SlideShare uma empresa Scribd logo
ARTES DE GOVERNAR
E EDUCAÇÃO
Karla Saraiva
GOVERNAMENTO
• Noção que
gradativamente substitui
poder na obra de Foucault
• Associada principalmente
a formas de poder que
não enfatizam a
obediência
• “Condução das condutas”
• Governar é dispor as
coisas para atingir um fim
• Governar enfatiza as
modificações sobre o meio
para regular os
acontecimentos
GOVERNAMENTO E
GOVERNO
De acordo com a obra foucautiana:
Poder soberano: “não deve” – obediência negativa
Poder disciplinar: “deve” – obediência positiva
Governamento: “pode” – condução das condutas
DA OBEDIÊNCIA À CONDUÇÃO DAS
CONDUTAS
DISCIPLINA GOVERNAMENTO
Ação Deve Pode
Princípio Prescreve Deixa fazer
Estratégia Obediência positiva Condução das condutas
Rel. hierárq. Heteronomia Autonomia regulada
Tática Regulamento Regulação
Norma Norma disciplinar Norma de segurança
Regime Visib. Vigilância (processo) Inquérito (resultado)
Instrumento Produção de registros Coleta de dados
Avaliação Exame Auditoria
Prioridade Coletividade Indivíduo
Ênfase Necessidade Interesse
Comunicação Bloqueada Incentivada
Objetivo Ortopedia do corpo Modulação da memória
Educação Ensino Aprendizagem
GOVERNAMENTALIDADE
● Racionalidade que orienta o governamento de modo
privilegiado
● Ligada a políticas de Estado, mas com abrangência bem
mais ampla
● Racionalidade que atravessa a sociedade e se aloja nos
Governos
● Práticas acima de ideologias
● A governamentalidade implica modo de significar o que
devem ser e como devem agir os sujeitos em um dado
momento
● Não homogênea: contracondutas
● Ligada desde a Modernidade com o biopoder
GOVERNAMENTALIDADES
● Mercantilismo – mecanismos disciplinares;
● Liberalismo – dispositivos de segurança
apoiados em mecanismos disciplinares
institucionais;
● Neoliberalismo – novos dispositivos de
segurança cada vez apoiados cada vez menos
em mecanismos disciplinares e cada vez mais
em mecanismos de controle.
Governamentalidade Neoliberal
Respeitar a liberdade do mercado Produzir a liberdade do mercado
Intervir para restabelecer
naturalidade
Intervir para produzir liberdade
Princípio: livre intercâmbio Princípio: concorrência
Riscos: prevenção coletiva Riscos: prevenção individual
Ações biopolíticas: proteção
população
Ações biopolíticas: informação da
população
Homo œconomicus circunscrito à
assuntos econômicos
Homo œconomicus recobre todos
os domínios da vida
Liberalismo (XVIII)
Liberalismo e neoliberalismo para além da
ideologia e teorias econômicas: práticas que
formam uma racionalidade para governar sujeitos
Neoliberalismo (XX)
Liberalismo (XVIII)
Neoliberalismo (XX)
Sujeitos disciplinados
Empresários de si
Foucault indica que o neoliberalismo procura
transformar cada um em empresário de si mesmo,
que faz investimentos visando aumentar seu capital
humano, para maximizar a taxa de retorno (retorno
que não necessariamente é financeiro, podendo
ser afetivo). Isso aponta no sentido de tornar a vida
de cada indivíduo um empreendimento e cada um,
um empreendedor.
Homo œconomicus
Conceito criado por Schultz
O trabalhador oferece ao seu empregador o
seu capital humano e aufere renda
proporcional a ele.
O capital humano tem uma parte inata, mas a
maior parte é produzida. O investimento no
capital humano passa pelos cuidados da
família, cuidados com a saúde e,
principalmente, em investimentos
educacionais. Educação volta-se para o
desenvolvimento do capital humano.
Investimentos pela família/indivíduo; pelo
Estado e pelas empresas.
Capital humano
• Educação ao longo da vida
• Crescentes cuidados e investimentos nos filhos e na
infância
• Valorização da Educação pelas empresas
• Educação voltada para áreas técnicas
• Educação como fator de desenvolvimento
• Torna cada um responsável por investir no capital
humano – concorrência, responsabilidade individual,
todos proprietários, todos gestores
• O capital humano produz subjetividades na forma
empresa ao mesmo tempo que desloca a concorrência
para o nível do indivíduo.
Capital humano – alguns efeitos
Empreendedorismo e gestão
● Empreendedorismo – orientação para o empresário de si;
● Empreendedorismo como ethos e não como atividade
● Gestão empresarial – forma privilegiada de organização
● A disciplina ia da fábrica à escola; a gestão empresarial vai
da empresa à escola/universidade

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimidoPedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimido
NILLMELLINE
 
Semântica implicações
Semântica   implicaçõesSemântica   implicações
Semântica implicações
vinivs
 
Racismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexãoRacismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexão
Adriana Gomes Messias
 
Sofistas e socrates
Sofistas e socratesSofistas e socrates
Sofistas e socrates
UNESC
 
Pedagogia Tradicional
Pedagogia TradicionalPedagogia Tradicional
Pedagogia Tradicional
htona
 
Variantes Linguísticas na Música
Variantes Linguísticas na MúsicaVariantes Linguísticas na Música
Variantes Linguísticas na Música
Pricila Yessayan
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
Soares Junior
 
Paulo Freire
Paulo FreirePaulo Freire
Paulo Freire
Glauber Moraes
 
Do erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtude
Do erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtudeDo erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtude
Do erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtude
thamiresaneves
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
pibidsociais
 
Zygmunt Bauman
Zygmunt BaumanZygmunt Bauman
Zygmunt Bauman
Alessandra Vidigal
 
Revel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdf
Revel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdfRevel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdf
Revel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdf
Ana Rufino
 
Regras do hifen
Regras do hifenRegras do hifen
Regras do hifen
RaquelTostes1
 
Teorias do curriculo
Teorias do curriculoTeorias do curriculo
Teorias do curriculo
Natália Luz
 
O indivíduo em bauman, hall, augé
O indivíduo em bauman, hall, augéO indivíduo em bauman, hall, augé
O indivíduo em bauman, hall, augé
CBD0282 - Estados e Formas da Cultura na Atualidade
 
OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...
OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...
OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...
profamiriamnavarro
 
Gêneros discursivos, formas de textualização e tipologia
Gêneros discursivos, formas de textualização e tipologiaGêneros discursivos, formas de textualização e tipologia
Gêneros discursivos, formas de textualização e tipologia
Adail Sobral
 
A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.
A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.
A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.
Per Marisa Lima
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
PEDAGOGIA-COLABORATIVA
 
O ateneu
O ateneuO ateneu
O ateneu
Seduc/AM
 

Mais procurados (20)

Pedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimidoPedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimido
 
Semântica implicações
Semântica   implicaçõesSemântica   implicações
Semântica implicações
 
Racismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexãoRacismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexão
 
Sofistas e socrates
Sofistas e socratesSofistas e socrates
Sofistas e socrates
 
Pedagogia Tradicional
Pedagogia TradicionalPedagogia Tradicional
Pedagogia Tradicional
 
Variantes Linguísticas na Música
Variantes Linguísticas na MúsicaVariantes Linguísticas na Música
Variantes Linguísticas na Música
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Paulo Freire
Paulo FreirePaulo Freire
Paulo Freire
 
Do erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtude
Do erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtudeDo erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtude
Do erro como fonte de castigo ao erro como fonte de virtude
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
 
Zygmunt Bauman
Zygmunt BaumanZygmunt Bauman
Zygmunt Bauman
 
Revel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdf
Revel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdfRevel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdf
Revel Judith - Foucault conceitos essenciais-pdf
 
Regras do hifen
Regras do hifenRegras do hifen
Regras do hifen
 
Teorias do curriculo
Teorias do curriculoTeorias do curriculo
Teorias do curriculo
 
O indivíduo em bauman, hall, augé
O indivíduo em bauman, hall, augéO indivíduo em bauman, hall, augé
O indivíduo em bauman, hall, augé
 
OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...
OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...
OPGEANE AULA 1: Orientação e Prática de Gestão da Educação em Ambientes Escol...
 
Gêneros discursivos, formas de textualização e tipologia
Gêneros discursivos, formas de textualização e tipologiaGêneros discursivos, formas de textualização e tipologia
Gêneros discursivos, formas de textualização e tipologia
 
A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.
A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.
A pedagogia como cultura, a cultura como pedagogia.
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
O ateneu
O ateneuO ateneu
O ateneu
 

Destaque

Norma - Foucault e Educação
Norma - Foucault e EducaçãoNorma - Foucault e Educação
Norma - Foucault e Educação
Karla Saraiva
 
ApresentaçãOepistemologia 2
ApresentaçãOepistemologia 2ApresentaçãOepistemologia 2
ApresentaçãOepistemologia 2
Suênia Izabel Lino Molin
 
Corporeidade aula 2
Corporeidade aula 2Corporeidade aula 2
Corporeidade aula 2
laiscarlini
 
Corporeidade aula 4
Corporeidade aula 4Corporeidade aula 4
Corporeidade aula 4
laiscarlini
 
Foucault Noções gerais e sistematização de seu pensamento
Foucault   Noções gerais e sistematização de seu pensamentoFoucault   Noções gerais e sistematização de seu pensamento
Foucault Noções gerais e sistematização de seu pensamento
Ivan Furmann
 
Módulo 3 - Corporeidade
Módulo 3 - CorporeidadeMódulo 3 - Corporeidade
Módulo 3 - Corporeidade
Tatiana Teixeira
 
O corpo na idade média
O corpo na idade médiaO corpo na idade média
O corpo na idade média
Fabricio Pangoni
 
Corporeidade aula 1
Corporeidade   aula 1 Corporeidade   aula 1
Corporeidade aula 1
laiscarlini
 
Ser-consigo e tecnologias do eu - Foucault e Educação
Ser-consigo e tecnologias do eu - Foucault e EducaçãoSer-consigo e tecnologias do eu - Foucault e Educação
Ser-consigo e tecnologias do eu - Foucault e Educação
Karla Saraiva
 
O nascimento das disciplinas
O nascimento das disciplinasO nascimento das disciplinas
O nascimento das disciplinas
Marília Silva
 
Reflexões interdisciplinares sobre a educação
Reflexões interdisciplinares sobre a educaçãoReflexões interdisciplinares sobre a educação
Reflexões interdisciplinares sobre a educação
richard_romancini
 
Slides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeito
Slides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeitoSlides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeito
Slides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeito
Alessandro Alves
 
A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.
PatriciaKarla
 
Las palabras y las cosas
Las palabras y las cosasLas palabras y las cosas
Las palabras y las cosas
Daniel Caicedo
 
Estado e relações de poder
Estado e relações de poderEstado e relações de poder
Estado e relações de poder
Isaias Vitor Almeida Silva
 
Slides Relações de poder
Slides Relações de poderSlides Relações de poder
Slides Relações de poder
Amarildo Ferreira
 
Michel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y Anexos
Michel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y AnexosMichel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y Anexos
Michel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y Anexos
Universidad de la República- Regional Norte
 
História e histórias de loucura
História e histórias de loucuraHistória e histórias de loucura
História e histórias de loucura
Jorge Almeida
 
Corporeidade aula 3
Corporeidade aula 3Corporeidade aula 3
Corporeidade aula 3
laiscarlini
 
Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...
Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...
Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...
Amarildo Ferreira
 

Destaque (20)

Norma - Foucault e Educação
Norma - Foucault e EducaçãoNorma - Foucault e Educação
Norma - Foucault e Educação
 
ApresentaçãOepistemologia 2
ApresentaçãOepistemologia 2ApresentaçãOepistemologia 2
ApresentaçãOepistemologia 2
 
Corporeidade aula 2
Corporeidade aula 2Corporeidade aula 2
Corporeidade aula 2
 
Corporeidade aula 4
Corporeidade aula 4Corporeidade aula 4
Corporeidade aula 4
 
Foucault Noções gerais e sistematização de seu pensamento
Foucault   Noções gerais e sistematização de seu pensamentoFoucault   Noções gerais e sistematização de seu pensamento
Foucault Noções gerais e sistematização de seu pensamento
 
Módulo 3 - Corporeidade
Módulo 3 - CorporeidadeMódulo 3 - Corporeidade
Módulo 3 - Corporeidade
 
O corpo na idade média
O corpo na idade médiaO corpo na idade média
O corpo na idade média
 
Corporeidade aula 1
Corporeidade   aula 1 Corporeidade   aula 1
Corporeidade aula 1
 
Ser-consigo e tecnologias do eu - Foucault e Educação
Ser-consigo e tecnologias do eu - Foucault e EducaçãoSer-consigo e tecnologias do eu - Foucault e Educação
Ser-consigo e tecnologias do eu - Foucault e Educação
 
O nascimento das disciplinas
O nascimento das disciplinasO nascimento das disciplinas
O nascimento das disciplinas
 
Reflexões interdisciplinares sobre a educação
Reflexões interdisciplinares sobre a educaçãoReflexões interdisciplinares sobre a educação
Reflexões interdisciplinares sobre a educação
 
Slides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeito
Slides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeitoSlides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeito
Slides - Cap. 3 - Fischer - Foucault e o desejável conhecimento do sujeito
 
A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.
 
Las palabras y las cosas
Las palabras y las cosasLas palabras y las cosas
Las palabras y las cosas
 
Estado e relações de poder
Estado e relações de poderEstado e relações de poder
Estado e relações de poder
 
Slides Relações de poder
Slides Relações de poderSlides Relações de poder
Slides Relações de poder
 
Michel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y Anexos
Michel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y AnexosMichel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y Anexos
Michel Foucault- La Hermenéutica del sujeto. Primera lección y Anexos
 
História e histórias de loucura
História e histórias de loucuraHistória e histórias de loucura
História e histórias de loucura
 
Corporeidade aula 3
Corporeidade aula 3Corporeidade aula 3
Corporeidade aula 3
 
Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...
Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...
Monografia "Relações de poder em uma empresa de serviços - Influências na for...
 

Semelhante a Artes de governar - Foucault e Educação

MKT - Articles
MKT - ArticlesMKT - Articles
MKT - Articles
Cristian Von Der Heyde
 
Adm ms 2012
Adm ms 2012Adm ms 2012
Adm ms 2012
Ismael Costa
 
Contextualização das pessoas nas escolas de administração
Contextualização das pessoas nas escolas de administraçãoContextualização das pessoas nas escolas de administração
Contextualização das pessoas nas escolas de administração
Raquel Carvalheiro Navarro
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias Administrativas
William Costa
 
3 apresentao-050519
3 apresentao-0505193 apresentao-050519
3 apresentao-050519
beirario
 
88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx
88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx
88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx
IsabelleSampaio10
 
Aula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento Organizacional
Aula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento OrganizacionalAula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento Organizacional
Aula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento Organizacional
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Den
DenDen
Aula I - Introdução à Administração.pptx
Aula I - Introdução à Administração.pptxAula I - Introdução à Administração.pptx
Aula I - Introdução à Administração.pptx
Fabio Costa
 
Administração enfermagem - SESRJ
Administração enfermagem - SESRJAdministração enfermagem - SESRJ
Administração enfermagem - SESRJ
Ismael Costa
 
Slide sharemudança e aprendizagem
Slide sharemudança e aprendizagemSlide sharemudança e aprendizagem
Slide sharemudança e aprendizagem
POSEADUP
 
Perspectiva histórica das teorias administrativas
Perspectiva histórica das teorias administrativasPerspectiva histórica das teorias administrativas
Perspectiva histórica das teorias administrativas
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Thiago Garcez
 
Noções de Administração UC1.ppt
Noções de Administração UC1.pptNoções de Administração UC1.ppt
Noções de Administração UC1.ppt
GuilhermeSilveiraMor
 
AULA 08.pdf
AULA 08.pdfAULA 08.pdf
AULA 08.pdf
RosineiaSantos8
 
21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone
21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone
21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone
Thiago Souza Santos
 
Cap 2 Empreendedorismo
Cap 2 EmpreendedorismoCap 2 Empreendedorismo
Cap 2 Empreendedorismo
Graphic Designer
 
O ser humano nas organizações finalizado
O ser humano nas organizações   finalizadoO ser humano nas organizações   finalizado
O ser humano nas organizações finalizado
Luiz Dantas
 
Apostila administracao completa
Apostila administracao completaApostila administracao completa
Apostila administracao completa
Clenio Farias
 
Abordagem humanística
Abordagem humanísticaAbordagem humanística
Abordagem humanística
Sergio Menezes 007
 

Semelhante a Artes de governar - Foucault e Educação (20)

MKT - Articles
MKT - ArticlesMKT - Articles
MKT - Articles
 
Adm ms 2012
Adm ms 2012Adm ms 2012
Adm ms 2012
 
Contextualização das pessoas nas escolas de administração
Contextualização das pessoas nas escolas de administraçãoContextualização das pessoas nas escolas de administração
Contextualização das pessoas nas escolas de administração
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias Administrativas
 
3 apresentao-050519
3 apresentao-0505193 apresentao-050519
3 apresentao-050519
 
88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx
88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx
88896594-Fundamentos-Da-Enfermagem-Aula-1.pptx
 
Aula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento Organizacional
Aula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento OrganizacionalAula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento Organizacional
Aula 2 - Perspectiva Histórica do Comportamento Organizacional
 
Den
DenDen
Den
 
Aula I - Introdução à Administração.pptx
Aula I - Introdução à Administração.pptxAula I - Introdução à Administração.pptx
Aula I - Introdução à Administração.pptx
 
Administração enfermagem - SESRJ
Administração enfermagem - SESRJAdministração enfermagem - SESRJ
Administração enfermagem - SESRJ
 
Slide sharemudança e aprendizagem
Slide sharemudança e aprendizagemSlide sharemudança e aprendizagem
Slide sharemudança e aprendizagem
 
Perspectiva histórica das teorias administrativas
Perspectiva histórica das teorias administrativasPerspectiva histórica das teorias administrativas
Perspectiva histórica das teorias administrativas
 
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
 
Noções de Administração UC1.ppt
Noções de Administração UC1.pptNoções de Administração UC1.ppt
Noções de Administração UC1.ppt
 
AULA 08.pdf
AULA 08.pdfAULA 08.pdf
AULA 08.pdf
 
21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone
21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone
21 10 - ethos público e cultura organizacional - pedro paulo carbone
 
Cap 2 Empreendedorismo
Cap 2 EmpreendedorismoCap 2 Empreendedorismo
Cap 2 Empreendedorismo
 
O ser humano nas organizações finalizado
O ser humano nas organizações   finalizadoO ser humano nas organizações   finalizado
O ser humano nas organizações finalizado
 
Apostila administracao completa
Apostila administracao completaApostila administracao completa
Apostila administracao completa
 
Abordagem humanística
Abordagem humanísticaAbordagem humanística
Abordagem humanística
 

Último

Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 

Artes de governar - Foucault e Educação

  • 1. ARTES DE GOVERNAR E EDUCAÇÃO Karla Saraiva
  • 2. GOVERNAMENTO • Noção que gradativamente substitui poder na obra de Foucault • Associada principalmente a formas de poder que não enfatizam a obediência • “Condução das condutas” • Governar é dispor as coisas para atingir um fim • Governar enfatiza as modificações sobre o meio para regular os acontecimentos
  • 4. De acordo com a obra foucautiana: Poder soberano: “não deve” – obediência negativa Poder disciplinar: “deve” – obediência positiva Governamento: “pode” – condução das condutas DA OBEDIÊNCIA À CONDUÇÃO DAS CONDUTAS
  • 5. DISCIPLINA GOVERNAMENTO Ação Deve Pode Princípio Prescreve Deixa fazer Estratégia Obediência positiva Condução das condutas Rel. hierárq. Heteronomia Autonomia regulada Tática Regulamento Regulação Norma Norma disciplinar Norma de segurança Regime Visib. Vigilância (processo) Inquérito (resultado) Instrumento Produção de registros Coleta de dados Avaliação Exame Auditoria Prioridade Coletividade Indivíduo Ênfase Necessidade Interesse Comunicação Bloqueada Incentivada Objetivo Ortopedia do corpo Modulação da memória Educação Ensino Aprendizagem
  • 6. GOVERNAMENTALIDADE ● Racionalidade que orienta o governamento de modo privilegiado ● Ligada a políticas de Estado, mas com abrangência bem mais ampla ● Racionalidade que atravessa a sociedade e se aloja nos Governos ● Práticas acima de ideologias ● A governamentalidade implica modo de significar o que devem ser e como devem agir os sujeitos em um dado momento ● Não homogênea: contracondutas ● Ligada desde a Modernidade com o biopoder
  • 7. GOVERNAMENTALIDADES ● Mercantilismo – mecanismos disciplinares; ● Liberalismo – dispositivos de segurança apoiados em mecanismos disciplinares institucionais; ● Neoliberalismo – novos dispositivos de segurança cada vez apoiados cada vez menos em mecanismos disciplinares e cada vez mais em mecanismos de controle.
  • 8. Governamentalidade Neoliberal Respeitar a liberdade do mercado Produzir a liberdade do mercado Intervir para restabelecer naturalidade Intervir para produzir liberdade Princípio: livre intercâmbio Princípio: concorrência Riscos: prevenção coletiva Riscos: prevenção individual Ações biopolíticas: proteção população Ações biopolíticas: informação da população Homo œconomicus circunscrito à assuntos econômicos Homo œconomicus recobre todos os domínios da vida Liberalismo (XVIII) Liberalismo e neoliberalismo para além da ideologia e teorias econômicas: práticas que formam uma racionalidade para governar sujeitos Neoliberalismo (XX)
  • 9. Liberalismo (XVIII) Neoliberalismo (XX) Sujeitos disciplinados Empresários de si Foucault indica que o neoliberalismo procura transformar cada um em empresário de si mesmo, que faz investimentos visando aumentar seu capital humano, para maximizar a taxa de retorno (retorno que não necessariamente é financeiro, podendo ser afetivo). Isso aponta no sentido de tornar a vida de cada indivíduo um empreendimento e cada um, um empreendedor. Homo œconomicus
  • 10. Conceito criado por Schultz O trabalhador oferece ao seu empregador o seu capital humano e aufere renda proporcional a ele. O capital humano tem uma parte inata, mas a maior parte é produzida. O investimento no capital humano passa pelos cuidados da família, cuidados com a saúde e, principalmente, em investimentos educacionais. Educação volta-se para o desenvolvimento do capital humano. Investimentos pela família/indivíduo; pelo Estado e pelas empresas. Capital humano
  • 11. • Educação ao longo da vida • Crescentes cuidados e investimentos nos filhos e na infância • Valorização da Educação pelas empresas • Educação voltada para áreas técnicas • Educação como fator de desenvolvimento • Torna cada um responsável por investir no capital humano – concorrência, responsabilidade individual, todos proprietários, todos gestores • O capital humano produz subjetividades na forma empresa ao mesmo tempo que desloca a concorrência para o nível do indivíduo. Capital humano – alguns efeitos
  • 12. Empreendedorismo e gestão ● Empreendedorismo – orientação para o empresário de si; ● Empreendedorismo como ethos e não como atividade ● Gestão empresarial – forma privilegiada de organização ● A disciplina ia da fábrica à escola; a gestão empresarial vai da empresa à escola/universidade