SlideShare uma empresa Scribd logo
O que esperam as Empresas de um
Técnico da Qualidade
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O que esperam as Empresas de um Técnico da Qualidade
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 03/23
O que é a qualidade ?
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
Importante
é o :
CLIENTE
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
04/23
Juran: “Qualidade é adequação ao uso”
Philip Crosby, : “Qualidade é conformidade às especificações”.
Noriaki Kano: “Produtos e serviços que atendem ou excedem as
expectativas do consumidor”.
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O que é a qualidade ?
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
05/23
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
Soft Skills
As soft skills não são mais do que atitudes e comportamentos que facilitam
a relação com os outros, melhoram desempenho profissional e o
resultados da empresa.
Atitude Positiva
Capacidade de Comunicação
Resiliência
Resolução de Problemas
Gestão do Tempo
Trabalho em Equipa
Potencial de Aprendizagem
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
06/23
TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO
Objetivo da Função:
Assegurar a conformidade dos meios de produção, produtos
semiacabados e produtos acabados (mesmo Matéria Prima), detetar e
assinalar defeitos encontrados e acompanhar ações corretivas/preventivas
para eliminação da sua ocorrência futura.
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
07/23
Atividades Principais:
Realizar de instruções de verificação;
Tratamento estatístico de controlo da qualidade;
Inspecionar o produto, os materiais, de acordo com as instruções de
verificação, especificações, desenhos, referenciais normativos e
procedimentos internos;
Identificar e reportar de não conformidades internas ou externas;
Propor e acompanhar a implementação de ações corretivas ou de
melhoria e reavaliar as situações corrigidas;
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO
08/23
Atividades Principais:
Registar os resultados dos testes e verificações;
Garantir que as atividades designadas são desenvolvidas de acordo com
as normas e os processos aplicáveis;
Garantir o tratamento e arquivo de registos e documentação inerente à
atividade que desenvolve;
Sensibilizar para e cumprir os procedimentos internos da qualidade,
ambiente, segurança, 5'S.
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO
KAIZEN / 5'S  (Melhoria Continua)
Deve ser membro duma equipa permanente
09/23
Habilitações e Experiência
Habilitações
mínimas
Habilitações
desejáveis
Experiência
mínima
Experiência
desejável
12º Ano Profissional / Preferência Técnico Qualidade
Licenciatura em Engenharia e formação específica em
técnicas de auditoria, Sistemas de gestão da qualidade e
referenciais normativos
Não necessita, se detentor de formação específica
1 ano
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO
10/23
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
11/23
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
Deteção de objetos estranhos no Produto / Processo
 Oleodutos (Incluindo as Válvulas) Alimentação / Têxtil /
Aeronáutica / Automóvel / Outros
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
12/23
TÉCNICO DA QUALIDADE – SGQ
Sistema Gestão da Qualidade
Objetivo da Função:
Garantir disponibilidade de informação atual no que respeita a
requisitos, normas e legislação, apoiar o desenvolvimento do SGQ.
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
Nota:
Independentemente da normativa em que a empresa
está certificada: EN ISO9001, EN9100, TS16946, outras
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
13/23
Atividades principais
Organizar e acompanhar a execução do programa de auditorias internas
ao SGQ;
Assegurar a atualização da informação relativa a Normas, Diretivas e
Legislação;
(Divulgar atempadamente novos requisitos normativos ou alterações, implementando-os);
Realizar auditorias ao SGQ;
Acompanhar as auditorias promovidas pelos clientes;
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
TÉCNICO DA QUALIDADE – SGQ
14/23
Atividades principais
Acompanhar e verificar a implementação das ações corretivas e
preventivas do SGQ;
Proceder à atualização documental de manuais, processos,
procedimentos e impressos do SGQ;
Disponibilizar dados, nomeadamente de controlo estatístico, para
monitorização e suporte à gestão do SGQ;
Colaborar na implementação de melhorias no produto/
processos produtivos;
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
TÉCNICO DA QUALIDADE – SGQ
15/23
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
16/23
TÉCNICO DE METROLOGIA
Objetivo da Função
Aplicar técnicas e procedimentos inerentes aos planos de controlo do
produto e do processo, garantindo a fiabilidade dos resultados das
medições, testes e ensaios efetuados.
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
17/23
Atividades principais:
Estudar a sequência, os métodos e as técnicas a seguir para controlo
dos materiais e/ou produtos, tendo em conta os planos de controlo e
processos de fabrico, especificações, normas e diretivas aplicáveis;
Participar na definição dos controlos, procedimentos e Instruções de
Verificação;
Efetuar / acompanhar a execução de testes e ensaios destrutivos e não
destrutivos em materiais e peças;
Assegurar articulação com Laboratórios, Institutos
e Entidades Certificadoras;
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
TÉCNICO DE METROLOGIA
18/23
Atividades principais:
Registar e analisar os resultados dos testes e verificações;
Elaborar e assegurar o programa de controlo e o estado de calibração
dos equipamentos de medição e monitorização;
Desenvolver estudos e interpretar Normas e Diretivas;
Garantir o tratamento e arquivo de registos e documentação técnica e
inerente à atividade desenvolvida.
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
TÉCNICO DE METROLOGIA
19/23
COORDENADOR DO CONTROLO DE QUALIDADE
Objetivo da Função
Gestão da Equipa.
Assegurar o cumprimento do plano de inspeção de peças, garantindo o
cumprimento das especificações do produto, dos requisitos do cliente,
do planeamento, dos níveis de qualidade e custos estabelecidos.
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
20/23
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
21/23
jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE
22/23
MUITO OBRIGADO!
Jorge Rodrigues
jrodrigues@vincovalves.com

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Apresentacao jornadas tecnicas_qualidade_4 edicao jorge rodrigues

Ufcd4329
Ufcd4329Ufcd4329
Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...
Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...
Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...
CRISLANIO MACEDO
 
[GUTS-RS] Agile Tester 3.0
[GUTS-RS] Agile Tester 3.0[GUTS-RS] Agile Tester 3.0
[GUTS-RS] Agile Tester 3.0
GUTS-RS
 
INTEGRAÇÃO JANEIRO 2019 ATUALIZADO.pptx
INTEGRAÇÃO JANEIRO  2019 ATUALIZADO.pptxINTEGRAÇÃO JANEIRO  2019 ATUALIZADO.pptx
INTEGRAÇÃO JANEIRO 2019 ATUALIZADO.pptx
DiegoMenezes36
 
QUALIDADE
QUALIDADEQUALIDADE
QUALIDADE
FormaoIFDEP
 
2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas
2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas
2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Conceitosdebsicosdequalidadedesoftware
ConceitosdebsicosdequalidadedesoftwareConceitosdebsicosdequalidadedesoftware
Conceitosdebsicosdequalidadedesoftware
Heuder Rodrigues de Sena
 
Conceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de softwareConceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de software
Ronney Moreira de Castro
 
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Adriana Sales Cordeiro
 
Projeto de Recursos Humanos
Projeto de Recursos HumanosProjeto de Recursos Humanos
Projeto de Recursos Humanos
Cíntia Torres da S de Souza
 
Apresentação De Depoimento De Cio Agco
Apresentação De Depoimento De Cio AgcoApresentação De Depoimento De Cio Agco
Apresentação De Depoimento De Cio Agco
Aghatha Maxi Consulting
 
Institucional
InstitucionalInstitucional
Institucional
Daniel Auzier
 
SGS Academy Moçambique
SGS Academy MoçambiqueSGS Academy Moçambique
SGS Academy Moçambique
SGS Portugal
 
Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...
Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...
Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...
Rio Info
 
Apresentação PF
Apresentação PFApresentação PF
Apresentação PF
camilats
 
Aula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdf
Aula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdfAula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdf
Aula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdf
GleydsonLima7
 
12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil
12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil
12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil
paulorga
 
Game Of Quality - Agile Brazil 2017
Game Of Quality - Agile Brazil 2017Game Of Quality - Agile Brazil 2017
Game Of Quality - Agile Brazil 2017
Rodrigo Murari Severo
 
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINALTCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
Andre Luis de Andrade
 
Sgs Academy Plano formação Leiria
Sgs Academy Plano formação LeiriaSgs Academy Plano formação Leiria
Sgs Academy Plano formação Leiria
SGS Portugal
 

Semelhante a Apresentacao jornadas tecnicas_qualidade_4 edicao jorge rodrigues (20)

Ufcd4329
Ufcd4329Ufcd4329
Ufcd4329
 
Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...
Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...
Integración de métodos ágiles a una empresa de nivel 5 cmmi dev- un caso de e...
 
[GUTS-RS] Agile Tester 3.0
[GUTS-RS] Agile Tester 3.0[GUTS-RS] Agile Tester 3.0
[GUTS-RS] Agile Tester 3.0
 
INTEGRAÇÃO JANEIRO 2019 ATUALIZADO.pptx
INTEGRAÇÃO JANEIRO  2019 ATUALIZADO.pptxINTEGRAÇÃO JANEIRO  2019 ATUALIZADO.pptx
INTEGRAÇÃO JANEIRO 2019 ATUALIZADO.pptx
 
QUALIDADE
QUALIDADEQUALIDADE
QUALIDADE
 
2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas
2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas
2012 09-17 - aula 07-09 - sistema de qualidade nas empresas
 
Conceitosdebsicosdequalidadedesoftware
ConceitosdebsicosdequalidadedesoftwareConceitosdebsicosdequalidadedesoftware
Conceitosdebsicosdequalidadedesoftware
 
Conceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de softwareConceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de software
 
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
 
Projeto de Recursos Humanos
Projeto de Recursos HumanosProjeto de Recursos Humanos
Projeto de Recursos Humanos
 
Apresentação De Depoimento De Cio Agco
Apresentação De Depoimento De Cio AgcoApresentação De Depoimento De Cio Agco
Apresentação De Depoimento De Cio Agco
 
Institucional
InstitucionalInstitucional
Institucional
 
SGS Academy Moçambique
SGS Academy MoçambiqueSGS Academy Moçambique
SGS Academy Moçambique
 
Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...
Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...
Encontro sobre Produtividade, inovação e qualidade - Iso 29110 x iso 9001: In...
 
Apresentação PF
Apresentação PFApresentação PF
Apresentação PF
 
Aula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdf
Aula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdfAula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdf
Aula 142_SGQ_ISO_9001_ ESTRUTURA.pdf
 
12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil
12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil
12º Encontro - GUG Porto Alegre/Brasil
 
Game Of Quality - Agile Brazil 2017
Game Of Quality - Agile Brazil 2017Game Of Quality - Agile Brazil 2017
Game Of Quality - Agile Brazil 2017
 
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINALTCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
 
Sgs Academy Plano formação Leiria
Sgs Academy Plano formação LeiriaSgs Academy Plano formação Leiria
Sgs Academy Plano formação Leiria
 

Mais de CICCOPN - Centro de formação Profissional da Industria da Construção Civil e Obras Públicas do Norte

ISO9001 - Aplicação prática no Setor da Construção Civil
ISO9001 -  Aplicação prática no Setor da Construção Civil               ISO9001 -  Aplicação prática no Setor da Construção Civil
Implementação do Lean na Construção
Implementação do Lean na ConstruçãoImplementação do Lean na Construção
eiC - Evolucao Certificacao Construcao Civil
eiC - Evolucao Certificacao Construcao CivileiC - Evolucao Certificacao Construcao Civil
Jornadas Qualidade 2019
Jornadas Qualidade 2019Jornadas Qualidade 2019
Apresentacao joao baptista_julho2019
Apresentacao joao baptista_julho2019Apresentacao joao baptista_julho2019
Apresentacao rui-cunha
Apresentacao rui-cunhaApresentacao rui-cunha
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshopsLearningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshopsLearningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Jornadas Qualidade - Business intelligence
Jornadas Qualidade - Business intelligence Jornadas Qualidade - Business intelligence
Jornadas qualidade - Bosch
Jornadas qualidade - BoschJornadas qualidade - Bosch
Qualidade desenvolvimento-produtos
Qualidade desenvolvimento-produtosQualidade desenvolvimento-produtos
Jornadas qualidade 2018 - ISO/IEC
Jornadas qualidade 2018 - ISO/IECJornadas qualidade 2018 - ISO/IEC
Equipas de Qualidade
Equipas de QualidadeEquipas de Qualidade
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no TrabalhoTrabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Jornadas da Qualidade no CICCOPN
Jornadas da Qualidade no CICCOPNJornadas da Qualidade no CICCOPN
A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...
A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...
A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...
CICCOPN - Centro de formação Profissional da Industria da Construção Civil e Obras Públicas do Norte
 
Guia controlo exposicao profissional a agentes químicos
Guia controlo exposicao profissional a agentes químicosGuia controlo exposicao profissional a agentes químicos
Guia luvas-Exposição profissional a agentes químicos
Guia luvas-Exposição profissional a agentes químicosGuia luvas-Exposição profissional a agentes químicos
Guia epi - Exposição profissional a agentes químicos
Guia epi - Exposição profissional a agentes químicosGuia epi - Exposição profissional a agentes químicos
Exposição profissional a agentes químicos
Exposição profissional a agentes químicosExposição profissional a agentes químicos

Mais de CICCOPN - Centro de formação Profissional da Industria da Construção Civil e Obras Públicas do Norte (20)

ISO9001 - Aplicação prática no Setor da Construção Civil
ISO9001 -  Aplicação prática no Setor da Construção Civil               ISO9001 -  Aplicação prática no Setor da Construção Civil
ISO9001 - Aplicação prática no Setor da Construção Civil
 
Implementação do Lean na Construção
Implementação do Lean na ConstruçãoImplementação do Lean na Construção
Implementação do Lean na Construção
 
eiC - Evolucao Certificacao Construcao Civil
eiC - Evolucao Certificacao Construcao CivileiC - Evolucao Certificacao Construcao Civil
eiC - Evolucao Certificacao Construcao Civil
 
Jornadas Qualidade 2019
Jornadas Qualidade 2019Jornadas Qualidade 2019
Jornadas Qualidade 2019
 
Apresentacao joao baptista_julho2019
Apresentacao joao baptista_julho2019Apresentacao joao baptista_julho2019
Apresentacao joao baptista_julho2019
 
Apresentacao rui-cunha
Apresentacao rui-cunhaApresentacao rui-cunha
Apresentacao rui-cunha
 
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshopsLearningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
 
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshopsLearningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
Learningshift divulgacao fevereiro 2019 - workshops
 
Jornadas Qualidade - Business intelligence
Jornadas Qualidade - Business intelligence Jornadas Qualidade - Business intelligence
Jornadas Qualidade - Business intelligence
 
Jornadas qualidade - Bosch
Jornadas qualidade - BoschJornadas qualidade - Bosch
Jornadas qualidade - Bosch
 
Qualidade desenvolvimento-produtos
Qualidade desenvolvimento-produtosQualidade desenvolvimento-produtos
Qualidade desenvolvimento-produtos
 
Jornadas qualidade 2018 - ISO/IEC
Jornadas qualidade 2018 - ISO/IECJornadas qualidade 2018 - ISO/IEC
Jornadas qualidade 2018 - ISO/IEC
 
Equipas de Qualidade
Equipas de QualidadeEquipas de Qualidade
Equipas de Qualidade
 
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no TrabalhoTrabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
 
Jornadas da Qualidade no CICCOPN
Jornadas da Qualidade no CICCOPNJornadas da Qualidade no CICCOPN
Jornadas da Qualidade no CICCOPN
 
A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...
A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...
A nova Norma Internacional ISO 45001:2018 – Sistema de Gestão da Segurança e ...
 
Guia controlo exposicao profissional a agentes químicos
Guia controlo exposicao profissional a agentes químicosGuia controlo exposicao profissional a agentes químicos
Guia controlo exposicao profissional a agentes químicos
 
Guia luvas-Exposição profissional a agentes químicos
Guia luvas-Exposição profissional a agentes químicosGuia luvas-Exposição profissional a agentes químicos
Guia luvas-Exposição profissional a agentes químicos
 
Guia epi - Exposição profissional a agentes químicos
Guia epi - Exposição profissional a agentes químicosGuia epi - Exposição profissional a agentes químicos
Guia epi - Exposição profissional a agentes químicos
 
Exposição profissional a agentes químicos
Exposição profissional a agentes químicosExposição profissional a agentes químicos
Exposição profissional a agentes químicos
 

Último

FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 

Último (20)

FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 

Apresentacao jornadas tecnicas_qualidade_4 edicao jorge rodrigues

  • 1. O que esperam as Empresas de um Técnico da Qualidade jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
  • 2. O que esperam as Empresas de um Técnico da Qualidade jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017
  • 3. O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 03/23
  • 4. O que é a qualidade ? jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 Importante é o : CLIENTE O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 04/23
  • 5. Juran: “Qualidade é adequação ao uso” Philip Crosby, : “Qualidade é conformidade às especificações”. Noriaki Kano: “Produtos e serviços que atendem ou excedem as expectativas do consumidor”. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O que é a qualidade ? O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 05/23
  • 6. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 Soft Skills As soft skills não são mais do que atitudes e comportamentos que facilitam a relação com os outros, melhoram desempenho profissional e o resultados da empresa. Atitude Positiva Capacidade de Comunicação Resiliência Resolução de Problemas Gestão do Tempo Trabalho em Equipa Potencial de Aprendizagem O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 06/23
  • 7. TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO Objetivo da Função: Assegurar a conformidade dos meios de produção, produtos semiacabados e produtos acabados (mesmo Matéria Prima), detetar e assinalar defeitos encontrados e acompanhar ações corretivas/preventivas para eliminação da sua ocorrência futura. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 07/23
  • 8. Atividades Principais: Realizar de instruções de verificação; Tratamento estatístico de controlo da qualidade; Inspecionar o produto, os materiais, de acordo com as instruções de verificação, especificações, desenhos, referenciais normativos e procedimentos internos; Identificar e reportar de não conformidades internas ou externas; Propor e acompanhar a implementação de ações corretivas ou de melhoria e reavaliar as situações corrigidas; jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO 08/23
  • 9. Atividades Principais: Registar os resultados dos testes e verificações; Garantir que as atividades designadas são desenvolvidas de acordo com as normas e os processos aplicáveis; Garantir o tratamento e arquivo de registos e documentação inerente à atividade que desenvolve; Sensibilizar para e cumprir os procedimentos internos da qualidade, ambiente, segurança, 5'S. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO KAIZEN / 5'S  (Melhoria Continua) Deve ser membro duma equipa permanente 09/23
  • 10. Habilitações e Experiência Habilitações mínimas Habilitações desejáveis Experiência mínima Experiência desejável 12º Ano Profissional / Preferência Técnico Qualidade Licenciatura em Engenharia e formação específica em técnicas de auditoria, Sistemas de gestão da qualidade e referenciais normativos Não necessita, se detentor de formação específica 1 ano jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 TÉCNICO DA QUALIDADE – PRODUTO/PROCESSO 10/23
  • 11. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 11/23
  • 12. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 Deteção de objetos estranhos no Produto / Processo  Oleodutos (Incluindo as Válvulas) Alimentação / Têxtil / Aeronáutica / Automóvel / Outros O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 12/23
  • 13. TÉCNICO DA QUALIDADE – SGQ Sistema Gestão da Qualidade Objetivo da Função: Garantir disponibilidade de informação atual no que respeita a requisitos, normas e legislação, apoiar o desenvolvimento do SGQ. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 Nota: Independentemente da normativa em que a empresa está certificada: EN ISO9001, EN9100, TS16946, outras O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 13/23
  • 14. Atividades principais Organizar e acompanhar a execução do programa de auditorias internas ao SGQ; Assegurar a atualização da informação relativa a Normas, Diretivas e Legislação; (Divulgar atempadamente novos requisitos normativos ou alterações, implementando-os); Realizar auditorias ao SGQ; Acompanhar as auditorias promovidas pelos clientes; jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 TÉCNICO DA QUALIDADE – SGQ 14/23
  • 15. Atividades principais Acompanhar e verificar a implementação das ações corretivas e preventivas do SGQ; Proceder à atualização documental de manuais, processos, procedimentos e impressos do SGQ; Disponibilizar dados, nomeadamente de controlo estatístico, para monitorização e suporte à gestão do SGQ; Colaborar na implementação de melhorias no produto/ processos produtivos; jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 TÉCNICO DA QUALIDADE – SGQ 15/23
  • 16. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 16/23
  • 17. TÉCNICO DE METROLOGIA Objetivo da Função Aplicar técnicas e procedimentos inerentes aos planos de controlo do produto e do processo, garantindo a fiabilidade dos resultados das medições, testes e ensaios efetuados. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 17/23
  • 18. Atividades principais: Estudar a sequência, os métodos e as técnicas a seguir para controlo dos materiais e/ou produtos, tendo em conta os planos de controlo e processos de fabrico, especificações, normas e diretivas aplicáveis; Participar na definição dos controlos, procedimentos e Instruções de Verificação; Efetuar / acompanhar a execução de testes e ensaios destrutivos e não destrutivos em materiais e peças; Assegurar articulação com Laboratórios, Institutos e Entidades Certificadoras; jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 TÉCNICO DE METROLOGIA 18/23
  • 19. Atividades principais: Registar e analisar os resultados dos testes e verificações; Elaborar e assegurar o programa de controlo e o estado de calibração dos equipamentos de medição e monitorização; Desenvolver estudos e interpretar Normas e Diretivas; Garantir o tratamento e arquivo de registos e documentação técnica e inerente à atividade desenvolvida. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 TÉCNICO DE METROLOGIA 19/23
  • 20. COORDENADOR DO CONTROLO DE QUALIDADE Objetivo da Função Gestão da Equipa. Assegurar o cumprimento do plano de inspeção de peças, garantindo o cumprimento das especificações do produto, dos requisitos do cliente, do planeamento, dos níveis de qualidade e custos estabelecidos. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 20/23
  • 21. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 21/23
  • 22. jrodrigues@vincovalves.comJorge Rodrigues, Novembro 2017 O QUE ESPERAM AS EMPRESAS DE UM TÉCNICO DE QUALIDADE 22/23