SlideShare uma empresa Scribd logo
Tecnologia da
Costura
Máquinas especiais
A máquina galoneira
1- Reguladores de
tensão
2- Looper trançador
3- Transportadores
4- Looper inferior
5- Esticadores de
linha
6- Cobertura inferior
 Esta máquina trabalha
com o ponto da classe
600, que são
conhecidos também
como ponto de
cobertura, produzindo
um ponto muito elástico.
A máquina de costura
industrial galoneira é
ideal para tecidos leves
e médios com trançador
superior e inferior.
 Esse equipamento é
indicado para uso no
segmento de
malharia, na confecção
de bainhas, aplicação
de galão ou
viés, costuras
decorativas e outras.
Pode ser equipada
com diversos tipos de
aparelhos para
diferentes costuras.
Galoneira em uso
A máquina
pespontadeira
 2 agulhas
 Lançadeira Grande
 Transporte duplo
(dente e agulha)
 > Aplicação:
Tecidos pesados
 > Lançadeira
Grande
1. Reguladores
de tensão
2. Chapa da
bobina
3. Calcador e
transportador
4. Agulhas
1
2
3
4
Características específicas:
 Trabalha com duas
bobinas, uma para
cada agulha
 Possui duas
lançadeiras, sendo que
a caixa da bobina é
fixa.
 As agulhas trabalham
em
oposição, conforme a
figura:
As máquinas
especiais
 Existe uma variedade de máquinas
especiais com funções bem
específicas, as mais importantes das
quais são as máquinas de pregar
botões, as de casear e o travete.
Máquina de pregar botões
 Existem dois tipos de máquinas:
 No primeiro a agulha se movimenta
verticalmente sem deslocamento
transversal. O botão é preso por uma peça
especial que se desloca para a direita e
esquerda. No caso de botões com quatro
furos a peça deve ter movimento para
avanço e recuo.
 No outro tipo de máquina, a agulha tem um
movimento oscilatório, mantendo fixo o
botão e os tecidos.
Máquina de casear
 As casas podem ser feitas em ponto de zig-zag com
uma linha ou com duas linhas.
 A abertura das casas pode ser feita antes ou depois
da costura. Se feita antes, é preciso uma costura
cerzida para evitar o desfiamento.
 As máquina de casear podem ser de dois tipos:
 Uma com movimento oscilatório para fazer o zig-zag.
O tecido fica preso pelo calcador a uma placa que se
desloca sob a agulha com uma trajetória
correspondente a forma da casa.
 Em outra, o tecido permanece imóvel, enquanto todos
os elementos de formação do ponto se deslocam
Máquinas de travete
 O ponto de reforço ou travete destina-se a
reforçar uma costura já existente, como os
cantos de bolso, extremidades das
casas, gancho das calças, zíperes, etc.
 Podem se usadas também para fixar
pequenas peças e etiquetas.
 Para executar este tipo de ponto utiliza-se
uma máquina específica ou pode-se
adaptar a caseadeira ou a de pregar
botões.
Os acessórios
Calcadores especiais
 Os calcadores são construídos em diversos estilos, de
maneira a ajudar a resolver qualquer condição
desfavorável durante o processo produtivo. Quando
existirem diferenças ou dificuldades relacionadas a
espessura do material a ser costurado, o o calcador
possui uma mola na parte de trás para trabalhar em
equilíbrio. Em alguns casos, esta articulação é feita
com uma mola que mantém a ponta do calcador
levantada, de moda a o articulado é provido de uma
mola que tende a manter a ponta do calcador
levantada, de modo a possibilitar sua passagem sobre
saliências do material com facilidade.
 Quando as condições assim o exigirem, o
calcador pode ser articulado lateralmente.
Alguns calcadores são articulados dos dois
lados, a fim de proporcionar uma ação
tal, que assegure uma pressão uniforme
sobre toda a superfície do
transportador, para evitar o corte do
material e para permitir que o movimento
de avanço do material se efetue em linha
reta.
 Nos casos em que o material é mais grosso
de um lado da agulha do que do outro, o
calcador é comumente construído com o pé
dividido em duas partes (calcador
compensador) e apoia-do em um braço
oscilante, de maneira tal que, as duas
partes do pé exerçam igual pressão sobre o
material. Outro tipo de construção tem uma
parte do calcador fixa, enquanto a outra
pode mover-se contra a pressão de uma
mola para compensar a diferenças das
espessuras.
 Calcadores compensadores
 Certos tipos de trabalho exigem um calcador com
cada parte do seu pé montada independentemente em
um mecanismo com mola de tensão.
 As superfícies extremamente irregulares talvez
necessitem de um calcador tipo esteira ou de múltiplas
articulações.
 Os materiais adesivos que não passam facilmente sob
tipo nenhum de calcador, podem necessitar do uso de
impulsores alternados, que consistem de duas barras
de calcadores dependentes e dois pés que percorrem
a superfície, levantando-se e abaixando-se, um após o
outro, com ritmo sincronizado com a agulha e com o
dente impelente.
 Calcador para zíper em
teflon, calcador franzidor e
calcador com guia lateral
 Calcador com guia de
fita, calcador com base de teflon e
calcador com aparelho para dobra
de barra embutido.
 Calcador para caseadeira
 Para o couro e muitos outros materiais similares em
espessura e peso, usa-se calcador de rodízio, ou
rotativo, para segurar o material, com firmeza, nas
proximidades da agulha, a fim de permitir que sejam
feitas voltas com mais facilidade onde houver cantos e
curvaturas.
 Quando são usados acessórios ou aparelhos
auxiliares, os calcadores são construídos de modo a
funcionarem em conjunto com os mesmos.
 Veja mais alguns exemplos de calcadores:
 .

P112B – ¼” franzido: calcador para franzir
com parafuso de regulagem, utilizado em
máquina 2 agulhas ponto fixo.
 • P112B – ¼” vivo: calcador para
máquina 2 agulhas ponto fixo com canal
para vivo.
 Aparelhos para costura
 Existe ainda um grande número de acessórios que facilitam várias
operações de costura, tais como os aparelhos para diversas funções.
 Os aparelhos embainhadores dobram o tecido no tamanho desejado.
Existem aparelhos para casos específicos, sendo que para cada máquina
existe um modelo apropriado.
 Veja os exemplos:
 AP21: aparelho para embutir o elástico, utilizado na máquina galoneira
plana.
 AP8365 especial: aparelho para vivo pronto, com viés recobrindo o
vivo, utilizado em máquina reta.

 Exemplos de aplicação das máquinas de costura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila conceitosbsicosmalharia
Apostila conceitosbsicosmalhariaApostila conceitosbsicosmalharia
Apostila conceitosbsicosmalharia
Leandro
 
Universo da Costura
Universo da CosturaUniverso da Costura
Universo da Costura
Nilzeth Gusmao
 
Aviamentos
AviamentosAviamentos
Aviamentos
Marcio Duarte
 
Mostruário de tecidos
Mostruário de tecidosMostruário de tecidos
Mostruário de tecidos
Barbara Allexia
 
Introdução ao Universo Têxtil
Introdução ao Universo TêxtilIntrodução ao Universo Têxtil
Introdução ao Universo Têxtil
Focus Têxtil
 
Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.
Adequin
 
Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01
Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01
Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01
Claudia Luzz
 
Apostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bim
Apostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bimApostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bim
Apostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bim
Limafabiana
 
Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara
Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwaraApostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara
Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara
wsilveirasouza
 
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidadeFundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Débora Cseri
 
TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)
TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)
TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)
Antonio Bacelar
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil III
Fernanda
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_moda
Nilzeth Gusmao
 
Intro tecelagem pg
Intro tecelagem pgIntro tecelagem pg
Intro tecelagem pg
felins
 
Os fios têxteis e a tecnologia da fiação
Os fios têxteis e a tecnologia da fiaçãoOs fios têxteis e a tecnologia da fiação
Os fios têxteis e a tecnologia da fiação
tcredu
 
Apostilaintroduoatecnologiatextil
ApostilaintroduoatecnologiatextilApostilaintroduoatecnologiatextil
Apostilaintroduoatecnologiatextil
Benedito Cruz
 
Apostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem TêxtilApostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem Têxtil
Rodrigo Lacerda
 
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhasControlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Constantino Monteiro Alves
 
Moulage e Modelagem
Moulage e ModelagemMoulage e Modelagem
Moulage e Modelagem
CarlosReinke
 
Tecelagem plana
Tecelagem planaTecelagem plana
Tecelagem plana
Claudio Roberto
 

Mais procurados (20)

Apostila conceitosbsicosmalharia
Apostila conceitosbsicosmalhariaApostila conceitosbsicosmalharia
Apostila conceitosbsicosmalharia
 
Universo da Costura
Universo da CosturaUniverso da Costura
Universo da Costura
 
Aviamentos
AviamentosAviamentos
Aviamentos
 
Mostruário de tecidos
Mostruário de tecidosMostruário de tecidos
Mostruário de tecidos
 
Introdução ao Universo Têxtil
Introdução ao Universo TêxtilIntrodução ao Universo Têxtil
Introdução ao Universo Têxtil
 
Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.
 
Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01
Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01
Apostiladecorteecostura 121220045441-phpapp01
 
Apostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bim
Apostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bimApostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bim
Apostila introdução a tecnologia têxtil 0314 1o bim
 
Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara
Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwaraApostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara
Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara
 
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidadeFundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
 
TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)
TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)
TECNOLOGIA TÊXTIL (Antonio Bacelar)
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil III
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_moda
 
Intro tecelagem pg
Intro tecelagem pgIntro tecelagem pg
Intro tecelagem pg
 
Os fios têxteis e a tecnologia da fiação
Os fios têxteis e a tecnologia da fiaçãoOs fios têxteis e a tecnologia da fiação
Os fios têxteis e a tecnologia da fiação
 
Apostilaintroduoatecnologiatextil
ApostilaintroduoatecnologiatextilApostilaintroduoatecnologiatextil
Apostilaintroduoatecnologiatextil
 
Apostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem TêxtilApostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem Têxtil
 
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhasControlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
 
Moulage e Modelagem
Moulage e ModelagemMoulage e Modelagem
Moulage e Modelagem
 
Tecelagem plana
Tecelagem planaTecelagem plana
Tecelagem plana
 

Destaque

Costura externa
Costura externa   Costura externa
Costura externa
Costura Externa
 
Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01
Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01
Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01
Jaqueline Kuhn
 
Apostila do Senai modelagem
Apostila do Senai modelagem Apostila do Senai modelagem
Apostila do Senai modelagem
Grazielle Martins
 
O Grande Livro da Costura
O Grande Livro da CosturaO Grande Livro da Costura
O Grande Livro da Costura
Soraia de Carvalho
 
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Beatriz Esteves
 
Senai modelagem fem.
Senai modelagem fem.Senai modelagem fem.
Senai modelagem fem.
Lidia Rodrigues
 
Case Study Piccadilly Calçados
Case Study Piccadilly CalçadosCase Study Piccadilly Calçados
Case Study Piccadilly Calçados
AtitudeCom Estratégia em Comunicação Ltda
 
Catalogo senai
Catalogo senaiCatalogo senai
Catalogo senai
Italo_kimbundo
 
Joana - Máquina de Costura
Joana - Máquina de CosturaJoana - Máquina de Costura
Joana - Máquina de Costura
riscas
 
Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)
Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)
Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)
Diego Rezende
 
Tipos de maquinas
Tipos de maquinasTipos de maquinas
Tipos de maquinas
jose polania
 
Aprenda a costurar por gil brandão 01
Aprenda a costurar por gil brandão 01Aprenda a costurar por gil brandão 01
Aprenda a costurar por gil brandão 01
Márcia Oliveira
 
Acabamento de costura
Acabamento de costuraAcabamento de costura
Acabamento de costura
EdigleumaThatiany Menezes
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ANDRADELIMA
 
Alta costura
Alta costuraAlta costura
Alta costura
Luiz Carlos Dias
 
Curso de costura
Curso de costuraCurso de costura
Curso de costura
Andy Paul Anrango Tituaña
 
Apresentação da empresa revesperfil2
Apresentação da empresa revesperfil2Apresentação da empresa revesperfil2
Apresentação da empresa revesperfil2
Diogo Santo
 
A história da máquina de costura
A história da máquina de costuraA história da máquina de costura
A história da máquina de costura
Vera Carvalho
 
Costura e Bordado
Costura e BordadoCostura e Bordado
Costura e Bordado
Aline Okumura
 
101471857 corte-e-costura-pdf
101471857 corte-e-costura-pdf101471857 corte-e-costura-pdf
101471857 corte-e-costura-pdf
Julyana Biavatti
 

Destaque (20)

Costura externa
Costura externa   Costura externa
Costura externa
 
Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01
Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01
Acabamentodecostura 140616200637-phpapp01
 
Apostila do Senai modelagem
Apostila do Senai modelagem Apostila do Senai modelagem
Apostila do Senai modelagem
 
O Grande Livro da Costura
O Grande Livro da CosturaO Grande Livro da Costura
O Grande Livro da Costura
 
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
 
Senai modelagem fem.
Senai modelagem fem.Senai modelagem fem.
Senai modelagem fem.
 
Case Study Piccadilly Calçados
Case Study Piccadilly CalçadosCase Study Piccadilly Calçados
Case Study Piccadilly Calçados
 
Catalogo senai
Catalogo senaiCatalogo senai
Catalogo senai
 
Joana - Máquina de Costura
Joana - Máquina de CosturaJoana - Máquina de Costura
Joana - Máquina de Costura
 
Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)
Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)
Case "Marluvas no Pé, Dinheiro na Mão". (Finalista Prêmio Octo 2014)
 
Tipos de maquinas
Tipos de maquinasTipos de maquinas
Tipos de maquinas
 
Aprenda a costurar por gil brandão 01
Aprenda a costurar por gil brandão 01Aprenda a costurar por gil brandão 01
Aprenda a costurar por gil brandão 01
 
Acabamento de costura
Acabamento de costuraAcabamento de costura
Acabamento de costura
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
Alta costura
Alta costuraAlta costura
Alta costura
 
Curso de costura
Curso de costuraCurso de costura
Curso de costura
 
Apresentação da empresa revesperfil2
Apresentação da empresa revesperfil2Apresentação da empresa revesperfil2
Apresentação da empresa revesperfil2
 
A história da máquina de costura
A história da máquina de costuraA história da máquina de costura
A história da máquina de costura
 
Costura e Bordado
Costura e BordadoCostura e Bordado
Costura e Bordado
 
101471857 corte-e-costura-pdf
101471857 corte-e-costura-pdf101471857 corte-e-costura-pdf
101471857 corte-e-costura-pdf
 

Semelhante a As maquinas especiais

Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260
Telma Oya
 
Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260
Telma Oya
 
3º trabalho prático
3º trabalho prático3º trabalho prático
Aplainamento nova
Aplainamento novaAplainamento nova
Aplainamento nova
Juan Carlos Garcia Urrutia
 
Processo do Algodão des da Plantação até virar tecido
Processo do Algodão des da Plantação até virar tecidoProcesso do Algodão des da Plantação até virar tecido
Processo do Algodão des da Plantação até virar tecido
William Pinheiro
 
Torneamento mecânico
Torneamento mecânicoTorneamento mecânico
Torneamento mecânico
Pedro Veiga
 
Processo de Limagem na engenharia mecânica.pptx
Processo de Limagem na engenharia mecânica.pptxProcesso de Limagem na engenharia mecânica.pptx
Processo de Limagem na engenharia mecânica.pptx
dariletebatista47
 
Equipaamentos de usinagem
Equipaamentos de usinagemEquipaamentos de usinagem
Equipaamentos de usinagem
Joíza Nunes
 
359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt
359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt
359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt
cristiano docarmo
 
Ajustagem mecânica.pdf
Ajustagem mecânica.pdfAjustagem mecânica.pdf
Ajustagem mecânica.pdf
BRENADASILVAALMEIDA
 
03 torneamento
03 torneamento03 torneamento
03 torneamento
Warley Pereira
 
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
3maAlmeida
 
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
3maAlmeida
 
101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01
101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01
101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01
Claudia Luzz
 
Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02
Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02
Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02
Bárbara Nunes
 
Torno mecanico-Tecnologia
Torno mecanico-TecnologiaTorno mecanico-Tecnologia
Torno mecanico-Tecnologia
Juan Carlos Garcia Urrutia
 
Torno
TornoTorno
Máquina reta industrial lista de materiais
Máquina reta industrial   lista de materiaisMáquina reta industrial   lista de materiais
Máquina reta industrial lista de materiais
Mari Ramondini
 
04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis
04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis
04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis
Carlos Coronel Sotillo
 

Semelhante a As maquinas especiais (19)

Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260
 
Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260Bobina magica flexiponto 260
Bobina magica flexiponto 260
 
3º trabalho prático
3º trabalho prático3º trabalho prático
3º trabalho prático
 
Aplainamento nova
Aplainamento novaAplainamento nova
Aplainamento nova
 
Processo do Algodão des da Plantação até virar tecido
Processo do Algodão des da Plantação até virar tecidoProcesso do Algodão des da Plantação até virar tecido
Processo do Algodão des da Plantação até virar tecido
 
Torneamento mecânico
Torneamento mecânicoTorneamento mecânico
Torneamento mecânico
 
Processo de Limagem na engenharia mecânica.pptx
Processo de Limagem na engenharia mecânica.pptxProcesso de Limagem na engenharia mecânica.pptx
Processo de Limagem na engenharia mecânica.pptx
 
Equipaamentos de usinagem
Equipaamentos de usinagemEquipaamentos de usinagem
Equipaamentos de usinagem
 
359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt
359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt
359557187-trabalho-com-roadeira-costal-140428181920-phpapp02-ppt.ppt
 
Ajustagem mecânica.pdf
Ajustagem mecânica.pdfAjustagem mecânica.pdf
Ajustagem mecânica.pdf
 
03 torneamento
03 torneamento03 torneamento
03 torneamento
 
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
 
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
2338 - Máquinas ferramentas - Iniciação (2).pptx
 
101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01
101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01
101471857 corte-e-costura-pdf-120914125833-phpapp01
 
Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02
Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02
Corteecostura 120702190651-phpapp02-141113100401-conversion-gate02
 
Torno mecanico-Tecnologia
Torno mecanico-TecnologiaTorno mecanico-Tecnologia
Torno mecanico-Tecnologia
 
Torno
TornoTorno
Torno
 
Máquina reta industrial lista de materiais
Máquina reta industrial   lista de materiaisMáquina reta industrial   lista de materiais
Máquina reta industrial lista de materiais
 
04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis
04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis
04 plomadas y_cordeles-prumos_e_cordeis
 

As maquinas especiais

  • 3. 1- Reguladores de tensão 2- Looper trançador 3- Transportadores 4- Looper inferior 5- Esticadores de linha 6- Cobertura inferior
  • 4.  Esta máquina trabalha com o ponto da classe 600, que são conhecidos também como ponto de cobertura, produzindo um ponto muito elástico. A máquina de costura industrial galoneira é ideal para tecidos leves e médios com trançador superior e inferior.
  • 5.  Esse equipamento é indicado para uso no segmento de malharia, na confecção de bainhas, aplicação de galão ou viés, costuras decorativas e outras. Pode ser equipada com diversos tipos de aparelhos para diferentes costuras.
  • 7.
  • 8.
  • 10.  2 agulhas  Lançadeira Grande  Transporte duplo (dente e agulha)  > Aplicação: Tecidos pesados  > Lançadeira Grande
  • 11. 1. Reguladores de tensão 2. Chapa da bobina 3. Calcador e transportador 4. Agulhas 1 2 3 4
  • 12. Características específicas:  Trabalha com duas bobinas, uma para cada agulha  Possui duas lançadeiras, sendo que a caixa da bobina é fixa.  As agulhas trabalham em oposição, conforme a figura:
  • 13.
  • 15.  Existe uma variedade de máquinas especiais com funções bem específicas, as mais importantes das quais são as máquinas de pregar botões, as de casear e o travete.
  • 16. Máquina de pregar botões  Existem dois tipos de máquinas:  No primeiro a agulha se movimenta verticalmente sem deslocamento transversal. O botão é preso por uma peça especial que se desloca para a direita e esquerda. No caso de botões com quatro furos a peça deve ter movimento para avanço e recuo.  No outro tipo de máquina, a agulha tem um movimento oscilatório, mantendo fixo o botão e os tecidos.
  • 17.
  • 18.
  • 19. Máquina de casear  As casas podem ser feitas em ponto de zig-zag com uma linha ou com duas linhas.  A abertura das casas pode ser feita antes ou depois da costura. Se feita antes, é preciso uma costura cerzida para evitar o desfiamento.  As máquina de casear podem ser de dois tipos:  Uma com movimento oscilatório para fazer o zig-zag. O tecido fica preso pelo calcador a uma placa que se desloca sob a agulha com uma trajetória correspondente a forma da casa.  Em outra, o tecido permanece imóvel, enquanto todos os elementos de formação do ponto se deslocam
  • 20.
  • 21.
  • 22. Máquinas de travete  O ponto de reforço ou travete destina-se a reforçar uma costura já existente, como os cantos de bolso, extremidades das casas, gancho das calças, zíperes, etc.  Podem se usadas também para fixar pequenas peças e etiquetas.  Para executar este tipo de ponto utiliza-se uma máquina específica ou pode-se adaptar a caseadeira ou a de pregar botões.
  • 24. Calcadores especiais  Os calcadores são construídos em diversos estilos, de maneira a ajudar a resolver qualquer condição desfavorável durante o processo produtivo. Quando existirem diferenças ou dificuldades relacionadas a espessura do material a ser costurado, o o calcador possui uma mola na parte de trás para trabalhar em equilíbrio. Em alguns casos, esta articulação é feita com uma mola que mantém a ponta do calcador levantada, de moda a o articulado é provido de uma mola que tende a manter a ponta do calcador levantada, de modo a possibilitar sua passagem sobre saliências do material com facilidade.
  • 25.  Quando as condições assim o exigirem, o calcador pode ser articulado lateralmente. Alguns calcadores são articulados dos dois lados, a fim de proporcionar uma ação tal, que assegure uma pressão uniforme sobre toda a superfície do transportador, para evitar o corte do material e para permitir que o movimento de avanço do material se efetue em linha reta.
  • 26.  Nos casos em que o material é mais grosso de um lado da agulha do que do outro, o calcador é comumente construído com o pé dividido em duas partes (calcador compensador) e apoia-do em um braço oscilante, de maneira tal que, as duas partes do pé exerçam igual pressão sobre o material. Outro tipo de construção tem uma parte do calcador fixa, enquanto a outra pode mover-se contra a pressão de uma mola para compensar a diferenças das espessuras.
  • 27.  Calcadores compensadores  Certos tipos de trabalho exigem um calcador com cada parte do seu pé montada independentemente em um mecanismo com mola de tensão.  As superfícies extremamente irregulares talvez necessitem de um calcador tipo esteira ou de múltiplas articulações.  Os materiais adesivos que não passam facilmente sob tipo nenhum de calcador, podem necessitar do uso de impulsores alternados, que consistem de duas barras de calcadores dependentes e dois pés que percorrem a superfície, levantando-se e abaixando-se, um após o outro, com ritmo sincronizado com a agulha e com o dente impelente.
  • 28.  Calcador para zíper em teflon, calcador franzidor e calcador com guia lateral  Calcador com guia de fita, calcador com base de teflon e calcador com aparelho para dobra de barra embutido.  Calcador para caseadeira
  • 29.  Para o couro e muitos outros materiais similares em espessura e peso, usa-se calcador de rodízio, ou rotativo, para segurar o material, com firmeza, nas proximidades da agulha, a fim de permitir que sejam feitas voltas com mais facilidade onde houver cantos e curvaturas.  Quando são usados acessórios ou aparelhos auxiliares, os calcadores são construídos de modo a funcionarem em conjunto com os mesmos.  Veja mais alguns exemplos de calcadores:
  • 30.
  • 31.  .  P112B – ¼” franzido: calcador para franzir com parafuso de regulagem, utilizado em máquina 2 agulhas ponto fixo.  • P112B – ¼” vivo: calcador para máquina 2 agulhas ponto fixo com canal para vivo.
  • 32.  Aparelhos para costura  Existe ainda um grande número de acessórios que facilitam várias operações de costura, tais como os aparelhos para diversas funções.  Os aparelhos embainhadores dobram o tecido no tamanho desejado. Existem aparelhos para casos específicos, sendo que para cada máquina existe um modelo apropriado.  Veja os exemplos:  AP21: aparelho para embutir o elástico, utilizado na máquina galoneira plana.  AP8365 especial: aparelho para vivo pronto, com viés recobrindo o vivo, utilizado em máquina reta.   Exemplos de aplicação das máquinas de costura