SlideShare uma empresa Scribd logo
Professor: Ely Santos
Matéria: TEONTOLOGIA
gr. theos“Deus”, ontos,“ser”,) + (logia =
estudo)
Assuntos:
Introdução
Tipos de Teologia/ Divisões da Teologia
INTRODUÇÃO
Vivemos num universo cuja imensidão pressupõe
um Criador poderoso, universo cuja beleza, desenho e ordem apontam um
sábio construtor. Mas quem fez o Criador? Podemos recuar no tempo, indo do
efeito para a causa. Ou seja:
• Deus Existe?
• Como sabemos que Deus existe?
• Podemos realmente conhecer Deus?
• Em que sentido Deus é diferente de nós?
Essa matéria apresentará a doutrina de Deus, ou o que algumas vezes é
conhecido por "teontologia", visto que essa palavra significa "o estudo do ser
de Deus".
Para começarmos essa matéria, é
necessário começar pela pergunta básica: Como
sabemos que Deus existe? Essa pergunta não é a
ênfase maior desta matéria e é tratada
mais plenamente em cursos de apologética. No
entanto, a título de introdução a algumas das
evidências da existência de
Deus nos proporcionará o fundamento útil para o
estudo do caráter e a pessoa de Deus. Além disso,
também podemos perguntar: Se Deus existe, é
realmente possível para nós conhecê-lo?
Assim como a Bíblia, a sã teologia não se propõe a dissecar
o Ser de Deus, mas a apresentá-Lo ao
nível da compreensão do homem. Evidentemente
que Deus como um Ser eterno, onisciente, onipresente
e santo, não pode ser aquilatado em sua plenitude
pelo homem cuja capacidade é limitadíssima em si mesma.
Se a Bíblia diz que os céus, nem o céu dos céus
pode conter a Deus (1 Rs 8.27), como a nossa
ínfima compreensão seria capaz de aquila-tá-Lo?
Comece onde começar a nossa jornada na pesquisa
de Deus, ela será consumada sempre que nos virmos diante
da declaração de Jesus â mulher samaritana: "Deus é
Espírito..." (Jo 4.24).
Diante desta declaração de Jesus Cristo,
concluímos não somente quão magnífico
e ilimitado é Deus, mas também quão
insignificante e resumido em si mesma é a
nossa capacidade no que tange explicar Deus.
Ao concluir o estudo desta matéria, você seja capaz de:
Dar o maior número possível de provas bíblicas e naturais quanto à
existência de Deus, em contraposição a todas as formas de negação à
Sua existência;
Mostrar os diferentes tipos de revelação de Deus no decorrer dos
séculos, principalmente aqueles que são abarcados pelo Antigo e o
Novo Testamentos;
Mencionar os principais aspectos da natureza de Deus que comprovam
a Sua existência como um Ser dotado de personalidade e auto-
existência, ou seja, capacidade de existir em si e por si mesmo;
Comentar conscientemente a veracidade, conselho, sabedoria e
soberania como atributos morais de Deus;
Citar o maior número possível de passagens bíblicas, que
expressem a vontade, justiça, bondade, amor, graça e misericórdia,
como atributos de Deus;
Definir a Trindade divina ã luz do ensino bíblico e dos credos mais
conhecidos;
Indicar a maneira bíblica e correta de conhecer o Deus real e
verdadeiro.
QUAL A IMPORTÂNCIA DE
ESTUDAR TEOLOGIA?
Nossa maneira de compreender a Deus não deve basear-
se em pressuposições a respeito dEle, ou em como gostaríamos
que Ele fosse. Pelo contrário: devemos crer no Deus que existe, e que
optou por se revelar a nós através das Escrituras.
O ser humano tende a criar falsos deuses, nos quais é fácil crer;
deuses que se conformam com o modo de viver e com a natureza
pecaminosa do homem (Rm 1.21-25). Essa é uma das características
das falsas religiões. Alguns cristãos até mesmo caem na armadilha de
se desconsiderar a auto-, revelação divina para desenvolver um
conceito de Deus que está mais de acordo com as suas fantasias
pessoais do que com a Bíblia, que é a nossa fonte única de pesquisa,
que nos permite saber que Deus existe e como Ele é. Daí a importância
de se estudar TEOLOGIA.
O fato de aceitarmos o Deus das Escrituras Sagradas se
relaciona diretamente não somente à nossa religiosidade,
mas também ao estilo de vida que temos, o qual abrange
o nosso modo de pensar, falar e agir. Fica claro, portanto,
que a crença em Deus não é apenas uma
questão religiosa, mas também tem muito a ver com
a felicidade e o bem estar do ser humano. A experiência
pratica vivida que temos com Ele.
DEFINIÇÃO DE TERMOS
Teologia-
Dicionário Aurélio: "Estudo das questões referentes ao
conhecimento da divindade, de seus atributos e relações com o
mundo e com os homens, e à verdade religiosa. O
estudo racional dos textos sagrados, dos dogmas e tradições
do Cristianismo."
Etimologia:
gr.Théos, "Deus", e lógos, "palavra, assunto, doutrina".
Literalmente “O estudo da pessoa, natureza e obra de Deus”.
Em sentido amplo, teologia é a tentativa de penetrar abaixo
da superfície da vida e alcançar o entendimento mais profundo acerca
de Deus. A teologia busca entender o Ser supremo, sua natureza e
seu relacionamento com o mundo. Ela responde a perguntas como:
"Como é Deus? Como Deus nos trata? Que faz Deus? E propõe
questões como: Será que tudo ê Deus? Ou será Deus distinto do
universo e de seus processos?".
A palavra "teontologia" é a união de três palavras gregas:
theós (Deus) + ontos (ser) + logos (palavra, discurso), daí o discurso
ou estudo do ser de Deus.
Teísmo do grego Théos, "Deus" -ISMO substantivo masculino
que aponta para “sistema, teoria”.
TIPOS DE TEOLOGIA / AS DIVISÕES DA TEOLOGIA
Teologia Histórica - Estudo histórico de como os cristãos em diferentes
épocas entenderam vários tópicos teológicos. Baseia-se na história do
desenvolvimento doutrinário. Estuda as origens, o progresso, as
aberrações da doutrina, bem como a expansão de Cristianismo
através das missões, instituições e práticas sociais. Inclui o estudo dos
concílios antigos, e até mesmo teologia contemporânea.
Ou seja, Traça a história do povo de Deus através da Bíblia e da igreja
desde a época de Cristo. Ela trata da origem, desenvolvimento e
dispersão da verdadeira religião e também das suas doutrinas,
organizações e práticas.
Teologia Filosófica - estudo de tópicos teológicos, geralmente
sem o uso da Bíblia, mas com o uso de instrumentos e métodos
do raciocínio filosófico.
Teologia Natural - Formação da verdade sobre Deus e as Suas
obras através de fontes fora da Bíblia, como a criação, a história, e a
lógica e experiência humana.
A Teologia Exegética ou Bíblica - Ocupa-se diretamente do estudo do
texto sagrado e assuntos relacionados, tais como auxílio na restauração,
orientação, ilustração e interpretação dos textos bíblicos. A
Teologia Bíblica focaliza-se em porções específicas da Bíblia, estudando-
as separadamente quanto às suas peculiaridades, e vinculando-as
harmonicamente à revelação bíblica total. Inclui o estudo de línguas
originais, hermenêutica, arqueologia bíblica e exegese.
Teologia Apologética - Estudo que busca fornecer defesa da
fé cristã.
Apologética (do latim apologetĭcus,do grego apologia "defesa
verbal") é a disciplina teológica que se propõe a demonstrar
a verdade da própria doutrina, defendendo-a de teses contrárias.
EX: TIMOTEO
Teologia Sistemática - Teologia sistemática é uma correlação
de informações bíblicas como um todo de modo ordenado, a fim
de explicar e apresentar sistematicamente o conteúdo total
referente a aspectos distintos da revelação de Deus.
A Teologia Sistemática busca focalizar a síntese
de cada doutrina da maneira em que deve ser
entendida hoje pelos cristãos. Para isso, utiliza-se de
alguns termos que não foram usados por algum
autor específico, mas nasceu devido à combinação
de dois ou mais ensinos bíblicos. Ex.: Trindade,
divindade de Cristo. Assim sintetizam conceitos
bíblicos.
A Teologia Prática.
Trata da aplicação da teologia na regeneração, santificação,
edificação, educação e serviço dos homens. Ela busca
aplicar á vida prática aquilo que os outros departamentos da
teologia contribuíram
A exemplo disso temos Esdras
“Porque Esdras tinha preparado o seu coração
para buscar a lei do SENHOR e para cumpri-la e
para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos.
” Ed 7.10
Agora me responda uma coisa -
O que é doutrina pra você?
Definição de Doutrina
Dicionário Aurélio: Conjunto de princípios que servem de base a
um sistema religioso, político, filosófico, científico, etc. Um
catecismo cristão.
• Doutrina, biblicamente falando, é o corpo de ensino que
foi ministrado e padronizado pelos apóstolos do Senhor Jesus
Cristo. (At. 2:42; 5:28; I Tm. 1:3)
• Doutrina é o conjunto de ensino baseado nos mandamentos
de Deus, nos ensinamentos do Senhor Jesus e
dos apóstolos contidos na Bíblia Sagrada.
Ou, o Que chamamos de
DECLARAÇÃO DE FÉ.
O Credo dos Apóstolos – “CREIO” crença
dos apostolos, as vezes chamado de Símbolo
dos Apóstolos (em latim:
Symbolum Apostolicum), é uma
profissão de fé cristã amplamente utilizado
por muitas Denominações Cristãs.
CREDO APOSTOLICO
Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador do Céu e da terra.
Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, o qual
foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria;
padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto
e sepultado; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu; está
sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há de vir para julgar
os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja Universal; na comunhão dos
santos; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida
eterna. Amém.
Uso neo-testamentário:
É surpreendente quanto o Novo Testamento fala de ensino.
Os eruditos das religiões do mundo notam que o cristianismo,
desde o princípio, tem enfatizado mais o doutrina do que
qualquer outra religião. Mas o grande perigo é enfatizar
apenas o assentamento de idéias do que o experimentar
essas verdades praticas na vida diária.
VEJA ITm 4.15-16 ; IIPd 1.3-10
Didáskalos (grego) e Raboni (hebraico).
Jesus é freqüentemente chamado mestre (Jo 20:16).
O Novo Testamento apresenta vários mestres da igreja primitiva.
O Espírito Santo dá o dom de didáskalos (1
Co 12.28, 29; Ef 4.11). Usada 58 vezes, sendo 42 por Jesus.
Didasko (verbo grego) quer dizer “ensinar”. Usado 97
vezes (Mt 28.19; Cl 1.28; 3.16; 2 Tm 2.2).
Didaquê (doutrina, ensinamento); Usada 30 vezes.
Por quê há tanta ênfase sobre doutrina no NT?
A doutrina é o conteúdo da fé: fé em si exige um objeto: o valor da
fé depende do objeto desta fé; a fé que salva deve ser baseada
na verdade de Jesus Cristo.
A doutrina é a base da toda prática cristã. As epístolas paulinas quase
sempre estabelecem uma base doutrinária, e depois fazem aplicações
no comportamento do crente.
Há preocupação sobre doutrina falsa (Tt 1.9; Hb 13.9; 2 Jo 9, 10).
PORQUE CRESCE TANTO O NUMERO DE FALSAS DOUTRINAS?
Ação diabólica no mundo. O mundo está sendo preparado para
o reino do Anticristo. Ele é o Diabo, o autor de toda religião e
doutrina falsa, bem como a perversão das verdadeiras.
"Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no
maligno" (1Jo 5.19 ler 2Ts 2.7).
Ação diabólica contra a igreja. O Diabo sempre se opôs a
Deus e a Sua Igreja, tudo fazendo para corrompê-la por meio
de doutrinas falsas e homens maus, cínicos e de
mente cauterizada. (IITm3.1-5).
Ação diabólica contra a Palavra de Deus.
Uma das obras prediletas do Diabo é distorcer a Palavra de
Deus. Isso ele faz mediante as religiões falsas. "Mas,
dormindo os homens, veio o seu inimigo e semeou joio no
meio do trigo, e retirou-se" (Mt 13.25).
O descuido da Igreja em não pregar o evangelho completo.
O Evangelho completo compreende a pregação e o ensino
da Palavra. O mesmo Jesus que disse que pregasse o
Evangelho foi o mesmo que ordenou que o ensinasse também.
(At 20. 27-38).
Falsa hermenêutica. A falsa hermenêutica tem levado inúmeros crentes
bem intencionados, ao erro na compreensão e aplicação da mensagem
bíblica. "Falando disto como em todas as suas epístolas, entre as
quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes
torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição"
(2Pe 3.16).
Falta de conhecimento da verdade bíblica. Oséias exorta a Israel, pela
falta do conhecimento de Deus. "O meu povo foi destruído, porque lhe
faltou o conhecimento. Porque tu rejeitaste o conhecimento, também
eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdotes diante de mim; visto
que esquecestes da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus
filhos" (Os 4.6).
Igreja que estão em ruínas por falta de comprometimento com
a palavra – 1Rs 9.1-9
Falta de maturidade espiritual.
Aventurar-se pelo desconhecido, sem base, não é próprio
de quem quer servir bem ao Senhor e a sua Igreja. "Mas,
vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz"
(Mt 13.6). Ler Hb 5.11; 6.3
Certa vez, ouvi a história de um homem que trabalhava
num canavial. Conta-se a história que um dia ele viu
três letras que brilhavam no céu: VCC. Muito religioso, julgou
que aquelas letras significavam: Vai, Cristo Chama. Fiel e bem-
intencionado contou sua visão ao pastor da igreja, pedindo-lhe
que orasse por ele, pois a partir daquele dia dedicaria sua vida à
pregação do evangelho. O pastor, surpreso diante do relato, disse:
Mas para pregar o evangelho é preciso conhecer a Bíblia. Você conhece
a Bíblia o bastante para sair pelo mundo pregando a sua mensagem?
Claro que sim! - disse o homem.
E qual é a parte da Bíblia que você mais gosta e conhece? Perguntou o
pastor!
As parábolas de Jesus, principalmente a do bom samaritano.
Então, me conte essa história! - disse o pastor, querendo conhecer
o grau de conhecimento bíblico do futuro pregador do evangelho.
O irmão começou a falar: "Descia um homem de Jerusalém para
Jerico e caiu entre os salteadores. E ele lhes disse: Varões irmãos,
escutai-me: Não tenho ouro nem prata, mas o que tenho, isso lhes
dou. Entregou-lhes os seus bens, sendo que, a um deu cinco
talentos, a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua
capacidade. E, partindo dali, foi conduzido pelo Espírito ao
deserto e, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, teve
fome, e os corvos lhe traziam alimento, pois alimentava-
se de gafanhotos e mel silvestre.
Depois disso, ele foi até a casa de Jezabel, mãe dos filhos de Zebedeu,
e disse: Tiveste cinco maridos, e o homem que agora tens não é teu
marido. E, olhando ao longe, viu Zaqueu pendurado pelos cabelos
numa árvore e lhe disse: Desce daí, pois hoje jantarei em tua casa.
Portanto, não andeis inquietos, dizendo: Que comeremos?, pois o
vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. E todos
que ouviram se admiraram da sua doutrina."
O homem, entusiasmado, olhou para o pastor e perguntou:
— Então, pastor, estou pronto para pregar o evangelho?
Olha, meu filho - disse o pastor - eu acho que aquelas letras no céu
não significavam: "Vai, Cristo Chama".
Antes, deveriam ser lidas: "Vai Cortar Cana".
Moral da história:
Cristãos que são biblicamente ignorantes ou têm uma
compreensão meramente superficial das Escrituras são candidatos
em potencial a acreditar nas "visões" e "revelações" de seitas
e movimentos heréticos. Sobre tudo em heresias que tem surgido
dentro da igreja.
Dirigindo-se aos pastores da igreja de Efeso, o apóstolo Paulo
disse que a Igreja seria vítima de dois tipos de ataque: um
externo e outro interno. Aqueles descrentes que tentariam afastar
os cristãos da congregação e aqueles ditos crentes que
trariam ensinamentos distorcidos da Palavra de Deus (At 20. 28-38).

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA_01_TEONTOLOGIA_-_PADRAO.pdf

Teologia
TeologiaTeologia
Teologia Covalidação
Teologia CovalidaçãoTeologia Covalidação
Teologia Covalidação
israelfaifa
 
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
Helena Serrão
 
_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf
_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf
_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf
ARTVALE
 
A teologia e seus benefícios
A teologia e seus benefícios A teologia e seus benefícios
Teologia Sistemática - Aula Introdutória à Matéria
Teologia Sistemática - Aula Introdutória à MatériaTeologia Sistemática - Aula Introdutória à Matéria
Teologia Sistemática - Aula Introdutória à Matéria
Pr. Luiz Carlos Lopes
 
01. Fazer Teologia
01. Fazer Teologia01. Fazer Teologia
01. Fazer Teologia
cebipernambuco
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
20092004
 
1.1. que e_teologia_sistematica
1.1. que e_teologia_sistematica1.1. que e_teologia_sistematica
1.1. que e_teologia_sistematica
Alexandre Silva Santos
 
Slide 01
Slide 01Slide 01
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
Pastor W. Costa
 
Resumos teologia do antigo testamento
Resumos teologia do antigo testamentoResumos teologia do antigo testamento
Resumos teologia do antigo testamento
Carlos Filho
 
Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)
Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)
Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)
Israel serique
 
A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)
Recife Metro
 
A importância da teologia hoje
A importância da teologia hojeA importância da teologia hoje
A importância da teologia hoje
PatriciaBasilio3
 
O JOVEM E A TEOLOGIA.pptx
O JOVEM E A TEOLOGIA.pptxO JOVEM E A TEOLOGIA.pptx
O JOVEM E A TEOLOGIA.pptx
FelipeAlvesMoraes1
 
A Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdf
A Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdfA Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdf
A Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdf
AureoSilva2
 
Licao 2 o único deus verdadeiro e a criação
Licao 2   o único deus verdadeiro e a criaçãoLicao 2   o único deus verdadeiro e a criação
Licao 2 o único deus verdadeiro e a criação
Francisco Barbosa
 
Apostila de teologia sistemática
Apostila de teologia sistemáticaApostila de teologia sistemática
Apostila de teologia sistemática
Paulo Martins
 
Divisoes da teologia
Divisoes da teologiaDivisoes da teologia
Divisoes da teologia
Estudos Bíblicos
 

Semelhante a AULA_01_TEONTOLOGIA_-_PADRAO.pdf (20)

Teologia
TeologiaTeologia
Teologia
 
Teologia Covalidação
Teologia CovalidaçãoTeologia Covalidação
Teologia Covalidação
 
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
 
_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf
_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf
_Apostila_Modulo_424_Apostila_INTRODUÇÃO A TEOLOGIA.pdf
 
A teologia e seus benefícios
A teologia e seus benefícios A teologia e seus benefícios
A teologia e seus benefícios
 
Teologia Sistemática - Aula Introdutória à Matéria
Teologia Sistemática - Aula Introdutória à MatériaTeologia Sistemática - Aula Introdutória à Matéria
Teologia Sistemática - Aula Introdutória à Matéria
 
01. Fazer Teologia
01. Fazer Teologia01. Fazer Teologia
01. Fazer Teologia
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
 
1.1. que e_teologia_sistematica
1.1. que e_teologia_sistematica1.1. que e_teologia_sistematica
1.1. que e_teologia_sistematica
 
Slide 01
Slide 01Slide 01
Slide 01
 
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
 
Resumos teologia do antigo testamento
Resumos teologia do antigo testamentoResumos teologia do antigo testamento
Resumos teologia do antigo testamento
 
Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)
Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)
Teologia Bíblica do A: Introdução (VOS)
 
A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)
 
A importância da teologia hoje
A importância da teologia hojeA importância da teologia hoje
A importância da teologia hoje
 
O JOVEM E A TEOLOGIA.pptx
O JOVEM E A TEOLOGIA.pptxO JOVEM E A TEOLOGIA.pptx
O JOVEM E A TEOLOGIA.pptx
 
A Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdf
A Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdfA Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdf
A Teologia - natureza, valor, classificação e sistema.pdf
 
Licao 2 o único deus verdadeiro e a criação
Licao 2   o único deus verdadeiro e a criaçãoLicao 2   o único deus verdadeiro e a criação
Licao 2 o único deus verdadeiro e a criação
 
Apostila de teologia sistemática
Apostila de teologia sistemáticaApostila de teologia sistemática
Apostila de teologia sistemática
 
Divisoes da teologia
Divisoes da teologiaDivisoes da teologia
Divisoes da teologia
 

Mais de AMILTON gomes Gomes

Hermeneutica__Interpretacao_Textual.pdf
Hermeneutica__Interpretacao_Textual.pdfHermeneutica__Interpretacao_Textual.pdf
Hermeneutica__Interpretacao_Textual.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdfTeologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdf
Teologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdfTeologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdf
Teologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdfTeologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdf
Teologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdfTeologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdf
Teologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdf
Teologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdfTeologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdf
Teologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdf
Teologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdfTeologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdf
Teologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
15.A_pedagogia_de_jesus.pdf
15.A_pedagogia_de_jesus.pdf15.A_pedagogia_de_jesus.pdf
15.A_pedagogia_de_jesus.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Livro_A_Grande_Omissao.pdf
Livro_A_Grande_Omissao.pdfLivro_A_Grande_Omissao.pdf
Livro_A_Grande_Omissao.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdfTeologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
livro_SEUC.pdf
livro_SEUC.pdflivro_SEUC.pdf
livro_SEUC.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdfA-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
EPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdf
EPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdfEPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdf
EPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdfAula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
O_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdf
O_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdfO_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdf
O_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Aula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdfAula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Aula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdf
Aula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdfAula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdf
Aula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
_SEUC_2.pdf
_SEUC_2.pdf_SEUC_2.pdf
_SEUC_2.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
discipulado2015-161121162953.pdf
discipulado2015-161121162953.pdfdiscipulado2015-161121162953.pdf
discipulado2015-161121162953.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdfTeologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
AMILTON gomes Gomes
 

Mais de AMILTON gomes Gomes (20)

Hermeneutica__Interpretacao_Textual.pdf
Hermeneutica__Interpretacao_Textual.pdfHermeneutica__Interpretacao_Textual.pdf
Hermeneutica__Interpretacao_Textual.pdf
 
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdfTeologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
 
Teologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdf
Teologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdfTeologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdf
Teologia_Pastoral_14_de_Junho_Aula_3.pdf
 
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdfTeologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
 
Teologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdf
Teologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdfTeologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdf
Teologia_Pastoral_7_de_Junho_Aula_2.pdf
 
Teologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdf
Teologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdfTeologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdf
Teologia_Pastoral_31_de_Maio_Aula_1.pdf
 
Teologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdf
Teologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdfTeologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdf
Teologia_Pastoral_28_de_Junho_Aula_5.pdf
 
15.A_pedagogia_de_jesus.pdf
15.A_pedagogia_de_jesus.pdf15.A_pedagogia_de_jesus.pdf
15.A_pedagogia_de_jesus.pdf
 
Livro_A_Grande_Omissao.pdf
Livro_A_Grande_Omissao.pdfLivro_A_Grande_Omissao.pdf
Livro_A_Grande_Omissao.pdf
 
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdfTeologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
Teologia_Pastoral_Programa_de_Curso.pdf
 
livro_SEUC.pdf
livro_SEUC.pdflivro_SEUC.pdf
livro_SEUC.pdf
 
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdfA-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
 
EPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdf
EPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdfEPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdf
EPISTOLAS_GERAIS_CAPA_(1)-1.pdf
 
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdfAula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
 
O_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdf
O_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdfO_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdf
O_Discipulo_-_Juan_Carlos_Ortiz.pdf
 
Aula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdfAula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_01_-_Conceitos_relevantes_sobre_discipulado_-_Pr._Jose.pdf
 
Aula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdf
Aula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdfAula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdf
Aula_03_-_Discipulado_e_a_Igreja_-_Pr._Jose.pdf
 
_SEUC_2.pdf
_SEUC_2.pdf_SEUC_2.pdf
_SEUC_2.pdf
 
discipulado2015-161121162953.pdf
discipulado2015-161121162953.pdfdiscipulado2015-161121162953.pdf
discipulado2015-161121162953.pdf
 
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdfTeologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
Teologia_Pastora_Seuc_l_1.pdf
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 

Último (20)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 

AULA_01_TEONTOLOGIA_-_PADRAO.pdf

  • 1. Professor: Ely Santos Matéria: TEONTOLOGIA gr. theos“Deus”, ontos,“ser”,) + (logia = estudo) Assuntos: Introdução Tipos de Teologia/ Divisões da Teologia
  • 2. INTRODUÇÃO Vivemos num universo cuja imensidão pressupõe um Criador poderoso, universo cuja beleza, desenho e ordem apontam um sábio construtor. Mas quem fez o Criador? Podemos recuar no tempo, indo do efeito para a causa. Ou seja: • Deus Existe? • Como sabemos que Deus existe? • Podemos realmente conhecer Deus? • Em que sentido Deus é diferente de nós? Essa matéria apresentará a doutrina de Deus, ou o que algumas vezes é conhecido por "teontologia", visto que essa palavra significa "o estudo do ser de Deus".
  • 3. Para começarmos essa matéria, é necessário começar pela pergunta básica: Como sabemos que Deus existe? Essa pergunta não é a ênfase maior desta matéria e é tratada mais plenamente em cursos de apologética. No entanto, a título de introdução a algumas das evidências da existência de Deus nos proporcionará o fundamento útil para o estudo do caráter e a pessoa de Deus. Além disso, também podemos perguntar: Se Deus existe, é realmente possível para nós conhecê-lo?
  • 4. Assim como a Bíblia, a sã teologia não se propõe a dissecar o Ser de Deus, mas a apresentá-Lo ao nível da compreensão do homem. Evidentemente que Deus como um Ser eterno, onisciente, onipresente e santo, não pode ser aquilatado em sua plenitude pelo homem cuja capacidade é limitadíssima em si mesma. Se a Bíblia diz que os céus, nem o céu dos céus pode conter a Deus (1 Rs 8.27), como a nossa ínfima compreensão seria capaz de aquila-tá-Lo? Comece onde começar a nossa jornada na pesquisa de Deus, ela será consumada sempre que nos virmos diante da declaração de Jesus â mulher samaritana: "Deus é Espírito..." (Jo 4.24).
  • 5. Diante desta declaração de Jesus Cristo, concluímos não somente quão magnífico e ilimitado é Deus, mas também quão insignificante e resumido em si mesma é a nossa capacidade no que tange explicar Deus.
  • 6. Ao concluir o estudo desta matéria, você seja capaz de: Dar o maior número possível de provas bíblicas e naturais quanto à existência de Deus, em contraposição a todas as formas de negação à Sua existência; Mostrar os diferentes tipos de revelação de Deus no decorrer dos séculos, principalmente aqueles que são abarcados pelo Antigo e o Novo Testamentos; Mencionar os principais aspectos da natureza de Deus que comprovam a Sua existência como um Ser dotado de personalidade e auto- existência, ou seja, capacidade de existir em si e por si mesmo;
  • 7. Comentar conscientemente a veracidade, conselho, sabedoria e soberania como atributos morais de Deus; Citar o maior número possível de passagens bíblicas, que expressem a vontade, justiça, bondade, amor, graça e misericórdia, como atributos de Deus; Definir a Trindade divina ã luz do ensino bíblico e dos credos mais conhecidos; Indicar a maneira bíblica e correta de conhecer o Deus real e verdadeiro.
  • 8. QUAL A IMPORTÂNCIA DE ESTUDAR TEOLOGIA?
  • 9. Nossa maneira de compreender a Deus não deve basear- se em pressuposições a respeito dEle, ou em como gostaríamos que Ele fosse. Pelo contrário: devemos crer no Deus que existe, e que optou por se revelar a nós através das Escrituras. O ser humano tende a criar falsos deuses, nos quais é fácil crer; deuses que se conformam com o modo de viver e com a natureza pecaminosa do homem (Rm 1.21-25). Essa é uma das características das falsas religiões. Alguns cristãos até mesmo caem na armadilha de se desconsiderar a auto-, revelação divina para desenvolver um conceito de Deus que está mais de acordo com as suas fantasias pessoais do que com a Bíblia, que é a nossa fonte única de pesquisa, que nos permite saber que Deus existe e como Ele é. Daí a importância de se estudar TEOLOGIA.
  • 10. O fato de aceitarmos o Deus das Escrituras Sagradas se relaciona diretamente não somente à nossa religiosidade, mas também ao estilo de vida que temos, o qual abrange o nosso modo de pensar, falar e agir. Fica claro, portanto, que a crença em Deus não é apenas uma questão religiosa, mas também tem muito a ver com a felicidade e o bem estar do ser humano. A experiência pratica vivida que temos com Ele.
  • 11. DEFINIÇÃO DE TERMOS Teologia- Dicionário Aurélio: "Estudo das questões referentes ao conhecimento da divindade, de seus atributos e relações com o mundo e com os homens, e à verdade religiosa. O estudo racional dos textos sagrados, dos dogmas e tradições do Cristianismo." Etimologia: gr.Théos, "Deus", e lógos, "palavra, assunto, doutrina". Literalmente “O estudo da pessoa, natureza e obra de Deus”.
  • 12. Em sentido amplo, teologia é a tentativa de penetrar abaixo da superfície da vida e alcançar o entendimento mais profundo acerca de Deus. A teologia busca entender o Ser supremo, sua natureza e seu relacionamento com o mundo. Ela responde a perguntas como: "Como é Deus? Como Deus nos trata? Que faz Deus? E propõe questões como: Será que tudo ê Deus? Ou será Deus distinto do universo e de seus processos?". A palavra "teontologia" é a união de três palavras gregas: theós (Deus) + ontos (ser) + logos (palavra, discurso), daí o discurso ou estudo do ser de Deus. Teísmo do grego Théos, "Deus" -ISMO substantivo masculino que aponta para “sistema, teoria”.
  • 13. TIPOS DE TEOLOGIA / AS DIVISÕES DA TEOLOGIA Teologia Histórica - Estudo histórico de como os cristãos em diferentes épocas entenderam vários tópicos teológicos. Baseia-se na história do desenvolvimento doutrinário. Estuda as origens, o progresso, as aberrações da doutrina, bem como a expansão de Cristianismo através das missões, instituições e práticas sociais. Inclui o estudo dos concílios antigos, e até mesmo teologia contemporânea. Ou seja, Traça a história do povo de Deus através da Bíblia e da igreja desde a época de Cristo. Ela trata da origem, desenvolvimento e dispersão da verdadeira religião e também das suas doutrinas, organizações e práticas.
  • 14. Teologia Filosófica - estudo de tópicos teológicos, geralmente sem o uso da Bíblia, mas com o uso de instrumentos e métodos do raciocínio filosófico. Teologia Natural - Formação da verdade sobre Deus e as Suas obras através de fontes fora da Bíblia, como a criação, a história, e a lógica e experiência humana. A Teologia Exegética ou Bíblica - Ocupa-se diretamente do estudo do texto sagrado e assuntos relacionados, tais como auxílio na restauração, orientação, ilustração e interpretação dos textos bíblicos. A Teologia Bíblica focaliza-se em porções específicas da Bíblia, estudando- as separadamente quanto às suas peculiaridades, e vinculando-as harmonicamente à revelação bíblica total. Inclui o estudo de línguas originais, hermenêutica, arqueologia bíblica e exegese.
  • 15. Teologia Apologética - Estudo que busca fornecer defesa da fé cristã. Apologética (do latim apologetĭcus,do grego apologia "defesa verbal") é a disciplina teológica que se propõe a demonstrar a verdade da própria doutrina, defendendo-a de teses contrárias. EX: TIMOTEO Teologia Sistemática - Teologia sistemática é uma correlação de informações bíblicas como um todo de modo ordenado, a fim de explicar e apresentar sistematicamente o conteúdo total referente a aspectos distintos da revelação de Deus.
  • 16. A Teologia Sistemática busca focalizar a síntese de cada doutrina da maneira em que deve ser entendida hoje pelos cristãos. Para isso, utiliza-se de alguns termos que não foram usados por algum autor específico, mas nasceu devido à combinação de dois ou mais ensinos bíblicos. Ex.: Trindade, divindade de Cristo. Assim sintetizam conceitos bíblicos.
  • 17. A Teologia Prática. Trata da aplicação da teologia na regeneração, santificação, edificação, educação e serviço dos homens. Ela busca aplicar á vida prática aquilo que os outros departamentos da teologia contribuíram A exemplo disso temos Esdras “Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a lei do SENHOR e para cumpri-la e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos. ” Ed 7.10
  • 18. Agora me responda uma coisa - O que é doutrina pra você?
  • 19. Definição de Doutrina Dicionário Aurélio: Conjunto de princípios que servem de base a um sistema religioso, político, filosófico, científico, etc. Um catecismo cristão. • Doutrina, biblicamente falando, é o corpo de ensino que foi ministrado e padronizado pelos apóstolos do Senhor Jesus Cristo. (At. 2:42; 5:28; I Tm. 1:3) • Doutrina é o conjunto de ensino baseado nos mandamentos de Deus, nos ensinamentos do Senhor Jesus e dos apóstolos contidos na Bíblia Sagrada.
  • 20. Ou, o Que chamamos de DECLARAÇÃO DE FÉ. O Credo dos Apóstolos – “CREIO” crença dos apostolos, as vezes chamado de Símbolo dos Apóstolos (em latim: Symbolum Apostolicum), é uma profissão de fé cristã amplamente utilizado por muitas Denominações Cristãs.
  • 21. CREDO APOSTOLICO Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador do Céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu; está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há de vir para julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja Universal; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna. Amém.
  • 22. Uso neo-testamentário: É surpreendente quanto o Novo Testamento fala de ensino. Os eruditos das religiões do mundo notam que o cristianismo, desde o princípio, tem enfatizado mais o doutrina do que qualquer outra religião. Mas o grande perigo é enfatizar apenas o assentamento de idéias do que o experimentar essas verdades praticas na vida diária. VEJA ITm 4.15-16 ; IIPd 1.3-10
  • 23. Didáskalos (grego) e Raboni (hebraico). Jesus é freqüentemente chamado mestre (Jo 20:16). O Novo Testamento apresenta vários mestres da igreja primitiva. O Espírito Santo dá o dom de didáskalos (1 Co 12.28, 29; Ef 4.11). Usada 58 vezes, sendo 42 por Jesus. Didasko (verbo grego) quer dizer “ensinar”. Usado 97 vezes (Mt 28.19; Cl 1.28; 3.16; 2 Tm 2.2). Didaquê (doutrina, ensinamento); Usada 30 vezes.
  • 24. Por quê há tanta ênfase sobre doutrina no NT? A doutrina é o conteúdo da fé: fé em si exige um objeto: o valor da fé depende do objeto desta fé; a fé que salva deve ser baseada na verdade de Jesus Cristo. A doutrina é a base da toda prática cristã. As epístolas paulinas quase sempre estabelecem uma base doutrinária, e depois fazem aplicações no comportamento do crente. Há preocupação sobre doutrina falsa (Tt 1.9; Hb 13.9; 2 Jo 9, 10). PORQUE CRESCE TANTO O NUMERO DE FALSAS DOUTRINAS?
  • 25. Ação diabólica no mundo. O mundo está sendo preparado para o reino do Anticristo. Ele é o Diabo, o autor de toda religião e doutrina falsa, bem como a perversão das verdadeiras. "Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno" (1Jo 5.19 ler 2Ts 2.7). Ação diabólica contra a igreja. O Diabo sempre se opôs a Deus e a Sua Igreja, tudo fazendo para corrompê-la por meio de doutrinas falsas e homens maus, cínicos e de mente cauterizada. (IITm3.1-5).
  • 26. Ação diabólica contra a Palavra de Deus. Uma das obras prediletas do Diabo é distorcer a Palavra de Deus. Isso ele faz mediante as religiões falsas. "Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se" (Mt 13.25). O descuido da Igreja em não pregar o evangelho completo. O Evangelho completo compreende a pregação e o ensino da Palavra. O mesmo Jesus que disse que pregasse o Evangelho foi o mesmo que ordenou que o ensinasse também. (At 20. 27-38).
  • 27. Falsa hermenêutica. A falsa hermenêutica tem levado inúmeros crentes bem intencionados, ao erro na compreensão e aplicação da mensagem bíblica. "Falando disto como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição" (2Pe 3.16). Falta de conhecimento da verdade bíblica. Oséias exorta a Israel, pela falta do conhecimento de Deus. "O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento. Porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdotes diante de mim; visto que esquecestes da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos" (Os 4.6). Igreja que estão em ruínas por falta de comprometimento com a palavra – 1Rs 9.1-9
  • 28. Falta de maturidade espiritual. Aventurar-se pelo desconhecido, sem base, não é próprio de quem quer servir bem ao Senhor e a sua Igreja. "Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz" (Mt 13.6). Ler Hb 5.11; 6.3
  • 29. Certa vez, ouvi a história de um homem que trabalhava num canavial. Conta-se a história que um dia ele viu três letras que brilhavam no céu: VCC. Muito religioso, julgou que aquelas letras significavam: Vai, Cristo Chama. Fiel e bem- intencionado contou sua visão ao pastor da igreja, pedindo-lhe que orasse por ele, pois a partir daquele dia dedicaria sua vida à pregação do evangelho. O pastor, surpreso diante do relato, disse: Mas para pregar o evangelho é preciso conhecer a Bíblia. Você conhece a Bíblia o bastante para sair pelo mundo pregando a sua mensagem? Claro que sim! - disse o homem. E qual é a parte da Bíblia que você mais gosta e conhece? Perguntou o pastor!
  • 30. As parábolas de Jesus, principalmente a do bom samaritano. Então, me conte essa história! - disse o pastor, querendo conhecer o grau de conhecimento bíblico do futuro pregador do evangelho. O irmão começou a falar: "Descia um homem de Jerusalém para Jerico e caiu entre os salteadores. E ele lhes disse: Varões irmãos, escutai-me: Não tenho ouro nem prata, mas o que tenho, isso lhes dou. Entregou-lhes os seus bens, sendo que, a um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade. E, partindo dali, foi conduzido pelo Espírito ao deserto e, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, teve fome, e os corvos lhe traziam alimento, pois alimentava- se de gafanhotos e mel silvestre.
  • 31. Depois disso, ele foi até a casa de Jezabel, mãe dos filhos de Zebedeu, e disse: Tiveste cinco maridos, e o homem que agora tens não é teu marido. E, olhando ao longe, viu Zaqueu pendurado pelos cabelos numa árvore e lhe disse: Desce daí, pois hoje jantarei em tua casa. Portanto, não andeis inquietos, dizendo: Que comeremos?, pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. E todos que ouviram se admiraram da sua doutrina." O homem, entusiasmado, olhou para o pastor e perguntou: — Então, pastor, estou pronto para pregar o evangelho? Olha, meu filho - disse o pastor - eu acho que aquelas letras no céu não significavam: "Vai, Cristo Chama". Antes, deveriam ser lidas: "Vai Cortar Cana".
  • 32. Moral da história: Cristãos que são biblicamente ignorantes ou têm uma compreensão meramente superficial das Escrituras são candidatos em potencial a acreditar nas "visões" e "revelações" de seitas e movimentos heréticos. Sobre tudo em heresias que tem surgido dentro da igreja. Dirigindo-se aos pastores da igreja de Efeso, o apóstolo Paulo disse que a Igreja seria vítima de dois tipos de ataque: um externo e outro interno. Aqueles descrentes que tentariam afastar os cristãos da congregação e aqueles ditos crentes que trariam ensinamentos distorcidos da Palavra de Deus (At 20. 28-38).