SlideShare uma empresa Scribd logo
REPÚBLICA OLIGÁRQUICA
QUESTÕES SOCIAIS E POLÍTICAS
1. República velha (1889 – 1930)
Rupturas (transformações):
o Estado laico, Presidencialismo, Federalismo.
o Tripartição dos poderes, ampliação do voto.
Continuidades (permanências):
o Poder com as oligarquias (coronéis).
o Exclusão social e política.
o Latifúndios, monocultura, agroexportação.
2. Estruturas da República Velha (oligárquica)
Bases
República
Velha
Coronelismo
Café com leite
Política dos
Governadores
3. República oligárquica (1894 – 1930)
Prudente de Morais (1894 – 1898):
o Primeiro civil eleito representando os cafeicultores.
o Conciliador e pacificador de conflitos e tensões.
o Fim da censura e do estado de sítio.
o Forças militares reprimiam os movimentos sociais.
o Governou pressionado pelas heranças autoritárias
dos florianistas e pelos cafeicultores no poder.
Dom Quixote
(Ângelo Agostini)
Contexto favorável ao Coronelismo:
Presidencialismo de coalizão:
o Constituição não garantia o direito à educação.
o Estados e oligarquias eram as engrenagens das
estruturas políticas, econômicas e sociais.
o O poder Executivo era mantido de conforme a
capacidade do governante de lidar com interesses,
conveniências e poder dos membros do Legislativo.
4. Bases da República oligárquica:
Coronelismo (Coronel: patente da Guarda Nacional):
o Poder do Coronel (proprietário de terra e de gente).
o Curral eleitoral, cabresto, manipulação, fraudes.
Mandonismo:
o Controle da população pobre pelos coronéis.
o Fazendeiro passava a ter poder de polícia.
Clientelismo:
o Cargos, favorecimentos, benefícios, vantagens.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Voto de cabresto
(Storni – Revista Careta)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
VESTIBULANDO:
(ESPM) O coronelismo foi um dos mais característicos
fenômenos sociais e políticos da República Velha. Suas raízes
se encontram no Império, mas sua forma mais genuína foi fruto do
entrelaçamento de modernas instituições – como o voto universal –
com as arcaicas estruturas da grande propriedade rural e seus
interesses particulares. (Leonel Itaussu)
Aponte a alternativa que apresente atributos do coronelismo:
a) O poder político local ligado a um sistema econômico agroindustrial e urbano.
b) O poder político centralizado e o desenvolvimento urbano e industrial.
c) O poder político local ligado à economia essencialmente agroexportadora.
d) O poder político centralizado e economia essencialmente agroexportadora.
e) O poder político militarizado e um sistema econômico agroindustrial e urbano.
Café com Leite:
o Revezamento político entre os Estados de São
Paulo (PRP) e Minas Gerais (PRM).
o Mais eleitores e maior bancada no Congresso.
o As oligarquias dos dois Estados dirigiam a política
nacional garantindo a Política dos Governadores.
o Quando os eleitos não eram de tais Estados, eram
apoiados por eles excluindo os demais.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Donos do poder
(Storni – Revista Careta)
República e política dos governadores:
o Vontade dos estados era a vontade da nação.
o Poder sobre o controle das oligarquias.
o Acordo e alianças: municípios, estados, federação.
o Revezamento político entre paulistas e mineiros.
o Tributos de exportações cobrados pelos estados.
o Tributos de importações cobrados pela União.
Acordos entre Executivo nacional e estadual:
o Conflitos locais devem ficar na esfera regional.
o A soberania regional era da competência local.
o Fraudes sistemáticas: voto a bico de pena, mortos
votando, contagens manipuladas.
Comissão Verificadora de Poderes:
o Exigências e constrangimentos para dificultar posse.
o Aprovar, vetar, degolar candidatos eleitos.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
VESTIBULANDO: (FUVEST)
A charge satiriza uma prática eleitoral presente no Brasil da
chamada “Primeira República”.
Tal prática revelava a:
a) Ignorância, por parte dos eleitores, dos rumos políticos do país,
tornando eleitores adeptos de ideologias políticas nazifascistas.
b) Ausência de autonomia dos eleitores e sua fidelidade forçada a
alguns políticos, as quais limitavam o direito de escolha e
demonstravam a fragilidade das instituições republicanas.
c) Restrições provocada pelo voto censitário, que limitava o
direito de participação política a quem possuía certo número de
animais.
d) Facilidade de acesso à informação e propaganda política,
permitindo, aos eleitores, a rápida identificação dos candidatos
que defendiam a soberania nacional das ameaças estrangeiras.
e) Ampliação do direito de voto trazida pela República, que
incluía analfabetos e facilitou a manipulação por políticos
inescrupulosos.
5. Movimentos sociais da República Velha
Exclusão social e política:
o Concentração de poder e riquezas nas mãos das
oligarquias, excluindo os mais pobres.
o Não haviam políticas públicas de investimentos
em benefícios sociais: educação, saúde, trabalho.
o Grande parcela da população vivia excluída e na
marginalidade social e política.
OS RETIRANTES – PORTINARI
PREPARANDO O ENTERRO NA REDE / PORTINARI
7. Revolta de Canudos (1896/1897)
Presidente: Prudente de Morais (1894/1898)
o Crise no açúcar: desemprego, fome, miséria.
o Movimento social rural ocorrido no sertão da
Bahia, liderado pelo beato Antônio Conselheiro,
os sertanejos buscavam terra, trabalho e comida.
o Fanatismo, misticismo, forte conteúdo religioso:
messianismo (juízo final, monarquia celestial,
sebastianismo).
Contexto e características:
o Coronelismo e concentração de terras.
o Exclusão social e política dos sertanejos.
o Os impostos e o registro civil irritaram Antônio
Conselheiro, acusado de louco e fanático.
o Conselheiro e milhares de seguidores fugiam da
miséria em busca de uma vida melhor.
Imaginário e componentes da tragédia:
o A liderança religiosa de Conselheiro e a fuga de
fiéis contrariavam a Igreja Católica.
o Promessa de uma vida coletiva e abundante.
o “O sertão vai virar mar e o mar vai virar sertão”.
o “Haverá fartura de cuscuz, leite e favos de mel”.
o Uma carga de madeira não entregue provocou o
início do conflito.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Consequências:
o Coronéis, Igreja e Exército uniram – se.
o Foram 04 campanhas do Exército com uso de
tropas federais e de armamento pesado.
o A resistência dos sertanejos desmoralizou o
Exército, que usou violência e degola.
o Apesar da derrota, 25 mil mortos, Canudos
tornou – se um símbolo de luta pela terra.
“ Canudos não se rendeu.
Resistiu até o esgotamento completo.
Caiu no dia 5, quando caíram seus
últimos defensores. Eram quatro
apenas: um velho, dois homens
feitos e uma criança, na frente
dos quais rugiam cinco mil
ferozes soldados.”
(Euclides da Cunha – Os Sertões)
VESTIBULANDO: (UFSC) Segundo a revista VEJA, José Rainha, líder do
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, “ameaça criar no
interior de São Paulo um acampamento gigantesco como o de
Canudos, instalado há um século por Antônio Conselheiro”. (VEJA.
São Paulo). Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) a respeito da
Guerra de Canudos, movimento a que se refere José Rainha:
01. Antônio Conselheiro foi um dos líderes da Guerra dos Canudos,
que ocorreu no interior de São Paulo no início da República.
02. A Guerra dos Canudos teve em sua origem, entre outros fatores,
o empobrecimento da região nordestina. Ali, desde o período
colonial, predominavam o minifúndio e a pequena empresa
industrial cuja produção se destinava ao mercado interno.
04. No final do século XIX, secas prolongadas atingiram o sertão
nordestino, agravando as péssimas condições de vida das
pessoas pobres.
08. O beato Antônio Conselheiro percorreu o sertão nordestino,
com um grupo de seguidores que levavam um oratório, rezando
e fazendo caridade. Arrebanhou grande número de seguidores.
16. Antônio Conselheiro e seus seguidores se fixaram em
Canudos, no sertão da Bahia. A então chamada Cidade Santa
atraiu milhares de sertanejos. Acusados de fanáticos e
monarquistas, foram atacados pelas forças do governo.
Revolta da Vacina – RJ (1904):
Presidente: Rodrigues Alves (1902/1906):
Contexto, causas e características:
o O Rio de Janeiro, em condições precárias de
higiene e saúde, era afetado por epidemias de
sarampo, tuberculose, febre amarela e varíola.
o A população morava em cortiços e barracos, em
situação precária: miséria e fome.
Personagens e eclosão do conflito:
o Presidente Rodrigues Alves, Prefeito Pereira Passos,
Dr. Oswaldo Cruz propuseram sanear e urbanizar o
Rio de Janeiro: esgoto, água encanada.
o Alargamento de ruas, derrubada de cortiços, bota fora
e a desratização jogaram pessoas nas ruas e nos
morros (favelas), causando revolta.
o Medida polêmica: vacinação obrigatória contra a
varíola com exigência de comprovação.
RODRIGUES ALVES
OSWALDO CRUZ
O combate à peste bubônica foi feito por um esquadrão de 50
homens, que espalhavam raticida e recolhiam o lixo. Para
combater a pulga do rato, surgiu o comprador de ratos, que
pagava 300 réis por rato. No combate à febre amarela foram
criadas as brigadas “mata – mosquitos” que invadiam as casas,
interditavam locais contaminados e obrigavam a população à
vacinação. Foi criada uma lei que exigia comprovação de
vacinação para escolas, empregos, viagens, hospedagem e
casamentos, além de multa para quem não tomasse a vacina.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Detalhes do conflito:
o João Capoeira, Pata Preta, Beiço de Prata.
o Operários anarquistas participaram do movimento
contra a autoridade do Estado.
o Bondes virados, trilhos arrancados, depredações.
o Violência e repressão na contenção da revolta.
o Saldo: 30 mortos, 110 feridos, 461 deportações.
o Houve redução nas contaminações e mortes.
VESTIBULANDO:
(ENEM) A imagem representa manifestações nas ruas
da cidade do Rio de Janeiro, na primeira década do
século XX, que integraram a Revolta da Vacina.
Considerando o contexto político-social da época,
essa revolta revela:
a) A insatisfação da população com os benefícios de uma
modernização urbana autoritária.
b) A consciência da população pobre sobre a necessidade
de vacinação para a erradicação das epidemias.
c) A garantia da democracia instaurada na República com a
defesa da liberdade de expressão da população.
d) O planejamento do governo republicano na área de
saúde, que abrangia a população em geral.
e) O apoio ao governo republicano pela atitude de vacinar
toda a população em vez de privilegiar a elite.
Revolta da Chibata – RJ (1910)
Presidente: Hermes da Fonseca (1910/1914)
Contexto, causas e características:
o O marinheiro João Cândido liderou um motim
contra o rígido código disciplinar da marinha, os
maus tratos e a péssima alimentação.
o Foi símbolo de resistência contra a opressão.
o Navios de guerra foram tomados.
Detalhes do conflito:
o O marinheiro Marcelino Menezes foi condenado por
decoro a 250 chibatadas indignando os marinheiros.
o Marinheiros amotinaram – se, tomaram os navios,
mataram o comandante, exigindo fim dos maus tratos.
o João Cândido: líder, profissional, chamou a atenção.
o Houve repressão, negociações, marinheiros mortos,
exilados, anistiados e o código disciplinar foi revisto.
o João Cândido internado no Hospital dos Alienados.
JOÃO CÂNDIDO
ALMIRANTE NEGRO
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Revolta ou Sedição do Juazeiro – CE (1914):
Presidente: Hermes da Fonseca (1910 – 1914):
Política das Salvações:
o Intervenção federal nos estados para garantir o
poder de oligarquias aliadas.
o A intervenção tirou do poder Antônio Acioli
(poderoso no Ceará) e colocou Franco Rabelo
como interventor.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Contexto, causas e características:
“Guerra santa” X “forças do mal”:
o Fome, desemprego, miséria, falta de terras.
o Ambiente de fanatismo religioso, Padre Cícero,
milagreiro e político, de grande popularidade.
o Padre Cícero (Prefeito de Juazeiro e Deputado
Federal), Floro Bartolomeu (político e médico),
sertanejos pobres, jagunços apoiaram o Pacto dos
Coronéis que garantiria a volta dos Acioli ao poder.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Os coronéis, aliados da família Acioli,
foram buscar o apoio do padre Cícero,
muito querido e venerado entre as
camadas populares. O padre foi
convencido a incentivar as pessoas a
darem apoio e participarem da
revolta. Liderados pelo padre Cícero,
os sertanejos lutaram contra as forças
do governo central. A revolta foi
violenta, resultando em muitas
mortes. O governo federal resolveu
ceder, indicou Setembrino de
Carvalho como interventor, depois
devolveu o poder à família Acioli.
Guerra do Contestado – PR/SC (1912 – 1916):
Presidente: Hermes da Fonseca (1910/1914):
Presidente: Venceslau Brás (1914/1918):
o Conflito rural ocorrido na fronteira do Paraná com
Santa Catarina numa área rica em mate e madeira,
disputada pelos dois Estados.
o Envolveu coronéis, posseiros, sertanejos pobres,
governo e as forças federais e estaduais.
A região fronteiriça entre os estados
do Paraná e Santa Catarina recebeu o
nome de Contestado devido ao fato de os
agricultores terem contestado a doação que o
governo brasileiro fez aos madeireiros e à
Southern Brazil Lumber & Colonization Company,
região de muitos conflitos e disputas de limites
entre os dois estados brasileiros.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Contexto, causas e características:
o Ferrovia foi construída entre São Paulo e Rio Grande
do Sul pela Brazil Raiway com apoio dos coronéis e
dos governos federal e de Paraná e Santa Catarina.
o Grande área foi desapropriada para a ferrovia.
o A South Lumber foi autorizada a explorar madeira.
o Famílias de posseiros perderam suas terras.
o Clima tenso com sem – terra e sem emprego.
Misticismo e messianismo:
o José Maria, religioso do município catarinense de
Curitibanos, fundou uma comunidade que agregava
camponeses expulsos de suas terras pelas empresas.
o Em 1912, José Maria e seus camponeses dirigiram – se
para Palmas, Paraná, onde tropas paranaenses os
reprimiram, matando José Maria.
o Em 1913 “visões” de José Maria reacenderam e
ampliaram o conflito, com milhares de sertanejos.
Exército “encantado” e a Guerra dos Pelados:
o Movidos pelo misticismo, os sertanejos lutavam
por uma “Monarquia Celestial”.
o A repressão foi violenta com pesada artilharia e o
uso da aviação matando milhares de sertanejos.
o Contestado foi anexado a Santa Catarina.
o A luta dos sertanejos representou uma reação
contra a exclusão social e os abusos de poder.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
VESTIBULANDO: (UEL PR) Em 1912, José Maria, um beato e curandeiro de ervas,
liderou um movimento de sertanejos entre os estados do Paraná e Santa Catarina, o
Contestado, que persistiu até ser esmagado violentamente em 1916 por tropas
governamentais. Sobre o Contestado é correto afirmar:
a) Os sertanejos consideravam a República usurpadora e adotavam o ideal
comunitário de vida, defendendo um mundo fraterno e a distribuição das terras
que o Governo havia concedido a uma companhia ferroviária estrangeira.
b) Os posseiros das terras contestadas combatiam as práticas religiosas tradicionais
como o casamento e as procissões.
c) Como na revolta de Canudos, os sertanejos do Contestado desejavam a
intervenção do Estado Republicano na saúde e na educação comunitária.
d) O movimento inspirou-se nas revoltas dos camponeses durante a Revolução
Francesa e atacou os símbolos da ação governamental, como os cartórios e as
câmaras municipais.
e) Os sertanejos receberam o decisivo apoio dos setores intelectuais adeptos da
difusão das ideias racistas no Brasil.
Movimento operário – início do séc. XX:
o A Primeira Guerra Mundial favoreceu o surto
industrial no Brasil.
o Com as indústrias surgiu o movimento operário.
o As péssimas condições de trabalho favoreceram a
formação dos Sindicatos e as greves.
o Trabalho infantil, jornadas extensas, castigos,
insalubridade, periculosidade, acidentes.
o Muitos deveres nenhum direito trabalhista.
OPERÁRIOS / TARSILA DO AMARAL
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Greve, caso de polícia:
o Operários de São Paulo, Ribeirão Preto, Santos e
Campinas organizaram a primeira greve (1907).
o Construção civil, alimentação, metalurgia, têxtil,
gráficos, calçados: setores unidos na greve.
o O governo reprimia violentamente a “desordem”.
o Conquistas transformadas em leis não cumpridas.
o Leis sobre acidentes de Trabalho, Aposentadorias
e Pensões.
A resistência operária e o anarcossindicalismo:
o Sindicatos, greves e boicotes se espalhavam.
o Imigrantes socialistas e anarquistas participavam.
o A Lei Adolfo Gordo autorizava a deportação de
imigrantes “desordeiros”.
Greve geral de 1917:
o Os anarcossindicalistas pararam São Paulo e
envolveu operários e marginalizados.
o Houve confrontos entre policiais e grevistas.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Cangaço ou banditismo social (início séc. XX):
o Jagunços criaram os bandos de cangaceiros:
Cabeleira, Capitão Silvino, Corisco, Lampião.
o Atacavam cidades, vilas, fazendas.
o Resultado da exclusão social: fome, miséria, seca,
desemprego, da manipulação política e da guerra
entre as oligarquias.
o A repressão exterminou o Cangaço.
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
O médico legista
Charles Pittex segura as
cabeças mumificadas
de Lampião e Maria
Bonita, elas ficaram
expostas por muitos
anos na Faculdade de
Medicina da Bahia.
(foto de 1939)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)
Edenilson Morais
 
República da espada
República da espadaRepública da espada
República da espada
dmflores21
 
O Fascismo
O FascismoO Fascismo
O Fascismo
Sérgio Bernardo
 
18. unificações tardias
18. unificações tardias18. unificações tardias
18. unificações tardias
José Augusto Fiorin
 
Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)
João Marcelo
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
dmflores21
 
Neocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou ImperialismoNeocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou Imperialismo
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
A Inconfidência Mineira
A Inconfidência MineiraA Inconfidência Mineira
A Inconfidência Mineira
Isa124
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Paulo Alexandre
 
Brasil república (oligárquica) questões sociais parte ii
Brasil república (oligárquica) questões sociais parte iiBrasil república (oligárquica) questões sociais parte ii
Brasil república (oligárquica) questões sociais parte ii
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
dmflores21
 
Revolução federalista
Revolução federalistaRevolução federalista
Revolução federalista
Jéssica Domaszak
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
Yara Ribeiro
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
Daniel Alves Bronstrup
 
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
João Medeiros
 
Os estados unidos no século xix e imperialismo
Os estados unidos no século xix e imperialismo Os estados unidos no século xix e imperialismo
Os estados unidos no século xix e imperialismo
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
República velha
República velhaRepública velha
Guerra do contestado
Guerra do contestadoGuerra do contestado
Guerra do contestado
Sandrakonkel
 

Mais procurados (20)

Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
 
Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)
 
República da espada
República da espadaRepública da espada
República da espada
 
O Fascismo
O FascismoO Fascismo
O Fascismo
 
18. unificações tardias
18. unificações tardias18. unificações tardias
18. unificações tardias
 
Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
 
Neocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou ImperialismoNeocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou Imperialismo
 
A Inconfidência Mineira
A Inconfidência MineiraA Inconfidência Mineira
A Inconfidência Mineira
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Brasil república (oligárquica) questões sociais parte ii
Brasil república (oligárquica) questões sociais parte iiBrasil república (oligárquica) questões sociais parte ii
Brasil república (oligárquica) questões sociais parte ii
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
 
Revolução federalista
Revolução federalistaRevolução federalista
Revolução federalista
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
 
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
 
Os estados unidos no século xix e imperialismo
Os estados unidos no século xix e imperialismo Os estados unidos no século xix e imperialismo
Os estados unidos no século xix e imperialismo
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
Guerra do contestado
Guerra do contestadoGuerra do contestado
Guerra do contestado
 

Semelhante a Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)

República Velha
República  VelhaRepública  Velha
República Velha
dayanbotelho2
 
Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...
Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...
Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...
Prefeitura de São Paulo
 
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplicaTopico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Atividades Diversas Cláudia
 
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplicaTopico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Atividades Diversas Cláudia
 
2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha
Daniel Alves Bronstrup
 
A REPÚBLICA VELHA.pptx
A REPÚBLICA VELHA.pptxA REPÚBLICA VELHA.pptx
A REPÚBLICA VELHA.pptx
GermanoEsteves1
 
Republica Velha Brasil
Republica Velha BrasilRepublica Velha Brasil
Republica Velha Brasil
Gustavo Lopes de Faria
 
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
wladimir1aguiar
 
brasil republica.pdf
brasil republica.pdfbrasil republica.pdf
brasil republica.pdf
rickelmysilva1
 
Hist_ria2b_TB.pdf
Hist_ria2b_TB.pdfHist_ria2b_TB.pdf
Hist_ria2b_TB.pdf
GustavoPontes24
 
2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo
MARIANO C7S
 
A república velha
A república velhaA república velha
A república velha
Manu Dalk
 
Rebeliões na República Velha (1889-1930)
Rebeliões na República Velha (1889-1930)Rebeliões na República Velha (1889-1930)
Rebeliões na República Velha (1889-1930)
Edenilson Morais
 
Revoltas na república velha . 97.2003
Revoltas na república velha . 97.2003Revoltas na república velha . 97.2003
Revoltas na república velha . 97.2003
Odairdesouza
 
Reepublica velha revoltas.filé
Reepublica velha revoltas.filéReepublica velha revoltas.filé
Reepublica velha revoltas.filé
mundica broda
 
História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leite
Rafael Noronha
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
Araribá slides 9ano.pdf para os alunos do medio
Araribá slides 9ano.pdf para os alunos do medioAraribá slides 9ano.pdf para os alunos do medio
Araribá slides 9ano.pdf para os alunos do medio
DomingasMariaRomao
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
Diego Bian Filo Moreira
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
Daniel Alves Bronstrup
 

Semelhante a Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas) (20)

República Velha
República  VelhaRepública  Velha
República Velha
 
Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...
Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...
Slides sobre a República Velha incluindo as revoltas, greve de 1927, Cangaço,...
 
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplicaTopico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
 
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplicaTopico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
 
2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha
 
A REPÚBLICA VELHA.pptx
A REPÚBLICA VELHA.pptxA REPÚBLICA VELHA.pptx
A REPÚBLICA VELHA.pptx
 
Republica Velha Brasil
Republica Velha BrasilRepublica Velha Brasil
Republica Velha Brasil
 
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
 
brasil republica.pdf
brasil republica.pdfbrasil republica.pdf
brasil republica.pdf
 
Hist_ria2b_TB.pdf
Hist_ria2b_TB.pdfHist_ria2b_TB.pdf
Hist_ria2b_TB.pdf
 
2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo
 
A república velha
A república velhaA república velha
A república velha
 
Rebeliões na República Velha (1889-1930)
Rebeliões na República Velha (1889-1930)Rebeliões na República Velha (1889-1930)
Rebeliões na República Velha (1889-1930)
 
Revoltas na república velha . 97.2003
Revoltas na república velha . 97.2003Revoltas na república velha . 97.2003
Revoltas na república velha . 97.2003
 
Reepublica velha revoltas.filé
Reepublica velha revoltas.filéReepublica velha revoltas.filé
Reepublica velha revoltas.filé
 
História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leite
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Araribá slides 9ano.pdf para os alunos do medio
Araribá slides 9ano.pdf para os alunos do medioAraribá slides 9ano.pdf para os alunos do medio
Araribá slides 9ano.pdf para os alunos do medio
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 

Mais de Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia

Iluminismo 2021
Iluminismo 2021Iluminismo 2021
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistasBrasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917Revolução Russa de 1917
Islamismo 2021
Islamismo 2021Islamismo 2021
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil Mineração (século XVIII)
Brasil  Mineração (século XVIII)Brasil  Mineração (século XVIII)
Brasil Mineração (século XVIII)
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Ideologias do século XIX
Ideologias do século XIXIdeologias do século XIX
Brasil pré-colonial e colonial.
Brasil pré-colonial e colonial.Brasil pré-colonial e colonial.
Brasil pré-colonial e colonial.
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021
Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021
Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Mundo Primitivo-2021
Mundo Primitivo-2021Mundo Primitivo-2021
Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020
Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020
Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 

Mais de Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia (20)

Iluminismo 2021
Iluminismo 2021Iluminismo 2021
Iluminismo 2021
 
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
 
Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021
 
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
 
Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
 
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistasBrasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
 
Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917
 
Islamismo 2021
Islamismo 2021Islamismo 2021
Islamismo 2021
 
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
 
Brasil Mineração (século XVIII)
Brasil  Mineração (século XVIII)Brasil  Mineração (século XVIII)
Brasil Mineração (século XVIII)
 
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
 
Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021
 
Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.
 
Ideologias do século XIX
Ideologias do século XIXIdeologias do século XIX
Ideologias do século XIX
 
Brasil pré-colonial e colonial.
Brasil pré-colonial e colonial.Brasil pré-colonial e colonial.
Brasil pré-colonial e colonial.
 
Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021
Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021
Brasil pré colonial: Povos indígenas 2021
 
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
 
Mundo Primitivo-2021
Mundo Primitivo-2021Mundo Primitivo-2021
Mundo Primitivo-2021
 
Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020
Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020
Pré colombianos: Maias, Astecas, Incas 2020
 

Último

Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)

  • 2. 1. República velha (1889 – 1930) Rupturas (transformações): o Estado laico, Presidencialismo, Federalismo. o Tripartição dos poderes, ampliação do voto. Continuidades (permanências): o Poder com as oligarquias (coronéis). o Exclusão social e política. o Latifúndios, monocultura, agroexportação.
  • 3. 2. Estruturas da República Velha (oligárquica) Bases República Velha Coronelismo Café com leite Política dos Governadores
  • 4. 3. República oligárquica (1894 – 1930) Prudente de Morais (1894 – 1898): o Primeiro civil eleito representando os cafeicultores. o Conciliador e pacificador de conflitos e tensões. o Fim da censura e do estado de sítio. o Forças militares reprimiam os movimentos sociais. o Governou pressionado pelas heranças autoritárias dos florianistas e pelos cafeicultores no poder.
  • 6. Contexto favorável ao Coronelismo: Presidencialismo de coalizão: o Constituição não garantia o direito à educação. o Estados e oligarquias eram as engrenagens das estruturas políticas, econômicas e sociais. o O poder Executivo era mantido de conforme a capacidade do governante de lidar com interesses, conveniências e poder dos membros do Legislativo.
  • 7. 4. Bases da República oligárquica: Coronelismo (Coronel: patente da Guarda Nacional): o Poder do Coronel (proprietário de terra e de gente). o Curral eleitoral, cabresto, manipulação, fraudes. Mandonismo: o Controle da população pobre pelos coronéis. o Fazendeiro passava a ter poder de polícia. Clientelismo: o Cargos, favorecimentos, benefícios, vantagens.
  • 9. Voto de cabresto (Storni – Revista Careta)
  • 11. VESTIBULANDO: (ESPM) O coronelismo foi um dos mais característicos fenômenos sociais e políticos da República Velha. Suas raízes se encontram no Império, mas sua forma mais genuína foi fruto do entrelaçamento de modernas instituições – como o voto universal – com as arcaicas estruturas da grande propriedade rural e seus interesses particulares. (Leonel Itaussu) Aponte a alternativa que apresente atributos do coronelismo: a) O poder político local ligado a um sistema econômico agroindustrial e urbano. b) O poder político centralizado e o desenvolvimento urbano e industrial. c) O poder político local ligado à economia essencialmente agroexportadora. d) O poder político centralizado e economia essencialmente agroexportadora. e) O poder político militarizado e um sistema econômico agroindustrial e urbano.
  • 12. Café com Leite: o Revezamento político entre os Estados de São Paulo (PRP) e Minas Gerais (PRM). o Mais eleitores e maior bancada no Congresso. o As oligarquias dos dois Estados dirigiam a política nacional garantindo a Política dos Governadores. o Quando os eleitos não eram de tais Estados, eram apoiados por eles excluindo os demais.
  • 14. Donos do poder (Storni – Revista Careta)
  • 15. República e política dos governadores: o Vontade dos estados era a vontade da nação. o Poder sobre o controle das oligarquias. o Acordo e alianças: municípios, estados, federação. o Revezamento político entre paulistas e mineiros. o Tributos de exportações cobrados pelos estados. o Tributos de importações cobrados pela União.
  • 16. Acordos entre Executivo nacional e estadual: o Conflitos locais devem ficar na esfera regional. o A soberania regional era da competência local. o Fraudes sistemáticas: voto a bico de pena, mortos votando, contagens manipuladas. Comissão Verificadora de Poderes: o Exigências e constrangimentos para dificultar posse. o Aprovar, vetar, degolar candidatos eleitos.
  • 18. VESTIBULANDO: (FUVEST) A charge satiriza uma prática eleitoral presente no Brasil da chamada “Primeira República”. Tal prática revelava a: a) Ignorância, por parte dos eleitores, dos rumos políticos do país, tornando eleitores adeptos de ideologias políticas nazifascistas. b) Ausência de autonomia dos eleitores e sua fidelidade forçada a alguns políticos, as quais limitavam o direito de escolha e demonstravam a fragilidade das instituições republicanas. c) Restrições provocada pelo voto censitário, que limitava o direito de participação política a quem possuía certo número de animais. d) Facilidade de acesso à informação e propaganda política, permitindo, aos eleitores, a rápida identificação dos candidatos que defendiam a soberania nacional das ameaças estrangeiras. e) Ampliação do direito de voto trazida pela República, que incluía analfabetos e facilitou a manipulação por políticos inescrupulosos.
  • 19. 5. Movimentos sociais da República Velha Exclusão social e política: o Concentração de poder e riquezas nas mãos das oligarquias, excluindo os mais pobres. o Não haviam políticas públicas de investimentos em benefícios sociais: educação, saúde, trabalho. o Grande parcela da população vivia excluída e na marginalidade social e política.
  • 20. OS RETIRANTES – PORTINARI
  • 21. PREPARANDO O ENTERRO NA REDE / PORTINARI
  • 22. 7. Revolta de Canudos (1896/1897) Presidente: Prudente de Morais (1894/1898) o Crise no açúcar: desemprego, fome, miséria. o Movimento social rural ocorrido no sertão da Bahia, liderado pelo beato Antônio Conselheiro, os sertanejos buscavam terra, trabalho e comida. o Fanatismo, misticismo, forte conteúdo religioso: messianismo (juízo final, monarquia celestial, sebastianismo).
  • 23. Contexto e características: o Coronelismo e concentração de terras. o Exclusão social e política dos sertanejos. o Os impostos e o registro civil irritaram Antônio Conselheiro, acusado de louco e fanático. o Conselheiro e milhares de seguidores fugiam da miséria em busca de uma vida melhor.
  • 24. Imaginário e componentes da tragédia: o A liderança religiosa de Conselheiro e a fuga de fiéis contrariavam a Igreja Católica. o Promessa de uma vida coletiva e abundante. o “O sertão vai virar mar e o mar vai virar sertão”. o “Haverá fartura de cuscuz, leite e favos de mel”. o Uma carga de madeira não entregue provocou o início do conflito.
  • 35. Consequências: o Coronéis, Igreja e Exército uniram – se. o Foram 04 campanhas do Exército com uso de tropas federais e de armamento pesado. o A resistência dos sertanejos desmoralizou o Exército, que usou violência e degola. o Apesar da derrota, 25 mil mortos, Canudos tornou – se um símbolo de luta pela terra.
  • 36. “ Canudos não se rendeu. Resistiu até o esgotamento completo. Caiu no dia 5, quando caíram seus últimos defensores. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam cinco mil ferozes soldados.” (Euclides da Cunha – Os Sertões)
  • 37. VESTIBULANDO: (UFSC) Segundo a revista VEJA, José Rainha, líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, “ameaça criar no interior de São Paulo um acampamento gigantesco como o de Canudos, instalado há um século por Antônio Conselheiro”. (VEJA. São Paulo). Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) a respeito da Guerra de Canudos, movimento a que se refere José Rainha: 01. Antônio Conselheiro foi um dos líderes da Guerra dos Canudos, que ocorreu no interior de São Paulo no início da República. 02. A Guerra dos Canudos teve em sua origem, entre outros fatores, o empobrecimento da região nordestina. Ali, desde o período colonial, predominavam o minifúndio e a pequena empresa industrial cuja produção se destinava ao mercado interno.
  • 38. 04. No final do século XIX, secas prolongadas atingiram o sertão nordestino, agravando as péssimas condições de vida das pessoas pobres. 08. O beato Antônio Conselheiro percorreu o sertão nordestino, com um grupo de seguidores que levavam um oratório, rezando e fazendo caridade. Arrebanhou grande número de seguidores. 16. Antônio Conselheiro e seus seguidores se fixaram em Canudos, no sertão da Bahia. A então chamada Cidade Santa atraiu milhares de sertanejos. Acusados de fanáticos e monarquistas, foram atacados pelas forças do governo.
  • 39. Revolta da Vacina – RJ (1904): Presidente: Rodrigues Alves (1902/1906): Contexto, causas e características: o O Rio de Janeiro, em condições precárias de higiene e saúde, era afetado por epidemias de sarampo, tuberculose, febre amarela e varíola. o A população morava em cortiços e barracos, em situação precária: miséria e fome.
  • 40. Personagens e eclosão do conflito: o Presidente Rodrigues Alves, Prefeito Pereira Passos, Dr. Oswaldo Cruz propuseram sanear e urbanizar o Rio de Janeiro: esgoto, água encanada. o Alargamento de ruas, derrubada de cortiços, bota fora e a desratização jogaram pessoas nas ruas e nos morros (favelas), causando revolta. o Medida polêmica: vacinação obrigatória contra a varíola com exigência de comprovação.
  • 42. O combate à peste bubônica foi feito por um esquadrão de 50 homens, que espalhavam raticida e recolhiam o lixo. Para combater a pulga do rato, surgiu o comprador de ratos, que pagava 300 réis por rato. No combate à febre amarela foram criadas as brigadas “mata – mosquitos” que invadiam as casas, interditavam locais contaminados e obrigavam a população à vacinação. Foi criada uma lei que exigia comprovação de vacinação para escolas, empregos, viagens, hospedagem e casamentos, além de multa para quem não tomasse a vacina.
  • 51. Detalhes do conflito: o João Capoeira, Pata Preta, Beiço de Prata. o Operários anarquistas participaram do movimento contra a autoridade do Estado. o Bondes virados, trilhos arrancados, depredações. o Violência e repressão na contenção da revolta. o Saldo: 30 mortos, 110 feridos, 461 deportações. o Houve redução nas contaminações e mortes.
  • 52. VESTIBULANDO: (ENEM) A imagem representa manifestações nas ruas da cidade do Rio de Janeiro, na primeira década do século XX, que integraram a Revolta da Vacina. Considerando o contexto político-social da época, essa revolta revela: a) A insatisfação da população com os benefícios de uma modernização urbana autoritária. b) A consciência da população pobre sobre a necessidade de vacinação para a erradicação das epidemias. c) A garantia da democracia instaurada na República com a defesa da liberdade de expressão da população. d) O planejamento do governo republicano na área de saúde, que abrangia a população em geral. e) O apoio ao governo republicano pela atitude de vacinar toda a população em vez de privilegiar a elite.
  • 53. Revolta da Chibata – RJ (1910) Presidente: Hermes da Fonseca (1910/1914) Contexto, causas e características: o O marinheiro João Cândido liderou um motim contra o rígido código disciplinar da marinha, os maus tratos e a péssima alimentação. o Foi símbolo de resistência contra a opressão. o Navios de guerra foram tomados.
  • 54. Detalhes do conflito: o O marinheiro Marcelino Menezes foi condenado por decoro a 250 chibatadas indignando os marinheiros. o Marinheiros amotinaram – se, tomaram os navios, mataram o comandante, exigindo fim dos maus tratos. o João Cândido: líder, profissional, chamou a atenção. o Houve repressão, negociações, marinheiros mortos, exilados, anistiados e o código disciplinar foi revisto. o João Cândido internado no Hospital dos Alienados.
  • 57. Revolta ou Sedição do Juazeiro – CE (1914): Presidente: Hermes da Fonseca (1910 – 1914): Política das Salvações: o Intervenção federal nos estados para garantir o poder de oligarquias aliadas. o A intervenção tirou do poder Antônio Acioli (poderoso no Ceará) e colocou Franco Rabelo como interventor.
  • 59. Contexto, causas e características: “Guerra santa” X “forças do mal”: o Fome, desemprego, miséria, falta de terras. o Ambiente de fanatismo religioso, Padre Cícero, milagreiro e político, de grande popularidade. o Padre Cícero (Prefeito de Juazeiro e Deputado Federal), Floro Bartolomeu (político e médico), sertanejos pobres, jagunços apoiaram o Pacto dos Coronéis que garantiria a volta dos Acioli ao poder.
  • 62. Os coronéis, aliados da família Acioli, foram buscar o apoio do padre Cícero, muito querido e venerado entre as camadas populares. O padre foi convencido a incentivar as pessoas a darem apoio e participarem da revolta. Liderados pelo padre Cícero, os sertanejos lutaram contra as forças do governo central. A revolta foi violenta, resultando em muitas mortes. O governo federal resolveu ceder, indicou Setembrino de Carvalho como interventor, depois devolveu o poder à família Acioli.
  • 63. Guerra do Contestado – PR/SC (1912 – 1916): Presidente: Hermes da Fonseca (1910/1914): Presidente: Venceslau Brás (1914/1918): o Conflito rural ocorrido na fronteira do Paraná com Santa Catarina numa área rica em mate e madeira, disputada pelos dois Estados. o Envolveu coronéis, posseiros, sertanejos pobres, governo e as forças federais e estaduais.
  • 64. A região fronteiriça entre os estados do Paraná e Santa Catarina recebeu o nome de Contestado devido ao fato de os agricultores terem contestado a doação que o governo brasileiro fez aos madeireiros e à Southern Brazil Lumber & Colonization Company, região de muitos conflitos e disputas de limites entre os dois estados brasileiros.
  • 66. Contexto, causas e características: o Ferrovia foi construída entre São Paulo e Rio Grande do Sul pela Brazil Raiway com apoio dos coronéis e dos governos federal e de Paraná e Santa Catarina. o Grande área foi desapropriada para a ferrovia. o A South Lumber foi autorizada a explorar madeira. o Famílias de posseiros perderam suas terras. o Clima tenso com sem – terra e sem emprego.
  • 67. Misticismo e messianismo: o José Maria, religioso do município catarinense de Curitibanos, fundou uma comunidade que agregava camponeses expulsos de suas terras pelas empresas. o Em 1912, José Maria e seus camponeses dirigiram – se para Palmas, Paraná, onde tropas paranaenses os reprimiram, matando José Maria. o Em 1913 “visões” de José Maria reacenderam e ampliaram o conflito, com milhares de sertanejos.
  • 68. Exército “encantado” e a Guerra dos Pelados: o Movidos pelo misticismo, os sertanejos lutavam por uma “Monarquia Celestial”. o A repressão foi violenta com pesada artilharia e o uso da aviação matando milhares de sertanejos. o Contestado foi anexado a Santa Catarina. o A luta dos sertanejos representou uma reação contra a exclusão social e os abusos de poder.
  • 72. VESTIBULANDO: (UEL PR) Em 1912, José Maria, um beato e curandeiro de ervas, liderou um movimento de sertanejos entre os estados do Paraná e Santa Catarina, o Contestado, que persistiu até ser esmagado violentamente em 1916 por tropas governamentais. Sobre o Contestado é correto afirmar: a) Os sertanejos consideravam a República usurpadora e adotavam o ideal comunitário de vida, defendendo um mundo fraterno e a distribuição das terras que o Governo havia concedido a uma companhia ferroviária estrangeira. b) Os posseiros das terras contestadas combatiam as práticas religiosas tradicionais como o casamento e as procissões. c) Como na revolta de Canudos, os sertanejos do Contestado desejavam a intervenção do Estado Republicano na saúde e na educação comunitária. d) O movimento inspirou-se nas revoltas dos camponeses durante a Revolução Francesa e atacou os símbolos da ação governamental, como os cartórios e as câmaras municipais. e) Os sertanejos receberam o decisivo apoio dos setores intelectuais adeptos da difusão das ideias racistas no Brasil.
  • 73. Movimento operário – início do séc. XX: o A Primeira Guerra Mundial favoreceu o surto industrial no Brasil. o Com as indústrias surgiu o movimento operário. o As péssimas condições de trabalho favoreceram a formação dos Sindicatos e as greves. o Trabalho infantil, jornadas extensas, castigos, insalubridade, periculosidade, acidentes. o Muitos deveres nenhum direito trabalhista.
  • 74. OPERÁRIOS / TARSILA DO AMARAL
  • 76. Greve, caso de polícia: o Operários de São Paulo, Ribeirão Preto, Santos e Campinas organizaram a primeira greve (1907). o Construção civil, alimentação, metalurgia, têxtil, gráficos, calçados: setores unidos na greve. o O governo reprimia violentamente a “desordem”. o Conquistas transformadas em leis não cumpridas. o Leis sobre acidentes de Trabalho, Aposentadorias e Pensões.
  • 77. A resistência operária e o anarcossindicalismo: o Sindicatos, greves e boicotes se espalhavam. o Imigrantes socialistas e anarquistas participavam. o A Lei Adolfo Gordo autorizava a deportação de imigrantes “desordeiros”. Greve geral de 1917: o Os anarcossindicalistas pararam São Paulo e envolveu operários e marginalizados. o Houve confrontos entre policiais e grevistas.
  • 81. Cangaço ou banditismo social (início séc. XX): o Jagunços criaram os bandos de cangaceiros: Cabeleira, Capitão Silvino, Corisco, Lampião. o Atacavam cidades, vilas, fazendas. o Resultado da exclusão social: fome, miséria, seca, desemprego, da manipulação política e da guerra entre as oligarquias. o A repressão exterminou o Cangaço.
  • 94. O médico legista Charles Pittex segura as cabeças mumificadas de Lampião e Maria Bonita, elas ficaram expostas por muitos anos na Faculdade de Medicina da Bahia. (foto de 1939)