SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO Á BIOLOGIA
BIOLOGIA
Prof. Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
Se o vídeo não abrir, acesse o Link abaixo
https://www.youtube.com/watch?v=OTdMCNsjVwo
Hora da
Participação
Após assistir o vídeo e debater
com seus colegas, o que você
acha que a Biologia estuda?
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
BIOS (VIDA) LOGOS (ESTUDO)
OBS: Em linhas gerais, a Biologia é a Ciência que estuda a
vida e tudo que se relaciona a esta.
Uma definição mais estruturada afirma que a Biologia é
a Ciência que estuda a vida e os organismos vivos, sua
estrutura, crescimento, funcionamento, reprodução,
origem, evolução, distribuição, bem como suas relações
com o ambiente e entre si.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
Hora da
Participação
Reflita com os seus colegas e
responda: Quais são as
características que definem os
seres vivos?
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SERES VIVOS
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SERES VIVOS
ORGANIZAÇÃO QUÍMICA COMPLEXA
ORGANIZAÇÃO CELULAR
POSSUEM METABOLISMO
NECESSIDADE DE ENERGIA
CAPACIDADE REPRODUTIVA
POSSUEM MATERIAL GENÉTICO
RESPONDEM AOS ESTÍMULOS DO AMBIENTE
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
CAPACIDADE DE EVOLUIR
COMPOSIÇÃO QUÍMICA COMPLEXA
. Os organismos são constituídos de matéria orgânica, logo, estão
sujeitos às leis da natureza que regem o funcionamento do universo (e.g. leis da
gravitação, da relatividade, da termodinâmica e etc).
Podemos considerar o átomo como sendo a unidade fundamental da
matéria (massa/energia). Os principais elementos químicos constituintes dos
organismos são: Nitrogênio, Carbono, Hidrogênio, Oxigênio, Fósforo e Enxofre
(NCHOPS). Com exceção do hidrogênio, esses elementos não estão dentre os
mais abundantes do Universo, mas são aqueles que possuem as propriedades
físico-químicas capazes de formar as moléculas biológicas requeridas para que
haja vida (proteínas, ácidos nucleicos, lipídios e etc.).
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
A DESCOBERTA DA CÉLULA / A PRIMEIRA OBSERVAÇÃO
Em 1665 o cientista inglês Robert Hoock
observou, com um microscópio simples, uns
“espaços vazios” em umas finas fatias de cortiça,
denominando-os de células por se parecerem com
as “células” onde os monges repousavam nos
monastérios.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
A DESCOBERTA DA CÉLULA / A TEORIA CELULAR
Após muita observação, dois biólogos
alemães, Mathias Schleiden e T Schwann,
afirmaram que todos os seres vivos são formados
por células.
Em 1855 o pesquisador Rudolph Virchow
declarou que toda célula provém de uma outra
célula.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
CONCEITO DE CÉLULA
A célula é a menor unidade estrutural, funcional e genética de um ser vivo
Porque compõe o corpo
de todos os seres vivos
Porque é capaz de
realizar funções que
mantém a vida como
respiração, crescimento
e reprodução.
Porque as células contém
o material genético (DNA)
responsável pelas
informações hereditárias.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
ESTRUTURA DAS CÉLULAS
A maioria das células é formada basicamente por membrana plasmática,
núcleo e citoplasma.
OBS: as outras estruturas
celulares serão estudadas
com mais profundidade mais
à frente
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
ESTRUTURA DAS CÉLULAS
Membrana plasmática: é uma membrana muito fina que envolve, protege e
controla o que entra e sai da célula.
Núcleo: é uma estrutura localizada no interior das células, isolando e
protegendo o material genético.
Citoplasma: é formado por um líquido gelatinoso que preenche o interior
celular contendo as estruturas internas das células conhecidas como organelas
ou organóides.
OBS: as outras estruturas
celulares serão estudadas
com mais profundidade mais
à frente
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
TIPOS DE CÉLULAS
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
TIPOS DE CÉLULAS
CÉLULA PROCARIONTE: São células
mais simples, não possuem núcleo
definido por isso o material genético
encontra-se disperso no citoplasma, não
possuem organoide membranosos e são
encontradas apenas no Reino Monera.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
TIPOS DE CÉLULAS
CÉLULA EUCARIONTE: São células mais
complexas, possuem núcleo definido que
isola e protege o material genético,
apresentam organoides membranosos e
são encontradas em quase todos os
Reinos com exceção do Reino Monera.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
TIPOS DE CÉLULAS
CÉLULA EUCARIONTE (VEGETAL):
Possui parede celular (aumenta a
proteção da célula), apresenta
cloroplastos (realiza fotossíntese), possui
um grande vacúolo (armazena sais
minerais e água).
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
ORGANIZAÇÃO CELULAR
TIPOS DE CÉLULAS
CÉLULA EUCARIONTE (ANIMAL): Não
possui parede celular, não apresenta
cloroplastos (não possui a capacidade de
realizar fotossíntese) e apresenta alguns
organóides típicos como os centríolos
(ligados ao processo de divisão celular) e
os lisossomos (ligados ao processo de
digestão).
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
Se o vídeo abaixo não abrir, acesse o link :
https://www.youtube.com/watch?v=AKFk3D110nE
ORGANIZAÇÃO CELULAR
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS QUANTO AO NÚMERO DE CÉLULAS
Os seres vivos podem ser classificados quanto ao número de células
em: Unicelulares (quando são formados por uma única célula) ou em
Pluricelulares (quando são formados por mais de uma célula)
UNICELULARES PLURICELULARES
EX. Bactérias, alguns fungos,
alguns protistas etc.
EX. animais, plantas, alguns fungos,
alguns protistas etc.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
METABOLISMO
São um conjunto de reações químicas que ocorrem no interior dos
seres vivos com objetivo de remodelar, favorecer o crescimento ou gerar energia
para o ser vivo.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
OBS: O metabolismo e suas fases
serão estudados com mais
profundidade à frente.
NECESSIDADE DE ENERGIA
Para gerar energia necessária as funções vitais, os seres vivos obtém
substâncias através do processo de alimentação, que pode classificar os seres
vivos em dois grupos: AUTÓTROFOS ou HETERÓTROFOS.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
NECESSIDADE DE ENERGIA
AUTÓTROFOS
AUTÓTROFOS: São seres vivos que possuem a capacidade de
sintetizar matéria orgânica através do processo de fotossíntese, gerando o prório
alimento a partir da luz solar.
VEGETAIS ALGAS CIANOBACTÉRIAS
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
NECESSIDADE DE ENERGIA
AUTÓTROFOS
ESQUEMA DA FOTOSSÍNTESE
OBS: A fotossíntese e suas
fases serão estudados com
mais profundidade à frente.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
NECESSIDADE DE ENERGIA
HETERÓTROFOS
HETERÓTROFOS: São seres vivos que não possuem a capacidade de
realizar a fotossíntese, portanto, precisam de se alimentar através de outros
seres vivos..
ANIMAIS FUNGOS PROTOZOÁRIOS BACTÉRIAS
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
NECESSIDADE DE ENERGIA
RESPIRAÇÃO
Tanto seres vivos autótrofos quanto heterótrofos utilizam o processo de
respiração para produzir energia, sendo mais abundante nos seres heterótrofos..
OBS: A respiração
e suas fases serão
estudadas com
mais profundidade
à frente.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
NECESSIDADE DE ENERGIA
FOTOSSÍNTESE E RESPIRAÇÃO
A fotossíntese e a respiração são processos complementares, pois os
produtos liberados por um são aproveitados pelo outro.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
CAPACIDADE REPRODUTIVA
Todos os seres vivos possuem capacidade reprodutiva, que tem como
objetivo perpetuar o material genético por gerações e pode ocorrer de duas
formas: REPRODUÇÃO ASSEXUADA OU REPRODUÇÃO SEXUADA.
CAPACIDADE REPRODUTIVA
REPRODUÇÃO SEXUADA
Na reprodução sexuada temos a participação de gametas (Células
especiais que tem função reprodutiva). Esse tipo de reprodução apresenta como
vantagem a variabilidade genética (os descendentes gerados não são idênticos
aos indivíduos geradores) e a desvantagem está no fato de geralmente precisar
de dois indivíduos para ocorrer a reprodução.
CAPACIDADE REPRODUTIVA
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
Na reprodução assexuada não temos a participação de gametas
(Células especiais que tem função reprodutiva). Esse tipo de reprodução
apresenta como vantagem a possibilidade de um único indivíduo poder gerar
sozinho o seu descendente. A desvantagem está no fato de não ocorrer
variabilidade genética, sendo o indivíduo gerado genéticamente igual ao seu
genitor.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
Se o vídeo abaixo não abrir, acesse o link:
https://www.youtube.com/watch?v=E-kVju6mXXg
POSSUEM MATERIAL GENÉTICO
Todos os seres vivos possuem material genético que está ligado a
transmissão de características hereditárias e ao controle das funções
metabólicas.
OBS: Mais a frente
estudaremos melhor
os mecanismos da
hereditariedade.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
RESPONDE AOS ESTÍMULOS DO AMBIENTE
Todos os seres vivos precisam manter certas condições estáveis
independente das variações ocorridas no meio exterior, para isso todos os
organismos vivos respondem aos estímulos do ambiente para manter um certo
equilíbrio dinâmico que chamamos de homeostasia.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
CAPACIDADE DE EVOLUIR
Os seres vivos são capazes de sofrer mudanças ao longo do tempo, ou
seja, evoluem. A teoria da evolução das espécies proposta por Charles Darwin e
Walace explica de forma mais sistematizada esse processo.
OBS: A Teoria da
Evolução será estudada
com mais profundidade à
frente.
BIOLOGIA
Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
CONTATO
Email:
professorcarlosdorte@yahoo.com.br
Whatsapp
24988434098

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
Nelson Costa
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
guest3519e1
 
I.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambienteI.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambiente
Rebeca Vale
 
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
Iuri Fretta Wiggers
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
cienciasdinamica
 
Células
CélulasCélulas
Células
Cláudia Moura
 
III. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaIII. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico Biotecnologia
Rebeca Vale
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
Fatima Comiotto
 
II. 1 As células
II. 1 As célulasII. 1 As células
II. 1 As células
Rebeca Vale
 
Reino monera: Bactérias e Arqueas
Reino monera: Bactérias e ArqueasReino monera: Bactérias e Arqueas
Reino monera: Bactérias e Arqueas
Simone Miranda
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Leonardo Kaplan
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
Gisele A. Barbosa
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
Leonardo Kaplan
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
infoeducp2
 
Aula sobre citologia
Aula sobre    citologiaAula sobre    citologia
Aula sobre citologia
Marcionedes De Souza
 
Introdução aos 05 reinos 7º ano
Introdução aos 05 reinos   7º anoIntrodução aos 05 reinos   7º ano
Introdução aos 05 reinos 7º ano
André Garrido
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
bradok157
 
Aula01 introducao a biologia
Aula01 introducao a biologiaAula01 introducao a biologia
Aula01 introducao a biologia
Barbara Samartini Queiroz Alves
 
Aula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres VivosAula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres Vivos
Plínio Gonçalves
 

Mais procurados (20)

Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
 
I.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambienteI.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambiente
 
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
 
Células
CélulasCélulas
Células
 
III. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaIII. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico Biotecnologia
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
II. 1 As células
II. 1 As célulasII. 1 As células
II. 1 As células
 
Reino monera: Bactérias e Arqueas
Reino monera: Bactérias e ArqueasReino monera: Bactérias e Arqueas
Reino monera: Bactérias e Arqueas
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 
Aula sobre citologia
Aula sobre    citologiaAula sobre    citologia
Aula sobre citologia
 
Introdução aos 05 reinos 7º ano
Introdução aos 05 reinos   7º anoIntrodução aos 05 reinos   7º ano
Introdução aos 05 reinos 7º ano
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
Aula01 introducao a biologia
Aula01 introducao a biologiaAula01 introducao a biologia
Aula01 introducao a biologia
 
Aula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres VivosAula Classificação dos Seres Vivos
Aula Classificação dos Seres Vivos
 

Destaque

Caracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivosCaracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivos
César Milani
 
Características dos seres vivos 1º ano
Características dos seres vivos 1º ano Características dos seres vivos 1º ano
Características dos seres vivos
Características dos seres vivosCaracterísticas dos seres vivos
Características dos seres vivos
letyap
 
Seres vivos; características gerais
Seres vivos; características geraisSeres vivos; características gerais
Seres vivos; características gerais
André Garrido
 
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Introdução à biologia 1º ano
Introdução à biologia   1º anoIntrodução à biologia   1º ano
Introdução à biologia 1º ano
Luciana Mendes
 
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivosApresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
SitioEscola
 
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º anoAula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
camaceio
 
Notas de Aula - Classificação dos Seres vivos
Notas de Aula - Classificação dos Seres vivosNotas de Aula - Classificação dos Seres vivos
Notas de Aula - Classificação dos Seres vivos
Andrea Barreto
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
shaleny
 
Aula introdutória - Conceito de Biologia
Aula introdutória - Conceito de BiologiaAula introdutória - Conceito de Biologia
Aula introdutória - Conceito de Biologia
Universidade Federal Rural do Semi-Árido
 
Os seres vivos e seres não vivos
Os seres vivos e seres não vivosOs seres vivos e seres não vivos
Os seres vivos e seres não vivos
jmabp4
 
Plano de aula semanal 2 nadja
Plano de aula semanal 2 nadjaPlano de aula semanal 2 nadja
Plano de aula semanal 2 nadja
Nadja Mendes de Lima
 
Biologia introdução
Biologia introduçãoBiologia introdução
Biologia introdução
Marcos Santos
 
Biologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vidaBiologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vida
letyap
 
Introdução à Biologia
Introdução à BiologiaIntrodução à Biologia
Introdução à Biologia
Nathan Aguiar
 
Introdução a biologia
Introdução a biologiaIntrodução a biologia
Introdução a biologia
Matheus de Paula Medeiros
 
Tópico 1: Energia na vida humana
Tópico 1: Energia na vida humanaTópico 1: Energia na vida humana
Tópico 1: Energia na vida humana
O mundo da FÍSICA
 
2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]
2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]
2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]
BIOLOGO TOTAL
 
Composição química da célula
Composição química da célulaComposição química da célula
Composição química da célula
Marcia M Pedroso
 

Destaque (20)

Caracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivosCaracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivos
 
Características dos seres vivos 1º ano
Características dos seres vivos 1º ano Características dos seres vivos 1º ano
Características dos seres vivos 1º ano
 
Características dos seres vivos
Características dos seres vivosCaracterísticas dos seres vivos
Características dos seres vivos
 
Seres vivos; características gerais
Seres vivos; características geraisSeres vivos; características gerais
Seres vivos; características gerais
 
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos
 
Introdução à biologia 1º ano
Introdução à biologia   1º anoIntrodução à biologia   1º ano
Introdução à biologia 1º ano
 
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivosApresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
 
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º anoAula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
 
Notas de Aula - Classificação dos Seres vivos
Notas de Aula - Classificação dos Seres vivosNotas de Aula - Classificação dos Seres vivos
Notas de Aula - Classificação dos Seres vivos
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 
Aula introdutória - Conceito de Biologia
Aula introdutória - Conceito de BiologiaAula introdutória - Conceito de Biologia
Aula introdutória - Conceito de Biologia
 
Os seres vivos e seres não vivos
Os seres vivos e seres não vivosOs seres vivos e seres não vivos
Os seres vivos e seres não vivos
 
Plano de aula semanal 2 nadja
Plano de aula semanal 2 nadjaPlano de aula semanal 2 nadja
Plano de aula semanal 2 nadja
 
Biologia introdução
Biologia introduçãoBiologia introdução
Biologia introdução
 
Biologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vidaBiologia a ciência da vida
Biologia a ciência da vida
 
Introdução à Biologia
Introdução à BiologiaIntrodução à Biologia
Introdução à Biologia
 
Introdução a biologia
Introdução a biologiaIntrodução a biologia
Introdução a biologia
 
Tópico 1: Energia na vida humana
Tópico 1: Energia na vida humanaTópico 1: Energia na vida humana
Tópico 1: Energia na vida humana
 
2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]
2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]
2009 Volume3 Cadernodoaluno Biologia Ensino Medio 3aserie Gabarito[1]
 
Composição química da célula
Composição química da célulaComposição química da célula
Composição química da célula
 

Semelhante a Aula de características gerais dos seres vivos ensino médio

Aula de características gerais dos seres vivos
Aula de características gerais dos seres vivosAula de características gerais dos seres vivos
Aula de características gerais dos seres vivos
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
AULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptx
AULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptxAULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptx
AULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptx
VINICIUSMARTINSBRITO1
 
Caract ser vivo
Caract ser vivoCaract ser vivo
Caract ser vivo
Iuri Fretta Wiggers
 
O que é a vida, uma apresentação para aulas
O que é a vida, uma apresentação para aulasO que é a vida, uma apresentação para aulas
O que é a vida, uma apresentação para aulas
robertorego1971
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
Fatima Comiotto
 
ciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdf
ciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdfciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdf
ciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdf
edicleia gois
 
Célula e transporte de matéria
Célula e transporte de matériaCélula e transporte de matéria
Célula e transporte de matéria
vnp12
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
Maria Candido
 
Classificação biológica dos seres vivos.pptx
Classificação biológica dos seres vivos.pptxClassificação biológica dos seres vivos.pptx
Classificação biológica dos seres vivos.pptx
LussandraMarquez
 
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICAAula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Leonardo Delgado
 
Aula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdf
Aula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdfAula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdf
Aula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdf
robson226649
 
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivosAula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
Amanda Fernanda Nunes Ferreira
 
Eu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de BiologiaEu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de Biologia
Daniela Silveira
 
Citologia
CitologiaCitologia
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-11554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1
KetlenBatista
 
Características dos Seres Vivos
Características dos Seres VivosCaracterísticas dos Seres Vivos
Características dos Seres Vivos
Fábio Roque
 
AULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptx
AULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptxAULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptx
AULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptx
FranciscaalineBrito
 
Caracteristicas do Serers vivos.pdf
Caracteristicas do Serers vivos.pdfCaracteristicas do Serers vivos.pdf
Caracteristicas do Serers vivos.pdf
jorge500398
 
aula 4 CELULA 6 ANO.pptx
aula 4 CELULA 6 ANO.pptxaula 4 CELULA 6 ANO.pptx
aula 4 CELULA 6 ANO.pptx
GabrielGomes556466
 
Introdução a Citologia
Introdução a CitologiaIntrodução a Citologia
Introdução a Citologia
BIOGERALDO
 

Semelhante a Aula de características gerais dos seres vivos ensino médio (20)

Aula de características gerais dos seres vivos
Aula de características gerais dos seres vivosAula de características gerais dos seres vivos
Aula de características gerais dos seres vivos
 
AULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptx
AULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptxAULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptx
AULA 01- INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA BIOLOGIA..pptx
 
Caract ser vivo
Caract ser vivoCaract ser vivo
Caract ser vivo
 
O que é a vida, uma apresentação para aulas
O que é a vida, uma apresentação para aulasO que é a vida, uma apresentação para aulas
O que é a vida, uma apresentação para aulas
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
ciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdf
ciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdfciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdf
ciencias7_o_que_e_a_vida_afinal PDF (1).pdf
 
Célula e transporte de matéria
Célula e transporte de matériaCélula e transporte de matéria
Célula e transporte de matéria
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Classificação biológica dos seres vivos.pptx
Classificação biológica dos seres vivos.pptxClassificação biológica dos seres vivos.pptx
Classificação biológica dos seres vivos.pptx
 
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICAAula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
 
Aula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdf
Aula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdfAula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdf
Aula 2 Classificação biológica dos seres vivos.pdf
 
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivosAula 1. 1 ano   caracteristicas gerais dos seres vivos
Aula 1. 1 ano caracteristicas gerais dos seres vivos
 
Eu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de BiologiaEu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de Biologia
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-11554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1
 
Características dos Seres Vivos
Características dos Seres VivosCaracterísticas dos Seres Vivos
Características dos Seres Vivos
 
AULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptx
AULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptxAULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptx
AULA 1- Introdução a biologia no ensino medio.pptx
 
Caracteristicas do Serers vivos.pdf
Caracteristicas do Serers vivos.pdfCaracteristicas do Serers vivos.pdf
Caracteristicas do Serers vivos.pdf
 
aula 4 CELULA 6 ANO.pptx
aula 4 CELULA 6 ANO.pptxaula 4 CELULA 6 ANO.pptx
aula 4 CELULA 6 ANO.pptx
 
Introdução a Citologia
Introdução a CitologiaIntrodução a Citologia
Introdução a Citologia
 

Mais de Carlos Alexandre Ribeiro Dorte

1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre
1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre
1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Genética
GenéticaGenética
4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre
4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre
4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Correção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMA
Correção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMACorreção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMA
Correção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMA
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Cristologia
CristologiaCristologia
Subsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultosSubsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultos
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Subsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenisSubsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenis
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017
Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017
Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Noite astronômica
Noite astronômicaNoite astronômica
Noite astronômica
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Cantares
CantaresCantares
Provérbios
ProvérbiosProvérbios
Introdução a teologia aula 4
Introdução a teologia aula 4Introdução a teologia aula 4
Introdução a teologia aula 4
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Introdução a teologia aula 3
Introdução a teologia aula 3Introdução a teologia aula 3
Introdução a teologia aula 3
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Introdução a teologia aula 2
Introdução a teologia aula 2Introdução a teologia aula 2
Introdução a teologia aula 2
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
História e os objetivos da escola bíblica dominical
História e os objetivos da escola bíblica dominicalHistória e os objetivos da escola bíblica dominical
História e os objetivos da escola bíblica dominical
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida

Mais de Carlos Alexandre Ribeiro Dorte (20)

1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre
1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre
1° trimestre 2018 lição 8 pr. carlos alexandre
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre
4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre
4° trimestre 2017 lição 12 pr. carlos alexandre
 
Correção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMA
Correção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMACorreção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMA
Correção de exercícios (Répteis) 7° ano APOEMA
 
Cristologia
CristologiaCristologia
Cristologia
 
Subsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultosSubsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultos
 
Subsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenisSubsídio da lição 3 juvenis
Subsídio da lição 3 juvenis
 
Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017
Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017
Lição 1 juvenis 3° trimestre 2017
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Noite astronômica
Noite astronômicaNoite astronômica
Noite astronômica
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
 
Cantares
CantaresCantares
Cantares
 
Provérbios
ProvérbiosProvérbios
Provérbios
 
Introdução a teologia aula 4
Introdução a teologia aula 4Introdução a teologia aula 4
Introdução a teologia aula 4
 
Introdução a teologia aula 3
Introdução a teologia aula 3Introdução a teologia aula 3
Introdução a teologia aula 3
 
Introdução a teologia aula 2
Introdução a teologia aula 2Introdução a teologia aula 2
Introdução a teologia aula 2
 
Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1
 
História e os objetivos da escola bíblica dominical
História e os objetivos da escola bíblica dominicalHistória e os objetivos da escola bíblica dominical
História e os objetivos da escola bíblica dominical
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 

Último

Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 

Último (20)

Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 

Aula de características gerais dos seres vivos ensino médio

  • 1. INTRODUÇÃO Á BIOLOGIA BIOLOGIA Prof. Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 2. Se o vídeo não abrir, acesse o Link abaixo https://www.youtube.com/watch?v=OTdMCNsjVwo
  • 3. Hora da Participação Após assistir o vídeo e debater com seus colegas, o que você acha que a Biologia estuda? BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 4. BIOS (VIDA) LOGOS (ESTUDO) OBS: Em linhas gerais, a Biologia é a Ciência que estuda a vida e tudo que se relaciona a esta. Uma definição mais estruturada afirma que a Biologia é a Ciência que estuda a vida e os organismos vivos, sua estrutura, crescimento, funcionamento, reprodução, origem, evolução, distribuição, bem como suas relações com o ambiente e entre si. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 5. Hora da Participação Reflita com os seus colegas e responda: Quais são as características que definem os seres vivos? BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 6. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SERES VIVOS BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 7. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SERES VIVOS ORGANIZAÇÃO QUÍMICA COMPLEXA ORGANIZAÇÃO CELULAR POSSUEM METABOLISMO NECESSIDADE DE ENERGIA CAPACIDADE REPRODUTIVA POSSUEM MATERIAL GENÉTICO RESPONDEM AOS ESTÍMULOS DO AMBIENTE BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte CAPACIDADE DE EVOLUIR
  • 8. COMPOSIÇÃO QUÍMICA COMPLEXA . Os organismos são constituídos de matéria orgânica, logo, estão sujeitos às leis da natureza que regem o funcionamento do universo (e.g. leis da gravitação, da relatividade, da termodinâmica e etc). Podemos considerar o átomo como sendo a unidade fundamental da matéria (massa/energia). Os principais elementos químicos constituintes dos organismos são: Nitrogênio, Carbono, Hidrogênio, Oxigênio, Fósforo e Enxofre (NCHOPS). Com exceção do hidrogênio, esses elementos não estão dentre os mais abundantes do Universo, mas são aqueles que possuem as propriedades físico-químicas capazes de formar as moléculas biológicas requeridas para que haja vida (proteínas, ácidos nucleicos, lipídios e etc.). BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 10. ORGANIZAÇÃO CELULAR A DESCOBERTA DA CÉLULA / A PRIMEIRA OBSERVAÇÃO Em 1665 o cientista inglês Robert Hoock observou, com um microscópio simples, uns “espaços vazios” em umas finas fatias de cortiça, denominando-os de células por se parecerem com as “células” onde os monges repousavam nos monastérios. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 11. ORGANIZAÇÃO CELULAR A DESCOBERTA DA CÉLULA / A TEORIA CELULAR Após muita observação, dois biólogos alemães, Mathias Schleiden e T Schwann, afirmaram que todos os seres vivos são formados por células. Em 1855 o pesquisador Rudolph Virchow declarou que toda célula provém de uma outra célula. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 12. ORGANIZAÇÃO CELULAR CONCEITO DE CÉLULA A célula é a menor unidade estrutural, funcional e genética de um ser vivo Porque compõe o corpo de todos os seres vivos Porque é capaz de realizar funções que mantém a vida como respiração, crescimento e reprodução. Porque as células contém o material genético (DNA) responsável pelas informações hereditárias. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 13. ORGANIZAÇÃO CELULAR ESTRUTURA DAS CÉLULAS A maioria das células é formada basicamente por membrana plasmática, núcleo e citoplasma. OBS: as outras estruturas celulares serão estudadas com mais profundidade mais à frente BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 14. ORGANIZAÇÃO CELULAR ESTRUTURA DAS CÉLULAS Membrana plasmática: é uma membrana muito fina que envolve, protege e controla o que entra e sai da célula. Núcleo: é uma estrutura localizada no interior das células, isolando e protegendo o material genético. Citoplasma: é formado por um líquido gelatinoso que preenche o interior celular contendo as estruturas internas das células conhecidas como organelas ou organóides. OBS: as outras estruturas celulares serão estudadas com mais profundidade mais à frente BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 15. ORGANIZAÇÃO CELULAR TIPOS DE CÉLULAS BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 16. ORGANIZAÇÃO CELULAR TIPOS DE CÉLULAS CÉLULA PROCARIONTE: São células mais simples, não possuem núcleo definido por isso o material genético encontra-se disperso no citoplasma, não possuem organoide membranosos e são encontradas apenas no Reino Monera. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 17. ORGANIZAÇÃO CELULAR TIPOS DE CÉLULAS CÉLULA EUCARIONTE: São células mais complexas, possuem núcleo definido que isola e protege o material genético, apresentam organoides membranosos e são encontradas em quase todos os Reinos com exceção do Reino Monera. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 18. ORGANIZAÇÃO CELULAR TIPOS DE CÉLULAS CÉLULA EUCARIONTE (VEGETAL): Possui parede celular (aumenta a proteção da célula), apresenta cloroplastos (realiza fotossíntese), possui um grande vacúolo (armazena sais minerais e água). BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 19. ORGANIZAÇÃO CELULAR TIPOS DE CÉLULAS CÉLULA EUCARIONTE (ANIMAL): Não possui parede celular, não apresenta cloroplastos (não possui a capacidade de realizar fotossíntese) e apresenta alguns organóides típicos como os centríolos (ligados ao processo de divisão celular) e os lisossomos (ligados ao processo de digestão). BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 20. Se o vídeo abaixo não abrir, acesse o link : https://www.youtube.com/watch?v=AKFk3D110nE
  • 21. ORGANIZAÇÃO CELULAR CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS QUANTO AO NÚMERO DE CÉLULAS Os seres vivos podem ser classificados quanto ao número de células em: Unicelulares (quando são formados por uma única célula) ou em Pluricelulares (quando são formados por mais de uma célula) UNICELULARES PLURICELULARES EX. Bactérias, alguns fungos, alguns protistas etc. EX. animais, plantas, alguns fungos, alguns protistas etc. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 22. METABOLISMO São um conjunto de reações químicas que ocorrem no interior dos seres vivos com objetivo de remodelar, favorecer o crescimento ou gerar energia para o ser vivo. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte OBS: O metabolismo e suas fases serão estudados com mais profundidade à frente.
  • 23. NECESSIDADE DE ENERGIA Para gerar energia necessária as funções vitais, os seres vivos obtém substâncias através do processo de alimentação, que pode classificar os seres vivos em dois grupos: AUTÓTROFOS ou HETERÓTROFOS. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 24. NECESSIDADE DE ENERGIA AUTÓTROFOS AUTÓTROFOS: São seres vivos que possuem a capacidade de sintetizar matéria orgânica através do processo de fotossíntese, gerando o prório alimento a partir da luz solar. VEGETAIS ALGAS CIANOBACTÉRIAS BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 25. NECESSIDADE DE ENERGIA AUTÓTROFOS ESQUEMA DA FOTOSSÍNTESE OBS: A fotossíntese e suas fases serão estudados com mais profundidade à frente. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 26. NECESSIDADE DE ENERGIA HETERÓTROFOS HETERÓTROFOS: São seres vivos que não possuem a capacidade de realizar a fotossíntese, portanto, precisam de se alimentar através de outros seres vivos.. ANIMAIS FUNGOS PROTOZOÁRIOS BACTÉRIAS BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 27. NECESSIDADE DE ENERGIA RESPIRAÇÃO Tanto seres vivos autótrofos quanto heterótrofos utilizam o processo de respiração para produzir energia, sendo mais abundante nos seres heterótrofos.. OBS: A respiração e suas fases serão estudadas com mais profundidade à frente. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 28. NECESSIDADE DE ENERGIA FOTOSSÍNTESE E RESPIRAÇÃO A fotossíntese e a respiração são processos complementares, pois os produtos liberados por um são aproveitados pelo outro. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 29. CAPACIDADE REPRODUTIVA Todos os seres vivos possuem capacidade reprodutiva, que tem como objetivo perpetuar o material genético por gerações e pode ocorrer de duas formas: REPRODUÇÃO ASSEXUADA OU REPRODUÇÃO SEXUADA.
  • 30. CAPACIDADE REPRODUTIVA REPRODUÇÃO SEXUADA Na reprodução sexuada temos a participação de gametas (Células especiais que tem função reprodutiva). Esse tipo de reprodução apresenta como vantagem a variabilidade genética (os descendentes gerados não são idênticos aos indivíduos geradores) e a desvantagem está no fato de geralmente precisar de dois indivíduos para ocorrer a reprodução.
  • 31. CAPACIDADE REPRODUTIVA REPRODUÇÃO ASSEXUADA Na reprodução assexuada não temos a participação de gametas (Células especiais que tem função reprodutiva). Esse tipo de reprodução apresenta como vantagem a possibilidade de um único indivíduo poder gerar sozinho o seu descendente. A desvantagem está no fato de não ocorrer variabilidade genética, sendo o indivíduo gerado genéticamente igual ao seu genitor. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 32. Se o vídeo abaixo não abrir, acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=E-kVju6mXXg
  • 33. POSSUEM MATERIAL GENÉTICO Todos os seres vivos possuem material genético que está ligado a transmissão de características hereditárias e ao controle das funções metabólicas. OBS: Mais a frente estudaremos melhor os mecanismos da hereditariedade. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 34. RESPONDE AOS ESTÍMULOS DO AMBIENTE Todos os seres vivos precisam manter certas condições estáveis independente das variações ocorridas no meio exterior, para isso todos os organismos vivos respondem aos estímulos do ambiente para manter um certo equilíbrio dinâmico que chamamos de homeostasia. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
  • 35. CAPACIDADE DE EVOLUIR Os seres vivos são capazes de sofrer mudanças ao longo do tempo, ou seja, evoluem. A teoria da evolução das espécies proposta por Charles Darwin e Walace explica de forma mais sistematizada esse processo. OBS: A Teoria da Evolução será estudada com mais profundidade à frente. BIOLOGIA Professor Carlos Alexandre Ribeiro Dorte