SlideShare uma empresa Scribd logo
Nº: TURMA:
COLÉGIO ESTADUAL LAURENTINO MARTINS RODRIGUES
Santa Rita do Novo Destino – GO - Tel.: (62) 3394-0083
“Educar é a arte de recriar o mundo”
01) Nicolau Maquiavel foi diferente dos teólogos medievais e de seus contemporâneos ao
fundamentar as suas teorias políticas porque partiu
(A) da Bíblia para fundamentar as suas teorias políticas.
(B) do direito romano para a construção do seu pensamento político.
(C) porque partiu das obras dos filósofos grecorromanos para construir a sua teoria política.
(D) da experiência real do seu tempo para fundamentar o seu pensamento político.
02) Segundo O príncipe, de Maquiavel, toda cidade está dividida em dois desejos opostos:
(A) o desejo dos grandes de oprimir e comandar e o desejo do povo de não ser oprimido nem
comandado.
(B) o desejo do povo de ser bem guiado e o desejo dos grandes em ser um bom pastor para o povo.
(C) o desejo do povo por um herói que os salve e a vontade dos grandes em serem heróis do povo.
(D) o desejo dos pequenos em oprimir e comandar e o desejo dos grandes em participar um dia dessa
opressão.
03) A respeito da Teoria Política de Maquiavel em sua obra O Príncipe, CONSIDERE o que for
CORRRETO:
(01) Para formular sua teoria política, Maquiavel partiu da experiência real de seu tempo.
(02) Maquiavel afirmou que o príncipe ao agir deve considerar os princípios éticos e morais que
regulam a nova concepção política
(04) Concebia a natureza humana como egoísta, ambiciosa, ingrata, volúvel, movida pelas paixões e
desejos insaciáveis.
(08) O verdadeiro príncipe é aquele que sabe tomar e conservar o poder.
(16) O príncipe precisa ter virtú, ou seja, as qualidades para tomar e permanecer no poder, mesmo
que use a violência, a mentira, a astúcia e a força.
04) Leia atentamente os textos abaixo:
Para Maquiavel os homens trilham quase sempre estradas já percorridas. Natural, haja vista, a lei do
menor esforço e da prudência (virtú). É certo que a prudência é a única companheira que o príncipe
novo possui nos principados novos, já que, deverá manter a posse e tal capacidade é exclusivamente
dele. Ao caracterizar “príncipe novo” pressupõe valor ou boa sorte, evidentemente que qualquer
destas razões tem a propriedade de suavizar muitas dificuldades.
DATA: ___/___/2016
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROFESSOR: FREDERICO MARQUES SODRÉ
ATIVIDADES AVALIATIVAS
ALUNO (A):
TURMA:
Nº: TURMA:
Maquiavel deixa transparecer uma preferência pela virtú: “Todavia, é comum observar que muitos
que foram menos afortunados se mantiveram mais tempo no poder.”
Skinner, também, confirma tal preferência: “Concorda que os que alcançaram o poder por meio “de
sua própria virtú e não através da Fortuna” foram “os líderes mais admiráveis”, citando como
exemplos “Moisés, Ciro, Rômulo, Teseu e outros que tais”.”
Maquiavel destaca que as oportunidades tornaram felizes os grandes líderes supra citados e que
foram as suas virtudes que lhes deram o conhecimento para agarrá-las. Vai além dizendo que aqueles
que, por suas virtudes, semelhantemente a estes, se tornam príncipes, conquistam o principado com
dificuldades, mas se mantém facilmente
A) A partir dos textos supracitados, DEFINA os conceitos de virtú e fortuna no pensamento político
de Maquiavel:
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
B) Agora, ELABORE um texto no qual você EXPLIQUE qual a importância atribuída por Maquiavel aos
conceitos de virtú e fortuna:
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
05) A escolha dos ministros por parte de um príncipe não é coisa de pouca importância: os ministros
serão bons ou maus, de acordo com a prudência que o príncipe demonstrar. A primeira impressão
que se tem de um governante e da sua inteligência, é dada pelos homens que o cercam. Quando estes
são eficientes e fiéis, pode-se sempre considerar o príncipe sábio, pois foi capaz de reconhecer a
capacidade e manter fidelidade. Mas quando a situação é oposta, pode-se sempre dele fazer mau
juízo, porque seu primeiro erro terá sido cometido ao escolher os assessores”. (MAQUIAVEL, Nicolau.
O Príncipe. Trad. de Pietro Nassetti. São Paulo: Martin Claret, 2004. p. 136.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre Maquiavel, é correto afirmar:
(A) As atitudes do príncipe são livres da influência dos ministros que ele escolhe para governar.
(B) Basta que o príncipe seja bom e virtuoso para que seu governo obtenha pleno êxito e seja
reconhecidopelo povo.
Nº: TURMA:
(C) O povo distingue e julga, separadamente, as atitudes do príncipe daquelas de seus ministros.
(D) Um príncipe e seu governo são avaliados também pela escolha dos ministros.
06) O príncipe, portanto, não deve se incomodar com a reputação de cruel, se seu propósito é manter
o povo unido e leal. De fato, com uns poucos exemplos duros poderá ser mais clemente de outros que,
por muita piedade, permitem os distúrbios que levam ao assassinato e ao roubo.
MAQUIAVEL, N. O Príncipe, São Paulo: Martin Claret, 2009.
No século XVI, Maquiavel escreveu “O Príncipe”, reflexão sobre a Monarquia e a função do
governante.
A manutenção da ordem social, segundo esse autor, baseava-se na
(A) inércia do julgamento de crimes polêmicos.
(B) bondade em relação ao comportamento dos mercenários.
(C) compaixão quanto à condenação de transgressões religiosas.
(D) conveniência entre o poder tirânico e a moral do príncipe.
07) Thomas Hobbes acreditava que o “homem era o lobo do homem”. O que Hobbes queria dizer com
isso?
(A) Que o homem, assim como os lobos, relacionavam-se em alcateias, formando uma hierarquia em
que o objetivo comum era a obtenção de alimento.
(B) Que o ser humano passou a ver na figura do lobo um espelho de suas atividades sociais, de forma
que, em algumas sociedades, o lobo ainda é uma figura simbólica.
(C) Que o homem é capaz de agir como predador de sua própria espécie, podendo ser cruel, vingativo
e mau quando lhe fosse conveniente em seu estado de natureza.
(D) Que a amizade entre os seres humanos era comparável à relação próxima que os lobos possuem
em uma alcateia.
"Nossas lembranças de ontem durarão toda uma vida.
Guardarei as melhores e esquecerei as demais."
Boa Sorte, Fred!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Mary Alvarenga
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
Paula Meyer Piagentini
 
Cruzadinha de Filosofia - Política, poder e Estado
Cruzadinha de Filosofia -  Política, poder e EstadoCruzadinha de Filosofia -  Política, poder e Estado
Cruzadinha de Filosofia - Política, poder e Estado
Mary Alvarenga
 
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades comte, marx, weber, durkheim
Atividades comte, marx, weber, durkheimAtividades comte, marx, weber, durkheim
Atividades comte, marx, weber, durkheim
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologiaAtividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades filosofia mito
Atividades filosofia mitoAtividades filosofia mito
Atividades filosofia mito
Atividades Diversas Cláudia
 
A lenda da filosofia
A lenda da filosofia   A lenda da filosofia
A lenda da filosofia
Mary Alvarenga
 
Atividade Sociologia
Atividade Sociologia Atividade Sociologia
Atividade Sociologia
Maira Conde
 
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científicoAtividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Doug Caesar
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Política, poder e Estado
Política, poder e EstadoPolítica, poder e Estado
Política, poder e Estado
Mary Alvarenga
 
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociaisTópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
Atividades Diversas Cláudia
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Darlan Campos
 
Filosofia 8 ano
Filosofia  8 anoFilosofia  8 ano
Filosofia 8 ano
Cecília Tura
 
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
Avaliação de filosofia   1º ano    2º bimetreAvaliação de filosofia   1º ano    2º bimetre
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
ananiasdoamaral
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Duzg
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atitudes filosóficas
Atitudes filosóficasAtitudes filosóficas
Atitudes filosóficas
Mary Alvarenga
 
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
Ciência tecnologia e filosofia   3º anoCiência tecnologia e filosofia   3º ano
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
 
Cruzadinha de Filosofia - Política, poder e Estado
Cruzadinha de Filosofia -  Política, poder e EstadoCruzadinha de Filosofia -  Política, poder e Estado
Cruzadinha de Filosofia - Política, poder e Estado
 
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)
 
Atividades comte, marx, weber, durkheim
Atividades comte, marx, weber, durkheimAtividades comte, marx, weber, durkheim
Atividades comte, marx, weber, durkheim
 
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologiaAtividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
 
Atividades filosofia mito
Atividades filosofia mitoAtividades filosofia mito
Atividades filosofia mito
 
A lenda da filosofia
A lenda da filosofia   A lenda da filosofia
A lenda da filosofia
 
Atividade Sociologia
Atividade Sociologia Atividade Sociologia
Atividade Sociologia
 
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científicoAtividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
 
Política, poder e Estado
Política, poder e EstadoPolítica, poder e Estado
Política, poder e Estado
 
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociaisTópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
 
Filosofia 8 ano
Filosofia  8 anoFilosofia  8 ano
Filosofia 8 ano
 
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
Avaliação de filosofia   1º ano    2º bimetreAvaliação de filosofia   1º ano    2º bimetre
Avaliação de filosofia 1º ano 2º bimetre
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Atitudes filosóficas
Atitudes filosóficasAtitudes filosóficas
Atitudes filosóficas
 
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
Ciência tecnologia e filosofia   3º anoCiência tecnologia e filosofia   3º ano
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
 

Semelhante a Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel

Exercícios sobre política em nicolau maquiavel
Exercícios sobre política em nicolau maquiavelExercícios sobre política em nicolau maquiavel
Exercícios sobre política em nicolau maquiavel
Mônica Schlickmann
 
Maquiavel e a natureza da política
Maquiavel e a natureza da políticaMaquiavel e a natureza da política
Maquiavel e a natureza da política
Carla Motta
 
Niccolò Machiavelli
Niccolò MachiavelliNiccolò Machiavelli
Niccolò Machiavelli
GnomeKilla
 
O príncipe - Nicolau Maquiavel
O príncipe - Nicolau MaquiavelO príncipe - Nicolau Maquiavel
O príncipe - Nicolau Maquiavel
Emerson Jonas
 
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de MaquiavelAula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Resenha de o principe
Resenha de o principeResenha de o principe
Resenha de o principe
Paulo Henrique
 
Nicolau maquiavel
Nicolau maquiavelNicolau maquiavel
Trabalho completo
Trabalho completo Trabalho completo
Trabalho completo
Gabriella Lima
 
Absolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutista
Absolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutistaAbsolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutista
Absolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutista
proflucascariri
 
O Príncipe - MAQUIAVEL - Principados
O Príncipe - MAQUIAVEL - PrincipadosO Príncipe - MAQUIAVEL - Principados
O Príncipe - MAQUIAVEL - Principados
Gabriela Rubia
 
Maquiavel o príncipe
Maquiavel o príncipeMaquiavel o príncipe
Maquiavel o príncipe
sociologianocivitatis
 
O principe sintese
O principe   sinteseO principe   sintese
O principe sintese
Cleonice Januaria
 
Maquiavel: vida e obra, folder
Maquiavel:  vida e obra, folderMaquiavel:  vida e obra, folder
Maquiavel: vida e obra, folder
Judson De Araujo Barbosa
 
Maquiavel -Política e Ética-2 (1).pdf
Maquiavel -Política e Ética-2 (1).pdfMaquiavel -Política e Ética-2 (1).pdf
Maquiavel -Política e Ética-2 (1).pdf
zailetbarajas
 
Filosofia Renascentista
Filosofia  RenascentistaFilosofia  Renascentista
Filosofia Renascentista
Juliana Corvino de Araújo
 
O príncipe – Maquiavel (1513)
O príncipe – Maquiavel (1513)O príncipe – Maquiavel (1513)
O príncipe – Maquiavel (1513)
Thiago José de Souza Oliveira
 
AVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOS
AVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOSAVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOS
AVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOS
Acrópole - História & Educação
 
Política em Nicolau Maquiavel
Política em Nicolau MaquiavelPolítica em Nicolau Maquiavel
Política em Nicolau Maquiavel
Marcos Goulart
 
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de MaquiavelAula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
Claudio Henrique Ramos Sales
 
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandeséTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
Paulo Fernandes
 

Semelhante a Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel (20)

Exercícios sobre política em nicolau maquiavel
Exercícios sobre política em nicolau maquiavelExercícios sobre política em nicolau maquiavel
Exercícios sobre política em nicolau maquiavel
 
Maquiavel e a natureza da política
Maquiavel e a natureza da políticaMaquiavel e a natureza da política
Maquiavel e a natureza da política
 
Niccolò Machiavelli
Niccolò MachiavelliNiccolò Machiavelli
Niccolò Machiavelli
 
O príncipe - Nicolau Maquiavel
O príncipe - Nicolau MaquiavelO príncipe - Nicolau Maquiavel
O príncipe - Nicolau Maquiavel
 
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de MaquiavelAula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
 
Resenha de o principe
Resenha de o principeResenha de o principe
Resenha de o principe
 
Nicolau maquiavel
Nicolau maquiavelNicolau maquiavel
Nicolau maquiavel
 
Trabalho completo
Trabalho completo Trabalho completo
Trabalho completo
 
Absolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutista
Absolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutistaAbsolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutista
Absolutismo e Estados Nacionais - filosofia absolutista
 
O Príncipe - MAQUIAVEL - Principados
O Príncipe - MAQUIAVEL - PrincipadosO Príncipe - MAQUIAVEL - Principados
O Príncipe - MAQUIAVEL - Principados
 
Maquiavel o príncipe
Maquiavel o príncipeMaquiavel o príncipe
Maquiavel o príncipe
 
O principe sintese
O principe   sinteseO principe   sintese
O principe sintese
 
Maquiavel: vida e obra, folder
Maquiavel:  vida e obra, folderMaquiavel:  vida e obra, folder
Maquiavel: vida e obra, folder
 
Maquiavel -Política e Ética-2 (1).pdf
Maquiavel -Política e Ética-2 (1).pdfMaquiavel -Política e Ética-2 (1).pdf
Maquiavel -Política e Ética-2 (1).pdf
 
Filosofia Renascentista
Filosofia  RenascentistaFilosofia  Renascentista
Filosofia Renascentista
 
O príncipe – Maquiavel (1513)
O príncipe – Maquiavel (1513)O príncipe – Maquiavel (1513)
O príncipe – Maquiavel (1513)
 
AVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOS
AVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOSAVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOS
AVALIAÇÃO ESTADOS MODERNOS
 
Política em Nicolau Maquiavel
Política em Nicolau MaquiavelPolítica em Nicolau Maquiavel
Política em Nicolau Maquiavel
 
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de MaquiavelAula 18 - As ideias de Maquiavel
Aula 18 - As ideias de Maquiavel
 
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandeséTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
 

Mais de Frederico Marques Sodré

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptxINTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
Frederico Marques Sodré
 
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptxBIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
Frederico Marques Sodré
 
ESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptx
ESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptxESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptx
ESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptx
Frederico Marques Sodré
 
Slide Santa Rita do Novo Destino
Slide Santa Rita do Novo DestinoSlide Santa Rita do Novo Destino
Slide Santa Rita do Novo Destino
Frederico Marques Sodré
 
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Frederico Marques Sodré
 
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Frederico Marques Sodré
 
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Frederico Marques Sodré
 
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Frederico Marques Sodré
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Frederico Marques Sodré
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Frederico Marques Sodré
 
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais  Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Frederico Marques Sodré
 
Mapa Conceitual República Velha
Mapa Conceitual República VelhaMapa Conceitual República Velha
Mapa Conceitual República Velha
Frederico Marques Sodré
 
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIIIMapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
Frederico Marques Sodré
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Frederico Marques Sodré
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
Frederico Marques Sodré
 
A origem da filosofia
A origem da filosofiaA origem da filosofia
A origem da filosofia
Frederico Marques Sodré
 
Reforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e ContrarreformaReforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e Contrarreforma
Frederico Marques Sodré
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Populismo no Brasil
O Populismo no BrasilO Populismo no Brasil
O Populismo no Brasil
Frederico Marques Sodré
 

Mais de Frederico Marques Sodré (20)

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptxINTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
 
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptxBIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
 
ESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptx
ESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptxESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptx
ESTADO, NAÇÃO, TERRITÓRIO - 2ª SÉRIE.pptx
 
Slide Santa Rita do Novo Destino
Slide Santa Rita do Novo DestinoSlide Santa Rita do Novo Destino
Slide Santa Rita do Novo Destino
 
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
 
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais  Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
 
Mapa Conceitual República Velha
Mapa Conceitual República VelhaMapa Conceitual República Velha
Mapa Conceitual República Velha
 
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIIIMapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
 
A origem da filosofia
A origem da filosofiaA origem da filosofia
A origem da filosofia
 
Reforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e ContrarreformaReforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e Contrarreforma
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Populismo no Brasil
O Populismo no BrasilO Populismo no Brasil
O Populismo no Brasil
 

Último

Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel

  • 1. Nº: TURMA: COLÉGIO ESTADUAL LAURENTINO MARTINS RODRIGUES Santa Rita do Novo Destino – GO - Tel.: (62) 3394-0083 “Educar é a arte de recriar o mundo” 01) Nicolau Maquiavel foi diferente dos teólogos medievais e de seus contemporâneos ao fundamentar as suas teorias políticas porque partiu (A) da Bíblia para fundamentar as suas teorias políticas. (B) do direito romano para a construção do seu pensamento político. (C) porque partiu das obras dos filósofos grecorromanos para construir a sua teoria política. (D) da experiência real do seu tempo para fundamentar o seu pensamento político. 02) Segundo O príncipe, de Maquiavel, toda cidade está dividida em dois desejos opostos: (A) o desejo dos grandes de oprimir e comandar e o desejo do povo de não ser oprimido nem comandado. (B) o desejo do povo de ser bem guiado e o desejo dos grandes em ser um bom pastor para o povo. (C) o desejo do povo por um herói que os salve e a vontade dos grandes em serem heróis do povo. (D) o desejo dos pequenos em oprimir e comandar e o desejo dos grandes em participar um dia dessa opressão. 03) A respeito da Teoria Política de Maquiavel em sua obra O Príncipe, CONSIDERE o que for CORRRETO: (01) Para formular sua teoria política, Maquiavel partiu da experiência real de seu tempo. (02) Maquiavel afirmou que o príncipe ao agir deve considerar os princípios éticos e morais que regulam a nova concepção política (04) Concebia a natureza humana como egoísta, ambiciosa, ingrata, volúvel, movida pelas paixões e desejos insaciáveis. (08) O verdadeiro príncipe é aquele que sabe tomar e conservar o poder. (16) O príncipe precisa ter virtú, ou seja, as qualidades para tomar e permanecer no poder, mesmo que use a violência, a mentira, a astúcia e a força. 04) Leia atentamente os textos abaixo: Para Maquiavel os homens trilham quase sempre estradas já percorridas. Natural, haja vista, a lei do menor esforço e da prudência (virtú). É certo que a prudência é a única companheira que o príncipe novo possui nos principados novos, já que, deverá manter a posse e tal capacidade é exclusivamente dele. Ao caracterizar “príncipe novo” pressupõe valor ou boa sorte, evidentemente que qualquer destas razões tem a propriedade de suavizar muitas dificuldades. DATA: ___/___/2016 DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: FREDERICO MARQUES SODRÉ ATIVIDADES AVALIATIVAS ALUNO (A): TURMA:
  • 2. Nº: TURMA: Maquiavel deixa transparecer uma preferência pela virtú: “Todavia, é comum observar que muitos que foram menos afortunados se mantiveram mais tempo no poder.” Skinner, também, confirma tal preferência: “Concorda que os que alcançaram o poder por meio “de sua própria virtú e não através da Fortuna” foram “os líderes mais admiráveis”, citando como exemplos “Moisés, Ciro, Rômulo, Teseu e outros que tais”.” Maquiavel destaca que as oportunidades tornaram felizes os grandes líderes supra citados e que foram as suas virtudes que lhes deram o conhecimento para agarrá-las. Vai além dizendo que aqueles que, por suas virtudes, semelhantemente a estes, se tornam príncipes, conquistam o principado com dificuldades, mas se mantém facilmente A) A partir dos textos supracitados, DEFINA os conceitos de virtú e fortuna no pensamento político de Maquiavel: ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ B) Agora, ELABORE um texto no qual você EXPLIQUE qual a importância atribuída por Maquiavel aos conceitos de virtú e fortuna: ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________ 05) A escolha dos ministros por parte de um príncipe não é coisa de pouca importância: os ministros serão bons ou maus, de acordo com a prudência que o príncipe demonstrar. A primeira impressão que se tem de um governante e da sua inteligência, é dada pelos homens que o cercam. Quando estes são eficientes e fiéis, pode-se sempre considerar o príncipe sábio, pois foi capaz de reconhecer a capacidade e manter fidelidade. Mas quando a situação é oposta, pode-se sempre dele fazer mau juízo, porque seu primeiro erro terá sido cometido ao escolher os assessores”. (MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. Trad. de Pietro Nassetti. São Paulo: Martin Claret, 2004. p. 136.) Com base no texto e nos conhecimentos sobre Maquiavel, é correto afirmar: (A) As atitudes do príncipe são livres da influência dos ministros que ele escolhe para governar. (B) Basta que o príncipe seja bom e virtuoso para que seu governo obtenha pleno êxito e seja reconhecidopelo povo.
  • 3. Nº: TURMA: (C) O povo distingue e julga, separadamente, as atitudes do príncipe daquelas de seus ministros. (D) Um príncipe e seu governo são avaliados também pela escolha dos ministros. 06) O príncipe, portanto, não deve se incomodar com a reputação de cruel, se seu propósito é manter o povo unido e leal. De fato, com uns poucos exemplos duros poderá ser mais clemente de outros que, por muita piedade, permitem os distúrbios que levam ao assassinato e ao roubo. MAQUIAVEL, N. O Príncipe, São Paulo: Martin Claret, 2009. No século XVI, Maquiavel escreveu “O Príncipe”, reflexão sobre a Monarquia e a função do governante. A manutenção da ordem social, segundo esse autor, baseava-se na (A) inércia do julgamento de crimes polêmicos. (B) bondade em relação ao comportamento dos mercenários. (C) compaixão quanto à condenação de transgressões religiosas. (D) conveniência entre o poder tirânico e a moral do príncipe. 07) Thomas Hobbes acreditava que o “homem era o lobo do homem”. O que Hobbes queria dizer com isso? (A) Que o homem, assim como os lobos, relacionavam-se em alcateias, formando uma hierarquia em que o objetivo comum era a obtenção de alimento. (B) Que o ser humano passou a ver na figura do lobo um espelho de suas atividades sociais, de forma que, em algumas sociedades, o lobo ainda é uma figura simbólica. (C) Que o homem é capaz de agir como predador de sua própria espécie, podendo ser cruel, vingativo e mau quando lhe fosse conveniente em seu estado de natureza. (D) Que a amizade entre os seres humanos era comparável à relação próxima que os lobos possuem em uma alcateia. "Nossas lembranças de ontem durarão toda uma vida. Guardarei as melhores e esquecerei as demais." Boa Sorte, Fred!