SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Doença de Chagas
É UMA DOENÇA TRANSMISSÍVEL CAUSADA POR UM PARASITO E TRANSMITIDA
PRINCIPALMENTE ATRAVÉS DO INSETO “BARBEIRO”. O AGENTE CAUSADOR É UM
PROTOZOÁRIO DENOMINADO TRYPANOSOMA CRUZI. NO HOMEM E NOS ANIMAIS, VIVE NO
SANGUE PERIFÉRICO E NAS FIBRAS MUSCULARES, ESPECIALMENTE AS CARDÍACAS E
DIGESTIVAS. OS BARBEIROS ABRIGAM-SE EM LOCAIS MUITO PRÓXIMOS À FONTE DE ALIMENTO
E PODEM SER ENCONTRADOS NA MATA, ESCONDIDOS EM NINHOS DE PÁSSAROS, TOCA DE
ANIMAIS, CASCA DE TRONCO DE ÁRVORE, MONTES DE LENHA E EMBAIXO DE PEDRAS. NAS
CASAS ESCONDEM-SE NAS FRESTAS, BURACOS DAS PAREDES, NAS CAMAS, COLCHÕES E BAÚS,
ALÉM DE SEREM ENCONTRADOS EM GALINHEIRO, CHIQUEIRO, PAIOL, CURRAL E DEPÓSITOS.
Transmissão:
 a transmissão se dá pelas fezes que o “barbeiro” deposita sobre a
pele da pessoa, enquanto suga o sangue. Geralmente, a picada
provoca coceira e o ato de coçar facilita a penetração do
tripanossomo pelo local da picada. O T.cruzi contido nas fezes do
“barbeiro” pode penetrar no organismo humano, também pela
mucosa dos olhos, nariz e boca ou através de feridas ou cortes
recentes existentes na pele. Podemos ter ainda, outros
mecanismos de transmissão através de: transfusão de sangue,
caso o doador seja portador da doença; transmissão congênita
da mãe chagásica, para o filho via placenta; manipulação de caça
(ingestão de carne contaminada) e acidentalmente em
laboratórios.
Sintomas:
 Fase aguda: febre, mal estar, falta de apetite, edemas
(inchaço) localizados na pálpebra ou em outras
partes do corpo, aumento do baço e do fígado e
distúrbios cardíacos. Em crianças, o quadro pode se
agravar e levar à morte. Freqüentemente, nesta fase,
não há qualquer manifestação da doença, podendo
passar desapercebida.
Fase crônica:
 nessa fase muitos pacientes podem passar um
longo período, ou mesmo toda a sua vida,
sem apresentar nenhuma manifestação da
doença, embora sejam portadores do T.cruzi.
Em outros casos, a doença prossegue
ativamente, passada a fase inicial, podendo
comprometer muitos setores do organismo,
salientando-se o coração e o aparelho
digestivo.
Tratamento:
as drogas hoje disponíveis são
eficazes apenas na fase inicial
da enfermidade, daí a
importância da sua descoberta
precoce.
Prevenção:
 baseia-se principalmente em medidas de controle ao “barbeiro”, impedindo a sua proliferação
nas moradias e em seus arredores. As atividades de educação em saúde devem estar inseridas
em todas as ações de controle, bem como, as medidas a serem tomadas pela população local,
tais como:
 – melhorar a habitação, através de reboco e tamponamento de rachaduras e frestas;
 – usar telas em portas e janelas;–
 impedir a permanência de animais como cão, gato, macaco e outros no interior da casa;
 – evitar montes de lenhas, telhas ou outros entulhos no interior e arredores da casa;
 – construir galinheiro, paiol, tulha, chiqueiro, depósitos, afastados das casas e mantê-los
limpos;
 – retirar ninhos de pássaros dos beirais das casas;– fazer limpeza periódica nas casas e em
seus arredores;
 – difundir junto aos amigos, parentes, vizinhos, os conhecimentos básicos sobre a doença,
transmissor e sobre as medidas preventivas;
 – encaminhar os insetos suspeitos de serem “barbeiros” para o serviço de saúde mais
próximo.
IMPORTANTE:
 Somente médicos e cirurgiões-dentistas
devidamente habilitados podem diagnosticar
doenças, indicar tratamentos e receitar
remédios. As informações disponíveis em
Dicas em Saúde possuem apenas caráter
educativo.
Toxoplasmose:
 A toxoplasmose é uma infecção causada por um protozoário
chamado “Toxoplasma Gondii”, encontrado nas fezes de gatos
e outros felinos, que pode se hospedar em humanos e outros
animais. É causada pela ingestão de água ou alimentos
contaminados e é uma das zoonoses (doenças transmitidas
por animais) mais comuns em todo o mundo.
Os casos agudos:
 são, geralmente, limitados e com baixas incidências.
A fase aguda da infecção tem cura, mas o parasita
persiste por toda a vida da pessoa e pode se
manifestar ou não em outros momentos, com
diferentes tipos de sintomas. Quanto à infecção
crônica, a taxa de incidência é baixa até os cinco anos
de idade e começa a aumentar a partir dos 20.
Sintomas:
 A maioria das pessoas infectadas pela primeira vez não
apresenta sintomas e, por isso, não precisam de tratamentos
específicos. A doença em outros estágios, no entanto, pode
trazer complicações, como sequelas pela infecção congênita
(gestantes para os filhos), toxoplasmose ocular e
toxoplasmose cerebral em pessoas que têm o sistema
imunológico enfraquecido, como transplantados, pacientes
infectados com o HIV ou em tratamento oncológico. Os
sintomas da toxoplasmose são variáveis e associados ao
estágio da infecção, (agudo ou crônico). Os sintomas
normalmente são leves, similares à gripe, dengue e podem
incluir dores musculares e alterações nos gânglios linfáticos.
Pessoas com baixa imunidade:
podem apresentar sintomas mais
graves, incluindo febre, dor de
cabeça, confusão mental, falta de
coordenação e convulsões.
Gestantes:
mulheres infectadas durante a
gestação podem ter abortamento
ou nascimento de criança com
icterícia, macrocefalia,
microcefalia e crises convulsivas.
Recém-nascidos:
 Dos recém-nascidos infectados (Toxoplasmose Congênita), cerca de 85%
dos casos não apresentam sinais clínicos evidentes ao nascimento. No
entanto, essas crianças podem indicar alterações como restrição do
crescimento intrauterino, prematuridade, anormalidades visuais e
neurológicas. Sequelas tardias são mais frequentes na toxoplasmose
congênita não tratada. Há casos relatados de surgimento de sequelas da
doença, não diagnosticadas previamente, ocorrendo apenas na
adolescência ou na idade adulta.
 Os recém-nascidos que apresentam manifestações clínicas podem ter
sinais no período neonatal ou nos primeiros meses de vida. Esses casos
costumam ter, com mais frequência, sequelas graves, como acometimento
visual em graus variados, retardo mental, anormalidades motoras e surdez.
As sequelas são ainda mais frequentes e mais graves nos RN que já
apresentam sinais ao nascer, com acometimento visual em graus variados,
retardo mental, crises convulsivas, anormalidades motoras e surdez.
Transmissão:
 As principais vias de transmissão da toxoplasmose
são:
 Via oral (ingestão de alimentos e água
contaminados)
 Congênita (transmitido de mãe para filho durante
gestação), sendo raros os casos de transmissão por
inalação de aerossóis contaminados, inoculação
acidental, transfusão sanguínea e transplante de
órgãos.
É importante saber que o contato com
gatos não causa a doença. O perigo está
no contato com as fezes contaminadas
do felino e no consumo de água
contaminada e alimentos mal lavados ou
mal cozido.
Tratamento:
 A toxoplasmose normalmente evolui sem sequelas em pessoas com boa
imunidade, desta forma não se recomenda tratamento específico, apenas
tratamento para combater os sintomas. Pacientes com imunidade
comprometida ou que já tenham desenvolvido complicações da doença
(cegueira, diminuição auditiva) são encaminhados para acompanhamento
médico especializado.O tratamento e acompanhamento da doença estão
disponíveis, de forma integral e gratuita, pelo Sistema Único de Saúde.
Em caso de toxoplasmose na gravidez, é importante o acompanhamento
no pré-natal e a pratica das orientações que forem repassadas pelas
equipes de saúde.Para gestantes e crianças, o Ministério da Saúde
publicou protocolos com recomendações a serem seguidas, caso a
caso.Atualização no manejo da gestante com toxoplasmose gestacional e
congênitaProtocolos da Atenção Básica: Saúde das MulheresAtenção à
saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde, volume
2.Gestação de alto risco: manual técnico.Protocolo clínico e diretrizes
terapêuticas para prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e
hepatites virais.
Prevenção:
 – evite comer alimentos crus; não prove a carne crua durante a preparação; coma verduras e
legumes sempre bem lavados;
 – congele a carne por 3 dias, a 15º negativos;
 – lave bem as mãos após manipular carnes cruas e antes de comer; se estiver gestante, procure usar
luvas;
 – evite contato com gatos ou lave bem as mãos após isso ocorrer;
 – mantenha seu gato bem alimentado para que ele não precise caçar para comer; nunca lhe dê
carne crua; evite que ele ande pelas ruas. Se não for possível, ponha um pequeno chocalho no
pescoço do animal para que ele não consiga “caçar”;
 – a caixa de dejetos dos gatos deve ser renovada a cada 3 dias e colocada ao sol com freqüência;
 – os cães também podem transmitir toxoplasmose ao sujarem o pelo no solo onde haja fezes de
gato
 – evite acariciar cães que andem soltos;
 – controle ratos e insetos como moscas, baratas e formigas, descartando corretamente o lixo
doméstico e os dejetos das criações de animais;
 – lave bem as mãos e as unhas após trabalhar na terra (horta ou jardim). Gestantes devem evitar
essa atividade ou utilizar luvas;
 – a água pode ser contaminada por fezes de gatos. Mantenha os reservatórios bem fechados e se a
água não for tratada, deve ser fervida antes do consumo.
O QUE É TOXOPLASMOSE?
A toxoplasmose é um grave problema à
saúde humana. Para pessoas com defesas
imunológicas diminuídas, como
transplantados, portadores de aids e
doenças crônicas, a doença pode ser
fatal.
IMPORTANTE:
Somente médicos e cirurgiões-
dentistas devidamente habilitados
podem diagnosticar doenças, indicar
tratamentos e receitar remédios. As
informações disponíveis em Dicas
em Saúde possuem apenas caráter
educativo
ALUNOS:
 Daniel Rabelo
 Pedro Seixas
 Pedro Teixeira
 Laura Santana
 Nanda Teixeira
 Isadora Bomjardim
 Derik Jacobssen
 Emanuele Nogueira

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aspectos gerais e características da Doença de Chagas

Trabalho biologia
Trabalho biologiaTrabalho biologia
Trabalho biologia2° PD
 
A toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docx
A toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docxA toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docx
A toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docxCidaLaignier1
 
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010prevencaonline
 
Leishmaniose
Leishmaniose Leishmaniose
Leishmaniose 3a2011
 
Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!2° Ta - cotuca
 
Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactériasDoenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactériasCharles Carvalho
 
Sistema pancreático endócrino.pptx
Sistema pancreático endócrino.pptxSistema pancreático endócrino.pptx
Sistema pancreático endócrino.pptxAlanaFagundes
 
Doenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animaisDoenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animaisgrace correa
 
Aula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdf
Aula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdfAula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdf
Aula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasAula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasGustavo Henrique
 
Cuidados basicos de higiene
Cuidados basicos de higieneCuidados basicos de higiene
Cuidados basicos de higieneJoanaPaiva16
 
Tenias e teníases resumo
Tenias e teníases   resumoTenias e teníases   resumo
Tenias e teníases resumoElderENF
 
Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita Amanda Thomé
 
Doenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCADoenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCAeld09
 

Semelhante a Aspectos gerais e características da Doença de Chagas (20)

Trabalho biologia
Trabalho biologiaTrabalho biologia
Trabalho biologia
 
A toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docx
A toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docxA toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docx
A toxoplasmose é uma parasitose amplamente disseminada na natureza.docx
 
Toxoplasmose folder
Toxoplasmose folderToxoplasmose folder
Toxoplasmose folder
 
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
 
Leptospirose
LeptospiroseLeptospirose
Leptospirose
 
Leishmaniose
Leishmaniose Leishmaniose
Leishmaniose
 
Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!
 
Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactériasDoenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias
 
Sistema pancreático endócrino.pptx
Sistema pancreático endócrino.pptxSistema pancreático endócrino.pptx
Sistema pancreático endócrino.pptx
 
Leptospirose
LeptospiroseLeptospirose
Leptospirose
 
Doenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animaisDoenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animais
 
Aula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdf
Aula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdfAula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdf
Aula 6 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte I.pdf
 
Aula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasAula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosas
 
Apresentação toxoplasmose
Apresentação toxoplasmoseApresentação toxoplasmose
Apresentação toxoplasmose
 
Apresentação toxoplasmose
Apresentação toxoplasmoseApresentação toxoplasmose
Apresentação toxoplasmose
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Cuidados basicos de higiene
Cuidados basicos de higieneCuidados basicos de higiene
Cuidados basicos de higiene
 
Tenias e teníases resumo
Tenias e teníases   resumoTenias e teníases   resumo
Tenias e teníases resumo
 
Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita
 
Doenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCADoenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCA
 

Último

HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 

Último (20)

HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 

Aspectos gerais e características da Doença de Chagas

  • 1. Doença de Chagas É UMA DOENÇA TRANSMISSÍVEL CAUSADA POR UM PARASITO E TRANSMITIDA PRINCIPALMENTE ATRAVÉS DO INSETO “BARBEIRO”. O AGENTE CAUSADOR É UM PROTOZOÁRIO DENOMINADO TRYPANOSOMA CRUZI. NO HOMEM E NOS ANIMAIS, VIVE NO SANGUE PERIFÉRICO E NAS FIBRAS MUSCULARES, ESPECIALMENTE AS CARDÍACAS E DIGESTIVAS. OS BARBEIROS ABRIGAM-SE EM LOCAIS MUITO PRÓXIMOS À FONTE DE ALIMENTO E PODEM SER ENCONTRADOS NA MATA, ESCONDIDOS EM NINHOS DE PÁSSAROS, TOCA DE ANIMAIS, CASCA DE TRONCO DE ÁRVORE, MONTES DE LENHA E EMBAIXO DE PEDRAS. NAS CASAS ESCONDEM-SE NAS FRESTAS, BURACOS DAS PAREDES, NAS CAMAS, COLCHÕES E BAÚS, ALÉM DE SEREM ENCONTRADOS EM GALINHEIRO, CHIQUEIRO, PAIOL, CURRAL E DEPÓSITOS.
  • 2. Transmissão:  a transmissão se dá pelas fezes que o “barbeiro” deposita sobre a pele da pessoa, enquanto suga o sangue. Geralmente, a picada provoca coceira e o ato de coçar facilita a penetração do tripanossomo pelo local da picada. O T.cruzi contido nas fezes do “barbeiro” pode penetrar no organismo humano, também pela mucosa dos olhos, nariz e boca ou através de feridas ou cortes recentes existentes na pele. Podemos ter ainda, outros mecanismos de transmissão através de: transfusão de sangue, caso o doador seja portador da doença; transmissão congênita da mãe chagásica, para o filho via placenta; manipulação de caça (ingestão de carne contaminada) e acidentalmente em laboratórios.
  • 3. Sintomas:  Fase aguda: febre, mal estar, falta de apetite, edemas (inchaço) localizados na pálpebra ou em outras partes do corpo, aumento do baço e do fígado e distúrbios cardíacos. Em crianças, o quadro pode se agravar e levar à morte. Freqüentemente, nesta fase, não há qualquer manifestação da doença, podendo passar desapercebida.
  • 4. Fase crônica:  nessa fase muitos pacientes podem passar um longo período, ou mesmo toda a sua vida, sem apresentar nenhuma manifestação da doença, embora sejam portadores do T.cruzi. Em outros casos, a doença prossegue ativamente, passada a fase inicial, podendo comprometer muitos setores do organismo, salientando-se o coração e o aparelho digestivo.
  • 5. Tratamento: as drogas hoje disponíveis são eficazes apenas na fase inicial da enfermidade, daí a importância da sua descoberta precoce.
  • 6. Prevenção:  baseia-se principalmente em medidas de controle ao “barbeiro”, impedindo a sua proliferação nas moradias e em seus arredores. As atividades de educação em saúde devem estar inseridas em todas as ações de controle, bem como, as medidas a serem tomadas pela população local, tais como:  – melhorar a habitação, através de reboco e tamponamento de rachaduras e frestas;  – usar telas em portas e janelas;–  impedir a permanência de animais como cão, gato, macaco e outros no interior da casa;  – evitar montes de lenhas, telhas ou outros entulhos no interior e arredores da casa;  – construir galinheiro, paiol, tulha, chiqueiro, depósitos, afastados das casas e mantê-los limpos;  – retirar ninhos de pássaros dos beirais das casas;– fazer limpeza periódica nas casas e em seus arredores;  – difundir junto aos amigos, parentes, vizinhos, os conhecimentos básicos sobre a doença, transmissor e sobre as medidas preventivas;  – encaminhar os insetos suspeitos de serem “barbeiros” para o serviço de saúde mais próximo.
  • 7. IMPORTANTE:  Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.
  • 8. Toxoplasmose:  A toxoplasmose é uma infecção causada por um protozoário chamado “Toxoplasma Gondii”, encontrado nas fezes de gatos e outros felinos, que pode se hospedar em humanos e outros animais. É causada pela ingestão de água ou alimentos contaminados e é uma das zoonoses (doenças transmitidas por animais) mais comuns em todo o mundo.
  • 9. Os casos agudos:  são, geralmente, limitados e com baixas incidências. A fase aguda da infecção tem cura, mas o parasita persiste por toda a vida da pessoa e pode se manifestar ou não em outros momentos, com diferentes tipos de sintomas. Quanto à infecção crônica, a taxa de incidência é baixa até os cinco anos de idade e começa a aumentar a partir dos 20.
  • 10. Sintomas:  A maioria das pessoas infectadas pela primeira vez não apresenta sintomas e, por isso, não precisam de tratamentos específicos. A doença em outros estágios, no entanto, pode trazer complicações, como sequelas pela infecção congênita (gestantes para os filhos), toxoplasmose ocular e toxoplasmose cerebral em pessoas que têm o sistema imunológico enfraquecido, como transplantados, pacientes infectados com o HIV ou em tratamento oncológico. Os sintomas da toxoplasmose são variáveis e associados ao estágio da infecção, (agudo ou crônico). Os sintomas normalmente são leves, similares à gripe, dengue e podem incluir dores musculares e alterações nos gânglios linfáticos.
  • 11. Pessoas com baixa imunidade: podem apresentar sintomas mais graves, incluindo febre, dor de cabeça, confusão mental, falta de coordenação e convulsões.
  • 12. Gestantes: mulheres infectadas durante a gestação podem ter abortamento ou nascimento de criança com icterícia, macrocefalia, microcefalia e crises convulsivas.
  • 13. Recém-nascidos:  Dos recém-nascidos infectados (Toxoplasmose Congênita), cerca de 85% dos casos não apresentam sinais clínicos evidentes ao nascimento. No entanto, essas crianças podem indicar alterações como restrição do crescimento intrauterino, prematuridade, anormalidades visuais e neurológicas. Sequelas tardias são mais frequentes na toxoplasmose congênita não tratada. Há casos relatados de surgimento de sequelas da doença, não diagnosticadas previamente, ocorrendo apenas na adolescência ou na idade adulta.  Os recém-nascidos que apresentam manifestações clínicas podem ter sinais no período neonatal ou nos primeiros meses de vida. Esses casos costumam ter, com mais frequência, sequelas graves, como acometimento visual em graus variados, retardo mental, anormalidades motoras e surdez. As sequelas são ainda mais frequentes e mais graves nos RN que já apresentam sinais ao nascer, com acometimento visual em graus variados, retardo mental, crises convulsivas, anormalidades motoras e surdez.
  • 14. Transmissão:  As principais vias de transmissão da toxoplasmose são:  Via oral (ingestão de alimentos e água contaminados)  Congênita (transmitido de mãe para filho durante gestação), sendo raros os casos de transmissão por inalação de aerossóis contaminados, inoculação acidental, transfusão sanguínea e transplante de órgãos.
  • 15. É importante saber que o contato com gatos não causa a doença. O perigo está no contato com as fezes contaminadas do felino e no consumo de água contaminada e alimentos mal lavados ou mal cozido.
  • 16. Tratamento:  A toxoplasmose normalmente evolui sem sequelas em pessoas com boa imunidade, desta forma não se recomenda tratamento específico, apenas tratamento para combater os sintomas. Pacientes com imunidade comprometida ou que já tenham desenvolvido complicações da doença (cegueira, diminuição auditiva) são encaminhados para acompanhamento médico especializado.O tratamento e acompanhamento da doença estão disponíveis, de forma integral e gratuita, pelo Sistema Único de Saúde. Em caso de toxoplasmose na gravidez, é importante o acompanhamento no pré-natal e a pratica das orientações que forem repassadas pelas equipes de saúde.Para gestantes e crianças, o Ministério da Saúde publicou protocolos com recomendações a serem seguidas, caso a caso.Atualização no manejo da gestante com toxoplasmose gestacional e congênitaProtocolos da Atenção Básica: Saúde das MulheresAtenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde, volume 2.Gestação de alto risco: manual técnico.Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatites virais.
  • 17. Prevenção:  – evite comer alimentos crus; não prove a carne crua durante a preparação; coma verduras e legumes sempre bem lavados;  – congele a carne por 3 dias, a 15º negativos;  – lave bem as mãos após manipular carnes cruas e antes de comer; se estiver gestante, procure usar luvas;  – evite contato com gatos ou lave bem as mãos após isso ocorrer;  – mantenha seu gato bem alimentado para que ele não precise caçar para comer; nunca lhe dê carne crua; evite que ele ande pelas ruas. Se não for possível, ponha um pequeno chocalho no pescoço do animal para que ele não consiga “caçar”;  – a caixa de dejetos dos gatos deve ser renovada a cada 3 dias e colocada ao sol com freqüência;  – os cães também podem transmitir toxoplasmose ao sujarem o pelo no solo onde haja fezes de gato  – evite acariciar cães que andem soltos;  – controle ratos e insetos como moscas, baratas e formigas, descartando corretamente o lixo doméstico e os dejetos das criações de animais;  – lave bem as mãos e as unhas após trabalhar na terra (horta ou jardim). Gestantes devem evitar essa atividade ou utilizar luvas;  – a água pode ser contaminada por fezes de gatos. Mantenha os reservatórios bem fechados e se a água não for tratada, deve ser fervida antes do consumo.
  • 18. O QUE É TOXOPLASMOSE? A toxoplasmose é um grave problema à saúde humana. Para pessoas com defesas imunológicas diminuídas, como transplantados, portadores de aids e doenças crônicas, a doença pode ser fatal.
  • 19. IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões- dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo
  • 20. ALUNOS:  Daniel Rabelo  Pedro Seixas  Pedro Teixeira  Laura Santana  Nanda Teixeira  Isadora Bomjardim  Derik Jacobssen  Emanuele Nogueira