SlideShare uma empresa Scribd logo
BARRAGEM JESSÉ PINTO FREIRE
(BARRAGEM UMARI)

UPANEMA - RN

KLÍSSIA LIRA
LIDJA KEYVILA
MARIANA
CRISTINA
HISTÓRICO
 Upanema está localizada na Chapada do Apodi. A principal característica da
região é ter solo favorável ao desenvolvimento de culturas. Tem grande potencial
pesqueiro e solo propicio a fruticultura. É tanto que fazendeiros trabalham com
fruticultura no local.
 A barragem de Umari teve mais de 50 anos de discussão. Muitos não acreditavam
que ela pudesse sair do papel. Criou-se até uma frase, em Upanema, que as
pessoas em tom de chacota diziam que se a obra saísse iriam beber toda a água
armazenada na barragem. Na década de 60, o Departamento Nacional de Obras
contra a Seca (Dnocs) fez estudos preliminares. Antes, havia apenas especulação
sobre a obra. No estudo realizado, dois pontos foram definidos como possíveis
berços de barragem: Umari e Poço Branco em Upanema.
 Umari manteve-se como opção porque está situada numa área de embasamento
cristalino (rocha).
Após os estudos feitos pelo Dnocs, a obra voltou a ser
esquecida. O engenheiro lembra que os únicos registros do trabalho feito foram
lançados num catálogo que o Departamento fez sobre toda a região Nordeste e
que apontava suas reservas hídricas. Em 1994, a barragem tão esperada voltou à
cena.
No fim daquele ano, uma licitação foi aberta para viabilizar sua
construção. Com a entrada do governador Garibaldi Filho e graças à elaboração
do Programa de Recursos Hídricos do Estado, a barragem finalmente foi viabilizada.
 A Barragem Jessé Pinto Freire, popularmente conhecida
como Barragem de Umari, é a maior da América Latina em
extensão. Iniciada em 1998, teve a sua obra concluída em
2002, num investimento do governo de R$ 78 milhões. A
grandiosidade da obra pode ser medida pelo paredão de
mais de dois quilômetros, o maior da América Latina. Tem
capacidade para 292 milhões de m³, com uma vasão de 2
mim m³ por segundo. A sua represa atinge um raio de 18 km.
A construção da barragem, a princípio, tornou toda a área
economicamente viável para a agricultura e a piscicultura.
LOCALIZAÇÃO E ACESSO
 O sítio barrável está localizado sobre o rio do Carmo, na
bacia do Apodi-Mossoró, no município de Upanema,
distante 8 km a montante da sede do município.
O acesso ao local da obra, a partir de Natal, poderá ser
feito através da BR-304 até a cidade de Açu, RN-405,
chegando
a
cidade
de
Upanema/RN.
IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL
 A barragem Umari tem por finalidade promover o
desenvolvimento da agricultura irrigada em área
aproximada de 3.000 ha., dar suporte a atividade
agropecuária e desenvolver, de forma racional, a
produção de pescado em sua represa, beneficiando
cerca de 25.492 habitantes. Há oito anos vem
transformando o setor agrícola do município. Com um
acúmulo de quase 300 milhões de m³, a Barragem
possibilitou a perenização do Rio
Upanema,
transformando a micro região economicamente viável
para a agricultura, beneficiando médios e pequenos
produtores.
IMPACTOS PÓS CONSTRUÇÃO
 Moradores da zona rural do município upanemense, sofrem com a seca
braba e a escassez de água, enquanto o produto está diante dos seus
olhos, no 3º maior reservatório hídrico do Estado do Rio Grande do Norte.
Que vergonha! Quando foi inaugurada em 2002, a Barragem de "Umari",
localizada no município de Upanema, foi anunciada como obra de
redenção do povo upanemense. As propostas se multiplicaram: futuro
polo de fruticultura, perenização do rio, construção de adutoras, canais
de irrigação e, por aí vai... Mais de uma década após a inauguração da
obra, as promessas, obviamente, meridianamente claro, não foram
cumpridas e o retrato do reservatório é de completo abandono. Aliás,
nunca recebeu sequer uma manutenção básica. Não existe um projeto
de irrigação, e a água do reservatório - 3º maior do Estado do Rio Grande
do Norte - serve exclusivamente, para bronzear o sol. Enquanto isso,
moradores de comunidades rurais de Upanema, sofrem com a seca e a
escassez de água. Uma vergonha! O município tem um tesouro nas mãos,
mas não sabe usá-lo.
 O controle elétrico da vazão, instalado dentro de uma cabine própria
para sua conservação, foi depredado.
Um motor integrante do
equipamento roubado. A cabine está completamente destruída, com
porta arrombada e vidros avariados.
 Restou um volante que fecha e abre a saída da água. Localizado na
parte externa da cabine, ele pode ser aberto ou fechado por quem
quiser. Para chegar ao equipamento dentro do sítio Caiçara, apenas uma
porteira sem cadeado separam o visitante do equipamento vital para a
barragem. O controle é necessário porque por dia, uma quantidade de
água deve sair da barragem, para perenizar o rio do Carmo. Também é
importante o escoamento responsável para beneficiar o lençol freático. O
fechamento completo por dias seguidos pode vir a secar o rio. Outro
problema é que quem tem propriedades ao longo do rio também pode
aumentar a vazão para ser beneficiado. Em suma, falto controle e
consequentemente existe a dificuldade de democratização no acesso a
água.
 O temor, atualmente, é que os danos ao equipamento da
barragem sejam tão nocivos que cheguem a prejudicar a
comporta da barragem. Se isso ocorrer, não haverá de maneira
nenhuma como segurar água no reservatório.
 A
cidade
está
preocupada
com
a
situação
do
reservatório. Inclusive, uma audiência pública com as autoridades
municipais foi realizada para buscar soluções para o problema. A
prefeitura firmou compromisso de manter o local sob vigilância,
mas precisa do aval da secretaria Estadual de Recursos Hídricos
para fazer o controle. A situação da barragem preocupa os
agricultores e pescadores da região. A cidade também vem
discutindo opções para realizar projetos que garantam melhoria na
renda dos agricultores e pescadores.
FICHA TÉCNICA
 A Barragem é do tipo Concreto Compactado a Rolo (CCR), com
Vertedor central, com as seguintes características:
 - Bacia Hidrográfica 1.533 km²
 - Bacia Hidráulica 2.922,67 ha

 - Volume de Acumulação 292.813.650,00 m³
 - Extensão do Lago 16,00 km
 - Altura Máxima (inclusive fundação) 42,00 m
 - Extensão do Maciço (inclusive Vertedor) 2.308,00 m
 - Extensão do Vertedor 440,00 m
 - Largura do Coroamento 5,50 m
 - Cota do Coroamento 75,00 m

 - Cota do Vertedor (perfil Creager) 72,00 m
 - Descarga Máxima do Vertedor 5.300,00 m³/s
 - Volume de Concreto CCR 644.139,48 m³
A Tomada d´Água, do tipo galeria com torre de
montante, apresenta as seguintes características:
Cota do Eixo 50,70 m Diâmetro 1000 mm Extensão 47,00
m Válvula Reguladora de Jusante 500 mm Descarga
Regularizada com Garantia de 90% 1,37 m3/s
INVESTIMENTO REALIZADO
 O custo total do investimento foi de R$ 75.884.227,58
(setenta e cinco milhões, oitocentos e oitenta e quatro
mil, duzentos e vinte e sete reais e cinquenta e oito
centavos), com recursos provenientes dos Governos
Federal e Estadual.
- Federal................................................................... R$
32.964.682,76 (43,44%)
- Estadual................................................................. R$
42.919.544,82 (56,56%)
BARRAGEM UMARI – 1ª SANGRIA
REFERÊNCIAS
 http://www2.ufersa.edu.br/portal/noticias/2155
 http://www.semarh.rn.gov.br/contentproducao/aplicacao/semarh/INFRAE
STRUTURA/gerados/barragemjessepintofreireumari.asp
 http://sociedadealerta.blogspot.com.br/2013/09/barragem-de-umari-emupanema-rn-tem.html

 http://www.gvces.com.br/index.php?r=noticias/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira
Artur Lara
 
Regioes brasil
Regioes brasilRegioes brasil
Regioes brasil
Prof.Paulo/geografia
 
Nordeste Brasileiro
Nordeste BrasileiroNordeste Brasileiro
Nordeste Brasileiro
Jailson Lima
 
Geografia, o que é
Geografia, o que éGeografia, o que é
Geografia, o que é
Uilson Pereira da Silva
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
Prof. Francesco Torres
 
Recursos Hídricos
Recursos HídricosRecursos Hídricos
Recursos Hídricos
verasanches
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
Camila Brito
 
8º ano (cap. 4). áfrica
8º ano (cap. 4). áfrica8º ano (cap. 4). áfrica
8º ano (cap. 4). áfrica
Alexandre Alves
 
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
Nefer19
 
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Josecler Rocha
 
As categorias da geografia
As categorias da geografiaAs categorias da geografia
As categorias da geografia
Jane Mary Lima Castro
 
Aspectos naturais da América
Aspectos naturais da AméricaAspectos naturais da América
Aspectos naturais da América
Bruna Ribeiro Guedes
 
Origem dos oceanos
Origem dos oceanosOrigem dos oceanos
Origem dos oceanos
Pessoal
 
Fracasso escolar
Fracasso escolarFracasso escolar
Fracasso escolar
0110janini
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
Lilian Larroca
 
As Cidades Brasileiras
As Cidades BrasileirasAs Cidades Brasileiras
As Cidades Brasileiras
André Luiz Marques
 
Educação e diversidade
Educação e diversidadeEducação e diversidade
Educação e diversidade
Geize Ronilson
 
Continentes, países, estados e municípios
Continentes, países, estados e municípiosContinentes, países, estados e municípios
Continentes, países, estados e municípios
Abner de Paula
 
Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade
Ilana Fernandes
 
Fontes de energia.
Fontes de energia.Fontes de energia.
Fontes de energia.
Robs
 

Mais procurados (20)

Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira
 
Regioes brasil
Regioes brasilRegioes brasil
Regioes brasil
 
Nordeste Brasileiro
Nordeste BrasileiroNordeste Brasileiro
Nordeste Brasileiro
 
Geografia, o que é
Geografia, o que éGeografia, o que é
Geografia, o que é
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
 
Recursos Hídricos
Recursos HídricosRecursos Hídricos
Recursos Hídricos
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
8º ano (cap. 4). áfrica
8º ano (cap. 4). áfrica8º ano (cap. 4). áfrica
8º ano (cap. 4). áfrica
 
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
 
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
 
As categorias da geografia
As categorias da geografiaAs categorias da geografia
As categorias da geografia
 
Aspectos naturais da América
Aspectos naturais da AméricaAspectos naturais da América
Aspectos naturais da América
 
Origem dos oceanos
Origem dos oceanosOrigem dos oceanos
Origem dos oceanos
 
Fracasso escolar
Fracasso escolarFracasso escolar
Fracasso escolar
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
 
As Cidades Brasileiras
As Cidades BrasileirasAs Cidades Brasileiras
As Cidades Brasileiras
 
Educação e diversidade
Educação e diversidadeEducação e diversidade
Educação e diversidade
 
Continentes, países, estados e municípios
Continentes, países, estados e municípiosContinentes, países, estados e municípios
Continentes, países, estados e municípios
 
Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade
 
Fontes de energia.
Fontes de energia.Fontes de energia.
Fontes de energia.
 

Semelhante a Barragem Umari - Upanema|RN

Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Marco Aurélio Gondim
 
Açude castanhão seminário para a prova de açudes
Açude castanhão seminário para a prova de açudesAçude castanhão seminário para a prova de açudes
Açude castanhão seminário para a prova de açudes
FATEC Cariri
 
Açude castanhão
Açude castanhão Açude castanhão
Açude castanhão
FATEC Cariri
 
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - VertedouroLagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
Adriana Gotschalg
 
Apresentação orós bill
Apresentação orós billApresentação orós bill
Apresentação orós bill
FATEC Cariri
 
Apresentação orós
Apresentação orósApresentação orós
Apresentação orós
FATEC Cariri
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
Delmir Fernandes
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
Delmir Fernandes
 
O mar de minas
O mar de minasO mar de minas
O mar de minas
Rogerio Oliveira
 
HIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTE
HIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTEHIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTE
HIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTE
Paes Viana
 
Transposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São FranciscoTransposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São Francisco
Bruno Labanca Lopes
 
Hidrografia brasileira r aquíferos mundiais
Hidrografia brasileira r aquíferos mundiaisHidrografia brasileira r aquíferos mundiais
Hidrografia brasileira r aquíferos mundiais
Adriana Gomes Messias
 
1º Médio
1º Médio 1º Médio
Água - Recurso do Futuro
Água - Recurso do FuturoÁgua - Recurso do Futuro
Água - Recurso do Futuro
Marco Viveiros
 
Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006
Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006
Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006
cleodalberto
 
Manaciais e app
Manaciais e appManaciais e app
Manaciais e app
LUCIMARA GARCIA
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
rillaryalvesj
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
SempreViva Eliana
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
Colégio Nova Geração COC
 

Semelhante a Barragem Umari - Upanema|RN (20)

Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
 
Açude castanhão seminário para a prova de açudes
Açude castanhão seminário para a prova de açudesAçude castanhão seminário para a prova de açudes
Açude castanhão seminário para a prova de açudes
 
Açude castanhão
Açude castanhão Açude castanhão
Açude castanhão
 
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - VertedouroLagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
 
Orós, seminario
 Orós, seminario Orós, seminario
Orós, seminario
 
Apresentação orós bill
Apresentação orós billApresentação orós bill
Apresentação orós bill
 
Apresentação orós
Apresentação orósApresentação orós
Apresentação orós
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
 
O mar de minas
O mar de minasO mar de minas
O mar de minas
 
HIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTE
HIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTEHIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTE
HIDROGRAFIA, CICLO DA ÁGUA E USINA DE BELO MONTE
 
Transposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São FranciscoTransposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São Francisco
 
Hidrografia brasileira r aquíferos mundiais
Hidrografia brasileira r aquíferos mundiaisHidrografia brasileira r aquíferos mundiais
Hidrografia brasileira r aquíferos mundiais
 
1º Médio
1º Médio 1º Médio
1º Médio
 
Água - Recurso do Futuro
Água - Recurso do FuturoÁgua - Recurso do Futuro
Água - Recurso do Futuro
 
Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006
Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006
Diagnóstico do Rio Manchinha - 2006
 
Manaciais e app
Manaciais e appManaciais e app
Manaciais e app
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 

Último

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 

Barragem Umari - Upanema|RN

  • 1. BARRAGEM JESSÉ PINTO FREIRE (BARRAGEM UMARI) UPANEMA - RN KLÍSSIA LIRA LIDJA KEYVILA MARIANA CRISTINA
  • 2. HISTÓRICO  Upanema está localizada na Chapada do Apodi. A principal característica da região é ter solo favorável ao desenvolvimento de culturas. Tem grande potencial pesqueiro e solo propicio a fruticultura. É tanto que fazendeiros trabalham com fruticultura no local.  A barragem de Umari teve mais de 50 anos de discussão. Muitos não acreditavam que ela pudesse sair do papel. Criou-se até uma frase, em Upanema, que as pessoas em tom de chacota diziam que se a obra saísse iriam beber toda a água armazenada na barragem. Na década de 60, o Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs) fez estudos preliminares. Antes, havia apenas especulação sobre a obra. No estudo realizado, dois pontos foram definidos como possíveis berços de barragem: Umari e Poço Branco em Upanema.  Umari manteve-se como opção porque está situada numa área de embasamento cristalino (rocha). Após os estudos feitos pelo Dnocs, a obra voltou a ser esquecida. O engenheiro lembra que os únicos registros do trabalho feito foram lançados num catálogo que o Departamento fez sobre toda a região Nordeste e que apontava suas reservas hídricas. Em 1994, a barragem tão esperada voltou à cena. No fim daquele ano, uma licitação foi aberta para viabilizar sua construção. Com a entrada do governador Garibaldi Filho e graças à elaboração do Programa de Recursos Hídricos do Estado, a barragem finalmente foi viabilizada.
  • 3.  A Barragem Jessé Pinto Freire, popularmente conhecida como Barragem de Umari, é a maior da América Latina em extensão. Iniciada em 1998, teve a sua obra concluída em 2002, num investimento do governo de R$ 78 milhões. A grandiosidade da obra pode ser medida pelo paredão de mais de dois quilômetros, o maior da América Latina. Tem capacidade para 292 milhões de m³, com uma vasão de 2 mim m³ por segundo. A sua represa atinge um raio de 18 km. A construção da barragem, a princípio, tornou toda a área economicamente viável para a agricultura e a piscicultura.
  • 4. LOCALIZAÇÃO E ACESSO  O sítio barrável está localizado sobre o rio do Carmo, na bacia do Apodi-Mossoró, no município de Upanema, distante 8 km a montante da sede do município. O acesso ao local da obra, a partir de Natal, poderá ser feito através da BR-304 até a cidade de Açu, RN-405, chegando a cidade de Upanema/RN.
  • 5. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL  A barragem Umari tem por finalidade promover o desenvolvimento da agricultura irrigada em área aproximada de 3.000 ha., dar suporte a atividade agropecuária e desenvolver, de forma racional, a produção de pescado em sua represa, beneficiando cerca de 25.492 habitantes. Há oito anos vem transformando o setor agrícola do município. Com um acúmulo de quase 300 milhões de m³, a Barragem possibilitou a perenização do Rio Upanema, transformando a micro região economicamente viável para a agricultura, beneficiando médios e pequenos produtores.
  • 6. IMPACTOS PÓS CONSTRUÇÃO  Moradores da zona rural do município upanemense, sofrem com a seca braba e a escassez de água, enquanto o produto está diante dos seus olhos, no 3º maior reservatório hídrico do Estado do Rio Grande do Norte. Que vergonha! Quando foi inaugurada em 2002, a Barragem de "Umari", localizada no município de Upanema, foi anunciada como obra de redenção do povo upanemense. As propostas se multiplicaram: futuro polo de fruticultura, perenização do rio, construção de adutoras, canais de irrigação e, por aí vai... Mais de uma década após a inauguração da obra, as promessas, obviamente, meridianamente claro, não foram cumpridas e o retrato do reservatório é de completo abandono. Aliás, nunca recebeu sequer uma manutenção básica. Não existe um projeto de irrigação, e a água do reservatório - 3º maior do Estado do Rio Grande do Norte - serve exclusivamente, para bronzear o sol. Enquanto isso, moradores de comunidades rurais de Upanema, sofrem com a seca e a escassez de água. Uma vergonha! O município tem um tesouro nas mãos, mas não sabe usá-lo.
  • 7.  O controle elétrico da vazão, instalado dentro de uma cabine própria para sua conservação, foi depredado. Um motor integrante do equipamento roubado. A cabine está completamente destruída, com porta arrombada e vidros avariados.  Restou um volante que fecha e abre a saída da água. Localizado na parte externa da cabine, ele pode ser aberto ou fechado por quem quiser. Para chegar ao equipamento dentro do sítio Caiçara, apenas uma porteira sem cadeado separam o visitante do equipamento vital para a barragem. O controle é necessário porque por dia, uma quantidade de água deve sair da barragem, para perenizar o rio do Carmo. Também é importante o escoamento responsável para beneficiar o lençol freático. O fechamento completo por dias seguidos pode vir a secar o rio. Outro problema é que quem tem propriedades ao longo do rio também pode aumentar a vazão para ser beneficiado. Em suma, falto controle e consequentemente existe a dificuldade de democratização no acesso a água.
  • 8.  O temor, atualmente, é que os danos ao equipamento da barragem sejam tão nocivos que cheguem a prejudicar a comporta da barragem. Se isso ocorrer, não haverá de maneira nenhuma como segurar água no reservatório.  A cidade está preocupada com a situação do reservatório. Inclusive, uma audiência pública com as autoridades municipais foi realizada para buscar soluções para o problema. A prefeitura firmou compromisso de manter o local sob vigilância, mas precisa do aval da secretaria Estadual de Recursos Hídricos para fazer o controle. A situação da barragem preocupa os agricultores e pescadores da região. A cidade também vem discutindo opções para realizar projetos que garantam melhoria na renda dos agricultores e pescadores.
  • 9. FICHA TÉCNICA  A Barragem é do tipo Concreto Compactado a Rolo (CCR), com Vertedor central, com as seguintes características:  - Bacia Hidrográfica 1.533 km²  - Bacia Hidráulica 2.922,67 ha  - Volume de Acumulação 292.813.650,00 m³  - Extensão do Lago 16,00 km  - Altura Máxima (inclusive fundação) 42,00 m  - Extensão do Maciço (inclusive Vertedor) 2.308,00 m  - Extensão do Vertedor 440,00 m  - Largura do Coroamento 5,50 m  - Cota do Coroamento 75,00 m  - Cota do Vertedor (perfil Creager) 72,00 m  - Descarga Máxima do Vertedor 5.300,00 m³/s
  • 10.  - Volume de Concreto CCR 644.139,48 m³ A Tomada d´Água, do tipo galeria com torre de montante, apresenta as seguintes características: Cota do Eixo 50,70 m Diâmetro 1000 mm Extensão 47,00 m Válvula Reguladora de Jusante 500 mm Descarga Regularizada com Garantia de 90% 1,37 m3/s
  • 11. INVESTIMENTO REALIZADO  O custo total do investimento foi de R$ 75.884.227,58 (setenta e cinco milhões, oitocentos e oitenta e quatro mil, duzentos e vinte e sete reais e cinquenta e oito centavos), com recursos provenientes dos Governos Federal e Estadual. - Federal................................................................... R$ 32.964.682,76 (43,44%) - Estadual................................................................. R$ 42.919.544,82 (56,56%)
  • 12. BARRAGEM UMARI – 1ª SANGRIA
  • 13. REFERÊNCIAS  http://www2.ufersa.edu.br/portal/noticias/2155  http://www.semarh.rn.gov.br/contentproducao/aplicacao/semarh/INFRAE STRUTURA/gerados/barragemjessepintofreireumari.asp  http://sociedadealerta.blogspot.com.br/2013/09/barragem-de-umari-emupanema-rn-tem.html  http://www.gvces.com.br/index.php?r=noticias/