SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Federal de Juiz de Fora – Curso de Arquitetura e Urbanismo
Disciplina: Evolução da Arquitetura e Urbanismo II – Aluno: Steves Rocha
A cidade de Juiz de Fora, no final do
        século XIX tinha como
     características os casarões e
  palacetes de senhores do café que
 ocupavam principalmente a Av. Rio
                Branco.
Com a inauguração da Estação
Central iniciou-se um novo tempo.
 Juiz de Fora se consolidou como
 pólo de região agro-exportadora.
Assim o café escoado financiou a
        industrialização da cidade.
Devido a Estação, a parte baixa do
 centro tornou-se um efervescente
   pólo comercial e hoteleiro para
       atender aos viajantes.
Opondo-se à burguesia cafeeira e
seus palacetes na Av. Rio Branco, a
 nova cidade industrial inspirou-se
      primeiro no ecletismo e
  posteriormente no Art Déco e no
           modernismo.
Rua Halfeld, 581 – esquina com rua Batista de Oliveira
Histórico:
                          Em 1941, a prefeitura cedeu
                            licença para a construção
                            do cinema. Executado
                            pela construtora José
                            Abramo. Em 1948 o
                            cinema foi inaugurado
                            com capacidade de 1005
                            lugares.
                          O cinema foi adquirido pelo
                            BANERJ em 1985 e em
O Lince – novembro 1948     seguida foi fechado.
Histórico:




Tribuna da Tarde – 11/07/90   Tribuna da Tarde – 20/07/1990
Histórico:
                              Em 1991 o BANERJ
                               apresenta projeto para
                               transformar o cinema em
                               agência bancária.
                              Em 1992, a prefeitura
                               declara o prédio de
                               Interesse Cultural.
                              Em 1998, o cinema é
                               adquirido pelo Unibanco,
                               passando por
                               remodelações e reaberto
Tribuna da Tarde – 29/01/93
                               em 1999.
Características:
•Volumetria compacta;
•Prevalência de cheios
sobre vazios;
•Valorização do plano;
•Valorização dos
elementos geométricos;
Características:
•Painel encurvado que
corta os planos
assentados no
alinhamento das ruas
Halfeld e Batista de
Oliveira.
Rua Halfeld, 350 / 354 / 360 / 368
Características:
• Na horizontal, frisos
  em baixo relevo
  delimitam os vãos;

• As marquises em lajes
  se interrompem e se
  alteia no centro, para
  demarcar a entrada
  do edifício;
Características:
• A entrada do hotel
  recebe mármore na
  fachada e ladrilho
  hidráulico no piso;
• Fachada dividida em
  em painéis, definidos
  pela verticalidade de
  falsos pilares que
  ladeiam as janelas.
Características:
• A platibanda eleva-se
  e se recorta em linhas
  retas .
• As esquadrias são em
  madeira e vidro
  vedadas,
  externamente, por
  persianas de enrolar
  em madeira.
Rua Halfeld, 533 / 547
Características:
• Esquema compositivo
  simétrico, dividindo a
  fachada em três
  segmentos: o do meio
  é reentrante em
  relação aos laterais.
• Os volumes laterais
  se mostram
  encurvados na
  concordância com o
  central.
Características:
• Desde o pavimento
  térreo até a platibanda
  o painel curvo que
  une os volumes
  laterais ao central
  recebe caneluras.
• A platibanda possui
  dimensões
  avantajadas e
  desenho marcado
  pelo geometrismo,
Planta baixa – 1º pavimento
Projeto de Raphael Arcuri




Planta baixa – 2º pavimento
Rua Marechal Deodoro, 250
Características:
• A assimetria é marcante;
• Volume chanfrando em um
  dos lados;
• O volume recuado
  recuado é protegido por
  uma laje plana e um
  guarda-corpo em alvenaria
• A ornamentação da
  fachada se resume em
  frisos ressaltados
  trabalhados na alta
  platibanda
Rua Halfeld, 284
Características:
• A geometria da fachada
  é caracterizada pela
  simetria e marcada
  pelos frisos verticais e
  horizontais que recortam
  a platibanda.
• Fachada dividida em 3
  segmentos: os laterais
  avançam sobre o
  alinhamento e o central
  é recuado preenchido
  por balcões
  balanceados.
Características:
• Nos segmentos laterais
  duas janelas estão
  presentes e unidas por
  um peitoril único.
• Os balcões
  apresentam ferro
  trabalhado em curvas
  retas e laje com cantos
  arredondados.
Rua Halfeld, 213
Características:
• Do centro para as
  laterais tem-se uma
  janela rasgada
  guarnicida por balcão.
• balcão semi-curvado
  em alvenaria,
  arrematado por gradil
  em ferro tubular e
  protegido ao alto por
  pequena laje
Características:
• A platibanda se destaca
  com decoração em
  pequenas faixas verticais.

• O módulo das
  extremidades laterais é
  vazado por janela
  ornamentada por faixas
  verticais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ARTE BRASILEIRA
ARTE BRASILEIRAARTE BRASILEIRA
5. a urbanização medieval
5. a urbanização medieval5. a urbanização medieval
5. a urbanização medieval
Ana Cunha
 
EHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaEHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte Urbana
Odair Tuono
 
modulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdf
modulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdfmodulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdf
modulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdf
Tânia Marques André
 
Ficha de trabalho cultura do salão
Ficha de trabalho  cultura do salãoFicha de trabalho  cultura do salão
Ficha de trabalho cultura do salão
Carla Teixeira
 
O mosaico
O mosaicoO mosaico
O mosaico
Michele Wilbert
 
arte no século XVIII e XIX
arte no século XVIII e XIXarte no século XVIII e XIX
arte no século XVIII e XIX
Alcir Costa
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
Ana Barreiros
 
Surto urbano 2
Surto urbano 2Surto urbano 2
Surto urbano 2
Carla Teixeira
 
ARTE GÓTICA
ARTE GÓTICA ARTE GÓTICA
ARTE GÓTICA
crisseibt
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ana Barreiros
 
A Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De InvasõesA Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De Invasões
Isidro Santos
 
Modelo Romano_Educação
Modelo Romano_EducaçãoModelo Romano_Educação
Modelo Romano_Educação
Pedro Carvalho
 
4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal
Ana Barreiros
 
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
Carla Freitas
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Carlos Vieira
 
Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»
Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»
Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»
Carlos Ferreira
 
05 europa para o mundo
05 europa para o mundo05 europa para o mundo
05 europa para o mundo
Vítor Santos
 
Reforma protestante um resumo dos principais movimentos
Reforma protestante   um resumo dos principais movimentosReforma protestante   um resumo dos principais movimentos
Reforma protestante um resumo dos principais movimentos
Carlos132Silva
 
Criação publicitária - As raízes do design gráfico - Dickson
Criação publicitária - As raízes do design gráfico - DicksonCriação publicitária - As raízes do design gráfico - Dickson
Criação publicitária - As raízes do design gráfico - Dickson
Fernando Souza
 

Mais procurados (20)

ARTE BRASILEIRA
ARTE BRASILEIRAARTE BRASILEIRA
ARTE BRASILEIRA
 
5. a urbanização medieval
5. a urbanização medieval5. a urbanização medieval
5. a urbanização medieval
 
EHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaEHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte Urbana
 
modulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdf
modulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdfmodulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdf
modulo-3-abertura-europeia-ao-mundo.pdf
 
Ficha de trabalho cultura do salão
Ficha de trabalho  cultura do salãoFicha de trabalho  cultura do salão
Ficha de trabalho cultura do salão
 
O mosaico
O mosaicoO mosaico
O mosaico
 
arte no século XVIII e XIX
arte no século XVIII e XIXarte no século XVIII e XIX
arte no século XVIII e XIX
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
Surto urbano 2
Surto urbano 2Surto urbano 2
Surto urbano 2
 
ARTE GÓTICA
ARTE GÓTICA ARTE GÓTICA
ARTE GÓTICA
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
 
A Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De InvasõesA Segunda Vaga De Invasões
A Segunda Vaga De Invasões
 
Modelo Romano_Educação
Modelo Romano_EducaçãoModelo Romano_Educação
Modelo Romano_Educação
 
4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal
 
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»
Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»
Matriz de Exame – HCA - Módulo 6: «A cultura do Palco»
 
05 europa para o mundo
05 europa para o mundo05 europa para o mundo
05 europa para o mundo
 
Reforma protestante um resumo dos principais movimentos
Reforma protestante   um resumo dos principais movimentosReforma protestante   um resumo dos principais movimentos
Reforma protestante um resumo dos principais movimentos
 
Criação publicitária - As raízes do design gráfico - Dickson
Criação publicitária - As raízes do design gráfico - DicksonCriação publicitária - As raízes do design gráfico - Dickson
Criação publicitária - As raízes do design gráfico - Dickson
 

Destaque

Ellen
EllenEllen
Seminário final de patrimônio II
Seminário final de patrimônio IISeminário final de patrimônio II
Seminário final de patrimônio II
Steves Rocha
 
Art Déco
Art DécoArt Déco
Art Déco
Daniela Fiuza
 
Top 5 Rio de Janeiro!
Top 5 Rio de Janeiro!Top 5 Rio de Janeiro!
Top 5 Rio de Janeiro!
Guia Do Brasil
 
Atividade aula 13 18 10 2014
Atividade aula 13   18 10 2014Atividade aula 13   18 10 2014
Atividade aula 13 18 10 2014
Elielso Dias
 
Art decó
Art decóArt decó
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Lu Rebordosa
 
Aula 13
Aula 13Aula 13
Aula 13
Elielso Dias
 
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art decoAula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Leonardo Borges
 
Art DéCo
Art DéCoArt DéCo
Art DéCo
De Graffi
 
Art Decó
Art DecóArt Decó
Art Decó
David Numeritos
 
Art Deco
Art DecoArt Deco
Arte deco
Arte decoArte deco
Arte deco
Oscar Cantaro
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Michele Pó
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
Sofia Andrade
 
A arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xxA arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xx
Ana Barreiros
 
Silabo de auditoria informatica
Silabo de auditoria  informaticaSilabo de auditoria  informatica
Silabo de auditoria informatica
Jose Luis Erazo Parra
 

Destaque (18)

Ellen
EllenEllen
Ellen
 
Seminário final de patrimônio II
Seminário final de patrimônio IISeminário final de patrimônio II
Seminário final de patrimônio II
 
Art Déco
Art DécoArt Déco
Art Déco
 
2013 хцү 02
2013 хцү 022013 хцү 02
2013 хцү 02
 
Top 5 Rio de Janeiro!
Top 5 Rio de Janeiro!Top 5 Rio de Janeiro!
Top 5 Rio de Janeiro!
 
Atividade aula 13 18 10 2014
Atividade aula 13   18 10 2014Atividade aula 13   18 10 2014
Atividade aula 13 18 10 2014
 
Art decó
Art decóArt decó
Art decó
 
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
 
Aula 13
Aula 13Aula 13
Aula 13
 
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art decoAula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
 
Art DéCo
Art DéCoArt DéCo
Art DéCo
 
Art Decó
Art DecóArt Decó
Art Decó
 
Art Deco
Art DecoArt Deco
Art Deco
 
Arte deco
Arte decoArte deco
Arte deco
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
 
A arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xxA arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xx
 
Silabo de auditoria informatica
Silabo de auditoria  informaticaSilabo de auditoria  informatica
Silabo de auditoria informatica
 

Semelhante a Apresentação art deco em juiz de fora

Arquitetura
ArquiteturaArquitetura
URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico
URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico
URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico
Fernando de Sá
 
Urbanismo e Mobilidade - Monumentos Portugueses
Urbanismo e Mobilidade - Monumentos PortuguesesUrbanismo e Mobilidade - Monumentos Portugueses
Urbanismo e Mobilidade - Monumentos Portugueses
Fernando de Sá
 
vila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdf
vila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdfvila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdf
vila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdf
Monica Lopes
 
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São PauloEdifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Bianca Klamt
 
Cinelândia
CinelândiaCinelândia
História da cidade e dos monumentos portuenses mercado do Bom Sucesso Profes...
História da cidade e dos monumentos portuenses  mercado do Bom Sucesso Profes...História da cidade e dos monumentos portuenses  mercado do Bom Sucesso Profes...
História da cidade e dos monumentos portuenses mercado do Bom Sucesso Profes...
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Casarão 1919
Casarão 1919Casarão 1919
Casarão 1919
Carolina Suzuki
 
3º Apresentação TFG*
3º Apresentação TFG* 3º Apresentação TFG*
3º Apresentação TFG*
CARLA RAISSA
 
O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)
O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)
O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)
Gésica Tarnoski
 
Metrô 3
Metrô 3Metrô 3
Arquitetura Eclética
Arquitetura EcléticaArquitetura Eclética
Arquitetura Eclética
Lídia Ganhito
 
As ruínas de mirobriga
As ruínas de mirobrigaAs ruínas de mirobriga
As ruínas de mirobriga
Cátia Borges
 
Cine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault - Zona Sul, SP
Cine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault  -  Zona Sul, SPCine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault  -  Zona Sul, SP
Cine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault - Zona Sul, SP
Juliana Carvalho
 
Museus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rioMuseus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rio
Ed de Souza
 
Campo Pequeno
Campo PequenoCampo Pequeno
Campo Pequeno
hcaslides
 
Muna
MunaMuna
Arquitetura do Ferro
Arquitetura do FerroArquitetura do Ferro
Arquitetura do Ferro
Marcia Rodrigues
 
Os 10 mais belos cafés do mundo
Os 10 mais belos cafés do mundoOs 10 mais belos cafés do mundo
Os 10 mais belos cafés do mundo
Agostinho.Gouveia
 
Belos cafés, pelo mundo
Belos cafés, pelo mundoBelos cafés, pelo mundo
Belos cafés, pelo mundo
Serginho Sucesso
 

Semelhante a Apresentação art deco em juiz de fora (20)

Arquitetura
ArquiteturaArquitetura
Arquitetura
 
URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico
URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico
URBANISMO E MOBILIDADE - MONUMENTOS PORTUGUESES Estilo Neoclássico
 
Urbanismo e Mobilidade - Monumentos Portugueses
Urbanismo e Mobilidade - Monumentos PortuguesesUrbanismo e Mobilidade - Monumentos Portugueses
Urbanismo e Mobilidade - Monumentos Portugueses
 
vila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdf
vila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdfvila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdf
vila_economizadora_cartilha_ultima_2013_05_29.pdf
 
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São PauloEdifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
 
Cinelândia
CinelândiaCinelândia
Cinelândia
 
História da cidade e dos monumentos portuenses mercado do Bom Sucesso Profes...
História da cidade e dos monumentos portuenses  mercado do Bom Sucesso Profes...História da cidade e dos monumentos portuenses  mercado do Bom Sucesso Profes...
História da cidade e dos monumentos portuenses mercado do Bom Sucesso Profes...
 
Casarão 1919
Casarão 1919Casarão 1919
Casarão 1919
 
3º Apresentação TFG*
3º Apresentação TFG* 3º Apresentação TFG*
3º Apresentação TFG*
 
O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)
O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)
O Teatro Erótides de Campos e a Carta de Veneza (1964)
 
Metrô 3
Metrô 3Metrô 3
Metrô 3
 
Arquitetura Eclética
Arquitetura EcléticaArquitetura Eclética
Arquitetura Eclética
 
As ruínas de mirobriga
As ruínas de mirobrigaAs ruínas de mirobriga
As ruínas de mirobriga
 
Cine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault - Zona Sul, SP
Cine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault  -  Zona Sul, SPCine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault  -  Zona Sul, SP
Cine Paramount | Teatro Abril | Teatro Renault - Zona Sul, SP
 
Museus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rioMuseus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rio
 
Campo Pequeno
Campo PequenoCampo Pequeno
Campo Pequeno
 
Muna
MunaMuna
Muna
 
Arquitetura do Ferro
Arquitetura do FerroArquitetura do Ferro
Arquitetura do Ferro
 
Os 10 mais belos cafés do mundo
Os 10 mais belos cafés do mundoOs 10 mais belos cafés do mundo
Os 10 mais belos cafés do mundo
 
Belos cafés, pelo mundo
Belos cafés, pelo mundoBelos cafés, pelo mundo
Belos cafés, pelo mundo
 

Mais de Steves Rocha

Carta de washington eulices fabricio-marina-steves
Carta de washington eulices fabricio-marina-stevesCarta de washington eulices fabricio-marina-steves
Carta de washington eulices fabricio-marina-steves
Steves Rocha
 
Análise de uma residência zona bioclimatica 01
Análise de uma residência zona bioclimatica 01Análise de uma residência zona bioclimatica 01
Análise de uma residência zona bioclimatica 01
Steves Rocha
 
Camillo sitte e a praça da estação
Camillo sitte e a praça da estaçãoCamillo sitte e a praça da estação
Camillo sitte e a praça da estação
Steves Rocha
 
Grupo 6 eulices,fabricio sacramento, steves e thais.
Grupo 6   eulices,fabricio sacramento, steves e thais.Grupo 6   eulices,fabricio sacramento, steves e thais.
Grupo 6 eulices,fabricio sacramento, steves e thais.
Steves Rocha
 
O parque e a arquitetura
O parque e a arquiteturaO parque e a arquitetura
O parque e a arquitetura
Steves Rocha
 
Análise de dois conjuntos residenciais
Análise de dois conjuntos residenciaisAnálise de dois conjuntos residenciais
Análise de dois conjuntos residenciais
Steves Rocha
 
Apresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnosticoApresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnostico
Steves Rocha
 
Porto maravilha
Porto maravilhaPorto maravilha
Porto maravilha
Steves Rocha
 
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helenaConjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Steves Rocha
 

Mais de Steves Rocha (9)

Carta de washington eulices fabricio-marina-steves
Carta de washington eulices fabricio-marina-stevesCarta de washington eulices fabricio-marina-steves
Carta de washington eulices fabricio-marina-steves
 
Análise de uma residência zona bioclimatica 01
Análise de uma residência zona bioclimatica 01Análise de uma residência zona bioclimatica 01
Análise de uma residência zona bioclimatica 01
 
Camillo sitte e a praça da estação
Camillo sitte e a praça da estaçãoCamillo sitte e a praça da estação
Camillo sitte e a praça da estação
 
Grupo 6 eulices,fabricio sacramento, steves e thais.
Grupo 6   eulices,fabricio sacramento, steves e thais.Grupo 6   eulices,fabricio sacramento, steves e thais.
Grupo 6 eulices,fabricio sacramento, steves e thais.
 
O parque e a arquitetura
O parque e a arquiteturaO parque e a arquitetura
O parque e a arquitetura
 
Análise de dois conjuntos residenciais
Análise de dois conjuntos residenciaisAnálise de dois conjuntos residenciais
Análise de dois conjuntos residenciais
 
Apresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnosticoApresentaçao diagnostico
Apresentaçao diagnostico
 
Porto maravilha
Porto maravilhaPorto maravilha
Porto maravilha
 
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helenaConjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
 

Apresentação art deco em juiz de fora

  • 1. Universidade Federal de Juiz de Fora – Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Evolução da Arquitetura e Urbanismo II – Aluno: Steves Rocha
  • 2. A cidade de Juiz de Fora, no final do século XIX tinha como características os casarões e palacetes de senhores do café que ocupavam principalmente a Av. Rio Branco.
  • 3. Com a inauguração da Estação Central iniciou-se um novo tempo. Juiz de Fora se consolidou como pólo de região agro-exportadora. Assim o café escoado financiou a industrialização da cidade.
  • 4. Devido a Estação, a parte baixa do centro tornou-se um efervescente pólo comercial e hoteleiro para atender aos viajantes. Opondo-se à burguesia cafeeira e seus palacetes na Av. Rio Branco, a nova cidade industrial inspirou-se primeiro no ecletismo e posteriormente no Art Déco e no modernismo.
  • 5. Rua Halfeld, 581 – esquina com rua Batista de Oliveira
  • 6. Histórico: Em 1941, a prefeitura cedeu licença para a construção do cinema. Executado pela construtora José Abramo. Em 1948 o cinema foi inaugurado com capacidade de 1005 lugares. O cinema foi adquirido pelo BANERJ em 1985 e em O Lince – novembro 1948 seguida foi fechado.
  • 7. Histórico: Tribuna da Tarde – 11/07/90 Tribuna da Tarde – 20/07/1990
  • 8. Histórico: Em 1991 o BANERJ apresenta projeto para transformar o cinema em agência bancária. Em 1992, a prefeitura declara o prédio de Interesse Cultural. Em 1998, o cinema é adquirido pelo Unibanco, passando por remodelações e reaberto Tribuna da Tarde – 29/01/93 em 1999.
  • 9. Características: •Volumetria compacta; •Prevalência de cheios sobre vazios; •Valorização do plano; •Valorização dos elementos geométricos;
  • 10. Características: •Painel encurvado que corta os planos assentados no alinhamento das ruas Halfeld e Batista de Oliveira.
  • 11. Rua Halfeld, 350 / 354 / 360 / 368
  • 12. Características: • Na horizontal, frisos em baixo relevo delimitam os vãos; • As marquises em lajes se interrompem e se alteia no centro, para demarcar a entrada do edifício;
  • 13. Características: • A entrada do hotel recebe mármore na fachada e ladrilho hidráulico no piso; • Fachada dividida em em painéis, definidos pela verticalidade de falsos pilares que ladeiam as janelas.
  • 14. Características: • A platibanda eleva-se e se recorta em linhas retas . • As esquadrias são em madeira e vidro vedadas, externamente, por persianas de enrolar em madeira.
  • 16. Características: • Esquema compositivo simétrico, dividindo a fachada em três segmentos: o do meio é reentrante em relação aos laterais. • Os volumes laterais se mostram encurvados na concordância com o central.
  • 17. Características: • Desde o pavimento térreo até a platibanda o painel curvo que une os volumes laterais ao central recebe caneluras. • A platibanda possui dimensões avantajadas e desenho marcado pelo geometrismo,
  • 18. Planta baixa – 1º pavimento
  • 19. Projeto de Raphael Arcuri Planta baixa – 2º pavimento
  • 21. Características: • A assimetria é marcante; • Volume chanfrando em um dos lados; • O volume recuado recuado é protegido por uma laje plana e um guarda-corpo em alvenaria • A ornamentação da fachada se resume em frisos ressaltados trabalhados na alta platibanda
  • 23. Características: • A geometria da fachada é caracterizada pela simetria e marcada pelos frisos verticais e horizontais que recortam a platibanda. • Fachada dividida em 3 segmentos: os laterais avançam sobre o alinhamento e o central é recuado preenchido por balcões balanceados.
  • 24. Características: • Nos segmentos laterais duas janelas estão presentes e unidas por um peitoril único. • Os balcões apresentam ferro trabalhado em curvas retas e laje com cantos arredondados.
  • 26. Características: • Do centro para as laterais tem-se uma janela rasgada guarnicida por balcão. • balcão semi-curvado em alvenaria, arrematado por gradil em ferro tubular e protegido ao alto por pequena laje
  • 27. Características: • A platibanda se destaca com decoração em pequenas faixas verticais. • O módulo das extremidades laterais é vazado por janela ornamentada por faixas verticais.