SlideShare uma empresa Scribd logo
Espaço das Religiões
Histórico ,[object Object]
Com dificuldade o MCC seguiu caminhando após a saída de Dom Helder e do Padre Fred. O Movimento trouxe como assessor espiritual Frei Aloisio Fragoso.,[object Object]
Pensou-se em montar o “antigo” espaço do Padre Fred focando o Natal. Frei Aloisio ponderou que o Natal é muito festejado pelos católicos, mas não tem a mesma importância para todos os cristãos. Era preciso pensar em algo mais amplo.
Frei Tito Figueiroa faz palestra no MCC sobre ecumenismo e diálogo interreligioso. A temática do espaço das religiões surgiu naturalmente: Diálogo Interreligioso.,[object Object]
Esse grupo ainda pequeno percebeu que tem à sua frente um empreendimento que pode dar bons frutos, mas é apenas uma semente e precisa ser pensado e apoiado por um grupo mais amplo. ,[object Object]
Objetivos ,[object Object]
Promover o conhecimento das tradições religiosas, o diálogo entre as religiões e a convivência entre os seguidores dos diversos caminhos espirituais. Esclarecer os diversos níveis de participação religiosa, do popular ao filosófico, enfatizando o conhecimento místico que se desenvolve entre e além das diversas expressões.,[object Object]
Cultivar um espaço destinado à escuta, à celebração e à meditação sobre as vivências da fé. Promover exercícios de comunhão com o outro, no silêncio nutrido pela própria religião e cultura, desejando colaborar para um novo espírito que deve se irradiar pela nossa região e fomentar uma sociedade pluralista e democrática.,[object Object]
Justificativas ,[object Object]
Destes, tudo o que fosse marcado pela antiguidade ou pelo valor estético, julgado assim por boa parte dos intelectuais e artistas, era digno de ser proclamado monumento histórico ou artístico.,[object Object]
Ampliou também a intervenção do Estado para conservar e preservar outras categorias de bens culturais.
Deste esforço surgiu, então, o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial, oficializado nos artigos 215 e 216 da CF.,[object Object]
A Procissão do Círio de Nazaré em Belém do Pará;
A Festa do Divino em Pirenópolis, Goiás;
A Lagoa Sagrada do Awareté, lugar sagrado dos indígenas do Alto Rio Negro;
A Casa Nova do Engenho Velho, do Candomblé baiano.,[object Object],[object Object]
Ao mesmo tempo, é importante que haja sítios onde se respirem e se vivenciem os valores da espiritualidade, da transcendência, propiciados por experiências do Sagrado, sob suas formas as mais variadas.,[object Object]
É quando acontece o conectar-se com a dimensão religiosa, nem sempre ligada a uma Tradição ou Igreja determinadas, mas, ostentando a busca da humanidade, ontem como hoje, por vivenciar experiências de superação.
Nestas, a mente humana tenta encontrar respostas para perguntas fundamentais, descobrir lugares de refúgio das lutas cotidianas, reforço espiritual para se manter de pé, em casos de revezes da existência.,[object Object]
Um Espaço Educacional, informativo, de índole inter-religiosa;
Um Espaço para reposição de energias psicoafetivas e espirituais;
Um mergulho na ânsia, sempre antiga e sempre nova, por paz, reconhecimento, valorização;
Um recurso aos poderes transcendentes do Sagrado, seja para encontrar neles o que lhe foi negado pelos seus semelhantes, seja para obter forças para lutar por dias melhores para si e os seus.,[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Apresentacao espaco religioes

Observatorio das religioes 2018
Observatorio das religioes 2018Observatorio das religioes 2018
Observatorio das religioes 2018
Gilbraz Aragão
 
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino ReligiosoOs cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
acs8cre
 
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
Virna Salgado Barra
 
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
domeduardo
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
Gelson Rocha
 
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Marissonia De Deus Santos
 
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Marissonia De Deus Santos
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
keiciany
 
pcner-int.pdf
pcner-int.pdfpcner-int.pdf
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º anoCurrículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
tecnicossme
 
PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...
PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...
PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...
Filipe Rhuan
 
Parque das Religiões
Parque das ReligiõesParque das Religiões
Parque das Religiões
Gilbraz Aragão
 
educar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdf
educar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdfeducar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdf
educar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdf
Oswaldo Cruz
 
Religiao tradicional africana_em_mocambi
Religiao tradicional africana_em_mocambiReligiao tradicional africana_em_mocambi
Religiao tradicional africana_em_mocambi
Alfane Gonçalves
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
roberto mosca junior
 
Diocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matéria
Diocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matériaDiocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matéria
Diocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matéria
Roberto Rabat Chame
 
A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
Marco Aurélio
 
A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
Karine Serrano
 
História da Igreja Moderna
História da Igreja ModernaHistória da Igreja Moderna
História da Igreja Moderna
Alberto Simonton
 
Cultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve Church
Cultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve ChurchCultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve Church
Cultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve Church
Raquel Salcedo Gomes
 

Semelhante a Apresentacao espaco religioes (20)

Observatorio das religioes 2018
Observatorio das religioes 2018Observatorio das religioes 2018
Observatorio das religioes 2018
 
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino ReligiosoOs cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
 
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
 
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
 
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
Oscincograndeeixoser 110415203723-phpapp02
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 
pcner-int.pdf
pcner-int.pdfpcner-int.pdf
pcner-int.pdf
 
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º anoCurrículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
 
PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...
PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...
PROJETO DO MINISTÉRIO ECLESIASTICO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM IMPERATRIZ...
 
Parque das Religiões
Parque das ReligiõesParque das Religiões
Parque das Religiões
 
educar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdf
educar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdfeducar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdf
educar-para-a-cultura-e-os-bens-culturais (1).pdf
 
Religiao tradicional africana_em_mocambi
Religiao tradicional africana_em_mocambiReligiao tradicional africana_em_mocambi
Religiao tradicional africana_em_mocambi
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
 
Diocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matéria
Diocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matériaDiocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matéria
Diocese de ilhéus 1º encontro do cnlb matéria
 
A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A música-litúrgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
 
A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
A musica-liturgica-no-brasil-estudo-cnbb-79
 
História da Igreja Moderna
História da Igreja ModernaHistória da Igreja Moderna
História da Igreja Moderna
 
Cultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve Church
Cultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve ChurchCultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve Church
Cultura juvenil religiosa: caso Bola de Neve Church
 

Mais de Gilbraz Aragão

A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
Gilbraz Aragão
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Gilbraz Aragão
 
LIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsx
LIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsxLIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsx
LIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsx
Gilbraz Aragão
 
Apresentacao_banca final.pptx
Apresentacao_banca final.pptxApresentacao_banca final.pptx
Apresentacao_banca final.pptx
Gilbraz Aragão
 
Apresentação Dissertação .pptx.pdf
Apresentação Dissertação .pptx.pdfApresentação Dissertação .pptx.pdf
Apresentação Dissertação .pptx.pdf
Gilbraz Aragão
 
Religiões e Ética
Religiões e ÉticaReligiões e Ética
Religiões e Ética
Gilbraz Aragão
 
Viagem ao sertão
Viagem ao sertão Viagem ao sertão
Viagem ao sertão
Gilbraz Aragão
 
Transdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religioso
Transdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religiosoTransdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religioso
Transdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religioso
Gilbraz Aragão
 
simpósio ecumenismo e missão
simpósio ecumenismo e missãosimpósio ecumenismo e missão
simpósio ecumenismo e missão
Gilbraz Aragão
 
Pernambuco resolução cee 0506
Pernambuco   resolução cee 0506Pernambuco   resolução cee 0506
Pernambuco resolução cee 0506
Gilbraz Aragão
 
A espiritualidade de dom helder comblin
A espiritualidade de dom helder   comblinA espiritualidade de dom helder   comblin
A espiritualidade de dom helder comblin
Gilbraz Aragão
 
Aula inaugural de marcelo barros ciências da religião unicap
Aula inaugural de marcelo barros   ciências da religião unicapAula inaugural de marcelo barros   ciências da religião unicap
Aula inaugural de marcelo barros ciências da religião unicap
Gilbraz Aragão
 
O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...
O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...
O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...
Gilbraz Aragão
 
Forum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbraz
Forum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbrazForum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbraz
Forum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbraz
Gilbraz Aragão
 
Fausto e religioes, artigo de gilbraz
Fausto e religioes, artigo de gilbrazFausto e religioes, artigo de gilbraz
Fausto e religioes, artigo de gilbraz
Gilbraz Aragão
 
Ensino religioso, desafios e perspectivas
Ensino religioso, desafios e perspectivasEnsino religioso, desafios e perspectivas
Ensino religioso, desafios e perspectivas
Gilbraz Aragão
 
Movimento encontro de irmãos
Movimento encontro de irmãosMovimento encontro de irmãos
Movimento encontro de irmãos
Gilbraz Aragão
 

Mais de Gilbraz Aragão (18)

A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
LIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsx
LIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsxLIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsx
LIBERDADE DE RELIGIÃO E DE CONSCIÊNCIA.ppsx
 
Apresentacao_banca final.pptx
Apresentacao_banca final.pptxApresentacao_banca final.pptx
Apresentacao_banca final.pptx
 
Apresentação Dissertação .pptx.pdf
Apresentação Dissertação .pptx.pdfApresentação Dissertação .pptx.pdf
Apresentação Dissertação .pptx.pdf
 
Religiões e Ética
Religiões e ÉticaReligiões e Ética
Religiões e Ética
 
Viagem ao sertão
Viagem ao sertão Viagem ao sertão
Viagem ao sertão
 
Transdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religioso
Transdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religiosoTransdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religioso
Transdisciplinaridade, ciências da religião e ensino religioso
 
simpósio ecumenismo e missão
simpósio ecumenismo e missãosimpósio ecumenismo e missão
simpósio ecumenismo e missão
 
Pernambuco resolução cee 0506
Pernambuco   resolução cee 0506Pernambuco   resolução cee 0506
Pernambuco resolução cee 0506
 
A espiritualidade de dom helder comblin
A espiritualidade de dom helder   comblinA espiritualidade de dom helder   comblin
A espiritualidade de dom helder comblin
 
Recife
RecifeRecife
Recife
 
Aula inaugural de marcelo barros ciências da religião unicap
Aula inaugural de marcelo barros   ciências da religião unicapAula inaugural de marcelo barros   ciências da religião unicap
Aula inaugural de marcelo barros ciências da religião unicap
 
O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...
O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...
O que e religiao, agora. texto de gilbraz pro congresso religiao e cultura da...
 
Forum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbraz
Forum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbrazForum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbraz
Forum dialogo na assembleia legislativa, fala de gilbraz
 
Fausto e religioes, artigo de gilbraz
Fausto e religioes, artigo de gilbrazFausto e religioes, artigo de gilbraz
Fausto e religioes, artigo de gilbraz
 
Ensino religioso, desafios e perspectivas
Ensino religioso, desafios e perspectivasEnsino religioso, desafios e perspectivas
Ensino religioso, desafios e perspectivas
 
Movimento encontro de irmãos
Movimento encontro de irmãosMovimento encontro de irmãos
Movimento encontro de irmãos
 

Último

1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 

Último (18)

1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 

Apresentacao espaco religioes

  • 2.
  • 3.
  • 4. Pensou-se em montar o “antigo” espaço do Padre Fred focando o Natal. Frei Aloisio ponderou que o Natal é muito festejado pelos católicos, mas não tem a mesma importância para todos os cristãos. Era preciso pensar em algo mais amplo.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Ampliou também a intervenção do Estado para conservar e preservar outras categorias de bens culturais.
  • 13.
  • 14. A Procissão do Círio de Nazaré em Belém do Pará;
  • 15. A Festa do Divino em Pirenópolis, Goiás;
  • 16. A Lagoa Sagrada do Awareté, lugar sagrado dos indígenas do Alto Rio Negro;
  • 17.
  • 18.
  • 19. É quando acontece o conectar-se com a dimensão religiosa, nem sempre ligada a uma Tradição ou Igreja determinadas, mas, ostentando a busca da humanidade, ontem como hoje, por vivenciar experiências de superação.
  • 20.
  • 21. Um Espaço Educacional, informativo, de índole inter-religiosa;
  • 22. Um Espaço para reposição de energias psicoafetivas e espirituais;
  • 23. Um mergulho na ânsia, sempre antiga e sempre nova, por paz, reconhecimento, valorização;
  • 24.
  • 25. Organização Fase de Constituição do ER a. Conselho Gestor Formado por pessoas de diferentes profissões e credos que entendem a importância do diálogo inter-religioso como caminho do homem chegar a Deus e que desejam empreender uma ação concreta para que o Encontro com Ele aconteça, criando um ambiente favorável – o Espaço das Religiões. b. Conselho Científico Formado por cientistas, intelectuais, professores e pessoas em geral que se dedicam à pesquisa, ensino, extensão e atividades práticas da ciência das religiões, que funcionarão como a base científica do ER. c. Conselho Consultivo Formado por pessoas que exercem funções e que praticam diferentes religiões que funcionarão como consultores na definição das temáticas e instalações afins que devem integrar o ER.
  • 26.
  • 27. Ao Conselho Científico caberão as ações mais técnicas para atingimento dos objetivos do ER, calcadas nos estudos e teses científicas relacionadas aos carismas e práticas rituais das diferentes tradições religiosas.
  • 28.
  • 29. No estágio atual há uma tendência de se optar por uma Fundação, considerada o tipo mais adequado tanto para viabilizar, nesta Fase de Constituição, a busca de recursos e incentivos governamentais junto a órgãos de fomento da administração pública dos três poderes como para a fase operacional que requererá uma organização cuja estrutura facilite uma administração competente e ágil.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33. Algumas referências: Museu do Futebol, São Paulo, inaugurado em 2008, ocupa área de 6,9 mil m² embaixo da arquibancada (parte) do Estádio do Pacaembu, investimento de R$ 32,5 milhões. Museu da Língua Portuguesa, São Paulo, inaugurado em 2006, 4.333,62 m² de área construída em 03 pavimentos, implantado no prédio da Estação da Luz , investimento de R$37,0 milhões (inclui restauro do prédio).
  • 34.
  • 35.
  • 36. Como viverão os crentes após a era Moderna?
  • 37. Continuarão os conflitos e lutas como na Idade Média e na Modernidade?