SlideShare uma empresa Scribd logo
Teoria Geral dos Sistemas – Breve histórico

•    Na época das Grandes Guerras Mundiais, o aumento do
     conhecimento humano proporcionou a necessidade de síntese e de
     agregação entre áreas da ciência, em detrimento da alta
     especialização e isolamento que dominavam o cenário científico até
     então.
•    A Teoria dos Sistemas emergiu logo após a 2ª Guerra Mundial, por
     volta de 1950, como forma de equacionar e solucionar, de forma
     multidisciplinar, os complexos problemas surgidos no pós-guerra.

          Kenneth
          Boulding                             •  OBJETIVO:
        (economista)
                               TGS                  Sintetizar as idéias
         Ludwig von                                 comuns a várias
         Bertalanffy                                disciplinas
          (biólogo)
Teoria Geral dos Sistemas – Breve histórico


    Kenneth Boulding agrupou e hierarquizou os sistemas segundo a
    complexidade dos mesmos !

    Ele sugeriu oito níveis:

    •  Sistemas estáticos
    •  Sistemas dinâmicos simples
    •  Sistemas cibernéticos simples
    •  Sistemas “abertos”
    •  Vida vegetal
    •  O Ser Humano
    •  Organizações sociais (nível mais complexo)
Teoria Geral dos Sistemas – Breve histórico


   Sistemas Sociais Abertos não tem a estrutura física
         dos sistemas biológicos, sendo formado,
       principalmente, por uma rede de eventos e
        relacionamentos e de ações e interações.


   Empresas são sistemas planejados que mantém a
    integridade de sua estrutura interna por meio de
      laços psicológicos, utilizando-se de normas e
                    valores internos.
Teoria dos Sistemas – Modelo de observação

                                  •  Rejeição, em parte, da Teologia e
               Física             de outras formas de interpretação
Século                            das pessoas e da sociedade.
 XVII        Matemática
              Mecânica
                                  •  MODELO MECÂNICO DE
                                  INTERPRETAÇÃO SOCIAL



                          •  Máquinas complexas
                          •  Ações e processos analisados na
                          ação recíproca das causas
                          naturais
         SOCIEDADES       •  Identificação dos elementos
                          componentes e de seus inter-
                          relacionamentos
                          •  Previsão dos fatos daí
                          decorrentes
Teoria dos Sistemas – Modelo de observação

 Séculos seguintes:

 •  Transformação de energia
 •  Entropia social
 •  Elementos com mútuas inter-relações
 •  Adaptações tendendo ao equílibrio



                          •  Mútua dependência entre as
Progresso da              partes
  Biologia
                          •  Compara as sociedades a um
                          organismo vivo
Teoria dos Sistemas – Modelo de observação


Proporciona:

    Uma técnica para lidar com as empresas cada vez maiores e
     mais complexas

    Um enfoque sintético do todo, só permitindo a análise conjunta
     das partes de uma organização

    Um estudo das relações entre os elementos componentes do
     sistema
Um Sistema e seus aspectos básicos


  Conceito dinâmico de “sistemas” - um complexo entremeado
 de canais através dos quais os produtos, serviços, recursos e
 fluxo de informações transitam de um ponto a outro dentro da
   organização e, também, entre a organização e seu entorno
             (BALLESTERO-ALVAREZ, 1997, p.17).



       Sistema é um conjunto de partes interagentes e
     interdependentes que, conjuntamente, formam um
      todo unitário com determinado objetivo e efetuam
                     determinada função.
Componentes de um Sistema
Componentes de um Sistema
Ambiente de um Sistema

    Ambiente de um sistema é o conjunto de todos os
     fatores que, dentro de um limite específico, se
     possa conceber como tendo alguma influência
       sobre a operação do sistema considerado.
Hierarquia de Sistemas
Características de um Sistema Aberto



     Processo Entrópico decorre de uma lei da natureza,
      onde todas as formas de organização se movem
             para a desorganizacão e a morte.


     Equifinalidade – Um mesmo estado final pode ser
      alcançado partindo-se de diferentes condições
             iniciais e por maneiras diferentes.

    Entropia Negativa (ou homeostase) é representada
      pelo empenho dos sistemas em se organizarem
    para a sobrevivência, por meio de maior ordenação.
Características de um Sistema Aberto

    Adaptação é a resposta a uma mudança que reduz
      a eficiência do comportamento de um sistema.



         ADAPTAÇÃO AMBIENTE X AMBIENTE


          ADAPTAÇÃO AMBIENTE X SISTEMA


          ADAPTAÇÃO SISTEMA X AMBIENTE


          ADAPTAÇÃO SISTEMA X SISTEMA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
alemartins10
 
Noções de Administração Geral
Noções de Administração GeralNoções de Administração Geral
Noções de Administração Geral
Jaqueline dos Santos
 
Tecnicas de arquivamento
Tecnicas de arquivamentoTecnicas de arquivamento
Tecnicas de arquivamento
Cursos Profissionalizantes
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Correios
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controle
Rodrigo Ribeiro
 
Contabilidade Básica
Contabilidade BásicaContabilidade Básica
Contabilidade Básica
André Faria Gomes
 
Diagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeitoDiagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeito
Amanda Bispo
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
Joao Telles Corrêa Filho
 
Rotinas administrativas
Rotinas administrativasRotinas administrativas
Rotinas administrativas
Valéria Lins
 
Estruturas organizacionais
Estruturas organizacionaisEstruturas organizacionais
Estruturas organizacionais
Luis Cunha
 
Formularios
FormulariosFormularios
Formularios
AAcioli
 
Aula Qualidade - Fluxograma
Aula Qualidade - FluxogramaAula Qualidade - Fluxograma
Aula Qualidade - Fluxograma
Caio Roberto de Souza Filho
 
Administração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evoluçãoAdministração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evolução
Lemos1960
 
Teoria Clássica de Fayol
Teoria Clássica de FayolTeoria Clássica de Fayol
Teoria Clássica de Fayol
Julyana Ju
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
Celso Alfaia Barbosa
 
A teoria de sistemas
A teoria de sistemasA teoria de sistemas
A teoria de sistemas
Tiago Maboni Derlan
 
Teorias da Administração
Teorias da AdministraçãoTeorias da Administração
Teorias da Administração
Alex Eduardo Ribeiro
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
Eduardo da Silva
 
Aula organização e métodos 2013 1
Aula organização e métodos 2013 1Aula organização e métodos 2013 1
Aula organização e métodos 2013 1
Michael Batista
 
Avaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho pptAvaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho ppt
Estevam Pires
 

Mais procurados (20)

Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
 
Noções de Administração Geral
Noções de Administração GeralNoções de Administração Geral
Noções de Administração Geral
 
Tecnicas de arquivamento
Tecnicas de arquivamentoTecnicas de arquivamento
Tecnicas de arquivamento
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controle
 
Contabilidade Básica
Contabilidade BásicaContabilidade Básica
Contabilidade Básica
 
Diagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeitoDiagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeito
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
 
Rotinas administrativas
Rotinas administrativasRotinas administrativas
Rotinas administrativas
 
Estruturas organizacionais
Estruturas organizacionaisEstruturas organizacionais
Estruturas organizacionais
 
Formularios
FormulariosFormularios
Formularios
 
Aula Qualidade - Fluxograma
Aula Qualidade - FluxogramaAula Qualidade - Fluxograma
Aula Qualidade - Fluxograma
 
Administração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evoluçãoAdministração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evolução
 
Teoria Clássica de Fayol
Teoria Clássica de FayolTeoria Clássica de Fayol
Teoria Clássica de Fayol
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
A teoria de sistemas
A teoria de sistemasA teoria de sistemas
A teoria de sistemas
 
Teorias da Administração
Teorias da AdministraçãoTeorias da Administração
Teorias da Administração
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
 
Aula organização e métodos 2013 1
Aula organização e métodos 2013 1Aula organização e métodos 2013 1
Aula organização e métodos 2013 1
 
Avaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho pptAvaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho ppt
 

Destaque

6. sistemas administrativos
6. sistemas administrativos6. sistemas administrativos
6. sistemas administrativos
norma8avila
 
Sistemas Administrativos
Sistemas AdministrativosSistemas Administrativos
Sistemas Administrativos
zepol92
 
SISTEMAS ADMINISTRATIVOS
SISTEMAS ADMINISTRATIVOSSISTEMAS ADMINISTRATIVOS
SISTEMAS ADMINISTRATIVOS
marianny2014
 
Conceptos sobre sistemas Administrativos y SAP
Conceptos sobre sistemas Administrativos y SAPConceptos sobre sistemas Administrativos y SAP
Conceptos sobre sistemas Administrativos y SAP
Vanessa Noya
 
Características de los sistemas administrativos
Características de los sistemas administrativosCaracterísticas de los sistemas administrativos
Características de los sistemas administrativos
drianda
 
Sistemas Administrativos
Sistemas AdministrativosSistemas Administrativos
Sistemas Administrativos
Crhis
 

Destaque (6)

6. sistemas administrativos
6. sistemas administrativos6. sistemas administrativos
6. sistemas administrativos
 
Sistemas Administrativos
Sistemas AdministrativosSistemas Administrativos
Sistemas Administrativos
 
SISTEMAS ADMINISTRATIVOS
SISTEMAS ADMINISTRATIVOSSISTEMAS ADMINISTRATIVOS
SISTEMAS ADMINISTRATIVOS
 
Conceptos sobre sistemas Administrativos y SAP
Conceptos sobre sistemas Administrativos y SAPConceptos sobre sistemas Administrativos y SAP
Conceptos sobre sistemas Administrativos y SAP
 
Características de los sistemas administrativos
Características de los sistemas administrativosCaracterísticas de los sistemas administrativos
Características de los sistemas administrativos
 
Sistemas Administrativos
Sistemas AdministrativosSistemas Administrativos
Sistemas Administrativos
 

Semelhante a Sistemas administrativos

Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
Anderson Barbosa
 
Abordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadmAbordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadm
Rafaelle Campelo
 
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
Vinícius M. Kern
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
Correios
 
Conceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informaçãoConceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informação
Armando Rivarola
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
Diego Carrara
 
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Domingos Armindo Rolim Neto
 
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos SistemasUMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
Mário Januário Filho
 
Módulo 1- Gestão de processos de negócios
Módulo 1- Gestão de processos de negóciosMódulo 1- Gestão de processos de negócios
Módulo 1- Gestão de processos de negócios
Tsiane Poppe Araujo
 
Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
paulocsm
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
Bireader
 
Abordagem sociotecnica
Abordagem sociotecnicaAbordagem sociotecnica
Abordagem sociotecnica
tiagonb4
 
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
As   aula 1 - introdução a análise de sistemasAs   aula 1 - introdução a análise de sistemas
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
tontotsilva
 
Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento
Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimentoIntrodução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento
Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento
Vinícius M. Kern
 
Reflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em redeReflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em rede
Arie Storch
 
Aula14
Aula14Aula14
Aula sistema sociotecnico usp tsa 2014
Aula sistema sociotecnico   usp  tsa 2014Aula sistema sociotecnico   usp  tsa 2014
Aula sistema sociotecnico usp tsa 2014
Juliano Rocha
 
Abordagem sistêmica
Abordagem sistêmicaAbordagem sistêmica
Abordagem sistêmica
Murilo Bayma
 
Capítulo 4 sigc
Capítulo 4   sigcCapítulo 4   sigc
Capítulo 4 sigc
Força Aérea Brasileira
 
System thinking
System thinkingSystem thinking
System thinking
Paulo de Carvalho
 

Semelhante a Sistemas administrativos (20)

Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
 
Abordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadmAbordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadm
 
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
 
Conceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informaçãoConceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informação
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
 
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
 
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos SistemasUMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
 
Módulo 1- Gestão de processos de negócios
Módulo 1- Gestão de processos de negóciosMódulo 1- Gestão de processos de negócios
Módulo 1- Gestão de processos de negócios
 
Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
 
Abordagem sociotecnica
Abordagem sociotecnicaAbordagem sociotecnica
Abordagem sociotecnica
 
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
As   aula 1 - introdução a análise de sistemasAs   aula 1 - introdução a análise de sistemas
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
 
Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento
Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimentoIntrodução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento
Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento
 
Reflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em redeReflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em rede
 
Aula14
Aula14Aula14
Aula14
 
Aula sistema sociotecnico usp tsa 2014
Aula sistema sociotecnico   usp  tsa 2014Aula sistema sociotecnico   usp  tsa 2014
Aula sistema sociotecnico usp tsa 2014
 
Abordagem sistêmica
Abordagem sistêmicaAbordagem sistêmica
Abordagem sistêmica
 
Capítulo 4 sigc
Capítulo 4   sigcCapítulo 4   sigc
Capítulo 4 sigc
 
System thinking
System thinkingSystem thinking
System thinking
 

Mais de Correios

Aula 12 capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicos
Aula 12   capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicosAula 12   capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicos
Aula 12 capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicos
Correios
 
Aula 11 capítulo 7 - delegação, centralização e descentralização
Aula 11   capítulo 7 - delegação, centralização e descentralizaçãoAula 11   capítulo 7 - delegação, centralização e descentralização
Aula 11 capítulo 7 - delegação, centralização e descentralização
Correios
 
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9   capítulo 5 - linha e assessoriaAula 9   capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
Correios
 
Aula 10 capítulo 6 - atribuições das unid organizacionais
Aula 10   capítulo 6 - atribuições das unid organizacionaisAula 10   capítulo 6 - atribuições das unid organizacionais
Aula 10 capítulo 6 - atribuições das unid organizacionais
Correios
 
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9   capítulo 5 - linha e assessoriaAula 9   capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
Correios
 
Aula 8 recursos, níveis e ambiente organizacional
Aula 8   recursos, níveis e ambiente organizacionalAula 8   recursos, níveis e ambiente organizacional
Aula 8 recursos, níveis e ambiente organizacional
Correios
 
Aula 6 departamentalização
Aula 6   departamentalizaçãoAula 6   departamentalização
Aula 6 departamentalização
Correios
 
Exercício Atendimento Ao Cliente - O, S e M
Exercício Atendimento Ao Cliente - O, S e MExercício Atendimento Ao Cliente - O, S e M
Exercício Atendimento Ao Cliente - O, S e M
Correios
 
Aula 3 estratégia da produção
Aula 3   estratégia da produçãoAula 3   estratégia da produção
Aula 3 estratégia da produção
Correios
 
Aula 2 papel estratégico e objetivos da produção
Aula 2   papel estratégico e objetivos da produçãoAula 2   papel estratégico e objetivos da produção
Aula 2 papel estratégico e objetivos da produção
Correios
 
Aula 5 estrutura organizacional
Aula 5   estrutura organizacionalAula 5   estrutura organizacional
Aula 5 estrutura organizacional
Correios
 
Aula 4 sig - tomada de decisão - áreas funcionais
Aula 4   sig - tomada de decisão - áreas funcionaisAula 4   sig - tomada de decisão - áreas funcionais
Aula 4 sig - tomada de decisão - áreas funcionais
Correios
 
Conceitos básicos e o profissional de o,s e m
Conceitos básicos e o profissional de o,s e mConceitos básicos e o profissional de o,s e m
Conceitos básicos e o profissional de o,s e m
Correios
 

Mais de Correios (13)

Aula 12 capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicos
Aula 12   capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicosAula 12   capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicos
Aula 12 capítulo 8 - amplitude de controle e níveis hierárquicos
 
Aula 11 capítulo 7 - delegação, centralização e descentralização
Aula 11   capítulo 7 - delegação, centralização e descentralizaçãoAula 11   capítulo 7 - delegação, centralização e descentralização
Aula 11 capítulo 7 - delegação, centralização e descentralização
 
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9   capítulo 5 - linha e assessoriaAula 9   capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
 
Aula 10 capítulo 6 - atribuições das unid organizacionais
Aula 10   capítulo 6 - atribuições das unid organizacionaisAula 10   capítulo 6 - atribuições das unid organizacionais
Aula 10 capítulo 6 - atribuições das unid organizacionais
 
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9   capítulo 5 - linha e assessoriaAula 9   capítulo 5 - linha e assessoria
Aula 9 capítulo 5 - linha e assessoria
 
Aula 8 recursos, níveis e ambiente organizacional
Aula 8   recursos, níveis e ambiente organizacionalAula 8   recursos, níveis e ambiente organizacional
Aula 8 recursos, níveis e ambiente organizacional
 
Aula 6 departamentalização
Aula 6   departamentalizaçãoAula 6   departamentalização
Aula 6 departamentalização
 
Exercício Atendimento Ao Cliente - O, S e M
Exercício Atendimento Ao Cliente - O, S e MExercício Atendimento Ao Cliente - O, S e M
Exercício Atendimento Ao Cliente - O, S e M
 
Aula 3 estratégia da produção
Aula 3   estratégia da produçãoAula 3   estratégia da produção
Aula 3 estratégia da produção
 
Aula 2 papel estratégico e objetivos da produção
Aula 2   papel estratégico e objetivos da produçãoAula 2   papel estratégico e objetivos da produção
Aula 2 papel estratégico e objetivos da produção
 
Aula 5 estrutura organizacional
Aula 5   estrutura organizacionalAula 5   estrutura organizacional
Aula 5 estrutura organizacional
 
Aula 4 sig - tomada de decisão - áreas funcionais
Aula 4   sig - tomada de decisão - áreas funcionaisAula 4   sig - tomada de decisão - áreas funcionais
Aula 4 sig - tomada de decisão - áreas funcionais
 
Conceitos básicos e o profissional de o,s e m
Conceitos básicos e o profissional de o,s e mConceitos básicos e o profissional de o,s e m
Conceitos básicos e o profissional de o,s e m
 

Último

Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
E-Commerce Brasil
 
aula sobre metodologia 5s, excelente opc
aula sobre metodologia 5s, excelente opcaula sobre metodologia 5s, excelente opc
aula sobre metodologia 5s, excelente opc
polianasenaces
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
E-Commerce Brasil
 
Pequena apostila de contabilidade tributária.pdf
Pequena apostila de contabilidade tributária.pdfPequena apostila de contabilidade tributária.pdf
Pequena apostila de contabilidade tributária.pdf
MartesonCasteloBranc1
 
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
E-Commerce Brasil
 

Último (6)

Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
 
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
 
aula sobre metodologia 5s, excelente opc
aula sobre metodologia 5s, excelente opcaula sobre metodologia 5s, excelente opc
aula sobre metodologia 5s, excelente opc
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
 
Pequena apostila de contabilidade tributária.pdf
Pequena apostila de contabilidade tributária.pdfPequena apostila de contabilidade tributária.pdf
Pequena apostila de contabilidade tributária.pdf
 
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
 

Sistemas administrativos

  • 1.
  • 2. Teoria Geral dos Sistemas – Breve histórico •  Na época das Grandes Guerras Mundiais, o aumento do conhecimento humano proporcionou a necessidade de síntese e de agregação entre áreas da ciência, em detrimento da alta especialização e isolamento que dominavam o cenário científico até então. •  A Teoria dos Sistemas emergiu logo após a 2ª Guerra Mundial, por volta de 1950, como forma de equacionar e solucionar, de forma multidisciplinar, os complexos problemas surgidos no pós-guerra. Kenneth Boulding •  OBJETIVO: (economista) TGS Sintetizar as idéias Ludwig von comuns a várias Bertalanffy disciplinas (biólogo)
  • 3. Teoria Geral dos Sistemas – Breve histórico Kenneth Boulding agrupou e hierarquizou os sistemas segundo a complexidade dos mesmos ! Ele sugeriu oito níveis: •  Sistemas estáticos •  Sistemas dinâmicos simples •  Sistemas cibernéticos simples •  Sistemas “abertos” •  Vida vegetal •  O Ser Humano •  Organizações sociais (nível mais complexo)
  • 4. Teoria Geral dos Sistemas – Breve histórico Sistemas Sociais Abertos não tem a estrutura física dos sistemas biológicos, sendo formado, principalmente, por uma rede de eventos e relacionamentos e de ações e interações. Empresas são sistemas planejados que mantém a integridade de sua estrutura interna por meio de laços psicológicos, utilizando-se de normas e valores internos.
  • 5. Teoria dos Sistemas – Modelo de observação •  Rejeição, em parte, da Teologia e Física de outras formas de interpretação Século das pessoas e da sociedade. XVII Matemática Mecânica •  MODELO MECÂNICO DE INTERPRETAÇÃO SOCIAL •  Máquinas complexas •  Ações e processos analisados na ação recíproca das causas naturais SOCIEDADES •  Identificação dos elementos componentes e de seus inter- relacionamentos •  Previsão dos fatos daí decorrentes
  • 6. Teoria dos Sistemas – Modelo de observação Séculos seguintes: •  Transformação de energia •  Entropia social •  Elementos com mútuas inter-relações •  Adaptações tendendo ao equílibrio •  Mútua dependência entre as Progresso da partes Biologia •  Compara as sociedades a um organismo vivo
  • 7. Teoria dos Sistemas – Modelo de observação Proporciona:   Uma técnica para lidar com as empresas cada vez maiores e mais complexas   Um enfoque sintético do todo, só permitindo a análise conjunta das partes de uma organização   Um estudo das relações entre os elementos componentes do sistema
  • 8. Um Sistema e seus aspectos básicos Conceito dinâmico de “sistemas” - um complexo entremeado de canais através dos quais os produtos, serviços, recursos e fluxo de informações transitam de um ponto a outro dentro da organização e, também, entre a organização e seu entorno (BALLESTERO-ALVAREZ, 1997, p.17). Sistema é um conjunto de partes interagentes e interdependentes que, conjuntamente, formam um todo unitário com determinado objetivo e efetuam determinada função.
  • 10. Componentes de um Sistema
  • 11. Ambiente de um Sistema Ambiente de um sistema é o conjunto de todos os fatores que, dentro de um limite específico, se possa conceber como tendo alguma influência sobre a operação do sistema considerado.
  • 13. Características de um Sistema Aberto Processo Entrópico decorre de uma lei da natureza, onde todas as formas de organização se movem para a desorganizacão e a morte. Equifinalidade – Um mesmo estado final pode ser alcançado partindo-se de diferentes condições iniciais e por maneiras diferentes. Entropia Negativa (ou homeostase) é representada pelo empenho dos sistemas em se organizarem para a sobrevivência, por meio de maior ordenação.
  • 14. Características de um Sistema Aberto Adaptação é a resposta a uma mudança que reduz a eficiência do comportamento de um sistema. ADAPTAÇÃO AMBIENTE X AMBIENTE ADAPTAÇÃO AMBIENTE X SISTEMA ADAPTAÇÃO SISTEMA X AMBIENTE ADAPTAÇÃO SISTEMA X SISTEMA