SlideShare uma empresa Scribd logo
"Humanidades Digitais e Ciência da Informação"
Ricardo Medeiros Pimenta (IBICT)
Pesquisador 2 do CNPq
Jovem Cientista do Nosso Estado FAPERJ
Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e
Tecnologia - IBICT
O impacto do digital na sociedade da
informação do séc. XXI
• consumo e reprodução de
informações digitais ganha o
dia-a-dia (NEGROPONTE,
1995);
• conteúdos informacionais
produzidos e circulantes nos
espaço web informacionais
(PIMENTA, 2016);
• Praxiologia social da
tecnologia (STERNE, 2003);
• Cultura do acesso aberto
(BORGMAN, 2009);
• Competência em informação;
• Novos paradigmas e práticas
nos meios comunicacionais
disseminadores de informação
em consonância ao
surgimento da internet e
recursos digitais + novos
limites devido à extensão e
volume de informação (VAZ,
2004);
• Maëlstrom de Edgar Allan Poe
(1841)
Mobilidade & Aceleração
Hartmut Rosa aponta que a
“contradição do presente”
se faz notável por meio do
círculo aceleratório entre
categorias como:
• Técnica
• Mudanças sociais
• Ritmo da vida
Informação,Tecnologia e
Conhecimento parecem
ter fundamental
responsabilidade no
aceleração deste mesmo
“círculo”.
3.959.874 de domínios registrados até o momento
Print retirado em 24 jul. 2018 às 15:28
Fonte: Registro.br Disponível em: https://registro.br/estatisticas.html
Cultura da velocidade
Hartmut Rosa aponta que a
“contradição do presente”
se faz notável por meio do
círculo aceleratório entre
categorias como:
• Técnica
• Mudanças sociais
• Ritmo da vida
Informação,Tecnologia e
Conhecimento parecem
ter fundamental
responsabilidade no
aceleração deste mesmo
“círculo”.
Processos
Máquinas Dados
Pessoas
Internet de tudo (todas as coisas)
Internet of Everything
PxP
PxM
MxM
Internet das
Coisas
Internet of Things
Paradoxos
Ética na era digital Mercado para além da
ética
Competência em informação
Atualmente em 4º lugar no ranking mundial de usuários de internet, enquanto desigualdades
permanecem, falta ao Brasil o desenvolvimento de uma perspectiva crítica quanto ao digital;
O ensino e a pesquisa compõem por si só quadros de discrepância quando comparadas áreas do
conhecimento distintas;
Do ponto de vista das Humanidades, há grande demanda por desenvolvimento de competências e
necessidade de revisão de grades curriculares que acompanhem esse fenômeno de “transformação
digital” no campo científico.
Sobre disciplinas e suas
fronteiras
“o todo não é a soma das partes”
“[...] o problema da especialização encontra
os seus limites justamente aqui, no
momento em que a ciência toma
consciência que o todo não é a soma das
partes”.
(POMBO, 2005, p.10)
Limites
Limite epistemológico
enquanto potência
Disciplinas tradicionais
Interdisciplinaridades ou
Ciências de Fronteira
Humanities Computing:
você conhece?
• Anos 50 a anos 90;
• Index Thomisticus
[Roberto Busa]: 1ª
experiência de aplicação
da computação (cartões
perfurados) à
documentação e à
linguística;
• Indexação e
Lematização (isto é,
identificação de raiz
das palavras na
obra de Thomas de
Aquino).
• Text Enconding Initiative
<TEI>;
• Digitalização dos
documentos
• OCR e processos de
preservação digital
Aristophanes: The Frogs (405 BC). Characters/speakers per segment, in order of appearance
Extracted by Frank Fischer, May 2018
Disponível em: https://ezlinavis.dracor.org/
Conhecimento & Meta-informação
Digitalização e/ou digitização dos processos de investigação no extenso
campo das humanidades acabam por oferecer uma rica fonte de inspiração e
reflexão para toda a comunidade acadêmica.
Humanidades
Digitais
TIC Humanas
Humanidades digitais é uma comunidade de práticas (ALVES, 2016) que se
apresenta na interseção, na fusão de perspectivas analíticas tradicionalmente
erigidas nos campos disciplinares das humanidades e de novas possibilidades
metodológicas e reflexivas advindas das possibilidades mediadas pelo digital
Ferramentas e métodos computacionais levados à pesquisa em
Humanidades
Muitos dos arquivos on-line,
recursos educacionais abertos,
plataformas de leitura digital,
iniciativas de educação on-line e
visualizações de dados podem ser
classificados como tal;
Curadoria, organização do
conhecimento, classificação,
recuperação da informação ocupam
o topo da agenda para se evitar que:
Volume = Distopia
Transformação digital?
Alcançada quando o
desenvolvimento de formas de usos
digitais, permitem inovação e
criatividade, estimulando mudanças
significativas dentro do domínio
profissional ou do conhecimento.
(LANKSHEAR; KNOBEL, 2008, p. 173).
Algumas referencias
• HOCKEY, Susan (2004) The History of
Humanities Computing, in A Companion
to Digital Humanities (eds S. Schreibman,
R. Siemens and J. Unsworth), Blackwell
Publishing Ltd, Malden, MA, USA. doi:
10.1002/9780470999875.ch1 Disponível
em: http://www.digitalhumanities.org/co
mpanion/view?docId=blackwell/9781405
103213/9781405103213.xml&chunk.id=s
s1-2-1. Acesso em 22 fev. 2018.
• SVENSSON, Patrik (2009). Humanities
Computing as Digital Humanities. Digital
Humanities Quarterly, 3 (3), Disponível
em: http://digitalhumanities.org/dhq/vol
/3/3/000065/000065.html.
• FITZPATRICK, Kathleen. (2012). The
humanities, done digitally. In M. K. Gold
(Ed.), Debates in the digital humanities
(pp. 12–15). Minneapolis, MN: University
of Minnesota Press. Disponível
em: http://dhdebates.gc.cuny.edu/debat
es/text/30
• ANTONIJEVIC, Smiljana. Among digital
humanists: an ethnographic study of
digital knowledge production.
Hampshire, UK; New York, USA: Palgrave
Macmillan, 2015. pp. 11-36.
Grupos de pesquisa dedicados
integralmente às Humanidades Digitais
Fonte: Diretório de grupos do CNPq.
Grupos de pesquisa com linhas de
pesquisa em Humanidades Digitais
Fonte: Diretório de grupos do CNPq.
Grupos de pesquisa com linhas de
pesquisa em Humanidades Digitais
Fonte: Diretório de grupos do CNPq.
Mapeamento do
corpus temático
Fonte: Diretorio de grupos do CNPq.
Corpus textual tratado com software Iramuteq
Digital > informação #
humanidade # conteúdo #
ferramenta # metodologia #
método
Informação > organização #
memória # análise #
representação
Estudo > pesquisa # grupo #
tecnologia #
Pesquisa > social #
conhecimento #
epistemológico # empírico
Outras possibilidades
Sistemas abertos de publicação propiciam que professores e suas
respectivas redes de colaboração participem de novos fluxos de
trabalho e de produção;
Mover as práticas de ensino das humanidades, não restringindo-as às
salas de aula tradicionais, mas produzindo formas de redes
participativas pode incrementar o engajamento dos alunos e amplia o
acesso e produção de informação de forma multimodal.
A produção de recursos auxiliares, calcados na tecnologia digital,
direcionados às humanidades não apenas auxilia o intercruzamento de
informações de diversos formatos e sistemas como eles próprios
podem representar uma nova forma de “escrita”
Iniciativas no IBICT
• Curso básico de Python
para pesquisadores em
ciências humanas,
sociais e sociais
aplicadas (edição 1 e 2);
• Introdução ao Zotero:
ferramenta de gestão de
referências
bibliográficas;
• Desenvolvimento de
ferramenta digital para
mapeamento de
produção científica
através de scrapping do
Google Scholar;
• Criação de repositório
de dados abertos
dedicado às ciências
humanas.
Laboratório em Rede de Humanidades Digitais - Larhud
Diagnóstico prévio
O cenário das HD no Brasil aponta para um desenvolvimento de recursos tecnológicos
que ora propiciam fundamento metodológico para o desenvolvimento de pesquisas
diversas nas humanidades, ora são eles próprios parte do resultado de pesquisas onde
o desenvolvimento desses recursos propicia a publicização do conhecimento e a
circulação da informação no âmbito científico rumo a uma política e cultura de acesso
aberto;
Artefatos tecno-digitais acompanhados de suas respectivas linguagens e gramáticas
imagéticas têm redesenhado o cenário de produção do conhecimento e de
comunicação e popularização da ciência. O advento das Humanidades Digitais no
cenário brasileiro não escapa da condição comum de busca por prestígio e recursos
por meio da inserção da computação e de ferramentas egressas dos meios pelos quais
se busca dominar mais e mais o Big Data valorizando a inflexão multidisciplinar. Isso,
contudo, não significa que estamos a percorrer esse caminho virtuosamente.
Referencias:
ALVES, Daniel. As Humanidades Digitais como uma comunidade de práticas dentro do formalismo académico: dos
exemplos internacionais ao caso português. Ler História [Online], 69, 2016. Disponível em:
http://journals.openedition.org/lerhistoria/2496. Acesso em: 01 Fev. 2018.
ANTONIJEVIC, Smiljana. Among digital humanists: an ethnographic study of digital knowledge production. Hampshire,
UK; New York, USA: Palgrave Macmillan, 2015. pp. 11-36.
AUGUST 12TH et al. The radical potential of the Digital Humanities: The most challenging computing problem is the
interrogation of powerImpact of Social Sciences, 12 ago. 2015. Disponível em:
<http://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2015/08/12/the-radical-unrealized-potential-of-digital-humanities/>.
Acesso em: 24 jul. 2018
Brasil é o quarto país com mais usuários de Internet do mundo, diz relatório da ONU. ONU Brasil, 3 out. 2017.
Disponível em: <https://nacoesunidas.org/brasil-e-o-quarto-pais-com-mais-usuarios-de-internet-do-mundo-diz-
relatorio-da-onu/>. Acesso em: 24 jul. 2018
Cetic - Portal de Dados. Disponível em: <http://www.cetic.br/portaldedados/>. Acesso em: 24 jul. 2018.
FITZPATRICK, Kathleen. (2012). The humanities, done digitally. In M. K. Gold (Ed.), Debates in the digital humanities (pp.
12–15). Minneapolis, MN: University of Minnesota Press. Disponível
em: http://dhdebates.gc.cuny.edu/debates/text/30
HOCKEY, Susan (2004) The History of Humanities Computing, in A Companion to Digital Humanities (eds S. Schreibman,
R. Siemens and J. Unsworth), Blackwell Publishing Ltd, Malden, MA, USA. doi: 10.1002/9780470999875.ch1 Disponível
em: http://www.digitalhumanities.org/companion/view?docId=blackwell/9781405103213/9781405103213.xml&chunk
.id=ss1-2-1. Acesso em 22 fev. 2018.
LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. (EDS.). Digital literacies: concepts, policies and practices. New York: Peter Lang, 2008.
Registro.br. Disponível em: <https://registro.br/estatisticas.html>. Acesso em: 24 jul. 2018.
ROSA, H. Accélération: une critique sociale du temps. [Trad. Didier Renault] Paris: La Découverte, 2014.
SVENSSON, Patrik (2009). Humanities Computing as Digital Humanities. Digital Humanities Quarterly, 3 (3), Disponível
em: http://digitalhumanities.org/dhq/vol/3/3/000065/000065.html.
Obrigado
ricardo.pimenta@ibict.br
Mais informações sobre o Larhud: http://www.larhud.ibict.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Educação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitaisEducação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitais
Cassia Furtado
 
Utopia no mundo digital
Utopia no mundo digitalUtopia no mundo digital
Utopia no mundo digital
Cecília Tomás
 
Internet das Coisas: que desafios?
Internet das Coisas: que desafios?Internet das Coisas: que desafios?
Internet das Coisas: que desafios?
Cecília Tomás
 
Web Social
Web SocialWeb Social
Web Social
Alexandre Miranda
 
Modulo1 Ava Cibercultura
Modulo1 Ava CiberculturaModulo1 Ava Cibercultura
Modulo1 Ava Cibercultura
Amaro Braga
 
11 28-1-pb
11 28-1-pb11 28-1-pb
11 28-1-pb
LeeCaguiar
 
O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?
Aline Corso
 
Cibercultura e Sistemas de Informação
Cibercultura e Sistemas de InformaçãoCibercultura e Sistemas de Informação
Cibercultura e Sistemas de Informação
Mariano Pimentel
 
Biblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento e
Biblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento eBiblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento e
Biblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento e
Rafael Arza
 
Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...
Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...
Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...
Hugo Mártires
 
Introducao As Teorias Da Cibercultura
Introducao As Teorias Da CiberculturaIntroducao As Teorias Da Cibercultura
Introducao As Teorias Da Cibercultura
gabizago
 
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
claudiocpaiva
 
Documento de qualificação Nepomuceno Tese
Documento de qualificação Nepomuceno TeseDocumento de qualificação Nepomuceno Tese
Documento de qualificação Nepomuceno Tese
Carlos Nepomuceno (Nepô)
 
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livroCibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Carlos Nepomuceno (Nepô)
 
Hipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentido
Hipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentidoHipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentido
Hipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentido
Amorim Albert
 
O futuro da biblioteconomia no brasil texto da profa. vania lima
O futuro da biblioteconomia no brasil   texto da profa. vania limaO futuro da biblioteconomia no brasil   texto da profa. vania lima
O futuro da biblioteconomia no brasil texto da profa. vania lima
Monitor Científico FaBCI
 
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
 
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Liber UFPE
 
Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação
Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovaçãoBiblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação
Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação
Elisabeth Dudziak
 
Módulo 1 cultura digital
Módulo 1   cultura digitalMódulo 1   cultura digital
Módulo 1 cultura digital
Thiago Skárnio
 

Mais procurados (20)

Educação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitaisEducação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitais
 
Utopia no mundo digital
Utopia no mundo digitalUtopia no mundo digital
Utopia no mundo digital
 
Internet das Coisas: que desafios?
Internet das Coisas: que desafios?Internet das Coisas: que desafios?
Internet das Coisas: que desafios?
 
Web Social
Web SocialWeb Social
Web Social
 
Modulo1 Ava Cibercultura
Modulo1 Ava CiberculturaModulo1 Ava Cibercultura
Modulo1 Ava Cibercultura
 
11 28-1-pb
11 28-1-pb11 28-1-pb
11 28-1-pb
 
O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?
 
Cibercultura e Sistemas de Informação
Cibercultura e Sistemas de InformaçãoCibercultura e Sistemas de Informação
Cibercultura e Sistemas de Informação
 
Biblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento e
Biblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento eBiblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento e
Biblioteca Multimídia em saúde pública:compartilhamento de conhecimento e
 
Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...
Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...
Workshop TIC@Algarve 2011 - As Redes Sociais na Internet como Ferramentas de ...
 
Introducao As Teorias Da Cibercultura
Introducao As Teorias Da CiberculturaIntroducao As Teorias Da Cibercultura
Introducao As Teorias Da Cibercultura
 
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
 
Documento de qualificação Nepomuceno Tese
Documento de qualificação Nepomuceno TeseDocumento de qualificação Nepomuceno Tese
Documento de qualificação Nepomuceno Tese
 
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livroCibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
 
Hipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentido
Hipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentidoHipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentido
Hipertexto e generos digitais[1]. novas formas de construção de sentido
 
O futuro da biblioteconomia no brasil texto da profa. vania lima
O futuro da biblioteconomia no brasil   texto da profa. vania limaO futuro da biblioteconomia no brasil   texto da profa. vania lima
O futuro da biblioteconomia no brasil texto da profa. vania lima
 
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
 
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
 
Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação
Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovaçãoBiblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação
Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação
 
Módulo 1 cultura digital
Módulo 1   cultura digitalMódulo 1   cultura digital
Módulo 1 cultura digital
 

Semelhante a Aula/curso realizada na disciplina de Humanidades Digitais e Ciência da Informação no PGCIn da UFSC

Compartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades Digitais
Compartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades DigitaisCompartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades Digitais
Compartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades Digitais
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Seminário Sociologia na era do Big Data
Seminário Sociologia na era do Big DataSeminário Sociologia na era do Big Data
Seminário Sociologia na era do Big Data
Laboratório de Políticas Públicas Participativas
 
A interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cida
A interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cidaA interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cida
A interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cida
Adrianelegnani
 
A atuação do profissional bibliotecário na era digital
A atuação do profissional bibliotecário na era digitalA atuação do profissional bibliotecário na era digital
A atuação do profissional bibliotecário na era digital
Lygia Canelas
 
Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...
Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...
Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...
Dalton Martins
 
Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)
Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)
Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)
claudiocpaiva
 
Conhecimento Inter e Transdisciplinar
Conhecimento Inter e TransdisciplinarConhecimento Inter e Transdisciplinar
Conhecimento Inter e Transdisciplinar
Roberto C. S. Pacheco
 
Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede
Gabriela Agustini
 
Seminário BAD Humanidades Digitais
Seminário BAD Humanidades DigitaisSeminário BAD Humanidades Digitais
Seminário BAD Humanidades Digitais
Dalia Guerreiro
 
O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...
O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...
O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...
Pedro Alexandre Cabral
 
Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva
Tecnologia, Comunicação e Ciência CognitivaTecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva
Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva
Tecccog
 
Tecnologia, comunicação e ciência cognitiva
Tecnologia, comunicação e ciência cognitivaTecnologia, comunicação e ciência cognitiva
Tecnologia, comunicação e ciência cognitiva
Volney F Pereira
 
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre   estado do conhecimento na IntercomCatrata livre   estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
Douglas Gonçalves
 
Tecnologia e inclusão social - obra de Mark War Warschauer
Tecnologia e inclusão social - obra de Mark War WarschauerTecnologia e inclusão social - obra de Mark War Warschauer
Tecnologia e inclusão social - obra de Mark War Warschauer
Daniel Augustin Pereira
 
Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.
Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.
Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.
Rodrigo Castro
 
4.2.silva inclusao digital
4.2.silva inclusao  digital4.2.silva inclusao  digital
4.2.silva inclusao digital
smtpinov
 
Tecnologia,sociedade e educacao na era digital
Tecnologia,sociedade e educacao na era digital Tecnologia,sociedade e educacao na era digital
Tecnologia,sociedade e educacao na era digital
cfrancisca
 
Sociedade da informação e do conhecimento (2).pptx
Sociedade da informação e do conhecimento (2).pptxSociedade da informação e do conhecimento (2).pptx
Sociedade da informação e do conhecimento (2).pptx
Paulalsilveira Silveira
 
Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"
Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"
Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"
Laboratório de Políticas Públicas Participativas
 
TIC
TICTIC

Semelhante a Aula/curso realizada na disciplina de Humanidades Digitais e Ciência da Informação no PGCIn da UFSC (20)

Compartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades Digitais
Compartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades DigitaisCompartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades Digitais
Compartilhamento e Acesso a Dados de Pesquisa em Humanidades Digitais
 
Seminário Sociologia na era do Big Data
Seminário Sociologia na era do Big DataSeminário Sociologia na era do Big Data
Seminário Sociologia na era do Big Data
 
A interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cida
A interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cidaA interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cida
A interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias cida
 
A atuação do profissional bibliotecário na era digital
A atuação do profissional bibliotecário na era digitalA atuação do profissional bibliotecário na era digital
A atuação do profissional bibliotecário na era digital
 
Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...
Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...
Do documento às ontologias: uma visão sobre sistemas de organização do conhec...
 
Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)
Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)
Pibic 2011 2012 projeto de pesquisa (a ser atualizado)
 
Conhecimento Inter e Transdisciplinar
Conhecimento Inter e TransdisciplinarConhecimento Inter e Transdisciplinar
Conhecimento Inter e Transdisciplinar
 
Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede
 
Seminário BAD Humanidades Digitais
Seminário BAD Humanidades DigitaisSeminário BAD Humanidades Digitais
Seminário BAD Humanidades Digitais
 
O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...
O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...
O USO DO DATA MINING NA DESCOBERTA DE MARCAS IDENTITÁRIAS DO PIAUÍ: UM ESTUDO...
 
Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva
Tecnologia, Comunicação e Ciência CognitivaTecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva
Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva
 
Tecnologia, comunicação e ciência cognitiva
Tecnologia, comunicação e ciência cognitivaTecnologia, comunicação e ciência cognitiva
Tecnologia, comunicação e ciência cognitiva
 
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre   estado do conhecimento na IntercomCatrata livre   estado do conhecimento na Intercom
Catrata livre estado do conhecimento na Intercom
 
Tecnologia e inclusão social - obra de Mark War Warschauer
Tecnologia e inclusão social - obra de Mark War WarschauerTecnologia e inclusão social - obra de Mark War Warschauer
Tecnologia e inclusão social - obra de Mark War Warschauer
 
Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.
Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.
Métodos de pesquisa para Sites de Redes Sociais/ Internet.
 
4.2.silva inclusao digital
4.2.silva inclusao  digital4.2.silva inclusao  digital
4.2.silva inclusao digital
 
Tecnologia,sociedade e educacao na era digital
Tecnologia,sociedade e educacao na era digital Tecnologia,sociedade e educacao na era digital
Tecnologia,sociedade e educacao na era digital
 
Sociedade da informação e do conhecimento (2).pptx
Sociedade da informação e do conhecimento (2).pptxSociedade da informação e do conhecimento (2).pptx
Sociedade da informação e do conhecimento (2).pptx
 
Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"
Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"
Seminário do artigo "A sociologia digital: um desafio para o século XXI"
 
TIC
TICTIC
TIC
 

Último

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 

Último (20)

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 

Aula/curso realizada na disciplina de Humanidades Digitais e Ciência da Informação no PGCIn da UFSC

  • 1. "Humanidades Digitais e Ciência da Informação" Ricardo Medeiros Pimenta (IBICT) Pesquisador 2 do CNPq Jovem Cientista do Nosso Estado FAPERJ Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - IBICT
  • 2. O impacto do digital na sociedade da informação do séc. XXI • consumo e reprodução de informações digitais ganha o dia-a-dia (NEGROPONTE, 1995); • conteúdos informacionais produzidos e circulantes nos espaço web informacionais (PIMENTA, 2016); • Praxiologia social da tecnologia (STERNE, 2003); • Cultura do acesso aberto (BORGMAN, 2009); • Competência em informação; • Novos paradigmas e práticas nos meios comunicacionais disseminadores de informação em consonância ao surgimento da internet e recursos digitais + novos limites devido à extensão e volume de informação (VAZ, 2004); • Maëlstrom de Edgar Allan Poe (1841)
  • 3. Mobilidade & Aceleração Hartmut Rosa aponta que a “contradição do presente” se faz notável por meio do círculo aceleratório entre categorias como: • Técnica • Mudanças sociais • Ritmo da vida Informação,Tecnologia e Conhecimento parecem ter fundamental responsabilidade no aceleração deste mesmo “círculo”.
  • 4. 3.959.874 de domínios registrados até o momento Print retirado em 24 jul. 2018 às 15:28 Fonte: Registro.br Disponível em: https://registro.br/estatisticas.html
  • 5. Cultura da velocidade Hartmut Rosa aponta que a “contradição do presente” se faz notável por meio do círculo aceleratório entre categorias como: • Técnica • Mudanças sociais • Ritmo da vida Informação,Tecnologia e Conhecimento parecem ter fundamental responsabilidade no aceleração deste mesmo “círculo”.
  • 6. Processos Máquinas Dados Pessoas Internet de tudo (todas as coisas) Internet of Everything PxP PxM MxM Internet das Coisas Internet of Things
  • 7. Paradoxos Ética na era digital Mercado para além da ética
  • 8. Competência em informação Atualmente em 4º lugar no ranking mundial de usuários de internet, enquanto desigualdades permanecem, falta ao Brasil o desenvolvimento de uma perspectiva crítica quanto ao digital; O ensino e a pesquisa compõem por si só quadros de discrepância quando comparadas áreas do conhecimento distintas; Do ponto de vista das Humanidades, há grande demanda por desenvolvimento de competências e necessidade de revisão de grades curriculares que acompanhem esse fenômeno de “transformação digital” no campo científico.
  • 9. Sobre disciplinas e suas fronteiras “o todo não é a soma das partes” “[...] o problema da especialização encontra os seus limites justamente aqui, no momento em que a ciência toma consciência que o todo não é a soma das partes”. (POMBO, 2005, p.10) Limites
  • 10. Limite epistemológico enquanto potência Disciplinas tradicionais Interdisciplinaridades ou Ciências de Fronteira
  • 11. Humanities Computing: você conhece? • Anos 50 a anos 90; • Index Thomisticus [Roberto Busa]: 1ª experiência de aplicação da computação (cartões perfurados) à documentação e à linguística; • Indexação e Lematização (isto é, identificação de raiz das palavras na obra de Thomas de Aquino). • Text Enconding Initiative <TEI>; • Digitalização dos documentos • OCR e processos de preservação digital Aristophanes: The Frogs (405 BC). Characters/speakers per segment, in order of appearance Extracted by Frank Fischer, May 2018 Disponível em: https://ezlinavis.dracor.org/ Conhecimento & Meta-informação
  • 12. Digitalização e/ou digitização dos processos de investigação no extenso campo das humanidades acabam por oferecer uma rica fonte de inspiração e reflexão para toda a comunidade acadêmica. Humanidades Digitais TIC Humanas Humanidades digitais é uma comunidade de práticas (ALVES, 2016) que se apresenta na interseção, na fusão de perspectivas analíticas tradicionalmente erigidas nos campos disciplinares das humanidades e de novas possibilidades metodológicas e reflexivas advindas das possibilidades mediadas pelo digital
  • 13.
  • 14.
  • 15. Ferramentas e métodos computacionais levados à pesquisa em Humanidades Muitos dos arquivos on-line, recursos educacionais abertos, plataformas de leitura digital, iniciativas de educação on-line e visualizações de dados podem ser classificados como tal; Curadoria, organização do conhecimento, classificação, recuperação da informação ocupam o topo da agenda para se evitar que: Volume = Distopia Transformação digital? Alcançada quando o desenvolvimento de formas de usos digitais, permitem inovação e criatividade, estimulando mudanças significativas dentro do domínio profissional ou do conhecimento. (LANKSHEAR; KNOBEL, 2008, p. 173).
  • 16. Algumas referencias • HOCKEY, Susan (2004) The History of Humanities Computing, in A Companion to Digital Humanities (eds S. Schreibman, R. Siemens and J. Unsworth), Blackwell Publishing Ltd, Malden, MA, USA. doi: 10.1002/9780470999875.ch1 Disponível em: http://www.digitalhumanities.org/co mpanion/view?docId=blackwell/9781405 103213/9781405103213.xml&chunk.id=s s1-2-1. Acesso em 22 fev. 2018. • SVENSSON, Patrik (2009). Humanities Computing as Digital Humanities. Digital Humanities Quarterly, 3 (3), Disponível em: http://digitalhumanities.org/dhq/vol /3/3/000065/000065.html. • FITZPATRICK, Kathleen. (2012). The humanities, done digitally. In M. K. Gold (Ed.), Debates in the digital humanities (pp. 12–15). Minneapolis, MN: University of Minnesota Press. Disponível em: http://dhdebates.gc.cuny.edu/debat es/text/30 • ANTONIJEVIC, Smiljana. Among digital humanists: an ethnographic study of digital knowledge production. Hampshire, UK; New York, USA: Palgrave Macmillan, 2015. pp. 11-36.
  • 17.
  • 18.
  • 19. Grupos de pesquisa dedicados integralmente às Humanidades Digitais Fonte: Diretório de grupos do CNPq.
  • 20. Grupos de pesquisa com linhas de pesquisa em Humanidades Digitais Fonte: Diretório de grupos do CNPq.
  • 21. Grupos de pesquisa com linhas de pesquisa em Humanidades Digitais Fonte: Diretório de grupos do CNPq.
  • 22. Mapeamento do corpus temático Fonte: Diretorio de grupos do CNPq. Corpus textual tratado com software Iramuteq Digital > informação # humanidade # conteúdo # ferramenta # metodologia # método Informação > organização # memória # análise # representação Estudo > pesquisa # grupo # tecnologia # Pesquisa > social # conhecimento # epistemológico # empírico
  • 23. Outras possibilidades Sistemas abertos de publicação propiciam que professores e suas respectivas redes de colaboração participem de novos fluxos de trabalho e de produção; Mover as práticas de ensino das humanidades, não restringindo-as às salas de aula tradicionais, mas produzindo formas de redes participativas pode incrementar o engajamento dos alunos e amplia o acesso e produção de informação de forma multimodal. A produção de recursos auxiliares, calcados na tecnologia digital, direcionados às humanidades não apenas auxilia o intercruzamento de informações de diversos formatos e sistemas como eles próprios podem representar uma nova forma de “escrita”
  • 24. Iniciativas no IBICT • Curso básico de Python para pesquisadores em ciências humanas, sociais e sociais aplicadas (edição 1 e 2); • Introdução ao Zotero: ferramenta de gestão de referências bibliográficas; • Desenvolvimento de ferramenta digital para mapeamento de produção científica através de scrapping do Google Scholar; • Criação de repositório de dados abertos dedicado às ciências humanas. Laboratório em Rede de Humanidades Digitais - Larhud
  • 25. Diagnóstico prévio O cenário das HD no Brasil aponta para um desenvolvimento de recursos tecnológicos que ora propiciam fundamento metodológico para o desenvolvimento de pesquisas diversas nas humanidades, ora são eles próprios parte do resultado de pesquisas onde o desenvolvimento desses recursos propicia a publicização do conhecimento e a circulação da informação no âmbito científico rumo a uma política e cultura de acesso aberto; Artefatos tecno-digitais acompanhados de suas respectivas linguagens e gramáticas imagéticas têm redesenhado o cenário de produção do conhecimento e de comunicação e popularização da ciência. O advento das Humanidades Digitais no cenário brasileiro não escapa da condição comum de busca por prestígio e recursos por meio da inserção da computação e de ferramentas egressas dos meios pelos quais se busca dominar mais e mais o Big Data valorizando a inflexão multidisciplinar. Isso, contudo, não significa que estamos a percorrer esse caminho virtuosamente.
  • 26. Referencias: ALVES, Daniel. As Humanidades Digitais como uma comunidade de práticas dentro do formalismo académico: dos exemplos internacionais ao caso português. Ler História [Online], 69, 2016. Disponível em: http://journals.openedition.org/lerhistoria/2496. Acesso em: 01 Fev. 2018. ANTONIJEVIC, Smiljana. Among digital humanists: an ethnographic study of digital knowledge production. Hampshire, UK; New York, USA: Palgrave Macmillan, 2015. pp. 11-36. AUGUST 12TH et al. The radical potential of the Digital Humanities: The most challenging computing problem is the interrogation of powerImpact of Social Sciences, 12 ago. 2015. Disponível em: <http://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2015/08/12/the-radical-unrealized-potential-of-digital-humanities/>. Acesso em: 24 jul. 2018 Brasil é o quarto país com mais usuários de Internet do mundo, diz relatório da ONU. ONU Brasil, 3 out. 2017. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/brasil-e-o-quarto-pais-com-mais-usuarios-de-internet-do-mundo-diz- relatorio-da-onu/>. Acesso em: 24 jul. 2018 Cetic - Portal de Dados. Disponível em: <http://www.cetic.br/portaldedados/>. Acesso em: 24 jul. 2018. FITZPATRICK, Kathleen. (2012). The humanities, done digitally. In M. K. Gold (Ed.), Debates in the digital humanities (pp. 12–15). Minneapolis, MN: University of Minnesota Press. Disponível em: http://dhdebates.gc.cuny.edu/debates/text/30 HOCKEY, Susan (2004) The History of Humanities Computing, in A Companion to Digital Humanities (eds S. Schreibman, R. Siemens and J. Unsworth), Blackwell Publishing Ltd, Malden, MA, USA. doi: 10.1002/9780470999875.ch1 Disponível em: http://www.digitalhumanities.org/companion/view?docId=blackwell/9781405103213/9781405103213.xml&chunk .id=ss1-2-1. Acesso em 22 fev. 2018. LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. (EDS.). Digital literacies: concepts, policies and practices. New York: Peter Lang, 2008. Registro.br. Disponível em: <https://registro.br/estatisticas.html>. Acesso em: 24 jul. 2018. ROSA, H. Accélération: une critique sociale du temps. [Trad. Didier Renault] Paris: La Découverte, 2014. SVENSSON, Patrik (2009). Humanities Computing as Digital Humanities. Digital Humanities Quarterly, 3 (3), Disponível em: http://digitalhumanities.org/dhq/vol/3/3/000065/000065.html.
  • 27. Obrigado ricardo.pimenta@ibict.br Mais informações sobre o Larhud: http://www.larhud.ibict.br

Notas do Editor

  1. Em um cenário atual no qual as ciências humanas tem sido sistematicamente atacadas por porta-vozes do mercado educacional e por ideologias do que Gramsci apontaria como pequenas políticas, Em um contexto sociocultural onde o crescimento exponencial dos recursos digitais na doxa do homem cotidiando convida-o para a supervalorização de determinados campos do saber mais tradicionalmente associados à tecnologia, É importante frisar que as humanidades não devem ser identificadas como “antagonistas” dos processos de digitalização e de digitização do nosso mundo da vida Historicamente sem recursos, ou com menos recursos, as humanidades vem pouco a pouco sendo “moldadas” ou re”enquadradas” em perspectivas a novos problemas complexos e a velhos cuja mediação tecnológica, digital oferta novos obstáculos e igualmente oportunidades. Estas são algumas das questões com as quais, e por meio das quais, buscarei fazer minha apresentação
  2. Todos aqui (com exceção daqueles que por ventura sejam cerca de 15 ou 20 anos mais novos que eu) testemunhamos o processo de conversão da informação analógica em digital E seu inerente processo acelerativo. A digitalização de documentos de todas as ordens e de estruturas de informação, assim como a sequente digitização dos processos que compõem grande parte da vida social nos convidou também a lidar/enfrentar nos últimos anos o que convencionamos chamar de explosão informacional e/ou dilúvio de dados. O excesso e sua potência aqueceu o mercado da mesma forma que ele nada mais se tornou seu espelho: recursos de armazenamento de dados e informações levaram-nos a uma escalada tecnológica onde a possibilidade de tudo guardar/gerir nem mesmo foi possível na ficção como o conto de Luis Borges (Funes o Memorioso). Acumulamos, mas não preservamos. Isso deixou há tempos de ser um problema técnico. É político, cultural, social e econômico. É antropológico. Everyone here (with the exception of those who may be about 15 or 20 years younger than me) witnessed the process of converting analogue information into digital And its inherent accelerating process. The digitization of documents of all orders and information structures, as well as the subsequent digitization of the processes that make up a large part of our social life, has also invited us to deal with what we call the informational explosion and / or data deluge. The excess and its power warmed the market in the same way that it no longer became its mirror: data storage and information resources led us to a technological escalation where the possibility of all save / manage was not even possible in fiction as the tale of Luis Borges (Funes or Memorioso). We accumulate, but we do not preserve. This has long been a technical problem. It is political, cultural, social and economic. It is anthropological. Às humanidades resta a responsabilidade de lidar esses novos cenários. Privacidade na era digital; Os regimes de saber e poder que remodelam os discursos mediados pelo digital A questão da verdade, da ética e da alteridade Memória, esquecimento frente as práxis de recuperação e apagamento da informação Arte, subjetividade e pensamento crítico Mas como? Questionando a “propaganda” da desintermediação” – Buscando desenvolver competências assim como a hermenêutica da própria formação humanística – Decidindo construir uma linha de fuga entre o horror e o deslumbramento
  3. Há uma escalada cada vez maior dos aparelhos moveis (notebook, mobile etc) em detrimento dos computadores desktop Estamos em um processo de aceleração sociotécnica Este processo nos coloca um problema essencialmente humanístico. A contradição do presente de Hartmut Rosa Onde a primeira contradição que coloco aqui hoje é a exigência de produção científico-tecnológica em uma país cujo investimento em C&T DECAIU de forma absurda em prol de soluções políticas de curto prazo sem compromisso com o crescimento de nosso capital ciéntífico.
  4. Há um processo de digitização em curso uma vez que nossos canais de comunicação e informação tomam mais e mais como prioridade sua existência e dinâmica na internet. No Brasil há um claro crescimento de domínios onde fenômenos sociais são comumente produzidos, reproduzidos e ressignificados. Mas o ensino e a pesquisa, principalmente das Humanidades, precisam acompanhar esse novo cenário.
  5. Todos aqui (com exceção daqueles que por ventura sejam cerca de 15 ou 20 anos mais novos que eu) testemunhamos o processo de conversão da informação analógica em digital E seu inerente processo acelerativo. A digitalização de documentos de todas as ordens e de estruturas de informação, assim como a sequente digitização dos processos que compõem grande parte da vida social nos convidou também a lidar/enfrentar nos últimos anos o que convencionamos chamar de explosão informacional e/ou dilúvio de dados. O excesso e sua potência aqueceu o mercado da mesma forma que ele nada mais se tornou seu espelho: recursos de armazenamento de dados e informações levaram-nos a uma escalada tecnológica onde a possibilidade de tudo guardar/gerir nem mesmo foi possível na ficção como o conto de Luis Borges (Funes o Memorioso). Acumulamos, mas não preservamos. Isso deixou há tempos de ser um problema técnico. É político, cultural, social e econômico. É antropológico. Everyone here (with the exception of those who may be about 15 or 20 years younger than me) witnessed the process of converting analogue information into digital And its inherent accelerating process. The digitization of documents of all orders and information structures, as well as the subsequent digitization of the processes that make up a large part of our social life, has also invited us to deal with what we call the informational explosion and / or data deluge. The excess and its power warmed the market in the same way that it no longer became its mirror: data storage and information resources led us to a technological escalation where the possibility of all save / manage was not even possible in fiction as the tale of Luis Borges (Funes or Memorioso). We accumulate, but we do not preserve. This has long been a technical problem. It is political, cultural, social and economic. It is anthropological. Às humanidades resta a responsabilidade de lidar esses novos cenários. Privacidade na era digital; Os regimes de saber e poder que remodelam os discursos mediados pelo digital A questão da verdade, da ética e da alteridade Memória, esquecimento frente as práxis de recuperação e apagamento da informação Arte, subjetividade e pensamento crítico Mas como? Questionando a “propaganda” da desintermediação” – Buscando desenvolver competências assim como a hermenêutica da própria formação humanística – Decidindo construir uma linha de fuga entre o horror e o deslumbramento
  6. Não estamos distantes dos paradoxos que esse novo cenário produz.