SlideShare uma empresa Scribd logo
Ebó tradicional que antecede ao ritual de Bori:
1° Ebó
Este primeiro ebó que antecede o ritual de Ebori damos o nome de Tóya Kóssi que
destina-se a remover doenças, pragas, feitiçarias, Baku, Egun, e outras energias de
ordem negativa.
1 Vara de bambu que deverá ser partida, ao comprido, em 4, pega-se 1 parte destes 4 e
confecciona-se na ponta deste uma espécie de ponta de flecha, lembre-se embora partida
em 4 esta vara continuará com seu comprimento que normalmente chega a 2metros, as
vezes até 3.
Questo primo ebó che precede il rituale di Ebori diamo il nome di Tóya Kóssi
che destina per rimuoverlo malattie, pesti, witchcrafts, Bacu, Egun ed altre
energie di ordine negativo. 1 Palo di bambù che dovrà essere rotto, alla
lunghezza, in 4, dei fermi 1 parte di questi 4 e delle confezioni nella punta di
questa una specie di freccia si capovolge, che si ricorda di che nondimeno a
sinistra in 4 questo palo continuerà con la relativa lunghezza che arriva
normalmente il 2metros, i tempi fino ad un massimo di 3.
Pinta-se 1 alguidar número 05 e 1 quartinha com tampa sem alça de Efun, Ossun e
Wají.
1 Galinha D‘Angola
1 Ekuru
1 Acaçá
1 Acarajé
1 Aberém
1 Bola de Canjica
1 Bola de Feijão Preto
1 Bola de Arroz
1 Ovo
1 Bola de Farinha
Tudo isso em Tamanho exagerado,
E 1 Bacia de Pipocas.
1 Estoura Balão (Fogos)
Modo de Fazer:
Levar o Filho de Santo no mato, no pé de uma Árvore Frondosa. Entregar na mão
direita dele a Galinha D’Angola que será segura pelas Patas. Na mão Esquerda a Vara
de Bambu, o Alguidar pintado nos Pés da Árvore e Junto a Quartinha sem nada dentro
apenas tampada, e pede-se ao Filho de Santo para mentalizar tudo que deseja que saia
da Vida dele e do Corpo. E vai se passando todas as comidas começando pelas comidas
escuras e terminando com as Pipocas. Ao terminar de passar todas as comidas, o Filho
de Santo encosta a Lança de Bambu rente ao Tronco da Árvore, na mão esquerda então,
ficará a quartinha. Tira-se a Tampa, pede-se ao Iyawo fale com a boca dentro da
quartinha pedindo para sair tudo de ruim da vida dele,tampa-se a Quartinha e manda-se
o Iyawo atira-la ao chão para que se quebre. O próprio Iyawo faz um Sarayê com a
Galinha em seu Corpo e a Joga bem longe com toda a Força. Neste momento, dá-se na
mão do Filho de Santo o Estoura Balão que será pontado para bem longe botando para
correr então todas as mazelas que estavam na vida daquela pessoa. Durante todo o
processo deste ebó, canta-se para Omolu.
2° Ebó
Este Ebó destina-se a Louvar a Exu na encruzilhada de Cruz antes do ritual de Ebori.
1 Cesto de palha (vime)
7 Acarajés
7 Acaças
7 Moedas
7 Velas Bancas
7 Cores bem Vivas de Morim incluindo o Preto e Vermelho
7 Ovos
7 Bifes de Músculo
1 Padê de Dendê, de Água, de Cachaça, de Wají, de Mel, de Camarão Moído com
Dendê e outro de Fubá com Dendê.
7 Buchas de Pólvora misturada com Açúcar.
7 Pintinhos Carijós.
Modo de Fazer:
Passar os Acarajés e os Acaçás e depositar dentro do Cesto, passar então os Pades e
depositar por cima das comidas, passar os Bifes e por em cima dos Pades, passar os
ovos e por em cima de cada bife, passar as velas e quebrá-las e coloca-las dentro do
cesto, passar as moedas e por em cima de cada bife, esfregar a pessoa com os Pintinhos
e colocá-los em cima das comidas vivos, Esfregar todos os tecidos na pessoa e fazer um
circulo em volta do cesto com estes tecidos, este ebó ficará no centro da encruzilhada.
Estourar as 7 buchas, dar as costas ao Ebó e seguir para a roça.
Tomar um banho cozido de folha de bananeira, casca da fruta manga, folha de
mangueira, manjericão e nega-mina.
* Esses ebós aqui prescritos são básicos de todo bori, porém algumas pessoas vêem a
necessidade de se fazer em casos específicos outros ebós.
BANHOS QUE ANTECEDEM AO RITUAL DE BORI
1° Banho  SACO-SACO, FUNCHO E ELEVANTE COZIDOS. (Após primeiro
ebó) Dia anterior ao bori.
2° Banho  PAU D’ALHO E CHÁ MATE COZIDOS. (Após segundo ebó) No dia
do bori pela manhã).
3° Banho  MACAÇA. SAIÃO E POEJO QUINADOS. (A tarde antes do bori, em
frente ao Igbá Osayin).
4° Banho  . LEITE DE CABRA COM EFUM. (A noite minutos antes do bori).
Arrumando a mesa do Bori
As comidas a serem postas também ficará a critério do Babalorisa e ou Iyalorisá,
devendo-se respeitar os elementos imprescindíveis ao ritual, como MANJÁ, EKÓ,
EBÔ, EJÁ, OBI, OROBÔ, ATARÉ, SAIÃO, CAPEBA,EFUM, ORI DA COSTA,
ARROZ BRANCO COZIDO, ALGODÃO, EBOYÁ E OJÁ PARA O ORI.
Tenho por hábito em arrumar a mesa do bori com uma Eni (esteira) forrada com uma
toalha e por cima desta espalhar muitas folhas de AKOKO.
Forrada a mesa com toalha e folhas, arrumo então as comidas, ponho sempre um vaso
de rosas brancas, palmas e peregun.
O iyawo é trazido para frente da esteira do BORI, antes de por os pés na ENI (esteira)
dobre os joelhos 3 vezes em reverencia a ENÍ e então ponha o pé direito primeiro na
esteira.
Senta-se o iyawo, e explica-se a ele a finalidade do BORI, que ali começa um dos
principais momentos da vida dele em ORISÁ, e que BORI nada tem a ver com
manifestar Orisá, mas sim moldar o Ori, para que possa mais tarde estar preparado para
receber Orisá e suas oferendas, na verdade o bori é um Ebó para a cabeça.
ele devera por as pernas esticadas para frente, a palma da mão virada para cima sobre
cada perna.
A toalha do bori do iyawo e o ojá deverão estar na Ení dele.
O Babalorisa aproxima-se com a bacia de OMIÈRÓ (ervas de Bori quinada: capeba,
macaçá, colônia, poejo, elevante, saião) sentado num banquinho o Babalorisa lava as
contas do iyawo, o ORÍ do iyawo, as mãos do iyawo. A cantiga para a lavagem de Orí
é a seguinte :
Osogià mà da deo
Tètè omi a ba
Jonì un pawò
Tètè omi a ba
Jonì um pá
Erò erò
Osogià mà da deo
Tètè omi a ba
Jonì un pawò
Tètè omi a ba
Jonì um pá
Encerrada a lavagem do Ori, o Babalorisa envolve o ori do Yawo com o ojá, moldando
desta forma o pano com o formato do ori. Retira do ori e coloca-se entre as pernas do
Eborizado.
Dando início ao bori, passe banha de ori seguido de acaçá nos seguintes pontos do
Eborizado:
5 pontos da cabeça; palmas das mãos; lado esquerdo do peito; lado direito das costas;
umbigo; juntas dos antebraços; axilas; dedão de cada pé.
Todo este ato é feito com a seguinte cantiga:
Orí ení
Kini sa ka eni
Orí ení
Kini sa ka
Iyan
Orí o lore
Orí un jé o
Iyá sa ka
En ki iya
Un to loko
Iyá sa ka en ki
Egbome bè
Tà un mo borio
Louva-se Orí :
Oríooo
Orí apèré !
Oríooo
Orí apèré !
Orí alafia !
Passa-se ao ritual de oferecimento tocando os pontos principais do iyawo com as
vasilhas de comidas do entoando a seguinte cantiga:
Orí Awurè o
Colobó sére
Nu a ba sére
Colobó
Orí Awurè o
Colobó sére
Nu a ba sére
Colobó
Ebô Awurè o
(nessa linha vai se trocando o nome de tudo que está na mesa)
E vai se repetindo até ser oferecido tudo que está na mesa até os bichos que serão
oferecidos.
Dá-se inicio ao Obí,
Pega-se um prato branco com obi de 4 gomos e 7 atarés, lembre-se que Obí tem vida, e
portanto para que dê vida ao iyawo deverá ser sacrificado, abra com as mãos o Obi de 4
gomos, tudo isso em cima do prato que deverá ser segurado pela Ojubona da casa em
cima do Orí do iyawo, tira-se o coração do Obí, aquele brotinho que fica dentro do obi
na parte de cima, jogando fora em um canto diz-se o seguinte:
Kèsù bá
Kèsù bá
Junta agora os 4 gomos molha-se, toca-se o Ori do iyawo, a nuca, o peito, os dois
ombros,a parte de cima das mãos, dos pés, pronunciando seguinte:
Obi ni biku
Obi ni biarun
Obi kosí ajé
Obi kosi dina
Obi kosi fitibo
Obi kosi ofó
E diga “ofereço este obi a Iya Ori mãe das cabeças a Baba Ajalá o moldador de Orí e
a Osalá, para que faça do Orí de “fulano de tal” mais forte, com sorte e prosperidade”.
Jogue no prato pronunciando:
Obi sé Obi re o !
Durante esse processo de abertura do Obi canta-se:
Baragadà
Obi lá okan
Baragada
Obi la okan
Depois de cantar 3 vezes lança o Obi no prato que estará em cima do Ori do iyawo,
lança-se até dar alafia, se depois de 4 tentativas não alafiar, jogue esse obi na rua para
Esù, e parta outro, fazendo o mesmo ritual acima.
Ao alafiar o obi, diz-se então:
Aláfia!
Obi oo !
Ori oo !
E canta-se :
Obí a un lá
Baba
Obí ori
Obí a lodè
Obí a un lá
Baba
Obí ori
Obí a lodè
Põe um pedaço na boca do iyawo com uma ataré para que ele mastigue, o Babalorisa
também mastiga uma banda com 2 atares, a Ojubona e o pai ou mãe pequena do iyawo
também, deixe sobrar uma parte que irá para dentro da tigela de bori do iyawo. E outra
parte é dividida entre os convidados com 1 ataré e dado para engolir.
Após mastigado, o bolinho que está na boca do iyawo é posto em cima da pasta do
acaçá que está na sua mão esquerda que o Babalorisa juntará com o bolinho que já está
no prato, e distribuirá em cima de todos os pontos que foram passados o acaçá e a
banha de ori,.
Dê seguimento agora com o peixe uma das partes principais do Bori,
O peixe deverá estar arrumado no prato da seguinte forma, prato oval, peixe lavado,
mas com tudo dentro, louva se ori :
Ejá oo !
Ejá oriooo !
Então comece a cantar a cantiga do Ejá:
Ejá mogbá
Mogbá
Bori eni
Ejá mogbá
Mogbá
Bori ejé
Começa então a tirar as escamas e separe num prato, guelras, barbatanas, rabo do peixe,
cabeça no mesmo prato da escama, as vísceras serão despachadas, para a cabeça do
Eborizado irá apenas as guelras e as barbatanas laterais, as barbatanas inferiores e
superiores junto com a cabeça e o rabo do peixe e as escamas irão para dentro do igbá
ori.
Feito assim, dê seguimento agora com o sacrifício dos animais de penas, a começar
pelos 2 frangos brancos, seguidos da galinha d’angola e por ultimo o pombo, os oris
dos bichos que irão para dentro do igbá ori são; D’angola e pombo. Segue as cantigas
de cada bicho:
Ejé soro soro
Ejé gbalé akara ó
Koronpá ile
Ejé gbalé akaraó
Caindo o ejé ao prato entoa-se então:
Ejé soro
Ori um pao
Ejé soro
Ori um pao
D’angola:
Kuen kuen kuen
Baba bi a bi etú
Kuen kuen kuen
Baba bi a bi oro
Kuen kuen kuen
Baba bi a bi etú
Kuen kuen kuen
Baba bi oma
Após a morte da etú canta-se
Eran gbobo
Orisá fefe etu
Eran gbobo
Orisa fefe etu o
Pombo, cubra com folha de saião e mel os olhos do pombo:
Erinlé é un a ja dìe
Oluwo ojú mama
Erinlé é un a ja dìe
Oluwo ojú mama
Ojupá para sé Olorun
Ojú mama
Ago a lá
Olorun ibase
oluwo
Ojú mama
Todo os ejés dos bichos irão para o prato primeiro para depois cair dentro do igbá ori, e
a cada animal imolado retira-se um pouco da pena e lambuza naquele ejé e deposita em
cima de cada parte do corpo que está com obi e akasá.
Tempera-se a matança:
Epo oju oju oloja (azeite doce ou dendê)
Epo oju oju oloja
Epo
xxxxxxxxx
Mara in e Mara oyn (mel)
Mara in e Mara oyn
Dundun mama niwa lase
Mara in e ni mara oyn
xxxxxxxxxx
Mara in a Mara oti o (moscatel)
Mara in e Mara oti o
Dundun mama niwa lase
Mara in ni mara oti o
xxxxxxxxxx
Iyó iyó lojé (sal)
Iyó
Iyó lojé iyó
xxxxxxxxx
kilofo mo re (agua de akasá)
omitoro
kilofo mo re
omitoro
Louva-se Orí
Oríooo
Orí apèré !
Oríooo
Orí apèré !
Orí alafia !
Arrumando a cabeça:
Pegue uma caneca de ágate e coloque um pouco de omitoro (água de akasá) peça ao
Eborizado que segure o igbá ori embaixo do queixo e despeje um pouco dessa água na
cabeça dele que cairá dentro do igbá ori. Ponha o Igbá ori no lugar de volta.
Ponha a folha de capeba por cima de tudo que está no ori com um pouco de ebó e
enrole o ojá que estava entre as pernas no ori do Eborizado. Cante para Iya ori:
Ori o
Iyemanjá nise keni odo
Ori o
Iya ori nise keni odo
Canta-se a seguinte cantiga para Ossaiyn:
Ori ori a kafojé
Orio nikorisá
Ori ori a kafojé Babá
Orio aworisá
A pessoa se deita e é coberta com um lençol e é jogado sobre o lençol arroz com casca
e arroz agulhinha, descansando enquanto se aguarda o axé voltar.
Os bichos são levados para a cozinha e temperados com cebola,camarão seco e azeite
doce e levados ao fogo para que fiquem bem cozidos e corados, por final o peixe e
lambuzado naquela panela onde se preparou os axés e refogado e posto por cima de
uma farofinha também preparada com aquele mesmo tempero e posto no prato.
Esfriado o axé ele volta para a mesa.
O axé retornando canta-se:
Asé kun felebé
Ta nimole ni o ea
Asé kun felebé
Ta nimole ni o ea
Ba inse ba inse kotun
Ba inse ba inse kotun
Oni a inmole
Asé kun felebe
Ta nimole ni o ea
Ponha as partes principais de axé no igbá ori e um pedaço do peixe.
Arrume duas bolas de oka com pedaço de peixe e frango e ponha no ori do borizado
cantando:
Siku erewere
Mabori jeun
Cante para oferecer o manja e coloque um pedaço no ori:
Ori manja aju awo
Ori manja
Apere koro pa lawo
Ori manja aju awo
Ponha um pedaço do manja dentro do igbá ori.
Arrume o prato do Eborizado com um pouco de cada comida entregue nas mãos dele.
Próxima cantiga todos que estão assistindo ao Bori bate cabeça para o igbá ori do
Eborizado e junta as mãos pedindo a benção dele e desejando coisas boas para ele.
1. Oloro keja boro
Ori apere o
Oloro keja boro
Ori je
Oloro keja boro
2. Apere ori o
Orio oye
Lese ekodide
Apere ori o
Ori apere
Lese ekodide
Lese orisá
3. Ori kafeja
Bori o
Ori kafejá
Bori o
Ase kue rekue
Ase kue rekue
Ori kafeja
Bori o
4. Ori je
E tani ware jô
Ori o
Ori je lese orisá
Apere ori o
5. Ado rilé Yemanjá
Ado rilé iya Oyo
Ado rilé Yemanjá
Ado rilé iya Oyo
6. La omã
Lawa apere
La omã
Lawa apere
Apere la oma
Lawa apere
7. Àwa na wúre eléda wa
Àwa na wúre eléda wa
Mo adúpe wúre ati odúnmódún
Mo adúpe wúre ati òsú mósu
Mo adúpé wúre iba gbobgbo
Àwa ná wúre eléda wa
8. Ajala ORI
ORI lewá lewá lewá
Ajala ORI
ORI lewá lewá lewá
Mo pé eyn
Eledumarè
A ORI eku o
Mo pé eyn
Eledumarè
A ORI eku o
Eku o Orun
Eku o Osupá
Eku o Ojó
Ojó bori ylé
Irè odi ORI
Odi irè ORI
Irè odi ORI
Odi irè ORI
9. Iya iyo
Iya iyo
Iya iyo orunmilá
Iya iyo
Iya iyo
Iya iyo orunmilá
Ifa eda eko
Eda ebô orunmilá
Iya iyo orunmilá
Ifa eda eko
Eda ebô orunmilá
Eni sope omo ire
Eni sope omo ire
Daqui em diante louva-se umas 4 cantigas para Iyemonjá.
O bori só será suspenso 6 horas depois, para isto terá que ter iniciado as 18 horas e
terminar no máximo as 21h.
Obs: o Bori poderá ser tocado com atabaques e gan do inicio ao fim.
Algumas casas utilizam montar Igbá Ori, outras não, fazem apenas tigela sagrada, ou
seja a pessoa guarda a tigela para toda vida, sempre que for dar bori utiliza a mesma
tigela.
No caso de se montar igbá ori, este é o modelo mais tradicional de Igbá Ori 
1 tigela branca com tampa ou prato em cima.
1 moeda de prata antiga
4 búzios
1 cristal de rocha límpido
1 coral
1 seguí
4 conchas Shell Esse igbá ori é posto dentro de uma bacia de agate com dois ajês
grandes em volta.
Juízo da curvina ( pedrinhas que ficam na cabeça desse peixe por dentro).
Ao final de tudo tenho por hábito borrifar Água sobre toda a mesa do Bori e do Iyawo
pronunciando durante a borrifação o seguinte:
Omi la bunmun,
Omi la buè,
Omi kosò ta
Preparando o Carrego do Bori
Pede-se agô ao Ori do Iyawo, e retira todo o asé que se encontra no alto do Ori, ponha
dentro do igbá Ori.
Lave o Ori do Iyawo com omièró fresco.
E comece a levantar as comidas dos Orisás cantando:
Didè didè didè nan
Didè didè didè nan
Ori didè nan
Didè didè didè nan
As últimas coisas a serem postas na bacia do carrego serão as coisas do igbá ori,
incluindo as coisas que estavam na cabeça, depois o peixe, as frutas, os doces e por
último as folhas da mesa e dos vasos.
Borrifar água por cima de tudo, enrolar no lençol, e por uma saia de mariwô por cima
da trouxa.
Neste momento pergunta-se ao jogo para onde deverá ser encaminhado o carrego,
mar,praia,cachoeira, mata ou alto de morro.
Como Nasceu Ori
ORI em iorubá significa CABEÇA. O Ori está acima dos Orixás, pois nenhum Orixá,
nem mesmo Olodumare atenderá um pedido do ser humano, que não tenha sido
autorizado por seu Ori.
Conta a lenda que os Orixás e Ancestrais se rebelaram, querendo ter os poderes e a
sabedoria do Deus supremo. Como mensageiro nomearam Exu, que levou as
reivindicações a Olodumaré. Este lhes enviou um poderoso obi, e, orientado por Ifá,
determinou que após deixá-lo a noite inteira numa encruzilhada, os Orixás e Ancestrais
deveriam tentar parti-lo para mostrar seu poder.
Ori era apenas uma pequena bola, que não possuía sequer um corpo para se apoiar, e
ninguém o respeitava. Para conseguir partir o obi, procurou Ifá, que o aconselhou a
fazer uma oferenda para os Odus, para conseguir a força de todos eles. Além disso
deveria espojar-se na poeira do chão por algumas horas.
No dia seguinte todos já estavam preparados para tentar partir o obi, quando chegou
Ori, espojando-se na poeira. Um a um os Orixás foram fracassando na tentativa, pois o
obi era muito forte e resistente.
Ori se apresentou e, como última opção, deixaram-no tentar. Com seu peso caiu sobre o
obi, que se partiu em seis gomos. Todos ficaram muito felizes.
Olodumaré, ao receber a notícia, imediatamente enviou uma linda almofada, onde Ori
se instalou. Dessa forma Ori ganhou um corpo para sustentá-lo. Orixás e Ancestrais
exclamaram: ORI APERE!
A partir desse momento, Ori nasceu. Passou a ser dotado de Iwa, a existência, dada por
Olodumaré, como prémio por ter sido o único a conseguir partir o fruto-ventre.
ORÍ - Cabeça física e espiritual
As 401 divindades procuravam por um estado de perfeição, e foram procurar Ifá para
fazer a adivinhação para eles, através do Jogo Ifá previu que eles fizessem ebó
(sacrifícios) nenhuma das divindades quiseram fazer, só quem fez foi ORI, e seu
sacrifício foi abençoado. Portanto ORI é mais forte que as divindades, somente ORI
chegou no estado de perfeição.ORI é forte, mais que os orixás.
Para qualquer Yorubá, a palavra ORI tem uso amplo. ORI num primeiro momento quer
dizer cabeça; e simboliza também - o ápice de todas as coisas; o mais alto desempenho,
portanto contém o superlativo ou seja o Zênite. Por exemplo, a cabeça é a parte mais
alta e mais importante do corpo humano, é a moradia do cérebro que controla o corpo
inteiro. O líder ou chefe de qualquer organização é referido como "Olóri" (a cabeça),
ORI é cabeça, cabeça é alta, alto é supremo e o ser supremo é ÔLÔDUMARÊ (Deus
maior).
No corpo humano ORI se subdivide em duas colocações:
1) a cabeça física - é o crânio humano, onde está o cérebro que usamos para o
pensamento e controle das outras partes do corpo; consciente ou inconsciente; os olhos
para tudo ver; o nariz para respirar e cheirar; orelhas para ouvir; a boca para alimentar e
falar; a língua para saborear; nossa essência masculina ou feminina está na cabeça, o
rosto que dela faz parte nos distinguem uns dos outros, imprimindo uma identidade
individual; sem a cabeça o homem e mulher seriam como qualquer "X".
2) a cabeça espiritual está subdividida em mais duas partes a saber:
CABEÇA ESPIRITUAL:
APARÍ-INÚ (CABEÇA ESPIRITUAL INTERNA)
ORÍ-ÀPÉRÉ (santo pessoal, destino ou parte divina de cada um: escolhido no domínio
de ÀJÀLÁ - divindade de ORÍ.
ORÍ-ÀPÉRÉ é acumulação de destino individual; Isto é: ÀKÚNLÈYÀN,
ÀKÚNLÈGBÁ e ÀYÀNMÓ.
AKUNLEYAN é à parte do destino que cada um escolhe por vontade (livre arbítrio)
própria.
AKUNLEGBA é à parte do destino o qual está adicionada como complemento de
AKUNLEYAN
ÀYÀNMÓ é aquela parte do destino que nunca pode ser mudado. Por exemplo - pais,
sexo, karma, etc.
Mas Akunleyan e Akunlegbá podem ser melhorado enquanto Àyànmó não pode ser
modificado . O destino ORÍ-ÀPÉRÉ está escolhido no domínio de ÀJÀLÁ (divindade
de Orí).
APARI INÚ é de caráter individual, uma pessoa poderia chegar a terra com bom
destino, mas, sem boa conduta; A maldade da cabeça espiritual interna danificará
definitivamente o bom destino, o inverso também acontece. Porém o "destino" pode ser
modificado, numa certa medida, quando certos segredos são conhecidos, dentro de um
contexto e conhecimento da Teologia Yorubana.
Contudo ORÍ é o mais importante entre as divindades. Na ordem de importância - o
primeiro é Orí; o segundo é a mãe, e se ela tenha morrido, seu espírito; em terceiro
lugar é o pai, e se tenha morrido, o seu espírito; em quarto lugar, IFÁ e a seguir, seu
orixá e as outras divindades.
Ser humano - somatória - O Criador, o procriador, procriadora e ser procriado.
Ori - Alma e Personalidade.
Ori tem a propriedade de ser controlador. Além de guiar a vida, comanda todas as
atividades, físicas ou não. Ele armazena em um só local todas as informações
necessárias para a existência do homem. Nele encontramos o Asé (força) que forma a
personalidade do ser e faz com que cada um pense e haja de forma diferente.
Ori guarda todas a s chaves para o êxito da vida do homem, ou seja, inteligência, bons
pensamentos e memória. Estas são qualidades do homem que integram Ori.
Ori tem a função de gestar o Asé do homem, ou seja, ele amadurece todos os
Pensamentos, transformando-os ou aprimorando toda e qualquer idéia que passe Por
ele.
Ori é independente do ser (corpo físico) e embora esteja ligado a ele, suas funções
comandam todas as outras.
Ori recebeu três coisas essenciais para sua existência: A preparação para a vida na Aiye
(terra) A preparação para a Iku (morte) e A preparação para a vida no Orum (céu) Isto
possibilita que no Aiye exista a união Ori + Ara (corpo + cabeça). Mas atenção: mesmo
que haja separação, no caso de morte, Ori nunca morre.
No caso de morte, Ori e Eledá (alma) se juntam e, caso necessário, realizam rituais
como: Asese (vigília): para que possa haver a separação; Orisá Olori (senhor da Cabeça)
e Ori, para que a alma ou o espírito possa seguir seu caminho no Plano astral.
Por ser uma parte concentradora de energias benéficas e maléficas, deve-se Ter todo
cuidado ao deixar o Ori na mão de estranhos, mesmo que seja para Um simples carinho
ou ritual. Lembrem-se que o sucesso ou fracasso depende do Ori e suas qualidades.
Algumas saudações: Olorire - pessoa de boa cabeça Olori Buruku - pessoa possuidora
de cabeça ruim.
Quando encontramos uma pessoa que, apesar de enfrentar na vida uma série de
dificuldades relacionadas a ações negativas ou maldade de outras pessoas, continua
encontrando recursos internos, força interior extraordinária, que lhe permitam a
sobrevivência e, inclusive, muitas vezes, mantém resultados adequados de realização na
vida , podemos dizer, "ENIYAN KO FE KI ERU FI ASO, ORI ENI NI SO NI", ou
seja, "as pessoas não querem que você sobreviva, mas o seu ORI trabalha para você",
trazendo, essa expressão, um indicador muito importante de que um ORI resistente e
forte é capaz de cuidar do homem e garantir-lhe a sobrevivência social e as relações
com a vida, apesar das dificuldades que ele enfrente. Esta é a razão pela qual o BORI,
forma de louvação e fortalecimento do ORI utilizada em nossa religião, é utilizado
muitas vezes, precedendo ou, até, substituindo um EBO.
Isso se faz para que a pessoa encontre recursos internos adequados, esta força interior de
que falamos, seja à adequação ou ajustamento de suas condições frente às situações
enfrentadas, seja quanto ao fortalecimento de suas reservas de energia e conseqüente
integração com suas fontes de vitalidade.
É importante dizer que é o ORI que nos individualiza e, por conseqüência, nos
diferencia dos demais habitantes do mundo. Essa diferenciação é de natureza interna e
nada no plano das aparências físicas nos permite qualquer referencial de identificação
dessas diferenças.
Fava da vidência
e a fava da vidência serve tanto pra odè quanto pra yewà .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo
161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo
161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo
Edmilton Pereira
 
Relação dos ebós
Relação dos ebósRelação dos ebós
Relação dos ebós
robertocmds
 
Odù de nascimento
Odù de nascimentoOdù de nascimento
Odù de nascimento
Regina Freitas
 
Apostila qualidades de iyagbá otin e seu orô
Apostila qualidades de iyagbá otin e seu orôApostila qualidades de iyagbá otin e seu orô
Apostila qualidades de iyagbá otin e seu orô
Anderson Oliveira
 
Dice ifá traduzido portugues
Dice ifá traduzido portuguesDice ifá traduzido portugues
Dice ifá traduzido portugues
AWO IFASEUN MIGUEL
 
APOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdf
APOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdfAPOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdf
APOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdf
Cláudia Cilene Rodrigues Batista
 
Apostila de oferendas (adimu) africanas
Apostila de oferendas (adimu) africanasApostila de oferendas (adimu) africanas
Apostila de oferendas (adimu) africanas
André Dofono Ti Ayra
 
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp0201 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
naldo stuart
 
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
Sérgio Ferreira
 
Ebó para amor
Ebó para amorEbó para amor
Ebó para amor
Elieser Bezerra da Silva
 
6 oferendas de prosperidad
6 oferendas de prosperidad6 oferendas de prosperidad
6 oferendas de prosperidad
Ever Ramirez
 
38431790 comida-de-santo
38431790 comida-de-santo38431790 comida-de-santo
38431790 comida-de-santo
Elisabete De Souza E Silva
 
51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios
51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios
51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios
Denise Barquet
 
Apostila-folhas-EWE
Apostila-folhas-EWEApostila-folhas-EWE
Apostila-folhas-EWE
Ifalawonile Obemo
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)
Victor Lopes
 
41074514 as-caidas-dos-buzios
41074514 as-caidas-dos-buzios41074514 as-caidas-dos-buzios
41074514 as-caidas-dos-buzios
Rodrigo Botelho
 
Apostila do bàbá oke tase
Apostila do bàbá oke taseApostila do bàbá oke tase
Apostila do bàbá oke tase
AWO IFASEUN MIGUEL
 
Folhas sagradas-dos-orixas
Folhas sagradas-dos-orixasFolhas sagradas-dos-orixas
Folhas sagradas-dos-orixas
Ivone Garcia
 
016 odueomoodu
016 odueomoodu016 odueomoodu
016 odueomoodu
Edmilton Pereira
 
Apostila de folhas sagradas
Apostila de folhas sagradasApostila de folhas sagradas
Apostila de folhas sagradas
Carmen Prisco
 

Mais procurados (20)

161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo
161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo
161203631 135929856-apostila-ewe-e-egbo
 
Relação dos ebós
Relação dos ebósRelação dos ebós
Relação dos ebós
 
Odù de nascimento
Odù de nascimentoOdù de nascimento
Odù de nascimento
 
Apostila qualidades de iyagbá otin e seu orô
Apostila qualidades de iyagbá otin e seu orôApostila qualidades de iyagbá otin e seu orô
Apostila qualidades de iyagbá otin e seu orô
 
Dice ifá traduzido portugues
Dice ifá traduzido portuguesDice ifá traduzido portugues
Dice ifá traduzido portugues
 
APOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdf
APOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdfAPOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdf
APOSTILA_DOS_ORIXAS_COM_SEUS_FUNDAMENTOS_09919.pdf
 
Apostila de oferendas (adimu) africanas
Apostila de oferendas (adimu) africanasApostila de oferendas (adimu) africanas
Apostila de oferendas (adimu) africanas
 
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp0201 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
 
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
 
Ebó para amor
Ebó para amorEbó para amor
Ebó para amor
 
6 oferendas de prosperidad
6 oferendas de prosperidad6 oferendas de prosperidad
6 oferendas de prosperidad
 
38431790 comida-de-santo
38431790 comida-de-santo38431790 comida-de-santo
38431790 comida-de-santo
 
51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios
51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios
51955795 9615963-odu-apostila-de-jogo-de-buzios
 
Apostila-folhas-EWE
Apostila-folhas-EWEApostila-folhas-EWE
Apostila-folhas-EWE
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01 (1)
 
41074514 as-caidas-dos-buzios
41074514 as-caidas-dos-buzios41074514 as-caidas-dos-buzios
41074514 as-caidas-dos-buzios
 
Apostila do bàbá oke tase
Apostila do bàbá oke taseApostila do bàbá oke tase
Apostila do bàbá oke tase
 
Folhas sagradas-dos-orixas
Folhas sagradas-dos-orixasFolhas sagradas-dos-orixas
Folhas sagradas-dos-orixas
 
016 odueomoodu
016 odueomoodu016 odueomoodu
016 odueomoodu
 
Apostila de folhas sagradas
Apostila de folhas sagradasApostila de folhas sagradas
Apostila de folhas sagradas
 

Semelhante a Apostila de-bori-original

75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...
Silva Da Silva
 
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp0201 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
Ana Barreto
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um
Claudionor Ivan Sigoli
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp0175363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
kete76
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp0175363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
Victor Lopes
 
Limpeza de aura sacudimento
Limpeza de aura   sacudimentoLimpeza de aura   sacudimento
Limpeza de aura sacudimento
sergio nabais
 
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
Sérgio Ferreira
 
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
Sérgio Ferreira
 
King magias-e-explicacoes-abiku
King magias-e-explicacoes-abikuKing magias-e-explicacoes-abiku
King magias-e-explicacoes-abiku
Oyacinan
 
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
Rodrigo Agra
 
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
Carmen Prisco
 
Tratado de-ifa-introducao
Tratado de-ifa-introducaoTratado de-ifa-introducao
Tratado de-ifa-introducao
Sérgio Mascarenhas
 
Ewé òrìsà ògún Rafael Simas
Ewé òrìsà ògún   Rafael SimasEwé òrìsà ògún   Rafael Simas
Ewé òrìsà ògún Rafael Simas
Monitoria Contabil S/C
 
61546754 dicionario-yoruba
61546754 dicionario-yoruba61546754 dicionario-yoruba
61546754 dicionario-yoruba
Anderson Oliveira
 
Igbadu-A cabaça da existência.pdf
Igbadu-A cabaça da existência.pdfIgbadu-A cabaça da existência.pdf
Igbadu-A cabaça da existência.pdf
IuryRosendodaSilva1
 
Igbadu a cabaça da existência (1)
Igbadu a cabaça da existência (1)Igbadu a cabaça da existência (1)
Igbadu a cabaça da existência (1)
escolamultiensino
 
Igbadu
IgbaduIgbadu
Igbadu
MODER85
 
toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...
toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...
toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...
pedrohenriqueamancio1
 
Fotos de óbàtálá
Fotos de óbàtáláFotos de óbàtálá
Fotos de óbàtálá
aryana740
 
Ebo de ituto
Ebo de itutoEbo de ituto
Ebo de ituto
Aloida Inojosa
 

Semelhante a Apostila de-bori-original (20)

75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp011-140...
 
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp0201 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
01 apostiladefundamentosdocamdombl-120919061608-phpapp02
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp0175363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
 
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp0175363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
75363296 apostila-de-conhecimentos-de-candomble-um-130211132255-phpapp01
 
Limpeza de aura sacudimento
Limpeza de aura   sacudimentoLimpeza de aura   sacudimento
Limpeza de aura sacudimento
 
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
 
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
232171363 king-magias-e-explicacoes-abiku
 
King magias-e-explicacoes-abiku
King magias-e-explicacoes-abikuKing magias-e-explicacoes-abiku
King magias-e-explicacoes-abiku
 
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
 
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
21759209 18107606-16654601-esu-a-pedra-primordial-da-teologia-yoruba-apostila...
 
Tratado de-ifa-introducao
Tratado de-ifa-introducaoTratado de-ifa-introducao
Tratado de-ifa-introducao
 
Ewé òrìsà ògún Rafael Simas
Ewé òrìsà ògún   Rafael SimasEwé òrìsà ògún   Rafael Simas
Ewé òrìsà ògún Rafael Simas
 
61546754 dicionario-yoruba
61546754 dicionario-yoruba61546754 dicionario-yoruba
61546754 dicionario-yoruba
 
Igbadu-A cabaça da existência.pdf
Igbadu-A cabaça da existência.pdfIgbadu-A cabaça da existência.pdf
Igbadu-A cabaça da existência.pdf
 
Igbadu a cabaça da existência (1)
Igbadu a cabaça da existência (1)Igbadu a cabaça da existência (1)
Igbadu a cabaça da existência (1)
 
Igbadu
IgbaduIgbadu
Igbadu
 
toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...
toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...
toaz.info-imolaao-de-animais-ase-jagun-e-iemanja-pr_3f1a1d853df2ab803d93dd83b...
 
Fotos de óbàtálá
Fotos de óbàtáláFotos de óbàtálá
Fotos de óbàtálá
 
Ebo de ituto
Ebo de itutoEbo de ituto
Ebo de ituto
 

Apostila de-bori-original

  • 1. Ebó tradicional que antecede ao ritual de Bori: 1° Ebó Este primeiro ebó que antecede o ritual de Ebori damos o nome de Tóya Kóssi que destina-se a remover doenças, pragas, feitiçarias, Baku, Egun, e outras energias de ordem negativa. 1 Vara de bambu que deverá ser partida, ao comprido, em 4, pega-se 1 parte destes 4 e confecciona-se na ponta deste uma espécie de ponta de flecha, lembre-se embora partida em 4 esta vara continuará com seu comprimento que normalmente chega a 2metros, as vezes até 3. Questo primo ebó che precede il rituale di Ebori diamo il nome di Tóya Kóssi che destina per rimuoverlo malattie, pesti, witchcrafts, Bacu, Egun ed altre energie di ordine negativo. 1 Palo di bambù che dovrà essere rotto, alla lunghezza, in 4, dei fermi 1 parte di questi 4 e delle confezioni nella punta di questa una specie di freccia si capovolge, che si ricorda di che nondimeno a sinistra in 4 questo palo continuerà con la relativa lunghezza che arriva normalmente il 2metros, i tempi fino ad un massimo di 3. Pinta-se 1 alguidar número 05 e 1 quartinha com tampa sem alça de Efun, Ossun e Wají. 1 Galinha D‘Angola 1 Ekuru 1 Acaçá 1 Acarajé 1 Aberém 1 Bola de Canjica 1 Bola de Feijão Preto 1 Bola de Arroz 1 Ovo 1 Bola de Farinha Tudo isso em Tamanho exagerado, E 1 Bacia de Pipocas. 1 Estoura Balão (Fogos) Modo de Fazer:
  • 2. Levar o Filho de Santo no mato, no pé de uma Árvore Frondosa. Entregar na mão direita dele a Galinha D’Angola que será segura pelas Patas. Na mão Esquerda a Vara de Bambu, o Alguidar pintado nos Pés da Árvore e Junto a Quartinha sem nada dentro apenas tampada, e pede-se ao Filho de Santo para mentalizar tudo que deseja que saia da Vida dele e do Corpo. E vai se passando todas as comidas começando pelas comidas escuras e terminando com as Pipocas. Ao terminar de passar todas as comidas, o Filho de Santo encosta a Lança de Bambu rente ao Tronco da Árvore, na mão esquerda então, ficará a quartinha. Tira-se a Tampa, pede-se ao Iyawo fale com a boca dentro da quartinha pedindo para sair tudo de ruim da vida dele,tampa-se a Quartinha e manda-se o Iyawo atira-la ao chão para que se quebre. O próprio Iyawo faz um Sarayê com a Galinha em seu Corpo e a Joga bem longe com toda a Força. Neste momento, dá-se na mão do Filho de Santo o Estoura Balão que será pontado para bem longe botando para correr então todas as mazelas que estavam na vida daquela pessoa. Durante todo o processo deste ebó, canta-se para Omolu. 2° Ebó Este Ebó destina-se a Louvar a Exu na encruzilhada de Cruz antes do ritual de Ebori. 1 Cesto de palha (vime) 7 Acarajés 7 Acaças 7 Moedas 7 Velas Bancas 7 Cores bem Vivas de Morim incluindo o Preto e Vermelho 7 Ovos 7 Bifes de Músculo 1 Padê de Dendê, de Água, de Cachaça, de Wají, de Mel, de Camarão Moído com Dendê e outro de Fubá com Dendê. 7 Buchas de Pólvora misturada com Açúcar. 7 Pintinhos Carijós. Modo de Fazer: Passar os Acarajés e os Acaçás e depositar dentro do Cesto, passar então os Pades e depositar por cima das comidas, passar os Bifes e por em cima dos Pades, passar os ovos e por em cima de cada bife, passar as velas e quebrá-las e coloca-las dentro do cesto, passar as moedas e por em cima de cada bife, esfregar a pessoa com os Pintinhos
  • 3. e colocá-los em cima das comidas vivos, Esfregar todos os tecidos na pessoa e fazer um circulo em volta do cesto com estes tecidos, este ebó ficará no centro da encruzilhada. Estourar as 7 buchas, dar as costas ao Ebó e seguir para a roça. Tomar um banho cozido de folha de bananeira, casca da fruta manga, folha de mangueira, manjericão e nega-mina. * Esses ebós aqui prescritos são básicos de todo bori, porém algumas pessoas vêem a necessidade de se fazer em casos específicos outros ebós. BANHOS QUE ANTECEDEM AO RITUAL DE BORI 1° Banho  SACO-SACO, FUNCHO E ELEVANTE COZIDOS. (Após primeiro ebó) Dia anterior ao bori. 2° Banho  PAU D’ALHO E CHÁ MATE COZIDOS. (Após segundo ebó) No dia do bori pela manhã). 3° Banho  MACAÇA. SAIÃO E POEJO QUINADOS. (A tarde antes do bori, em frente ao Igbá Osayin). 4° Banho  . LEITE DE CABRA COM EFUM. (A noite minutos antes do bori). Arrumando a mesa do Bori As comidas a serem postas também ficará a critério do Babalorisa e ou Iyalorisá, devendo-se respeitar os elementos imprescindíveis ao ritual, como MANJÁ, EKÓ, EBÔ, EJÁ, OBI, OROBÔ, ATARÉ, SAIÃO, CAPEBA,EFUM, ORI DA COSTA, ARROZ BRANCO COZIDO, ALGODÃO, EBOYÁ E OJÁ PARA O ORI. Tenho por hábito em arrumar a mesa do bori com uma Eni (esteira) forrada com uma toalha e por cima desta espalhar muitas folhas de AKOKO. Forrada a mesa com toalha e folhas, arrumo então as comidas, ponho sempre um vaso de rosas brancas, palmas e peregun. O iyawo é trazido para frente da esteira do BORI, antes de por os pés na ENI (esteira) dobre os joelhos 3 vezes em reverencia a ENÍ e então ponha o pé direito primeiro na esteira. Senta-se o iyawo, e explica-se a ele a finalidade do BORI, que ali começa um dos principais momentos da vida dele em ORISÁ, e que BORI nada tem a ver com manifestar Orisá, mas sim moldar o Ori, para que possa mais tarde estar preparado para receber Orisá e suas oferendas, na verdade o bori é um Ebó para a cabeça. ele devera por as pernas esticadas para frente, a palma da mão virada para cima sobre cada perna.
  • 4. A toalha do bori do iyawo e o ojá deverão estar na Ení dele. O Babalorisa aproxima-se com a bacia de OMIÈRÓ (ervas de Bori quinada: capeba, macaçá, colônia, poejo, elevante, saião) sentado num banquinho o Babalorisa lava as contas do iyawo, o ORÍ do iyawo, as mãos do iyawo. A cantiga para a lavagem de Orí é a seguinte : Osogià mà da deo Tètè omi a ba Jonì un pawò Tètè omi a ba Jonì um pá Erò erò Osogià mà da deo Tètè omi a ba Jonì un pawò Tètè omi a ba Jonì um pá Encerrada a lavagem do Ori, o Babalorisa envolve o ori do Yawo com o ojá, moldando desta forma o pano com o formato do ori. Retira do ori e coloca-se entre as pernas do Eborizado. Dando início ao bori, passe banha de ori seguido de acaçá nos seguintes pontos do Eborizado: 5 pontos da cabeça; palmas das mãos; lado esquerdo do peito; lado direito das costas; umbigo; juntas dos antebraços; axilas; dedão de cada pé. Todo este ato é feito com a seguinte cantiga: Orí ení Kini sa ka eni Orí ení Kini sa ka Iyan Orí o lore Orí un jé o Iyá sa ka En ki iya Un to loko
  • 5. Iyá sa ka en ki Egbome bè Tà un mo borio Louva-se Orí : Oríooo Orí apèré ! Oríooo Orí apèré ! Orí alafia ! Passa-se ao ritual de oferecimento tocando os pontos principais do iyawo com as vasilhas de comidas do entoando a seguinte cantiga: Orí Awurè o Colobó sére Nu a ba sére Colobó Orí Awurè o Colobó sére Nu a ba sére Colobó Ebô Awurè o (nessa linha vai se trocando o nome de tudo que está na mesa) E vai se repetindo até ser oferecido tudo que está na mesa até os bichos que serão oferecidos. Dá-se inicio ao Obí, Pega-se um prato branco com obi de 4 gomos e 7 atarés, lembre-se que Obí tem vida, e portanto para que dê vida ao iyawo deverá ser sacrificado, abra com as mãos o Obi de 4 gomos, tudo isso em cima do prato que deverá ser segurado pela Ojubona da casa em cima do Orí do iyawo, tira-se o coração do Obí, aquele brotinho que fica dentro do obi na parte de cima, jogando fora em um canto diz-se o seguinte: Kèsù bá Kèsù bá
  • 6. Junta agora os 4 gomos molha-se, toca-se o Ori do iyawo, a nuca, o peito, os dois ombros,a parte de cima das mãos, dos pés, pronunciando seguinte: Obi ni biku Obi ni biarun Obi kosí ajé Obi kosi dina Obi kosi fitibo Obi kosi ofó E diga “ofereço este obi a Iya Ori mãe das cabeças a Baba Ajalá o moldador de Orí e a Osalá, para que faça do Orí de “fulano de tal” mais forte, com sorte e prosperidade”. Jogue no prato pronunciando: Obi sé Obi re o ! Durante esse processo de abertura do Obi canta-se: Baragadà Obi lá okan Baragada Obi la okan Depois de cantar 3 vezes lança o Obi no prato que estará em cima do Ori do iyawo, lança-se até dar alafia, se depois de 4 tentativas não alafiar, jogue esse obi na rua para Esù, e parta outro, fazendo o mesmo ritual acima. Ao alafiar o obi, diz-se então: Aláfia! Obi oo ! Ori oo ! E canta-se : Obí a un lá Baba Obí ori Obí a lodè Obí a un lá Baba Obí ori Obí a lodè
  • 7. Põe um pedaço na boca do iyawo com uma ataré para que ele mastigue, o Babalorisa também mastiga uma banda com 2 atares, a Ojubona e o pai ou mãe pequena do iyawo também, deixe sobrar uma parte que irá para dentro da tigela de bori do iyawo. E outra parte é dividida entre os convidados com 1 ataré e dado para engolir. Após mastigado, o bolinho que está na boca do iyawo é posto em cima da pasta do acaçá que está na sua mão esquerda que o Babalorisa juntará com o bolinho que já está no prato, e distribuirá em cima de todos os pontos que foram passados o acaçá e a banha de ori,. Dê seguimento agora com o peixe uma das partes principais do Bori, O peixe deverá estar arrumado no prato da seguinte forma, prato oval, peixe lavado, mas com tudo dentro, louva se ori : Ejá oo ! Ejá oriooo ! Então comece a cantar a cantiga do Ejá: Ejá mogbá Mogbá Bori eni Ejá mogbá Mogbá Bori ejé Começa então a tirar as escamas e separe num prato, guelras, barbatanas, rabo do peixe, cabeça no mesmo prato da escama, as vísceras serão despachadas, para a cabeça do Eborizado irá apenas as guelras e as barbatanas laterais, as barbatanas inferiores e superiores junto com a cabeça e o rabo do peixe e as escamas irão para dentro do igbá ori. Feito assim, dê seguimento agora com o sacrifício dos animais de penas, a começar pelos 2 frangos brancos, seguidos da galinha d’angola e por ultimo o pombo, os oris dos bichos que irão para dentro do igbá ori são; D’angola e pombo. Segue as cantigas de cada bicho: Ejé soro soro Ejé gbalé akara ó Koronpá ile
  • 8. Ejé gbalé akaraó Caindo o ejé ao prato entoa-se então: Ejé soro Ori um pao Ejé soro Ori um pao D’angola: Kuen kuen kuen Baba bi a bi etú Kuen kuen kuen Baba bi a bi oro Kuen kuen kuen Baba bi a bi etú Kuen kuen kuen Baba bi oma Após a morte da etú canta-se Eran gbobo Orisá fefe etu Eran gbobo Orisa fefe etu o Pombo, cubra com folha de saião e mel os olhos do pombo: Erinlé é un a ja dìe Oluwo ojú mama Erinlé é un a ja dìe Oluwo ojú mama Ojupá para sé Olorun Ojú mama Ago a lá Olorun ibase oluwo Ojú mama
  • 9. Todo os ejés dos bichos irão para o prato primeiro para depois cair dentro do igbá ori, e a cada animal imolado retira-se um pouco da pena e lambuza naquele ejé e deposita em cima de cada parte do corpo que está com obi e akasá. Tempera-se a matança: Epo oju oju oloja (azeite doce ou dendê) Epo oju oju oloja Epo xxxxxxxxx Mara in e Mara oyn (mel) Mara in e Mara oyn Dundun mama niwa lase Mara in e ni mara oyn xxxxxxxxxx Mara in a Mara oti o (moscatel) Mara in e Mara oti o Dundun mama niwa lase Mara in ni mara oti o xxxxxxxxxx Iyó iyó lojé (sal) Iyó Iyó lojé iyó xxxxxxxxx kilofo mo re (agua de akasá) omitoro kilofo mo re omitoro Louva-se Orí Oríooo Orí apèré ! Oríooo Orí apèré ! Orí alafia ! Arrumando a cabeça:
  • 10. Pegue uma caneca de ágate e coloque um pouco de omitoro (água de akasá) peça ao Eborizado que segure o igbá ori embaixo do queixo e despeje um pouco dessa água na cabeça dele que cairá dentro do igbá ori. Ponha o Igbá ori no lugar de volta. Ponha a folha de capeba por cima de tudo que está no ori com um pouco de ebó e enrole o ojá que estava entre as pernas no ori do Eborizado. Cante para Iya ori: Ori o Iyemanjá nise keni odo Ori o Iya ori nise keni odo Canta-se a seguinte cantiga para Ossaiyn: Ori ori a kafojé Orio nikorisá Ori ori a kafojé Babá Orio aworisá A pessoa se deita e é coberta com um lençol e é jogado sobre o lençol arroz com casca e arroz agulhinha, descansando enquanto se aguarda o axé voltar. Os bichos são levados para a cozinha e temperados com cebola,camarão seco e azeite doce e levados ao fogo para que fiquem bem cozidos e corados, por final o peixe e lambuzado naquela panela onde se preparou os axés e refogado e posto por cima de uma farofinha também preparada com aquele mesmo tempero e posto no prato. Esfriado o axé ele volta para a mesa. O axé retornando canta-se: Asé kun felebé Ta nimole ni o ea Asé kun felebé Ta nimole ni o ea Ba inse ba inse kotun Ba inse ba inse kotun Oni a inmole Asé kun felebe Ta nimole ni o ea Ponha as partes principais de axé no igbá ori e um pedaço do peixe.
  • 11. Arrume duas bolas de oka com pedaço de peixe e frango e ponha no ori do borizado cantando: Siku erewere Mabori jeun Cante para oferecer o manja e coloque um pedaço no ori: Ori manja aju awo Ori manja Apere koro pa lawo Ori manja aju awo Ponha um pedaço do manja dentro do igbá ori. Arrume o prato do Eborizado com um pouco de cada comida entregue nas mãos dele. Próxima cantiga todos que estão assistindo ao Bori bate cabeça para o igbá ori do Eborizado e junta as mãos pedindo a benção dele e desejando coisas boas para ele. 1. Oloro keja boro Ori apere o Oloro keja boro Ori je Oloro keja boro 2. Apere ori o Orio oye Lese ekodide Apere ori o Ori apere Lese ekodide Lese orisá 3. Ori kafeja Bori o Ori kafejá Bori o Ase kue rekue Ase kue rekue
  • 12. Ori kafeja Bori o 4. Ori je E tani ware jô Ori o Ori je lese orisá Apere ori o 5. Ado rilé Yemanjá Ado rilé iya Oyo Ado rilé Yemanjá Ado rilé iya Oyo 6. La omã Lawa apere La omã Lawa apere Apere la oma Lawa apere 7. Àwa na wúre eléda wa Àwa na wúre eléda wa Mo adúpe wúre ati odúnmódún Mo adúpe wúre ati òsú mósu Mo adúpé wúre iba gbobgbo Àwa ná wúre eléda wa 8. Ajala ORI ORI lewá lewá lewá Ajala ORI ORI lewá lewá lewá Mo pé eyn Eledumarè A ORI eku o Mo pé eyn Eledumarè A ORI eku o Eku o Orun
  • 13. Eku o Osupá Eku o Ojó Ojó bori ylé Irè odi ORI Odi irè ORI Irè odi ORI Odi irè ORI 9. Iya iyo Iya iyo Iya iyo orunmilá Iya iyo Iya iyo Iya iyo orunmilá Ifa eda eko Eda ebô orunmilá Iya iyo orunmilá Ifa eda eko Eda ebô orunmilá Eni sope omo ire Eni sope omo ire Daqui em diante louva-se umas 4 cantigas para Iyemonjá. O bori só será suspenso 6 horas depois, para isto terá que ter iniciado as 18 horas e terminar no máximo as 21h. Obs: o Bori poderá ser tocado com atabaques e gan do inicio ao fim. Algumas casas utilizam montar Igbá Ori, outras não, fazem apenas tigela sagrada, ou seja a pessoa guarda a tigela para toda vida, sempre que for dar bori utiliza a mesma tigela. No caso de se montar igbá ori, este é o modelo mais tradicional de Igbá Ori  1 tigela branca com tampa ou prato em cima. 1 moeda de prata antiga 4 búzios 1 cristal de rocha límpido 1 coral 1 seguí 4 conchas Shell Esse igbá ori é posto dentro de uma bacia de agate com dois ajês grandes em volta.
  • 14. Juízo da curvina ( pedrinhas que ficam na cabeça desse peixe por dentro). Ao final de tudo tenho por hábito borrifar Água sobre toda a mesa do Bori e do Iyawo pronunciando durante a borrifação o seguinte: Omi la bunmun, Omi la buè, Omi kosò ta Preparando o Carrego do Bori Pede-se agô ao Ori do Iyawo, e retira todo o asé que se encontra no alto do Ori, ponha dentro do igbá Ori. Lave o Ori do Iyawo com omièró fresco. E comece a levantar as comidas dos Orisás cantando: Didè didè didè nan Didè didè didè nan Ori didè nan Didè didè didè nan As últimas coisas a serem postas na bacia do carrego serão as coisas do igbá ori, incluindo as coisas que estavam na cabeça, depois o peixe, as frutas, os doces e por último as folhas da mesa e dos vasos. Borrifar água por cima de tudo, enrolar no lençol, e por uma saia de mariwô por cima da trouxa. Neste momento pergunta-se ao jogo para onde deverá ser encaminhado o carrego, mar,praia,cachoeira, mata ou alto de morro. Como Nasceu Ori ORI em iorubá significa CABEÇA. O Ori está acima dos Orixás, pois nenhum Orixá, nem mesmo Olodumare atenderá um pedido do ser humano, que não tenha sido autorizado por seu Ori. Conta a lenda que os Orixás e Ancestrais se rebelaram, querendo ter os poderes e a sabedoria do Deus supremo. Como mensageiro nomearam Exu, que levou as reivindicações a Olodumaré. Este lhes enviou um poderoso obi, e, orientado por Ifá, determinou que após deixá-lo a noite inteira numa encruzilhada, os Orixás e Ancestrais deveriam tentar parti-lo para mostrar seu poder.
  • 15. Ori era apenas uma pequena bola, que não possuía sequer um corpo para se apoiar, e ninguém o respeitava. Para conseguir partir o obi, procurou Ifá, que o aconselhou a fazer uma oferenda para os Odus, para conseguir a força de todos eles. Além disso deveria espojar-se na poeira do chão por algumas horas. No dia seguinte todos já estavam preparados para tentar partir o obi, quando chegou Ori, espojando-se na poeira. Um a um os Orixás foram fracassando na tentativa, pois o obi era muito forte e resistente. Ori se apresentou e, como última opção, deixaram-no tentar. Com seu peso caiu sobre o obi, que se partiu em seis gomos. Todos ficaram muito felizes. Olodumaré, ao receber a notícia, imediatamente enviou uma linda almofada, onde Ori se instalou. Dessa forma Ori ganhou um corpo para sustentá-lo. Orixás e Ancestrais exclamaram: ORI APERE! A partir desse momento, Ori nasceu. Passou a ser dotado de Iwa, a existência, dada por Olodumaré, como prémio por ter sido o único a conseguir partir o fruto-ventre. ORÍ - Cabeça física e espiritual As 401 divindades procuravam por um estado de perfeição, e foram procurar Ifá para fazer a adivinhação para eles, através do Jogo Ifá previu que eles fizessem ebó (sacrifícios) nenhuma das divindades quiseram fazer, só quem fez foi ORI, e seu sacrifício foi abençoado. Portanto ORI é mais forte que as divindades, somente ORI chegou no estado de perfeição.ORI é forte, mais que os orixás. Para qualquer Yorubá, a palavra ORI tem uso amplo. ORI num primeiro momento quer dizer cabeça; e simboliza também - o ápice de todas as coisas; o mais alto desempenho, portanto contém o superlativo ou seja o Zênite. Por exemplo, a cabeça é a parte mais alta e mais importante do corpo humano, é a moradia do cérebro que controla o corpo inteiro. O líder ou chefe de qualquer organização é referido como "Olóri" (a cabeça), ORI é cabeça, cabeça é alta, alto é supremo e o ser supremo é ÔLÔDUMARÊ (Deus maior). No corpo humano ORI se subdivide em duas colocações: 1) a cabeça física - é o crânio humano, onde está o cérebro que usamos para o pensamento e controle das outras partes do corpo; consciente ou inconsciente; os olhos para tudo ver; o nariz para respirar e cheirar; orelhas para ouvir; a boca para alimentar e falar; a língua para saborear; nossa essência masculina ou feminina está na cabeça, o rosto que dela faz parte nos distinguem uns dos outros, imprimindo uma identidade individual; sem a cabeça o homem e mulher seriam como qualquer "X". 2) a cabeça espiritual está subdividida em mais duas partes a saber:
  • 16. CABEÇA ESPIRITUAL: APARÍ-INÚ (CABEÇA ESPIRITUAL INTERNA) ORÍ-ÀPÉRÉ (santo pessoal, destino ou parte divina de cada um: escolhido no domínio de ÀJÀLÁ - divindade de ORÍ. ORÍ-ÀPÉRÉ é acumulação de destino individual; Isto é: ÀKÚNLÈYÀN, ÀKÚNLÈGBÁ e ÀYÀNMÓ. AKUNLEYAN é à parte do destino que cada um escolhe por vontade (livre arbítrio) própria. AKUNLEGBA é à parte do destino o qual está adicionada como complemento de AKUNLEYAN ÀYÀNMÓ é aquela parte do destino que nunca pode ser mudado. Por exemplo - pais, sexo, karma, etc. Mas Akunleyan e Akunlegbá podem ser melhorado enquanto Àyànmó não pode ser modificado . O destino ORÍ-ÀPÉRÉ está escolhido no domínio de ÀJÀLÁ (divindade de Orí). APARI INÚ é de caráter individual, uma pessoa poderia chegar a terra com bom destino, mas, sem boa conduta; A maldade da cabeça espiritual interna danificará definitivamente o bom destino, o inverso também acontece. Porém o "destino" pode ser modificado, numa certa medida, quando certos segredos são conhecidos, dentro de um contexto e conhecimento da Teologia Yorubana. Contudo ORÍ é o mais importante entre as divindades. Na ordem de importância - o primeiro é Orí; o segundo é a mãe, e se ela tenha morrido, seu espírito; em terceiro lugar é o pai, e se tenha morrido, o seu espírito; em quarto lugar, IFÁ e a seguir, seu orixá e as outras divindades. Ser humano - somatória - O Criador, o procriador, procriadora e ser procriado. Ori - Alma e Personalidade. Ori tem a propriedade de ser controlador. Além de guiar a vida, comanda todas as atividades, físicas ou não. Ele armazena em um só local todas as informações necessárias para a existência do homem. Nele encontramos o Asé (força) que forma a personalidade do ser e faz com que cada um pense e haja de forma diferente. Ori guarda todas a s chaves para o êxito da vida do homem, ou seja, inteligência, bons pensamentos e memória. Estas são qualidades do homem que integram Ori. Ori tem a função de gestar o Asé do homem, ou seja, ele amadurece todos os Pensamentos, transformando-os ou aprimorando toda e qualquer idéia que passe Por ele.
  • 17. Ori é independente do ser (corpo físico) e embora esteja ligado a ele, suas funções comandam todas as outras. Ori recebeu três coisas essenciais para sua existência: A preparação para a vida na Aiye (terra) A preparação para a Iku (morte) e A preparação para a vida no Orum (céu) Isto possibilita que no Aiye exista a união Ori + Ara (corpo + cabeça). Mas atenção: mesmo que haja separação, no caso de morte, Ori nunca morre. No caso de morte, Ori e Eledá (alma) se juntam e, caso necessário, realizam rituais como: Asese (vigília): para que possa haver a separação; Orisá Olori (senhor da Cabeça) e Ori, para que a alma ou o espírito possa seguir seu caminho no Plano astral. Por ser uma parte concentradora de energias benéficas e maléficas, deve-se Ter todo cuidado ao deixar o Ori na mão de estranhos, mesmo que seja para Um simples carinho ou ritual. Lembrem-se que o sucesso ou fracasso depende do Ori e suas qualidades. Algumas saudações: Olorire - pessoa de boa cabeça Olori Buruku - pessoa possuidora de cabeça ruim. Quando encontramos uma pessoa que, apesar de enfrentar na vida uma série de dificuldades relacionadas a ações negativas ou maldade de outras pessoas, continua encontrando recursos internos, força interior extraordinária, que lhe permitam a sobrevivência e, inclusive, muitas vezes, mantém resultados adequados de realização na vida , podemos dizer, "ENIYAN KO FE KI ERU FI ASO, ORI ENI NI SO NI", ou seja, "as pessoas não querem que você sobreviva, mas o seu ORI trabalha para você", trazendo, essa expressão, um indicador muito importante de que um ORI resistente e forte é capaz de cuidar do homem e garantir-lhe a sobrevivência social e as relações com a vida, apesar das dificuldades que ele enfrente. Esta é a razão pela qual o BORI, forma de louvação e fortalecimento do ORI utilizada em nossa religião, é utilizado muitas vezes, precedendo ou, até, substituindo um EBO. Isso se faz para que a pessoa encontre recursos internos adequados, esta força interior de que falamos, seja à adequação ou ajustamento de suas condições frente às situações enfrentadas, seja quanto ao fortalecimento de suas reservas de energia e conseqüente integração com suas fontes de vitalidade. É importante dizer que é o ORI que nos individualiza e, por conseqüência, nos diferencia dos demais habitantes do mundo. Essa diferenciação é de natureza interna e nada no plano das aparências físicas nos permite qualquer referencial de identificação dessas diferenças. Fava da vidência e a fava da vidência serve tanto pra odè quanto pra yewà .