SlideShare uma empresa Scribd logo
Aplicações do conhecimento genético
Cap 5 – pág 144
Segundo a ONU, “biotecnologia significa
qualquer aplicação tecnológica que utilize
sistemas biológicos, organismos vivos, ou
seus derivados, para fabricar ou modificar
produtos ou processos para utilização
específica”
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
A biotecnologia é recente
em nossa sociedade?
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
Primeiras técnicas:
FUNGOS – pão, vinho, álcool, antibióticos
BACTÉRIAS – iogurtes, queijos, coalhada.
Genes
Genes - regiões dos cromossomos
(pedaços interligados do DNA), que
contém instruções para a produção de
proteínas.
1) Identificação de alelos
deletérios.
2) Diagnóstico pré-natal
a) Amniocentese
b) Vilo-coriônica
ENGENHARIA GENÉTICA, BIOENGENHARIA
OU TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE
Técnicas de manipulação do DNA para:
identificar, isolar e multiplicar os genes
dos mais diversos organismos.
Técnicas de manipulação do DNA para:
identificar, isolar e multiplicar os genes
dos mais diversos organismos.
ENGENHARIA GENÉTICA, BIOENGENHARIA
OU TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE
Engenharia genética.
Com os avanços do conhecimento científico,
surge uma nova Biotecnologia que inclui
modernas técnicas de manipulação do DNA,
permitindo:
manipular o genoma dos organismos;
transplantar genes de uma espécie para outra;
construir sequências de DNA em laboratório.
Com os avanços do conhecimento científico,
surge uma nova Biotecnologia que inclui
modernas técnicas de manipulação do DNA,
permitindo:
manipular o genoma dos organismos;
transplantar genes de uma espécie para outra;
construir sequências de DNA em laboratório.
Consiste na introdução de um gene sadio
no organismo (gene terapêutico). São
usados vetores como plasmídeos e vírus.
Os avanços da Engenharia Genética
permitiram conhecer, sequenciar e até alterar
o código genético de um ser vivo.
A manipulação
do DNA
envolve muitas
aplicações.
As bases para a Engenharia Genética
estão na técnica do DNA
recombinante, utilizada por muitos
pesquisadores.
Serviços de aconselhamento genético,
prevenção de doenças hereditárias e
diagnóstico pré-natal sobre anomalias
genéticas em fetos;
Identificação de pessoas com base na
análise de DNA e testes de paternidade.
Produção de medicamentos.
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
Biofármacos
Utiliza-se células geneticamente
modificadas para a produção de
proteínas terapêuticas. A produção de
insulina recombinante e anticorpos
monoclonais para o tratamento de
câncer.
ANTIBIÓTICOS
São compostos utilizados para
controlar o crescimento de
microrganismos sensíveis à droga.
Biossensores
Combinam diferentes componentes biológicos
(antígenos, enzimas, anticorpos e células de
microrganismos) com componentes
eletroquímicos (sensores), com o objetivo de
sinalizar ou quantificar a presença de uma
determinada substância
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
As enzimas de restrição
Na década de 1970,
descobriu-se que certas
enzimas bacterianas,
chamadas enzimas de
restrição ou endonucleases,
podiam cortar a molécula de
DNA em pontos específicos e
de forma controlada.
São “tesouras químicas”
altamente específicas, pois
cada tipo de enzima
reconhece e corta apenas
uma determinada parte do
DNA.
Atualmente, existem
inúmeras enzimas de
restrição identificadas,
isoladas das bactérias
e purificadas em
laboratório para a
comercialização.
Insulina: hormônio que regula os níveis de glicose no sangue
Insulina:
Primeiro hormônio resultante da tecnologia do DNA recombinante
ENGENHARIA GENÉTICA
(DNA RECOMBINANTE)
O plasmídeo é o material genético circular
NÃO ligado ao cromossomo que fica
espalhado pelo hialoplasma das bactérias.
Uso de Plasmídeo e Enzimas de Restrição
para a produção de insulina em laboratório.
ENZIMA DE RESTRIÇÃO
ENZIMA LIGASE
1)
2)
3)
O que são transgênicos???
São Organismos Geneticamente
Modificados (OGM), que recebem genes de
outras espécies.
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
1)
2)
3)
Transgênicos
Planta de tabaco
transgênica contendo o
gene da luciferase do
vaga-lume demonstra o
poder e o potencial da
manipulação genética
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
Capazes de auto renovação e diferenciação em muitas
categorias de células.
Podem se dividir e se transformar em outros tipos de
células.
Podem ser programadas para desenvolver funções
específicas, tendo em vista que ainda não possuem uma
especialização.
Células Tronco
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
CLONAGEM
População de geneticamente idênticos, produzidos
assexuadamente ou a partir de progenitor comum;
Cópia idêntica de moléculas, células, tecidos e organismos
adultos Ex: população de bactérias, plantas.
Um clone pode ser definido
como um conjunto de
células ou organismos que
se originaram de uma única
célula e que são idênticas à
célula original.
Clonagem
reprodutiva
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
CLONAGEM TERAPÊUTICA
Não confunda com transgênicos!
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema articular
Sistema articularSistema articular
Sistema articular
guestd9bf801
 
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Prof. Saulo Bezerra
 
Controle ciclo celular fisioterapia
Controle ciclo celular fisioterapiaControle ciclo celular fisioterapia
Controle ciclo celular fisioterapia
laismoraes93
 
Transcrição e tradução
Transcrição e traduçãoTranscrição e tradução
Introdução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia HumanaIntrodução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia Humana
Pedro Miguel
 
Aula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNA
Aula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNAAula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNA
Aula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNA
Fernando Mori Miyazawa
 
ANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptxANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptx
JohnAlcntara
 
água e biomoléculas
água e biomoléculaságua e biomoléculas
água e biomoléculas
Victor Maciel
 
Dna forense
Dna forenseDna forense
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célulaRevisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
emanuel
 
Organelas citoplasmaticas
Organelas citoplasmaticasOrganelas citoplasmaticas
Organelas citoplasmaticas
letyap
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
Bellaprd
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Anatomia corpo humano parte 6
Anatomia corpo humano parte 6Anatomia corpo humano parte 6
Anatomia corpo humano parte 6
Alexandre Donha
 
Anatomia
AnatomiaAnatomia
Anatomia
Camila Araújo
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
emibio
 
compostos orgânicos e inorgânicos
compostos orgânicos e inorgânicoscompostos orgânicos e inorgânicos
compostos orgânicos e inorgânicos
Ronaldo Assis
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
Fatima Comiotto
 
A celula e suas organelas
A celula e suas organelasA celula e suas organelas
A celula e suas organelas
Rosana Cunha Bueno
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
César Milani
 

Mais procurados (20)

Sistema articular
Sistema articularSistema articular
Sistema articular
 
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
Introdução ao estudo da fisiologia: parte 01
 
Controle ciclo celular fisioterapia
Controle ciclo celular fisioterapiaControle ciclo celular fisioterapia
Controle ciclo celular fisioterapia
 
Transcrição e tradução
Transcrição e traduçãoTranscrição e tradução
Transcrição e tradução
 
Introdução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia HumanaIntrodução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia Humana
 
Aula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNA
Aula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNAAula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNA
Aula 11 - Ácidos nucleicos - DNA e RNA
 
ANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptxANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA - INTRODUÇÃO SEGUNDA.pptx
 
água e biomoléculas
água e biomoléculaságua e biomoléculas
água e biomoléculas
 
Dna forense
Dna forenseDna forense
Dna forense
 
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célulaRevisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
 
Organelas citoplasmaticas
Organelas citoplasmaticasOrganelas citoplasmaticas
Organelas citoplasmaticas
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Anatomia corpo humano parte 6
Anatomia corpo humano parte 6Anatomia corpo humano parte 6
Anatomia corpo humano parte 6
 
Anatomia
AnatomiaAnatomia
Anatomia
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
 
compostos orgânicos e inorgânicos
compostos orgânicos e inorgânicoscompostos orgânicos e inorgânicos
compostos orgânicos e inorgânicos
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
 
A celula e suas organelas
A celula e suas organelasA celula e suas organelas
A celula e suas organelas
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 

Semelhante a BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf

Aula 1 -_introdução_à_biotecnologia
Aula 1 -_introdução_à_biotecnologiaAula 1 -_introdução_à_biotecnologia
Aula 1 -_introdução_à_biotecnologia
Silvânia Mendes Moreschi
 
Biologia - Aula biotecnologia
Biologia - Aula biotecnologiaBiologia - Aula biotecnologia
Biologia - Aula biotecnologia
Aline da Silva (Hammes)
 
Avanços da biotecnologia 2013
Avanços da biotecnologia 2013Avanços da biotecnologia 2013
Avanços da biotecnologia 2013
UERGS
 
Biotecnologia.
Biotecnologia.Biotecnologia.
Biotecnologia.
Ajudar Pessoas
 
Engenharia Genética
Engenharia GenéticaEngenharia Genética
Engenharia Genética
Andresa Sampaio
 
aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..
aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..
aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..
FranciscaalineBrito
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
LorennaVilhena
 
Biotecnologia 2 B
Biotecnologia 2 BBiotecnologia 2 B
Biotecnologia 2 B
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Apres.ppoint.biotecnologia
Apres.ppoint.biotecnologiaApres.ppoint.biotecnologia
Apres.ppoint.biotecnologia
Albano Novaes
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
Rennê Pereira
 
Avanços da biotecnologia 2 A
Avanços da biotecnologia 2 AAvanços da biotecnologia 2 A
Avanços da biotecnologia 2 A
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
Aleni Fonseca
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
Aleni Fonseca
 
AULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptxAULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptx
carla Lêdo
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Trabalho de avanços biotecnologia 2 C
Trabalho de  avanços  biotecnologia 2 CTrabalho de  avanços  biotecnologia 2 C
Trabalho de avanços biotecnologia 2 C
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia-2B
Biotecnologia-2BBiotecnologia-2B
Biotecnologia-2B
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
paulober
 
Biotecnologia e engenharia genética
Biotecnologia e engenharia genéticaBiotecnologia e engenharia genética
Biotecnologia e engenharia genética
Thiago Fellipe
 

Semelhante a BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf (20)

Aula 1 -_introdução_à_biotecnologia
Aula 1 -_introdução_à_biotecnologiaAula 1 -_introdução_à_biotecnologia
Aula 1 -_introdução_à_biotecnologia
 
Biologia - Aula biotecnologia
Biologia - Aula biotecnologiaBiologia - Aula biotecnologia
Biologia - Aula biotecnologia
 
Avanços da biotecnologia 2013
Avanços da biotecnologia 2013Avanços da biotecnologia 2013
Avanços da biotecnologia 2013
 
Biotecnologia.
Biotecnologia.Biotecnologia.
Biotecnologia.
 
Engenharia Genética
Engenharia GenéticaEngenharia Genética
Engenharia Genética
 
aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..
aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..
aula01- INTRODUÇÃO A biotecnologia.pptx..
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
 
Biotecnologia 2 B
Biotecnologia 2 BBiotecnologia 2 B
Biotecnologia 2 B
 
Apres.ppoint.biotecnologia
Apres.ppoint.biotecnologiaApres.ppoint.biotecnologia
Apres.ppoint.biotecnologia
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
 
Avanços da biotecnologia 2 A
Avanços da biotecnologia 2 AAvanços da biotecnologia 2 A
Avanços da biotecnologia 2 A
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
 
AULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptxAULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Biotecnologia (1).pptx
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Trabalho de avanços biotecnologia 2 C
Trabalho de  avanços  biotecnologia 2 CTrabalho de  avanços  biotecnologia 2 C
Trabalho de avanços biotecnologia 2 C
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Biotecnologia-2B
Biotecnologia-2BBiotecnologia-2B
Biotecnologia-2B
 
Engenharia genética
Engenharia genéticaEngenharia genética
Engenharia genética
 
Biotecnologia e engenharia genética
Biotecnologia e engenharia genéticaBiotecnologia e engenharia genética
Biotecnologia e engenharia genética
 

Mais de César Milani

ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdfÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
César Milani
 
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdfAUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
César Milani
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdfSISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
César Milani
 
2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdfÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOSÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOS
César Milani
 
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIACÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
César Milani
 
AULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃOAULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃO
César Milani
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivo
César Milani
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
César Milani
 
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentaçãoEmbriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
César Milani
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
César Milani
 
Núcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínasNúcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínas
César Milani
 
Revestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membranaRevestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membrana
César Milani
 
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOSPOLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
César Milani
 
Roteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirãoRoteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirão
César Milani
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
César Milani
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6
César Milani
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
César Milani
 

Mais de César Milani (20)

ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdfÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
 
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdfAUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdfSISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
 
2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf
 
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdfÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
 
ÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOSÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOS
 
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIACÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
 
AULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃOAULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃO
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivo
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
 
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentaçãoEmbriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Núcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínasNúcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínas
 
Revestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membranaRevestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membrana
 
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOSPOLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
 
Roteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirãoRoteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirão
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
 

Último

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 

Último (20)

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 

BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf

  • 1. Aplicações do conhecimento genético Cap 5 – pág 144
  • 2. Segundo a ONU, “biotecnologia significa qualquer aplicação tecnológica que utilize sistemas biológicos, organismos vivos, ou seus derivados, para fabricar ou modificar produtos ou processos para utilização específica”
  • 5. A biotecnologia é recente em nossa sociedade?
  • 8. Primeiras técnicas: FUNGOS – pão, vinho, álcool, antibióticos BACTÉRIAS – iogurtes, queijos, coalhada.
  • 9. Genes Genes - regiões dos cromossomos (pedaços interligados do DNA), que contém instruções para a produção de proteínas. 1) Identificação de alelos deletérios. 2) Diagnóstico pré-natal a) Amniocentese b) Vilo-coriônica
  • 10. ENGENHARIA GENÉTICA, BIOENGENHARIA OU TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE Técnicas de manipulação do DNA para: identificar, isolar e multiplicar os genes dos mais diversos organismos. Técnicas de manipulação do DNA para: identificar, isolar e multiplicar os genes dos mais diversos organismos. ENGENHARIA GENÉTICA, BIOENGENHARIA OU TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE
  • 12. Com os avanços do conhecimento científico, surge uma nova Biotecnologia que inclui modernas técnicas de manipulação do DNA, permitindo: manipular o genoma dos organismos; transplantar genes de uma espécie para outra; construir sequências de DNA em laboratório. Com os avanços do conhecimento científico, surge uma nova Biotecnologia que inclui modernas técnicas de manipulação do DNA, permitindo: manipular o genoma dos organismos; transplantar genes de uma espécie para outra; construir sequências de DNA em laboratório.
  • 13. Consiste na introdução de um gene sadio no organismo (gene terapêutico). São usados vetores como plasmídeos e vírus.
  • 14. Os avanços da Engenharia Genética permitiram conhecer, sequenciar e até alterar o código genético de um ser vivo. A manipulação do DNA envolve muitas aplicações. As bases para a Engenharia Genética estão na técnica do DNA recombinante, utilizada por muitos pesquisadores.
  • 15. Serviços de aconselhamento genético, prevenção de doenças hereditárias e diagnóstico pré-natal sobre anomalias genéticas em fetos;
  • 16. Identificação de pessoas com base na análise de DNA e testes de paternidade.
  • 19. Biofármacos Utiliza-se células geneticamente modificadas para a produção de proteínas terapêuticas. A produção de insulina recombinante e anticorpos monoclonais para o tratamento de câncer.
  • 20. ANTIBIÓTICOS São compostos utilizados para controlar o crescimento de microrganismos sensíveis à droga.
  • 21. Biossensores Combinam diferentes componentes biológicos (antígenos, enzimas, anticorpos e células de microrganismos) com componentes eletroquímicos (sensores), com o objetivo de sinalizar ou quantificar a presença de uma determinada substância
  • 23. As enzimas de restrição Na década de 1970, descobriu-se que certas enzimas bacterianas, chamadas enzimas de restrição ou endonucleases, podiam cortar a molécula de DNA em pontos específicos e de forma controlada. São “tesouras químicas” altamente específicas, pois cada tipo de enzima reconhece e corta apenas uma determinada parte do DNA.
  • 24. Atualmente, existem inúmeras enzimas de restrição identificadas, isoladas das bactérias e purificadas em laboratório para a comercialização.
  • 25. Insulina: hormônio que regula os níveis de glicose no sangue Insulina: Primeiro hormônio resultante da tecnologia do DNA recombinante
  • 26. ENGENHARIA GENÉTICA (DNA RECOMBINANTE) O plasmídeo é o material genético circular NÃO ligado ao cromossomo que fica espalhado pelo hialoplasma das bactérias.
  • 27. Uso de Plasmídeo e Enzimas de Restrição para a produção de insulina em laboratório.
  • 30. 1)
  • 31. 2)
  • 32. 3)
  • 33. O que são transgênicos??? São Organismos Geneticamente Modificados (OGM), que recebem genes de outras espécies.
  • 35. 1)
  • 36. 2)
  • 37. 3)
  • 38. Transgênicos Planta de tabaco transgênica contendo o gene da luciferase do vaga-lume demonstra o poder e o potencial da manipulação genética
  • 40. Capazes de auto renovação e diferenciação em muitas categorias de células. Podem se dividir e se transformar em outros tipos de células. Podem ser programadas para desenvolver funções específicas, tendo em vista que ainda não possuem uma especialização. Células Tronco
  • 46. CLONAGEM População de geneticamente idênticos, produzidos assexuadamente ou a partir de progenitor comum; Cópia idêntica de moléculas, células, tecidos e organismos adultos Ex: população de bactérias, plantas. Um clone pode ser definido como um conjunto de células ou organismos que se originaram de uma única célula e que são idênticas à célula original.
  • 51. Não confunda com transgênicos!