SlideShare uma empresa Scribd logo
Tendências na Educação a Distância e
  Educação Aberta na Computação

Itana M. S. Gimenes (UEM)
Leonor Barroca (Open University/UK)
 Valeria Delisandra Feltrim (UEM)

               CSBC 2012
                  JAI 01
               Julho, 2012
Objetivo                                              Educação
                                                       aberta

  Computação
                                                        Recursos
                                                       Educacionais
                          Educação a
                                                      Abertos (REA)
                           distância


      Tecnologia                                      Perspectivas:
       Web 2.0                                      Educação Híbrida,
                                                      MOOCS, etc

—    Apresentar as tendências da educação a distância e educação
      aberta na área de computação, considerando a evolução
      tecnológica e dos recursos e perspectivas da Web 2.0 (ex., redes
      sociais, twitters e blogs) neste contexto.

                                           JAI 01                        2
Agenda
1.    Motivação no contexto da computação
2.    Educação a distância
3.    Educação aberta
4.    Recursos Educacionais Abertos
5.    Sustentabilidade
6.    Discussões e perspectivas




                                JAI 01      3
Motivação
—    Como a computação pode se beneficiar dos recursos
      tecnológicos para melhorar o ensino-aprendizagem de
      seus conteúdos?




                                   JAI 01                   4
Motivação
—    Como aproveitar os mecanismos oferecidos pela
      educação a distância, pela educação aberta e pelos REAs
      para ampliar a formação de recursos humanos e o nível
      intelectual da população?




                                                    http://vimeo.com/43401199

               198 milhões de vagas de nível superior
               serão acrescidas de 98 milhões em 2025
               - crescimento não será acompanhado do
               aumento proporcional em termos de
               recursos humanos e financeiros

                                                 JAI 01                         5
JAI 01   6
Educação a distância
—    “o processo educacional no qual uma proporção
      significativa do ensino é conduzida por alguém afastado,
      no espaço e no tempo, do aluno” (Perraton, 2000).




                                      JAI 01                     7
The Open University (OU)
—    Pode-se dizer que a educação a distância começou na
      Grã-Bretanha nos anos 60 com a criação da Open
      University (OU).
—    A criação da OU foi motivada pela necessidade de
      tornar o ensino universitário acessível a uma população
      adulta que tinha perdido a oportunidade de entrar no
      ensino universitário tradicional.
—    No caso da OU, o termo Open é parte integrante da
      missão da universidade ⎯ Open to people, places,
      methods and ideas, mas é também usado de uma forma
      mais restrita para caracterizar a omissão de requisitos
      formais de entrada na universidade.

                                     JAI 01                     8
O Modelo SOL da OU
          •    Cursos são desenvolvidos por um grupo de profissionais
               que inclui:
                •  docentes responsáveis pelo conteúdo curricular;
                •  profissionais de áreas diversas, desde a educação e projeto até
                   ao desenvolvimento de software de apoio e direito autorais; e,
                •  examinadores externos que contribuem com feedback
                   acadêmico e/ou profissional para o desenvolvimento do curso.


                        Qualidade

          Dedicação
          exclusiva
                            Pesquisa
 Escala
260.000
 alunos          Infraestrutura
                                                     JAI 01                          9
Educação a distância e a Web 2.0
   —    Pedagogia e a tecnologia podem caminhar para uma
         integração harmoniosa (Beetham & Sharpe, 2007).
                          Mobilidade
     Produção e o                               Serviços de rede e
     acesso à                                   computação
     informação



Compartilhamento




                                       JAI 01                        10
Categorias de ferramentas Web 2.0 (Crook
et al. ,2008)
—    compartilhamento de mídia,
—    manipulação de mídia,
—    arenas de conversa,
—    jogos online e mundos virtuais,
—    redes sociais,
—    blogs,
—    social bookmarking,
—    sistemas de recomendação,
—    edição colaborativa, wikis, e
—     RSS feeds.


                                        JAI 01   11
Uso de Ferramentas Web 2.0 na OU
—    Portal do Moodle, denominado StudentHome (fóruns, wikis e
      blogs).
      ◦  materiais educacionais e avaliações, a fóruns online específicos e a
         um conjunto extenso de recursos: links da biblioteca, a eventuais
         sessões virtuais de tutoriais.
—    Elluminate (Blackboard).
—    Plataforma Google Apps para a Educação (Google Apps for
      Education): conta de email, habilidade para criação de
      documentos, armazenamento e compartilhamento e espaços
      virtuais.
—    Wikis e ferramentas de edição colaborativas têm sido
      efetivamente utilizadas para apoiar a reflexão e colaboração,
      pois ajudam os alunos tanto no trabalho em grupo quanto no
      desenvolvimento de habilidades de escrita acadêmica.


                                               JAI 01                           12
Exemplo 1: Disciplina Engenharia de
Requisitos
—  é um componente do MSc em desenvolvimento
    de software.
—  exemplo do uso de wikis e ferramentas de
    edição colaborativas para apoiar a reflexão e a
    colaboração.
—  auxiliam os alunos nos trabalhos em grupo e no
    desenvolvimento de suas habilidades de escrita
    acadêmica (ex., por meio da elaboração da
    especificação de requisitos).


                             JAI 01               13
Exemplo 1: Disciplina Engenharia de
Requisitos




                         JAI 01       14
Mapeamento dos objetivos de
                       aprendizagem para as tarefas do
                       curso
Knowledge
and
understanding


                               Professional & Practical




                                    Key skills


Cognitive skills

                   JAI 01                           15
Indicação de
                                 materiais
  Guia de estudos
                             complementares
construído sobre um
     livro texto




                       Trabalho               Exames
                      em Grupo

                            JAI 01                     16
JAI 01   17
Elluminate Live!




                   JAI 01   18
Blackboard Collaborate




                     JAI 01   19
Exemplo 2: MPhil Virtual em Computação
—    Programa inovador, disponível inteiramente à distância e
      utiliza várias ferramentas de apoio da Web 2.0 para fomentar
      uma comunidade de pesquisa online na qual se praticam as
      habilidades de pesquisa.
—    Utiliza-se um portal Moodle integrado a um sistema
      ePortfolio, um sistema de sala de aula virtual síncrono
      (Elluminate Live!)
—    Um campus virtual de propósito específico (em Second Life).
—    Os alunos também têm a flexibilidade de usar outras
      tecnologias gratuitas populares, como ligações telefônicas
      gratuitas pela internet (ex. Skype ou Gtalk) ou redes sociais.
—     A estrutura desenvolvida para apoiar os alunos é centrada
      em temas de pesquisa, incluindo alunos engajados em
      pesquisa, supervisores e seus colaboradores de pesquisa.

                                         JAI 01                        20
JAI 01   21
Exemplo 3: My Digital Life
—  Propósito tanto de introduzir conhecimentos básicos como
    também de ensinar habilidades básicas de estudo.
—  Atrair um maior número de alunos para os cursos de computação
    e de mantê-los motivados a prosseguir seus estudos nessa área.
—  Como parte de um projeto inovador, nessa disciplina, o Scratch
    (Richards & Smith, 2010) (Richards, Petre, & Bandara, 2012) foi
    adotado e estendido para oferecer aos alunos um ambiente de
    programação que promovesse o desenvolvimento de habilidades
    básicas de programação.
—  Ambiente Sense , construído como um projeto de código aberto,
    foi distribuído aos alunos do curso. Sense possui uma placa (o
    SenseBoard) que possibilita a escrita e leitura de dados através da
    Internet, permitindo a exploração e o ensino de computação
    ubíqua a alunos do primeiro ano.


                                         JAI 01                           22
JAI 01   23
Ferramentas Web 2.0                        Exemplos de aplicação

Virtual Learning Environment (VLE), ex:    Agem como o principal portal de
Moodle e Elluminate                        interação entre instituições e os alunos.
Wikis e ferramentas de edição              Apoiam a reflexão e colaboração; podem
colaborativas, ex: wikis no Moodle         ajudar os alunos com trabalho em grupo
                                           e desenvolvimento de habilidades de
                                           escrita acadêmica.
Blogs, ex: http://se9book.wordpress.com/   Apoiam os educadores e grupos na
                                           organização e disseminação de
                                           conhecimento de uma forma mais
                                           interativa e dinâmica do que como era
                                           feito antes com páginas Web.




                                                  JAI 01                           24
Ferramentas Web 2.0                         Exemplos de aplicação

Social Bookmarking, ex: BibSonomy, delicious Apoiam a revisão bibliográfica, grupos de
                                             pesquisa, e a escrita de projetos de final
                                             de curso e teses.
Mensagens instantâneas, ex: Skype chat,     Apoiam a supervisão e comunicação com
Google talk, Messenger e Twitter            alunos e entre alunos.
Redes Sociasis, ex: Facebook, Google+,      Apoiam a integração entre os estudantes.
Cloudworks
Compartilhamento de mídia, ex: Youtube, Apoiam a integração entre os estudantes.
Flickr, Slideshare




                                                    JAI 01                           25
Ferramentas Web 2.0                         Exemplos de aplicação

Compartilhamento de mídia, ex:              São usados para busca por informações
Youtube, Flickr, Slideshare                 adicionais e aquisição de conhecimento
                                            informal.
Mundo virtual, ex. Second life              Podem fornecer um campus virtual para
                                            os alunos, ou a possibilidade de criar
                                            cenários para simulações de
                                            experimentos reais.
Jogos, ex: SIMPLE (SIMulated Professional   Usado comumente para treinamento
Learning Environment). http://              profissional.
www.ukcle.ac.uk/projects/past-projects/
tle/




                                                   JAI 01                            26
Questões sobre o uso de Ferramentas Web
2.0
—    Reconhecimento acadêmico
—    Segurança e privacidade
—    Ansiedades que o uso dessas ferramentas pode criar
      nos alunos, uma vez que elas, usualmente, envolvem um
      certo nível de exposição pública ao qual os alunos não
      estão necessariamente acostumados.
—    Mudança do papel do educador: decidir o nível de
      envolvimento, aceitar o esforço adicional para iniciar a
      infraestrutura de apoio necessária, gerenciar e moderar.
—    O educador deixa de ser o “fornecedor de informação”,
      e passa a ser um facilitador ou moderador. Isso implica
      que há necessidade de treinamento dos educadores
      para que possam se adaptar a esse novo contexto.

                                     JAI 01                  27
Projeto de Aprendizagem
—    Infraestrutura robusta e complexa de apoio tanto a
      produção, quanto para a apresentação de cursos.
—    Os professores da OU, por exemplo, não ministram aulas (no
      sentido tradicional) a distância; em vez disso, eles estão
      envolvidos na preparação de materiais de alta qualidade que
      são o principal instrumento de educação na maior parte dos
      cursos.
—    Os materiais consistem tanto de materiais educacionais
      escritos especificamente para o curso quanto de áudio, vídeo
      e outros materiais educativos interativos selecionados para
      apoiar o curso.
—    A elaboração de um curso é sempre feita por um grupo e
      envolve uma grande quantidade de pessoal de apoio, que
      inclui, em geral: um gerente de projeto, um Web designer, um
      desenvolvedor de software, um bibliotecário, um técnico
      educacional e um assessor acadêmico externo.

                                       JAI 01                    28
Projeto de aprendizagem
—    Projeto do curso se preocupa com o mapeamento de
      habilidades com as tarefas.
      ◦  Conhecimento e compreensão – conteúdo e matéria do curso;
      ◦  Habilidades cognitivas – análise e síntese do conteúdo do curso;
      ◦  Habilidades chave – habilidades mais gerais, como comunicação,
         uso de TICs, liderança e trabalho em grupo; e
      ◦  Habilidades práticas e profissionais – habilidades específicas da
         área de estudo.
—    Quando o projeto do curso envolve ferramentas Web
      2.0 é importante que elas estejam bem integradas aos
      objetivos pedagógicos do curso e as tarefas
      correspondentes.

                                            JAI 01                           29
Produção e pesquisa
—    Além do processo de produção existem várias
      pesquisas em andamento.
—    IET - OULDI
—    KMI
—    MCT




                                   JAI 01           30
JAI 01   31
JAI 01   32
JAI 01   33
JAI 01   34
JAI 01   35
JAI 01   36
JAI 01   37
JAI 01   38
JAI 01   39
Part I – Comentários Finais
—    Esta parte da apresentação contempla o cenário da
      educação a distância contemporânea enriquecido com
      exemplos de cursos da Open University na área de
      computação.




                                   JAI 01                  40
Agenda
1.    Motivação
2.    Educação a distância
3.    Educação aberta
4.    Recursos Educacionais Abertos
5.    Sustentabilidade
6.    Discussões e perspectivas




                                 JAI 01   41
Educação Aberta
—    É necessário entender o papel da universidade no
      mundo contemporâneo
—    West (2010) afirma que a abertura no ensino superior:
      ◦  é o espírito verdadeiro da educação, da democratização e do
         crescimento social - é um estimulo a reflexão, a aprendizagem e
         ao trabalho conjunto;
      ◦  impulsiona a inovação, a cooperação e a competição no mundo
         inteiro;
      ◦  permite o compartilhamento e o acesso a materiais de alto
         custo que envolvem conteúdos intelectuais valiosos; e
      ◦  divulga valores nacionais e institucionais.




                                           JAI 01                          42
Educação Aberta
—  West (2010) destaca que estamos observando o
    surgimento de uma Meta-Universidade que
    transcende os limites geográficos, é acessível e constrói
    um arcabouço de materiais abertos a partir do qual a
    educação global pode crescer e melhorar.
—  Na concepção de entusiastas da ideia de abertura, como
    Wiley (2010):
  “Se o professor não compartilhar o que ela ou ele
        sabe, a educação não está acontecendo”.




                                   JAI 01                   43
O Termo Educação “Aberta”
—  Do ponto de vista da OU, o termo “Aberta” é
    parte integrante de sua missão, mas significa
    também a não existência de requisitos de
    ingresso para o aluno.
—  No caso do Brasil (Santos, 2012), o termo
    “Aberta”, em Universidade Aberta do Brasil, se
    refere ao acesso gratuito à educação por meio
    da rede pública de educação a distância.




                             JAI 01                  44
Educação Aberta Contemporânea
—         Aquela que incorpora os novos recursos
           tecnológicos para oferecer uma
           educação:
      ◦     alternativa, flexível, colaborativa
      ◦     sem as restrições do ensino tradicional
      ◦     valoriza a aprendizagem autônoma,
      ◦     rompe as barreiras geográficas e
      ◦     forma comunidades virtuais de
            aprendizagem.

                                   JAI 01             45
Disponibilidade para se doar e          Materiais educacionais vem
          compartilhar                    sendo produzidos por
                                          meio de livros ou artigos
                                          que são comercializados



                                                                   Sobrecarga
                                                                   de trabalho



http://gowers.wordpress.com/2012/01/21/elsevier-
my-part-in-its-downfall/

                                              JAI 01                        46
Declaração sobre Educação Aberta da
cidade do Cabo (2007)
—    Assinada por 2.590 educadores e organizações.
—    Convida envolvidos a compartilhar a visão de abertura
      para que se comprometam com a promoção da
      educação aberta.




             http://www.capetowndeclaration.org/

                                           JAI 01             47
Cenário da Educação Aberta




                     JAI 01   48
Educação Aberta
—    Os elementos envolvidos no cenário de educação
      aberta formam um ecossistema que permite uma
      aprendizagem social, que pode auxiliar no aumento da
      oferta de oportunidades de formação de profissionais
      qualificados (Brown & Adler, 2008) e aumentar o acesso
      a educação à sociedade em geral.




                                    JAI 01                     49
Educação Aberta
—  Abrange desde aspectos pedagógicos até a
    infraestrutura tecnológica e de pessoal de
    apoio.
—  O estabelecimento de comunidades virtuais,
    bem como formas de conviver, complementar e
    reutilizar conteúdos. Ex. comunidade de
    software livre.
—  Estratégias de aprendizagem já disponíveis na
    educação formal em instituições estabelecida e
    o uso eficiente dos novos recursos
    tecnológicos, como as ferramentas Web 2.0.
                             JAI 01                  50
O Projeto OpenED




    http://www.open-ed.eu/
                             JAI 01   51
O Projeto OpenSE




          http://opense.net/


                               JAI 01   52
O Projeto openSE
—     O openSE almejou oferecer um ambiente que pudesse:
      juntar aprendizagem formal e informal e estimular
      experiências de aprendizagem colaborativas que
      promovessem atividades hands-on que por sua vez também
      produzissem recursos de aprendizagem.
—    O caso de Laura:
      ◦  Aluna de ensino médio que se entusiasmou por programação.
      ◦  fez cursos e tutoriais para adquirir habilidades de programação,
         assim como interagiu com outros alunos.
      ◦  aproveitou uma oportunidade de estágio supervisionado, oferecida
         por meio do openSE, no projeto Joomla.
      ◦  Se tornou membro do grupo de desenvolvimento deste projeto que
         visa a construção de padrões de portais para escola.
      ◦  graduou-se no ensino médio e começou a prestar serviços de
         construção de portais para escolas.

                                           JAI 01                       53
Part II – Comentários Finais
—    Educação aberta incorpora recursos tecnológicos e
      amplia as oportunidades de educação em todo o
      mundo.
—    REA é um dos componentes mais importantes da
      educação aberta.




                                  Educação saindo dos muros
                                  da Universidade




                                    JAI 01                    54
JAI 01   55
Agenda
1.    Motivação
2.    Educação a distância
3.    Educação aberta
4.    Recursos Educacionais Abertos
5.    Sustentabilidade
6.    Discussões e perspectivas




                              JAI 01   56
Recursos Educacionais Abertos (REAs)
—    REAs podem ser definidos como materiais de
      ensino, aprendizagem e pesquisa, em
      qualquer meio de armazenamento, que estão
      amplamente disponíveis para a comunidade por
      meio de uma licença aberta que permite
      reuso, readequação e redistribuição para
      outros sem restrições ou com restrições
      limitadas (Atkins, 2007) (Butcher, 2011).




                               JAI 01            57
Exemplos de REAs




                   JAI 01   58
Termos relacionados
—  OpenCourseWare usado no OCW consortium ou MIT
    OpenCourseWare.
—  Objetos de aprendizagem: “…ferramentas interativas baseadas na
    web que apoiam o aprendizado de conceitos específicos
    incrementando, ampliando, ou guiando o processo cognitivo dos
    aprendizes”. Hay e Knaack (2007, p. 6) apud Amiel et al (2011).
—  “O conceito de objeto de aprendizagem tornou-se engessado e
    confuso, em parte pela enormidade de padrões, sistemas e projetos
    que tentam definir e direcionar o conceito (WILEY, 2007)” http://
    opencontent.org/presentations/bcnet07/
—  O termo REA, que engloba o conceito de objeto de aprendizagem
    enfatizando o conceito de abertura. Isso inclui direitos de uso,
    reúso, revisão, remix e redistribuição (WILEY, 2007b; [s.d.(b)]), bem
    como facilidades técnicas de adaptação.


                                          JAI 01                        59
Abertura
           —  Social – doação
           —  Localização
           —  Adaptação
           —  Dificuldades de “pay
               and collect”
           —  Granularidade
           —  Formação de
               comunidades
               inspirado em
               software livre

                 JAI 01               60
Os 4 Rs
— Reusar
— Revisar
— Remixar
— Redistribuir



                  JAI 01   61
Reusar
—    O direito de usar o conteúdo em sua forma original ou
      modificada (ex. fazer uma cópia).




                                   Reproduzir



Cambridge, UK



                                    JAI 01                    62
Revisar
—    O direito de adaptar, ajustar, modificar, ou alterar o
      próprio conteúdo (ex. traduzir o conteúdo para outra
      língua);


                                    Traduzir e Reproduzir


                                    Adicionar ilustrações,
                                    exemplos e
                                    Reproduzir

                                     JAI 01                    63
Remixar
—    Remixar: o direito de combinar o original ou o revisado
      com outro conteúdo para criar algo novo (ex.
      incorporar o conteúdo em um mash up).




                          Grady Booch: "The Promise, the Limits, the
                          Beauty of Software”,
                          http://www.youtube.com/watch?v=adiVOdztQ34

                                      JAI 01                      64
Redistribuir
—    O direito de compartilhar cópias do conteúdo original,
      das revisões ou mixagens com outros (ex. dar uma
      cópia do conteúdo para um amigo).




                                     JAI 01                    65
Disseminação de REA
—    Qualidade
—    Posições políticas e profissionais


  O estabelecimento de políticas de
  incentivo, estratégias de conectividade,
  padronização e disseminação de REAs




                                       JAI 01   66
Professor

—    Conciliar a produção de REAs com as demais tarefas
      e as restrições de tempo;
—    Obter reconhecimento profissional por esse tipo de
      produção intelectual;
—    Adaptar-se a realidade da imensa disponibilidade de
      recursos online e assim guiar seus alunos no
      aproveitamento desses recursos;
—    Incentivar os alunos a participar ativamente de
      comunidades de aprendizagem; e,
—    Compreender o valor das políticas de licença aberta.


                                     JAI 01                  67
Alunos
—  Devem ser mais ativos e autônomos e
—  Preocupados com cidadania, empregabilidade,
    habilidades de comunicação, criatividade e
    inovação.
—  Portanto, devem também divulgar seus
    trabalhos por meio de REAs em sintonia com
    seus educadores;
—  Se preocupar com a qualidade dos REAs; e
—  Ter um papel ativo nas comunidades virtuais
    para promover o consumo e a produção de
    REAs.
                            JAI 01                68
Reflexão
—    Discutir e elencar três sugestões de mudanças
      para contribuir com a disseminação de REAs
      nos nossos ambientes
      ◦  Governo
      ◦  SBC
      ◦  Instituição
      ◦  Professor
      ◦  Aluno




                                JAI 01                69
Do MIT Open Courseware ao OCW
Consortium
—    Em 2000, o MIT nomeou um comitê para estudar uma
      estratégia para lidar com a influência da Internet na
      educação superior.
—    Dificuldade vislumbrada em oferecer educação a
      distância de forma rentável, bem como de compatibiliza-
      la com a missão do instituto de disseminar
      conhecimento.
—    O comitê propôs disponibilizar gratuitamente todo o
      conteúdo de cursos de graduação e pós-graduação,
      incluindo ementas, notas de aula, exercícios e exames.



                                     JAI 01                 70
Lançada em 2003




http://ocw.mit.edu/courses/electrical-engineering-and-computer-science/
                                                 JAI 01                     71
Lançado em 2006, Em 2010, o consórcio envolvia 200
universidades que publicavam coletivamente 13.000 cursos
em 20 línguas




                                  JAI 01                   72
http://ocwconsortium.org/en/members/members
                                JAI 01        73
OpenLearn
—    A introdução de REAs na OU, seguiu-se a muitas de
      suas iniciativas de produção de material didático em
      múltiplas mídias.
—    Iniciativas de disponibilização de materiais didáticos com
      licença aberta incluíram, inicialmente: a transmissão de
      programas pela BBC e a consequente liberação da
      gravação dos materiais transmitidos;
—    A possibilidade de aquisição de materiais de alguns
                                       Todos os materiais
      cursos sob demanda e a implantação do portal
                                       envolviam direitos
      Open2.net em 1999.                    autorais




                                      JAI 01                   74
Lançada em 2006, financiado pela Hewlett Foundation




  http://www.open.edu/openlearn/
                                   JAI 01             75
Avaliação do OpenLearn, 2008
—    Internamente, mostrou como a universidade pode entregar
      materiais de forma mais ágil e sintonizada com a filosofia da Web 2.0;
—    Induziu várias atividades de pesquisa e desenvolvimento; permitiu que
      o pessoal de apoio (ex., tutores) encontrasse novas formas de obter
      informações, orientações e participações;
—    Supostamente estimulou a atração de 6.000 alunos a cursos pagos; e
      contribuiu para aumentar a presença da universidade na Web.
—    Externamente, aumentou substancialmente a atenção internacional
      dada a universidade, com 69% de visitantes fora da Grã-Bretanha;
—    Colocou a universidade a frente das iniciativas de educação aberta e
      aprendizagem apoiada pela Web, tendo recebido várias premiações,
      coberturas positivas da mídia e sendo citada em diversas publicações;
—    Aumentou a cooperação com instituições internacionais, incluindo a
      UNISUL no Brasil.
—    Os gastos com REAs nesses 5 (cinco) anos passam de 5 milhões de
      libras (Lane, 2012)



                                              JAI 01                           76
Connexions, Rice University, 1999
—    Oferece ferramentas de software livre e código aberto para
      auxiliar alunos, professores e autores a gerenciar conteúdos.
—    Em julho de 2009, foi formado o ConneXions Consortium para que
      organizações interessadas pudessem contribuir com o
      desenvolvimento e o crescimento da plataforma.
—    Atualmente, o consórcio envolve mais de 20 membros de países
      como China, Índia, África do Sul, Holanda e Vietnam. Seus membros
      são tanto de instituições privadas quanto públicas tais como
      universidades, escolas, fundações e ONGs.
—    Burrus et al. (2004), um de seus fundadores, diz que “informações
      são apresentadas linearmente, mas que aprendemos, na maioria dos
      casos, fazendo conexões (“connections”), entre conceitos e coisas
      que já conhecemos ...”.
—    O software de apoio, denominado Rhaptos, é de código aberto.
      Toda a arquitetura do ConneXions, bem como suas ferramentas de
      software foram projetadas com o objetivo de facilitar os 4Rs.

                                          JAI 01                      77
Lançada em 1999




http://cnx.org/content/#language/pt-br/pt-pt/pt


                                     JAI 01       78
Organização sem fins lucrativos que foi fundada
     Licenças                      em 2001 por Larry Lessig da Stanford University




http://creativecommons.org/videos/a-shared-culture
                                                     JAI 01                     79
Licenças Creative Commons (CC)
—    O objetivo é oferecer licenças abertas e de fácil
      compreensão ao público em geral para o licenciamento de
      recursos digitais.
—    As licenças CC, evitam a aplicação na íntegra das restrições
      de copyright (o tradicional “todos os direitos reservados”),
      que por lei se aplicam automaticamente a um recurso, seja
      ele um vídeo, um conjunto de slides, um texto ou uma página
      Web.
—    É importante destacar que o uso de licenças abertas não
      implica no abandono do conceito de copyright.
—     As licenças se baseiam nas leis de copyright, porém as usam
      de forma criativa buscando articular um discurso mais
      positivo em vez de negativo (Liang, 2005).
—    As leis de copyright tradicionais dão mais foco nas restrições,
      as licenças abertas focam nas permissões.


                                          JAI 01                        80
Licenças Creative Commons (CC)
—    Todas as licenças incluem um conjunto de direitos
      básicos, chamado de “Baseline Rights”.
—    Elas garantem ao autor do recurso o direito autoral e,
      em consequência, a obtenção de crédito pelas suas
      obras;
—    Em contrapartida, garantem aos usuários do recurso o
      direito ao uso e a distribuição, bem como a mudança de
      formato do recurso desde que mantido seu conteúdo
      na íntegra (Hofman & West, 2008).
—    Os “Baseline Rights” estão disponíveis na íntegra em
      http://wiki.creativecommons.org/Baseline_Rights


                                    JAI 01                 81
Licenças Creative Commons (CC)
—    Licenciar um recurso utilizando uma licença CC é muito
      simples e pode ser feito por meio de um “gerador de
      licença” disponível no website da Creative Commons.
—    O gerador solicita ao autor que responda algumas
      perguntas simples sobre como ele quer que o seu
      recurso seja usado e, com base nas respostas, sugere a
      licença CC mais apropriada.
—    Uma vez escolhida a licença, o gerador direciona o
      autor para uma página contendo diretrizes sobre como
      referenciar a licença nos diferentes tipos de recursos
      (ex., recursos audiovisuais, páginas Web e textos). http://
      creativecommons.org

                                       JAI 01                   82
Licenças Creative Commons (CC)
—    As licenças CC são expressas em três
      “camadas”:
      ◦  (1) Código Legal (Legal code) - é a versão completa da
         licença e que serve de ferramenta jurídica.
      ◦  (2) Licença Simplificada (Commons deed) - é uma
         versão da licença que resume os seus pontos chaves,
         fazendo uso de ícones gráficos, sendo assim mais
         legível a usuários leigos.
      ◦  (3) Código Digital (Digital Code) - é uma versão da
         licença que pode ser automaticamente interpretada.



                                      JAI 01                  83
Attribution                                     Menos
                                               Restritiva
(Atribuição)


 CC BY


 Permite que outros:
 (1) Reusem,
 (2) Revisem,
 (3) Remixem e
 (4) Redistribuam
 o recurso licenciado, inclusive para uso
 comercial, desde que o crédito pela criação
 original seja dado ao autor de direito.

                                  JAI 01                    84
Attribution Share Alike                         Comparada às
                                                 licenças para
(Atribuição Compartilha Igual)                software livre e de
                                                código aberto




   CC BY-SA

  Permite que outros:
  (1) Reusem,
  (2) Revisem,
  (3) Remixem e
  (4) Redistribuam
  o recurso licenciado, inclusive para uso comercial, desde
  que o crédito pela criação original seja dado ao autor de
  direito e que novos recursos que sejam derivações do
  recurso original sejam licenciados sob a mesma licença.
                                     JAI 01                         85
Attribution No Derivatives                     Obra permanece
(Atribuição sem Derivados)                          igual




  CC BY-ND


  Permite que outros:
  (1) Reusem, e
  (2) Redistribuam
  o recurso licenciado, para uso comercial e não
  comercial, desde que a obra permaneça
  inalterada e que o crédito pela criação original
  seja dado ao autor de direito.

                                      JAI 01                    86
Attribution Non-Commercial                     Novos recursos
                                             não precisam seguir
(Atribuição Não-Comercial)                     a mesma licença




  CC BY-NC

 Permite que outros:
 (1)  Reusem,
 (2)  Revisem,
 (3)  Remixem e
 (4)  Redistribuam
 o recurso licenciado desde que para fins não comerciais
 e que o crédito pela criação original seja dado ao autor de
 direito. Entretanto, novos recursos que sejam derivações
 do recurso original não precisam ser licenciados sob a
 mesma licença.                        JAI 01                      87
Attribution Non-Commercial Share Alike
(Atribuição Não-Comercial Compartilha Igual)

                                             Novos recursos
                                            seguem a mesma
 CC BY-NC-SA                                     licença

 Permite que outros:
 (1)  Reusem,
 (2)  Revisem,
 (3)  Remixem e
 (4)  Redistribuam
 o recurso licenciado desde que para fins não
 comerciais, que o crédito pela criação original seja
 dado ao autor de direito e que novos recursos que
 sejam derivações do recurso original sejam licenciados
 sob a mesma licença.
                                   JAI 01                     88
Attribution Non-Commercial No Derivatives
(Atribuição Não Comercial sem Derivados)

                                              Mais restritiva


  CC BY-NC-ND


  Permite que outros:
  (1)  Reusem, e
  (2)  Redistribuam
  o recurso licenciado, desde que para fins não
  comerciais, que a obra permaneça inalterada e
  que o crédito pela criação original seja dado ao
  autor de direito.


                                     JAI 01                     89
Arquitetura de Plataformas REA
—  Os
     sistemas de acesso e disponibilização
  de REAs são referenciados na literatura
  por vários termos:
  ◦    framework,
  ◦    plataformas,
  ◦    ambiente ou
  ◦    simplesmente software ou aplicação.
Chamamos esses sistemas de:
  ◦  Plataformas de REA

                              JAI 01         90
Arquitetura de Plataformas REA
—    armazenamento e recuperação de materiais em
      múltiplos tipos de mídia;
—    busca de materiais;
—    criação, edição e manutenção de materiais;
—    controle de qualidade;
—    estabelecimento de licenças;
—    registro de comentários aos materiais;
—    registro de avaliações dos materiais e estatísticas; e,
—    visualização dos materiais.



                                       JAI 01                   91
Arquitetura de Plataformas REA




                     JAI 01      92
Interface e Visualização
—    Plataformas de REAs não são uniformes.
—    Em geral:
      ◦  página inicial com muitas informações que incluem propagandas,
         patrocinadores, opções de doações, novidades e anúncios de
         eventos, referências para serviços externos (ex. RSS, Facebook e
         Twitter) e serviços de busca.
—    A maioria das plataformas oferece opção de registro de
      usuário.
—    A partir da página principal se tem acesso aos cursos
      ou conteúdos que estão organizados por área de
      conhecimento.
—    Normalmente, os cursos ou materiais possuem o ícone
      da licença CC que se aplica a eles.

                                            JAI 01                          93
Tipo de material: notas de aula,
projetos exemplos, exercícios e
  soluções, exames e soluções,
conteúdo multimídia, galeria de
 imagens e livros textos online.




                                   JAI 01   94
JAI 01   95
MIT 6.00: Conteúdo
—  um conjunto completo de vídeos;
—  materiais de apoio aos vídeos, como folhetos, slides e
    arquivos de código;
—  vídeos de revisão de conteúdo e técnicas de soluções
    de problemas elaborados pelos monitores;
—  exercícios com amostras de soluções feitas pelos
    alunos;
—  listas de referências extras, onde se pode encontrar
    materiais suplementares.
http://ocw.mit.edu/courses/electrical-engineering-and-computer-
science/6-00sc-introduction-to-computer-science-and-
programming-spring-2011/


                                    JAI 01                    96
MIT 6.00: Observações
—    Que o cenário atual foi obtido com o desenvolvimento
      tecnológico, tendo a computação uma grande parcela de
      contribuição;
—    Que apesar da tecnologia de apoio, esse curso foi
      planejado e executado com apoio do professor e
      monitores, incluindo detalhes do material de apoio e
      calendário de estudos.
—    Em qualquer modalidade de ensino,
      principalmente a distância, a qualidade e o apoio
      tecnológico devem ser planejados
      conjuntamente.

                                    JAI 01                97
JAI 01   98
http://openlearn.open.ac.uk/course/view.php?id=2463
                                JAI 01                99
http://cnx.org/content/col10213/latest/
                               JAI 01     100
Gerenciamento de dados
—    IEEE LOM (Learning Object Metadata) (IEEE, 2002);
—    IMS Learning Resouce Metadata;
—    Dublin Core Metadata Initiative.




         http://www.imsglobal.org/metadata/index.html

                                             JAI 01       101
IEEE LOM
—    9 ramos de sub-elementos:
      ◦    Geral,
      ◦    Ciclo de vida,
      ◦    Meta-Metadados,
      ◦    Técnica,
      ◦     Educacional: tipo de interação, tipo de recurso de aprendizagem,
           densidade semântica, papel pretendido para o usuário final,
           contexto, intervalo típico de idade, dificuldade, tempo típico de
           aprendizagem, descrição e língua.
      ◦    Direitos,
      ◦    Relação,
      ◦    Anotação
      ◦    e Classificação.

                                              JAI 01                       102
IEEE LOM, ex. Taxonomia




                     JAI 01   103
JAI 01   104
Gerenciamento de materiais
—    Permitir as ações 4Rs
—    O MIT OpenCourseWare oferece os cursos com seus
      respectivos materiais para acesso ou download, mas não
      oferece os 4Rs.
—    O OCW consortium funciona da mesma forma que o
      MIT, só que permite acesso a todas as universidades que
      fazem parte do consórcio.




                                     JAI 01                 105
LabSpace




http://labspace.open.ac.uk/course/view.php?id=2398   JAI 01   106
JAI 01   107
Espaços permanentes

                                  Espaço
                               experimental




                      JAI 01                  108
Revisando conteúdo no Labspace
—    Log in
—    Vá para o Indiespace
—    Escolha uma unit, ex Academic Essay Guide
—    No menu lateral escolha “Make a copy to revise”
—    “Turn editing on”




                                    JAI 01              109
Criando uma nova unidade
—    Escolha um tópico dentre os REAs
—    Siga o link abaixo das unidades “Create a unit”




                                      JAI 01            110
Connexions




         http://cnx.org/


                           JAI 01   111
Connexions
author’s
workflow
Existe uma área para
os autores, authoring
área (MyCNX), na
qual o conteúdo
pode ser criado
usando a Connexions
Markup Language
(CNXML) e editado
usando uma dos
editores online
específicos para a
linguagem CNXML.
                        JAI 01   112
Aquisição



                                             Reuso/Edição:
                     (i)  derivar uma cópia que poderá ser modificada e
                           publicada pelos novos autores com as devidas
                           atribuições de autoria ao trabalho original; e,
                     (ii)  obter uma cópia para modificações obedecendo a
                           licença.
http://cnx.org/content/col10213/latest/ logada em minha conta

                                                  JAI 01                     113
Controle de Qualidade


                                         Métricas


                                    Marcas MIT, Standford


                                   Indicadores de Qualidade




    Qualidade versus Liberdade


                          JAI 01                            114
Controle de Qualidade: OpenLearn




      http://openlearn.open.ac.uk/course/category.php?
      id=7&perpage=15&page=2
                                      JAI 01             115
Connexions: estatísticas por autor




                      JAI 01         116
Connexions Lenses

A qualidade pode ser evidenciada
pela:
•  Afiliação dos autores,
•  Pessoas ou organizações podem
   analisar o material e incluir
   recomendações em suas coleções
•  As visões podem ser criadas por
   usuários e/ou organizações
•  À medida que os avaliadores ganham
   reputação podem marcar os REAs
   dando indicativos de qualidade aos
   usuários, como acontece na prática
   com revisões de livros, filmes e teatro.


                                              JAI 01   117
Gerenciamento de licenças
—    As licenças utilizadas amplamente são as licenças CC,
      conforme descrito anteriormente.
—     As licenças são atribuídas aos materiais no momento
      de sua criação, assim, tanto a plataforma ConneXions
      quanto a OpenLearn abrem formulários para definir a
      categoria da licença e, com base na escolha feita, o ícone
      correspondente à licença escolhida aparece na interface
      do material.
—    O MIT OpenCourseware tem em seu portal de entrada o
      ícone da licença por eles atribuída a todos os seus
      materiais (CC BY-NC-SA).


                                      JAI 01                   118
Implementação de plataformas REA




          Todos baseados em OpenSource software


                              JAI 01              119
DSPACE
—    Foi criado em 2000 a partir de uma parceria entre a HP
      e o MIT. Atualmente, é mantido pela DuraSpace e é
      amplamente utilizado por organizações para estruturar
      bibliotecas digitais e REAs.
—    Oferece uma interface Web que permite que os
      usuários insiram informações a serem arquivadas, que
      podem variar desde conjuntos de dados simples até
      vídeos digitais.
—    O DSpace foi utilizado na implementação do BIOE
      (Leite, 2011).



                                    JAI 01                 120
Item, Coleção, Comunidade (ex. Departamento)




                 JAI 01                        121
eduCommons
—    é um sistema de gerenciamento de conteúdo construído
      sobre o Plone para apoiar a criação de cursos abertos.
—    O software é mantido pela enPraxis.
—    A partir de uma instalação do eduCommons pode-se criar
      um departamento e os respectivos cursos associados.
—    Os cursos são inseridos seguindo-se um workflow sequencial
      com os seguintes papéis: produtor, controlador de qualidade,
      revisor e publicador.
—    Course Builder permite criar os atributos do curso e carregar
      o conteúdo correspondente em vários formatos como IMS
      Common Cartridge, Moodle Backup ou Blackboard Content
      Package.
—    Um curso é composto de vários objetos. Após a criação, cada
      objeto fica no estado produtor e vai mudando de estado
      conforme evolui e avança no workflow.


                                        JAI 01                    122
ConneXions e Rhaptos
—  O Rhaptos é um sistema de gerenciamento de
    conteúdo baseado no Plone e que foi
    desenvolvido pelo próprio grupo do
    ConneXions.
—  A arquitetura do Rhaptos é composta pelos
    seguintes componentes: Enterprise Rhaptos; APIs
    for Accessing Connexions Data; Connexions Rhaptos
    Development; e Quality Assurance and Testing.
—  O software pode ser obtido a partir do portal
    ConneXions para implementação de plataforma
    de REAs.
                               JAI 01               123
iTunesU
—    Uma iniciativa para permitir as universidades e outras
      instituições a disponibilização de vídeos e áudios com
      material educacional por meio da iTunes Store (Apple, 2007).
—    A OU, por exemplo, aproveitou a oportunidade para
      disponibilizar materiais de seus cursos, pois já possuía esse
      tipo de material.
—    Assim, foi a primeira universidade da Europa a alcançar mais
      de um milhão de assinaturas na iTunes U app e teve mais de
      50 milhões de downloads de materiais no formato de mobile
      app com imagens vídeos, panoramas e diagramas interativos
      juntamente com os textos dos cursos, promovendo assim
      uma forma mais interativa de aprendizagem.
—    iTunesU Colossous

                                         JAI 01                       124
Comentários Finais
—  Pesquisa de opinião sobre REA em computação
    com uma amostra de professores da América
    do Norte, Europa, África e América do Sul
    (Dichev & Salem, 2012)
—  Análise de cobertura dos tópicos de
    computação em repositórios de REAs, bem
    como da facilidade de busca desses recursos.
—  As buscas foram feitas especificamente por
    REAs que cobrissem tópicos extraídos do
    currículo ACM de 2008, tais como: análise de
    algoritmos, inteligência artificial, etc.
                            JAI 01             125
Comentários Finais
—    Os resultados mostraram que a cobertura de itens dos
      tópicos selecionados e de cursos introdutórios de
      computação é baixa.
—    Foram recuperados em torno de 2,5 REAs por tópico.
—    A cobertura de tópicos eletivos e avançados é ainda
      mais baixa: 0,4 REAs por tópico.
—    Exemplos de itens pesquisados incluem:
      ◦  normalização em banco de dados (Google - 1, REAs - 9);
      ◦  estrutura de dados – árvores binárias (Google -2, REAs - 3);
      ◦  serviços Web para comércio eletrônico (Google - 0, REAs - 0).




                                           JAI 01                        126
Comentários Finais
—    Uma observação interessante desse estudo é que a
      maioria dos repositórios institucionais não oferecem
      apoio a resubmissão de trabalhos derivados, como seria
      inerente a REA.
—    A maioria dos repositórios também não registram
      revisões e comentários sobre a qualidade de seus
      recursos e não possui apoio para registro de
      reconhecimento dos recursos pela comunidade (ex.
      Rating).




                                    JAI 01                 127
Comentários Finais
—    A pesquisa observou que dos 13.000 cursos oferecidos
      em 150 universidades, apenas 21 portais oferecem
      materiais para computação a saber:
MIT OpenCourseWare, Connexions, OERCommons,
CITIDEL, UCI OpenCourseWare, Stanford School
Engineering Everywhere, Webcast.berkeley,
VideoLectues.NET, EDNA, MERLOT, OU OpenLearn,
University of Michigan, SOFIA, Intel’s Academic
Community, University of Southern Queensland, Notre
Dame OpenCourseWare, University of Massachusetts
Boston, Utah Valley University, e Weber State
University.

                                   JAI 01                    128
Comentários Finais




 A plataforma (BIOE) apresenta apenas 1 (um) objeto classificado como
 ciência da computação na educação superior. http://
 objetoseducacionais2.mec.gov.br/
                                           JAI 01                       129
Agenda
1.    Motivação
2.    Educação a distância
3.    Educação aberta
4.    Recursos Educacionais Abertos
5.    Sustentabilidade
6.    Discussões e perspectivas




                                 JAI 01   130
Sustentabilidade




                   JAI 01   131
Sustentabilidade
—  Custos: recursos humanos, físicos e
    tecnológicos;
—  Nos EUA houve um grande financiamento da
    Hewllet Foundation para Universidades, por
    exemplo para o MIT OpenCourseWare e mesmo
    na Inglaterra para o OU OpenLearn.
—  Sobrecarga reportada pelo MIT.
—  Do MIT OpenCourseWare ao OCW Consortium.




                           JAI 01                132
Sustentabilidade
—    Decisões devem considerar (Wiley, 2007):
      ◦  organização (tamanho, estrutura, grau de
         centralização);
      ◦  tipo de recursos e formatos de mídia;
      ◦  tipo de usuário final que provavelmente utilizarão os
         recursos e quanto de apoio eles necessitam na
         utilização;
      ◦  incentivos para o engajamento de participantes;
      ◦  formas de redução de custo; e
      ◦  modelo de financiamento para viabilizar os objetivos
         do projeto.

                                      JAI 01                     133
Sustentabilidade
—    A sustentabilidade de iniciativas de REAs (Downes,
      2007) inclui as questões de qualidade, custos de
      produção, escala e lucros gerados, do ponto de vista do
      produtor.




                                     JAI 01                     134
Sustentabilidade
—    Sinergia entre Instituições tradicionais e Educação aberta




•  Ex. Lane (2012) cita entre os efeitos positivos de REAs o fato do
   pessoal de apoio da OU utilizar o OpenLearn como fonte de
   informação, mesmo sem serem treinados para tal.
•  A busca de REAs, por alunos faz com que as universidades que
   mantêm conteúdos de boa qualidade estejam mais em evidência e
   como consequência atraiam alunos.
                                             JAI 01                    135
Tendências e Perspectivas




                      JAI 01   136
Tendências e Perspectivas
—    novas oportunidades e novos modelos de
      abertura na educação




                              JAI 01           137
Massive Open Online Courses (MOOCs)
—    Um MOOC é um curso que atinge uma audiência largamente
      distribuída, é conduzido com o apoio de materiais distribuídos em
      recursos da Web e que envolve a participação dos alunos.
—    MIT lançou o MITx;
—    Harvard e MIT lançaram EdX;
—    Sebastian Thrun e David Evans da Stanford University lançaram
      Udacity;
—    Coursera oferece cursos de renomadas universidades americanas;
—    Khanacademy é um outro provedor de cursos online.
—    A diferença do MITx e OCW é que os recursos do MITx são
      interativos, pois especialmente produzidos para esta plataforma.
—     A plataforma OCW consiste basicamente de materiais existentes.




                                           JAI 01                         138
MOOCs
     —    Exemplo: curso oferecido Sebastian Thrun que teve mais
           de 9000 alunos matriculados, e dos cursos do Coursera,
           que tiveram mais de um milhão de alunos de inscritos
           logo que apareceram em seu portal.




http://www.udacity.com/
                                                  https://www.coursera.org/

                                         JAI 01                         139
Qual é o futuro?
—    Impacto nas universidades e educadores?
—    Debate sobre o educador digital e o consequente
      impacto no reconhecimento das novas formas de
      produção dos pesquisadores (Weller, 2011)?
—    VLE versus PLE?




        http://www.youtube.com/watch?v=r77iDP_f0NY

                                         JAI 01         140
Qual é o futuro?
—    Envolve:
      ◦  acesso aberto e livre aos recursos de aprendizagem;
      ◦  aprendizagem em rede e fora das instituições de
         educação tradicionais;
      ◦  e personalização da aprendizagem.
—    A noção de que os alunos são também
      produtores, “prosumers” (produtores
      +consumidores) requer o envolvimento dos
      alunos na produção democrática e criativa de
      conhecimento.

                                     JAI 01                    141
Qual é o futuro?
—    Os aprendizes precisam ser autonômos e devem ser
      capazes de avaliar e fazer escolhas.
—    Porém, eles nem sempre possuem a capacidade ou a
      vontade de fazer essas escolhas, pois existem limitações
      nas possibilidades de participação, no interesse e na
      especialidade de cada um (Fischer, 2009).
—    Essas transformações também demandam mudanças
      culturais e de políticas institucionais que estão em
      franco conflito com a abordagem dominante de
      definição de padrões curriculares.



                                     JAI 01                  142
Qual é o futuro?
—    Capdeferro & Romero (2012) analisou frustações
      enfrentadas por alunos em atividades colaborativas em
      um grupo de 40 alunos de um mestrado online
—    A fonte de frustação mais frequente é a percepção de
      um desequilíbrio de compromisso, responsabilidade e
      esforço.
—    Outros problemas incluem: o não compartilhamento de
      objetivos, dificuldade de negociação, tempo e sobrecarga
      de trabalho, conflitos, avaliação desequilibrada e
      dificuldade de compreensão.
                                               Colaboração
                                                 online?

                                     JAI 01                  143
Algumas questões a serem exploradas
1.    Novas abordagens para ensinar que auxiliam os
      aprendizes a serem mais críticos, a refletir mais e a
      explorar a riqueza de recursos educacionais
      disponíveis;
2.    Incentivo aos educadores para reconhecer o valor das
      iniciativas educacionais que ultrapassam os muros de
      suas instituições;
3.    Políticas educacionais que apoiem as novas iniciativas
      educacionais;
4.    Reconhecimento pelas instituições de que esses
      desafios não podem ser ignorados e que requerem
      mudança de comportamento.

                                    JAI 01                 144

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagem
O uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagemO uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagem
O uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagem
Thiago Reis da Silva
 
Apresentação 20 abril seminário cfae
Apresentação 20 abril seminário cfaeApresentação 20 abril seminário cfae
Apresentação 20 abril seminário cfae
Idalina Jorge
 
Ead e connect pro
Ead e connect proEad e connect pro
Ead e connect pro
Karina Rocha
 
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
malmeidaUAB
 
O papel do e-formador
O papel do e-formadorO papel do e-formador
O papel do e-formador
Helena Freixo
 
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMAMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
RJS8230
 
ABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas à Educação
ABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas  à EducaçãoABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas  à Educação
ABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas à Educação
Giancarlo Colombo
 
Apostila Educação Digital
Apostila Educação DigitalApostila Educação Digital
Apostila Educação Digital
Sônia Aparecida Bonfim de Souza
 
Balanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distânciaBalanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distância
Andrea Filatro
 
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
João Paz
 
Fast ead 2o-semestre_de_2007
Fast ead 2o-semestre_de_2007Fast ead 2o-semestre_de_2007
Apostila tics cursista2013
Apostila tics cursista2013Apostila tics cursista2013
Apostila tics cursista2013
marcosuchoa37
 
Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva RibeiroRestinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
CursoTICs
 
Artigo - Formação Presencial ou a Distância
Artigo - Formação Presencial ou a DistânciaArtigo - Formação Presencial ou a Distância
Artigo - Formação Presencial ou a Distância
Natália Caldeira
 
Comparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de ConteudosComparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Maria Munteanu
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Tecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de Vídeo
Tecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de VídeoTecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de Vídeo
Tecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de Vídeo
Marta Saraiva
 
Unidade i
Unidade iUnidade i
Unidade i
mf2030
 
Pub 1291082475
Pub 1291082475Pub 1291082475
Pub 1291082475
José Roberto Saldanha
 

Mais procurados (19)

O uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagem
O uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagemO uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagem
O uso de ferramentas pedagógicas no desenvolvimento de objetos de aprendizagem
 
Apresentação 20 abril seminário cfae
Apresentação 20 abril seminário cfaeApresentação 20 abril seminário cfae
Apresentação 20 abril seminário cfae
 
Ead e connect pro
Ead e connect proEad e connect pro
Ead e connect pro
 
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
 
O papel do e-formador
O papel do e-formadorO papel do e-formador
O papel do e-formador
 
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMAMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
 
ABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas à Educação
ABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas  à EducaçãoABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas  à Educação
ABED Workshop 2 de 5 - Tecnologias Aplicadas à Educação
 
Apostila Educação Digital
Apostila Educação DigitalApostila Educação Digital
Apostila Educação Digital
 
Balanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distânciaBalanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distância
 
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
 
Fast ead 2o-semestre_de_2007
Fast ead 2o-semestre_de_2007Fast ead 2o-semestre_de_2007
Fast ead 2o-semestre_de_2007
 
Apostila tics cursista2013
Apostila tics cursista2013Apostila tics cursista2013
Apostila tics cursista2013
 
Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva RibeiroRestinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
 
Artigo - Formação Presencial ou a Distância
Artigo - Formação Presencial ou a DistânciaArtigo - Formação Presencial ou a Distância
Artigo - Formação Presencial ou a Distância
 
Comparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de ConteudosComparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
 
Tecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de Vídeo
Tecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de VídeoTecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de Vídeo
Tecnologias no Ensino- Aprendizagem através da Gamificação e ou através de Vídeo
 
Unidade i
Unidade iUnidade i
Unidade i
 
Pub 1291082475
Pub 1291082475Pub 1291082475
Pub 1291082475
 

Destaque

ANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMP
ANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMPANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMP
ANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMP
Predicta - Empresa de Inteligência Digital
 
Divulgando a pesquisa
Divulgando a pesquisaDivulgando a pesquisa
Divulgando a pesquisa
EliHilda
 
Gripe a (h1 n1)
Gripe a  (h1 n1)Gripe a  (h1 n1)
Gripe a (h1 n1)
dt5a1011jsb
 
Valorize - OQ/PV
Valorize - OQ/PVValorize - OQ/PV
Valorize - OQ/PV
Katálysis Científica
 
Propaganda no marketing internacional
Propaganda no marketing internacionalPropaganda no marketing internacional
Propaganda no marketing internacional
Larissa Queiroz
 
Comunidade priscila cunha
Comunidade priscila cunhaComunidade priscila cunha
Comunidade priscila cunha
Qquitute
 
Aulão de Física UPE-UFPE
Aulão de Física UPE-UFPEAulão de Física UPE-UFPE
Aulão de Física UPE-UFPE
Jamilly Andrade
 
Trabajo de computacion en Excel
Trabajo de computacion en ExcelTrabajo de computacion en Excel
Trabajo de computacion en Excel
maty pame
 
Fotos familia
Fotos familiaFotos familia
Fotos familia
clarillacelis
 
Campanha Clube do Presidente 2011
Campanha Clube do Presidente 2011Campanha Clube do Presidente 2011
Campanha Clube do Presidente 2011
Henrique Rondon
 
Teste de upload
Teste de uploadTeste de upload
Teste de upload
Octaviano Pereira Neto
 
Anime
AnimeAnime
Geografia2
Geografia2Geografia2
Geografia2
Helena Oliveira
 
LA VALINA
LA VALINALA VALINA
LA VALINA
Anthony Arce
 
FOLHA DO PONTO
FOLHA DO PONTOFOLHA DO PONTO
FOLHA DO PONTO
GRU Ponto
 
Treinamento finanças pessoais
Treinamento finanças pessoaisTreinamento finanças pessoais
Treinamento finanças pessoais
Consultores Empresariais
 
14º Torneio de Natal Salesianos/Moche 2014 calendário
14º Torneio de Natal Salesianos/Moche  2014   calendário14º Torneio de Natal Salesianos/Moche  2014   calendário
14º Torneio de Natal Salesianos/Moche 2014 calendário
jpms
 
Fotos familia
Fotos familiaFotos familia
Fotos familia
clarillacelis
 
Nbr 6492 representação de projetos de arquitetura
Nbr 6492   representação de projetos de arquiteturaNbr 6492   representação de projetos de arquitetura
Nbr 6492 representação de projetos de arquitetura
ejfelix
 
Uma história difícil
Uma história difícilUma história difícil
Uma história difícil
giltonkulberg
 

Destaque (20)

ANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMP
ANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMPANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMP
ANALISE SOCIAL MEDIA | BRASTEMP
 
Divulgando a pesquisa
Divulgando a pesquisaDivulgando a pesquisa
Divulgando a pesquisa
 
Gripe a (h1 n1)
Gripe a  (h1 n1)Gripe a  (h1 n1)
Gripe a (h1 n1)
 
Valorize - OQ/PV
Valorize - OQ/PVValorize - OQ/PV
Valorize - OQ/PV
 
Propaganda no marketing internacional
Propaganda no marketing internacionalPropaganda no marketing internacional
Propaganda no marketing internacional
 
Comunidade priscila cunha
Comunidade priscila cunhaComunidade priscila cunha
Comunidade priscila cunha
 
Aulão de Física UPE-UFPE
Aulão de Física UPE-UFPEAulão de Física UPE-UFPE
Aulão de Física UPE-UFPE
 
Trabajo de computacion en Excel
Trabajo de computacion en ExcelTrabajo de computacion en Excel
Trabajo de computacion en Excel
 
Fotos familia
Fotos familiaFotos familia
Fotos familia
 
Campanha Clube do Presidente 2011
Campanha Clube do Presidente 2011Campanha Clube do Presidente 2011
Campanha Clube do Presidente 2011
 
Teste de upload
Teste de uploadTeste de upload
Teste de upload
 
Anime
AnimeAnime
Anime
 
Geografia2
Geografia2Geografia2
Geografia2
 
LA VALINA
LA VALINALA VALINA
LA VALINA
 
FOLHA DO PONTO
FOLHA DO PONTOFOLHA DO PONTO
FOLHA DO PONTO
 
Treinamento finanças pessoais
Treinamento finanças pessoaisTreinamento finanças pessoais
Treinamento finanças pessoais
 
14º Torneio de Natal Salesianos/Moche 2014 calendário
14º Torneio de Natal Salesianos/Moche  2014   calendário14º Torneio de Natal Salesianos/Moche  2014   calendário
14º Torneio de Natal Salesianos/Moche 2014 calendário
 
Fotos familia
Fotos familiaFotos familia
Fotos familia
 
Nbr 6492 representação de projetos de arquitetura
Nbr 6492   representação de projetos de arquiteturaNbr 6492   representação de projetos de arquitetura
Nbr 6492 representação de projetos de arquitetura
 
Uma história difícil
Uma história difícilUma história difícil
Uma história difícil
 

Semelhante a Apresenta csbc2012 jai01

Mesa redondapde
Mesa redondapdeMesa redondapde
Jorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tacJorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tac
Jorge Teixeira
 
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva FernandesSão João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
CursoTICs
 
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professoresWeb 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Paula Antunes
 
Santana do Livramento - Lucélia Barbosa Alves
Santana do Livramento - Lucélia Barbosa AlvesSantana do Livramento - Lucélia Barbosa Alves
Santana do Livramento - Lucélia Barbosa Alves
CursoTICs
 
Rede e Aprendizagem Web 2.0
Rede e Aprendizagem Web 2.0Rede e Aprendizagem Web 2.0
Rede e Aprendizagem Web 2.0
Idalina Jorge
 
Balanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distânciaBalanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distância
Andrea Filatro
 
Recursos Educacionais Abertos (REA)
Recursos Educacionais Abertos (REA) Recursos Educacionais Abertos (REA)
Recursos Educacionais Abertos (REA)
Universidade Estadual de Maringá
 
Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)
Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)
Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)
REA Brasil
 
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
marygaldino
 
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
marygaldino
 
Ferramentas WEB 2.0 para EaD
Ferramentas WEB 2.0 para EaDFerramentas WEB 2.0 para EaD
Ferramentas WEB 2.0 para EaD
N Rodrigo Vargas
 
Apresentação à Comissão de Acompanhamento do PhD
Apresentação à Comissão de Acompanhamento do PhDApresentação à Comissão de Acompanhamento do PhD
Apresentação à Comissão de Acompanhamento do PhD
Joaquim Silva
 
Resumo Expandido Osvaldo Novais Jr
Resumo Expandido Osvaldo Novais JrResumo Expandido Osvaldo Novais Jr
Resumo Expandido Osvaldo Novais Jr
Osvaldo Novais Junior
 
Modelos Pedagogicos para a Aprendizagem Online
Modelos Pedagogicos para a Aprendizagem OnlineModelos Pedagogicos para a Aprendizagem Online
Modelos Pedagogicos para a Aprendizagem Online
José Bidarra
 
Tecnosocialidade no quotidiano da educação em saúde
Tecnosocialidade no quotidiano da educação em saúdeTecnosocialidade no quotidiano da educação em saúde
Tecnosocialidade no quotidiano da educação em saúde
Leonardo Langaro
 
Fabio massaki
Fabio massakiFabio massaki
Fabio massaki
Carlos Elson Cunha
 
Grelha observacao tic
Grelha observacao ticGrelha observacao tic
Grelha observacao tic
Célia Eiras
 
Novos espaços de aprendizagem
Novos espaços de aprendizagemNovos espaços de aprendizagem
Novos espaços de aprendizagem
jcantunes
 
Novos espacos de_aprendizagem_v2
Novos espacos de_aprendizagem_v2Novos espacos de_aprendizagem_v2
Novos espacos de_aprendizagem_v2
jcantunes
 

Semelhante a Apresenta csbc2012 jai01 (20)

Mesa redondapde
Mesa redondapdeMesa redondapde
Mesa redondapde
 
Jorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tacJorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tac
 
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva FernandesSão João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
 
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professoresWeb 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
 
Santana do Livramento - Lucélia Barbosa Alves
Santana do Livramento - Lucélia Barbosa AlvesSantana do Livramento - Lucélia Barbosa Alves
Santana do Livramento - Lucélia Barbosa Alves
 
Rede e Aprendizagem Web 2.0
Rede e Aprendizagem Web 2.0Rede e Aprendizagem Web 2.0
Rede e Aprendizagem Web 2.0
 
Balanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distânciaBalanço de inovações em educação a distância
Balanço de inovações em educação a distância
 
Recursos Educacionais Abertos (REA)
Recursos Educacionais Abertos (REA) Recursos Educacionais Abertos (REA)
Recursos Educacionais Abertos (REA)
 
Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)
Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)
Minicurso Recursos Educacionais Abertos (REA)
 
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
 
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
A educacao a distancia nas ondas da web 2.0
 
Ferramentas WEB 2.0 para EaD
Ferramentas WEB 2.0 para EaDFerramentas WEB 2.0 para EaD
Ferramentas WEB 2.0 para EaD
 
Apresentação à Comissão de Acompanhamento do PhD
Apresentação à Comissão de Acompanhamento do PhDApresentação à Comissão de Acompanhamento do PhD
Apresentação à Comissão de Acompanhamento do PhD
 
Resumo Expandido Osvaldo Novais Jr
Resumo Expandido Osvaldo Novais JrResumo Expandido Osvaldo Novais Jr
Resumo Expandido Osvaldo Novais Jr
 
Modelos Pedagogicos para a Aprendizagem Online
Modelos Pedagogicos para a Aprendizagem OnlineModelos Pedagogicos para a Aprendizagem Online
Modelos Pedagogicos para a Aprendizagem Online
 
Tecnosocialidade no quotidiano da educação em saúde
Tecnosocialidade no quotidiano da educação em saúdeTecnosocialidade no quotidiano da educação em saúde
Tecnosocialidade no quotidiano da educação em saúde
 
Fabio massaki
Fabio massakiFabio massaki
Fabio massaki
 
Grelha observacao tic
Grelha observacao ticGrelha observacao tic
Grelha observacao tic
 
Novos espaços de aprendizagem
Novos espaços de aprendizagemNovos espaços de aprendizagem
Novos espaços de aprendizagem
 
Novos espacos de_aprendizagem_v2
Novos espacos de_aprendizagem_v2Novos espacos de_aprendizagem_v2
Novos espacos de_aprendizagem_v2
 

Mais de Universidade Estadual de Maringá

Educação e Ciência Aberta
Educação e Ciência AbertaEducação e Ciência Aberta
Educação e Ciência Aberta
Universidade Estadual de Maringá
 
Gimenes flim2015
Gimenes flim2015Gimenes flim2015
Um recorte da Trajetória das Mulheres na Computação
Um recorte da Trajetória das Mulheres na ComputaçãoUm recorte da Trajetória das Mulheres na Computação
Um recorte da Trajetória das Mulheres na Computação
Universidade Estadual de Maringá
 
Torna-se Pessoa no Mundo Digital
Torna-se Pessoa no Mundo DigitalTorna-se Pessoa no Mundo Digital
Torna-se Pessoa no Mundo Digital
Universidade Estadual de Maringá
 
Climbing the tree of unreachable fruits, reusing processes
Climbing the tree of unreachable fruits, reusing processesClimbing the tree of unreachable fruits, reusing processes
Climbing the tree of unreachable fruits, reusing processes
Universidade Estadual de Maringá
 
Fees2013 apresenta
Fees2013 apresentaFees2013 apresenta
Itana painelsecomucsbc2013
Itana painelsecomucsbc2013Itana painelsecomucsbc2013
Itana painelsecomucsbc2013
Universidade Estadual de Maringá
 
Atividade 5 – conclusão e projeção
Atividade 5 – conclusão e projeçãoAtividade 5 – conclusão e projeção
Atividade 5 – conclusão e projeção
Universidade Estadual de Maringá
 
Ouldi project presentation
Ouldi project presentationOuldi project presentation
Ouldi project presentation
Universidade Estadual de Maringá
 
Itana gimenesevalplan
Itana gimenesevalplanItana gimenesevalplan
Itana gimenesevalplan
Universidade Estadual de Maringá
 
Plan prototypingdevelopuserstories
Plan prototypingdevelopuserstoriesPlan prototypingdevelopuserstories
Plan prototypingdevelopuserstories
Universidade Estadual de Maringá
 
Olds mooc-week3-artefacts
Olds mooc-week3-artefactsOlds mooc-week3-artefacts
Olds mooc-week3-artefacts
Universidade Estadual de Maringá
 
Itana gimenesleonorbarroca week2-deliverables
Itana gimenesleonorbarroca week2-deliverablesItana gimenesleonorbarroca week2-deliverables
Itana gimenesleonorbarroca week2-deliverables
Universidade Estadual de Maringá
 

Mais de Universidade Estadual de Maringá (13)

Educação e Ciência Aberta
Educação e Ciência AbertaEducação e Ciência Aberta
Educação e Ciência Aberta
 
Gimenes flim2015
Gimenes flim2015Gimenes flim2015
Gimenes flim2015
 
Um recorte da Trajetória das Mulheres na Computação
Um recorte da Trajetória das Mulheres na ComputaçãoUm recorte da Trajetória das Mulheres na Computação
Um recorte da Trajetória das Mulheres na Computação
 
Torna-se Pessoa no Mundo Digital
Torna-se Pessoa no Mundo DigitalTorna-se Pessoa no Mundo Digital
Torna-se Pessoa no Mundo Digital
 
Climbing the tree of unreachable fruits, reusing processes
Climbing the tree of unreachable fruits, reusing processesClimbing the tree of unreachable fruits, reusing processes
Climbing the tree of unreachable fruits, reusing processes
 
Fees2013 apresenta
Fees2013 apresentaFees2013 apresenta
Fees2013 apresenta
 
Itana painelsecomucsbc2013
Itana painelsecomucsbc2013Itana painelsecomucsbc2013
Itana painelsecomucsbc2013
 
Atividade 5 – conclusão e projeção
Atividade 5 – conclusão e projeçãoAtividade 5 – conclusão e projeção
Atividade 5 – conclusão e projeção
 
Ouldi project presentation
Ouldi project presentationOuldi project presentation
Ouldi project presentation
 
Itana gimenesevalplan
Itana gimenesevalplanItana gimenesevalplan
Itana gimenesevalplan
 
Plan prototypingdevelopuserstories
Plan prototypingdevelopuserstoriesPlan prototypingdevelopuserstories
Plan prototypingdevelopuserstories
 
Olds mooc-week3-artefacts
Olds mooc-week3-artefactsOlds mooc-week3-artefacts
Olds mooc-week3-artefacts
 
Itana gimenesleonorbarroca week2-deliverables
Itana gimenesleonorbarroca week2-deliverablesItana gimenesleonorbarroca week2-deliverables
Itana gimenesleonorbarroca week2-deliverables
 

Último

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 

Apresenta csbc2012 jai01

  • 1. Tendências na Educação a Distância e Educação Aberta na Computação Itana M. S. Gimenes (UEM) Leonor Barroca (Open University/UK) Valeria Delisandra Feltrim (UEM) CSBC 2012 JAI 01 Julho, 2012
  • 2. Objetivo Educação aberta Computação Recursos Educacionais Educação a Abertos (REA) distância Tecnologia Perspectivas: Web 2.0 Educação Híbrida, MOOCS, etc —  Apresentar as tendências da educação a distância e educação aberta na área de computação, considerando a evolução tecnológica e dos recursos e perspectivas da Web 2.0 (ex., redes sociais, twitters e blogs) neste contexto. JAI 01 2
  • 3. Agenda 1.  Motivação no contexto da computação 2.  Educação a distância 3.  Educação aberta 4.  Recursos Educacionais Abertos 5.  Sustentabilidade 6.  Discussões e perspectivas JAI 01 3
  • 4. Motivação —  Como a computação pode se beneficiar dos recursos tecnológicos para melhorar o ensino-aprendizagem de seus conteúdos? JAI 01 4
  • 5. Motivação —  Como aproveitar os mecanismos oferecidos pela educação a distância, pela educação aberta e pelos REAs para ampliar a formação de recursos humanos e o nível intelectual da população? http://vimeo.com/43401199 198 milhões de vagas de nível superior serão acrescidas de 98 milhões em 2025 - crescimento não será acompanhado do aumento proporcional em termos de recursos humanos e financeiros JAI 01 5
  • 6. JAI 01 6
  • 7. Educação a distância —  “o processo educacional no qual uma proporção significativa do ensino é conduzida por alguém afastado, no espaço e no tempo, do aluno” (Perraton, 2000). JAI 01 7
  • 8. The Open University (OU) —  Pode-se dizer que a educação a distância começou na Grã-Bretanha nos anos 60 com a criação da Open University (OU). —  A criação da OU foi motivada pela necessidade de tornar o ensino universitário acessível a uma população adulta que tinha perdido a oportunidade de entrar no ensino universitário tradicional. —  No caso da OU, o termo Open é parte integrante da missão da universidade ⎯ Open to people, places, methods and ideas, mas é também usado de uma forma mais restrita para caracterizar a omissão de requisitos formais de entrada na universidade. JAI 01 8
  • 9. O Modelo SOL da OU •  Cursos são desenvolvidos por um grupo de profissionais que inclui: •  docentes responsáveis pelo conteúdo curricular; •  profissionais de áreas diversas, desde a educação e projeto até ao desenvolvimento de software de apoio e direito autorais; e, •  examinadores externos que contribuem com feedback acadêmico e/ou profissional para o desenvolvimento do curso. Qualidade Dedicação exclusiva Pesquisa Escala 260.000 alunos Infraestrutura JAI 01 9
  • 10. Educação a distância e a Web 2.0 —  Pedagogia e a tecnologia podem caminhar para uma integração harmoniosa (Beetham & Sharpe, 2007). Mobilidade Produção e o Serviços de rede e acesso à computação informação Compartilhamento JAI 01 10
  • 11. Categorias de ferramentas Web 2.0 (Crook et al. ,2008) —  compartilhamento de mídia, —  manipulação de mídia, —  arenas de conversa, —  jogos online e mundos virtuais, —  redes sociais, —  blogs, —  social bookmarking, —  sistemas de recomendação, —  edição colaborativa, wikis, e —  RSS feeds. JAI 01 11
  • 12. Uso de Ferramentas Web 2.0 na OU —  Portal do Moodle, denominado StudentHome (fóruns, wikis e blogs). ◦  materiais educacionais e avaliações, a fóruns online específicos e a um conjunto extenso de recursos: links da biblioteca, a eventuais sessões virtuais de tutoriais. —  Elluminate (Blackboard). —  Plataforma Google Apps para a Educação (Google Apps for Education): conta de email, habilidade para criação de documentos, armazenamento e compartilhamento e espaços virtuais. —  Wikis e ferramentas de edição colaborativas têm sido efetivamente utilizadas para apoiar a reflexão e colaboração, pois ajudam os alunos tanto no trabalho em grupo quanto no desenvolvimento de habilidades de escrita acadêmica. JAI 01 12
  • 13. Exemplo 1: Disciplina Engenharia de Requisitos —  é um componente do MSc em desenvolvimento de software. —  exemplo do uso de wikis e ferramentas de edição colaborativas para apoiar a reflexão e a colaboração. —  auxiliam os alunos nos trabalhos em grupo e no desenvolvimento de suas habilidades de escrita acadêmica (ex., por meio da elaboração da especificação de requisitos). JAI 01 13
  • 14. Exemplo 1: Disciplina Engenharia de Requisitos JAI 01 14
  • 15. Mapeamento dos objetivos de aprendizagem para as tarefas do curso Knowledge and understanding Professional & Practical Key skills Cognitive skills JAI 01 15
  • 16. Indicação de materiais Guia de estudos complementares construído sobre um livro texto Trabalho Exames em Grupo JAI 01 16
  • 17. JAI 01 17
  • 18. Elluminate Live! JAI 01 18
  • 20. Exemplo 2: MPhil Virtual em Computação —  Programa inovador, disponível inteiramente à distância e utiliza várias ferramentas de apoio da Web 2.0 para fomentar uma comunidade de pesquisa online na qual se praticam as habilidades de pesquisa. —  Utiliza-se um portal Moodle integrado a um sistema ePortfolio, um sistema de sala de aula virtual síncrono (Elluminate Live!) —  Um campus virtual de propósito específico (em Second Life). —  Os alunos também têm a flexibilidade de usar outras tecnologias gratuitas populares, como ligações telefônicas gratuitas pela internet (ex. Skype ou Gtalk) ou redes sociais. —  A estrutura desenvolvida para apoiar os alunos é centrada em temas de pesquisa, incluindo alunos engajados em pesquisa, supervisores e seus colaboradores de pesquisa. JAI 01 20
  • 21. JAI 01 21
  • 22. Exemplo 3: My Digital Life —  Propósito tanto de introduzir conhecimentos básicos como também de ensinar habilidades básicas de estudo. —  Atrair um maior número de alunos para os cursos de computação e de mantê-los motivados a prosseguir seus estudos nessa área. —  Como parte de um projeto inovador, nessa disciplina, o Scratch (Richards & Smith, 2010) (Richards, Petre, & Bandara, 2012) foi adotado e estendido para oferecer aos alunos um ambiente de programação que promovesse o desenvolvimento de habilidades básicas de programação. —  Ambiente Sense , construído como um projeto de código aberto, foi distribuído aos alunos do curso. Sense possui uma placa (o SenseBoard) que possibilita a escrita e leitura de dados através da Internet, permitindo a exploração e o ensino de computação ubíqua a alunos do primeiro ano. JAI 01 22
  • 23. JAI 01 23
  • 24. Ferramentas Web 2.0 Exemplos de aplicação Virtual Learning Environment (VLE), ex: Agem como o principal portal de Moodle e Elluminate interação entre instituições e os alunos. Wikis e ferramentas de edição Apoiam a reflexão e colaboração; podem colaborativas, ex: wikis no Moodle ajudar os alunos com trabalho em grupo e desenvolvimento de habilidades de escrita acadêmica. Blogs, ex: http://se9book.wordpress.com/ Apoiam os educadores e grupos na organização e disseminação de conhecimento de uma forma mais interativa e dinâmica do que como era feito antes com páginas Web. JAI 01 24
  • 25. Ferramentas Web 2.0 Exemplos de aplicação Social Bookmarking, ex: BibSonomy, delicious Apoiam a revisão bibliográfica, grupos de pesquisa, e a escrita de projetos de final de curso e teses. Mensagens instantâneas, ex: Skype chat, Apoiam a supervisão e comunicação com Google talk, Messenger e Twitter alunos e entre alunos. Redes Sociasis, ex: Facebook, Google+, Apoiam a integração entre os estudantes. Cloudworks Compartilhamento de mídia, ex: Youtube, Apoiam a integração entre os estudantes. Flickr, Slideshare JAI 01 25
  • 26. Ferramentas Web 2.0 Exemplos de aplicação Compartilhamento de mídia, ex: São usados para busca por informações Youtube, Flickr, Slideshare adicionais e aquisição de conhecimento informal. Mundo virtual, ex. Second life Podem fornecer um campus virtual para os alunos, ou a possibilidade de criar cenários para simulações de experimentos reais. Jogos, ex: SIMPLE (SIMulated Professional Usado comumente para treinamento Learning Environment). http:// profissional. www.ukcle.ac.uk/projects/past-projects/ tle/ JAI 01 26
  • 27. Questões sobre o uso de Ferramentas Web 2.0 —  Reconhecimento acadêmico —  Segurança e privacidade —  Ansiedades que o uso dessas ferramentas pode criar nos alunos, uma vez que elas, usualmente, envolvem um certo nível de exposição pública ao qual os alunos não estão necessariamente acostumados. —  Mudança do papel do educador: decidir o nível de envolvimento, aceitar o esforço adicional para iniciar a infraestrutura de apoio necessária, gerenciar e moderar. —  O educador deixa de ser o “fornecedor de informação”, e passa a ser um facilitador ou moderador. Isso implica que há necessidade de treinamento dos educadores para que possam se adaptar a esse novo contexto. JAI 01 27
  • 28. Projeto de Aprendizagem —  Infraestrutura robusta e complexa de apoio tanto a produção, quanto para a apresentação de cursos. —  Os professores da OU, por exemplo, não ministram aulas (no sentido tradicional) a distância; em vez disso, eles estão envolvidos na preparação de materiais de alta qualidade que são o principal instrumento de educação na maior parte dos cursos. —  Os materiais consistem tanto de materiais educacionais escritos especificamente para o curso quanto de áudio, vídeo e outros materiais educativos interativos selecionados para apoiar o curso. —  A elaboração de um curso é sempre feita por um grupo e envolve uma grande quantidade de pessoal de apoio, que inclui, em geral: um gerente de projeto, um Web designer, um desenvolvedor de software, um bibliotecário, um técnico educacional e um assessor acadêmico externo. JAI 01 28
  • 29. Projeto de aprendizagem —  Projeto do curso se preocupa com o mapeamento de habilidades com as tarefas. ◦  Conhecimento e compreensão – conteúdo e matéria do curso; ◦  Habilidades cognitivas – análise e síntese do conteúdo do curso; ◦  Habilidades chave – habilidades mais gerais, como comunicação, uso de TICs, liderança e trabalho em grupo; e ◦  Habilidades práticas e profissionais – habilidades específicas da área de estudo. —  Quando o projeto do curso envolve ferramentas Web 2.0 é importante que elas estejam bem integradas aos objetivos pedagógicos do curso e as tarefas correspondentes. JAI 01 29
  • 30. Produção e pesquisa —  Além do processo de produção existem várias pesquisas em andamento. —  IET - OULDI —  KMI —  MCT JAI 01 30
  • 31. JAI 01 31
  • 32. JAI 01 32
  • 33. JAI 01 33
  • 34. JAI 01 34
  • 35. JAI 01 35
  • 36. JAI 01 36
  • 37. JAI 01 37
  • 38. JAI 01 38
  • 39. JAI 01 39
  • 40. Part I – Comentários Finais —  Esta parte da apresentação contempla o cenário da educação a distância contemporânea enriquecido com exemplos de cursos da Open University na área de computação. JAI 01 40
  • 41. Agenda 1.  Motivação 2.  Educação a distância 3.  Educação aberta 4.  Recursos Educacionais Abertos 5.  Sustentabilidade 6.  Discussões e perspectivas JAI 01 41
  • 42. Educação Aberta —  É necessário entender o papel da universidade no mundo contemporâneo —  West (2010) afirma que a abertura no ensino superior: ◦  é o espírito verdadeiro da educação, da democratização e do crescimento social - é um estimulo a reflexão, a aprendizagem e ao trabalho conjunto; ◦  impulsiona a inovação, a cooperação e a competição no mundo inteiro; ◦  permite o compartilhamento e o acesso a materiais de alto custo que envolvem conteúdos intelectuais valiosos; e ◦  divulga valores nacionais e institucionais. JAI 01 42
  • 43. Educação Aberta —  West (2010) destaca que estamos observando o surgimento de uma Meta-Universidade que transcende os limites geográficos, é acessível e constrói um arcabouço de materiais abertos a partir do qual a educação global pode crescer e melhorar. —  Na concepção de entusiastas da ideia de abertura, como Wiley (2010): “Se o professor não compartilhar o que ela ou ele sabe, a educação não está acontecendo”. JAI 01 43
  • 44. O Termo Educação “Aberta” —  Do ponto de vista da OU, o termo “Aberta” é parte integrante de sua missão, mas significa também a não existência de requisitos de ingresso para o aluno. —  No caso do Brasil (Santos, 2012), o termo “Aberta”, em Universidade Aberta do Brasil, se refere ao acesso gratuito à educação por meio da rede pública de educação a distância. JAI 01 44
  • 45. Educação Aberta Contemporânea —  Aquela que incorpora os novos recursos tecnológicos para oferecer uma educação: ◦  alternativa, flexível, colaborativa ◦  sem as restrições do ensino tradicional ◦  valoriza a aprendizagem autônoma, ◦  rompe as barreiras geográficas e ◦  forma comunidades virtuais de aprendizagem. JAI 01 45
  • 46. Disponibilidade para se doar e Materiais educacionais vem compartilhar sendo produzidos por meio de livros ou artigos que são comercializados Sobrecarga de trabalho http://gowers.wordpress.com/2012/01/21/elsevier- my-part-in-its-downfall/ JAI 01 46
  • 47. Declaração sobre Educação Aberta da cidade do Cabo (2007) —  Assinada por 2.590 educadores e organizações. —  Convida envolvidos a compartilhar a visão de abertura para que se comprometam com a promoção da educação aberta. http://www.capetowndeclaration.org/ JAI 01 47
  • 48. Cenário da Educação Aberta JAI 01 48
  • 49. Educação Aberta —  Os elementos envolvidos no cenário de educação aberta formam um ecossistema que permite uma aprendizagem social, que pode auxiliar no aumento da oferta de oportunidades de formação de profissionais qualificados (Brown & Adler, 2008) e aumentar o acesso a educação à sociedade em geral. JAI 01 49
  • 50. Educação Aberta —  Abrange desde aspectos pedagógicos até a infraestrutura tecnológica e de pessoal de apoio. —  O estabelecimento de comunidades virtuais, bem como formas de conviver, complementar e reutilizar conteúdos. Ex. comunidade de software livre. —  Estratégias de aprendizagem já disponíveis na educação formal em instituições estabelecida e o uso eficiente dos novos recursos tecnológicos, como as ferramentas Web 2.0. JAI 01 50
  • 51. O Projeto OpenED http://www.open-ed.eu/ JAI 01 51
  • 52. O Projeto OpenSE http://opense.net/ JAI 01 52
  • 53. O Projeto openSE —  O openSE almejou oferecer um ambiente que pudesse: juntar aprendizagem formal e informal e estimular experiências de aprendizagem colaborativas que promovessem atividades hands-on que por sua vez também produzissem recursos de aprendizagem. —  O caso de Laura: ◦  Aluna de ensino médio que se entusiasmou por programação. ◦  fez cursos e tutoriais para adquirir habilidades de programação, assim como interagiu com outros alunos. ◦  aproveitou uma oportunidade de estágio supervisionado, oferecida por meio do openSE, no projeto Joomla. ◦  Se tornou membro do grupo de desenvolvimento deste projeto que visa a construção de padrões de portais para escola. ◦  graduou-se no ensino médio e começou a prestar serviços de construção de portais para escolas. JAI 01 53
  • 54. Part II – Comentários Finais —  Educação aberta incorpora recursos tecnológicos e amplia as oportunidades de educação em todo o mundo. —  REA é um dos componentes mais importantes da educação aberta. Educação saindo dos muros da Universidade JAI 01 54
  • 55. JAI 01 55
  • 56. Agenda 1.  Motivação 2.  Educação a distância 3.  Educação aberta 4.  Recursos Educacionais Abertos 5.  Sustentabilidade 6.  Discussões e perspectivas JAI 01 56
  • 57. Recursos Educacionais Abertos (REAs) —  REAs podem ser definidos como materiais de ensino, aprendizagem e pesquisa, em qualquer meio de armazenamento, que estão amplamente disponíveis para a comunidade por meio de uma licença aberta que permite reuso, readequação e redistribuição para outros sem restrições ou com restrições limitadas (Atkins, 2007) (Butcher, 2011). JAI 01 57
  • 58. Exemplos de REAs JAI 01 58
  • 59. Termos relacionados —  OpenCourseWare usado no OCW consortium ou MIT OpenCourseWare. —  Objetos de aprendizagem: “…ferramentas interativas baseadas na web que apoiam o aprendizado de conceitos específicos incrementando, ampliando, ou guiando o processo cognitivo dos aprendizes”. Hay e Knaack (2007, p. 6) apud Amiel et al (2011). —  “O conceito de objeto de aprendizagem tornou-se engessado e confuso, em parte pela enormidade de padrões, sistemas e projetos que tentam definir e direcionar o conceito (WILEY, 2007)” http:// opencontent.org/presentations/bcnet07/ —  O termo REA, que engloba o conceito de objeto de aprendizagem enfatizando o conceito de abertura. Isso inclui direitos de uso, reúso, revisão, remix e redistribuição (WILEY, 2007b; [s.d.(b)]), bem como facilidades técnicas de adaptação. JAI 01 59
  • 60. Abertura —  Social – doação —  Localização —  Adaptação —  Dificuldades de “pay and collect” —  Granularidade —  Formação de comunidades inspirado em software livre JAI 01 60
  • 62. Reusar —  O direito de usar o conteúdo em sua forma original ou modificada (ex. fazer uma cópia). Reproduzir Cambridge, UK JAI 01 62
  • 63. Revisar —  O direito de adaptar, ajustar, modificar, ou alterar o próprio conteúdo (ex. traduzir o conteúdo para outra língua); Traduzir e Reproduzir Adicionar ilustrações, exemplos e Reproduzir JAI 01 63
  • 64. Remixar —  Remixar: o direito de combinar o original ou o revisado com outro conteúdo para criar algo novo (ex. incorporar o conteúdo em um mash up). Grady Booch: "The Promise, the Limits, the Beauty of Software”, http://www.youtube.com/watch?v=adiVOdztQ34 JAI 01 64
  • 65. Redistribuir —  O direito de compartilhar cópias do conteúdo original, das revisões ou mixagens com outros (ex. dar uma cópia do conteúdo para um amigo). JAI 01 65
  • 66. Disseminação de REA —  Qualidade —  Posições políticas e profissionais O estabelecimento de políticas de incentivo, estratégias de conectividade, padronização e disseminação de REAs JAI 01 66
  • 67. Professor —  Conciliar a produção de REAs com as demais tarefas e as restrições de tempo; —  Obter reconhecimento profissional por esse tipo de produção intelectual; —  Adaptar-se a realidade da imensa disponibilidade de recursos online e assim guiar seus alunos no aproveitamento desses recursos; —  Incentivar os alunos a participar ativamente de comunidades de aprendizagem; e, —  Compreender o valor das políticas de licença aberta. JAI 01 67
  • 68. Alunos —  Devem ser mais ativos e autônomos e —  Preocupados com cidadania, empregabilidade, habilidades de comunicação, criatividade e inovação. —  Portanto, devem também divulgar seus trabalhos por meio de REAs em sintonia com seus educadores; —  Se preocupar com a qualidade dos REAs; e —  Ter um papel ativo nas comunidades virtuais para promover o consumo e a produção de REAs. JAI 01 68
  • 69. Reflexão —  Discutir e elencar três sugestões de mudanças para contribuir com a disseminação de REAs nos nossos ambientes ◦  Governo ◦  SBC ◦  Instituição ◦  Professor ◦  Aluno JAI 01 69
  • 70. Do MIT Open Courseware ao OCW Consortium —  Em 2000, o MIT nomeou um comitê para estudar uma estratégia para lidar com a influência da Internet na educação superior. —  Dificuldade vislumbrada em oferecer educação a distância de forma rentável, bem como de compatibiliza- la com a missão do instituto de disseminar conhecimento. —  O comitê propôs disponibilizar gratuitamente todo o conteúdo de cursos de graduação e pós-graduação, incluindo ementas, notas de aula, exercícios e exames. JAI 01 70
  • 72. Lançado em 2006, Em 2010, o consórcio envolvia 200 universidades que publicavam coletivamente 13.000 cursos em 20 línguas JAI 01 72
  • 74. OpenLearn —  A introdução de REAs na OU, seguiu-se a muitas de suas iniciativas de produção de material didático em múltiplas mídias. —  Iniciativas de disponibilização de materiais didáticos com licença aberta incluíram, inicialmente: a transmissão de programas pela BBC e a consequente liberação da gravação dos materiais transmitidos; —  A possibilidade de aquisição de materiais de alguns Todos os materiais cursos sob demanda e a implantação do portal envolviam direitos Open2.net em 1999. autorais JAI 01 74
  • 75. Lançada em 2006, financiado pela Hewlett Foundation http://www.open.edu/openlearn/ JAI 01 75
  • 76. Avaliação do OpenLearn, 2008 —  Internamente, mostrou como a universidade pode entregar materiais de forma mais ágil e sintonizada com a filosofia da Web 2.0; —  Induziu várias atividades de pesquisa e desenvolvimento; permitiu que o pessoal de apoio (ex., tutores) encontrasse novas formas de obter informações, orientações e participações; —  Supostamente estimulou a atração de 6.000 alunos a cursos pagos; e contribuiu para aumentar a presença da universidade na Web. —  Externamente, aumentou substancialmente a atenção internacional dada a universidade, com 69% de visitantes fora da Grã-Bretanha; —  Colocou a universidade a frente das iniciativas de educação aberta e aprendizagem apoiada pela Web, tendo recebido várias premiações, coberturas positivas da mídia e sendo citada em diversas publicações; —  Aumentou a cooperação com instituições internacionais, incluindo a UNISUL no Brasil. —  Os gastos com REAs nesses 5 (cinco) anos passam de 5 milhões de libras (Lane, 2012) JAI 01 76
  • 77. Connexions, Rice University, 1999 —  Oferece ferramentas de software livre e código aberto para auxiliar alunos, professores e autores a gerenciar conteúdos. —  Em julho de 2009, foi formado o ConneXions Consortium para que organizações interessadas pudessem contribuir com o desenvolvimento e o crescimento da plataforma. —  Atualmente, o consórcio envolve mais de 20 membros de países como China, Índia, África do Sul, Holanda e Vietnam. Seus membros são tanto de instituições privadas quanto públicas tais como universidades, escolas, fundações e ONGs. —  Burrus et al. (2004), um de seus fundadores, diz que “informações são apresentadas linearmente, mas que aprendemos, na maioria dos casos, fazendo conexões (“connections”), entre conceitos e coisas que já conhecemos ...”. —  O software de apoio, denominado Rhaptos, é de código aberto. Toda a arquitetura do ConneXions, bem como suas ferramentas de software foram projetadas com o objetivo de facilitar os 4Rs. JAI 01 77
  • 79. Organização sem fins lucrativos que foi fundada Licenças em 2001 por Larry Lessig da Stanford University http://creativecommons.org/videos/a-shared-culture JAI 01 79
  • 80. Licenças Creative Commons (CC) —  O objetivo é oferecer licenças abertas e de fácil compreensão ao público em geral para o licenciamento de recursos digitais. —  As licenças CC, evitam a aplicação na íntegra das restrições de copyright (o tradicional “todos os direitos reservados”), que por lei se aplicam automaticamente a um recurso, seja ele um vídeo, um conjunto de slides, um texto ou uma página Web. —  É importante destacar que o uso de licenças abertas não implica no abandono do conceito de copyright. —  As licenças se baseiam nas leis de copyright, porém as usam de forma criativa buscando articular um discurso mais positivo em vez de negativo (Liang, 2005). —  As leis de copyright tradicionais dão mais foco nas restrições, as licenças abertas focam nas permissões. JAI 01 80
  • 81. Licenças Creative Commons (CC) —  Todas as licenças incluem um conjunto de direitos básicos, chamado de “Baseline Rights”. —  Elas garantem ao autor do recurso o direito autoral e, em consequência, a obtenção de crédito pelas suas obras; —  Em contrapartida, garantem aos usuários do recurso o direito ao uso e a distribuição, bem como a mudança de formato do recurso desde que mantido seu conteúdo na íntegra (Hofman & West, 2008). —  Os “Baseline Rights” estão disponíveis na íntegra em http://wiki.creativecommons.org/Baseline_Rights JAI 01 81
  • 82. Licenças Creative Commons (CC) —  Licenciar um recurso utilizando uma licença CC é muito simples e pode ser feito por meio de um “gerador de licença” disponível no website da Creative Commons. —  O gerador solicita ao autor que responda algumas perguntas simples sobre como ele quer que o seu recurso seja usado e, com base nas respostas, sugere a licença CC mais apropriada. —  Uma vez escolhida a licença, o gerador direciona o autor para uma página contendo diretrizes sobre como referenciar a licença nos diferentes tipos de recursos (ex., recursos audiovisuais, páginas Web e textos). http:// creativecommons.org JAI 01 82
  • 83. Licenças Creative Commons (CC) —  As licenças CC são expressas em três “camadas”: ◦  (1) Código Legal (Legal code) - é a versão completa da licença e que serve de ferramenta jurídica. ◦  (2) Licença Simplificada (Commons deed) - é uma versão da licença que resume os seus pontos chaves, fazendo uso de ícones gráficos, sendo assim mais legível a usuários leigos. ◦  (3) Código Digital (Digital Code) - é uma versão da licença que pode ser automaticamente interpretada. JAI 01 83
  • 84. Attribution Menos Restritiva (Atribuição) CC BY Permite que outros: (1) Reusem, (2) Revisem, (3) Remixem e (4) Redistribuam o recurso licenciado, inclusive para uso comercial, desde que o crédito pela criação original seja dado ao autor de direito. JAI 01 84
  • 85. Attribution Share Alike Comparada às licenças para (Atribuição Compartilha Igual) software livre e de código aberto CC BY-SA Permite que outros: (1) Reusem, (2) Revisem, (3) Remixem e (4) Redistribuam o recurso licenciado, inclusive para uso comercial, desde que o crédito pela criação original seja dado ao autor de direito e que novos recursos que sejam derivações do recurso original sejam licenciados sob a mesma licença. JAI 01 85
  • 86. Attribution No Derivatives Obra permanece (Atribuição sem Derivados) igual CC BY-ND Permite que outros: (1) Reusem, e (2) Redistribuam o recurso licenciado, para uso comercial e não comercial, desde que a obra permaneça inalterada e que o crédito pela criação original seja dado ao autor de direito. JAI 01 86
  • 87. Attribution Non-Commercial Novos recursos não precisam seguir (Atribuição Não-Comercial) a mesma licença CC BY-NC Permite que outros: (1)  Reusem, (2)  Revisem, (3)  Remixem e (4)  Redistribuam o recurso licenciado desde que para fins não comerciais e que o crédito pela criação original seja dado ao autor de direito. Entretanto, novos recursos que sejam derivações do recurso original não precisam ser licenciados sob a mesma licença. JAI 01 87
  • 88. Attribution Non-Commercial Share Alike (Atribuição Não-Comercial Compartilha Igual) Novos recursos seguem a mesma CC BY-NC-SA licença Permite que outros: (1)  Reusem, (2)  Revisem, (3)  Remixem e (4)  Redistribuam o recurso licenciado desde que para fins não comerciais, que o crédito pela criação original seja dado ao autor de direito e que novos recursos que sejam derivações do recurso original sejam licenciados sob a mesma licença. JAI 01 88
  • 89. Attribution Non-Commercial No Derivatives (Atribuição Não Comercial sem Derivados) Mais restritiva CC BY-NC-ND Permite que outros: (1)  Reusem, e (2)  Redistribuam o recurso licenciado, desde que para fins não comerciais, que a obra permaneça inalterada e que o crédito pela criação original seja dado ao autor de direito. JAI 01 89
  • 90. Arquitetura de Plataformas REA —  Os sistemas de acesso e disponibilização de REAs são referenciados na literatura por vários termos: ◦  framework, ◦  plataformas, ◦  ambiente ou ◦  simplesmente software ou aplicação. Chamamos esses sistemas de: ◦  Plataformas de REA JAI 01 90
  • 91. Arquitetura de Plataformas REA —  armazenamento e recuperação de materiais em múltiplos tipos de mídia; —  busca de materiais; —  criação, edição e manutenção de materiais; —  controle de qualidade; —  estabelecimento de licenças; —  registro de comentários aos materiais; —  registro de avaliações dos materiais e estatísticas; e, —  visualização dos materiais. JAI 01 91
  • 92. Arquitetura de Plataformas REA JAI 01 92
  • 93. Interface e Visualização —  Plataformas de REAs não são uniformes. —  Em geral: ◦  página inicial com muitas informações que incluem propagandas, patrocinadores, opções de doações, novidades e anúncios de eventos, referências para serviços externos (ex. RSS, Facebook e Twitter) e serviços de busca. —  A maioria das plataformas oferece opção de registro de usuário. —  A partir da página principal se tem acesso aos cursos ou conteúdos que estão organizados por área de conhecimento. —  Normalmente, os cursos ou materiais possuem o ícone da licença CC que se aplica a eles. JAI 01 93
  • 94. Tipo de material: notas de aula, projetos exemplos, exercícios e soluções, exames e soluções, conteúdo multimídia, galeria de imagens e livros textos online. JAI 01 94
  • 95. JAI 01 95
  • 96. MIT 6.00: Conteúdo —  um conjunto completo de vídeos; —  materiais de apoio aos vídeos, como folhetos, slides e arquivos de código; —  vídeos de revisão de conteúdo e técnicas de soluções de problemas elaborados pelos monitores; —  exercícios com amostras de soluções feitas pelos alunos; —  listas de referências extras, onde se pode encontrar materiais suplementares. http://ocw.mit.edu/courses/electrical-engineering-and-computer- science/6-00sc-introduction-to-computer-science-and- programming-spring-2011/ JAI 01 96
  • 97. MIT 6.00: Observações —  Que o cenário atual foi obtido com o desenvolvimento tecnológico, tendo a computação uma grande parcela de contribuição; —  Que apesar da tecnologia de apoio, esse curso foi planejado e executado com apoio do professor e monitores, incluindo detalhes do material de apoio e calendário de estudos. —  Em qualquer modalidade de ensino, principalmente a distância, a qualidade e o apoio tecnológico devem ser planejados conjuntamente. JAI 01 97
  • 98. JAI 01 98
  • 101. Gerenciamento de dados —  IEEE LOM (Learning Object Metadata) (IEEE, 2002); —  IMS Learning Resouce Metadata; —  Dublin Core Metadata Initiative. http://www.imsglobal.org/metadata/index.html JAI 01 101
  • 102. IEEE LOM —  9 ramos de sub-elementos: ◦  Geral, ◦  Ciclo de vida, ◦  Meta-Metadados, ◦  Técnica, ◦  Educacional: tipo de interação, tipo de recurso de aprendizagem, densidade semântica, papel pretendido para o usuário final, contexto, intervalo típico de idade, dificuldade, tempo típico de aprendizagem, descrição e língua. ◦  Direitos, ◦  Relação, ◦  Anotação ◦  e Classificação. JAI 01 102
  • 103. IEEE LOM, ex. Taxonomia JAI 01 103
  • 104. JAI 01 104
  • 105. Gerenciamento de materiais —  Permitir as ações 4Rs —  O MIT OpenCourseWare oferece os cursos com seus respectivos materiais para acesso ou download, mas não oferece os 4Rs. —  O OCW consortium funciona da mesma forma que o MIT, só que permite acesso a todas as universidades que fazem parte do consórcio. JAI 01 105
  • 107. JAI 01 107
  • 108. Espaços permanentes Espaço experimental JAI 01 108
  • 109. Revisando conteúdo no Labspace —  Log in —  Vá para o Indiespace —  Escolha uma unit, ex Academic Essay Guide —  No menu lateral escolha “Make a copy to revise” —  “Turn editing on” JAI 01 109
  • 110. Criando uma nova unidade —  Escolha um tópico dentre os REAs —  Siga o link abaixo das unidades “Create a unit” JAI 01 110
  • 111. Connexions http://cnx.org/ JAI 01 111
  • 112. Connexions author’s workflow Existe uma área para os autores, authoring área (MyCNX), na qual o conteúdo pode ser criado usando a Connexions Markup Language (CNXML) e editado usando uma dos editores online específicos para a linguagem CNXML. JAI 01 112
  • 113. Aquisição Reuso/Edição: (i)  derivar uma cópia que poderá ser modificada e publicada pelos novos autores com as devidas atribuições de autoria ao trabalho original; e, (ii)  obter uma cópia para modificações obedecendo a licença. http://cnx.org/content/col10213/latest/ logada em minha conta JAI 01 113
  • 114. Controle de Qualidade Métricas Marcas MIT, Standford Indicadores de Qualidade Qualidade versus Liberdade JAI 01 114
  • 115. Controle de Qualidade: OpenLearn http://openlearn.open.ac.uk/course/category.php? id=7&perpage=15&page=2 JAI 01 115
  • 116. Connexions: estatísticas por autor JAI 01 116
  • 117. Connexions Lenses A qualidade pode ser evidenciada pela: •  Afiliação dos autores, •  Pessoas ou organizações podem analisar o material e incluir recomendações em suas coleções •  As visões podem ser criadas por usuários e/ou organizações •  À medida que os avaliadores ganham reputação podem marcar os REAs dando indicativos de qualidade aos usuários, como acontece na prática com revisões de livros, filmes e teatro. JAI 01 117
  • 118. Gerenciamento de licenças —  As licenças utilizadas amplamente são as licenças CC, conforme descrito anteriormente. —  As licenças são atribuídas aos materiais no momento de sua criação, assim, tanto a plataforma ConneXions quanto a OpenLearn abrem formulários para definir a categoria da licença e, com base na escolha feita, o ícone correspondente à licença escolhida aparece na interface do material. —  O MIT OpenCourseware tem em seu portal de entrada o ícone da licença por eles atribuída a todos os seus materiais (CC BY-NC-SA). JAI 01 118
  • 119. Implementação de plataformas REA Todos baseados em OpenSource software JAI 01 119
  • 120. DSPACE —  Foi criado em 2000 a partir de uma parceria entre a HP e o MIT. Atualmente, é mantido pela DuraSpace e é amplamente utilizado por organizações para estruturar bibliotecas digitais e REAs. —  Oferece uma interface Web que permite que os usuários insiram informações a serem arquivadas, que podem variar desde conjuntos de dados simples até vídeos digitais. —  O DSpace foi utilizado na implementação do BIOE (Leite, 2011). JAI 01 120
  • 121. Item, Coleção, Comunidade (ex. Departamento) JAI 01 121
  • 122. eduCommons —  é um sistema de gerenciamento de conteúdo construído sobre o Plone para apoiar a criação de cursos abertos. —  O software é mantido pela enPraxis. —  A partir de uma instalação do eduCommons pode-se criar um departamento e os respectivos cursos associados. —  Os cursos são inseridos seguindo-se um workflow sequencial com os seguintes papéis: produtor, controlador de qualidade, revisor e publicador. —  Course Builder permite criar os atributos do curso e carregar o conteúdo correspondente em vários formatos como IMS Common Cartridge, Moodle Backup ou Blackboard Content Package. —  Um curso é composto de vários objetos. Após a criação, cada objeto fica no estado produtor e vai mudando de estado conforme evolui e avança no workflow. JAI 01 122
  • 123. ConneXions e Rhaptos —  O Rhaptos é um sistema de gerenciamento de conteúdo baseado no Plone e que foi desenvolvido pelo próprio grupo do ConneXions. —  A arquitetura do Rhaptos é composta pelos seguintes componentes: Enterprise Rhaptos; APIs for Accessing Connexions Data; Connexions Rhaptos Development; e Quality Assurance and Testing. —  O software pode ser obtido a partir do portal ConneXions para implementação de plataforma de REAs. JAI 01 123
  • 124. iTunesU —  Uma iniciativa para permitir as universidades e outras instituições a disponibilização de vídeos e áudios com material educacional por meio da iTunes Store (Apple, 2007). —  A OU, por exemplo, aproveitou a oportunidade para disponibilizar materiais de seus cursos, pois já possuía esse tipo de material. —  Assim, foi a primeira universidade da Europa a alcançar mais de um milhão de assinaturas na iTunes U app e teve mais de 50 milhões de downloads de materiais no formato de mobile app com imagens vídeos, panoramas e diagramas interativos juntamente com os textos dos cursos, promovendo assim uma forma mais interativa de aprendizagem. —  iTunesU Colossous JAI 01 124
  • 125. Comentários Finais —  Pesquisa de opinião sobre REA em computação com uma amostra de professores da América do Norte, Europa, África e América do Sul (Dichev & Salem, 2012) —  Análise de cobertura dos tópicos de computação em repositórios de REAs, bem como da facilidade de busca desses recursos. —  As buscas foram feitas especificamente por REAs que cobrissem tópicos extraídos do currículo ACM de 2008, tais como: análise de algoritmos, inteligência artificial, etc. JAI 01 125
  • 126. Comentários Finais —  Os resultados mostraram que a cobertura de itens dos tópicos selecionados e de cursos introdutórios de computação é baixa. —  Foram recuperados em torno de 2,5 REAs por tópico. —  A cobertura de tópicos eletivos e avançados é ainda mais baixa: 0,4 REAs por tópico. —  Exemplos de itens pesquisados incluem: ◦  normalização em banco de dados (Google - 1, REAs - 9); ◦  estrutura de dados – árvores binárias (Google -2, REAs - 3); ◦  serviços Web para comércio eletrônico (Google - 0, REAs - 0). JAI 01 126
  • 127. Comentários Finais —  Uma observação interessante desse estudo é que a maioria dos repositórios institucionais não oferecem apoio a resubmissão de trabalhos derivados, como seria inerente a REA. —  A maioria dos repositórios também não registram revisões e comentários sobre a qualidade de seus recursos e não possui apoio para registro de reconhecimento dos recursos pela comunidade (ex. Rating). JAI 01 127
  • 128. Comentários Finais —  A pesquisa observou que dos 13.000 cursos oferecidos em 150 universidades, apenas 21 portais oferecem materiais para computação a saber: MIT OpenCourseWare, Connexions, OERCommons, CITIDEL, UCI OpenCourseWare, Stanford School Engineering Everywhere, Webcast.berkeley, VideoLectues.NET, EDNA, MERLOT, OU OpenLearn, University of Michigan, SOFIA, Intel’s Academic Community, University of Southern Queensland, Notre Dame OpenCourseWare, University of Massachusetts Boston, Utah Valley University, e Weber State University. JAI 01 128
  • 129. Comentários Finais A plataforma (BIOE) apresenta apenas 1 (um) objeto classificado como ciência da computação na educação superior. http:// objetoseducacionais2.mec.gov.br/ JAI 01 129
  • 130. Agenda 1.  Motivação 2.  Educação a distância 3.  Educação aberta 4.  Recursos Educacionais Abertos 5.  Sustentabilidade 6.  Discussões e perspectivas JAI 01 130
  • 131. Sustentabilidade JAI 01 131
  • 132. Sustentabilidade —  Custos: recursos humanos, físicos e tecnológicos; —  Nos EUA houve um grande financiamento da Hewllet Foundation para Universidades, por exemplo para o MIT OpenCourseWare e mesmo na Inglaterra para o OU OpenLearn. —  Sobrecarga reportada pelo MIT. —  Do MIT OpenCourseWare ao OCW Consortium. JAI 01 132
  • 133. Sustentabilidade —  Decisões devem considerar (Wiley, 2007): ◦  organização (tamanho, estrutura, grau de centralização); ◦  tipo de recursos e formatos de mídia; ◦  tipo de usuário final que provavelmente utilizarão os recursos e quanto de apoio eles necessitam na utilização; ◦  incentivos para o engajamento de participantes; ◦  formas de redução de custo; e ◦  modelo de financiamento para viabilizar os objetivos do projeto. JAI 01 133
  • 134. Sustentabilidade —  A sustentabilidade de iniciativas de REAs (Downes, 2007) inclui as questões de qualidade, custos de produção, escala e lucros gerados, do ponto de vista do produtor. JAI 01 134
  • 135. Sustentabilidade —  Sinergia entre Instituições tradicionais e Educação aberta •  Ex. Lane (2012) cita entre os efeitos positivos de REAs o fato do pessoal de apoio da OU utilizar o OpenLearn como fonte de informação, mesmo sem serem treinados para tal. •  A busca de REAs, por alunos faz com que as universidades que mantêm conteúdos de boa qualidade estejam mais em evidência e como consequência atraiam alunos. JAI 01 135
  • 137. Tendências e Perspectivas —  novas oportunidades e novos modelos de abertura na educação JAI 01 137
  • 138. Massive Open Online Courses (MOOCs) —  Um MOOC é um curso que atinge uma audiência largamente distribuída, é conduzido com o apoio de materiais distribuídos em recursos da Web e que envolve a participação dos alunos. —  MIT lançou o MITx; —  Harvard e MIT lançaram EdX; —  Sebastian Thrun e David Evans da Stanford University lançaram Udacity; —  Coursera oferece cursos de renomadas universidades americanas; —  Khanacademy é um outro provedor de cursos online. —  A diferença do MITx e OCW é que os recursos do MITx são interativos, pois especialmente produzidos para esta plataforma. —  A plataforma OCW consiste basicamente de materiais existentes. JAI 01 138
  • 139. MOOCs —  Exemplo: curso oferecido Sebastian Thrun que teve mais de 9000 alunos matriculados, e dos cursos do Coursera, que tiveram mais de um milhão de alunos de inscritos logo que apareceram em seu portal. http://www.udacity.com/ https://www.coursera.org/ JAI 01 139
  • 140. Qual é o futuro? —  Impacto nas universidades e educadores? —  Debate sobre o educador digital e o consequente impacto no reconhecimento das novas formas de produção dos pesquisadores (Weller, 2011)? —  VLE versus PLE? http://www.youtube.com/watch?v=r77iDP_f0NY JAI 01 140
  • 141. Qual é o futuro? —  Envolve: ◦  acesso aberto e livre aos recursos de aprendizagem; ◦  aprendizagem em rede e fora das instituições de educação tradicionais; ◦  e personalização da aprendizagem. —  A noção de que os alunos são também produtores, “prosumers” (produtores +consumidores) requer o envolvimento dos alunos na produção democrática e criativa de conhecimento. JAI 01 141
  • 142. Qual é o futuro? —  Os aprendizes precisam ser autonômos e devem ser capazes de avaliar e fazer escolhas. —  Porém, eles nem sempre possuem a capacidade ou a vontade de fazer essas escolhas, pois existem limitações nas possibilidades de participação, no interesse e na especialidade de cada um (Fischer, 2009). —  Essas transformações também demandam mudanças culturais e de políticas institucionais que estão em franco conflito com a abordagem dominante de definição de padrões curriculares. JAI 01 142
  • 143. Qual é o futuro? —  Capdeferro & Romero (2012) analisou frustações enfrentadas por alunos em atividades colaborativas em um grupo de 40 alunos de um mestrado online —  A fonte de frustação mais frequente é a percepção de um desequilíbrio de compromisso, responsabilidade e esforço. —  Outros problemas incluem: o não compartilhamento de objetivos, dificuldade de negociação, tempo e sobrecarga de trabalho, conflitos, avaliação desequilibrada e dificuldade de compreensão. Colaboração online? JAI 01 143
  • 144. Algumas questões a serem exploradas 1.  Novas abordagens para ensinar que auxiliam os aprendizes a serem mais críticos, a refletir mais e a explorar a riqueza de recursos educacionais disponíveis; 2.  Incentivo aos educadores para reconhecer o valor das iniciativas educacionais que ultrapassam os muros de suas instituições; 3.  Políticas educacionais que apoiem as novas iniciativas educacionais; 4.  Reconhecimento pelas instituições de que esses desafios não podem ser ignorados e que requerem mudança de comportamento. JAI 01 144