SlideShare uma empresa Scribd logo
GOVERNANÇA E MOSAICOS
DE ÁREAS PROTEGIDAS:
Normas e Instrumentos para a gestão integrada e participativa
de áreas protegidas em um contexto regional
Clayton Lino-maio 2016
Mosaicos de Áreas Protegidas de Jacupiranga
Aspectos Conceituais Legais e operacionais para criação do
Conselho Gestor do Mosaico
Clayton F. Lino - Junho 2018
Mosaicos e Gestão Sustentável do Território
• Contribuição para o Ordenamento Territorial
• Articulação Institucional e Intersetorial
• Gestão Participativa de base Colegiada
• Integração entre Conservação e
Desenvolvimento Sustentável
• Planejamento Dinâmico e Adaptativo
• Gestão Integrada de Áreas Protegidas e Entorno
Art. 26. Quando existir um conjunto de unidades de conservação de
categorias diferentes ou não, próximas, justapostas ou sobrepostas,
e outras áreas protegidas públicas ou privadas, constituindo um
mosaico, a gestão do conjunto deverá ser feita de forma integrada e
participativa, considerando-se os seus distintos objetivos de
conservação, de forma a compatibilizar a presença da
biodiversidade, a valorização da sociodiversidade e o
desenvolvimento sustentável no contexto regional.
Parágrafo único: O regulamento desta Lei disporá sobre a forma de
gestão integrada do conjunto das unidades.
SNUC – MOSAICOS
LEI FEDERAL Nº 9.985-00
DECRETO REGULAMENTAÇÃO Nº 4.340-02
Capítulo III - Do Mosaico de Unidades de Conservação
4 – “DECRETO Nº 4.340, DE 22 DE AGOSTO DE 2002 que
regulamenta o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da
Natureza, define:
a) A forma e competência para criação/reconhecimento de
mosaicos, no Capítulo III
b) O instrumento básico de gestão do mosaico, conforme Art. 9
c) A competência do Conselho Gestor de cada mosaico
d) A relação de gestão dos mosaicos com corredores ecológicos
Diretrizes para a Governança do Mosaico:
A governança deve ser participativa em todas as fases da
elaboração da proposta , da institucionalização do mosaico , de
sua implementação e de sua avaliação periódica
Gestão em rede (entes autônomos ,horizontalidade ), baseadas em
parcerias internas e externas (compromissos e benefícios
mútuos),
O Conselho deve ter um papel de articulador (unidades com
realidades distintas e objetivos específicos) e integrador ( buscar
as sinergias , a síntese e não simplesmente o somatório)
As instâncias de gestão (não só o Conselho) devem ser coletivas ,
representativas e democráticas
Os planos e as decisões devem ser baseados em diálogo e
consensos(não há subordinação ou hierarquia entre seus
componentes )-negociação e pactuação
b) O instrumento básico de gestão do mosaico, conforme Art. 9º.:
“Art. 9o : O mosaico deverá dispor de um conselho de mosaico,
com caráter consultivo e a função de atuar como instância de
gestão integrada das unidades de conservação que o compõem”.
§ 1o A composição do conselho de mosaico é estabelecida na
portaria que institui o mosaico e deverá obedecer aos mesmos
critérios estabelecidos no Capítulo V deste Decreto.
§ 2o O conselho de mosaico terá como presidente um dos chefes
das unidades de conservação que o compõem, o qual será
escolhido pela maioria simples de seus membros...”
c) A competência do Conselho Gestor de cada mosaico:
“Art. 10o: Compete ao conselho de cada mosaico”:
I - elaborar seu regimento interno, no prazo de noventa dias, contados da sua instituição
II - propor diretrizes e ações para compatibilizar, integrar e otimizar:
a) as atividades desenvolvidas em cada unidade de conservação,
tendo em vista, especialmente:
1. os usos na fronteira entre unidades;
2. o acesso às unidades;
3. a fiscalização;
4. o monitoramento e avaliação dos Planos de Manejo;
5. a pesquisa científica; e
6. a alocação de recursos advindos da compensação referente ao licenciamento
ambiental de empreendimentos com significativo impacto ambiental;
b) a relação com a população residente na área do mosaico;
III - manifestar-se sobre propostas de solução para a sobreposição de unidades; e
IV - manifestar-se, quando provocado por órgão executor, por conselho de unidade de
conservação ou por outro órgão do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA,
sobre assunto de interesse para a gestão do mosaico.
INSTRUMENTOS DE GOVERNANÇA E GESTÃO
Conselho Gestor e suas estruturas de apoio (Secretaria Executiva
, GTs , Câmaras , Comissões);
Planejamento Estratégico e Plano de Ação;
Programas e projetos;
Meios de Comunicação(site,publicações,fb,twiter,eventos,etc)
Protocolo de Efetividade de Gestão
Articulação em Rede (REMAP)
Observações:
•Todo mosaico deverá dispor de um Conselho Gestor;
•Define que o Conselho com caráter consultivo ;
•Volta a falar em UCs e não em áreas protegidas;
•Define o ato de reconhecimento do mosaico como portaria;
•Vincula a composição do Conselho do mosaico aos critérios
estabelecidos no Capitulo V do Decreto, o que implica entre
outros aspectos na inclusão no conselho de vários setores como
órgãos públicos (3 níveis de governo, agências ambientais e de
áreas afins) representação da sociedade civil (ONGs, comunidade
científica, população, proprietários, trabalhadores, setor privado
e comitês de bacias);
•Recomenda composição paritária entre governo e sociedade
civil;
•Define mandato de dois anos para conselheiros, renovável por
igual período;
•As reuniões devem ser públicas, com pauta prévia;
•Diz que cabe ao órgão executor (presidência do conselho, no caso
de uma UC, convocar o Conselho e quem, no caso dos mosaicos,
prestar apoio a participação dos conselheiros nas reuniões,
sempre que solicitado e devidamente justificado;
c) A competência do Conselho Gestor de cada mosaico:
“Art. 10o: Compete ao conselho de cada mosaico”:
I - elaborar seu regimento interno, no prazo de noventa dias,
contados da sua instituição;
II - propor diretrizes e ações para compatibilizar, integrar e
otimizar:
a) as atividades desenvolvidas em cada unidade de conservação,
tendo em vista, especialmente:
1. os usos na fronteira entre unidades;
2. o acesso às unidades;
3. a fiscalização;
4. o monitoramento e avaliação dos Planos de Manejo;
5. a pesquisa científica; e
6. a alocação de recursos advindos da compensação referente
ao licenciamento ambiental de empreendimentos com significativo
impacto ambiental;
b) a relação com a população residente na área do mosaico;
III - manifestar-se sobre propostas de solução para a sobreposição de
unidades; e
IV - manifestar-se, quando provocado por órgão executor, por
conselho de unidade de conservação ou por outro órgão do Sistema
Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA, sobre assunto de interesse
para a gestão do mosaico.
Observações:
•Promove a integração de algumas ações (fiscalização, pesquisa,
usos nas fronteiras, etc) mas pode incluir várias outras, como por
exemplo, de vários mosaicos já instituídos;
•Dá ao conselho do mosaico uma importante função na discussão
de alocação de recursos de compensação ambiental, mas é preciso
ver a compabilidade legal com as competências de cada órgão
gestor e dos diferentes níveis do SISNAMA;
•Indica uma ação político-institucional do Conselho, articulando
relação com moradores do mosaico (e seu entorno?),
manifestando-se sobre sobreposição de unidades e outros
assuntos de interesse para o mosaico;

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Apresentação final-MOSAICO-BRASILIA 2016

Proposta para intervenção Comunidades
Proposta para intervenção ComunidadesProposta para intervenção Comunidades
Proposta para intervenção Comunidades
Míriam Morata Novaes
 
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: São Paulo
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: São PauloRetratos de Governanças das Águas no Brasil: São Paulo
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: São Paulo
fcmatosbh
 
Apêndice B Unidades de significado - governança - autodiagnóstico
Apêndice B  Unidades de significado - governança - autodiagnósticoApêndice B  Unidades de significado - governança - autodiagnóstico
Apêndice B Unidades de significado - governança - autodiagnóstico
Ouvidoria do Mar
 
Comitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista site
Comitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista siteComitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista site
Comitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista site
forumdacidadania
 
Preservação Patrimônios CMPHCC
Preservação Patrimônios CMPHCCPreservação Patrimônios CMPHCC
Preservação Patrimônios CMPHCC
Andreia Becker
 
Apresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação HistóricaApresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação Histórica
Andreia Becker
 
Agenda21 brasil
Agenda21 brasilAgenda21 brasil
Agenda21 brasil
Rose Felker
 
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...
fcmatosbh
 
Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC
Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC
Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC
Ronaldo Weigand Jr
 
Lei 8233
Lei 8233Lei 8233
Lei 8233
Michel Guedes
 
Regimento interno condema versao final
Regimento interno condema versao finalRegimento interno condema versao final
Regimento interno condema versao final
Guy Valerio Barros dos Santos
 
Regimento interno catodores
Regimento interno   catodoresRegimento interno   catodores
Regimento interno catodores
brandermarlonxavier
 

Semelhante a Apresentação final-MOSAICO-BRASILIA 2016 (12)

Proposta para intervenção Comunidades
Proposta para intervenção ComunidadesProposta para intervenção Comunidades
Proposta para intervenção Comunidades
 
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: São Paulo
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: São PauloRetratos de Governanças das Águas no Brasil: São Paulo
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: São Paulo
 
Apêndice B Unidades de significado - governança - autodiagnóstico
Apêndice B  Unidades de significado - governança - autodiagnósticoApêndice B  Unidades de significado - governança - autodiagnóstico
Apêndice B Unidades de significado - governança - autodiagnóstico
 
Comitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista site
Comitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista siteComitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista site
Comitê pela gestão sustentável de resíduos sólidos da baixada santista site
 
Preservação Patrimônios CMPHCC
Preservação Patrimônios CMPHCCPreservação Patrimônios CMPHCC
Preservação Patrimônios CMPHCC
 
Apresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação HistóricaApresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação Histórica
 
Agenda21 brasil
Agenda21 brasilAgenda21 brasil
Agenda21 brasil
 
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...
Retratos de Governanças das Águas no Brasil: Perfil dos Representantes Membro...
 
Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC
Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC
Ciclo de Oficinas sobre DTBC 2013 - 1a. O que é DTBC
 
Lei 8233
Lei 8233Lei 8233
Lei 8233
 
Regimento interno condema versao final
Regimento interno condema versao finalRegimento interno condema versao final
Regimento interno condema versao final
 
Regimento interno catodores
Regimento interno   catodoresRegimento interno   catodores
Regimento interno catodores
 

Mais de ReservadaBiosferadaM

CONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.ppt
CONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.pptCONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.ppt
CONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.ppt
ReservadaBiosferadaM
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
ReservadaBiosferadaM
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
ReservadaBiosferadaM
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
ReservadaBiosferadaM
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
ReservadaBiosferadaM
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
ReservadaBiosferadaM
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
ReservadaBiosferadaM
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ReservadaBiosferadaM
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...
Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...
Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptx
Apresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptxApresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptx
Apresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptx
ReservadaBiosferadaM
 
Programa de Jovens da RBMA - 2023.ppt
Programa de Jovens da RBMA - 2023.pptPrograma de Jovens da RBMA - 2023.ppt
Programa de Jovens da RBMA - 2023.ppt
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Andre Luiz_25/05/23.pdf
Apresentação Andre Luiz_25/05/23.pdfApresentação Andre Luiz_25/05/23.pdf
Apresentação Andre Luiz_25/05/23.pdf
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdf
Apresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdfApresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdf
Apresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdf
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdf
Apresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdfApresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdf
Apresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdf
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptx
Apresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptxApresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptx
Apresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptx
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...
Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...
Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdf
Apresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdfApresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdf
Apresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdf
ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptxApresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
ReservadaBiosferadaM
 

Mais de ReservadaBiosferadaM (20)

CONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.ppt
CONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.pptCONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.ppt
CONMATUR 32º Encontro Nacional da RBMA.ppt
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 
Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...
Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...
Apresentação Impactos e desafios das Mudanças climáticas para a juventude da ...
 
Apresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptx
Apresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptxApresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptx
Apresentação Restauração Cidadã na Mata Atlântica.pptx
 
Programa de Jovens da RBMA - 2023.ppt
Programa de Jovens da RBMA - 2023.pptPrograma de Jovens da RBMA - 2023.ppt
Programa de Jovens da RBMA - 2023.ppt
 
Apresentação Andre Luiz_25/05/23.pdf
Apresentação Andre Luiz_25/05/23.pdfApresentação Andre Luiz_25/05/23.pdf
Apresentação Andre Luiz_25/05/23.pdf
 
Apresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdf
Apresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdfApresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdf
Apresentação Angela Guirao_Reconecta RMC_25/05/23.pdf
 
Apresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdf
Apresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdfApresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdf
Apresentação Eduardo Kimoto SEMINÁRIO NACIONAL RBMA_25/05/23.pdf
 
Apresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptx
Apresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptxApresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptx
Apresentação Marcelo Coluccini 25/05/23.pptx
 
Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...
Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...
Apresentação Coord Estadual de Proteção e Defesa Civil - chuvas de verão ...
 
Apresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdf
Apresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdfApresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdf
Apresentação Cristiano Awa Kiririndju e Thiago TUPÃ Mirim_25/05/23.pdf
 
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptxApresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
 

Último

Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exerciciosdengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
wfsouza2
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 

Último (8)

Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exerciciosdengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
dengue atividade e caça-palavras 6 ano exercicios
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 

Apresentação final-MOSAICO-BRASILIA 2016

  • 1. GOVERNANÇA E MOSAICOS DE ÁREAS PROTEGIDAS: Normas e Instrumentos para a gestão integrada e participativa de áreas protegidas em um contexto regional Clayton Lino-maio 2016
  • 2. Mosaicos de Áreas Protegidas de Jacupiranga Aspectos Conceituais Legais e operacionais para criação do Conselho Gestor do Mosaico Clayton F. Lino - Junho 2018
  • 3. Mosaicos e Gestão Sustentável do Território • Contribuição para o Ordenamento Territorial • Articulação Institucional e Intersetorial • Gestão Participativa de base Colegiada • Integração entre Conservação e Desenvolvimento Sustentável • Planejamento Dinâmico e Adaptativo • Gestão Integrada de Áreas Protegidas e Entorno
  • 4. Art. 26. Quando existir um conjunto de unidades de conservação de categorias diferentes ou não, próximas, justapostas ou sobrepostas, e outras áreas protegidas públicas ou privadas, constituindo um mosaico, a gestão do conjunto deverá ser feita de forma integrada e participativa, considerando-se os seus distintos objetivos de conservação, de forma a compatibilizar a presença da biodiversidade, a valorização da sociodiversidade e o desenvolvimento sustentável no contexto regional. Parágrafo único: O regulamento desta Lei disporá sobre a forma de gestão integrada do conjunto das unidades. SNUC – MOSAICOS LEI FEDERAL Nº 9.985-00 DECRETO REGULAMENTAÇÃO Nº 4.340-02 Capítulo III - Do Mosaico de Unidades de Conservação
  • 5. 4 – “DECRETO Nº 4.340, DE 22 DE AGOSTO DE 2002 que regulamenta o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza, define: a) A forma e competência para criação/reconhecimento de mosaicos, no Capítulo III b) O instrumento básico de gestão do mosaico, conforme Art. 9 c) A competência do Conselho Gestor de cada mosaico d) A relação de gestão dos mosaicos com corredores ecológicos
  • 6. Diretrizes para a Governança do Mosaico: A governança deve ser participativa em todas as fases da elaboração da proposta , da institucionalização do mosaico , de sua implementação e de sua avaliação periódica Gestão em rede (entes autônomos ,horizontalidade ), baseadas em parcerias internas e externas (compromissos e benefícios mútuos), O Conselho deve ter um papel de articulador (unidades com realidades distintas e objetivos específicos) e integrador ( buscar as sinergias , a síntese e não simplesmente o somatório) As instâncias de gestão (não só o Conselho) devem ser coletivas , representativas e democráticas Os planos e as decisões devem ser baseados em diálogo e consensos(não há subordinação ou hierarquia entre seus componentes )-negociação e pactuação
  • 7. b) O instrumento básico de gestão do mosaico, conforme Art. 9º.: “Art. 9o : O mosaico deverá dispor de um conselho de mosaico, com caráter consultivo e a função de atuar como instância de gestão integrada das unidades de conservação que o compõem”. § 1o A composição do conselho de mosaico é estabelecida na portaria que institui o mosaico e deverá obedecer aos mesmos critérios estabelecidos no Capítulo V deste Decreto. § 2o O conselho de mosaico terá como presidente um dos chefes das unidades de conservação que o compõem, o qual será escolhido pela maioria simples de seus membros...”
  • 8. c) A competência do Conselho Gestor de cada mosaico: “Art. 10o: Compete ao conselho de cada mosaico”: I - elaborar seu regimento interno, no prazo de noventa dias, contados da sua instituição II - propor diretrizes e ações para compatibilizar, integrar e otimizar: a) as atividades desenvolvidas em cada unidade de conservação, tendo em vista, especialmente: 1. os usos na fronteira entre unidades; 2. o acesso às unidades; 3. a fiscalização; 4. o monitoramento e avaliação dos Planos de Manejo; 5. a pesquisa científica; e 6. a alocação de recursos advindos da compensação referente ao licenciamento ambiental de empreendimentos com significativo impacto ambiental; b) a relação com a população residente na área do mosaico; III - manifestar-se sobre propostas de solução para a sobreposição de unidades; e IV - manifestar-se, quando provocado por órgão executor, por conselho de unidade de conservação ou por outro órgão do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA, sobre assunto de interesse para a gestão do mosaico.
  • 9.
  • 10. INSTRUMENTOS DE GOVERNANÇA E GESTÃO Conselho Gestor e suas estruturas de apoio (Secretaria Executiva , GTs , Câmaras , Comissões); Planejamento Estratégico e Plano de Ação; Programas e projetos; Meios de Comunicação(site,publicações,fb,twiter,eventos,etc) Protocolo de Efetividade de Gestão Articulação em Rede (REMAP)
  • 11. Observações: •Todo mosaico deverá dispor de um Conselho Gestor; •Define que o Conselho com caráter consultivo ; •Volta a falar em UCs e não em áreas protegidas; •Define o ato de reconhecimento do mosaico como portaria; •Vincula a composição do Conselho do mosaico aos critérios estabelecidos no Capitulo V do Decreto, o que implica entre outros aspectos na inclusão no conselho de vários setores como órgãos públicos (3 níveis de governo, agências ambientais e de áreas afins) representação da sociedade civil (ONGs, comunidade científica, população, proprietários, trabalhadores, setor privado e comitês de bacias); •Recomenda composição paritária entre governo e sociedade civil; •Define mandato de dois anos para conselheiros, renovável por igual período; •As reuniões devem ser públicas, com pauta prévia; •Diz que cabe ao órgão executor (presidência do conselho, no caso de uma UC, convocar o Conselho e quem, no caso dos mosaicos, prestar apoio a participação dos conselheiros nas reuniões, sempre que solicitado e devidamente justificado;
  • 12. c) A competência do Conselho Gestor de cada mosaico: “Art. 10o: Compete ao conselho de cada mosaico”: I - elaborar seu regimento interno, no prazo de noventa dias, contados da sua instituição; II - propor diretrizes e ações para compatibilizar, integrar e otimizar: a) as atividades desenvolvidas em cada unidade de conservação, tendo em vista, especialmente: 1. os usos na fronteira entre unidades; 2. o acesso às unidades; 3. a fiscalização; 4. o monitoramento e avaliação dos Planos de Manejo; 5. a pesquisa científica; e 6. a alocação de recursos advindos da compensação referente ao licenciamento ambiental de empreendimentos com significativo impacto ambiental; b) a relação com a população residente na área do mosaico; III - manifestar-se sobre propostas de solução para a sobreposição de unidades; e IV - manifestar-se, quando provocado por órgão executor, por conselho de unidade de conservação ou por outro órgão do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA, sobre assunto de interesse para a gestão do mosaico.
  • 13. Observações: •Promove a integração de algumas ações (fiscalização, pesquisa, usos nas fronteiras, etc) mas pode incluir várias outras, como por exemplo, de vários mosaicos já instituídos; •Dá ao conselho do mosaico uma importante função na discussão de alocação de recursos de compensação ambiental, mas é preciso ver a compabilidade legal com as competências de cada órgão gestor e dos diferentes níveis do SISNAMA; •Indica uma ação político-institucional do Conselho, articulando relação com moradores do mosaico (e seu entorno?), manifestando-se sobre sobreposição de unidades e outros assuntos de interesse para o mosaico;