SlideShare uma empresa Scribd logo
1
FACULDADE ANHANGUERA - JOINVILLE
ADMINISTRAÇÃO
GISELE CRISTIANE DIAS LANFREDI - RA 4573717990
LAURA KUJASKI - RA 4300067027
NEUSA REGINA MAIA - RA 38716813
PRISCILA MARCHI - RA: 4300067028
TÍTULO: PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO
PROFESSORA:
JOINVILLE
NOVEMBRO/2014
2
INTRODUÇÃO
Vivemos em um mundo onde temos que estar voltados para o planejamento, para atingir
nossos objetivos é preciso ter metas e para coloca-las em prática e atingirmos essa é meta
planejar.
Neste trabalho vemos que não é diferente com as organizações, é preciso ter uma meta, ou
seja, um produto vendido, uma prestação de serviço, precisa ser de modo ser organizado,
assim pode usufruir da tecnologia, uma grande aliada este século.
Para organizar o que produzir contou com o planejamento e controle da produção que
mostra como usar os recursos de produção, executando o que foi determinado. O mesmo
permite que se controlem todos os momentos da produção, até a fase final, utilizando os
recursos de maneira correta, evitando desperdícios, corrigindo as falhas e chegando a
resultados totalmente satisfatórios.
3
No mundo globalizado em que vivemos, as empresas precisam planejar antecipadamente e
controlar de forma adequada sua produção, a fim de se atingir os objetivos empresariais. Para
isso acontecer, a empresa necessita de duas palavras que fazem toda a diferença na gestão de
qualquer empresa quando aplicadas da forma correta; eficiência e eficácia.
Eficiência acontece quando se utilizam adequadamente os recursos, e está diretamente ligada
aos métodos, normas, procedimentos e programas. Já a eficácia acontece quando se pretende
alcançar os objetivos propostos pela empresa, ou seja, está relacionada aos fins.
Para se ter sucesso no mercado competitivo em que nos deparamos, essas duas palavras
precisam andar juntas, lado a lado, pois tem empresas que são eficientes, mas não são eficazes
e vice versa.
Chegando agora ao centro deste trabalho, vamos ver o conceito de PCP.
De acordo com Chiavenato “O planejamento está voltado para a continuidade da empresa e
focaliza o futuro. Sua importância reside nisto: sem o planejamento a empresa fica perdida no
caos”.
Convenhamos que qualquer empresa que produza ou que preste serviço precisa de um bom
planejamento para conseguir chegar aonde se quer, determinado primeiro o que se deve fazer,
quando fazer, quem deve fazê-lo e de que maneira.
Do outro lado da moeda, temos o controle; onde consiste em medir e corrigir o desempenho
para assegurar que os planos sejam executados da melhor maneira possível. Verifica-se se
tudo está sendo feito dentro do que foi planejado e organizado, conforme as ordens, a fim de
corrigir os erros e desvios, assim evitando sua repetição.
“O planejamento constitui a primeira etapa do processo administrativo e o controle, a
última”. (Chiavenato, 2004)
No caso da produção, o PCP planeja e controla as atividades produtivas da empresa.
O PCP atua antes, durante e depois do processo produtivo, ele se inter- relaciona com várias
áreas da empresa; engenharia industrial, suprimentos, compras, recursos humanos, financeiro,
vendas e produção, como podem visualizar na imagem abaixo.
4
No mundo atual nada mais pode ser por caso ou no improviso, desde curto, médio e longo
prazo deve ser planejado, como por exemplo, fazer um investimento, ter um filho é preciso
estar preparados e "munidos" para o novo para o futuro, pois ele é incerto.
O mesmo deve ser feito em uma Indústria, em uma fabrica de produção.
Conforme o vídeo indicado nos Atps pode ver de forma clara e simples quais as razões e os
benefícios que o planejamento nos traz.
No Primeiro exemplo, uma empresa fictícia que atuava no ramo de produção de brinquedos
e o produto em questão era um modelo de boneca, onde estavam com baixa produtividade,
muitos produtos com má qualidade que acabavam se tornando descarte e o atraso das
entregas das mercadorias, que acabavam prejudicando seus clientes, que não podiam
cumprir com seus compromissos e a imagem da própria empresa. Foi visto pelo diretor da
empresa essa deficiência na linha de produção, e o primeiro passo foi reunir os
responsáveis de empresa para saber o que estava acontecendo, e quais as medidas a serem
tomadas para resolver o problema.
E para identificar o que estava gerando estes transtornos foi preciso ir à linha de produção
para saber algumas respostas, como:
 Quanto produziu por dia?
 Como produzimos?
 Em quanto tempo?
 Quanto gastou para produzir um produto?
 Qual a qualidade total dos produtos?
 Como aumentar a produção do produto sem prejudicar a qualidade
Ou seja, ter o controle total da produção!
Outro passo é saber o que se busca com essas pesquisas, que no caso da empresa era buscar
um preço mais competitivo, e para isso seria preciso controle total da produção.
5
6
CONCLUSÃO
Concluímos neste trabalho que é muito importante para as organizações ter um
planejamento,
Podemos citar PPCP, que é um controle completo, que inicia quando um produto é vendido,
ele mede o índice de qualidade e produtividade, custo da produção, menor índice de falhas,
melhor gerenciamento dos recursos que estão disponíveis, decisões de acordo com o
desenvolvimento do produto, e ele são compatíveis com todos os setores da empresa.
Permitindo que a empresa produza com maior perfeição rapidez, menos custo e maior
lucratividade. Os tipos mais utilizados de planejamento e controle pela indústria estão:
planejamento e controle de capacidade produtiva, de estoque, da cadeia de suprimentos,
MRP, Just in time, de projetos e planejamento e controle de qualidade.
A Produção pode ser feita sob encomenda, em lotes ou contínua. As decisões do
PPCP podem sofrer algumas variáveis, isto pode ocorrer devido a um replanejamento da
produção, as estas decisões não podem alterar em nada a o que foi proposto.
7
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICAS
CHIAVENATO, Idalberto. Planejamento e Controle da Produção. 2. Ed. – São
Paulo, 2008.
Captado em 15 de outubro de 2014 as 12:45h.
Leitura do artigo Planejamento e Controle da Produção e sua importância na administração.
http://www.youtube.com/watch?v=B3Tyk9iftQY Acesso em 25/10/2014
Introdução,
Neste trabalho abordaremos o tema Administração Financeira e seus métodos existentes, na.
analise de investimentos como proceder em cada situação cotidiana e reconheceros tipos de
neg6cios disponíveis para a empresa.
A Administração Financeira esta estritamente ligada a Economia e Contabilidade, pode
ser vista como una forma de Economia aplicada que se baseia amplamente em conceitos
econômicos e em dados contábeis para suas analises.
No ambiente macro a Administração Financeira enfoca o estudo das instituições financeiras e
dos me rc a d o s financeiros e ainda, de como eles operam dentro do sistema financeiro nacional
e global a nível micro aborda o estudo de planejamento financeiro, administração.
de recursos, e capital de empresas e instituições financeiras.
8
A meta principal da Administração Financeira para as empresas eo aumento de seu
lucro/rentabilidade para com seusproprietários. Todas as atividades empresariais envolvem
recursosfinanceiros para a obtençãode lucros. Os proprietários investem em suas
entidades e com o tempo, pretende em ter um retorno compatível com o risco assumido,
atravésde geração de resultados econ6mico-financeiros (lucro/caixa) adequados por um tempo
longo. Na visão dos proprietários, uma organização pode ser conhecida como um sistema de
gera lucros e maximiza os recursos nela investidos,
Ao tentar atingir essa meta devemos aplicar o principio do balanceamento entre risco e
retorno.
Etapa 1
Essa etapa consiste no desenvolvimento dos principais conceitos da administração financeiro
e o seu planejamento, além da interferência do tempo sobre a moeda que tem como assunto a
sua valorização e desvalorização, mostrando de que forma pode interferir no planejamento
financeiro da empresa,
Administração Financeira Define-se Administração financeiro sendo um conjunto de
ações e procedimentos administrativos que envolvem o planejamento a analise e o controle
das atividades financeira da empresa. Temcomo objetivo gerala maximização dos lucros e
como básicos temcomo manter a empresa empermanente situação de liquidez, obter novos
recursos para pianos de expansãoe segurar o necessário equilíbrio entre os objetivos de lucro
e os de liquidez financeira.
9
Para isso se faz necessário um bom planejamento financeiro, que e o que trata o assunto
abaixo. Mas antes disso vale lembrar que, uma correta administração financeira permite que se
visualize a atual situação da empresa,Registros adequados permitem analises e colaboram com
o planejamento para aperfeiçoar resultados.
Planejamento da Administração Financeira
Para atingir seus objetivos e criar formas de alcançá-los, a empresa precisa planejar
antecipadamente de modo que venha traçar formas e meios de conseguirchegar ao seu
objetivo.
Pode-se consideraro planejam ento como urna das atividades de maior importância ia dentro de
uma organização, que se faz necessária em todos os setores da empresa, principalmente nas
atividades da área financeira, como afirma Gitman (1987): ''Os planos financeiros e.
orçamentos fornecem roteiros para atingir os objetivos da empresa. Além disso, esses veículos
“oferecem uma estrutura para coordenar as diversas atividades da empresa e atuam como
mecanismo de controle estabelecendo um padrão de desempenho contra o qual e possível
avaliar os eventos reais.”
Com o planejamento financeiro, o administrador financeiro pode acompanhar as diretrizes de
mudanças e as rever quando se fizer necessário,visualizar com certa antecedência as
possibilidades de investiremos, grau de endividamento e seu montante de dinheiro que será
necessário param se mantiver.
No geral, o planejamento financeiro indica os caminhos que levam as conquistas dos objetivos da
empresa, tanto em curto prazo como também em longo prazo. Para isso, ou para uma gestão
financeira eficaz, os administradores necessitamde ferramentas confiáveis para que o gestor
possa tomar as decis6es certas e oportunas. O Fluxo de caixa tem sido urna dessas ferramentas,
sendo uma das mais eficazes na gestão financeira da empresa.
Interferências do tempo sobre a moeda.
Quando uma empresa deseja fazer novos investimentos e planeja com deve ser feito,
fatores econômicos devem ser analisados para tomada de decis6es.
De acordo com o autor Lawrence (2010) descreve,"Como o campo das finanças este
intimamente associado ao da teoria econ6mica, os administradores financeiros precisam entendera
estrutura da economia e estar alertas para as consequências de níveis variáveis de atividade
econômicas e de mudanças de politica econômica".
1
0
Isso se da principalmente em reação a moeda comsua valorização e desvalorização. Para um
cenário de valorização da moeda nacional, imagina-se uma empresa brasileira que atua com o
mercado de exportação. Quando acontece a valorização da moeda nacional, a empresa
brasileira tem dificuldade competir com os produtos de outros passes. Urra empresa que
exporta para a Europa, onde o real valendo mais que o euro a empresa brasileira não
conseguira vender. Por exemplo, uma mercadoria brasileira que valha mil reais vaiaumentar
de preço para um europeu mesmo que o brasileiro continue vendendo por mil reais, pois na
Europa, na hora de converter esse preço para euros, eles terão que dar mais euros para obter a
mesma mercadoria.
Ou o contrario para asempresas que importam Esse momento e favorável, pois precisara de
menos reaispara a quantidade de euros na compra de urna maquina ou matéria-prima da
Europa, por exemplo.
Agora se imagina que o país esteja passando por um processo de desvalorização da moeda,
consequentemente a inflação, onde a moeda nacional esteja perdendo seu valor, enquanto
que outras como o d61ar faz o inverso, para a empresa atua como comercio exterior, que
trabalha com a importação de matéria prima, por exemplo, com a inflação em alta, o insumo
torna-se real caro e consequentemente o preço de produto final aumenta, aumentando ainda
mais a alta da inflação.
Portantoatravés dessas duas analises feita da valorização e desvalorização da moeda,
conclui-se que, de outra forma ou outra pode interferir no planejamento financeiro da empresa e
o administrador financeiro tem que estarpreparadoe ter mecanismos pararpreveresses
tipos de situações para compor o planejamento.
Diversificação e Risco
Para verificar o risco e necessárioque se tenha conheceremos de como calcular o valor futuro
e valor presente. Atravésdasformas,poderemos calcular o valor:
FV = PV X (1 + 1) N e PV = FV (1 1)N
Relacao entre 0 Risco e 0 Retorno
1
1
Sabe-se que as decisoes financeiras sao tomadas em um arroiente de incerteza em referencia
ao futuro. Alguns investimentos remuneram retornos altos e outros baixos, quanto mais
arriscado rraior devera ser 0 retorno. Para esta analise, devera ser calculada a forrmla:
K = Rf + BX (Rrn - RF)
Etapa 2
Os investimentos financeiros sao alrernativas para aqueles que desejam guardar algum
dinheiro e realizar poupanca para a aposentadoria, uso futuro em caso de necessidades, entre
outros. 0 habito de investir nao e tao grande no Brasil, geralrnente temos habitos de fazer
errprestirros e financiamento e nao 0 contrario. Mas ha mirreras opcoes de investimentos
financeiros com bons resultados e para todos os perils, seja ele moderado, conservador ou
agressivo. As prncpais modalidades de investimentos sao os fundos de investimentos, a
cademeta de poupanca, acoes, ouro, titulos da dfvida publica, entre outros.
Fundo de investirrento tarmem pode ser denominado por comunhao de reCl1I'SOfSinanceiros,
isto e, todo 0 valor invcsrdo e utilizado na compra de bens, seja mobiliarios ou tftulos, que
sao todos passados ao investidor. Por tanto, 0 fundo de investimcnto e uma poupanca
aplicada, em que quaquer pessoa, ffsica ou jurfdica pode realizar, porern serrpre por
inrermedio do banco ou gestora de fundos de investimentos.
Os fundos de investimentos sao classificados de acordo com 0 tipo de investimento,
norrralrre nte usa-se os termos conservador, rmderado ou ousado para identificar 0 perfil do
investidor e assirn escoher 0 fundo nais adequado.
Principais caracterfsticas:
• Urn fundo e compartilhado, isto e, sua conposicao e feito com recursos de diversos
investidores
• 0 objetivo e tentar rraximizar os lucros (retorno) com menor risco
• Geralrrente os fundos exigem um investirnento minirm, cujo vabr dependera da
mstituicao e das caracterfsticas do fund
• Eles podem ser cbssificados em: Renda fixa, renda varavel, Multimercado e outros
1
2
• Em tuna classilicacao mais especifica eles podem ser destinados a investimentos
em acoes, cfutbio, irn6veis, ouro, tfrulos do governo, entre outros.
Caderneta de poupanca
Classificado por conservador, a carderneta de poupanca e muito conhecida, princpalmente
por poder ser fda por qualquer cidadao, necessitando apenas ir a urn banco juntarrente
com sell CPF, RG, Holerite ou qualquer comprovante de renda e un1 comprovante de
residence
atual A poupanca e urn investimento muro tradicional e conservador, paga juros bern
baixos
mais e seguro. Geralrrente a taxa de juros da poupanca gira em torno de 0,5% (meio
por cento).
Principais caracteristicas:
• Rendin1ento: TR + 0,5%
Isen9ao de irrposto de
renda
• Nao ha limite minimo para apli::a9iio ou quando ha eapenas shrnclco
• Menores de idade poderao rer Cademeta de Poupanca
Investir em cannio significa corrprar moeclas estrangeiras, como 0 D6lar, Euro ou Libra,
por exerrplo. Na crrpra de uma moeda 0 investidor espera que esta tenha uma valoriacao
em rela9ao it moeda corrente, 0 Real, e assim vends- a por um valor acirna do valor de
corrpra. Mas a corrpra de rroeda tambem podera ter outras finanlidades, como viagens
para 0 exterior onde a mesma sera usada ou para investimento de longo prazo.
No caso do D6lar as cotacoes em relacao ao Real podem ser classificadas em
• Corrercial: ea cotacao oficial usada nas operacoes comerciais e nas remessas de
rmeda de errpresas com sede no exterior.
• Turismo ou Flutuante: e usado como referencia para compra de moeda estrangeira
para viagem, tanto em especie quanto em travellers.
1
3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Headri Zaus
 
Os desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedorOs desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedor
Alessandra Aparecida Sanches
 
Cap08
Cap08Cap08
Trabalho 4° orçamento
Trabalho 4° orçamentoTrabalho 4° orçamento
Trabalho 4° orçamento
Sabrina Gomes Gomes
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
PBNP_
 
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamentoCap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
kennyaeduardo
 
Aula teste orçamento empresarial
Aula teste orçamento empresarialAula teste orçamento empresarial
Aula teste orçamento empresarial
duartedebora
 
Plano de negócios
Plano de negócios Plano de negócios
Plano de negócios
Mauricio Camargo
 
Como montar um negócio genial - Guia Siga o Rastro
Como montar um negócio genial - Guia Siga o RastroComo montar um negócio genial - Guia Siga o Rastro
Como montar um negócio genial - Guia Siga o Rastro
Diego Cordovez
 
Gerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de ImplementaçãoGerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Sidney Santana
 
Aulaextra orcamentoglobal77329
Aulaextra orcamentoglobal77329Aulaextra orcamentoglobal77329
Aulaextra orcamentoglobal77329
acrcordeiro
 
Just in time ok
Just in time okJust in time ok
Just in time ok
Luziane Azevedo
 
Parte da conclusão
Parte da  conclusãoParte da  conclusão
Parte da conclusão
Ademilton Cunha
 
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Elisângela Oliveira
 
Orçamento Operacional
Orçamento OperacionalOrçamento Operacional
Orçamento Operacional
Edivan Barreto
 
Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)
Sandrarossato2
 
Planeamento e gestão orçamental
Planeamento e gestão orçamentalPlaneamento e gestão orçamental
Planeamento e gestão orçamental
Leonel Boano
 
Melhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentárioMelhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentário
Valini & Associates
 
Palestra plano de negócios codemca
Palestra plano de negócios codemcaPalestra plano de negócios codemca
Palestra plano de negócios codemca
Luis Jeová De Sousa
 
O orçamento empresarial como ferramenta de gestão
O orçamento empresarial como ferramenta de gestãoO orçamento empresarial como ferramenta de gestão
O orçamento empresarial como ferramenta de gestão
Valéria Braga
 

Mais procurados (20)

Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033
 
Os desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedorOs desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedor
 
Cap08
Cap08Cap08
Cap08
 
Trabalho 4° orçamento
Trabalho 4° orçamentoTrabalho 4° orçamento
Trabalho 4° orçamento
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
 
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamentoCap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
 
Aula teste orçamento empresarial
Aula teste orçamento empresarialAula teste orçamento empresarial
Aula teste orçamento empresarial
 
Plano de negócios
Plano de negócios Plano de negócios
Plano de negócios
 
Como montar um negócio genial - Guia Siga o Rastro
Como montar um negócio genial - Guia Siga o RastroComo montar um negócio genial - Guia Siga o Rastro
Como montar um negócio genial - Guia Siga o Rastro
 
Gerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de ImplementaçãoGerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
 
Aulaextra orcamentoglobal77329
Aulaextra orcamentoglobal77329Aulaextra orcamentoglobal77329
Aulaextra orcamentoglobal77329
 
Just in time ok
Just in time okJust in time ok
Just in time ok
 
Parte da conclusão
Parte da  conclusãoParte da  conclusão
Parte da conclusão
 
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
 
Orçamento Operacional
Orçamento OperacionalOrçamento Operacional
Orçamento Operacional
 
Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)
 
Planeamento e gestão orçamental
Planeamento e gestão orçamentalPlaneamento e gestão orçamental
Planeamento e gestão orçamental
 
Melhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentárioMelhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentário
 
Palestra plano de negócios codemca
Palestra plano de negócios codemcaPalestra plano de negócios codemca
Palestra plano de negócios codemca
 
O orçamento empresarial como ferramenta de gestão
O orçamento empresarial como ferramenta de gestãoO orçamento empresarial como ferramenta de gestão
O orçamento empresarial como ferramenta de gestão
 

Destaque

Noble group collateral margin call
Noble group collateral margin callNoble group collateral margin call
Noble group collateral margin call
GE 94
 
Mahatma gandhi
Mahatma gandhiMahatma gandhi
Mahatma gandhi
cumbitara1351
 
Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...
Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...
Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...
UK Carbon Capture and Storage Research Centre
 
Estudiante camilo castillo
Estudiante camilo castilloEstudiante camilo castillo
Estudiante camilo castillo
camilo castillo guerrero
 
Трудове навчання 7 клас 1_параграф
Трудове навчання 7 клас 1_параграфТрудове навчання 7 клас 1_параграф
Трудове навчання 7 клас 1_параграф
Andy Levkovich
 
James Saunby & John Popham - Rural Community Broadband
James Saunby & John Popham - Rural Community BroadbandJames Saunby & John Popham - Rural Community Broadband
James Saunby & John Popham - Rural Community Broadband
Independent Networks Co-operative Association
 
The Wayback Machine
The Wayback MachineThe Wayback Machine
Proyecto blearning
Proyecto blearningProyecto blearning
Proyecto blearning
isnet20
 
La escuela y yo
La escuela y yoLa escuela y yo
La escuela y yo
Karla espinosa ramirez
 
จิรประภา บุญเสนอ 2
จิรประภา  บุญเสนอ 2จิรประภา  บุญเสนอ 2
จิรประภา บุญเสนอ 2
jiraprapayuy
 
Insulin and Neurogenesis 2
Insulin and Neurogenesis 2Insulin and Neurogenesis 2
Insulin and Neurogenesis 2
Tolulope Arogundade
 
HPC on AWS
HPC on AWSHPC on AWS
Slides professores
Slides professoresSlides professores
Slides professores
Elielso Dias
 
Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...
Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...
Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...
José Cantero Gómez
 

Destaque (16)

Noble group collateral margin call
Noble group collateral margin callNoble group collateral margin call
Noble group collateral margin call
 
Mahatma gandhi
Mahatma gandhiMahatma gandhi
Mahatma gandhi
 
Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...
Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...
Physics of Rocks for CO2 reservoir characterisation and monitoring - presenta...
 
Academic Acknowledgements
Academic AcknowledgementsAcademic Acknowledgements
Academic Acknowledgements
 
mosdef,
mosdef,mosdef,
mosdef,
 
Estudiante camilo castillo
Estudiante camilo castilloEstudiante camilo castillo
Estudiante camilo castillo
 
Трудове навчання 7 клас 1_параграф
Трудове навчання 7 клас 1_параграфТрудове навчання 7 клас 1_параграф
Трудове навчання 7 клас 1_параграф
 
James Saunby & John Popham - Rural Community Broadband
James Saunby & John Popham - Rural Community BroadbandJames Saunby & John Popham - Rural Community Broadband
James Saunby & John Popham - Rural Community Broadband
 
The Wayback Machine
The Wayback MachineThe Wayback Machine
The Wayback Machine
 
Proyecto blearning
Proyecto blearningProyecto blearning
Proyecto blearning
 
La escuela y yo
La escuela y yoLa escuela y yo
La escuela y yo
 
จิรประภา บุญเสนอ 2
จิรประภา  บุญเสนอ 2จิรประภา  บุญเสนอ 2
จิรประภา บุญเสนอ 2
 
Insulin and Neurogenesis 2
Insulin and Neurogenesis 2Insulin and Neurogenesis 2
Insulin and Neurogenesis 2
 
HPC on AWS
HPC on AWSHPC on AWS
HPC on AWS
 
Slides professores
Slides professoresSlides professores
Slides professores
 
Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...
Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...
Mi programa formativo septiembre 2016 en marketing experiencial, turismo expe...
 

Semelhante a Atps de planejamento e controle da produção adm 6ª fase

Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Silvana Pires
 
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
João Henrique Begnini
 
Portifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariaisPortifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariais
Leandro Souza
 
Etapa 4 de processo administrativo
Etapa 4 de processo administrativo Etapa 4 de processo administrativo
Etapa 4 de processo administrativo
tiago201301
 
Controladoria: a ferramenta amiga dos Empreendedores
Controladoria: a ferramenta amiga dos EmpreendedoresControladoria: a ferramenta amiga dos Empreendedores
Controladoria: a ferramenta amiga dos Empreendedores
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária iiApostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
GJ MARKETING DIGITAL
 
1 manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...
1   manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...1   manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...
1 manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...
Augusto Alexandre
 
Gestão por Processos
Gestão por ProcessosGestão por Processos
Gestão por Processos
Wandick Rocha de Aquino
 
Orçamento artigo
Orçamento artigoOrçamento artigo
Orçamento artigo
Fabio Castelo Branco
 

Semelhante a Atps de planejamento e controle da produção adm 6ª fase (9)

Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
 
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
 
Portifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariaisPortifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariais
 
Etapa 4 de processo administrativo
Etapa 4 de processo administrativo Etapa 4 de processo administrativo
Etapa 4 de processo administrativo
 
Controladoria: a ferramenta amiga dos Empreendedores
Controladoria: a ferramenta amiga dos EmpreendedoresControladoria: a ferramenta amiga dos Empreendedores
Controladoria: a ferramenta amiga dos Empreendedores
 
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária iiApostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
 
1 manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...
1   manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...1   manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...
1 manual de instrucoes do sistema de apontamento da producao apresentacao e...
 
Gestão por Processos
Gestão por ProcessosGestão por Processos
Gestão por Processos
 
Orçamento artigo
Orçamento artigoOrçamento artigo
Orçamento artigo
 

Atps de planejamento e controle da produção adm 6ª fase

  • 1. 1 FACULDADE ANHANGUERA - JOINVILLE ADMINISTRAÇÃO GISELE CRISTIANE DIAS LANFREDI - RA 4573717990 LAURA KUJASKI - RA 4300067027 NEUSA REGINA MAIA - RA 38716813 PRISCILA MARCHI - RA: 4300067028 TÍTULO: PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO PROFESSORA: JOINVILLE NOVEMBRO/2014
  • 2. 2 INTRODUÇÃO Vivemos em um mundo onde temos que estar voltados para o planejamento, para atingir nossos objetivos é preciso ter metas e para coloca-las em prática e atingirmos essa é meta planejar. Neste trabalho vemos que não é diferente com as organizações, é preciso ter uma meta, ou seja, um produto vendido, uma prestação de serviço, precisa ser de modo ser organizado, assim pode usufruir da tecnologia, uma grande aliada este século. Para organizar o que produzir contou com o planejamento e controle da produção que mostra como usar os recursos de produção, executando o que foi determinado. O mesmo permite que se controlem todos os momentos da produção, até a fase final, utilizando os recursos de maneira correta, evitando desperdícios, corrigindo as falhas e chegando a resultados totalmente satisfatórios.
  • 3. 3 No mundo globalizado em que vivemos, as empresas precisam planejar antecipadamente e controlar de forma adequada sua produção, a fim de se atingir os objetivos empresariais. Para isso acontecer, a empresa necessita de duas palavras que fazem toda a diferença na gestão de qualquer empresa quando aplicadas da forma correta; eficiência e eficácia. Eficiência acontece quando se utilizam adequadamente os recursos, e está diretamente ligada aos métodos, normas, procedimentos e programas. Já a eficácia acontece quando se pretende alcançar os objetivos propostos pela empresa, ou seja, está relacionada aos fins. Para se ter sucesso no mercado competitivo em que nos deparamos, essas duas palavras precisam andar juntas, lado a lado, pois tem empresas que são eficientes, mas não são eficazes e vice versa. Chegando agora ao centro deste trabalho, vamos ver o conceito de PCP. De acordo com Chiavenato “O planejamento está voltado para a continuidade da empresa e focaliza o futuro. Sua importância reside nisto: sem o planejamento a empresa fica perdida no caos”. Convenhamos que qualquer empresa que produza ou que preste serviço precisa de um bom planejamento para conseguir chegar aonde se quer, determinado primeiro o que se deve fazer, quando fazer, quem deve fazê-lo e de que maneira. Do outro lado da moeda, temos o controle; onde consiste em medir e corrigir o desempenho para assegurar que os planos sejam executados da melhor maneira possível. Verifica-se se tudo está sendo feito dentro do que foi planejado e organizado, conforme as ordens, a fim de corrigir os erros e desvios, assim evitando sua repetição. “O planejamento constitui a primeira etapa do processo administrativo e o controle, a última”. (Chiavenato, 2004) No caso da produção, o PCP planeja e controla as atividades produtivas da empresa. O PCP atua antes, durante e depois do processo produtivo, ele se inter- relaciona com várias áreas da empresa; engenharia industrial, suprimentos, compras, recursos humanos, financeiro, vendas e produção, como podem visualizar na imagem abaixo.
  • 4. 4 No mundo atual nada mais pode ser por caso ou no improviso, desde curto, médio e longo prazo deve ser planejado, como por exemplo, fazer um investimento, ter um filho é preciso estar preparados e "munidos" para o novo para o futuro, pois ele é incerto. O mesmo deve ser feito em uma Indústria, em uma fabrica de produção. Conforme o vídeo indicado nos Atps pode ver de forma clara e simples quais as razões e os benefícios que o planejamento nos traz. No Primeiro exemplo, uma empresa fictícia que atuava no ramo de produção de brinquedos e o produto em questão era um modelo de boneca, onde estavam com baixa produtividade, muitos produtos com má qualidade que acabavam se tornando descarte e o atraso das entregas das mercadorias, que acabavam prejudicando seus clientes, que não podiam cumprir com seus compromissos e a imagem da própria empresa. Foi visto pelo diretor da empresa essa deficiência na linha de produção, e o primeiro passo foi reunir os responsáveis de empresa para saber o que estava acontecendo, e quais as medidas a serem tomadas para resolver o problema. E para identificar o que estava gerando estes transtornos foi preciso ir à linha de produção para saber algumas respostas, como:  Quanto produziu por dia?  Como produzimos?  Em quanto tempo?  Quanto gastou para produzir um produto?  Qual a qualidade total dos produtos?  Como aumentar a produção do produto sem prejudicar a qualidade Ou seja, ter o controle total da produção! Outro passo é saber o que se busca com essas pesquisas, que no caso da empresa era buscar um preço mais competitivo, e para isso seria preciso controle total da produção.
  • 5. 5
  • 6. 6 CONCLUSÃO Concluímos neste trabalho que é muito importante para as organizações ter um planejamento, Podemos citar PPCP, que é um controle completo, que inicia quando um produto é vendido, ele mede o índice de qualidade e produtividade, custo da produção, menor índice de falhas, melhor gerenciamento dos recursos que estão disponíveis, decisões de acordo com o desenvolvimento do produto, e ele são compatíveis com todos os setores da empresa. Permitindo que a empresa produza com maior perfeição rapidez, menos custo e maior lucratividade. Os tipos mais utilizados de planejamento e controle pela indústria estão: planejamento e controle de capacidade produtiva, de estoque, da cadeia de suprimentos, MRP, Just in time, de projetos e planejamento e controle de qualidade. A Produção pode ser feita sob encomenda, em lotes ou contínua. As decisões do PPCP podem sofrer algumas variáveis, isto pode ocorrer devido a um replanejamento da produção, as estas decisões não podem alterar em nada a o que foi proposto.
  • 7. 7 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICAS CHIAVENATO, Idalberto. Planejamento e Controle da Produção. 2. Ed. – São Paulo, 2008. Captado em 15 de outubro de 2014 as 12:45h. Leitura do artigo Planejamento e Controle da Produção e sua importância na administração. http://www.youtube.com/watch?v=B3Tyk9iftQY Acesso em 25/10/2014 Introdução, Neste trabalho abordaremos o tema Administração Financeira e seus métodos existentes, na. analise de investimentos como proceder em cada situação cotidiana e reconheceros tipos de neg6cios disponíveis para a empresa. A Administração Financeira esta estritamente ligada a Economia e Contabilidade, pode ser vista como una forma de Economia aplicada que se baseia amplamente em conceitos econômicos e em dados contábeis para suas analises. No ambiente macro a Administração Financeira enfoca o estudo das instituições financeiras e dos me rc a d o s financeiros e ainda, de como eles operam dentro do sistema financeiro nacional e global a nível micro aborda o estudo de planejamento financeiro, administração. de recursos, e capital de empresas e instituições financeiras.
  • 8. 8 A meta principal da Administração Financeira para as empresas eo aumento de seu lucro/rentabilidade para com seusproprietários. Todas as atividades empresariais envolvem recursosfinanceiros para a obtençãode lucros. Os proprietários investem em suas entidades e com o tempo, pretende em ter um retorno compatível com o risco assumido, atravésde geração de resultados econ6mico-financeiros (lucro/caixa) adequados por um tempo longo. Na visão dos proprietários, uma organização pode ser conhecida como um sistema de gera lucros e maximiza os recursos nela investidos, Ao tentar atingir essa meta devemos aplicar o principio do balanceamento entre risco e retorno. Etapa 1 Essa etapa consiste no desenvolvimento dos principais conceitos da administração financeiro e o seu planejamento, além da interferência do tempo sobre a moeda que tem como assunto a sua valorização e desvalorização, mostrando de que forma pode interferir no planejamento financeiro da empresa, Administração Financeira Define-se Administração financeiro sendo um conjunto de ações e procedimentos administrativos que envolvem o planejamento a analise e o controle das atividades financeira da empresa. Temcomo objetivo gerala maximização dos lucros e como básicos temcomo manter a empresa empermanente situação de liquidez, obter novos recursos para pianos de expansãoe segurar o necessário equilíbrio entre os objetivos de lucro e os de liquidez financeira.
  • 9. 9 Para isso se faz necessário um bom planejamento financeiro, que e o que trata o assunto abaixo. Mas antes disso vale lembrar que, uma correta administração financeira permite que se visualize a atual situação da empresa,Registros adequados permitem analises e colaboram com o planejamento para aperfeiçoar resultados. Planejamento da Administração Financeira Para atingir seus objetivos e criar formas de alcançá-los, a empresa precisa planejar antecipadamente de modo que venha traçar formas e meios de conseguirchegar ao seu objetivo. Pode-se consideraro planejam ento como urna das atividades de maior importância ia dentro de uma organização, que se faz necessária em todos os setores da empresa, principalmente nas atividades da área financeira, como afirma Gitman (1987): ''Os planos financeiros e. orçamentos fornecem roteiros para atingir os objetivos da empresa. Além disso, esses veículos “oferecem uma estrutura para coordenar as diversas atividades da empresa e atuam como mecanismo de controle estabelecendo um padrão de desempenho contra o qual e possível avaliar os eventos reais.” Com o planejamento financeiro, o administrador financeiro pode acompanhar as diretrizes de mudanças e as rever quando se fizer necessário,visualizar com certa antecedência as possibilidades de investiremos, grau de endividamento e seu montante de dinheiro que será necessário param se mantiver. No geral, o planejamento financeiro indica os caminhos que levam as conquistas dos objetivos da empresa, tanto em curto prazo como também em longo prazo. Para isso, ou para uma gestão financeira eficaz, os administradores necessitamde ferramentas confiáveis para que o gestor possa tomar as decis6es certas e oportunas. O Fluxo de caixa tem sido urna dessas ferramentas, sendo uma das mais eficazes na gestão financeira da empresa. Interferências do tempo sobre a moeda. Quando uma empresa deseja fazer novos investimentos e planeja com deve ser feito, fatores econômicos devem ser analisados para tomada de decis6es. De acordo com o autor Lawrence (2010) descreve,"Como o campo das finanças este intimamente associado ao da teoria econ6mica, os administradores financeiros precisam entendera estrutura da economia e estar alertas para as consequências de níveis variáveis de atividade econômicas e de mudanças de politica econômica".
  • 10. 1 0 Isso se da principalmente em reação a moeda comsua valorização e desvalorização. Para um cenário de valorização da moeda nacional, imagina-se uma empresa brasileira que atua com o mercado de exportação. Quando acontece a valorização da moeda nacional, a empresa brasileira tem dificuldade competir com os produtos de outros passes. Urra empresa que exporta para a Europa, onde o real valendo mais que o euro a empresa brasileira não conseguira vender. Por exemplo, uma mercadoria brasileira que valha mil reais vaiaumentar de preço para um europeu mesmo que o brasileiro continue vendendo por mil reais, pois na Europa, na hora de converter esse preço para euros, eles terão que dar mais euros para obter a mesma mercadoria. Ou o contrario para asempresas que importam Esse momento e favorável, pois precisara de menos reaispara a quantidade de euros na compra de urna maquina ou matéria-prima da Europa, por exemplo. Agora se imagina que o país esteja passando por um processo de desvalorização da moeda, consequentemente a inflação, onde a moeda nacional esteja perdendo seu valor, enquanto que outras como o d61ar faz o inverso, para a empresa atua como comercio exterior, que trabalha com a importação de matéria prima, por exemplo, com a inflação em alta, o insumo torna-se real caro e consequentemente o preço de produto final aumenta, aumentando ainda mais a alta da inflação. Portantoatravés dessas duas analises feita da valorização e desvalorização da moeda, conclui-se que, de outra forma ou outra pode interferir no planejamento financeiro da empresa e o administrador financeiro tem que estarpreparadoe ter mecanismos pararpreveresses tipos de situações para compor o planejamento. Diversificação e Risco Para verificar o risco e necessárioque se tenha conheceremos de como calcular o valor futuro e valor presente. Atravésdasformas,poderemos calcular o valor: FV = PV X (1 + 1) N e PV = FV (1 1)N Relacao entre 0 Risco e 0 Retorno
  • 11. 1 1 Sabe-se que as decisoes financeiras sao tomadas em um arroiente de incerteza em referencia ao futuro. Alguns investimentos remuneram retornos altos e outros baixos, quanto mais arriscado rraior devera ser 0 retorno. Para esta analise, devera ser calculada a forrmla: K = Rf + BX (Rrn - RF) Etapa 2 Os investimentos financeiros sao alrernativas para aqueles que desejam guardar algum dinheiro e realizar poupanca para a aposentadoria, uso futuro em caso de necessidades, entre outros. 0 habito de investir nao e tao grande no Brasil, geralrnente temos habitos de fazer errprestirros e financiamento e nao 0 contrario. Mas ha mirreras opcoes de investimentos financeiros com bons resultados e para todos os perils, seja ele moderado, conservador ou agressivo. As prncpais modalidades de investimentos sao os fundos de investimentos, a cademeta de poupanca, acoes, ouro, titulos da dfvida publica, entre outros. Fundo de investirrento tarmem pode ser denominado por comunhao de reCl1I'SOfSinanceiros, isto e, todo 0 valor invcsrdo e utilizado na compra de bens, seja mobiliarios ou tftulos, que sao todos passados ao investidor. Por tanto, 0 fundo de investimcnto e uma poupanca aplicada, em que quaquer pessoa, ffsica ou jurfdica pode realizar, porern serrpre por inrermedio do banco ou gestora de fundos de investimentos. Os fundos de investimentos sao classificados de acordo com 0 tipo de investimento, norrralrre nte usa-se os termos conservador, rmderado ou ousado para identificar 0 perfil do investidor e assirn escoher 0 fundo nais adequado. Principais caracterfsticas: • Urn fundo e compartilhado, isto e, sua conposicao e feito com recursos de diversos investidores • 0 objetivo e tentar rraximizar os lucros (retorno) com menor risco • Geralrrente os fundos exigem um investirnento minirm, cujo vabr dependera da mstituicao e das caracterfsticas do fund • Eles podem ser cbssificados em: Renda fixa, renda varavel, Multimercado e outros
  • 12. 1 2 • Em tuna classilicacao mais especifica eles podem ser destinados a investimentos em acoes, cfutbio, irn6veis, ouro, tfrulos do governo, entre outros. Caderneta de poupanca Classificado por conservador, a carderneta de poupanca e muito conhecida, princpalmente por poder ser fda por qualquer cidadao, necessitando apenas ir a urn banco juntarrente com sell CPF, RG, Holerite ou qualquer comprovante de renda e un1 comprovante de residence atual A poupanca e urn investimento muro tradicional e conservador, paga juros bern baixos mais e seguro. Geralrrente a taxa de juros da poupanca gira em torno de 0,5% (meio por cento). Principais caracteristicas: • Rendin1ento: TR + 0,5% Isen9ao de irrposto de renda • Nao ha limite minimo para apli::a9iio ou quando ha eapenas shrnclco • Menores de idade poderao rer Cademeta de Poupanca Investir em cannio significa corrprar moeclas estrangeiras, como 0 D6lar, Euro ou Libra, por exerrplo. Na crrpra de uma moeda 0 investidor espera que esta tenha uma valoriacao em rela9ao it moeda corrente, 0 Real, e assim vends- a por um valor acirna do valor de corrpra. Mas a corrpra de rroeda tambem podera ter outras finanlidades, como viagens para 0 exterior onde a mesma sera usada ou para investimento de longo prazo. No caso do D6lar as cotacoes em relacao ao Real podem ser classificadas em • Corrercial: ea cotacao oficial usada nas operacoes comerciais e nas remessas de rmeda de errpresas com sede no exterior. • Turismo ou Flutuante: e usado como referencia para compra de moeda estrangeira para viagem, tanto em especie quanto em travellers.
  • 13. 1 3