SlideShare uma empresa Scribd logo
ADESÃO AO TRATAMENTO

Universidade Federal do Paraná
Atenção Farmacêutica I
Aline Ansbach Garabeli
Estágio em docência

26/11/2013
Adesão ao tratamento
Definição
A medida em que o comportamento do paciente
(utilização dos medicamentos, seguimento da dieta e

mudanças no estilo de vida), corresponde às
recomendações planejadas com o profissional da saúde.
(WHO, 2001)
Adesão ao tratamento
Adesão

X

Submissão

Compromisso entre
paciente e profissional da

Obediência a ordens que

saúde com adequação do

nem sempre são adequadas

tratamento conforme as

às condições do paciente

condições e preferências
do paciente

Osterberg e Blaschke (2011)
Adesão ao tratamento
Índices de adesão
 Variam
É

amplamente – 50% (0 a 100%)

maior em pacientes com doenças agudas

 A adesão
 Em

aumenta próximo a consultas médicas

pacientes com doenças crônicas: 50%. Falta de

adesão aumenta após 6 meses de tratamento.

Osterberg e Blaschke (2011)
Adesão X Persistência

ClinInterv Aging. 2008 June; 3(2): 279-297
Não Adesão ao tratamento
Tomar menor/maior quantidade dos medicamentos do que o
prescrito
Não respeitar os intervalos entre as doses

Não tomar os medicamentos no tempo em que foram prescritos
Não seguir as orientações adicionais de uso - “tomar com
alimentos”, “antes ou após refeição”...
Não seguir as orientações não farmacológicas, como exercícios
físicos, dieta...
Causas da não Adesão
1. Fatores relacionados ao Paciente

Intencional: decide interromper o tratamento ou nem inicia
Crenças

Condições
culturais/familiares

Expectativas

Visão da doença e
tratamento

Eventos adversos

Jimmy e Jose, (2011)

Ausência de Sintomas
(DM, HAS...)
Masculino, 35 anos. HbA1c = 13,9%. DM há 4 anos.
Feminino, 19 anos. HbA1c = 5,68%. DM há 3 anos.
Causas da não Adesão
1. Fatores relacionados ao Paciente

Não intencional: limitações/dificuldades que impossibilitam a
adesão

Custo

Compreensão do
tratamento

Acesso ao
medicamento

Esquecimento

Alfabetização/
Letramento

Limitações físicas e
cognitivas

Jimmy e Jose, (2011)
Causas da não Adesão
2. Fatores relacionados ao Tratamento

Polifarmácia

Tratamentos longos /
crônicos

Esquema terapêutico
complexo

Efeitos Adversos

Ausência de efeitos
benéficos imediatos

Jimmy e Jose, (2011)
Causas da não Adesão
Adesão e Regime terapêutico

Claxton et al. (2001)
Causas da não Adesão
3. Fatores relacionados ao Profissional da Saúde

Letra ilegível

Postura do profissional

Alta rotatividade

Falta de clareza nas
explicações
Orientações difíceis de
serem seguidas

Jimmy e Jose, (2011)
Barreiras para a adesão

N Engl J Med 2005; 353:487-97
Consequências da Não Adesão
•

Resultados insatisfatórios – tratamento não efetivo

•

Maior número de hospitalizações de pacientes com
doenças crônicas – HAS, DM, Insuficiência cardíaca,

asma...
•

Progressão da doença – Complicações

•

Menor qualidade de vida

•

Aumento dos custos em saúde
Consequências da Não Adesão
Avaliação da Adesão
•

Cada método tem suas vantagens e desvantagens, e
nenhum é considerado gold standart.

•

Apenas um método não é suficiente para avaliar a
adesão.

•

É necessário combinar várias técnicas para melhorar o
índice de aceitação ao tratamento prescrito.

Jimmy e Jose, (2011); Osterberg e Blaschke (2011)
Avaliação da Adesão
Métodos Diretos

Métodos Indiretos

Observação direta do tratamento

Questionários / Relatos dos pacientes

Medida dos níveis séricos do
medicamento e seus metabólitos

Contagem de comprimidos

Medida do metabólito no sangue e
outros fluidos

Frequência de retirada dos
medicamentos
Monitores eletrônicos
Medida de marcadores fisiológicos

Diários dos pacientes
Relato do cuidador (crianças)
Avaliação da resposta clínica

Jimmy e Jose, (2011); Osterberg e Blaschke (2011)
Avaliação da Adesão
• Avaliação dos resultados - efetividade do tratamento
• Presença de eventos adversos
• Avaliar o conhecimento do paciente com relação ao

tratamento
▫ “O Sr. utiliza este medicamento para...”
Avaliação da Adesão
Teste de Haynes-Sackett
• A maioria das pessoas têm dificuldades para tomar seus
comprimidos. Você tem alguma dificuldade para tomar os
seus?
• Neste último mês quantas vezes você esqueceu de tomar
seu medicamento?
Avaliação da Adesão
Teste de Morinsky-Green
• Esquece alguma vez de tomar os medicamentos?

• Toma os medicamentos na hora indicada?
• Quando se encontra bem, deixa de tomar seus
medicamentos?
• Quando se sente mal, deixa de tomar seus
medicamentos?
Estratégias para melhorar a adesão

Colaboração entre profissional e paciente para
estabelecer o tratamento farmacológico adequado
Estratégias para melhorar a adesão
Orientações e materiais educativos
Estratégias para melhorar a adesão
Estratégias para melhorar a adesão
Etiquetas
Não tomar junto com
alimentos

Tomar durante ou
após a refeição
Após o uso, enxaguar
a boca com água.
Estratégias para melhorar a adesão
Porta-comprimidos
Estratégias para melhorar a adesão
Monitoramento eletrônico
“ O paciente não está preocupado em
desobedecer ou não cumprir a prescrição
médica, mas sim em lidar com sua condição
de vida da forma que lhe convenha e que lhe
permita maior autocontrole e liberdade”
Conrad, 1985
Caso Clínico
Caso Clínico
• Paciente masculino, 57 anos, obeso, fumante, DM 2, HAS,

dislipidemia, já teve IAM.

• Queixa: frequência urinária às vezes
• Glicemias: 90 a 216 mg/dL. (11 medidas)
• Recomendações: exercícios, dieta pouco calórica, parar de

fumar, auto monitoramento PA e glicemias
Prescrição

Atenolol 50 mg – 2x ao dia
Hidroclorotiazida 25 mg – 1x ao dia
Sinvastatina 20 mg – 1 cp a noite
Gliburida 10 mg – 2x ao dia.
Caso Clínico
Relatos
• Não consegue emagrecer

• “Tenta” seguir a dieta
• Faz caminhadas 1 ou 2 x/sem – 1 Km
• Comprimidos: “devo ter esquecido 1 ou 2 sábado a noite

quando estava no cinema”

• Suco de Cranberry – 2 L/dia para “limpar o sangue” e

“proteger o coração”
• Glicemia

normais.

capilar do momento: dentro dos valores
Caso Clínico
Exames do paciente
Parâmetro

Resultado

Valor de referência

109 Kg

--

172 x 98 mmHG

135 x 85 mmHg

12,3 %

< 6,5 % (SBD)

90 a 216 mg/dL

até 99 mg/dL

Colesterol Total

264 mg/dL

< 200 mg/dL

Triglicerídeos

486 mg/dL

< 150 mg/dL

Creatinina

1,4 mg/dL

até 1,3 mg/dL

Presença de
hemorragias

--

Peso
PA
HbA1c
Glicemia capilar (11)

Fundo de olho
Caso Clínico

Questões
• Quais indicadores avaliam a adesão deste paciente ao
tratamento?
• A não adesão pode estar acontecendo por quais fatores
neste caso?

• Que ações o farmacêutico poderia ter para tentar
melhorar a adesão e o controle dos parâmetros biológicos
deste paciente?
• Descreva as consequências que o paciente possívelmente
terá se não aderir ao tratamento.
Referências
Osterberg, L.; Blaschke, T. Adherence to medication. N Engl J Med. 353; 5.
487-97.
Haynes, RB; McDonald, HP; Garg, AX. Helping patients follow prescribed
treatment. Clinical aplications. JAMA (2002). vol 288. n. 22. 2880-83.
Jimmy B; Jose J. Patient medication adherence: measures in daily
practice. Oman medical journal (2011). v 26. n. 3. 155-59.
Claxton, AJ; Cramer, J; Pierce, C. Systematic Review of the Associations
Between Dose Regimens and Medication Compliance. Clinical therapeutics.
vol. 23, no. 8, 2001.
World Health Organization. Adherence to long-term therapies. Evidence for
action. 2003.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva MuñozReações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologia
Jaqueline Almeida
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
Ylla Cohim
 
Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde
ÊXITO Marketing
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
universitária
 
Aula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasAula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricas
Erivaldo Rosendo
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Yasmin Casini
 
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSAADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
Ithallo Alves
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
Jose Roberto
 
Aula Diabetes
Aula  DiabetesAula  Diabetes
Aula Diabetes
Professor Robson
 
Estudo de caso SAE
Estudo de caso SAEEstudo de caso SAE
Estudo de caso SAE
Luana Santos
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologia
Sheilla Sandes
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Charles Lima
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Mario Gandra
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
Hospitalização infantil
Hospitalização infantilHospitalização infantil
Hospitalização infantil
WAGNER OLIVEIRA
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
Proqualis
 
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEMPROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALARORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
Centro Universitário Ages
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
Mauro Cunha Xavier Pinto
 

Mais procurados (20)

Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva MuñozReações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologia
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
 
Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Aula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasAula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricas
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
 
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSAADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
 
Aula Diabetes
Aula  DiabetesAula  Diabetes
Aula Diabetes
 
Estudo de caso SAE
Estudo de caso SAEEstudo de caso SAE
Estudo de caso SAE
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologia
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
Hospitalização infantil
Hospitalização infantilHospitalização infantil
Hospitalização infantil
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
 
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEMPROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
 
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALARORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
 

Destaque

Revisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão ArterialRevisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão Arterial
Cassyano Correr
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
Cassyano Correr
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
Cassyano Correr
 
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados FarmacêuticosMétodo Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Cassyano Correr
 
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Cassyano Correr
 
Atenção farmacêutica aula i
Atenção farmacêutica    aula iAtenção farmacêutica    aula i
Atenção farmacêutica aula i
Larissa Oliveira Rocha
 
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
Cassyano Correr
 
O bom atendimento não termina quando o paciente vai embora
O bom atendimento não termina quando o paciente vai emboraO bom atendimento não termina quando o paciente vai embora
O bom atendimento não termina quando o paciente vai embora
Alice Selles
 
Boas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticasBoas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticas
Cassyano Correr
 
Complexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapiaComplexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapia
Cassyano Correr
 
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à SaúdeGestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Cassyano Correr
 
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Cassyano Correr
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
Cassyano Correr
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na Prática
Farmacêutico Digital
 
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmáciaAula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Patrícia Lopes
 
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiosePicadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Cassyano Correr
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêutica
Leonardo Souza
 
Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3
Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3
Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3
Alice Selles
 
Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...
Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...
Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...
Mario Coutinho
 
The Recovery Position by First Aid Powerpoint
The Recovery Position by First Aid PowerpointThe Recovery Position by First Aid Powerpoint
The Recovery Position by First Aid Powerpoint
Atlantic Training, LLC.
 

Destaque (20)

Revisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão ArterialRevisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão Arterial
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
 
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados FarmacêuticosMétodo Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
 
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
 
Atenção farmacêutica aula i
Atenção farmacêutica    aula iAtenção farmacêutica    aula i
Atenção farmacêutica aula i
 
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
 
O bom atendimento não termina quando o paciente vai embora
O bom atendimento não termina quando o paciente vai emboraO bom atendimento não termina quando o paciente vai embora
O bom atendimento não termina quando o paciente vai embora
 
Boas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticasBoas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticas
 
Complexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapiaComplexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapia
 
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à SaúdeGestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
 
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na Prática
 
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmáciaAula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
 
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiosePicadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêutica
 
Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3
Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3
Uso dos bancos de dados em ações de adesão ao tratamento 3
 
Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...
Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...
Estratégias para otimizar o uso de medicamentos entre os idosos do HIPERDIA e...
 
The Recovery Position by First Aid Powerpoint
The Recovery Position by First Aid PowerpointThe Recovery Position by First Aid Powerpoint
The Recovery Position by First Aid Powerpoint
 

Semelhante a Revisão sobre Adesão ao Tratamento

Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós BariátricaAderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Simone Marchesini
 
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
angelitamelo
 
000820491
000820491000820491
Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
LAFARCLIN UFPB
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Clarissa Lessa
 
Mcp e doenças crônicas
Mcp e doenças crônicasMcp e doenças crônicas
Mcp e doenças crônicas
Ricardo Alexandre
 
Competnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseus
Competnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseusCompetnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseus
Competnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseus
Anilton Cerqueira
 
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicadosComo melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
angelitamelo
 
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Eno Filho
 
Adesão ao tratamento medicamentoso
Adesão ao tratamento medicamentosoAdesão ao tratamento medicamentoso
Adesão ao tratamento medicamentoso
carlabastos
 
Guilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Guilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUSGuilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Guilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Autismo & Realidade
 
Adesão antirretroviral
Adesão antirretroviralAdesão antirretroviral
Adesão antirretroviral
Carla Lorena Silva Ramos
 
Adesão antirretroviral HAAT
Adesão antirretroviral HAATAdesão antirretroviral HAAT
Adesão antirretroviral HAAT
Carla Lorena Silva Ramos
 
Estudo de caso - gestante.ppt
Estudo de caso - gestante.pptEstudo de caso - gestante.ppt
Estudo de caso - gestante.ppt
FabianeVieira18
 
Unifor 2014 fitoterápicos
Unifor 2014 fitoterápicosUnifor 2014 fitoterápicos
Unifor 2014 fitoterápicos
Angelina Lessa
 
Aula31 07 2014
Aula31 07 2014Aula31 07 2014
Aula31 07 2014
Inaiara Bragante
 
Check up virtual - social week
Check up virtual - social weekCheck up virtual - social week
Check up virtual - social week
Alexandre Amato
 
Diretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidadeDiretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidade
Lucia Tome
 
Anorexia nervosa diagnostico_e_prognostico
Anorexia nervosa diagnostico_e_prognosticoAnorexia nervosa diagnostico_e_prognostico
Anorexia nervosa diagnostico_e_prognostico
Arquivo-FClinico
 
Recuperação
RecuperaçãoRecuperação
Recuperação
Nucleo Nacional
 

Semelhante a Revisão sobre Adesão ao Tratamento (20)

Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós BariátricaAderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
 
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
 
000820491
000820491000820491
000820491
 
Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 03 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
 
Mcp e doenças crônicas
Mcp e doenças crônicasMcp e doenças crônicas
Mcp e doenças crônicas
 
Competnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseus
Competnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseusCompetnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseus
Competnciados pacientesemtomadasdedecisesquantoaseus
 
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicadosComo melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
 
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
Aula evidências prm_SSC_MFC 2013
 
Adesão ao tratamento medicamentoso
Adesão ao tratamento medicamentosoAdesão ao tratamento medicamentoso
Adesão ao tratamento medicamentoso
 
Guilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Guilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUSGuilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Guilherme Polanczyk - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
 
Adesão antirretroviral
Adesão antirretroviralAdesão antirretroviral
Adesão antirretroviral
 
Adesão antirretroviral HAAT
Adesão antirretroviral HAATAdesão antirretroviral HAAT
Adesão antirretroviral HAAT
 
Estudo de caso - gestante.ppt
Estudo de caso - gestante.pptEstudo de caso - gestante.ppt
Estudo de caso - gestante.ppt
 
Unifor 2014 fitoterápicos
Unifor 2014 fitoterápicosUnifor 2014 fitoterápicos
Unifor 2014 fitoterápicos
 
Aula31 07 2014
Aula31 07 2014Aula31 07 2014
Aula31 07 2014
 
Check up virtual - social week
Check up virtual - social weekCheck up virtual - social week
Check up virtual - social week
 
Diretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidadeDiretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidade
 
Anorexia nervosa diagnostico_e_prognostico
Anorexia nervosa diagnostico_e_prognosticoAnorexia nervosa diagnostico_e_prognostico
Anorexia nervosa diagnostico_e_prognostico
 
Recuperação
RecuperaçãoRecuperação
Recuperação
 

Mais de Cassyano Correr

Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e FunçãoServiços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Cassyano Correr
 
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
Cassyano Correr
 
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Cassyano Correr
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Cassyano Correr
 
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Cassyano Correr
 
Revisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes MellitusRevisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes Mellitus
Cassyano Correr
 
O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?
Cassyano Correr
 
Cuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidezCuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidez
Cassyano Correr
 
Pirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de AprendizagemPirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de Aprendizagem
Cassyano Correr
 
Asma Brônquica
Asma BrônquicaAsma Brônquica
Asma Brônquica
Cassyano Correr
 
Condições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colíriosCondições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colírios
Cassyano Correr
 
QSSF-Brasil
QSSF-BrasilQSSF-Brasil
QSSF-Brasil
Cassyano Correr
 
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitáriaAvaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Cassyano Correr
 
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitáriaAvaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Cassyano Correr
 
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Cassyano Correr
 
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Cassyano Correr
 
Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012
Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012
Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012
Cassyano Correr
 

Mais de Cassyano Correr (18)

Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e FunçãoServiços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
 
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
 
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
 
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
 
Revisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes MellitusRevisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes Mellitus
 
O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?O que são transtornos menores?
O que são transtornos menores?
 
Cuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidezCuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidez
 
Pirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de AprendizagemPirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de Aprendizagem
 
Asma Brônquica
Asma BrônquicaAsma Brônquica
Asma Brônquica
 
Condições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colíriosCondições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colírios
 
QSSF-Brasil
QSSF-BrasilQSSF-Brasil
QSSF-Brasil
 
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitáriaAvaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
 
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitáriaAvaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
 
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
 
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
 
Os problemas dos MIPs
Os problemas dos MIPsOs problemas dos MIPs
Os problemas dos MIPs
 
Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012
Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012
Lisboa Simposio Luso-Brasileiro - out 2012
 

Último

CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docxCORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
bentosst
 
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional ChinesaDiagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Misael Rabelo de Martins Custódio
 
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e TratamentosRejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Werberth Ladislau Rodrigues da Silveira
 
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdfALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
DentiKi
 
anomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologiaanomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologia
SmeladeOliveira1
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
RAILANELIMAGOMES
 

Último (6)

CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docxCORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
 
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional ChinesaDiagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
 
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e TratamentosRejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
 
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdfALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
 
anomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologiaanomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologia
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
 

Revisão sobre Adesão ao Tratamento

  • 1. ADESÃO AO TRATAMENTO Universidade Federal do Paraná Atenção Farmacêutica I Aline Ansbach Garabeli Estágio em docência 26/11/2013
  • 2. Adesão ao tratamento Definição A medida em que o comportamento do paciente (utilização dos medicamentos, seguimento da dieta e mudanças no estilo de vida), corresponde às recomendações planejadas com o profissional da saúde. (WHO, 2001)
  • 3. Adesão ao tratamento Adesão X Submissão Compromisso entre paciente e profissional da Obediência a ordens que saúde com adequação do nem sempre são adequadas tratamento conforme as às condições do paciente condições e preferências do paciente Osterberg e Blaschke (2011)
  • 4. Adesão ao tratamento Índices de adesão  Variam É amplamente – 50% (0 a 100%) maior em pacientes com doenças agudas  A adesão  Em aumenta próximo a consultas médicas pacientes com doenças crônicas: 50%. Falta de adesão aumenta após 6 meses de tratamento. Osterberg e Blaschke (2011)
  • 5. Adesão X Persistência ClinInterv Aging. 2008 June; 3(2): 279-297
  • 6. Não Adesão ao tratamento Tomar menor/maior quantidade dos medicamentos do que o prescrito Não respeitar os intervalos entre as doses Não tomar os medicamentos no tempo em que foram prescritos Não seguir as orientações adicionais de uso - “tomar com alimentos”, “antes ou após refeição”... Não seguir as orientações não farmacológicas, como exercícios físicos, dieta...
  • 7. Causas da não Adesão 1. Fatores relacionados ao Paciente Intencional: decide interromper o tratamento ou nem inicia Crenças Condições culturais/familiares Expectativas Visão da doença e tratamento Eventos adversos Jimmy e Jose, (2011) Ausência de Sintomas (DM, HAS...)
  • 8. Masculino, 35 anos. HbA1c = 13,9%. DM há 4 anos.
  • 9. Feminino, 19 anos. HbA1c = 5,68%. DM há 3 anos.
  • 10. Causas da não Adesão 1. Fatores relacionados ao Paciente Não intencional: limitações/dificuldades que impossibilitam a adesão Custo Compreensão do tratamento Acesso ao medicamento Esquecimento Alfabetização/ Letramento Limitações físicas e cognitivas Jimmy e Jose, (2011)
  • 11. Causas da não Adesão 2. Fatores relacionados ao Tratamento Polifarmácia Tratamentos longos / crônicos Esquema terapêutico complexo Efeitos Adversos Ausência de efeitos benéficos imediatos Jimmy e Jose, (2011)
  • 12. Causas da não Adesão Adesão e Regime terapêutico Claxton et al. (2001)
  • 13. Causas da não Adesão 3. Fatores relacionados ao Profissional da Saúde Letra ilegível Postura do profissional Alta rotatividade Falta de clareza nas explicações Orientações difíceis de serem seguidas Jimmy e Jose, (2011)
  • 14. Barreiras para a adesão N Engl J Med 2005; 353:487-97
  • 15. Consequências da Não Adesão • Resultados insatisfatórios – tratamento não efetivo • Maior número de hospitalizações de pacientes com doenças crônicas – HAS, DM, Insuficiência cardíaca, asma... • Progressão da doença – Complicações • Menor qualidade de vida • Aumento dos custos em saúde
  • 17. Avaliação da Adesão • Cada método tem suas vantagens e desvantagens, e nenhum é considerado gold standart. • Apenas um método não é suficiente para avaliar a adesão. • É necessário combinar várias técnicas para melhorar o índice de aceitação ao tratamento prescrito. Jimmy e Jose, (2011); Osterberg e Blaschke (2011)
  • 18. Avaliação da Adesão Métodos Diretos Métodos Indiretos Observação direta do tratamento Questionários / Relatos dos pacientes Medida dos níveis séricos do medicamento e seus metabólitos Contagem de comprimidos Medida do metabólito no sangue e outros fluidos Frequência de retirada dos medicamentos Monitores eletrônicos Medida de marcadores fisiológicos Diários dos pacientes Relato do cuidador (crianças) Avaliação da resposta clínica Jimmy e Jose, (2011); Osterberg e Blaschke (2011)
  • 19. Avaliação da Adesão • Avaliação dos resultados - efetividade do tratamento • Presença de eventos adversos • Avaliar o conhecimento do paciente com relação ao tratamento ▫ “O Sr. utiliza este medicamento para...”
  • 20. Avaliação da Adesão Teste de Haynes-Sackett • A maioria das pessoas têm dificuldades para tomar seus comprimidos. Você tem alguma dificuldade para tomar os seus? • Neste último mês quantas vezes você esqueceu de tomar seu medicamento?
  • 21. Avaliação da Adesão Teste de Morinsky-Green • Esquece alguma vez de tomar os medicamentos? • Toma os medicamentos na hora indicada? • Quando se encontra bem, deixa de tomar seus medicamentos? • Quando se sente mal, deixa de tomar seus medicamentos?
  • 22. Estratégias para melhorar a adesão Colaboração entre profissional e paciente para estabelecer o tratamento farmacológico adequado
  • 23. Estratégias para melhorar a adesão Orientações e materiais educativos
  • 25. Estratégias para melhorar a adesão Etiquetas Não tomar junto com alimentos Tomar durante ou após a refeição Após o uso, enxaguar a boca com água.
  • 26. Estratégias para melhorar a adesão Porta-comprimidos
  • 27. Estratégias para melhorar a adesão Monitoramento eletrônico
  • 28. “ O paciente não está preocupado em desobedecer ou não cumprir a prescrição médica, mas sim em lidar com sua condição de vida da forma que lhe convenha e que lhe permita maior autocontrole e liberdade” Conrad, 1985
  • 30. Caso Clínico • Paciente masculino, 57 anos, obeso, fumante, DM 2, HAS, dislipidemia, já teve IAM. • Queixa: frequência urinária às vezes • Glicemias: 90 a 216 mg/dL. (11 medidas) • Recomendações: exercícios, dieta pouco calórica, parar de fumar, auto monitoramento PA e glicemias Prescrição Atenolol 50 mg – 2x ao dia Hidroclorotiazida 25 mg – 1x ao dia Sinvastatina 20 mg – 1 cp a noite Gliburida 10 mg – 2x ao dia.
  • 31. Caso Clínico Relatos • Não consegue emagrecer • “Tenta” seguir a dieta • Faz caminhadas 1 ou 2 x/sem – 1 Km • Comprimidos: “devo ter esquecido 1 ou 2 sábado a noite quando estava no cinema” • Suco de Cranberry – 2 L/dia para “limpar o sangue” e “proteger o coração” • Glicemia normais. capilar do momento: dentro dos valores
  • 32. Caso Clínico Exames do paciente Parâmetro Resultado Valor de referência 109 Kg -- 172 x 98 mmHG 135 x 85 mmHg 12,3 % < 6,5 % (SBD) 90 a 216 mg/dL até 99 mg/dL Colesterol Total 264 mg/dL < 200 mg/dL Triglicerídeos 486 mg/dL < 150 mg/dL Creatinina 1,4 mg/dL até 1,3 mg/dL Presença de hemorragias -- Peso PA HbA1c Glicemia capilar (11) Fundo de olho
  • 33. Caso Clínico Questões • Quais indicadores avaliam a adesão deste paciente ao tratamento? • A não adesão pode estar acontecendo por quais fatores neste caso? • Que ações o farmacêutico poderia ter para tentar melhorar a adesão e o controle dos parâmetros biológicos deste paciente? • Descreva as consequências que o paciente possívelmente terá se não aderir ao tratamento.
  • 34. Referências Osterberg, L.; Blaschke, T. Adherence to medication. N Engl J Med. 353; 5. 487-97. Haynes, RB; McDonald, HP; Garg, AX. Helping patients follow prescribed treatment. Clinical aplications. JAMA (2002). vol 288. n. 22. 2880-83. Jimmy B; Jose J. Patient medication adherence: measures in daily practice. Oman medical journal (2011). v 26. n. 3. 155-59. Claxton, AJ; Cramer, J; Pierce, C. Systematic Review of the Associations Between Dose Regimens and Medication Compliance. Clinical therapeutics. vol. 23, no. 8, 2001. World Health Organization. Adherence to long-term therapies. Evidence for action. 2003.