SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula 3 - Intenção Estratégica e Diagnostico dos
ambientes interno e externo
Profª Isabella Nogueira
15/10/12
• Intenção Estratégica: Missão, Visão e
 Valores
  • Clarificação da missão e valores da organização

  • Estabelecimento da visão organizacional para o futuro

• Avaliação do ambiente externo e interno
 da organização.
Aula 3   missão visão e valores
Aula 3   missão visão e valores
Aula 3   missão visão e valores
• “A intenção estratégica representa a
  alavancagem de todos os recursos internos,
  capacidades e competências essenciais de uma
  organização com a finalidade de cumprir suas
  metas no ambiente competitivo”. Chiavenatto,
  2004.
• Qual é o negócio da organização e o que ela
 será no futuro?

• E suas principais entregas, serviços ou
 produtos?

• O que é um bom resultado para a organização?

• Quais são seus principais públicos de interesse?
Ideologia
Essencial




            Visão
  Futuro
Imaginado
• “As empresas verdadeiramente notáveis
  compreendem a diferença entre o que
  nunca deve mudar e o que precisa estar
  aberto à mudança...” Collins e Porras,
  1996
• A visão da empresa é o elemento que
  orienta sobre a essência a ser preservada
  e sobre o futuro para qual o progresso
  deve ser direcionado.
• Define o caráter duradouro de
  uma organização composto por:
 •Missão (Proposito essencial)
 •Valores Essenciais
• É importante
                            Servidores
                                                                        identificar os
                                                                        principais públicos da
      Outros...                                      Cidadãos           organização;
                                                                      • Atribuir valor a cada
                   Organização                                          um deles
                     Pública
                                                                      • Dar prioridade
Municípios/
                                                       Fornecedores
  União


                                                                        àqueles considerados
                   Outros
                  Poderes
                                         Órgãos de
                                          Controle
                                                                        mais críticos para a
                                                                        sobrevivência da
                                                                        organização
• É a declaração do propósito e do alcance da
  organização em termos de produto e de
  mercado;
• Refere-se ao papel da organização na
  sociedade;
• Razão de ser e de existir da organização.
• Propósito essencial...
  • Não se confunde com as metas da organização
  • Inspira a mudança
• Ao se atingir um objetivo ou meta isolado não se
  alcançará o propósito, embora o propósito em si
  não mude, ele inspira a mudança a ser
• Concentra esforços das pessoas em um direção
  (alinhamento);
• Evita desgastes e conflitos em relação a
  execução do plano estratégico;
• Fundamenta a alocação de recursos segundo as
  regras apresentadas pela missão;
• Norteia as prioridades a serem executadas no
  plano estratégico;
• Embasa a formulação das políticas e a definição
  dos objetivos organizacionais.
• Sistema de princípios e dogmas
  norteadores da atuação da organização;
• Valores devem resistir ao tempo;
• Em geral, são cinco ou seis valores;
• Servem como orientação e inspiração para
  todas as gerações futuras da organização.
• O ponto crítico em relação aos valores é a
  sua existência e não quais são esses
  valores.
• Composto de duas partes:
 • Metas audaciosas
 • Descrições vibrantes dos efeitos da realização
   dessa meta.
• Refere-se aquilo que a organização deseja
  ser no futuro.
• Esclarecer a todos os stakeholders a direção do
  negócio;
• Descrever uma condição futura;
• Motivar os interessados e envolvidos em tomas
  as ações necessárias;
• Oferecer foco;
• Inspirar as pessoas a trabalhar em direção a um
  estado comum e um conjunto integrado de
  objetivos.
CEGIL
             CONSTRUTO
             RA




H2r
Financeira
• Promover a segurança da
  população em Minas
  Gerais desenvolvendo
  ações de prevenção à
  criminalidade, integração
  operacional dos órgãos de
  Defesa Social, custódia e
  reinserção social dos
  indivíduos privados de
  liberdade, proporcionando
  a melhoria da qualidade de
  vida das pessoas.
Aula 3   missão visão e valores
• MISSÃO
• A Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais
  tem como Missão Institucional prover e gerir os
  recursos financeiros do Estado, formulando e
  implementando políticas que garantam a justiça
  fiscal, o equilíbrio das contas públicas e o
  desenvolvimento de ações de governo, em benefício
  da sociedade mineira.
• NEGÓCIO
• Provimento e gestão dos recursos financeiros do
  Estado.
• VISÃO
• Ser reconhecida como instituição de excelência no
  cumprimento da sua missão:
• ●por possuir um fisco reconhecido como justo, eficaz
  e com ações transparentes;
• ●por contar com um quadro de funcionários
  qualificados, motivados e comprometidos com o seu
  trabalho;
• ●por responder às mudanças agindo com
  flexibilidade diante da variação dos cenários político,
  econômico e social;
• ●por alcançar o equilíbrio estrutural das contas
  públicas;
• ●por contribuir para a transformação de Minas Gerais
  no melhor Estado para viver, trabalhar e investir.
• VALORES
• Efetividade
• A SEF, através de uma melhor aplicação dos
  recursos humanos, materiais e institucionais, buscará
  atingir resultados que contribuam para a prestação
  de serviços públicos de qualidade.
• Ética
• A atuação da SEF e de cada um dos servidores será
  pautada nos princípios da lealdade, impessoalidade,
  moralidade, probidade administrativa e respeito para
  com a instituição.
• Justiça Fiscal
• A SEF promoverá justiça fiscal, obedecendo ao
  princípio da legalidade tributária, aplicando
  tratamento igualitário entre os contribuintes, e
  coibindo a sonegação.
• Qualidade
• A SEF buscará a qualidade dos seus resultados, por
  meio de um trabalho competente e participativo,
  objetivando a satisfação do cliente, em conformidade
  com seus anseios e exigências, e a qualidade de
  vida de seus servidores.
• Responsabilidade Social
• A atuação da SEF deverá se basear em ações que
  visem a proteger e melhorar o bem-estar da
  sociedade.
• Transparência
• A SEF tornará visíveis e acessíveis à sociedade, sem
Aula 3   missão visão e valores
• - Antecipar oportunidades e ameaças
•     - Buscar o desempenho almejado pelas empresas
•     - Elaborar cenários para a análise de longo prazo
•     - Construir a organização do futuro
•     - Lidar com as mudanças e incertezas
Ambiente geral - elementos próprios à vida em
sociedade:
                Demográfico
                Econômico
                Sóciopolítico
                Tecnológico
Análise do ambiente externo



        Segmento Demográfico

- Tamanho e taxa de crescimento da população
- Pirâmide populacional (faixa etária)
- Composto étnico e principais grupos lingüísticos
- Distribuição de renda
Análise do ambiente externo

           Segmento Econômico
- Evolução dos índices de preços e quantidades
- Taxas de juros e de poupança
- Evolução do PIB
- Investimentos em capacidade de produção
- Balança de pagamentos
- Níveis de emprego e renda do país
- Internacionalização da economia
Análise do ambiente externo


     Segmento Sóciopolítico

- Principais traços culturais da população
- Atitudes, hábitos e diversidade cultural
- Leis de defesa da concorrência
- Leis trabalhistas e tributárias
Análise do ambiente externo


- Excesso crônico de capacidade
- Ausência de custos de mudança
- Concorrentes com grandes interesses
estratégicos
- Ausência de diferenciação de produtos
- Barreiras de saída elevadas
Análise do ambiente externo
Desenvolvimento de cenários
• Cenário – configuração de situação / período
• Determinar os rumos do ambiente de negócios
• Evolução das tendências do ambiente externo
  • Variáveis quantitativas
  • Variáveis qualitativas



                         Ambiente Geral      Oportunidades
Tendência                                          e
                                               Ameaças
                         Ambiente Setorial
•   Elaborar cenários – elos coerentes de hipóteses
•   Identificar diferentes situações q/ podem ocorrer
•   Lidar com a incerteza (matéria-prima dos cenários)
•   Normalmente, elabora-se três cenários:
    • Otimista
    • Intermediário
    • Pessimista
• Cenários Simples – principais variáveis de influência
• Cenários sofisticados – técnicas avançadas de
  prospecção
Análise do ambiente externo

• Construir cenários – atividade constante
• Percepção rápida de possível surgimento de fatores
  importantes para o futuro
• Estudar cenários – estudar tendências e seus impactos
  nas organizações (de forma sistêmica)
• Tendências – desencadeiam mudanças:
  •   Na competição
  •   Nos mercados
  •   Nos produtos
  •   Nas organizações
Análise do ambiente externo

• Processo de construção de cenários:

   1. Definição dos propósitos dos cenários / organização da equipe
   2. Levantamento de dados – montagem dos cenários
   3. Listagem dos fatores relevantes
   4. Seleção dos fatores mais influentes
   5. Escolha dos assuntos específicos a serem abordados
   6. Agrupamento dos fatores (inter-relações / assuntos escolhidos)
   7. Definição da situação atual (em termos dos fatores escolhidos)
   8. Desenvolvimento do cenário mais provável
Análise do ambiente externo

• Processo de construção de cenários:

   9. Alteração dos fatores básicos – geração de cenários alternativos
   10. Preparação dos cenários alternativos
   11. Verificação da consistência, transparência e amplitude dos
       cenários
   12. Modificação dos cenários – em caso de falhas – e preparo da
       versão final
Análise do ambiente interno:

Diagnóstico da situação da organização:


             - Forças e fraquezas
             - Capacidades e competências
Análise do ambiente interno


Diagnóstico do ambiente interno:
      - Recursos da organização
      - Necessidades (capacidades e competências)
      - Características internas (forças e fraquezas)
      - Principais causas das forças e fraquezas
      - Desempenho interno x desempenho da
       concorrência
Análise do ambiente interno
                  Modelo de análise do ambiente interno
     Recursos:                                               Vantagem
   -Tangíveis                    A descoberta
                                     das                    competitiva
   -Intangíveis
                                 competências
                                  essenciais             Competitividade
   Capacidade                                              estratégica


     Forças e
                                Valiosa
    fraquezas                                         Análise da
                                Rara
                                                    cadeia de valor
                                Difícil de imitar
     Fatores                    Insubstituível
    críticos de
                                                      Terceirizar
     sucesso
                                                       ou não?

Fonte: Adaptado de Hitt, 2002:102.
Análise do ambiente interno


 Recursos, capacidades e competências
 essenciais

• Recursos

  • São as entradas no processo de produção
  • Podem ser:
     • Tangíveis (máquinas, equipamentos, matérias-primas,...)
     • Intangíveis (marcas, patentes, confiança dos clientes,...)
Análise do ambiente interno

• Recursos

  – Unidade básica da análise da organização
  – Estrutura básica de funcionamento da organização:
      • Recursos existentes
      • Capacidades desenvolvidas internamente


   Gestão de                                     Posição competitiva
                        Objetivo central             sustentável
  capacidades
Análise do ambiente interno

• Capacidades
  – Interações entre recursos tangíveis e intangíveis (ao
    longo do tempo)
  – Informações e retenção do conhecimento pelo capital
    humano da organização



                                              Vantagem
                     Desenvolvimento
 Conhecimento                                competitiva
                      da capacidade
                                             sustentável
Análise do ambiente interno
• Competências essenciais
  – Conjunto de habilidades e tecnologias – geração de
    benefícios para o cliente
  – Fontes das vantagens competitivas sustentáveis
  – Critérios:
                Capacidade


               Valiosa
               Rara
               Difícil imitação       Competência
               Insubstituível          essencial
Análise do ambiente interno

   Forças e fraquezas
 • Diagnóstico do ambiente interno – identificar as forças e
   as fraquezas
 • Força – facilita o cumprimento da missão e objetivos
 • Fraqueza – prejudica o cumprimento da missão e
   objetivos

 Recursos
                                                Diagnóstico do
                               Forças
Capacidades                                        ambiente
                            e fraquezas
                                                    interno
Competências essenciais
Análise do ambiente interno


 Fatores críticos de sucesso (FCS)
• Principais forças e fraquezas levam aos FCS
• Objetivo dos FCS – priorizar as atividades-chave do
  negócio
• Identificar FCS e criar capacidades para gerenciá-los de
  forma eficaz
• Identificação de FCS:
               - Analisar o ambiente de negócios
               - Analisar as especificidades do setor
Análise do ambiente interno


 A matriz SWOT e a avaliação estratégica
• SWOT - Strenghts, Weaknesses, Opportunities and
  Threats (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças)
• É uma das ferramentas mais utilizadas na gestão
  estratégica competitiva
• Oportunidades e ameaças (ambiente externo) X forças e
  fraquezas (ambiente interno)
    Oportunidades e ameaças     O que DEVE ser feito

       Forças e fraquezas       O que PODE ser feito
Análise do ambiente interno


• Matriz SWOT:

           Forças      Oportunidades


         Fraquezas       Ameaças
Análise do ambiente interno


• Análise SWOT:


                   Oportunidades        Ameaças

     Forças     1. Capacidade de   2. Capacidade
                ação ofensiva      defensiva
    Fraquezas   3. Debilidades     4. Vulnerabilidades
Análise do ambiente interno

• Avaliação estratégica

 Análise SWOT



   Tendências
  Oportunidade                       Estratégias
        s                           passíveis de
                 Ambiente interno
     Ameaças                        implementaç
    (Ambiente                            ão
     externo)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 Motivação
Luiz Siles
 
Empreendedorismo E Inovação
Empreendedorismo E InovaçãoEmpreendedorismo E Inovação
Empreendedorismo E Inovação
Ana Maria Magni Coelho
 
Palestra conquistando seu lugar no mercado de trabalho
Palestra   conquistando seu lugar no mercado de trabalhoPalestra   conquistando seu lugar no mercado de trabalho
Palestra conquistando seu lugar no mercado de trabalho
Ernandes Rodrigues Do Nascimento
 
Etapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo SeletivoEtapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo Seletivo
Wandick Rocha de Aquino
 
Plano de negocio
Plano de negocioPlano de negocio
Plano de negocio
Milena Gonçalves
 
Missão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitosMissão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitos
Robson Costa
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
University
 
Planejamento estratégico - Missão Visão e Valores
Planejamento estratégico - Missão Visão e ValoresPlanejamento estratégico - Missão Visão e Valores
Planejamento estratégico - Missão Visão e Valores
Silvio Souza
 
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1   evolução na gestão de pessoasCapítulo 1   evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoas
mvaf_rj
 
EMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
EMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADESEMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
EMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
01. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 01
01. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 0101. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 01
01. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 01
Debora Miceli
 
Marketing pessoal apresentação
Marketing pessoal   apresentaçãoMarketing pessoal   apresentação
Marketing pessoal apresentação
Luis Mazziotti
 
Mercado de trabalho na área de administração
Mercado de trabalho na área de administraçãoMercado de trabalho na área de administração
Mercado de trabalho na área de administração
Eduarte Oliveira
 
Desenvolvimento de carreiras
Desenvolvimento de carreirasDesenvolvimento de carreiras
Desenvolvimento de carreiras
Michael Silva
 
Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]
Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]
Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]
Cleber Paiva
 
Aula 1 - Introdução ao marketing
Aula 1 - Introdução ao marketingAula 1 - Introdução ao marketing
Aula 1 - Introdução ao marketing
Kesia Rozzett Oliveira
 
Analise swot
Analise swotAnalise swot
Departamento Pessoal
Departamento PessoalDepartamento Pessoal
Departamento Pessoal
Desiree Melo
 
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
Sonia Rodrigues
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
Hesau Monteiro
 

Mais procurados (20)

Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 Motivação
 
Empreendedorismo E Inovação
Empreendedorismo E InovaçãoEmpreendedorismo E Inovação
Empreendedorismo E Inovação
 
Palestra conquistando seu lugar no mercado de trabalho
Palestra   conquistando seu lugar no mercado de trabalhoPalestra   conquistando seu lugar no mercado de trabalho
Palestra conquistando seu lugar no mercado de trabalho
 
Etapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo SeletivoEtapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo Seletivo
 
Plano de negocio
Plano de negocioPlano de negocio
Plano de negocio
 
Missão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitosMissão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitos
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Planejamento estratégico - Missão Visão e Valores
Planejamento estratégico - Missão Visão e ValoresPlanejamento estratégico - Missão Visão e Valores
Planejamento estratégico - Missão Visão e Valores
 
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1   evolução na gestão de pessoasCapítulo 1   evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoas
 
EMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
EMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADESEMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
EMPREGABILIDADE – COMPETÊNCIAS E HABILIDADES
 
01. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 01
01. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 0101. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 01
01. Debora Miceli - Marketing Pessoal: Aula 01
 
Marketing pessoal apresentação
Marketing pessoal   apresentaçãoMarketing pessoal   apresentação
Marketing pessoal apresentação
 
Mercado de trabalho na área de administração
Mercado de trabalho na área de administraçãoMercado de trabalho na área de administração
Mercado de trabalho na área de administração
 
Desenvolvimento de carreiras
Desenvolvimento de carreirasDesenvolvimento de carreiras
Desenvolvimento de carreiras
 
Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]
Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]
Missão, Visão e Valores da Disney [Infográfico]
 
Aula 1 - Introdução ao marketing
Aula 1 - Introdução ao marketingAula 1 - Introdução ao marketing
Aula 1 - Introdução ao marketing
 
Analise swot
Analise swotAnalise swot
Analise swot
 
Departamento Pessoal
Departamento PessoalDepartamento Pessoal
Departamento Pessoal
 
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 

Semelhante a Aula 3 missão visão e valores

Apresentacao dalecarnegie
Apresentacao dalecarnegieApresentacao dalecarnegie
Apresentacao dalecarnegie
Mario Rubens de Paula
 
Clientes
ClientesClientes
Clientes
IsisMarques10
 
Arquivo2_20230320184149.pdf
Arquivo2_20230320184149.pdfArquivo2_20230320184149.pdf
Arquivo2_20230320184149.pdf
AndrezaLopesMachado
 
SI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PME
SI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PMESI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PME
SI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PME
alicegeologia
 
Ambiente de mercado aula 03
Ambiente de mercado aula 03Ambiente de mercado aula 03
Ambiente de mercado aula 03
Grupo Atheneu
 
Governança
Governança Governança
Governança
Welton Nascimento
 
slides módulo v
slides módulo vslides módulo v
slides módulo v
Fdtensino
 
Conceber diferentemente modelos de negócio sociais
Conceber diferentemente modelos de negócio sociaisConceber diferentemente modelos de negócio sociais
Conceber diferentemente modelos de negócio sociais
Social Business Models
 
Aula tec comercio_organizacaoemempresas
Aula tec comercio_organizacaoemempresasAula tec comercio_organizacaoemempresas
Aula tec comercio_organizacaoemempresas
Antonio Pinto Pereira
 
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnqcomo-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
Jéssica Cristina
 
Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2
Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2
Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2
José Marques
 
Aula Téc. Comércio APP
Aula Téc. Comércio APPAula Téc. Comércio APP
Aula Téc. Comércio APP
Antonio Pinto Pereira
 
Planejamento Estrátegico
Planejamento EstrátegicoPlanejamento Estrátegico
Planejamento Estrátegico
Fabricio Medeiros
 
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarialIndicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
Dawison Calheiros
 
Organização em Empresas - Técnico em RH
Organização em Empresas - Técnico em RHOrganização em Empresas - Técnico em RH
Organização em Empresas - Técnico em RH
Antonio Pinto Pereira
 
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitivaPensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Bruno Oliveira
 
Anteprojeto Doutorado_Alexandre Bentes
Anteprojeto Doutorado_Alexandre BentesAnteprojeto Doutorado_Alexandre Bentes
Anteprojeto Doutorado_Alexandre Bentes
Alexandre Bentes
 
1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade
1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade
1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade
Lena Nabais
 
Aula 1 introdução a adm financeira
Aula 1   introdução a adm financeiraAula 1   introdução a adm financeira
Aula 1 introdução a adm financeira
sscutrim
 
Ambiente Organizacoes
Ambiente OrganizacoesAmbiente Organizacoes
Ambiente Organizacoes
Unipinhal
 

Semelhante a Aula 3 missão visão e valores (20)

Apresentacao dalecarnegie
Apresentacao dalecarnegieApresentacao dalecarnegie
Apresentacao dalecarnegie
 
Clientes
ClientesClientes
Clientes
 
Arquivo2_20230320184149.pdf
Arquivo2_20230320184149.pdfArquivo2_20230320184149.pdf
Arquivo2_20230320184149.pdf
 
SI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PME
SI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PMESI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PME
SI na tomada de decisão - CTeSP Gestão de PME
 
Ambiente de mercado aula 03
Ambiente de mercado aula 03Ambiente de mercado aula 03
Ambiente de mercado aula 03
 
Governança
Governança Governança
Governança
 
slides módulo v
slides módulo vslides módulo v
slides módulo v
 
Conceber diferentemente modelos de negócio sociais
Conceber diferentemente modelos de negócio sociaisConceber diferentemente modelos de negócio sociais
Conceber diferentemente modelos de negócio sociais
 
Aula tec comercio_organizacaoemempresas
Aula tec comercio_organizacaoemempresasAula tec comercio_organizacaoemempresas
Aula tec comercio_organizacaoemempresas
 
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnqcomo-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
 
Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2
Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2
Ministerio publico _resultados_em_comunicacao_v2
 
Aula Téc. Comércio APP
Aula Téc. Comércio APPAula Téc. Comércio APP
Aula Téc. Comércio APP
 
Planejamento Estrátegico
Planejamento EstrátegicoPlanejamento Estrátegico
Planejamento Estrátegico
 
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarialIndicadores estratégicos para a gestão empresarial
Indicadores estratégicos para a gestão empresarial
 
Organização em Empresas - Técnico em RH
Organização em Empresas - Técnico em RHOrganização em Empresas - Técnico em RH
Organização em Empresas - Técnico em RH
 
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitivaPensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
 
Anteprojeto Doutorado_Alexandre Bentes
Anteprojeto Doutorado_Alexandre BentesAnteprojeto Doutorado_Alexandre Bentes
Anteprojeto Doutorado_Alexandre Bentes
 
1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade
1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade
1256637878 manual de_cidadania_e_profissionalidade
 
Aula 1 introdução a adm financeira
Aula 1   introdução a adm financeiraAula 1   introdução a adm financeira
Aula 1 introdução a adm financeira
 
Ambiente Organizacoes
Ambiente OrganizacoesAmbiente Organizacoes
Ambiente Organizacoes
 

Mais de Isabella Nogueira

Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?
Isabella Nogueira
 
Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?
Isabella Nogueira
 
Aula 5 conceitos básicos gestão por resultados
Aula 5   conceitos básicos gestão por resultadosAula 5   conceitos básicos gestão por resultados
Aula 5 conceitos básicos gestão por resultados
Isabella Nogueira
 
Aula 4 objetivos estratégicos
Aula 4   objetivos estratégicosAula 4   objetivos estratégicos
Aula 4 objetivos estratégicos
Isabella Nogueira
 
Aula 2 planejamento governamental
Aula 2   planejamento governamentalAula 2   planejamento governamental
Aula 2 planejamento governamental
Isabella Nogueira
 
Aula 1 apresentação e conceitos
Aula 1   apresentação e conceitosAula 1   apresentação e conceitos
Aula 1 apresentação e conceitos
Isabella Nogueira
 

Mais de Isabella Nogueira (6)

Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?
 
Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?Quer que eu desenhe?
Quer que eu desenhe?
 
Aula 5 conceitos básicos gestão por resultados
Aula 5   conceitos básicos gestão por resultadosAula 5   conceitos básicos gestão por resultados
Aula 5 conceitos básicos gestão por resultados
 
Aula 4 objetivos estratégicos
Aula 4   objetivos estratégicosAula 4   objetivos estratégicos
Aula 4 objetivos estratégicos
 
Aula 2 planejamento governamental
Aula 2   planejamento governamentalAula 2   planejamento governamental
Aula 2 planejamento governamental
 
Aula 1 apresentação e conceitos
Aula 1   apresentação e conceitosAula 1   apresentação e conceitos
Aula 1 apresentação e conceitos
 

Aula 3 missão visão e valores

  • 1. Aula 3 - Intenção Estratégica e Diagnostico dos ambientes interno e externo Profª Isabella Nogueira 15/10/12
  • 2. • Intenção Estratégica: Missão, Visão e Valores • Clarificação da missão e valores da organização • Estabelecimento da visão organizacional para o futuro • Avaliação do ambiente externo e interno da organização.
  • 6. • “A intenção estratégica representa a alavancagem de todos os recursos internos, capacidades e competências essenciais de uma organização com a finalidade de cumprir suas metas no ambiente competitivo”. Chiavenatto, 2004.
  • 7. • Qual é o negócio da organização e o que ela será no futuro? • E suas principais entregas, serviços ou produtos? • O que é um bom resultado para a organização? • Quais são seus principais públicos de interesse?
  • 8. Ideologia Essencial Visão Futuro Imaginado
  • 9. • “As empresas verdadeiramente notáveis compreendem a diferença entre o que nunca deve mudar e o que precisa estar aberto à mudança...” Collins e Porras, 1996 • A visão da empresa é o elemento que orienta sobre a essência a ser preservada e sobre o futuro para qual o progresso deve ser direcionado.
  • 10. • Define o caráter duradouro de uma organização composto por: •Missão (Proposito essencial) •Valores Essenciais
  • 11. • É importante Servidores identificar os principais públicos da Outros... Cidadãos organização; • Atribuir valor a cada Organização um deles Pública • Dar prioridade Municípios/ Fornecedores União àqueles considerados Outros Poderes Órgãos de Controle mais críticos para a sobrevivência da organização
  • 12. • É a declaração do propósito e do alcance da organização em termos de produto e de mercado; • Refere-se ao papel da organização na sociedade; • Razão de ser e de existir da organização. • Propósito essencial... • Não se confunde com as metas da organização • Inspira a mudança • Ao se atingir um objetivo ou meta isolado não se alcançará o propósito, embora o propósito em si não mude, ele inspira a mudança a ser
  • 13. • Concentra esforços das pessoas em um direção (alinhamento); • Evita desgastes e conflitos em relação a execução do plano estratégico; • Fundamenta a alocação de recursos segundo as regras apresentadas pela missão; • Norteia as prioridades a serem executadas no plano estratégico; • Embasa a formulação das políticas e a definição dos objetivos organizacionais.
  • 14. • Sistema de princípios e dogmas norteadores da atuação da organização; • Valores devem resistir ao tempo; • Em geral, são cinco ou seis valores; • Servem como orientação e inspiração para todas as gerações futuras da organização. • O ponto crítico em relação aos valores é a sua existência e não quais são esses valores.
  • 15. • Composto de duas partes: • Metas audaciosas • Descrições vibrantes dos efeitos da realização dessa meta. • Refere-se aquilo que a organização deseja ser no futuro.
  • 16. • Esclarecer a todos os stakeholders a direção do negócio; • Descrever uma condição futura; • Motivar os interessados e envolvidos em tomas as ações necessárias; • Oferecer foco; • Inspirar as pessoas a trabalhar em direção a um estado comum e um conjunto integrado de objetivos.
  • 17. CEGIL CONSTRUTO RA H2r Financeira
  • 18. • Promover a segurança da população em Minas Gerais desenvolvendo ações de prevenção à criminalidade, integração operacional dos órgãos de Defesa Social, custódia e reinserção social dos indivíduos privados de liberdade, proporcionando a melhoria da qualidade de vida das pessoas.
  • 20. • MISSÃO • A Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais tem como Missão Institucional prover e gerir os recursos financeiros do Estado, formulando e implementando políticas que garantam a justiça fiscal, o equilíbrio das contas públicas e o desenvolvimento de ações de governo, em benefício da sociedade mineira. • NEGÓCIO • Provimento e gestão dos recursos financeiros do Estado. • VISÃO • Ser reconhecida como instituição de excelência no cumprimento da sua missão: • ●por possuir um fisco reconhecido como justo, eficaz e com ações transparentes; • ●por contar com um quadro de funcionários qualificados, motivados e comprometidos com o seu trabalho; • ●por responder às mudanças agindo com flexibilidade diante da variação dos cenários político, econômico e social; • ●por alcançar o equilíbrio estrutural das contas públicas; • ●por contribuir para a transformação de Minas Gerais no melhor Estado para viver, trabalhar e investir.
  • 21. • VALORES • Efetividade • A SEF, através de uma melhor aplicação dos recursos humanos, materiais e institucionais, buscará atingir resultados que contribuam para a prestação de serviços públicos de qualidade. • Ética • A atuação da SEF e de cada um dos servidores será pautada nos princípios da lealdade, impessoalidade, moralidade, probidade administrativa e respeito para com a instituição. • Justiça Fiscal • A SEF promoverá justiça fiscal, obedecendo ao princípio da legalidade tributária, aplicando tratamento igualitário entre os contribuintes, e coibindo a sonegação. • Qualidade • A SEF buscará a qualidade dos seus resultados, por meio de um trabalho competente e participativo, objetivando a satisfação do cliente, em conformidade com seus anseios e exigências, e a qualidade de vida de seus servidores. • Responsabilidade Social • A atuação da SEF deverá se basear em ações que visem a proteger e melhorar o bem-estar da sociedade. • Transparência • A SEF tornará visíveis e acessíveis à sociedade, sem
  • 23. • - Antecipar oportunidades e ameaças • - Buscar o desempenho almejado pelas empresas • - Elaborar cenários para a análise de longo prazo • - Construir a organização do futuro • - Lidar com as mudanças e incertezas
  • 24. Ambiente geral - elementos próprios à vida em sociedade: Demográfico Econômico Sóciopolítico Tecnológico
  • 25. Análise do ambiente externo Segmento Demográfico - Tamanho e taxa de crescimento da população - Pirâmide populacional (faixa etária) - Composto étnico e principais grupos lingüísticos - Distribuição de renda
  • 26. Análise do ambiente externo Segmento Econômico - Evolução dos índices de preços e quantidades - Taxas de juros e de poupança - Evolução do PIB - Investimentos em capacidade de produção - Balança de pagamentos - Níveis de emprego e renda do país - Internacionalização da economia
  • 27. Análise do ambiente externo Segmento Sóciopolítico - Principais traços culturais da população - Atitudes, hábitos e diversidade cultural - Leis de defesa da concorrência - Leis trabalhistas e tributárias
  • 28. Análise do ambiente externo - Excesso crônico de capacidade - Ausência de custos de mudança - Concorrentes com grandes interesses estratégicos - Ausência de diferenciação de produtos - Barreiras de saída elevadas
  • 29. Análise do ambiente externo Desenvolvimento de cenários • Cenário – configuração de situação / período • Determinar os rumos do ambiente de negócios • Evolução das tendências do ambiente externo • Variáveis quantitativas • Variáveis qualitativas Ambiente Geral Oportunidades Tendência e Ameaças Ambiente Setorial
  • 30. Elaborar cenários – elos coerentes de hipóteses • Identificar diferentes situações q/ podem ocorrer • Lidar com a incerteza (matéria-prima dos cenários) • Normalmente, elabora-se três cenários: • Otimista • Intermediário • Pessimista • Cenários Simples – principais variáveis de influência • Cenários sofisticados – técnicas avançadas de prospecção
  • 31. Análise do ambiente externo • Construir cenários – atividade constante • Percepção rápida de possível surgimento de fatores importantes para o futuro • Estudar cenários – estudar tendências e seus impactos nas organizações (de forma sistêmica) • Tendências – desencadeiam mudanças: • Na competição • Nos mercados • Nos produtos • Nas organizações
  • 32. Análise do ambiente externo • Processo de construção de cenários: 1. Definição dos propósitos dos cenários / organização da equipe 2. Levantamento de dados – montagem dos cenários 3. Listagem dos fatores relevantes 4. Seleção dos fatores mais influentes 5. Escolha dos assuntos específicos a serem abordados 6. Agrupamento dos fatores (inter-relações / assuntos escolhidos) 7. Definição da situação atual (em termos dos fatores escolhidos) 8. Desenvolvimento do cenário mais provável
  • 33. Análise do ambiente externo • Processo de construção de cenários: 9. Alteração dos fatores básicos – geração de cenários alternativos 10. Preparação dos cenários alternativos 11. Verificação da consistência, transparência e amplitude dos cenários 12. Modificação dos cenários – em caso de falhas – e preparo da versão final
  • 34. Análise do ambiente interno: Diagnóstico da situação da organização: - Forças e fraquezas - Capacidades e competências
  • 35. Análise do ambiente interno Diagnóstico do ambiente interno: - Recursos da organização - Necessidades (capacidades e competências) - Características internas (forças e fraquezas) - Principais causas das forças e fraquezas - Desempenho interno x desempenho da concorrência
  • 36. Análise do ambiente interno Modelo de análise do ambiente interno Recursos: Vantagem -Tangíveis A descoberta das competitiva -Intangíveis competências essenciais Competitividade Capacidade estratégica Forças e Valiosa fraquezas Análise da Rara cadeia de valor Difícil de imitar Fatores Insubstituível críticos de Terceirizar sucesso ou não? Fonte: Adaptado de Hitt, 2002:102.
  • 37. Análise do ambiente interno Recursos, capacidades e competências essenciais • Recursos • São as entradas no processo de produção • Podem ser: • Tangíveis (máquinas, equipamentos, matérias-primas,...) • Intangíveis (marcas, patentes, confiança dos clientes,...)
  • 38. Análise do ambiente interno • Recursos – Unidade básica da análise da organização – Estrutura básica de funcionamento da organização: • Recursos existentes • Capacidades desenvolvidas internamente Gestão de Posição competitiva Objetivo central sustentável capacidades
  • 39. Análise do ambiente interno • Capacidades – Interações entre recursos tangíveis e intangíveis (ao longo do tempo) – Informações e retenção do conhecimento pelo capital humano da organização Vantagem Desenvolvimento Conhecimento competitiva da capacidade sustentável
  • 40. Análise do ambiente interno • Competências essenciais – Conjunto de habilidades e tecnologias – geração de benefícios para o cliente – Fontes das vantagens competitivas sustentáveis – Critérios: Capacidade Valiosa Rara Difícil imitação Competência Insubstituível essencial
  • 41. Análise do ambiente interno Forças e fraquezas • Diagnóstico do ambiente interno – identificar as forças e as fraquezas • Força – facilita o cumprimento da missão e objetivos • Fraqueza – prejudica o cumprimento da missão e objetivos Recursos Diagnóstico do Forças Capacidades ambiente e fraquezas interno Competências essenciais
  • 42. Análise do ambiente interno Fatores críticos de sucesso (FCS) • Principais forças e fraquezas levam aos FCS • Objetivo dos FCS – priorizar as atividades-chave do negócio • Identificar FCS e criar capacidades para gerenciá-los de forma eficaz • Identificação de FCS: - Analisar o ambiente de negócios - Analisar as especificidades do setor
  • 43. Análise do ambiente interno A matriz SWOT e a avaliação estratégica • SWOT - Strenghts, Weaknesses, Opportunities and Threats (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças) • É uma das ferramentas mais utilizadas na gestão estratégica competitiva • Oportunidades e ameaças (ambiente externo) X forças e fraquezas (ambiente interno) Oportunidades e ameaças O que DEVE ser feito Forças e fraquezas O que PODE ser feito
  • 44. Análise do ambiente interno • Matriz SWOT: Forças Oportunidades Fraquezas Ameaças
  • 45. Análise do ambiente interno • Análise SWOT: Oportunidades Ameaças Forças 1. Capacidade de 2. Capacidade ação ofensiva defensiva Fraquezas 3. Debilidades 4. Vulnerabilidades
  • 46. Análise do ambiente interno • Avaliação estratégica Análise SWOT Tendências Oportunidade Estratégias s passíveis de Ambiente interno Ameaças implementaç (Ambiente ão externo)