITATIVAQUANTITATIVA;; Não-numérica – Conhecida porNão-numérica – Conhecida por QUALITATIVA.QUALITATIVA.
  • 24. Variáveis NuméricasVariáveis Numéricas Existem dois tipos a saber:Existem dois tipos a saber: Discreta:Discreta: Quando seus únicosQuando seus únicos valores são do tipo inteira;valores são do tipo inteira; Contínua:Contínua: Pode assumir valoresPode assumir valores quaisquer dentro de um intervaloquaisquer dentro de um intervalo real.real.
  • 25. Variáveis DiscretasVariáveis Discretas RestritaRestrita – Assume poucos– Assume poucos valores distintos entre si;valores distintos entre si; Não-RestritaNão-Restrita – caso contrário da– caso contrário da Restrita.Restrita.
  • 26. Variáveis QualitativasVariáveis Qualitativas OrdinalOrdinal – quando existe uma– quando existe uma ordem de grandeza entre seusordem de grandeza entre seus diversos valores;diversos valores; Não-OrdinalNão-Ordinal – Quando não for– Quando não for possível classifica-la porpossível classifica-la por grandeza de ordem.grandeza de ordem.
  • 27. ExemploExemplo Avaliando as variáveis daAvaliando as variáveis da pesquisa anterior (Dra. Karine)pesquisa anterior (Dra. Karine) tem-se que:tem-se que:
  • 28. Idade da criança;Idade da criança; É uma variável numérica e real;É uma variável numérica e real; Sexo da criançaSexo da criança É uma variável nominal;É uma variável nominal; (não-ordinal);(não-ordinal); Idade do paiIdade do pai É uma variável numérica e real;É uma variável numérica e real; Idade da mãeIdade da mãe É uma variável numérica e realÉ uma variável numérica e real
  • 29. Acompanhante no momento doAcompanhante no momento do acidenteacidente É uma variável qualitativaÉ uma variável qualitativa (Não-ordinal);(Não-ordinal); Local do acidenteLocal do acidente É uma variável qualitativaÉ uma variável qualitativa (Não-ordinal);(Não-ordinal); Tipo de acidenteTipo de acidente É uma variável qualitativa NãoÉ uma variável qualitativa Não Ordinal.Ordinal.
  • 30. Número de lesões sofridasNúmero de lesões sofridas –– É uma variável numérica DiscretaÉ uma variável numérica Discreta (inteira);(inteira); Alem do mais é restrita devido aoAlem do mais é restrita devido ao fato de em um mesmo acidente umafato de em um mesmo acidente uma mesma pessoa não tem anomalia emmesma pessoa não tem anomalia em uma quantia grande de locais;uma quantia grande de locais;
  • 31. Tipo de lesãoTipo de lesão É uma variável qualitativa não-É uma variável qualitativa não- ordinalordinal Dia da semana do acidenteDia da semana do acidente É uma variável qualitativa ordinalÉ uma variável qualitativa ordinal Período do diaPeríodo do dia É uma variável qualitativa ordinalÉ uma variável qualitativa ordinal
  • 32. Classificação de uma variávelClassificação de uma variável quanto à forma de obtençãoquanto à forma de obtenção IndependentesIndependentes –– É o caso em que aÉ o caso em que a população é dividida em sub-populaçõespopulação é dividida em sub-populações (GRUPOS) onde cada elemento pertence a(GRUPOS) onde cada elemento pertence a um único destes grupos;um único destes grupos; PareadasPareadas –– Neste caso as variáveis sãoNeste caso as variáveis são obtidas de elementos do mesmo grupo,obtidas de elementos do mesmo grupo, porem com alguma característica que asporem com alguma característica que as diferencie.diferencie.
  • 33. Classificação de uma variávelClassificação de uma variável quanto à objetivo na pesquisaquanto à objetivo na pesquisa CONCLUSIVACONCLUSIVA –– São aquelas pelasSão aquelas pelas quais irá tirar conclusões;quais irá tirar conclusões; FATORESFATORES –– Aquelas pelos quaisAquelas pelos quais acredita possa contribuir com o resultadoacredita possa contribuir com o resultado da conclusiva;da conclusiva; BALANCEAMENTOBALANCEAMENTO –– Aquelas pelosAquelas pelos quais deseja possuírem valores identicosquais deseja possuírem valores identicos em cada grupoem cada grupo
  • 34. Conceitos sobre variáveisConceitos sobre variáveis FIMFIM