SlideShare uma empresa Scribd logo
Como evitar a exclusão em
atividades e ambientes escolares.
Como evitar a exclusão em
atividades e ambientes escolares.
Professor Orientador: RICARDO CASTRO
Professor Coordenador: Dr. CLAUDIO POSSANI
Integrantes:
• ALESSANDRO SZABO
• CARLOS EDUARDO BRAGA DA COSTA
• FLAVIO PEREIRA DE DEUS
• MARGARETH APARECIDA EMIDIO RIBEIRO PINTO
• RAFAEL KUHN SANTOS
• WILLIAM CABRAL DE OLIVEIRA DOS SANTOS
Como evitar a exclusão em atividades e
ambientes escolares.
Este trabalho tem como objetivo apresentar dados e um cenário que
manifeste a dificuldade dos profissionais da área de educação
mediante a necessidade de integração e inclusão de todos os seus
educandos nos diversos ambientes escolares.
Objetivo Geral:
•Capacitar o professor com ferramentas e subsídios possibilitando-o
propor atividades em ambiente escolar sem que ele seja o
responsável por criar e evidenciar diferenças. (Ser o agente gerador
da exclusão)
Objetivos Específicos:
•Identificar atividades que geram exclusão;
•Evidenciar a necessidade de troca (relacionamentos interpessoais)
entre os alunos;
•Propor novas formas de aplicação dessas atividades para alcançar o
resultado da troca; (relacionamentos e interações positivas)
Justificativa
• Acreditamos que reduzir o sentimento e a efetiva exclusão nos
ambientes escolares é vital para o processo de desenvolvimento
cognitivo e interpessoal do ser humano como um todo;
• A exclusão em toda e qualquer forma vivida pode acarretar sequelas
para a vida toda;
• Muito mais do que levantar dados que exemplificam a exclusão
nossa proposta é reconhecer e minimizar ao máximo esse resultado.
Referencial Teórico
• Segundo José Pacheco (2007) a inclusão pressupõe que a escola se
ajuste a todas as crianças que desejam matricular-se em sua
localidade, em vez de esperar que uma determinada criança se
ajuste à escola (isso seria apenas uma integração, não uma inclusão!)
Referencial Teórico
• De certa forma todos nós um dia na vida sofremos com uma ou
diversas dessas situações até realmente sermos aceitos e incluídos:
Referencial Teórico
“Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional LDBEN (art.
58 e seguintes), o atendimento educacional especializado será feito
em classes, escolas, ou serviços especializados, sempre que, em
função das condições específicas dos alunos, não for possível a sua
integração nas classes comuns do ensino regular (art. 59, ß 2º)”
Referencial Teórico
“Confunde-se inclusão com integração, um aluno inserido numa classe
regular que não interage com os demais colegas, está somente
integrado em uma escola que se diz inclusiva, mas, que não
proporciona condições para a melhoria da educação em geral.”
Roberta Vieira de Vargas
(Revista o Professor, 2017)
Referencial Teórico
“(...)o trabalho com pares pode ser uma ajuda valiosa, pois os próprios
estudantes podem ser recurso para a aprendizagem, pois alunos
ensinam uns aos outros.”
Maria Helena Palma de Oliveira (Univesp, 2017)
Metodologia
Pesquisa Descritiva / Explicativa
• Com o objetivo de descrever as características do fenômeno exclusão
em ambientes escolares, queremos estabelecer as relações entre
professor – aluno.
• Buscando explicar o fenômeno após sua análise queremos propor
formas de interferências para mudança dessa realidade.
Metodologia
• Pesquisa bibliográfica do acervo da Biblioteca do UNICEU Jaçanã
sobre o tema;
• Desenvolvimento de questionário para posterior entrevista
elencando as situações e dificuldades de inclusão;
• Entrevista com profissional da educação em relação ao assunto
“dificuldades na inclusão em ambientes escolares”;
• Análise e transcrição da entrevista;
• Divulgação dos comentários e resultados obtidos;
Anexo
Trecho editado da entrevista concedida por cs questões relativas à
inclusão e diversidade no ambiente escolar. Entrevista concebida ao
grupo nos dia 27 e 28 novembro 2017:
https://youtu.be/iAw0pYk4C2g
Conclusão
Os temas diversidade e inclusão, embora muito falado hoje em dia,
não estão sendo efetivamente colocados em prática pela sociedade.
Por vários motivos: desconhecimento dos direitos, preconceitos,
despreparo teórico e ou prático, são apenas alguns problemas que o
grupo conseguiu identificar neste trabalho, em relação à inclusão. E,
em alguns casos, a própria escola e o próprio professor são os
geradores dessa não inclusão.
Conclusão
É necessário um aprofundamento maior dessa questão. Não apenas
em relação ao professor e aluno, mas também com toda a
sociedade. Uma transformação dessa realidade.
Referências Bibliográficas
• AQUINO, Julio Groppa. Confrontos na Sala de aula: Uma leitura institucional da relação professor-
aluno. São Paulo: Summus, 1996
• BLIN, Jean-François. Classes Difíceis: Ferramentas para prevenir e administrar os problemas
escolares. Porto Alegre: Artmed, 2005;
• BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei nº 9394/96 Disponivel em
<http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf> Acessado em 06 de novembro
de 2017
• MELLO, Guiomar Namo de. Cidadania e competividade: desafios educacionais do terceiro milenio.
São Paulo: Cortez, 2002
• PACHECO, José, Eggertsdóttir, Rosa, & Marinósson, Gretar L. (2007). Caminhos para a inclusão.
Porto Alegre: Artmed;
Referências Bibliográficas
• SOLER, Reinaldo. Jogos cooperativos. Rio de Janeiro: Sprint, 2006
• VARGAS, Roberta vieira de. Os desafios de incluir sem excluir- Acessado
<http://www.revistaoprofessor.com.br/wordpress/?p=232> em 06 de novembro 2017
• OLIVEIRA, Maria Helena Palma. Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP): implicações para os
processos de ensino e aprendizagem, Univesp
• Constituição Federal, Artigo 1 e 3, página 15
• LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996, - Acessado : https://www.planalto.gov.br/ccivil_
• 03/Leis/L9394.htm, em 12-12-2017
• LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015, : Acessado: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/
• _ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm em 12-12-2017

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃO
CUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃOCUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃO
CUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃO
Joaquim Colôa
 
II Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SP
II Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SPII Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SP
II Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SP
Sancléia Passos
 
Autismo na educação infantil
Autismo na educação infantilAutismo na educação infantil
Autismo na educação infantil
SimoneHelenDrumond
 
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismoO papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
Amanda Barbosa
 
Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)
Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)
Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)
Josiane Jäger
 
SÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
SÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVASÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
SÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
Joaquim Colôa
 
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
katiaregyna
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
Heilane Santos
 
Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...
Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...
Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...
IESAP Virtual
 
Inclusão: Do que Falamos?
Inclusão: Do que Falamos?Inclusão: Do que Falamos?
Inclusão: Do que Falamos?
Joaquim Colôa
 
Inclusão sol e lucy
Inclusão  sol e lucyInclusão  sol e lucy
Inclusão sol e lucy
Marlene Evangelista
 
Aprender a ser.
Aprender a ser.Aprender a ser.
Aprender a ser.
Stef Pires
 
Palestra emanoele inclusão ou integração
Palestra emanoele   inclusão ou integraçãoPalestra emanoele   inclusão ou integração
Palestra emanoele inclusão ou integração
Emanoele freitas
 
Progestão Jb
Progestão JbProgestão Jb
Progestão Jb
guest36fe6f
 
Livro educação inclusiva
Livro educação inclusivaLivro educação inclusiva
Livro educação inclusiva
Claudinéia da Silva de Oliveira
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
Ulisses Vakirtzis
 
Gestor escolar número 8
Gestor escolar número 8Gestor escolar número 8
Gestor escolar número 8
CÉSAR TAVARES
 
Inclusão escolar de portadores de necessidades especiais
Inclusão escolar de portadores de necessidades especiaisInclusão escolar de portadores de necessidades especiais
Inclusão escolar de portadores de necessidades especiais
agaquino
 
As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)
As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)
As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)
Marcos Augusto
 

Mais procurados (20)

CUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃO
CUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃOCUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃO
CUIDAR DA RELAÇÃO FAMILIA - ESCOLA: UMA DUPLA CAPACITAÇÃO
 
II Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SP
II Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SPII Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SP
II Projeto Integrador - Univesp Polo Mococa SP
 
Autismo na educação infantil
Autismo na educação infantilAutismo na educação infantil
Autismo na educação infantil
 
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismoO papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
 
Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)
Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)
Eixo2 marcelo de_souza_pôster_resumo (1)
 
SÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
SÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVASÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
SÉCULO XXI: DESAFIOS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
 
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...
Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...
Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional, ...
 
Inclusão: Do que Falamos?
Inclusão: Do que Falamos?Inclusão: Do que Falamos?
Inclusão: Do que Falamos?
 
Inclusão sol e lucy
Inclusão  sol e lucyInclusão  sol e lucy
Inclusão sol e lucy
 
Aprender a ser.
Aprender a ser.Aprender a ser.
Aprender a ser.
 
Palestra emanoele inclusão ou integração
Palestra emanoele   inclusão ou integraçãoPalestra emanoele   inclusão ou integração
Palestra emanoele inclusão ou integração
 
Progestão Jb
Progestão JbProgestão Jb
Progestão Jb
 
Livro educação inclusiva
Livro educação inclusivaLivro educação inclusiva
Livro educação inclusiva
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
 
Gestor escolar número 8
Gestor escolar número 8Gestor escolar número 8
Gestor escolar número 8
 
Inclusão escolar de portadores de necessidades especiais
Inclusão escolar de portadores de necessidades especiaisInclusão escolar de portadores de necessidades especiais
Inclusão escolar de portadores de necessidades especiais
 
As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)
As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)
As escolas como espaçostempos dos sonhos (nilda)
 

Semelhante a ATIVIDADES EM SALA DE AULA QUE REALMENTE INCLUEM: COMO O PROFESSOR PODE REALMENTE INTEGRAR A CLASSE

VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
Acade Consultoria
 
Aula do dia 03 de outubro
Aula do dia 03 de outubroAula do dia 03 de outubro
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Thiago de Almeida
 
Uma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosa
Uma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosaUma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosa
Uma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosa
Gi Barbosa - Ideia Criativa
 
Desafio profissional portifóli
Desafio profissional  portifóliDesafio profissional  portifóli
Desafio profissional portifóli
lenice2015
 
Desafio profissional portifóli
Desafio profissional  portifóliDesafio profissional  portifóli
Desafio profissional portifóli
lenice2015
 
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTE
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTEA FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTE
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTE
ProfessorPrincipiante
 
Antonio ribeiro
Antonio ribeiroAntonio ribeiro
Antonio ribeiro
Antonio Ribeiro Ferreira
 
20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.
Fernanda Ledesma
 
Pedagogia 7 e 8
Pedagogia 7 e 8Pedagogia 7 e 8
Pedagogia 7 e 8
Arleno
 
PCN
PCNPCN
Inclusão entre a teoria e a prática e.ou entre a
Inclusão  entre a teoria e a prática e.ou entre aInclusão  entre a teoria e a prática e.ou entre a
Inclusão entre a teoria e a prática e.ou entre a
Caminhos do Autismo
 
Artigo10 didatica-na-relacao-professor-aluno
Artigo10 didatica-na-relacao-professor-alunoArtigo10 didatica-na-relacao-professor-aluno
Artigo10 didatica-na-relacao-professor-aluno
UFRJ
 
Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...
Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...
Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...
profLetica
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
pedagogianh
 
Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.
Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.
Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.
197569go
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
moniquests
 
Questionario clima
Questionario climaQuestionario clima
Questionario clima
Marina Heitor
 
Inclusão texto final
Inclusão texto finalInclusão texto final
Inclusão texto final
Daniela Gil
 
Didatica Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Didatica Ead Joao Jose Saraiva Da FonsecaDidatica Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Didatica Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
joao jose saraiva da fonseca
 

Semelhante a ATIVIDADES EM SALA DE AULA QUE REALMENTE INCLUEM: COMO O PROFESSOR PODE REALMENTE INTEGRAR A CLASSE (20)

VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
 
Aula do dia 03 de outubro
Aula do dia 03 de outubroAula do dia 03 de outubro
Aula do dia 03 de outubro
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
 
Uma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosa
Uma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosaUma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosa
Uma proposta inclusiva estudo de caso gi barbosa
 
Desafio profissional portifóli
Desafio profissional  portifóliDesafio profissional  portifóli
Desafio profissional portifóli
 
Desafio profissional portifóli
Desafio profissional  portifóliDesafio profissional  portifóli
Desafio profissional portifóli
 
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTE
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTEA FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTE
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICA DOCENTE
 
Antonio ribeiro
Antonio ribeiroAntonio ribeiro
Antonio ribeiro
 
20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.
 
Pedagogia 7 e 8
Pedagogia 7 e 8Pedagogia 7 e 8
Pedagogia 7 e 8
 
PCN
PCNPCN
PCN
 
Inclusão entre a teoria e a prática e.ou entre a
Inclusão  entre a teoria e a prática e.ou entre aInclusão  entre a teoria e a prática e.ou entre a
Inclusão entre a teoria e a prática e.ou entre a
 
Artigo10 didatica-na-relacao-professor-aluno
Artigo10 didatica-na-relacao-professor-alunoArtigo10 didatica-na-relacao-professor-aluno
Artigo10 didatica-na-relacao-professor-aluno
 
Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...
Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...
Representações sociais de professores do III Ciclo da rede municipal de Porto...
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
 
Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.
Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.
Ee ta versão_final_gilbertootavianodasilva.
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
Questionario clima
Questionario climaQuestionario clima
Questionario clima
 
Inclusão texto final
Inclusão texto finalInclusão texto final
Inclusão texto final
 
Didatica Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Didatica Ead Joao Jose Saraiva Da FonsecaDidatica Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Didatica Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
 

Mais de Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco

Conect World - Projeto
Conect World - ProjetoConect World - Projeto
Bella Modas - TCM
Bella Modas - TCMBella Modas - TCM
Belas Facahadas (Apresentação)
Belas Facahadas (Apresentação)Belas Facahadas (Apresentação)
Belas Fachadas - TCM
Belas Fachadas - TCMBelas Fachadas - TCM
Contadores e Registradores
Contadores e RegistradoresContadores e Registradores
Culto de Missôes
Culto de MissôesCulto de Missôes
Feriados Novembro - Seu Significados
Feriados  Novembro - Seu SignificadosFeriados  Novembro - Seu Significados
Outubro Rosa - Curiososidades
Outubro Rosa - CuriososidadesOutubro Rosa - Curiososidades
Outubro Rosa - Prevenção
Outubro Rosa - PrevençãoOutubro Rosa - Prevenção
Outubro Rosa - Cancer de Mama
Outubro Rosa - Cancer de MamaOutubro Rosa - Cancer de Mama
Tranquilizantes
TranquilizantesTranquilizantes
Opiáceos
OpiáceosOpiáceos
Nicotina
NicotinaNicotina
Maconha
Maconha Maconha
LSD (Doce ou Balinha)
LSD (Doce ou Balinha)LSD (Doce ou Balinha)
Club Drugs
Club DrugsClub Drugs
Cogumelos
CogumelosCogumelos
Cases de Sucesso - Empreendedorismo Social
Cases de Sucesso - Empreendedorismo SocialCases de Sucesso - Empreendedorismo Social
Cases de Sucesso - Empreendedorismo Social
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
Diferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
Diferenças entre Empreendededorismo Social e EmpresasrialDiferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
Diferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
Empreendedorismo - Perfil do Empreendedor Brasileiro
Empreendedorismo - Perfil do Empreendedor BrasileiroEmpreendedorismo - Perfil do Empreendedor Brasileiro
Empreendedorismo - Perfil do Empreendedor Brasileiro
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 

Mais de Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco (20)

Conect World - Projeto
Conect World - ProjetoConect World - Projeto
Conect World - Projeto
 
Bella Modas - TCM
Bella Modas - TCMBella Modas - TCM
Bella Modas - TCM
 
Belas Facahadas (Apresentação)
Belas Facahadas (Apresentação)Belas Facahadas (Apresentação)
Belas Facahadas (Apresentação)
 
Belas Fachadas - TCM
Belas Fachadas - TCMBelas Fachadas - TCM
Belas Fachadas - TCM
 
Contadores e Registradores
Contadores e RegistradoresContadores e Registradores
Contadores e Registradores
 
Culto de Missôes
Culto de MissôesCulto de Missôes
Culto de Missôes
 
Feriados Novembro - Seu Significados
Feriados  Novembro - Seu SignificadosFeriados  Novembro - Seu Significados
Feriados Novembro - Seu Significados
 
Outubro Rosa - Curiososidades
Outubro Rosa - CuriososidadesOutubro Rosa - Curiososidades
Outubro Rosa - Curiososidades
 
Outubro Rosa - Prevenção
Outubro Rosa - PrevençãoOutubro Rosa - Prevenção
Outubro Rosa - Prevenção
 
Outubro Rosa - Cancer de Mama
Outubro Rosa - Cancer de MamaOutubro Rosa - Cancer de Mama
Outubro Rosa - Cancer de Mama
 
Tranquilizantes
TranquilizantesTranquilizantes
Tranquilizantes
 
Opiáceos
OpiáceosOpiáceos
Opiáceos
 
Nicotina
NicotinaNicotina
Nicotina
 
Maconha
Maconha Maconha
Maconha
 
LSD (Doce ou Balinha)
LSD (Doce ou Balinha)LSD (Doce ou Balinha)
LSD (Doce ou Balinha)
 
Club Drugs
Club DrugsClub Drugs
Club Drugs
 
Cogumelos
CogumelosCogumelos
Cogumelos
 
Cases de Sucesso - Empreendedorismo Social
Cases de Sucesso - Empreendedorismo SocialCases de Sucesso - Empreendedorismo Social
Cases de Sucesso - Empreendedorismo Social
 
Diferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
Diferenças entre Empreendededorismo Social e EmpresasrialDiferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
Diferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
 
Empreendedorismo - Perfil do Empreendedor Brasileiro
Empreendedorismo - Perfil do Empreendedor BrasileiroEmpreendedorismo - Perfil do Empreendedor Brasileiro
Empreendedorismo - Perfil do Empreendedor Brasileiro
 

Último

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 

Último (20)

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 

ATIVIDADES EM SALA DE AULA QUE REALMENTE INCLUEM: COMO O PROFESSOR PODE REALMENTE INTEGRAR A CLASSE

  • 1. Como evitar a exclusão em atividades e ambientes escolares.
  • 2. Como evitar a exclusão em atividades e ambientes escolares. Professor Orientador: RICARDO CASTRO Professor Coordenador: Dr. CLAUDIO POSSANI
  • 3. Integrantes: • ALESSANDRO SZABO • CARLOS EDUARDO BRAGA DA COSTA • FLAVIO PEREIRA DE DEUS • MARGARETH APARECIDA EMIDIO RIBEIRO PINTO • RAFAEL KUHN SANTOS • WILLIAM CABRAL DE OLIVEIRA DOS SANTOS
  • 4. Como evitar a exclusão em atividades e ambientes escolares. Este trabalho tem como objetivo apresentar dados e um cenário que manifeste a dificuldade dos profissionais da área de educação mediante a necessidade de integração e inclusão de todos os seus educandos nos diversos ambientes escolares.
  • 5. Objetivo Geral: •Capacitar o professor com ferramentas e subsídios possibilitando-o propor atividades em ambiente escolar sem que ele seja o responsável por criar e evidenciar diferenças. (Ser o agente gerador da exclusão)
  • 6. Objetivos Específicos: •Identificar atividades que geram exclusão; •Evidenciar a necessidade de troca (relacionamentos interpessoais) entre os alunos; •Propor novas formas de aplicação dessas atividades para alcançar o resultado da troca; (relacionamentos e interações positivas)
  • 7. Justificativa • Acreditamos que reduzir o sentimento e a efetiva exclusão nos ambientes escolares é vital para o processo de desenvolvimento cognitivo e interpessoal do ser humano como um todo; • A exclusão em toda e qualquer forma vivida pode acarretar sequelas para a vida toda; • Muito mais do que levantar dados que exemplificam a exclusão nossa proposta é reconhecer e minimizar ao máximo esse resultado.
  • 8. Referencial Teórico • Segundo José Pacheco (2007) a inclusão pressupõe que a escola se ajuste a todas as crianças que desejam matricular-se em sua localidade, em vez de esperar que uma determinada criança se ajuste à escola (isso seria apenas uma integração, não uma inclusão!)
  • 9. Referencial Teórico • De certa forma todos nós um dia na vida sofremos com uma ou diversas dessas situações até realmente sermos aceitos e incluídos:
  • 10. Referencial Teórico “Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional LDBEN (art. 58 e seguintes), o atendimento educacional especializado será feito em classes, escolas, ou serviços especializados, sempre que, em função das condições específicas dos alunos, não for possível a sua integração nas classes comuns do ensino regular (art. 59, ß 2º)”
  • 11. Referencial Teórico “Confunde-se inclusão com integração, um aluno inserido numa classe regular que não interage com os demais colegas, está somente integrado em uma escola que se diz inclusiva, mas, que não proporciona condições para a melhoria da educação em geral.” Roberta Vieira de Vargas (Revista o Professor, 2017)
  • 12. Referencial Teórico “(...)o trabalho com pares pode ser uma ajuda valiosa, pois os próprios estudantes podem ser recurso para a aprendizagem, pois alunos ensinam uns aos outros.” Maria Helena Palma de Oliveira (Univesp, 2017)
  • 13. Metodologia Pesquisa Descritiva / Explicativa • Com o objetivo de descrever as características do fenômeno exclusão em ambientes escolares, queremos estabelecer as relações entre professor – aluno. • Buscando explicar o fenômeno após sua análise queremos propor formas de interferências para mudança dessa realidade.
  • 14. Metodologia • Pesquisa bibliográfica do acervo da Biblioteca do UNICEU Jaçanã sobre o tema; • Desenvolvimento de questionário para posterior entrevista elencando as situações e dificuldades de inclusão; • Entrevista com profissional da educação em relação ao assunto “dificuldades na inclusão em ambientes escolares”; • Análise e transcrição da entrevista; • Divulgação dos comentários e resultados obtidos;
  • 15. Anexo Trecho editado da entrevista concedida por cs questões relativas à inclusão e diversidade no ambiente escolar. Entrevista concebida ao grupo nos dia 27 e 28 novembro 2017: https://youtu.be/iAw0pYk4C2g
  • 16. Conclusão Os temas diversidade e inclusão, embora muito falado hoje em dia, não estão sendo efetivamente colocados em prática pela sociedade. Por vários motivos: desconhecimento dos direitos, preconceitos, despreparo teórico e ou prático, são apenas alguns problemas que o grupo conseguiu identificar neste trabalho, em relação à inclusão. E, em alguns casos, a própria escola e o próprio professor são os geradores dessa não inclusão.
  • 17. Conclusão É necessário um aprofundamento maior dessa questão. Não apenas em relação ao professor e aluno, mas também com toda a sociedade. Uma transformação dessa realidade.
  • 18. Referências Bibliográficas • AQUINO, Julio Groppa. Confrontos na Sala de aula: Uma leitura institucional da relação professor- aluno. São Paulo: Summus, 1996 • BLIN, Jean-François. Classes Difíceis: Ferramentas para prevenir e administrar os problemas escolares. Porto Alegre: Artmed, 2005; • BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei nº 9394/96 Disponivel em <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf> Acessado em 06 de novembro de 2017 • MELLO, Guiomar Namo de. Cidadania e competividade: desafios educacionais do terceiro milenio. São Paulo: Cortez, 2002 • PACHECO, José, Eggertsdóttir, Rosa, & Marinósson, Gretar L. (2007). Caminhos para a inclusão. Porto Alegre: Artmed;
  • 19. Referências Bibliográficas • SOLER, Reinaldo. Jogos cooperativos. Rio de Janeiro: Sprint, 2006 • VARGAS, Roberta vieira de. Os desafios de incluir sem excluir- Acessado <http://www.revistaoprofessor.com.br/wordpress/?p=232> em 06 de novembro 2017 • OLIVEIRA, Maria Helena Palma. Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP): implicações para os processos de ensino e aprendizagem, Univesp • Constituição Federal, Artigo 1 e 3, página 15 • LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996, - Acessado : https://www.planalto.gov.br/ccivil_ • 03/Leis/L9394.htm, em 12-12-2017 • LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015, : Acessado: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ • _ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm em 12-12-2017