SlideShare uma empresa Scribd logo
BASQUETEBOL
Origem – regras e fundamentos
Professor: Inácio Manoel
BASQUETE
Foi criado pelo professor de Educação Física
canadense, James Naismith, no ano de 1891,
nos EUA;
História
O motivo principal para a criação do Basquete,
foi o intenso e rigoroso inverno que impedia a
prática de atividades físicas e esportes ao ar
livre;
História
A missão de James era criar um jogo que não
fosse violento e que pudesse ser praticado
também em áreas abertas durante o verão;
História
Após algumas reflexões James decidiu que o
jogo deveria ser jogado com as mãos, ter um
alvo fixo e uma bola que quicasse com
regularidade;
Faltou então encontrar um alvo que pudesse
ser acertado com a bola;
James encontrou uma cesta de colher pêssegos
e colocou a uma altura de 3,05 metros.
História
História
No início do jogo, surgiu uma limitação com relação
ao cesto.
História
História
Após algum tempo de prática foi colocada a
tabela e introduzido os aros metálicos.
No Brasil o basquete iniciou-se em 1896,
através do norte americano Augusto Shaw, na
Associação Atlética Mackenzie de São Paulo;
História
A FIBA (Federação Internacional de Basquete) é
quem regulamenta e organiza o esporte em
nível mundial;
História
No Brasil a CBB (Confederação Brasileira de
Basketball) é a responsável pela organização do
basquete no país.
História
OBJETIVO DO JOGO
O objetivo do jogo de basquete é marcar pontos na
cesta da equipe adversária e evitar que o adversário
marque pontos na sua cesta;
Vence o jogo a equipe que marcar mais pontos ao
final do tempo.
Objetivo
Regras
Número de jogadores
por equipe
Uma equipe é formada por cinco jogadores em
quadra (em jogo) e mais sete reservas;
Número de jogadores por
equipe
Início de jogo
O jogo se inicia com o árbitro realizando um
lançamento para o alto, entre dois jogadores
adversários, no círculo central da quadra.
Início de jogo
Duração do jogo
O jogo de basquete é disputado em 4 períodos
de 10 minutos de tempo útil, ou seja, o
cronômetro (tempo) só avança quando a bola
está em jogo.
O tempo é marcada de forma decrescente.
Duração do jogo
Duração do jogo
Reposição da bola
Após a marcação de uma falta o jogo se
reinicia com um lançamento fora da linha
lateral.
Após a marcação de um ponto o jogo se
reinicia com um lançamento atrás da linha de
fundo.
Reposição da bola
Reposição da bola
Reposição da bola
Condução da bola
A bola é sempre jogada com as mãos;
Não é permitido utilizar os pés ou a perna
durante o jogo;
O jogador pode realizar no máximo 2 passos
segurando a bola;
Condução da bola
Condução da bola
Pontuação
É contabilizado ponto, toda vez que a bola
entra no aro por cima;
O arremesso pode valer: 1, 2 ou 3 pontos;
A pontuação depende da localização do
jogador no momento do arremesso;
Pontuação
A quadra de jogo
A quadra
Quando o arremesso for realizado fora da área
dos 6,75 metros;
3 pontos
Quando o arremesso for realizado dentro da
área dos 6,75 metros;
2 pontos
Quando o arremesso for realizado através de
um lance livre;
Lance livre: é uma oportunidade dada a um
jogador para marcar um (1) ponto, sem
marcação, de uma posição atrás da linha de
lance livre e dentro do semicírculo;
1 ponto
Lance livre
Regra dos 24 segundos
Cada equipe tem direito a vinte e quatro (24)
segundo para realizar um arremesso;
24 segundos
Faltas da equipe
Cada equipe pode cometer em cada período de
jogo um total de quatro (4) faltas;
Após esse limite, todas as demais faltas
cometidas a equipe adversária terá direito a
cobrança de lances livres;
Faltas da equipe
Faltas do jogador
Um jogador que cometer cinco (5) faltas
durante a partida será excluído (desqualificado)
e terá que ser substituído por outro jogador;
Faltas do jogador
Falta pessoal
É uma falta que envolve contato de um jogador
com um adversário;
Exemplos: segurar, bloquear, empurrar,
carregar, calçar ou impedir a progressão de um
adversário, dentre outros;
Falta pessoal
Falta técnica
É uma falta de um jogador, sem contato, de
natureza comportamental, incluindo: desprezar
as advertências dos árbitros, comunicar-se
desrespeitosamente com os árbitros,
adversários e/ou outros membros da equipe,
dentre outros;
Penalidade: a equipe que sofreu a falta terá
direito a dois (2) lances livres e uma reposição
de bola.
Falta técnica
Passos
O jogador durante a partida não pode realizar
mais de dois (2) passos, segurando a bola;
Passos
Bola presa
Ocorre quando um ou mais jogadores
adversários têm uma ou ambas as mãos
firmemente sobre a bola de modo que nenhum
jogador possa obter o controle da bola.
Bola presa
Substituição
Cada equipe pode realizar quantas
substituições desejar durante a partida;
A substituição só pode ser realizada quando o
cronômetro do jogo estiver parado;
Substituição
Árbitros
A partida é comandada por três (3) árbitros,
que tem como função assegurarem o
cumprimento das regras do jogo;
Árbitros
Fundamentos do
Basquete
São movimentos essenciais para a realização
do esporte. Os principais fundamentos do
basquete são: passe, drible, arremesso e
rebote;
Fundamentos do Basquete
Passe
Consiste em enviar a bola de um companheiro
a outro, de variadas formas;
O passe é considerado a forma mais rápida de
se avançar da quadra de defesa para a quadra
de ataque;
Os tipos de passe mais utilizados no basquete
são: passe de peito, passe quicado e passe de
ombro.
Passe
A bola na altura do peito é arremessada na
direção do alvo. É utilizado para lançar a bola a
curta ou média distância. É normalmente o tipo
de passe mais utilizado durante o jogo.
Passe de Peito
Passe de peito
Semelhante ao passe de peito;
Esse passe efetua-se fazendo com que a bola
toque primeiro no solo (chão) e depois chegue
ao companheiro;
Passe quicado
Passe quicado
Realizado com uma das mãos;
É utilizado quando se quer fazer um
lançamento mais longo;
É um tipo de passe não tão utilizado durante o
jogo.
Passe de ombro
Passe de ombro
Drible
Corresponde a ação do jogador em
impulsionar consecutivamente a bola contra o
solo, podendo para isto, utilizar uma das mãos
isoladamente ou as duas mãos alternadamente;
Drible
Drible
Arremesso
É um fundamento de ataque que consiste no
lançamento da bola em direção à cesta, com o
objetivo de marcar pontos;
Arremesso
Arremesso
Arremesso
Rebote
Consiste na recuperação da bola, após um
arremesso não convertido;
Pode ser utilizado tanto defensivamente
quanto ofensivamente;
Defensivamente: quando a bola é recuperada
por um jogador da defesa;
Ofensivamente: quando a bola é recuperada
por um jogador de ataque
Rebote
Rebote
Rebote

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Handebol
HandebolHandebol
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
Marta Marinho
 
Badminton
BadmintonBadminton
Badminton
Inácio Júnior
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
Bernardo Matos
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
Nicollas Villar
 
Basquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentosBasquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentos
Prof. Saulo Bezerra
 
Slide handebol
Slide handebolSlide handebol
Slide handebol
Gelcimar Educ Física
 
Basquete.
Basquete.Basquete.
Basquete.
maadalk
 
Andebol
AndebolAndebol
Andebol
ana pinho
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
Helder Ribeiro
 
Treinamento de handebol
Treinamento de handebolTreinamento de handebol
Treinamento de handebol
profede
 
O basquete
O basquete O basquete
O basquete
Anna Ramos
 
Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos)
Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos) Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos)
Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos)
jessica Nogueira
 
Rugby
RugbyRugby
Rugby
evandrolhp
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
Hugo Ferreira
 
Voleibol
Voleibol Voleibol
Voleibol
Sara Pereira
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
smigano
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
KrashovJC
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
Lisleia Macedo
 
O ténis de mesa
O ténis de mesaO ténis de mesa
O ténis de mesa
gbvco1997
 

Mais procurados (20)

Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
 
Badminton
BadmintonBadminton
Badminton
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
 
Basquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentosBasquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentos
 
Slide handebol
Slide handebolSlide handebol
Slide handebol
 
Basquete.
Basquete.Basquete.
Basquete.
 
Andebol
AndebolAndebol
Andebol
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Treinamento de handebol
Treinamento de handebolTreinamento de handebol
Treinamento de handebol
 
O basquete
O basquete O basquete
O basquete
 
Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos)
Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos) Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos)
Andebol ou Handebol (historico, regras e fundamentos)
 
Rugby
RugbyRugby
Rugby
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
 
Voleibol
Voleibol Voleibol
Voleibol
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
 
O ténis de mesa
O ténis de mesaO ténis de mesa
O ténis de mesa
 

Semelhante a Basquetebol blog

Olimpíadas
OlimpíadasOlimpíadas
Olimpíadas
Marina Stefanny
 
Apresentação basquetebol.pdf
Apresentação basquetebol.pdfApresentação basquetebol.pdf
Apresentação basquetebol.pdf
JOÃO PEREIRA
 
Apostila de basquetebol
Apostila de basquetebolApostila de basquetebol
Apostila de basquetebol
bbpn
 
Apostila de basquetebol
Apostila de basquetebolApostila de basquetebol
Apostila de basquetebol
bbpn
 
Futsal
FutsalFutsal
Futsal
Ruy8
 
Basquete
BasqueteBasquete
Word 9 d_11
Word 9 d_11Word 9 d_11
Word 9 d_11
pedrofranciscotic
 
Regras do Basquete
Regras do BasqueteRegras do Basquete
Regras do Basquete
tv2aetabua
 
222
222222
213
213213
Apresentação basquetebol
Apresentação basquetebol Apresentação basquetebol
Apresentação basquetebol
Paula Silva Silva
 
Futebol.pptx
Futebol.pptxFutebol.pptx
Futebol.pptx
Leonardo833426
 
This is BASKETBALL!
This is BASKETBALL!This is BASKETBALL!
This is BASKETBALL!
Jocasta Luiza
 
Andebol - tudo
Andebol - tudoAndebol - tudo
Andebol - tudo
HugoSousa93
 
Apostila handebol
Apostila handebolApostila handebol
Apostila handebol
marcelosilveirazero1
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
Rayana Fialho
 
Apostila futsal
Apostila futsalApostila futsal
Apostila futsal
proinfoalda
 
Basquete 1
Basquete 1Basquete 1
Basquete 1
Nilceia Sc
 
Quadro comparativo de modalidades desportivas
Quadro comparativo de modalidades desportivasQuadro comparativo de modalidades desportivas
Quadro comparativo de modalidades desportivas
JOÃO PEREIRA
 
andebol
andebolandebol
andebol
guest126cc72
 

Semelhante a Basquetebol blog (20)

Olimpíadas
OlimpíadasOlimpíadas
Olimpíadas
 
Apresentação basquetebol.pdf
Apresentação basquetebol.pdfApresentação basquetebol.pdf
Apresentação basquetebol.pdf
 
Apostila de basquetebol
Apostila de basquetebolApostila de basquetebol
Apostila de basquetebol
 
Apostila de basquetebol
Apostila de basquetebolApostila de basquetebol
Apostila de basquetebol
 
Futsal
FutsalFutsal
Futsal
 
Basquete
BasqueteBasquete
Basquete
 
Word 9 d_11
Word 9 d_11Word 9 d_11
Word 9 d_11
 
Regras do Basquete
Regras do BasqueteRegras do Basquete
Regras do Basquete
 
222
222222
222
 
213
213213
213
 
Apresentação basquetebol
Apresentação basquetebol Apresentação basquetebol
Apresentação basquetebol
 
Futebol.pptx
Futebol.pptxFutebol.pptx
Futebol.pptx
 
This is BASKETBALL!
This is BASKETBALL!This is BASKETBALL!
This is BASKETBALL!
 
Andebol - tudo
Andebol - tudoAndebol - tudo
Andebol - tudo
 
Apostila handebol
Apostila handebolApostila handebol
Apostila handebol
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 
Apostila futsal
Apostila futsalApostila futsal
Apostila futsal
 
Basquete 1
Basquete 1Basquete 1
Basquete 1
 
Quadro comparativo de modalidades desportivas
Quadro comparativo de modalidades desportivasQuadro comparativo de modalidades desportivas
Quadro comparativo de modalidades desportivas
 
andebol
andebolandebol
andebol
 

Último

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Basquetebol blog

  • 1. BASQUETEBOL Origem – regras e fundamentos Professor: Inácio Manoel
  • 3. Foi criado pelo professor de Educação Física canadense, James Naismith, no ano de 1891, nos EUA; História
  • 4. O motivo principal para a criação do Basquete, foi o intenso e rigoroso inverno que impedia a prática de atividades físicas e esportes ao ar livre; História
  • 5. A missão de James era criar um jogo que não fosse violento e que pudesse ser praticado também em áreas abertas durante o verão; História
  • 6. Após algumas reflexões James decidiu que o jogo deveria ser jogado com as mãos, ter um alvo fixo e uma bola que quicasse com regularidade; Faltou então encontrar um alvo que pudesse ser acertado com a bola; James encontrou uma cesta de colher pêssegos e colocou a uma altura de 3,05 metros. História
  • 8. No início do jogo, surgiu uma limitação com relação ao cesto. História
  • 9. História Após algum tempo de prática foi colocada a tabela e introduzido os aros metálicos.
  • 10. No Brasil o basquete iniciou-se em 1896, através do norte americano Augusto Shaw, na Associação Atlética Mackenzie de São Paulo; História
  • 11. A FIBA (Federação Internacional de Basquete) é quem regulamenta e organiza o esporte em nível mundial; História
  • 12. No Brasil a CBB (Confederação Brasileira de Basketball) é a responsável pela organização do basquete no país. História
  • 14. O objetivo do jogo de basquete é marcar pontos na cesta da equipe adversária e evitar que o adversário marque pontos na sua cesta; Vence o jogo a equipe que marcar mais pontos ao final do tempo. Objetivo
  • 17. Uma equipe é formada por cinco jogadores em quadra (em jogo) e mais sete reservas; Número de jogadores por equipe
  • 19. O jogo se inicia com o árbitro realizando um lançamento para o alto, entre dois jogadores adversários, no círculo central da quadra. Início de jogo
  • 21. O jogo de basquete é disputado em 4 períodos de 10 minutos de tempo útil, ou seja, o cronômetro (tempo) só avança quando a bola está em jogo. O tempo é marcada de forma decrescente. Duração do jogo
  • 24. Após a marcação de uma falta o jogo se reinicia com um lançamento fora da linha lateral. Após a marcação de um ponto o jogo se reinicia com um lançamento atrás da linha de fundo. Reposição da bola
  • 28. A bola é sempre jogada com as mãos; Não é permitido utilizar os pés ou a perna durante o jogo; O jogador pode realizar no máximo 2 passos segurando a bola; Condução da bola
  • 31. É contabilizado ponto, toda vez que a bola entra no aro por cima; O arremesso pode valer: 1, 2 ou 3 pontos; A pontuação depende da localização do jogador no momento do arremesso; Pontuação
  • 32. A quadra de jogo
  • 34. Quando o arremesso for realizado fora da área dos 6,75 metros; 3 pontos
  • 35. Quando o arremesso for realizado dentro da área dos 6,75 metros; 2 pontos
  • 36. Quando o arremesso for realizado através de um lance livre; Lance livre: é uma oportunidade dada a um jogador para marcar um (1) ponto, sem marcação, de uma posição atrás da linha de lance livre e dentro do semicírculo; 1 ponto
  • 38. Regra dos 24 segundos
  • 39. Cada equipe tem direito a vinte e quatro (24) segundo para realizar um arremesso; 24 segundos
  • 41. Cada equipe pode cometer em cada período de jogo um total de quatro (4) faltas; Após esse limite, todas as demais faltas cometidas a equipe adversária terá direito a cobrança de lances livres; Faltas da equipe
  • 43. Um jogador que cometer cinco (5) faltas durante a partida será excluído (desqualificado) e terá que ser substituído por outro jogador; Faltas do jogador
  • 45. É uma falta que envolve contato de um jogador com um adversário; Exemplos: segurar, bloquear, empurrar, carregar, calçar ou impedir a progressão de um adversário, dentre outros; Falta pessoal
  • 47. É uma falta de um jogador, sem contato, de natureza comportamental, incluindo: desprezar as advertências dos árbitros, comunicar-se desrespeitosamente com os árbitros, adversários e/ou outros membros da equipe, dentre outros; Penalidade: a equipe que sofreu a falta terá direito a dois (2) lances livres e uma reposição de bola. Falta técnica
  • 49. O jogador durante a partida não pode realizar mais de dois (2) passos, segurando a bola; Passos
  • 51. Ocorre quando um ou mais jogadores adversários têm uma ou ambas as mãos firmemente sobre a bola de modo que nenhum jogador possa obter o controle da bola. Bola presa
  • 53. Cada equipe pode realizar quantas substituições desejar durante a partida; A substituição só pode ser realizada quando o cronômetro do jogo estiver parado; Substituição
  • 55. A partida é comandada por três (3) árbitros, que tem como função assegurarem o cumprimento das regras do jogo; Árbitros
  • 57. São movimentos essenciais para a realização do esporte. Os principais fundamentos do basquete são: passe, drible, arremesso e rebote; Fundamentos do Basquete
  • 58. Passe
  • 59. Consiste em enviar a bola de um companheiro a outro, de variadas formas; O passe é considerado a forma mais rápida de se avançar da quadra de defesa para a quadra de ataque; Os tipos de passe mais utilizados no basquete são: passe de peito, passe quicado e passe de ombro. Passe
  • 60. A bola na altura do peito é arremessada na direção do alvo. É utilizado para lançar a bola a curta ou média distância. É normalmente o tipo de passe mais utilizado durante o jogo. Passe de Peito
  • 62. Semelhante ao passe de peito; Esse passe efetua-se fazendo com que a bola toque primeiro no solo (chão) e depois chegue ao companheiro; Passe quicado
  • 64. Realizado com uma das mãos; É utilizado quando se quer fazer um lançamento mais longo; É um tipo de passe não tão utilizado durante o jogo. Passe de ombro
  • 67. Corresponde a ação do jogador em impulsionar consecutivamente a bola contra o solo, podendo para isto, utilizar uma das mãos isoladamente ou as duas mãos alternadamente; Drible
  • 70. É um fundamento de ataque que consiste no lançamento da bola em direção à cesta, com o objetivo de marcar pontos; Arremesso
  • 74. Consiste na recuperação da bola, após um arremesso não convertido; Pode ser utilizado tanto defensivamente quanto ofensivamente; Defensivamente: quando a bola é recuperada por um jogador da defesa; Ofensivamente: quando a bola é recuperada por um jogador de ataque Rebote