SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
AULA 2
Chave de Correção
01 02
Artigo de Opinião
Estudaremos hoje...
Chave de Correção da
prova Discursiva
Ao redigir sua resposta, use caneta esferográfica preta, escreva com letra
legível, identifique-se apenas no local indicado, assine seu texto com o
pseudônimo INDICADO.
Você poderá utilizar as informações presentes na prova, sem, no entanto, se
limitar a copiar trechos desta avaliação. Além disso, não faça desenhos e/ou
marcas na Folha de Resposta da questão discursiva.
Lembre-se de que seu texto será avaliado, levando-se em consideração os
seguintes critérios:
a) produção do gênero textual proposto no comando da questão;
b) uso da variedade linguística adequada à situação de comunicação proposta;
c) abordagem do tema proposto no comando da questão;
d) uso adequado de elementos responsáveis pela textualidade (coesão,
coerência,
informatividade e progressão).
Você será penalizado em até 10 (dez) pontos se, em sua produção textual,
desrespeitar os direitos humanos.
Sua produção só será corrigida se tiver mais de 08 (oito) linhas autorais.
Segundo o item 43, do Edital XX/XXXX - PROEN/IFRN, obterá
nota ZERO na questão discursiva, o candidato que
a) não responder à questão;
b) escrever com letra ilegível;
c) escrever sobre tema diverso do proposto;
d) abordar o tema sob enfoque diverso do proposto;
e) identificar-se indevidamente ou fora do local apropriado;
f) redigir as respostas com lápis grafite ou caneta de cor da tinta
diferente da
estabelecida;
g) redigir a resposta fora do espaço reservado para tal fim; ou
h) redigir a resposta em número igual ou menor que 08 (oito)
linhas.
A) ESTRUTURA: foi observado se o candidato produziu um
texto no gênero solicitado no comando da questão
discursiva e se o texto apresentou os elementos
estruturais comuns a esse gênero (título e assinatura,
ponto de vista, argumentos e conclusão). (Pontuação: 00,
05, 10, 15, 20)
Observação: Foi atribuído o valor Zero (00) se o candidato
produziu gênero textual diferente do solicitado na
questão. A ausência de cada um desses elementos
estruturais do artigo de opinião implicou a diminuição da
pontuação no item.
B) ORGANIZAÇÃO LINGUÍSTICO-TEXTUAL:
foi avaliado se o texto estava adequado à
situação de comunicação proposta, incluindo os
aspectos relativos às convenções da norma
escrita e de adequação vocabular. (Pontuação:
00, 05, 10, 15, 20)
Foram observados os aspectos ortográficos, de
acentuação, uso de maiúsculas, pontuação,
concordância nominal e verbal e regência,
respeitando-se a variação exigida pela proposta
de produção textual.
C) TEXTUALIDADE: foi observado se o texto apresentava coesão, coerência,
progressão,
informatividade e se argumentava em favor do ponto de vista assumido.
(Total: 60 pontos)
Progressão e informatividade (Pontuação: 00, 05, 10)
Coesão (Pontuação: 00, 05, 10, 15)
Coerência (Pontuação: 00, 05, 10, 15)
Construção da argumentação (Pontuação: 00, 05, 10, 15, 20)
Observação: na progressão e na informatividade, observou-se também se há
manutenção temática; na coesão e coerência, se esses mecanismos estão
utilizados adequadamente e se há interligação
adequada entre as partes textuais (orações e parágrafos). Especificamente, na
coerência, foram observadas tanto a coerência interna como a externa,
relativa aos fatos da realidade.
Na construção da argumentação, considerou-se:
a presença de ponto de vista implícito ou explícito;
a presença de argumentação pertinente em defesa do ponto de vista
assumido;
a consistência e a coerência da argumentação.
A) ESTRUTURA:
Título
Assinatura
Ponto de Vista
Argumentos
Conclusão
B) ORGANIZAÇÃO:
Situação Comunicativa
Norma Escrita
Adequação Vocabular
C) TEXTUALIDADE:
Progressão e
Informatividade
Coesão
Coerência
Construção da
Argumentação:
• Ponto de Vista
• Argumentação
Pertinente
• Consistência e
Artigo de Opinião:
Penso, logo opino!
Opinar
● Dar uma opinião; expressar exatamente o que se pensa; julgar:
opinar sobre a guerra na Síria; não sou capaz de opinar.
Discutir
● Apresentar questões acerca de alguma coisa; analisar
apresentando questionamentos; examinar: discutiam o novo
projeto de lei.
Argumentar
● Usar de argumentos; discutir apresentando e contrapondo razões
que, através do raciocínio lógico, levem a uma conclusão:
argumentar sobre o aumento da passagem; não podia fazer nada,
por isso argumentou.
Título
Introdução
● Contextualização
● Problema
● Tese
Desenvolvimento
● Opinião
● Argumentos
● Justificativas
Conclusão
● Raciocínio argumentativo
● Fechamento (Pulo do Gato)
TIPOS DE INTRODUÇÃO
Na introdução o autor deve apresentar o problema a ser resolvido e a sua tese. Neste tipo de
introdução, o autor irá narrar um acontecimento verídico que representará a sua tese. Ou seja, o fato
narrado já mostra ao leitor qual o posicionamento do escritor sobre o assunto abordado.
Digamos que o tema da redação seja o aumento do feminicídio no Brasil. Então na introdução, o
recurso de narração pode ser usado para contar um fato e apresentar a sua tese, por exemplo:
No dia 22 de julho de 2018 foi registrado mais um caso de feminicídio no Brasil. Um professor
universitário é o principal suspeito de ter jogado a esposa, uma advogada de 29 anos, do quarto andar
de um prédio no Paraná, após tê-la espancado no percurso até o apartamento do casal. O que pode ser
comprovado por meio de imagens das câmeras de segurança do prédio. A advogada já havia
comentado com a família e alguns amigos da situação de violência a qual estava submetida e estudava
a possibilidade da separação. Mais uma vez, não houve tempo para a vítima. Ao agressor resta a
impunidade.
Perceba que além de narrar um fato conhecido de todos, pois este assassinato foi notícia em vários
canais de TV, o autor ainda se posiciona, dando a entender que a impunidade motivou o agressor a
cometer o crime.
NARRAÇÃO
● Este é um tipo de introdução o qual no autor deve ter um cuidado a mais, pois, ele deve usar como
exemplo dados estatísticos ou acontecimentos de conhecimento geral (divulgado nas mídias, por
exemplo). Deve-se ter o cuidado de ser preciso ao usar esta informação para não correr o risco de
distorcer os fatos.
● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte
exemplo.
Segundo a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro, mais de 71%
das mulheres vítimas de violência não denunciam crime por medo de represália do parceiro ou por
vergonha da própria família. Outro fator que aumenta esse número é a impunidade frente ao agressor.
Muitas mulheres que denunciam os parceiros não têm a devida proteção do estado e acabam sendo
assassinadas.
● Perceba que exemplificamos o tema por meio de uma pesquisa realizada pela Secretaria de Estado
de Assistência Social do Rio de Janeiro, ao mesmo tempo em que nos posicionamos dizendo que a
impunidade é um dos fatores que aumentam o número de feminicídios no Brasil.
EXEMPLIFICAÇÃO
● Este tipo de introdução ajuda o autor, pois, por meio dele é possível demonstrar conhecimento
sobre o assunto em pauta. Na alusão histórica, o autor deve trazer à tona um fato histórico a fim de
comparar com a atualidade. Essa comparação mostrará se a situação permanece igual ou se
houveram mudanças ao longo do percurso.
● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte
exemplo.
No início do século XVI, a liberdade feminina, tanto da esposa como das filhas, era restringida do modo
mais autoritário possível pelos patriarcas, que viam nessas mulheres propriedades suas. Nessa época, o
espaço feminino delimitava-se à missa, único local em quem poderiam romper minimamente com sua
clausura, pois a rua era um ambiente no qual estavam aptos a frequentar apenas os homens e as
prostitutas, únicas mulheres que poderiam caminhar sem maiores restrições. Este fato ilustra bem o
contexto cultural no qual se construiu o perfil da mulher brasileira, um objeto de propriedade do homem.
Um aspecto cultural que tem grande influência no aumento dos casos de feminicídio no Brasil.
● Perceba que trouxemos à tona um fato histórico para dar suporte à tese de que o aspecto cultural
desenvolvido a partir desse contexto histórico de que o homem tem posse sobre a mulher tem
influenciado no aumento dos casos de feminicídio.
ALUSÃO HISTÓRICA
● Este tipo de introdução consiste em definir o tema a ser abordado, ao mesmo tempo em que
apresenta a sua tese. Esta definição pode ser do tipo de dicionário, definição histórica, definição
teórica ou definição própria, onde o autor define o conceito de acordo com a sua visão de mundo.
O tipo de definição deve ser feito de acordo com o tema.
● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte
exemplo.
Feminicídio é o termo usado para denominar assassinatos de mulheres cometidos em razão do gênero.
Ou seja, quando a vítima é morta por ser mulher. No Brasil, os dados tem apontado um aumento
progressivo nos casos. Um dos aspectos que mais tem contribuído para o aumento das vítimas de
feminicídio é a impunidade frente aos agressores.
● Perceba que trouxemos a definição do termo feminicídio, e em seguida trouxemos a nossa tese de
que a impunidade tem sido o aspecto que mais contribui para o aumento de casos.
DEFINIÇÃO
● Este tipo de introdução é usado quando o autor quer trazer para o seu texto a opinião de outros
autores sobre o tema. Este recurso mostra o conhecimento do autor sobre o assunto em questão.
É preciso ter cuidado para não usar de forma inadequada, ou seja, citar a fala de outra pessoa de
forma errada.
● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte
exemplo.
De acordo com Helgir Girodo “A Lei Maria da Penha não consegue prevenir, punir e erradicar totalmente a
violência contra a mulher, porque a Lei do Pecado continua dando cobertura aos seus agressores”. É
necessário entender que a pura e simples existência da lei não resolverá o problema. É preciso que a
justiça tenha pulso firme e aplique as punições previstas em lei. De outra forma, os casos só irão
aumentar.
● Perceba que trouxemos uma citação de Helgir Girodo sobre a Lei Maria da Penha, ao passo que
promovemos a impunidade como a nossa tese. Ou seja, a impunidade como aspecto causador do
aumento de casos de feminicídio.
CITAÇÃO
CREDITS: This presentation template was created by
Slidesgo, including icons by Flaticon, and infographics &
images by Freepik.
Thanks!
@wesleyhericles

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA 2.pptx

Curso básico de redação aula 3
Curso básico de redação   aula 3Curso básico de redação   aula 3
Curso básico de redação aula 3ProfFernandaBraga
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdfNivea Neves
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdfNivea Neves
 
Temas ENEM, Dicas de redação.
Temas ENEM, Dicas de redação.Temas ENEM, Dicas de redação.
Temas ENEM, Dicas de redação.Thiago Bro
 
Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001mattoso1970
 
Texto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..pptTexto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..pptALEXANDRELIZ1
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docxNivea Neves
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docxNivea Neves
 
AULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptx
AULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptxAULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptx
AULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptxDanielStiwers
 
Artigo de opinião [sequência didática]
Artigo de opinião [sequência didática]Artigo de opinião [sequência didática]
Artigo de opinião [sequência didática]Elis Lima Escapacherri
 
Do assunto à tese
Do assunto à teseDo assunto à tese
Do assunto à tesecleanrail
 
Texto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercícioTexto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercícioJosé Roberto
 
Aula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptxAula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptxMariaLusaBrunoBaumga
 
Texto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..pptTexto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..pptRITADECASSIARODRIGUE20
 
Texto argumentativo dissertação escolar. (1)
Texto argumentativo dissertação escolar. (1)Texto argumentativo dissertação escolar. (1)
Texto argumentativo dissertação escolar. (1)CharlesMarlon1
 
Texto argumentativo dissertação escolar..pptx
Texto argumentativo dissertação escolar..pptxTexto argumentativo dissertação escolar..pptx
Texto argumentativo dissertação escolar..pptxGiselma Alves
 

Semelhante a AULA 2.pptx (20)

Curso básico de redação aula 3
Curso básico de redação   aula 3Curso básico de redação   aula 3
Curso básico de redação aula 3
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
 
Temas ENEM, Dicas de redação.
Temas ENEM, Dicas de redação.Temas ENEM, Dicas de redação.
Temas ENEM, Dicas de redação.
 
Redacao enem
Redacao enemRedacao enem
Redacao enem
 
Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001
 
Oficinas 10 a 12
Oficinas 10 a 12Oficinas 10 a 12
Oficinas 10 a 12
 
Texto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..pptTexto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..ppt
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
 
AULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptx
AULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptxAULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptx
AULA 05 Texto dissertativo argumentativo.pptx
 
Quiz
QuizQuiz
Quiz
 
Artigo de opinião [sequência didática]
Artigo de opinião [sequência didática]Artigo de opinião [sequência didática]
Artigo de opinião [sequência didática]
 
Do assunto à tese
Do assunto à teseDo assunto à tese
Do assunto à tese
 
Texto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercícioTexto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercício
 
Aula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptxAula sobre artigo de opinião.pptx
Aula sobre artigo de opinião.pptx
 
Redação
RedaçãoRedação
Redação
 
Texto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..pptTexto argumentativo dissertação escolar..ppt
Texto argumentativo dissertação escolar..ppt
 
Texto argumentativo dissertação escolar. (1)
Texto argumentativo dissertação escolar. (1)Texto argumentativo dissertação escolar. (1)
Texto argumentativo dissertação escolar. (1)
 
Texto argumentativo dissertação escolar..pptx
Texto argumentativo dissertação escolar..pptxTexto argumentativo dissertação escolar..pptx
Texto argumentativo dissertação escolar..pptx
 

Mais de WesleyLopes86

AULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e Redação
AULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e RedaçãoAULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e Redação
AULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e RedaçãoWesleyLopes86
 
present-continuous.ppt
present-continuous.pptpresent-continuous.ppt
present-continuous.pptWesleyLopes86
 
br-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdf
br-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdfbr-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdf
br-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdfWesleyLopes86
 

Mais de WesleyLopes86 (6)

AULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e Redação
AULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e RedaçãoAULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e Redação
AULA 19 - cursinho IFRN - Gramática e Redação
 
present-continuous.ppt
present-continuous.pptpresent-continuous.ppt
present-continuous.ppt
 
AULA 18.pptx
AULA 18.pptxAULA 18.pptx
AULA 18.pptx
 
AULA 17.pptx
AULA 17.pptxAULA 17.pptx
AULA 17.pptx
 
AULA 1.pptx
AULA 1.pptxAULA 1.pptx
AULA 1.pptx
 
br-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdf
br-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdfbr-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdf
br-guia-ef-englishlive-tempos-verbais-em-ingles.pdf
 

Último

Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 

Último (20)

Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 

AULA 2.pptx

  • 2. Chave de Correção 01 02 Artigo de Opinião Estudaremos hoje...
  • 3. Chave de Correção da prova Discursiva
  • 4. Ao redigir sua resposta, use caneta esferográfica preta, escreva com letra legível, identifique-se apenas no local indicado, assine seu texto com o pseudônimo INDICADO. Você poderá utilizar as informações presentes na prova, sem, no entanto, se limitar a copiar trechos desta avaliação. Além disso, não faça desenhos e/ou marcas na Folha de Resposta da questão discursiva. Lembre-se de que seu texto será avaliado, levando-se em consideração os seguintes critérios: a) produção do gênero textual proposto no comando da questão; b) uso da variedade linguística adequada à situação de comunicação proposta; c) abordagem do tema proposto no comando da questão; d) uso adequado de elementos responsáveis pela textualidade (coesão, coerência, informatividade e progressão). Você será penalizado em até 10 (dez) pontos se, em sua produção textual, desrespeitar os direitos humanos. Sua produção só será corrigida se tiver mais de 08 (oito) linhas autorais.
  • 5. Segundo o item 43, do Edital XX/XXXX - PROEN/IFRN, obterá nota ZERO na questão discursiva, o candidato que a) não responder à questão; b) escrever com letra ilegível; c) escrever sobre tema diverso do proposto; d) abordar o tema sob enfoque diverso do proposto; e) identificar-se indevidamente ou fora do local apropriado; f) redigir as respostas com lápis grafite ou caneta de cor da tinta diferente da estabelecida; g) redigir a resposta fora do espaço reservado para tal fim; ou h) redigir a resposta em número igual ou menor que 08 (oito) linhas.
  • 6. A) ESTRUTURA: foi observado se o candidato produziu um texto no gênero solicitado no comando da questão discursiva e se o texto apresentou os elementos estruturais comuns a esse gênero (título e assinatura, ponto de vista, argumentos e conclusão). (Pontuação: 00, 05, 10, 15, 20) Observação: Foi atribuído o valor Zero (00) se o candidato produziu gênero textual diferente do solicitado na questão. A ausência de cada um desses elementos estruturais do artigo de opinião implicou a diminuição da pontuação no item.
  • 7. B) ORGANIZAÇÃO LINGUÍSTICO-TEXTUAL: foi avaliado se o texto estava adequado à situação de comunicação proposta, incluindo os aspectos relativos às convenções da norma escrita e de adequação vocabular. (Pontuação: 00, 05, 10, 15, 20) Foram observados os aspectos ortográficos, de acentuação, uso de maiúsculas, pontuação, concordância nominal e verbal e regência, respeitando-se a variação exigida pela proposta de produção textual.
  • 8. C) TEXTUALIDADE: foi observado se o texto apresentava coesão, coerência, progressão, informatividade e se argumentava em favor do ponto de vista assumido. (Total: 60 pontos) Progressão e informatividade (Pontuação: 00, 05, 10) Coesão (Pontuação: 00, 05, 10, 15) Coerência (Pontuação: 00, 05, 10, 15) Construção da argumentação (Pontuação: 00, 05, 10, 15, 20) Observação: na progressão e na informatividade, observou-se também se há manutenção temática; na coesão e coerência, se esses mecanismos estão utilizados adequadamente e se há interligação adequada entre as partes textuais (orações e parágrafos). Especificamente, na coerência, foram observadas tanto a coerência interna como a externa, relativa aos fatos da realidade. Na construção da argumentação, considerou-se: a presença de ponto de vista implícito ou explícito; a presença de argumentação pertinente em defesa do ponto de vista assumido; a consistência e a coerência da argumentação.
  • 9. A) ESTRUTURA: Título Assinatura Ponto de Vista Argumentos Conclusão B) ORGANIZAÇÃO: Situação Comunicativa Norma Escrita Adequação Vocabular C) TEXTUALIDADE: Progressão e Informatividade Coesão Coerência Construção da Argumentação: • Ponto de Vista • Argumentação Pertinente • Consistência e
  • 11.
  • 12. Opinar ● Dar uma opinião; expressar exatamente o que se pensa; julgar: opinar sobre a guerra na Síria; não sou capaz de opinar. Discutir ● Apresentar questões acerca de alguma coisa; analisar apresentando questionamentos; examinar: discutiam o novo projeto de lei. Argumentar ● Usar de argumentos; discutir apresentando e contrapondo razões que, através do raciocínio lógico, levem a uma conclusão: argumentar sobre o aumento da passagem; não podia fazer nada, por isso argumentou.
  • 13.
  • 14.
  • 15. Título Introdução ● Contextualização ● Problema ● Tese Desenvolvimento ● Opinião ● Argumentos ● Justificativas Conclusão ● Raciocínio argumentativo ● Fechamento (Pulo do Gato)
  • 16.
  • 18. Na introdução o autor deve apresentar o problema a ser resolvido e a sua tese. Neste tipo de introdução, o autor irá narrar um acontecimento verídico que representará a sua tese. Ou seja, o fato narrado já mostra ao leitor qual o posicionamento do escritor sobre o assunto abordado. Digamos que o tema da redação seja o aumento do feminicídio no Brasil. Então na introdução, o recurso de narração pode ser usado para contar um fato e apresentar a sua tese, por exemplo: No dia 22 de julho de 2018 foi registrado mais um caso de feminicídio no Brasil. Um professor universitário é o principal suspeito de ter jogado a esposa, uma advogada de 29 anos, do quarto andar de um prédio no Paraná, após tê-la espancado no percurso até o apartamento do casal. O que pode ser comprovado por meio de imagens das câmeras de segurança do prédio. A advogada já havia comentado com a família e alguns amigos da situação de violência a qual estava submetida e estudava a possibilidade da separação. Mais uma vez, não houve tempo para a vítima. Ao agressor resta a impunidade. Perceba que além de narrar um fato conhecido de todos, pois este assassinato foi notícia em vários canais de TV, o autor ainda se posiciona, dando a entender que a impunidade motivou o agressor a cometer o crime. NARRAÇÃO
  • 19. ● Este é um tipo de introdução o qual no autor deve ter um cuidado a mais, pois, ele deve usar como exemplo dados estatísticos ou acontecimentos de conhecimento geral (divulgado nas mídias, por exemplo). Deve-se ter o cuidado de ser preciso ao usar esta informação para não correr o risco de distorcer os fatos. ● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte exemplo. Segundo a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro, mais de 71% das mulheres vítimas de violência não denunciam crime por medo de represália do parceiro ou por vergonha da própria família. Outro fator que aumenta esse número é a impunidade frente ao agressor. Muitas mulheres que denunciam os parceiros não têm a devida proteção do estado e acabam sendo assassinadas. ● Perceba que exemplificamos o tema por meio de uma pesquisa realizada pela Secretaria de Estado de Assistência Social do Rio de Janeiro, ao mesmo tempo em que nos posicionamos dizendo que a impunidade é um dos fatores que aumentam o número de feminicídios no Brasil. EXEMPLIFICAÇÃO
  • 20. ● Este tipo de introdução ajuda o autor, pois, por meio dele é possível demonstrar conhecimento sobre o assunto em pauta. Na alusão histórica, o autor deve trazer à tona um fato histórico a fim de comparar com a atualidade. Essa comparação mostrará se a situação permanece igual ou se houveram mudanças ao longo do percurso. ● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte exemplo. No início do século XVI, a liberdade feminina, tanto da esposa como das filhas, era restringida do modo mais autoritário possível pelos patriarcas, que viam nessas mulheres propriedades suas. Nessa época, o espaço feminino delimitava-se à missa, único local em quem poderiam romper minimamente com sua clausura, pois a rua era um ambiente no qual estavam aptos a frequentar apenas os homens e as prostitutas, únicas mulheres que poderiam caminhar sem maiores restrições. Este fato ilustra bem o contexto cultural no qual se construiu o perfil da mulher brasileira, um objeto de propriedade do homem. Um aspecto cultural que tem grande influência no aumento dos casos de feminicídio no Brasil. ● Perceba que trouxemos à tona um fato histórico para dar suporte à tese de que o aspecto cultural desenvolvido a partir desse contexto histórico de que o homem tem posse sobre a mulher tem influenciado no aumento dos casos de feminicídio. ALUSÃO HISTÓRICA
  • 21. ● Este tipo de introdução consiste em definir o tema a ser abordado, ao mesmo tempo em que apresenta a sua tese. Esta definição pode ser do tipo de dicionário, definição histórica, definição teórica ou definição própria, onde o autor define o conceito de acordo com a sua visão de mundo. O tipo de definição deve ser feito de acordo com o tema. ● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte exemplo. Feminicídio é o termo usado para denominar assassinatos de mulheres cometidos em razão do gênero. Ou seja, quando a vítima é morta por ser mulher. No Brasil, os dados tem apontado um aumento progressivo nos casos. Um dos aspectos que mais tem contribuído para o aumento das vítimas de feminicídio é a impunidade frente aos agressores. ● Perceba que trouxemos a definição do termo feminicídio, e em seguida trouxemos a nossa tese de que a impunidade tem sido o aspecto que mais contribui para o aumento de casos. DEFINIÇÃO
  • 22. ● Este tipo de introdução é usado quando o autor quer trazer para o seu texto a opinião de outros autores sobre o tema. Este recurso mostra o conhecimento do autor sobre o assunto em questão. É preciso ter cuidado para não usar de forma inadequada, ou seja, citar a fala de outra pessoa de forma errada. ● Usando o mesmo tema: o aumento do número de feminicídios no Brasil, teremos o seguinte exemplo. De acordo com Helgir Girodo “A Lei Maria da Penha não consegue prevenir, punir e erradicar totalmente a violência contra a mulher, porque a Lei do Pecado continua dando cobertura aos seus agressores”. É necessário entender que a pura e simples existência da lei não resolverá o problema. É preciso que a justiça tenha pulso firme e aplique as punições previstas em lei. De outra forma, os casos só irão aumentar. ● Perceba que trouxemos uma citação de Helgir Girodo sobre a Lei Maria da Penha, ao passo que promovemos a impunidade como a nossa tese. Ou seja, a impunidade como aspecto causador do aumento de casos de feminicídio. CITAÇÃO
  • 23. CREDITS: This presentation template was created by Slidesgo, including icons by Flaticon, and infographics & images by Freepik. Thanks! @wesleyhericles