SlideShare uma empresa Scribd logo
Profª Drª Patrícia A. Behar – PPGIE Msc. Eliane Kiss de Souza – PPGIE Mestranda. Camila G. G. Góes – PPGEDU Mestranda.  Edilma Machado de Lima - PPGEDU A importância da acessibilidade digital na construção de objetos de aprendizagem
A acessibilidade  é uma das reivindicações dos movimentos das pessoas com deficiência. DÉCADA DE 80  - eliminação de barreiras arquitetônicas para pessoas com deficiênca  e discussão em torno da eliminação de barreiras atitudinais (preconceitos). DÉCADA DE 90  - eliminação de barreiras de comunicação e transporte, contemplando outras deficiências além das limitações motoras. Uso junto ao termo acessibilidade o termo desenho universal (não eliminar obstáculos, mas garantir o acesso).
Conceito de acessibilidade Decreto-lei 5296 de 2 de dezembro de 2004.  ,[object Object],[object Object],[object Object]
Acessibilidade não significa apenas permitir que pessoas com deficiências participem de atividades que incluem o uso de produtos, serviços e informação, mas a inclusão e extensão do uso destes por todas as parcelas presentes em uma determinada população. Em informática, programas que provêm acessibilidade são ferramentas ou conjuntos de ferramentas que permitem que portadores de deficiências (as mais variadas) se utilizem dos recursos que o computador oferece.
A acessibilidade na WEB se refere a permissão ao acesso à WEB por todos, independente de tipo de usuário, situação ou ferramenta. É criar ou tornar as ferramentas e páginas WEB acessíveis a um maior número de usuários, inclusive pessoas com deficiências, beneficiando também pessoas idosas, usuários de navegadores alternativos, usuários de Tecnologia Assistiva e de acesso móvel. Na Internet o termo acessibilidade refere-se também a recomendações do W3C, que visam permitir que todos possam ter acesso aos websites, independente de terem alguma deficiência ou não.
A construção do objeto nasceu da proposta de uma disciplina do PPGIE da UFRGS, no primeiro semestre de 2008 e tinha como foco o desenvolvimento de objetos de aprendizagem com a finalidade de serem ministrados em forma de oficinas. Diante da construção de objetos de aprendizagem, ou qualquer outro material para meios eletrônicos, é possível proporcionar a democratização da informação e a garantia do pleno exercício da cidadania e a integração social dos cidadãos com alguma limitação ou com necessidades especiais.
O objeto de aprendizagem foi construído a partir de três etapas : concepção, planificação e implementação . Na  Concepção  foram definidas as linhas mestras do objeto, público-alvo, as concepções teóricas/práticas, entre outros aspectos. Na  Planificação  foi desenvolvido o storyboard (design/navegação do objeto), mais conhecido como mapa conceitual.
Neste roteiro foram definidos os objetivos, estratégias metodológicas, avaliação, público alvo, a forma como se desenvolveriam os encontros, recursos a serem utilizados, entre outros componentes. Na  Implementação , a opção foi pelo programa Front Page e o estilo CSS, por se entender que, ao propor o tema acessibilidade, o objeto deveria estar condizente com essa filosofia, ou seja, ser acessível a todos.
Construção de um objeto de aprendizagem acessível :  storyboard
O objeto foi idealizado dentro do tema acessibilidade digital, contemplando também as Tecnologias Assistivas, o LIBRAS e Braille, duas formas de comunicação usadas por pessoas com necessidades especiais.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CONSIDERAÇÕES FINAIS ,[object Object],[object Object]
[object Object],Na construção de objetos de aprendizagem é preciso levar em conta  que o acesso a meios e materiais digitais é um direito de todos.
Os conhecimentos sobre conceitos, as conquistas já alcançadas na forma de legislação, as barreiras encontradas pelas pessoas com necessidades especiais, os padrões estabelecidos pelo W3C e as especificações do CSS se tornam indispensáveis a construção de objetos de aprendizagem.
CONTATO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Necessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiaisNecessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiais
Anaí Peña
 
Slides sobre tecnologia assistiva acessibilidade
Slides sobre tecnologia assistiva acessibilidadeSlides sobre tecnologia assistiva acessibilidade
Slides sobre tecnologia assistiva acessibilidade
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Autismo e inclusão na educação infantil
Autismo e inclusão na educação infantilAutismo e inclusão na educação infantil
Autismo e inclusão na educação infantil
Rosane Domingues
 
Slide Autismo
Slide   AutismoSlide   Autismo
Slide Autismo
UNIME
 
Tdah slide
Tdah   slideTdah   slide
Tdah slide
UNIME
 
Slides sobre TDAH
Slides sobre TDAHSlides sobre TDAH
Slides sobre TDAH
Instituto Consciência GO
 
Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1
Daniel Rodrigues de Lima
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
Lenita Martins
 
Deficiências
DeficiênciasDeficiências
Deficiências
fernandapinho2014
 
TDAH para Educadores
TDAH para EducadoresTDAH para Educadores
TDAH para Educadores
Fabricio Batistoni
 
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGDTRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
Emanoele freitas
 
Deficiência auditiva
Deficiência auditivaDeficiência auditiva
Deficiência auditiva
Tássia Oliveira
 
Tecnologias Assistivas: Conceitos e Possibilidades
Tecnologias Assistivas: Conceitos e PossibilidadesTecnologias Assistivas: Conceitos e Possibilidades
Tecnologias Assistivas: Conceitos e Possibilidades
Soraia Prietch
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
Eunice Palma
 
Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz
Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueirozSídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz
Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Deficiência intelectual
Deficiência intelectualDeficiência intelectual
Deficiência intelectual
Joemille Leal
 
Transtornos da aprendizagem ufop
Transtornos da aprendizagem   ufopTranstornos da aprendizagem   ufop
Transtornos da aprendizagem ufop
Alessandra Paranhos (CEMI)
 
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiploSlides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Compede
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
Deisiane Cazaroto
 

Mais procurados (20)

Necessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiaisNecessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiais
 
Slides sobre tecnologia assistiva acessibilidade
Slides sobre tecnologia assistiva acessibilidadeSlides sobre tecnologia assistiva acessibilidade
Slides sobre tecnologia assistiva acessibilidade
 
Autismo e inclusão na educação infantil
Autismo e inclusão na educação infantilAutismo e inclusão na educação infantil
Autismo e inclusão na educação infantil
 
Slide Autismo
Slide   AutismoSlide   Autismo
Slide Autismo
 
Tdah slide
Tdah   slideTdah   slide
Tdah slide
 
Slides sobre TDAH
Slides sobre TDAHSlides sobre TDAH
Slides sobre TDAH
 
Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
 
Deficiências
DeficiênciasDeficiências
Deficiências
 
TDAH para Educadores
TDAH para EducadoresTDAH para Educadores
TDAH para Educadores
 
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGDTRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO - TGD
 
Deficiência auditiva
Deficiência auditivaDeficiência auditiva
Deficiência auditiva
 
Tecnologias Assistivas: Conceitos e Possibilidades
Tecnologias Assistivas: Conceitos e PossibilidadesTecnologias Assistivas: Conceitos e Possibilidades
Tecnologias Assistivas: Conceitos e Possibilidades
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz
Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueirozSídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz
Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz
 
Deficiência intelectual
Deficiência intelectualDeficiência intelectual
Deficiência intelectual
 
Transtornos da aprendizagem ufop
Transtornos da aprendizagem   ufopTranstornos da aprendizagem   ufop
Transtornos da aprendizagem ufop
 
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiploSlides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
 

Destaque

Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
Thais Benicio
 
05 NBR 9050 - Acessibilidade
05 NBR 9050 - Acessibilidade05 NBR 9050 - Acessibilidade
05 NBR 9050 - Acessibilidade
estúdioSANZ
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
aiadufmg
 
Acessibilidade com Desenho Universal
Acessibilidade com Desenho UniversalAcessibilidade com Desenho Universal
Acessibilidade com Desenho Universal
Scott Rains
 
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todosGuia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
Jaime Ribeiro
 
Dicas de acessibilidade
Dicas de acessibilidadeDicas de acessibilidade
Dicas de acessibilidade
AIT5cre
 
Casa Acessível
Casa AcessívelCasa Acessível
Casa Acessível
Jordana Souza
 
Cartilha acessibilidade 2007_cidade_cidada
Cartilha acessibilidade 2007_cidade_cidadaCartilha acessibilidade 2007_cidade_cidada
Cartilha acessibilidade 2007_cidade_cidada
Felipe Gerônimo Coco
 
Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho
Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalhoInclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho
Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho
Ariovaldo Vieira da Silva
 
Mobilidade e Acessibilidade Urbana
Mobilidade e Acessibilidade UrbanaMobilidade e Acessibilidade Urbana
Mobilidade e Acessibilidade Urbana
Milton R. Almeida
 
Seminário Final
Seminário FinalSeminário Final
Seminário Final
Lucas Augusto Carvalho
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
Flávio Araújo
 
Manual acessibilidade
Manual acessibilidadeManual acessibilidade
Manual acessibilidade
Andrew Cass
 
Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?
Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?
Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?
monica m fernandes
 
Guia de acessibilidade de Brasília
Guia de acessibilidade de BrasíliaGuia de acessibilidade de Brasília
Guia de acessibilidade de Brasília
Fábio Grando
 
Acessibilidade e Tecnologias Assistivas
Acessibilidade e Tecnologias AssistivasAcessibilidade e Tecnologias Assistivas
Acessibilidade e Tecnologias Assistivas
Lisandro Rogério Modesto
 
Guia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento Urbano
Guia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento UrbanoGuia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento Urbano
Guia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento Urbano
Scott Rains
 
Apresentação Projeto Acessibilidade
Apresentação Projeto AcessibilidadeApresentação Projeto Acessibilidade
Apresentação Projeto Acessibilidade
Wellington Wagner Ferreira Sarmento
 
Tcc acessibilidade
Tcc acessibilidadeTcc acessibilidade
Tcc acessibilidade
Universitur Empresa Júnior
 
ACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTES
ACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTESACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTES
ACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTES
Maria Olma
 

Destaque (20)

Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
 
05 NBR 9050 - Acessibilidade
05 NBR 9050 - Acessibilidade05 NBR 9050 - Acessibilidade
05 NBR 9050 - Acessibilidade
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
 
Acessibilidade com Desenho Universal
Acessibilidade com Desenho UniversalAcessibilidade com Desenho Universal
Acessibilidade com Desenho Universal
 
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todosGuia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
 
Dicas de acessibilidade
Dicas de acessibilidadeDicas de acessibilidade
Dicas de acessibilidade
 
Casa Acessível
Casa AcessívelCasa Acessível
Casa Acessível
 
Cartilha acessibilidade 2007_cidade_cidada
Cartilha acessibilidade 2007_cidade_cidadaCartilha acessibilidade 2007_cidade_cidada
Cartilha acessibilidade 2007_cidade_cidada
 
Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho
Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalhoInclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho
Inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho
 
Mobilidade e Acessibilidade Urbana
Mobilidade e Acessibilidade UrbanaMobilidade e Acessibilidade Urbana
Mobilidade e Acessibilidade Urbana
 
Seminário Final
Seminário FinalSeminário Final
Seminário Final
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
 
Manual acessibilidade
Manual acessibilidadeManual acessibilidade
Manual acessibilidade
 
Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?
Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?
Acessibilidade 2.0 = usabilidade = design universal?
 
Guia de acessibilidade de Brasília
Guia de acessibilidade de BrasíliaGuia de acessibilidade de Brasília
Guia de acessibilidade de Brasília
 
Acessibilidade e Tecnologias Assistivas
Acessibilidade e Tecnologias AssistivasAcessibilidade e Tecnologias Assistivas
Acessibilidade e Tecnologias Assistivas
 
Guia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento Urbano
Guia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento UrbanoGuia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento Urbano
Guia Operacional de Acessibilidade para Projetos de Desenvolvimento Urbano
 
Apresentação Projeto Acessibilidade
Apresentação Projeto AcessibilidadeApresentação Projeto Acessibilidade
Apresentação Projeto Acessibilidade
 
Tcc acessibilidade
Tcc acessibilidadeTcc acessibilidade
Tcc acessibilidade
 
ACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTES
ACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTESACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTES
ACESSIBILIDADE PARA DEFICIENTES
 

Semelhante a ApresentaçãO Acessibilidade

Acessibilidade digital
Acessibilidade digitalAcessibilidade digital
Acessibilidade digital
lenamiranda
 
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024
andrielisravera
 
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024
andrielisravera
 
Sobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela CarlottoSobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela Carlotto
CursoTICs
 
Design Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVA
Design Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVADesign Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVA
Design Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVA
Juliana Lisboa
 
Weihc2015 claudiabordinrodrigues
Weihc2015 claudiabordinrodriguesWeihc2015 claudiabordinrodrigues
Weihc2015 claudiabordinrodrigues
Claudia Bordin Rodrigues
 
Acessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SP
Acessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SPAcessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SP
Acessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SP
Lucas J Silva
 
Formação Guia de Inclusão.pptx
Formação Guia de Inclusão.pptxFormação Guia de Inclusão.pptx
Formação Guia de Inclusão.pptx
Juliana Martins Vieira Oliveira
 
Acessibilidade em CSS - ABC Dev
Acessibilidade em CSS - ABC DevAcessibilidade em CSS - ABC Dev
Acessibilidade em CSS - ABC Dev
Lucas J Silva
 
Web acessível
Web acessívelWeb acessível
Web acessível
Mailson Queiroz
 
Design Universal
Design UniversalDesign Universal
Design Universal
aiadufmg
 
Design Universal.
Design Universal.Design Universal.
Ai ad aula 1_parte2
Ai ad aula 1_parte2Ai ad aula 1_parte2
Ai ad aula 1_parte2
aiadufmg
 
ACESSIBILIDADE E RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS: desenvolvimento de uma plata...
ACESSIBILIDADE E  RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS:  desenvolvimento de uma plata...ACESSIBILIDADE E  RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS:  desenvolvimento de uma plata...
ACESSIBILIDADE E RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS: desenvolvimento de uma plata...
Guilherme Hinkelmann
 
E.A.D. Educação à Distância
E.A.D. Educação à DistânciaE.A.D. Educação à Distância
E.A.D. Educação à Distância
Sabrina Monteiro
 
Educação Aberta e a Distância.pptx
Educação Aberta e a Distância.pptxEducação Aberta e a Distância.pptx
Educação Aberta e a Distância.pptx
JooGonalves502088
 
Acessibilidade para quem? Slides para aula
Acessibilidade para quem? Slides para aulaAcessibilidade para quem? Slides para aula
Acessibilidade para quem? Slides para aula
Lino Délcio
 
Web 2.0
Web 2.0Web 2.0
Acessibilidade em Sistemas Web para Deficientes Visuais
Acessibilidade em Sistemas Web para Deficientes VisuaisAcessibilidade em Sistemas Web para Deficientes Visuais
Acessibilidade em Sistemas Web para Deficientes Visuais
Logan Web
 
Tecnologias assistivas
Tecnologias assistivasTecnologias assistivas
Tecnologias assistivas
polianamilhomem
 

Semelhante a ApresentaçãO Acessibilidade (20)

Acessibilidade digital
Acessibilidade digitalAcessibilidade digital
Acessibilidade digital
 
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf2024
 
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024
Fluxograma sobre Acessibilização.pdf 024
 
Sobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela CarlottoSobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela Carlotto
 
Design Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVA
Design Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVADesign Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVA
Design Didático, interfaces, imagens e acessibilidade em AVA
 
Weihc2015 claudiabordinrodrigues
Weihc2015 claudiabordinrodriguesWeihc2015 claudiabordinrodrigues
Weihc2015 claudiabordinrodrigues
 
Acessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SP
Acessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SPAcessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SP
Acessibilidade no design e desenvolvimento web - Meetup Front-End SP
 
Formação Guia de Inclusão.pptx
Formação Guia de Inclusão.pptxFormação Guia de Inclusão.pptx
Formação Guia de Inclusão.pptx
 
Acessibilidade em CSS - ABC Dev
Acessibilidade em CSS - ABC DevAcessibilidade em CSS - ABC Dev
Acessibilidade em CSS - ABC Dev
 
Web acessível
Web acessívelWeb acessível
Web acessível
 
Design Universal
Design UniversalDesign Universal
Design Universal
 
Design Universal.
Design Universal.Design Universal.
Design Universal.
 
Ai ad aula 1_parte2
Ai ad aula 1_parte2Ai ad aula 1_parte2
Ai ad aula 1_parte2
 
ACESSIBILIDADE E RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS: desenvolvimento de uma plata...
ACESSIBILIDADE E  RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS:  desenvolvimento de uma plata...ACESSIBILIDADE E  RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS:  desenvolvimento de uma plata...
ACESSIBILIDADE E RESPONSIVIDADE EM VIDEOAULAS: desenvolvimento de uma plata...
 
E.A.D. Educação à Distância
E.A.D. Educação à DistânciaE.A.D. Educação à Distância
E.A.D. Educação à Distância
 
Educação Aberta e a Distância.pptx
Educação Aberta e a Distância.pptxEducação Aberta e a Distância.pptx
Educação Aberta e a Distância.pptx
 
Acessibilidade para quem? Slides para aula
Acessibilidade para quem? Slides para aulaAcessibilidade para quem? Slides para aula
Acessibilidade para quem? Slides para aula
 
Web 2.0
Web 2.0Web 2.0
Web 2.0
 
Acessibilidade em Sistemas Web para Deficientes Visuais
Acessibilidade em Sistemas Web para Deficientes VisuaisAcessibilidade em Sistemas Web para Deficientes Visuais
Acessibilidade em Sistemas Web para Deficientes Visuais
 
Tecnologias assistivas
Tecnologias assistivasTecnologias assistivas
Tecnologias assistivas
 

Último

UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 

ApresentaçãO Acessibilidade

  • 1. Profª Drª Patrícia A. Behar – PPGIE Msc. Eliane Kiss de Souza – PPGIE Mestranda. Camila G. G. Góes – PPGEDU Mestranda. Edilma Machado de Lima - PPGEDU A importância da acessibilidade digital na construção de objetos de aprendizagem
  • 2. A acessibilidade é uma das reivindicações dos movimentos das pessoas com deficiência. DÉCADA DE 80 - eliminação de barreiras arquitetônicas para pessoas com deficiênca e discussão em torno da eliminação de barreiras atitudinais (preconceitos). DÉCADA DE 90 - eliminação de barreiras de comunicação e transporte, contemplando outras deficiências além das limitações motoras. Uso junto ao termo acessibilidade o termo desenho universal (não eliminar obstáculos, mas garantir o acesso).
  • 3.
  • 4. Acessibilidade não significa apenas permitir que pessoas com deficiências participem de atividades que incluem o uso de produtos, serviços e informação, mas a inclusão e extensão do uso destes por todas as parcelas presentes em uma determinada população. Em informática, programas que provêm acessibilidade são ferramentas ou conjuntos de ferramentas que permitem que portadores de deficiências (as mais variadas) se utilizem dos recursos que o computador oferece.
  • 5. A acessibilidade na WEB se refere a permissão ao acesso à WEB por todos, independente de tipo de usuário, situação ou ferramenta. É criar ou tornar as ferramentas e páginas WEB acessíveis a um maior número de usuários, inclusive pessoas com deficiências, beneficiando também pessoas idosas, usuários de navegadores alternativos, usuários de Tecnologia Assistiva e de acesso móvel. Na Internet o termo acessibilidade refere-se também a recomendações do W3C, que visam permitir que todos possam ter acesso aos websites, independente de terem alguma deficiência ou não.
  • 6. A construção do objeto nasceu da proposta de uma disciplina do PPGIE da UFRGS, no primeiro semestre de 2008 e tinha como foco o desenvolvimento de objetos de aprendizagem com a finalidade de serem ministrados em forma de oficinas. Diante da construção de objetos de aprendizagem, ou qualquer outro material para meios eletrônicos, é possível proporcionar a democratização da informação e a garantia do pleno exercício da cidadania e a integração social dos cidadãos com alguma limitação ou com necessidades especiais.
  • 7. O objeto de aprendizagem foi construído a partir de três etapas : concepção, planificação e implementação . Na Concepção foram definidas as linhas mestras do objeto, público-alvo, as concepções teóricas/práticas, entre outros aspectos. Na Planificação foi desenvolvido o storyboard (design/navegação do objeto), mais conhecido como mapa conceitual.
  • 8. Neste roteiro foram definidos os objetivos, estratégias metodológicas, avaliação, público alvo, a forma como se desenvolveriam os encontros, recursos a serem utilizados, entre outros componentes. Na Implementação , a opção foi pelo programa Front Page e o estilo CSS, por se entender que, ao propor o tema acessibilidade, o objeto deveria estar condizente com essa filosofia, ou seja, ser acessível a todos.
  • 9. Construção de um objeto de aprendizagem acessível : storyboard
  • 10. O objeto foi idealizado dentro do tema acessibilidade digital, contemplando também as Tecnologias Assistivas, o LIBRAS e Braille, duas formas de comunicação usadas por pessoas com necessidades especiais.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15. Os conhecimentos sobre conceitos, as conquistas já alcançadas na forma de legislação, as barreiras encontradas pelas pessoas com necessidades especiais, os padrões estabelecidos pelo W3C e as especificações do CSS se tornam indispensáveis a construção de objetos de aprendizagem.
  • 16.