SlideShare uma empresa Scribd logo
Conforto Ambiental
Aula 01 – apresentação e ementa
Ementa
 Estudo de Conforto térmico, acústico e
lumínico no desenvolvimento de projetos de
edificações.
 Avaliação do condicionamento, segurança,
salubridade após a ocupação das edificações.
Conteúdo
UNIDADE I - Generalidades
 1.1. Conceitos fundamentais;
 1.2. Mecanismos de trocas térmicas;
 1.3. Comportamento térmico do organismo humano;
 1.4. Macroclima, mesoclima e microclima;
 1.5. Ventilação natural;
 1.6. Soluções de projeto;
UNIDADE II - Conforto Térmico
 2.1. Geometria de Insolação
 2.2. Normas técnicas;
 2.3. Projeto de edifício sustentável;
 2.4. Imagens de projetos;
 2.5. Acompanhamento do processo de estudo e elaboração de
 soluções de projeto.
Conteúdo
UNIDADE III - Conforto Acústico
 3.1. Conceitos fundamentais;
 3.2. Isolamento de ruído;
 3.3. Propagação do som ao ar livre;
 3.4. Soluções de projeto e tecnologias.
UNIDADE IV - Conforto Lumínico
 4.1. Conceitos fundamentais;
 4.2. Iluminação natural;
 4.3. Iluminação artificial
UNIDADE V - Avaliação pós-ocupação
 5.1. Nível de ruído da edificação em uso
 5.2. Isolamento térmico quando habitado
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
 ACIOLI, J.L. Física básica para arquitetura: Mecânica, transmissão de calor, acústica.
Brasília, UNB, 1994.
 SCHMID, Aloísio. A idéia de conforto: reflexões sobre o ambiente construído. Curitiba:
Pacto Ambiental, 2005.
 YAZIGI, Walid. A técnica de edificar. 10. ed. São Paulo : PINI, SindusCon, 2009.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
 FROTA, A. B; SHIFFER. Manual de Conforto Térmico. 8. ed. São Paulo: Studio Nobel, 2016.
 LAMBERTS, Roberto et al. Eficiência Energética na Arquitetura. 3. ed. Rio de Janeiro:
Pocel, 2014. Disponível em: <http://www.mme.gov.br/documents/10584/1985241/Livro -
Eficiência Energética na Arquitetura.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2016.>. Acesso em: 30 maio 2016.
 LITTLEFIELD, D.. Manual do arquiteto: planejamento, dimensionamento e projeto. 3. ed.
Porto Alegre: Bookman, 2011.
 TIPLER, P. A.; MOSCA, G. Física para cientistas e engenheiros. 6.ed. Rio de Janeiro: LTC,
2009. 3 v.
 YOUNG, H. D.; Freedman, R. A. Física II: termodinâmica e ondas - 10ª edição. Pearson.
GENERALIDADES
 O Sol, nossa fonte de luz e de vida, é a estrela mais próxima de nós e a que melhor conhecemos.
 Basicamente, é uma enorme esfera de gás incandescente, em cujo núcleo acontece a geração de
energia através de reações termo-nucleares.
 O estudo do Sol serve de base para o conhecimento das outras estrelas, que de tão distantes
aparecem para nós como meros pontos de luz.
Características
 Massa M = 1,989 x 1030 kg
 Raio R = 695 500 km = 109 x Raio da Terra
 Luminosidade L=3,9×1026 watts=3,9×1033 ergs/s
 Temperatura efetiva Tef = 5.785º K = 5511,85ºC
 Temperatura central Tc = 15.000.000º K = 14999726,85º C
 Composição química principal (No)
 Hidrogênio = 91,2 %
 Hélio = 8,7%
 Oxigênio = 0,078 %
 Carbono = 0,043 %
Sol
A fotosfera, com cerca de 330 km de espessura e
temperatura de 5785 K, é a camada visível do Sol.
Manchas
 As manchas solares seguem um ciclo de 11 anos em que o número de manchas varia entre
máximos e mínimos, descoberto em 1843 pelo astrônomo amador alemão Samuel Heinrich
Schwabe (1789-1875).
 No gráfico abaixo, está registrado o número médio mensal de manchas e o ano.
Explosões
Explosões
 Ejeção Coronal de Massa em 14 de setembro de
1999, fotografada pelo SOHO em 3040 Å.
Explosões
 Normalmente as partículas carregadas são desviadas pelo campo magnético da Terra para o Cinturão
de Van Allen, e somente chegam à Terra próximas aos pólos. Entretanto o campo magnético terrestre
não é um simples dipolo e existe uma depressão no campo, no Atlântico Sul, que faz com que partículas
carregadas também cheguem ao solo na região conhecida como Anomalia Geomagnética do Atlântico
Sul.
A linha preta representa o equador magnético e o
ponto claro o pólo norte magnético.
TERRA
 Diâmetro = 12750km
 Inclinação do eixo = 23º27’
Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil
Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil
Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil
Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil
Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil
Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil
Conforto Ambiental
 Residencial e Espaços abertos.
 Espaços abertos:
 B. Fuller, domo sobre Manhattan
 Biosfera 2, Arizona
 Grimshaw and Partners, Eden Garden, Inglaterra
 S.Bernardes, Hotel Tropical de Manaus
Buckminster Fuller, Nueva York 1962
Sobre Manhattan
 Cubra o volume máximo com a menor área útil
possível.
 Ela está mudando as condições ambientais propícias
a cúpula de vidro. New York é usado como uma
desculpa para ser o maior expoente da
contemporaneidade naquele momento.
Biosfera 2, Arizona
 Nos anos 90, um grupo de biólogos tentou montar um
ecossistema independente da Terra. Foi a experiência científica
mais ousada (e fracassada) da década. Em 2013 tentaram
reabrir.
 Criar um ambiente 100% autossuficiente, que não precisasse de
nada de fora - nem de ar. Um lugar capaz de produzir alimentos
e oxigênio suficientes para sustentar vida por tempo indefinido.
Esse era o sonho do projeto Biosfera 2, criado por um grupo de
biólogos e investidores.
 Ao longo de quatro anos, eles construíram uma estufa de vidro
com 8.400 metros quadrados no deserto do Arizona. Ela era
dividida em ambientes que reproduziam condições terrestres
(deserto, floresta e lago, entre outros). Em 26 de setembro de
1991, a experiência começou. Oito pessoas foram trancadas lá
dentro, junto com diversos animais e plantas, e as portas foram
lacradas. Deu tudo errado. Os níveis de CO2 explodiram, faltou
oxigênio, bichos e plantas foram dizimados, os voluntários
passaram fome, e um chegou a perder parte de um dedo
(quando lembraram que não havia nenhum cirurgião lá dentro). A
Biosfera 2 foi considerada um fracasso, e quase acabou
demolida.
Eden Garden, Inglaterra
 Diferente do que muitos pensam, o Projeto Éden não é apenas uma estufa, e sim um complexo
constituído por palcos, restaurantes, jardins e duas gigantescas estufas compostas por domos que
chegam até 100 metros de altura.
Hotel Tropical de Manaus

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 3 carta solar
Aula 3   carta solarAula 3   carta solar
Aula 3 carta solar
pedrofagu2
 
Conforto acústico
Conforto acústicoConforto acústico
Conforto acústico
leandrounip
 
Programa de necessidades
Programa de necessidadesPrograma de necessidades
Programa de necessidades
Takayfau
 
Programa de necessidades_hospital
Programa de necessidades_hospitalPrograma de necessidades_hospital
Programa de necessidades_hospital
Sheila Moreira Bezerra
 
Aula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquiteturaAula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquitetura
UNAERP
 
Apostila brises
Apostila brisesApostila brises
Apostila brises
Carlos Elson Cunha
 
Estratégias bioclimáticas
Estratégias bioclimáticasEstratégias bioclimáticas
Estratégias bioclimáticas
Grazielle Clarino
 
6 luos - recuo
6   luos - recuo6   luos - recuo
6 luos - recuo
Campinas Que Queremos
 
Aspectos Ambientais E Impactos Ambientais ApresentaçãO
Aspectos Ambientais E Impactos Ambientais   ApresentaçãOAspectos Ambientais E Impactos Ambientais   ApresentaçãO
Aspectos Ambientais E Impactos Ambientais ApresentaçãO
guest998346
 
Análise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaAnálise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquitetura
Viviane Marques
 
Apresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnosticoApresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnostico
Steves Rocha
 
Nbr 9050 exemplificada acessibilidade-1
Nbr 9050 exemplificada   acessibilidade-1Nbr 9050 exemplificada   acessibilidade-1
Nbr 9050 exemplificada acessibilidade-1
Liz Mendes
 
Análise do terreno e do entorno urbano
Análise do terreno e do entorno urbanoAnálise do terreno e do entorno urbano
Análise do terreno e do entorno urbano
Ana Leticia Cunha
 
Modelo de memorial justificativo
Modelo de memorial justificativoModelo de memorial justificativo
Modelo de memorial justificativo
Janete Silva
 
DESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICA
DESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICADESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICA
DESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICA
Luciana Santos
 
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre LojasProjeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
danilosaccomori
 
Mancha de sol
Mancha de solMancha de sol
Mancha de sol
Carlos Elson Cunha
 
Aula conforto termico
Aula conforto termicoAula conforto termico
01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx
01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx
01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx
Arquiteto Ubiratã Milhomem Costa
 
Conforto termico
Conforto termicoConforto termico
Conforto termico
Cris Nunes
 

Mais procurados (20)

Aula 3 carta solar
Aula 3   carta solarAula 3   carta solar
Aula 3 carta solar
 
Conforto acústico
Conforto acústicoConforto acústico
Conforto acústico
 
Programa de necessidades
Programa de necessidadesPrograma de necessidades
Programa de necessidades
 
Programa de necessidades_hospital
Programa de necessidades_hospitalPrograma de necessidades_hospital
Programa de necessidades_hospital
 
Aula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquiteturaAula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquitetura
 
Apostila brises
Apostila brisesApostila brises
Apostila brises
 
Estratégias bioclimáticas
Estratégias bioclimáticasEstratégias bioclimáticas
Estratégias bioclimáticas
 
6 luos - recuo
6   luos - recuo6   luos - recuo
6 luos - recuo
 
Aspectos Ambientais E Impactos Ambientais ApresentaçãO
Aspectos Ambientais E Impactos Ambientais   ApresentaçãOAspectos Ambientais E Impactos Ambientais   ApresentaçãO
Aspectos Ambientais E Impactos Ambientais ApresentaçãO
 
Análise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaAnálise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquitetura
 
Apresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnosticoApresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnostico
 
Nbr 9050 exemplificada acessibilidade-1
Nbr 9050 exemplificada   acessibilidade-1Nbr 9050 exemplificada   acessibilidade-1
Nbr 9050 exemplificada acessibilidade-1
 
Análise do terreno e do entorno urbano
Análise do terreno e do entorno urbanoAnálise do terreno e do entorno urbano
Análise do terreno e do entorno urbano
 
Modelo de memorial justificativo
Modelo de memorial justificativoModelo de memorial justificativo
Modelo de memorial justificativo
 
DESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICA
DESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICADESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICA
DESIGN DE INTERIORES - UNID I INTRODUÇÃO E EVOLUÇÃO HISTÓRICA
 
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre LojasProjeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
 
Mancha de sol
Mancha de solMancha de sol
Mancha de sol
 
Aula conforto termico
Aula conforto termicoAula conforto termico
Aula conforto termico
 
01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx
01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx
01_Apresentação da Disciplina Atelier de Projeto de Arquitetura I.pptx
 
Conforto termico
Conforto termicoConforto termico
Conforto termico
 

Semelhante a Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil

25793 94001-1-pb
25793 94001-1-pb25793 94001-1-pb
25793 94001-1-pb
Paulo Benevides
 
Artigo do publico 27 dez 2013
Artigo do publico   27 dez 2013Artigo do publico   27 dez 2013
Artigo do publico 27 dez 2013
mariaisabelfreitasfigueiredo
 
RECURSOS ENERGETICOS
RECURSOS ENERGETICOSRECURSOS ENERGETICOS
RECURSOS ENERGETICOS
Marcelo Dores
 
Proteção radiológica
Proteção radiológicaProteção radiológica
Proteção radiológica
Sandro Molter
 
Ambientalismo empresarial
Ambientalismo empresarialAmbientalismo empresarial
Ambientalismo empresarial
Rafael Art
 
Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de casoPoluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Luiz Neto Aguiar
 
Revista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouças
Revista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouçasRevista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouças
Revista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouças
Beto Strumpf
 
Radioatividade
Radioatividade Radioatividade
Radioatividade
pibiduemsquimica
 
Importância da atmosfera para os seres vivos
Importância da atmosfera para os seres vivosImportância da atmosfera para os seres vivos
Importância da atmosfera para os seres vivos
Débora Neves
 
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptxA importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
DboraAlvim1
 
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptxA importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
LUIZGUSTAVORICHARD
 
{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra
{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra
{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra
thayanakr13
 
Ciencias as camadas da atmosfera
Ciencias   as camadas da atmosferaCiencias   as camadas da atmosfera
Ciencias as camadas da atmosfera
Gustavo Soares
 
Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010
guest900530
 
Apresentação do Projeto final Módulo básico
Apresentação do Projeto final  Módulo básicoApresentação do Projeto final  Módulo básico
Apresentação do Projeto final Módulo básico
Marta Durão Nunes
 
Insolação bibliografia
Insolação   bibliografiaInsolação   bibliografia
Insolação bibliografia
Carlos Elson Cunha
 
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicaoAr atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
ANA LUCIA FARIAS
 
Redução da camada de ozônio 1 ano seminário
Redução da camada de ozônio 1 ano seminárioRedução da camada de ozônio 1 ano seminário
Redução da camada de ozônio 1 ano seminário
Geová da Silva
 
Evolucaodaatmosferaterrestre
EvolucaodaatmosferaterrestreEvolucaodaatmosferaterrestre
Evolucaodaatmosferaterrestre
Pelo Siro
 
Agressões Ambientais
Agressões AmbientaisAgressões Ambientais
Agressões Ambientais
sdfn
 

Semelhante a Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil (20)

25793 94001-1-pb
25793 94001-1-pb25793 94001-1-pb
25793 94001-1-pb
 
Artigo do publico 27 dez 2013
Artigo do publico   27 dez 2013Artigo do publico   27 dez 2013
Artigo do publico 27 dez 2013
 
RECURSOS ENERGETICOS
RECURSOS ENERGETICOSRECURSOS ENERGETICOS
RECURSOS ENERGETICOS
 
Proteção radiológica
Proteção radiológicaProteção radiológica
Proteção radiológica
 
Ambientalismo empresarial
Ambientalismo empresarialAmbientalismo empresarial
Ambientalismo empresarial
 
Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de casoPoluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
 
Revista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouças
Revista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouçasRevista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouças
Revista RI 166 - aquecimento global - por lucia rebouças
 
Radioatividade
Radioatividade Radioatividade
Radioatividade
 
Importância da atmosfera para os seres vivos
Importância da atmosfera para os seres vivosImportância da atmosfera para os seres vivos
Importância da atmosfera para os seres vivos
 
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptxA importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
 
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptxA importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
A importância do ozônio na terra e os efeitos do aquecimento global.pptx
 
{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra
{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra
{C437 dcd9 de8b-41fb-a97c-af2d71601d33}-o efeito estufa e a temperatura da terra
 
Ciencias as camadas da atmosfera
Ciencias   as camadas da atmosferaCiencias   as camadas da atmosfera
Ciencias as camadas da atmosfera
 
Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010
 
Apresentação do Projeto final Módulo básico
Apresentação do Projeto final  Módulo básicoApresentação do Projeto final  Módulo básico
Apresentação do Projeto final Módulo básico
 
Insolação bibliografia
Insolação   bibliografiaInsolação   bibliografia
Insolação bibliografia
 
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicaoAr atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
 
Redução da camada de ozônio 1 ano seminário
Redução da camada de ozônio 1 ano seminárioRedução da camada de ozônio 1 ano seminário
Redução da camada de ozônio 1 ano seminário
 
Evolucaodaatmosferaterrestre
EvolucaodaatmosferaterrestreEvolucaodaatmosferaterrestre
Evolucaodaatmosferaterrestre
 
Agressões Ambientais
Agressões AmbientaisAgressões Ambientais
Agressões Ambientais
 

Aula 01 Apresentação da ementa de conforto ambiental para engenharia civil

  • 1. Conforto Ambiental Aula 01 – apresentação e ementa
  • 2. Ementa  Estudo de Conforto térmico, acústico e lumínico no desenvolvimento de projetos de edificações.  Avaliação do condicionamento, segurança, salubridade após a ocupação das edificações.
  • 3. Conteúdo UNIDADE I - Generalidades  1.1. Conceitos fundamentais;  1.2. Mecanismos de trocas térmicas;  1.3. Comportamento térmico do organismo humano;  1.4. Macroclima, mesoclima e microclima;  1.5. Ventilação natural;  1.6. Soluções de projeto; UNIDADE II - Conforto Térmico  2.1. Geometria de Insolação  2.2. Normas técnicas;  2.3. Projeto de edifício sustentável;  2.4. Imagens de projetos;  2.5. Acompanhamento do processo de estudo e elaboração de  soluções de projeto.
  • 4. Conteúdo UNIDADE III - Conforto Acústico  3.1. Conceitos fundamentais;  3.2. Isolamento de ruído;  3.3. Propagação do som ao ar livre;  3.4. Soluções de projeto e tecnologias. UNIDADE IV - Conforto Lumínico  4.1. Conceitos fundamentais;  4.2. Iluminação natural;  4.3. Iluminação artificial UNIDADE V - Avaliação pós-ocupação  5.1. Nível de ruído da edificação em uso  5.2. Isolamento térmico quando habitado
  • 5. BIBLIOGRAFIA BÁSICA  ACIOLI, J.L. Física básica para arquitetura: Mecânica, transmissão de calor, acústica. Brasília, UNB, 1994.  SCHMID, Aloísio. A idéia de conforto: reflexões sobre o ambiente construído. Curitiba: Pacto Ambiental, 2005.  YAZIGI, Walid. A técnica de edificar. 10. ed. São Paulo : PINI, SindusCon, 2009.
  • 6. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR  FROTA, A. B; SHIFFER. Manual de Conforto Térmico. 8. ed. São Paulo: Studio Nobel, 2016.  LAMBERTS, Roberto et al. Eficiência Energética na Arquitetura. 3. ed. Rio de Janeiro: Pocel, 2014. Disponível em: <http://www.mme.gov.br/documents/10584/1985241/Livro - Eficiência Energética na Arquitetura.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2016.>. Acesso em: 30 maio 2016.  LITTLEFIELD, D.. Manual do arquiteto: planejamento, dimensionamento e projeto. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.  TIPLER, P. A.; MOSCA, G. Física para cientistas e engenheiros. 6.ed. Rio de Janeiro: LTC, 2009. 3 v.  YOUNG, H. D.; Freedman, R. A. Física II: termodinâmica e ondas - 10ª edição. Pearson.
  • 7. GENERALIDADES  O Sol, nossa fonte de luz e de vida, é a estrela mais próxima de nós e a que melhor conhecemos.  Basicamente, é uma enorme esfera de gás incandescente, em cujo núcleo acontece a geração de energia através de reações termo-nucleares.  O estudo do Sol serve de base para o conhecimento das outras estrelas, que de tão distantes aparecem para nós como meros pontos de luz.
  • 8. Características  Massa M = 1,989 x 1030 kg  Raio R = 695 500 km = 109 x Raio da Terra  Luminosidade L=3,9×1026 watts=3,9×1033 ergs/s  Temperatura efetiva Tef = 5.785º K = 5511,85ºC  Temperatura central Tc = 15.000.000º K = 14999726,85º C  Composição química principal (No)  Hidrogênio = 91,2 %  Hélio = 8,7%  Oxigênio = 0,078 %  Carbono = 0,043 %
  • 9. Sol A fotosfera, com cerca de 330 km de espessura e temperatura de 5785 K, é a camada visível do Sol.
  • 10. Manchas  As manchas solares seguem um ciclo de 11 anos em que o número de manchas varia entre máximos e mínimos, descoberto em 1843 pelo astrônomo amador alemão Samuel Heinrich Schwabe (1789-1875).  No gráfico abaixo, está registrado o número médio mensal de manchas e o ano.
  • 12. Explosões  Ejeção Coronal de Massa em 14 de setembro de 1999, fotografada pelo SOHO em 3040 Å.
  • 13. Explosões  Normalmente as partículas carregadas são desviadas pelo campo magnético da Terra para o Cinturão de Van Allen, e somente chegam à Terra próximas aos pólos. Entretanto o campo magnético terrestre não é um simples dipolo e existe uma depressão no campo, no Atlântico Sul, que faz com que partículas carregadas também cheguem ao solo na região conhecida como Anomalia Geomagnética do Atlântico Sul. A linha preta representa o equador magnético e o ponto claro o pólo norte magnético.
  • 14. TERRA  Diâmetro = 12750km  Inclinação do eixo = 23º27’
  • 21. Conforto Ambiental  Residencial e Espaços abertos.  Espaços abertos:  B. Fuller, domo sobre Manhattan  Biosfera 2, Arizona  Grimshaw and Partners, Eden Garden, Inglaterra  S.Bernardes, Hotel Tropical de Manaus
  • 22. Buckminster Fuller, Nueva York 1962 Sobre Manhattan  Cubra o volume máximo com a menor área útil possível.  Ela está mudando as condições ambientais propícias a cúpula de vidro. New York é usado como uma desculpa para ser o maior expoente da contemporaneidade naquele momento.
  • 23. Biosfera 2, Arizona  Nos anos 90, um grupo de biólogos tentou montar um ecossistema independente da Terra. Foi a experiência científica mais ousada (e fracassada) da década. Em 2013 tentaram reabrir.  Criar um ambiente 100% autossuficiente, que não precisasse de nada de fora - nem de ar. Um lugar capaz de produzir alimentos e oxigênio suficientes para sustentar vida por tempo indefinido. Esse era o sonho do projeto Biosfera 2, criado por um grupo de biólogos e investidores.  Ao longo de quatro anos, eles construíram uma estufa de vidro com 8.400 metros quadrados no deserto do Arizona. Ela era dividida em ambientes que reproduziam condições terrestres (deserto, floresta e lago, entre outros). Em 26 de setembro de 1991, a experiência começou. Oito pessoas foram trancadas lá dentro, junto com diversos animais e plantas, e as portas foram lacradas. Deu tudo errado. Os níveis de CO2 explodiram, faltou oxigênio, bichos e plantas foram dizimados, os voluntários passaram fome, e um chegou a perder parte de um dedo (quando lembraram que não havia nenhum cirurgião lá dentro). A Biosfera 2 foi considerada um fracasso, e quase acabou demolida.
  • 24. Eden Garden, Inglaterra  Diferente do que muitos pensam, o Projeto Éden não é apenas uma estufa, e sim um complexo constituído por palcos, restaurantes, jardins e duas gigantescas estufas compostas por domos que chegam até 100 metros de altura.