SlideShare uma empresa Scribd logo
LER/DORT

fatores de risco (inicio)
BIOMECÂNICOS
ERGONOMICOS
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
Conceito
   Abordagem no Brasil: LER/DORT.
   Outros Países:
     Japão:   Occupational cervicobrachial disorder (OCD)
     EUA:   Cumulative trauma disorder (CTD)
     Alemanha:     Occupational overuse syndrome (OOS)
     Austrália:   Repetitive strain injury (RSI)
     Canadá:   Lésions attribuables au travail repetitive
      (LATR)
                                                    Ribeiro, 1997
   Work related musculoskeletal disorder (WRMSD): cada
    vez mais disseminada no mundo todo.
Conceito
 Todas descrevem uma síndrome
  relacionada ao trabalho, com causa
  multifatorial, que podem resultar em
  incapacidade laboral temporária ou
  permanente.
 São denominações genéricas.
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
Um pouco de história...
   Ramazzini – 1700: primeiro registro de ocorrência.
      Sobrecarga física e cognitiva
      Quadro semelhante ao atual: diferenças sociais


   1° ciclo da Revolução Industrial: pena de ave é
    substituída por pena de aço.
   1870: desenvolvimento e expansão dos telégrafos.
   Grupos atingidos: escrivões, telegrafistas,
    mecanógrafos/datilógrafos e telefonistas.
Um pouco de história...
                       ~ 1850        ~ 1950
      Manual           Mecânico      Eletro-eletrônico




   Após 1950: automação eletro-eletrônica do trabalho e
    incidência de LER/DORT em todos os grupos
    ocupacionais.
   LER/DORT: grave problema social e de saúde pública.
   Japão: pioneiro em identificar LER/DORT como grave –
    final anos 50.
Um pouco de história...

 Brasil: início dos anos 80 –
  digitadores(bancários); indústrias...
 1987: Tenossinovite do digitador – 1987.
 1990: doença do trabalho mais notificada
  do INSS, junto à surdez.
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
Regulamentação
   Norma Regulamentadora (NR17) fixa normas e limites
    para as empresas: postos de trabalho que exigem
    esforços repetitivos, ritmo acelerado e posturas
    inadequadas - 1990.
   LER – 1992.
   Normas técnicas para Avaliação de Incapacidade por
    LER – 1993.
   Ordem de Serviço 606: DORT – 1998.
   Atualização da OS 606 – 2003.
   Medida Provisória 316 – 2006/2007.
Acidente de Trabalho

 Lesão corporal ou perturbação funcional que, no
 exercício ou por motivo do trabalho, determinar a
 morte do empregado ou a sua incapacidade
 para o trabalho, total ou parcial, permanente ou
 temporária.
Doença Ocupacional
   Doenças cujas características, mais ou menos bem
    definidas, são atribuíveis a um agente causal específico


Doença Relacionada ao Trabalho
   Doenças cujos fatores de trabalho contribuem
    parcialmente para a sua ocorrência.



                       LER/DORT
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
Impacto das LER/DORT
   As LER/DORT estão entre as 10 principais lesões
    ocupacionais.
   As LER/DORT são as doenças mais incapacitantes da
    vida adulta ativa, afetando a vida profissional e a
    qualidade de vida geral dos acometidos.
   Afetam metade de força de trabalho americana em
    algum momento de suas vidas profissionais.
Impacto das LER/DORT
   Seus custos financeiros excedem qualquer outro
    problema de saúde (gastos médicos, trabalhistas, de
    produção, etc): representam 1/3 de todos os custos de
    compensação trabalhista.
   Espera-se que a freqüência e o impacto das D.M-E
    cresçam na medida em que a faixa etária média da
    força de trabalho também aumenta.
Impacto das LER/DORT
   Noruega:
     Custo  estimado de cada dia de produção perdido
      por licença médica é de 100 libras (UK) ≈ 250
      dólares.
     30% do tempo perdido por afastamentos médicos
      decorre de disfunções músculo-esqueléticas.
   EUA:
     Custo médio de uma compensação trabalhista é de
      US$ 3.500.
     Gasto anual aproximado de US$ 75 a 100 bilhões.
     Número de dias perdidos por afastamentos foi de
      144 milhões na década de 80.
Impacto das LER/DORT no Brasil*
   2.898 mortes por acidente de trabalho em 2002 e 15.029
    incapacidades permanentes.
      Esses números referem-se apenas a trabalhadores
       CLT (que corresponde a menos de 50% da
       população trabalhadora).
      Gastos estimados: 2,3 a 4% do PIB.
      Somente com benefícios acidentários e
       aposentadorias especiais o gasto foi de 7,2 bilhões
       de reais em 2002.




                                  * Viaseg News, N. 159, 28/04/04.
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
Alguns dados...
   Segundo a OIT* atualmente temos:
    2  milhões de mortes no trabalho/ano (5mil/dia
      ou 3/min)
     270 milhões de acidentes de trabalho/ano
     160 milhões de doenças relacionadas ao
      trabalho/ano
   Custo: 4% do Produto Interno Bruto
    mundial.
         * Organização Internacional do Trabalho. Fonte – Agência Brazil, 28/07/2004.
Alguns dados...
Tabela 1: Trabalhadores sintomáticos na cidade de São Paulo*

                                          Pop. Trabalhadora
Amostra
1072 trabalhadores                                5.3 milhões
88% sintomáticos                                   4.7 milhões
47% foram ao médico                                2.2 milhões
14% diagnóstico LER/DORT                           310 mil
                                                   264 mil
12% diagnóstico Lombar
                        * Datafolha/Prevler – Ministério da Saúde. 07/10/2001.
Alguns dados...
   Trabalhadores sintomáticos na cidade de São Paulo
    sem diagnóstico médico* - Projeção: 508 mil
    trabalhadores em risco de desenvolver a lesão:
     76%   envolvidos em trabalho repetitivo
     62%   em trabalhos monótonos
     62%   ausência de pausas
     52%   combinação de trabalho repetitivo e esforço
      físico
     49%   atividades que exigem força física.
                        * Datafolha/Prevler – Ministério da Saúde. 07/10/2001.
Alguns dados...




Figura 1: Incidência de sintomas entre trabalhadores sintomáticos
na cidade de São Paulo. N = 1072 (Amostragem estratificada)*
                         * Datafolha/Prevler – Ministério da Saúde. 07/10/2001.
Problemas com a estatística

   Sub-notificação (por parte das empresas,
    por parte dos próprios trabalhadores).

   Incoerência entre dados de agências
    locais, estaduais e federais.

   Dados disponíveis apenas para mercado
    formal (<50% dos trabalhadores).
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
DefiniçõesXX separou-se as ações ou medidas
Em meados do século
                    de Prevenção
preventivas em primárias e secundárias, sendo posteriormente
incluídas as terciárias*
Prevenção Primária: ações dirigidas para a manutenção da saúde.
Ex: educação para a saúde (promoção), vacinas (proteção específica).
Prevenção Secundária: ações dirigidas para conter um processo
patológico e/ou evitar decorrências deste processo.
Ex: tomar aspirina para evitar segundo infarto do miocárdio (Limitação
do dano).
Prevenção Terciária: ações dirigidas para desenvolver capacidade
residual em processo patológico avançado.
Ex. melhorar condições de paciente que sofreu AVC ou poliomielite.
(Reabilitação)
                 * Pereira, M.G. Epidemiologia – Teoria e Prática. Guanabara Koogan, 1995.
Cinco níveis de Prevenção                                               *



 PERÍODO PRÉ-PATOLÓGICO                              PATOLÓGICO

                                  Alterações     Primeiros    Doença
      Interação de fatores                                              Convalescença
                                   precoces      sintomas    avançada
                                 Diagnóstico e
 Promoção da       Proteção
                                  tratamento       Limitação do dano    Reabilitação
    saúde          Específica      precoces

                                                                        PREVENÇÃO
   PREVENÇÃO PRIMÁRIA               PREVENÇÃO SECUNDÁRIA
                                                                         TERCIÁRIA

                             MEDIDAS PREVENTIVAS

Figura 2: Níveis de aplicação das medidas preventivas, na história
natural da doença. (Adaptado de Leavell & Clark, 1976)

            * Pereira, M.G. Epidemiologia – Teoria e Prática. Guanabara Koogan, 1995.
Requisitos da Prevenção
1.   Novo objeto de atenção: o risco.
2.   Novos locais de atuação: funcionais.
3.   Novo instrumental de atuação:
     Teórico:
        conhecimento multidisciplinar (Cinesiologia,
         Biomecânica, Fisiologia, Ergonomia...).
        Conhecer riscos e disfunções decorrentes.
     Metodológico:
        identificar e controlar situações de risco.
Tópicos a serem abordados
 Conceito de LER/DORT
 Histórico
 Regulamentação
 Impacto das LER/DORT
 Estatísticas
 Prevenção
 Fatores de Risco
DEFINIÇÃO: Fatores de Risco
 Biomecânicos
 Ergonômicos
Fatores de Risco

             Fator de risco

    Diretamente          Indiretamente



     Surgimento e Desenvolvimento
            das LER/DORT
Fatores de Risco
     FR se interrelacionam:
                        Alcance, Ajuste e Visão
                   ia
               enc
            flu
          in                         influenciam
Organização
do Trabalho                    Postura
                                     afetam


                               Tecidos
                                     gerando


                         Reações fisiológicas
                             adversas.
Fatores de Risco
   BIOMECÂNICOS               ERGONOMICOS/
     Postura                   Psicossociais
     Pressão    mecânica        Satisfação   com o
     Força                       trabalho
     Repetição                  Relação demanda

     Trabalho
                                  e controle
                 muscular
                                 Suporte social
      estático
     Carga                      Estresse
Postura




Posturas inclinadas, rodadas e extendidas sempre compreendem riscos…
Postura


Várias formas de
manuseio de
materiais e outras
exerções de força
física podem ser
perigosas a longo
prazo…
Postura




  Trabalhar em espaços confinados exige posturas desfavoráveis…
Postura
Várias setores
ocupacionais estão
sujeitos a este risco…
Pressão
Repetição
Força
INSTRUMENTAÇÃO
Aula fatores de_risco
SENSORES
ELETROGONIÔMETRO   MIOMETER




ACELERÔMETRO




                         Dinamômetro
Aula fatores de_risco
MÉTODOS DE ANÁLISE

                              OCRA               OWAS
              RULA
                                     REBA
    NIOSH                                        SUZANNE RODGERS
             MOORE E GARG (STRAIN INDEX)

                                                        LEHMANN
CHECK LIST DE COUTO
                          QUESTIONÁRIO BIPOLAR



                                                  ANTROPOMETRIA
 NIOSH
                        ANÁLISE DE IMAGEM
ANTROPOMETRIA


                  RULA




    OWAS
                BIPOLAR
PRÁTICA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ler e dort
Ler e dortLer e dort
Ler e dort
Luana Diógenes
 
Aula 5 ler e dort
Aula 5   ler e dortAula 5   ler e dort
Aula 5 ler e dort
Lobeto Rodrigues
 
Manual ler dort dilemas, polêmicas e dúvidas
Manual   ler dort dilemas, polêmicas e dúvidasManual   ler dort dilemas, polêmicas e dúvidas
Manual ler dort dilemas, polêmicas e dúvidas
Nestor Neto
 
Prevenção de doenças ocupacionais
Prevenção de doenças ocupacionaisPrevenção de doenças ocupacionais
Prevenção de doenças ocupacionais
Stelli Freitas
 
Doencasacidentesdetrabalho lerdort
Doencasacidentesdetrabalho lerdortDoencasacidentesdetrabalho lerdort
Doencasacidentesdetrabalho lerdort
Solange Montosa
 
Cartilha ler dort 01
Cartilha ler dort 01Cartilha ler dort 01
Cartilha ler dort 01
adrianomedico
 
Doença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do TrabalhoDoença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do Trabalho
Day Vasconcellos
 
Ler dort norma tecnica avaliacao
Ler dort norma tecnica avaliacaoLer dort norma tecnica avaliacao
Ler dort norma tecnica avaliacao
adrianomedico
 
Seminário doenças ocupacionais
Seminário  doenças ocupacionaisSeminário  doenças ocupacionais
Seminário doenças ocupacionais
Laíz Coutinho
 
Pericia medica nexo causal
Pericia medica nexo causalPericia medica nexo causal
Pericia medica nexo causal
adrianomedico
 
Riscos ergonômicos (Call Center)
Riscos ergonômicos (Call Center)Riscos ergonômicos (Call Center)
Riscos ergonômicos (Call Center)
Ana Leticia Cunha
 
Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...
Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...
Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...
Ana Thais Souza
 
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalhoDistúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
adrianomedico
 
V60n5a02 osteomusculares
V60n5a02 osteomuscularesV60n5a02 osteomusculares
V60n5a02 osteomusculares
Gustavo Lima
 
Doenças ocupacionais
Doenças ocupacionaisDoenças ocupacionais
Doenças ocupacionais
Tiago Malta
 
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionaisMódulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Marcio Claro de Oliveira
 
Trabalho de ergonomia slides
Trabalho de ergonomia slidesTrabalho de ergonomia slides
Trabalho de ergonomia slides
Sandra Alencar Pires
 
O ambiente e as doencas laborais
O ambiente e as doencas laboraisO ambiente e as doencas laborais
O ambiente e as doencas laborais
Talita Ribeiro
 

Mais procurados (18)

Ler e dort
Ler e dortLer e dort
Ler e dort
 
Aula 5 ler e dort
Aula 5   ler e dortAula 5   ler e dort
Aula 5 ler e dort
 
Manual ler dort dilemas, polêmicas e dúvidas
Manual   ler dort dilemas, polêmicas e dúvidasManual   ler dort dilemas, polêmicas e dúvidas
Manual ler dort dilemas, polêmicas e dúvidas
 
Prevenção de doenças ocupacionais
Prevenção de doenças ocupacionaisPrevenção de doenças ocupacionais
Prevenção de doenças ocupacionais
 
Doencasacidentesdetrabalho lerdort
Doencasacidentesdetrabalho lerdortDoencasacidentesdetrabalho lerdort
Doencasacidentesdetrabalho lerdort
 
Cartilha ler dort 01
Cartilha ler dort 01Cartilha ler dort 01
Cartilha ler dort 01
 
Doença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do TrabalhoDoença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do Trabalho
 
Ler dort norma tecnica avaliacao
Ler dort norma tecnica avaliacaoLer dort norma tecnica avaliacao
Ler dort norma tecnica avaliacao
 
Seminário doenças ocupacionais
Seminário  doenças ocupacionaisSeminário  doenças ocupacionais
Seminário doenças ocupacionais
 
Pericia medica nexo causal
Pericia medica nexo causalPericia medica nexo causal
Pericia medica nexo causal
 
Riscos ergonômicos (Call Center)
Riscos ergonômicos (Call Center)Riscos ergonômicos (Call Center)
Riscos ergonômicos (Call Center)
 
Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...
Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...
Trabalho pós ergonomia aplicação da ferramenta ocra em análise ergonômica do ...
 
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalhoDistúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
 
V60n5a02 osteomusculares
V60n5a02 osteomuscularesV60n5a02 osteomusculares
V60n5a02 osteomusculares
 
Doenças ocupacionais
Doenças ocupacionaisDoenças ocupacionais
Doenças ocupacionais
 
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionaisMódulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
 
Trabalho de ergonomia slides
Trabalho de ergonomia slidesTrabalho de ergonomia slides
Trabalho de ergonomia slides
 
O ambiente e as doencas laborais
O ambiente e as doencas laboraisO ambiente e as doencas laborais
O ambiente e as doencas laborais
 

Destaque

Ler e Dort
Ler e DortLer e Dort
Ler e Dort
Fabiano Bartmann
 
LER - DORT
LER - DORT LER - DORT
LER - DORT
claudio179
 
Dores relacionadas ao trabalho. LER e DORT
Dores relacionadas ao trabalho. LER e DORTDores relacionadas ao trabalho. LER e DORT
Dores relacionadas ao trabalho. LER e DORT
Robson Peixoto
 
Ler dort
Ler dort Ler dort
Ler dort
Ana Hollanders
 
Dort -patologias
Dort  -patologiasDort  -patologias
Dort -patologias
pamcolbano
 
Nr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básicoNr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básico
Ythia Karla
 
Ginástica laboral
Ginástica laboralGinástica laboral
Ginástica laboral
Junior Cesar Santiago
 
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica LaboralFisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
Universidade Norte do Paraná
 
Norma regulamentadora 32
Norma regulamentadora 32Norma regulamentadora 32
Norma regulamentadora 32
SonynhaRegis
 
Nr 32
Nr 32Nr 32
Ergonomia ginástica laboral
Ergonomia  ginástica laboralErgonomia  ginástica laboral
Ergonomia ginástica laboral
elaine123fisio
 
Ginástica laboral slides
Ginástica laboral slidesGinástica laboral slides
Ginástica laboral slides
profa_cris
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
mundograduado
 

Destaque (13)

Ler e Dort
Ler e DortLer e Dort
Ler e Dort
 
LER - DORT
LER - DORT LER - DORT
LER - DORT
 
Dores relacionadas ao trabalho. LER e DORT
Dores relacionadas ao trabalho. LER e DORTDores relacionadas ao trabalho. LER e DORT
Dores relacionadas ao trabalho. LER e DORT
 
Ler dort
Ler dort Ler dort
Ler dort
 
Dort -patologias
Dort  -patologiasDort  -patologias
Dort -patologias
 
Nr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básicoNr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básico
 
Ginástica laboral
Ginástica laboralGinástica laboral
Ginástica laboral
 
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica LaboralFisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
 
Norma regulamentadora 32
Norma regulamentadora 32Norma regulamentadora 32
Norma regulamentadora 32
 
Nr 32
Nr 32Nr 32
Nr 32
 
Ergonomia ginástica laboral
Ergonomia  ginástica laboralErgonomia  ginástica laboral
Ergonomia ginástica laboral
 
Ginástica laboral slides
Ginástica laboral slidesGinástica laboral slides
Ginástica laboral slides
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
 

Semelhante a Aula fatores de_risco

SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptxSAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
LucasDaher2
 
Renasts
RenastsRenasts
Renasts
Curso Atryo
 
5555555555555
55555555555555555555555555
5555555555555
Curso Atryo
 
Doencas e acidentes de trabalho lerdort
Doencas e acidentes de trabalho lerdortDoencas e acidentes de trabalho lerdort
Doencas e acidentes de trabalho lerdort
EdnaChristovao
 
Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort
Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort
Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort
Catalogo Fácil Agro Mecânica Tatuí
 
Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01
Mairim Nascimento
 
Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...
Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...
Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...
Vivi Medeiros
 
Protocolo dermatoses
Protocolo dermatosesProtocolo dermatoses
Protocolo dermatoses
Cosmo Palasio
 
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptxCOMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
Sandraoliveira116913
 
SINAN e ADRT
SINAN e ADRTSINAN e ADRT
SINAN e ADRT
nutecs
 
Renast
RenastRenast
Renast
Curso Atryo
 
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzenoRisco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Luana Alves
 
Doenças ocupacionais
Doenças ocupacionaisDoenças ocupacionais
Doenças ocupacionais
Tiago Malta
 
Ler dort1
Ler dort1Ler dort1
Ler dort1
adrianomedico
 
Ler dilemas
Ler dilemasLer dilemas
Ler dilemas
Robson Peixoto
 
Cartilha ler dort
Cartilha ler dortCartilha ler dort
Cartilha ler dort
Viviane Barbosa
 
Acidente de trabalho
Acidente de trabalhoAcidente de trabalho
Acidente de trabalho
JORGE BADAUE BADAUE
 
2 doença relacionada ao trabalho
2 doença relacionada ao trabalho2 doença relacionada ao trabalho
2 doença relacionada ao trabalho
Renatbar
 
Livro cancer relacionado ao trabalho
Livro   cancer relacionado ao trabalhoLivro   cancer relacionado ao trabalho
Livro cancer relacionado ao trabalho
karol_ribeiro
 
Manual perda auditiva induzida por ruído (pair)
Manual   perda auditiva induzida por ruído (pair)Manual   perda auditiva induzida por ruído (pair)
Manual perda auditiva induzida por ruído (pair)
Robson Peixoto
 

Semelhante a Aula fatores de_risco (20)

SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptxSAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
 
Renasts
RenastsRenasts
Renasts
 
5555555555555
55555555555555555555555555
5555555555555
 
Doencas e acidentes de trabalho lerdort
Doencas e acidentes de trabalho lerdortDoencas e acidentes de trabalho lerdort
Doencas e acidentes de trabalho lerdort
 
Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort
Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort
Do site Prevenção On Line - Doencas acidentes de trabalho lerdort
 
Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01
 
Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...
Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...
Acometimento do trabalhador por doenças cardiovasculares: hipertensão arteria...
 
Protocolo dermatoses
Protocolo dermatosesProtocolo dermatoses
Protocolo dermatoses
 
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptxCOMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
 
SINAN e ADRT
SINAN e ADRTSINAN e ADRT
SINAN e ADRT
 
Renast
RenastRenast
Renast
 
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzenoRisco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
 
Doenças ocupacionais
Doenças ocupacionaisDoenças ocupacionais
Doenças ocupacionais
 
Ler dort1
Ler dort1Ler dort1
Ler dort1
 
Ler dilemas
Ler dilemasLer dilemas
Ler dilemas
 
Cartilha ler dort
Cartilha ler dortCartilha ler dort
Cartilha ler dort
 
Acidente de trabalho
Acidente de trabalhoAcidente de trabalho
Acidente de trabalho
 
2 doença relacionada ao trabalho
2 doença relacionada ao trabalho2 doença relacionada ao trabalho
2 doença relacionada ao trabalho
 
Livro cancer relacionado ao trabalho
Livro   cancer relacionado ao trabalhoLivro   cancer relacionado ao trabalho
Livro cancer relacionado ao trabalho
 
Manual perda auditiva induzida por ruído (pair)
Manual   perda auditiva induzida por ruído (pair)Manual   perda auditiva induzida por ruído (pair)
Manual perda auditiva induzida por ruído (pair)
 

Mais de pamcolbano

Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1
pamcolbano
 
Ergonomia -aula
Ergonomia  -aulaErgonomia  -aula
Ergonomia -aula
pamcolbano
 
Doencas causadas pelo_calor
Doencas causadas pelo_calorDoencas causadas pelo_calor
Doencas causadas pelo_calor
pamcolbano
 
Toxicologia 2012 b-2
Toxicologia 2012 b-2Toxicologia 2012 b-2
Toxicologia 2012 b-2
pamcolbano
 
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pairPerda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
pamcolbano
 
Riscos biologicos agentes_biologicos_2013
Riscos biologicos agentes_biologicos_2013Riscos biologicos agentes_biologicos_2013
Riscos biologicos agentes_biologicos_2013
pamcolbano
 
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normasPoliticas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
pamcolbano
 
Perfil epidemiologico do_trabalho_no_brasil
Perfil epidemiologico do_trabalho_no_brasilPerfil epidemiologico do_trabalho_no_brasil
Perfil epidemiologico do_trabalho_no_brasil
pamcolbano
 

Mais de pamcolbano (8)

Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1
 
Ergonomia -aula
Ergonomia  -aulaErgonomia  -aula
Ergonomia -aula
 
Doencas causadas pelo_calor
Doencas causadas pelo_calorDoencas causadas pelo_calor
Doencas causadas pelo_calor
 
Toxicologia 2012 b-2
Toxicologia 2012 b-2Toxicologia 2012 b-2
Toxicologia 2012 b-2
 
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pairPerda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
 
Riscos biologicos agentes_biologicos_2013
Riscos biologicos agentes_biologicos_2013Riscos biologicos agentes_biologicos_2013
Riscos biologicos agentes_biologicos_2013
 
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normasPoliticas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
 
Perfil epidemiologico do_trabalho_no_brasil
Perfil epidemiologico do_trabalho_no_brasilPerfil epidemiologico do_trabalho_no_brasil
Perfil epidemiologico do_trabalho_no_brasil
 

Aula fatores de_risco

  • 1. LER/DORT fatores de risco (inicio) BIOMECÂNICOS ERGONOMICOS
  • 2. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 3. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 4. Conceito  Abordagem no Brasil: LER/DORT.  Outros Países:  Japão: Occupational cervicobrachial disorder (OCD)  EUA: Cumulative trauma disorder (CTD)  Alemanha: Occupational overuse syndrome (OOS)  Austrália: Repetitive strain injury (RSI)  Canadá: Lésions attribuables au travail repetitive (LATR) Ribeiro, 1997  Work related musculoskeletal disorder (WRMSD): cada vez mais disseminada no mundo todo.
  • 5. Conceito  Todas descrevem uma síndrome relacionada ao trabalho, com causa multifatorial, que podem resultar em incapacidade laboral temporária ou permanente.  São denominações genéricas.
  • 6. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 7. Um pouco de história...  Ramazzini – 1700: primeiro registro de ocorrência.  Sobrecarga física e cognitiva  Quadro semelhante ao atual: diferenças sociais  1° ciclo da Revolução Industrial: pena de ave é substituída por pena de aço.  1870: desenvolvimento e expansão dos telégrafos.  Grupos atingidos: escrivões, telegrafistas, mecanógrafos/datilógrafos e telefonistas.
  • 8. Um pouco de história... ~ 1850 ~ 1950 Manual Mecânico Eletro-eletrônico  Após 1950: automação eletro-eletrônica do trabalho e incidência de LER/DORT em todos os grupos ocupacionais.  LER/DORT: grave problema social e de saúde pública.  Japão: pioneiro em identificar LER/DORT como grave – final anos 50.
  • 9. Um pouco de história...  Brasil: início dos anos 80 – digitadores(bancários); indústrias...  1987: Tenossinovite do digitador – 1987.  1990: doença do trabalho mais notificada do INSS, junto à surdez.
  • 10. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 11. Regulamentação  Norma Regulamentadora (NR17) fixa normas e limites para as empresas: postos de trabalho que exigem esforços repetitivos, ritmo acelerado e posturas inadequadas - 1990.  LER – 1992.  Normas técnicas para Avaliação de Incapacidade por LER – 1993.  Ordem de Serviço 606: DORT – 1998.  Atualização da OS 606 – 2003.  Medida Provisória 316 – 2006/2007.
  • 12. Acidente de Trabalho  Lesão corporal ou perturbação funcional que, no exercício ou por motivo do trabalho, determinar a morte do empregado ou a sua incapacidade para o trabalho, total ou parcial, permanente ou temporária.
  • 13. Doença Ocupacional  Doenças cujas características, mais ou menos bem definidas, são atribuíveis a um agente causal específico Doença Relacionada ao Trabalho  Doenças cujos fatores de trabalho contribuem parcialmente para a sua ocorrência. LER/DORT
  • 14. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 15. Impacto das LER/DORT  As LER/DORT estão entre as 10 principais lesões ocupacionais.  As LER/DORT são as doenças mais incapacitantes da vida adulta ativa, afetando a vida profissional e a qualidade de vida geral dos acometidos.  Afetam metade de força de trabalho americana em algum momento de suas vidas profissionais.
  • 16. Impacto das LER/DORT  Seus custos financeiros excedem qualquer outro problema de saúde (gastos médicos, trabalhistas, de produção, etc): representam 1/3 de todos os custos de compensação trabalhista.  Espera-se que a freqüência e o impacto das D.M-E cresçam na medida em que a faixa etária média da força de trabalho também aumenta.
  • 17. Impacto das LER/DORT  Noruega:  Custo estimado de cada dia de produção perdido por licença médica é de 100 libras (UK) ≈ 250 dólares.  30% do tempo perdido por afastamentos médicos decorre de disfunções músculo-esqueléticas.  EUA:  Custo médio de uma compensação trabalhista é de US$ 3.500.  Gasto anual aproximado de US$ 75 a 100 bilhões.  Número de dias perdidos por afastamentos foi de 144 milhões na década de 80.
  • 18. Impacto das LER/DORT no Brasil*  2.898 mortes por acidente de trabalho em 2002 e 15.029 incapacidades permanentes.  Esses números referem-se apenas a trabalhadores CLT (que corresponde a menos de 50% da população trabalhadora).  Gastos estimados: 2,3 a 4% do PIB.  Somente com benefícios acidentários e aposentadorias especiais o gasto foi de 7,2 bilhões de reais em 2002. * Viaseg News, N. 159, 28/04/04.
  • 19. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 20. Alguns dados...  Segundo a OIT* atualmente temos: 2 milhões de mortes no trabalho/ano (5mil/dia ou 3/min)  270 milhões de acidentes de trabalho/ano  160 milhões de doenças relacionadas ao trabalho/ano  Custo: 4% do Produto Interno Bruto mundial. * Organização Internacional do Trabalho. Fonte – Agência Brazil, 28/07/2004.
  • 21. Alguns dados... Tabela 1: Trabalhadores sintomáticos na cidade de São Paulo* Pop. Trabalhadora Amostra 1072 trabalhadores 5.3 milhões 88% sintomáticos 4.7 milhões 47% foram ao médico 2.2 milhões 14% diagnóstico LER/DORT 310 mil 264 mil 12% diagnóstico Lombar * Datafolha/Prevler – Ministério da Saúde. 07/10/2001.
  • 22. Alguns dados...  Trabalhadores sintomáticos na cidade de São Paulo sem diagnóstico médico* - Projeção: 508 mil trabalhadores em risco de desenvolver a lesão:  76% envolvidos em trabalho repetitivo  62% em trabalhos monótonos  62% ausência de pausas  52% combinação de trabalho repetitivo e esforço físico  49% atividades que exigem força física. * Datafolha/Prevler – Ministério da Saúde. 07/10/2001.
  • 23. Alguns dados... Figura 1: Incidência de sintomas entre trabalhadores sintomáticos na cidade de São Paulo. N = 1072 (Amostragem estratificada)* * Datafolha/Prevler – Ministério da Saúde. 07/10/2001.
  • 24. Problemas com a estatística  Sub-notificação (por parte das empresas, por parte dos próprios trabalhadores).  Incoerência entre dados de agências locais, estaduais e federais.  Dados disponíveis apenas para mercado formal (<50% dos trabalhadores).
  • 25. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 26. DefiniçõesXX separou-se as ações ou medidas Em meados do século de Prevenção preventivas em primárias e secundárias, sendo posteriormente incluídas as terciárias* Prevenção Primária: ações dirigidas para a manutenção da saúde. Ex: educação para a saúde (promoção), vacinas (proteção específica). Prevenção Secundária: ações dirigidas para conter um processo patológico e/ou evitar decorrências deste processo. Ex: tomar aspirina para evitar segundo infarto do miocárdio (Limitação do dano). Prevenção Terciária: ações dirigidas para desenvolver capacidade residual em processo patológico avançado. Ex. melhorar condições de paciente que sofreu AVC ou poliomielite. (Reabilitação) * Pereira, M.G. Epidemiologia – Teoria e Prática. Guanabara Koogan, 1995.
  • 27. Cinco níveis de Prevenção * PERÍODO PRÉ-PATOLÓGICO PATOLÓGICO Alterações Primeiros Doença Interação de fatores Convalescença precoces sintomas avançada Diagnóstico e Promoção da Proteção tratamento Limitação do dano Reabilitação saúde Específica precoces PREVENÇÃO PREVENÇÃO PRIMÁRIA PREVENÇÃO SECUNDÁRIA TERCIÁRIA MEDIDAS PREVENTIVAS Figura 2: Níveis de aplicação das medidas preventivas, na história natural da doença. (Adaptado de Leavell & Clark, 1976) * Pereira, M.G. Epidemiologia – Teoria e Prática. Guanabara Koogan, 1995.
  • 28. Requisitos da Prevenção 1. Novo objeto de atenção: o risco. 2. Novos locais de atuação: funcionais. 3. Novo instrumental de atuação: Teórico:  conhecimento multidisciplinar (Cinesiologia, Biomecânica, Fisiologia, Ergonomia...).  Conhecer riscos e disfunções decorrentes. Metodológico:  identificar e controlar situações de risco.
  • 29. Tópicos a serem abordados  Conceito de LER/DORT  Histórico  Regulamentação  Impacto das LER/DORT  Estatísticas  Prevenção  Fatores de Risco
  • 30. DEFINIÇÃO: Fatores de Risco  Biomecânicos  Ergonômicos
  • 31. Fatores de Risco Fator de risco Diretamente Indiretamente Surgimento e Desenvolvimento das LER/DORT
  • 32. Fatores de Risco  FR se interrelacionam: Alcance, Ajuste e Visão ia enc flu in influenciam Organização do Trabalho Postura afetam Tecidos gerando Reações fisiológicas adversas.
  • 33. Fatores de Risco  BIOMECÂNICOS  ERGONOMICOS/  Postura Psicossociais  Pressão mecânica  Satisfação com o  Força trabalho  Repetição  Relação demanda  Trabalho e controle muscular  Suporte social estático  Carga  Estresse
  • 34. Postura Posturas inclinadas, rodadas e extendidas sempre compreendem riscos…
  • 35. Postura Várias formas de manuseio de materiais e outras exerções de força física podem ser perigosas a longo prazo…
  • 36. Postura Trabalhar em espaços confinados exige posturas desfavoráveis…
  • 42. SENSORES ELETROGONIÔMETRO MIOMETER ACELERÔMETRO Dinamômetro
  • 44. MÉTODOS DE ANÁLISE OCRA OWAS RULA REBA NIOSH SUZANNE RODGERS MOORE E GARG (STRAIN INDEX) LEHMANN CHECK LIST DE COUTO QUESTIONÁRIO BIPOLAR ANTROPOMETRIA NIOSH ANÁLISE DE IMAGEM
  • 45. ANTROPOMETRIA RULA OWAS BIPOLAR