SlideShare uma empresa Scribd logo
Arquitetura
Cliente/Servidor

          Eduardo Costa
Arquitetura Cliente/Servidor

                   Conceitos:

   “É uma arquitetura onde o processamento da
 informação é dividido em módulos ou processos
    distintos. Um processo é responsável pela
manutenção da informação (Servidor), enquanto
que outro é responsável pela obtenção dos dados
     (Cliente)”. BATTISTI, (2001, pág. 38).
Arquitetura Cliente/Servidor


  “É uma abordagem da computação que separa
 os processos em plataformas independentes que
   interagem, permitindo que os recursos sejam
 compartilhados enquanto se obtém o máximo de
  benefício de cada dispositivo diferente, ou seja,
      Cliente/Servidor é um modelo lógico”.
          VASKEVITCH, (1995, pág. 375).
Arquitetura Cliente/Servidor

  “Sistema inovador surgido nos anos 90 e muito
  utilizado no meio corporativo, baseado em três
    componentes principais: gerenciamento de
       banco de dados, que funcionam como
   servidores; redes, que funcionam como meio
        de transporte de dados e, finalmente,
    softwares para acesso aos dados: Clientes”.
              BATTISTI, (2001, pág 39).
Arquitetura Cliente/Servidor

                Estrutura Básica:
 Em uma rede de computadores existem uma ou
  mais máquinas que atuam como servidores,
   disponibilizando recursos para as demais
    máquinas, as quais atuam como clientes.



             REQUISITA

Cliente                         Servidor Executa
             RESPONDE
Arquitetura Cliente/Servidor
                     Estrutura Básica:
   Temos servidores para arquivos, banco de dados, e
   outras funções, tais como: servidores de impressão,
                   servidores web, etc.


                   Banco de Dados

Servidor de
Arquivos                                  Outros
                                          Serviços

                                                Clientes
Arquitetura Cliente/Servidor
               Onde:

  Servidores: são equipamentos com
  maior poder de processamento e
  armazenamento;



  Clientes: geralmente microcomputadores
  PCs ligados em rede.
Arquitetura Cliente/Servidor
             Principais características:
                     Cliente:
   Inicia e termina as conversações com os
 Servidores, solicitando serviços distribuídos;
     Não se comunica com outros Clientes;
   Normalmente responsável pela entrada e
 saída de dados e comunicação com o usuário;
    Torna a rede ‘transparente’ ao usuário;
    Hardware: pode ser um micro simples;
      Software: tem início e fim definido.
Arquitetura Cliente/Servidor
            Principais características:
                    Servidor:
              • Execução contínua;
 • Recebe e responde a solicitações dos Clientes;
   • Não se comunica com outros Servidores;
         • Presta serviços distribuídos;
 • Atende a diversos Clientes simultaneamente;
 • Hardware; exige máquinas mais robustas, com
      grande capacidade de processamento;
   • Software: processo sempre em execução,
     aguardando ser chamado pelo Cliente.
Arquitetura Cliente/Servidor
 Maiframes são computadores de grande porte
 que fazem processamento de dados de forma
   centralizada: modelo que até os anos 90
              reinava absoluto.
 Principais Desvantagens do modelo maiframe:
        Serviços e recursos reduzidos;
     Centralização de dados e recursos de
               processamento;
               Inflexibilidade;
              Inversatibilidade;
              Custos elevados.
Arquitetura Cliente/Servidor
      Aplicações em Duas Camadas:




                     Banco de Dados




                                    Clientes
Arquitetura Cliente/Servidor
          Aplicações em Duas Camadas:
 Foram utilizadas no início da implantação do
 modelo Cliente/ Servidor. Aqui, a aplicação
  Cliente responde pelas seguintes funções:.




               Apresentação:
    O código que gera a interface visível do
   programa faz parte da aplicação Cliente.
    Todos os formulários, menus e demais
 elementos visuais nele estão contidos. Então
   uma alteração na interface do programa
  requer a geração de uma nova versão para
           todos os computadores;
Arquitetura Cliente/Servidor
             Lógica do Negócio:
São as regras que definem como os dados serão
  acessados e processados. Toda a Lógica do
 Negócio fica no Cliente. Quando o programa
   Cliente é instalado, são instaladas todas as
                    regras de
           acesso ao banco de dados.
  É necessária uma nova versão do programa
 cada vez que alterações ocorrerem e as regras
 mudarem. Também é necessário que todos os
    computadores que estejam com a versão
  anterior recebam a nova, mesmo que sejam
        centenas ou milhares de micros.
Arquitetura Cliente/Servidor
                 Contribuições;
            Avanços para a empresa;




                    Limitações;
   Dificuldade de Manutenção e gerenciamento.
Arquitetura Cliente/Servidor
          Aplicações em Três Camadas:




 Servidor de                     Servidor de
 Aplicações
                               Banco de Dados


                                        Clientes
Arquitetura Cliente/Servidor
                       Evolução:
  Retira as Regras do Negócio do cliente e as
 centraliza em um determinado ponto, o qual
     é chamado de servidor de aplicações:
                                  O acesso ao Banco de
                                  Dados é feito através
                                  das regras contidas no
                                  Servidor de Aplicações:
                                  facilidade de
                                  atualização
                                  das mesmas, pois estão
Servidor de   Servidor de Banco
                                  centralizadas em um
Aplicações    de Dados            único ponto.
Arquitetura Cliente/Servidor
                   Características:

 As Regras do Negócio (lógica) foram deslocadas
     para o Servidor de Aplicações, então ali será
     determinada a maneira como os dados serão
                      utilizados..



    Todo o acesso do cliente ao Banco de Dados é
 feito de acordo com as regras contidas no Servidor
   de Aplicações. Não é possível o acesso ao B. de
 Dados sem primeiramente passar pelo Servidor de
                     Aplicações.     .



      No Servidor de B. de Dados reside toda
  informação necessária para o funcionamento da
                    aplicação.
Arquitetura Cliente/Servidor
                    Melhoramentos:
     Atualização mais fácil das Regras do Negócio;
     Aumento da flexibilidade, conseqüentemente;
    Maior segurança e controle do acesso aos dados;
   Torna-se mais fácil manter a aplicação atualizada e
      garantir que todos os usuários terão acesso às
                        alterações;
                           Falha:
   Continua o problema de atualização da interface de
 aplicação, cada vez que sejam necessárias mudanças na
 interface. Porém, alterações nela são menos freqüentes
     do que as que ocorrem nas Regras do Negócio.
Arquitetura Cliente/Servidor
          Aplicações em Quatro Camadas.


                   Idéia Básica:
Retirar a apresentação do cliente e centralizá-la
em um determinado ponto, o qual na maioria
         dos casos é um Servidor web.
                    Avanço:
 O cliente deixa de existir como um programa
   que precisa ser instalado em cada micro.
  O acesso à aplicação é feito através de um
    navegador: Internet Explorer, Netscape
                   Navigator
Arquitetura Cliente/Servidor
 Aplicações em Quatro Camadas – Estrutura:
                 Servidor de
                 Aplicações
                                 Servidor de
Servidor
                                 Banco de
 Web
                                 Dados


                                     Clientes
Arquitetura Cliente/Servidor
                       Esquema básico:
        •Cliente quer acessar a aplicação
    •acessa o endereço da mesma através do navegador
 •servidor de aplicações verifica se ao cliente é permitido o
              acesso banco de dados liberado.

                                         http://www.empresa-
                                         xy.com/sistemas/rh.aspx
                                         .


Servidor de Aplicações                      Banco de dados:
determina de que maneira os                 informações
dados serão utilizados                      necessárias
Arquitetura Cliente/Servidor
                  4 Camadas:
                      .



            Cliente: Navegador;
  Apresentação: Servidor Web, onde serão
       feitas as alterações de interface;
  Lógica (Regras do Negócio): Servidor de
 Aplicações, onde serão feitas as alterações
 nas regras do negócio, quando necessárias;
  Dados: Servidor de Banco de Dados, com
      todas as informações necessárias.
Arquitetura Cliente/Servidor
     Vantagens:           Desvantagens:
                     .


    •Serviços;             Complexidade;
    •Recursos;              Comunicação.
                 • Protocolos;
                 •Localização;
             • Descentralização;
               •Escalabilidade;
                • Integridade.
Bibliografia

    BATTISTI, Júlio. SQL Server 2000:
 Administração e Desenvolvimento – Curso
Completo. 2. ed. Rio de Janeiro: Axcell Books,
                   2001.

      VASKEVITCH, David. Estratégia
     Cliente/Servidor: um guia para a
   reengenharia da empresa. São Paulo:
             Berkeley, 1995.
Bibliografia

        www.unice.br/anaclara/sd0202/3doc
      www.dcc.ufrj.br/nlabbd/texto/cliserv.htm
        www.hp.br.inter.net/cats/pb/pbl.html
www.infosites.com.br/htdoes/artigo/comandos/02.php
    www.delgrande.com.br/cases/santarita.html
      www.ibm.com.br/wsminformatica/cs.htm
www.dataflow.com.br/suporte/glossario/arquitclisvr.htm
     www.terravista.pt/ilhadomel/2388/apo.htm
       www.thinnetworks.com.br/thinclient.asp

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

UML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas EficientesUML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas Eficientes
Rodrigo Cascarrolho
 
5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix
5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix
5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix
Cris Fidelix
 
Modelos de processos de software
Modelos de processos de softwareModelos de processos de software
Modelos de processos de software
Nécio de Lima Veras
 
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivosAula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
camila_seixas
 
Aula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para WebAula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para Web
Daniel Brandão
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados
vini_campos
 
Aula de Introdução - JAVA
Aula de Introdução  - JAVAAula de Introdução  - JAVA
Aula de Introdução - JAVA
Moises Omena
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
Fabrício Lopes Sanchez
 
Sistemas Distribuídos - Aspectos de Projeto
Sistemas Distribuídos - Aspectos de ProjetoSistemas Distribuídos - Aspectos de Projeto
Sistemas Distribuídos - Aspectos de Projeto
Adriano Teixeira de Souza
 
Sistema operativo servidor
Sistema operativo servidorSistema operativo servidor
Sistema operativo servidor
Sandu Postolachi
 
Aula 7 - Modelagem de Software
Aula 7 - Modelagem de SoftwareAula 7 - Modelagem de Software
Aula 7 - Modelagem de Software
Leinylson Fontinele
 
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas DistribuidosSI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
Frederico Madeira
 
S.o. windows server2008
S.o. windows server2008S.o. windows server2008
S.o. windows server2008
teacherpereira
 
Aula 4 banco de dados
Aula 4   banco de dados Aula 4   banco de dados
Aula 4 banco de dados
Jorge Ávila Miranda
 
Banco de Dados - MySQL Basico
Banco de Dados - MySQL BasicoBanco de Dados - MySQL Basico
Banco de Dados - MySQL Basico
Rangel Javier
 
Desenhando Componentes de Software com UML
Desenhando Componentes de Software com UMLDesenhando Componentes de Software com UML
Desenhando Componentes de Software com UML
Rildo (@rildosan) Santos
 
Engenharia de requisitos
Engenharia de requisitosEngenharia de requisitos
Engenharia de requisitos
Mailson Queiroz
 
Banco de Dados II Aula 01 - Apresentação
Banco de Dados II Aula 01 - ApresentaçãoBanco de Dados II Aula 01 - Apresentação
Banco de Dados II Aula 01 - Apresentação
Leinylson Fontinele
 
Exercitando modelagem em UML
Exercitando modelagem em UMLExercitando modelagem em UML
Exercitando modelagem em UML
info_cimol
 
Arquitetura Cliente-Servidor - Modelos
Arquitetura Cliente-Servidor - ModelosArquitetura Cliente-Servidor - Modelos
Arquitetura Cliente-Servidor - Modelos
Israel Messias
 

Mais procurados (20)

UML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas EficientesUML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas Eficientes
 
5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix
5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix
5- Modelo entidade Relacionamento - Cardinalidade - Profª Cristiane Fidelix
 
Modelos de processos de software
Modelos de processos de softwareModelos de processos de software
Modelos de processos de software
 
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivosAula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
 
Aula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para WebAula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para Web
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados
 
Aula de Introdução - JAVA
Aula de Introdução  - JAVAAula de Introdução  - JAVA
Aula de Introdução - JAVA
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
 
Sistemas Distribuídos - Aspectos de Projeto
Sistemas Distribuídos - Aspectos de ProjetoSistemas Distribuídos - Aspectos de Projeto
Sistemas Distribuídos - Aspectos de Projeto
 
Sistema operativo servidor
Sistema operativo servidorSistema operativo servidor
Sistema operativo servidor
 
Aula 7 - Modelagem de Software
Aula 7 - Modelagem de SoftwareAula 7 - Modelagem de Software
Aula 7 - Modelagem de Software
 
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas DistribuidosSI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
 
S.o. windows server2008
S.o. windows server2008S.o. windows server2008
S.o. windows server2008
 
Aula 4 banco de dados
Aula 4   banco de dados Aula 4   banco de dados
Aula 4 banco de dados
 
Banco de Dados - MySQL Basico
Banco de Dados - MySQL BasicoBanco de Dados - MySQL Basico
Banco de Dados - MySQL Basico
 
Desenhando Componentes de Software com UML
Desenhando Componentes de Software com UMLDesenhando Componentes de Software com UML
Desenhando Componentes de Software com UML
 
Engenharia de requisitos
Engenharia de requisitosEngenharia de requisitos
Engenharia de requisitos
 
Banco de Dados II Aula 01 - Apresentação
Banco de Dados II Aula 01 - ApresentaçãoBanco de Dados II Aula 01 - Apresentação
Banco de Dados II Aula 01 - Apresentação
 
Exercitando modelagem em UML
Exercitando modelagem em UMLExercitando modelagem em UML
Exercitando modelagem em UML
 
Arquitetura Cliente-Servidor - Modelos
Arquitetura Cliente-Servidor - ModelosArquitetura Cliente-Servidor - Modelos
Arquitetura Cliente-Servidor - Modelos
 

Semelhante a Arquitetura cliente servidor

Mda arq cliente_serv
Mda arq cliente_servMda arq cliente_serv
Mda arq cliente_serv
Ricardo Amorim Ribeiro da Silva
 
Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011
Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011
Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011
Universal.org.mx
 
Joana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático wwwJoana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana Costa
 
Cliente e servidor
Cliente e servidorCliente e servidor
Cliente e servidor
Davi Silva
 
World wide web
World wide webWorld wide web
World wide web
Liliana Costa
 
Redes de computador
Redes de computadorRedes de computador
Redes de computador
tecnicacomputador
 
Bancos de dados móveis
Bancos de dados móveisBancos de dados móveis
Bancos de dados móveis
UFMA
 
AAB301 - Rich Internet Application - wcamb
AAB301 - Rich Internet Application - wcambAAB301 - Rich Internet Application - wcamb
AAB301 - Rich Internet Application - wcamb
Microsoft Brasil
 
Computacao em nuvem
Computacao em nuvemComputacao em nuvem
Computacao em nuvem
Sirius Interativa
 
9.cloud computing v3.1_wl_stv
9.cloud computing v3.1_wl_stv9.cloud computing v3.1_wl_stv
9.cloud computing v3.1_wl_stv
wilson_lucas
 
Cloud Computing
Cloud ComputingCloud Computing
Cloud Computing
Elvis Fusco
 
Sistemas operacionais de redes II
Sistemas operacionais de redes IISistemas operacionais de redes II
Sistemas operacionais de redes II
Daniel Brandão
 
Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...
Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...
Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...
eneck
 
Cloud Computing
Cloud ComputingCloud Computing
Cloud Computing
Elvis Fusco
 
Integração de software solucao e estilo
Integração de software   solucao e estiloIntegração de software   solucao e estilo
Integração de software solucao e estilo
GrupoAlves - professor
 
Integração de software 2
Integração de software 2Integração de software 2
Integração de software 2
GrupoAlves - professor
 
[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure Fundamentals[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure Fundamentals
Jaqueline Ramos
 
2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER
2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER
2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER
Rodrigo Kiyoshi Saito
 
Cloud Computing
Cloud ComputingCloud Computing
Cloud Computing
Ana Carolina Gracioso
 
[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices
[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices
[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices
Deep Tech Brasil
 

Semelhante a Arquitetura cliente servidor (20)

Mda arq cliente_serv
Mda arq cliente_servMda arq cliente_serv
Mda arq cliente_serv
 
Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011
Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011
Modelagem de sistemas da informação – aula 03 mai2011
 
Joana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático wwwJoana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático www
 
Cliente e servidor
Cliente e servidorCliente e servidor
Cliente e servidor
 
World wide web
World wide webWorld wide web
World wide web
 
Redes de computador
Redes de computadorRedes de computador
Redes de computador
 
Bancos de dados móveis
Bancos de dados móveisBancos de dados móveis
Bancos de dados móveis
 
AAB301 - Rich Internet Application - wcamb
AAB301 - Rich Internet Application - wcambAAB301 - Rich Internet Application - wcamb
AAB301 - Rich Internet Application - wcamb
 
Computacao em nuvem
Computacao em nuvemComputacao em nuvem
Computacao em nuvem
 
9.cloud computing v3.1_wl_stv
9.cloud computing v3.1_wl_stv9.cloud computing v3.1_wl_stv
9.cloud computing v3.1_wl_stv
 
Cloud Computing
Cloud ComputingCloud Computing
Cloud Computing
 
Sistemas operacionais de redes II
Sistemas operacionais de redes IISistemas operacionais de redes II
Sistemas operacionais de redes II
 
Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...
Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...
Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor - Estrutura de sistemas cliente ...
 
Cloud Computing
Cloud ComputingCloud Computing
Cloud Computing
 
Integração de software solucao e estilo
Integração de software   solucao e estiloIntegração de software   solucao e estilo
Integração de software solucao e estilo
 
Integração de software 2
Integração de software 2Integração de software 2
Integração de software 2
 
[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure Fundamentals[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure Fundamentals
 
2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER
2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER
2019-2 - BD I - Aula 02 - Camadas de aplicação a Banco de Dados e Introd MER
 
Cloud Computing
Cloud ComputingCloud Computing
Cloud Computing
 
[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices
[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices
[DTC21] Thiago Lima - Do Zero ao 100 no Mundo de Microservices
 

Último

Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumoESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
SolangeWaltre
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
adequacaocontabil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 

Último (20)

Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumoESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 

Arquitetura cliente servidor

  • 2. Arquitetura Cliente/Servidor Conceitos: “É uma arquitetura onde o processamento da informação é dividido em módulos ou processos distintos. Um processo é responsável pela manutenção da informação (Servidor), enquanto que outro é responsável pela obtenção dos dados (Cliente)”. BATTISTI, (2001, pág. 38).
  • 3. Arquitetura Cliente/Servidor “É uma abordagem da computação que separa os processos em plataformas independentes que interagem, permitindo que os recursos sejam compartilhados enquanto se obtém o máximo de benefício de cada dispositivo diferente, ou seja, Cliente/Servidor é um modelo lógico”. VASKEVITCH, (1995, pág. 375).
  • 4. Arquitetura Cliente/Servidor “Sistema inovador surgido nos anos 90 e muito utilizado no meio corporativo, baseado em três componentes principais: gerenciamento de banco de dados, que funcionam como servidores; redes, que funcionam como meio de transporte de dados e, finalmente, softwares para acesso aos dados: Clientes”. BATTISTI, (2001, pág 39).
  • 5. Arquitetura Cliente/Servidor Estrutura Básica: Em uma rede de computadores existem uma ou mais máquinas que atuam como servidores, disponibilizando recursos para as demais máquinas, as quais atuam como clientes. REQUISITA Cliente Servidor Executa RESPONDE
  • 6. Arquitetura Cliente/Servidor Estrutura Básica: Temos servidores para arquivos, banco de dados, e outras funções, tais como: servidores de impressão, servidores web, etc. Banco de Dados Servidor de Arquivos Outros Serviços Clientes
  • 7. Arquitetura Cliente/Servidor Onde: Servidores: são equipamentos com maior poder de processamento e armazenamento; Clientes: geralmente microcomputadores PCs ligados em rede.
  • 8. Arquitetura Cliente/Servidor Principais características: Cliente:  Inicia e termina as conversações com os Servidores, solicitando serviços distribuídos;  Não se comunica com outros Clientes;  Normalmente responsável pela entrada e saída de dados e comunicação com o usuário;  Torna a rede ‘transparente’ ao usuário;  Hardware: pode ser um micro simples;  Software: tem início e fim definido.
  • 9. Arquitetura Cliente/Servidor Principais características: Servidor: • Execução contínua; • Recebe e responde a solicitações dos Clientes; • Não se comunica com outros Servidores; • Presta serviços distribuídos; • Atende a diversos Clientes simultaneamente; • Hardware; exige máquinas mais robustas, com grande capacidade de processamento; • Software: processo sempre em execução, aguardando ser chamado pelo Cliente.
  • 10. Arquitetura Cliente/Servidor Maiframes são computadores de grande porte que fazem processamento de dados de forma centralizada: modelo que até os anos 90 reinava absoluto. Principais Desvantagens do modelo maiframe:  Serviços e recursos reduzidos;  Centralização de dados e recursos de processamento;  Inflexibilidade;  Inversatibilidade;  Custos elevados.
  • 11. Arquitetura Cliente/Servidor Aplicações em Duas Camadas: Banco de Dados Clientes
  • 12. Arquitetura Cliente/Servidor Aplicações em Duas Camadas: Foram utilizadas no início da implantação do modelo Cliente/ Servidor. Aqui, a aplicação Cliente responde pelas seguintes funções:.  Apresentação: O código que gera a interface visível do programa faz parte da aplicação Cliente. Todos os formulários, menus e demais elementos visuais nele estão contidos. Então uma alteração na interface do programa requer a geração de uma nova versão para todos os computadores;
  • 13. Arquitetura Cliente/Servidor  Lógica do Negócio: São as regras que definem como os dados serão acessados e processados. Toda a Lógica do Negócio fica no Cliente. Quando o programa Cliente é instalado, são instaladas todas as regras de acesso ao banco de dados. É necessária uma nova versão do programa cada vez que alterações ocorrerem e as regras mudarem. Também é necessário que todos os computadores que estejam com a versão anterior recebam a nova, mesmo que sejam centenas ou milhares de micros.
  • 14. Arquitetura Cliente/Servidor Contribuições;  Avanços para a empresa; Limitações;  Dificuldade de Manutenção e gerenciamento.
  • 15. Arquitetura Cliente/Servidor Aplicações em Três Camadas: Servidor de Servidor de Aplicações Banco de Dados Clientes
  • 16. Arquitetura Cliente/Servidor Evolução: Retira as Regras do Negócio do cliente e as centraliza em um determinado ponto, o qual é chamado de servidor de aplicações: O acesso ao Banco de Dados é feito através das regras contidas no Servidor de Aplicações: facilidade de atualização das mesmas, pois estão Servidor de Servidor de Banco centralizadas em um Aplicações de Dados único ponto.
  • 17. Arquitetura Cliente/Servidor Características: As Regras do Negócio (lógica) foram deslocadas para o Servidor de Aplicações, então ali será determinada a maneira como os dados serão utilizados..  Todo o acesso do cliente ao Banco de Dados é feito de acordo com as regras contidas no Servidor de Aplicações. Não é possível o acesso ao B. de Dados sem primeiramente passar pelo Servidor de Aplicações. .  No Servidor de B. de Dados reside toda informação necessária para o funcionamento da aplicação.
  • 18. Arquitetura Cliente/Servidor Melhoramentos:  Atualização mais fácil das Regras do Negócio;  Aumento da flexibilidade, conseqüentemente;  Maior segurança e controle do acesso aos dados;  Torna-se mais fácil manter a aplicação atualizada e garantir que todos os usuários terão acesso às alterações; Falha:  Continua o problema de atualização da interface de aplicação, cada vez que sejam necessárias mudanças na interface. Porém, alterações nela são menos freqüentes do que as que ocorrem nas Regras do Negócio.
  • 19. Arquitetura Cliente/Servidor Aplicações em Quatro Camadas. Idéia Básica: Retirar a apresentação do cliente e centralizá-la em um determinado ponto, o qual na maioria dos casos é um Servidor web. Avanço: O cliente deixa de existir como um programa que precisa ser instalado em cada micro. O acesso à aplicação é feito através de um navegador: Internet Explorer, Netscape Navigator
  • 20. Arquitetura Cliente/Servidor Aplicações em Quatro Camadas – Estrutura: Servidor de Aplicações Servidor de Servidor Banco de Web Dados Clientes
  • 21. Arquitetura Cliente/Servidor Esquema básico: •Cliente quer acessar a aplicação •acessa o endereço da mesma através do navegador •servidor de aplicações verifica se ao cliente é permitido o acesso banco de dados liberado. http://www.empresa- xy.com/sistemas/rh.aspx . Servidor de Aplicações Banco de dados: determina de que maneira os informações dados serão utilizados necessárias
  • 22. Arquitetura Cliente/Servidor 4 Camadas: .  Cliente: Navegador;  Apresentação: Servidor Web, onde serão feitas as alterações de interface;  Lógica (Regras do Negócio): Servidor de Aplicações, onde serão feitas as alterações nas regras do negócio, quando necessárias;  Dados: Servidor de Banco de Dados, com todas as informações necessárias.
  • 23. Arquitetura Cliente/Servidor Vantagens: Desvantagens: . •Serviços; Complexidade; •Recursos; Comunicação. • Protocolos; •Localização; • Descentralização; •Escalabilidade; • Integridade.
  • 24. Bibliografia BATTISTI, Júlio. SQL Server 2000: Administração e Desenvolvimento – Curso Completo. 2. ed. Rio de Janeiro: Axcell Books, 2001. VASKEVITCH, David. Estratégia Cliente/Servidor: um guia para a reengenharia da empresa. São Paulo: Berkeley, 1995.
  • 25. Bibliografia www.unice.br/anaclara/sd0202/3doc www.dcc.ufrj.br/nlabbd/texto/cliserv.htm www.hp.br.inter.net/cats/pb/pbl.html www.infosites.com.br/htdoes/artigo/comandos/02.php www.delgrande.com.br/cases/santarita.html www.ibm.com.br/wsminformatica/cs.htm www.dataflow.com.br/suporte/glossario/arquitclisvr.htm www.terravista.pt/ilhadomel/2388/apo.htm www.thinnetworks.com.br/thinclient.asp