SlideShare uma empresa Scribd logo
AULA 05 – MODELO ATÔMICO DE BOHR – DIAGRAMA DE PAULING

I – Modelo de Bohr.

Modelo atômico de Bohr é fundamentado na teoria dos quanta e sustentado
experimentalmente com base na espectroscopia. A partir de dados experimentais,
Bohr propõem que a eletrosfera é dividida em diversas camadas ou níveis, os quais
possuem uma quantidade de energia constante. Sendo assim o elétron que está
contido em uma dada camada ou nível, possui exatamente a energia do nível em
questão.

A partir do núcleo atômico temos:




Salto Quântico - é o nome dado ao fenômeno de promoção eletrônica, ocorre quando
um elétron absorve algum tipo de energia e salto para um nível de energia mais
distante do núcleo atômico (mais energético).




Emissão de Fóton – quando um elétron salta de um nível de energia mais externo
(maior energia) para um mais interno (menor energia), a diferença de energia desses
níveis é observada pela emissão de uma onda eletromagnética
(luminosidade) denominada fóton.
 Um exemplo desse fenômeno são fogos de artifícios.




II - Introdução ao modelo contemporâneo.

O modelo atômico atual, reserva alterações na eletrosfera do átomo e quantiza a
energia de cada elétron presente na eletrosfera. Os principais nomes que contribuíram
para o desenvolvimento do modelo atômico contemporâneo são:
     1924 - De Broglie
Modelo da partícula-onda para o elétron. Apresenta a natureza dualista do elétron,
onde esta partícula negativa, extremamente pequena e veloz comporta-se ora como
partícula ora como onda.
     1926 - Heisenberg
Princípio da incerteza. Descreve que em instante algum se pode prever com certeza a
posição e a velocidade de um elétron.
     1927 - Schrödinger
Equação de função de onda para o elétron. Através dessas equações conclui-se que
existe uma região de grande probabilidade de se encontra um determinado elétron,
esta região é chamada de orbital.

III - Estudo da eletrosfera atômica e da distribuição eletrônica.

Camadas eletrônicas ou Níveis de energia .
Através dos postulados de Bohr, evidenciamos que os elétrons estão dispostos ao
redor do núcleo atômico descrevendo órbitas regulares em ordem crescente de
energia. Dessa forma podemos prever que os elétrons de maior energia encontram-se
mais afastados do núcleo e os de menor energia estão mais próximos ao núcleo
atômico.Sendo assim os elétrons estão distribuídos nos níveis de energia:

Camadas eletrônicas         K      L      M      N      O      P       Q
Nível                         1      2       3         4    5        6     7

Cada nível de energia comporta um determinado número de elétrons. O número
máximo de elétrons nas camadas ou níveis de energia é:

K              L              M              N              O              P           Q
2              8              18             32             32             18          8


     Subníveis de energia ( Sommerfeld)

As camadas ou níveis de energia são formados de subcamadas ou subníveis de
energia, designados pelas letras s, p, d, f, g, h, i. Sendo que os subníveis utilizados e
estudados até o presente momento são os subníveis s, p, d, f. assim como nos níveis
de energia, cada subnível comporta um número máximo de elétrons, discriminados a
seguir:

Subnível                                     s         p    d        f
Número máximo de elétrons                    2         6    10       14


     Orbitais (Schrödinger)

Os subníveis são formados de orbitais. Orbital é a região da eletrosfera onde há maior
probabilidade de estar localizado o elétron do átomo. O número máximo de elétrons
em cada orbital é 2.
Através de cálculos de probabilidade foi determinado que um orbital comporta no
máximo 2 elétrons.

Subníveis                 s                 p                   d                f
Nº de elétrons            2                 6                   10              14
Nº de orbitais            1                 3                    5               7

Os orbitais possuem forma geométricas definidas, por exemplo, os orbitais s, possuem
forma esférica, os tipo p são duplo-ovóide (halteres) , os tipo d e os tipo f são de
grande complexidade.
Os subníveis distribuem-se nos níveis de energia, de acordo com o número de
elétrons de cada camada e suas energias.

Níveis                                   Subníveis                          Total
                   2
K              1s                                                           2
L              2s2            2p2                                           8
M              3s2            3p6               3d10                        18
N              4s2            4p6               4d10         4f14           32
O              5s2            5p6               5d10         5f14           32
P              6s2            6p6               6d10                        18
Q              7s2            7p6                                           8

Diagrama de Pauling.

Linus Pauling, observa que o átomo no estado fundamental, apresenta seus
elétrons distribuídos em ordem crescente de energia. Segundo ele, os elétrons
estariam distribuídos em subníveis de acordo com o diagrama a seguir.
Exemplos de distribuição de elétrons:

1- Distribuir em subníveis de energia os elétrons do elemento de Z = 52.
Temos 52 elétrons. 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p6 5s2 4d10 5p4

2 - Distribuir em subníveis de energia os elétrons para 20Ca2+
Temos 18 elétrons. 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6

· Importante
Lembre-se que os elétrons cedidos e recebidos são os elétrons que estão na
última
camada ou nível de energia de um átomo, chamada Camada de Valência.



PROPOSIÇÕES DE ATIVIDADES.

   1. Para os átomos a seguir, determine o seu número de prótons, elétrons,
      nêutrons.

Dados os símbolos destes elementos o número atômico (a esquerda do símbolo) e o
número de massa (a direita do símbolo).

   a)    P31
        15

   b)   50Es
              119

   c)   36Kr
             84

   d)   19K
           39



Respostas:
a) 15p, 15e, 16n
b) 50p, 50e, 69n
c) 36p, 36e, 48n
d) 19p, 19e, 20n

   2. (UFRJ) Complete as HORIZONTAIS:

1. Partícula fundamental que não apresenta carga.
2. Um íon sempre apresenta _________ .
3. Partícula emitida pelo núcleo radioativo.
4. Partícula de carga positiva existente no núcleo.
5. Apresenta número atômico igual a 11.
6. Átomos que apresentam os mesmos números atômicos e números de massa
diferentes.




Respostas:

    1. nêutron 2. carga 3. alfa 4. próton 5. sodio 6. Isótopos


    3. (Puc-RS) Dados modelos atômicos:

1. Átomo como partícula descontínua com eletrosfera dividida em níveis de energia.
2. Átomo como partícula maciça indivisível e indestrutível.
3. Átomo como modelo probabilístico sem precisão espacial na localização do elétron.
4. Átomo como partícula maciça com carga positiva incrustada de elétrons.
5. Átomo formado por núcleo positivo com elétrons girando ao seu redor na
eletrosfera.

A alternativa que corresponde cronologicamente à evolução do modelo atômico é

a) 2 - 4 - 1 - 3 - 5
b) 2 - 4 - 5 - 1 - 3
c) 3 - 1 - 5 - 4 - 2
d) 4 - 1 - 5 - 3 - 2
e) 4 - 5 - 2 - 1 – 3

Resposta: letra B

    4. Faça a configuração eletrônica em ordem crescente de energia de subníveis
       para as espécies químicas a seguir:

a) 35Br
b) 7N3-
c) 26Fe2+
d) 8O2-

Respostas:

a) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p5
b) 1s2 2s2 2p6
c) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 3d6
d) 1s2 2s2 2p6

   5. (UFSC-adaptado) Considere um átomo representado pelo seu número atômico
      Z = 58 e em seu estado normal.

É CORRETO afirmar que:

(01) o mesmo possui um total de 20 elétrons em subnível f.
(02) o primeiro nível de energia com elétrons em orbitais d é o nível 4.
(04) se um de seus isótopos tiver número de massa 142, o número de nêutrons desse
isótopo é 82.
(08) os subníveis 5s 4d 5p 6s 4f não estão escritos na sua ordem crescente de
energia.
(16) sua última camada contém 2 elétrons no total.
Soma das corretas ( )

Resposta: 16

   6. (Puc-RS) No modelo atômico atual, os elétrons

a) são partículas que estão mergulhadas em uma massa homogênea de carga
positiva.
b) ocupam níveis definidos de energia.
c) giram ao redor do núcleo em órbitas circulares ou elípticas.
d) têm caráter corpuscular e de onda, simultaneamente.
e) podem ter a sua posição e velocidade determinadas em um dado instante.

Resposta: letra D

   7. (UFPI) Luz fornecida por uma lâmpada de vapor de sódio utilizada em
      iluminação pública é resultado de:

a) transição de elétrons de um dado nível de energia para um outro de maior
energia.
b) remoção de elétrons de um átomo para formar cátions.
c) transição de elétrons de um nível de energia mais alto para um mais baixo.
d) adição de elétrons e átomos para formação de ânions.
e) combinação de átomos para formar moléculas.

Resposta: letra C

   8. (UFF) Alguns estudantes de Química, avaliando seus conhecimentos
      relativos a conceitos básicos para o estudo do átomo, analisam as
      seguintes afirmativas:

I) Átomos isótopos são aqueles que possuem mesmo número atômico e
números de massa diferentes.
II) O número atômico de um elemento corresponde à soma do número de
prótons com o de nêutrons.
III) O número de massa de um átomo, em particular, é a soma do número de
prótons com o de elétrons.
IV) Átomos isóbaros são aqueles que possuem números atômicos diferentes e
mesmo número de massa.
V) Átomos isótonos são aqueles que apresentam números atômicos diferentes,
números de massa diferentes e mesmo número de nêutrons.
Esses estudantes concluem, corretamente, que as afirmativas verdadeiras são
as indicadas por:

a) I, III e V
b) I, IV e V
c) II e III
d) II, III e V
e) II e V

Resposta: letra B

    9. (Puc-MG) "As diferentes cores produzidas por distintos elementos são
       resultado de transições eletrônicas. Ao mudar de camadas, em torno do
       núcleo atômico, os elétrons emitem energia nos diferentes
       comprimentos de ondas, as cores."

("O Estado de São Paulo", Caderno de Ciências e Tecnologia, 26/12/92)

O texto anterior está baseado no modelo atômico proposto por:

a) Niels Bohr
b) Rutherford
c) Heisenberg
d) John Dalton
e) J. J. Thomson

Resposta: letra A

    10. (Puc-MG) Considerando as partículas constituintes do íon Mg2+ e a
        posição do elemento no quadro periódico, pode-se afirmar que esse íon

a) apresenta dois níveis completamente preenchidos.
b) apresenta números iguais de prótons e elétrons.
c) tem um núcleo com 14 prótons.
d) tem a mesma configuração eletrônica que o átomo de argônio.

Resposta: letra A

    11. (UERJ) A figura a seguir foi proposta por um ilustrador para representar
        um átomo de lítio (Li) no estado fundamental, segundo o modelo de
        Rutherford-Bohr.
Constatamos que a figura está incorreta em relação ao número de:

a) nêutrons no núcleo
b) partículas no núcleo
c) elétrons por camada
d) partículas na eletrosfera

Resposta: letra C

   12. (UFRRJ) Considere um átomo cujo número atômico é igual a 19, que
       forma cátion ao participar de reações químicas, e apresenta 20
       nêutrons. Seus números de elétrons, prótons e de massa são,
       respectivamente,

a) 18 e , 19 p e 37.
b) 19 e, 19 p e 37.
c) 19 e, 18 p e 39.
d) 19 e, 19 p e 39.
e) 18 e, 19 p e 39

Resposta: letra D

   13. (Puc-RS) Um cátion de carga 3+ possui 10 elétrons e 14 nêutrons. O
       átomo que o originou apresenta número atômico e de massa,
       respectivamente,

a) 3 e 14
b) 7 e 24
c) 10 e 14
d) 13 e 27
e) 14 e 28

       Resposta: letra D

   14. (Cesgranrio) A distribuição eletrônica do átomo   26   Fe56, em camadas é:

a) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d6
b) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p6 5s2 4d10 5p6 6s2
c) K - 2 L - 8 M - 16
d) K - 2 L - 8 M - 14 N - 2
e) K - 2 L - 8 M - 18 N - 18 O - 8 P – 2

       Resposta: letra D

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia HelenísticaCap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia Helenística
José Ferreira Júnior
 
Platão
PlatãoPlatão
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
Carson Souza
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
Marilena Meira
 
Aula 21 filosofia da ciência
Aula 21   filosofia da ciênciaAula 21   filosofia da ciência
Aula 21 filosofia da ciência
professorleo1989
 
Historia da eletricidade
Historia da eletricidadeHistoria da eletricidade
Historia da eletricidade
marinarruda
 
Isaac Newton
Isaac NewtonIsaac Newton
Isaac Newton
Gui Souza A
 
Módulo 4 - Método Científico
Módulo 4 - Método CientíficoMódulo 4 - Método Científico
Módulo 4 - Método Científico
Carlos Fernando Jung
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
Erica Frau
 
Francis Bacon
Francis BaconFrancis Bacon
Francis Bacon
Lara Luisa
 
Idealismo alemão
Idealismo alemãoIdealismo alemão
Idealismo alemão
Alexandre Misturini
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
rafael
 
Renascimento - Filosofia
Renascimento - FilosofiaRenascimento - Filosofia
Renascimento - Filosofia
Carson Souza
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
Alan
 
Sócrates
SócratesSócrates
Vigiar e punir
Vigiar e punirVigiar e punir
Vigiar e punir
roberto mosca junior
 
Liberalismo
LiberalismoLiberalismo
Liberalismo
cattonia
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
Luci Bonini
 
1 ¬ lei da termodinâmica
1 ¬ lei da termodinâmica1 ¬ lei da termodinâmica
1 ¬ lei da termodinâmica
luciene12345
 
Liberalismo
LiberalismoLiberalismo
Liberalismo
harlissoncarvalho
 

Mais procurados (20)

Cap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia HelenísticaCap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia Helenística
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Aula 21 filosofia da ciência
Aula 21   filosofia da ciênciaAula 21   filosofia da ciência
Aula 21 filosofia da ciência
 
Historia da eletricidade
Historia da eletricidadeHistoria da eletricidade
Historia da eletricidade
 
Isaac Newton
Isaac NewtonIsaac Newton
Isaac Newton
 
Módulo 4 - Método Científico
Módulo 4 - Método CientíficoMódulo 4 - Método Científico
Módulo 4 - Método Científico
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
 
Francis Bacon
Francis BaconFrancis Bacon
Francis Bacon
 
Idealismo alemão
Idealismo alemãoIdealismo alemão
Idealismo alemão
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
Renascimento - Filosofia
Renascimento - FilosofiaRenascimento - Filosofia
Renascimento - Filosofia
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Vigiar e punir
Vigiar e punirVigiar e punir
Vigiar e punir
 
Liberalismo
LiberalismoLiberalismo
Liberalismo
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
 
1 ¬ lei da termodinâmica
1 ¬ lei da termodinâmica1 ¬ lei da termodinâmica
1 ¬ lei da termodinâmica
 
Liberalismo
LiberalismoLiberalismo
Liberalismo
 

Destaque

Lista de exercícios ll Química- Números Quânticos
Lista de exercícios ll Química- Números QuânticosLista de exercícios ll Química- Números Quânticos
Lista de exercícios ll Química- Números Quânticos
Carlos Priante
 
Diagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicaoDiagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicao
Portal_do_estudante_ADS
 
Distribuição Eletrônica - Diagrama de Linus Pauling
Distribuição Eletrônica - Diagrama de Linus PaulingDistribuição Eletrônica - Diagrama de Linus Pauling
Distribuição Eletrônica - Diagrama de Linus Pauling
Tabela Periódica
 
Lista 16 estudo dos gases
Lista 16   estudo dos gasesLista 16   estudo dos gases
Lista 16 estudo dos gases
Colegio CMC
 
Lista 2 funções inorgânicas
Lista 2   funções inorgânicasLista 2   funções inorgânicas
Lista 2 funções inorgânicas
Colegio CMC
 
Aula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicosAula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicos
Colegio CMC
 
Lista 38 forças intermoleculares
Lista 38   forças intermolecularesLista 38   forças intermoleculares
Lista 38 forças intermoleculares
Colegio CMC
 
Plane1serie
Plane1seriePlane1serie
Plane1serie
Colegio CMC
 
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Colegio CMC
 
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8   eletrólitos e não eletrólitosLista 8   eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
Colegio CMC
 
Lista 54 estequiometria
Lista 54   estequiometriaLista 54   estequiometria
Lista 54 estequiometria
Colegio CMC
 
Aula 07 principais ptopi
Aula 07 principais ptopiAula 07 principais ptopi
Aula 07 principais ptopi
Colegio CMC
 
Aula 02 estudos das substancias e das misturas
Aula 02 estudos das substancias e das misturasAula 02 estudos das substancias e das misturas
Aula 02 estudos das substancias e das misturas
Colegio CMC
 
Aula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicosAula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicos
Colegio CMC
 
Lista 25 cálculo estequiométrico
Lista 25   cálculo estequiométricoLista 25   cálculo estequiométrico
Lista 25 cálculo estequiométrico
Colegio CMC
 
Aula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódicaAula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódica
Colegio CMC
 
Lista 50 estequiometria
Lista 50   estequiometriaLista 50   estequiometria
Lista 50 estequiometria
Colegio CMC
 
Lista 5 estequiometria
Lista 5   estequiometriaLista 5   estequiometria
Lista 5 estequiometria
Colegio CMC
 
Lista 43 equilíbrio químico
Lista 43   equilíbrio químicoLista 43   equilíbrio químico
Lista 43 equilíbrio químico
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 35 eletrólise
Lista de exercícios 35   eletróliseLista de exercícios 35   eletrólise
Lista de exercícios 35 eletrólise
Colegio CMC
 

Destaque (20)

Lista de exercícios ll Química- Números Quânticos
Lista de exercícios ll Química- Números QuânticosLista de exercícios ll Química- Números Quânticos
Lista de exercícios ll Química- Números Quânticos
 
Diagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicaoDiagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicao
 
Distribuição Eletrônica - Diagrama de Linus Pauling
Distribuição Eletrônica - Diagrama de Linus PaulingDistribuição Eletrônica - Diagrama de Linus Pauling
Distribuição Eletrônica - Diagrama de Linus Pauling
 
Lista 16 estudo dos gases
Lista 16   estudo dos gasesLista 16   estudo dos gases
Lista 16 estudo dos gases
 
Lista 2 funções inorgânicas
Lista 2   funções inorgânicasLista 2   funções inorgânicas
Lista 2 funções inorgânicas
 
Aula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicosAula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicos
 
Lista 38 forças intermoleculares
Lista 38   forças intermolecularesLista 38   forças intermoleculares
Lista 38 forças intermoleculares
 
Plane1serie
Plane1seriePlane1serie
Plane1serie
 
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
 
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8   eletrólitos e não eletrólitosLista 8   eletrólitos e não eletrólitos
Lista 8 eletrólitos e não eletrólitos
 
Lista 54 estequiometria
Lista 54   estequiometriaLista 54   estequiometria
Lista 54 estequiometria
 
Aula 07 principais ptopi
Aula 07 principais ptopiAula 07 principais ptopi
Aula 07 principais ptopi
 
Aula 02 estudos das substancias e das misturas
Aula 02 estudos das substancias e das misturasAula 02 estudos das substancias e das misturas
Aula 02 estudos das substancias e das misturas
 
Aula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicosAula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicos
 
Lista 25 cálculo estequiométrico
Lista 25   cálculo estequiométricoLista 25   cálculo estequiométrico
Lista 25 cálculo estequiométrico
 
Aula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódicaAula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódica
 
Lista 50 estequiometria
Lista 50   estequiometriaLista 50   estequiometria
Lista 50 estequiometria
 
Lista 5 estequiometria
Lista 5   estequiometriaLista 5   estequiometria
Lista 5 estequiometria
 
Lista 43 equilíbrio químico
Lista 43   equilíbrio químicoLista 43   equilíbrio químico
Lista 43 equilíbrio químico
 
Lista de exercícios 35 eletrólise
Lista de exercícios 35   eletróliseLista de exercícios 35   eletrólise
Lista de exercícios 35 eletrólise
 

Semelhante a Aula 05 modelo atômico de bohr diagrama de pauling

Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
DaniDu3
 
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
DaniDu3
 
E
EE
Atomicidade
AtomicidadeAtomicidade
Atomicidade
torquatofp
 
Inorgânica 2º bimestre
Inorgânica 2º bimestreInorgânica 2º bimestre
Inorgânica 2º bimestre
cris_bastardis
 
Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009
Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009
Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009
Kelly Freitas
 
Modelo atômico de bohr
Modelo atômico de bohrModelo atômico de bohr
Modelo atômico de bohr
Estude Mais
 
Aula de Quimica -Do curso de engenharia mecanica
Aula de Quimica -Do curso de engenharia mecanicaAula de Quimica -Do curso de engenharia mecanica
Aula de Quimica -Do curso de engenharia mecanica
MarceloAugustoLeonez
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
PostodeSadeBarreto
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
JosAssisGomesdeBrito
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
kamilla100
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AlexRodrigues954286
 
ESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelos
ESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelosESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelos
ESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelos
katiaegas457
 
ATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICA
ATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICAATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICA
ATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICA
neivaldolucio
 
Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.
Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.
Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.
Mara Farias
 
Química inorgânica
Química inorgânica Química inorgânica
Química inorgânica
Alex Junior
 
Quimica i quimica_inorganica
Quimica i quimica_inorganicaQuimica i quimica_inorganica
Quimica i quimica_inorganica
joogolombori
 
Apostila inorganica ufjf
Apostila inorganica ufjfApostila inorganica ufjf
Apostila inorganica ufjf
Pedro Santos
 
Estrutura da materia_atomo
Estrutura da materia_atomoEstrutura da materia_atomo
Estrutura da materia_atomo
ERlam uales Novaes de Carvalho
 
9ano ciencias.dat
9ano ciencias.dat9ano ciencias.dat
9ano ciencias.dat
carine bonifacio
 

Semelhante a Aula 05 modelo atômico de bohr diagrama de pauling (20)

Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
 
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
 
E
EE
E
 
Atomicidade
AtomicidadeAtomicidade
Atomicidade
 
Inorgânica 2º bimestre
Inorgânica 2º bimestreInorgânica 2º bimestre
Inorgânica 2º bimestre
 
Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009
Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009
Anexo 5 -_aula_em_power_point_sobre_estrutura_da_materia_2009
 
Modelo atômico de bohr
Modelo atômico de bohrModelo atômico de bohr
Modelo atômico de bohr
 
Aula de Quimica -Do curso de engenharia mecanica
Aula de Quimica -Do curso de engenharia mecanicaAula de Quimica -Do curso de engenharia mecanica
Aula de Quimica -Do curso de engenharia mecanica
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL (1).ppt
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
 
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.pptAULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
AULA 1-ESTRUTURA ATOMICA ATUAL.ppt
 
ESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelos
ESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelosESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelos
ESTRUTURA ATOMICA ATUAL teori atómica modelos
 
ATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICA
ATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICAATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICA
ATOMÍSTICA E TABELA PERIÓDICA
 
Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.
Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.
Explicação e exercícios sobre Química Orgânica.
 
Química inorgânica
Química inorgânica Química inorgânica
Química inorgânica
 
Quimica i quimica_inorganica
Quimica i quimica_inorganicaQuimica i quimica_inorganica
Quimica i quimica_inorganica
 
Apostila inorganica ufjf
Apostila inorganica ufjfApostila inorganica ufjf
Apostila inorganica ufjf
 
Estrutura da materia_atomo
Estrutura da materia_atomoEstrutura da materia_atomo
Estrutura da materia_atomo
 
9ano ciencias.dat
9ano ciencias.dat9ano ciencias.dat
9ano ciencias.dat
 

Mais de Colegio CMC

Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48   coeficciente de solubilidadeLista de exercícios 48   coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 42 cadeias carbônicas
Lista de exercícios 42  cadeias carbônicasLista de exercícios 42  cadeias carbônicas
Lista de exercícios 42 cadeias carbônicas
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Colegio CMC
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Colegio CMC
 
Lista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanosLista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanos
Colegio CMC
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
Colegio CMC
 
Planejamento
Planejamento Planejamento
Planejamento
Colegio CMC
 
Planejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimicaPlanejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimica
Colegio CMC
 
Aula 03 estudo do àtomo
Aula 03 estudo do àtomoAula 03 estudo do àtomo
Aula 03 estudo do àtomo
Colegio CMC
 
Historia da eletricidade
Historia da eletricidadeHistoria da eletricidade
Historia da eletricidade
Colegio CMC
 

Mais de Colegio CMC (13)

Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48   coeficciente de solubilidadeLista de exercícios 48   coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
 
Lista de exercícios 42 cadeias carbônicas
Lista de exercícios 42  cadeias carbônicasLista de exercícios 42  cadeias carbônicas
Lista de exercícios 42 cadeias carbônicas
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
 
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticosLista de exercícios 18   alcenos, alcinos e aromáticos
Lista de exercícios 18 alcenos, alcinos e aromáticos
 
Lista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanosLista de exercícios alcanos
Lista de exercícios alcanos
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Planejamento
Planejamento Planejamento
Planejamento
 
Planejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimicaPlanejamento anual de quimica
Planejamento anual de quimica
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Aula 03 estudo do àtomo
Aula 03 estudo do àtomoAula 03 estudo do àtomo
Aula 03 estudo do àtomo
 
Historia da eletricidade
Historia da eletricidadeHistoria da eletricidade
Historia da eletricidade
 

Último

Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 

Aula 05 modelo atômico de bohr diagrama de pauling

  • 1. AULA 05 – MODELO ATÔMICO DE BOHR – DIAGRAMA DE PAULING I – Modelo de Bohr. Modelo atômico de Bohr é fundamentado na teoria dos quanta e sustentado experimentalmente com base na espectroscopia. A partir de dados experimentais, Bohr propõem que a eletrosfera é dividida em diversas camadas ou níveis, os quais possuem uma quantidade de energia constante. Sendo assim o elétron que está contido em uma dada camada ou nível, possui exatamente a energia do nível em questão. A partir do núcleo atômico temos: Salto Quântico - é o nome dado ao fenômeno de promoção eletrônica, ocorre quando um elétron absorve algum tipo de energia e salto para um nível de energia mais distante do núcleo atômico (mais energético). Emissão de Fóton – quando um elétron salta de um nível de energia mais externo (maior energia) para um mais interno (menor energia), a diferença de energia desses níveis é observada pela emissão de uma onda eletromagnética (luminosidade) denominada fóton.
  • 2.  Um exemplo desse fenômeno são fogos de artifícios. II - Introdução ao modelo contemporâneo. O modelo atômico atual, reserva alterações na eletrosfera do átomo e quantiza a energia de cada elétron presente na eletrosfera. Os principais nomes que contribuíram para o desenvolvimento do modelo atômico contemporâneo são:  1924 - De Broglie Modelo da partícula-onda para o elétron. Apresenta a natureza dualista do elétron, onde esta partícula negativa, extremamente pequena e veloz comporta-se ora como partícula ora como onda.  1926 - Heisenberg Princípio da incerteza. Descreve que em instante algum se pode prever com certeza a posição e a velocidade de um elétron.  1927 - Schrödinger Equação de função de onda para o elétron. Através dessas equações conclui-se que existe uma região de grande probabilidade de se encontra um determinado elétron, esta região é chamada de orbital. III - Estudo da eletrosfera atômica e da distribuição eletrônica. Camadas eletrônicas ou Níveis de energia . Através dos postulados de Bohr, evidenciamos que os elétrons estão dispostos ao redor do núcleo atômico descrevendo órbitas regulares em ordem crescente de energia. Dessa forma podemos prever que os elétrons de maior energia encontram-se mais afastados do núcleo e os de menor energia estão mais próximos ao núcleo atômico.Sendo assim os elétrons estão distribuídos nos níveis de energia: Camadas eletrônicas K L M N O P Q
  • 3. Nível 1 2 3 4 5 6 7 Cada nível de energia comporta um determinado número de elétrons. O número máximo de elétrons nas camadas ou níveis de energia é: K L M N O P Q 2 8 18 32 32 18 8  Subníveis de energia ( Sommerfeld) As camadas ou níveis de energia são formados de subcamadas ou subníveis de energia, designados pelas letras s, p, d, f, g, h, i. Sendo que os subníveis utilizados e estudados até o presente momento são os subníveis s, p, d, f. assim como nos níveis de energia, cada subnível comporta um número máximo de elétrons, discriminados a seguir: Subnível s p d f Número máximo de elétrons 2 6 10 14  Orbitais (Schrödinger) Os subníveis são formados de orbitais. Orbital é a região da eletrosfera onde há maior probabilidade de estar localizado o elétron do átomo. O número máximo de elétrons em cada orbital é 2. Através de cálculos de probabilidade foi determinado que um orbital comporta no máximo 2 elétrons. Subníveis s p d f Nº de elétrons 2 6 10 14 Nº de orbitais 1 3 5 7 Os orbitais possuem forma geométricas definidas, por exemplo, os orbitais s, possuem forma esférica, os tipo p são duplo-ovóide (halteres) , os tipo d e os tipo f são de grande complexidade. Os subníveis distribuem-se nos níveis de energia, de acordo com o número de elétrons de cada camada e suas energias. Níveis Subníveis Total 2 K 1s 2 L 2s2 2p2 8 M 3s2 3p6 3d10 18 N 4s2 4p6 4d10 4f14 32 O 5s2 5p6 5d10 5f14 32 P 6s2 6p6 6d10 18 Q 7s2 7p6 8 Diagrama de Pauling. Linus Pauling, observa que o átomo no estado fundamental, apresenta seus elétrons distribuídos em ordem crescente de energia. Segundo ele, os elétrons estariam distribuídos em subníveis de acordo com o diagrama a seguir.
  • 4. Exemplos de distribuição de elétrons: 1- Distribuir em subníveis de energia os elétrons do elemento de Z = 52. Temos 52 elétrons. 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p6 5s2 4d10 5p4 2 - Distribuir em subníveis de energia os elétrons para 20Ca2+ Temos 18 elétrons. 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 · Importante Lembre-se que os elétrons cedidos e recebidos são os elétrons que estão na última camada ou nível de energia de um átomo, chamada Camada de Valência. PROPOSIÇÕES DE ATIVIDADES. 1. Para os átomos a seguir, determine o seu número de prótons, elétrons, nêutrons. Dados os símbolos destes elementos o número atômico (a esquerda do símbolo) e o número de massa (a direita do símbolo). a) P31 15 b) 50Es 119 c) 36Kr 84 d) 19K 39 Respostas: a) 15p, 15e, 16n b) 50p, 50e, 69n c) 36p, 36e, 48n d) 19p, 19e, 20n 2. (UFRJ) Complete as HORIZONTAIS: 1. Partícula fundamental que não apresenta carga. 2. Um íon sempre apresenta _________ .
  • 5. 3. Partícula emitida pelo núcleo radioativo. 4. Partícula de carga positiva existente no núcleo. 5. Apresenta número atômico igual a 11. 6. Átomos que apresentam os mesmos números atômicos e números de massa diferentes. Respostas: 1. nêutron 2. carga 3. alfa 4. próton 5. sodio 6. Isótopos 3. (Puc-RS) Dados modelos atômicos: 1. Átomo como partícula descontínua com eletrosfera dividida em níveis de energia. 2. Átomo como partícula maciça indivisível e indestrutível. 3. Átomo como modelo probabilístico sem precisão espacial na localização do elétron. 4. Átomo como partícula maciça com carga positiva incrustada de elétrons. 5. Átomo formado por núcleo positivo com elétrons girando ao seu redor na eletrosfera. A alternativa que corresponde cronologicamente à evolução do modelo atômico é a) 2 - 4 - 1 - 3 - 5 b) 2 - 4 - 5 - 1 - 3 c) 3 - 1 - 5 - 4 - 2 d) 4 - 1 - 5 - 3 - 2 e) 4 - 5 - 2 - 1 – 3 Resposta: letra B 4. Faça a configuração eletrônica em ordem crescente de energia de subníveis para as espécies químicas a seguir: a) 35Br b) 7N3- c) 26Fe2+ d) 8O2- Respostas: a) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p5
  • 6. b) 1s2 2s2 2p6 c) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 3d6 d) 1s2 2s2 2p6 5. (UFSC-adaptado) Considere um átomo representado pelo seu número atômico Z = 58 e em seu estado normal. É CORRETO afirmar que: (01) o mesmo possui um total de 20 elétrons em subnível f. (02) o primeiro nível de energia com elétrons em orbitais d é o nível 4. (04) se um de seus isótopos tiver número de massa 142, o número de nêutrons desse isótopo é 82. (08) os subníveis 5s 4d 5p 6s 4f não estão escritos na sua ordem crescente de energia. (16) sua última camada contém 2 elétrons no total. Soma das corretas ( ) Resposta: 16 6. (Puc-RS) No modelo atômico atual, os elétrons a) são partículas que estão mergulhadas em uma massa homogênea de carga positiva. b) ocupam níveis definidos de energia. c) giram ao redor do núcleo em órbitas circulares ou elípticas. d) têm caráter corpuscular e de onda, simultaneamente. e) podem ter a sua posição e velocidade determinadas em um dado instante. Resposta: letra D 7. (UFPI) Luz fornecida por uma lâmpada de vapor de sódio utilizada em iluminação pública é resultado de: a) transição de elétrons de um dado nível de energia para um outro de maior energia. b) remoção de elétrons de um átomo para formar cátions. c) transição de elétrons de um nível de energia mais alto para um mais baixo. d) adição de elétrons e átomos para formação de ânions. e) combinação de átomos para formar moléculas. Resposta: letra C 8. (UFF) Alguns estudantes de Química, avaliando seus conhecimentos relativos a conceitos básicos para o estudo do átomo, analisam as seguintes afirmativas: I) Átomos isótopos são aqueles que possuem mesmo número atômico e números de massa diferentes. II) O número atômico de um elemento corresponde à soma do número de prótons com o de nêutrons.
  • 7. III) O número de massa de um átomo, em particular, é a soma do número de prótons com o de elétrons. IV) Átomos isóbaros são aqueles que possuem números atômicos diferentes e mesmo número de massa. V) Átomos isótonos são aqueles que apresentam números atômicos diferentes, números de massa diferentes e mesmo número de nêutrons. Esses estudantes concluem, corretamente, que as afirmativas verdadeiras são as indicadas por: a) I, III e V b) I, IV e V c) II e III d) II, III e V e) II e V Resposta: letra B 9. (Puc-MG) "As diferentes cores produzidas por distintos elementos são resultado de transições eletrônicas. Ao mudar de camadas, em torno do núcleo atômico, os elétrons emitem energia nos diferentes comprimentos de ondas, as cores." ("O Estado de São Paulo", Caderno de Ciências e Tecnologia, 26/12/92) O texto anterior está baseado no modelo atômico proposto por: a) Niels Bohr b) Rutherford c) Heisenberg d) John Dalton e) J. J. Thomson Resposta: letra A 10. (Puc-MG) Considerando as partículas constituintes do íon Mg2+ e a posição do elemento no quadro periódico, pode-se afirmar que esse íon a) apresenta dois níveis completamente preenchidos. b) apresenta números iguais de prótons e elétrons. c) tem um núcleo com 14 prótons. d) tem a mesma configuração eletrônica que o átomo de argônio. Resposta: letra A 11. (UERJ) A figura a seguir foi proposta por um ilustrador para representar um átomo de lítio (Li) no estado fundamental, segundo o modelo de Rutherford-Bohr.
  • 8. Constatamos que a figura está incorreta em relação ao número de: a) nêutrons no núcleo b) partículas no núcleo c) elétrons por camada d) partículas na eletrosfera Resposta: letra C 12. (UFRRJ) Considere um átomo cujo número atômico é igual a 19, que forma cátion ao participar de reações químicas, e apresenta 20 nêutrons. Seus números de elétrons, prótons e de massa são, respectivamente, a) 18 e , 19 p e 37. b) 19 e, 19 p e 37. c) 19 e, 18 p e 39. d) 19 e, 19 p e 39. e) 18 e, 19 p e 39 Resposta: letra D 13. (Puc-RS) Um cátion de carga 3+ possui 10 elétrons e 14 nêutrons. O átomo que o originou apresenta número atômico e de massa, respectivamente, a) 3 e 14 b) 7 e 24 c) 10 e 14 d) 13 e 27 e) 14 e 28 Resposta: letra D 14. (Cesgranrio) A distribuição eletrônica do átomo 26 Fe56, em camadas é: a) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d6 b) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p6 5s2 4d10 5p6 6s2 c) K - 2 L - 8 M - 16
  • 9. d) K - 2 L - 8 M - 14 N - 2 e) K - 2 L - 8 M - 18 N - 18 O - 8 P – 2 Resposta: letra D