SlideShare uma empresa Scribd logo
Autoridade das Escrituras




                 Lição 5
Neemias 8. 1-6

1- E chegado o sétimo mês, e estando os filhos
de Israel nas suas cidades, todo o povo se
ajuntou como um só homem, na praça, diante
da porta das águas; e disseram a Esdras, o
escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés,
que o SENHOR tinha ordenado a Israel.
2 - E Esdras, o sacerdote, trouxe a lei perante a
congregação, tanto de homens como de
mulheres, e todos os que podiam ouvir com
entendimento, no primeiro dia do sétimo
mês.
3 - E leu no livro diante da praça, que está
diante da porta das águas, desde a alva até ao
meio dia, perante homens e mulheres, e os
que podiam entender; e os ouvidos de todo o
povo estavam atentos ao livro da lei.
4 - E Esdras, o escriba, estava sobre um púlpito
de madeira, que fizeram para aquele fim; (...)
5 - E Esdras abriu o livro perante à vista de
todo o povo; porque estava acima de todo o
povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em
pé.
6 - E Esdras louvou ao SENHOR, o grande
Deus; e todo o povo respondeu: Amém,
Amém! levantando as suas mãos; e inclinaram
suas cabeças, e adoraram ao SENHOR, com os
rostos em terra.
Texto Áureo

Nunca me esquecerei dos teus preceitos; pois
por eles me tens vivificado.

Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus
preceitos.

Salmos 119:93-94
Jesus Cristo, a revelação de Deus Pai, é a
figura central de toda a Bíblia.



Em todos os livros temos uma figura de Cristo.
A Bíblia NÃO se ocupa em PROVAR a
existência de Deus, MAS em REVELAR àqueles
que O buscam a sua natureza e o seu caráter e
a maneira como Deus deseja que nos
relacionemos com Ele.
“Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor
dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos
sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos.
Sim, Pai, pois assim foi do teu agrado.

"Todas as coisas me foram entregues por meu Pai.
Ninguém conhece o Filho a não ser o Pai, e ninguém
conhece o Pai a não ser o Filho e aqueles a quem o
Filho o quiser revelar.” Mateus 11:25-27
Só há entendimento das Escrituras através do Espírito
Santo de Deus.

“E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse
estando ainda convosco: Que convinha que se
cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de
Moisés, e nos profetas e nos Salmos. Então abriu-lhes
o entendimento para compreenderem as Escrituras.”
Lucas 24:44-45
Nenhuma experiência religiosa é maior do
que as Escrituras.
“Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de
nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas
artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a
sua majestade.
Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória,
quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte
voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho
comprazido.
E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com
ele no monte santo; E temos, mui firme, a palavra dos
profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a
uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia
amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos
corações. ” 2 Pedro 1:16-19
1. A Origem das Escrituras
Bíblia – grego biblion coleção de livros.

É composta de 66 livros:
  39 Antigo Testamento
  27 Novo Testamento


  Na versão católica há mais 7 livros, os chamados
  livros apócrifos.
1. Material Utilizado
PAPIRO
Pergaminho

Produzido de couro de animais   .
1.2 Da Oralidade à Escrita

         “O Deus, nós ouvimos com os
         nossos ouvidos, e nossos pais
         nos têm contado a obra que
         fizeste em seus dias, nos
         tempos    da    antiguidade.”
         Salmos 44:1
“Disse mais o SENHOR a Moisés: Escreve estas
palavras; porque conforme ao teor destas
palavras tenho feito aliança contigo e com
Israel.” Êxodo 34:27
Ao todo a Bíblia tem cerca de 40 diferentes
autógrafos, ou seja, autores inspirados por
Deus.

A Bíblia levou cerca de 1.600 anos para ser
escrita.
Escriba ou copista
Responsável por produzir cópias através dos tempos,
guardando os registros históricos e literários para as
gerações futuras. Ex.: Esdras (Ne 8.1), Baruque (Jr
36.26), Safã (2Re 22), etc.
1.3 Gêneros Discursivos

São as características próprias de cada tipo de
texto, a maneira como está apresentado, seu
formato, a forma como está organizado.
1.3.1 Narração

São histórias que descrevem aspectos da vida
na sociedade israelita dos tempos antigos e
servem de parâmetro para entendermos as
exigências de Deus, o protagonista da
narração, em relação aos seus filhos.
“Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e
o que o Senhor exige: Pratique a justiça, ame
a fidelidade e ande humildemente com o seu
Deus.” Miquéias 6:8
1.3.2 Leis

"Esta é a aliança que farei com a comunidade
de Israel depois daqueles dias", declara o
Senhor. "Porei minhas leis em suas mentes e
as escreverei em seus corações. Serei o Deus
deles, e eles serão o meu povo.”” Hb. 8:10
1.3.3 Poesia
Os livros poéticos são: Jó, Salmos, Provérbios,
Eclesiastes, Cantares de Salomão.

Eram declamados ou cantados durante as
reuniões.
1.3.4 Profecia

São mensagens de Deus ao povo, por meio de
um homem inspirado por Ele.

Propõe   atitudes   de   arrependimento    e
confissão de pecados, de volta a Deus e à Sua
vontade e de manifestação da fé na aliança
com o Salvador.
“No princípio do reinado de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de
Judá, veio esta palavra do SENHOR, dizendo: Assim diz o
SENHOR: Põe-te no átrio da casa do SENHOR e dize a todas as
cidades de Judá, que vêm adorar na casa do SENHOR, todas
as palavras que te mandei que lhes dissesses; não omitas
nenhuma palavra.
Bem pode ser que ouçam, e se convertam cada um do seu
mau caminho, e eu me arrependa do mal que intento fazer-
lhes por causa da maldade das suas ações.” Jeremias 26:1-3
1.3.5 Evangelhos

 Passagens acerca
 da vida, das obras
 e das palavras de
 Jesus.
1.3.6 Epístolas

As cartas escritas pelos apóstolos Paulo,
Pedro, Tiago, João e Judas, continham
conteúdo        específico    para   situações
específicas,     mas    nos    apresentam   o
permanente desafio de representar Jesus no
mundo.
“Pois alguns dizem: "As cartas dele são duras
e   fortes,   mas   ele   pessoalmente     não
impressiona, e a sua palavra é desprezível“.

Saibam tais pessoas que aquilo que somos em
cartas, quando estamos ausentes, seremos em
atos, quando estivermos presentes.”

2 Coríntios 10:10-11
2. Inspiração das Escrituras
A inspiração divina da Bíblia é o que a
diferencia dos demais livros do mundo.


Inspirada significa soprada para dentro, ou
seja, comunicada aos escritores por Deus, por
meio do seu Santo Espírito.
“Mas é o espírito dentro do homem que lhe
dá entendimento, o sopro do Todo-poderoso.”
Jó 32:8
2.1 Teorias insensatas

Teorias falsas sobre a inspiração da Bíblia:
 Teoria do ditado verbal – traz uma verdade
  parcial;
 Teoria da inspiração natural – nega a ação
  sobrenatural de Deus;
 Teoria da inspiração de ideias – ideias dissociadas
  de palavras.
2.2 Teoria Coerente

• Teoria verbal e plenária – todas as palavras,
  bem como os livros e os processos de
  transmissão são inspirados por Deus.
  – A Bíblia é então caracterizada por sua inerrância e
    infabilidade.
“Mas os planos do Senhor permanecem para
sempre, os propósitos do seu coração, por
todas as gerações.” Salmos 33:11



“A verdade é a essência da tua palavra, e
todas as tuas justas ordenanças são eternas.”
Salmos 119:160
3. O Poder das Escrituras

Esdras descreve três fatos sobre a autoridade
e o poder das Escrituras e, favor do povo de
Deus:
3.1 A Lei é ouvida
• Esdras desempenha a atividade sacerdotal;
• O povo pede para ouvir a Lei;
3.2 A reverência do povo
O povo, numa prontidão tanto física quanto
espiritual, ofereceu à Palavra de Deus ampla
atenção.
“Esdras abriu o livro diante de todo o povo, e este
podia vê-lo, pois ele estava num lugar mais alto.
E, quando abriu o livro, o povo todo se levantou.”
Neemias 8:5
3.3 Adoração consciente
Esdras ao louvar o Senhor identificou-O como fonte de
bênçãos para o povo. O povo respondeu amém em
sinal de concordância.
“Esdras louvou o Senhor, o grande Deus, e todo o povo
ergueu as mãos e respondeu: "Amém! Amém! " Então
eles adoraram o Senhor, prostrados, rosto em terra.”
Neemias 8:6
Adoração é:

• Resposta de alguém que, entendendo a
 Palavra de Deus se submete à Sua vontade.
Conclusão

“Pois tudo o que foi escrito no passado, foi
escrito para nos ensinar, de forma que, por
meio da perseverança e do bom ânimo
procedentes das Escrituras, mantenhamos a
nossa esperança.” Romanos 15:4
Precisamos    sempre     estar   dispostos   à
transformação       e   ao   aperfeiçoamento
proporcionados pelo conhecimento bíblico, a
fim de que sejamos, cada dia, mais parecidos
com Jesus Cristo.
“Memorizar passagens bíblicas grandiosas
ajudará       na   meditação   em   Deus,
especialmente à noite. “Guardo no coração
as tuas palavras…” (Sl 119:11), disse o
salmista, que conhecia sobre o deleite na
presença e na comunhão com Deus.”
A. W. Tozer

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 2 Hebreus
Lição 2   HebreusLição 2   Hebreus
LIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráter
LIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráterLIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráter
LIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráter
Natalino das Neves Neves
 
Lição 12 hebreus
Lição 12   hebreusLição 12   hebreus
Lição 12 hebreus
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010
dalto
 
Aula 1 - Gênesis
Aula 1 - GênesisAula 1 - Gênesis
Aula 1 - Gênesis
ibrdoamor
 
4º trimestre 2015 lição 01 adultos
4º trimestre 2015 lição 01 adultos4º trimestre 2015 lição 01 adultos
4º trimestre 2015 lição 01 adultos
Joel Silva
 
O decálogo
O decálogo O decálogo
O decálogo
RibamarCantanhede3
 
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas   celso brasilTestes e curiosidades bíblicas   celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Estudo de Introdução a Teologia
Estudo de Introdução a TeologiaEstudo de Introdução a Teologia
Estudo de Introdução a Teologia
Ricardo Gondim
 
Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia
irmaspaulinas
 
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
Hilda Helena Heringer
 
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula IIEstudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Daniel de Carvalho Luz
 
Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Os sete selos do apocalípse
Os sete selos do apocalípseOs sete selos do apocalípse
Os sete selos do apocalípse
RibamarCantanhede3
 
Um guia de estudo do livro de gênesis
Um guia de estudo do livro de gênesisUm guia de estudo do livro de gênesis
Um guia de estudo do livro de gênesis
KalianyFran
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
Ricardo Gondim
 
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
Robson Tavares Fernandes
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
Rosana Eugenio Dos Santos
 
Lição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticar
Lição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticarLição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticar
Lição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticar
Erberson Pinheiro
 
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
José Carlos Polozi
 

Mais procurados (20)

Lição 2 Hebreus
Lição 2   HebreusLição 2   Hebreus
Lição 2 Hebreus
 
LIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráter
LIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráterLIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráter
LIÇÃO 13 - Jesus cristo, o modelo supremo de caráter
 
Lição 12 hebreus
Lição 12   hebreusLição 12   hebreus
Lição 12 hebreus
 
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010
 
Aula 1 - Gênesis
Aula 1 - GênesisAula 1 - Gênesis
Aula 1 - Gênesis
 
4º trimestre 2015 lição 01 adultos
4º trimestre 2015 lição 01 adultos4º trimestre 2015 lição 01 adultos
4º trimestre 2015 lição 01 adultos
 
O decálogo
O decálogo O decálogo
O decálogo
 
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas   celso brasilTestes e curiosidades bíblicas   celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
 
Estudo de Introdução a Teologia
Estudo de Introdução a TeologiaEstudo de Introdução a Teologia
Estudo de Introdução a Teologia
 
Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia
 
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
 
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula IIEstudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
 
Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3
 
Os sete selos do apocalípse
Os sete selos do apocalípseOs sete selos do apocalípse
Os sete selos do apocalípse
 
Um guia de estudo do livro de gênesis
Um guia de estudo do livro de gênesisUm guia de estudo do livro de gênesis
Um guia de estudo do livro de gênesis
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
 
Lição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticar
Lição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticarLição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticar
Lição 13 - A decisão crucial do discípulo ouvir e praticar
 
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
 

Semelhante a Autoridade das Escrituras

Inspiração
InspiraçãoInspiração
Inspiração
Mauro Pereira
 
7 11 nov
7 11 nov7 11 nov
7 11 nov
Fábio Soares
 
Port bhc
Port bhcPort bhc
Port bhc
Jose Moraes
 
As 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de Deus
As 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de DeusAs 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de Deus
As 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de Deus
Freekidstories
 
panorama.pdf
panorama.pdfpanorama.pdf
panorama.pdf
JoSantos34
 
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Gerson G. Ramos
 
A Restauração espiritual tem início
A Restauração espiritual tem inícioA Restauração espiritual tem início
A Restauração espiritual tem início
JUERP
 
1 - BIBLIOLOGIA.doc
1 -  BIBLIOLOGIA.doc1 -  BIBLIOLOGIA.doc
1 - BIBLIOLOGIA.doc
HumanizaTeologia
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Fernando Chapeiro
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011
jesmioma
 
Junho 2011
Junho 2011Junho 2011
Junho 2011
jesmioma
 
Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011
Fernando Chapeiro
 
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
jesmioma
 
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
Paulo Dias Nogueira
 
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENORLUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
Projeto Preparar um Povo
 
O rico e o mendigo
O rico e o mendigoO rico e o mendigo
O rico e o mendigo
RibamarCantanhede3
 
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano CLeituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano C
José Lima
 
O rico e o mendigo
O rico e o mendigoO rico e o mendigo
O rico e o mendigo
ribamarcantanhede2
 
O peitoral-do-juizo-w-nee-pdf
O peitoral-do-juizo-w-nee-pdfO peitoral-do-juizo-w-nee-pdf
O peitoral-do-juizo-w-nee-pdf
Alvino Silva
 

Semelhante a Autoridade das Escrituras (20)

Inspiração
InspiraçãoInspiração
Inspiração
 
7 11 nov
7 11 nov7 11 nov
7 11 nov
 
Port bhc
Port bhcPort bhc
Port bhc
 
As 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de Deus
As 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de DeusAs 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de Deus
As 12 pedras do alicerce aula 1A: A Palavra de Deus
 
panorama.pdf
panorama.pdfpanorama.pdf
panorama.pdf
 
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
 
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
 
A Restauração espiritual tem início
A Restauração espiritual tem inícioA Restauração espiritual tem início
A Restauração espiritual tem início
 
1 - BIBLIOLOGIA.doc
1 -  BIBLIOLOGIA.doc1 -  BIBLIOLOGIA.doc
1 - BIBLIOLOGIA.doc
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011
 
Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011Voz da Paróquia - Agosto 2011
Voz da Paróquia - Agosto 2011
 
Junho 2011
Junho 2011Junho 2011
Junho 2011
 
Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011Voz da Paróquia - Junho 2011
Voz da Paróquia - Junho 2011
 
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
Voz da Paróquia - Fevereiro 2014
 
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
 
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENORLUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
 
O rico e o mendigo
O rico e o mendigoO rico e o mendigo
O rico e o mendigo
 
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano CLeituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano C
 
O rico e o mendigo
O rico e o mendigoO rico e o mendigo
O rico e o mendigo
 
O peitoral-do-juizo-w-nee-pdf
O peitoral-do-juizo-w-nee-pdfO peitoral-do-juizo-w-nee-pdf
O peitoral-do-juizo-w-nee-pdf
 

Mais de Quenia Damata

Parabéns Pastora Zade
Parabéns Pastora ZadeParabéns Pastora Zade
Parabéns Pastora Zade
Quenia Damata
 
Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +
Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +
Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +
Quenia Damata
 
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participaçãoDinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Quenia Damata
 
O Homem e sua origem - lição 7
O Homem e sua origem - lição 7O Homem e sua origem - lição 7
O Homem e sua origem - lição 7
Quenia Damata
 
Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)
Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)
Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)
Quenia Damata
 
O Fruto do Espírito Santo
O Fruto do Espírito SantoO Fruto do Espírito Santo
O Fruto do Espírito Santo
Quenia Damata
 
As parábolas de Jesus
As parábolas de JesusAs parábolas de Jesus
As parábolas de Jesus
Quenia Damata
 
Lição 10: A necessidade e a urgência do culto doméstico
Lição 10: A necessidade e a urgência do culto domésticoLição 10: A necessidade e a urgência do culto doméstico
Lição 10: A necessidade e a urgência do culto doméstico
Quenia Damata
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Quenia Damata
 
A história de João Batista
A história de João BatistaA história de João Batista
A história de João Batista
Quenia Damata
 
Lição 3: Um exemplo a ser imitado
Lição 3: Um exemplo a ser imitadoLição 3: Um exemplo a ser imitado
Lição 3: Um exemplo a ser imitado
Quenia Damata
 
Tudo tem o seu tempo - Lição 11 CPAD
Tudo tem o seu tempo - Lição 11 CPADTudo tem o seu tempo - Lição 11 CPAD
Tudo tem o seu tempo - Lição 11 CPAD
Quenia Damata
 
Dinâmica: Corpo, Alma e Espírito
Dinâmica: Corpo, Alma e EspíritoDinâmica: Corpo, Alma e Espírito
Dinâmica: Corpo, Alma e Espírito
Quenia Damata
 
Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!
Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!
Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!
Quenia Damata
 
Você está podendo?
Você está podendo?Você está podendo?
Você está podendo?
Quenia Damata
 
Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem manda em você?
Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem  manda em você?Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem  manda em você?
Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem manda em você?
Quenia Damata
 
O Natal em mangá
O Natal em mangáO Natal em mangá
O Natal em mangá
Quenia Damata
 
O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9
O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9
O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9
Quenia Damata
 
O pecado e suas consequências - Lição 6
O pecado e suas consequências - Lição 6O pecado e suas consequências - Lição 6
O pecado e suas consequências - Lição 6
Quenia Damata
 
O caráter de Deus
O caráter de DeusO caráter de Deus
O caráter de Deus
Quenia Damata
 

Mais de Quenia Damata (20)

Parabéns Pastora Zade
Parabéns Pastora ZadeParabéns Pastora Zade
Parabéns Pastora Zade
 
Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +
Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +
Jônatas, um amigo para todas as horas - Lição 5 - Viver +
 
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participaçãoDinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
Dinâmica do Quebra-Cabeça - Incentivar a união e participação
 
O Homem e sua origem - lição 7
O Homem e sua origem - lição 7O Homem e sua origem - lição 7
O Homem e sua origem - lição 7
 
Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)
Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)
Os seres angelicais - Lição 6 revista Juvenis (CPAD)
 
O Fruto do Espírito Santo
O Fruto do Espírito SantoO Fruto do Espírito Santo
O Fruto do Espírito Santo
 
As parábolas de Jesus
As parábolas de JesusAs parábolas de Jesus
As parábolas de Jesus
 
Lição 10: A necessidade e a urgência do culto doméstico
Lição 10: A necessidade e a urgência do culto domésticoLição 10: A necessidade e a urgência do culto doméstico
Lição 10: A necessidade e a urgência do culto doméstico
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
A história de João Batista
A história de João BatistaA história de João Batista
A história de João Batista
 
Lição 3: Um exemplo a ser imitado
Lição 3: Um exemplo a ser imitadoLição 3: Um exemplo a ser imitado
Lição 3: Um exemplo a ser imitado
 
Tudo tem o seu tempo - Lição 11 CPAD
Tudo tem o seu tempo - Lição 11 CPADTudo tem o seu tempo - Lição 11 CPAD
Tudo tem o seu tempo - Lição 11 CPAD
 
Dinâmica: Corpo, Alma e Espírito
Dinâmica: Corpo, Alma e EspíritoDinâmica: Corpo, Alma e Espírito
Dinâmica: Corpo, Alma e Espírito
 
Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!
Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!
Adolescentes Vencedores, Lição 08 : Antenados!
 
Você está podendo?
Você está podendo?Você está podendo?
Você está podendo?
 
Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem manda em você?
Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem  manda em você?Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem  manda em você?
Licao 04 - Adolescentes Vencedores: Quem manda em você?
 
O Natal em mangá
O Natal em mangáO Natal em mangá
O Natal em mangá
 
O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9
O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9
O Espírito Santo, Deus em nós - lição 9
 
O pecado e suas consequências - Lição 6
O pecado e suas consequências - Lição 6O pecado e suas consequências - Lição 6
O pecado e suas consequências - Lição 6
 
O caráter de Deus
O caráter de DeusO caráter de Deus
O caráter de Deus
 

Último

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 

Último (15)

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 

Autoridade das Escrituras

  • 2. Neemias 8. 1-6 1- E chegado o sétimo mês, e estando os filhos de Israel nas suas cidades, todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça, diante da porta das águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o SENHOR tinha ordenado a Israel.
  • 3. 2 - E Esdras, o sacerdote, trouxe a lei perante a congregação, tanto de homens como de mulheres, e todos os que podiam ouvir com entendimento, no primeiro dia do sétimo mês.
  • 4. 3 - E leu no livro diante da praça, que está diante da porta das águas, desde a alva até ao meio dia, perante homens e mulheres, e os que podiam entender; e os ouvidos de todo o povo estavam atentos ao livro da lei.
  • 5. 4 - E Esdras, o escriba, estava sobre um púlpito de madeira, que fizeram para aquele fim; (...)
  • 6. 5 - E Esdras abriu o livro perante à vista de todo o povo; porque estava acima de todo o povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé.
  • 7. 6 - E Esdras louvou ao SENHOR, o grande Deus; e todo o povo respondeu: Amém, Amém! levantando as suas mãos; e inclinaram suas cabeças, e adoraram ao SENHOR, com os rostos em terra.
  • 8. Texto Áureo Nunca me esquecerei dos teus preceitos; pois por eles me tens vivificado. Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos. Salmos 119:93-94
  • 9. Jesus Cristo, a revelação de Deus Pai, é a figura central de toda a Bíblia. Em todos os livros temos uma figura de Cristo.
  • 10. A Bíblia NÃO se ocupa em PROVAR a existência de Deus, MAS em REVELAR àqueles que O buscam a sua natureza e o seu caráter e a maneira como Deus deseja que nos relacionemos com Ele.
  • 11. “Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, pois assim foi do teu agrado. "Todas as coisas me foram entregues por meu Pai. Ninguém conhece o Filho a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aqueles a quem o Filho o quiser revelar.” Mateus 11:25-27
  • 12. Só há entendimento das Escrituras através do Espírito Santo de Deus. “E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos. Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.” Lucas 24:44-45
  • 13. Nenhuma experiência religiosa é maior do que as Escrituras.
  • 14. “Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade. Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido. E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo; E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações. ” 2 Pedro 1:16-19
  • 15. 1. A Origem das Escrituras Bíblia – grego biblion coleção de livros. É composta de 66 livros: 39 Antigo Testamento 27 Novo Testamento Na versão católica há mais 7 livros, os chamados livros apócrifos.
  • 19. 1.2 Da Oralidade à Escrita “O Deus, nós ouvimos com os nossos ouvidos, e nossos pais nos têm contado a obra que fizeste em seus dias, nos tempos da antiguidade.” Salmos 44:1
  • 20. “Disse mais o SENHOR a Moisés: Escreve estas palavras; porque conforme ao teor destas palavras tenho feito aliança contigo e com Israel.” Êxodo 34:27
  • 21. Ao todo a Bíblia tem cerca de 40 diferentes autógrafos, ou seja, autores inspirados por Deus. A Bíblia levou cerca de 1.600 anos para ser escrita.
  • 22. Escriba ou copista Responsável por produzir cópias através dos tempos, guardando os registros históricos e literários para as gerações futuras. Ex.: Esdras (Ne 8.1), Baruque (Jr 36.26), Safã (2Re 22), etc.
  • 23. 1.3 Gêneros Discursivos São as características próprias de cada tipo de texto, a maneira como está apresentado, seu formato, a forma como está organizado.
  • 24. 1.3.1 Narração São histórias que descrevem aspectos da vida na sociedade israelita dos tempos antigos e servem de parâmetro para entendermos as exigências de Deus, o protagonista da narração, em relação aos seus filhos.
  • 25. “Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige: Pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus.” Miquéias 6:8
  • 26. 1.3.2 Leis "Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel depois daqueles dias", declara o Senhor. "Porei minhas leis em suas mentes e as escreverei em seus corações. Serei o Deus deles, e eles serão o meu povo.”” Hb. 8:10
  • 27. 1.3.3 Poesia Os livros poéticos são: Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cantares de Salomão. Eram declamados ou cantados durante as reuniões.
  • 28. 1.3.4 Profecia São mensagens de Deus ao povo, por meio de um homem inspirado por Ele. Propõe atitudes de arrependimento e confissão de pecados, de volta a Deus e à Sua vontade e de manifestação da fé na aliança com o Salvador.
  • 29. “No princípio do reinado de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, veio esta palavra do SENHOR, dizendo: Assim diz o SENHOR: Põe-te no átrio da casa do SENHOR e dize a todas as cidades de Judá, que vêm adorar na casa do SENHOR, todas as palavras que te mandei que lhes dissesses; não omitas nenhuma palavra. Bem pode ser que ouçam, e se convertam cada um do seu mau caminho, e eu me arrependa do mal que intento fazer- lhes por causa da maldade das suas ações.” Jeremias 26:1-3
  • 30. 1.3.5 Evangelhos Passagens acerca da vida, das obras e das palavras de Jesus.
  • 31. 1.3.6 Epístolas As cartas escritas pelos apóstolos Paulo, Pedro, Tiago, João e Judas, continham conteúdo específico para situações específicas, mas nos apresentam o permanente desafio de representar Jesus no mundo.
  • 32. “Pois alguns dizem: "As cartas dele são duras e fortes, mas ele pessoalmente não impressiona, e a sua palavra é desprezível“. Saibam tais pessoas que aquilo que somos em cartas, quando estamos ausentes, seremos em atos, quando estivermos presentes.” 2 Coríntios 10:10-11
  • 33. 2. Inspiração das Escrituras A inspiração divina da Bíblia é o que a diferencia dos demais livros do mundo. Inspirada significa soprada para dentro, ou seja, comunicada aos escritores por Deus, por meio do seu Santo Espírito.
  • 34. “Mas é o espírito dentro do homem que lhe dá entendimento, o sopro do Todo-poderoso.” Jó 32:8
  • 35. 2.1 Teorias insensatas Teorias falsas sobre a inspiração da Bíblia:  Teoria do ditado verbal – traz uma verdade parcial;  Teoria da inspiração natural – nega a ação sobrenatural de Deus;  Teoria da inspiração de ideias – ideias dissociadas de palavras.
  • 36. 2.2 Teoria Coerente • Teoria verbal e plenária – todas as palavras, bem como os livros e os processos de transmissão são inspirados por Deus. – A Bíblia é então caracterizada por sua inerrância e infabilidade.
  • 37. “Mas os planos do Senhor permanecem para sempre, os propósitos do seu coração, por todas as gerações.” Salmos 33:11 “A verdade é a essência da tua palavra, e todas as tuas justas ordenanças são eternas.” Salmos 119:160
  • 38. 3. O Poder das Escrituras Esdras descreve três fatos sobre a autoridade e o poder das Escrituras e, favor do povo de Deus:
  • 39. 3.1 A Lei é ouvida • Esdras desempenha a atividade sacerdotal; • O povo pede para ouvir a Lei;
  • 40. 3.2 A reverência do povo O povo, numa prontidão tanto física quanto espiritual, ofereceu à Palavra de Deus ampla atenção. “Esdras abriu o livro diante de todo o povo, e este podia vê-lo, pois ele estava num lugar mais alto. E, quando abriu o livro, o povo todo se levantou.” Neemias 8:5
  • 41. 3.3 Adoração consciente Esdras ao louvar o Senhor identificou-O como fonte de bênçãos para o povo. O povo respondeu amém em sinal de concordância. “Esdras louvou o Senhor, o grande Deus, e todo o povo ergueu as mãos e respondeu: "Amém! Amém! " Então eles adoraram o Senhor, prostrados, rosto em terra.” Neemias 8:6
  • 42. Adoração é: • Resposta de alguém que, entendendo a Palavra de Deus se submete à Sua vontade.
  • 43. Conclusão “Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança.” Romanos 15:4
  • 44. Precisamos sempre estar dispostos à transformação e ao aperfeiçoamento proporcionados pelo conhecimento bíblico, a fim de que sejamos, cada dia, mais parecidos com Jesus Cristo.
  • 45. “Memorizar passagens bíblicas grandiosas ajudará na meditação em Deus, especialmente à noite. “Guardo no coração as tuas palavras…” (Sl 119:11), disse o salmista, que conhecia sobre o deleite na presença e na comunhão com Deus.” A. W. Tozer