SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO À MEDICINA I
Coordenador/Regente: Prof.Doutor João Pimentel

INTRODUÇÃO À MEDICINA I

- Fundamentos
- Objectivos pedagógicos
- Conteúdo programático
- Métodos de ensino
- Métodos de avaliação de conhecimentos
- Fontes bibliográficas

FUNDAMENTOS

- Contacto clínico precoce
- Aprendizagem baseada nos problemas clínicos
- Atitudes adequadas ao futuro médico
- Instituições de Ensino

1
OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS

- GERAIS
- ESPECÍFICOS

OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS

GERAIS

- Contacto com a prática da comunicação humana
(relação médico-doente)
- Avaliação de problemas ético-deontológicos
- Motivação para aprendizagem das ciências básicas
(situações clínicas)

OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS

ESPECÍFICOS

- Conhecimentos (saber)

- Aptidões (saber fazer)
- Atitudes (saber estar)

2
OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS

- Conhecimentos (saber)
1) Estrutura geral do curso Médico e dos métodos de
ensino/aprendizagem utilizados.
2) Teoria e prática da comunicação humana e da relação
médico/doente.
3) Bases ético-deontológicas em Medicina.
4) História da Medicina e do ensino médico.
5) Princípios básicos de técnica cirúrgica
6) Noções básicas de Socorrismo (SBV)

OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS

- Aptidões (saber fazer)
1) Capacidade de comunicação humana interpessoal e com
os doentes.
2) Detecção dos problemas ético-deontológicos na
relação médico-doente.
3) Capacidade de execução de gestos básicos de técnica
cirúrgica e manobras genéricas de Socorrismo (SBV).

OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS

- Atitudes (saber estar)
1) Respeitar os doentes, seus familiares, os colegas e outros profissionais da
saúde e reconhecer os direitos dos doentes em particular no que se refere
à confidencialidade e ao consentimento informado.
2) Promover o desenvolvimento de qualidades pessoais adequadas à actividade
médica, nomeadamente ser íntegro, responsável e interessado na sua
valorização profissional, particularmente através da auto-aprendizagem.
3) Reconhecer a necessidade da educação médica permanente.

3
INTRODUÇÃO À MEDICINA I
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

AULAS TEÓRICAS

Princípios Básicos de Cirurgia (Prof. Doutor João Pimentel)
Noções de Socorrismo (Prof. Doutor João Pimentel)
História da Medicina (Prof. Doutor Arnaldo Figueiredo)

INTRODUÇÃO À MEDICINA I
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
AULAS TEÓRICAS

Princípios Básicos Cirurgia (Prof. Doutor João Pimentel)
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.

Assepsia cutânea e do campo operatório
Posicionamento do cirurgião e do doente
Anestesia local
Material de corte, dissecção e sutura
Dissecção
Hemostase
Drenagem
Encerramento de feridas

INTRODUÇÃO À MEDICINA I
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
AULAS TEÓRICAS

Noções de Socorrismo (Prof. Doutor João Pimentel)
Princípios gerais de socorrismo; fundamentos anatómicos da
reanimação cárdio-,respiratória, paragem cardio-respiratória, noções
de morte cerebral e morte biológica; fases da reanimação
cardio-respiratória inicial e da reanimação avançada; o doente politraumatizado; situações especiais. Medicina de Catástrofe

4
INTRODUÇÃO À MEDICINA I
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
AULAS TEÓRICAS

História da Medicina (Prof. Doutor Arnaldo Figueiredo)
As antigas origens da Medicina e da Cirurgia. A Medicina na Idade
Média. O Renascimento e os avanços médicos. A Medicina Científica
dos séc. XVIII ao séc. XX. O Ensino Médico em Portugal. História
da Saúde Pública. História da Cirurgia dos séc. XVIII ao séc. XX.
Novas tecnologias e progresso.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

AULAS PRÁTICAS
Contacto com a prática da comunicação humana, em particular na
relação médico-doente.
Avaliação de alguns problemas ético-deontológicos.
Contacto precoce com situações clínicas e estruturas de saúde
motivação para a aprendizagem das ciências básicas.

MÉTODOS DE ENSINO

- AULAS TEÓRICAS
16 horas

- AULAS PRÁTICAS
32 horas

5
MÉTODOS DE ENSINO
AULAS PRÁTICAS
Hospital da Universidade e Centros de Saúde distribuídos pelas seguintes
valências: Serviços de Medicina, Cirurgia, Ortopedia, Urologia, Psiquiatria,
Anestesiologia (Socorrismo), Hosp. Sobral Cid e Centros de Saúde.
Será exigida a presença em cinco valências, registadas por estes Serviços.
O Curso será dividido em 5 grandes blocos (I, II, III, IV e V).
Cada bloco cumprirá uma valência em quatro semanas e cada aluno terá uma aula
cada duas semanas com a duração de duas horas.
Sucessivamente, cada bloco rodará por cada uma das valências, cada quatro
semanas.

MÉTODOS DE ENSINO
AULAS PRÁTICAS
- Cada aluno deverá registar na sua caderneta os casos clínicos observados e as
actividades médicas a que assistiu.
- Terá que obrigatoriamente elaborar um relatório com base na escolha de um
«caso-problema» observado e nas implicações a nível da comunicação humana, dos
problemas ético- deontológicos ou dos conhecimentos anatomo-fisiológicos ou
biológicos, necessários para a sua compreensão.
- A caderneta/relatório deverá ser entregue na Divisão Académica até 8 dias

após terminar a respectiva valência.

MÉTODOS DE AVALIAÇÃO

1 - EXAME PRÁTICO (50%):
– Caderneta/relatório do aluno: discussão de casos-problema
- Informação dos tutores
O aluno será admitido à prova escrita desde que obtenha a classificação mínima
de 9,5 valores no exame prático.

2 – EXAME FINAL (50%):
- Ponto escrito de respostas curtas ou de tipo teste de escolha única,
abrangendo os temas leccionados nas aulas teóricas e práticas.
O aluno será excluído se tiver classificação inferior a 9,5 valores nesta prova.
Exige-se a nota mínima de 8,5 valores numa das duas matérias avaliadas.

6
INTRODUÇÃO À MEDICINA I e II

- SECRETARIADO -

Divisão Académica
Faculdade e Hospital

BIBLIOGRAFIA
American College for Surgeons. Trauma evaluation and Management (TEAM). Programme for
medical students. ACS Committee on Trauma. 1999.
BERG J. Informed consent – legal theory and clinical practice. Oxford University Press. 2001.
BIRCHER, N; SAFAR, P - Cardiopulmonary Cerebral Ressuscitation : An introduction to
Resssuscitation Medicine . 3rd Ed, W. Saunders Company, London, 1988
CHAUVET, J.M. et al. -La grotte Chauvet à Vallon-Pont-d’Arc. Seuil, 1996.
GOUVEIA, A J.- Garcia d’Orta e Amato Lusitano na ciência do seu tempo. Biblioteca Breve,
1985.
HERSON, Bella - Cristãos-novos e seus descendentes na medicina brasileira (1500/1850).
Universidade de S.Paulo, 1996
LEROY, Francis - Dictionnaire Encyclopédique des Prix Nobel de Médecine. Biocosmos Editions,
1997.
MARQUES, Mário Gomes; CULE, John . The great maritime discoveries and world health.

BIBLIOGRAFIA

RESSUSCITATION COUNCIL (UK) – Adult Basic Life Support - Resuscitation guidelines 2005
RESSUSCITATION COUNCIL (UK) – The use of Automated External Defibrillators Resuscitation guidelines 2005
SOUSA, A.- Curso da História da Medicina. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1981.
TUBIANA, Maurice -Histoire de la Pensée Médicale. Les Chemins d'Esculape. Flammarion:
1995.
Manual de Suporte Avançado de Vida, Conselho Português de Ressuscitação. 2001.
Apoio de Aulas Práticas:
Harrison’s – Principles of Internal Medicine, 16th edition, 2004.
Sabiston – Textbook of Surgery, 17th edition, 2004

7

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Semiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicadaSemiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicada
Centro Universitário Ages
 
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
Semiologia 01   anamnese e ectoscopiaSemiologia 01   anamnese e ectoscopia
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
Jucie Vasconcelos
 
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamnesePropedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Nadjane Barros Costa
 
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
gisa_legal
 
Como escrever relato de caso
Como escrever relato de casoComo escrever relato de caso
Como escrever relato de caso
Renan Martins
 
E-Books 06 - Revolução do Cuidar
E-Books 06 - Revolução do CuidarE-Books 06 - Revolução do Cuidar
E-Books 06 - Revolução do Cuidar
Revolucao do Cuidar
 
O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...
O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...
O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...
PROIDDBahiana
 
Processo de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose Hepática
Processo de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose HepáticaProcesso de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose Hepática
Processo de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose Hepática
cuidadoaoadulto
 
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia 2010
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia   2010Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia   2010
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia 2010
Arquivo-FClinico
 
Introdução à semiologia
Introdução à semiologiaIntrodução à semiologia
Introdução à semiologia
Lucimar Campos
 
Aula 1.1 introdução à sistematização do cuidado ii
Aula 1.1  introdução à sistematização do cuidado iiAula 1.1  introdução à sistematização do cuidado ii
Aula 1.1 introdução à sistematização do cuidado ii
brigidasilva98
 
Patologia geral
Patologia geralPatologia geral
Patologia geral
Juliana Braga
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
resenfe2013
 
Luiz philippe westin
Luiz philippe westinLuiz philippe westin
Luiz philippe westin
adrianomedico
 
Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831
Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831
Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831
Andre Magalhaes
 
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdfAULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
CASA
 
Aula 1 anamese
Aula 1 anameseAula 1 anamese
Aula 1 anamese
Fernanda Francalin
 

Mais procurados (17)

Semiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicadaSemiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicada
 
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
Semiologia 01   anamnese e ectoscopiaSemiologia 01   anamnese e ectoscopia
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
 
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamnesePropedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
 
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
 
Como escrever relato de caso
Como escrever relato de casoComo escrever relato de caso
Como escrever relato de caso
 
E-Books 06 - Revolução do Cuidar
E-Books 06 - Revolução do CuidarE-Books 06 - Revolução do Cuidar
E-Books 06 - Revolução do Cuidar
 
O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...
O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...
O ensino-e-o-aprendizado-das-habilidades-clinicas-e-competencias-medicas-kira...
 
Processo de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose Hepática
Processo de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose HepáticaProcesso de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose Hepática
Processo de Enfermagem aplicado a um portador de Cirrose Hepática
 
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia 2010
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia   2010Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia   2010
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia 2010
 
Introdução à semiologia
Introdução à semiologiaIntrodução à semiologia
Introdução à semiologia
 
Aula 1.1 introdução à sistematização do cuidado ii
Aula 1.1  introdução à sistematização do cuidado iiAula 1.1  introdução à sistematização do cuidado ii
Aula 1.1 introdução à sistematização do cuidado ii
 
Patologia geral
Patologia geralPatologia geral
Patologia geral
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
 
Luiz philippe westin
Luiz philippe westinLuiz philippe westin
Luiz philippe westin
 
Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831
Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831
Aula1avaliaocineticofuncional 20150308163831
 
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdfAULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
 
Aula 1 anamese
Aula 1 anameseAula 1 anamese
Aula 1 anamese
 

Destaque

5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
manetoufrj
 
Manejo do sangramento
Manejo do sangramento  Manejo do sangramento
Manejo do sangramento
Anestesiador
 
Fisiologia coagulacao
Fisiologia coagulacaoFisiologia coagulacao
Fisiologia coagulacao
LauraVicente89
 
1 História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal
1  História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal1  História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal
1 História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal
Francismar Prestes Leal
 
Avaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacaoAvaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacao
eaprocha
 
Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013
Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013
Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013
Augusto Manuel
 
Curso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdfCurso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdf
Fábio Baía
 
Hemostasia
HemostasiaHemostasia
Hemostasia
HemostasiaHemostasia
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e FibrinóliseCoagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Coagulograma
CoagulogramaCoagulograma
Coagulograma
resenfe2013
 

Destaque (11)

5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
 
Manejo do sangramento
Manejo do sangramento  Manejo do sangramento
Manejo do sangramento
 
Fisiologia coagulacao
Fisiologia coagulacaoFisiologia coagulacao
Fisiologia coagulacao
 
1 História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal
1  História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal1  História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal
1 História da Hematologia - Aula Medicina Uningá Dr Francismar Leal
 
Avaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacaoAvaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacao
 
Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013
Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013
Aula de hemostase e coagulação sanguínea Dr Augusto 2013
 
Curso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdfCurso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdf
 
Hemostasia
HemostasiaHemostasia
Hemostasia
 
Hemostasia
HemostasiaHemostasia
Hemostasia
 
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e FibrinóliseCoagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
 
Coagulograma
CoagulogramaCoagulograma
Coagulograma
 

Semelhante a Aulas im 2012 13 fmuc

19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI
Javier Rodríguez-Vera
 
Modulo 07
Modulo 07Modulo 07
Modulo 07
SemioOrto
 
Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...
Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...
Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...
PupyFtr
 
Semiologia anamnese e ectoscopia
Semiologia   anamnese e ectoscopiaSemiologia   anamnese e ectoscopia
Semiologia anamnese e ectoscopia
leandrosdpsi
 
metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2
Leandro Lourenção Duarte
 
Semiologia ortopedica exame
Semiologia ortopedica   exameSemiologia ortopedica   exame
Semiologia ortopedica exame
Natha Fisioterapia
 
European definition in portuguese 2002
European definition in portuguese 2002European definition in portuguese 2002
European definition in portuguese 2002
João Pedro Batista Tomaz
 
conteudo programatico unip
conteudo programatico unipconteudo programatico unip
conteudo programatico unip
Arivan Mota dos Santos
 
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúdeAspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Vanessa Paiva
 
Manual do Calouro
Manual do CalouroManual do Calouro
Manual do Calouro
Mariana Filizola
 
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúdeAula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
LviaResende3
 
Epidemiologia e saúde bucal
Epidemiologia e saúde bucalEpidemiologia e saúde bucal
Epidemiologia e saúde bucalroseanecordeiro
 
O serviço social e a possibilidade de uma
O serviço social  e a possibilidade de umaO serviço social  e a possibilidade de uma
O serviço social e a possibilidade de uma
Vilma Pereira da Silva
 
Odontologia em saúde coletiva II 1ª aula
Odontologia em saúde coletiva II   1ª aulaOdontologia em saúde coletiva II   1ª aula
Odontologia em saúde coletiva II 1ª aula
Adélia Correia
 
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdfTratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
Sandra Santos silva
 
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdfTratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
RenataAlves937367
 
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdfTratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
AlexandreLopesRamos
 
Semiologia completa medresumos slideshare
Semiologia completa medresumos slideshareSemiologia completa medresumos slideshare
Semiologia completa medresumos slideshare
Juan Zambon
 
Introdução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologiaIntrodução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologia
Eduardo Crisóstomo
 
Introdução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologiaIntrodução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologia
Eduardo Crisóstomo
 

Semelhante a Aulas im 2012 13 fmuc (20)

19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI
 
Modulo 07
Modulo 07Modulo 07
Modulo 07
 
Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...
Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...
Plano Ensino Epidemiologia e o que que eu te falei e que eu não vou aí ver a ...
 
Semiologia anamnese e ectoscopia
Semiologia   anamnese e ectoscopiaSemiologia   anamnese e ectoscopia
Semiologia anamnese e ectoscopia
 
metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2metodologia do trabalho científico 2
metodologia do trabalho científico 2
 
Semiologia ortopedica exame
Semiologia ortopedica   exameSemiologia ortopedica   exame
Semiologia ortopedica exame
 
European definition in portuguese 2002
European definition in portuguese 2002European definition in portuguese 2002
European definition in portuguese 2002
 
conteudo programatico unip
conteudo programatico unipconteudo programatico unip
conteudo programatico unip
 
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúdeAspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
 
Manual do Calouro
Manual do CalouroManual do Calouro
Manual do Calouro
 
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúdeAula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
 
Epidemiologia e saúde bucal
Epidemiologia e saúde bucalEpidemiologia e saúde bucal
Epidemiologia e saúde bucal
 
O serviço social e a possibilidade de uma
O serviço social  e a possibilidade de umaO serviço social  e a possibilidade de uma
O serviço social e a possibilidade de uma
 
Odontologia em saúde coletiva II 1ª aula
Odontologia em saúde coletiva II   1ª aulaOdontologia em saúde coletiva II   1ª aula
Odontologia em saúde coletiva II 1ª aula
 
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdfTratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
 
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdfTratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
 
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdfTratado de Fisiologia Médica.pdf
Tratado de Fisiologia Médica.pdf
 
Semiologia completa medresumos slideshare
Semiologia completa medresumos slideshareSemiologia completa medresumos slideshare
Semiologia completa medresumos slideshare
 
Introdução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologiaIntrodução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologia
 
Introdução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologiaIntrodução e divisões da patologia
Introdução e divisões da patologia
 

Mais de commed1

Student questionnaire 2015_english (2)
Student questionnaire 2015_english (2)Student questionnaire 2015_english (2)
Student questionnaire 2015_english (2)commed1
 
Salas da fmuc 2014 15 1º-semestre
Salas da fmuc 2014 15 1º-semestreSalas da fmuc 2014 15 1º-semestre
Salas da fmuc 2014 15 1º-semestre
commed1
 
Notas - recurso IM II
Notas - recurso IM II Notas - recurso IM II
Notas - recurso IM II
commed1
 
Pauta avaliação prática ii 14-07-2014
Pauta avaliação prática ii   14-07-2014Pauta avaliação prática ii   14-07-2014
Pauta avaliação prática ii 14-07-2014
commed1
 
Pauta avaliação prática ii 02-07-2014
Pauta avaliação prática ii   02-07-2014Pauta avaliação prática ii   02-07-2014
Pauta avaliação prática ii 02-07-2014
commed1
 
Pauta avaliação prática ii 26-06-2014
Pauta avaliação prática ii   26-06-2014Pauta avaliação prática ii   26-06-2014
Pauta avaliação prática ii 26-06-2014
commed1
 
Notas teoricas im ii normal
Notas teoricas  im ii normalNotas teoricas  im ii normal
Notas teoricas im ii normal
commed1
 
Faltas aulas teorico praticas
Faltas aulas teorico  praticasFaltas aulas teorico  praticas
Faltas aulas teorico praticas
commed1
 
Faltas aulas teoricas
Faltas aulas teoricasFaltas aulas teoricas
Faltas aulas teoricas
commed1
 
Pauta avaliação prática ii 11-06-2014
Pauta avaliação prática ii   11-06-2014Pauta avaliação prática ii   11-06-2014
Pauta avaliação prática ii 11-06-2014
commed1
 
Pauta avaliação prática i licenciados
Pauta avaliação prática i licenciadosPauta avaliação prática i licenciados
Pauta avaliação prática i licenciados
commed1
 
Exames 2semest 1ano cópia
Exames 2semest 1ano   cópiaExames 2semest 1ano   cópia
Exames 2semest 1ano cópia
commed1
 
Exames 2semest 1anosesp
Exames 2semest 1anosespExames 2semest 1anosesp
Exames 2semest 1anosesp
commed1
 
Curso de dissecção final-alunos
Curso de dissecção   final-alunosCurso de dissecção   final-alunos
Curso de dissecção final-alunos
commed1
 
Turmas im
Turmas imTurmas im
Turmas im
commed1
 
Considerações 2013 2014 - 2º semestre
Considerações 2013 2014 - 2º semestreConsiderações 2013 2014 - 2º semestre
Considerações 2013 2014 - 2º semestre
commed1
 
Calendário aulas teorico praticas 13-14
Calendário aulas teorico praticas 13-14Calendário aulas teorico praticas 13-14
Calendário aulas teorico praticas 13-14
commed1
 
Indicacoe alunos13
Indicacoe alunos13Indicacoe alunos13
Indicacoe alunos13
commed1
 
Aviso faltas
Aviso faltasAviso faltas
Aviso faltascommed1
 
Relatorio indicacoes
Relatorio indicacoesRelatorio indicacoes
Relatorio indicacoes
commed1
 

Mais de commed1 (20)

Student questionnaire 2015_english (2)
Student questionnaire 2015_english (2)Student questionnaire 2015_english (2)
Student questionnaire 2015_english (2)
 
Salas da fmuc 2014 15 1º-semestre
Salas da fmuc 2014 15 1º-semestreSalas da fmuc 2014 15 1º-semestre
Salas da fmuc 2014 15 1º-semestre
 
Notas - recurso IM II
Notas - recurso IM II Notas - recurso IM II
Notas - recurso IM II
 
Pauta avaliação prática ii 14-07-2014
Pauta avaliação prática ii   14-07-2014Pauta avaliação prática ii   14-07-2014
Pauta avaliação prática ii 14-07-2014
 
Pauta avaliação prática ii 02-07-2014
Pauta avaliação prática ii   02-07-2014Pauta avaliação prática ii   02-07-2014
Pauta avaliação prática ii 02-07-2014
 
Pauta avaliação prática ii 26-06-2014
Pauta avaliação prática ii   26-06-2014Pauta avaliação prática ii   26-06-2014
Pauta avaliação prática ii 26-06-2014
 
Notas teoricas im ii normal
Notas teoricas  im ii normalNotas teoricas  im ii normal
Notas teoricas im ii normal
 
Faltas aulas teorico praticas
Faltas aulas teorico  praticasFaltas aulas teorico  praticas
Faltas aulas teorico praticas
 
Faltas aulas teoricas
Faltas aulas teoricasFaltas aulas teoricas
Faltas aulas teoricas
 
Pauta avaliação prática ii 11-06-2014
Pauta avaliação prática ii   11-06-2014Pauta avaliação prática ii   11-06-2014
Pauta avaliação prática ii 11-06-2014
 
Pauta avaliação prática i licenciados
Pauta avaliação prática i licenciadosPauta avaliação prática i licenciados
Pauta avaliação prática i licenciados
 
Exames 2semest 1ano cópia
Exames 2semest 1ano   cópiaExames 2semest 1ano   cópia
Exames 2semest 1ano cópia
 
Exames 2semest 1anosesp
Exames 2semest 1anosespExames 2semest 1anosesp
Exames 2semest 1anosesp
 
Curso de dissecção final-alunos
Curso de dissecção   final-alunosCurso de dissecção   final-alunos
Curso de dissecção final-alunos
 
Turmas im
Turmas imTurmas im
Turmas im
 
Considerações 2013 2014 - 2º semestre
Considerações 2013 2014 - 2º semestreConsiderações 2013 2014 - 2º semestre
Considerações 2013 2014 - 2º semestre
 
Calendário aulas teorico praticas 13-14
Calendário aulas teorico praticas 13-14Calendário aulas teorico praticas 13-14
Calendário aulas teorico praticas 13-14
 
Indicacoe alunos13
Indicacoe alunos13Indicacoe alunos13
Indicacoe alunos13
 
Aviso faltas
Aviso faltasAviso faltas
Aviso faltas
 
Relatorio indicacoes
Relatorio indicacoesRelatorio indicacoes
Relatorio indicacoes
 

Aulas im 2012 13 fmuc

  • 1. INTRODUÇÃO À MEDICINA I Coordenador/Regente: Prof.Doutor João Pimentel INTRODUÇÃO À MEDICINA I - Fundamentos - Objectivos pedagógicos - Conteúdo programático - Métodos de ensino - Métodos de avaliação de conhecimentos - Fontes bibliográficas FUNDAMENTOS - Contacto clínico precoce - Aprendizagem baseada nos problemas clínicos - Atitudes adequadas ao futuro médico - Instituições de Ensino 1
  • 2. OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS - GERAIS - ESPECÍFICOS OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS GERAIS - Contacto com a prática da comunicação humana (relação médico-doente) - Avaliação de problemas ético-deontológicos - Motivação para aprendizagem das ciências básicas (situações clínicas) OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS ESPECÍFICOS - Conhecimentos (saber) - Aptidões (saber fazer) - Atitudes (saber estar) 2
  • 3. OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS - Conhecimentos (saber) 1) Estrutura geral do curso Médico e dos métodos de ensino/aprendizagem utilizados. 2) Teoria e prática da comunicação humana e da relação médico/doente. 3) Bases ético-deontológicas em Medicina. 4) História da Medicina e do ensino médico. 5) Princípios básicos de técnica cirúrgica 6) Noções básicas de Socorrismo (SBV) OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS - Aptidões (saber fazer) 1) Capacidade de comunicação humana interpessoal e com os doentes. 2) Detecção dos problemas ético-deontológicos na relação médico-doente. 3) Capacidade de execução de gestos básicos de técnica cirúrgica e manobras genéricas de Socorrismo (SBV). OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS - Atitudes (saber estar) 1) Respeitar os doentes, seus familiares, os colegas e outros profissionais da saúde e reconhecer os direitos dos doentes em particular no que se refere à confidencialidade e ao consentimento informado. 2) Promover o desenvolvimento de qualidades pessoais adequadas à actividade médica, nomeadamente ser íntegro, responsável e interessado na sua valorização profissional, particularmente através da auto-aprendizagem. 3) Reconhecer a necessidade da educação médica permanente. 3
  • 4. INTRODUÇÃO À MEDICINA I CONTEÚDO PROGRAMÁTICO AULAS TEÓRICAS Princípios Básicos de Cirurgia (Prof. Doutor João Pimentel) Noções de Socorrismo (Prof. Doutor João Pimentel) História da Medicina (Prof. Doutor Arnaldo Figueiredo) INTRODUÇÃO À MEDICINA I CONTEÚDO PROGRAMÁTICO AULAS TEÓRICAS Princípios Básicos Cirurgia (Prof. Doutor João Pimentel) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. Assepsia cutânea e do campo operatório Posicionamento do cirurgião e do doente Anestesia local Material de corte, dissecção e sutura Dissecção Hemostase Drenagem Encerramento de feridas INTRODUÇÃO À MEDICINA I CONTEÚDO PROGRAMÁTICO AULAS TEÓRICAS Noções de Socorrismo (Prof. Doutor João Pimentel) Princípios gerais de socorrismo; fundamentos anatómicos da reanimação cárdio-,respiratória, paragem cardio-respiratória, noções de morte cerebral e morte biológica; fases da reanimação cardio-respiratória inicial e da reanimação avançada; o doente politraumatizado; situações especiais. Medicina de Catástrofe 4
  • 5. INTRODUÇÃO À MEDICINA I CONTEÚDO PROGRAMÁTICO AULAS TEÓRICAS História da Medicina (Prof. Doutor Arnaldo Figueiredo) As antigas origens da Medicina e da Cirurgia. A Medicina na Idade Média. O Renascimento e os avanços médicos. A Medicina Científica dos séc. XVIII ao séc. XX. O Ensino Médico em Portugal. História da Saúde Pública. História da Cirurgia dos séc. XVIII ao séc. XX. Novas tecnologias e progresso. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO AULAS PRÁTICAS Contacto com a prática da comunicação humana, em particular na relação médico-doente. Avaliação de alguns problemas ético-deontológicos. Contacto precoce com situações clínicas e estruturas de saúde motivação para a aprendizagem das ciências básicas. MÉTODOS DE ENSINO - AULAS TEÓRICAS 16 horas - AULAS PRÁTICAS 32 horas 5
  • 6. MÉTODOS DE ENSINO AULAS PRÁTICAS Hospital da Universidade e Centros de Saúde distribuídos pelas seguintes valências: Serviços de Medicina, Cirurgia, Ortopedia, Urologia, Psiquiatria, Anestesiologia (Socorrismo), Hosp. Sobral Cid e Centros de Saúde. Será exigida a presença em cinco valências, registadas por estes Serviços. O Curso será dividido em 5 grandes blocos (I, II, III, IV e V). Cada bloco cumprirá uma valência em quatro semanas e cada aluno terá uma aula cada duas semanas com a duração de duas horas. Sucessivamente, cada bloco rodará por cada uma das valências, cada quatro semanas. MÉTODOS DE ENSINO AULAS PRÁTICAS - Cada aluno deverá registar na sua caderneta os casos clínicos observados e as actividades médicas a que assistiu. - Terá que obrigatoriamente elaborar um relatório com base na escolha de um «caso-problema» observado e nas implicações a nível da comunicação humana, dos problemas ético- deontológicos ou dos conhecimentos anatomo-fisiológicos ou biológicos, necessários para a sua compreensão. - A caderneta/relatório deverá ser entregue na Divisão Académica até 8 dias após terminar a respectiva valência. MÉTODOS DE AVALIAÇÃO 1 - EXAME PRÁTICO (50%): – Caderneta/relatório do aluno: discussão de casos-problema - Informação dos tutores O aluno será admitido à prova escrita desde que obtenha a classificação mínima de 9,5 valores no exame prático. 2 – EXAME FINAL (50%): - Ponto escrito de respostas curtas ou de tipo teste de escolha única, abrangendo os temas leccionados nas aulas teóricas e práticas. O aluno será excluído se tiver classificação inferior a 9,5 valores nesta prova. Exige-se a nota mínima de 8,5 valores numa das duas matérias avaliadas. 6
  • 7. INTRODUÇÃO À MEDICINA I e II - SECRETARIADO - Divisão Académica Faculdade e Hospital BIBLIOGRAFIA American College for Surgeons. Trauma evaluation and Management (TEAM). Programme for medical students. ACS Committee on Trauma. 1999. BERG J. Informed consent – legal theory and clinical practice. Oxford University Press. 2001. BIRCHER, N; SAFAR, P - Cardiopulmonary Cerebral Ressuscitation : An introduction to Resssuscitation Medicine . 3rd Ed, W. Saunders Company, London, 1988 CHAUVET, J.M. et al. -La grotte Chauvet à Vallon-Pont-d’Arc. Seuil, 1996. GOUVEIA, A J.- Garcia d’Orta e Amato Lusitano na ciência do seu tempo. Biblioteca Breve, 1985. HERSON, Bella - Cristãos-novos e seus descendentes na medicina brasileira (1500/1850). Universidade de S.Paulo, 1996 LEROY, Francis - Dictionnaire Encyclopédique des Prix Nobel de Médecine. Biocosmos Editions, 1997. MARQUES, Mário Gomes; CULE, John . The great maritime discoveries and world health. BIBLIOGRAFIA RESSUSCITATION COUNCIL (UK) – Adult Basic Life Support - Resuscitation guidelines 2005 RESSUSCITATION COUNCIL (UK) – The use of Automated External Defibrillators Resuscitation guidelines 2005 SOUSA, A.- Curso da História da Medicina. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1981. TUBIANA, Maurice -Histoire de la Pensée Médicale. Les Chemins d'Esculape. Flammarion: 1995. Manual de Suporte Avançado de Vida, Conselho Português de Ressuscitação. 2001. Apoio de Aulas Práticas: Harrison’s – Principles of Internal Medicine, 16th edition, 2004. Sabiston – Textbook of Surgery, 17th edition, 2004 7