SlideShare uma empresa Scribd logo
AS CRIANÇAS DA
NOVA GERAÇÃO
Cátia Nunes Vera
A DÉCADA DO CÉREBRO
E O PONTO DE DEUS
1990 a 2000
Nosso cérebro tem escrito na sua
intimidade a presença de Deus
NOVA GERAÇÃO?
KARDEC, ALLAN. A GÊNESE,
CAP. 18, ITEM 28
¨... ASSEVERAM OS ESPÍRITOS NOBRES QUE
A NOVA GERAÇÃO É QUE VAI DESENVOLVER
O LADO DIREITO DO NOSSO CÉREBRO, O
LADO INTUITIVO, MEDIÚNICO, A ÁREA DAS
PERCEPÇÕES PSÍQUICAS. ESSA GERAÇÃO
QUE SE ESTÁ FORMANDO VEM SENDO
CHAMADA DE GERAÇÃO DE CRIANÇAS
ÍNDIGO, EM RAZÃO DE SEREM SERES
ESPECIAIS QUE EMITEM, EM SUAS AURAS,
UMA IRRADIAÇÃO COM UMA TONALIDADE
AZUL-VIOLETA ESPECÍFICA, IGUAL À ÍNDIGO,
QUE É ENCONTRADA EM UMA PLANTA NA
ÍNDIA.¨
Divaldo Franco
TIPOS DE CRIANÇAS ÍNDIGO
 Humanistas;
 Artistas;
 Conceituais;
 Interdimensionais ou
transdimensionais
MÉTODO WALDORFIANO
(RUDOLF STEINER)
Propõe a educação com amor, feita no lar e a escola
colabora com métodos compatíveis. Interação pais x
professores.
Primeiro educador a aliar educação e reencarnação.
Para ele a crença em outras vidas permite que o
aluno se sinta mais estimulado ao compreender que
suas atitudes ao longo da existência presente terão
consequências futuras, as quais se refletirão em
vivências posteriores.
METODO PIAGETIANO (DEC 60 - 80)
Para ele a criança absorve o teor do
aprendizado por meio de um processo
natural.
A escola tem que adequar sua prática
pedagógiica ao modo de ser dos seus
alunos, seguindo os instintos de
curiosidade que os motivam, elaborando
temáticas de interesse infantil, conforme a
faixa etária, e atividades lúdicas,
essenciais na formação da criança.
Rica de sons e cores, de ternura
POR QUE CRIANÇAS CRISTAL?
São aquelas que apresentam aura clara
como um cristal, razão pela qual
passaram a ser denominadas dessa
maneira.
Por volta do ano 1995 essas crianças
seguem os índigos e começam a encarnar
na terra representando o próximo passo
da evolução humana. Sua missão é
completar o trabalho começado pelos
índigos.
Elas estão vindo para nos ajudar a lidar
com as Energias Divinas.
CARACTERÍSTICAS
 Possuem olhos grandes com olhar
intenso;
 Têm personalidade magnética;
 São muito afetuosas;
 Começam a falar tardiamente na
infância;
 São crianças voltadas para a
música, e podem até cantar antes
de falar;
 Usam a telepatia e linguagem de
sinais que elas mesmas inventam
para se comunicar;
 Podem ser diagnosticadas com
autismo ou síndrome de Asperger;
 São de temperamento estável,
amáveis e carinhosas;
 Perdoam os outros;
 São altamente sensíveis e
empáticas;
 São muito conectadas a natureza e
animais;
 Exibem habilidades de cura;
 Demonstram grande interesse
em cristais e pedras;
 Discutem sobre anjos, guias
espirituais e memórias de vidas
passadas;
 São extremamente artísticas e
criativas;
 Preferem comidas vegetarianas
e sucos;
PINTURA DO QUADRO “O PRÍNCIPE DA PAZ”DE AKIANE KRAMARIK
VIDEO:
Meta:
 Abrir caminhos
 Aversão a mentira, falsidade e
manipulação
Especialidade:
 Denunciar
 Provar limites físicos
Personalidade:
 Extrovertidas
 Criativos, autônomos
 Determinação
 Muita Energia e sem medo de
enfrentar pessoas ou coisas
Meta:
 Continuar o caminho
começado pela geração índigo
 Força interior extraordinária
Especialidade:
 Liberdade por meio do
exemplo
 Provar os limites psíquicos
Personalidade:
 Calmos, pacíficos e gentis. Um
pouco introvertidos
 Espirituais
 Telepáticos
 Sensíveis
Índigo Cristal
Formas de Conduta:
 Exigentes que não se
cansam de pedir coisas
 Não tem medo de
confrontação
 Rebeldes
Forma de Conduta:
 Dizem o que precisam em
poucas palavras, mas com
profundidade
 Irradiam paz e
tranquilidade
 Harmonizam naturalmente
a energia que os rodeia
 Afetuosos com pessoas e
percebem suas
necessidades
 Calam-se e retiram-se se
há conflitos
Índigo Cristal
Características físicas e outras
 Robustos (Fisicamente)
 Fortes (Mentalmente)
Diagnóstico errado
 TDA
 TDAH
Fala
 Precoces
Características físicas
 Menos robustos fisica e
mentalmente
 Vulneráveis emocionalmente
Diagnóstico errado
 Autismos
 Aspergers
Fala
 Podem falar tardiamente
Índigo Cristal
CONCLUSÃO
“Cuidemos de nossos filhos, da nova
geração, para que possam, filhos e
geração, construir um mundo no qual a
violência ceda lugar à paz, o ódio ofereça
a premissa do amor, a revolta sistemática
ceda lugar à alegria, e em que nos
abracemos realmente sem angústias, sem
dores. Esses dias são anunciados pela
Bíblia, como sendo o fim dos tempos, não,
porém, assinalados apenas por tragédias,
mas o término dos tempos maus: de
guerras, de ódio, de horror...”
Divaldo Franco

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Primeiro Módulo - Aula 5 - Principio vital
Primeiro Módulo - Aula 5 - Principio vitalPrimeiro Módulo - Aula 5 - Principio vital
Primeiro Módulo - Aula 5 - Principio vital
CeiClarencio
 
Mediunidade e Obsessão na Infância
Mediunidade e Obsessão na InfânciaMediunidade e Obsessão na Infância
Mediunidade e Obsessão na Infância
Arlete Laenzlinger
 
Um olhar sobre o mundo espiritual parte iii a
Um olhar sobre o mundo espiritual parte iii aUm olhar sobre o mundo espiritual parte iii a
Um olhar sobre o mundo espiritual parte iii a
Sônia Marques
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
Jorge Luiz dos Santos
 
A Trindade Universal
A Trindade UniversalA Trindade Universal
A Trindade Universal
guestee6037
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
Jorge Luiz dos Santos
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
Kleber Galo
 
Cei 100217-i-cap. 4-o inferno
Cei 100217-i-cap. 4-o infernoCei 100217-i-cap. 4-o inferno
Cei 100217-i-cap. 4-o inferno
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Palestra Pluralidade Mundos Habitados
Palestra Pluralidade Mundos HabitadosPalestra Pluralidade Mundos Habitados
Palestra Pluralidade Mundos Habitados
cab3032
 
Aula 10 da encarnação dos espíritos
Aula 10   da encarnação dos espíritosAula 10   da encarnação dos espíritos
Aula 10 da encarnação dos espíritos
Fatoze
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
Sergio Menezes
 
2.2 da encarnacao dos espiritos
2.2   da encarnacao dos espiritos2.2   da encarnacao dos espiritos
2.2 da encarnacao dos espiritos
Marta Gomes
 
O Despertar da Consciência no Além Túmulo
O Despertar da Consciência no Além TúmuloO Despertar da Consciência no Além Túmulo
O Despertar da Consciência no Além Túmulo
ADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 ReencarnaçãoESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
Carlos Alberto
 
NinguéM Poderá Ver O Reino De Deus Se
NinguéM Poderá Ver O Reino De Deus SeNinguéM Poderá Ver O Reino De Deus Se
NinguéM Poderá Ver O Reino De Deus Se
Grupo Espírita Cristão
 
Há muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu paiHá muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu pai
Candice Gunther
 
Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7
Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7
Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7
Patricia Farias
 
Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016
Ricardo Azevedo
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
curso básico de espiritismo 12
curso básico de espiritismo 12curso básico de espiritismo 12
curso básico de espiritismo 12
Roseli Lemes
 

Mais procurados (20)

Primeiro Módulo - Aula 5 - Principio vital
Primeiro Módulo - Aula 5 - Principio vitalPrimeiro Módulo - Aula 5 - Principio vital
Primeiro Módulo - Aula 5 - Principio vital
 
Mediunidade e Obsessão na Infância
Mediunidade e Obsessão na InfânciaMediunidade e Obsessão na Infância
Mediunidade e Obsessão na Infância
 
Um olhar sobre o mundo espiritual parte iii a
Um olhar sobre o mundo espiritual parte iii aUm olhar sobre o mundo espiritual parte iii a
Um olhar sobre o mundo espiritual parte iii a
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
 
A Trindade Universal
A Trindade UniversalA Trindade Universal
A Trindade Universal
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
Cei 100217-i-cap. 4-o inferno
Cei 100217-i-cap. 4-o infernoCei 100217-i-cap. 4-o inferno
Cei 100217-i-cap. 4-o inferno
 
Palestra Pluralidade Mundos Habitados
Palestra Pluralidade Mundos HabitadosPalestra Pluralidade Mundos Habitados
Palestra Pluralidade Mundos Habitados
 
Aula 10 da encarnação dos espíritos
Aula 10   da encarnação dos espíritosAula 10   da encarnação dos espíritos
Aula 10 da encarnação dos espíritos
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
2.2 da encarnacao dos espiritos
2.2   da encarnacao dos espiritos2.2   da encarnacao dos espiritos
2.2 da encarnacao dos espiritos
 
O Despertar da Consciência no Além Túmulo
O Despertar da Consciência no Além TúmuloO Despertar da Consciência no Além Túmulo
O Despertar da Consciência no Além Túmulo
 
ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 ReencarnaçãoESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
 
NinguéM Poderá Ver O Reino De Deus Se
NinguéM Poderá Ver O Reino De Deus SeNinguéM Poderá Ver O Reino De Deus Se
NinguéM Poderá Ver O Reino De Deus Se
 
Há muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu paiHá muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu pai
 
Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7
Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7
Livro dos Espitos Q.234 Evangelho cap.17 item7
 
Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
curso básico de espiritismo 12
curso básico de espiritismo 12curso básico de espiritismo 12
curso básico de espiritismo 12
 

Semelhante a As crianças da nova geração

Índigo e Cristal
Índigo e CristalÍndigo e Cristal
Índigo e Cristal
Cleoalvares
 
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristalVisão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
naidja
 
Crianças Indigo
Crianças  IndigoCrianças  Indigo
Crianças Indigo
Projeto Crisálida
 
Crianças índigo
Crianças índigoCrianças índigo
Crianças índigo
Dalila Melo
 
Crianças índigo e cristal
Crianças índigo e cristalCrianças índigo e cristal
Crianças índigo e cristal
Topper Minds
 
Palestra crianças indigo e cristais - levy
Palestra   crianças indigo e cristais - levyPalestra   crianças indigo e cristais - levy
Palestra crianças indigo e cristais - levy
Daura Alves
 
A criança na casa espírita
A criança na casa espíritaA criança na casa espírita
A criança na casa espírita
Bernadete Costa
 
Somos Todos Educadores
Somos Todos EducadoresSomos Todos Educadores
Somos Todos Educadores
profº espª consultor Póvoas
 
Crianças índigos e cristal
Crianças índigos e cristalCrianças índigos e cristal
Crianças índigos e cristal
Ana Lúcia Hennemann
 
Espíritos Elementais
Espíritos ElementaisEspíritos Elementais
Espíritos Elementais
Eduardo Henrique Marçal
 
Espíritos Elementais
Espíritos ElementaisEspíritos Elementais
Espíritos Elementais
Eduardo Henrique Marçal
 
Crianças índigo
Crianças índigoCrianças índigo
Crianças índigo
Vilma Dardengo
 
O Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os EspíritosO Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os Espíritos
igmateus
 
Adolescência a complexidade do ser na visão espírita
Adolescência a complexidade do ser na visão espíritaAdolescência a complexidade do ser na visão espírita
Adolescência a complexidade do ser na visão espírita
Silvânio Barcelos
 
CriançAs
CriançAsCriançAs
Crianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e CristalCrianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e Cristal
guestd2718d
 
Crianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ekCrianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ek
Jana Marques
 
Crianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristalCrianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristal
sarabolive
 
Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17
Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17
Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17
Ana Lucia Silva
 
Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015
fespiritacrista
 

Semelhante a As crianças da nova geração (20)

Índigo e Cristal
Índigo e CristalÍndigo e Cristal
Índigo e Cristal
 
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristalVisão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
 
Crianças Indigo
Crianças  IndigoCrianças  Indigo
Crianças Indigo
 
Crianças índigo
Crianças índigoCrianças índigo
Crianças índigo
 
Crianças índigo e cristal
Crianças índigo e cristalCrianças índigo e cristal
Crianças índigo e cristal
 
Palestra crianças indigo e cristais - levy
Palestra   crianças indigo e cristais - levyPalestra   crianças indigo e cristais - levy
Palestra crianças indigo e cristais - levy
 
A criança na casa espírita
A criança na casa espíritaA criança na casa espírita
A criança na casa espírita
 
Somos Todos Educadores
Somos Todos EducadoresSomos Todos Educadores
Somos Todos Educadores
 
Crianças índigos e cristal
Crianças índigos e cristalCrianças índigos e cristal
Crianças índigos e cristal
 
Espíritos Elementais
Espíritos ElementaisEspíritos Elementais
Espíritos Elementais
 
Espíritos Elementais
Espíritos ElementaisEspíritos Elementais
Espíritos Elementais
 
Crianças índigo
Crianças índigoCrianças índigo
Crianças índigo
 
O Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os EspíritosO Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os Espíritos
 
Adolescência a complexidade do ser na visão espírita
Adolescência a complexidade do ser na visão espíritaAdolescência a complexidade do ser na visão espírita
Adolescência a complexidade do ser na visão espírita
 
CriançAs
CriançAsCriançAs
CriançAs
 
Crianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e CristalCrianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e Cristal
 
Crianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ekCrianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ek
 
Crianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristalCrianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristal
 
Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17
Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17
Introdução do Livro dos Espíritos - itens de 11 a 17
 
Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015
 

Último

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 

As crianças da nova geração

  • 1.
  • 2. AS CRIANÇAS DA NOVA GERAÇÃO Cátia Nunes Vera
  • 3. A DÉCADA DO CÉREBRO E O PONTO DE DEUS 1990 a 2000 Nosso cérebro tem escrito na sua intimidade a presença de Deus
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 12.
  • 13.
  • 14. KARDEC, ALLAN. A GÊNESE, CAP. 18, ITEM 28
  • 15. ¨... ASSEVERAM OS ESPÍRITOS NOBRES QUE A NOVA GERAÇÃO É QUE VAI DESENVOLVER O LADO DIREITO DO NOSSO CÉREBRO, O LADO INTUITIVO, MEDIÚNICO, A ÁREA DAS PERCEPÇÕES PSÍQUICAS. ESSA GERAÇÃO QUE SE ESTÁ FORMANDO VEM SENDO CHAMADA DE GERAÇÃO DE CRIANÇAS ÍNDIGO, EM RAZÃO DE SEREM SERES ESPECIAIS QUE EMITEM, EM SUAS AURAS, UMA IRRADIAÇÃO COM UMA TONALIDADE AZUL-VIOLETA ESPECÍFICA, IGUAL À ÍNDIGO, QUE É ENCONTRADA EM UMA PLANTA NA ÍNDIA.¨ Divaldo Franco
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. TIPOS DE CRIANÇAS ÍNDIGO  Humanistas;  Artistas;  Conceituais;  Interdimensionais ou transdimensionais
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. MÉTODO WALDORFIANO (RUDOLF STEINER) Propõe a educação com amor, feita no lar e a escola colabora com métodos compatíveis. Interação pais x professores. Primeiro educador a aliar educação e reencarnação. Para ele a crença em outras vidas permite que o aluno se sinta mais estimulado ao compreender que suas atitudes ao longo da existência presente terão consequências futuras, as quais se refletirão em vivências posteriores.
  • 26. METODO PIAGETIANO (DEC 60 - 80) Para ele a criança absorve o teor do aprendizado por meio de um processo natural. A escola tem que adequar sua prática pedagógiica ao modo de ser dos seus alunos, seguindo os instintos de curiosidade que os motivam, elaborando temáticas de interesse infantil, conforme a faixa etária, e atividades lúdicas, essenciais na formação da criança. Rica de sons e cores, de ternura
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31. POR QUE CRIANÇAS CRISTAL? São aquelas que apresentam aura clara como um cristal, razão pela qual passaram a ser denominadas dessa maneira. Por volta do ano 1995 essas crianças seguem os índigos e começam a encarnar na terra representando o próximo passo da evolução humana. Sua missão é completar o trabalho começado pelos índigos. Elas estão vindo para nos ajudar a lidar com as Energias Divinas.
  • 32. CARACTERÍSTICAS  Possuem olhos grandes com olhar intenso;  Têm personalidade magnética;  São muito afetuosas;  Começam a falar tardiamente na infância;  São crianças voltadas para a música, e podem até cantar antes de falar;
  • 33.  Usam a telepatia e linguagem de sinais que elas mesmas inventam para se comunicar;  Podem ser diagnosticadas com autismo ou síndrome de Asperger;  São de temperamento estável, amáveis e carinhosas;  Perdoam os outros;  São altamente sensíveis e empáticas;  São muito conectadas a natureza e animais;
  • 34.  Exibem habilidades de cura;  Demonstram grande interesse em cristais e pedras;  Discutem sobre anjos, guias espirituais e memórias de vidas passadas;  São extremamente artísticas e criativas;  Preferem comidas vegetarianas e sucos;
  • 35. PINTURA DO QUADRO “O PRÍNCIPE DA PAZ”DE AKIANE KRAMARIK
  • 37. Meta:  Abrir caminhos  Aversão a mentira, falsidade e manipulação Especialidade:  Denunciar  Provar limites físicos Personalidade:  Extrovertidas  Criativos, autônomos  Determinação  Muita Energia e sem medo de enfrentar pessoas ou coisas Meta:  Continuar o caminho começado pela geração índigo  Força interior extraordinária Especialidade:  Liberdade por meio do exemplo  Provar os limites psíquicos Personalidade:  Calmos, pacíficos e gentis. Um pouco introvertidos  Espirituais  Telepáticos  Sensíveis Índigo Cristal
  • 38. Formas de Conduta:  Exigentes que não se cansam de pedir coisas  Não tem medo de confrontação  Rebeldes Forma de Conduta:  Dizem o que precisam em poucas palavras, mas com profundidade  Irradiam paz e tranquilidade  Harmonizam naturalmente a energia que os rodeia  Afetuosos com pessoas e percebem suas necessidades  Calam-se e retiram-se se há conflitos Índigo Cristal
  • 39. Características físicas e outras  Robustos (Fisicamente)  Fortes (Mentalmente) Diagnóstico errado  TDA  TDAH Fala  Precoces Características físicas  Menos robustos fisica e mentalmente  Vulneráveis emocionalmente Diagnóstico errado  Autismos  Aspergers Fala  Podem falar tardiamente Índigo Cristal
  • 40. CONCLUSÃO “Cuidemos de nossos filhos, da nova geração, para que possam, filhos e geração, construir um mundo no qual a violência ceda lugar à paz, o ódio ofereça a premissa do amor, a revolta sistemática ceda lugar à alegria, e em que nos abracemos realmente sem angústias, sem dores. Esses dias são anunciados pela Bíblia, como sendo o fim dos tempos, não, porém, assinalados apenas por tragédias, mas o término dos tempos maus: de guerras, de ódio, de horror...” Divaldo Franco