SlideShare uma empresa Scribd logo
Ativo circulante
Ativo permanente
Capitais de
terceiros
Patrimônio
Líquido
Aplicações de
Recursos
Origens de
Recursos
BALANÇO PATRIMONIAL
Ativo circulante
Ativo permanente
Passivo
circulante
Patrimônio
Líquido
Aplicações de
Recursos
Origens de
Recursos
BALANÇO PATRIMONIAL
Exigível a
longo prazo
Capital circulante
próprio
Ativo circulante
Ativo permanente
Passivo
circulante
Patrimônio
Líquido
Aplicações de
Recursos
Origens de
Recursos
BALANÇO PATRIMONIAL
Exigível a
longo prazoFinanciamento do ativo perma-
nente por capitais de terceiros
Insuficiência de Patrimônio
Líquido ou CCP Negativo
Ativo circulante
Ativo permanente
Passivo
circulante
Patrimônio
Líquido
Aplicações de
Recursos
Origens de
Recursos
BALANÇO PATRIMONIAL
Exigível a
longo prazoCapital circulante líquido
CCP
Ativo circulante
Ativo permanente
Capitais de
terceiros
Patrimônio
líquido
Aplicações de
Recursos
Origens de
Recursos
BALANÇO PATRIMONIAL
EMPRESA COMERCIAL
Ativo circulante
Ativo permanente
Passivo
circulante
Patrimônio
líquido
Aplicações de
Recursos
Origens de
Recursos
BALANÇO PATRIMONIAL
EMPRESA INDUSTRIAL
Exigível a
longo prazo
Ativo circulante
Ativo permanente
Passivo
circulante
Patrimônio
líquido
Aplicações de
Recursos
Origens de
Recursos
BALANÇO PATRIMONIAL
EMPRESA PRESTADORA DE SERVIÇOS
Exigível a
longo prazo
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO
BENS
E
DIREITOS
OBRIGA-
ÇÕES
Terceiros
Sócios/
Acionistas
DEFINIÇÃO DE ATIVO
• 1. o ativo deve ser considerado à luz da sua
propriedade e/ou à luz de sua posse e controle;
normalmente as duas condições virão juntas.
• 2. precisa estar incluído no ativo, em seu bojo, algum
direito específico a benefícios futuros, ou em sentido
mais amplo, o elemento precisa apresentar uma
potencialidade de serviços futuros (fluxos de caixa
futuro) para a entidade.
DEFINIÇÃO DE PASSIVO
1 – A obrigação deve existir no presente momento.
Atualmente, é vista como resultante de uma transação ou um
evento passado
2 – Não pode haver nenhuma liberdade para evitar o sacrifício
futuro.
3 – Normalmente, deve haver um valor de vencimento
determinável ou a expectativa de que seja exigido um
pagamento de valor determinado com base em estimativa
razoável numa data futura específica, muito embora o
momento exato não seja conhecido atualmente.
4 – Normalmente, o beneficiário do pagamento seria
conhecido ou identificável especificamente ou como grupo .
PASSIVOS NORMAIS E
CONTIGENCIAIS
• Exigibilidade normal:
decorrente das atividades normais da
empresa.
(compras a prazo, financiamentos, etc.)
• Exigibilidade Contingente:
uma exigibilidade contingente é uma
obrigação que pode surgir, dependendo da
ocorrência de um evento futuro.
(indenizações, multas, etc.)
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO
Ativo Circulante
Ativo Realizável a Longo
Prazo
Ativo Permanente
Passivo Circulante
Passivo Exigível a L. Prazo
Patrimônio Líquido
BALANÇO PATRIMONIAL
• Lei 6.404/76
Art. 178
§ 1o
No ativo, as contas serão dispostas em
ordem decrescente de grau de liquidez dos
elementos nelas registrados, nos seguintes
grupos:
a) ativo circulante;
b) ativo realizável a longo prazo;
c) ativo permanente, dividido em investimentos,
ativo imobilizado e ativo diferido.
BALANÇO PATRIMONIAL
• Lei 6.404/76
Art. 178
§ 2o
No passivo, as contas serão classificadas
nos seguintes grupos:
a) passivo circulante;
b) passivo exigível a longo prazo;
c) resultados de exercícios futuros;
d) patrimônio líquido, dividido em capital social,
reservas de capital, reservas de reavaliação,
reservas de lucros e lucros ou prejuízos
acumulados.
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO
Ativo Circulante
Disponível
Realizável a Curto Prazo
Desp. do Exercício Seguinte
Ativo Realizável a Longo
Prazo
Ativo Permanente
Investimentos
Ativo Imobilizado
Ativo Diferido
Passivo Circulante
Passivo Exigível a Longo Prazo
Patrimônio Líquido
Capital Social
Reservas de Capital
Reservas de Reavaliação
Reservas de Lucros
Lucros ou Prejuízos Acumulados
(-) Ações em Tesouraria
RECEITAS E GANHOS
• Receitas podem ser definidas, em termos
gerais, como o produto gerado por uma
empresa.
• Os ganhos distinguem-se das receitas
por serem periféricos às atividades
básicas da empresa.
DESPESAS E PERDAS
• As despesas representam as variações
desfavoráveis dos recursos da empresa, ou
seja, são as reduções de lucros. Despesas são
os custos, consumos de bens ou serviços,
assumidos para gerar as receitas .
• As perdas são periféricos às atividades básicas
da empresa. Seu reconhecimento e sua
mensuração, porém, são idênticos aos de
despesas.
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTAUDO DO
EXERCÍCIO
Art. 187. A demonstração do resultado do
exercício discriminará:
I - a receita bruta das vendas e serviços, as
deduções das vendas, os abatimentos e os
impostos;
II - a receita líquida das vendas e serviços, o custo
das mercadorias e serviços vendidos e o lucro
bruto;
III - as despesas com as vendas, as despesas
financeiras, deduzidas das receitas, as
despesas gerais e administrativas, e outras
despesas operacionais;
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO
EXERCÍCIO
Art. 187. A demonstração do resultado do
exercício discriminará:
IV - o lucro ou prejuízo operacional, as receitas e
despesas não operacionais;
V - o resultado do exercício antes do Imposto de
Renda e a provisão para o imposto;
VI - as participações de debêntures, empregados,
administradores e partes beneficiárias, e as
contribuições para instituições ou fundos de
assistência ou previdência de empregados;
VII - o lucro ou prejuízo líquido do exercício e o
seu montante por ação do capital social.
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO
Receita Bruta
Receita Líquida
Lucro Bruto
Resultado Operacional
Rec. e Desp. Não Operacionais
Lucro ou Prej. Antes do Imposto
de Renda e Contrib. Social
Lucro Líquido do Exercício
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO
Receita Bruta
Impostos e Contribuições s/ Vendas
Devoluções
Receita Líquida
Custo das Mercadorias Vendidas
Lucro Bruto
Despesas Operacionais
Despesas c/ Vendas
Despesas Administrativas
Outras Despesas Operacionais
Resultado Financeira Líquido
Resultado Operacional
Rec. e Desp. Não Operacionais
Lucro ou Prej. Antes do Imposto de
Renda e Contrib. Social
Imposto de Renda e Contr. Social
Lucro Líquido do Exercício
Depreciação
É a diminuição do valor do bem em razão do
seu desgaste e obsoletismo.
Estão sujeitos à depreciação os bens duráveis.
DEPRECIAÇÃO
• Taxas de Depreciação
• Depreciação acelerada
• Métodos de Depreciação
a) quotas constantes
b) soma dos dígitos dos anos
c) unidades produzidas
d) horas de trabalho
Taxas de Depreciação
Cotas constantes
Bens do Imobilizado Anos de vida útil % de deprec. a.a.
Bens móveis em
geral 10 10%
Edifícios e
construções 25 4%
Biblioteca 10 10%
Máquinas e instala-
ções industriais
10 10%
Veículos em geral 05 20%
Tratores 04 25%
Depreciação Acelerada
Turnos Coeficiente
Um turno de 8 horas 1,0
Dois turnos de 8 horas 1,5
Três turnos de 8 horas 2,0
Depreciação
Soma dos dígitos dos anos
1 2 3 4 5 _ 15
15 15 15 15 15 15
Depreciação
Gastos com
manutenção
Depreciação
Método das unidades produzidas
Quota de depreciação anual =
nº de unidades produzidas no ano X
nº de unidades estimadas a serem
produzidas durante a vida útil do bem
Depreciação
Método de horas de trabalho
Quota de depreciação anual =
nº de horas de trabalho no período Y
nº de horas de trabalho estimadas du-
rante a vida útil do bem.
AMORTIZAÇÃO
• A amortização corresponde a perda do valor
do capital aplicado em Ativos Intangíveis.
Assim, são amortizáveis os Ativos Permanentes
Intangíveis de duração limitada, ou seja:
Fundo de Comércio, o Ponto Comercial, os
Direitos Autorais, as Patentes e o Direito de
Exploração.
EXAUSTÃO
• A exaustão objetiva distribuir o custo dos
recursos naturais durante o período em que
tais recursos são extraídos ou exauridos.
• O método de cálculo de exaustão, que deve ser
utilizado para fins contábeis, é o método de
unidades produzidas (extraídas).
Exaustão
Valor da exaustão =
valor da mina ( – ) valor residual
quantidade de minério estimada
Exemplo de Exaustão
Suponha-se que determinada mina, tendo
estimadamente 300.000 toneladas de minério
disponíveis, foi comprada por R$ 10.000.000,00.
Considerando um valor residual (para o
terreno) de R$ 1.000.000,00 o cálculo da exaustão
será realizado da seguinte forma:
10.000.000,00 (-) 1.000.000,00
------------------------------------------------------------------------------------------------------------- = R$ 30,00 ton.
300.000
ATIVO PERMANENTE
INVESTIMENTOS
Métodos de avaliação de investimentos
Método de Custo
Método de Equivalência Patrimonial
IMOBILIZADO
Tangíveis (corpóreos)
Intangíveis (incorpóreos)
Manutenção e reparos no ativo imobilizado
Melhorias no ativo imobilizado
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO
Ativo Circulante
Ativo Realizável a Longo
Prazo
Ativo Permanente
Investimentos
Partic. Permanentes em outras sociedades
Outros investimentos permanentes
Ativo Imobilizado
Bens em operação
Ativo intangível
(-) Depreciação Acumulada
(-) Amortização Acumulada
(-) Exaustão Acumulada
Ativo Diferido
(-) Amortização
Passivo Circulante
Passivo Exigível a Longo Prazo
Patrimônio Líquido
Capital Social
Reservas de Capital
Reservas de Reavaliação
Reservas de Lucros
Lucros ou Prejuízos Acumulados
(-) Ações em Tesouraria
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO
Ativo Circulante
Ativo Realizável a Longo
Prazo
Ativo Permanente
Investimentos
Partic. Permanentes em outras sociedades
Outros investimentos permanentes
Ativo Imobilizado
Bens em operação
Ativo intangível
(-) Depreciação Acumulada
(-) Amortização Acumulada
(-) Exaustão Acumulada
Ativo Diferido
(-) Amortização
Passivo Circulante
Passivo Exigível a Longo Prazo
Patrimônio Líquido
Capital Social
Reservas de Capital
Ágio na Alienação de Ações
Alienação de Partes Beneficiárias
Prêmio na Emissão de Debêntures
Doações e Subvenções p/ Investimentos
Reservas de Reavaliação
Reservas de Lucros
Reserva Legal
Reservas Estatutárias
Reservas p/ Contingências
Reserva de Lucros a Realizar
Lucros ou Prejuízos Acumulados
(-) Ações em Tesouraria
Contas redutoras do Ativo Circulante
Duplicatas descontadas
Provisão para devedores duvidosos
Contas redutoras do Patrimônio Líquido
Capital a integralizar
Ações em tesouraria

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
Claudia Marinho
 
Principios contábeis
Principios contábeisPrincipios contábeis
Principios contábeis
Cássio Lima
 
BalançO Patrimonial
BalançO PatrimonialBalançO Patrimonial
BalançO Patrimonial
rafaelkeidann
 
Bp exercicios resolvidos
Bp exercicios resolvidosBp exercicios resolvidos
Bp exercicios resolvidos
razonetecontabil
 
Resumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade BásicaResumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade Básica
eadrede
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
Jesus Bandeira
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 01 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 01 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 01 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 01 cathedra
cathedracontabil
 
Contabilidade geral conceitos
Contabilidade geral conceitosContabilidade geral conceitos
Contabilidade geral conceitos
apostilacontabil
 
Analise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeirasAnalise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeiras
belyalmeida
 
Contabilidade geral ppt
Contabilidade geral   pptContabilidade geral   ppt
Contabilidade geral ppt
simuladocontabil
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
contacontabil
 
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos TangíveisSNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
Rui Filipe Garcia
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
Danilo Pereira
 
Contabilidade Geral
Contabilidade GeralContabilidade Geral
Contabilidade Geral
Superprovas Software
 
Aula gestão financeira - Aula 01
Aula gestão financeira - Aula 01Aula gestão financeira - Aula 01
Aula gestão financeira - Aula 01
Faculdade Inesul - Londrina
 
Aula 4 debito e credito
Aula 4  debito e creditoAula 4  debito e credito
Aula 4 debito e credito
Elane Silva
 
Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09
zeramento contabil
 
Cap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonial
Cap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonialCap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonial
Cap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonial
controladoriacontab
 
Noções básicas de contabilidade por altair marta
Noções básicas de contabilidade por altair martaNoções básicas de contabilidade por altair marta
Noções básicas de contabilidade por altair marta
Altair Marta
 
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidosApostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
dudu_rosa
 

Mais procurados (20)

Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
 
Principios contábeis
Principios contábeisPrincipios contábeis
Principios contábeis
 
BalançO Patrimonial
BalançO PatrimonialBalançO Patrimonial
BalançO Patrimonial
 
Bp exercicios resolvidos
Bp exercicios resolvidosBp exercicios resolvidos
Bp exercicios resolvidos
 
Resumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade BásicaResumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade Básica
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 01 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 01 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 01 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 01 cathedra
 
Contabilidade geral conceitos
Contabilidade geral conceitosContabilidade geral conceitos
Contabilidade geral conceitos
 
Analise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeirasAnalise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeiras
 
Contabilidade geral ppt
Contabilidade geral   pptContabilidade geral   ppt
Contabilidade geral ppt
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
 
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos TangíveisSNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 
Contabilidade Geral
Contabilidade GeralContabilidade Geral
Contabilidade Geral
 
Aula gestão financeira - Aula 01
Aula gestão financeira - Aula 01Aula gestão financeira - Aula 01
Aula gestão financeira - Aula 01
 
Aula 4 debito e credito
Aula 4  debito e creditoAula 4  debito e credito
Aula 4 debito e credito
 
Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09Gabaritos exercicios aula_09
Gabaritos exercicios aula_09
 
Cap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonial
Cap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonialCap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonial
Cap 02 gabarito cf cap_tulo_02 balanco patrimonial
 
Noções básicas de contabilidade por altair marta
Noções básicas de contabilidade por altair martaNoções básicas de contabilidade por altair marta
Noções básicas de contabilidade por altair marta
 
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidosApostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
Apostila contabilidade geral 133 exercicios resolvidos
 

Destaque

Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
kennyaeduardo
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 04 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 04 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 04 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 04 cathedra
cathedracontabil
 
Contabilidade 01 - Balanço Patrimonial
Contabilidade 01 - Balanço PatrimonialContabilidade 01 - Balanço Patrimonial
Contabilidade 01 - Balanço Patrimonial
Instituto Federal do Norte de Minas Gerais - IFNMG
 
Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
contacontabil
 
Balanço Patrimonial
Balanço PatrimonialBalanço Patrimonial
Balanço Patrimonial
William Rodrigues
 
Estrutura dre
Estrutura dreEstrutura dre
Estrutura dre
simuladocontabil
 
Livro de exercício - contabilidade introdutória
Livro de exercício   - contabilidade introdutóriaLivro de exercício   - contabilidade introdutória
Livro de exercício - contabilidade introdutória
Lylian Vieira
 
Resolução de questões contabeis
Resolução de questões contabeisResolução de questões contabeis
Resolução de questões contabeis
simuladocontabil
 

Destaque (8)

Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 04 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 04 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 04 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 04 cathedra
 
Contabilidade 01 - Balanço Patrimonial
Contabilidade 01 - Balanço PatrimonialContabilidade 01 - Balanço Patrimonial
Contabilidade 01 - Balanço Patrimonial
 
Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
 
Balanço Patrimonial
Balanço PatrimonialBalanço Patrimonial
Balanço Patrimonial
 
Estrutura dre
Estrutura dreEstrutura dre
Estrutura dre
 
Livro de exercício - contabilidade introdutória
Livro de exercício   - contabilidade introdutóriaLivro de exercício   - contabilidade introdutória
Livro de exercício - contabilidade introdutória
 
Resolução de questões contabeis
Resolução de questões contabeisResolução de questões contabeis
Resolução de questões contabeis
 

Semelhante a Balanco patrimonial

Extinção de sociedade balanço de liquidação
Extinção de sociedade   balanço de liquidaçãoExtinção de sociedade   balanço de liquidação
Extinção de sociedade balanço de liquidação
Alexandra Morales
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
capitulocontabil
 
Depreciação e Métodos
Depreciação e Métodos Depreciação e Métodos
Depreciação e Métodos
Ricardo Nóbrega
 
CONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdf
CONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdfCONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdf
CONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdf
Beacarol
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
Neimar Pereira
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
zeramento contabil
 
Caderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetes
Caderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetesCaderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetes
Caderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetes
Daniel Itabaiana
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
Cleilza De Sales Santos
 
Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013
Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013
Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013
Sustentare Escola de Negócios
 
Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
simuladocontabil
 
ATIVO NÃO CIRCULANTE.pptx
ATIVO NÃO CIRCULANTE.pptxATIVO NÃO CIRCULANTE.pptx
ATIVO NÃO CIRCULANTE.pptx
ssuser09e999
 
Palestra capital de giro
Palestra capital de giroPalestra capital de giro
Palestra capital de giro
Ideia Consultoria
 
Depreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentadaDepreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentada
simuladocontabil
 
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRAREVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
Fábio Pedro
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
nandopfc
 
Encerramento do exercicio
Encerramento do exercicioEncerramento do exercicio
Encerramento do exercicio
simuladocontabil
 
Aula 09 auxiliar de contabilidade
Aula 09 auxiliar de contabilidadeAula 09 auxiliar de contabilidade
Aula 09 auxiliar de contabilidade
Homero Alves de Lima
 
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdfade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
RosanaValeria4
 
Aula 19 contabilidade
Aula 19 contabilidadeAula 19 contabilidade
Aula 19 contabilidade
contacontabil
 
S3 parte ii - capitulo 3. - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)
S3   parte ii  -  capitulo 3.  - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)S3   parte ii  -  capitulo 3.  - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)
S3 parte ii - capitulo 3. - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)
Valnei Bast
 

Semelhante a Balanco patrimonial (20)

Extinção de sociedade balanço de liquidação
Extinção de sociedade   balanço de liquidaçãoExtinção de sociedade   balanço de liquidação
Extinção de sociedade balanço de liquidação
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
 
Depreciação e Métodos
Depreciação e Métodos Depreciação e Métodos
Depreciação e Métodos
 
CONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdf
CONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdfCONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdf
CONTABILIDADE_PARA_CONCURSOS_E_EXAME_DE.pdf
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
 
Caderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetes
Caderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetesCaderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetes
Caderno de exercicios de contabilidade-ii FUCCAMP, razonetes e balancetes
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
 
Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013
Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013
Tributos Renda Pessoa Jurídica - Prof. Régis Braga - Novembro e Dezembro 2013
 
Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
 
ATIVO NÃO CIRCULANTE.pptx
ATIVO NÃO CIRCULANTE.pptxATIVO NÃO CIRCULANTE.pptx
ATIVO NÃO CIRCULANTE.pptx
 
Palestra capital de giro
Palestra capital de giroPalestra capital de giro
Palestra capital de giro
 
Depreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentadaDepreciação resolução comentada
Depreciação resolução comentada
 
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRAREVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 
Encerramento do exercicio
Encerramento do exercicioEncerramento do exercicio
Encerramento do exercicio
 
Aula 09 auxiliar de contabilidade
Aula 09 auxiliar de contabilidadeAula 09 auxiliar de contabilidade
Aula 09 auxiliar de contabilidade
 
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdfade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
 
Aula 19 contabilidade
Aula 19 contabilidadeAula 19 contabilidade
Aula 19 contabilidade
 
S3 parte ii - capitulo 3. - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)
S3   parte ii  -  capitulo 3.  - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)S3   parte ii  -  capitulo 3.  - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)
S3 parte ii - capitulo 3. - as demonst. financeiras e o bal. patrim. (1)
 

Mais de Claudia Marinho

Emprearial
EmprearialEmprearial
Emprearial
Claudia Marinho
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
Claudia Marinho
 
Revived by his word calendar 2012-2015
Revived by his word calendar 2012-2015Revived by his word calendar 2012-2015
Revived by his word calendar 2012-2015
Claudia Marinho
 
O que é mark up e como calcular este índice - artigos - negócios - administr...
O que é mark up e como calcular este índice  - artigos - negócios - administr...O que é mark up e como calcular este índice  - artigos - negócios - administr...
O que é mark up e como calcular este índice - artigos - negócios - administr...
Claudia Marinho
 
Auditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidadesAuditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidades
Claudia Marinho
 
Auditoria de estoques
Auditoria de estoquesAuditoria de estoques
Auditoria de estoques
Claudia Marinho
 
Auditoria contas a_receber
Auditoria contas a_receberAuditoria contas a_receber
Auditoria contas a_receber
Claudia Marinho
 
Plano de contas (pecuária) modelo
Plano de contas (pecuária)   modeloPlano de contas (pecuária)   modelo
Plano de contas (pecuária) modelo
Claudia Marinho
 
Biblia em-6-meses
Biblia em-6-mesesBiblia em-6-meses
Biblia em-6-meses
Claudia Marinho
 
O que e etica
O que e eticaO que e etica
O que e etica
Claudia Marinho
 
Plano de-leitura-cronologica
Plano de-leitura-cronologicaPlano de-leitura-cronologica
Plano de-leitura-cronologica
Claudia Marinho
 
Abnt
AbntAbnt
Análise dos princípios e convenções contábeis
Análise dos princípios e convenções contábeisAnálise dos princípios e convenções contábeis
Análise dos princípios e convenções contábeis
Claudia Marinho
 

Mais de Claudia Marinho (13)

Emprearial
EmprearialEmprearial
Emprearial
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
 
Revived by his word calendar 2012-2015
Revived by his word calendar 2012-2015Revived by his word calendar 2012-2015
Revived by his word calendar 2012-2015
 
O que é mark up e como calcular este índice - artigos - negócios - administr...
O que é mark up e como calcular este índice  - artigos - negócios - administr...O que é mark up e como calcular este índice  - artigos - negócios - administr...
O que é mark up e como calcular este índice - artigos - negócios - administr...
 
Auditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidadesAuditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidades
 
Auditoria de estoques
Auditoria de estoquesAuditoria de estoques
Auditoria de estoques
 
Auditoria contas a_receber
Auditoria contas a_receberAuditoria contas a_receber
Auditoria contas a_receber
 
Plano de contas (pecuária) modelo
Plano de contas (pecuária)   modeloPlano de contas (pecuária)   modelo
Plano de contas (pecuária) modelo
 
Biblia em-6-meses
Biblia em-6-mesesBiblia em-6-meses
Biblia em-6-meses
 
O que e etica
O que e eticaO que e etica
O que e etica
 
Plano de-leitura-cronologica
Plano de-leitura-cronologicaPlano de-leitura-cronologica
Plano de-leitura-cronologica
 
Abnt
AbntAbnt
Abnt
 
Análise dos princípios e convenções contábeis
Análise dos princípios e convenções contábeisAnálise dos princípios e convenções contábeis
Análise dos princípios e convenções contábeis
 

Balanco patrimonial

  • 1. Ativo circulante Ativo permanente Capitais de terceiros Patrimônio Líquido Aplicações de Recursos Origens de Recursos BALANÇO PATRIMONIAL
  • 2. Ativo circulante Ativo permanente Passivo circulante Patrimônio Líquido Aplicações de Recursos Origens de Recursos BALANÇO PATRIMONIAL Exigível a longo prazo Capital circulante próprio
  • 3. Ativo circulante Ativo permanente Passivo circulante Patrimônio Líquido Aplicações de Recursos Origens de Recursos BALANÇO PATRIMONIAL Exigível a longo prazoFinanciamento do ativo perma- nente por capitais de terceiros Insuficiência de Patrimônio Líquido ou CCP Negativo
  • 4. Ativo circulante Ativo permanente Passivo circulante Patrimônio Líquido Aplicações de Recursos Origens de Recursos BALANÇO PATRIMONIAL Exigível a longo prazoCapital circulante líquido CCP
  • 5. Ativo circulante Ativo permanente Capitais de terceiros Patrimônio líquido Aplicações de Recursos Origens de Recursos BALANÇO PATRIMONIAL EMPRESA COMERCIAL
  • 6. Ativo circulante Ativo permanente Passivo circulante Patrimônio líquido Aplicações de Recursos Origens de Recursos BALANÇO PATRIMONIAL EMPRESA INDUSTRIAL Exigível a longo prazo
  • 7. Ativo circulante Ativo permanente Passivo circulante Patrimônio líquido Aplicações de Recursos Origens de Recursos BALANÇO PATRIMONIAL EMPRESA PRESTADORA DE SERVIÇOS Exigível a longo prazo
  • 9. DEFINIÇÃO DE ATIVO • 1. o ativo deve ser considerado à luz da sua propriedade e/ou à luz de sua posse e controle; normalmente as duas condições virão juntas. • 2. precisa estar incluído no ativo, em seu bojo, algum direito específico a benefícios futuros, ou em sentido mais amplo, o elemento precisa apresentar uma potencialidade de serviços futuros (fluxos de caixa futuro) para a entidade.
  • 10. DEFINIÇÃO DE PASSIVO 1 – A obrigação deve existir no presente momento. Atualmente, é vista como resultante de uma transação ou um evento passado 2 – Não pode haver nenhuma liberdade para evitar o sacrifício futuro. 3 – Normalmente, deve haver um valor de vencimento determinável ou a expectativa de que seja exigido um pagamento de valor determinado com base em estimativa razoável numa data futura específica, muito embora o momento exato não seja conhecido atualmente. 4 – Normalmente, o beneficiário do pagamento seria conhecido ou identificável especificamente ou como grupo .
  • 11. PASSIVOS NORMAIS E CONTIGENCIAIS • Exigibilidade normal: decorrente das atividades normais da empresa. (compras a prazo, financiamentos, etc.) • Exigibilidade Contingente: uma exigibilidade contingente é uma obrigação que pode surgir, dependendo da ocorrência de um evento futuro. (indenizações, multas, etc.)
  • 12. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Ativo Permanente Passivo Circulante Passivo Exigível a L. Prazo Patrimônio Líquido
  • 13. BALANÇO PATRIMONIAL • Lei 6.404/76 Art. 178 § 1o No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, nos seguintes grupos: a) ativo circulante; b) ativo realizável a longo prazo; c) ativo permanente, dividido em investimentos, ativo imobilizado e ativo diferido.
  • 14. BALANÇO PATRIMONIAL • Lei 6.404/76 Art. 178 § 2o No passivo, as contas serão classificadas nos seguintes grupos: a) passivo circulante; b) passivo exigível a longo prazo; c) resultados de exercícios futuros; d) patrimônio líquido, dividido em capital social, reservas de capital, reservas de reavaliação, reservas de lucros e lucros ou prejuízos acumulados.
  • 15. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Disponível Realizável a Curto Prazo Desp. do Exercício Seguinte Ativo Realizável a Longo Prazo Ativo Permanente Investimentos Ativo Imobilizado Ativo Diferido Passivo Circulante Passivo Exigível a Longo Prazo Patrimônio Líquido Capital Social Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas de Lucros Lucros ou Prejuízos Acumulados (-) Ações em Tesouraria
  • 16. RECEITAS E GANHOS • Receitas podem ser definidas, em termos gerais, como o produto gerado por uma empresa. • Os ganhos distinguem-se das receitas por serem periféricos às atividades básicas da empresa.
  • 17. DESPESAS E PERDAS • As despesas representam as variações desfavoráveis dos recursos da empresa, ou seja, são as reduções de lucros. Despesas são os custos, consumos de bens ou serviços, assumidos para gerar as receitas . • As perdas são periféricos às atividades básicas da empresa. Seu reconhecimento e sua mensuração, porém, são idênticos aos de despesas.
  • 18. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTAUDO DO EXERCÍCIO Art. 187. A demonstração do resultado do exercício discriminará: I - a receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos; II - a receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto; III - as despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas, e outras despesas operacionais;
  • 19. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO Art. 187. A demonstração do resultado do exercício discriminará: IV - o lucro ou prejuízo operacional, as receitas e despesas não operacionais; V - o resultado do exercício antes do Imposto de Renda e a provisão para o imposto; VI - as participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias, e as contribuições para instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados; VII - o lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.
  • 20. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO Receita Bruta Receita Líquida Lucro Bruto Resultado Operacional Rec. e Desp. Não Operacionais Lucro ou Prej. Antes do Imposto de Renda e Contrib. Social Lucro Líquido do Exercício
  • 21. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO Receita Bruta Impostos e Contribuições s/ Vendas Devoluções Receita Líquida Custo das Mercadorias Vendidas Lucro Bruto Despesas Operacionais Despesas c/ Vendas Despesas Administrativas Outras Despesas Operacionais Resultado Financeira Líquido Resultado Operacional Rec. e Desp. Não Operacionais Lucro ou Prej. Antes do Imposto de Renda e Contrib. Social Imposto de Renda e Contr. Social Lucro Líquido do Exercício
  • 22. Depreciação É a diminuição do valor do bem em razão do seu desgaste e obsoletismo. Estão sujeitos à depreciação os bens duráveis.
  • 23. DEPRECIAÇÃO • Taxas de Depreciação • Depreciação acelerada • Métodos de Depreciação a) quotas constantes b) soma dos dígitos dos anos c) unidades produzidas d) horas de trabalho
  • 24. Taxas de Depreciação Cotas constantes Bens do Imobilizado Anos de vida útil % de deprec. a.a. Bens móveis em geral 10 10% Edifícios e construções 25 4% Biblioteca 10 10% Máquinas e instala- ções industriais 10 10% Veículos em geral 05 20% Tratores 04 25%
  • 25. Depreciação Acelerada Turnos Coeficiente Um turno de 8 horas 1,0 Dois turnos de 8 horas 1,5 Três turnos de 8 horas 2,0
  • 26. Depreciação Soma dos dígitos dos anos 1 2 3 4 5 _ 15 15 15 15 15 15 15 Depreciação Gastos com manutenção
  • 27. Depreciação Método das unidades produzidas Quota de depreciação anual = nº de unidades produzidas no ano X nº de unidades estimadas a serem produzidas durante a vida útil do bem
  • 28. Depreciação Método de horas de trabalho Quota de depreciação anual = nº de horas de trabalho no período Y nº de horas de trabalho estimadas du- rante a vida útil do bem.
  • 29. AMORTIZAÇÃO • A amortização corresponde a perda do valor do capital aplicado em Ativos Intangíveis. Assim, são amortizáveis os Ativos Permanentes Intangíveis de duração limitada, ou seja: Fundo de Comércio, o Ponto Comercial, os Direitos Autorais, as Patentes e o Direito de Exploração.
  • 30. EXAUSTÃO • A exaustão objetiva distribuir o custo dos recursos naturais durante o período em que tais recursos são extraídos ou exauridos. • O método de cálculo de exaustão, que deve ser utilizado para fins contábeis, é o método de unidades produzidas (extraídas).
  • 31. Exaustão Valor da exaustão = valor da mina ( – ) valor residual quantidade de minério estimada
  • 32. Exemplo de Exaustão Suponha-se que determinada mina, tendo estimadamente 300.000 toneladas de minério disponíveis, foi comprada por R$ 10.000.000,00. Considerando um valor residual (para o terreno) de R$ 1.000.000,00 o cálculo da exaustão será realizado da seguinte forma: 10.000.000,00 (-) 1.000.000,00 ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- = R$ 30,00 ton. 300.000
  • 33. ATIVO PERMANENTE INVESTIMENTOS Métodos de avaliação de investimentos Método de Custo Método de Equivalência Patrimonial IMOBILIZADO Tangíveis (corpóreos) Intangíveis (incorpóreos) Manutenção e reparos no ativo imobilizado Melhorias no ativo imobilizado
  • 34. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Ativo Permanente Investimentos Partic. Permanentes em outras sociedades Outros investimentos permanentes Ativo Imobilizado Bens em operação Ativo intangível (-) Depreciação Acumulada (-) Amortização Acumulada (-) Exaustão Acumulada Ativo Diferido (-) Amortização Passivo Circulante Passivo Exigível a Longo Prazo Patrimônio Líquido Capital Social Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas de Lucros Lucros ou Prejuízos Acumulados (-) Ações em Tesouraria
  • 35. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Ativo Permanente Investimentos Partic. Permanentes em outras sociedades Outros investimentos permanentes Ativo Imobilizado Bens em operação Ativo intangível (-) Depreciação Acumulada (-) Amortização Acumulada (-) Exaustão Acumulada Ativo Diferido (-) Amortização Passivo Circulante Passivo Exigível a Longo Prazo Patrimônio Líquido Capital Social Reservas de Capital Ágio na Alienação de Ações Alienação de Partes Beneficiárias Prêmio na Emissão de Debêntures Doações e Subvenções p/ Investimentos Reservas de Reavaliação Reservas de Lucros Reserva Legal Reservas Estatutárias Reservas p/ Contingências Reserva de Lucros a Realizar Lucros ou Prejuízos Acumulados (-) Ações em Tesouraria
  • 36. Contas redutoras do Ativo Circulante Duplicatas descontadas Provisão para devedores duvidosos Contas redutoras do Patrimônio Líquido Capital a integralizar Ações em tesouraria