SlideShare uma empresa Scribd logo
Márcia Cavalcante
 São microorganismos que se replicam dentro 
de células vivas; 
 Utilizam (em maior ou menor grau) o sistema 
de síntese das células; 
 Induzem à síntese de proteínas capazes de 
transferir o genoma viral para outras células.
 Extremamente pequenos, não visualizados 
pela microscopia óptica. 
 Parasitas intracelulares obrigatórios 
 DNA ou RNA
 Aids 
 Gripe 
 Catapora 
 Hepatites 
 Dengue 
 Febre Amarela 
 Caxumba 
 Sarampo
Aula  2 virologia
Aula  2 virologia
 É composto de capsômeros (subunidades protéicas) 
de uma mesma proteína ou diferentes tipos de 
proteínas. 
 Têm como objetivo proteger e oferecer rigidez à 
partícula viral. 
 A maneira como os capsômeros são agrupados no 
momento da montagem dentro da célula 
hospedeira determina a simetria viral. 
 Podem ser observadas três tipos de simetria: 
icosaédrica, helicoidal e complexa.
Aula  2 virologia
Aula  2 virologia
Aula  2 virologia
Aula  2 virologia
Aula  2 virologia
Aula  2 virologia
 É derivado das membranas celulares do 
hospedeiro através de brotamento; 
 É constituído de uma camada dupla lipídica 
com proteínas associadas; 
 As proteínas do envelope são codificadas pelo 
vírus e são na sua maioria glicoproteínas; 
 O número de proteínas varia de uma até mais 
de dez, dependendo do vírus; 
 Tem várias funções incluindo a ancoragem 
inicial do vírion na célula, penetração, fusão e 
disseminação do vírus na célula.
 Algumas drogas são dirigidas contra as proteínas 
do envelope e podem reduzir a capacidade do vírus 
de se ligar às células e iniciar a infecção, reduzindo 
a infectividade. 
 O processo de brotamento e aquisição do envelope 
pode ou não resultar na destruição da célula 
infectada; 
 A liberação de um grande número de vírus pode 
comprometer a integridade celular;
 O genoma dos vírus codifica dois tipos de 
proteínas: as estruturais e as não estruturais; 
 As proteínas estruturais incluem as que fazem 
parte do capsídeo e o tegumento (camada de 
proteína que fica entre o envelope e o capsídeo) e 
associam-se e empacotam o genoma viral; 
 As proteínas não-estruturais são produzidas 
dentro da célula infectada e desempenham 
diferentes funções na replicação viral, um exemplo 
disso é a transcriptase reversa dos retrovírus.
 Os lipídios presentes nas partículas 
envelopadas de alguns vírus são 
derivadas das membranas celulares. 
São na maioria fosfolipídios e o 
restante colesterol. 
 Os carboidratos estão presentes nas 
glicoproteínas, glicolipídios e 
mucopolissacarídeos.
 O genoma dos vírus é de DNA ou RNA, nenhum 
vírus contém DNA e RNA simultaneamente; 
 Podem ser de fita dupla, fita simples, circular ou 
linear; 
 Os genomas de DNA podem ser de fita dupla 
(herpesvírus) ou de fita simples (parvovírus). 
 Os hepadnavírus possuem um genoma de DNA de 
fita dupla, tendo um segmento parcialmente de fita 
simples. 
 Os genomas de RNA na maioria são de fita simples, 
poucos possuem RNA de fita dupla (reovirus ou 
bornavírus)
 Os genomas de RNA podem ser divididos em: 
 RNA de sentido positivo (+): O Rna genômico serve de Rna 
mensageiro e é traduzido pelo ribossomo da célula do 
hospedeiro. 
 Rna de sentido negativo (-): O Rna genômico é complementar 
ao que é traduzido e por isso não pode ser traduzido pelos 
diretamente pelos ribossomos. 
 Quanto maior o genoma, maior será a quantidade de 
proteínas codificadas por ele, mas quando o genoma é 
pequeno, uma única proteína adquire muitas funções.
 A classificação dos vírus é estabelecida por normas propostas 
pelo Comitê Internacional de Taxonomia Viral (ICTV). 
 Os vírus são classificados com base em muitas características 
tais como: 
 O tipo de ácido nucléico (DNA ou RNA), 
 Morfologia (tamanho e forma), 
 Presença ou não do envelope, 
 Espectro de hospedeiros 
 Propriedades imunológicas, físico-químicas,biológicas, 
antigênicas 
 replicação viral
 O esquema básico de classificação hierárquica é: 
Ordem-Família-subfamília-Gênero-Espécie. 
 Ordem – sufixo virales 
 Família – sufixo viridae 
 Subfamílias – sufixo virinae 
 Gênero – sufixo vírus 
 Espécie – nome acompanhado do termo vírus
 Adsorção – constitui-se na ligação específica de 
uma glicoproteína viral a um constituinte da célula 
hospedeira denominado receptor celular. Sem a 
adsorção/ligação a infecção não pode ocorrer.Mas 
nem todos os eventos da adsorção resultam em 
infecção produtiva. Em outras palavras, a adsorção 
é necessária, mas não assegura que a replicação irá 
morrer.
Aula  2 virologia
 Penetração – refere-se à introdução do 
ácido nucléico viral na célula, internalização 
do nucleocapsídeo via endocitose mediada 
por receptor ou fusão do envelope viral com 
a membrana plasmática. Como resultado, o 
genoma viral é liberado e se localiza no 
citosol ou em vesículas endocíticas.
Aula  2 virologia
 Desnudamento – é a fase posterior à penetração, quando irá 
ocorrer a liberação do genoma viral para sua completa 
expressão. 
 Em alguns vírus envelopados, o nucleocapsídeo é conduzido 
até próximo o núcleo da célula, onde o ácido nucléico penetra 
através do poro do núcleo. 
 Após o desnudamento, o genoma prossegue no ciclo 
replicativo ou uma cópia é integrada ao cromossomo do 
hospedeiro e permanece latente até ser ativado.
Aula  2 virologia
 Síntese protéica – o genoma deve ser capaz de 
produzir Rna mensageiro (RNAm) que sejam 
reconhecidos e traduzidos pela maquinaria celular 
de tradução. 
 A maquinaria celular torna-se dedicada à síntese 
de produtos virais em detrimento da síntese de 
proteínas celulares. 
 Replicação do genoma – depende do tipo de ácido 
nucléico, estrutura e topologia do genoma. Nos 
vírus mais simples, a replicação é feita através de 
enzimas celulares, outros vírus codificam suas 
próprias enzimas replicativas.
 Montagem, maturação e liberação do vírus das 
células infectadas 
 Após a síntese de proteínas iniciais, transcrição do 
ácido nucléico e síntese de proteínas estruturais, 
os vírus passam por um processo de montagem ou 
empacotamento antes de sair da célula.
Aula  2 virologia
Aula  2 virologia
 São bastante sensíveis à inativação química e física. 
 Todos os agentes químicos ou físicos que 
dissolvem a camada lipídica diminuem ou eliminam 
a infecciosidade. 
 Os vírus não envelopados têm maior resistência à 
condições mais drásticas, como acidez e 
alcalinidade, por isso precisam ficar mais tempo 
em contato com essas substâncias, ms são 
rapidamente inativados pelo calor e radiações 
ionizantes.
 Como os vírus causam doenças: 
 Que doenças eles causam? 
 Que fatores levam os vírus a causar dano ao 
hospedeiro?
 Patogenia- as injúrias ou danos causados pelas infecções 
virais nos órgãos. 
 É dependente da virulência da cepa, suscetibilidade do 
hospedeiro e outros fatores. 
 Patogenicidade é a capacidade que um vírus tem de infectar o 
hospedeiro e causar dano a ele. 
 Virulência – Relaciona-se com a gravidade da doença causada 
pelos diferentes isolados do mesmo microrganismos.
 Transmissão horizontal: pode ser por contato direto com 
o indivíduo infectado ou através de fomites (objetos) ou 
perdigotos (aerossóis). 
 Veículo: água ou alimentos contaminados 
 Vetores: através de animais vertebrados ou invertebrados. 
 Transmissão vertical: Mãe para o embrião/feto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
Messias Miranda
 
Antivirais
AntiviraisAntivirais
Antivirais
Laíz Coutinho
 
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeAula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Hamilton Nobrega
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
Ricardo Portela
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
Lucas Almeida Sá
 
Virologia Geral - Replicação viral
Virologia Geral - Replicação viral Virologia Geral - Replicação viral
Virologia Geral - Replicação viral
Wilia Diederichsen
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
CristinaBrandao
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
Gildo Crispim
 
Introducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema ImuneIntroducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema Imune
LABIMUNO UFBA
 
Aula de microbiologia ppt
Aula de microbiologia   pptAula de microbiologia   ppt
Aula de microbiologia ppt
SMS - Petrópolis
 
Genética bacteriana
Genética bacterianaGenética bacteriana
Genética bacteriana
kaiorochars
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
Ricardo Portela
 
Aula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia BactériasAula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia Bactérias
Tiago da Silva
 
Microbiologia
MicrobiologiaMicrobiologia
Microbiologia
Thiago Paulino
 
Organização e Reprodução dos Vírus
Organização e Reprodução dos VírusOrganização e Reprodução dos Vírus
Organização e Reprodução dos Vírus
Marcia Regina
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
rwportela
 
Aula 2
Aula 2   Aula 2
Imunologia - Vacinas
Imunologia - VacinasImunologia - Vacinas
Imunologia - Vacinas
LABIMUNO UFBA
 
Aula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNA
Aula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNAAula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNA
Aula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNA
Jaqueline Almeida
 
Vírus.
Vírus.Vírus.
Vírus.
Lara Lídia
 

Mais procurados (20)

Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
 
Antivirais
AntiviraisAntivirais
Antivirais
 
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeAula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
 
Virologia Geral - Replicação viral
Virologia Geral - Replicação viral Virologia Geral - Replicação viral
Virologia Geral - Replicação viral
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
 
Introducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema ImuneIntroducao Ao Sistema Imune
Introducao Ao Sistema Imune
 
Aula de microbiologia ppt
Aula de microbiologia   pptAula de microbiologia   ppt
Aula de microbiologia ppt
 
Genética bacteriana
Genética bacterianaGenética bacteriana
Genética bacteriana
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
 
Aula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia BactériasAula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia Bactérias
 
Microbiologia
MicrobiologiaMicrobiologia
Microbiologia
 
Organização e Reprodução dos Vírus
Organização e Reprodução dos VírusOrganização e Reprodução dos Vírus
Organização e Reprodução dos Vírus
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Aula 2
Aula 2   Aula 2
Aula 2
 
Imunologia - Vacinas
Imunologia - VacinasImunologia - Vacinas
Imunologia - Vacinas
 
Aula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNA
Aula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNAAula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNA
Aula de Microbiologia Clínica sobre Patogenia das Viroses e RNA
 
Vírus.
Vírus.Vírus.
Vírus.
 

Destaque

Virologia
VirologiaVirologia
Aids
AidsAids
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
letosgirl
 
Virologia Geral - Patogenia das infecções virais
Virologia Geral - Patogenia das infecções viraisVirologia Geral - Patogenia das infecções virais
Virologia Geral - Patogenia das infecções virais
Wilia Diederichsen
 
Aids
AidsAids
HIV/AIDS
HIV/AIDSHIV/AIDS
HIV - AIDS
HIV - AIDSHIV - AIDS
HIV - AIDS
hivbiomedicina
 

Destaque (7)

Virologia
VirologiaVirologia
Virologia
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
Virologia Geral - Patogenia das infecções virais
Virologia Geral - Patogenia das infecções viraisVirologia Geral - Patogenia das infecções virais
Virologia Geral - Patogenia das infecções virais
 
Aids
AidsAids
Aids
 
HIV/AIDS
HIV/AIDSHIV/AIDS
HIV/AIDS
 
HIV - AIDS
HIV - AIDSHIV - AIDS
HIV - AIDS
 

Semelhante a Aula 2 virologia

Aula 10 replicação viral - texto
Aula 10   replicação viral - textoAula 10   replicação viral - texto
Aula 10 replicação viral - texto
Lucas Almeida Sá
 
Výýrus
VýýrusVýýrus
Výýrus
Dayane Stephany
 
1ª Introducao Ao Curso De Virologia
1ª  Introducao Ao Curso De Virologia1ª  Introducao Ao Curso De Virologia
1ª Introducao Ao Curso De Virologia
Renato Moura
 
Vírus aula
Vírus aulaVírus aula
Vírus aula
Raquel Freiry
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
URCA
 
Vírus aula
Vírus aulaVírus aula
Vírus aula
Raquel Freiry
 
Virus
VirusVirus
Vírus- Características gerais e reprodução
Vírus- Características gerais e reprodução Vírus- Características gerais e reprodução
Vírus- Características gerais e reprodução
David Marcelo
 
Resumo teórico de virologia
Resumo teórico de virologiaResumo teórico de virologia
Resumo teórico de virologia
emanuel
 
Aulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptx
Aulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptxAulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptx
Aulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptx
EwertonCaracas
 
Biologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príonBiologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príon
NAPNE
 
MICROBIOLOGIA BÁSICA - MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...
MICROBIOLOGIA BÁSICA -  MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...MICROBIOLOGIA BÁSICA -  MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...
MICROBIOLOGIA BÁSICA - MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...
IsadoraChaves9
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
VírusVírus
Vírus
mateusgato
 
Aula_Virus JANETH.ppt
Aula_Virus JANETH.pptAula_Virus JANETH.ppt
Aula_Virus JANETH.ppt
IsraelJnio
 
Aula bio 09set2011
Aula bio 09set2011Aula bio 09set2011
Aula bio 09set2011
Roberto Bagatini
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
profatatiana
 
Geralidade da virologia
Geralidade da virologiaGeralidade da virologia
Geralidade da virologia
Helder44
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
profatatiana
 
Virus a.1
Virus a.1Virus a.1
Virus a.1
anhitha2
 

Semelhante a Aula 2 virologia (20)

Aula 10 replicação viral - texto
Aula 10   replicação viral - textoAula 10   replicação viral - texto
Aula 10 replicação viral - texto
 
Výýrus
VýýrusVýýrus
Výýrus
 
1ª Introducao Ao Curso De Virologia
1ª  Introducao Ao Curso De Virologia1ª  Introducao Ao Curso De Virologia
1ª Introducao Ao Curso De Virologia
 
Vírus aula
Vírus aulaVírus aula
Vírus aula
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Vírus aula
Vírus aulaVírus aula
Vírus aula
 
Virus
VirusVirus
Virus
 
Vírus- Características gerais e reprodução
Vírus- Características gerais e reprodução Vírus- Características gerais e reprodução
Vírus- Características gerais e reprodução
 
Resumo teórico de virologia
Resumo teórico de virologiaResumo teórico de virologia
Resumo teórico de virologia
 
Aulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptx
Aulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptxAulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptx
Aulão de Biologia 2024 para ENEM e UECE.pptx
 
Biologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príonBiologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príon
 
MICROBIOLOGIA BÁSICA - MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...
MICROBIOLOGIA BÁSICA -  MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...MICROBIOLOGIA BÁSICA -  MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...
MICROBIOLOGIA BÁSICA - MORFOLOGIA, CLASSIFICAÇÃO E PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSAD...
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Aula_Virus JANETH.ppt
Aula_Virus JANETH.pptAula_Virus JANETH.ppt
Aula_Virus JANETH.ppt
 
Aula bio 09set2011
Aula bio 09set2011Aula bio 09set2011
Aula bio 09set2011
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Geralidade da virologia
Geralidade da virologiaGeralidade da virologia
Geralidade da virologia
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Virus a.1
Virus a.1Virus a.1
Virus a.1
 

Mais de Edelma Vaz

Anato aparelho-reprodutor-masculino-zago
Anato aparelho-reprodutor-masculino-zagoAnato aparelho-reprodutor-masculino-zago
Anato aparelho-reprodutor-masculino-zago
Edelma Vaz
 
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Edelma Vaz
 
6 opioides
6 opioides6 opioides
6 opioides
Edelma Vaz
 
Apostila2 itu sim
Apostila2 itu simApostila2 itu sim
Apostila2 itu sim
Edelma Vaz
 
Apostila curso doencas-eeneticas
Apostila curso doencas-eeneticasApostila curso doencas-eeneticas
Apostila curso doencas-eeneticas
Edelma Vaz
 
242 814-1-pb
242 814-1-pb242 814-1-pb
242 814-1-pb
Edelma Vaz
 

Mais de Edelma Vaz (6)

Anato aparelho-reprodutor-masculino-zago
Anato aparelho-reprodutor-masculino-zagoAnato aparelho-reprodutor-masculino-zago
Anato aparelho-reprodutor-masculino-zago
 
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
 
6 opioides
6 opioides6 opioides
6 opioides
 
Apostila2 itu sim
Apostila2 itu simApostila2 itu sim
Apostila2 itu sim
 
Apostila curso doencas-eeneticas
Apostila curso doencas-eeneticasApostila curso doencas-eeneticas
Apostila curso doencas-eeneticas
 
242 814-1-pb
242 814-1-pb242 814-1-pb
242 814-1-pb
 

Último

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 

Aula 2 virologia

  • 2.  São microorganismos que se replicam dentro de células vivas;  Utilizam (em maior ou menor grau) o sistema de síntese das células;  Induzem à síntese de proteínas capazes de transferir o genoma viral para outras células.
  • 3.  Extremamente pequenos, não visualizados pela microscopia óptica.  Parasitas intracelulares obrigatórios  DNA ou RNA
  • 4.  Aids  Gripe  Catapora  Hepatites  Dengue  Febre Amarela  Caxumba  Sarampo
  • 7.  É composto de capsômeros (subunidades protéicas) de uma mesma proteína ou diferentes tipos de proteínas.  Têm como objetivo proteger e oferecer rigidez à partícula viral.  A maneira como os capsômeros são agrupados no momento da montagem dentro da célula hospedeira determina a simetria viral.  Podem ser observadas três tipos de simetria: icosaédrica, helicoidal e complexa.
  • 14.  É derivado das membranas celulares do hospedeiro através de brotamento;  É constituído de uma camada dupla lipídica com proteínas associadas;  As proteínas do envelope são codificadas pelo vírus e são na sua maioria glicoproteínas;  O número de proteínas varia de uma até mais de dez, dependendo do vírus;  Tem várias funções incluindo a ancoragem inicial do vírion na célula, penetração, fusão e disseminação do vírus na célula.
  • 15.  Algumas drogas são dirigidas contra as proteínas do envelope e podem reduzir a capacidade do vírus de se ligar às células e iniciar a infecção, reduzindo a infectividade.  O processo de brotamento e aquisição do envelope pode ou não resultar na destruição da célula infectada;  A liberação de um grande número de vírus pode comprometer a integridade celular;
  • 16.  O genoma dos vírus codifica dois tipos de proteínas: as estruturais e as não estruturais;  As proteínas estruturais incluem as que fazem parte do capsídeo e o tegumento (camada de proteína que fica entre o envelope e o capsídeo) e associam-se e empacotam o genoma viral;  As proteínas não-estruturais são produzidas dentro da célula infectada e desempenham diferentes funções na replicação viral, um exemplo disso é a transcriptase reversa dos retrovírus.
  • 17.  Os lipídios presentes nas partículas envelopadas de alguns vírus são derivadas das membranas celulares. São na maioria fosfolipídios e o restante colesterol.  Os carboidratos estão presentes nas glicoproteínas, glicolipídios e mucopolissacarídeos.
  • 18.  O genoma dos vírus é de DNA ou RNA, nenhum vírus contém DNA e RNA simultaneamente;  Podem ser de fita dupla, fita simples, circular ou linear;  Os genomas de DNA podem ser de fita dupla (herpesvírus) ou de fita simples (parvovírus).  Os hepadnavírus possuem um genoma de DNA de fita dupla, tendo um segmento parcialmente de fita simples.  Os genomas de RNA na maioria são de fita simples, poucos possuem RNA de fita dupla (reovirus ou bornavírus)
  • 19.  Os genomas de RNA podem ser divididos em:  RNA de sentido positivo (+): O Rna genômico serve de Rna mensageiro e é traduzido pelo ribossomo da célula do hospedeiro.  Rna de sentido negativo (-): O Rna genômico é complementar ao que é traduzido e por isso não pode ser traduzido pelos diretamente pelos ribossomos.  Quanto maior o genoma, maior será a quantidade de proteínas codificadas por ele, mas quando o genoma é pequeno, uma única proteína adquire muitas funções.
  • 20.  A classificação dos vírus é estabelecida por normas propostas pelo Comitê Internacional de Taxonomia Viral (ICTV).  Os vírus são classificados com base em muitas características tais como:  O tipo de ácido nucléico (DNA ou RNA),  Morfologia (tamanho e forma),  Presença ou não do envelope,  Espectro de hospedeiros  Propriedades imunológicas, físico-químicas,biológicas, antigênicas  replicação viral
  • 21.  O esquema básico de classificação hierárquica é: Ordem-Família-subfamília-Gênero-Espécie.  Ordem – sufixo virales  Família – sufixo viridae  Subfamílias – sufixo virinae  Gênero – sufixo vírus  Espécie – nome acompanhado do termo vírus
  • 22.  Adsorção – constitui-se na ligação específica de uma glicoproteína viral a um constituinte da célula hospedeira denominado receptor celular. Sem a adsorção/ligação a infecção não pode ocorrer.Mas nem todos os eventos da adsorção resultam em infecção produtiva. Em outras palavras, a adsorção é necessária, mas não assegura que a replicação irá morrer.
  • 24.  Penetração – refere-se à introdução do ácido nucléico viral na célula, internalização do nucleocapsídeo via endocitose mediada por receptor ou fusão do envelope viral com a membrana plasmática. Como resultado, o genoma viral é liberado e se localiza no citosol ou em vesículas endocíticas.
  • 26.  Desnudamento – é a fase posterior à penetração, quando irá ocorrer a liberação do genoma viral para sua completa expressão.  Em alguns vírus envelopados, o nucleocapsídeo é conduzido até próximo o núcleo da célula, onde o ácido nucléico penetra através do poro do núcleo.  Após o desnudamento, o genoma prossegue no ciclo replicativo ou uma cópia é integrada ao cromossomo do hospedeiro e permanece latente até ser ativado.
  • 28.  Síntese protéica – o genoma deve ser capaz de produzir Rna mensageiro (RNAm) que sejam reconhecidos e traduzidos pela maquinaria celular de tradução.  A maquinaria celular torna-se dedicada à síntese de produtos virais em detrimento da síntese de proteínas celulares.  Replicação do genoma – depende do tipo de ácido nucléico, estrutura e topologia do genoma. Nos vírus mais simples, a replicação é feita através de enzimas celulares, outros vírus codificam suas próprias enzimas replicativas.
  • 29.  Montagem, maturação e liberação do vírus das células infectadas  Após a síntese de proteínas iniciais, transcrição do ácido nucléico e síntese de proteínas estruturais, os vírus passam por um processo de montagem ou empacotamento antes de sair da célula.
  • 32.  São bastante sensíveis à inativação química e física.  Todos os agentes químicos ou físicos que dissolvem a camada lipídica diminuem ou eliminam a infecciosidade.  Os vírus não envelopados têm maior resistência à condições mais drásticas, como acidez e alcalinidade, por isso precisam ficar mais tempo em contato com essas substâncias, ms são rapidamente inativados pelo calor e radiações ionizantes.
  • 33.  Como os vírus causam doenças:  Que doenças eles causam?  Que fatores levam os vírus a causar dano ao hospedeiro?
  • 34.  Patogenia- as injúrias ou danos causados pelas infecções virais nos órgãos.  É dependente da virulência da cepa, suscetibilidade do hospedeiro e outros fatores.  Patogenicidade é a capacidade que um vírus tem de infectar o hospedeiro e causar dano a ele.  Virulência – Relaciona-se com a gravidade da doença causada pelos diferentes isolados do mesmo microrganismos.
  • 35.  Transmissão horizontal: pode ser por contato direto com o indivíduo infectado ou através de fomites (objetos) ou perdigotos (aerossóis).  Veículo: água ou alimentos contaminados  Vetores: através de animais vertebrados ou invertebrados.  Transmissão vertical: Mãe para o embrião/feto