SlideShare uma empresa Scribd logo
IMPLANTANDO UMA VISÃO
INTEGRADA DE GESTÃO
NO BANCO CENTRAL
MARCELO COTA, CHEFE ADJUNTO
DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO
MARCELO.COTA@BCB.GOV.BR
2
1 O Desafio
Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como estratégia,
projetos, processos, pessoas, custos ?
2 Novas Ideias
1. O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação integrado de
estratégia, projetos, processos e pessoas
2. Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem conjuntamente
mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas
3. O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão
3 Próximos Passos
AGENDA
3
1 O Desafio
 Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como
estratégia, projetos, processos, pessoas, custos ?
2 Novas Ideias
 Ideia 1: O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação
integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas
 Ideia 2: Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem
conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas
 Ideia 3: O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão
3 Próximos Passos
AGENDA
4
O Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão
Fusão do Departamento de Planejamento, da Gerência Executiva de Projetos e de parte do
Departamento de Gestão de Pessoas.
Os Desafios
1. Diversidade de instrumentos de
gestão (10): Planejamento,
Prestação de Contas,
Orçamento, Custos, Estrutura,
Processos, Projetos,
Competências, Clima e Cultura
Organizacional;
2. Diferenças de maturidade entre
instrumentos de gestão;
3. Métodos e Sistemas não
integrados.
O Esforço de Integração
Nosso Contexto
1. Junção de estruturas,
junção de espaço físico,
junção de métodos, ...
junção de pessoas;
2. Esforço de evolução da
maturidade de alguns
instrumentos de gestão.
3. Ciclo de Gestão e
Arquitetura de Sistemas
5
1 O Desafio
 Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como
estratégia, projetos, processos, pessoas, custos ?
2 Novas Ideias
 Ideia 1: O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação
integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas
 Ideia 2: Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem
conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas
 Ideia 3: O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão
3 Próximos Passos
AGENDA
IDEIA 1O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avalição integrado de
estratégia, projetos, processos e pessoas
Ideia 1
Ciclo da Gestão
Ideia 1
Ciclo da Gestão
Ideia 1
Ciclo da Gestão
Ideia 1
Ciclo da Gestão
Ideia 1
Ciclo da Gestão
Ideia 1
Ciclo da Gestão
IDEIA 2Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem conjuntamente
mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas
Reestruturação Organizacional
Pontos principais no Design Organizacional:
1. Estratégia;
2. Estrutura;
3. Processos;
4. Sistema de Recompensa; e
5. Políticas de Recursos Humanos.
Quando todos os pontos estão alinhados, a
organização, supostamente, está disposta da maneira
mais eficaz.
Modelo Estrela
O Método de Galbraith para o design de organizações
Planejar a
reorganização
(Entender a
demanda)
Construir a visão de
futuro (Desdobrar a
estratégia)
Repensar a
estrutura da
unidade
Diagnosticar e
conceber
soluções de
processos e
sistemas
1 2 3 4
Dimensionar
estrutura e
conceber soluções
de pessoas
5
Legitimar
a reorganização
6
Acompanhar a
implantação da
reorganização
7
•Como a unidade
deverá funcionar
em 24 meses?
•Quais os ganhos
esperados com
esta nova forma
de trabalhar?
•Qual a estrutura
necessário para
gerar os ganhos
esperados?
•Como distribuir
cargos
comissionados
nesta nova
estrutura ?
•Como o processo
deve ser
melhorado para
gerar os ganhos
esperados?
•Como os
sistemas devem
ser melhorados
para gerar os
ganhos
esperados ?
•Quantas pessoas
de cada perfil
são necessárias
para realizar o
processo?
•Quais as
competências
esperadas por
profissional?
•Como capacitar
o time que irá
executar o
processo?
• Quem será
responsável
pela
implantação de
cada uma das
etapas
previstas no
plano?
• Qual o prazo
para conclusão
de cada etapa?
• Concluir cada
etapa prevista no
plano dentro dos
prazos
estabelecidos;
• Gerar,
mensalmente,
boletins
informativos
sobre andamento
da reorganização.
•Qual o problema
a ser resolvido?
•Quais os
resultados
esperados com a
resolução deste
problema?
Passos do Método de Reestruturação Organizacional
 1.1 - Levantamento de necessidade
organizacional
 1.2 - Análise integrada de estrutura
 1.3 - Cadeia de valor revisada
 1.4 - Planejamento para atendimento da
demanda
Produtos
 Demandante- Preenchimento do levantamento de necessidade organizacional: descrição de informações gerais
sobre a demanda e indicação das soluções organizacionais desejadas;
 Depog- Definição da equipe de reorganização: formalização do time do Depog responsável pelo atendimento da
demanda em questão;
 Chefia da Unidade Demandante- Apresentação e alinhamento do escopo da demanda organizacional: uniformização
do entendimento da demanda de reorganização/organização, com o devido aprofundamento de diretrizes, premissas,
restrições e fatores críticos de sucesso;
 Depog- Realização de diagnóstico integrado com base em informações já disponíveis: coleta e análise integrada das
seguintes informações : processos mapeados, estrutura organizacional, pesquisa de clima organizacional, sistema de
custos, planejamento estratégico, competências mapeadas, backlog de TI, análise de riscos, dentre outros;
 Ambos- Realização de reunião para detalhamento de informações técnicas sobre unidade demandante:
esclarecimento de dúvidas referente a termos técnicos, sistemas utilizados, fatos recentes ocorridos, rotinas
específicas, divisão do trabalho, revisão da cadeia de valor, dentre outros;
 Depog- Elaboração de planejamento para atendimento da demanda: construção do cronograma da iniciativa com
informações detalhadas de prazos, responsáveis, marcos etc.
AtividadesDesafios
• Qual o problema a ser resolvido?
• Quais os resultados esperados com a
resolução deste problema?
Acompanhar a
implantação da
reorganização
Planejar a
reorganização
(Entender a
demanda)
1
Construir a visão de
futuro (Desdobrar a
estratégia)
Repensar a
estrutura da
unidade
Diagnosticar e
conceber
soluções de
processos e
sistemas
2 3 4
Dimensionar
estrutura e
conceber soluções
de pessoas
5
Legitimar
a reorganização
6 7
IDEIA 3
O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão
Ideia 3 – O Uso da Cadeia de Valor:
Centralidade da cadeia de valor como elemento de gestão
CADEIA DE VALOR - METODOLOGIA
Cadeia de
Valor
Desdobramento
do
Planejamento
Estratégico Novos
Projetos
Riscos
Operacionais
Gestão da
Informação
Desenvolvimento
de Sistemas
Documentação
do processo
Indicadores
e Metas
para os
processos
Sistema de
Custos
Competências
Treinamento e
Desenvolvimento
Dimensionamento
da Força de
Trabalho
Melhores
Práticas
Desenho
Organizacional
Formulação das
Políticas
Monetária, Creditícia
e Cambial
Administração
dos Sistemas
de
Pagamentos
Administração
do
Meio
Circulante
Macroprocessos de Suporte
Macroprocessos de Negócio
Saneamento
do SFN
Execução e
acompanhamento
da Política
Monetária e
Creditícia
Regulação
do SFN
Administração
de Pessoal
Provimento e
Gerenciamento
de TI
Administração de
Recursos
Materiais, serviços
e patrimônio
Provimento
da
Segurança
Institucional
Administração
financeira
e contábil
Gerenciamento
da Conhecimento,
da Informação e
da Documentação
Comunicação
Procuratório
e Consultoria
Jurídica
Relacionamento
Institucional
Gestão
Estratégica
Governança
Corporativa
Execução e
acompanhamento
da Política
Cambial
Elaboração,
Padronização
e Controle
de Normas
Organização
do SFN
Atendimento
ao Cidadão
Atendimento e
Prestação de
Serviços aos
Poderes
Constituídos
Administração de
Ativos e Fundos
da União
Relacionamentos
com Governos e
Organizações
Internacionais
Elaboração de
Estudos,
Pesquisas
e Estatísticas
Macroprocessos de Gestão
Supervisão
do SFN
Educação
Corporativa
CADEIA DE VALOR - MACROPROCESSOS
Gestão
estratégica,
tática
e operacional
Comunicação
Institucional
Administração
de pessoal
Administração
financeira
e contábil
Procuratório e
consultoria
jurídica
Provimento de
segurança
institucional
Administração do Meio Circulante
Administração dos Sistemas de Pagamentos
Administração de Ativos
e Fundos da União
Saneamento
do SFN
Supervisão
do SFN
Organização
do SFN
Regulação
do SFN
Execução e Acompanhamento da Política Cambial
Formulação das Políticas Monetária,
Creditícia e Cambial
Execução e Acompanhamento das Políticas Monetárias e Creditícias
Administração
de recursos
materiais,
serviços
e patrimônio
Gerenciamento
do conhecimento,
da informação
e documentação
Relacionamento
institucional
Elaboração,
padronização
e controle
de normas
Elaboração de
estudos,
pesquisas
e estatísticas
Educação
corporativa
Governança
corporativa
Provimento e
gerenciamento
de Tecnologias
Da informação
CADEIA DE VALOR – MACROPROCESSOS – NOVO FORMATO
EstabilidadedoPoder
deCompradaMoeda
SFNsólidoe
eficiente
Infraestrutura
financeira
Demandasdos
PodereseCidadãos
atendidas
Prestação de Serviços e Atendimento de demandas
Aos poderes
Atendimento
ao Cidadão
CADEIA DE VALOR – Validação da Participação Depin – Processos
EXECUÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA CAMBIAL
EXECUÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS POLÍTICAS MONETÁRIAS E CREDITÍCIASFORMULAÇÃO DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL
Suportar a formulação
e preparar fundamentos
para decisões de
políticas monetária,
creditícia e cambial
Definir meta
para a taxa de juros
referencial (Selic)
Normatizar ações de
implantação da política
Monetária , creditícia
e cambial
Executar e acompanhar depósitos
compulsórios e direcionamentos
obrigatórios
Executar e acompanhar
os operação do crédito
de última instância
Executar e acompanhar
as Operações de
mercado aberto
Acompanhar direcionamentos
para microfinanças,
SFH e crédito rural
Acompanharcapitais
estrangeiros no Brasil e
capitais brasileiros no exterior
Definir posição
de atuação
no mercado de câmbio
Analisar, propor e
acompanhar
meta da taxa de inflação
SANEAMENTO DO SFNSUPERVISÃO DO SFNORGANIZAÇÃO DO SFNMONITORAMENTO MACRO PRUDENCIAL E REGULAÇÃO DO SFN
Cancelar autorizações
concedidas para ES
Conceder
autorizações
Analisar atos de
concentração
e de interferência na
concorrência do SFN
Acompanhar e controlar
riscos e operações
das instituições
Apurar irregularidades e
aplicar instrumentos
disciplinares e punitivos
Executar ação de
liquidação
extrajudicial
Executar ação de
intervenção
Executar ação de
administração
temporária
Planejar e evoluir
ações e procedimentos
de supervisão do SFN
Acompanhar a evolução
e composição do SFN e
divulgar de informações
Inspecionar
ES do SFN
Desenvolver ações
preventivas
Monitorar a
estabilidade
do SFN
Determinar ações
para assegurar a
estabilidade do SFN
Regular o SFN
ESTABILIDADEDOPODERDE
COMPRADAMOEDA
SFNSÓLIDOEEFICIENTE
INFRAESTRUTURAFINANCEIRA
PROVIDA
DEMANDASDOSPODERESE
CIDADÃOSATENDIDAS
ADMINISTRAR MEIO CIRCULANTE
e MOEDA ESTRANGEIRA
Prover meio
circulante
Sanear moeda
Realizar a segurança
de valores
Suprir numerário em
moeda estrangeira
ADMINISTRAR OS
SISTEMAS DE PAGAMENTOS
Regular os sistemas
de pagamentos
Monitorar os sistemas de
compensação e liquidação e
instrumentos de pagamento
Administrar os serviços de
pagamentos Internacionais
Administrar o serviço de
compensação e liquidação
de ativos e fundos (STR)
ADMINISTRAR ATIVOS
E FUNDOS DA UNIÃO
Administrar passivo
externo
PRESTAR SERVIÇOS AOS
PODERES PÚBLICOS
Atender demandas
dos poderes
constituídos
Administrar o
sistema de crédito rural
Realizar bloqueio e
garantia de títulos
PRESTAR SERVIÇOS
A SOCIEDADE
Prestar atendimento ao
cidadão e receber
denúncias
Desenvolver educação
Financeira e
a inclusão social
PROMOVER O RELACIONAMENTO
COM ÓRGÃOS TÉCNICOS
Representar o BCB
junto a fóruns, bancos
centrais e outros governos
Firmar acordos internacionais
e de troca de informações
Desenvolver
Ações de cooperação
Técnica
INFORMACIONAL
GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO, DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO
Elaborar política
de gerenciamento da
Informação e
documentação
Conduzir a gestão
do conhecimento
Gerenciar as
informações
Definir e normatizar a
arquitetura de
informação
Gerenciar a
documentação e os
arquivos
Gerenciar bibliotecas,
museus e acervos
ELABORAÇÃO, PADRONIZAÇÃO E CONTROLE DE NORMAS
Acompanhar e
atualizar normas
Padronizar
e publicar normas
ELABORAÇÃO DE ESTUDOS, PESQUISAS E ESTATÍSTICAS
Elaborar
estudos e pesquisas
Normatizar a
elaboração de estudos,
pesquisas e estatísticas
ADMINISTRAÇÃO DE
PESSOAS
Prestar atendimento
interno aos
Recursos Humanos
Gerenciar força
de trabalho
Gerenciar os
serviços
de RH
Prover serviço de
saúde
Desenvolver a
saúde
ocupacional
EDUCAÇÃO
CORPORATIVA
Realizar eventos
de educação
corporativa
Administrar
os programas de
educação corporativa
Prestar suporte aos eventos
e programas de
educação corporativa
GESTÃO DE RECURSOS
MATERIAIS, SERV. E PATR.
Prover Bens e
serviços
Administrar Instalações,
bens móveis
e imóveis
Prover Normativos
e Sistemas de apoio
PROVIMENTO E GERENCIAMENTO
DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO
Gerenciar as políticas
de TI
SEGURANÇA
INSTITUCIONAL
Prover proteção de
Pessoas
Realizar segurança
patrimonial
Prover inteligência em
segurança
PROCURATÓRIO E
CONSULTORIA JURÍDICA
Gerir ativos e passivos
e dívida ativa
(aspectos legais)
Exercer o procuratório
(judicial e extrajudicial)
Executar e controlar
atividades paralegais
Prestar consultoria
jurídica
ADMINISTRAÇÃO
FINANCEIRA E CONTÁBIL
Administrar os
fundos do BCB
Administrar o
sistema de
contabilidade do BCB
Controlar a execução
financeira
ESPECIALIZADOINSTITUCIONAL
GESTÃO ESTRATÉGICA, TÁTICA E OPERACIONAL
Realizar a gestão
estratégica, tática e
operacional
Definir e implantar
estratégia
Prover soluções
organizacionais
Realizar a gestão
orçamentária
GOVERNANÇA CORPORATIVA
Dar transparência
às ações
(accountability)
Controlar a conduta
organizacional e
de pessoal
Gerenciar
Riscos
Gerenciar
Auditorias
Gerenciar relacionamento
com os órgãos
de controle externos
COMUNICAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL
Desenvolver
Responsabilidade
socioambiental
Planejar comunicação
externa e interna
Realizar
Eventos
Gerenciar a
comunicação externa
( imprensa e pesquisa)
Gerenciar a
comunicação
interna
Orientar e controlar
o relacionamento
com órgãos externos
Prover suporte de
Secretariado aos Colegiados
Gerenciar o Relacionamento
com o Poder Legislativo
Prover soluções de
gestão de pessoas
Administrar as
Reservas Internacionais
Administrar o mercado
de câmbio doméstico
Divulgar estatísticas e
relatórios sobre a situação
das políticas monetária ,
creditícia e cambial
Desenvolver e
manter os sistemas
e aplicativos de TI
Prover Infraestrutura
de Tecnologia
da Informação
Prover infraestrutura
de comunicação
com o SFN
Prestar suporte ao
usuário
Método de Validação da Cadeia de Valor
06/07/2012 24
25
1 O Desafio
 Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como
estratégia, projetos, processos, pessoas, custos ?
2 Novas Ideias
 Ideia 1: O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação
integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas
 Ideia 2: Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem
conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas
 Ideia 3: O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão
3 Próximos Passos
AGENDA
1. Finalização da Validação da Cadeia de Valor;
2. Criação de Ritos de Gestão como instrumento para trazer a tomada de decisão por
processos para a alta administração;
3. Avaliação da Maturidade em BPM do BC;
4. Criação de Instrumento de Avaliação da Maturidade dos Processos do BC;
5. Inserção da Cadeia de Valor Validada no Sistema de Custos;
6. Revisão do Método de Reestruturação Organizacional.
26
1 Na área de Organização do BC
2 Em outros instrumentos de Gestão:
 Finalização do desenvolvimento do Sistema de Planejamento e Gestão;
 Implantação do Modelo de Gestão de Cultura e Clima Organizacionais;
 Execução do Projeto Lideranças – formação dos gestores;
 ...
PRÓXIMOS PASSOS
MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3
Procedimentos
não conformes
Estudos
em atraso
Falhas de
sistema
Perdas de
documentos
Excesso de
autorizações
Falhas de
procedimento
Desconhecimento
Das regras
Interrupções
Realizar procedimento
emergencial
Realizar procedimento
emergencial
Realizar procedimento
emergencial
Realizar
procedimento
emergencial
ÁREA1ÁREA2ÁREA3
Ritos de Gestão:
a. Trazer a visão por processos para a tomada de decisão: Ao invés de deliberar
e depois padronizar os processos, utilizar os processos para uma melhor deliberação
b. Dificuldade em corrigir o dia-a-dia e melhorar o dia-a-dia: Criar um momento periódico e sistemático
para avaliar o que pode ser melhorado minimizando a operação “apagar incêndio”
MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3
RITODEGESTÃO
RITODEGESTÃO
Revisão da
Política
TEMPO DA SOLICITAÇÃO
AO RECEBIMENTO
TEMPO DA SOLICITAÇÃO
AO RECEBIMENTO
Revisão do Estudo e do
Sistema
Ajuste no processo
Excesso de
autorizações
Realizar procedimento
emergencial
ÁREA1ÁREA2ÁREA3
Procedimentos
não conformes
Estudos
em atraso
Falhas de
sistema
Perdas de
documentos
Realizar
procedimento
emergencial
Ritos de Gestão in place:
Entendimento dos Ritos de Gestão
PRÉ-RITO
Status Projetos
Status Indicadores
Avaliação de
Competências
Erros e problemas
Status sistemas
Melhorias de
Processos
Resultados de
auditorias
Acompanhamento
de custos
Pauta Ata
Decisão 1
Decisão 2
Decisão 3
Decisão 4
Agenda
Do Gestor
Projeto
Ação
Treinamento
Demandas
RITO PÓS-RITO
REGRAS
Um Rito de Gestão
por Processos
Participam do rito de gestão os
participantes do processo
Periodicidade Bimestral
Fazer do rito o fórum
De tomada de decisão
e melhoria
Bom exemplo: COPOM,
Comitê de Política Monetária
IMPLANTANDO UMA VISÃO
INTEGRADA DE GESTÃO
NO BANCO CENTRAL
MARCELO COTA, CHEFE ADJUNTO
DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO
MARCELO.COTA@BCB.GOV.BR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação da Dissertação
Apresentação da DissertaçãoApresentação da Dissertação
Apresentação da Dissertação
Marcel Gois
 
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades deAula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
Irma Gracielle Carvalho de Oliveira Souza
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Aula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
Aula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da InformaçãoAula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
Aula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
Universal.org.mx
 
PETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
PETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da InformaçãoPETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
PETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
Wagner Silva
 
A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...
A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...
A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...
Luciane Valadão Melo
 
Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...
Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...
Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...
Ricardo Viana Vargas
 
O gestor e a evolução da gestão
O gestor e a evolução da gestãoO gestor e a evolução da gestão
O gestor e a evolução da gestão
Marketing_elearning_ipl
 
Gestão Estratégica da Saúde
Gestão Estratégica da SaúdeGestão Estratégica da Saúde
Gestão Estratégica da Saúde
Ailton Lima Ribeiro
 
ANPEI - Curso Gestão do Conhecimento
ANPEI - Curso Gestão do ConhecimentoANPEI - Curso Gestão do Conhecimento
ANPEI - Curso Gestão do Conhecimento
Jose Claudio Terra
 
Ebook balanced scorecard
Ebook balanced scorecardEbook balanced scorecard
Ebook balanced scorecard
jader Oliveira Junior
 
Gestão das organizações - Resumos
Gestão das organizações - ResumosGestão das organizações - Resumos
Gestão das organizações - Resumos
Cristiana Marques
 
Controle
ControleControle
Apresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para siApresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para si
Mozart Dornelles Claret
 
Gestao De Pessoas
Gestao De PessoasGestao De Pessoas
Gestao De Pessoas
ucammaster
 
Apresentação executiva Mapee
Apresentação executiva MapeeApresentação executiva Mapee
Apresentação executiva Mapee
João Gratuliano Glasner de Lima
 
Aspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológica
Aspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológicaAspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológica
Aspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológica
Jeferson L. Feuser
 
Hoshin kanri desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bsc
Hoshin kanri   desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bscHoshin kanri   desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bsc
Hoshin kanri desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bsc
Emilio Mesa Junior
 
Como montar um BSC para TI !
Como montar um BSC para TI !Como montar um BSC para TI !
Como montar um BSC para TI !
Manoel Veras, Dr.Eng.
 
Politicas De Rh EstratéGico Marlene
Politicas De Rh   EstratéGico MarlenePoliticas De Rh   EstratéGico Marlene
Politicas De Rh EstratéGico Marlene
Marlene Henriques
 

Mais procurados (20)

Apresentação da Dissertação
Apresentação da DissertaçãoApresentação da Dissertação
Apresentação da Dissertação
 
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades deAula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Aula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
Aula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da InformaçãoAula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
Aula 1 e 2 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
 
PETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
PETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da InformaçãoPETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
PETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
 
A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...
A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...
A importancia-do-planejamento-estrategico-como-ferramenta-de-gestao-para-inst...
 
Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...
Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...
Utilização dos Índices da Análise de Valor Agregado como um Fator do Desenvol...
 
O gestor e a evolução da gestão
O gestor e a evolução da gestãoO gestor e a evolução da gestão
O gestor e a evolução da gestão
 
Gestão Estratégica da Saúde
Gestão Estratégica da SaúdeGestão Estratégica da Saúde
Gestão Estratégica da Saúde
 
ANPEI - Curso Gestão do Conhecimento
ANPEI - Curso Gestão do ConhecimentoANPEI - Curso Gestão do Conhecimento
ANPEI - Curso Gestão do Conhecimento
 
Ebook balanced scorecard
Ebook balanced scorecardEbook balanced scorecard
Ebook balanced scorecard
 
Gestão das organizações - Resumos
Gestão das organizações - ResumosGestão das organizações - Resumos
Gestão das organizações - Resumos
 
Controle
ControleControle
Controle
 
Apresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para siApresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para si
 
Gestao De Pessoas
Gestao De PessoasGestao De Pessoas
Gestao De Pessoas
 
Apresentação executiva Mapee
Apresentação executiva MapeeApresentação executiva Mapee
Apresentação executiva Mapee
 
Aspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológica
Aspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológicaAspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológica
Aspectos estratégicos dos serviços de assessoria em pesquisa mercadológica
 
Hoshin kanri desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bsc
Hoshin kanri   desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bscHoshin kanri   desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bsc
Hoshin kanri desdobramento das diretrizes e metas do balanced scorecard - bsc
 
Como montar um BSC para TI !
Como montar um BSC para TI !Como montar um BSC para TI !
Como montar um BSC para TI !
 
Politicas De Rh EstratéGico Marlene
Politicas De Rh   EstratéGico MarlenePoliticas De Rh   EstratéGico Marlene
Politicas De Rh EstratéGico Marlene
 

Destaque

Digital, innovation & creative projects 29
Digital, innovation & creative projects 29Digital, innovation & creative projects 29
Digital, innovation & creative projects 29Zohar Urian
 
Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)
Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)
Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)
Tacio Aguiar
 
Making the Shift to a Clean Energy Economy in New York
Making the Shift to a Clean Energy Economy in New YorkMaking the Shift to a Clean Energy Economy in New York
Making the Shift to a Clean Energy Economy in New York
Jeremy Cherson
 
Interdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduação
Interdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduaçãoInterdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduação
Interdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduação
Roberto C. S. Pacheco
 
43460944 fluidos-de-perforacion
43460944 fluidos-de-perforacion43460944 fluidos-de-perforacion
43460944 fluidos-de-perforacion
diego rivera
 
Apresentação big telecom
Apresentação   big telecomApresentação   big telecom
Apresentação big telecom
Boris Mesel
 
Apresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique Schneider
Apresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique SchneiderApresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique Schneider
Apresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique Schneider
Rogerio P C do Nascimento
 
Apresentacao Institucional Softeam
Apresentacao Institucional SofteamApresentacao Institucional Softeam
Apresentacao Institucional Softeam
Rogerio P C do Nascimento
 
רועי פלד
רועי פלדרועי פלד
רועי פלד
Netcraft
 
仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること
仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること
仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること
Brocade
 
Eficiência e igualdade
Eficiência e igualdadeEficiência e igualdade
Eficiência e igualdade
Filipe S Barros
 
BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão
BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestãoBACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão
BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão
EloGroup
 

Destaque (14)

Digital, innovation & creative projects 29
Digital, innovation & creative projects 29Digital, innovation & creative projects 29
Digital, innovation & creative projects 29
 
Article Carbo
Article CarboArticle Carbo
Article Carbo
 
Microwave professional team
Microwave professional teamMicrowave professional team
Microwave professional team
 
Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)
Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)
Palestra: A Terapia de Vidas Passadas (TVP)
 
Making the Shift to a Clean Energy Economy in New York
Making the Shift to a Clean Energy Economy in New YorkMaking the Shift to a Clean Energy Economy in New York
Making the Shift to a Clean Energy Economy in New York
 
Interdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduação
Interdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduaçãoInterdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduação
Interdisciplinaridade e o sistema nacional de pós graduação
 
43460944 fluidos-de-perforacion
43460944 fluidos-de-perforacion43460944 fluidos-de-perforacion
43460944 fluidos-de-perforacion
 
Apresentação big telecom
Apresentação   big telecomApresentação   big telecom
Apresentação big telecom
 
Apresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique Schneider
Apresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique SchneiderApresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique Schneider
Apresentacao Grupo de Pesquisa GEPIED :: Prof. Henrique Schneider
 
Apresentacao Institucional Softeam
Apresentacao Institucional SofteamApresentacao Institucional Softeam
Apresentacao Institucional Softeam
 
רועי פלד
רועי פלדרועי פלד
רועי פלד
 
仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること
仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること
仮想ロードバランサ最前線: 性能も柔軟さも。ソフトウェア生まれだから実現できること
 
Eficiência e igualdade
Eficiência e igualdadeEficiência e igualdade
Eficiência e igualdade
 
BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão
BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestãoBACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão
BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão
 

Semelhante a Banco Central - Implantando uma visão integrada de gestão Recurso

[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...
[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...
[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...
EloGroup
 
Grh
GrhGrh
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
IFGe
 
Guia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processosGuia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processos
neliapires
 
124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt
124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt
124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt
PedroSilva845276
 
Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...
Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...
Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...
Pedro Sobreiro
 
Bsc
BscBsc
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarialIndicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
Dawison Calheiros
 
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.docPLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
GivaldoBatistaMoroBo
 
Unicarioca apostila de planejamento de rh 2014.2
Unicarioca   apostila de planejamento de rh 2014.2Unicarioca   apostila de planejamento de rh 2014.2
Unicarioca apostila de planejamento de rh 2014.2
Marcelo Fonseca
 
Planejamento Estratégico atividades de apoio
Planejamento Estratégico atividades de apoioPlanejamento Estratégico atividades de apoio
Planejamento Estratégico atividades de apoio
LidiaNorberta
 
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimentoComo medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Negrao Alexandre
 
Diagnostico organizacional
Diagnostico organizacionalDiagnostico organizacional
Diagnostico organizacional
Rute Duarte
 
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
André Sant'Anna Vasques
 
(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2
(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2
(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2
Ink_conteudos
 
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSCUm Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Lu Gomes
 
Dec Governança Corporativa
Dec Governança CorporativaDec Governança Corporativa
Dec Governança Corporativa
João Rufino de Sales
 
Uma AnáLise Rh Estrategico
Uma AnáLise Rh EstrategicoUma AnáLise Rh Estrategico
Uma AnáLise Rh Estrategico
Luciano Fotim
 
Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
Como e Quando Montar a sua Cadeia de ValorComo e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
EloGroup
 
[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
EloGroup
 

Semelhante a Banco Central - Implantando uma visão integrada de gestão Recurso (20)

[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...
[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...
[BPM Congress GP 2012] BANCO CENTRAL-PMI Implantando uma Visão Integrada de G...
 
Grh
GrhGrh
Grh
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
 
Guia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processosGuia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processos
 
124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt
124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt
124951226_manual-gestão integrada de recursos humanos.ppt
 
Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...
Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...
Operacionalização da estratégia no Município de Ourém como aproximação para a...
 
Bsc
BscBsc
Bsc
 
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarialIndicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
 
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.docPLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
 
Unicarioca apostila de planejamento de rh 2014.2
Unicarioca   apostila de planejamento de rh 2014.2Unicarioca   apostila de planejamento de rh 2014.2
Unicarioca apostila de planejamento de rh 2014.2
 
Planejamento Estratégico atividades de apoio
Planejamento Estratégico atividades de apoioPlanejamento Estratégico atividades de apoio
Planejamento Estratégico atividades de apoio
 
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimentoComo medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
 
Diagnostico organizacional
Diagnostico organizacionalDiagnostico organizacional
Diagnostico organizacional
 
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
 
(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2
(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2
(Transformar 16) gestão de conselhos institucionais dia 2
 
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSCUm Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSC
 
Dec Governança Corporativa
Dec Governança CorporativaDec Governança Corporativa
Dec Governança Corporativa
 
Uma AnáLise Rh Estrategico
Uma AnáLise Rh EstrategicoUma AnáLise Rh Estrategico
Uma AnáLise Rh Estrategico
 
Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
Como e Quando Montar a sua Cadeia de ValorComo e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
 
[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
[BPM Congress GP 2012] Como e Quando Montar a sua Cadeia de Valor
 

Mais de EloGroup

Ementa produtividade sensei
Ementa produtividade sensei   Ementa produtividade sensei
Ementa produtividade sensei
EloGroup
 
Infográfico - Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...
Infográfico  -  Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...Infográfico  -  Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...
Infográfico - Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...
EloGroup
 
Sistemas case ERP
Sistemas case ERP Sistemas case ERP
Sistemas case ERP
EloGroup
 
Insights e lições aprendidas
Insights e lições aprendidasInsights e lições aprendidas
Insights e lições aprendidas
EloGroup
 
Desperdicios case perdas
Desperdicios case perdas Desperdicios case perdas
Desperdicios case perdas
EloGroup
 
Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013
Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013
Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013
EloGroup
 
[IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2010
[IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2010 [IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2010
[IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2010
EloGroup
 
[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011
[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011
[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011
EloGroup
 
[IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2008
[IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2008 [IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2008
[IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2008
EloGroup
 
[IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009
[IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009 [IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009
[IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009
EloGroup
 
Avaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no Brasil
Avaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no BrasilAvaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no Brasil
Avaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no Brasil
EloGroup
 
Integrando o diagnóstico financeiro à Gestão por Processos
Integrando o diagnóstico financeiro à Gestão por ProcessosIntegrando o diagnóstico financeiro à Gestão por Processos
Integrando o diagnóstico financeiro à Gestão por Processos
EloGroup
 
Como utilizar a visão por processos para transformar a organização
Como utilizar a visão por processos para transformar a organizaçãoComo utilizar a visão por processos para transformar a organização
Como utilizar a visão por processos para transformar a organização
EloGroup
 
Evolução na gestão por processos na CSP
Evolução na gestão por processos na CSPEvolução na gestão por processos na CSP
Evolução na gestão por processos na CSP
EloGroup
 
Road Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia Recurso
Road Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia RecursoRoad Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia Recurso
Road Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia Recurso
EloGroup
 
Leandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia Recurso
Leandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia RecursoLeandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia Recurso
Leandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia Recurso
EloGroup
 
Road Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM Recurso
Road Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM RecursoRoad Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM Recurso
Road Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM Recurso
EloGroup
 
Road Show BPM_Uma questão de método
Road Show BPM_Uma questão de métodoRoad Show BPM_Uma questão de método
Road Show BPM_Uma questão de método
EloGroup
 
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009
EloGroup
 
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010
EloGroup
 

Mais de EloGroup (20)

Ementa produtividade sensei
Ementa produtividade sensei   Ementa produtividade sensei
Ementa produtividade sensei
 
Infográfico - Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...
Infográfico  -  Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...Infográfico  -  Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...
Infográfico - Perdas no varejo alimentício e como os processos podem ser ot...
 
Sistemas case ERP
Sistemas case ERP Sistemas case ERP
Sistemas case ERP
 
Insights e lições aprendidas
Insights e lições aprendidasInsights e lições aprendidas
Insights e lições aprendidas
 
Desperdicios case perdas
Desperdicios case perdas Desperdicios case perdas
Desperdicios case perdas
 
Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013
Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013
Pesquisa Nacional em Gerenciamento de Processos de Negócio – 2013
 
[IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2010
[IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2010 [IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2010
[IQPC] 3ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2010
 
[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011
[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011
[IQPC] 4ª Pesquisa de Iniciativas de BPM – 2011
 
[IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2008
[IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2008 [IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM –  2008
[IQPC] 1ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2008
 
[IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009
[IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009 [IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009
[IQPC] 2ª Pesquisa Iniciativas em BPM – 2009
 
Avaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no Brasil
Avaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no BrasilAvaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no Brasil
Avaliação de 10 anos de operação de escritórios de processos no Brasil
 
Integrando o diagnóstico financeiro à Gestão por Processos
Integrando o diagnóstico financeiro à Gestão por ProcessosIntegrando o diagnóstico financeiro à Gestão por Processos
Integrando o diagnóstico financeiro à Gestão por Processos
 
Como utilizar a visão por processos para transformar a organização
Como utilizar a visão por processos para transformar a organizaçãoComo utilizar a visão por processos para transformar a organização
Como utilizar a visão por processos para transformar a organização
 
Evolução na gestão por processos na CSP
Evolução na gestão por processos na CSPEvolução na gestão por processos na CSP
Evolução na gestão por processos na CSP
 
Road Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia Recurso
Road Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia RecursoRoad Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia Recurso
Road Show _Oracle BPM Suite Do Negócio à Tecnologia Recurso
 
Leandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia Recurso
Leandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia RecursoLeandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia Recurso
Leandro Jesus_Processos como um elo entre a TI e a estratégia Recurso
 
Road Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM Recurso
Road Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM RecursoRoad Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM Recurso
Road Show_Abordagem da Oracle Consulting para BPM Recurso
 
Road Show BPM_Uma questão de método
Road Show BPM_Uma questão de métodoRoad Show BPM_Uma questão de método
Road Show BPM_Uma questão de método
 
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2009
 
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010
[IQPC] Apresentação - EloGroup 2010
 

Último

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 

Último (20)

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 

Banco Central - Implantando uma visão integrada de gestão Recurso

  • 1. IMPLANTANDO UMA VISÃO INTEGRADA DE GESTÃO NO BANCO CENTRAL MARCELO COTA, CHEFE ADJUNTO DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MARCELO.COTA@BCB.GOV.BR
  • 2. 2 1 O Desafio Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como estratégia, projetos, processos, pessoas, custos ? 2 Novas Ideias 1. O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas 2. Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas 3. O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão 3 Próximos Passos AGENDA
  • 3. 3 1 O Desafio  Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como estratégia, projetos, processos, pessoas, custos ? 2 Novas Ideias  Ideia 1: O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas  Ideia 2: Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas  Ideia 3: O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão 3 Próximos Passos AGENDA
  • 4. 4 O Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Fusão do Departamento de Planejamento, da Gerência Executiva de Projetos e de parte do Departamento de Gestão de Pessoas. Os Desafios 1. Diversidade de instrumentos de gestão (10): Planejamento, Prestação de Contas, Orçamento, Custos, Estrutura, Processos, Projetos, Competências, Clima e Cultura Organizacional; 2. Diferenças de maturidade entre instrumentos de gestão; 3. Métodos e Sistemas não integrados. O Esforço de Integração Nosso Contexto 1. Junção de estruturas, junção de espaço físico, junção de métodos, ... junção de pessoas; 2. Esforço de evolução da maturidade de alguns instrumentos de gestão. 3. Ciclo de Gestão e Arquitetura de Sistemas
  • 5. 5 1 O Desafio  Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como estratégia, projetos, processos, pessoas, custos ? 2 Novas Ideias  Ideia 1: O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas  Ideia 2: Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas  Ideia 3: O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão 3 Próximos Passos AGENDA
  • 6. IDEIA 1O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avalição integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas
  • 10. Ideia 1 Ciclo da Gestão
  • 11. Ideia 1 Ciclo da Gestão
  • 12. Ideia 1 Ciclo da Gestão
  • 13. IDEIA 2Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas
  • 14. Reestruturação Organizacional Pontos principais no Design Organizacional: 1. Estratégia; 2. Estrutura; 3. Processos; 4. Sistema de Recompensa; e 5. Políticas de Recursos Humanos. Quando todos os pontos estão alinhados, a organização, supostamente, está disposta da maneira mais eficaz. Modelo Estrela O Método de Galbraith para o design de organizações
  • 15. Planejar a reorganização (Entender a demanda) Construir a visão de futuro (Desdobrar a estratégia) Repensar a estrutura da unidade Diagnosticar e conceber soluções de processos e sistemas 1 2 3 4 Dimensionar estrutura e conceber soluções de pessoas 5 Legitimar a reorganização 6 Acompanhar a implantação da reorganização 7 •Como a unidade deverá funcionar em 24 meses? •Quais os ganhos esperados com esta nova forma de trabalhar? •Qual a estrutura necessário para gerar os ganhos esperados? •Como distribuir cargos comissionados nesta nova estrutura ? •Como o processo deve ser melhorado para gerar os ganhos esperados? •Como os sistemas devem ser melhorados para gerar os ganhos esperados ? •Quantas pessoas de cada perfil são necessárias para realizar o processo? •Quais as competências esperadas por profissional? •Como capacitar o time que irá executar o processo? • Quem será responsável pela implantação de cada uma das etapas previstas no plano? • Qual o prazo para conclusão de cada etapa? • Concluir cada etapa prevista no plano dentro dos prazos estabelecidos; • Gerar, mensalmente, boletins informativos sobre andamento da reorganização. •Qual o problema a ser resolvido? •Quais os resultados esperados com a resolução deste problema? Passos do Método de Reestruturação Organizacional
  • 16.  1.1 - Levantamento de necessidade organizacional  1.2 - Análise integrada de estrutura  1.3 - Cadeia de valor revisada  1.4 - Planejamento para atendimento da demanda Produtos  Demandante- Preenchimento do levantamento de necessidade organizacional: descrição de informações gerais sobre a demanda e indicação das soluções organizacionais desejadas;  Depog- Definição da equipe de reorganização: formalização do time do Depog responsável pelo atendimento da demanda em questão;  Chefia da Unidade Demandante- Apresentação e alinhamento do escopo da demanda organizacional: uniformização do entendimento da demanda de reorganização/organização, com o devido aprofundamento de diretrizes, premissas, restrições e fatores críticos de sucesso;  Depog- Realização de diagnóstico integrado com base em informações já disponíveis: coleta e análise integrada das seguintes informações : processos mapeados, estrutura organizacional, pesquisa de clima organizacional, sistema de custos, planejamento estratégico, competências mapeadas, backlog de TI, análise de riscos, dentre outros;  Ambos- Realização de reunião para detalhamento de informações técnicas sobre unidade demandante: esclarecimento de dúvidas referente a termos técnicos, sistemas utilizados, fatos recentes ocorridos, rotinas específicas, divisão do trabalho, revisão da cadeia de valor, dentre outros;  Depog- Elaboração de planejamento para atendimento da demanda: construção do cronograma da iniciativa com informações detalhadas de prazos, responsáveis, marcos etc. AtividadesDesafios • Qual o problema a ser resolvido? • Quais os resultados esperados com a resolução deste problema? Acompanhar a implantação da reorganização Planejar a reorganização (Entender a demanda) 1 Construir a visão de futuro (Desdobrar a estratégia) Repensar a estrutura da unidade Diagnosticar e conceber soluções de processos e sistemas 2 3 4 Dimensionar estrutura e conceber soluções de pessoas 5 Legitimar a reorganização 6 7
  • 17. IDEIA 3 O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão
  • 18. Ideia 3 – O Uso da Cadeia de Valor: Centralidade da cadeia de valor como elemento de gestão CADEIA DE VALOR - METODOLOGIA Cadeia de Valor Desdobramento do Planejamento Estratégico Novos Projetos Riscos Operacionais Gestão da Informação Desenvolvimento de Sistemas Documentação do processo Indicadores e Metas para os processos Sistema de Custos Competências Treinamento e Desenvolvimento Dimensionamento da Força de Trabalho Melhores Práticas Desenho Organizacional
  • 19. Formulação das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial Administração dos Sistemas de Pagamentos Administração do Meio Circulante Macroprocessos de Suporte Macroprocessos de Negócio Saneamento do SFN Execução e acompanhamento da Política Monetária e Creditícia Regulação do SFN Administração de Pessoal Provimento e Gerenciamento de TI Administração de Recursos Materiais, serviços e patrimônio Provimento da Segurança Institucional Administração financeira e contábil Gerenciamento da Conhecimento, da Informação e da Documentação Comunicação Procuratório e Consultoria Jurídica Relacionamento Institucional Gestão Estratégica Governança Corporativa Execução e acompanhamento da Política Cambial Elaboração, Padronização e Controle de Normas Organização do SFN Atendimento ao Cidadão Atendimento e Prestação de Serviços aos Poderes Constituídos Administração de Ativos e Fundos da União Relacionamentos com Governos e Organizações Internacionais Elaboração de Estudos, Pesquisas e Estatísticas Macroprocessos de Gestão Supervisão do SFN Educação Corporativa CADEIA DE VALOR - MACROPROCESSOS
  • 20. Gestão estratégica, tática e operacional Comunicação Institucional Administração de pessoal Administração financeira e contábil Procuratório e consultoria jurídica Provimento de segurança institucional Administração do Meio Circulante Administração dos Sistemas de Pagamentos Administração de Ativos e Fundos da União Saneamento do SFN Supervisão do SFN Organização do SFN Regulação do SFN Execução e Acompanhamento da Política Cambial Formulação das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial Execução e Acompanhamento das Políticas Monetárias e Creditícias Administração de recursos materiais, serviços e patrimônio Gerenciamento do conhecimento, da informação e documentação Relacionamento institucional Elaboração, padronização e controle de normas Elaboração de estudos, pesquisas e estatísticas Educação corporativa Governança corporativa Provimento e gerenciamento de Tecnologias Da informação CADEIA DE VALOR – MACROPROCESSOS – NOVO FORMATO EstabilidadedoPoder deCompradaMoeda SFNsólidoe eficiente Infraestrutura financeira Demandasdos PodereseCidadãos atendidas Prestação de Serviços e Atendimento de demandas Aos poderes Atendimento ao Cidadão
  • 21. CADEIA DE VALOR – Validação da Participação Depin – Processos EXECUÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA CAMBIAL EXECUÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS POLÍTICAS MONETÁRIAS E CREDITÍCIASFORMULAÇÃO DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL Suportar a formulação e preparar fundamentos para decisões de políticas monetária, creditícia e cambial Definir meta para a taxa de juros referencial (Selic) Normatizar ações de implantação da política Monetária , creditícia e cambial Executar e acompanhar depósitos compulsórios e direcionamentos obrigatórios Executar e acompanhar os operação do crédito de última instância Executar e acompanhar as Operações de mercado aberto Acompanhar direcionamentos para microfinanças, SFH e crédito rural Acompanharcapitais estrangeiros no Brasil e capitais brasileiros no exterior Definir posição de atuação no mercado de câmbio Analisar, propor e acompanhar meta da taxa de inflação SANEAMENTO DO SFNSUPERVISÃO DO SFNORGANIZAÇÃO DO SFNMONITORAMENTO MACRO PRUDENCIAL E REGULAÇÃO DO SFN Cancelar autorizações concedidas para ES Conceder autorizações Analisar atos de concentração e de interferência na concorrência do SFN Acompanhar e controlar riscos e operações das instituições Apurar irregularidades e aplicar instrumentos disciplinares e punitivos Executar ação de liquidação extrajudicial Executar ação de intervenção Executar ação de administração temporária Planejar e evoluir ações e procedimentos de supervisão do SFN Acompanhar a evolução e composição do SFN e divulgar de informações Inspecionar ES do SFN Desenvolver ações preventivas Monitorar a estabilidade do SFN Determinar ações para assegurar a estabilidade do SFN Regular o SFN ESTABILIDADEDOPODERDE COMPRADAMOEDA SFNSÓLIDOEEFICIENTE INFRAESTRUTURAFINANCEIRA PROVIDA DEMANDASDOSPODERESE CIDADÃOSATENDIDAS ADMINISTRAR MEIO CIRCULANTE e MOEDA ESTRANGEIRA Prover meio circulante Sanear moeda Realizar a segurança de valores Suprir numerário em moeda estrangeira ADMINISTRAR OS SISTEMAS DE PAGAMENTOS Regular os sistemas de pagamentos Monitorar os sistemas de compensação e liquidação e instrumentos de pagamento Administrar os serviços de pagamentos Internacionais Administrar o serviço de compensação e liquidação de ativos e fundos (STR) ADMINISTRAR ATIVOS E FUNDOS DA UNIÃO Administrar passivo externo PRESTAR SERVIÇOS AOS PODERES PÚBLICOS Atender demandas dos poderes constituídos Administrar o sistema de crédito rural Realizar bloqueio e garantia de títulos PRESTAR SERVIÇOS A SOCIEDADE Prestar atendimento ao cidadão e receber denúncias Desenvolver educação Financeira e a inclusão social PROMOVER O RELACIONAMENTO COM ÓRGÃOS TÉCNICOS Representar o BCB junto a fóruns, bancos centrais e outros governos Firmar acordos internacionais e de troca de informações Desenvolver Ações de cooperação Técnica INFORMACIONAL GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO, DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO Elaborar política de gerenciamento da Informação e documentação Conduzir a gestão do conhecimento Gerenciar as informações Definir e normatizar a arquitetura de informação Gerenciar a documentação e os arquivos Gerenciar bibliotecas, museus e acervos ELABORAÇÃO, PADRONIZAÇÃO E CONTROLE DE NORMAS Acompanhar e atualizar normas Padronizar e publicar normas ELABORAÇÃO DE ESTUDOS, PESQUISAS E ESTATÍSTICAS Elaborar estudos e pesquisas Normatizar a elaboração de estudos, pesquisas e estatísticas ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS Prestar atendimento interno aos Recursos Humanos Gerenciar força de trabalho Gerenciar os serviços de RH Prover serviço de saúde Desenvolver a saúde ocupacional EDUCAÇÃO CORPORATIVA Realizar eventos de educação corporativa Administrar os programas de educação corporativa Prestar suporte aos eventos e programas de educação corporativa GESTÃO DE RECURSOS MATERIAIS, SERV. E PATR. Prover Bens e serviços Administrar Instalações, bens móveis e imóveis Prover Normativos e Sistemas de apoio PROVIMENTO E GERENCIAMENTO DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO Gerenciar as políticas de TI SEGURANÇA INSTITUCIONAL Prover proteção de Pessoas Realizar segurança patrimonial Prover inteligência em segurança PROCURATÓRIO E CONSULTORIA JURÍDICA Gerir ativos e passivos e dívida ativa (aspectos legais) Exercer o procuratório (judicial e extrajudicial) Executar e controlar atividades paralegais Prestar consultoria jurídica ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONTÁBIL Administrar os fundos do BCB Administrar o sistema de contabilidade do BCB Controlar a execução financeira ESPECIALIZADOINSTITUCIONAL GESTÃO ESTRATÉGICA, TÁTICA E OPERACIONAL Realizar a gestão estratégica, tática e operacional Definir e implantar estratégia Prover soluções organizacionais Realizar a gestão orçamentária GOVERNANÇA CORPORATIVA Dar transparência às ações (accountability) Controlar a conduta organizacional e de pessoal Gerenciar Riscos Gerenciar Auditorias Gerenciar relacionamento com os órgãos de controle externos COMUNICAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL Desenvolver Responsabilidade socioambiental Planejar comunicação externa e interna Realizar Eventos Gerenciar a comunicação externa ( imprensa e pesquisa) Gerenciar a comunicação interna Orientar e controlar o relacionamento com órgãos externos Prover suporte de Secretariado aos Colegiados Gerenciar o Relacionamento com o Poder Legislativo Prover soluções de gestão de pessoas Administrar as Reservas Internacionais Administrar o mercado de câmbio doméstico Divulgar estatísticas e relatórios sobre a situação das políticas monetária , creditícia e cambial Desenvolver e manter os sistemas e aplicativos de TI Prover Infraestrutura de Tecnologia da Informação Prover infraestrutura de comunicação com o SFN Prestar suporte ao usuário
  • 22. Método de Validação da Cadeia de Valor 06/07/2012 24
  • 23. 25 1 O Desafio  Como integrar e gerar sinergia entre múltiplas iniciativas de gestão tais como estratégia, projetos, processos, pessoas, custos ? 2 Novas Ideias  Ideia 1: O Ciclo de Gestão enquanto instrumento de planejamento e avaliação integrado de estratégia, projetos, processos e pessoas  Ideia 2: Realização projetos de reestruturação organizacional que analisem conjuntamente mudanças em estrutura, processos, sistemas e pessoas  Ideia 3: O Uso da Cadeia de valor enquanto instrumento de gestão 3 Próximos Passos AGENDA
  • 24. 1. Finalização da Validação da Cadeia de Valor; 2. Criação de Ritos de Gestão como instrumento para trazer a tomada de decisão por processos para a alta administração; 3. Avaliação da Maturidade em BPM do BC; 4. Criação de Instrumento de Avaliação da Maturidade dos Processos do BC; 5. Inserção da Cadeia de Valor Validada no Sistema de Custos; 6. Revisão do Método de Reestruturação Organizacional. 26 1 Na área de Organização do BC 2 Em outros instrumentos de Gestão:  Finalização do desenvolvimento do Sistema de Planejamento e Gestão;  Implantação do Modelo de Gestão de Cultura e Clima Organizacionais;  Execução do Projeto Lideranças – formação dos gestores;  ... PRÓXIMOS PASSOS
  • 25. MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 Procedimentos não conformes Estudos em atraso Falhas de sistema Perdas de documentos Excesso de autorizações Falhas de procedimento Desconhecimento Das regras Interrupções Realizar procedimento emergencial Realizar procedimento emergencial Realizar procedimento emergencial Realizar procedimento emergencial ÁREA1ÁREA2ÁREA3 Ritos de Gestão: a. Trazer a visão por processos para a tomada de decisão: Ao invés de deliberar e depois padronizar os processos, utilizar os processos para uma melhor deliberação b. Dificuldade em corrigir o dia-a-dia e melhorar o dia-a-dia: Criar um momento periódico e sistemático para avaliar o que pode ser melhorado minimizando a operação “apagar incêndio”
  • 26. MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 RITODEGESTÃO RITODEGESTÃO Revisão da Política TEMPO DA SOLICITAÇÃO AO RECEBIMENTO TEMPO DA SOLICITAÇÃO AO RECEBIMENTO Revisão do Estudo e do Sistema Ajuste no processo Excesso de autorizações Realizar procedimento emergencial ÁREA1ÁREA2ÁREA3 Procedimentos não conformes Estudos em atraso Falhas de sistema Perdas de documentos Realizar procedimento emergencial Ritos de Gestão in place:
  • 27. Entendimento dos Ritos de Gestão PRÉ-RITO Status Projetos Status Indicadores Avaliação de Competências Erros e problemas Status sistemas Melhorias de Processos Resultados de auditorias Acompanhamento de custos Pauta Ata Decisão 1 Decisão 2 Decisão 3 Decisão 4 Agenda Do Gestor Projeto Ação Treinamento Demandas RITO PÓS-RITO REGRAS Um Rito de Gestão por Processos Participam do rito de gestão os participantes do processo Periodicidade Bimestral Fazer do rito o fórum De tomada de decisão e melhoria Bom exemplo: COPOM, Comitê de Política Monetária
  • 28. IMPLANTANDO UMA VISÃO INTEGRADA DE GESTÃO NO BANCO CENTRAL MARCELO COTA, CHEFE ADJUNTO DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MARCELO.COTA@BCB.GOV.BR