SlideShare uma empresa Scribd logo
Apresentação de Filosofia
A filosofia Antiga é possível explicar
  muitas coisas sem históricos e sem fatos
reais. Há algum tempo atrás a filosofia foi
   motivo de crítico por ser matérias de
escolas, pois ela alertava as pessoas para a
realidade da vida e muitos poderosos não
 queriam a população esperta e com isso
        tiraram a matéria curricular.
A filosofia antiga se estende do século VI a.C até o século
VI dC, aproximadamente. Pode ser dividida em quatro
períodos: Cosmológico, antropológico, sistemático e
helenístico.

1. PERÍODO COSMOLÓGICO
Estende-se do século VI a.C ao final do século V aC. É
marcado pela preocupação dos filósofos da época em
descobrir a substância essencial de todos os seres. Esta
descoberta deveria dar-se pela racionalidade, e não pelos
mitos, que eram a forma comum de explicação para os
fenômenos da natureza antes deste período. Os filósofos
do período cosmológico tentavam responder, utilizando a
razão, aos problemas da origem, da ordem e transformação
da natureza e do homem, como animal que é.
2. PERÍODO ANTROPOLÓGICO OU CLÁSSICO
Neste período os filósofos criaram uma nova temática para suas
especulações: o homem. O conhecimento filosófico muda seu
espaço geográfico (da Jônia para Atenas ? o centro cultural da
Grécia), e daí surge a necessidade de estudar o homem e sua vida
política, pois, na polis, a convivência humana precisava ser
fundamentada. Participam deste período os sofistas, Sócrates e
Platão.

3. PERÍODO SISTEMÁTICO
Estendeu-se do final do século IV a.C ao século III a.C, com
a pretensão de reunir e sistematizar o conhecimento
adquirido nos períodos anteriores . O grande destaque
deste período foi Aristóteles.
4. PERÍODO HELENÍSTICO
Este período estende-se do final do século III a.C até o
século VI dC. Com as conquistas de Alexandre, O
Grande, da Macedônia, a cultura no mundo antigo
sofreu muitas transformações. Mais tarde, a conquista
da Grécia pelos romanos intensificou a derrocada
política dos gregos e a decadência de suas
preocupações políticas.
O helenismo, para a filosofia, representa uma
continuidade das escolas platônica e aristotélica, e
buscou explicar a natureza e o homem, e suas
relações com as divindades.
Apresentação de Filosofia
Acredita-se que Tales teria
aprendido boa parte de
seus conhecimentos com
egípcios e babilônios. Ele
foi considerado o primeiro
pensador grego, “O pai da
filosofia”, buscou a
construção do pensamento
racional em diversos
campos do conhecimento,
como a astronomia e a
geometria.
Conta-se que Pitágoras
sofreu perseguição
política em sua terra
natal, a ilha de Samos
(situada na costa jônica,
não distante de Mileto),
sendo obrigado a exilar-
se em Crotona, na
Magna Grécia.
Heráclito nasceu no
seio da nobreza
governante de Éfeso.
Também conhecido
como “o obscuro”,
desenvolveu um
pensamento
assistemático e
polêmico.
Apresentação de Filosofia
Os diálogos deste grande mestre
apresentam sob vários ângulos
todos os principais problemas do
pensamento ocidental, Ética,
estética,política, metafísica e até
mesmo uma filosofia da linguagem
são vistos em sua intimidade
através de ricos diálogos. Pelos sites
listados conheça melhor a divisão,
feita pelos acadêmicos destes
diálogos e faça uma leitura guiada.
Aristóteles ao contrário de Platão,
criou uma obra sistemática e
ordenada. A filosofia aristotélica
cobre diversos campos do
conhecimento, como a lógica, a
retórica, a poética, a metafísica e
as diversas ciências. No livro “ A
política”, Aristoteles entende a
ciência política como
desdobramento de uma ética, cuja
principal formulação encontra-se
no livro "Ética a Nicômaco".
Apresentação de Filosofia
Chamado Tales de Mileto, é o primeiro filósofo ocidental de que se tem notícia.
Ele é o marco inicial da filosofia ocidental. De ascendência fenícia, nasceu em
Mileto, antiga colônia grega, na Ásia menor, atual Turquia, por volta de 625 a.C. E
faleceu aproximadamente em 547 a.C.
  Na época de Tales, os gregos – através da sua mitologia – consideravam os
elementos da Natureza ( o Sol, a Terra, o Céu, o Oceano, as Montanhas, etc.)
como forças autônomas, honrando-os como deuses, elevados pela fantasia a
seres ativos, móveis, conscientes e dotados de sentimentos, vontades e desejos.
Estes deuses constituíam-se na fonte e na essência de todas as coisas o universo.
  Tales foi um dos primeiros pensadores a discordar dessa religião vigente, cujos
princípios eram ditados pela percepção que os homens captavam através de
seus sentidos. O ponto de partida da teoria especulativa de Tales – como
também de todos os demais filósofos da escola jônica – foi a verificação da
permanente transformação das coisas umas nas outras e sua intuição básica é de
que todas as coisas são uma só coisa fundamental, ou um só principio (arché).
  Dos escritos de Tales, nenhum deles sobreviveu até nossos dias. Suas idéias
filosóficas são conhecidas graças aos trabalhos de Diógenes Laércio, Simplício e
principalmente Aristóteles.
Apresentação de Filosofia
Apresentação de Filosofia
Apresentação de Filosofia
(Teorema de Pitágoras)
  Considerado um dos mais importantes teoremas da Matemática, o
Teorema de Pitágoras foi desenvolvido por Pitágoras de Samos, filósofo
grego que viveu no séc. VI a.C., fundador da mística Escola Pitágorica.
O Teorema de Pitágoras pode ser aplicado em qualquer triângulo retângulo
no intuito de determinar uma das medidas quando conhecidas as outras
duas. O Teorema não se restringiu somente ao triângulo retângulo, de
acordo com estudos da época, eram conhecidos os números inteiros e as
frações, sendo através das aplicações do Teorema iniciado o estudo dos
números irracionais.
O Teorema consistia na seguinte relação:
 “A medida do quadrado da hipotenusa é igual à soma das medidas dos
 quadrados dos catetos”




A relação dos números irracionais com o Teorema de Pitágoras consiste no
cálculo da medida da diagonal do quadrado, observe:
Dado o quadrado ABCD com lados medindo 1 unidade, vamos determinar a sua
diagonal. A diagonal divide o quadrado em dois triângulos retângulos, sendo
assim, podemos notar que a diagonal do quadrado é a hipotenusa dos dois
triângulos retângulos. Aplicando o Teorema de Pitágoras temos:
Veja que √2 não possui raiz exata, com o auxílio de uma calculadora
chegaremos ao seguinte resultado 1,414213562... . Esse tipo de
número não era conhecido, pois depois da vírgula não formava
períodos como os racionais. Essa situação colocou em dúvida a
descoberta de Pitágoras por algum tempo, pois não se tinha uma
explicação definida para esse tipo de numeral, contrariando toda a
teoria de representar um número através de uma relação (fração).
Com o passar dos séculos e a evolução da Matemática, os números
irracionais foram aceitos e introduzidos nos conceitos matemáticos,
tornando o Teorema de Pitágoras ferramenta imprescindível nos
estudos relacionados à Geometria.
Heráclito, inserido dentro do contexto pré-
socrático, parte do princípio de que tudo é
movimento, e que nada pode permanecer estático.
"Panta rhei", sua "máxima", significa "tudo flui",
"tudo se move", exceto o próprio movimento. Ele
exemplifica, dizendo que não podemos entrar duas
vezes no mesmo rio, porque, ao entrarmos pela
segunda vez, não serão as mesmas águas que
estarão lá, e a pessoa mesma já será diferente (de
fato, a Biologia veio a descobrir muito mais tarde
que nossas células estão em constante renovação,
e isso é uma mudança).
Apresentação de Filosofia
Apresentação de Filosofia
Doutrinas Filosóficas
A introspecção é o característico da filosofia de Sócrates.
E exprime-se no famoso lema conhece-te a ti mesmo - isto
é, torna-te consciente de tua ignorância - como sendo o
ápice da sabedoria, que é o desejo da ciência mediante a
virtude. E alcançava em Sócrates intensidade e
profundidade tais, que se concretizava, se personificava
na voz interior divina do gênio ou demônio.
Como é sabido, Sócrates não deixou nada escrito. As
notícias que temos de sua vida e de seu pensamento,
devemo-las especialmente aos seus dois discípulos
Xenofonte e Platão, de feição intelectual muito diferente.
Xenofonte, autor de Anábase, em seus Ditos Memoráveis,
legou-nos de preferência o aspecto prático e moral da
doutrina do mestre.
Apresentação de Filosofia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Historia da filosofia pré socráticos
Historia da filosofia pré socráticosHistoria da filosofia pré socráticos
Historia da filosofia pré socráticos
Marcus Vinicios
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
João Paulo Rodrigues
 
o que é arché
o que é archéo que é arché
o que é arché
puenzo
 
Os pré socráticos
Os pré socráticosOs pré socráticos
Os pré socráticos
Marina Leite
 
2 cap.13
2 cap.132 cap.13
2 cap.13
edna2
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-Socráticos
Jecyane
 
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Resumo FILOSOFIA
Resumo FILOSOFIAResumo FILOSOFIA
Resumo FILOSOFIA
João Pedro Melo
 
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Turma Olímpica
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
rafaforte
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
Gustavo Cuin
 
Filósofos Pré Socráticos
Filósofos Pré SocráticosFilósofos Pré Socráticos
Filósofos Pré Socráticos
Roger William Campos
 
Pré-Socráticos
Pré-SocráticosPré-Socráticos
Pré-Socráticos
Robson Júnior
 
Capítulo 13 em busca da verdade
Capítulo 13   em busca da verdadeCapítulo 13   em busca da verdade
Capítulo 13 em busca da verdade
Edirlene Fraga
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
Gutt1848
 
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
Octavio Silvério de Souza Vieira Neto
 
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumoCarla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumo
Carla Geanfrancisco Falasca
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
José Ferreira Júnior
 
Os filósofos pré socráticos - 1º em
Os filósofos pré socráticos - 1º emOs filósofos pré socráticos - 1º em
Os filósofos pré socráticos - 1º em
Rudi Lemos
 

Mais procurados (20)

Historia da filosofia pré socráticos
Historia da filosofia pré socráticosHistoria da filosofia pré socráticos
Historia da filosofia pré socráticos
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
 
o que é arché
o que é archéo que é arché
o que é arché
 
Os pré socráticos
Os pré socráticosOs pré socráticos
Os pré socráticos
 
2 cap.13
2 cap.132 cap.13
2 cap.13
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-Socráticos
 
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
 
Resumo FILOSOFIA
Resumo FILOSOFIAResumo FILOSOFIA
Resumo FILOSOFIA
 
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
 
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
 
Filósofos Pré Socráticos
Filósofos Pré SocráticosFilósofos Pré Socráticos
Filósofos Pré Socráticos
 
Pré-Socráticos
Pré-SocráticosPré-Socráticos
Pré-Socráticos
 
Capítulo 13 em busca da verdade
Capítulo 13   em busca da verdadeCapítulo 13   em busca da verdade
Capítulo 13 em busca da verdade
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
 
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
 
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumoCarla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumo
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
 
Os filósofos pré socráticos - 1º em
Os filósofos pré socráticos - 1º emOs filósofos pré socráticos - 1º em
Os filósofos pré socráticos - 1º em
 

Semelhante a Apresentação de Filosofia

Filosofia antiga
Filosofia antigaFilosofia antiga
Filosofia antiga
superuzer
 
Heráclito, demócrito e pitágoras
Heráclito, demócrito e pitágorasHeráclito, demócrito e pitágoras
Heráclito, demócrito e pitágoras
Filipe Simão Kembo
 
1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx
josuelsilva19
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
Claudia
 
Aula 1 fls em
Aula 1 fls emAula 1 fls em
Aula 1 fls em
Walney M.F
 
Trabalho de antropologia
Trabalho de antropologiaTrabalho de antropologia
Trabalho de antropologia
PSIFCA
 
Humanismo 1 slides 20.03.2014
Humanismo 1 slides 20.03.2014Humanismo 1 slides 20.03.2014
Humanismo 1 slides 20.03.2014
PrSergio Silva
 
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Dell Sales
 
Antropologia
Antropologia Antropologia
Antropologia
Jéssica Santana
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
19121992
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
Felipe Santos
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
Paulo Alexandre
 
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhccFilosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
NayanaEscossio
 
Revisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da FilosofiaRevisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da Filosofia
Alan
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
Felipe Santos
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
Felipe Santos
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
Felipe Santos
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
Felipe Santos
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
Felipe Santos
 
Slides de antropologia principal(1)
Slides de antropologia   principal(1)Slides de antropologia   principal(1)
Slides de antropologia principal(1)
Ivison Kauê
 

Semelhante a Apresentação de Filosofia (20)

Filosofia antiga
Filosofia antigaFilosofia antiga
Filosofia antiga
 
Heráclito, demócrito e pitágoras
Heráclito, demócrito e pitágorasHeráclito, demócrito e pitágoras
Heráclito, demócrito e pitágoras
 
1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Aula 1 fls em
Aula 1 fls emAula 1 fls em
Aula 1 fls em
 
Trabalho de antropologia
Trabalho de antropologiaTrabalho de antropologia
Trabalho de antropologia
 
Humanismo 1 slides 20.03.2014
Humanismo 1 slides 20.03.2014Humanismo 1 slides 20.03.2014
Humanismo 1 slides 20.03.2014
 
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]
 
Antropologia
Antropologia Antropologia
Antropologia
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
 
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhccFilosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
 
Revisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da FilosofiaRevisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da Filosofia
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
 
A matemática
A matemáticaA matemática
A matemática
 
Slides de antropologia principal(1)
Slides de antropologia   principal(1)Slides de antropologia   principal(1)
Slides de antropologia principal(1)
 

Último

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 

Último (20)

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 

Apresentação de Filosofia

  • 2. A filosofia Antiga é possível explicar muitas coisas sem históricos e sem fatos reais. Há algum tempo atrás a filosofia foi motivo de crítico por ser matérias de escolas, pois ela alertava as pessoas para a realidade da vida e muitos poderosos não queriam a população esperta e com isso tiraram a matéria curricular.
  • 3. A filosofia antiga se estende do século VI a.C até o século VI dC, aproximadamente. Pode ser dividida em quatro períodos: Cosmológico, antropológico, sistemático e helenístico. 1. PERÍODO COSMOLÓGICO Estende-se do século VI a.C ao final do século V aC. É marcado pela preocupação dos filósofos da época em descobrir a substância essencial de todos os seres. Esta descoberta deveria dar-se pela racionalidade, e não pelos mitos, que eram a forma comum de explicação para os fenômenos da natureza antes deste período. Os filósofos do período cosmológico tentavam responder, utilizando a razão, aos problemas da origem, da ordem e transformação da natureza e do homem, como animal que é.
  • 4. 2. PERÍODO ANTROPOLÓGICO OU CLÁSSICO Neste período os filósofos criaram uma nova temática para suas especulações: o homem. O conhecimento filosófico muda seu espaço geográfico (da Jônia para Atenas ? o centro cultural da Grécia), e daí surge a necessidade de estudar o homem e sua vida política, pois, na polis, a convivência humana precisava ser fundamentada. Participam deste período os sofistas, Sócrates e Platão. 3. PERÍODO SISTEMÁTICO Estendeu-se do final do século IV a.C ao século III a.C, com a pretensão de reunir e sistematizar o conhecimento adquirido nos períodos anteriores . O grande destaque deste período foi Aristóteles.
  • 5. 4. PERÍODO HELENÍSTICO Este período estende-se do final do século III a.C até o século VI dC. Com as conquistas de Alexandre, O Grande, da Macedônia, a cultura no mundo antigo sofreu muitas transformações. Mais tarde, a conquista da Grécia pelos romanos intensificou a derrocada política dos gregos e a decadência de suas preocupações políticas. O helenismo, para a filosofia, representa uma continuidade das escolas platônica e aristotélica, e buscou explicar a natureza e o homem, e suas relações com as divindades.
  • 7. Acredita-se que Tales teria aprendido boa parte de seus conhecimentos com egípcios e babilônios. Ele foi considerado o primeiro pensador grego, “O pai da filosofia”, buscou a construção do pensamento racional em diversos campos do conhecimento, como a astronomia e a geometria.
  • 8. Conta-se que Pitágoras sofreu perseguição política em sua terra natal, a ilha de Samos (situada na costa jônica, não distante de Mileto), sendo obrigado a exilar- se em Crotona, na Magna Grécia.
  • 9. Heráclito nasceu no seio da nobreza governante de Éfeso. Também conhecido como “o obscuro”, desenvolveu um pensamento assistemático e polêmico.
  • 11. Os diálogos deste grande mestre apresentam sob vários ângulos todos os principais problemas do pensamento ocidental, Ética, estética,política, metafísica e até mesmo uma filosofia da linguagem são vistos em sua intimidade através de ricos diálogos. Pelos sites listados conheça melhor a divisão, feita pelos acadêmicos destes diálogos e faça uma leitura guiada.
  • 12. Aristóteles ao contrário de Platão, criou uma obra sistemática e ordenada. A filosofia aristotélica cobre diversos campos do conhecimento, como a lógica, a retórica, a poética, a metafísica e as diversas ciências. No livro “ A política”, Aristoteles entende a ciência política como desdobramento de uma ética, cuja principal formulação encontra-se no livro "Ética a Nicômaco".
  • 14. Chamado Tales de Mileto, é o primeiro filósofo ocidental de que se tem notícia. Ele é o marco inicial da filosofia ocidental. De ascendência fenícia, nasceu em Mileto, antiga colônia grega, na Ásia menor, atual Turquia, por volta de 625 a.C. E faleceu aproximadamente em 547 a.C. Na época de Tales, os gregos – através da sua mitologia – consideravam os elementos da Natureza ( o Sol, a Terra, o Céu, o Oceano, as Montanhas, etc.) como forças autônomas, honrando-os como deuses, elevados pela fantasia a seres ativos, móveis, conscientes e dotados de sentimentos, vontades e desejos. Estes deuses constituíam-se na fonte e na essência de todas as coisas o universo. Tales foi um dos primeiros pensadores a discordar dessa religião vigente, cujos princípios eram ditados pela percepção que os homens captavam através de seus sentidos. O ponto de partida da teoria especulativa de Tales – como também de todos os demais filósofos da escola jônica – foi a verificação da permanente transformação das coisas umas nas outras e sua intuição básica é de que todas as coisas são uma só coisa fundamental, ou um só principio (arché). Dos escritos de Tales, nenhum deles sobreviveu até nossos dias. Suas idéias filosóficas são conhecidas graças aos trabalhos de Diógenes Laércio, Simplício e principalmente Aristóteles.
  • 18. (Teorema de Pitágoras) Considerado um dos mais importantes teoremas da Matemática, o Teorema de Pitágoras foi desenvolvido por Pitágoras de Samos, filósofo grego que viveu no séc. VI a.C., fundador da mística Escola Pitágorica. O Teorema de Pitágoras pode ser aplicado em qualquer triângulo retângulo no intuito de determinar uma das medidas quando conhecidas as outras duas. O Teorema não se restringiu somente ao triângulo retângulo, de acordo com estudos da época, eram conhecidos os números inteiros e as frações, sendo através das aplicações do Teorema iniciado o estudo dos números irracionais.
  • 19. O Teorema consistia na seguinte relação: “A medida do quadrado da hipotenusa é igual à soma das medidas dos quadrados dos catetos” A relação dos números irracionais com o Teorema de Pitágoras consiste no cálculo da medida da diagonal do quadrado, observe: Dado o quadrado ABCD com lados medindo 1 unidade, vamos determinar a sua diagonal. A diagonal divide o quadrado em dois triângulos retângulos, sendo assim, podemos notar que a diagonal do quadrado é a hipotenusa dos dois triângulos retângulos. Aplicando o Teorema de Pitágoras temos:
  • 20. Veja que √2 não possui raiz exata, com o auxílio de uma calculadora chegaremos ao seguinte resultado 1,414213562... . Esse tipo de número não era conhecido, pois depois da vírgula não formava períodos como os racionais. Essa situação colocou em dúvida a descoberta de Pitágoras por algum tempo, pois não se tinha uma explicação definida para esse tipo de numeral, contrariando toda a teoria de representar um número através de uma relação (fração). Com o passar dos séculos e a evolução da Matemática, os números irracionais foram aceitos e introduzidos nos conceitos matemáticos, tornando o Teorema de Pitágoras ferramenta imprescindível nos estudos relacionados à Geometria.
  • 21. Heráclito, inserido dentro do contexto pré- socrático, parte do princípio de que tudo é movimento, e que nada pode permanecer estático. "Panta rhei", sua "máxima", significa "tudo flui", "tudo se move", exceto o próprio movimento. Ele exemplifica, dizendo que não podemos entrar duas vezes no mesmo rio, porque, ao entrarmos pela segunda vez, não serão as mesmas águas que estarão lá, e a pessoa mesma já será diferente (de fato, a Biologia veio a descobrir muito mais tarde que nossas células estão em constante renovação, e isso é uma mudança).
  • 24. Doutrinas Filosóficas A introspecção é o característico da filosofia de Sócrates. E exprime-se no famoso lema conhece-te a ti mesmo - isto é, torna-te consciente de tua ignorância - como sendo o ápice da sabedoria, que é o desejo da ciência mediante a virtude. E alcançava em Sócrates intensidade e profundidade tais, que se concretizava, se personificava na voz interior divina do gênio ou demônio. Como é sabido, Sócrates não deixou nada escrito. As notícias que temos de sua vida e de seu pensamento, devemo-las especialmente aos seus dois discípulos Xenofonte e Platão, de feição intelectual muito diferente. Xenofonte, autor de Anábase, em seus Ditos Memoráveis, legou-nos de preferência o aspecto prático e moral da doutrina do mestre.