SlideShare uma empresa Scribd logo
CarminhaJunho/2010PARA REFLETIR SOBRE CAPITAL SOCIAL
Capital SocialO capital social é, freqüentemente, definido em termos dos grupos, redes, normas e confiança de que as pessoas dispõem.
Capital social é  como todo capital, uma fonte de produção de bens e  serviços. Ao contrário dos outros tipos de capital, que são tangíveis e beneficiam principalmente seu proprietário, o capital social está integrado nos relacionamentos entre indivíduos  ou entre instituições, e beneficia a todos.(Coleman(1988,1990)
O capital social é um ativo adquirível
Tanto comunidade quanto o Estado pela via de suas políticas e serviços são poderosos geradores de capital social; fazem circular conhecimentos, aportes culturais, relações e vínculos.Capital SocialEstudiosos reconhecem que o capital social não é uma entidade única, mas antes, de natureza multidimensional. Assim é  preciso levantar a implicação dos indivíduos em associações locais e redes (capital social estrutural); avaliar a confiança e aderência às normas(capital social cognitivo) e, igualmente, analisar a ocorrência de ações coletivas (coesão social). Estes seriam alguns indicadores básicos do capital social de uma comunidade. (consultar Rogério da Costa, 2005)
A escassez ou limitação das relações sociais é um dos componentes da vulnerabilidade social pois  solapam as oportunidades de acessar capital social.
Se a família, ou os indivíduos ou os funcionários da empresa dispõem de redes  bem desenvolvidas, estas também podem ser definidas de capital social.Capital Social	Rubén Kaztman ( revista CEPAL,75, 2001) analisou os efeitos  resultantes de algumas transformações  recentes  na estrutura  social sobre o isolamento  social dos pobres urbanos. Essas transformações se referem principalmente aos mercados de trabalho  e  a certas estruturas de oportunidades que são  fonte de formação de recursos humanos e de capital social. Argumenta  que, como resultado dessas transformações, se debilitam os vínculos dos pobres urbanos com o mercado de trabalho e se estreitam os âmbitos de sociabilidade informal com pessoas de outras classes sociais, o que conduz  a seu progressivo isolamento. A vulnerabilidade social não é um fato individual. Está associada a falhas na coesão social, à ruptura dos laços ou princípios de integração e à deficiência do vínculo orgânico que permita a cada um perceber-se como uma parte necessária do todo social.
Capital Social	Déficits de inclusão social tem portanto, direta relação com  a falta de oportunidades de desenvolvimento de capacidades substantivas. O precário ou mesmo nulo acesso a serviços públicos que as políticas públicas ofertam no campo da saúde, habitação, educação, cultura..., priva indivíduos e grupos de desenvolvimento de suas capacidades.  Priva-os  igualmente dos espaços e fóruns públicos de interlocução política o que também os impedem de uso real de suas liberdades substantivas. Não possuem voz e vez na expressão política de seus interesses e demandas. 	Há uma  redução de oportunidades para acumular capital social e capital cívico.
Capital Social	Na literatura acadêmica contemporânea, o conceito de capital social é discutido em duas direções relacionadas. A primeira,  refere-se aos recursos – como, por exemplo, informações, idéias, apoios – que os indivíduos são capazes de procurar em virtude de suas relações com outras pessoas. Esses recursos (‘capital’) são ‘sociais’ na medida em que são acessíveis somente dentro e por meio dessas relações, contrariamente ao capital físico (ferramentas, tecnologia) e humano (educação, habilidades), por exemplo, que são, essencialmente, propriedades dos indivíduos.( Ronald Burt, NanLin e Alejandro Portes), 	A estrutura de uma determinada rede – quem se relaciona com quem, com que freqüência, e em que termos - tem, assim, um papel fundamental no fluxo de recursos através daquela rede. Aqueles que ocupam posições estratégicas no interior da rede, especialmente aqueles cujas ligações percorrem vários grupos, potencialmente têm mais recursos do que seus pares, precisamente porque sua posição no interior da rede lhes proporciona maior acesso a mais e melhores recursos (Burt 2000).  
Capital SocialA segunda(e mais comum) abordagem acerca do capital social, refere-se à natureza e extensão do envolvimento de um indivíduo em várias redes informais e organizações cívicas formais( Robert Putnam).Desde a conversa com os vizinhos ou o engajamento em atividades recreativas, até a filiação a organizações ambientais e partidos políticos, o capital social é usado, nesse sentido, como um termo conceitual para caracterizar as muitas e variadas maneiras pelas quais os membros de uma comunidade interagem. Assim entendido, é possível traçar um mapa da vida associativa da comunidade e, com isso, perceber seu estado de saúde cívico.  	A distinção entre (a) e (b) é por vezes referida como capital social “estrutural” e “cognitivo”. Recentemente, alguns estudiosos sugeriram uma terceira classificação conceitual.
Capital Social	Chamada capital social de “conexão”,, essa dimensão refere-se aos laços mantidos com as pessoas que detêm posições de autoridade, tais como representantes de instituições públicas (polícia, partidos políticos) e privadas (bancos). Enquanto o capital social é essencialmente horizontal, (isto é, conecta as pessoas de posição social mais ou menos igual), o capital social de conexão é mais vertical, uma vez que conecta as pessoas a recursos políticos (e outros) chave e instituições econômicas – isto é, entre diferenciais de poder. 	É importante enfatizar que não é a mera presença destas instituições (escolas, bancos, agências de seguro), que constituem o capital social de conexão, mas antes a natureza e a extensão dos laços sociais entre clientes e provedores, muitos dos quais são um meio inerente à prestação destes serviços (tais como ensino, expansão agrícola (agriculturalextension), medicina geral etc.). (Woolcock, 1999, Banco Mundial, 2000)
Capital Social	Líderes locais e intermediários contribuem para facilitar as conexões entre as comunidades pobres e a assistência externa ao desenvolvimento (incluindo programas governamentais – Khrisna 2000), constituindo assim, uma importante fonte de capital  social de conexão. 	Os diferentes tipos de redes e organizações aos quais os indivíduos têm acesso, não é suficiente ; há outros indicadores igualmente importantes ,mais subjetivas, relativas às percepções acerca da confiança (nos vizinhos, provedores de serviços etc.) reciprocidade normativa e ação coletiva.  Dimensões de capital social :participação em associações e confiança,relacionando  esses conceitos ao acesso a serviços sociais  públicos;
capital social estrutural, relacionando-o ao bem-estar e à pobreza doméstica, acesso ao crédito, e ação coletiva (ver Grootaert 2001).
bem-estar subjetivo, engajamento político, sociabilidade, atividades comunitárias, violência e comunicações (ver Narayan e Cassidy 2001).  As seis dimensões do capital social  Grupos e Redes 	Nesta categoria se considera a natureza e a extensão da participação do indivíduo em vários tipos de organização social e redes informais, assim como as várias contribuições dadas e recebidas nestas relações. Também considera a diversidade das associações de um determinado grupo, como suas lideranças são selecionadas, e como mudou o envolvimento da pessoa com o grupo ao longo do tempo. Confiança e Solidariedade 	Esta categoria busca levantar dados sobre a confiança em relação a vizinhos, provedores de serviços essenciais, e estranhos, e como essas percepções mudaram com o tempo. Ação Coletiva e Cooperação 	Esta categoria investiga se e como os membros de um grupo têm trabalho com outras pessoas em sua comunidade, em projetos conjuntos e/ou como resposta a uma crise.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas PúblicasConselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas Públicas
Departamento de Administração Pública ESAG/UDESC
 
Luiz felipe
Luiz felipeLuiz felipe
Luiz felipe
Carlos Elson Cunha
 
Políticas Sociais e Ampliação da Cidadania
Políticas Sociais e Ampliação da CidadaniaPolíticas Sociais e Ampliação da Cidadania
Políticas Sociais e Ampliação da Cidadania
Vivianne Macedo Cordeiro
 
Desenvolvimento comunitario rogerio arns - 10anos ic
Desenvolvimento comunitario   rogerio arns - 10anos icDesenvolvimento comunitario   rogerio arns - 10anos ic
Desenvolvimento comunitario rogerio arns - 10anos ic
Instituto Crescer
 
Atps mov.sociais
Atps mov.sociaisAtps mov.sociais
Atps mov.sociais
Bruno Maciel
 
Multidisciplinar oasspjxxii
Multidisciplinar   oasspjxxiiMultidisciplinar   oasspjxxii
Multidisciplinar oasspjxxii
Alif Souza
 
Comunicação nos movimentos populares
Comunicação nos movimentos popularesComunicação nos movimentos populares
Comunicação nos movimentos populares
Ivana Cavalcante
 
Guia da Teia Social
Guia da Teia SocialGuia da Teia Social
Guia da Teia Social
ulissesporto
 
A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...
A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...
A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...
Rosane Domingues
 
Empowerment
EmpowermentEmpowerment
Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)
Maria Alves
 
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao  EsagAula 2 (01 03 2010) - Coproducao  Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
Mauricio Serafim
 
Transparência e controle social na administração pública
Transparência e controle social na administração públicaTransparência e controle social na administração pública
Transparência e controle social na administração pública
Mauricio Moraes
 
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do EstadoComunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Lidiane Ferreira Sant' Ana
 
Democracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No Brasil
Democracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No BrasilDemocracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No Brasil
Democracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No Brasil
Rodrigo Carreiro
 
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do EstadoComunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Lidiane Ferreira Sant' Ana
 
Módulo 1 o terceiro setor
Módulo 1   o terceiro setorMódulo 1   o terceiro setor
Módulo 1 o terceiro setor
Portal Voluntários Online
 
Conselhos gestores
Conselhos gestoresConselhos gestores
Conselhos gestores
Wellington Oliveira
 
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_BilaDesenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Fulgencio Bila
 
Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticas
eadcedaps
 

Mais procurados (20)

Conselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas PúblicasConselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas Públicas
 
Luiz felipe
Luiz felipeLuiz felipe
Luiz felipe
 
Políticas Sociais e Ampliação da Cidadania
Políticas Sociais e Ampliação da CidadaniaPolíticas Sociais e Ampliação da Cidadania
Políticas Sociais e Ampliação da Cidadania
 
Desenvolvimento comunitario rogerio arns - 10anos ic
Desenvolvimento comunitario   rogerio arns - 10anos icDesenvolvimento comunitario   rogerio arns - 10anos ic
Desenvolvimento comunitario rogerio arns - 10anos ic
 
Atps mov.sociais
Atps mov.sociaisAtps mov.sociais
Atps mov.sociais
 
Multidisciplinar oasspjxxii
Multidisciplinar   oasspjxxiiMultidisciplinar   oasspjxxii
Multidisciplinar oasspjxxii
 
Comunicação nos movimentos populares
Comunicação nos movimentos popularesComunicação nos movimentos populares
Comunicação nos movimentos populares
 
Guia da Teia Social
Guia da Teia SocialGuia da Teia Social
Guia da Teia Social
 
A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...
A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...
A estratégia de descentralização das políticas públicas e os impacros sobre o...
 
Empowerment
EmpowermentEmpowerment
Empowerment
 
Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)
 
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao  EsagAula 2 (01 03 2010) - Coproducao  Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
 
Transparência e controle social na administração pública
Transparência e controle social na administração públicaTransparência e controle social na administração pública
Transparência e controle social na administração pública
 
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do EstadoComunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
 
Democracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No Brasil
Democracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No BrasilDemocracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No Brasil
Democracia Digital e Participação: Um Estudo Sobre Iniciativas Civis No Brasil
 
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do EstadoComunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
Comunicação Pública: proposta dialógica de legitimação do Estado
 
Módulo 1 o terceiro setor
Módulo 1   o terceiro setorMódulo 1   o terceiro setor
Módulo 1 o terceiro setor
 
Conselhos gestores
Conselhos gestoresConselhos gestores
Conselhos gestores
 
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_BilaDesenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
 
Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticas
 

Destaque

Fs es low res (1)
Fs es low res (1)Fs es low res (1)
Fs es low res (1)
martasaizm
 
penis growing
penis growingpenis growing
penis growing
fastfollow
 
1
11
how to
how tohow to
how to
fastfollow
 
1
11
It Lean Organization
It Lean OrganizationIt Lean Organization
It Lean Organization
Andre Marsal
 
A la carte maquette
A la carte maquetteA la carte maquette
A la carte maquette
Maxime Porte
 
Presentacion compu (2)
Presentacion compu (2)Presentacion compu (2)
Presentacion compu (2)
doramora23
 
Proyecto de Educación Sexual
Proyecto de Educación SexualProyecto de Educación Sexual
Proyecto de Educación Sexual
ieantonionarino
 
Conceptos generales
Conceptos generalesConceptos generales
Conceptos generales
Marcosrgalindo
 
El Canto del Loco ( Mario Carrasco )
El Canto del Loco ( Mario Carrasco )El Canto del Loco ( Mario Carrasco )
El Canto del Loco ( Mario Carrasco )
MarioCarrasco19
 
Gerenciamento Projetos Software - Virtual Business
Gerenciamento Projetos Software - Virtual BusinessGerenciamento Projetos Software - Virtual Business
Gerenciamento Projetos Software - Virtual Business
Virtual Business
 
2entrada
2entrada2entrada
2entrada
AdryluRz Luna
 
Perfil
PerfilPerfil
Perfil
18OCT86
 
Química (segundo periodo) (19)
Química (segundo periodo) (19)Química (segundo periodo) (19)
Química (segundo periodo) (19)
Dina Vasquez
 
Realidada aumentada
Realidada aumentadaRealidada aumentada
Realidada aumentada
YaelGrimaldo
 
Raul Perez Leon Testimonio
Raul Perez Leon Testimonio Raul Perez Leon Testimonio
Raul Perez Leon Testimonio
itransform
 
Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14
Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14
Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14
guillermina75
 
Graffiti
GraffitiGraffiti
Graffiti
ReDen Aleman
 

Destaque (20)

Fs es low res (1)
Fs es low res (1)Fs es low res (1)
Fs es low res (1)
 
penis growing
penis growingpenis growing
penis growing
 
1
11
1
 
how to
how tohow to
how to
 
1
11
1
 
It Lean Organization
It Lean OrganizationIt Lean Organization
It Lean Organization
 
A la carte maquette
A la carte maquetteA la carte maquette
A la carte maquette
 
Presentacion compu (2)
Presentacion compu (2)Presentacion compu (2)
Presentacion compu (2)
 
Proyecto de Educación Sexual
Proyecto de Educación SexualProyecto de Educación Sexual
Proyecto de Educación Sexual
 
SPEX 2011 -
SPEX 2011 - SPEX 2011 -
SPEX 2011 -
 
Conceptos generales
Conceptos generalesConceptos generales
Conceptos generales
 
El Canto del Loco ( Mario Carrasco )
El Canto del Loco ( Mario Carrasco )El Canto del Loco ( Mario Carrasco )
El Canto del Loco ( Mario Carrasco )
 
Gerenciamento Projetos Software - Virtual Business
Gerenciamento Projetos Software - Virtual BusinessGerenciamento Projetos Software - Virtual Business
Gerenciamento Projetos Software - Virtual Business
 
2entrada
2entrada2entrada
2entrada
 
Perfil
PerfilPerfil
Perfil
 
Química (segundo periodo) (19)
Química (segundo periodo) (19)Química (segundo periodo) (19)
Química (segundo periodo) (19)
 
Realidada aumentada
Realidada aumentadaRealidada aumentada
Realidada aumentada
 
Raul Perez Leon Testimonio
Raul Perez Leon Testimonio Raul Perez Leon Testimonio
Raul Perez Leon Testimonio
 
Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14
Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14
Pa pesentación de gabinete programa 1er trimestre 14
 
Graffiti
GraffitiGraffiti
Graffiti
 

Semelhante a Apresentação Seminário de Cultura - Carminha

A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...
A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...
A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...
Luciano Malpelli
 
governança solidária local
governança solidária localgovernança solidária local
governança solidária local
jandira feijó
 
Capital social 01102014
Capital social 01102014Capital social 01102014
Capítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumoCapítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumo
Marina Lopes
 
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre
Adryanna Silva
 
Associativismo e cultura política
Associativismo e cultura políticaAssociativismo e cultura política
Associativismo e cultura política
Allan Vieira
 
Slides Terceiros
Slides TerceirosSlides Terceiros
Slides Terceiros
Inova Gestão
 
Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Vira e Mexe
 
5 o estado providencia
5   o estado providencia5   o estado providencia
5 o estado providencia
queirosiana
 
Desenvolvimento local ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local  ok pronta pra enviarDesenvolvimento local  ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local ok pronta pra enviar
soljeniffer
 
Apresentação do texto de Klaus Frey
 Apresentação do texto de Klaus Frey Apresentação do texto de Klaus Frey
Apresentação do texto de Klaus Frey
Pesquisa Costa da Lagoa - Capital social
 
Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...
Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...
Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...
Livio Claudino
 
Aula1- Participação Social
Aula1- Participação SocialAula1- Participação Social
Aula1- Participação Social
eadcedaps
 
Habilidade Social e a Teoria dos Campos por Fligstein
Habilidade Social e a Teoria dos Campos por FligsteinHabilidade Social e a Teoria dos Campos por Fligstein
Habilidade Social e a Teoria dos Campos por Fligstein
Flávia Galindo
 
Conselhos e suas
Conselhos e suasConselhos e suas
Conselhos e suas
Sílvia Mafalda
 
Aula Redes Socias - Curso no Gens
Aula Redes Socias - Curso no GensAula Redes Socias - Curso no Gens
Aula Redes Socias - Curso no Gens
Dalton Martins
 
Interesses.ppt
Interesses.pptInteresses.ppt
Interesses.ppt
ssuser6cd76e
 
Artigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
Artigo_Conselho Gestores de Políticas PúblicasArtigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
Artigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
Departamento de Administração Pública ESAG/UDESC
 
Potfolio em grupo 4° semestre
Potfolio em grupo 4° semestrePotfolio em grupo 4° semestre
Potfolio em grupo 4° semestre
luizaclara
 
Aula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no BrasilAula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no Brasil
Cleide Magáli dos Santos
 

Semelhante a Apresentação Seminário de Cultura - Carminha (20)

A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...
A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...
A transparencia e a governanca nas instituicoes sociais - Nov2017- Luciano Ma...
 
governança solidária local
governança solidária localgovernança solidária local
governança solidária local
 
Capital social 01102014
Capital social 01102014Capital social 01102014
Capital social 01102014
 
Capítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumoCapítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumo
 
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre Atps de desenvolvimento Local e Territorialização  8º semestre
Atps de desenvolvimento Local e Territorialização 8º semestre
 
Associativismo e cultura política
Associativismo e cultura políticaAssociativismo e cultura política
Associativismo e cultura política
 
Slides Terceiros
Slides TerceirosSlides Terceiros
Slides Terceiros
 
Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
 
5 o estado providencia
5   o estado providencia5   o estado providencia
5 o estado providencia
 
Desenvolvimento local ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local  ok pronta pra enviarDesenvolvimento local  ok pronta pra enviar
Desenvolvimento local ok pronta pra enviar
 
Apresentação do texto de Klaus Frey
 Apresentação do texto de Klaus Frey Apresentação do texto de Klaus Frey
Apresentação do texto de Klaus Frey
 
Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...
Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...
Desiguais desde a chegada, mas a distância aumenta: a ampliação das desiguald...
 
Aula1- Participação Social
Aula1- Participação SocialAula1- Participação Social
Aula1- Participação Social
 
Habilidade Social e a Teoria dos Campos por Fligstein
Habilidade Social e a Teoria dos Campos por FligsteinHabilidade Social e a Teoria dos Campos por Fligstein
Habilidade Social e a Teoria dos Campos por Fligstein
 
Conselhos e suas
Conselhos e suasConselhos e suas
Conselhos e suas
 
Aula Redes Socias - Curso no Gens
Aula Redes Socias - Curso no GensAula Redes Socias - Curso no Gens
Aula Redes Socias - Curso no Gens
 
Interesses.ppt
Interesses.pptInteresses.ppt
Interesses.ppt
 
Artigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
Artigo_Conselho Gestores de Políticas PúblicasArtigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
Artigo_Conselho Gestores de Políticas Públicas
 
Potfolio em grupo 4° semestre
Potfolio em grupo 4° semestrePotfolio em grupo 4° semestre
Potfolio em grupo 4° semestre
 
Aula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no BrasilAula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no Brasil
 

Mais de Cenpec

Seminário na mídia
Seminário na mídiaSeminário na mídia
Seminário na mídia
Cenpec
 
Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...
Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...
Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...
Cenpec
 
Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...
Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...
Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...
Cenpec
 
Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...
Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...
Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...
Cenpec
 
Resumo pesquisa educacao_integral
Resumo pesquisa educacao_integralResumo pesquisa educacao_integral
Resumo pesquisa educacao_integral
Cenpec
 
Reuniao avaliação
Reuniao avaliaçãoReuniao avaliação
Reuniao avaliação
Cenpec
 
Avaliação final do programa de sustentabilidade
Avaliação final do programa de sustentabilidadeAvaliação final do programa de sustentabilidade
Avaliação final do programa de sustentabilidade
Cenpec
 
Apresentação Programa de Sustentabilidade
Apresentação Programa de SustentabilidadeApresentação Programa de Sustentabilidade
Apresentação Programa de Sustentabilidade
Cenpec
 
Seminário Ipojuca
Seminário IpojucaSeminário Ipojuca
Seminário Ipojuca
Cenpec
 
Colóquio educação integral
Colóquio educação integralColóquio educação integral
Colóquio educação integral
Cenpec
 
Projeto Usina da Dança - Instituto O. R. de Mendonca
Projeto Usina da Dança - Instituto O. R. de MendoncaProjeto Usina da Dança - Instituto O. R. de Mendonca
Projeto Usina da Dança - Instituto O. R. de Mendonca
Cenpec
 
Apresentação Jaqueline Moll - Mais educação
Apresentação Jaqueline Moll - Mais educaçãoApresentação Jaqueline Moll - Mais educação
Apresentação Jaqueline Moll - Mais educação
Cenpec
 
Apresentação Seminário de Cultura - Maurício Ernica
Apresentação Seminário de Cultura - Maurício ErnicaApresentação Seminário de Cultura - Maurício Ernica
Apresentação Seminário de Cultura - Maurício Ernica
Cenpec
 
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e CulturaConvite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Cenpec
 
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec  número  7 Educação e CulturaConvite Cadernos Cenpec  número  7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Cenpec
 
Ensino Fundamental 2: Dicas
Ensino Fundamental 2: DicasEnsino Fundamental 2: Dicas
Ensino Fundamental 2: Dicas
Cenpec
 
Apresentação-Sueli Lima
Apresentação-Sueli LimaApresentação-Sueli Lima
Apresentação-Sueli Lima
Cenpec
 
Apresentação Colóquio-Maria Estela Bergamin
Apresentação Colóquio-Maria Estela BergaminApresentação Colóquio-Maria Estela Bergamin
Apresentação Colóquio-Maria Estela Bergamin
Cenpec
 
Apresentação Colóquio-Raquel Souza
Apresentação Colóquio-Raquel SouzaApresentação Colóquio-Raquel Souza
Apresentação Colóquio-Raquel Souza
Cenpec
 
Apresentação Colóquio-Lino Macedo
Apresentação Colóquio-Lino MacedoApresentação Colóquio-Lino Macedo
Apresentação Colóquio-Lino Macedo
Cenpec
 

Mais de Cenpec (20)

Seminário na mídia
Seminário na mídiaSeminário na mídia
Seminário na mídia
 
Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...
Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...
Processos velados de seleção de alunos em escolas públicas e Esforços educati...
 
Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...
Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...
Apresentação da pesquisa Esforços educativos de famílias de localidades vulne...
 
Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...
Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...
Apresentaçao professor Sylvain Broccolichi, da Universidade de Artois - Franç...
 
Resumo pesquisa educacao_integral
Resumo pesquisa educacao_integralResumo pesquisa educacao_integral
Resumo pesquisa educacao_integral
 
Reuniao avaliação
Reuniao avaliaçãoReuniao avaliação
Reuniao avaliação
 
Avaliação final do programa de sustentabilidade
Avaliação final do programa de sustentabilidadeAvaliação final do programa de sustentabilidade
Avaliação final do programa de sustentabilidade
 
Apresentação Programa de Sustentabilidade
Apresentação Programa de SustentabilidadeApresentação Programa de Sustentabilidade
Apresentação Programa de Sustentabilidade
 
Seminário Ipojuca
Seminário IpojucaSeminário Ipojuca
Seminário Ipojuca
 
Colóquio educação integral
Colóquio educação integralColóquio educação integral
Colóquio educação integral
 
Projeto Usina da Dança - Instituto O. R. de Mendonca
Projeto Usina da Dança - Instituto O. R. de MendoncaProjeto Usina da Dança - Instituto O. R. de Mendonca
Projeto Usina da Dança - Instituto O. R. de Mendonca
 
Apresentação Jaqueline Moll - Mais educação
Apresentação Jaqueline Moll - Mais educaçãoApresentação Jaqueline Moll - Mais educação
Apresentação Jaqueline Moll - Mais educação
 
Apresentação Seminário de Cultura - Maurício Ernica
Apresentação Seminário de Cultura - Maurício ErnicaApresentação Seminário de Cultura - Maurício Ernica
Apresentação Seminário de Cultura - Maurício Ernica
 
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e CulturaConvite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
 
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec  número  7 Educação e CulturaConvite Cadernos Cenpec  número  7 Educação e Cultura
Convite Cadernos Cenpec número 7 Educação e Cultura
 
Ensino Fundamental 2: Dicas
Ensino Fundamental 2: DicasEnsino Fundamental 2: Dicas
Ensino Fundamental 2: Dicas
 
Apresentação-Sueli Lima
Apresentação-Sueli LimaApresentação-Sueli Lima
Apresentação-Sueli Lima
 
Apresentação Colóquio-Maria Estela Bergamin
Apresentação Colóquio-Maria Estela BergaminApresentação Colóquio-Maria Estela Bergamin
Apresentação Colóquio-Maria Estela Bergamin
 
Apresentação Colóquio-Raquel Souza
Apresentação Colóquio-Raquel SouzaApresentação Colóquio-Raquel Souza
Apresentação Colóquio-Raquel Souza
 
Apresentação Colóquio-Lino Macedo
Apresentação Colóquio-Lino MacedoApresentação Colóquio-Lino Macedo
Apresentação Colóquio-Lino Macedo
 

Último

Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

Apresentação Seminário de Cultura - Carminha

  • 2. Capital SocialO capital social é, freqüentemente, definido em termos dos grupos, redes, normas e confiança de que as pessoas dispõem.
  • 3. Capital social é como todo capital, uma fonte de produção de bens e serviços. Ao contrário dos outros tipos de capital, que são tangíveis e beneficiam principalmente seu proprietário, o capital social está integrado nos relacionamentos entre indivíduos ou entre instituições, e beneficia a todos.(Coleman(1988,1990)
  • 4. O capital social é um ativo adquirível
  • 5. Tanto comunidade quanto o Estado pela via de suas políticas e serviços são poderosos geradores de capital social; fazem circular conhecimentos, aportes culturais, relações e vínculos.Capital SocialEstudiosos reconhecem que o capital social não é uma entidade única, mas antes, de natureza multidimensional. Assim é preciso levantar a implicação dos indivíduos em associações locais e redes (capital social estrutural); avaliar a confiança e aderência às normas(capital social cognitivo) e, igualmente, analisar a ocorrência de ações coletivas (coesão social). Estes seriam alguns indicadores básicos do capital social de uma comunidade. (consultar Rogério da Costa, 2005)
  • 6. A escassez ou limitação das relações sociais é um dos componentes da vulnerabilidade social pois solapam as oportunidades de acessar capital social.
  • 7. Se a família, ou os indivíduos ou os funcionários da empresa dispõem de redes bem desenvolvidas, estas também podem ser definidas de capital social.Capital Social Rubén Kaztman ( revista CEPAL,75, 2001) analisou os efeitos resultantes de algumas transformações recentes na estrutura social sobre o isolamento social dos pobres urbanos. Essas transformações se referem principalmente aos mercados de trabalho e a certas estruturas de oportunidades que são fonte de formação de recursos humanos e de capital social. Argumenta que, como resultado dessas transformações, se debilitam os vínculos dos pobres urbanos com o mercado de trabalho e se estreitam os âmbitos de sociabilidade informal com pessoas de outras classes sociais, o que conduz a seu progressivo isolamento. A vulnerabilidade social não é um fato individual. Está associada a falhas na coesão social, à ruptura dos laços ou princípios de integração e à deficiência do vínculo orgânico que permita a cada um perceber-se como uma parte necessária do todo social.
  • 8. Capital Social Déficits de inclusão social tem portanto, direta relação com a falta de oportunidades de desenvolvimento de capacidades substantivas. O precário ou mesmo nulo acesso a serviços públicos que as políticas públicas ofertam no campo da saúde, habitação, educação, cultura..., priva indivíduos e grupos de desenvolvimento de suas capacidades. Priva-os igualmente dos espaços e fóruns públicos de interlocução política o que também os impedem de uso real de suas liberdades substantivas. Não possuem voz e vez na expressão política de seus interesses e demandas. Há uma redução de oportunidades para acumular capital social e capital cívico.
  • 9. Capital Social Na literatura acadêmica contemporânea, o conceito de capital social é discutido em duas direções relacionadas. A primeira, refere-se aos recursos – como, por exemplo, informações, idéias, apoios – que os indivíduos são capazes de procurar em virtude de suas relações com outras pessoas. Esses recursos (‘capital’) são ‘sociais’ na medida em que são acessíveis somente dentro e por meio dessas relações, contrariamente ao capital físico (ferramentas, tecnologia) e humano (educação, habilidades), por exemplo, que são, essencialmente, propriedades dos indivíduos.( Ronald Burt, NanLin e Alejandro Portes), A estrutura de uma determinada rede – quem se relaciona com quem, com que freqüência, e em que termos - tem, assim, um papel fundamental no fluxo de recursos através daquela rede. Aqueles que ocupam posições estratégicas no interior da rede, especialmente aqueles cujas ligações percorrem vários grupos, potencialmente têm mais recursos do que seus pares, precisamente porque sua posição no interior da rede lhes proporciona maior acesso a mais e melhores recursos (Burt 2000).  
  • 10. Capital SocialA segunda(e mais comum) abordagem acerca do capital social, refere-se à natureza e extensão do envolvimento de um indivíduo em várias redes informais e organizações cívicas formais( Robert Putnam).Desde a conversa com os vizinhos ou o engajamento em atividades recreativas, até a filiação a organizações ambientais e partidos políticos, o capital social é usado, nesse sentido, como um termo conceitual para caracterizar as muitas e variadas maneiras pelas quais os membros de uma comunidade interagem. Assim entendido, é possível traçar um mapa da vida associativa da comunidade e, com isso, perceber seu estado de saúde cívico.   A distinção entre (a) e (b) é por vezes referida como capital social “estrutural” e “cognitivo”. Recentemente, alguns estudiosos sugeriram uma terceira classificação conceitual.
  • 11. Capital Social Chamada capital social de “conexão”,, essa dimensão refere-se aos laços mantidos com as pessoas que detêm posições de autoridade, tais como representantes de instituições públicas (polícia, partidos políticos) e privadas (bancos). Enquanto o capital social é essencialmente horizontal, (isto é, conecta as pessoas de posição social mais ou menos igual), o capital social de conexão é mais vertical, uma vez que conecta as pessoas a recursos políticos (e outros) chave e instituições econômicas – isto é, entre diferenciais de poder. É importante enfatizar que não é a mera presença destas instituições (escolas, bancos, agências de seguro), que constituem o capital social de conexão, mas antes a natureza e a extensão dos laços sociais entre clientes e provedores, muitos dos quais são um meio inerente à prestação destes serviços (tais como ensino, expansão agrícola (agriculturalextension), medicina geral etc.). (Woolcock, 1999, Banco Mundial, 2000)
  • 12. Capital Social Líderes locais e intermediários contribuem para facilitar as conexões entre as comunidades pobres e a assistência externa ao desenvolvimento (incluindo programas governamentais – Khrisna 2000), constituindo assim, uma importante fonte de capital social de conexão. Os diferentes tipos de redes e organizações aos quais os indivíduos têm acesso, não é suficiente ; há outros indicadores igualmente importantes ,mais subjetivas, relativas às percepções acerca da confiança (nos vizinhos, provedores de serviços etc.) reciprocidade normativa e ação coletiva. Dimensões de capital social :participação em associações e confiança,relacionando esses conceitos ao acesso a serviços sociais públicos;
  • 13. capital social estrutural, relacionando-o ao bem-estar e à pobreza doméstica, acesso ao crédito, e ação coletiva (ver Grootaert 2001).
  • 14. bem-estar subjetivo, engajamento político, sociabilidade, atividades comunitárias, violência e comunicações (ver Narayan e Cassidy 2001).  As seis dimensões do capital social Grupos e Redes Nesta categoria se considera a natureza e a extensão da participação do indivíduo em vários tipos de organização social e redes informais, assim como as várias contribuições dadas e recebidas nestas relações. Também considera a diversidade das associações de um determinado grupo, como suas lideranças são selecionadas, e como mudou o envolvimento da pessoa com o grupo ao longo do tempo. Confiança e Solidariedade Esta categoria busca levantar dados sobre a confiança em relação a vizinhos, provedores de serviços essenciais, e estranhos, e como essas percepções mudaram com o tempo. Ação Coletiva e Cooperação Esta categoria investiga se e como os membros de um grupo têm trabalho com outras pessoas em sua comunidade, em projetos conjuntos e/ou como resposta a uma crise.
  • 15. As seis dimensões do capital social Informação e Comunicação O acesso à informação tem sido reconhecido cada vez mais como fundamental para ajudar as comunidades empobrecidas a terem uma voz mais ativa em assuntos relativos ao seu bem-estar (Banco Mundial 2002). Esta categoria explora os meios pelos quais os pobres recebem informações relativas às condições de mercado e serviços públicos, e até onde têm acesso às infra-estruturas de comunicação. Coesão e Inclusão Social As “comunidades” não são entidades coesas, mas antes se caracterizam por várias formas de divisão e diferenças que podem levar ao conflito. È preciso identificar a natureza e o tamanho dessas diferenças, os mecanismos por meio dos quais elas são gerenciadas, e quais os grupos que são excluídos dos serviços públicos essenciais. Questões relativas às formas cotidianas de interação social também são consideradas. Autoridade (ou capacitação) [Empowerment] e Ação Política Os indivíduos têm “autoridade” ou são “capacitados” (are “empowered”) na medida em que detêm um certo controle sobre instituições e processos que afetam diretamente seu bem-estar (Banco Mundial 2002). Busca-se averiguar o sentimento de eficácia pessoal e capacidade dos membros do agregado doméstico para influenciar tanto eventos locais como respostas políticas mais amplas. Busca-se conhecer as dimensões “estrutural” (associação do grupo) e “cognitiva” (percepções subjetivas da confiança e das normas) do capital social . 
  • 16. Questões O capital social torna possível o maior bem-estar doméstico, ou o maior bem-estar doméstico permite a aquisição de mais capital social? Três indicadores úteis para medir o capital social de maneira relevante para as políticas públicas.O primeiro deles é a participação em associações e redes locais. Esse indicador de capital social estrutural baseia-se na densidade de associações e na incidência de participações no domicílio. Vários aspectos da associação (tais como diversidade interna) e funcionamento institucional (tais como o nível de decisão democrática) também são indicadores relevantes. O segundo conjunto de variáveis consiste em indicadores de confiança e solidariedade, que abrangem o capital social cognitivo. Essas medidas baseiam-se nas expectativas e experiências dos entrevistados em relação a comportamentos que impliquem confiança. Um aspecto importante disso é quanta assistência os domicílios receberam, ou receberiam, de membros de sua comunidade ou rede, em caso de necessidade.
  • 17. QuestõesIndicadores de ação coletiva constituem o terceiro conjunto de variáveis que dão conta do capital social.A oferta de muitos serviços requer ação coletiva por parte de um grupo de indivíduos. Até que ponto essa ação coletiva ocorre pode ser medido e é um indicador de capital social subjacente (pelo menos até onde a cooperação não é imposta por uma força externa, tal como o governo). A participação em associações e redes é claramente um indicador de entrada (de capital social), uma vez que as associações e redes são meios através dos quais o capital social pode ser acumulado. Esse indicador assemelha-se ao uso de anos de escolaridade como índice de capital humano. A confiança pode ser vista como um indicador de entrada ou de produção (de capital social), ou mesmo como uma medida direta de capital social, dependendo da abordagem conceitual adotada.
  • 18. Questões A ação coletiva é um indicador de produção. Manter e reforçar o capital social depende essencialmente da habilidade dos membros de uma comunidade em comunicar-se entre si, com outras comunidades e com membros de suas redes que vivem fora da comunidade. O grau de coesão e inclusão socialé um dos resultados positivos mais importantes da presença de capital social em uma comunidade. Um alto nível de sociabilidade normalmente é característico de uma comunidade socialmente coesa. Sentir-se com autoridade ou capacitados (empowered) e participam de ações políticas.É preciso focalizar o controle sobre as decisões que afetam diretamente a vida cotidiana. (tais como as petições aos membros do governo, participação em reuniões abertas e em eleições.)