SlideShare uma empresa Scribd logo
AI-1 AI-2 AI-3 A-4
AI-5
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
Podemos definir a
Ditadura Militar como
sendo o período da
História brasileira, que vai
de 1964 a 1985, em
que os militares
governaram o Brasil.
 EM 1962 O ENTÃO PRESIDENTE JÃNIO
QUADROS RENUNCIA
 O VICE JÃO GOULART ASSUME (JANGO)
 IMPLANTOU REFORMAS DE BASE;
 FORTALECIMENTO DOS MOVIMENTOS
SOCIAIS: UNE E LIGAS CAMPONESAS;
OPOSIÇÃO DAS ELITES CONSERVADORAS,
IGREJA EMPRESARIOS E CLASSE MÉDIA.
A favor
LA VEM O GOLPE!!!
SEU COMUNISTA!!!
Contra
A sua abertura às organizações
sociais:
 As organizações populares e
trabalhadores ganharam espaço
 O seu apoio a sindicatos, e a sargentos
que apoiavam a tentativa de
sindicalização
 A não repressãoàs greves
 O apoio às Ligas Camponesas de
Francisco Julião.
 A sua proposta de aumento de 100%
no salario mínimo quando ministro
de Getúlio Vargas
 A lei sobre os lucros do capital
estrangeiro
 O comício de 13 março: reforma agraria e
de Base (trabalho, moradia e social)
A subversão com apoio dos
Comunistas:
 O desejo de implantar uma ditadura
sindicalista no Brasil
 A quebra da disciplina e da hierarquia
das Forças Armadas.
 A preocupação entre setores
conservadores, empresários,banqueiros
e setores da Igreja Católica do estilo
populista do governo
 O medo de alguns governadores de um
golpe de estado comunista
 A preocupação do governo dos Estados
Unidos, juntamente com as classes
conservadoras brasileiras, de o Brasil
virar uma nova Cuba ou uma nova China
 A marcha da Família com Deus pela
Liberdade: pedindo intervenção militar
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
13 DE MARÇO DE 1964
JOÃO GOULART REALIZA UM GRANDE COMÍCIO NA CENTRAL DO BRASIL
(RIO DE JANEIRO)
DEFENDEU AS REFORMAS DE BASE. NESTE PLANO, JANGO PROMETIA
MUDANÇAS RADICAIS NA ESTRUTURA AGRÁRIA(DIVIDIR TERRAS),
ECONÔMICA E EDUCACIONAL DO PAÍS.
EM 19 DE MARÇO, CATÓLICOS CONSERVADORES REALIZARAM A MARCHA DA
FAMÍLIA COM DEUS E PELA LIBERDADE, REPUDIANDO A “TENDÊNCIA
SOCIALISTA” DO GOVERNO.
AS TENSÕES AUMENTAVAM A CADA DIA. NO DIA 31 DE MARÇO DE 1964,
TROPAS DE MINAS GERAIS E SÃO PAULO SAEM ÀS RUAS. PARA EVITAR
UMA GUERRA CIVIL, JANGO DEIXA O PAÍS REFUGIANDO-SE NO URUGUAI.
OS MILITARES TOMAM O PODER.
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
A
“Nós não fizemos uma revolução, nós demos um contragolpe,
porque o golpe estava sendo dado por “eles”. “Eles” estavam
dando o golpe, o senhor Goulart, o senhor Brizola, o senhor
Arrais, o senhor Darci Ribeiro etc. Esses estavam tomando
conta do país e do governo. No governo, já estavam levando ao
populismo, comunismo e ao sindicalismo. Ia se transformar,
sem dúvida, este país numa república “comuno-sindicalista-
populista”.
Carlos Aberto da Fontoura – General do Exército do RS em 1964.
Deputado Auro Moura de
Andrade:
“Declaro vaga a presidência
da republica”
 Eleito pelo Congresso Nacional como presidente
da República em 15 de abril de 1964.
 Declarou defender a democracia;
 Assume uma posição autoritária;
 Estabeleceu eleições indiretas para presidente;
 Vários parlamentares(deputados e senadores)
federais e estaduais tiveram seus mandatos
caçados
 Cidadãos tiveram seus direitos cancelados.
 Criou o Serviço Nacional de Informações (SNI).
 Substituição da estabilidade no emprego, pelo
regime do Fundo de Garantia por Tempo de
Serviço (FGTS).
 Governou através dos Atos Institucionais(AI)
AI’S
ATO INSTITUCIONAL(AI) ERA UM
CONJUNTO DE LEIS IMPLANTADO
SEM A NECESSIDADE DE APROVAÇÃO
POPULAR OU PELO CONGRESSO
NACIONAL – FOI UM MECANISMO
DA DITADURA DE CONTROLE DO
PODER DE ESTADO.
OS MILITARES OPTARAM PELO
ALINHAMENTO AO BLOCO
CAPITALISTA OCIDENTAL (EUA) – O
GOVERNO NORTE AMERICANO
PRONTAMENTE RECONHECEU O
NOVO GOVERNO MILITAR LOGO
APÓS O GOLPE, DANDO APOIO
TOTAL.
AI-1 – suspende a constituição de 1946,
organizações de base, sindicatos, ligas
camponesas, UNE, centros acadêmicos),
cassação de direitos políticos de centenas
de pessoas.
PESQUISE
TRAGA A
PESUISA EM
SALA E
EXPLIQUE
AOS
COLEGAS
FORME DUPLAS OU GRUPOS E
PESQUISE SOBRE AS SEGUINTES
CRIAÇÕES DO GOVERNO DO
MARECHAL CASTELO BRANCO:
FGTS
E
SNI (SERVIÇO NACIONAL DE
INTELIGÊNCIA)
AI-2 – após as eleições dos governadores, cassa
JK (candidato a presidente), prorroga Castelo
Branco como presidente até 67, NÃO há mais
eleições diretas (presidente e governador),
bipartidarismo (Arena) Apoiava os militares e
(MDB) oposição permitida por eles
GOSTEI DE SER
PRESIDENTE !
QUERO SAIR NÃO!
ARENA
MDB
PARTIDO DO
SIM SENHOR
PARTIDO DO
SIM
AI-3 – determinava eleições indiretas para
governadores e nomeação dos prefeitos das
capitais.
AI-4 – Convocação do Congresso Nacional para a
votação e promulgação do projeto de Constituição
(leis do Pais), que revogava definitivamente a
Constituição feita em 1946.
A Constituição de 1967 saiu da maneira que os militares
queriam, mas o Congresso conseguiu inserir duas ressalvas:
 Proibição de fechar o Congresso.
 Criou-se a Imunidade Parlamentar.
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ QUAL SUA CARACTERISTICA?
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ O QUE MUDOU NO BRASIL?
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ DAVA DIREITOS A QUEM ?
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ ERA JUSTA?
PESQUISE
TRAGA A
PESUISA EM
SALA E
EXPLIQUE
AOS
COLEGASFORME GRUPOS E
PESQUISE SOBRE
IMUNIDADE
PARLAMENTAR
NO BRASIL
Eleito indiretamente pelo Congresso Nacional.
Seu governo é marcado por protestos e manifestações
sociais.
A UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no Rio
de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil.
Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários
paralisam fábricas em protesto ao regime militar.
A guerrilha urbana começa a se organizar. Formada por
jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e
sequestram embaixadores para obterem fundos para o
movimento de oposição armada.
A oposição ao regime militar cresce no país.
Através dos festivais da Musica os artistas como
Caetano veloso, Gilberto Gil, Rita Lee e Geraldo
Vandré protestavam contra a Ditadura.
Muitas das musicas e programas de radio e TV que
falassem contra O governo eram CENSURADOS
Um grupo do CCC (Comando de Caça aos Comunistas)
invade o teatro Galpão em São Paulo, em 1968, e
espanca o elenco da peça de teatro: Roda Viva
MELHORE SEUS
CONHECIMENTOS
VEJAMOSO VIDEO DE algumasmusicas
que marcaram épocanos festivais de musica
NO PERÍODO DA DITADURA MILITAR
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
No Rio de Janeiro, em 1968, durante uma
manifestação, ocorreu a morte do estudante
Edson Luís, gerando mais revoltas
Padres defendem estudantes da polícia após missa
de sétimo dia.
Igreja da Candelária é cercada durante missa de
sétimo dia de Edson Luis.
Em Ibiúna, a UNE tenta organizar um Congresso,
mas seus participantes são presos.
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no
Rio de Janeiro, a PASSEATA DOS CEM MIL
No dia 26 de junho de 1968, cerca de cem mil
pessoas ocuparam as ruas do centro do Rio de
Janeiro e realizaram o mais importante protesto
contra a ditadura militar;
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 Por todo mundo clamavam por direitos e justiça: protestos
nos EUA (igualdade racial e fim da guerra Vietnã), Jovens
na França e por vários países na Europa
 A sequência de manifestações reprimidas violentamente por
todo o país acabou por despertar a indignação das classes
médias no Rio de Janeiro;
 O governo decidiu então ampliar os mecanismos de
repressão de modo a “acabar com os subversivos”;
 Nos dias 02 e 03 de setembro de 1968, o jovem deputado
Márcio Moreira Alves, do MDB da Guanabara, usou a
Tribuna do Congresso para fazer um discurso inflamado
contra a ditadura.
 Até 1968 as manifestações eram legais, desde que fossem
pacíficas.
 OS MILITARES QUERIAM SE MANTER NO PODER..MÁS
COMO?
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
LEITURA E INTERPRETAÇÃO:
Leia o discurso inflamado contra a ditadura do
Deputado Márcio Moreira Alves em 02/Setembro/1968
e tente entendera situação politica do pais no período
de 1968.
No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato
Institucional 5 (AI-5). Este foi o mais duro do governo
militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as
garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e
policial.
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
Não era tão simples assim pessoal. Vejam alguns exemplos.
PESQUISE AS FORMAS DE CENSURA EXISTENTES.
 Agora, com os poderes excepcionais garantidos pelo
AI-5, a ditadura pôde criar uma nova estrutura
repressiva, especializada no combate a oposição.
 Em outubro de 1969, 240 oficiais generais indicam
para presidente o general Emílio Garrastazu Médici
(1969-1974), ex-chefe do SNI.
 Em janeiro de 1970, lei inicia Forte censura aos
órgãos de imprensa.
 Combate com repressão aos movimentos oposição a
ditadura
 Combate às guerrilhas urbanas e rurais utilizando,
inclusive, métodos de tortura.
 Agora, com os poderes excepcionais garantidos pelo
AI-5, a ditadura pôde criar uma nova estrutura
repressiva, especializada no combate a oposição.
 Na luta contra os grupos de esquerda, o exército criou o
Departamento de Operações Internas (DOI) e o Centro de
Operações da Defesa Interna (CODI).
 Entre as diversas organizações de esquerda estavam a Aliança de
Libertação Nacional (ALN) e o Movimento Revolucionário 8 de
outubro (MR-8).
 A Igreja Católica estava dividida: os grupos mais tradicionais
apoiavam o governo, porém os mais progressistas criticavam a
doutrina da segurança nacional.
 A atividade dos órgãos repressivos desarticularam as organizações
de guerrilhas urbana e rural, que levaram à morte dezenas de
opositores.
 A Guerrilha do Araguaia se instala no Tocantins. O governo envia
o exercito para combate-los
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 Anos de Chumbo 1968(AI-5) até 1974 (fim do governo Médici)
 A partir dessa época, a tortura passou a ser amplamente
empregada, especialmente para obter informações de pessoas
envolvidas com a luta armada.
 A Ditadura não apenas desenvolveu técnicas de tortura como
também as ensinou em aulas nos quartéis.
 Uma pesquisa coordenada pela Igreja Católica com documentos
produzidos pelos próprios militares identificou mais de cem
formas de torturas.
 Contando com a “assessoria técnica” de militares americanos
que ensinavam a torturar, grupos policiais e militares
começavam a agredir no momento da prisão, invadindo casas ou
locais de trabalho.
 Conheça as torturas mais usadas na época:
CHOQUE
CADEIRA DO DRAGÃO
CRUCIFICAÇÃO
GELADEIRA
TELEFONE
PAU DE ARARA
AFOGAMENTO
USO DE ANIMAIS
PALMATÓRIA
PRODUTOS
QUÍMICOS
 O pau comeu solto até 1974, quando o presidente Ernesto
Geisel tomou medidas para diminuir a tortura
 Afastamento de vários militares da “linha dura” do Exército.
 Centenas de Pessoas foram torturadas e desapareceram na
época.
 Ninguém acusado de torturar presos políticos durante a
ditadura militar chegou a ser punido.
 Em 1979, o Congresso aprovou a Lei da Anistia, que
determinou que todos os envolvidos em crimes políticos –
incluindo os torturadores – fossem perdoados pela Justiça.
MELHORE SEUS
CONHECIMENTOS
VEJA O FILME PRAFRENTE,BRASIL! E
VEJA A VIDA DE UM CIDADÃO COMUM
MUDAR DO NADA GRAÇAS AS LOUCURAS
DA DITADURA
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 O Milagre Econômico durou de 1968 a 1973.
 aceleração do crescimento do PIB (Produto
Interno Bruto) e industrialização.
 Além das medidas de incentivo, o milagre
econômico foi visualizado por meio de obras de
grande porte.
 As mais importantes são a rodovia
Transamazônica, a Perimetral Norte, a ponte Rio-
Niterói e a usina de Itaipu.
 Os recursos para as obras foram obtidos por meio
de empréstimos internacionais, que elevaram a
dívida externa.
 Também receberam recursos internacionais as indústrias de
bens de consumo (máquinas e equipamentos), farmacêutica e
agricultura.
 O setor agrícola voltou-se para a monocultura, visando o
mercado internacional.
 O governo federal também diminuiu os salários dos
trabalhadores para incentivar o empresariado.
 Poucos ricos e muitos pobres
 Na época, o ministro da fazenda Delfim Neto, justificou a
medida como importante para impulsionar o crescimento do
País.
 O Brasil ocupava a posição de oitava economia do mundo.
 Era o Milagre econômico do Brasil
POSITIVO NEGATIVO
 Construção de obras importantes(Usinas e Pontes)
 Aceleração da industrialização
 Incentivo à indústria da construção civil com a
criação do Sistema Financeiro Habitacional
 Abertura de estradas
 Melhoria da urbanização
 Aumento da pobreza
 Aumento da inflação (preços mais altos)
 Redução do poder aquisitivo (de compra) do trabalhador
pobre
 Investimento mínimo em saúde, educação e previdência
social
 Dependência de empréstimos do exterior,
principalmente dos Estados Unidos
 dia 15 de março de 1974, Médici foi substituído na
Presidência pelo general Ernesto Geisel (1974-1979).
 Ele assumiu prometendo retomar o crescimento
econômico e restabelecer a democracia.
 Nas eleições de 1974, a oposição aglutinada no MDB,
obteve ampla vitória. Ao mesmo tempo, Geisel
procurava conter este o avanço.

 Em 1975, o Jornalista VLADIMIR HERZOG é
chamado a depor no DOI-Codi, foi torturado e
encontrado morto em sua sela. Hoje é comprovado o
Assassinato.
 Em 1977, diante da recusa do MDB em aprovar a
reforma da Constituição, o Congresso foi fechado e o
mandato do presidente foi aumentado para seis anos.
A oposição começou a pressionar o governo, junto
com a sociedade civil.
Com a crescente pressão, o Congresso já reaberto
aprovou, em 1979, a revogação do AI-5.
O Congresso não podia mais ser fechado, nem ser
cassados os direitos políticos dos cidadãos.
Geisel escolheu como seu sucessor o general João
Batista Figueiredo, eleito de forma indireta.
Más Ditadura perdia as forças e enfraquecia.
 Figueiredo assumiu o cargo em 15 março de 1979,
com o compromisso de aprofundar o processo de
abertura política.
 No entanto, a crise econômica seguia adiante, e a
dívida externa atingia mais de 100 bilhões de
dólares, e a inflação, chegava a 200% ao ano.
 Aprovada a lei da Anistia, perdoando exilados, presos
políticos e torturadores,
 As reformas políticas continuaram sendo realizadas,
mas a linha dura continuava com o terrorismo.
 Surgiram vários partidos, entre eles o Partido
Democrático Social (PDS) e o Partido dos
Trabalhadores (PT).
 As lutas e protestos contra a Ditadura foram se
Multiplicando.
 Em 1983, teve início em todo o país uma campanha pelas
eleições diretas para presidente as "Diretas Já“
 União de várias lideranças políticas como Fernando Henrique
Cardoso, Lula, Ulysses Guimarães, entre outros.
 O movimento que chegou ao auge em 1984, quando seria
votada a Emenda Dante de Oliveira, que pretendia
restabelecer as eleições diretas para presidente.
 Logo depois da derrota de 25 de abril, grande parte das
forças de oposição resolveu participar das eleições indiretas
para presidente.
 O PMDB lançou Tancredo Neves, para presidente e José
Sarney, para vice-presidente.
 Reunido o Colégio Eleitoral, a maioria dos votos foi para
Tancredo Neves, que derrotou Paulo Maluf, candidato do
PDS. Desse modo encerrava-se os dias da ditadura
militar.
SEMINARIOS:
FORMEM GRUPOS E VAMOS SORTEAR OS
TEMAS ABAIXO PARA APRESENTAÇÃO E
DEBATE EM SALA:
 O Brasilia virar uma nova Cuba?
 O golpe foi obra dos quartéis?
 Os militares eram unidos?
 O golpe foi criado pelos EUA?
 A ditadurabrasileirafoi branda?
 A tortura foi excessode poucos?
 Na ditadura,não tinha corrupção?
 O milagre foi uma mentira?
• VEJA OS FILMES BATISMO DE SANGUE E O
QUE É ISSO COMPANHEIRO E VEJA EM
DIFERENTES PONTOS DE VISTA COMO ERA
O BRASIL NA EPOCA DA DITADURA.
LEIA TAMBÉM OS LIVROS:
Brasil nunca Mais
Autor: Paulo Evaristo Arns
Ditadura À Brasileira
Autor: Marco Antônio Villa
MELHORE SEUS CONHECIMENTOS:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
Edvaldo S. Júnior
 
República democrática
República democráticaRepública democrática
República democrática
eunamahcado
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
harlissoncarvalho
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
Edenilson Morais
 
Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)
Fatima Freitas
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
brunourbino
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
Daniel Alves Bronstrup
 
Governo jk - Disma
Governo jk - DismaGoverno jk - Disma
Governo jk - Disma
Dismael Sagás
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Jéssica Simões
 
Resistência e repressão na ditadura militar
Resistência  e repressão na ditadura militarResistência  e repressão na ditadura militar
Resistência e repressão na ditadura militar
Hernane Freitas
 
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
7 de Setembro
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
Fabiana Tonsis
 
Governo JK
Governo JKGoverno JK
Governo JK
Valéria Shoujofan
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
Joao Victor Soares Gusmão
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
Douglas Barraqui
 
Ditadura militar no Brasil
Ditadura militar no BrasilDitadura militar no Brasil
Ditadura militar no Brasil
Aparicio Junior
 
O Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de VargasO Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de Vargas
Gabriel Caetano
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Portal do Vestibulando
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
República democrática
República democráticaRepública democrática
República democrática
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
 
Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
Governo jk - Disma
Governo jk - DismaGoverno jk - Disma
Governo jk - Disma
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
 
Resistência e repressão na ditadura militar
Resistência  e repressão na ditadura militarResistência  e repressão na ditadura militar
Resistência e repressão na ditadura militar
 
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
Governo JK
Governo JKGoverno JK
Governo JK
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
 
Ditadura militar no Brasil
Ditadura militar no BrasilDitadura militar no Brasil
Ditadura militar no Brasil
 
O Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de VargasO Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de Vargas
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
 

Semelhante a BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL

Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
João Gonçalves Macedo
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Karina Reimberg
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
guiurey
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
Jainny F.
 
Ditadura 1964
Ditadura 1964Ditadura 1964
Ditadura 1964
BelbelAntunes
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Kerol Brombal
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
historiando
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historia
Mateus Cabral
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
Nelia Salles Nantes
 
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985   pdfBrasil ditadura militar 1964 a 1985   pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
Nelia Salles Nantes
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
Daniel Alves Bronstrup
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
Tatiana Rezende
 
Ditadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filéDitadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filé
mundica broda
 
Brasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura MilitarBrasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura Militar
André Torres
 
Música popular brasileira
Música popular brasileiraMúsica popular brasileira
Música popular brasileira
Jose Humberto Rodrigues
 
A partir de Vargas
A partir de VargasA partir de Vargas
A partir de Vargas
Carlos Glufke
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
Dismael Sagás
 

Semelhante a BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL (20)

Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
Ditadura 1964
Ditadura 1964Ditadura 1964
Ditadura 1964
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historia
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985   pdfBrasil ditadura militar 1964 a 1985   pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Ditadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filéDitadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filé
 
Brasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura MilitarBrasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura Militar
 
Música popular brasileira
Música popular brasileiraMúsica popular brasileira
Música popular brasileira
 
A partir de Vargas
A partir de VargasA partir de Vargas
A partir de Vargas
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 

Mais de Diego Bian Filo Moreira

Revolta federalista
Revolta federalistaRevolta federalista
Revolta federalista
Diego Bian Filo Moreira
 
GUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRAGUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRA
Diego Bian Filo Moreira
 
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
Diego Bian Filo Moreira
 
ERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICA
ERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICAERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICA
ERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICA
Diego Bian Filo Moreira
 
REVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTAL
REVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTALREVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTAL
REVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTAL
Diego Bian Filo Moreira
 
INFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITA
INFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITAINFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITA
INFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITA
Diego Bian Filo Moreira
 
AS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO
AS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃOAS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO
AS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO
Diego Bian Filo Moreira
 
INFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIA
INFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIAINFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIA
INFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIA
Diego Bian Filo Moreira
 
INFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOS
INFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOSINFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOS
INFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOS
Diego Bian Filo Moreira
 
Filosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia ModernaFilosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia Moderna
Diego Bian Filo Moreira
 
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
INFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
INFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIALINFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
INFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Diego Bian Filo Moreira
 
Pré História - Ensino Médio
Pré História - Ensino MédioPré História - Ensino Médio
Pré História - Ensino Médio
Diego Bian Filo Moreira
 
PRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANO
PRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANOPRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANO
PRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino MédioO Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
Diego Bian Filo Moreira
 
O Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANOO Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANOFILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
Filosofia 03 - Helenismo
Filosofia 03 - HelenismoFilosofia 03 - Helenismo
Filosofia 03 - Helenismo
Diego Bian Filo Moreira
 
Filosofia 01 - Do mito aos Primeiros Filósofos
Filosofia 01 - Do mito aos Primeiros FilósofosFilosofia 01 - Do mito aos Primeiros Filósofos
Filosofia 01 - Do mito aos Primeiros Filósofos
Diego Bian Filo Moreira
 
IDADE MÉDIA OCIDENTAL
 IDADE MÉDIA OCIDENTAL IDADE MÉDIA OCIDENTAL
IDADE MÉDIA OCIDENTAL
Diego Bian Filo Moreira
 

Mais de Diego Bian Filo Moreira (20)

Revolta federalista
Revolta federalistaRevolta federalista
Revolta federalista
 
GUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRAGUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS - SEGUNDA GUERRA
 
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 
ERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICA
ERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICAERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICA
ERA DAS REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICA
 
REVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTAL
REVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTALREVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTAL
REVOLUÇÃO FRANCESA - ENSINO FUNDAMENTAL
 
INFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITA
INFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITAINFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITA
INFOGRÁFICO- HISTÓRIA DA ESCRITA
 
AS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO
AS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃOAS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO
AS MÚMIAS - TEXTO COM EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO
 
INFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIA
INFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIAINFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIA
INFOGRÁFICO - PRÉ-HISTÓRIA
 
INFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOS
INFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOSINFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOS
INFOGRÁFICO - ESTADOS MODERNOS
 
Filosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia ModernaFilosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia Moderna
 
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
 
INFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
INFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIALINFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
INFOGRÁFICO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
Pré História - Ensino Médio
Pré História - Ensino MédioPré História - Ensino Médio
Pré História - Ensino Médio
 
PRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANO
PRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANOPRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANO
PRÉ HISTÓRIA - Os Primeiros Homens - 6 ANO
 
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino MédioO Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
 
O Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANOO Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANO
 
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANOFILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
 
Filosofia 03 - Helenismo
Filosofia 03 - HelenismoFilosofia 03 - Helenismo
Filosofia 03 - Helenismo
 
Filosofia 01 - Do mito aos Primeiros Filósofos
Filosofia 01 - Do mito aos Primeiros FilósofosFilosofia 01 - Do mito aos Primeiros Filósofos
Filosofia 01 - Do mito aos Primeiros Filósofos
 
IDADE MÉDIA OCIDENTAL
 IDADE MÉDIA OCIDENTAL IDADE MÉDIA OCIDENTAL
IDADE MÉDIA OCIDENTAL
 

Último

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 

Último (20)

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 

BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL

  • 1. AI-1 AI-2 AI-3 A-4 AI-5
  • 3. Podemos definir a Ditadura Militar como sendo o período da História brasileira, que vai de 1964 a 1985, em que os militares governaram o Brasil.
  • 4.  EM 1962 O ENTÃO PRESIDENTE JÃNIO QUADROS RENUNCIA  O VICE JÃO GOULART ASSUME (JANGO)  IMPLANTOU REFORMAS DE BASE;  FORTALECIMENTO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS: UNE E LIGAS CAMPONESAS; OPOSIÇÃO DAS ELITES CONSERVADORAS, IGREJA EMPRESARIOS E CLASSE MÉDIA.
  • 5. A favor LA VEM O GOLPE!!! SEU COMUNISTA!!! Contra A sua abertura às organizações sociais:  As organizações populares e trabalhadores ganharam espaço  O seu apoio a sindicatos, e a sargentos que apoiavam a tentativa de sindicalização  A não repressãoàs greves  O apoio às Ligas Camponesas de Francisco Julião.  A sua proposta de aumento de 100% no salario mínimo quando ministro de Getúlio Vargas  A lei sobre os lucros do capital estrangeiro  O comício de 13 março: reforma agraria e de Base (trabalho, moradia e social) A subversão com apoio dos Comunistas:  O desejo de implantar uma ditadura sindicalista no Brasil  A quebra da disciplina e da hierarquia das Forças Armadas.  A preocupação entre setores conservadores, empresários,banqueiros e setores da Igreja Católica do estilo populista do governo  O medo de alguns governadores de um golpe de estado comunista  A preocupação do governo dos Estados Unidos, juntamente com as classes conservadoras brasileiras, de o Brasil virar uma nova Cuba ou uma nova China  A marcha da Família com Deus pela Liberdade: pedindo intervenção militar
  • 8. 13 DE MARÇO DE 1964 JOÃO GOULART REALIZA UM GRANDE COMÍCIO NA CENTRAL DO BRASIL (RIO DE JANEIRO) DEFENDEU AS REFORMAS DE BASE. NESTE PLANO, JANGO PROMETIA MUDANÇAS RADICAIS NA ESTRUTURA AGRÁRIA(DIVIDIR TERRAS), ECONÔMICA E EDUCACIONAL DO PAÍS. EM 19 DE MARÇO, CATÓLICOS CONSERVADORES REALIZARAM A MARCHA DA FAMÍLIA COM DEUS E PELA LIBERDADE, REPUDIANDO A “TENDÊNCIA SOCIALISTA” DO GOVERNO. AS TENSÕES AUMENTAVAM A CADA DIA. NO DIA 31 DE MARÇO DE 1964, TROPAS DE MINAS GERAIS E SÃO PAULO SAEM ÀS RUAS. PARA EVITAR UMA GUERRA CIVIL, JANGO DEIXA O PAÍS REFUGIANDO-SE NO URUGUAI. OS MILITARES TOMAM O PODER.
  • 10. A “Nós não fizemos uma revolução, nós demos um contragolpe, porque o golpe estava sendo dado por “eles”. “Eles” estavam dando o golpe, o senhor Goulart, o senhor Brizola, o senhor Arrais, o senhor Darci Ribeiro etc. Esses estavam tomando conta do país e do governo. No governo, já estavam levando ao populismo, comunismo e ao sindicalismo. Ia se transformar, sem dúvida, este país numa república “comuno-sindicalista- populista”. Carlos Aberto da Fontoura – General do Exército do RS em 1964.
  • 11. Deputado Auro Moura de Andrade: “Declaro vaga a presidência da republica”
  • 12.  Eleito pelo Congresso Nacional como presidente da República em 15 de abril de 1964.  Declarou defender a democracia;  Assume uma posição autoritária;  Estabeleceu eleições indiretas para presidente;  Vários parlamentares(deputados e senadores) federais e estaduais tiveram seus mandatos caçados  Cidadãos tiveram seus direitos cancelados.  Criou o Serviço Nacional de Informações (SNI).  Substituição da estabilidade no emprego, pelo regime do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).  Governou através dos Atos Institucionais(AI)
  • 14. ATO INSTITUCIONAL(AI) ERA UM CONJUNTO DE LEIS IMPLANTADO SEM A NECESSIDADE DE APROVAÇÃO POPULAR OU PELO CONGRESSO NACIONAL – FOI UM MECANISMO DA DITADURA DE CONTROLE DO PODER DE ESTADO. OS MILITARES OPTARAM PELO ALINHAMENTO AO BLOCO CAPITALISTA OCIDENTAL (EUA) – O GOVERNO NORTE AMERICANO PRONTAMENTE RECONHECEU O NOVO GOVERNO MILITAR LOGO APÓS O GOLPE, DANDO APOIO TOTAL.
  • 15. AI-1 – suspende a constituição de 1946, organizações de base, sindicatos, ligas camponesas, UNE, centros acadêmicos), cassação de direitos políticos de centenas de pessoas.
  • 16. PESQUISE TRAGA A PESUISA EM SALA E EXPLIQUE AOS COLEGAS FORME DUPLAS OU GRUPOS E PESQUISE SOBRE AS SEGUINTES CRIAÇÕES DO GOVERNO DO MARECHAL CASTELO BRANCO: FGTS E SNI (SERVIÇO NACIONAL DE INTELIGÊNCIA)
  • 17. AI-2 – após as eleições dos governadores, cassa JK (candidato a presidente), prorroga Castelo Branco como presidente até 67, NÃO há mais eleições diretas (presidente e governador), bipartidarismo (Arena) Apoiava os militares e (MDB) oposição permitida por eles GOSTEI DE SER PRESIDENTE ! QUERO SAIR NÃO! ARENA MDB PARTIDO DO SIM SENHOR PARTIDO DO SIM
  • 18. AI-3 – determinava eleições indiretas para governadores e nomeação dos prefeitos das capitais. AI-4 – Convocação do Congresso Nacional para a votação e promulgação do projeto de Constituição (leis do Pais), que revogava definitivamente a Constituição feita em 1946. A Constituição de 1967 saiu da maneira que os militares queriam, mas o Congresso conseguiu inserir duas ressalvas:  Proibição de fechar o Congresso.  Criou-se a Imunidade Parlamentar.
  • 19. _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ QUAL SUA CARACTERISTICA? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ O QUE MUDOU NO BRASIL? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ DAVA DIREITOS A QUEM ? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ ERA JUSTA?
  • 20. PESQUISE TRAGA A PESUISA EM SALA E EXPLIQUE AOS COLEGASFORME GRUPOS E PESQUISE SOBRE IMUNIDADE PARLAMENTAR NO BRASIL
  • 21. Eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Seu governo é marcado por protestos e manifestações sociais. A UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil. Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar. A guerrilha urbana começa a se organizar. Formada por jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada. A oposição ao regime militar cresce no país.
  • 22. Através dos festivais da Musica os artistas como Caetano veloso, Gilberto Gil, Rita Lee e Geraldo Vandré protestavam contra a Ditadura. Muitas das musicas e programas de radio e TV que falassem contra O governo eram CENSURADOS Um grupo do CCC (Comando de Caça aos Comunistas) invade o teatro Galpão em São Paulo, em 1968, e espanca o elenco da peça de teatro: Roda Viva
  • 23. MELHORE SEUS CONHECIMENTOS VEJAMOSO VIDEO DE algumasmusicas que marcaram épocanos festivais de musica NO PERÍODO DA DITADURA MILITAR
  • 25. No Rio de Janeiro, em 1968, durante uma manifestação, ocorreu a morte do estudante Edson Luís, gerando mais revoltas Padres defendem estudantes da polícia após missa de sétimo dia.
  • 26. Igreja da Candelária é cercada durante missa de sétimo dia de Edson Luis. Em Ibiúna, a UNE tenta organizar um Congresso, mas seus participantes são presos.
  • 28. UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no Rio de Janeiro, a PASSEATA DOS CEM MIL No dia 26 de junho de 1968, cerca de cem mil pessoas ocuparam as ruas do centro do Rio de Janeiro e realizaram o mais importante protesto contra a ditadura militar;
  • 30.  Por todo mundo clamavam por direitos e justiça: protestos nos EUA (igualdade racial e fim da guerra Vietnã), Jovens na França e por vários países na Europa  A sequência de manifestações reprimidas violentamente por todo o país acabou por despertar a indignação das classes médias no Rio de Janeiro;  O governo decidiu então ampliar os mecanismos de repressão de modo a “acabar com os subversivos”;  Nos dias 02 e 03 de setembro de 1968, o jovem deputado Márcio Moreira Alves, do MDB da Guanabara, usou a Tribuna do Congresso para fazer um discurso inflamado contra a ditadura.  Até 1968 as manifestações eram legais, desde que fossem pacíficas.  OS MILITARES QUERIAM SE MANTER NO PODER..MÁS COMO?
  • 33. LEITURA E INTERPRETAÇÃO: Leia o discurso inflamado contra a ditadura do Deputado Márcio Moreira Alves em 02/Setembro/1968 e tente entendera situação politica do pais no período de 1968.
  • 34. No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional 5 (AI-5). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
  • 36. Não era tão simples assim pessoal. Vejam alguns exemplos.
  • 37. PESQUISE AS FORMAS DE CENSURA EXISTENTES.
  • 38.  Agora, com os poderes excepcionais garantidos pelo AI-5, a ditadura pôde criar uma nova estrutura repressiva, especializada no combate a oposição.  Em outubro de 1969, 240 oficiais generais indicam para presidente o general Emílio Garrastazu Médici (1969-1974), ex-chefe do SNI.  Em janeiro de 1970, lei inicia Forte censura aos órgãos de imprensa.  Combate com repressão aos movimentos oposição a ditadura  Combate às guerrilhas urbanas e rurais utilizando, inclusive, métodos de tortura.  Agora, com os poderes excepcionais garantidos pelo AI-5, a ditadura pôde criar uma nova estrutura repressiva, especializada no combate a oposição.
  • 39.  Na luta contra os grupos de esquerda, o exército criou o Departamento de Operações Internas (DOI) e o Centro de Operações da Defesa Interna (CODI).  Entre as diversas organizações de esquerda estavam a Aliança de Libertação Nacional (ALN) e o Movimento Revolucionário 8 de outubro (MR-8).  A Igreja Católica estava dividida: os grupos mais tradicionais apoiavam o governo, porém os mais progressistas criticavam a doutrina da segurança nacional.  A atividade dos órgãos repressivos desarticularam as organizações de guerrilhas urbana e rural, que levaram à morte dezenas de opositores.  A Guerrilha do Araguaia se instala no Tocantins. O governo envia o exercito para combate-los
  • 42.  Anos de Chumbo 1968(AI-5) até 1974 (fim do governo Médici)  A partir dessa época, a tortura passou a ser amplamente empregada, especialmente para obter informações de pessoas envolvidas com a luta armada.  A Ditadura não apenas desenvolveu técnicas de tortura como também as ensinou em aulas nos quartéis.  Uma pesquisa coordenada pela Igreja Católica com documentos produzidos pelos próprios militares identificou mais de cem formas de torturas.  Contando com a “assessoria técnica” de militares americanos que ensinavam a torturar, grupos policiais e militares começavam a agredir no momento da prisão, invadindo casas ou locais de trabalho.  Conheça as torturas mais usadas na época:
  • 43. CHOQUE CADEIRA DO DRAGÃO CRUCIFICAÇÃO GELADEIRA TELEFONE PAU DE ARARA AFOGAMENTO USO DE ANIMAIS PALMATÓRIA PRODUTOS QUÍMICOS
  • 44.  O pau comeu solto até 1974, quando o presidente Ernesto Geisel tomou medidas para diminuir a tortura  Afastamento de vários militares da “linha dura” do Exército.  Centenas de Pessoas foram torturadas e desapareceram na época.  Ninguém acusado de torturar presos políticos durante a ditadura militar chegou a ser punido.  Em 1979, o Congresso aprovou a Lei da Anistia, que determinou que todos os envolvidos em crimes políticos – incluindo os torturadores – fossem perdoados pela Justiça.
  • 45. MELHORE SEUS CONHECIMENTOS VEJA O FILME PRAFRENTE,BRASIL! E VEJA A VIDA DE UM CIDADÃO COMUM MUDAR DO NADA GRAÇAS AS LOUCURAS DA DITADURA
  • 47.  O Milagre Econômico durou de 1968 a 1973.  aceleração do crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) e industrialização.  Além das medidas de incentivo, o milagre econômico foi visualizado por meio de obras de grande porte.  As mais importantes são a rodovia Transamazônica, a Perimetral Norte, a ponte Rio- Niterói e a usina de Itaipu.  Os recursos para as obras foram obtidos por meio de empréstimos internacionais, que elevaram a dívida externa.
  • 48.  Também receberam recursos internacionais as indústrias de bens de consumo (máquinas e equipamentos), farmacêutica e agricultura.  O setor agrícola voltou-se para a monocultura, visando o mercado internacional.  O governo federal também diminuiu os salários dos trabalhadores para incentivar o empresariado.  Poucos ricos e muitos pobres  Na época, o ministro da fazenda Delfim Neto, justificou a medida como importante para impulsionar o crescimento do País.  O Brasil ocupava a posição de oitava economia do mundo.  Era o Milagre econômico do Brasil
  • 49. POSITIVO NEGATIVO  Construção de obras importantes(Usinas e Pontes)  Aceleração da industrialização  Incentivo à indústria da construção civil com a criação do Sistema Financeiro Habitacional  Abertura de estradas  Melhoria da urbanização  Aumento da pobreza  Aumento da inflação (preços mais altos)  Redução do poder aquisitivo (de compra) do trabalhador pobre  Investimento mínimo em saúde, educação e previdência social  Dependência de empréstimos do exterior, principalmente dos Estados Unidos
  • 50.  dia 15 de março de 1974, Médici foi substituído na Presidência pelo general Ernesto Geisel (1974-1979).  Ele assumiu prometendo retomar o crescimento econômico e restabelecer a democracia.  Nas eleições de 1974, a oposição aglutinada no MDB, obteve ampla vitória. Ao mesmo tempo, Geisel procurava conter este o avanço.   Em 1975, o Jornalista VLADIMIR HERZOG é chamado a depor no DOI-Codi, foi torturado e encontrado morto em sua sela. Hoje é comprovado o Assassinato.  Em 1977, diante da recusa do MDB em aprovar a reforma da Constituição, o Congresso foi fechado e o mandato do presidente foi aumentado para seis anos.
  • 51. A oposição começou a pressionar o governo, junto com a sociedade civil. Com a crescente pressão, o Congresso já reaberto aprovou, em 1979, a revogação do AI-5. O Congresso não podia mais ser fechado, nem ser cassados os direitos políticos dos cidadãos. Geisel escolheu como seu sucessor o general João Batista Figueiredo, eleito de forma indireta. Más Ditadura perdia as forças e enfraquecia.
  • 52.  Figueiredo assumiu o cargo em 15 março de 1979, com o compromisso de aprofundar o processo de abertura política.  No entanto, a crise econômica seguia adiante, e a dívida externa atingia mais de 100 bilhões de dólares, e a inflação, chegava a 200% ao ano.  Aprovada a lei da Anistia, perdoando exilados, presos políticos e torturadores,  As reformas políticas continuaram sendo realizadas, mas a linha dura continuava com o terrorismo.  Surgiram vários partidos, entre eles o Partido Democrático Social (PDS) e o Partido dos Trabalhadores (PT).  As lutas e protestos contra a Ditadura foram se Multiplicando.
  • 53.  Em 1983, teve início em todo o país uma campanha pelas eleições diretas para presidente as "Diretas Já“  União de várias lideranças políticas como Fernando Henrique Cardoso, Lula, Ulysses Guimarães, entre outros.  O movimento que chegou ao auge em 1984, quando seria votada a Emenda Dante de Oliveira, que pretendia restabelecer as eleições diretas para presidente.  Logo depois da derrota de 25 de abril, grande parte das forças de oposição resolveu participar das eleições indiretas para presidente.  O PMDB lançou Tancredo Neves, para presidente e José Sarney, para vice-presidente.  Reunido o Colégio Eleitoral, a maioria dos votos foi para Tancredo Neves, que derrotou Paulo Maluf, candidato do PDS. Desse modo encerrava-se os dias da ditadura militar.
  • 54. SEMINARIOS: FORMEM GRUPOS E VAMOS SORTEAR OS TEMAS ABAIXO PARA APRESENTAÇÃO E DEBATE EM SALA:  O Brasilia virar uma nova Cuba?  O golpe foi obra dos quartéis?  Os militares eram unidos?  O golpe foi criado pelos EUA?  A ditadurabrasileirafoi branda?  A tortura foi excessode poucos?  Na ditadura,não tinha corrupção?  O milagre foi uma mentira?
  • 55. • VEJA OS FILMES BATISMO DE SANGUE E O QUE É ISSO COMPANHEIRO E VEJA EM DIFERENTES PONTOS DE VISTA COMO ERA O BRASIL NA EPOCA DA DITADURA. LEIA TAMBÉM OS LIVROS: Brasil nunca Mais Autor: Paulo Evaristo Arns Ditadura À Brasileira Autor: Marco Antônio Villa MELHORE SEUS CONHECIMENTOS: