SlideShare uma empresa Scribd logo
Monoibridismo sem Dominância
PÁG 55
Herança condicionada por um par de
alelos sem que um prevaleça em relação
ao outro.
Três fenótipos possíveis em F2.
Três genótipos possíveis em F2.
Proporção fenotípica
1:2:1
Proporção genotípica
1:2:1
1- SEMIDOMINÂNCIA
ou Dominância incompleta
O heterozigoto
apresenta uma
mistura das
características
dos dois
homozigotos
Ex.: cor das flores em
Maravilha.
P vermelhas x brancas
F1 100% rosas
F1 rosas x rosas
F2 25% vermelhas
50% rosas
25% brancas
VV BB
VB
VB VB
VV
VB
BB
X
2) Codominância
Codominância
Ex. Em ervilhas, um gene pleiotrópico
condiciona, simultaneamente três
características (cor da flor, cor do
tegumento da semente, presença de
manchas rochas nas estípulas das folhas)
Na espécie humana – Síndrome de
Marfan
Pleiotropia: um par de genes
determina vários caracteres.
Alelos Letais
(UECE/2018) Em relação à herança, assinale com V ou F
conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma a seguir.
( ) Na dominância completa, os heterozigotos apresentam
fenótipo intermediário entre os dois homozigotos.
( ) Quando ocorre a codominância, os heterozigotos apresentam
o mesmo fenótipo de um dos homozigotos.
( ) Alelos letais causam a morte de seus portadores e são
considerados: dominante, quando apenas um está presente; ou
recessivo, quando os dois estão presentes.
( ) A pleiotropia é o fenômeno em que o gene determina a
expressão de mais de uma característica.
Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência:
A) F, F, V, V.
B) V, V, F, F.
C) V, F, V, F.
D) F, V, F, V.
(UFG) No homem, a acondroplasia é uma
anomalia genética, autossômica dominante,
caracterizada por um tipo de nanismo em que a
cabeça e o tronco são normais, mas os braços e
as pernas são curtos. A letalidade dessa anomalia
é causada por um gene dominante em dose
dupla. Dessa forma, na descendência de um casal
acondroplásico, a proporção fenotípica esperada
em F1 é:
a) 100% anões.
b) 100% normais.
c) 33,3% anões e 66,7% normais.
d) 46,7% anões e 53,3% normais.
e) 66,7% anões e 33,3% normais.
(Enem/2020) Em um grupo de roedores, a presença de um gene
dominante (A) determina indivíduos com pelagem na cor
amarela. Entretanto, em homozigose é letal, ou seja, provoca a
morte dos indivíduos no útero. Já o alelo recessivo (a) não é letal
e determina a presença de pelos pretos. Com base nessas
informações, considere o heredograma:
Qual é a probabilidade de, na próxima ninhada do casal de
roedores que está representado na figura pelos números 7 e 8,
nascer uma fêmea de pelagem amarela (representada pelo
número 11)?
A) ¼ (25%) B) 1/3 (33%) C) ½ (50%) D) 2/3 (66%) E) ¾ (75%)
Variação descontínua
Plumagem preta, cinza
azulada ou branca
sem gradação entre essas
três cores
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
Norma de reação gênica
O mesmo genótipo produz fenótipos variados
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
Página 63
Polialelismo ou Alelos Múltiplos
Herança dos
grupos sanguíneos
Alelos Múltiplos (Polialelismo)
Herança determinada por 3 ou
mais alelos que condicionam um
só caráter, obedecendo os
padrões mendelianos.
Estudo de um par de
cromossomos homólogos.
Um lócus gênico.
Grupos Sanguíneos
Determinado por proteínas presentes nas
hemácias.
Conhecimento importante nas transfusões,
medicina legal, estudos étnicos, etc.
Transfusões baseadas nas relações
antígeno/anticorpo.
A herança obedece os padrões mendelianos:
Sistema ABO Polialelia e codominância.
Sistema Rh Monoibridismo com dominância.
Sistema MN Monoibridismo e codominância
Sistema ABO
Grupo Sanguíneo Aglutinogênio nas
hemácias
Aglutinina no
plasma
A A Anti-B
B B Anti-A
AB A e B -
O - Anti-A e Anti-B
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
Sistema ABO
Os grupos do sistema ABO são determinados por
uma série de 3 alelos, IA, IB e i onde:
Gene IA determina a produção do aglutinogênio A.
Gene IB determina a produção do aglutinogênio B.
Gene i determina a não produção de aglutinogênios.
Fenótipos Genótipos
Grupo A IAIA ou IAi
Grupo B IBIB ou IBi
Grupo AB IAIB
Grupo O ii
IA = IB > i
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
Alelos Múltiplos
chinchila
selvagem
himalaia
albino
Sistema Rh
Fator Rh Proteína encontrada nas hemácias
que pode agir como antígeno se for inserida em
indivíduos que não a possuam.
Rh+ indivíduos que possuem a proteína.
Rh- indivíduos que não possuem a proteína.
Doações
Rh- Rh+
Fenótipos Genótipos
Rh+ RR ou Rr
Rh- rr
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
Eritroblastose Fetal
Doença Hemolítica do Recém Nascido
Condições: Mãe: Rh-; Pai: Rh+; Criança: Rh+
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
Sistema MN
Proteínas presentes nas hemácias que não são levadas em
conta nas transfusões sanguíneas.
Geneticamente é um caso de codominância.
Grupo M: produz a proteína M.
Grupo N: produz a proteína N.
Grupo MN: produz as duas proteínas.
Fenótipos Genótipos
M LMLM
N LNLN
MN LMLN
Doações
M N
MN
Sistema MN
(MACK SP) Um homem pertencente ao tipo
sanguíneo AB, Rh+, que teve eritroblastose fetal ao
nascer, casa-se com uma mulher doadora universal.
Sabendo que o casal já tem uma criança que
apresentou eritroblastose fetal, a probabilidade de
terem uma criança pertencente ao tipo A Rh– é de:
a) 75%
b) 50%
c) 25%
d) zero
e) 100%
TIPO SANGUÍNEO FALSO “O”
A expressão dos genótipos do sistema sanguíneo
ABO está relacionada com o lócus gênico
denominado H, existente no cromossomo 19, onde
está o alelo H (dominante) ou h (recessivo).
O alelo H produz uma enzima (enzima H) que
transforma uma substância precursora em antígeno
H, que, por sua vez, é transformado em antígeno A
ou B por ação, respectivamente, de enzimas
sintetizadas sob o comando dos alelos IA ou IB.
Pessoas com o fenótipo Bombaim não
produzem a enzima ativa (H) que transformaria
a substância precursora em antígeno H.
A ausência da enzima faz com que essas
pessoas não apresentem os antígenos “A” e “B”
nem o “H”, em suas hemácias, mesmo
possuindo os alelos responsáveis pela síntese
dessas substâncias.
Como saber?
O teste para detectar se uma pessoa é
realmente “O” ou falso “O” é feito
aplicando-se o anticorpo anti-H em
uma gota de sangue.
Se houver aglutinação, o indivíduo é um
“O” verdadeiro, ou seja, “ii”.
Se não ocorrer aglutinação, ele é falso
“O”, podendo ser IAIA, IAi, IBIB, IBi ou IAIB.
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
(Unifor) Na espécie humana, os alelos que
determinam sangue do tipo A (IA) e do tipo B
(IB) são codominantes. Esses dois alelos,
porém, são dominantes sobre o alelo
responsável por sangue do tipo O (i). Assim, se
uma mulher com tipo sanguíneo A tem um filho
com tipo sanguíneo B, o sangue do pai da
criança pode ser do tipo:
a) B ou O.
b) A, B, AB ou O.
c) AB ou B.
d) A ou B.
e) A, B ou AB.
(PUC-CAMPINAS) O heredograma a seguir mostra os
diferentes tipos sanguíneos existentes em uma família.
Assinale a alternativa que contém, respectivamente, o
fenótipo e o genótipo do indivíduo II.2.
FENÓTIPOS GENÓTIPOS
a O ii
b A IAi
c A IAIA
d B IBi
e AB IAIB
(UFSCAR) Em relação ao sistema sanguíneo
ABO, um garoto, ao se submeter ao exame
sorológico, revelou ausência de aglutininas.
Seus pais apresentaram grupos sanguíneos
diferentes e cada um apresentou apenas
uma aglutinina. Os prováveis genótipos dos
pais do menino são:
a) IBi – ii.
b) IAi – ii.
c) IAIB – IAi.
d) IAIB – IAIA.
e) IAi – IBi.
a) Mulher do grupo A, homem do grupo A, criança do
grupo O.
b) Mulher do grupo A, homem do grupo B, criança do
grupo O.
c) Mulher do grupo B, homem do grupo AB, criança do
grupo O.
d) Mulher do grupo AB, homem do grupo A, criança do
grupo B.
e) Mulher do grupo O, homem do grupo A, criança do
grupo A.
(PUC-RIO) A análise de grupos sanguíneos é uma maneira
simples de se esclarecer casos de paternidade duvidosa.
Esse tipo de teste permite provar, em alguns casos, que
determinada pessoa não pode ser o pai de uma criança, o
que ocorre em apenas uma das situações abaixo:

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf

Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
giovannimusetti
 
Exercícios genética 3
Exercícios genética 3Exercícios genética 3
Exercícios genética 3
Carla Carrasco
 
Primeira lei de mendel
Primeira lei de mendelPrimeira lei de mendel
Primeira lei de mendel
Cristiane Arruda
 
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
Ionara Urrutia Moura
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
primeiroanocsl
 
Genética exercícios 2
Genética exercícios 2Genética exercícios 2
Genética exercícios 2
Carla Carrasco
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
Caio Augusto
 
Polialelismo e 2a lei de mendel
Polialelismo e 2a lei de mendelPolialelismo e 2a lei de mendel
Polialelismo e 2a lei de mendel
César Milani
 
Os alelos múltiplos
Os alelos múltiplosOs alelos múltiplos
Os alelos múltiplos
Iuri Fretta Wiggers
 
Exercícios genética 4
Exercícios genética 4Exercícios genética 4
Exercícios genética 4
Carla Carrasco
 
3S_ Lista maio 2014respondida
3S_ Lista maio 2014respondida 3S_ Lista maio 2014respondida
3S_ Lista maio 2014respondida
Ionara Urrutia Moura
 
Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.
Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.
Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.
Ionara Urrutia Moura
 
Ficha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedadeFicha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedade
joseeira
 
Codominancia
CodominanciaCodominancia
Codominancia
Grupo UNIASSELVI
 
Genética 2 e-3e
Genética 2 e-3eGenética 2 e-3e
Genética 2 e-3e
César Milani
 
Genetica ENEM Completa.ppt
Genetica ENEM Completa.pptGenetica ENEM Completa.ppt
Genetica ENEM Completa.ppt
AlciaBfica1
 
3 eletro p1_2bim_2014- respondida
3 eletro p1_2bim_2014- respondida3 eletro p1_2bim_2014- respondida
3 eletro p1_2bim_2014- respondida
Ionara Urrutia Moura
 
Polialelia
PolialeliaPolialelia
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercícioprof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
Hebert Pecorelli
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
CotucaAmbiental
 

Semelhante a AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf (20)

Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Exercícios genética 3
Exercícios genética 3Exercícios genética 3
Exercícios genética 3
 
Primeira lei de mendel
Primeira lei de mendelPrimeira lei de mendel
Primeira lei de mendel
 
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
 
Genética exercícios 2
Genética exercícios 2Genética exercícios 2
Genética exercícios 2
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
 
Polialelismo e 2a lei de mendel
Polialelismo e 2a lei de mendelPolialelismo e 2a lei de mendel
Polialelismo e 2a lei de mendel
 
Os alelos múltiplos
Os alelos múltiplosOs alelos múltiplos
Os alelos múltiplos
 
Exercícios genética 4
Exercícios genética 4Exercícios genética 4
Exercícios genética 4
 
3S_ Lista maio 2014respondida
3S_ Lista maio 2014respondida 3S_ Lista maio 2014respondida
3S_ Lista maio 2014respondida
 
Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.
Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.
Lista maio 2012 respondida - vários assuntos de genética.
 
Ficha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedadeFicha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedade
 
Codominancia
CodominanciaCodominancia
Codominancia
 
Genética 2 e-3e
Genética 2 e-3eGenética 2 e-3e
Genética 2 e-3e
 
Genetica ENEM Completa.ppt
Genetica ENEM Completa.pptGenetica ENEM Completa.ppt
Genetica ENEM Completa.ppt
 
3 eletro p1_2bim_2014- respondida
3 eletro p1_2bim_2014- respondida3 eletro p1_2bim_2014- respondida
3 eletro p1_2bim_2014- respondida
 
Polialelia
PolialeliaPolialelia
Polialelia
 
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercícioprof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
 

Mais de César Milani

ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdfÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
César Milani
 
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdfBIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
César Milani
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdfSISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
César Milani
 
2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdfÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOSÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOS
César Milani
 
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIACÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
César Milani
 
AULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃOAULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃO
César Milani
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivo
César Milani
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
César Milani
 
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentaçãoEmbriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
César Milani
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
César Milani
 
Núcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínasNúcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínas
César Milani
 
Revestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membranaRevestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membrana
César Milani
 
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOSPOLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
César Milani
 
Roteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirãoRoteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirão
César Milani
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
César Milani
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6
César Milani
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
César Milani
 

Mais de César Milani (20)

ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdfÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
 
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdfBIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdfSISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
 
2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf
 
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdfÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
 
ÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOSÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOS
 
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIACÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
 
AULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃOAULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃO
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivo
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
 
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentaçãoEmbriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Núcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínasNúcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínas
 
Revestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membranaRevestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membrana
 
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOSPOLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
 
Roteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirãoRoteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirão
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
 

Último

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 

Último (20)

VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 

AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf

  • 1. Monoibridismo sem Dominância PÁG 55 Herança condicionada por um par de alelos sem que um prevaleça em relação ao outro. Três fenótipos possíveis em F2. Três genótipos possíveis em F2. Proporção fenotípica 1:2:1 Proporção genotípica 1:2:1
  • 2. 1- SEMIDOMINÂNCIA ou Dominância incompleta O heterozigoto apresenta uma mistura das características dos dois homozigotos Ex.: cor das flores em Maravilha. P vermelhas x brancas F1 100% rosas F1 rosas x rosas F2 25% vermelhas 50% rosas 25% brancas VV BB VB VB VB VV VB BB
  • 3. X
  • 6. Ex. Em ervilhas, um gene pleiotrópico condiciona, simultaneamente três características (cor da flor, cor do tegumento da semente, presença de manchas rochas nas estípulas das folhas) Na espécie humana – Síndrome de Marfan Pleiotropia: um par de genes determina vários caracteres.
  • 8. (UECE/2018) Em relação à herança, assinale com V ou F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma a seguir. ( ) Na dominância completa, os heterozigotos apresentam fenótipo intermediário entre os dois homozigotos. ( ) Quando ocorre a codominância, os heterozigotos apresentam o mesmo fenótipo de um dos homozigotos. ( ) Alelos letais causam a morte de seus portadores e são considerados: dominante, quando apenas um está presente; ou recessivo, quando os dois estão presentes. ( ) A pleiotropia é o fenômeno em que o gene determina a expressão de mais de uma característica. Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência: A) F, F, V, V. B) V, V, F, F. C) V, F, V, F. D) F, V, F, V.
  • 9. (UFG) No homem, a acondroplasia é uma anomalia genética, autossômica dominante, caracterizada por um tipo de nanismo em que a cabeça e o tronco são normais, mas os braços e as pernas são curtos. A letalidade dessa anomalia é causada por um gene dominante em dose dupla. Dessa forma, na descendência de um casal acondroplásico, a proporção fenotípica esperada em F1 é: a) 100% anões. b) 100% normais. c) 33,3% anões e 66,7% normais. d) 46,7% anões e 53,3% normais. e) 66,7% anões e 33,3% normais.
  • 10. (Enem/2020) Em um grupo de roedores, a presença de um gene dominante (A) determina indivíduos com pelagem na cor amarela. Entretanto, em homozigose é letal, ou seja, provoca a morte dos indivíduos no útero. Já o alelo recessivo (a) não é letal e determina a presença de pelos pretos. Com base nessas informações, considere o heredograma: Qual é a probabilidade de, na próxima ninhada do casal de roedores que está representado na figura pelos números 7 e 8, nascer uma fêmea de pelagem amarela (representada pelo número 11)? A) ¼ (25%) B) 1/3 (33%) C) ½ (50%) D) 2/3 (66%) E) ¾ (75%)
  • 11. Variação descontínua Plumagem preta, cinza azulada ou branca sem gradação entre essas três cores
  • 13. Norma de reação gênica O mesmo genótipo produz fenótipos variados
  • 15. Página 63 Polialelismo ou Alelos Múltiplos Herança dos grupos sanguíneos
  • 16. Alelos Múltiplos (Polialelismo) Herança determinada por 3 ou mais alelos que condicionam um só caráter, obedecendo os padrões mendelianos. Estudo de um par de cromossomos homólogos. Um lócus gênico.
  • 17. Grupos Sanguíneos Determinado por proteínas presentes nas hemácias. Conhecimento importante nas transfusões, medicina legal, estudos étnicos, etc. Transfusões baseadas nas relações antígeno/anticorpo. A herança obedece os padrões mendelianos: Sistema ABO Polialelia e codominância. Sistema Rh Monoibridismo com dominância. Sistema MN Monoibridismo e codominância
  • 18. Sistema ABO Grupo Sanguíneo Aglutinogênio nas hemácias Aglutinina no plasma A A Anti-B B B Anti-A AB A e B - O - Anti-A e Anti-B
  • 20. Sistema ABO Os grupos do sistema ABO são determinados por uma série de 3 alelos, IA, IB e i onde: Gene IA determina a produção do aglutinogênio A. Gene IB determina a produção do aglutinogênio B. Gene i determina a não produção de aglutinogênios. Fenótipos Genótipos Grupo A IAIA ou IAi Grupo B IBIB ou IBi Grupo AB IAIB Grupo O ii IA = IB > i
  • 23. Sistema Rh Fator Rh Proteína encontrada nas hemácias que pode agir como antígeno se for inserida em indivíduos que não a possuam. Rh+ indivíduos que possuem a proteína. Rh- indivíduos que não possuem a proteína. Doações Rh- Rh+ Fenótipos Genótipos Rh+ RR ou Rr Rh- rr
  • 25. Eritroblastose Fetal Doença Hemolítica do Recém Nascido Condições: Mãe: Rh-; Pai: Rh+; Criança: Rh+
  • 27. Sistema MN Proteínas presentes nas hemácias que não são levadas em conta nas transfusões sanguíneas. Geneticamente é um caso de codominância. Grupo M: produz a proteína M. Grupo N: produz a proteína N. Grupo MN: produz as duas proteínas. Fenótipos Genótipos M LMLM N LNLN MN LMLN Doações M N MN
  • 29. (MACK SP) Um homem pertencente ao tipo sanguíneo AB, Rh+, que teve eritroblastose fetal ao nascer, casa-se com uma mulher doadora universal. Sabendo que o casal já tem uma criança que apresentou eritroblastose fetal, a probabilidade de terem uma criança pertencente ao tipo A Rh– é de: a) 75% b) 50% c) 25% d) zero e) 100%
  • 31. A expressão dos genótipos do sistema sanguíneo ABO está relacionada com o lócus gênico denominado H, existente no cromossomo 19, onde está o alelo H (dominante) ou h (recessivo). O alelo H produz uma enzima (enzima H) que transforma uma substância precursora em antígeno H, que, por sua vez, é transformado em antígeno A ou B por ação, respectivamente, de enzimas sintetizadas sob o comando dos alelos IA ou IB.
  • 32. Pessoas com o fenótipo Bombaim não produzem a enzima ativa (H) que transformaria a substância precursora em antígeno H. A ausência da enzima faz com que essas pessoas não apresentem os antígenos “A” e “B” nem o “H”, em suas hemácias, mesmo possuindo os alelos responsáveis pela síntese dessas substâncias.
  • 33. Como saber? O teste para detectar se uma pessoa é realmente “O” ou falso “O” é feito aplicando-se o anticorpo anti-H em uma gota de sangue. Se houver aglutinação, o indivíduo é um “O” verdadeiro, ou seja, “ii”. Se não ocorrer aglutinação, ele é falso “O”, podendo ser IAIA, IAi, IBIB, IBi ou IAIB.
  • 35. (Unifor) Na espécie humana, os alelos que determinam sangue do tipo A (IA) e do tipo B (IB) são codominantes. Esses dois alelos, porém, são dominantes sobre o alelo responsável por sangue do tipo O (i). Assim, se uma mulher com tipo sanguíneo A tem um filho com tipo sanguíneo B, o sangue do pai da criança pode ser do tipo: a) B ou O. b) A, B, AB ou O. c) AB ou B. d) A ou B. e) A, B ou AB.
  • 36. (PUC-CAMPINAS) O heredograma a seguir mostra os diferentes tipos sanguíneos existentes em uma família. Assinale a alternativa que contém, respectivamente, o fenótipo e o genótipo do indivíduo II.2. FENÓTIPOS GENÓTIPOS a O ii b A IAi c A IAIA d B IBi e AB IAIB
  • 37. (UFSCAR) Em relação ao sistema sanguíneo ABO, um garoto, ao se submeter ao exame sorológico, revelou ausência de aglutininas. Seus pais apresentaram grupos sanguíneos diferentes e cada um apresentou apenas uma aglutinina. Os prováveis genótipos dos pais do menino são: a) IBi – ii. b) IAi – ii. c) IAIB – IAi. d) IAIB – IAIA. e) IAi – IBi.
  • 38. a) Mulher do grupo A, homem do grupo A, criança do grupo O. b) Mulher do grupo A, homem do grupo B, criança do grupo O. c) Mulher do grupo B, homem do grupo AB, criança do grupo O. d) Mulher do grupo AB, homem do grupo A, criança do grupo B. e) Mulher do grupo O, homem do grupo A, criança do grupo A. (PUC-RIO) A análise de grupos sanguíneos é uma maneira simples de se esclarecer casos de paternidade duvidosa. Esse tipo de teste permite provar, em alguns casos, que determinada pessoa não pode ser o pai de uma criança, o que ocorre em apenas uma das situações abaixo: