SlideShare uma empresa Scribd logo
NOTA: Este material foi extraído da
Revista Nova Vida, escrita pelo Rev.
Simontom César de Araújo, cedida
para fins de educar o povo de Deus
através da Igreja.
LIÇÃO 1
O CAMINHO
TEXTO BÁSICO
"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que
nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16.
LEITURA SEMANAL
João 3:16-21 e 36
Efésios 2:1-10
Romanos 3:21-31
Romanos 8:1-11
Isaías 53:1-12
Atos 8:26-40
Lucas 19:1-10
PERGUNTAS PARA DEBATE
É possível alguém saber se está salvo ou não?
Quem fala que está salvo, está salvo de que?
Uma pessoa muito honesta, mas que não se entregou a Jesus, está salva?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
1 - Salvo de que?
Você se aproxima de alguém e pergunta: "Você está salvo?" Creio que se a pessoa não for
religiosa, irá lhe responder mais ou menos assim, com espanto: "Salvo de que? Eu não estou
morrendo afogado nem estou em um prédio em chamas..."
Em primeiro lugar, estar salvo é ter direito demorar no Céu após a morte, e/ou quando Jesus
voltar para buscar o Seu povo.
A Bíblia diz que existe o Céu e o inferno. Aquele que não recebeu a Jesus como Senhor e
Salvador, irá passar a eternidade no inferno. Então, ser salvo é ser salvo do inferno, é ter direito a
morar no Céu com Jesus eternamente. Esta é a maior esperança da vida cristã, conforme os
textos abaixo:
"Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Ora, de um e outro lado, estou
constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor."
Filipenses 1:21,23.
"Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos
os homens." 1 Coríntios 15:19.
Em segundo lugar, estar (ou ser) salvo, não nos isenta dos conflitos do presente, não significa
viver uma vida sem problemas. Mas, nos coloca em uma posição privilegiada diante dos conflitos,
pois temos de Deus, pelo poder do Espírito Santo, uma capacitação especial para enfrenta-los.
Leia o que diz Romanos 8:35-39:
"8.35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou
fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?
8.36 Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados
como ovelhas para o matadouro.
8.37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos
amou.
8.38 Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os
principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes,
8.39 nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor
de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor."
2 - O que precisamos fazer para sermos salvos?
Deus já fez a parte dEle para nos salvar, e sabemos o quanto Ele é poderoso e fiel para cumprir a
sua Palavra em nós. Mas o que será que necessitamos fazer para sermos salvos?
2.1 - Reconhecer que somos pecadores. Pecado não é só matar, roubar ou adulterar. O pecado
pode ser até através de um simples pensamento.
"Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já
adulterou com ela." Mateus 5:28
2.2 Entender que o salário do pecado é a morte. Morte física (1 Coríntios 15:25), e morte
espiritual, que é a eterna separação de Deus (Mateus 25:41).
"Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés." 1 Coríntios
15:25.
"Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para
o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos." Mateus 25:41.
"porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo
Jesus, nosso Senhor." Romanos 6:23.
"Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do
unigênito Filho de Deus." João 3:18.
2.3 - Compreender que Jesus é o único caminho.
“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por
mim.” João 14:6.
“Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” 1
Timóteo 2:5.
2.4 - Humilhar-se, arrependendo-se dos pecados cometidos, pedindo perdão a Deus em nome de
Jesus.
“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não
está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados
e nos purificar de toda injustiça.” 1 João 1:8-9.
“Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade
dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais. Então,
Jesus lhe disse: Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão.
Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.” Lucas 19:8-10.
“Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus.
Seguindo eles caminho fora, chegando a certo lugar onde havia água, disse o eunuco: Eis aqui
água; que impede que seja eu batizado? Filipe respondeu: É lícito, se crês de todo o coração. E,
respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. Então, mandou parar o carro,
ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco.” Atos 8:35-38
2.5 - Convidar Jesus para ser Senhor da sua vida, para dirigir sua história através de uma vida de
oração sincera, um convite.
“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e
cearei com ele, e ele, comigo.” Apocalipse 3:20.
2.6 – Dispor-se a segui-Lo incondicionalmente, com um novo comportamento, lutando contra o
pecado, procurando engrandece-Lo em tudo.
“Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns
dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-
te-ei a coroa da vida.” Apocalipse 2:10.
“Portanto, se, depois de terem escapado das contaminações do mundo mediante o conhecimento
do Senhor e Salvador Jesus Cristo, se deixam enredar de novo e são vencidos, tornou-se o seu
último estado pior que o primeiro. Pois melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho da
justiça do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes
fora dado. Com eles aconteceu o que diz certo adágio verdadeiro: O cão voltou ao seu próprio
vômito; e: A porca lavada voltou a revolver-se no lamaçal.” 2 Pedro 2:20-22.
3 - Como eu posso ter certeza de que estou salvo?
“A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo,
não pode ver o reino de Deus.” João 3:3.
O novo nascimento é o início desta nova vida com Jesus. Quem já tomou esta decisão está salvo,
tem a vida eterna garantida pelo sacrifício de Jesus e sua ressurreição.
É maravilhoso ser um salvo em Cristo! Mas, muitas vezes o nosso adversário irá sussurrar em
nosso ouvido que “não estamos salvos coisa nenhuma”, que “isto é presunção nossa”, ou que
“Deus não nos ama”. Ele não pode roubar nossa salvação, por isso tenta enganar os eleitos de
Deus.
Não confunda a certeza de sua salvação com seus sentimentos. Há dias em que estamos mais
alegres: dia do pagamento, ou quando tudo está bem em casa, etc. Outros dias temos motivos
para chorar: doença, morte, etc. Os sentimentos são instáveis, mudam facilmente. Nestes dias de
dor, parece fugir a alegria da salvação, mas mesmo nesses dias ela continua garantida pela
Palavra de Deus. Apegando-nos a essa fé encontraremos forças para vencer todas as tristezas e
frustrações da vida. A nossa salvação é fonte de alegria.
Portanto, estamos salvos não pelos nossos sentimentos, mas porque Deus prometeu salvar todo
aquele que nEle crê.
O pecado não tira a salvação do crente, pode tirar sim, momentaneamente, a alegria da salvação.
“Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário.” Salmos 51:12.
Não tira a nossa salvação porque quando Jesus segura a nossa mão, Ele jamais solta.
“Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei
fora.” João 6:37.
“Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque Ele tem dito:
De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.” Hebreus 13:5.
Decore os textos bíblicos que apresentam essa garantia. O diabo aproveita nossa falta de
conhecimento bíblico para lançar dúvidas. Quando você comprar uma casa, em dias de chuva ou
de sol, você tem direito a ela. Se alguém chegar lá e disse que você não é o dono, como você
provará que é? Você vai na gaveta e apanha a escritura da casa – esse é o documento de
garantia. Assim também, quando o diabo vem sussurrar em nosso ouvido que não temos direito
ao Céu, apanhamos a Escritura – a Bíblia. Nela está nossa garantia.
“E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele
que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos
escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho
de Deus.” 1 João 5:11-13.
4 - E o pecado?
Todos os pecados que cometemos no passado Deus perdoou por completo.
“Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao
SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois
perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais me lembrarei.” Jeremias 31:34.
“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” Romanos 8:1.
Somos tentados. Até Jesus foi tentado a pecar, mas resistiu. Ser tentado não quer dizer que
somos fracos, ou que Deus nos abandonou. E se cairmos, Ele nos erguerá.
“O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará
prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão.” Salmo 37:23,24.
A diferença entre o crente e o ímpio não é que o crente não peca. A diferença é que o crente luta
contra o pecado, e quando peca, arrepende-se, sente tristeza no coração por causa do pecado, o
Espírito Santo lhe revela que pecou, e então ele humildemente confessa e recebe o perdão de
Deus. Já o ímpio peca, gosta e quer pecar cada vez mais.
“Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar,
temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e Ele é a propiciação pelos nossos pecados
e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.” 1 João 2:1,2.
“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais
tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá
livramento, de sorte que a possais suportar.” 1 Coríntios 10:13.
5 - E as boas obras?
Se você entrasse no Céu e alguém perguntasse por que você entrara ali, o que você
responderia? “Eu fui um bom filho, dei esmolas, não matei nem roubei”? É necessário
compreender que temos o dever de praticar as boas obras, contudo ninguém entrará no Céu pelo
que fez ou deixou de fazer, mas sim pelo que JESUS fez na cruz do calvário. Se fosse pelo que
fazemos, Ele não precisaria ter morrido naquela rude cruz. Guarde inicialmente este grande
princípio: as boas obras são essenciais na vida do crente, mas elas não salvam ninguém. A
salvação é consequência do agir de Deus em nós, produzindo fé e transmitindo graça,
capacitando-nos a crer na Bíblia Sagrada e transformando nosso ser: coração, mente, emoções,
ações, caráter, enfim, tudo! Por isso as boas obras se fazem necessárias, porque sem elas não
temos provas de que a nossa vida mudou, e se a nossa vida mudou, se a nossa fé não produz
obras, ela é vã, inútil, morta, falsa.
“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de
obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas
obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Efésios 2:8-10.
“Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é
morta.” Tiago 2:26.
As boas obras demonstram gratidão e louvor ao Senhor que nos salvou.
CONCLUSÃO
Se você morrer hoje (não queremos que isso aconteça, Deus é quem sabe), você vai para o Céu?
Por quê? A melhor resposta é esta: - Eu vou para o Céu porque Jesus morreu na cruz para me
salvar. E sou dEle, e a Bíblia garante essa salvação”.
E as pessoas que passaram pela Igreja e hoje não querem mais nada com o Evangelho? Elas
perderam a salvação? Nem todos que estão na Igreja são verdadeiramente salvos, isto é, nem
todos têm um compromisso real com Jesus.
“Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos
nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que
nenhum deles é dos nossos.” 1 João 2:19.
Há os que estão na Igreja por causa do namoro, ou obrigados por seus pais, ou porque não tem
outra coisa para fazer, ou empolgação, porque a Igreja está cheia, numa fase boa, porque
simpatizam com o pastor, etc.
Precisamos definir: estou na Igreja por causa de Jesus? Já me arrependi dos meus pecados? Já
recebi a Jesus como meu único e suficiente Senhor e Salvador?
Que a sua resposta seja um bom e sonoro: SIM!!!
LIÇÃO 2
PROFESSANDO A FÉ
LEITURA SEMANAL
Domingo: Marcos 3:1-6
Segunda: Mateus 10:24-33
Terça: Marcos 8:34-38
Quarta: Atos 1:6-11
Quinta: Romanos 10:9-15
Sexta: 1 João 2:22-26;4:15
Sábado: Atos 4:5-21
PARA DECORAR
“Portanto, todo aquele que Me confessar diante dos homens, também Eu o confessarei diante de
Meu Pai, que está nos céus.” Mateus 10:32.
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Para ser um membro COMUNGANTE (maior) da Igreja, é preciso fazer a Pública Profissão de Fé,
isto é, quem já foi batizado na infância em uma Igreja Evangélica.
Quem não foi batizado na infância em uma Igreja Evangélica, no ato da Profissão de Fé, também
é batizado.
MEMBRO NÃO COMUNGANTE
É aquele que tem menos de 18 anos e somente foi batizado na infância, que ainda não fez a
Profissão de Fé. Ele está no rol da Igreja até esta idade, sob a responsabilidade de seus pais ou
tutores. Ao completar 18 anos, estará civilmente capacitado para responder por seus atos, e se
ainda não tiver tomado a sua decisão, será desarrolado.
MEMBRO COMUNGANTE
É aquele que já foi batizado e fez a Pública Profissão de Fé, o qual está arrolado na Igreja,
gozando de todos os direitos e tendo todos os deveres dentro da comunidade.
1 – QUANDO SE DEVE FAZER A PÚBLICA PROFISSÃO DE FÉ?
Após aceitar ao Senhor Jesus como seu Salvador e Senhor, arrependendo-se de seus pecados,
devemos também, com certa urgência, nos tornar membros da Igreja, que é a Noiva de Cristo (Jo
3:29; Ap 21:2), o Corpo de Cristo (Rm 7:4; 1 Co 6:15).
Uma preparação antes, para que se tenha melhor consciência do passo a ser tomado é de suma
importância, mas creio que ela não deve demorar mais que seis meses.
É bom saber que nunca vamos estar completamente “puros” nesta vida, isto é, totalmente isentos
de tentações e algumas quedas, por menores que sejam. E é bom (menos pior) que sejam
“pequenas quedas” mesmo porque aquele que vive pecando não conheceu a Cristo, isto é, não
se converteu de verdade (1 Jo 3:6,9). Será impossível também, sabermos detalhadamente todo o
conteúdo da Bíblia, ela sempre será nosso objeto de estudo e reflexão, pois é uma fonte eterna
de conhecimento, sabedoria e revelação de Deus. A vida cristã é uma caminhada em direção à
santificação, e sempre uma renovação do conhecimento.
Estou dizendo isto, porque alguns estão sempre retardando muito a sua decisão, dizendo que
ainda não estão preparados. Creio que a justificativa melhor seria que ainda não querem se
envolver definitivamente com o Senhor Jesus, tendo-O como Senhor de suas vidas.
Uma grande maioria, após os 14 anos, já tem consciência de seus atos, do pecado, e da
necessidade do Salvador em suas vidas. Já é hora de tomar uma decisão. A Bíblia muito nos fala
acerca da urgência desta decisão (Lc 12:20; Jo 9:4).
2 – POR QUE FAZER A PROFISSÃO DE FÉ
Precisamos mostrar às pessoas que não nos envergonhamos do nosso compromisso com Jesus,
e isto começando na Igreja. A obediência à vontade de Deus é essencial na vida de todo aquele
que nEle crê, e a sua vontade é que todo que nEle crer seja batizado (Mt 28:19; Mc 16:16).
Isto é um princípio bíblico, releia estes textos com toda atenção: Mt 10:32,33; Mc 8:38; At 1:8; Rm
10:9,10.
Precisamos definir nossa identidade na sociedade e na Igreja, isto é, se somos do grupo tal ou
não, nesse caso a Igreja, se somos ou não membros dela, se fazemos parte ou não do Corpo de
Cristo. Isso implica em assumirmos certos compromissos: se a comunidade pode contar conosco
ou não. Isto acontece quando fazemos a nossa Pública Profissão de Fé, e somos recebidos e
apresentados publicamente à Igreja como membros dela.
UMA OBJEÇÃO QUE ALGUNS USAM
Alguns dizem que o ladrão da cruz, que estava ao lado de Jesus, arrependeu-se e não precisou
ser batizado ou frequentar Igreja (Lc 23:40-43). Ele não fez isto porque não pôde descer da cruz,
ele morreu ali mesmo, ao lado de Jesus. Se tivesse saído de lá, creio que iria agregar-se aos
primeiros cristãos e seria batizado no primeiro batismo da história da Igreja (At 2:41). Quem tem a
oportunidade não deve desperdiçá-la. Mas considere que o ladrão da cruz somente não pôde ser
batizado, mas publicou a sua fé diante de uma grande multidão no Calvário, confissão essa que
ficou registrada e é relembrada e recontada através dos séculos.
3 – PRIVILÉGIOS DOS MEMBROS COMUNGANTES DA IGREJA
Participar da Santa Ceia (estudaremos os sacramentos – Batismo e Santa Ceia – numa lição
exclusiva sobre o tema).
- Votar e ser votado para cargos de liderança na Igreja, e sobre assuntos administrativos, quando
para isso for convocado.
- Gozar de todo o apoio da Igreja quando se fizer necessário: espiritual, material e físico, etc.
4 – DEVERES DO MEMBRO COMUNGANTE
Viver de acordo com a doutrina e prática das Escrituras, dando um bom testemunho, pois estará
representando Jesus e a Igreja.
- Sustentar a Igreja FISICAMENTE com sua participação aos Cultos e Reuniões;
ESPIRITUALMENTE com suas orações, e MATERIALMENTE com suas doações, dízimos e
ofertas.
- Obedecer às autoridades constituídas pelo Senhor para dirigir a Sua Igreja, enquanto elas
permanecerem fiéis às Sagradas Escrituras.
5 – É PRECISO BATIZAR DE NOVO AO FAZER A PROFISSÃO DE FÉ?
São batizados no ato da Profissão de Fé somente os que não foram batizados na infância, ou que
foram batizados em igrejas não reconhecidas pela IPB (IMPD – Igreja Mundial do Poder de Deus;
IURD – Igreja Universal do Reino de Deus) e em igrejas não evangélicas. Exemplo: quem foi
batizado diante de imagens é novamente batizado. 2 Co 6:16,17 e tantos outros textos nos
mostram o repúdio e a ira de Deus para com as imagens.
Quanto aos adultos que já foram batizados em outras Igrejas evangélicas, nós não batizamos de
novo, apenas exige-se que se faça a Profissão de Fé.
6 – A PERSEGUIÇÃO NÃO DEVE IMPEDIR A SUA DECISÃO
É bem verdade que para fazer o mal não encontramos muita oposição, por que o mundo jaz no
maligno (1 Jo 5:19), o mundo é mal em sua essência. Mas quando contrariamos a lei do mundo e
caminhamos na direção do bem, encontraremos muitas barreiras, por exemplo: perseguição no
lar, zombaria no trabalho, na escola, etc. Pessoas que outrora nos apoiavam e que agora riem ou
lutam contra nós, somente porque agora somos de Jesus. Veja com atenção estes textos: At
4:18-21; Mt 5:11,12.
CONCLUSÃO
Há uma grande satisfação interior quando deixamos a posição de simples visitantes e
frequentadores da Igreja, e temos uma definição, assumindo uma posição séria e responsável na
Igreja de Cristo.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – Se alguém lhe disser: “Eu sou cristão, Deus sabe, e ninguém mais precisa saber”. O que você
diria a tal pessoa?
2 – O que é mais correto: colocar primeiro a vida em ordem e depois fazer a Profissão de Fé, ou
primeiro fazer a Profissão de Fé e aos poucos ir colocando a vida em ordem?
3 – Quais as perseguições mais comuns na vida daqueles que se dispõem a seguir Jesus?
LIÇÃO 3
A BÍBLIA
PARA DECORAR - “Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que
qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e
medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.” Hebreus 4:12.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – O que fazer quando não se está entendendo o texto lido na Bíblia?
2 – Qual o texto bíblico que mais chamou a sua atenção nos últimos dias, e por quê?
3 – Quais os empecilhos para a leitura diária da Bíblia?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Durante um bom período da história, o uso da Bíblia foi proibido, sendo permitido apenas para os
líderes, os quais formulavam as leis para a igreja, como queriam.
Após a Reforma Protestante, promovida por Martinho Lutero, os protestantes passaram a usa-la,
divulga-la e traduzi-la para todos os idiomas.
Até bom pouco tempo, aqui mesmo em nosso país, Bíblias foram confiscadas e perseguidos
todos os que as usavam. Hoje, muitos têm descoberto a importância de seu uso.
A Bíblia foi o primeiro livro a ser impresso, e até hoje é o livro mais vendido no mundo.
SUA ORIGEM
A Bíblia foi escrita por homens santos, inspirados por Deus aproximadamente por 36 autores, em
16 séculos e em vários estilos literários (2 Pedro 1:21).
Em 1546, no Concílio de Trento, mais 7 livros foram acrescentados aos 66 já existentes. Pelo fato
de seu conteúdo não concordarem com os demais ensinamentos dos outros, e pelo fato de não
constarem do original, não foram aceitos como canônicos, são os chamados “livros apócrifos”.
Veja Apocalipse 22:18-19.
O MOTIVO
Deus nos deu a Palavra escrita, para nos ensinar, repreender, corrigir, educar na justiça, e nos
tornar perfeitos e habilitados para toda boa obra – 2 Tm 3:16,17.
Através da Palavra de Deus temos esperança para vencer os desafios da vida – Rm 15:4.
Devemos ler a Bíblia, para que através dela conheçamos e creiamos em Jesus Cristo, o filho de
Deus, e crendo tenhamos vida em Seu nome – Jo 20:31.
SUA SUFICIÊNCIA
A Bíblia é completa, não precisamos de mais livros ou de tradições para completar o conteúdo de
suas verdades – Dt 4:2; Gl 1:8; Ap 22:18,19.
SUAS DIVISÕES
Ela é composta de 66 livros, sendo 39 no Velho Testamento e 27 no Novo Testamento. O VT
(Velho Testamento) apresenta o período histórico antes do nascimento de Jesus e seu ministério.
No NT (Novo Testamento) encontramos o período posterior. A organização em capítulos e
versículos não consta nos originais sagrados, mas foi feita pelos tradutores e estudiosos da Bíblia,
para facilitar o seu conhecimento e estudo.
ALGUNS MOTIVOS PELOS QUAIS DEVEMOS LER A BÍBLIA
1 – Torna o crente mais forte – 1 Jo 2:14; Sl 119:28. Centenas fracassam por negligenciarem a
leitura da Bíblia.
2 – Fortalece em nós a certeza da nossa salvação – 1 Jo 5:13. A dúvida é diabólica, mas à
medida que lemos a Palavra de Deus, nos apropriamos da certeza da posse da vida eterna com
Deus.
3 – Faz-nos sentir a purificação dos pecados – Jo 15:3; Sl 119:9-11. Alguém escreveu na capa de
uma Bíblia esta dedicatória: “Este livro o afastará do pecado, ou o pecado o afastará deste livro”.
4 – Dá-nos alegria, paz e esperança – Jo 15:11. Ao lermos um jornal vemos crimes e crises, na
Bíblia, promessas e esperança.
5 – Enche o nosso coração de confiança e poder na oração – Jo 15:7. A confiança aumenta
dentro do nosso coração quando lemos as promessas de Deus, e quando vemos exemplos de
homens de oração como Elias, Josué, Daniel, etc.
6 – Orienta-nos nas decisões da vida – Sl 119:105.
7 – Garante o nosso sucesso se agirmos de acordo com a vontade de Deus – Js. 1:8; Sl 1:1-3.
8 – Ela é o nosso alimento espiritual – 1 Pe. 2:2.
9 – Satisfaz os anseios existenciais da mente humana, em busca da verdade – Jo 14:6.
10 – Transmite-nos a sabedoria de Deus – Sl 119:98-100; Pv. 2; Tg 1:5; 3:17.
COMO LER A BÍBLIA
1 – Encontre um lugar calmo e tranquilo, talvez o seu quarto, escritório, etc., longe do ruído da
televisão, onde você possa concentrar-se e prestar atenção na leitura que vai fazer.
2 – Ore antes de começar a ler, confesse seus pecados e peça a iluminação do Espírito Santo.
3 – Tenha sempre a expectativa de que Deus fale ao seu coração – Sl 119:18. Ore pedindo isso a
Deus. Lembre sempre que a Bíblia é um livro sobrenatural diferente de todos os demais livros.
4 – Leia fazendo as seguintes perguntas: o que Deus quer da minha vida nesse trecho lido? Há
aqui alguma ordem, recomendação ou promessa específica para a minha vida?
5 – Leia com disposição de obedecer – Tg. 1:22.
6 – Marque com lápis o que chamou a sua atenção. Uma Bíblia bem marcada é melhor
aproveitada.
7 – Tenha uma caderneta de anotações onde você poderá anotar as suas dúvidas e também
bênçãos que o Senhor lhe conceder durante a leitura da Bíblia. Marque sempre o dia.
8 – Diariamente. Não almoçamos 7 vezes no domingo. Não leia a Bíblia só aos domingos.
9 – Sistematicamente. Se ler três capítulos por dia e cinco aos domingos, você conseguirá ler a
Bíblia toda em um ano. Não leia a Bíblia de qualquer modo, não tente tirar a sorte na Bíblia,
aprenda a ler os livros da Bíblia do começo ao fim. Não comece a leitura pelo livro do Apocalipse,
se desejar siga o método de leitura da Sociedade Bíblica do Brasil que publicamos em nosso
boletim semanal, e no final dessa página. Se preferir leia um livro do VT e um do NT, por
exemplo, Gênesis e Mateus, e siga a sua sequência de leitura. Se não conseguir ler 3 capítulos
diários, leia pelo menos 1, mas não pare de ler a Bíblia. É comum que as pessoas se desanimem
da leitura bíblica depois de um tempo, mas é sempre importante e necessário retomar a leitura de
onde parou. O inimigo vai tentar de todos os modos nos afastar da leitura bíblica, pois ele sabe
que nela encontramos poder para vencer os seus ardis e livramento de suas ciladas. Portanto,
perseveremos em ler e conhecer cada vez mais a Palavra de Deus.
10 – Com paciência. Medite na Palavra, procure entender o que está lendo, a pressa não deixará
você entender o sentido das palavras.
11 – Repetidamente. A cada leitura você descobrirá uma lição diferente e nova para a sua vida,
um significado mais profundo das verdades eternas que o Senhor sempre te dará.
12 – Com entendimento. Se não compreender alguma coisa que leu, anote e procure ajuda com o
pastor, o professor da EBD, ou um presbítero, mas não fique na dúvida quanto ao que leu,
busque sempre o entendimento.
CONCLUSÃO
1 – Leia a Bíblia.
2 – Leia com quem não souber ler. Marque um horário para ajuda-los.
3 – Não se envergonhe de carregar a sua Bíblia. Ela é a nossa arma e o nosso escudo. Se você
não tem, procure adquirir uma com urgência dando preferência para a versão Revista e
Atualizada que é a que usamos em nossa denominação. Se não puder comprar, procure o pastor.
LIÇÃO 4
A ORAÇÃO
TEXTO BÁSICO – FILIPENSES 4:6
“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo,
porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas
petições, pela oração e pela súplica, com ações de
graças.”
LEITURA SEMANAL
Atos 4:23-31; Mateus 6:9-13; Mateus 26:36-46; Romanos
8:26-28; Lucas 18:9-14; Daniel 6; Mateus 7:7-11.
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Como filho de Deus, você precisa conversar com seu Pai Celestial. Mesmo sentindo que não
sabe falar com Ele, ou, não sentindo vontade de falar com Ele, ORE! Ele terá prazer em ouvir e
responder. O Espírito Santo lhe ajudará a orar como convém (Rm 8:26).
- Ore sozinho, diretamente ao Pai. Faça seu culto pessoal diário (Mateus 6:6).
- Ore na Igreja e nas reuniões, com os irmãos (Mateus 18:20; Marcos 11:17).
- Ore em todo tempo, no trabalho, andando, viajando, etc. (1 Tessalonicenses 5:17).
ALGUNS EMPECILHOS À ORAÇÃO
1 – Egoísmo – pedir por vaidade (Mateus 20:21-22; Tiago 4:3).
2 – Pecado – escondido e agasalhado no coração (Isaías 59:1,2).
3 – Discórdia – falta de perdão (Mateus 5:23,24; 6:12-15).
4 – Incredulidade – falta de fé. Se não cremos, por que orar? (Tiago 1:6,7).
ALGUNS INGREDIENTES IMPORTANTES À ORAÇÃO
O mais comum é enchermos nossas orações de pedidos. Mas vejamos outros assuntos
importantes para conversarmos como Pai.
1 – Confissão dos pecados – não vamos tentar esconder nada de Deus, pois Ele tudo vê. Peça
perdão e diga para Ele se fracassou, e onde precisa ser ajudado, diante das tentações (Jó 34:21;
Eclesiastes 11:9).
2 – Adoração – exaltação à grandeza de Deus. É quando dizemos para Deus que nós O amamos
pelo que Ele é, e não simplesmente pelo que Ele faz (Isaías 6:3).
3 – Louvor – ação de graças. Este sim é o reconhecimento por Suas obras, na natureza e em
nossas vidas, etc. Devemos louvá-Lo até pelas dores, pedras e espinhos do caminho, pois eles
têm um bom propósito na vida do cristão, que é a purificação de nossas vidas e fortalecimento de
nossa fé (1 Tessalonicenses 5:18).
4 – Intercessão – orar por si mesmo, por sua família, pela Igreja, por sua cidade, pelo Brasil, etc.
(1 Timóteo 2:1; Tiago 5:16).
5 – Pedidos pessoais – todos nós carecemos constantemente da ajuda de nosso Deus, por isso a
Bíblia nos admoesta a estarmos sempre na presença do Senhor (Mateus 7:7; 1 Pedro 5:5).
6 – IMPORTANTE: orar somente EM NOME DE JESUS – não existe nenhum outro mediador
entre o homem e Deus, senão Jesus Cristo. E para pedirmos em nome de Jesus não precisamos
de nenhum outro “assessor” ou “secretários” no Céu. Não existe isso na Bíblia, ela nos manda só
clamarmos EM NOME DE JESUS (João 14:14; 16:24; Hebreus 10:19;22).
QUAL A POSIÇÃO CERTA PARA A ORAÇÃO?
Sendo sincero e humilde, isso é o mais importante. A Bíblia fala de pessoas que oraram em pé,
de joelhos, deitados, etc. Cremos que quando nos ajoelhamos, sentimos o quão pequenos somos
e a grandeza de nosso Deus, e isso pode nos trazer grande prazer espiritual. No entanto não
podemos dizer que Deus só ouvirá a oração se for feita de joelhos, não se trata de uma regra
imposta por Deus, mas algo que fazemos espontaneamente. Não adianta dobrar os joelhos se o
coração não estiver prostrado diante do Senhor. Cremos que cada situação requererá de nós a
posição correta, por exemplo, se estiver na igreja ou em uma reunião de oração é melhor ficar de
pé do que sentado, em sinal de reverência. No seu culto doméstico, na intimidade com a família já
é diferente, não haveria problema em orar assentado, de pé ou de joelhos. Em um culto público,
por exemplo, temos o costume de nos colocarmos de pé ao orar. Como já foi dito, Deus olhará
para o nosso coração, mas se você sentir vontade de ajoelhar-se perante Deus, esqueça-se de
quem está te olhando e ajoelhe-se, é o seu culto, o seu louvor pessoal a Deus. Mas faça-o com
humildade e jamais para parecer aos outros que você é espiritual, ajoelhar-se é atitude de um
humilde súdito diante do Rei da Glória, mas a humildade também é demonstrada quando oramos
de pé, por exemplo. A humildade é uma atitude de vida.
NATURALIDADE E MERAS REPETIÇÕES
Já pensaram vocês se uma criança crescesse apenas falando uma frase decorada para seu pai:
“Papai, me dá mamadeira”, e toda hora que conversasse com o pai só falasse isso? Seria horrível
(Mateus 6:7).
Ore com naturalidade. Orar é conversar com Deus. Use suas próprias palavras.
Cada um tem a sua própria maneira de se expressar. Não procure imitar a outros e nem fique
repetindo palavras vazias ou decoradas. A oração conhecida como do “Pai Nosso”, que Jesus
ensinou a seus discípulos, é um bom modelo. Porém, a sua repetição sem reflexão, nenhum
benefício traz à vida humana.
ORE ENTREGANDO TUDO
Já entregou suas ansiedades, seus problemas, suas dúvidas, com fé, diante de Deus? Deixe o
assunto com Ele (Mt 6:10). Creia sempre que a vontade de Deus será melhor para você (Mt 7:9-
11; Rm 8:28).
ORAÇÃO E JEJUM
Algumas vezes fará bem orar em jejum (Marcos 9:29), isto é, abster-se de alimento por um
período de tempo. Na Bíblia, vários textos apresentam esta prática, algumas vezes com pequena
duração. Inicialmente é aconselhável que seja por breve tempo, e que seja sempre acompanhada
pela oração e leitura da Bíblia.
CONCLUSÃO
Os pensamentos abaixo são fortes desafios para a nossa vida de oração:
“Ninguém ora certo vivendo errado”; “Muita oração, muito poder. Pouca oração, pouco poder.
Nenhuma oração, nenhum poder”;
“O diabo pode rir de nossos projetos e zombar de nossos esforços, mas treme quando oramos”.
LIÇÃO 5
A IGREJA
PARA DECORAR - HEBREUS 10:25
“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos
admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.”
LEITURA SEMANAL
Neemias 8:1-12
Romanos 12:1-8
Salmos 133
Efésios 4:1-6
Atos 2:42-47
Salmos 84:1-12
Lucas 2:41-52
PERGUNTAS PARA DEBATE
1 - Quais as desculpas que você mas ouve de pessoas que tentam justificar a ausência da Igreja?
2 - Qual a área que você gostaria de trabalhar na Igreja, para a edificação da mesma? O que você
pode fazer para melhorar a sua Igreja?
3 - O que você acha de mais positivo na sua Igreja?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Um dos grandes privilégios que nós desfrutamos como filhos de Deus é o de pertencermos à sua
família, que é composta de muitos irmãos em Cristo. A comunidade dos salvos, a reunião do
povo de Deus é mais conhecida pelo nome de Igreja.
1 – A Igreja não tem um cabeça humano, pois Jesus é o Cabeça da Igreja (Ef 5:23).
2 – Não é somente uma organização, mas muito mais que isso, a Igreja é um organismo vivo, o
Corpo de Cristo (Cl 1:24).
3 – É a agência propagadora da mensagem de Deus na Terra (Ef 3:9-10). Para evangelizar os
incrédulos e edificar os cristãos (Mc 16:15).
NO VELHO TESTAMENTO
Encontramos vários textos, como em Ne 8:1-12, apresentando a reunião do povo de Deus.
Nos dias de Moisés, Deus exigiu que fizessem um tabernáculo móvel, que seria montado em
todas as paradas do povo, peregrino pelo deserto, e, seria um local de culto e de adoração.
Nos dias do reinado de Salomão, ele resolveu construir a casa ao nome do Senhor (2 Cr 2:1ss), a
alegria do povo de Deus estar na casa de Deus é descrita no Sl 122:1.
NO NOVO TESTAMENTO
Jesus, desde a infância aparece frequentando o templo (Lc 2:46,47), onde O vemos mais tarde
ensinando e pregando a Palavra de Deus (Mt 4:23), realizando milagres (Mt 12:9-13), zelando por
sua purificação (Jô 2:13-17), etc.
No livro de Atos, nos registros da Igreja Primitiva, também os encontramos sempre reunidos,
como em At 2:46 “Diariamente perseveravam unânimes no templo...”.
Nos dias da cruel perseguição, pelos governantes da época, é comum vermos o povo de Deus
reunido nas casas, como escreveu Paulo aos Romanos:
“saudai igualmente a igreja que se reúne na casa deles.” Rm 16:5a.
Testemunhos históricos afirmam que se reuniam também nas catacumbas de Roma, naquela
época difícil.
HOJE
É comum nos reunirmos em um templo porque há mais espaço e comodidade para todos os
membros e visitantes. Também porque há liberdade para a construção dos mesmos em nosso
país.
IMPORTANTÍSSIMO PARA UMA ADORAÇÃO COMUNITÁRIA PERFEITA
Ser assíduo – constância na participação de todos os trabalhos. A Igreja Primitiva reunia-se
diariamente (At 2:46,47).
Ser pontual – se procuramos ser pontuais nos trabalho, na escola, etc., porque não na Igreja? (Jr
48:10).
Ser reverente – entre e ore. Evite roupas escandalosas e conversas fora de hora (Hc 2:20).
Ser participante – não seja somente assistente, leve a Bíblia, cante, ore, leia, ouça... (At 20:9).
OS ARGUMENTOS CONTRÁRIOS E CONTRA-ARGUMENTAÇÃO
“O ladrão da cruz não frequentou igreja e foi salvo” – considere que ele estava morrendo. Se
pudesse sair daquela cruz, certamente iria frequentar aos cultos da Igreja Primitiva.
“Igreja não salva” – é verdade, mas é na Igreja que conhecemos acerca da salvação em Jesus,
onde nos alimentamos espiritualmente, somos edificados, batizados, fazemos nossa Pública
Profissão de Fé, amadurecemos e vemos nossos filhos sendo abençoados e aprendendo as
verdades da Palavra de Deus.
“Lá há pessoas piores que eu” – onde está o ser humano, ali está o erro. Jesus veio para os
pecadores, a Igreja é comparada a um hospital. Há lugares piores que ela, e os que usam este
argumento, geralmente os frequentam sem receio. Ninguém deve ir à igreja para observar a vida
alheia, e sim olhar para Jesus. Se eu encontrar um pacote de 10 notas de 100 dólares cada, e
uma dessas for falsa e as outras verdadeiras, não devo jogá-lo fora, simplesmente considerando
a nota falsa.
“Posso ser cristão em casa” – pode e deve, mas uma andorinha sozinha não faz verão, e uma
brasa tirada da fogueira rapidamente se esfria e apaga. A unidade da Igreja faz muito bem à
nossa fé, apesar de quaisquer defeitos que a Igreja possa ter, inclusive os nossos próprios
(Rm 3:23).
SIMPLES OBSTÁCULOS QUE PODEM NOS AFASTAR DESSE PRIVILÉGIO
* Visitas na hora de sair – ensine-as o valor de ir à Igreja.
* Diversão, sociabilidade, clubes (afinal não sou de ferro!) – lembre-se que a prioridade é o
Reino de Deus (Mt 6:33), e especialmente aos domingos, que é o Dia do Senhor.
* Chuva, sol quente, frio, ventania – se vamos ao trabalho ou à escola, em qualquer estação,
por que não à Igreja?
* Doenças simples, como uma dorzinha de cabeça – venha com ela e se esquecerá dela, e
poderá até ser curado.
* Crianças pequenas – elas também precisam aprender, desde cedo, sobre este privilégio (Lc
1:41; 2:40).
* Não sinto vontade de ir hoje! – não seja guiado pelos sentimentos, eles podem levá-lo à ruína
e ao inferno (Jr 17:9).
CONCLUSÃO
Nós é que precisamos da Igreja, e não a Igreja que precisa de nós (2 Co 11:2). É importante
frisarmos isto, pois alguns acham que quando saem da Igreja, fazem mais falta a ela do que ela a
ele.
Ainda mais: congregar não é opcional, é uma ORDEM:
“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e
tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” Hb 10:25.
Um forte testemunho que damos para os incrédulos é a nossa unidade, o fato de valorizarmos a
reunião do povo de Deus, e o desejo de estarmos sempre juntos (Sl 133; Jo13:35).
LIÇÃO 6
O TESTEMUNHO
LEITURA SEMANAL
Domingo Salmo 1:1-6
Segunda Mateus 5:13-16
Terça Josué 3:1-6
Quarta 1 Coríntios 6:12-20
Quinta 2 Coríntios 6:14-7:1
Sexta Mateus 18:6-9
Sábado Mateus 18:15-20
TEXTOS BÁSICOS
“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para
nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do
mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma
candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se
encontram na casa.” Mateus 5:13-16.
“Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de
Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus.” 3 João 11.
PERGUNTAS PARA DEBATE
1. A afirmativa: “o que importa é a minha vida com Deus, não tenho que dar satisfação a
ninguém”, procede ou é incoerente?
2. Quais os comportamentos cristãos mais criticados pelos ímpios?
3. É possível uma pessoa viver intimamente com Jesus, e ser escrava do vício?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
1 – Sou um representante de Jesus e de sua Igreja.
A partir do momento que assumo o compromisso com o Reino de Deus, tenho que zelar com
mais cuidado de minhas atitudes, pois estarei sendo seu representante aqui na Terra.
O nome de Deus e o da Igreja podem ser desvalorizados a partir do momento em que afirmo que
sou cristão e vivo como se não o fosse (Rm 2:24).
Assim, a evangelização é prejudicada, pois não adianta convidarmos nossos queridos para nos
seguirem, se o que cremos não alterou a nossa vida.
2 – Alguns pecados são mais notórios e levam a juízo.
Foi o que disse o apóstolo Paulo (1 Tm 5:24). Isto é: tem comportamento que escandaliza mais
que outros. Por exemplo: os ímpios não estão acostumados a ver um cristão “suicidando-se” com
o cigarro. Ver uma pessoa fumando é mais fácil do que ver uma pessoa com o coração cheio de
inveja. A inveja é um pecado horrível, mas não se manifesta com facilidade, como outros tipos de
comportamento nocivos e contrários à Palavra de Deus. Mt 18:6-9 fala-nos da gravidade do
escândalo.
3 – Cuidado com o diabo, ele é sutil.
Nosso arqui-inimigo aproveita, com facilidade, cada oportunidade para tentar produzir escândalo
para o nome de Jesus. Temos que ter cuidado, muita vigilância, para resistirmos ao inimigo. É
possível resisti-lo, conforme nos diz Tiago 4:7.
SEGREDOS IMPORTANTES
A – Fuja das más companhias.
No Salmo 1 temos bons conselhos para resistirmos ao pecado, evitando as más companhias: não
andando segundo os seus conselhos, não se detendo em seus caminhos, e nem se assentando
com os escarnecedores. Há um ditado popular que diz: “quem anda com porco, come farelo, e
quem anda com morcego, acaba dormindo de cabeça para baixo”. Um outro dito popular muito
sábio também diz: “me diga com quem tu andas, e eu direi quem tu és”.
Em 1 Co 15:33 lemos:
“As más conversações corrompem os bons costumes”. Faça amizades sólidas no meio do povo
de Deus, ande com o povo de Deus.
B – Evite o tempo ocioso.
Dizem que “mente vazia é oficina de satanás”. Davi caiu em adultério em um dia em que o povo
saiu para a batalha, e ele ficou ocioso no palácio. Sem estar trabalhando, ou lendo um bom livro,
ou praticando algum esporte, viu uma mulher se banhando e gastando tempo na visão do mal,
logo concebeu um plano para pecar (2 Sm 11:1-5). Leia a Bíblia, leia bons livros (cristãos de
preferência, peça orientação ao pastor na escolha), estude, trabalhe, etc., mas não deixe a mente
vazia.
C – Acima de tudo, fortaleça o seu espírito.
Na guerra da carne contra o espírito, a carne sempre obterá vitórias, se ela estiver mais
alimentada do que o espírito. Leia a Bíblia, ore, participe ativamente dos trabalhos da igreja.
Nunca esqueci a história do homem que possuía dois gatos, um branco e um preto. O gato preto
era forte e sempre que brigavam o gato branco apanhava muito, sempre saía arranhado,
sangrando, humilhado. Um dia, aquele homem resolveu prender o gato preto debaixo de um
balaio e ali o deixou sem comida durante dois ou três dias. Para o gato branco ele deu uma super-
alimentação. Ao soltar o gato preto, houve uma nova luta, mas desta vez o gato preto foi
derrotado.
As derrotas e fracassos na vida espiritual, muitas vezes acontecem porque alimentamos mais a
carne e menos o espírito. Em 1 Jo 2:14 vemos uma ligação da força com o guardar a Palavra de
Deus:
“Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o Pai. Pais, eu vos escrevi, porque conheceis aquele
que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus
permanece em vós, e tendes vencido o maligno.”
D – A disciplina na Igreja
Se a Igreja tolerar o pecado, não o combatendo, ela perde a sua identidade, não glorifica a Deus,
e aos poucos, vai morrendo. É necessário que haja disciplina na Igreja, mas feita com amor e
misericórdia, tendo como base o que Jesus estabeleceu em Mt 18:15-18.
Se você viu um irmão vivendo fora dos padrões estabelecidos pela Palavra de Deus, procure-o
isoladamente, para conversar com ele. Ore por ele, procurando ajudá-lo a vencer tal dificuldade.
Se ele não o ouvir, convide mais uma pessoa da Igreja para ajudá-lo a ir ter com ele, tentando
levá-lo a entender a verdade. Somente depois de um trabalho cuidadoso e pessoal é que o caso
deve ser comunicado à liderança da Igreja, para disciplina do mesmo, caso não tenha existido
arrependimento.
E – Alguns textos que ajudam a entender o “porquê não”
Alguns afirmam que não tomam bebida alcoólica, ou não fumam, ou não freqüentam bailes,
porque a igreja proíbe, a velha frase “a minha religião não permite”. Mas não é simplesmente
assim, na verdade é a Bíblia que nos exorta a evitarmos tais práticas. Vejamos:
• Bebidas alcoólicas – Pv 23:29-35; 1 Co 6:9,10.
• Fumar é comprovadamente uma forma de suicídio, pois danifica o corpo, como o álcool – 1 Co
6:19,20; 3:16,17.
• Jogos de azar – 1 Tm 6:8-10; Hb 13:5,6.
• Bailes, o mesmo que orgia, desordem, desperdício – 1 Pe 4:1-6. É o início de outros males (Sl
42:7), pois sempre atrai a prostituição, a bebedeira, as drogas, etc.
• Roupas indecorosas. Lembramos que o adultério começa com o olhar impuro, o qual é atraído
pela provocação – Mt 5:27,28; 1 Tm 2:9.
• Sexo fora do casamento – 1 Co 6:15-18.
• Inimizades, ódio – Mt 5:23,24,43-48.
CONCLUSÃO
É inconcebível a idéia de que um ser humano que esteja com Jesus, ainda viva escravizado pelo
pecado, pois em João 8:32-34 encontramos a afirmativa de Jesus:
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: Somos descendência de
Abraão e jamais fomos escravos de alguém; como dizes Tu: Sereis livres? Replicou-lhes Jesus:
Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado.” É
necessário buscarmos forças em Deus para podermos brilhar neste mundo pervertido.
LIÇÃO 7
OS SACRAMENTOS
LEITURA SEMANAL
Domingo Atos 16:27-34
Segunda Mateus 26:26-30
Terça 1 Coríntios 11:23-34
Quarta Êxodo 12:1-20
Quinta Gênesis 17:9-14
Sexta Lucas 2:21-24
Sábado Mateus 28:16-20
PARA DECORAR
“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” Marcos
16:16.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – Por que alguns gostam de frequentar as Igrejas Evangélicas sem assumir compromisso,
fazendo a Profissão de Fé e sendo batizados?
2 – O ladrão que se arrependeu na cruz, ao lado de Jesus, não foi batizado; isso impediu a sua
salvação?
3 – Que benefícios recebem os que participam da Santa Ceia do Senhor?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
1 – O que é “Sacramento”?
“É um sinal visível de uma graça invisível. É uma santa ordenança instituída por Cristo, na Sua
Igreja, para significar, selar e confirmar aqueles que estão no Pacto da Graça, os benefícios da
mediação de Cristo, para fortalecê-los e aumentar-lhes a fé e todas as mais graças, e obrigá-los à
obediência; para testemunhar o seu amor e comunhão uns para com os outros, e para distinguir
entre eles e os que estão de fora.” (Catecismo Maior, pg.162).
2 – Quais são?
Para as Igrejas Evangélicas, só há dois Sacramentos: o Batismo e a Santa Ceia. São os únicos
que aparecem na Bíblia.
A igreja católica afirma a existência de mais cinco: confirmação, penitência, confissão, extrema
unção, ordem e matrimônio.
3 – Como se originaram?
Foram instituídos por Jesus e usados desde o início da vida da Igreja: Mateus 28:19 (Batismo); 1
Coríntios 11:23-25 (Santa Ceia).
Ambos existiam antes de Cristo, no Velho Testamento, porém de forma semelhante, sendo
obedecidos pelos judeus. A Páscoa, comemorando a libertação do povo judeu que estavam sob o
domínio do Egito (Êxodo 12), tem grande identificação com a Santa Ceia do Senhor. E a
Circuncisão era o sinal da aliança de Deus com o Seu povo (Atos 17:11), identifica-se com o
Batismo que é sinal da Nova Aliança de Deus conosco.
4 – Importante
Os Sacramentos não tem valor e si mesmos, ou seja, ser batizado e tomar a Santa Ceia não
salva ninguém. Se aplicados a um incrédulo, o Batismo e a Santa Ceia em nada o beneficiariam,
pois os mesmos não têm o poder de salvar, muito pelo contrário, quem participa desses ritos
sagrados sem sinceridade e fé, indignamente, o fazem para a sua própria condenação
(1 Coríntios 11:29).
O BATISMO
“É o rito de iniciação, Sacramento no qual o lavar com água em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo, significa e sela a união do crente com Cristo e a participação das bênçãos do
Pacto da Graça, e a promessa de pertencermos ao Senhor.” (Breve Catecismo, pg.94).
BATISMO POR ASPERSÃO
Existem três formas de batismo: aspersão, efusão e imersão.
Aspersão = água gotejada sobre a cabeça do batizando.
Efusão = água derramada sobre a cabeça do batizando.
Imersão = o batizando é mergulhado na água.
Batizamos por aspersão por ser nossa tradição histórica, por crermos que é o modo mais
coerente com as Escrituras, além de que é o método mais prático e higiênico.
Argumentação bíblica
- Atos 2:41 – três mil pessoas foram batizadas em uma região pobre de água.
- Atos 9:18 – Paulo foi batizado dentro de casa, simplesmente ficando de pé. Ele não estava
sentado dentro de uma piscina ou tanque batismal, e tampouco saiu para ser batizado em algum
rio.
- Atos 16:25-33 – o carcereiro, em serviço, não poderia deixar seu posto e levar dois prisioneiros
fora da cidade, para receber o batismo em um rio. Além disso a cidade toda estava agitada devido
ao terremoto e eles seriam vistos. O carcereiro responderia com a sua própria vida em caso de
fuga de prisioneiros, tanto que Paulo gritou para que ele não fizesse nenhum mal contra si mesmo
(Atos 16:28).
- Textos como Números 19:4-13; 18-21; Levítico 14:7; Ezequiel 36:25 e Hebreus 9:19 mostram a
águas usada simbolicamente para as cerimônias de purificação e usadas por aspersão.
Testemunho pessoal
Certa vez, em conversa com um amigo pastor pentecostal, debatendo acerca do Batismo por
aspersão, o mesmo argumentava contrariamente dizendo que o mesmo não era válido, no seu
ponto de vista. Levantei então a seguinte questão: digamos que uma pessoa que se converteu em
sua Igreja deseja ardentemente ser batizado, porém está em um leito de enfermidade, em estado
terminal. Essa pessoal jamais poderia ir a um rio ou piscina, o que o amado irmão faria? Negaria
ao moribundo a água do batismo? O mesmo então me respondeu que nesse caso ele batizaria
por aspersão. Perguntei-lhe então: mas o irmão não acabou de dizer que não é válido? E então o
colega pastor terminou por concordar que o batismo por aspersão é válido e que a água é apenas
um símbolo.
Em outra situação um jovem pentecostal argumentava que o batismo correto é por imersão,
porque ao ser batizado sai das águas uma nova criatura e os pecados do velho homem ficam nas
águas. Tal pessoa seria então, a partir desse momento, uma livre de seus pecados que agora
seriam levados pelas águas do rio. Obviamente esse estava totalmente confuso, pois o que nos
purifica dos pecados não é a água, mas o Sangue de Cristo.
Respeitamos e aceitamos as outras formas de batismo, por entendermos que a água é usada
simbolicamente no ato do Batismo. Porém é necessário que não é a quantidade de água que faz
a diferença, mas a participação no Pacto da Graça de Deus, através do novo nascimento e do
perdão dos pecados pelo Sangue de Cristo.
BATISMO INFANTIL
Nós, presbiterianos, batizamos os filhos dos crentes por crermos que eles também fazem parte da
Aliança de Deus com o Seu povo. Alguns afirmam que as crianças não podem receber esse
Sacramento porque não crêem, mas vemos inúmeras provas bíblicas que lhes asseguram o
direito do Reino dos Céus, e que se uma criancinha morrer, não será lançada no inferno. Com
disse Jesus: “(…) dos tais é o Reino dos Céus” Mateus 19:14b.
Erro hermenêutico
Os contrários a este procedimento afirmam que a criança não crê, então não pode ser batizada,
usando Marcos 16:16. Porém cometem um erro de hermenêutica ao usarem um texto isolado de
seu contexto. Não usamos textos isolados para afirmarmos princípios doutrinários. Quem assim
faz incorre no risco das heresias. Por exemplo: em 2 Tessalonicenses 3:10 está escrito que
aquele que não trabalha também não coma. Naquele contexto havia aproveitadores que
buscavam auxílio da Igreja para receber alimentação, porém não queriam trabalhar. Se esse texto
fosse aplicado aos bebês, todos deveriam morrer de fome. Nota-se que o uso de um texto isolado
causa sérias distorções quanto ao significado e sentido da revelação divina.
Argumentação bíblica
Para entendermos o assunto de modo correto, precisamos entender como Deus age para com os
filhos dos crentes.
- Gênesis 17:12 – a circuncisão era aplicada no oitavo dia de vida.
- Atos 2:39 – a herança é para nós e nossos filhos.
- Vários textos nos mostram famílias inteiras sendo batizadas. Certamente havia crianças nessas
famílias: Atos 10:47-48; 16:15; 16:33; 1 Coríntios 1:16.
BATIZANDO DE NOVO O ADULTO
Quem já foi batizado em outra Igreja Evangélica não é batizado novamente, mas quem não foi é
batizado ao fazer a Profissão de Fé.
Não aceitamos o batismo da igreja católica porque inúmeros textos mostram que Deus abomina a
idolatria: Deuteronômio 7:25; 11:16; Salmos 115; Isaías 42:8; 2 Coríntios 6:16-17, etc. Por isso
não consideramos válido o batismo realizado em um local cheio de imagens e sob suas supostas
“bênçãos”.
A SANTA CEIA
“É um Sacramento no qual dando-se e recebendo-se pão e vinho (“fruto da vide” Lucas 22:18),
conforme a instituição de Cristo, anuncia-se a Sua morte (e ressurreição), e aqueles que
participam dignamente, não de maneira temporária e carnal, tornam-se participantes do Corpo e
do Sangue de Cristo, com todas as Suas bênçãos, para o seu alimento espiritual e crescimento
em graça.” (Breve Catecismo, pg.96).
É celebrada quase sempre mensalmente nas Igrejas Evangélicas, e todos os membros
comungantes (maiores) devem procurar não faltar aos cultos eucarísticos (Santa Ceia) incorrendo
no alerta de Cristo em João 6:53ss.
Obs.: a palavra “Eucaristia” é usada com frequência na igreja católica romana, porém é
necessário o que esse termo significa. Eucaristia (do grego εὐχαριστία, cujo significado é
“reconhecimento”, “ação de graças”) é uma celebração em memória da morte sacrificial e da
ressurreição de Jesus Cristo. Também é denominada “comunhão”, “Ceia do Senhor”, “Santa
Ceia” (…).
É necessária uma avaliação sincera da vida pessoa para a participação da mesma, em
arrependimento e confissão de pecados.
Conforme 1 Coríntios 11:17-34, é melhor nos afastarmos do pecado para participarmos da Santa
Ceia, do que nos afastarmos da Santa Ceia por causa do pecado.
As crianças somente batizadas na infância ainda não participam da Santa Ceia, devendo ser
instruídas sobre a importância da mesma e aguardarem com avidez o dia de receberem tal
privilégio.
Não há transubstanciação, esta é uma doutrina católica que afirma que o pão se torna
literalmente o Corpo de Cristo (carne) e o vinho (ou suco de uva) o Seu Sangue. A Bíblia diz que
não, eles são apenas símbolos para memória, para lembrança de Seu sacrifício na Cruz.
A Santa Ceia é preparada com cuidado e zelo pela Junta Diaconal da Igreja, e servida pelo Pastor
e Presbíteros.
CONCLUSÃO
O ladrão que se arrependeu na cruz não teve tempo de ser batizado ou tomar a Santa Ceia, mas
nós, os que temos tempo, não podemos adiar mais este privilégio.
Ouvimos sempre, de pessoas que tomaram com seriedade a decisão de se entregarem
totalmente a Jesus: “quanto tempo em perdi!”, ou “por que não tomei esta decisão antes?”
Ser batizado e tomar a Santa Ceia do Senhor traz uma grande paz ao nosso coração, e o
sentimento de dever cumprido, pois estamos obedecendo a Palavra de Deus e definindo nossa
posição na história, nos tornando cristãos e testemunhando a todos o significado da nossa fé e da
Aliança (Pacto) de Deus conosco.
LIÇÃO 8
FALSOS PROFETAS
LEITURA SEMANAL
Domingo Gálatas 1:6-9
Segunda Judas 3-7
Terça Atos 8:17-24
Quarta 2 Pedro 2:1-22
Quinta 2 Timóteo 3:1-9
Sexta Atos 17:10-12
Sábado Mateus 24:23-27
PARA DECORAR
“Para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para o outro, e levados
ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que
induzem ao erro.” Efésios 4:14.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – Todos os caminhos levam a Deus? Toda igreja é boa?
2 – Por que estão surgindo tantas igrejas nesses últimos dias?
3 – Quais as seitas que você conhece?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Heresias são mentiras, ensinadas como se fossem verdades bíblicas.
Hoje temos visto, assustadoramente, o surgimento de centenas de movimentos que afirmam
serem de Deus e para Ele, mas, levam o homem para distante dEle.
PONTOS EM COMUM EM TODOS ELES
1 – OS FUNDADORES
Vida negativa. O que é comum nos fundadores de seitas é uma vida de testemunhos negativos. O
que pregaram não alterou em nada a vida deles. Suas doutrinas não transformaram suas próprias
vidas. Uma das alternativas então, foi criar uma Igreja que os aceitasse sem exigir renúncia do
pecado, ou mudança de vida.
Vida rebelde. Geralmente novas igrejas têm surgido porque muitas pessoas não querem sujeitar-
se a governos e rebelam-se, formando movimentos nos quais poder ser “caciques” (2 Tm 3:1-5).
2 – DETURPAÇÃO DA BÍBLIA
Usam pontos isolados da Bíblia para embasarem suas mentiras; nunca usam todo o contexto
bíblico. Usam também livros paralelos, afirmando que os mesmos têm igual ou maior autoridade
que a Bíblia. Já alguns eliminaram a Bíblia ou escreveram outra, sem nenhuma autorização (Ap
22:18-19).
Outro destaque nessa área é que a maioria afirma terem sonhos ou visões, que não encontram
apoio nas Escrituras (Jd. 10). Aliás essa é uma característica corrente em muitas “igrejas” e
movimentos que têm surgido com frequência: a ênfase desmesurada em revelações, sonhos e
visões. Para eles a Bíblia está em segundo plano (Hb 1:1-2).
3 – NEGAM A TRINDADE
Jesus, para a maioria desses novos grupos, não é: nem Senhor, nem Salvador, nem Filho de
Deus. Foi simplesmente um homem bom e especial. Um grande líder, um filósofo, profeta, ou ser
iluminado.
O Espírito Santo, para tais pessoas, é apenas uma força e não o Deus presente entre o Seu povo
(Jo 14:6).
4 – A REDENÇÃO
A crucificação de Jesus é considerada como insuficiente para salvar o homem perdido. Anulam a
graça de Deus, pois ensinam que é preciso, o próprio homem, pagar o preço de sua salvação,
fazendo caridade, penitências, correntes, etc. (Ef. 2:8-9).
5 – ALTERAM OS PADRÕES MORAIS
Não tendo a Bíblia como regra de fé e prática, aceitam muitos comportamentos por ela
condenados. Por exemplo: poligamia (mórmons); homossexualismo (igrejas gays).
Às vezes é o contrário: exigem o que a Bíblia não exige. Por exemplo: proibição para comer carne
de porco e beber café (adventistas); celibato compulsório (católica); (e às mulheres) cortar cabelo
e depilar-se (Deus é Amor, CCB, etc.). Estes criam leis e regras sem base bíblica, como fizeram
os fariseus.
ALGUNS GRUPOS
1 – CATOLICISMO
São muitas as nossas diferenças. Destacamos apenas a idolatria – crêem, curvam-se, carregam e
até beijam imagens. Dizem que não são idólatras, mas são. Veja: Ex 20:3-5; Sl 115:4.
2 – ESPIRITISMO
Seus semelhantes: umbanda, candomblé, vodu, kardecismo, esoterismo, nova era, etc.
É difícil dizer o que eles fazem e a Bíblia não condena: consulta aos mortos, horóscopo, patuás,
despachos, etc. Veja: Dt 18:10-14; Ap 21:8.
3 – TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
Estes afirmam que Jesus e o Espírito Santo não são partes da Trindade. Negam a Bíblia. Afirmam
que só 144 mil serão salvos, que Jesus voltou em 1914, que não é preciso servir a Pátria,
proíbem doar sangue, etc. Veja: Ap 22:18-19.
4 – ADVENTISTAS
Seu sistema de doutrinas é bem parecido com o dos Testemunhas de Jeová. São legalistas,
usam muito o Velho Testamento, enfatizam suas Leis, e parecem evitar a graça de Deus.
Exemplo: quem não guarda o sábado não tem direito ao Céu.
O culto no Novo Testamento passou a ser realizado no primeiro dia da semana, que é o domingo,
o dia da Ressurreição de Cristo. Veja: Mt 12:6-8.
Veja mais sobre esse assunto na Lição 5 – A Igreja (1 Co 15:2).
5 – PENTECOSTALISMO
É diferente de “pentecostal” no sentido bíblico. São aqueles movimentos que vendem milho
ungido, óleo de soja afirmando ser óleo santo, etc. Fazem de supostos milagres, cura divina e
exorcismo, verdadeiros espetáculos assombrosos, um verdadeiro “circo dos horrores”. Além de
tais práticas serem vergonhosas para os denominados “cristãos” que servem a Deus com temor e
tremor, esses movimentos são causadores de traumas psicológicos, e notoriamente são fonte de
lucro para os seus líderes.
Vivem de visões que também não se encaixam com os princípios bíblicos. Exigem que todos os
seus adeptos tenham o dom de línguas, o que também não é exigido na Bíblia, e leva muitos a
“fabricarem” falsos dons (glossolalia).
Mais recentemente criaram para si certos títulos e hierarquias totalmente heréticas como bispos,
apóstolos e patriarcas.
CONCLUSÃO
Sinais dos tempos. Um sinal do fim dos tempos, como nos alerta a Bíblia, será o surgimento de
seitas e heresias, falsos cristos e falsos profetas. A Bíblia diz que muitos realizariam certos tipos
de milagres, procurando enganar os próprios filhos de Deus (Mt 24:24; 2 Co 11:14). Note que a
Bíblia não nega que eles fariam milagres, no entanto esses sinais são a operação do erro, uma
vez que ocorrem alienados da prática das Escrituras (2 Ts 2:11).
Não discuta. Discutir não leva a nada. Testemunhe sua fé ante essas pessoas, e ore por elas.
Certamente eles não têm a paz de Cristo. Se Deus lhe permitir anuncie a verdade àqueles que o
Senhor quiser (1 Tm 1:6; 2 Tm 2:23).
Cautela. Quando ouvir alguma coisa diferente, faça como os crentes de Beréia (At 17:11).
LIÇÂO 9
DÍZIMOS E OFERTAS
LEITURA SEMANAL
Domingo Mateus 23:23-24
Segunda Ageu 1:9-11
Terça Malaquias 3:6-12
Quarta Atos 5:1-11
Quinta Atos 4:32-37
Sexta 1 Timóteo 6:6-10
Sábado Hebreus 13:5-6
PARA DECORAR
“Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda.” Provérbios 3:9.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – Quando alguém lhe diz que dízimo na sua Igreja é para “engordar Pastor”, o que você
responde?
2 – A expressão “pagar o dízimo”, está correta?
3 – Dízimo é uma prática do Novo Testamento ou só do Velho Testamento?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Todos os membros da Igreja devem sustentá-la com:
- Suas orações – orando pelos irmãos em geral, pelas atividades da Igreja e por sua liderança
- Sua presença – participando das atividades estou ativando o calor da Igreja.
- Seu trabalho – dom é uma capacitação especial de Deus, dada através do Espírito Santo.
Talento é aquela capacitação natural. Ambos devem servir para a edificação do Corpo de Cristo.
- Seus dízimos e ofertas voluntárias – é o que iremos considerar a seguir.
1 – O QUE A IGREJA FAZ COM OS DÍZIMOS E OFERTAS?
- Mantém o patrimônio limpo e em ordem: zeladoria, luz, água, telefone, mobiliário, etc. Em Ageu
1:9 entendemos que a Igreja tem que ser igual ou até melhor que a nossa casa.
“Esperastes o muito, e eis que veio a ser pouco, e esse pouco, quando o trouxestes para casa, Eu
com um assopro o dissipei. Por quê? Diz o SENHOR dos Exércitos: Por causa da Minha casa,
que permanece em ruínas, ao passo que cada um de vós corre por causa de sua própria
casa.” Ag 1:9.
- Auxilia os irmãos necessitados através da Junta Diaconal (Atos 6:1-3).
- Sustenta o Pastor local e missionários no campo do Presbitério, no país e até no exterior (Fp
4:18; 1 Tm 5:18).
2 – DEFINIÇÕES
DÍZIMO – dez por cento de nosso rendimento mensal. O dízimo pertence ao Senhor, por isso não
"pagamos" o dízimo, mas devolvemos ao Seu dono, que é Deus, em atitude de submissão,
confiança e temor (Ml 3:8).
OFERTAS – são valores dados de acordo com o propósito de cada coração (2 Co 9:7).
Ambos são entregues, mensalmente ou conforme o dia do recebimento de cada um, em Culto
Público ou diretamente ao tesoureiro da Igreja (2 Rs 12:9-12).
3 – NINGUÉM É POBRE DEMAIS QUE NÃO POSSA CONTRIBUIR
- A ordem em Malaquias 3:10 não traz exceções.
“Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na Minha casa; e provai-
Me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se Eu não vos abrir as janelas do Céu e não derramar
sobre vós bênção sem medida. ”Malaquias 3:10.
- Em Êxodo 35:22-29 e 36:3-6 encontramos a participação de todos, inclusive crianças, para irem
aprendendo a não serem avarentas.
- Um menino ganha o quê? Todos ganhamos algo: o dinheiro para o refrigerante, ou o doce, a
mesada ou o presente. Os pais devem ensinar seus filhos a serem gratos a Deus não só de
palavras, mas dizimando (mesmo que seja pouco), e ofertando de acordo com as suas condições
(Pv 22:6).
- O dízimo e as ofertas não tornam o pobre mais pobre. Já vi pessoas ficarem pobres por viverem
na jogatina, ou bebendo, ou fumando, ou tem uma vida moral desregrada. Também há aqueles
que usam do dízimo para pagar contas feitas sem controle algum na administração de suas
finanças. Por todas essas coisas vem a pobreza e a miséria, mas jamais alguém ficará pobre por
ser um dizimista fiel.
4 – O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE ADMINISTRAÇÃO CENTRALIZADA
Alguns se julgam superiores aos que administram os bens da Igreja, não entregando o dízimo
mas investindo-o em esmolas ou em sustento missionário, quem em alguns casos nem pregam o
Evangelho (por exemplo a LBV que é uma entidade espírita).
Em Lucas 21:1-4, Atos 5:1-10 e em muitos outros textos encontramos a administração
centralizada dos dízimos e ofertas.
Mas e se os que foram investidos de autoridade falharem? Eles irão prestar contas a Deus.
5 – JESUS NÃO ABOLIU O DÍZIMO E AS OFERTAS
Alguns dizem que dízimos e ofertas é coisa somente da Lei do Velho Testamento. Mas isso é um
engano de quem não conhece as Escrituras ou não faz uma interpretação não fidedigna da
mesma. Vejamos alguns textos que provam a validade dos dízimos e ofertas no NT:
“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho
e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a
fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” Mateus 23:23.
“Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa
contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então,
voltando, faze a tua oferta.” Mateus 5:23-24.
2 Coríntios 8-9 trazem uma ampla explanação sobre o assunto. Destaco aqui apenas:
“E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura, com
abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com
tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.” 2 Co 9:6-7.
O TEMA É POLÊMICO, MAS TEMOS RESPALDO BÍBLICO
Não dizimamos ou ofertamos por interessa, mas em adoração a Deus, com alegria. Ele que vê os
intentos de nossos corações promete abençoar com fartura quem semeia generosamente.
Entendemos que todas as bênçãos vêm do Senhor, sejam elas matérias, físicas ou espirituais. A
benção da prosperidade, ou o ser próspero, não é especificamente o que o Senhor pode nos dar
(e como Ele é bondoso!), mas a Sua própria presença em nosso meio. Existem muitos que
desejam ficar ricos e idolatram o dinheiro e as riquezas; algumas Igrejas erroneamente associam
a benção de Deus à posse de riquezas. Conheça a Palavra de Deus e veja o que Deus diz sobre
isso.
Veja: Provérbios 11:4; 15:16-17; 16:8,16; 17:1; 19:1; 22:1; 28:6; 1 Timóteo 6:6-12.
6 – O DÍZIMO FAZ PARTE DA ADORAÇÃO
Devemos compreender que Deus não precisa do nosso dinheiro para manter a Sua obra. Aliás,
nada é nosso, o nosso dinheiro é de Deus, nosso lar é de Deus, nossos filhos são de Deus, NÓS
SOMOS DE DEUS, TUDO É DE DEUS!!!
A Igreja não deixará de existir se os membros forem infiéis nos dízimos e ofertas, porque o nosso
Deus tem poder para manter a Sua obra. Foi Ele quem multiplicou pães e peixes (Mc 6:41).
Quando entregamos nossos dízimos e ofertas, estamos adorando, sobretudo com a afirmativa
prática de que não estamos escravizados aos nossos bens, e que confiamos na provisão do
Senhor nosso Deus (1 Tm 6:7-10; Hb 13:5-6).
CONCLUSÃO
O Deus fiel em Sua Palavra promete abençoar aqueles que são fiéis na contribuição:
“(...) e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não
derramar sobre vós bênção sem medida.” Malaquias 3:10b.
LIÇÂO 10
A ETERNIDADE
LEITURA SEMANAL
Domingo Marcos 9:43-44
Segunda Ap 21:1-8
Terça João 3:15-21
Quarta 1 Co 15:12-58
Quinta Romanos 2:5-10
Sexta Efésios 2:5-9
Sábado Lucas 16:19-31
PARA DECORAR
“Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os
homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com
eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto,
nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.” Apocalipse 21:3-4.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – Cite alguma das promessas bíblicas em relação aos Céus e suas belezas.
2 – Cite algumas das angústias do inferno.
3 – Quais os benefícios de ter o coração cheio de esperança de encontrar Jesus na eternidade?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Uma das bonitas doutrinas bíblicas é chamada Escatologia (escatós = últimas coisas + logia =
estudo), onde se estuda a respeito das profecias bíblicas acerca das últimas coisas, o futuro.
A Bíblia fala claramente a respeito do Céu, local que Jesus foi preparar para habitar eternamente
com Seu povo (João 14:2). Local de gozo e alegria espirituais, onde não entrará o mal, e para
sempre estaremos reunidos com todo o povo de Deus.
O inferno também existe e é descrito na Bíblia como o oposto do Céu: local de tormento e dor,
habitação do diabo com seus anjos, onde conscientemente estarão os ímpios – aqueles que
rejeitarão do Senhor, eternamente.
As oportunidades do homem para escolher seu destino eterno findam ou quando ele morre, ou
quando Jesus voltar, para aqueles que estiverem vivos.
SINAIS DA VINDA DE JESUS
Antes de ser entregue para a crucificação, Jesus falou aos seus discípulos sobre alguns sinais
que precederiam à Sua volta.
Nos Evangelhos estão registrados alguns deles: crescimento do número de conflitos entre países,
“guerras e rumores de guerras” (vs.6); o crescimento da apostasia, que é o esfriamento, ou
abandono da fé (vs.12); o crescimento de movimentos heréticos, o aparecimento de falsos
“cristos” (vs.11). Também serão dias de muitos terremotos fome, pestes, etc. (Mc 13:8; Lc 21:11).
A ninguém, porém, Jesus revelou o dia e a hora do Seu retorno, mas uma coisa é certa: Ele não
tardará. (Mt 24:36; At 1:6-7; Dt 29:29; 2 Pe 3:9).
A ordem de Jesus é para que estivéssemos sempre vigilantes para não sermos apanhados de
surpresa (Mt 25:13; Mc 13:33; Lc 21:36; 1 Co 16:13).
CONCEITOS FALSOS
Vários conceitos são proclamados sobre a eternidade, mas simplesmente crendices populares
sem nenhuma base bíblica. Há também ensinamentos oriundos de má interpretações que causam
grande confusão no seio das Igrejas. Relacionamos alguns abaixo.
1 – DEUS É AMOR E NÃO MANDARÁ NINGUÉM PARA O INFERNO
Que Deus é amor é verdade (Jo 3:16; 1 Jo 4:8,16). Mas Deus também é santo (Is 6:3) e justo (Sl
7:9,11). Seria uma injustiça Deus levar para morar com Ele no Céu, todos aqueles que não
desejaram viver ao Seu lado em toda a sua vida aqui na Terra. Em João 3:16-18 nos é revelado
que o Céu é para os que crêem. Aqueles que não receberam pela fé a salvação que Cristo
oferece gratuitamente a todos os que nEle crêem, continuam impuros em seus delitos e pecados,
e portanto não podem entrar no Céu (Lc 13:28; 1 Co 6:9-10; Gl 5:18-26; Ap 21:1-8).
2 – CÉU E INFERNO SÃO AQUI NA TERRA E NO TEMPO PRESENTE
“Aqui se faz, aqui se paga”, diz o ditado popular. É verdade que o resultado de muitas ações são
contempladas aqui na Terra mesmo. Mas a Bíblia nos fala de uma colheita no Dia do Juízo Final.
(Mt 8:12; 25:31-46; Rm 2:5-10).
3 – MORREU ACABOU
Esta é a tese do materialismo: vamos virar pó, e só. A Bíblia diz que não! (Ec 12:7; Lc 23:43).
4 – SOMENTE OS JUSTOS RESSUSCITARÃO
Esta é a teoria adventista, segundo a qual os ímpios ficarão dormindo sem nenhum problema
maior; somente os justos ressuscitarão para a vida eterna (Mt 10:28; Jo 5:28-29).
5 – O HOMEM VOLTARÁ PARA UMA PURIFICAÇÃO
Esta é a teoria espírita da reencarnação, segundo a qual à medida que o homem vai se
reencarnando se torna cada vez melhor. Se fosse assim, o mundo hoje seria bem melhor que nos
tempos passados, e não é isto que temos visto. A iniquidade tem aumentado a cada geração, a
humanidade está indo de mal a pior. Além disso, a Bíblia nega enfaticamente não só a
reencarnação (Hb 9:27), mas também a comunicação entre vivos e mortos (Lc 16:19-31).
6 – O HOMEM FICARÁ EM UM PURGATÓRIO ATÉ SER PURIFICADO
Essa é a doutrina católica, segunda a qual as pessoas que ficam aqui na Terra rezam e fazem
missas pelas almas dos que morreram, as quais estão no purgatório, que para eles, é o local
onde se paga pelos pecados cometidos. Lemos na Bíblia que só há o Céu e o inferno, não há
meio termo, não existe purgatório. E os que foram lançados no inferno jamais sairão de lá, “onde
não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga”. (Sl 81:15; Mt 25:46; Mc 9:43-44).
7 – SÓ A ALMA QUE É ETERNA
A Bíblia diz que o corpo dos salvos também será transformado (1 Co 15:52-55; 1 Ts 4:16-17).
Este processo de transformação é chamado de revestimento de incorruptibilidade, ou glorificação.
Os ímpios também ressuscitarão para o Juízo Final, porém não serão glorificados (Jo 5:28-29; Ap
20:11-15).
8 – NO CÉU NÃO NOS LEMBRAREMOS DE NADA
Essa é a “teologia da lavagem cerebral”, segundo a qual o Senhor apagaria de nossas mentes
todas as lembranças da vida na Terra. Alguns argumentam que, se lá no Céu nos lembrarmos
daqueles que não forem salvos, nos entristeceríamos e no Céu não haverá tristeza. Então a
solução que resolveram foi argumentar que Deus nos fará esquecer de tudo e de todos. Porém
NÃO HÁ BASE BÍBLICA para fazermos tais asseverações. Pelo contrário, encontramos bases
para entendermos que tanto no Céu como no inferno as pessoas se lembrarão da vida que
tiveram na Terra. Veja os textos: Lc 16:27; Ap 6:10-11. Quanto à tristeza, realmente no Céu não
haverá lágrimas: Ap 7:17; 21:4. Não esqueçamos também que quando lá no Céu chegarmos, já
teremos sido transformados pela glória do Senhor (1 Co 15:51-52).
UM TEXTO ÁUREO – LUCAS 16:19-31
Nesse texto encontramos de uma forma completa uma grande janela aberta para a revelação da
eternidade. Verdades claras que combatem com eficiência todas as heresias que vimos acima.
Um rico morre sem compromisso com Deus, e um pobre morre com Jesus no coração. No mesmo
instante se perceberam no destino eterno, estavam conscientes e um grande abismo os
separava. Lázaro foi reconhecido pelo rico, e este não pôde enviar nenhuma mensagem a seus
irmãos na Terra.
CONCLUSÃO
Já é inferno para quem vive longe de Jesus, pois sem Cristo ninguém pode ser verdadeiramente
feliz, e a vida dos ímpios já é uma vida de sofrimento espiritual. O pecado tem um alto preço para
os que seus servos. Mas quando tal pessoa morrer irá para um lugar infernal de dor e tormento
eterno, aguardando o juízo final, e habitarão eternamente neste lugar terrível que foi preparado
para o diabo e seus anjos.
Já é Céu para quem aceitou a Jesus como Senhor e Salvador pessoal, pois desfrutamos de
delícias celestiais já aqui na Terra, ao louvarmos, orarmos e na comunhão diária com Deus. Mas,
quando tal pessoa morrer, entrará imediatamente em um lugar celestial, esplêndido, onde
habitará com Cristo e com todos os irmãos que lá estão aguardando a ressurreição. E então os
salvos reinarão eternamente com Cristo.
Glórias a Deus por tão grande e gloriosa salvação!
LIÇÃO 11
LIDERANÇA
LEITURA SEMANAL
Domingo Êxodo 18:13-27
Segunda Romanos 13:1-7
Terça 1 Timóteo 3:1-7
Quarta Atos 6:1-7
Quinta Hebreus 13:7,17
Sexta Neemias 8:2-6
Sábado Efésios 4:7-14
PARA DECORAR
“Agora, vos rogamos, irmãos, que acateis com apreço os que trabalham entre vós e os que vos
presidem no Senhor e vos admoestam.” 1 Tessalonicenses 5:12.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – A liderança da Igreja é infalível?
2 – “Só devo respeito a Deus”; este é um ensinamento bíblico?
3 – O que posso fazer para colaborar com a liderança da Igreja?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Uma pergunta sempre se faz aos que desejam tornar-se membros da Igreja: “Você promete
sujeitar-se às autoridades constituídas da Igreja, para seu ensino e governo, enquanto forem fiéis
às Escrituras?” É um compromisso muito sério, visto que com o passar do tempo, a tendência
social é a rebelião (2 Tm 3:1-5).
UM GOVERNO BÍBLICO
A Igreja Presbiteriana do Brasil não tem um cabeça visível, como um papa. Essa posição
pertence exclusivamente a Jesus (Ef 1:22; Cl 1:18).
A – ASSEMBLÉIA GERAL
O governo de nossa Igreja é representativo, isto é, cada membro participa, votando na escolha de
representantes ou sobre assuntos de maior importância, em uma Assembleia. Assim é
estabelecido o Conselho da Igreja, que é formado pelos presbíteros, e a Junta Diaconal que é
formada pelos Diáconos (Atos 6:2).
B – O PASTOR
Qualquer jovem vocacionado para o Ministério é enviado a um dos Seminários da Igreja. Antes de
ser ordenado ao Sagrado Ministério é acompanhado e examinado pelo Presbitério, dentro dos
estatutos da Igreja. Após essa jornada, assume a presidência do Conselho de uma Igreja local,
em que será pastor. Na IPB o pastor é sustentado para fazer o trabalho em tempo integral (1 Tm
5:18). Ele poderá ser eleito pela Igreja, ou indicado pelo Presbitério (Hb 13:7,17; Ef 4:11-12).
C – OS PRESBÍTEROS
São eleitos pela maioria dos membros da Igreja em uma Assembleia. Formam o Conselho que
tem funções administrativas e espirituais sobre a vida da Igreja. O mandato de um Presbítero dura
cinco anos, podendo ser reeleito após o cumprimento de seu mandato (Tt 1:5; 1 Tm 3:1-7).
Qualquer sugestão, crítica, solicitação ou denúncia dos membros, deverá ser encaminhada aos
presbíteros.
D – OS DIÁCONOS
Também são eleitos em Assembleia, e assim como os presbíteros, têm mandato de cinco anos,
podendo haver reeleição. Eles forma a Junta Diaconal da Igreja, cujos propósitos são: assistir aos
irmãos necessitados, zelar pela ordem do Culto e pelo patrimônio da Igreja (1 Tm 3:8-10; At 6:1-
7).
E – LIDERANÇAS DE SOCIEDADES INTERNAS
Para o crescimento na fé e união de todos, temos uma sociedade interna para cada faixa etária
dos membros:
- até 11 anos UCP – União das Crianças Presbiterianas;
- de 12 a 16 anos UPA – União Presbiteriana de Adolescentes;
- de 17 a 35 anos UMP – União da Mocidade Presbiteriana;
- SAF – Sociedade Auxiliadora Feminina;
- UPH – União Presbiteriana de Homens.
Em algumas Igrejas há também a Sociedade de Casais Jovens, e a VEM – Viúvas Evangélicas
em Missão. Suas diretorias são eleitas pelos sócios (Salmos 133).
F – CONCÍLIOS SUPERIORES
Cada Igreja está subordinada a um Presbitério que reúno no mínimo quatro Igrejas da mesma
região. Cada Presbitério está subordinado ao um Sínodo que congrega no mínimo três
Presbitérios da mesma região. Os Sínodos, por sua vez, estão subordinados ao Supremo
Concílio, que é um órgão nacional. Em cada país, onde há Igreja Presbiteriana, há Supremo
Concílio e o mesmo sistema de governo (Atos 15:6,22; 1 Tm 4:14).
G – ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
É um departamento da Igreja de grande valor na edificação espiritual dos membros. É a maior
escola do mundo, e por ser tão importante, existe em quase todas as Igrejas evangélicas. Na IPB
a sua direção é nomeada pelo Conselho e reúne-se dominicalmente. Antes de sermos membros
da Igreja nos tornamos alunos matriculados na EBD – Escola Bíblica Dominical (Ne 8:2-6).
CONCLUSÃO
O Manual Presbiteriano é um livro no qual, sem alterar princípios bíblicos, constam os termos que
tratam do governo da Igreja, formando assim a sua Constituição. Obedecer às autoridades é um
princípio bíblico. É gratificante e encorajador sabermos que estas autoridades foram instituídas
pelo próprio Deus.
Ministrado anteriormente na 3ª IPB de Barretos / SP, 06.11.11 Classe de Catecúmenos - Curso
Preparatório para o Batismo e Profissão de Fé.
Catecúmeno: do grego "katekhoúmenos"; pessoa que se prepara e instrui, nos princípios da
religião, para receber o batismo.
Extraído e adaptado da revista "Nova Vida" de autoria do Rev. Simontom César de Araújo.
Leia o estudo anterior: A Eternidade, e o próximo estudo: Evangelizando.
LIÇÃO 12
EVANGELIZANDO
LEITURA SEMANAL
Domingo João 15:1-5
Segunda Mateus 28:18-20
Terça João 1:40-42
Quarta João 4:28-30;39-42
Quinta Marcos 5:18-20
Sexta 1 Coríntios 9:16-23
Sábado Provérbios 11:30;24:11
PARA DECORAR
“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.” Marcos 16:15.
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – Evangelizar é um dom concedido somente aos pastores, ou é tarefa para todos os membros
da Igreja?
2 – Por que não devo desistir se não está havendo resultado imediato?
3 – Qual a melhor tática evangelística para alcançarmos nossa casa?
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
A prova de que fomos alcançados pela Verdade, além da transformação da nossa vida, será o
desejo de proclamá-la a outros, isto é: fazer discípulos.
Essa série de estudos poderá ser usada para a evangelização e discipulado de algum amigo ou
familiar, vizinho ou colega de trabalho, ou colega de classe, que eventualmente for alcançado (a)
pela mensagem da salvação.
POR QUE EVANGELIZAR?
A – EVANGELIZAR É AMOR
Quando evangelizamos, provamos que não somos egoístas, que queremos dividir o que é bom
com o nosso próximo. Se estamos realmente preocupados com nosso próximo, e queremos fazer
algo significativo e importante para ele, não há nada melhor do que lhe apresentar a salvação em
Jesus.
André procurou logo contar essa novidade ao seu irmão: João 1:40-42.
B – EVANGELIZAR É RETRIBUIR
Um dia alguém lhe falou de Jesus. Você se lembra quem foi, ou como foi? Um folheto que lhe
entregaram, uma Bíblia que ganhou de presente, um convite para ir à Igreja…
Agora é sua vez de retribuir este grande favor que lhe fizeram.
Se, no passado, todos pensassem em evangelizar como você pensa fazer, será que o Evangelho
chegaria até você?
Paulo queria alcançar a todos (1 Coríntios 9:16-23).
C – EVANGELIZAR É NATURAL
Natural na vida de quem já aceitou Jesus e O ama de todo o seu coração.
Imagine que você tivesse ganhado, hoje pela manhã, um carro do ano. Naturalmente você
contaria para os seus parentes e amigos esta novidade. Até sem palavras as pessoas notariam a
sua alegria em ter recebido este presente, e o simples fato de dirigir aquele carro seria notado por
todos. Você não teria necessidade de fazer um curso sobre “como contar aos outros que ganhou
um carro”. Seria algo natural em seus lábios e em sua vida. Até o seu semblante comprovaria
isso.
Creio que só anuncia Jesus com prazer e convicção quem já tem Jesus como Senhor e Salvador,
e O ama acima de tudo em sua vida, e O serve com alegria (João 4:28-30).
D – EVANGELIZAR É URGENTE
Em Lucas 16:27-31 a Bíblia nos apresenta um homem desejando avidamente a salvação de seus
cinco irmãos. Porém, era tarde demais. Ele já estava no inferno (João 9:14).
E – EVANGELIZAR É OBEDIÊNCIA
Em Marcos 16:15 a ordem foi dada a todos que contemplavam a ascensão de Jesus, e
consequentemente essa ordem foi dada a todos os que nEle creem. É o “IDE” de Deus.
Adoramos melhor a Deus quando O obedecemos. Sentimos maior empolgação e gozo em servi-
Lo quando cumprimos Seus mandamentos (Ezequiel 3:18 e Atos 20:26-27).
ORIENTAÇÕES IMPORTANTES AOS EVANGELIZADORES
A – NÃO SE PREOCUPE DEMASIADAMENTE COM OS RESULTADOS
Alguns irão zombar, outros desprezar e deixar para depois, mas haverá os que irão crer (Atos
17:32-34; 1 Coríntios 3:6-9).
B – NÃO DISCUTA DOUTRINAS DE SUA IGREJA
Primeiro porque você ainda está novo na fé. Segundo porque essa não é nossa preocupação
básica. Ao invés de discutir, fale do seu encontro pessoal com Jesus, e como sua vida foi
transformada (2 Timóteo 2:15-16).
C – NÃO SEJA AGRESSIVO NO FALAR
Uma tendência natural do novo convertido é ter pressa em levar todos os seus familiares e
amigos a Cristo, às vezes tornando-se agressivo, desprezando ou humilhando as pessoas.
Você não precisa segui-los mais nas bebedeiras, baladas, etc. Mas trate-os com amor (Provérbios
15:1).
D – PALAVRAS E AÇÃO
Palavras sem vida, sem testemunho não farão efeito algum na vida de seus ouvintes. Muito pelo
contrário, será escândalo para o Evangelho (Romanos 2:24). Viva a sua mensagem de tal
maneira que os que estiverem ao seu redor lhe perguntem o que mudou em seu viver, ou por que
você está diferente.
Ao surgirem oportunidades, não deixe de falar de Jesus, e orar pelas pessoas. Você poderá usar
o plano de salvação apresentado na primeira lição dessa série.
CONCLUSÃO
Em 2 Reis 5:2-3s temos o exemplo empolgante de uma empregada doméstica que levou o patrão
à conversão. Isso prova que qualquer um de nós pode ser usado por Deus para ganhar almas.
Não despreze o dom que há em ti, não duvide do poder do Espírito Santo que habita em seu
coração. Ore e creia, Ele fará a obra usando a sua vida.
“Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por Nós? Disse
eu: eis-me aqui, envia-me a mim.” Isaías 6:8.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Após a palavra dada em público, isto é, um voto que se faz, não somente à Igreja, ou ao
Conselho, mas é um voto a Deus. A Igreja poderá lhe procurar a fim de orientá-lo (a) quando o
mesmo não estiver sendo cumprido, mas quem lhe cobrará este voto é o próprio Deus.
FALTA DE INTEGRIDADE
Para mim, uma pessoa que vai à frente da Igreja, faz um voto para com Deus, e, depois,
desaparece muitas vezes sem dar satisfação, não poderia nem casar-se, nem comprar a crédito,
etc. por não ser confiável, pois uma pessoa que não cumpre a palavra dada a Deus, irá cumprir a
palavra dada ao próximo? Creio que não.
GRITE POR SOCORRO
A luta continua, não irá terminar quando você fizer a pública profissão de Fé ou for Batizado. Não
se isole, não se afaste quando cair, pois é isso que o Diabo quer. Procure o Pastor, os
presbíteros, compartilhe a luta e peça ajuda e as orações dos irmãos e da Igreja.
SEJA EDUCADO E GRATO PELO QUE RECEBEU
Alguns conhecem a verdade na nossa Igreja e ao convite de meros movimentos, tentações,
heresias saem da Igreja demonstrando ingratidão e infantilidade. Ninguém é obrigado a ficar na
Igreja Presbiteriana até a morte, mas é uma questão de educação, agradecer e explicar sua
decisão, caso esta seja congregar em outra comunidade.
TERMO de COMPROMISSO
Colocando em crédito o meu caráter, na perfeita consciência da minha razão,
na liberdade para tomar esta decisão, afirmo que:
 Desejo ser membro desta Igreja, prometendo ser assíduo às suas atividades, sujeitando-me a sua
disciplina e as autoridades por Deus nela constituídas, sustentando-a com minhas orações e
contribuições financeiras (Dízimos e Ofertas), dando bom testemunho não apenas com palavras,
mas com atos dignos de um Filho de Deus.
 Creio que há um só Deus que subsiste em três pessoas: O Pai, o Filho e o Espírito Santo que para
sua justificação, o Pai entrega o Filho a morte de Cruz no nosso lugar enviando logo após o Seu
Espírito para nos Santificar e preparar para a Glória dos Céus.
 Creio nas Escrituras Sagradas, com 66 livros, como Palavra de Deus e única regra minha de Fé e
Prática dada por Ele a Sua Igreja e que são falsas e perigosas toda e qualquer doutrina ou ensino
que vá de encontro a Verdade de Deus revelada ao homem.
 Confesso que fui concebido em PECADO, que por natureza sou incapaz de buscar a Deus e cumprir
totalmente sua Lei, inclinando-me antes para o que a Lei de Deus condena, tendo pecado muitas
vezes por ações, pensamentos, palavras e por omissão de minhas responsabilidades.
 Creio que o Sangue de Cristo me purifica de todo o meu pecado e que não há outro meio de
adquirir o perdão sem que seja pela sua graça e misericórdia por Obra do Espírito Santo.
 Estou agora sinceramente arrependido de todo o mau caminho que andei, do que tenho feito
diante de Deus que não O agrada e disposto integralmente a obedecer a Sua Palavra.
 Dedicarei meus talentos todos para a Obra do Senhor, principalmente para que Ele use meu
testemunho e minha pregação para salvar almas para Ele mesmo.
 Certo desta decisão prometo ser Fiel até a morte, assino este termo de compromisso com a Igreja
do Senhor Jesus.
__________________________________, ________, de ____________________ de __________.
_______________________________________________
Membro
_______________________________________________
Nome Legível
_______________________________________________
Conselho Eclesiástico ou Mesa Administrativa
Presidente
Apostila de catecûmenos (1)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Esperando a volta de jesus
Esperando a volta de jesusEsperando a volta de jesus
Esperando a volta de jesus
Márcio Martins
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
IBMemorialJC
 
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
Deusdete Soares
 
As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1
Rômulo Martins
 
Estudo da Semana - A benção de ser um dizimista fiel
Estudo da Semana - A benção de ser um dizimista fielEstudo da Semana - A benção de ser um dizimista fiel
Estudo da Semana - A benção de ser um dizimista fiel
Unção Do Crescimento
 
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do CrenteLição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Éder Tomé
 
Filipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosa
Filipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosaFilipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosa
Filipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosa
Juan E. Barrera
 
Apostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdf
Apostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdfApostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdf
Apostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdf
JooAlbertoSoaresdaSi
 
Avivamento
AvivamentoAvivamento
O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
As Armaduras
As ArmadurasAs Armaduras
As Armaduras
ArturEscobar
 
Armadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do FimArmadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do Fim
Anderson Damasceno
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Éder Tomé
 
El Poder De El Dominio propio
El Poder  De  El Dominio propioEl Poder  De  El Dominio propio
El Poder De El Dominio propio
Centro Cristiano Nueva Vida Int. Cristiano
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
Josue Lima
 
Estudo biblico 22
Estudo biblico 22Estudo biblico 22
Estudo biblico 22
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Idolatria Moderna
Idolatria ModernaIdolatria Moderna
Idolatria Moderna
Marcelo Santos
 
Campo de batalha da mente joyce meyer
Campo de batalha da mente   joyce meyerCampo de batalha da mente   joyce meyer
Campo de batalha da mente joyce meyer
Elton Vinicius
 
Aprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansãoAprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansão
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 

Mais procurados (20)

Esperando a volta de jesus
Esperando a volta de jesusEsperando a volta de jesus
Esperando a volta de jesus
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
A soberana graça de deus e a responsabilidade do homem (charles haddon spurgeon)
 
As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1
 
Estudo da Semana - A benção de ser um dizimista fiel
Estudo da Semana - A benção de ser um dizimista fielEstudo da Semana - A benção de ser um dizimista fiel
Estudo da Semana - A benção de ser um dizimista fiel
 
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do CrenteLição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
 
Filipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosa
Filipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosaFilipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosa
Filipenses Actitudes para una vida cristiana victoriosa
 
Apostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdf
Apostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdfApostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdf
Apostila sobre o batismo nas aguas - Volume 1.pdf
 
Avivamento
AvivamentoAvivamento
Avivamento
 
O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015
 
As Armaduras
As ArmadurasAs Armaduras
As Armaduras
 
Armadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do FimArmadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do Fim
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
 
El Poder De El Dominio propio
El Poder  De  El Dominio propioEl Poder  De  El Dominio propio
El Poder De El Dominio propio
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
 
Estudo biblico 22
Estudo biblico 22Estudo biblico 22
Estudo biblico 22
 
Idolatria Moderna
Idolatria ModernaIdolatria Moderna
Idolatria Moderna
 
Campo de batalha da mente joyce meyer
Campo de batalha da mente   joyce meyerCampo de batalha da mente   joyce meyer
Campo de batalha da mente joyce meyer
 
Aprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansãoAprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansão
 

Destaque

Classe de catecúmenos
Classe de catecúmenosClasse de catecúmenos
Classe de catecúmenos
Alberto Simonton
 
Razões da nossa fé lição 2
Razões da nossa fé   lição 2Razões da nossa fé   lição 2
Razões da nossa fé lição 2
Mariângela Domeniche Perdomo
 
Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012
Maria Dourisete Araujo
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
Boletim koinonya 30/10 a 05/11/2011
Boletim koinonya 30/10  a 05/11/2011Boletim koinonya 30/10  a 05/11/2011
Boletim koinonya 30/10 a 05/11/2011
Metodista Salvador
 
Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011
Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011
Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011
Metodista Salvador
 
Paulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStoloPaulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStolo
Petula
 
Apostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismoApostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismo
Marcos Luiz DA Silva
 
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Manoel Júnior
 
Slides o que é teologia
Slides o que é teologiaSlides o que é teologia
Slides o que é teologia
Manoel Júnior
 
Limitações e especulações
Limitações e especulaçõesLimitações e especulações
Limitações e especulações
Igreja do Evangelho Quadrangular - ITQ/SP-070
 
O processo de secularização
O processo de secularizaçãoO processo de secularização
O processo de secularização
João Carlos Nara Júnior
 
Definindo teologia capitulo i
Definindo teologia   capitulo iDefinindo teologia   capitulo i
Definindo teologia capitulo i
Igreja do Evangelho Quadrangular - ITQ/SP-070
 
Os Jovens E A SecularizaçãO
Os Jovens E A SecularizaçãOOs Jovens E A SecularizaçãO
Os Jovens E A SecularizaçãO
Clube de Lideres Online
 
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
marcelo olegario
 
Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Tiago Vieira
 
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporaneaTomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
LELO
 
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Aniel Wagner Cruz
 
Aprendei de mim primarios e menores (1)
Aprendei de mim primarios e menores (1)Aprendei de mim primarios e menores (1)
Aprendei de mim primarios e menores (1)
Marilene Rangel Rangel
 
Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática
Aniel Wagner Cruz
 

Destaque (20)

Classe de catecúmenos
Classe de catecúmenosClasse de catecúmenos
Classe de catecúmenos
 
Razões da nossa fé lição 2
Razões da nossa fé   lição 2Razões da nossa fé   lição 2
Razões da nossa fé lição 2
 
Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
 
Boletim koinonya 30/10 a 05/11/2011
Boletim koinonya 30/10  a 05/11/2011Boletim koinonya 30/10  a 05/11/2011
Boletim koinonya 30/10 a 05/11/2011
 
Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011
Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011
Boletim koinonya 31/07 a 06/08/2011
 
Paulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStoloPaulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStolo
 
Apostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismoApostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismo
 
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
 
Slides o que é teologia
Slides o que é teologiaSlides o que é teologia
Slides o que é teologia
 
Limitações e especulações
Limitações e especulaçõesLimitações e especulações
Limitações e especulações
 
O processo de secularização
O processo de secularizaçãoO processo de secularização
O processo de secularização
 
Definindo teologia capitulo i
Definindo teologia   capitulo iDefinindo teologia   capitulo i
Definindo teologia capitulo i
 
Os Jovens E A SecularizaçãO
Os Jovens E A SecularizaçãOOs Jovens E A SecularizaçãO
Os Jovens E A SecularizaçãO
 
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
 
Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!
 
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporaneaTomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
 
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
 
Aprendei de mim primarios e menores (1)
Aprendei de mim primarios e menores (1)Aprendei de mim primarios e menores (1)
Aprendei de mim primarios e menores (1)
 
Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática
 

Semelhante a Apostila de catecûmenos (1)

Sera a salvacao segura, incapaz de ser perdida
Sera a salvacao segura, incapaz de ser perdidaSera a salvacao segura, incapaz de ser perdida
Sera a salvacao segura, incapaz de ser perdida
Waldir Calazans
 
O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)
IGREJA ADCP CAMPOS ELÍSEOS
 
O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)
IGREJA ADCP CAMPOS ELÍSEOS
 
As 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdf
As 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdfAs 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdf
As 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdf
Freekidstories
 
01 arminianismo na-biblia
01 arminianismo na-biblia01 arminianismo na-biblia
01 arminianismo na-biblia
Luiza Dayana
 
Plano salvação
Plano salvaçãoPlano salvação
Plano salvação
Osny Hernandes Firmino
 
Para onde
Para ondePara onde
Adversidade
AdversidadeAdversidade
Adversidade
AdversidadeAdversidade
Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013
Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013
Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013
Gerson G. Ramos
 
O processo de_salvacao
O processo de_salvacaoO processo de_salvacao
O processo de_salvacao
oleinik
 
Crê na vida eterna
Crê na vida eternaCrê na vida eterna
Crê na vida eterna
Pastor Robson Colaço
 
Jornal Missionário nº 101
Jornal Missionário nº 101Jornal Missionário nº 101
Jornal Missionário nº 101
Almir Rodrigues
 
Triunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicaoTriunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicao
Joary Jossué Carlesso
 
Triunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicaoTriunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicao
Joary Jossué Carlesso
 
A luta por detras dos bastidores
A luta por detras dos bastidoresA luta por detras dos bastidores
A luta por detras dos bastidores
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 07 - A graça Divina.pptx
Lição 07 - A graça Divina.pptxLição 07 - A graça Divina.pptx
Lição 07 - A graça Divina.pptx
Joel Silva
 
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
Marcus Wagner
 
Romanos 8 (parte -2)
Romanos   8 (parte -2)Romanos   8 (parte -2)
Romanos 8 (parte -2)
Joel Silva
 
Jormi - jornal missionário n° 69
Jormi - jornal missionário n° 69Jormi - jornal missionário n° 69
Jormi - jornal missionário n° 69
trabalho como autonomo
 

Semelhante a Apostila de catecûmenos (1) (20)

Sera a salvacao segura, incapaz de ser perdida
Sera a salvacao segura, incapaz de ser perdidaSera a salvacao segura, incapaz de ser perdida
Sera a salvacao segura, incapaz de ser perdida
 
O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)
 
O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)O poder das cruz (17 12-17)
O poder das cruz (17 12-17)
 
As 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdf
As 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdfAs 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdf
As 12 Pedras do Alicerce — Aula 8B: O maior amor de todos - Salvação Eterna.pdf
 
01 arminianismo na-biblia
01 arminianismo na-biblia01 arminianismo na-biblia
01 arminianismo na-biblia
 
Plano salvação
Plano salvaçãoPlano salvação
Plano salvação
 
Para onde
Para ondePara onde
Para onde
 
Adversidade
AdversidadeAdversidade
Adversidade
 
Adversidade
AdversidadeAdversidade
Adversidade
 
Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013
Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013
Reforma: vontade de crescer e mudar_Lição_original com textos_1032013
 
O processo de_salvacao
O processo de_salvacaoO processo de_salvacao
O processo de_salvacao
 
Crê na vida eterna
Crê na vida eternaCrê na vida eterna
Crê na vida eterna
 
Jornal Missionário nº 101
Jornal Missionário nº 101Jornal Missionário nº 101
Jornal Missionário nº 101
 
Triunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicaoTriunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicao
 
Triunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicaoTriunfo da ressurreicao
Triunfo da ressurreicao
 
A luta por detras dos bastidores
A luta por detras dos bastidoresA luta por detras dos bastidores
A luta por detras dos bastidores
 
Lição 07 - A graça Divina.pptx
Lição 07 - A graça Divina.pptxLição 07 - A graça Divina.pptx
Lição 07 - A graça Divina.pptx
 
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
 
Romanos 8 (parte -2)
Romanos   8 (parte -2)Romanos   8 (parte -2)
Romanos 8 (parte -2)
 
Jormi - jornal missionário n° 69
Jormi - jornal missionário n° 69Jormi - jornal missionário n° 69
Jormi - jornal missionário n° 69
 

Mais de copydesign

Slide retiro
Slide   retiroSlide   retiro
Slide retiro
copydesign
 
Slide evangelização prática
Slide   evangelização práticaSlide   evangelização prática
Slide evangelização prática
copydesign
 
Santo ângelo resumo
Santo ângelo   resumoSanto ângelo   resumo
Santo ângelo resumo
copydesign
 
Curso de oração
Curso de oraçãoCurso de oração
Curso de oração
copydesign
 

Mais de copydesign (6)

Oelando ari
Oelando ariOelando ari
Oelando ari
 
Oelando ari
Oelando ariOelando ari
Oelando ari
 
Slide retiro
Slide   retiroSlide   retiro
Slide retiro
 
Slide evangelização prática
Slide   evangelização práticaSlide   evangelização prática
Slide evangelização prática
 
Santo ângelo resumo
Santo ângelo   resumoSanto ângelo   resumo
Santo ângelo resumo
 
Curso de oração
Curso de oraçãoCurso de oração
Curso de oração
 

Apostila de catecûmenos (1)

  • 1. NOTA: Este material foi extraído da Revista Nova Vida, escrita pelo Rev. Simontom César de Araújo, cedida para fins de educar o povo de Deus através da Igreja.
  • 2. LIÇÃO 1 O CAMINHO TEXTO BÁSICO "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16. LEITURA SEMANAL João 3:16-21 e 36 Efésios 2:1-10 Romanos 3:21-31 Romanos 8:1-11 Isaías 53:1-12 Atos 8:26-40 Lucas 19:1-10 PERGUNTAS PARA DEBATE É possível alguém saber se está salvo ou não? Quem fala que está salvo, está salvo de que? Uma pessoa muito honesta, mas que não se entregou a Jesus, está salva? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES 1 - Salvo de que? Você se aproxima de alguém e pergunta: "Você está salvo?" Creio que se a pessoa não for religiosa, irá lhe responder mais ou menos assim, com espanto: "Salvo de que? Eu não estou morrendo afogado nem estou em um prédio em chamas..." Em primeiro lugar, estar salvo é ter direito demorar no Céu após a morte, e/ou quando Jesus voltar para buscar o Seu povo. A Bíblia diz que existe o Céu e o inferno. Aquele que não recebeu a Jesus como Senhor e Salvador, irá passar a eternidade no inferno. Então, ser salvo é ser salvo do inferno, é ter direito a morar no Céu com Jesus eternamente. Esta é a maior esperança da vida cristã, conforme os textos abaixo: "Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor." Filipenses 1:21,23. "Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens." 1 Coríntios 15:19.
  • 3. Em segundo lugar, estar (ou ser) salvo, não nos isenta dos conflitos do presente, não significa viver uma vida sem problemas. Mas, nos coloca em uma posição privilegiada diante dos conflitos, pois temos de Deus, pelo poder do Espírito Santo, uma capacitação especial para enfrenta-los. Leia o que diz Romanos 8:35-39: "8.35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? 8.36 Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. 8.37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. 8.38 Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, 8.39 nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor." 2 - O que precisamos fazer para sermos salvos? Deus já fez a parte dEle para nos salvar, e sabemos o quanto Ele é poderoso e fiel para cumprir a sua Palavra em nós. Mas o que será que necessitamos fazer para sermos salvos? 2.1 - Reconhecer que somos pecadores. Pecado não é só matar, roubar ou adulterar. O pecado pode ser até através de um simples pensamento. "Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela." Mateus 5:28 2.2 Entender que o salário do pecado é a morte. Morte física (1 Coríntios 15:25), e morte espiritual, que é a eterna separação de Deus (Mateus 25:41). "Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés." 1 Coríntios 15:25. "Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos." Mateus 25:41. "porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor." Romanos 6:23. "Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus." João 3:18. 2.3 - Compreender que Jesus é o único caminho. “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” João 14:6. “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” 1 Timóteo 2:5. 2.4 - Humilhar-se, arrependendo-se dos pecados cometidos, pedindo perdão a Deus em nome de Jesus. “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1 João 1:8-9.
  • 4. “Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais. Então, Jesus lhe disse: Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.” Lucas 19:8-10. “Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus. Seguindo eles caminho fora, chegando a certo lugar onde havia água, disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que seja eu batizado? Filipe respondeu: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. Então, mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco.” Atos 8:35-38 2.5 - Convidar Jesus para ser Senhor da sua vida, para dirigir sua história através de uma vida de oração sincera, um convite. “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.” Apocalipse 3:20. 2.6 – Dispor-se a segui-Lo incondicionalmente, com um novo comportamento, lutando contra o pecado, procurando engrandece-Lo em tudo. “Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar- te-ei a coroa da vida.” Apocalipse 2:10. “Portanto, se, depois de terem escapado das contaminações do mundo mediante o conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, se deixam enredar de novo e são vencidos, tornou-se o seu último estado pior que o primeiro. Pois melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho da justiça do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes fora dado. Com eles aconteceu o que diz certo adágio verdadeiro: O cão voltou ao seu próprio vômito; e: A porca lavada voltou a revolver-se no lamaçal.” 2 Pedro 2:20-22. 3 - Como eu posso ter certeza de que estou salvo? “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” João 3:3. O novo nascimento é o início desta nova vida com Jesus. Quem já tomou esta decisão está salvo, tem a vida eterna garantida pelo sacrifício de Jesus e sua ressurreição. É maravilhoso ser um salvo em Cristo! Mas, muitas vezes o nosso adversário irá sussurrar em nosso ouvido que “não estamos salvos coisa nenhuma”, que “isto é presunção nossa”, ou que “Deus não nos ama”. Ele não pode roubar nossa salvação, por isso tenta enganar os eleitos de Deus. Não confunda a certeza de sua salvação com seus sentimentos. Há dias em que estamos mais alegres: dia do pagamento, ou quando tudo está bem em casa, etc. Outros dias temos motivos para chorar: doença, morte, etc. Os sentimentos são instáveis, mudam facilmente. Nestes dias de dor, parece fugir a alegria da salvação, mas mesmo nesses dias ela continua garantida pela Palavra de Deus. Apegando-nos a essa fé encontraremos forças para vencer todas as tristezas e frustrações da vida. A nossa salvação é fonte de alegria. Portanto, estamos salvos não pelos nossos sentimentos, mas porque Deus prometeu salvar todo aquele que nEle crê.
  • 5. O pecado não tira a salvação do crente, pode tirar sim, momentaneamente, a alegria da salvação. “Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário.” Salmos 51:12. Não tira a nossa salvação porque quando Jesus segura a nossa mão, Ele jamais solta. “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora.” João 6:37. “Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque Ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.” Hebreus 13:5. Decore os textos bíblicos que apresentam essa garantia. O diabo aproveita nossa falta de conhecimento bíblico para lançar dúvidas. Quando você comprar uma casa, em dias de chuva ou de sol, você tem direito a ela. Se alguém chegar lá e disse que você não é o dono, como você provará que é? Você vai na gaveta e apanha a escritura da casa – esse é o documento de garantia. Assim também, quando o diabo vem sussurrar em nosso ouvido que não temos direito ao Céu, apanhamos a Escritura – a Bíblia. Nela está nossa garantia. “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus.” 1 João 5:11-13. 4 - E o pecado? Todos os pecados que cometemos no passado Deus perdoou por completo. “Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais me lembrarei.” Jeremias 31:34. “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” Romanos 8:1. Somos tentados. Até Jesus foi tentado a pecar, mas resistiu. Ser tentado não quer dizer que somos fracos, ou que Deus nos abandonou. E se cairmos, Ele nos erguerá. “O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão.” Salmo 37:23,24. A diferença entre o crente e o ímpio não é que o crente não peca. A diferença é que o crente luta contra o pecado, e quando peca, arrepende-se, sente tristeza no coração por causa do pecado, o Espírito Santo lhe revela que pecou, e então ele humildemente confessa e recebe o perdão de Deus. Já o ímpio peca, gosta e quer pecar cada vez mais. “Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e Ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.” 1 João 2:1,2. “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” 1 Coríntios 10:13. 5 - E as boas obras? Se você entrasse no Céu e alguém perguntasse por que você entrara ali, o que você responderia? “Eu fui um bom filho, dei esmolas, não matei nem roubei”? É necessário
  • 6. compreender que temos o dever de praticar as boas obras, contudo ninguém entrará no Céu pelo que fez ou deixou de fazer, mas sim pelo que JESUS fez na cruz do calvário. Se fosse pelo que fazemos, Ele não precisaria ter morrido naquela rude cruz. Guarde inicialmente este grande princípio: as boas obras são essenciais na vida do crente, mas elas não salvam ninguém. A salvação é consequência do agir de Deus em nós, produzindo fé e transmitindo graça, capacitando-nos a crer na Bíblia Sagrada e transformando nosso ser: coração, mente, emoções, ações, caráter, enfim, tudo! Por isso as boas obras se fazem necessárias, porque sem elas não temos provas de que a nossa vida mudou, e se a nossa vida mudou, se a nossa fé não produz obras, ela é vã, inútil, morta, falsa. “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Efésios 2:8-10. “Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta.” Tiago 2:26. As boas obras demonstram gratidão e louvor ao Senhor que nos salvou. CONCLUSÃO Se você morrer hoje (não queremos que isso aconteça, Deus é quem sabe), você vai para o Céu? Por quê? A melhor resposta é esta: - Eu vou para o Céu porque Jesus morreu na cruz para me salvar. E sou dEle, e a Bíblia garante essa salvação”. E as pessoas que passaram pela Igreja e hoje não querem mais nada com o Evangelho? Elas perderam a salvação? Nem todos que estão na Igreja são verdadeiramente salvos, isto é, nem todos têm um compromisso real com Jesus. “Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos.” 1 João 2:19. Há os que estão na Igreja por causa do namoro, ou obrigados por seus pais, ou porque não tem outra coisa para fazer, ou empolgação, porque a Igreja está cheia, numa fase boa, porque simpatizam com o pastor, etc. Precisamos definir: estou na Igreja por causa de Jesus? Já me arrependi dos meus pecados? Já recebi a Jesus como meu único e suficiente Senhor e Salvador? Que a sua resposta seja um bom e sonoro: SIM!!!
  • 7. LIÇÃO 2 PROFESSANDO A FÉ LEITURA SEMANAL Domingo: Marcos 3:1-6 Segunda: Mateus 10:24-33 Terça: Marcos 8:34-38 Quarta: Atos 1:6-11 Quinta: Romanos 10:9-15 Sexta: 1 João 2:22-26;4:15 Sábado: Atos 4:5-21 PARA DECORAR “Portanto, todo aquele que Me confessar diante dos homens, também Eu o confessarei diante de Meu Pai, que está nos céus.” Mateus 10:32. CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Para ser um membro COMUNGANTE (maior) da Igreja, é preciso fazer a Pública Profissão de Fé, isto é, quem já foi batizado na infância em uma Igreja Evangélica. Quem não foi batizado na infância em uma Igreja Evangélica, no ato da Profissão de Fé, também é batizado. MEMBRO NÃO COMUNGANTE É aquele que tem menos de 18 anos e somente foi batizado na infância, que ainda não fez a Profissão de Fé. Ele está no rol da Igreja até esta idade, sob a responsabilidade de seus pais ou tutores. Ao completar 18 anos, estará civilmente capacitado para responder por seus atos, e se ainda não tiver tomado a sua decisão, será desarrolado. MEMBRO COMUNGANTE É aquele que já foi batizado e fez a Pública Profissão de Fé, o qual está arrolado na Igreja, gozando de todos os direitos e tendo todos os deveres dentro da comunidade. 1 – QUANDO SE DEVE FAZER A PÚBLICA PROFISSÃO DE FÉ? Após aceitar ao Senhor Jesus como seu Salvador e Senhor, arrependendo-se de seus pecados, devemos também, com certa urgência, nos tornar membros da Igreja, que é a Noiva de Cristo (Jo 3:29; Ap 21:2), o Corpo de Cristo (Rm 7:4; 1 Co 6:15). Uma preparação antes, para que se tenha melhor consciência do passo a ser tomado é de suma importância, mas creio que ela não deve demorar mais que seis meses. É bom saber que nunca vamos estar completamente “puros” nesta vida, isto é, totalmente isentos de tentações e algumas quedas, por menores que sejam. E é bom (menos pior) que sejam “pequenas quedas” mesmo porque aquele que vive pecando não conheceu a Cristo, isto é, não se converteu de verdade (1 Jo 3:6,9). Será impossível também, sabermos detalhadamente todo o conteúdo da Bíblia, ela sempre será nosso objeto de estudo e reflexão, pois é uma fonte eterna
  • 8. de conhecimento, sabedoria e revelação de Deus. A vida cristã é uma caminhada em direção à santificação, e sempre uma renovação do conhecimento. Estou dizendo isto, porque alguns estão sempre retardando muito a sua decisão, dizendo que ainda não estão preparados. Creio que a justificativa melhor seria que ainda não querem se envolver definitivamente com o Senhor Jesus, tendo-O como Senhor de suas vidas. Uma grande maioria, após os 14 anos, já tem consciência de seus atos, do pecado, e da necessidade do Salvador em suas vidas. Já é hora de tomar uma decisão. A Bíblia muito nos fala acerca da urgência desta decisão (Lc 12:20; Jo 9:4). 2 – POR QUE FAZER A PROFISSÃO DE FÉ Precisamos mostrar às pessoas que não nos envergonhamos do nosso compromisso com Jesus, e isto começando na Igreja. A obediência à vontade de Deus é essencial na vida de todo aquele que nEle crê, e a sua vontade é que todo que nEle crer seja batizado (Mt 28:19; Mc 16:16). Isto é um princípio bíblico, releia estes textos com toda atenção: Mt 10:32,33; Mc 8:38; At 1:8; Rm 10:9,10. Precisamos definir nossa identidade na sociedade e na Igreja, isto é, se somos do grupo tal ou não, nesse caso a Igreja, se somos ou não membros dela, se fazemos parte ou não do Corpo de Cristo. Isso implica em assumirmos certos compromissos: se a comunidade pode contar conosco ou não. Isto acontece quando fazemos a nossa Pública Profissão de Fé, e somos recebidos e apresentados publicamente à Igreja como membros dela. UMA OBJEÇÃO QUE ALGUNS USAM Alguns dizem que o ladrão da cruz, que estava ao lado de Jesus, arrependeu-se e não precisou ser batizado ou frequentar Igreja (Lc 23:40-43). Ele não fez isto porque não pôde descer da cruz, ele morreu ali mesmo, ao lado de Jesus. Se tivesse saído de lá, creio que iria agregar-se aos primeiros cristãos e seria batizado no primeiro batismo da história da Igreja (At 2:41). Quem tem a oportunidade não deve desperdiçá-la. Mas considere que o ladrão da cruz somente não pôde ser batizado, mas publicou a sua fé diante de uma grande multidão no Calvário, confissão essa que ficou registrada e é relembrada e recontada através dos séculos. 3 – PRIVILÉGIOS DOS MEMBROS COMUNGANTES DA IGREJA Participar da Santa Ceia (estudaremos os sacramentos – Batismo e Santa Ceia – numa lição exclusiva sobre o tema). - Votar e ser votado para cargos de liderança na Igreja, e sobre assuntos administrativos, quando para isso for convocado. - Gozar de todo o apoio da Igreja quando se fizer necessário: espiritual, material e físico, etc. 4 – DEVERES DO MEMBRO COMUNGANTE Viver de acordo com a doutrina e prática das Escrituras, dando um bom testemunho, pois estará representando Jesus e a Igreja. - Sustentar a Igreja FISICAMENTE com sua participação aos Cultos e Reuniões; ESPIRITUALMENTE com suas orações, e MATERIALMENTE com suas doações, dízimos e ofertas. - Obedecer às autoridades constituídas pelo Senhor para dirigir a Sua Igreja, enquanto elas
  • 9. permanecerem fiéis às Sagradas Escrituras. 5 – É PRECISO BATIZAR DE NOVO AO FAZER A PROFISSÃO DE FÉ? São batizados no ato da Profissão de Fé somente os que não foram batizados na infância, ou que foram batizados em igrejas não reconhecidas pela IPB (IMPD – Igreja Mundial do Poder de Deus; IURD – Igreja Universal do Reino de Deus) e em igrejas não evangélicas. Exemplo: quem foi batizado diante de imagens é novamente batizado. 2 Co 6:16,17 e tantos outros textos nos mostram o repúdio e a ira de Deus para com as imagens. Quanto aos adultos que já foram batizados em outras Igrejas evangélicas, nós não batizamos de novo, apenas exige-se que se faça a Profissão de Fé. 6 – A PERSEGUIÇÃO NÃO DEVE IMPEDIR A SUA DECISÃO É bem verdade que para fazer o mal não encontramos muita oposição, por que o mundo jaz no maligno (1 Jo 5:19), o mundo é mal em sua essência. Mas quando contrariamos a lei do mundo e caminhamos na direção do bem, encontraremos muitas barreiras, por exemplo: perseguição no lar, zombaria no trabalho, na escola, etc. Pessoas que outrora nos apoiavam e que agora riem ou lutam contra nós, somente porque agora somos de Jesus. Veja com atenção estes textos: At 4:18-21; Mt 5:11,12. CONCLUSÃO Há uma grande satisfação interior quando deixamos a posição de simples visitantes e frequentadores da Igreja, e temos uma definição, assumindo uma posição séria e responsável na Igreja de Cristo. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – Se alguém lhe disser: “Eu sou cristão, Deus sabe, e ninguém mais precisa saber”. O que você diria a tal pessoa? 2 – O que é mais correto: colocar primeiro a vida em ordem e depois fazer a Profissão de Fé, ou primeiro fazer a Profissão de Fé e aos poucos ir colocando a vida em ordem? 3 – Quais as perseguições mais comuns na vida daqueles que se dispõem a seguir Jesus?
  • 10. LIÇÃO 3 A BÍBLIA PARA DECORAR - “Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.” Hebreus 4:12. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – O que fazer quando não se está entendendo o texto lido na Bíblia? 2 – Qual o texto bíblico que mais chamou a sua atenção nos últimos dias, e por quê? 3 – Quais os empecilhos para a leitura diária da Bíblia? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Durante um bom período da história, o uso da Bíblia foi proibido, sendo permitido apenas para os líderes, os quais formulavam as leis para a igreja, como queriam. Após a Reforma Protestante, promovida por Martinho Lutero, os protestantes passaram a usa-la, divulga-la e traduzi-la para todos os idiomas. Até bom pouco tempo, aqui mesmo em nosso país, Bíblias foram confiscadas e perseguidos todos os que as usavam. Hoje, muitos têm descoberto a importância de seu uso. A Bíblia foi o primeiro livro a ser impresso, e até hoje é o livro mais vendido no mundo. SUA ORIGEM A Bíblia foi escrita por homens santos, inspirados por Deus aproximadamente por 36 autores, em 16 séculos e em vários estilos literários (2 Pedro 1:21). Em 1546, no Concílio de Trento, mais 7 livros foram acrescentados aos 66 já existentes. Pelo fato de seu conteúdo não concordarem com os demais ensinamentos dos outros, e pelo fato de não constarem do original, não foram aceitos como canônicos, são os chamados “livros apócrifos”. Veja Apocalipse 22:18-19. O MOTIVO Deus nos deu a Palavra escrita, para nos ensinar, repreender, corrigir, educar na justiça, e nos tornar perfeitos e habilitados para toda boa obra – 2 Tm 3:16,17. Através da Palavra de Deus temos esperança para vencer os desafios da vida – Rm 15:4. Devemos ler a Bíblia, para que através dela conheçamos e creiamos em Jesus Cristo, o filho de Deus, e crendo tenhamos vida em Seu nome – Jo 20:31. SUA SUFICIÊNCIA A Bíblia é completa, não precisamos de mais livros ou de tradições para completar o conteúdo de suas verdades – Dt 4:2; Gl 1:8; Ap 22:18,19. SUAS DIVISÕES Ela é composta de 66 livros, sendo 39 no Velho Testamento e 27 no Novo Testamento. O VT (Velho Testamento) apresenta o período histórico antes do nascimento de Jesus e seu ministério. No NT (Novo Testamento) encontramos o período posterior. A organização em capítulos e
  • 11. versículos não consta nos originais sagrados, mas foi feita pelos tradutores e estudiosos da Bíblia, para facilitar o seu conhecimento e estudo. ALGUNS MOTIVOS PELOS QUAIS DEVEMOS LER A BÍBLIA 1 – Torna o crente mais forte – 1 Jo 2:14; Sl 119:28. Centenas fracassam por negligenciarem a leitura da Bíblia. 2 – Fortalece em nós a certeza da nossa salvação – 1 Jo 5:13. A dúvida é diabólica, mas à medida que lemos a Palavra de Deus, nos apropriamos da certeza da posse da vida eterna com Deus. 3 – Faz-nos sentir a purificação dos pecados – Jo 15:3; Sl 119:9-11. Alguém escreveu na capa de uma Bíblia esta dedicatória: “Este livro o afastará do pecado, ou o pecado o afastará deste livro”. 4 – Dá-nos alegria, paz e esperança – Jo 15:11. Ao lermos um jornal vemos crimes e crises, na Bíblia, promessas e esperança. 5 – Enche o nosso coração de confiança e poder na oração – Jo 15:7. A confiança aumenta dentro do nosso coração quando lemos as promessas de Deus, e quando vemos exemplos de homens de oração como Elias, Josué, Daniel, etc. 6 – Orienta-nos nas decisões da vida – Sl 119:105. 7 – Garante o nosso sucesso se agirmos de acordo com a vontade de Deus – Js. 1:8; Sl 1:1-3. 8 – Ela é o nosso alimento espiritual – 1 Pe. 2:2. 9 – Satisfaz os anseios existenciais da mente humana, em busca da verdade – Jo 14:6. 10 – Transmite-nos a sabedoria de Deus – Sl 119:98-100; Pv. 2; Tg 1:5; 3:17. COMO LER A BÍBLIA 1 – Encontre um lugar calmo e tranquilo, talvez o seu quarto, escritório, etc., longe do ruído da televisão, onde você possa concentrar-se e prestar atenção na leitura que vai fazer. 2 – Ore antes de começar a ler, confesse seus pecados e peça a iluminação do Espírito Santo. 3 – Tenha sempre a expectativa de que Deus fale ao seu coração – Sl 119:18. Ore pedindo isso a Deus. Lembre sempre que a Bíblia é um livro sobrenatural diferente de todos os demais livros. 4 – Leia fazendo as seguintes perguntas: o que Deus quer da minha vida nesse trecho lido? Há aqui alguma ordem, recomendação ou promessa específica para a minha vida? 5 – Leia com disposição de obedecer – Tg. 1:22. 6 – Marque com lápis o que chamou a sua atenção. Uma Bíblia bem marcada é melhor aproveitada. 7 – Tenha uma caderneta de anotações onde você poderá anotar as suas dúvidas e também bênçãos que o Senhor lhe conceder durante a leitura da Bíblia. Marque sempre o dia. 8 – Diariamente. Não almoçamos 7 vezes no domingo. Não leia a Bíblia só aos domingos. 9 – Sistematicamente. Se ler três capítulos por dia e cinco aos domingos, você conseguirá ler a Bíblia toda em um ano. Não leia a Bíblia de qualquer modo, não tente tirar a sorte na Bíblia, aprenda a ler os livros da Bíblia do começo ao fim. Não comece a leitura pelo livro do Apocalipse, se desejar siga o método de leitura da Sociedade Bíblica do Brasil que publicamos em nosso boletim semanal, e no final dessa página. Se preferir leia um livro do VT e um do NT, por exemplo, Gênesis e Mateus, e siga a sua sequência de leitura. Se não conseguir ler 3 capítulos diários, leia pelo menos 1, mas não pare de ler a Bíblia. É comum que as pessoas se desanimem da leitura bíblica depois de um tempo, mas é sempre importante e necessário retomar a leitura de onde parou. O inimigo vai tentar de todos os modos nos afastar da leitura bíblica, pois ele sabe que nela encontramos poder para vencer os seus ardis e livramento de suas ciladas. Portanto, perseveremos em ler e conhecer cada vez mais a Palavra de Deus. 10 – Com paciência. Medite na Palavra, procure entender o que está lendo, a pressa não deixará você entender o sentido das palavras. 11 – Repetidamente. A cada leitura você descobrirá uma lição diferente e nova para a sua vida, um significado mais profundo das verdades eternas que o Senhor sempre te dará. 12 – Com entendimento. Se não compreender alguma coisa que leu, anote e procure ajuda com o
  • 12. pastor, o professor da EBD, ou um presbítero, mas não fique na dúvida quanto ao que leu, busque sempre o entendimento. CONCLUSÃO 1 – Leia a Bíblia. 2 – Leia com quem não souber ler. Marque um horário para ajuda-los. 3 – Não se envergonhe de carregar a sua Bíblia. Ela é a nossa arma e o nosso escudo. Se você não tem, procure adquirir uma com urgência dando preferência para a versão Revista e Atualizada que é a que usamos em nossa denominação. Se não puder comprar, procure o pastor. LIÇÃO 4 A ORAÇÃO TEXTO BÁSICO – FILIPENSES 4:6 “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.” LEITURA SEMANAL Atos 4:23-31; Mateus 6:9-13; Mateus 26:36-46; Romanos 8:26-28; Lucas 18:9-14; Daniel 6; Mateus 7:7-11. CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Como filho de Deus, você precisa conversar com seu Pai Celestial. Mesmo sentindo que não sabe falar com Ele, ou, não sentindo vontade de falar com Ele, ORE! Ele terá prazer em ouvir e responder. O Espírito Santo lhe ajudará a orar como convém (Rm 8:26). - Ore sozinho, diretamente ao Pai. Faça seu culto pessoal diário (Mateus 6:6). - Ore na Igreja e nas reuniões, com os irmãos (Mateus 18:20; Marcos 11:17). - Ore em todo tempo, no trabalho, andando, viajando, etc. (1 Tessalonicenses 5:17). ALGUNS EMPECILHOS À ORAÇÃO 1 – Egoísmo – pedir por vaidade (Mateus 20:21-22; Tiago 4:3). 2 – Pecado – escondido e agasalhado no coração (Isaías 59:1,2). 3 – Discórdia – falta de perdão (Mateus 5:23,24; 6:12-15). 4 – Incredulidade – falta de fé. Se não cremos, por que orar? (Tiago 1:6,7). ALGUNS INGREDIENTES IMPORTANTES À ORAÇÃO O mais comum é enchermos nossas orações de pedidos. Mas vejamos outros assuntos importantes para conversarmos como Pai. 1 – Confissão dos pecados – não vamos tentar esconder nada de Deus, pois Ele tudo vê. Peça perdão e diga para Ele se fracassou, e onde precisa ser ajudado, diante das tentações (Jó 34:21; Eclesiastes 11:9). 2 – Adoração – exaltação à grandeza de Deus. É quando dizemos para Deus que nós O amamos pelo que Ele é, e não simplesmente pelo que Ele faz (Isaías 6:3). 3 – Louvor – ação de graças. Este sim é o reconhecimento por Suas obras, na natureza e em nossas vidas, etc. Devemos louvá-Lo até pelas dores, pedras e espinhos do caminho, pois eles têm um bom propósito na vida do cristão, que é a purificação de nossas vidas e fortalecimento de nossa fé (1 Tessalonicenses 5:18).
  • 13. 4 – Intercessão – orar por si mesmo, por sua família, pela Igreja, por sua cidade, pelo Brasil, etc. (1 Timóteo 2:1; Tiago 5:16). 5 – Pedidos pessoais – todos nós carecemos constantemente da ajuda de nosso Deus, por isso a Bíblia nos admoesta a estarmos sempre na presença do Senhor (Mateus 7:7; 1 Pedro 5:5). 6 – IMPORTANTE: orar somente EM NOME DE JESUS – não existe nenhum outro mediador entre o homem e Deus, senão Jesus Cristo. E para pedirmos em nome de Jesus não precisamos de nenhum outro “assessor” ou “secretários” no Céu. Não existe isso na Bíblia, ela nos manda só clamarmos EM NOME DE JESUS (João 14:14; 16:24; Hebreus 10:19;22). QUAL A POSIÇÃO CERTA PARA A ORAÇÃO? Sendo sincero e humilde, isso é o mais importante. A Bíblia fala de pessoas que oraram em pé, de joelhos, deitados, etc. Cremos que quando nos ajoelhamos, sentimos o quão pequenos somos e a grandeza de nosso Deus, e isso pode nos trazer grande prazer espiritual. No entanto não podemos dizer que Deus só ouvirá a oração se for feita de joelhos, não se trata de uma regra imposta por Deus, mas algo que fazemos espontaneamente. Não adianta dobrar os joelhos se o coração não estiver prostrado diante do Senhor. Cremos que cada situação requererá de nós a posição correta, por exemplo, se estiver na igreja ou em uma reunião de oração é melhor ficar de pé do que sentado, em sinal de reverência. No seu culto doméstico, na intimidade com a família já é diferente, não haveria problema em orar assentado, de pé ou de joelhos. Em um culto público, por exemplo, temos o costume de nos colocarmos de pé ao orar. Como já foi dito, Deus olhará para o nosso coração, mas se você sentir vontade de ajoelhar-se perante Deus, esqueça-se de quem está te olhando e ajoelhe-se, é o seu culto, o seu louvor pessoal a Deus. Mas faça-o com humildade e jamais para parecer aos outros que você é espiritual, ajoelhar-se é atitude de um humilde súdito diante do Rei da Glória, mas a humildade também é demonstrada quando oramos de pé, por exemplo. A humildade é uma atitude de vida. NATURALIDADE E MERAS REPETIÇÕES Já pensaram vocês se uma criança crescesse apenas falando uma frase decorada para seu pai: “Papai, me dá mamadeira”, e toda hora que conversasse com o pai só falasse isso? Seria horrível (Mateus 6:7). Ore com naturalidade. Orar é conversar com Deus. Use suas próprias palavras. Cada um tem a sua própria maneira de se expressar. Não procure imitar a outros e nem fique repetindo palavras vazias ou decoradas. A oração conhecida como do “Pai Nosso”, que Jesus ensinou a seus discípulos, é um bom modelo. Porém, a sua repetição sem reflexão, nenhum benefício traz à vida humana. ORE ENTREGANDO TUDO Já entregou suas ansiedades, seus problemas, suas dúvidas, com fé, diante de Deus? Deixe o assunto com Ele (Mt 6:10). Creia sempre que a vontade de Deus será melhor para você (Mt 7:9- 11; Rm 8:28). ORAÇÃO E JEJUM Algumas vezes fará bem orar em jejum (Marcos 9:29), isto é, abster-se de alimento por um período de tempo. Na Bíblia, vários textos apresentam esta prática, algumas vezes com pequena duração. Inicialmente é aconselhável que seja por breve tempo, e que seja sempre acompanhada pela oração e leitura da Bíblia. CONCLUSÃO Os pensamentos abaixo são fortes desafios para a nossa vida de oração: “Ninguém ora certo vivendo errado”; “Muita oração, muito poder. Pouca oração, pouco poder. Nenhuma oração, nenhum poder”; “O diabo pode rir de nossos projetos e zombar de nossos esforços, mas treme quando oramos”.
  • 14. LIÇÃO 5 A IGREJA PARA DECORAR - HEBREUS 10:25 “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” LEITURA SEMANAL Neemias 8:1-12 Romanos 12:1-8 Salmos 133 Efésios 4:1-6 Atos 2:42-47 Salmos 84:1-12 Lucas 2:41-52 PERGUNTAS PARA DEBATE 1 - Quais as desculpas que você mas ouve de pessoas que tentam justificar a ausência da Igreja? 2 - Qual a área que você gostaria de trabalhar na Igreja, para a edificação da mesma? O que você pode fazer para melhorar a sua Igreja? 3 - O que você acha de mais positivo na sua Igreja? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Um dos grandes privilégios que nós desfrutamos como filhos de Deus é o de pertencermos à sua família, que é composta de muitos irmãos em Cristo. A comunidade dos salvos, a reunião do povo de Deus é mais conhecida pelo nome de Igreja. 1 – A Igreja não tem um cabeça humano, pois Jesus é o Cabeça da Igreja (Ef 5:23). 2 – Não é somente uma organização, mas muito mais que isso, a Igreja é um organismo vivo, o Corpo de Cristo (Cl 1:24). 3 – É a agência propagadora da mensagem de Deus na Terra (Ef 3:9-10). Para evangelizar os incrédulos e edificar os cristãos (Mc 16:15). NO VELHO TESTAMENTO Encontramos vários textos, como em Ne 8:1-12, apresentando a reunião do povo de Deus. Nos dias de Moisés, Deus exigiu que fizessem um tabernáculo móvel, que seria montado em todas as paradas do povo, peregrino pelo deserto, e, seria um local de culto e de adoração. Nos dias do reinado de Salomão, ele resolveu construir a casa ao nome do Senhor (2 Cr 2:1ss), a alegria do povo de Deus estar na casa de Deus é descrita no Sl 122:1. NO NOVO TESTAMENTO Jesus, desde a infância aparece frequentando o templo (Lc 2:46,47), onde O vemos mais tarde ensinando e pregando a Palavra de Deus (Mt 4:23), realizando milagres (Mt 12:9-13), zelando por
  • 15. sua purificação (Jô 2:13-17), etc. No livro de Atos, nos registros da Igreja Primitiva, também os encontramos sempre reunidos, como em At 2:46 “Diariamente perseveravam unânimes no templo...”. Nos dias da cruel perseguição, pelos governantes da época, é comum vermos o povo de Deus reunido nas casas, como escreveu Paulo aos Romanos: “saudai igualmente a igreja que se reúne na casa deles.” Rm 16:5a. Testemunhos históricos afirmam que se reuniam também nas catacumbas de Roma, naquela época difícil. HOJE É comum nos reunirmos em um templo porque há mais espaço e comodidade para todos os membros e visitantes. Também porque há liberdade para a construção dos mesmos em nosso país. IMPORTANTÍSSIMO PARA UMA ADORAÇÃO COMUNITÁRIA PERFEITA Ser assíduo – constância na participação de todos os trabalhos. A Igreja Primitiva reunia-se diariamente (At 2:46,47). Ser pontual – se procuramos ser pontuais nos trabalho, na escola, etc., porque não na Igreja? (Jr 48:10). Ser reverente – entre e ore. Evite roupas escandalosas e conversas fora de hora (Hc 2:20). Ser participante – não seja somente assistente, leve a Bíblia, cante, ore, leia, ouça... (At 20:9). OS ARGUMENTOS CONTRÁRIOS E CONTRA-ARGUMENTAÇÃO “O ladrão da cruz não frequentou igreja e foi salvo” – considere que ele estava morrendo. Se pudesse sair daquela cruz, certamente iria frequentar aos cultos da Igreja Primitiva. “Igreja não salva” – é verdade, mas é na Igreja que conhecemos acerca da salvação em Jesus, onde nos alimentamos espiritualmente, somos edificados, batizados, fazemos nossa Pública Profissão de Fé, amadurecemos e vemos nossos filhos sendo abençoados e aprendendo as verdades da Palavra de Deus. “Lá há pessoas piores que eu” – onde está o ser humano, ali está o erro. Jesus veio para os pecadores, a Igreja é comparada a um hospital. Há lugares piores que ela, e os que usam este argumento, geralmente os frequentam sem receio. Ninguém deve ir à igreja para observar a vida alheia, e sim olhar para Jesus. Se eu encontrar um pacote de 10 notas de 100 dólares cada, e uma dessas for falsa e as outras verdadeiras, não devo jogá-lo fora, simplesmente considerando a nota falsa. “Posso ser cristão em casa” – pode e deve, mas uma andorinha sozinha não faz verão, e uma brasa tirada da fogueira rapidamente se esfria e apaga. A unidade da Igreja faz muito bem à nossa fé, apesar de quaisquer defeitos que a Igreja possa ter, inclusive os nossos próprios (Rm 3:23). SIMPLES OBSTÁCULOS QUE PODEM NOS AFASTAR DESSE PRIVILÉGIO * Visitas na hora de sair – ensine-as o valor de ir à Igreja. * Diversão, sociabilidade, clubes (afinal não sou de ferro!) – lembre-se que a prioridade é o Reino de Deus (Mt 6:33), e especialmente aos domingos, que é o Dia do Senhor.
  • 16. * Chuva, sol quente, frio, ventania – se vamos ao trabalho ou à escola, em qualquer estação, por que não à Igreja? * Doenças simples, como uma dorzinha de cabeça – venha com ela e se esquecerá dela, e poderá até ser curado. * Crianças pequenas – elas também precisam aprender, desde cedo, sobre este privilégio (Lc 1:41; 2:40). * Não sinto vontade de ir hoje! – não seja guiado pelos sentimentos, eles podem levá-lo à ruína e ao inferno (Jr 17:9). CONCLUSÃO Nós é que precisamos da Igreja, e não a Igreja que precisa de nós (2 Co 11:2). É importante frisarmos isto, pois alguns acham que quando saem da Igreja, fazem mais falta a ela do que ela a ele. Ainda mais: congregar não é opcional, é uma ORDEM: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” Hb 10:25. Um forte testemunho que damos para os incrédulos é a nossa unidade, o fato de valorizarmos a reunião do povo de Deus, e o desejo de estarmos sempre juntos (Sl 133; Jo13:35). LIÇÃO 6 O TESTEMUNHO LEITURA SEMANAL Domingo Salmo 1:1-6 Segunda Mateus 5:13-16 Terça Josué 3:1-6 Quarta 1 Coríntios 6:12-20 Quinta 2 Coríntios 6:14-7:1 Sexta Mateus 18:6-9 Sábado Mateus 18:15-20 TEXTOS BÁSICOS “Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa.” Mateus 5:13-16. “Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus.” 3 João 11. PERGUNTAS PARA DEBATE 1. A afirmativa: “o que importa é a minha vida com Deus, não tenho que dar satisfação a
  • 17. ninguém”, procede ou é incoerente? 2. Quais os comportamentos cristãos mais criticados pelos ímpios? 3. É possível uma pessoa viver intimamente com Jesus, e ser escrava do vício? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES 1 – Sou um representante de Jesus e de sua Igreja. A partir do momento que assumo o compromisso com o Reino de Deus, tenho que zelar com mais cuidado de minhas atitudes, pois estarei sendo seu representante aqui na Terra. O nome de Deus e o da Igreja podem ser desvalorizados a partir do momento em que afirmo que sou cristão e vivo como se não o fosse (Rm 2:24). Assim, a evangelização é prejudicada, pois não adianta convidarmos nossos queridos para nos seguirem, se o que cremos não alterou a nossa vida. 2 – Alguns pecados são mais notórios e levam a juízo. Foi o que disse o apóstolo Paulo (1 Tm 5:24). Isto é: tem comportamento que escandaliza mais que outros. Por exemplo: os ímpios não estão acostumados a ver um cristão “suicidando-se” com o cigarro. Ver uma pessoa fumando é mais fácil do que ver uma pessoa com o coração cheio de inveja. A inveja é um pecado horrível, mas não se manifesta com facilidade, como outros tipos de comportamento nocivos e contrários à Palavra de Deus. Mt 18:6-9 fala-nos da gravidade do escândalo. 3 – Cuidado com o diabo, ele é sutil. Nosso arqui-inimigo aproveita, com facilidade, cada oportunidade para tentar produzir escândalo para o nome de Jesus. Temos que ter cuidado, muita vigilância, para resistirmos ao inimigo. É possível resisti-lo, conforme nos diz Tiago 4:7. SEGREDOS IMPORTANTES A – Fuja das más companhias. No Salmo 1 temos bons conselhos para resistirmos ao pecado, evitando as más companhias: não andando segundo os seus conselhos, não se detendo em seus caminhos, e nem se assentando com os escarnecedores. Há um ditado popular que diz: “quem anda com porco, come farelo, e quem anda com morcego, acaba dormindo de cabeça para baixo”. Um outro dito popular muito sábio também diz: “me diga com quem tu andas, e eu direi quem tu és”. Em 1 Co 15:33 lemos: “As más conversações corrompem os bons costumes”. Faça amizades sólidas no meio do povo de Deus, ande com o povo de Deus. B – Evite o tempo ocioso. Dizem que “mente vazia é oficina de satanás”. Davi caiu em adultério em um dia em que o povo saiu para a batalha, e ele ficou ocioso no palácio. Sem estar trabalhando, ou lendo um bom livro, ou praticando algum esporte, viu uma mulher se banhando e gastando tempo na visão do mal, logo concebeu um plano para pecar (2 Sm 11:1-5). Leia a Bíblia, leia bons livros (cristãos de preferência, peça orientação ao pastor na escolha), estude, trabalhe, etc., mas não deixe a mente vazia. C – Acima de tudo, fortaleça o seu espírito. Na guerra da carne contra o espírito, a carne sempre obterá vitórias, se ela estiver mais alimentada do que o espírito. Leia a Bíblia, ore, participe ativamente dos trabalhos da igreja. Nunca esqueci a história do homem que possuía dois gatos, um branco e um preto. O gato preto era forte e sempre que brigavam o gato branco apanhava muito, sempre saía arranhado, sangrando, humilhado. Um dia, aquele homem resolveu prender o gato preto debaixo de um balaio e ali o deixou sem comida durante dois ou três dias. Para o gato branco ele deu uma super-
  • 18. alimentação. Ao soltar o gato preto, houve uma nova luta, mas desta vez o gato preto foi derrotado. As derrotas e fracassos na vida espiritual, muitas vezes acontecem porque alimentamos mais a carne e menos o espírito. Em 1 Jo 2:14 vemos uma ligação da força com o guardar a Palavra de Deus: “Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o Pai. Pais, eu vos escrevi, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o maligno.” D – A disciplina na Igreja Se a Igreja tolerar o pecado, não o combatendo, ela perde a sua identidade, não glorifica a Deus, e aos poucos, vai morrendo. É necessário que haja disciplina na Igreja, mas feita com amor e misericórdia, tendo como base o que Jesus estabeleceu em Mt 18:15-18. Se você viu um irmão vivendo fora dos padrões estabelecidos pela Palavra de Deus, procure-o isoladamente, para conversar com ele. Ore por ele, procurando ajudá-lo a vencer tal dificuldade. Se ele não o ouvir, convide mais uma pessoa da Igreja para ajudá-lo a ir ter com ele, tentando levá-lo a entender a verdade. Somente depois de um trabalho cuidadoso e pessoal é que o caso deve ser comunicado à liderança da Igreja, para disciplina do mesmo, caso não tenha existido arrependimento. E – Alguns textos que ajudam a entender o “porquê não” Alguns afirmam que não tomam bebida alcoólica, ou não fumam, ou não freqüentam bailes, porque a igreja proíbe, a velha frase “a minha religião não permite”. Mas não é simplesmente assim, na verdade é a Bíblia que nos exorta a evitarmos tais práticas. Vejamos: • Bebidas alcoólicas – Pv 23:29-35; 1 Co 6:9,10. • Fumar é comprovadamente uma forma de suicídio, pois danifica o corpo, como o álcool – 1 Co 6:19,20; 3:16,17. • Jogos de azar – 1 Tm 6:8-10; Hb 13:5,6. • Bailes, o mesmo que orgia, desordem, desperdício – 1 Pe 4:1-6. É o início de outros males (Sl 42:7), pois sempre atrai a prostituição, a bebedeira, as drogas, etc. • Roupas indecorosas. Lembramos que o adultério começa com o olhar impuro, o qual é atraído pela provocação – Mt 5:27,28; 1 Tm 2:9. • Sexo fora do casamento – 1 Co 6:15-18. • Inimizades, ódio – Mt 5:23,24,43-48. CONCLUSÃO É inconcebível a idéia de que um ser humano que esteja com Jesus, ainda viva escravizado pelo pecado, pois em João 8:32-34 encontramos a afirmativa de Jesus: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão e jamais fomos escravos de alguém; como dizes Tu: Sereis livres? Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado.” É necessário buscarmos forças em Deus para podermos brilhar neste mundo pervertido.
  • 19. LIÇÃO 7 OS SACRAMENTOS LEITURA SEMANAL Domingo Atos 16:27-34 Segunda Mateus 26:26-30 Terça 1 Coríntios 11:23-34 Quarta Êxodo 12:1-20 Quinta Gênesis 17:9-14 Sexta Lucas 2:21-24 Sábado Mateus 28:16-20 PARA DECORAR “Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” Marcos 16:16. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – Por que alguns gostam de frequentar as Igrejas Evangélicas sem assumir compromisso, fazendo a Profissão de Fé e sendo batizados? 2 – O ladrão que se arrependeu na cruz, ao lado de Jesus, não foi batizado; isso impediu a sua salvação? 3 – Que benefícios recebem os que participam da Santa Ceia do Senhor? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES 1 – O que é “Sacramento”? “É um sinal visível de uma graça invisível. É uma santa ordenança instituída por Cristo, na Sua Igreja, para significar, selar e confirmar aqueles que estão no Pacto da Graça, os benefícios da mediação de Cristo, para fortalecê-los e aumentar-lhes a fé e todas as mais graças, e obrigá-los à obediência; para testemunhar o seu amor e comunhão uns para com os outros, e para distinguir entre eles e os que estão de fora.” (Catecismo Maior, pg.162). 2 – Quais são? Para as Igrejas Evangélicas, só há dois Sacramentos: o Batismo e a Santa Ceia. São os únicos que aparecem na Bíblia. A igreja católica afirma a existência de mais cinco: confirmação, penitência, confissão, extrema unção, ordem e matrimônio. 3 – Como se originaram? Foram instituídos por Jesus e usados desde o início da vida da Igreja: Mateus 28:19 (Batismo); 1 Coríntios 11:23-25 (Santa Ceia). Ambos existiam antes de Cristo, no Velho Testamento, porém de forma semelhante, sendo obedecidos pelos judeus. A Páscoa, comemorando a libertação do povo judeu que estavam sob o domínio do Egito (Êxodo 12), tem grande identificação com a Santa Ceia do Senhor. E a Circuncisão era o sinal da aliança de Deus com o Seu povo (Atos 17:11), identifica-se com o Batismo que é sinal da Nova Aliança de Deus conosco.
  • 20. 4 – Importante Os Sacramentos não tem valor e si mesmos, ou seja, ser batizado e tomar a Santa Ceia não salva ninguém. Se aplicados a um incrédulo, o Batismo e a Santa Ceia em nada o beneficiariam, pois os mesmos não têm o poder de salvar, muito pelo contrário, quem participa desses ritos sagrados sem sinceridade e fé, indignamente, o fazem para a sua própria condenação (1 Coríntios 11:29). O BATISMO “É o rito de iniciação, Sacramento no qual o lavar com água em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, significa e sela a união do crente com Cristo e a participação das bênçãos do Pacto da Graça, e a promessa de pertencermos ao Senhor.” (Breve Catecismo, pg.94). BATISMO POR ASPERSÃO Existem três formas de batismo: aspersão, efusão e imersão. Aspersão = água gotejada sobre a cabeça do batizando. Efusão = água derramada sobre a cabeça do batizando. Imersão = o batizando é mergulhado na água. Batizamos por aspersão por ser nossa tradição histórica, por crermos que é o modo mais coerente com as Escrituras, além de que é o método mais prático e higiênico. Argumentação bíblica - Atos 2:41 – três mil pessoas foram batizadas em uma região pobre de água. - Atos 9:18 – Paulo foi batizado dentro de casa, simplesmente ficando de pé. Ele não estava sentado dentro de uma piscina ou tanque batismal, e tampouco saiu para ser batizado em algum rio. - Atos 16:25-33 – o carcereiro, em serviço, não poderia deixar seu posto e levar dois prisioneiros fora da cidade, para receber o batismo em um rio. Além disso a cidade toda estava agitada devido ao terremoto e eles seriam vistos. O carcereiro responderia com a sua própria vida em caso de fuga de prisioneiros, tanto que Paulo gritou para que ele não fizesse nenhum mal contra si mesmo (Atos 16:28). - Textos como Números 19:4-13; 18-21; Levítico 14:7; Ezequiel 36:25 e Hebreus 9:19 mostram a águas usada simbolicamente para as cerimônias de purificação e usadas por aspersão. Testemunho pessoal Certa vez, em conversa com um amigo pastor pentecostal, debatendo acerca do Batismo por aspersão, o mesmo argumentava contrariamente dizendo que o mesmo não era válido, no seu ponto de vista. Levantei então a seguinte questão: digamos que uma pessoa que se converteu em sua Igreja deseja ardentemente ser batizado, porém está em um leito de enfermidade, em estado terminal. Essa pessoal jamais poderia ir a um rio ou piscina, o que o amado irmão faria? Negaria ao moribundo a água do batismo? O mesmo então me respondeu que nesse caso ele batizaria por aspersão. Perguntei-lhe então: mas o irmão não acabou de dizer que não é válido? E então o colega pastor terminou por concordar que o batismo por aspersão é válido e que a água é apenas um símbolo. Em outra situação um jovem pentecostal argumentava que o batismo correto é por imersão, porque ao ser batizado sai das águas uma nova criatura e os pecados do velho homem ficam nas águas. Tal pessoa seria então, a partir desse momento, uma livre de seus pecados que agora seriam levados pelas águas do rio. Obviamente esse estava totalmente confuso, pois o que nos purifica dos pecados não é a água, mas o Sangue de Cristo.
  • 21. Respeitamos e aceitamos as outras formas de batismo, por entendermos que a água é usada simbolicamente no ato do Batismo. Porém é necessário que não é a quantidade de água que faz a diferença, mas a participação no Pacto da Graça de Deus, através do novo nascimento e do perdão dos pecados pelo Sangue de Cristo. BATISMO INFANTIL Nós, presbiterianos, batizamos os filhos dos crentes por crermos que eles também fazem parte da Aliança de Deus com o Seu povo. Alguns afirmam que as crianças não podem receber esse Sacramento porque não crêem, mas vemos inúmeras provas bíblicas que lhes asseguram o direito do Reino dos Céus, e que se uma criancinha morrer, não será lançada no inferno. Com disse Jesus: “(…) dos tais é o Reino dos Céus” Mateus 19:14b. Erro hermenêutico Os contrários a este procedimento afirmam que a criança não crê, então não pode ser batizada, usando Marcos 16:16. Porém cometem um erro de hermenêutica ao usarem um texto isolado de seu contexto. Não usamos textos isolados para afirmarmos princípios doutrinários. Quem assim faz incorre no risco das heresias. Por exemplo: em 2 Tessalonicenses 3:10 está escrito que aquele que não trabalha também não coma. Naquele contexto havia aproveitadores que buscavam auxílio da Igreja para receber alimentação, porém não queriam trabalhar. Se esse texto fosse aplicado aos bebês, todos deveriam morrer de fome. Nota-se que o uso de um texto isolado causa sérias distorções quanto ao significado e sentido da revelação divina. Argumentação bíblica Para entendermos o assunto de modo correto, precisamos entender como Deus age para com os filhos dos crentes. - Gênesis 17:12 – a circuncisão era aplicada no oitavo dia de vida. - Atos 2:39 – a herança é para nós e nossos filhos. - Vários textos nos mostram famílias inteiras sendo batizadas. Certamente havia crianças nessas famílias: Atos 10:47-48; 16:15; 16:33; 1 Coríntios 1:16. BATIZANDO DE NOVO O ADULTO Quem já foi batizado em outra Igreja Evangélica não é batizado novamente, mas quem não foi é batizado ao fazer a Profissão de Fé. Não aceitamos o batismo da igreja católica porque inúmeros textos mostram que Deus abomina a idolatria: Deuteronômio 7:25; 11:16; Salmos 115; Isaías 42:8; 2 Coríntios 6:16-17, etc. Por isso não consideramos válido o batismo realizado em um local cheio de imagens e sob suas supostas “bênçãos”. A SANTA CEIA “É um Sacramento no qual dando-se e recebendo-se pão e vinho (“fruto da vide” Lucas 22:18), conforme a instituição de Cristo, anuncia-se a Sua morte (e ressurreição), e aqueles que participam dignamente, não de maneira temporária e carnal, tornam-se participantes do Corpo e do Sangue de Cristo, com todas as Suas bênçãos, para o seu alimento espiritual e crescimento em graça.” (Breve Catecismo, pg.96). É celebrada quase sempre mensalmente nas Igrejas Evangélicas, e todos os membros comungantes (maiores) devem procurar não faltar aos cultos eucarísticos (Santa Ceia) incorrendo no alerta de Cristo em João 6:53ss. Obs.: a palavra “Eucaristia” é usada com frequência na igreja católica romana, porém é necessário o que esse termo significa. Eucaristia (do grego εὐχαριστία, cujo significado é “reconhecimento”, “ação de graças”) é uma celebração em memória da morte sacrificial e da
  • 22. ressurreição de Jesus Cristo. Também é denominada “comunhão”, “Ceia do Senhor”, “Santa Ceia” (…). É necessária uma avaliação sincera da vida pessoa para a participação da mesma, em arrependimento e confissão de pecados. Conforme 1 Coríntios 11:17-34, é melhor nos afastarmos do pecado para participarmos da Santa Ceia, do que nos afastarmos da Santa Ceia por causa do pecado. As crianças somente batizadas na infância ainda não participam da Santa Ceia, devendo ser instruídas sobre a importância da mesma e aguardarem com avidez o dia de receberem tal privilégio. Não há transubstanciação, esta é uma doutrina católica que afirma que o pão se torna literalmente o Corpo de Cristo (carne) e o vinho (ou suco de uva) o Seu Sangue. A Bíblia diz que não, eles são apenas símbolos para memória, para lembrança de Seu sacrifício na Cruz. A Santa Ceia é preparada com cuidado e zelo pela Junta Diaconal da Igreja, e servida pelo Pastor e Presbíteros. CONCLUSÃO O ladrão que se arrependeu na cruz não teve tempo de ser batizado ou tomar a Santa Ceia, mas nós, os que temos tempo, não podemos adiar mais este privilégio. Ouvimos sempre, de pessoas que tomaram com seriedade a decisão de se entregarem totalmente a Jesus: “quanto tempo em perdi!”, ou “por que não tomei esta decisão antes?” Ser batizado e tomar a Santa Ceia do Senhor traz uma grande paz ao nosso coração, e o sentimento de dever cumprido, pois estamos obedecendo a Palavra de Deus e definindo nossa posição na história, nos tornando cristãos e testemunhando a todos o significado da nossa fé e da Aliança (Pacto) de Deus conosco. LIÇÃO 8 FALSOS PROFETAS LEITURA SEMANAL Domingo Gálatas 1:6-9 Segunda Judas 3-7 Terça Atos 8:17-24 Quarta 2 Pedro 2:1-22 Quinta 2 Timóteo 3:1-9 Sexta Atos 17:10-12 Sábado Mateus 24:23-27 PARA DECORAR “Para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para o outro, e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.” Efésios 4:14.
  • 23. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – Todos os caminhos levam a Deus? Toda igreja é boa? 2 – Por que estão surgindo tantas igrejas nesses últimos dias? 3 – Quais as seitas que você conhece? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Heresias são mentiras, ensinadas como se fossem verdades bíblicas. Hoje temos visto, assustadoramente, o surgimento de centenas de movimentos que afirmam serem de Deus e para Ele, mas, levam o homem para distante dEle. PONTOS EM COMUM EM TODOS ELES 1 – OS FUNDADORES Vida negativa. O que é comum nos fundadores de seitas é uma vida de testemunhos negativos. O que pregaram não alterou em nada a vida deles. Suas doutrinas não transformaram suas próprias vidas. Uma das alternativas então, foi criar uma Igreja que os aceitasse sem exigir renúncia do pecado, ou mudança de vida. Vida rebelde. Geralmente novas igrejas têm surgido porque muitas pessoas não querem sujeitar- se a governos e rebelam-se, formando movimentos nos quais poder ser “caciques” (2 Tm 3:1-5). 2 – DETURPAÇÃO DA BÍBLIA Usam pontos isolados da Bíblia para embasarem suas mentiras; nunca usam todo o contexto bíblico. Usam também livros paralelos, afirmando que os mesmos têm igual ou maior autoridade que a Bíblia. Já alguns eliminaram a Bíblia ou escreveram outra, sem nenhuma autorização (Ap 22:18-19). Outro destaque nessa área é que a maioria afirma terem sonhos ou visões, que não encontram apoio nas Escrituras (Jd. 10). Aliás essa é uma característica corrente em muitas “igrejas” e movimentos que têm surgido com frequência: a ênfase desmesurada em revelações, sonhos e visões. Para eles a Bíblia está em segundo plano (Hb 1:1-2). 3 – NEGAM A TRINDADE Jesus, para a maioria desses novos grupos, não é: nem Senhor, nem Salvador, nem Filho de Deus. Foi simplesmente um homem bom e especial. Um grande líder, um filósofo, profeta, ou ser iluminado. O Espírito Santo, para tais pessoas, é apenas uma força e não o Deus presente entre o Seu povo (Jo 14:6). 4 – A REDENÇÃO A crucificação de Jesus é considerada como insuficiente para salvar o homem perdido. Anulam a graça de Deus, pois ensinam que é preciso, o próprio homem, pagar o preço de sua salvação, fazendo caridade, penitências, correntes, etc. (Ef. 2:8-9). 5 – ALTERAM OS PADRÕES MORAIS Não tendo a Bíblia como regra de fé e prática, aceitam muitos comportamentos por ela condenados. Por exemplo: poligamia (mórmons); homossexualismo (igrejas gays). Às vezes é o contrário: exigem o que a Bíblia não exige. Por exemplo: proibição para comer carne de porco e beber café (adventistas); celibato compulsório (católica); (e às mulheres) cortar cabelo e depilar-se (Deus é Amor, CCB, etc.). Estes criam leis e regras sem base bíblica, como fizeram os fariseus. ALGUNS GRUPOS
  • 24. 1 – CATOLICISMO São muitas as nossas diferenças. Destacamos apenas a idolatria – crêem, curvam-se, carregam e até beijam imagens. Dizem que não são idólatras, mas são. Veja: Ex 20:3-5; Sl 115:4. 2 – ESPIRITISMO Seus semelhantes: umbanda, candomblé, vodu, kardecismo, esoterismo, nova era, etc. É difícil dizer o que eles fazem e a Bíblia não condena: consulta aos mortos, horóscopo, patuás, despachos, etc. Veja: Dt 18:10-14; Ap 21:8. 3 – TESTEMUNHAS DE JEOVÁ Estes afirmam que Jesus e o Espírito Santo não são partes da Trindade. Negam a Bíblia. Afirmam que só 144 mil serão salvos, que Jesus voltou em 1914, que não é preciso servir a Pátria, proíbem doar sangue, etc. Veja: Ap 22:18-19. 4 – ADVENTISTAS Seu sistema de doutrinas é bem parecido com o dos Testemunhas de Jeová. São legalistas, usam muito o Velho Testamento, enfatizam suas Leis, e parecem evitar a graça de Deus. Exemplo: quem não guarda o sábado não tem direito ao Céu. O culto no Novo Testamento passou a ser realizado no primeiro dia da semana, que é o domingo, o dia da Ressurreição de Cristo. Veja: Mt 12:6-8. Veja mais sobre esse assunto na Lição 5 – A Igreja (1 Co 15:2). 5 – PENTECOSTALISMO É diferente de “pentecostal” no sentido bíblico. São aqueles movimentos que vendem milho ungido, óleo de soja afirmando ser óleo santo, etc. Fazem de supostos milagres, cura divina e exorcismo, verdadeiros espetáculos assombrosos, um verdadeiro “circo dos horrores”. Além de tais práticas serem vergonhosas para os denominados “cristãos” que servem a Deus com temor e tremor, esses movimentos são causadores de traumas psicológicos, e notoriamente são fonte de lucro para os seus líderes. Vivem de visões que também não se encaixam com os princípios bíblicos. Exigem que todos os seus adeptos tenham o dom de línguas, o que também não é exigido na Bíblia, e leva muitos a “fabricarem” falsos dons (glossolalia). Mais recentemente criaram para si certos títulos e hierarquias totalmente heréticas como bispos, apóstolos e patriarcas. CONCLUSÃO Sinais dos tempos. Um sinal do fim dos tempos, como nos alerta a Bíblia, será o surgimento de seitas e heresias, falsos cristos e falsos profetas. A Bíblia diz que muitos realizariam certos tipos de milagres, procurando enganar os próprios filhos de Deus (Mt 24:24; 2 Co 11:14). Note que a Bíblia não nega que eles fariam milagres, no entanto esses sinais são a operação do erro, uma vez que ocorrem alienados da prática das Escrituras (2 Ts 2:11). Não discuta. Discutir não leva a nada. Testemunhe sua fé ante essas pessoas, e ore por elas. Certamente eles não têm a paz de Cristo. Se Deus lhe permitir anuncie a verdade àqueles que o Senhor quiser (1 Tm 1:6; 2 Tm 2:23). Cautela. Quando ouvir alguma coisa diferente, faça como os crentes de Beréia (At 17:11).
  • 25. LIÇÂO 9 DÍZIMOS E OFERTAS LEITURA SEMANAL Domingo Mateus 23:23-24 Segunda Ageu 1:9-11 Terça Malaquias 3:6-12 Quarta Atos 5:1-11 Quinta Atos 4:32-37 Sexta 1 Timóteo 6:6-10 Sábado Hebreus 13:5-6 PARA DECORAR “Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda.” Provérbios 3:9. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – Quando alguém lhe diz que dízimo na sua Igreja é para “engordar Pastor”, o que você responde? 2 – A expressão “pagar o dízimo”, está correta? 3 – Dízimo é uma prática do Novo Testamento ou só do Velho Testamento? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Todos os membros da Igreja devem sustentá-la com: - Suas orações – orando pelos irmãos em geral, pelas atividades da Igreja e por sua liderança - Sua presença – participando das atividades estou ativando o calor da Igreja. - Seu trabalho – dom é uma capacitação especial de Deus, dada através do Espírito Santo. Talento é aquela capacitação natural. Ambos devem servir para a edificação do Corpo de Cristo. - Seus dízimos e ofertas voluntárias – é o que iremos considerar a seguir. 1 – O QUE A IGREJA FAZ COM OS DÍZIMOS E OFERTAS? - Mantém o patrimônio limpo e em ordem: zeladoria, luz, água, telefone, mobiliário, etc. Em Ageu 1:9 entendemos que a Igreja tem que ser igual ou até melhor que a nossa casa. “Esperastes o muito, e eis que veio a ser pouco, e esse pouco, quando o trouxestes para casa, Eu com um assopro o dissipei. Por quê? Diz o SENHOR dos Exércitos: Por causa da Minha casa, que permanece em ruínas, ao passo que cada um de vós corre por causa de sua própria casa.” Ag 1:9. - Auxilia os irmãos necessitados através da Junta Diaconal (Atos 6:1-3). - Sustenta o Pastor local e missionários no campo do Presbitério, no país e até no exterior (Fp 4:18; 1 Tm 5:18).
  • 26. 2 – DEFINIÇÕES DÍZIMO – dez por cento de nosso rendimento mensal. O dízimo pertence ao Senhor, por isso não "pagamos" o dízimo, mas devolvemos ao Seu dono, que é Deus, em atitude de submissão, confiança e temor (Ml 3:8). OFERTAS – são valores dados de acordo com o propósito de cada coração (2 Co 9:7). Ambos são entregues, mensalmente ou conforme o dia do recebimento de cada um, em Culto Público ou diretamente ao tesoureiro da Igreja (2 Rs 12:9-12). 3 – NINGUÉM É POBRE DEMAIS QUE NÃO POSSA CONTRIBUIR - A ordem em Malaquias 3:10 não traz exceções. “Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na Minha casa; e provai- Me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se Eu não vos abrir as janelas do Céu e não derramar sobre vós bênção sem medida. ”Malaquias 3:10. - Em Êxodo 35:22-29 e 36:3-6 encontramos a participação de todos, inclusive crianças, para irem aprendendo a não serem avarentas. - Um menino ganha o quê? Todos ganhamos algo: o dinheiro para o refrigerante, ou o doce, a mesada ou o presente. Os pais devem ensinar seus filhos a serem gratos a Deus não só de palavras, mas dizimando (mesmo que seja pouco), e ofertando de acordo com as suas condições (Pv 22:6). - O dízimo e as ofertas não tornam o pobre mais pobre. Já vi pessoas ficarem pobres por viverem na jogatina, ou bebendo, ou fumando, ou tem uma vida moral desregrada. Também há aqueles que usam do dízimo para pagar contas feitas sem controle algum na administração de suas finanças. Por todas essas coisas vem a pobreza e a miséria, mas jamais alguém ficará pobre por ser um dizimista fiel. 4 – O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE ADMINISTRAÇÃO CENTRALIZADA Alguns se julgam superiores aos que administram os bens da Igreja, não entregando o dízimo mas investindo-o em esmolas ou em sustento missionário, quem em alguns casos nem pregam o Evangelho (por exemplo a LBV que é uma entidade espírita). Em Lucas 21:1-4, Atos 5:1-10 e em muitos outros textos encontramos a administração centralizada dos dízimos e ofertas. Mas e se os que foram investidos de autoridade falharem? Eles irão prestar contas a Deus. 5 – JESUS NÃO ABOLIU O DÍZIMO E AS OFERTAS Alguns dizem que dízimos e ofertas é coisa somente da Lei do Velho Testamento. Mas isso é um engano de quem não conhece as Escrituras ou não faz uma interpretação não fidedigna da mesma. Vejamos alguns textos que provam a validade dos dízimos e ofertas no NT: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” Mateus 23:23.
  • 27. “Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta.” Mateus 5:23-24. 2 Coríntios 8-9 trazem uma ampla explanação sobre o assunto. Destaco aqui apenas: “E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura, com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.” 2 Co 9:6-7. O TEMA É POLÊMICO, MAS TEMOS RESPALDO BÍBLICO Não dizimamos ou ofertamos por interessa, mas em adoração a Deus, com alegria. Ele que vê os intentos de nossos corações promete abençoar com fartura quem semeia generosamente. Entendemos que todas as bênçãos vêm do Senhor, sejam elas matérias, físicas ou espirituais. A benção da prosperidade, ou o ser próspero, não é especificamente o que o Senhor pode nos dar (e como Ele é bondoso!), mas a Sua própria presença em nosso meio. Existem muitos que desejam ficar ricos e idolatram o dinheiro e as riquezas; algumas Igrejas erroneamente associam a benção de Deus à posse de riquezas. Conheça a Palavra de Deus e veja o que Deus diz sobre isso. Veja: Provérbios 11:4; 15:16-17; 16:8,16; 17:1; 19:1; 22:1; 28:6; 1 Timóteo 6:6-12. 6 – O DÍZIMO FAZ PARTE DA ADORAÇÃO Devemos compreender que Deus não precisa do nosso dinheiro para manter a Sua obra. Aliás, nada é nosso, o nosso dinheiro é de Deus, nosso lar é de Deus, nossos filhos são de Deus, NÓS SOMOS DE DEUS, TUDO É DE DEUS!!! A Igreja não deixará de existir se os membros forem infiéis nos dízimos e ofertas, porque o nosso Deus tem poder para manter a Sua obra. Foi Ele quem multiplicou pães e peixes (Mc 6:41). Quando entregamos nossos dízimos e ofertas, estamos adorando, sobretudo com a afirmativa prática de que não estamos escravizados aos nossos bens, e que confiamos na provisão do Senhor nosso Deus (1 Tm 6:7-10; Hb 13:5-6). CONCLUSÃO O Deus fiel em Sua Palavra promete abençoar aqueles que são fiéis na contribuição: “(...) e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.” Malaquias 3:10b.
  • 28. LIÇÂO 10 A ETERNIDADE LEITURA SEMANAL Domingo Marcos 9:43-44 Segunda Ap 21:1-8 Terça João 3:15-21 Quarta 1 Co 15:12-58 Quinta Romanos 2:5-10 Sexta Efésios 2:5-9 Sábado Lucas 16:19-31 PARA DECORAR “Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.” Apocalipse 21:3-4. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – Cite alguma das promessas bíblicas em relação aos Céus e suas belezas. 2 – Cite algumas das angústias do inferno. 3 – Quais os benefícios de ter o coração cheio de esperança de encontrar Jesus na eternidade? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Uma das bonitas doutrinas bíblicas é chamada Escatologia (escatós = últimas coisas + logia = estudo), onde se estuda a respeito das profecias bíblicas acerca das últimas coisas, o futuro. A Bíblia fala claramente a respeito do Céu, local que Jesus foi preparar para habitar eternamente com Seu povo (João 14:2). Local de gozo e alegria espirituais, onde não entrará o mal, e para sempre estaremos reunidos com todo o povo de Deus. O inferno também existe e é descrito na Bíblia como o oposto do Céu: local de tormento e dor, habitação do diabo com seus anjos, onde conscientemente estarão os ímpios – aqueles que rejeitarão do Senhor, eternamente. As oportunidades do homem para escolher seu destino eterno findam ou quando ele morre, ou quando Jesus voltar, para aqueles que estiverem vivos. SINAIS DA VINDA DE JESUS Antes de ser entregue para a crucificação, Jesus falou aos seus discípulos sobre alguns sinais que precederiam à Sua volta. Nos Evangelhos estão registrados alguns deles: crescimento do número de conflitos entre países, “guerras e rumores de guerras” (vs.6); o crescimento da apostasia, que é o esfriamento, ou abandono da fé (vs.12); o crescimento de movimentos heréticos, o aparecimento de falsos “cristos” (vs.11). Também serão dias de muitos terremotos fome, pestes, etc. (Mc 13:8; Lc 21:11). A ninguém, porém, Jesus revelou o dia e a hora do Seu retorno, mas uma coisa é certa: Ele não tardará. (Mt 24:36; At 1:6-7; Dt 29:29; 2 Pe 3:9).
  • 29. A ordem de Jesus é para que estivéssemos sempre vigilantes para não sermos apanhados de surpresa (Mt 25:13; Mc 13:33; Lc 21:36; 1 Co 16:13). CONCEITOS FALSOS Vários conceitos são proclamados sobre a eternidade, mas simplesmente crendices populares sem nenhuma base bíblica. Há também ensinamentos oriundos de má interpretações que causam grande confusão no seio das Igrejas. Relacionamos alguns abaixo. 1 – DEUS É AMOR E NÃO MANDARÁ NINGUÉM PARA O INFERNO Que Deus é amor é verdade (Jo 3:16; 1 Jo 4:8,16). Mas Deus também é santo (Is 6:3) e justo (Sl 7:9,11). Seria uma injustiça Deus levar para morar com Ele no Céu, todos aqueles que não desejaram viver ao Seu lado em toda a sua vida aqui na Terra. Em João 3:16-18 nos é revelado que o Céu é para os que crêem. Aqueles que não receberam pela fé a salvação que Cristo oferece gratuitamente a todos os que nEle crêem, continuam impuros em seus delitos e pecados, e portanto não podem entrar no Céu (Lc 13:28; 1 Co 6:9-10; Gl 5:18-26; Ap 21:1-8). 2 – CÉU E INFERNO SÃO AQUI NA TERRA E NO TEMPO PRESENTE “Aqui se faz, aqui se paga”, diz o ditado popular. É verdade que o resultado de muitas ações são contempladas aqui na Terra mesmo. Mas a Bíblia nos fala de uma colheita no Dia do Juízo Final. (Mt 8:12; 25:31-46; Rm 2:5-10). 3 – MORREU ACABOU Esta é a tese do materialismo: vamos virar pó, e só. A Bíblia diz que não! (Ec 12:7; Lc 23:43). 4 – SOMENTE OS JUSTOS RESSUSCITARÃO Esta é a teoria adventista, segundo a qual os ímpios ficarão dormindo sem nenhum problema maior; somente os justos ressuscitarão para a vida eterna (Mt 10:28; Jo 5:28-29). 5 – O HOMEM VOLTARÁ PARA UMA PURIFICAÇÃO Esta é a teoria espírita da reencarnação, segundo a qual à medida que o homem vai se reencarnando se torna cada vez melhor. Se fosse assim, o mundo hoje seria bem melhor que nos tempos passados, e não é isto que temos visto. A iniquidade tem aumentado a cada geração, a humanidade está indo de mal a pior. Além disso, a Bíblia nega enfaticamente não só a reencarnação (Hb 9:27), mas também a comunicação entre vivos e mortos (Lc 16:19-31). 6 – O HOMEM FICARÁ EM UM PURGATÓRIO ATÉ SER PURIFICADO Essa é a doutrina católica, segunda a qual as pessoas que ficam aqui na Terra rezam e fazem missas pelas almas dos que morreram, as quais estão no purgatório, que para eles, é o local onde se paga pelos pecados cometidos. Lemos na Bíblia que só há o Céu e o inferno, não há meio termo, não existe purgatório. E os que foram lançados no inferno jamais sairão de lá, “onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga”. (Sl 81:15; Mt 25:46; Mc 9:43-44). 7 – SÓ A ALMA QUE É ETERNA A Bíblia diz que o corpo dos salvos também será transformado (1 Co 15:52-55; 1 Ts 4:16-17). Este processo de transformação é chamado de revestimento de incorruptibilidade, ou glorificação. Os ímpios também ressuscitarão para o Juízo Final, porém não serão glorificados (Jo 5:28-29; Ap 20:11-15). 8 – NO CÉU NÃO NOS LEMBRAREMOS DE NADA Essa é a “teologia da lavagem cerebral”, segundo a qual o Senhor apagaria de nossas mentes todas as lembranças da vida na Terra. Alguns argumentam que, se lá no Céu nos lembrarmos daqueles que não forem salvos, nos entristeceríamos e no Céu não haverá tristeza. Então a solução que resolveram foi argumentar que Deus nos fará esquecer de tudo e de todos. Porém NÃO HÁ BASE BÍBLICA para fazermos tais asseverações. Pelo contrário, encontramos bases
  • 30. para entendermos que tanto no Céu como no inferno as pessoas se lembrarão da vida que tiveram na Terra. Veja os textos: Lc 16:27; Ap 6:10-11. Quanto à tristeza, realmente no Céu não haverá lágrimas: Ap 7:17; 21:4. Não esqueçamos também que quando lá no Céu chegarmos, já teremos sido transformados pela glória do Senhor (1 Co 15:51-52). UM TEXTO ÁUREO – LUCAS 16:19-31 Nesse texto encontramos de uma forma completa uma grande janela aberta para a revelação da eternidade. Verdades claras que combatem com eficiência todas as heresias que vimos acima. Um rico morre sem compromisso com Deus, e um pobre morre com Jesus no coração. No mesmo instante se perceberam no destino eterno, estavam conscientes e um grande abismo os separava. Lázaro foi reconhecido pelo rico, e este não pôde enviar nenhuma mensagem a seus irmãos na Terra. CONCLUSÃO Já é inferno para quem vive longe de Jesus, pois sem Cristo ninguém pode ser verdadeiramente feliz, e a vida dos ímpios já é uma vida de sofrimento espiritual. O pecado tem um alto preço para os que seus servos. Mas quando tal pessoa morrer irá para um lugar infernal de dor e tormento eterno, aguardando o juízo final, e habitarão eternamente neste lugar terrível que foi preparado para o diabo e seus anjos. Já é Céu para quem aceitou a Jesus como Senhor e Salvador pessoal, pois desfrutamos de delícias celestiais já aqui na Terra, ao louvarmos, orarmos e na comunhão diária com Deus. Mas, quando tal pessoa morrer, entrará imediatamente em um lugar celestial, esplêndido, onde habitará com Cristo e com todos os irmãos que lá estão aguardando a ressurreição. E então os salvos reinarão eternamente com Cristo. Glórias a Deus por tão grande e gloriosa salvação! LIÇÃO 11 LIDERANÇA LEITURA SEMANAL Domingo Êxodo 18:13-27 Segunda Romanos 13:1-7 Terça 1 Timóteo 3:1-7 Quarta Atos 6:1-7 Quinta Hebreus 13:7,17 Sexta Neemias 8:2-6 Sábado Efésios 4:7-14 PARA DECORAR “Agora, vos rogamos, irmãos, que acateis com apreço os que trabalham entre vós e os que vos presidem no Senhor e vos admoestam.” 1 Tessalonicenses 5:12. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – A liderança da Igreja é infalível? 2 – “Só devo respeito a Deus”; este é um ensinamento bíblico? 3 – O que posso fazer para colaborar com a liderança da Igreja?
  • 31. CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Uma pergunta sempre se faz aos que desejam tornar-se membros da Igreja: “Você promete sujeitar-se às autoridades constituídas da Igreja, para seu ensino e governo, enquanto forem fiéis às Escrituras?” É um compromisso muito sério, visto que com o passar do tempo, a tendência social é a rebelião (2 Tm 3:1-5). UM GOVERNO BÍBLICO A Igreja Presbiteriana do Brasil não tem um cabeça visível, como um papa. Essa posição pertence exclusivamente a Jesus (Ef 1:22; Cl 1:18). A – ASSEMBLÉIA GERAL O governo de nossa Igreja é representativo, isto é, cada membro participa, votando na escolha de representantes ou sobre assuntos de maior importância, em uma Assembleia. Assim é estabelecido o Conselho da Igreja, que é formado pelos presbíteros, e a Junta Diaconal que é formada pelos Diáconos (Atos 6:2). B – O PASTOR Qualquer jovem vocacionado para o Ministério é enviado a um dos Seminários da Igreja. Antes de ser ordenado ao Sagrado Ministério é acompanhado e examinado pelo Presbitério, dentro dos estatutos da Igreja. Após essa jornada, assume a presidência do Conselho de uma Igreja local, em que será pastor. Na IPB o pastor é sustentado para fazer o trabalho em tempo integral (1 Tm 5:18). Ele poderá ser eleito pela Igreja, ou indicado pelo Presbitério (Hb 13:7,17; Ef 4:11-12). C – OS PRESBÍTEROS São eleitos pela maioria dos membros da Igreja em uma Assembleia. Formam o Conselho que tem funções administrativas e espirituais sobre a vida da Igreja. O mandato de um Presbítero dura cinco anos, podendo ser reeleito após o cumprimento de seu mandato (Tt 1:5; 1 Tm 3:1-7). Qualquer sugestão, crítica, solicitação ou denúncia dos membros, deverá ser encaminhada aos presbíteros. D – OS DIÁCONOS Também são eleitos em Assembleia, e assim como os presbíteros, têm mandato de cinco anos, podendo haver reeleição. Eles forma a Junta Diaconal da Igreja, cujos propósitos são: assistir aos irmãos necessitados, zelar pela ordem do Culto e pelo patrimônio da Igreja (1 Tm 3:8-10; At 6:1- 7). E – LIDERANÇAS DE SOCIEDADES INTERNAS Para o crescimento na fé e união de todos, temos uma sociedade interna para cada faixa etária dos membros: - até 11 anos UCP – União das Crianças Presbiterianas; - de 12 a 16 anos UPA – União Presbiteriana de Adolescentes; - de 17 a 35 anos UMP – União da Mocidade Presbiteriana; - SAF – Sociedade Auxiliadora Feminina; - UPH – União Presbiteriana de Homens. Em algumas Igrejas há também a Sociedade de Casais Jovens, e a VEM – Viúvas Evangélicas em Missão. Suas diretorias são eleitas pelos sócios (Salmos 133).
  • 32. F – CONCÍLIOS SUPERIORES Cada Igreja está subordinada a um Presbitério que reúno no mínimo quatro Igrejas da mesma região. Cada Presbitério está subordinado ao um Sínodo que congrega no mínimo três Presbitérios da mesma região. Os Sínodos, por sua vez, estão subordinados ao Supremo Concílio, que é um órgão nacional. Em cada país, onde há Igreja Presbiteriana, há Supremo Concílio e o mesmo sistema de governo (Atos 15:6,22; 1 Tm 4:14). G – ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL É um departamento da Igreja de grande valor na edificação espiritual dos membros. É a maior escola do mundo, e por ser tão importante, existe em quase todas as Igrejas evangélicas. Na IPB a sua direção é nomeada pelo Conselho e reúne-se dominicalmente. Antes de sermos membros da Igreja nos tornamos alunos matriculados na EBD – Escola Bíblica Dominical (Ne 8:2-6). CONCLUSÃO O Manual Presbiteriano é um livro no qual, sem alterar princípios bíblicos, constam os termos que tratam do governo da Igreja, formando assim a sua Constituição. Obedecer às autoridades é um princípio bíblico. É gratificante e encorajador sabermos que estas autoridades foram instituídas pelo próprio Deus. Ministrado anteriormente na 3ª IPB de Barretos / SP, 06.11.11 Classe de Catecúmenos - Curso Preparatório para o Batismo e Profissão de Fé. Catecúmeno: do grego "katekhoúmenos"; pessoa que se prepara e instrui, nos princípios da religião, para receber o batismo. Extraído e adaptado da revista "Nova Vida" de autoria do Rev. Simontom César de Araújo. Leia o estudo anterior: A Eternidade, e o próximo estudo: Evangelizando. LIÇÃO 12 EVANGELIZANDO LEITURA SEMANAL Domingo João 15:1-5 Segunda Mateus 28:18-20 Terça João 1:40-42 Quarta João 4:28-30;39-42 Quinta Marcos 5:18-20 Sexta 1 Coríntios 9:16-23 Sábado Provérbios 11:30;24:11 PARA DECORAR “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.” Marcos 16:15. PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE 1 – Evangelizar é um dom concedido somente aos pastores, ou é tarefa para todos os membros da Igreja?
  • 33. 2 – Por que não devo desistir se não está havendo resultado imediato? 3 – Qual a melhor tática evangelística para alcançarmos nossa casa? CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES A prova de que fomos alcançados pela Verdade, além da transformação da nossa vida, será o desejo de proclamá-la a outros, isto é: fazer discípulos. Essa série de estudos poderá ser usada para a evangelização e discipulado de algum amigo ou familiar, vizinho ou colega de trabalho, ou colega de classe, que eventualmente for alcançado (a) pela mensagem da salvação. POR QUE EVANGELIZAR? A – EVANGELIZAR É AMOR Quando evangelizamos, provamos que não somos egoístas, que queremos dividir o que é bom com o nosso próximo. Se estamos realmente preocupados com nosso próximo, e queremos fazer algo significativo e importante para ele, não há nada melhor do que lhe apresentar a salvação em Jesus. André procurou logo contar essa novidade ao seu irmão: João 1:40-42. B – EVANGELIZAR É RETRIBUIR Um dia alguém lhe falou de Jesus. Você se lembra quem foi, ou como foi? Um folheto que lhe entregaram, uma Bíblia que ganhou de presente, um convite para ir à Igreja… Agora é sua vez de retribuir este grande favor que lhe fizeram. Se, no passado, todos pensassem em evangelizar como você pensa fazer, será que o Evangelho chegaria até você? Paulo queria alcançar a todos (1 Coríntios 9:16-23). C – EVANGELIZAR É NATURAL Natural na vida de quem já aceitou Jesus e O ama de todo o seu coração. Imagine que você tivesse ganhado, hoje pela manhã, um carro do ano. Naturalmente você contaria para os seus parentes e amigos esta novidade. Até sem palavras as pessoas notariam a sua alegria em ter recebido este presente, e o simples fato de dirigir aquele carro seria notado por todos. Você não teria necessidade de fazer um curso sobre “como contar aos outros que ganhou um carro”. Seria algo natural em seus lábios e em sua vida. Até o seu semblante comprovaria isso. Creio que só anuncia Jesus com prazer e convicção quem já tem Jesus como Senhor e Salvador, e O ama acima de tudo em sua vida, e O serve com alegria (João 4:28-30). D – EVANGELIZAR É URGENTE Em Lucas 16:27-31 a Bíblia nos apresenta um homem desejando avidamente a salvação de seus cinco irmãos. Porém, era tarde demais. Ele já estava no inferno (João 9:14). E – EVANGELIZAR É OBEDIÊNCIA Em Marcos 16:15 a ordem foi dada a todos que contemplavam a ascensão de Jesus, e consequentemente essa ordem foi dada a todos os que nEle creem. É o “IDE” de Deus. Adoramos melhor a Deus quando O obedecemos. Sentimos maior empolgação e gozo em servi- Lo quando cumprimos Seus mandamentos (Ezequiel 3:18 e Atos 20:26-27). ORIENTAÇÕES IMPORTANTES AOS EVANGELIZADORES A – NÃO SE PREOCUPE DEMASIADAMENTE COM OS RESULTADOS Alguns irão zombar, outros desprezar e deixar para depois, mas haverá os que irão crer (Atos 17:32-34; 1 Coríntios 3:6-9).
  • 34. B – NÃO DISCUTA DOUTRINAS DE SUA IGREJA Primeiro porque você ainda está novo na fé. Segundo porque essa não é nossa preocupação básica. Ao invés de discutir, fale do seu encontro pessoal com Jesus, e como sua vida foi transformada (2 Timóteo 2:15-16). C – NÃO SEJA AGRESSIVO NO FALAR Uma tendência natural do novo convertido é ter pressa em levar todos os seus familiares e amigos a Cristo, às vezes tornando-se agressivo, desprezando ou humilhando as pessoas. Você não precisa segui-los mais nas bebedeiras, baladas, etc. Mas trate-os com amor (Provérbios 15:1). D – PALAVRAS E AÇÃO Palavras sem vida, sem testemunho não farão efeito algum na vida de seus ouvintes. Muito pelo contrário, será escândalo para o Evangelho (Romanos 2:24). Viva a sua mensagem de tal maneira que os que estiverem ao seu redor lhe perguntem o que mudou em seu viver, ou por que você está diferente. Ao surgirem oportunidades, não deixe de falar de Jesus, e orar pelas pessoas. Você poderá usar o plano de salvação apresentado na primeira lição dessa série. CONCLUSÃO Em 2 Reis 5:2-3s temos o exemplo empolgante de uma empregada doméstica que levou o patrão à conversão. Isso prova que qualquer um de nós pode ser usado por Deus para ganhar almas. Não despreze o dom que há em ti, não duvide do poder do Espírito Santo que habita em seu coração. Ore e creia, Ele fará a obra usando a sua vida. “Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por Nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.” Isaías 6:8. CONSIDERAÇÕES FINAIS Após a palavra dada em público, isto é, um voto que se faz, não somente à Igreja, ou ao Conselho, mas é um voto a Deus. A Igreja poderá lhe procurar a fim de orientá-lo (a) quando o mesmo não estiver sendo cumprido, mas quem lhe cobrará este voto é o próprio Deus. FALTA DE INTEGRIDADE Para mim, uma pessoa que vai à frente da Igreja, faz um voto para com Deus, e, depois, desaparece muitas vezes sem dar satisfação, não poderia nem casar-se, nem comprar a crédito, etc. por não ser confiável, pois uma pessoa que não cumpre a palavra dada a Deus, irá cumprir a palavra dada ao próximo? Creio que não. GRITE POR SOCORRO A luta continua, não irá terminar quando você fizer a pública profissão de Fé ou for Batizado. Não se isole, não se afaste quando cair, pois é isso que o Diabo quer. Procure o Pastor, os presbíteros, compartilhe a luta e peça ajuda e as orações dos irmãos e da Igreja. SEJA EDUCADO E GRATO PELO QUE RECEBEU Alguns conhecem a verdade na nossa Igreja e ao convite de meros movimentos, tentações, heresias saem da Igreja demonstrando ingratidão e infantilidade. Ninguém é obrigado a ficar na Igreja Presbiteriana até a morte, mas é uma questão de educação, agradecer e explicar sua decisão, caso esta seja congregar em outra comunidade.
  • 35. TERMO de COMPROMISSO Colocando em crédito o meu caráter, na perfeita consciência da minha razão, na liberdade para tomar esta decisão, afirmo que:  Desejo ser membro desta Igreja, prometendo ser assíduo às suas atividades, sujeitando-me a sua disciplina e as autoridades por Deus nela constituídas, sustentando-a com minhas orações e contribuições financeiras (Dízimos e Ofertas), dando bom testemunho não apenas com palavras, mas com atos dignos de um Filho de Deus.  Creio que há um só Deus que subsiste em três pessoas: O Pai, o Filho e o Espírito Santo que para sua justificação, o Pai entrega o Filho a morte de Cruz no nosso lugar enviando logo após o Seu Espírito para nos Santificar e preparar para a Glória dos Céus.  Creio nas Escrituras Sagradas, com 66 livros, como Palavra de Deus e única regra minha de Fé e Prática dada por Ele a Sua Igreja e que são falsas e perigosas toda e qualquer doutrina ou ensino que vá de encontro a Verdade de Deus revelada ao homem.  Confesso que fui concebido em PECADO, que por natureza sou incapaz de buscar a Deus e cumprir totalmente sua Lei, inclinando-me antes para o que a Lei de Deus condena, tendo pecado muitas vezes por ações, pensamentos, palavras e por omissão de minhas responsabilidades.  Creio que o Sangue de Cristo me purifica de todo o meu pecado e que não há outro meio de adquirir o perdão sem que seja pela sua graça e misericórdia por Obra do Espírito Santo.  Estou agora sinceramente arrependido de todo o mau caminho que andei, do que tenho feito diante de Deus que não O agrada e disposto integralmente a obedecer a Sua Palavra.  Dedicarei meus talentos todos para a Obra do Senhor, principalmente para que Ele use meu testemunho e minha pregação para salvar almas para Ele mesmo.  Certo desta decisão prometo ser Fiel até a morte, assino este termo de compromisso com a Igreja do Senhor Jesus. __________________________________, ________, de ____________________ de __________. _______________________________________________ Membro _______________________________________________ Nome Legível _______________________________________________ Conselho Eclesiástico ou Mesa Administrativa Presidente