SlideShare uma empresa Scribd logo
Ministério da
Educação
Ministério da Saúde
Ministério da Educação
Março
2013
Ministério da
Educação
ADESÕES SEMANA SAÚDE NA ESCOLA
Ministério da
Educação
Guia de Sugestões de Atividades para a Semana
Saúde na Escola disponível em:
www.saude.gov.br/pse
CRONOGRAMA 2013
Adesão - 20/02 a 15/03 - dab.saude.gov.br/sistemas/sgdab
Semana de Mobilização – 11/03 a 15/03
Adesão / Termo de Compromisso - Março a 30/04.
Contratualização por período de 12 meses.
dab.saude.gov.br/sistemas/sgdab
Semana Saúde na Escola
Programa Saúde na Escola 2013
Ministério da
Educação
O que é o PSE?
Ministério da
Educação
● O PSE é uma política intersetorial do Ministério da Saúde
e do Ministério da Educação, instituído em 2007, por
decreto presidencial.
● A partir desse ano o Projeto Saúde Prevenção nas
Escolas (SPE) passa a integrar o PSE
Ministério da
Educação
PARA QUEM É O PSE?
Ministério da
Educação
● O PSE deve ser estendido aos educandos de todas
as escolas da educação pública básica do país:
estaduais e municipais
● A partir de 2013 podem fazer parte do PSE as:
- Creches (incluindo as conveniadas);
- Pré-escolas;
- Ensino Fundamental;
- Ensino Médio;
- Educação de Jovens e Adultos.
Ministério da
Educação
Como acontece o PSE?
COMO ACONTECE O PSE?
Todos os municípios brasileiros possuem Atenção Básica em saúde
que pode ser composta por:
● Equipes de Unidades Básicas de Saúde;
● Equipes de Saúde da Família e;
● Equipes de Agentes Comunitários de Saúde.
Com a adesão do Município ao PSE cada Escola indicada passa a ter
uma Equipe de Saúde da Atenção Básica de referência para
executar conjuntamente as ações.
O PSE se dá com a interação dessas Equipes de Saúde da Atenção
Básica com as Equipes de Educação, no planejamento, execução e
monitoramento de ações de prevenção, promoção e avaliação das
condições de saúde dos educandos
Ministério da
Educação
• Institucionalização de Grupos de Trabalho Intersetoriais (GTIs): Federal,
Estaduais e Municipais;
• Cada GTI tem suas competências e se relacionam na perspectiva do apoio
institucional: planejamento, monitoramento e avaliação;
• Definir as estratégias específicas de cooperação entre Estados e Municípios
para o planejamento e a implementação das ações no âmbito municipal;
• Subsidiar a formulação das propostas de educação permanente dos
profissionais de saúde e da educação básica para implementação das
ações do PSE.
• Apoiar os gestores estaduais e municipais na articulação, planejamento
e implementação das ações do PSE;
• Em 2011, foi instituído o Termo de Compromisso do PSE: Secretários
Municipais de Saúde e Educação assinam metas de cobertura de ações
mínimas;
• A pactuação e monitoramento das ações será realizada por sistema
informatizado, com prazo de 12 meses para realização;
Ministério da
Educação
GESTÃO PSE
Ministério da
Educação
PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA 2013
COMO ACONTECE A ADESÃO
AO PSE?
Ministério da
Educação
● A Adesão ao PSE é Municipal – GTI - M: qualquer Município Brasileiro, a
partir de 2013, pode aderir
● A formalização da adesão se dá pela assinatura conjunta, entre
Secretários Municipais de Saúde e Secretários Municipais de Educação,
com a assinatura do Termo de Compromisso do PSE no qual são
pactuados:
 quais Escolas, por nível de ensino, participarão do PSE (Estaduais e
Municipais); a escolha das escolas precisará priorizar as que tem maior
em situação de vulnerabilidade, segundo índices nacionais da educação
e da saúde (veja na próxima tela)
 Deverão ser priorizadas escolas em situação de vulnerabilidade, segundo
índices nacionais da educação e da saúde.
 Quais as Equipes de Saúde da Atenção Básica são responsáveis por
cada escola;
 Quais as ações essenciais e optativas, por Componente (I, II e III) serão
realizadas.
Ministério da
Educação
PSE 2013
CRITÉRIOS DE ADESÃO
-Todos os municípios passam a ser aptos à adesão ao PSE – não há mais
critérios de cobertura de SF e IDEB;
-Podem aderir todas as equipes de atenção básica (eSF, Equipes parametrizadas
e Equipes especiais);
-PSE no PMAQ – relacionados a melhor desempenho no PSE.O desempenho
nas ações do PSE serão considerados pela avaliação da PMAQ.
VINCULAÇÃO AB - ESCOLA
- Inclusão do ensino infantil (creches e pré-escolas).
- Definição de estabelecimentos de ensino seguindo níveis de prioridade:
• Escolas com mais de 50% de matriculados no PBF;
• Escolas do Mais Educação;
• Creches e Pré-Escolas
• Escolas com adolescentes em medidas
sócio educativas
• Escolas que participaram do PSE em 2012
• demais estabelecimentos de ensino.
Entre os selecionados pelo
gestor municipal, 50% deve
estar na lista de prioridades
(caso haja prioritários em n.
menor que a metade dos
estabelecimentos, todos
prioritários devem ser
escolhidos)
Ministério da
Educação
PSE 2013
O número e o tipo de equipes da atenção básica identificadas para
atuação no PSE condicionará o teto para cálculo do repasse financeiro:
PARÂMETROS VINCULAÇÃO DE EQUIPES A ESCOLAS
- Após apresentar esse número, deverá apresentar no sistema de pactuação a vinculação
de equipes (SF, UBS sem e-SF, Parametrizadas e especiais) aos estabelecimentos de
ensino em que atuarão.
*Anexo I da Portaria SAS nº 576, de 19 de setembro de 2011.
** Caso seu município tenha equipe especial, favor contactar o Ministério da Saúde para habilitar
a adesão)
Tipo de equipe N. de Educandos que poderá
ter sob sua responsabilidade
1 ESF 1.000
Equipe parametrizada Tipo 1* 1.000
Equipe parametrizada Tipo 2* 2.000
Equipe parametrizada Tipo 3* 3.000
UBS 1.000
**Equipes especial (2 profissionais) com
10h de dedicação 2.500
**Equipes especial (2 profissionais) com
20h de dedicação 5.000
**Equipes especial (2 profissionais) com
30h de dedicação 7.500
**Equipes especial (2 profissionais) com
40h de dedicação 10.000
Ministério da
Educação
Para efeitos de cálculo do teto do incentivo financeiro:
- Valor de R$ 3.000,00 (três mil reais), para a faixa de até 599 educandos
contemplados;
- A partir de 600 (seiscentos) educandos, a cada acréscimo entre 1 e 199
educandos, soma-se R$ 1.000,00 (mil reais) ao valor máximo anual a ser
recebido pelo município.
REPASSE FINANCEIRO
CÁLCULO PARA REPASSE FINANCEIRO
- No momento da adesão o Município recebe 20% do valor total;
- A partir de 50% de alcance de metas pactuadas, passa a receber o valor
proporcional ao alcance obtido;
- O repasse de recurso poderá ocorrer em até 3 vezes, ocorrerá após ação,
verificada em sistema de informação aos 6 meses e aos 12 meses.
CRITÉRIOS DE REPASSE
Esse cálculo representará o teto para recebimento de recursos financeiros pelo
município para o ano que poderá ser pago em até 3 vezes.
Ministério da
Educação
-As equipes passam a informar indicadores de saúde relacionado aos escolares
no e-SUS (Coleta Simplificada);
PROPOSTAPARA 2013
REGISTRO DE AÇÕES E MONITORAMENTO
-Nos Componentes I e II as ações para as creches serão diferentes das ações
para a pré-escola. As ações do Ensino fundamental e médio serão as mesmas;
-Foram definidas ações essenciais referentes aos componentes I e II com base
nas prioridades relacionadas aos planos, projetos e programas:
AÇÕES
Para além dessas, os municípios podem pactuar outras ações
pertencentes à proposta do PSE a depender de suas necessidades do
território.
Ministério da
Educação
AÇÕES ESSENCIAIS E
OPTATIVAS
● Ações essenciais: são ações que contam como alcance
de meta para recebimento do recurso.
● Ações optativas: são ações que ficam a critério do
município, ou seja, o município tem autonomia para
escolher se deseja realizar a ação ou não.
Ministério da
Educação
AÇÕES CRECHE E PRÉ-ESCOLA
Ministério da
Educação
AÇÃO
Creche
ComponenteI Avaliação antropométrica ESSENCIAL
Promoção e avaliação da saúde bucal ESSENCIAL
Sondagem da realização do teste da orelhinha e do teste do olhinho. ESSENCIAL
Verificação da situação vacinal
Vigilância e prevenção das violências e acidentes
ComponenteII
Ações de segurança alimentar e promoção da alimentação saudável ESSENCIAL
Promoção da cultura de paz e Direitos Humanos ESSENCIAL
Criação de grupos de famílias solidárias para encontro e troca de experiência, com mediação da creche/escola e/ou saúde ESSENCIAL
Fortificação com micronutrientes
Criação de grupos intersetoriais de discussão de ações de saúde mental no contexto escolar, em articulação com o GTI municipal
Pré-Escola
ComponenteI
Avaliação antropométrica ESSENCIAL
Promoção e avaliação da saúde bucal ESSENCIAL
Sondagem da realização do teste do olhinho. ESSENCIAL
Verificação da situação vacinal
Identificar educandos com possíveis sinais de alteração na audição
Identificar educandos com possíveis sinais de alterações de linguagem oral
Vigilância e prevenção das violências e acidentes
ComponenteII
Ações de segurança alimentar e promoção da alimentação saudável ESSENCIAL
Promoção da cultura de paz e Direitos Humanos ESSENCIAL
Criação de grupos intersetoriais de discussão de ações de saúde mental no contexto escolar, em articulação com o GTI municipal ESSENCIAL
Criação de grupos de famílias solidárias para encontro e troca de experiência, com mediação da creche/escola e/ou saúde ESSENCIAL
Promoção das práticas corporais e atividade física e lazer nas escolas
Promoção da saúde ambiental e desenvolvimento sustentável
Ministério da
Educação
AÇÕES FUNDAMENTAL E MÉDIO
EnsinoFundamental/Médio
ComponenteI
Avaliação antropométrica ESSENCIAL
Promoção e avaliação da saúde bucal ESSENCIAL
Avaliação oftalmológica ESSENCIAL
Verificação da situação vacinal
Identificação de possíveis sinais de agravos de saúde negligenciados e doenças em eliminação
Identificar educandos com possíveis sinais de alteração na audição do educando.
Identificar educandos com possíveis sinais de alterações de linguagem oral
Vigilância e prevenção das violências e acidentes
ComponenteII
Saúde e prevenção nas Escolas (SPE): educação para a saúde sexual, saúde reprodutiva e prevenção das DST/aids ESSENCIAL
Saúde e prevenção nas Escolas (SPE): prevenção ao uso de álcool e tabaco e outras drogas ESSENCIAL
Promoção da cultura de paz e Direitos Humanos ESSENCIAL
Criação de grupos entre pares para fomento e estímulo ao protagonismo infanto juvenil a partir de manejo de conflitos no ambiente escolar ESSENCIAL
Criação de grupos intersetoriais de discussão de ações de saúde mental no contexto escolar, em articulação com o GTI municipal ESSENCIAL
Ações de segurança alimentar e promoção da alimentação saudável ESSENCIAL
Promoção das práticas corporais e atividade física e lazer nas escolas
Promoção da saúde ambiental e desenvolvimento sustentável
ComponenteIII
Capacitar os profissionais da saúde sobre a importância da Vigilância Alimentar e Nutricional ESSENCIAL
Capacitar profissionais da saúde e educação para trabalhar com as temáticas de promoção da alimentação saudável ESSENCIAL
Capacitar os profissionais de educação para trabalhar com as temáticas: Prevenção ao uso de Álcool e Tabaco, Crack e outras Drogas ESSENCIAL
Capacitação de profissionais de saúde e educação sobre a temática de sexualidade e prevenção das DST/AIDS ESSENCIAL
Capacitar os profissionais da saúde e educação sobre a importância e uso da fortificação com micronutrientes na creche
Capacitar os profissionais da saúde e educação para gestão intersetorial do PSE
Capacitar os profissionais de saúde e educação para notificação de violências
Capacitação de profissionais de saúde e educação sobre o Desenvolvimento Infantil
Capacitação para Promoção da Saúde nas Escolas
REGISTRO
Ministério da
Educação
Ministério da
Educação
Ministério da
Educação
Ministério da
Educação
Ministério da
Educação
● O profissional de saúde poderá verificar se o educando tem cartão
SUS, bem como poderá cadastrá-la no portal: CADWEB
● Acesse também:
http://portal.saude.gov.br/portal/saude/Gestor/area.cfm?id_area
=944
● E-mail de dúvidas sobre o cadastramento:
cns.cadastramento@saude.gov.br
CARTÃO SUS
Ministério da
Educação
Ministério da
Educação
Contatos
pse@saude.gov.br
(61) 3315 9057(61) 3315 9091
pse@mec.gov.br
(61)2022-9209 (61)2022-9298
Ótima Adesão ao PSE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PSE
PSEPSE
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
Adriano Monteiro
 
Programa Saúde na Escola
Programa Saúde na EscolaPrograma Saúde na Escola
Programa Saúde na Escola
Dorlin
 
programa de saude escolar
programa de saude escolarprograma de saude escolar
programa de saude escolar
themis dovera
 
Semana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o país
Semana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o paísSemana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o país
Semana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o país
Ministério da Saúde
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na Escola
Ana Luzia
 
PSE
PSEPSE
Dez passos para_familia
Dez passos para_familiaDez passos para_familia
Dez passos para_familia
saudefieb
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
Vaniacalmeida
 
Programa Saúde na Escola
Programa Saúde na EscolaPrograma Saúde na Escola
Programa Saúde na Escola
Ivanilda Milfont
 
Programa Saúde na Escola
Programa Saúde na EscolaPrograma Saúde na Escola
Programa Saúde na Escola
secretariamsj
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
92560375
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
92560375
 
Relatório técnico do programa saúde na escola
Relatório técnico do programa saúde na escolaRelatório técnico do programa saúde na escola
Relatório técnico do programa saúde na escola
Adriano Monteiro
 
Apresentação presse
Apresentação presseApresentação presse
Decreto- lei 281/2009
Decreto- lei 281/2009Decreto- lei 281/2009
Decreto- lei 281/2009
scrum1977
 
Decreto 281 2009
Decreto 281 2009Decreto 281 2009
Decreto 281 2009
Daniel Pires
 
Considerações Gerais do Plano de Acção do PES e ES
Considerações Gerais do Plano de Acção do PES e ESConsiderações Gerais do Plano de Acção do PES e ES
Considerações Gerais do Plano de Acção do PES e ES
Cristina Couto Varela
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
elianabizarro
 
Melhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu Caputo
Melhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu CaputoMelhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu Caputo
Melhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu Caputo
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 

Mais procurados (20)

PSE
PSEPSE
PSE
 
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
 
Programa Saúde na Escola
Programa Saúde na EscolaPrograma Saúde na Escola
Programa Saúde na Escola
 
programa de saude escolar
programa de saude escolarprograma de saude escolar
programa de saude escolar
 
Semana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o país
Semana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o paísSemana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o país
Semana Saúde na Escola: mobilização ocorre até 11 de abril em todo o país
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na Escola
 
PSE
PSEPSE
PSE
 
Dez passos para_familia
Dez passos para_familiaDez passos para_familia
Dez passos para_familia
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
 
Programa Saúde na Escola
Programa Saúde na EscolaPrograma Saúde na Escola
Programa Saúde na Escola
 
Programa Saúde na Escola
Programa Saúde na EscolaPrograma Saúde na Escola
Programa Saúde na Escola
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Relatório técnico do programa saúde na escola
Relatório técnico do programa saúde na escolaRelatório técnico do programa saúde na escola
Relatório técnico do programa saúde na escola
 
Apresentação presse
Apresentação presseApresentação presse
Apresentação presse
 
Decreto- lei 281/2009
Decreto- lei 281/2009Decreto- lei 281/2009
Decreto- lei 281/2009
 
Decreto 281 2009
Decreto 281 2009Decreto 281 2009
Decreto 281 2009
 
Considerações Gerais do Plano de Acção do PES e ES
Considerações Gerais do Plano de Acção do PES e ESConsiderações Gerais do Plano de Acção do PES e ES
Considerações Gerais do Plano de Acção do PES e ES
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
 
Melhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu Caputo
Melhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu CaputoMelhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu Caputo
Melhorando a qualidade e expandindo a oferta de creches - Romeu Caputo
 

Destaque

Slides iv encontro
Slides iv encontroSlides iv encontro
Slides iv encontro
Rosemary Batista
 
Monstruosidades
MonstruosidadesMonstruosidades
Monstruosidades
Rosemary Batista
 
Cade o docinho ...
Cade o docinho ...Cade o docinho ...
Cade o docinho ...
Rosemary Batista
 
Projeto baú dos sonhos
Projeto            baú dos sonhosProjeto            baú dos sonhos
Projeto baú dos sonhos
Rosemary Batista
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
rimagz21
 
Orientação Sexual
Orientação SexualOrientação Sexual
Orientação Sexual
Saúde Hervalense
 
Orientação sexual PowerPoint
Orientação sexual PowerPointOrientação sexual PowerPoint
Orientação sexual PowerPoint
fajuchico
 
Sessão para a educação
Sessão para a educaçãoSessão para a educação
Sessão para a educação
rimagz21
 
Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades
Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidadesDa promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades
Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades
Rogerio Melo
 
Há matemática em toda parte!
Há matemática em toda parte!Há matemática em toda parte!
Há matemática em toda parte!
Rosemary Batista
 
Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3
Pelo Siro
 
Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02
Pelo Siro
 
Medidas de ação para a promoção da saúde
Medidas de ação para a promoção da saúdeMedidas de ação para a promoção da saúde
Medidas de ação para a promoção da saúde
novaisdias
 
Promoção e saúde
Promoção e saúdePromoção e saúde
Promoção e saúde
EducacaoIntegralPTC
 
Medidas de acção para a promoção da saúde
Medidas de acção para a promoção da saúdeMedidas de acção para a promoção da saúde
Medidas de acção para a promoção da saúde
Patrícia Santos
 
Política nacional de promoção da saúde trabalho pronto
Política nacional de promoção da saúde trabalho prontoPolítica nacional de promoção da saúde trabalho pronto
Política nacional de promoção da saúde trabalho pronto
samuelcostaful
 
Aula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e EnvelhecimentoAula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e Envelhecimento
gerontopedia
 
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDESaúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Andressa Carmo
 
Medidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletivaMedidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletiva
ligiatonuci
 
Promoção da saúde
Promoção da saúdePromoção da saúde
Promoção da saúde
marco :)
 

Destaque (20)

Slides iv encontro
Slides iv encontroSlides iv encontro
Slides iv encontro
 
Monstruosidades
MonstruosidadesMonstruosidades
Monstruosidades
 
Cade o docinho ...
Cade o docinho ...Cade o docinho ...
Cade o docinho ...
 
Projeto baú dos sonhos
Projeto            baú dos sonhosProjeto            baú dos sonhos
Projeto baú dos sonhos
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Orientação Sexual
Orientação SexualOrientação Sexual
Orientação Sexual
 
Orientação sexual PowerPoint
Orientação sexual PowerPointOrientação sexual PowerPoint
Orientação sexual PowerPoint
 
Sessão para a educação
Sessão para a educaçãoSessão para a educação
Sessão para a educação
 
Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades
Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidadesDa promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades
Da promoção da saúde a escola promotora da saúde perspectivas e realidades
 
Há matemática em toda parte!
Há matemática em toda parte!Há matemática em toda parte!
Há matemática em toda parte!
 
Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3
 
Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02
 
Medidas de ação para a promoção da saúde
Medidas de ação para a promoção da saúdeMedidas de ação para a promoção da saúde
Medidas de ação para a promoção da saúde
 
Promoção e saúde
Promoção e saúdePromoção e saúde
Promoção e saúde
 
Medidas de acção para a promoção da saúde
Medidas de acção para a promoção da saúdeMedidas de acção para a promoção da saúde
Medidas de acção para a promoção da saúde
 
Política nacional de promoção da saúde trabalho pronto
Política nacional de promoção da saúde trabalho prontoPolítica nacional de promoção da saúde trabalho pronto
Política nacional de promoção da saúde trabalho pronto
 
Aula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e EnvelhecimentoAula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e Envelhecimento
 
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDESaúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Saúde coletiva - POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
 
Medidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletivaMedidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletiva
 
Promoção da saúde
Promoção da saúdePromoção da saúde
Promoção da saúde
 

Semelhante a Apresentacao videoconferencia adesao_pse

PSE
PSEPSE
Pse
PsePse
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdf
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdfApresentacao_PSE_Tykanori.pdf
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdf
MargareteArioza1
 
FATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção Básica
FATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção BásicaFATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção Básica
FATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção Básica
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Danielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptx
Danielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptxDanielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptx
Danielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptx
elencoti
 
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptxPrograma de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Natiele Café
 
Edital 096 2014 sesan
Edital 096 2014 sesanEdital 096 2014 sesan
NOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva
NOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva InclusivaNOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva
NOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva
Danilo de Azevedo
 
Portariase comunicados
Portariase comunicadosPortariase comunicados
Portariase comunicados
tamojuntogalera
 
Treinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMI
Treinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMITreinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMI
Treinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMI
WALTER ALENCAR DE SOUSA
 
Ofício 10
Ofício 10Ofício 10
Ofício 10
pedagogicosjdelrei
 
Ofício 10
Ofício 10Ofício 10
Ofício 10
pedagogicosjdelrei
 
Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016
Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016
Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016
Celso Hideki Tanaka
 
Projeto pedagógico fic cuidador de idoso
Projeto pedagógico fic   cuidador de idosoProjeto pedagógico fic   cuidador de idoso
Projeto pedagógico fic cuidador de idoso
Jéssica Santos
 
Manual peso-saudavel-ms
Manual peso-saudavel-msManual peso-saudavel-ms
Manual peso-saudavel-ms
Ozagna Olivato
 
semana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdf
semana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdfsemana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdf
semana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdf
FERNANDACOELHOSANTOS
 
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdfcaderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
TicianeAndrade5
 
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdfcaderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
TicianeAndrade6
 
FIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdf
FIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdfFIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdf
FIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdf
AlexDias221561
 
Portfolio de Serviços e Produtos ESP-MG
Portfolio de Serviços e Produtos ESP-MGPortfolio de Serviços e Produtos ESP-MG
Portfolio de Serviços e Produtos ESP-MG
Jacqueline de Castro
 

Semelhante a Apresentacao videoconferencia adesao_pse (20)

PSE
PSEPSE
PSE
 
Pse
PsePse
Pse
 
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdf
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdfApresentacao_PSE_Tykanori.pdf
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdf
 
FATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção Básica
FATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção BásicaFATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção Básica
FATOR IDOSO – Política Estadual de Incentivo à Qualificação da Atenção Básica
 
Danielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptx
Danielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptxDanielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptx
Danielle Cruz - PSE - MS - 07-05-19.pptx
 
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptxPrograma de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
 
Edital 096 2014 sesan
Edital 096 2014 sesanEdital 096 2014 sesan
Edital 096 2014 sesan
 
NOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva
NOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva InclusivaNOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva
NOTA TÉCNICA Nº 101 - Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva
 
Portariase comunicados
Portariase comunicadosPortariase comunicados
Portariase comunicados
 
Treinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMI
Treinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMITreinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMI
Treinamento Censo Escolar 2014- Mais Educacao e PROEMI
 
Ofício 10
Ofício 10Ofício 10
Ofício 10
 
Ofício 10
Ofício 10Ofício 10
Ofício 10
 
Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016
Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016
Plano de governo Florisvaldo e Cristina 2013 / 2016
 
Projeto pedagógico fic cuidador de idoso
Projeto pedagógico fic   cuidador de idosoProjeto pedagógico fic   cuidador de idoso
Projeto pedagógico fic cuidador de idoso
 
Manual peso-saudavel-ms
Manual peso-saudavel-msManual peso-saudavel-ms
Manual peso-saudavel-ms
 
semana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdf
semana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdfsemana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdf
semana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdf
 
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdfcaderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
 
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdfcaderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
caderno_tecnico_programa_primeira_infancia_v1.pdf
 
FIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdf
FIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdfFIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdf
FIC_EaD - RT - PPC - Cuidador Infantil CR SGB.pdf
 
Portfolio de Serviços e Produtos ESP-MG
Portfolio de Serviços e Produtos ESP-MGPortfolio de Serviços e Produtos ESP-MG
Portfolio de Serviços e Produtos ESP-MG
 

Mais de Rosemary Batista

Sinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritanteSinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritante
Rosemary Batista
 
01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua
Rosemary Batista
 
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Rosemary Batista
 
Boletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - finalBoletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - final
Rosemary Batista
 
Devolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros DidáticosDevolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros Didáticos
Rosemary Batista
 
Halloween 2016
Halloween 2016Halloween 2016
Halloween 2016
Rosemary Batista
 
Textos vencedores
Textos vencedoresTextos vencedores
Textos vencedores
Rosemary Batista
 
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumidoPpt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
Rosemary Batista
 
Encontro de educação integral ação intermunicipal
Encontro de educação integral   ação intermunicipalEncontro de educação integral   ação intermunicipal
Encontro de educação integral ação intermunicipal
Rosemary Batista
 
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Rosemary Batista
 
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Rosemary Batista
 
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
Rosemary Batista
 
Lista aprovados v1
Lista aprovados v1Lista aprovados v1
Lista aprovados v1
Rosemary Batista
 
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Rosemary Batista
 
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
Domm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogiaDomm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogia
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
Rosemary Batista
 
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogiaDomm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Rosemary Batista
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
Rosemary Batista
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
Rosemary Batista
 
Khan academy 2016
Khan academy 2016Khan academy 2016
Khan academy 2016
Rosemary Batista
 
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
Rosemary Batista
 

Mais de Rosemary Batista (20)

Sinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritanteSinceramente a cinderela é muito irritante
Sinceramente a cinderela é muito irritante
 
01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua01379 regra na ponta da língua
01379 regra na ponta da língua
 
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
 
Boletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - finalBoletim informativo n 04 2016 - final
Boletim informativo n 04 2016 - final
 
Devolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros DidáticosDevolução dos Livros Didáticos
Devolução dos Livros Didáticos
 
Halloween 2016
Halloween 2016Halloween 2016
Halloween 2016
 
Textos vencedores
Textos vencedoresTextos vencedores
Textos vencedores
 
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumidoPpt art poder_publico_junho2016_resumido
Ppt art poder_publico_junho2016_resumido
 
Encontro de educação integral ação intermunicipal
Encontro de educação integral   ação intermunicipalEncontro de educação integral   ação intermunicipal
Encontro de educação integral ação intermunicipal
 
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
 
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)Domm  -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
Domm -1714_-_08_06_16___classificação_de_estagiários_convocados_(1)
 
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...7º encontro multidisciplinar dos transtornos da  aprendizagem e transtornos d...
7º encontro multidisciplinar dos transtornos da aprendizagem e transtornos d...
 
Lista aprovados v1
Lista aprovados v1Lista aprovados v1
Lista aprovados v1
 
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)Domm   1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
Domm 1710 - 02 06 16 (1) classificados de pedagogia (1)
 
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
Domm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogiaDomm   1707 - 26 05 16  gabarito da prova de pedagogia
Domm 1707 - 26 05 16 gabarito da prova de pedagogia
 
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogiaDomm  -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
Domm -1704_-_21_05_16__convocação_da_prova_de_pedagogia
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
 
O ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigaçãoO ensino de ciências por investigação
O ensino de ciências por investigação
 
Khan academy 2016
Khan academy 2016Khan academy 2016
Khan academy 2016
 
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2Domm   1697 - 12 05 16   edital de pedagogia 2
Domm 1697 - 12 05 16 edital de pedagogia 2
 

Apresentacao videoconferencia adesao_pse

  • 1. Ministério da Educação Ministério da Saúde Ministério da Educação Março 2013
  • 3. ADESÕES SEMANA SAÚDE NA ESCOLA Ministério da Educação Guia de Sugestões de Atividades para a Semana Saúde na Escola disponível em: www.saude.gov.br/pse
  • 4. CRONOGRAMA 2013 Adesão - 20/02 a 15/03 - dab.saude.gov.br/sistemas/sgdab Semana de Mobilização – 11/03 a 15/03 Adesão / Termo de Compromisso - Março a 30/04. Contratualização por período de 12 meses. dab.saude.gov.br/sistemas/sgdab Semana Saúde na Escola Programa Saúde na Escola 2013 Ministério da Educação
  • 5. O que é o PSE? Ministério da Educação
  • 6. ● O PSE é uma política intersetorial do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação, instituído em 2007, por decreto presidencial. ● A partir desse ano o Projeto Saúde Prevenção nas Escolas (SPE) passa a integrar o PSE Ministério da Educação
  • 7. PARA QUEM É O PSE? Ministério da Educação
  • 8. ● O PSE deve ser estendido aos educandos de todas as escolas da educação pública básica do país: estaduais e municipais ● A partir de 2013 podem fazer parte do PSE as: - Creches (incluindo as conveniadas); - Pré-escolas; - Ensino Fundamental; - Ensino Médio; - Educação de Jovens e Adultos. Ministério da Educação
  • 9. Como acontece o PSE? COMO ACONTECE O PSE? Todos os municípios brasileiros possuem Atenção Básica em saúde que pode ser composta por: ● Equipes de Unidades Básicas de Saúde; ● Equipes de Saúde da Família e; ● Equipes de Agentes Comunitários de Saúde. Com a adesão do Município ao PSE cada Escola indicada passa a ter uma Equipe de Saúde da Atenção Básica de referência para executar conjuntamente as ações. O PSE se dá com a interação dessas Equipes de Saúde da Atenção Básica com as Equipes de Educação, no planejamento, execução e monitoramento de ações de prevenção, promoção e avaliação das condições de saúde dos educandos Ministério da Educação
  • 10. • Institucionalização de Grupos de Trabalho Intersetoriais (GTIs): Federal, Estaduais e Municipais; • Cada GTI tem suas competências e se relacionam na perspectiva do apoio institucional: planejamento, monitoramento e avaliação; • Definir as estratégias específicas de cooperação entre Estados e Municípios para o planejamento e a implementação das ações no âmbito municipal; • Subsidiar a formulação das propostas de educação permanente dos profissionais de saúde e da educação básica para implementação das ações do PSE. • Apoiar os gestores estaduais e municipais na articulação, planejamento e implementação das ações do PSE; • Em 2011, foi instituído o Termo de Compromisso do PSE: Secretários Municipais de Saúde e Educação assinam metas de cobertura de ações mínimas; • A pactuação e monitoramento das ações será realizada por sistema informatizado, com prazo de 12 meses para realização; Ministério da Educação GESTÃO PSE
  • 12. COMO ACONTECE A ADESÃO AO PSE? Ministério da Educação
  • 13. ● A Adesão ao PSE é Municipal – GTI - M: qualquer Município Brasileiro, a partir de 2013, pode aderir ● A formalização da adesão se dá pela assinatura conjunta, entre Secretários Municipais de Saúde e Secretários Municipais de Educação, com a assinatura do Termo de Compromisso do PSE no qual são pactuados:  quais Escolas, por nível de ensino, participarão do PSE (Estaduais e Municipais); a escolha das escolas precisará priorizar as que tem maior em situação de vulnerabilidade, segundo índices nacionais da educação e da saúde (veja na próxima tela)  Deverão ser priorizadas escolas em situação de vulnerabilidade, segundo índices nacionais da educação e da saúde.  Quais as Equipes de Saúde da Atenção Básica são responsáveis por cada escola;  Quais as ações essenciais e optativas, por Componente (I, II e III) serão realizadas. Ministério da Educação
  • 14. PSE 2013 CRITÉRIOS DE ADESÃO -Todos os municípios passam a ser aptos à adesão ao PSE – não há mais critérios de cobertura de SF e IDEB; -Podem aderir todas as equipes de atenção básica (eSF, Equipes parametrizadas e Equipes especiais); -PSE no PMAQ – relacionados a melhor desempenho no PSE.O desempenho nas ações do PSE serão considerados pela avaliação da PMAQ. VINCULAÇÃO AB - ESCOLA - Inclusão do ensino infantil (creches e pré-escolas). - Definição de estabelecimentos de ensino seguindo níveis de prioridade: • Escolas com mais de 50% de matriculados no PBF; • Escolas do Mais Educação; • Creches e Pré-Escolas • Escolas com adolescentes em medidas sócio educativas • Escolas que participaram do PSE em 2012 • demais estabelecimentos de ensino. Entre os selecionados pelo gestor municipal, 50% deve estar na lista de prioridades (caso haja prioritários em n. menor que a metade dos estabelecimentos, todos prioritários devem ser escolhidos) Ministério da Educação
  • 15. PSE 2013 O número e o tipo de equipes da atenção básica identificadas para atuação no PSE condicionará o teto para cálculo do repasse financeiro: PARÂMETROS VINCULAÇÃO DE EQUIPES A ESCOLAS - Após apresentar esse número, deverá apresentar no sistema de pactuação a vinculação de equipes (SF, UBS sem e-SF, Parametrizadas e especiais) aos estabelecimentos de ensino em que atuarão. *Anexo I da Portaria SAS nº 576, de 19 de setembro de 2011. ** Caso seu município tenha equipe especial, favor contactar o Ministério da Saúde para habilitar a adesão) Tipo de equipe N. de Educandos que poderá ter sob sua responsabilidade 1 ESF 1.000 Equipe parametrizada Tipo 1* 1.000 Equipe parametrizada Tipo 2* 2.000 Equipe parametrizada Tipo 3* 3.000 UBS 1.000 **Equipes especial (2 profissionais) com 10h de dedicação 2.500 **Equipes especial (2 profissionais) com 20h de dedicação 5.000 **Equipes especial (2 profissionais) com 30h de dedicação 7.500 **Equipes especial (2 profissionais) com 40h de dedicação 10.000 Ministério da Educação
  • 16. Para efeitos de cálculo do teto do incentivo financeiro: - Valor de R$ 3.000,00 (três mil reais), para a faixa de até 599 educandos contemplados; - A partir de 600 (seiscentos) educandos, a cada acréscimo entre 1 e 199 educandos, soma-se R$ 1.000,00 (mil reais) ao valor máximo anual a ser recebido pelo município. REPASSE FINANCEIRO CÁLCULO PARA REPASSE FINANCEIRO - No momento da adesão o Município recebe 20% do valor total; - A partir de 50% de alcance de metas pactuadas, passa a receber o valor proporcional ao alcance obtido; - O repasse de recurso poderá ocorrer em até 3 vezes, ocorrerá após ação, verificada em sistema de informação aos 6 meses e aos 12 meses. CRITÉRIOS DE REPASSE Esse cálculo representará o teto para recebimento de recursos financeiros pelo município para o ano que poderá ser pago em até 3 vezes. Ministério da Educação
  • 17. -As equipes passam a informar indicadores de saúde relacionado aos escolares no e-SUS (Coleta Simplificada); PROPOSTAPARA 2013 REGISTRO DE AÇÕES E MONITORAMENTO -Nos Componentes I e II as ações para as creches serão diferentes das ações para a pré-escola. As ações do Ensino fundamental e médio serão as mesmas; -Foram definidas ações essenciais referentes aos componentes I e II com base nas prioridades relacionadas aos planos, projetos e programas: AÇÕES Para além dessas, os municípios podem pactuar outras ações pertencentes à proposta do PSE a depender de suas necessidades do território. Ministério da Educação
  • 18. AÇÕES ESSENCIAIS E OPTATIVAS ● Ações essenciais: são ações que contam como alcance de meta para recebimento do recurso. ● Ações optativas: são ações que ficam a critério do município, ou seja, o município tem autonomia para escolher se deseja realizar a ação ou não. Ministério da Educação
  • 19. AÇÕES CRECHE E PRÉ-ESCOLA Ministério da Educação AÇÃO Creche ComponenteI Avaliação antropométrica ESSENCIAL Promoção e avaliação da saúde bucal ESSENCIAL Sondagem da realização do teste da orelhinha e do teste do olhinho. ESSENCIAL Verificação da situação vacinal Vigilância e prevenção das violências e acidentes ComponenteII Ações de segurança alimentar e promoção da alimentação saudável ESSENCIAL Promoção da cultura de paz e Direitos Humanos ESSENCIAL Criação de grupos de famílias solidárias para encontro e troca de experiência, com mediação da creche/escola e/ou saúde ESSENCIAL Fortificação com micronutrientes Criação de grupos intersetoriais de discussão de ações de saúde mental no contexto escolar, em articulação com o GTI municipal Pré-Escola ComponenteI Avaliação antropométrica ESSENCIAL Promoção e avaliação da saúde bucal ESSENCIAL Sondagem da realização do teste do olhinho. ESSENCIAL Verificação da situação vacinal Identificar educandos com possíveis sinais de alteração na audição Identificar educandos com possíveis sinais de alterações de linguagem oral Vigilância e prevenção das violências e acidentes ComponenteII Ações de segurança alimentar e promoção da alimentação saudável ESSENCIAL Promoção da cultura de paz e Direitos Humanos ESSENCIAL Criação de grupos intersetoriais de discussão de ações de saúde mental no contexto escolar, em articulação com o GTI municipal ESSENCIAL Criação de grupos de famílias solidárias para encontro e troca de experiência, com mediação da creche/escola e/ou saúde ESSENCIAL Promoção das práticas corporais e atividade física e lazer nas escolas Promoção da saúde ambiental e desenvolvimento sustentável
  • 20. Ministério da Educação AÇÕES FUNDAMENTAL E MÉDIO EnsinoFundamental/Médio ComponenteI Avaliação antropométrica ESSENCIAL Promoção e avaliação da saúde bucal ESSENCIAL Avaliação oftalmológica ESSENCIAL Verificação da situação vacinal Identificação de possíveis sinais de agravos de saúde negligenciados e doenças em eliminação Identificar educandos com possíveis sinais de alteração na audição do educando. Identificar educandos com possíveis sinais de alterações de linguagem oral Vigilância e prevenção das violências e acidentes ComponenteII Saúde e prevenção nas Escolas (SPE): educação para a saúde sexual, saúde reprodutiva e prevenção das DST/aids ESSENCIAL Saúde e prevenção nas Escolas (SPE): prevenção ao uso de álcool e tabaco e outras drogas ESSENCIAL Promoção da cultura de paz e Direitos Humanos ESSENCIAL Criação de grupos entre pares para fomento e estímulo ao protagonismo infanto juvenil a partir de manejo de conflitos no ambiente escolar ESSENCIAL Criação de grupos intersetoriais de discussão de ações de saúde mental no contexto escolar, em articulação com o GTI municipal ESSENCIAL Ações de segurança alimentar e promoção da alimentação saudável ESSENCIAL Promoção das práticas corporais e atividade física e lazer nas escolas Promoção da saúde ambiental e desenvolvimento sustentável ComponenteIII Capacitar os profissionais da saúde sobre a importância da Vigilância Alimentar e Nutricional ESSENCIAL Capacitar profissionais da saúde e educação para trabalhar com as temáticas de promoção da alimentação saudável ESSENCIAL Capacitar os profissionais de educação para trabalhar com as temáticas: Prevenção ao uso de Álcool e Tabaco, Crack e outras Drogas ESSENCIAL Capacitação de profissionais de saúde e educação sobre a temática de sexualidade e prevenção das DST/AIDS ESSENCIAL Capacitar os profissionais da saúde e educação sobre a importância e uso da fortificação com micronutrientes na creche Capacitar os profissionais da saúde e educação para gestão intersetorial do PSE Capacitar os profissionais de saúde e educação para notificação de violências Capacitação de profissionais de saúde e educação sobre o Desenvolvimento Infantil Capacitação para Promoção da Saúde nas Escolas
  • 26. ● O profissional de saúde poderá verificar se o educando tem cartão SUS, bem como poderá cadastrá-la no portal: CADWEB ● Acesse também: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/Gestor/area.cfm?id_area =944 ● E-mail de dúvidas sobre o cadastramento: cns.cadastramento@saude.gov.br CARTÃO SUS Ministério da Educação
  • 27. Ministério da Educação Contatos pse@saude.gov.br (61) 3315 9057(61) 3315 9091 pse@mec.gov.br (61)2022-9209 (61)2022-9298 Ótima Adesão ao PSE