SlideShare uma empresa Scribd logo
Análise do Ponto de Equilíbrio, Margem de Segurança e Grau
de Alavancagem.
       Ponto de equilíbrio (break-even point) é um nível de atividades em que as receitas são iguais
às despesas e, conseqüentemente, o lucro é igual a zero.
       Existem varias abordagens do ponto de equilíbrio conforme apresentaremos a seguir.

1 PONTO DE EQUILIBRIO CONTÁBIL (PEC)
       O Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC) é definido como o nível de atividades necessárias
para recuperar todas as despesas e custos de uma empresa.

No PEC, o lucro líquido contábil é igual a zero

       PEC = volume de vendas (ou nível de atividades) no qual a receita total (RT) é igual às
despesas totais mais os custos totais (DT + CT).
       Portanto, no PEC, tem-se que RT = (DT + CT), ou seja, o lucro será zero.
       Despesas totais = Despesas fixas mais despesas variáveis
       Custos totais = Custos fixos mais custos variáveis

1.1 Utilização da análise do PEC
       O PEC pode ser utilizado para:
           • determinar o nível de atividades necessárias para cobrir todas as despesas e custos,
               tanto fixos quanto variáveis;
           • avaliar a lucratividade associada aos diversos níveis possíveis de vendas, ou seja, aos
               vários níveis possíveis de atividade;
           • facilitar a análise dos efeitos sobre a lucratividade decorrente de alterações nas
               despesas e custos fixos e variáveis, no volume de vendas, no preço de vendas e na
               distribuição relativa de linhas de produtos vendidos.

1.2 Abordagem algébrica
       Algebricamente, a quantidade de vendas no PEC pode ser determinada com a utilização da
seguinte fórmula:

                         _____DESPESAS FIXAS + CUSTOS FIXOS_____
               QPEC =
                           MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA

        Conceitualmente, o PEC é o volume de atividades (ou nível das vendas) no qual as Receitas
Totais (RT) são às Despesas Totais (DT) mais os Custos Totais (CT).
        Algebricamente, no Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC), tem-se:
        Fórmula 1 RT = DT + CT
        onde:
               RT = Receitas totais = quantidade vendida X preço de venda unitário ou (Q X PV)
               DT = Despesas fixas mais despesas variáveis ou (DF + CV)
               CT = Custos fixos mais custos variáveis (CF + CV)

       Efetuando as substituições na fórmula 1, tem-se:
       Fórmula 2 (Q X PV) = (DF + DV) + (CF + CV)
       onde:


                                                                                                  1
DV = quantidade vendida X despesas variáveis para cada unidade vendida ou (Q X
DV)
              CV = quantidade vendida X custos variáveis para cada unidade vendida ou (Q X CV)

       Efetuando as substituições na fórmula 2, tem-se que:
       Fórmula 3 (Q X PV) = (DF + Q X DV) + (CF + Q X CV)
              ou Q X PV + DF + Q X DV + CF + Q X CV
              ou (Q X PV) – (Q X DV) – (Q X CV) = DF + CF
              ou (Q no PEC) {PV – (DV + CV)} = DF + CF
              ou Q no PEC =        DF + CF
                                PV – (DV + CV)

        Como o denominador PV – (DV + CV) é a mesma coisa que margem de contribuição, tem-
se finalmente a fórmula final:



                                      Despesas fixas + Custos Fixos  .
                         QPEC =
                                     Margem de Contribuição Unitária


1.3 Exemplo numérico de ponto de equilíbrio contábil
       Uma indústria vende cada unidade de seu produto por $ 1.000.
       A margem de contribuição e sua estrutura de despesas e custos são as seguintes:

Quadro 1 Gastos por unidade de produto e por período.

                                                                                    $
      Preço unitário de venda                                                     1.000
      Despesas variáveis, para cada unidade                                        130
      Custos variáveis, para cada unidade                                          470
         Total das despesas e custos variáveis para unidade                        600
      Margem de contribuição unitária
                                                                                   400
         Preço de venda menos total das despesas e custos variáveis
      Despesas fixas, totais do mês                                              300.000
      Custos fixos, totais do mês                                               1.700.000
         Total das despesas e custos fixos do mês                               2.000.000

       Com base nesses números, o volume de atividade do Ponto de Equilíbrio Contábil – QPEC é
obtido como segue:
                                          Despesas Fixas + Custos Fixos _
                      QPEC = RT =
                                         Margem de Contribuição Unitária

       ou RT = $ 2.000.000 = 5.000 unidades, volume de vendas onde
                  $ 400       Receitas totais = Despesas mais custos totais

       A prova de que o cálculo da quantidade está correto pode ser demonstrada no Quadro 2.


                                                                                               2
Quadro 2 Demonstração do resultado no ponto de equilíbrio contábil.

                                                                                             $
               Total das Receitas = 5.000 unidades X $ 1.000                            5.000.000
               Menos
               Total das despesas variáveis = 5.000 unidades X $ 130                    (650.000)
               Total dos custos variáveis = 5.000 unidades X $ 470                     (2.350.000)
               = Margem de contribuição total                                           2.000.000
               Menos
               Total de despesas fixas                                                  (300.000)
               Total dos custos fixos                                                  (1.700.000)
               = Resultado do mês                                                         Zero


2 1PONTO DE EQUILIBRIO FINANCEIRO (PEF)
        O ponto de equilíbrio calculado anteriormente é o ponto de equilíbrio contábil (PEC), ou
seja, demonstração contábil das Receitas Totais às Despesas e Custos Totais.
        No entanto, na maioria das empresas existem parcelas de despesas e custos que não
representam desembolsos de numerários no período. Por exemplo, as despesas e os custos com a
depreciação dos bens do ativo imobilizado da empresa (prédios, máquinas, equipamentos,
ferramentas, instalações, veículos etc.).
        Para a obtenção do Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF), tais despesas e custos devem ser
excluídos do total, e a fórmula seria:

Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF)
RT = (despesas fixas + custos fixos) menos (despesas e custos fixos que não representam
      desembolsos financeiros)                                                        _
                               Margem de contribuição unitária

           Ponto de Equilíbrio Financeiro
           Nível de produção e vendas em que o saldo de caixa é igual a zero. Representa a
    quantidade de vendas necessária para cobrir os gastos desembolsáveis tanto operacionais quanto
    não operacionais. No PEF, a empresa apresenta prejuízo contábil e saldo de caixa zero.

       Exemplo de calculo do PEF, utilizando as variáveis anteriores
       Supondo que no total de $ 2.000.000 contabilizados como despesas e custos fixos esteja
incluído o montante de $ 400.000 de depreciação, ou seja, despesas e custos não desembolsáveis.1

                                    $ 2.000.000 menos $ 400.000 = 4.000 unidades
                          PEF =
                                           MC = $ 400,00




Quadro 3 Demonstração do Resultado.
1
 Na Realidade, o desembolso financeiro ocorreu por ocasião da compra dos ativos. Por exemplo, uma máquina foi
comprada e paga no ano anterior, no valor de $ 4.000.000. O custo com a depreciação será contabilizado durante 10
anos, ou seja, desgaste de 10% anual, representando $ 400.000 anuais.

                                                                                                                    3
Demonstração do resultado ZERO de caixa no ponto de equilíbrio
    financeiro (PEF).                                                             $
    a. Total das Receitas = 4.000 unidade X $ 1.000                           4.000.000
    Menos
    b. Total das despesas variáveis = 4.000 unidades X $ 130                  (520.000)
    c. Total dos custos variáveis = 4.000 unidades X $ 470                   (1.880.000)
    d. = Margem de contribuição total = a menos (b+c)                         1.600.000
    Menos Despesas e custos fixos desembolsados
    e. Total de despesas fixas                                                (300.000)
    f. Total dos custos fixos                                                (1.700.000)
    g. Menos despesas e custos fixos não desembolsados                         400.000
    h. despesas e custos fixos desembolsados = e + f menos g                  1.600.000
    = Resultado do caixa do mês = d menos h                                    ZERO

2.2 – Ponto de Equilíbrio Econômico – É quando o resultado da empresa é o lucro suficiente para
cobrir o retorno financeiro que a empresa obteria sobre o seu Patrimônio Líquido. Este retorno
financeiro que a empresa não está obtendo, é denominado “Custo de Oportunidade”.
         Para obter a quantidade de produto necessária (produção e venda) para obter o Ponto de
Equilíbrio Econômico, basta utilizar a fórmula abaixo:
                 _DESPESAS FIXAS + CUSTOS FIXOS__+ Custo de Oportunidade_
       QPEE =
                   MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA



2.3 – Margem de Segurança – é o percentual que a empresa poderá reduzir seu lucro, sem entrar
na faixa de prejuízo. Sua fórmula é:


             Margem de _Receitas Atuais – Receitas no Ponto de Equilíbrio
            Segurança =        Receitas Atuais




3 GRAU DE ALAVANCAGEM OPERACIONAL (GAO)

                                                                                             4
Representa o efeito que um aumento na quantidade de vendas provocará no lucro de sua
empresa.

       Fórmula para o cálculo do GAO

                                     Variação percentual no lucro     _
                     GAO =
                              Variação percentual na quantidade vendida

        O grau de alavancagem operacional é de extrema utilidade para as projeções dos resultados
que determinada empresa obteria em diversos níveis de atividades de produção e de vendas,
mantidas constantes as demais variáveis, tais como margem de contribuição, total das despesas e
custos fixos etc.

Exemplo de cálculo do Grau de Alavancagem Operacional

      Com utilização das mesmas informações utilizadas para cálculo do ponto de equilíbrio,
conforme Quadro 4.
Quadro 4 Gastos do produto e do período.

                                                                                  $
        Preço unitário de venda                                                 1.000
        Despesas variáveis, para cada unidade                                    130
        Custos variáveis, para cada unidade                                      470
           Total das despesas e custos variáveis para unidade                    600
        Margem de contribuição unitária
                                                                          400
           Preço de venda menos total das despesas e custos variáveis
        Despesas fixas, totais do mês                                   300.000
        Custos fixos, totais do mês                                    1.700.000
       Supondo que a empresa produziu e vendeu durante um determinado mês 7.000 unidades do
seu produto, o lucro mensal seria o seguinte:

Quadro 5 Lucro do mês, supondo um volume de atividades de 7.000 unidades.

                                                                              $
           Total das Receitas = 7.000 unidades X $ 1.000                  7.000.000
           Menos
           Total das despesas variáveis = 7.000 unidade X $130             (910.000)
           Total dos custos variáveis = 7.000 unidades X $ 470            (3.290.000)
           = Margem de contribuição total                                  2.800.000
           Menos
           Total das despesas fixas                                        (300.000)
           Total dos custos fixos                                         (1.700.000)
           = Resultado do mês                                               800.000




                                                                                               5
Qual seria o Grau de Alavancagem Operacional dessa empresa, ao volume de atividades de
7.000 unidades? Em outras palavras, qual seria o reflexo no lucro se houvesse determinado aumento
no volume de atividades?
       Supondo um acréscimo de 10% no volume de atividades – a empresa vendeu 7.700
unidades, em vez das 7.000 anteriores – o “novo” lucro seria apurado como segue:

Quadro 6 Lucro do mês, supondo um volume de atividades de 7.700 unidades.

                                                                             $
           Total das Receitas = 7.700 unidades X S 1.000                 7.700.000
           Menos
           Total das despesas variáveis = 7.700 unidades X $ 130         (1.001.000)
           Total dos custos variáveis = 7.700 unidades X $ 470           (3.619.000)
           = Margem de contribuição total                                 3.080.000
           Menos
           Total das despesas fixas                                       (300.000)
           Total dos custos fixos                                        (1.700.000)
           = Resultado do mês                                             1.080.000

      Portanto, o lucro anterior de $ 800.000 aumentou para $ 1.080.000, equivalente a $ 280.000
ou 35%.
      Aplicando a fórmula, o GAO seria, então

                                       Variação percentual no lucro     _
                       GAO =
                                Variação percentual na quantidade vendida

                                            35%
                                   GAO =        = 3,5 vezes
                                            10%

       O GAO de 3,5 vezes significa que, no volume de atividade de 7.000 unidades, qualquer
acréscimo percentual no volume dessa atividade implicará que o lucro aumentará
proporcionalmente em 3,5 vezes.
       Comprovação numérica dessa afirmação: considerando que o volume de atividades, que era
de 7.000 unidades, aumente em 25%, passando para 8.750 unidades.
       Como afirmado, o lucro do mês aumentaria 87,5% (25% vezes 3,5 vezes), passando de
$ 800.000 para $ 1.500.000.




                                                                                               6
Demonstração

Quadro 7 Lucro do mês, supondo um volume de atividades de 8.750 unidades.

                                                                            $
              Total das Receitas = 8.750 unidades X 1.000              8.750.000
              Menos
              Total das despesas variáveis = 8.750 X $ 130            (1.137.500)
              Total dos custos variáveis = 8.750 unidades X $ 470     (4.112.500)
              = Margem de contribuição total                           3.500.000
              Menos
              Total das despesas fixas                                 (300.000)
              Total dos custos fixos                                  (1.700.000)
              = Resultado do mês                                       1.500.000



04. ALAVANCAGEM FINANCEIRA

        A alavancagem financeira resulta da presença de encargos financeiros fixos no fluxo de
lucro da empresa. Pode ser definida como a capacidade da empresa para usar encargos financeiros
fixos, a fim de maximizar os efeitos de variações no lucro antes dos juros e impostos (LAJIR) sobre
os lucros por ação (LPA) da empresa.

        Os dois encargos financeiros fixos que podem ser encontrados na demonstração de resultado
do exercício são:
- juros sobre empréstimos
- dividendos de ações preferenciais

Exemplo: A CHEN FOODS espera lucros antes dos juros e IR de $ 10.000 no ano corrente. Ele tem
empréstimos de longo prazo, no montante de $ 20.000, que sofrem a incidência de juros anuais de
10%. Dispõe, também de 600 ações preferenciais em circulação, com $ 4 de dividendo anual por
ação. Possui, ainda, 1.000 ações ordinárias em circulação.
Os encargos fixos são: $ 2.000 (resultantes do juro de 10% sobre $ 20.000 de empréstimos; e os
dividendos anuais de $ 2.400, referente ao pagamento às ações preferenciais ($ 4,00/ação X 600
ações).
O quadro abaixo apresenta os lucros por ação correspondentes aos níveis de lucros antes dos juros e
impostos (LAJIR) de $ 6.000 e $ 14.000, supondo que alíquota de IR seja de 40%.
Caso 1 – Um aumento de 40% no LAJIR (de $ 10.000 para $ 14.000) resulta num acréscimo de
100% em Lucros por Ação – LPA (de $ 2,40 para $ 4,80);
Caso 2 – Uma queda de 40% no LAJIR (de $ 10.000 para $ 6.000) resulta num decréscimo de
100% nos lucros por ação – LPA (de $ 2,40 para $ 0)




                                                                                                 7
LPA PARA VÁRIOS NÍVEIS DE LAJIR

                                              CASO 02         ATUAL         CASO 01
                                               - 40%                         + 40%
LAJIR                                              $ 6.000      $ 10.000        $ 14.000
Menos juros (J)                                    $ 2.000       $ 2.000          $ 2.000
Lucro antes do Imposto de Renda                    $ 4.000       $ 8.000         $ 12.000
Menos Imposto de Renda (T = 0,40)                  $ 1.600       $ 3.200          $ 4.800
Lucro líquido depois do Imposto de Renda            $ 2.400       $ 4.800         $ 7.200
Menos Dividendos de ações preferenciais             $ 2.400       $ 2.400         $ 2.400
(DP)
Lucro disponível para acionistas (LAC)                $0          $ 2.400        $ 4.800
Lucro por ação (LPA)                         $ 0/1000=$ 0     $2400/1000    $ 4800/1000
                                                                 = $ 2,40       = $ 4,80
                                               - 100%                       + 100%

Grau de Alavancagem Financeira (GAF)

                   GAF = VARIAÇÃO PERCENTUAL NO LPA
                         VARIAÇÃO PERCENTUAL NO LAJIR

Caso 01:   GAF = + 100% = 2,5                        GAF = - 100% = 2,5
                 + 40%                                     - 40%



Fórmula direta:

GAF =               LAJIR
        _________________________________________

             LAJIR – J – (DP X (1/ 1- T))


5. GRAU DE ALAVANCAGEM TOTAL (GAT)

      Impacto combinado da alavancagem financeira e da alavancagem operacional da
empresa:

GAT = GAO x GAF


OBS.: Para Gitman, o lucro para obter o Grau de Alavancagem Operacional corresponde ao
LAJIR, onde temos:


 GAO =                     variação percentual no    LAJIR
                            Variação percentual nas VENDAS



                                                                                      8
Exemplo:

A empresa CABOS S/A, fabricante de cabos para computadores., espera vender 20.000 unidades a $ 5 a
unidade no próximo ano, e precisa atender aos seguintes compromissos: custos variáveis de $ 2.,00 por
unidade, custos fixos de $ 10.000,00, juros de $ 20.000 e dividendos de ações preferenciais de $ 12.000. A
empresa está na faixa de 40% na alíquota de imposto de renda e tem 5.000 ações ordinárias em
circulação.
O quadro abaixo mostra os níveis de Lucro por Ação (LPA) associados às vendas esperadas de 20.000 e
30.000 unidades:

O EFEITO DA ALAVANCAGEM TOTAL:

Vendas em Unidades                                            20.000               30.000
Variação de Vendas                                                                + 50%
Receitas de Vendas                                        $ 100.000               150.000
(-) Custos Variáveis                                       $ 40.000              $ 60.000
(-) Custos Fixos                                           $ 10.000              $ 10.000
LAJIR (Lucro antes dos Juros / IR)                         $ 50.000              $ 80.000
Variação no LAJIR                                                                  + 60%

(-) Juros                                     $ 20.000         $ 20.000
Lucro líquido antes dos impostos              $ 30.000         $ 60.000
(-) Impostos (T=0,40)                         $ 12.000         $ 24.000
Lucro líquido depois dos impostos             $ 18.000         $ 36.000
(-) Dividendos de ações preferenciais         $ 12.000         $ 12.000
Lucro      disponível    para     ações         $ 6.000        $ 24.000
ordinárias
Lucro por ação (LPA)                    $ 6.000         $ 24.000
                                                     --------- = $       ---------- = $
                                                     1,20                4,80
                                                     5.000               5.000
Variação no Lucro por Ação                                               + 300%




                                                                                                        9
Lista de Exercícios


1 - A empresa Produtos Caseiros tem custos fixos de R$ 380.000,00, custo variável de R$
16,00 por unidade e um preço de venda unitário de R$ 63,50:
a) calcule o ponto de equilíbrio operacional em unidades;
b) calcule o LAJIR da empresa a 9.000, 10.000 e 11.000 unidades, respectivamente;
c) Usando 10.000 unidades como base, quais são as variações percentuais em unidades
vendidas e LAJIR, à medida que as vendas se movem da base para outros níveis de vendas
usados em “b “?
d) Use as porcentagens calculadas em “c” para determinar o grau de alavancagem
operacional (GAO);

2 – A Industriais do Sul tem R$ 60.000,00 em títulos, a 16% de juros anuais, 1.500 ações
preferenciais, pagando um dividendo anual de R$ 5,00 por ação e 4.000 ações ordinárias
emitidas. Supondo que a empresa esteja na alíquota de Imposto de 40%, calcule os lucros por
ação LPA para aos seguintes níveis de LAJIR:
a) R$ 24.600,00;
b) R$ 30.600,00;
c) R$ 35.000,00.

3 – Atualmente, a Nordeste Empreendimentos tem uma estrutura de capital composta de R$
250.000,00 em títulos a 16% ao ano e 2.000 ações ordinárias. A firma encontra-se numa faixa
de alíquota de Imposto de 40%:
a) Usando o valor de R$ 80.000,00 e R$ 120.000,00 para o LAJIR, determine os lucros por
ação – LPA;
b) Usando como base o valor de R$ 80.000,00 para o LAJIR, calcule o Grau de Alavancagem
Financeira – GAF;
c) Refaça os itens “a” e “b”, considerando que a firma tem R$ 100.000,00 em títulos a 16% ao
ano e 3.000 mil ações ordinárias.

4 – A empresa Jogos Divertidos produtos bolas de praia infláveis, vendendo 400.000 bolas por
ano. Cada bola produzida tem um custo variável de R$ 0,84 e é vendida por R$ 1,00. Os
custos fixos são de R$ 28.000,00. A empresa tem uma despesa com juros de R$ 6.000,00 por
ano, dividendos preferenciais de R$ 2.000,00 e está na faixa de 40% na alíquota de imposto de
renda.
a) Calcule o ponto de equilíbrio em unidades;
b) Calcule o Grau de Alavancagem Operacional;
c) Calcule o Calcule o Grau de Alavancagem Financeira – GAF;
 d) Calcule o GAT – Grau de Alavancagem Total.




                                                                                           10

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à Gestão de Custos
Introdução à Gestão de CustosIntrodução à Gestão de Custos
Introdução à Gestão de Custos
Eliseu Fortolan
 
Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6
Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6
Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6
ctccecbg
 
Aula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontalAula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontal
Reginaldo Santana
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
MestredaContabilidade
 
Custos metodos de custeio
Custos metodos de custeioCustos metodos de custeio
Custos metodos de custeio
custos contabil
 
Administração financeira análise de balanços
Administração financeira   análise de balançosAdministração financeira   análise de balanços
Administração financeira análise de balanços
Kleber Mantovanelli
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
Danilo Pereira
 
DRE
DREDRE
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
MestredaContabilidade
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedra
contacontabil
 
Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)
Adriano Bruni
 
Ponto de equilíbrio custos industriais
Ponto de equilíbrio custos industriaisPonto de equilíbrio custos industriais
Ponto de equilíbrio custos industriais
Felipe Willians
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
capitulocontabil
 
Material aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custosMaterial aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custos
Rafhael Sena
 
Rh folha de pagamento
Rh folha de pagamentoRh folha de pagamento
Rh folha de pagamento
simuladocontabil
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Daniel Moura
 
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo PiresContabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 4
Exercicios contabilidade exercicioscap 4Exercicios contabilidade exercicioscap 4
Exercicios contabilidade exercicioscap 4
capitulocontabil
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de Produção
Luciano Pires
 
Contabilidade aula 04 receitas x despesas
Contabilidade aula 04 receitas x despesasContabilidade aula 04 receitas x despesas
Contabilidade aula 04 receitas x despesas
capitulocontabil
 

Mais procurados (20)

Introdução à Gestão de Custos
Introdução à Gestão de CustosIntrodução à Gestão de Custos
Introdução à Gestão de Custos
 
Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6
Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6
Demonstração Do Resultado Do Exercício V 6
 
Aula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontalAula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontal
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
 
Custos metodos de custeio
Custos metodos de custeioCustos metodos de custeio
Custos metodos de custeio
 
Administração financeira análise de balanços
Administração financeira   análise de balançosAdministração financeira   análise de balanços
Administração financeira análise de balanços
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 
DRE
DREDRE
DRE
 
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedra
 
Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)
 
Ponto de equilíbrio custos industriais
Ponto de equilíbrio custos industriaisPonto de equilíbrio custos industriais
Ponto de equilíbrio custos industriais
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3Exercicios contabilidade exercicioscap 3
Exercicios contabilidade exercicioscap 3
 
Material aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custosMaterial aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custos
 
Rh folha de pagamento
Rh folha de pagamentoRh folha de pagamento
Rh folha de pagamento
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
 
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo PiresContabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 4
Exercicios contabilidade exercicioscap 4Exercicios contabilidade exercicioscap 4
Exercicios contabilidade exercicioscap 4
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de Produção
 
Contabilidade aula 04 receitas x despesas
Contabilidade aula 04 receitas x despesasContabilidade aula 04 receitas x despesas
Contabilidade aula 04 receitas x despesas
 

Semelhante a Apostila 07 ponto de equilíbrio e grau de alavancagem

Apostila controladoria 10
Apostila controladoria 10Apostila controladoria 10
Apostila controladoria 10
controladoriacontab
 
Apostila controladoria 10 2
Apostila controladoria 10 2Apostila controladoria 10 2
Apostila controladoria 10 2
controladoriacontab
 
Custo volume lucro
Custo volume lucroCusto volume lucro
Custo volume lucro
simuladocontabil
 
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptxAula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Universidade Estadual da Paraíba
 
Slides controladoria aula_10 b
Slides controladoria aula_10 bSlides controladoria aula_10 b
Slides controladoria aula_10 b
controladoriacontab
 
Slides controladoria aula_10
Slides controladoria aula_10Slides controladoria aula_10
Slides controladoria aula_10
controladoriacontab
 
Análise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrioAnálise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrio
zeramento contabil
 
Análise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrioAnálise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrio
zeramento contabil
 
Analise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de EquilibrioAnalise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de Equilibrio
Filipe Mello
 
Aula 4 avaliação economica
Aula 4 avaliação economicaAula 4 avaliação economica
Aula 4 avaliação economica
Marcos Paulo Oliveira Motta
 
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de VendaPalestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
sebraeleste1
 
Custos 06
Custos 06Custos 06
Custos 06
Custos 06Custos 06
Eco 111 - Aula 08
Eco 111 - Aula 08Eco 111 - Aula 08
Eco 111 - Aula 08
Thiago Ribeiro
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
albumina
 
Apostila etec pfo
Apostila etec   pfoApostila etec   pfo
Apostila etec pfo
simuladocontabil
 
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucroCap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
PROFESSORA_LIVIA
 
Apostila etec pfo ii
Apostila etec   pfo iiApostila etec   pfo ii
Apostila etec pfo ii
simuladocontabil
 
Conceitosfinanc
ConceitosfinancConceitosfinanc
Conceitosfinanc
zeramento contabil
 
Conceitos financeiros contabeis
Conceitos financeiros contabeisConceitos financeiros contabeis
Conceitos financeiros contabeis
custos contabil
 

Semelhante a Apostila 07 ponto de equilíbrio e grau de alavancagem (20)

Apostila controladoria 10
Apostila controladoria 10Apostila controladoria 10
Apostila controladoria 10
 
Apostila controladoria 10 2
Apostila controladoria 10 2Apostila controladoria 10 2
Apostila controladoria 10 2
 
Custo volume lucro
Custo volume lucroCusto volume lucro
Custo volume lucro
 
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptxAula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
 
Slides controladoria aula_10 b
Slides controladoria aula_10 bSlides controladoria aula_10 b
Slides controladoria aula_10 b
 
Slides controladoria aula_10
Slides controladoria aula_10Slides controladoria aula_10
Slides controladoria aula_10
 
Análise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrioAnálise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrio
 
Análise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrioAnálise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrio
 
Analise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de EquilibrioAnalise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de Equilibrio
 
Aula 4 avaliação economica
Aula 4 avaliação economicaAula 4 avaliação economica
Aula 4 avaliação economica
 
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de VendaPalestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
 
Custos 06
Custos 06Custos 06
Custos 06
 
Custos 06
Custos 06Custos 06
Custos 06
 
Eco 111 - Aula 08
Eco 111 - Aula 08Eco 111 - Aula 08
Eco 111 - Aula 08
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
 
Apostila etec pfo
Apostila etec   pfoApostila etec   pfo
Apostila etec pfo
 
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucroCap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
 
Apostila etec pfo ii
Apostila etec   pfo iiApostila etec   pfo ii
Apostila etec pfo ii
 
Conceitosfinanc
ConceitosfinancConceitosfinanc
Conceitosfinanc
 
Conceitos financeiros contabeis
Conceitos financeiros contabeisConceitos financeiros contabeis
Conceitos financeiros contabeis
 

Mais de zeramento contabil

Contabilidade 11
Contabilidade 11Contabilidade 11
Contabilidade 11
zeramento contabil
 
Contabilidade 01
Contabilidade 01Contabilidade 01
Contabilidade 01
zeramento contabil
 
Contabilidade 02
Contabilidade 02Contabilidade 02
Contabilidade 02
zeramento contabil
 
Contabilidade 03
Contabilidade 03Contabilidade 03
Contabilidade 03
zeramento contabil
 
Contabilidade 04
Contabilidade 04Contabilidade 04
Contabilidade 04
zeramento contabil
 
Contabilidade 05
Contabilidade 05Contabilidade 05
Contabilidade 05
zeramento contabil
 
Contabilidade 06
Contabilidade 06Contabilidade 06
Contabilidade 06
zeramento contabil
 
Contabilidade 07
Contabilidade 07Contabilidade 07
Contabilidade 07
zeramento contabil
 
Contabilidade 08
Contabilidade 08Contabilidade 08
Contabilidade 08
zeramento contabil
 
Contabilidade 09
Contabilidade 09Contabilidade 09
Contabilidade 09
zeramento contabil
 
Contabilidade 10
Contabilidade 10Contabilidade 10
Contabilidade 10
zeramento contabil
 
Contabilidade 12
Contabilidade 12Contabilidade 12
Contabilidade 12
zeramento contabil
 
Contabilidade 13
Contabilidade 13Contabilidade 13
Contabilidade 13
zeramento contabil
 
Contabilidade 15
Contabilidade 15Contabilidade 15
Contabilidade 15
zeramento contabil
 
Razonetes cap i 2015
Razonetes cap i 2015Razonetes cap i 2015
Razonetes cap i 2015
zeramento contabil
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
zeramento contabil
 
Livro contabilidade intermediaria 2
Livro contabilidade intermediaria 2Livro contabilidade intermediaria 2
Livro contabilidade intermediaria 2
zeramento contabil
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
zeramento contabil
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
zeramento contabil
 

Mais de zeramento contabil (20)

Contabilidade 11
Contabilidade 11Contabilidade 11
Contabilidade 11
 
Contabilidade 01
Contabilidade 01Contabilidade 01
Contabilidade 01
 
Contabilidade 02
Contabilidade 02Contabilidade 02
Contabilidade 02
 
Contabilidade 03
Contabilidade 03Contabilidade 03
Contabilidade 03
 
Contabilidade 04
Contabilidade 04Contabilidade 04
Contabilidade 04
 
Contabilidade 05
Contabilidade 05Contabilidade 05
Contabilidade 05
 
Contabilidade 06
Contabilidade 06Contabilidade 06
Contabilidade 06
 
Contabilidade 07
Contabilidade 07Contabilidade 07
Contabilidade 07
 
Contabilidade 08
Contabilidade 08Contabilidade 08
Contabilidade 08
 
Contabilidade 09
Contabilidade 09Contabilidade 09
Contabilidade 09
 
Contabilidade 10
Contabilidade 10Contabilidade 10
Contabilidade 10
 
Contabilidade 12
Contabilidade 12Contabilidade 12
Contabilidade 12
 
Contabilidade 13
Contabilidade 13Contabilidade 13
Contabilidade 13
 
Contabilidade 15
Contabilidade 15Contabilidade 15
Contabilidade 15
 
Razonetes cap i 2015
Razonetes cap i 2015Razonetes cap i 2015
Razonetes cap i 2015
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
 
Livro contabilidade intermediaria 2
Livro contabilidade intermediaria 2Livro contabilidade intermediaria 2
Livro contabilidade intermediaria 2
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
 
Rosa dos ventos
Rosa dos ventosRosa dos ventos
Rosa dos ventos
 

Apostila 07 ponto de equilíbrio e grau de alavancagem

  • 1. Análise do Ponto de Equilíbrio, Margem de Segurança e Grau de Alavancagem. Ponto de equilíbrio (break-even point) é um nível de atividades em que as receitas são iguais às despesas e, conseqüentemente, o lucro é igual a zero. Existem varias abordagens do ponto de equilíbrio conforme apresentaremos a seguir. 1 PONTO DE EQUILIBRIO CONTÁBIL (PEC) O Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC) é definido como o nível de atividades necessárias para recuperar todas as despesas e custos de uma empresa. No PEC, o lucro líquido contábil é igual a zero PEC = volume de vendas (ou nível de atividades) no qual a receita total (RT) é igual às despesas totais mais os custos totais (DT + CT). Portanto, no PEC, tem-se que RT = (DT + CT), ou seja, o lucro será zero. Despesas totais = Despesas fixas mais despesas variáveis Custos totais = Custos fixos mais custos variáveis 1.1 Utilização da análise do PEC O PEC pode ser utilizado para: • determinar o nível de atividades necessárias para cobrir todas as despesas e custos, tanto fixos quanto variáveis; • avaliar a lucratividade associada aos diversos níveis possíveis de vendas, ou seja, aos vários níveis possíveis de atividade; • facilitar a análise dos efeitos sobre a lucratividade decorrente de alterações nas despesas e custos fixos e variáveis, no volume de vendas, no preço de vendas e na distribuição relativa de linhas de produtos vendidos. 1.2 Abordagem algébrica Algebricamente, a quantidade de vendas no PEC pode ser determinada com a utilização da seguinte fórmula: _____DESPESAS FIXAS + CUSTOS FIXOS_____ QPEC = MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA Conceitualmente, o PEC é o volume de atividades (ou nível das vendas) no qual as Receitas Totais (RT) são às Despesas Totais (DT) mais os Custos Totais (CT). Algebricamente, no Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC), tem-se: Fórmula 1 RT = DT + CT onde: RT = Receitas totais = quantidade vendida X preço de venda unitário ou (Q X PV) DT = Despesas fixas mais despesas variáveis ou (DF + CV) CT = Custos fixos mais custos variáveis (CF + CV) Efetuando as substituições na fórmula 1, tem-se: Fórmula 2 (Q X PV) = (DF + DV) + (CF + CV) onde: 1
  • 2. DV = quantidade vendida X despesas variáveis para cada unidade vendida ou (Q X DV) CV = quantidade vendida X custos variáveis para cada unidade vendida ou (Q X CV) Efetuando as substituições na fórmula 2, tem-se que: Fórmula 3 (Q X PV) = (DF + Q X DV) + (CF + Q X CV) ou Q X PV + DF + Q X DV + CF + Q X CV ou (Q X PV) – (Q X DV) – (Q X CV) = DF + CF ou (Q no PEC) {PV – (DV + CV)} = DF + CF ou Q no PEC = DF + CF PV – (DV + CV) Como o denominador PV – (DV + CV) é a mesma coisa que margem de contribuição, tem- se finalmente a fórmula final: Despesas fixas + Custos Fixos . QPEC = Margem de Contribuição Unitária 1.3 Exemplo numérico de ponto de equilíbrio contábil Uma indústria vende cada unidade de seu produto por $ 1.000. A margem de contribuição e sua estrutura de despesas e custos são as seguintes: Quadro 1 Gastos por unidade de produto e por período. $ Preço unitário de venda 1.000 Despesas variáveis, para cada unidade 130 Custos variáveis, para cada unidade 470 Total das despesas e custos variáveis para unidade 600 Margem de contribuição unitária 400 Preço de venda menos total das despesas e custos variáveis Despesas fixas, totais do mês 300.000 Custos fixos, totais do mês 1.700.000 Total das despesas e custos fixos do mês 2.000.000 Com base nesses números, o volume de atividade do Ponto de Equilíbrio Contábil – QPEC é obtido como segue: Despesas Fixas + Custos Fixos _ QPEC = RT = Margem de Contribuição Unitária ou RT = $ 2.000.000 = 5.000 unidades, volume de vendas onde $ 400 Receitas totais = Despesas mais custos totais A prova de que o cálculo da quantidade está correto pode ser demonstrada no Quadro 2. 2
  • 3. Quadro 2 Demonstração do resultado no ponto de equilíbrio contábil. $ Total das Receitas = 5.000 unidades X $ 1.000 5.000.000 Menos Total das despesas variáveis = 5.000 unidades X $ 130 (650.000) Total dos custos variáveis = 5.000 unidades X $ 470 (2.350.000) = Margem de contribuição total 2.000.000 Menos Total de despesas fixas (300.000) Total dos custos fixos (1.700.000) = Resultado do mês Zero 2 1PONTO DE EQUILIBRIO FINANCEIRO (PEF) O ponto de equilíbrio calculado anteriormente é o ponto de equilíbrio contábil (PEC), ou seja, demonstração contábil das Receitas Totais às Despesas e Custos Totais. No entanto, na maioria das empresas existem parcelas de despesas e custos que não representam desembolsos de numerários no período. Por exemplo, as despesas e os custos com a depreciação dos bens do ativo imobilizado da empresa (prédios, máquinas, equipamentos, ferramentas, instalações, veículos etc.). Para a obtenção do Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF), tais despesas e custos devem ser excluídos do total, e a fórmula seria: Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF) RT = (despesas fixas + custos fixos) menos (despesas e custos fixos que não representam desembolsos financeiros) _ Margem de contribuição unitária Ponto de Equilíbrio Financeiro Nível de produção e vendas em que o saldo de caixa é igual a zero. Representa a quantidade de vendas necessária para cobrir os gastos desembolsáveis tanto operacionais quanto não operacionais. No PEF, a empresa apresenta prejuízo contábil e saldo de caixa zero. Exemplo de calculo do PEF, utilizando as variáveis anteriores Supondo que no total de $ 2.000.000 contabilizados como despesas e custos fixos esteja incluído o montante de $ 400.000 de depreciação, ou seja, despesas e custos não desembolsáveis.1 $ 2.000.000 menos $ 400.000 = 4.000 unidades PEF = MC = $ 400,00 Quadro 3 Demonstração do Resultado. 1 Na Realidade, o desembolso financeiro ocorreu por ocasião da compra dos ativos. Por exemplo, uma máquina foi comprada e paga no ano anterior, no valor de $ 4.000.000. O custo com a depreciação será contabilizado durante 10 anos, ou seja, desgaste de 10% anual, representando $ 400.000 anuais. 3
  • 4. Demonstração do resultado ZERO de caixa no ponto de equilíbrio financeiro (PEF). $ a. Total das Receitas = 4.000 unidade X $ 1.000 4.000.000 Menos b. Total das despesas variáveis = 4.000 unidades X $ 130 (520.000) c. Total dos custos variáveis = 4.000 unidades X $ 470 (1.880.000) d. = Margem de contribuição total = a menos (b+c) 1.600.000 Menos Despesas e custos fixos desembolsados e. Total de despesas fixas (300.000) f. Total dos custos fixos (1.700.000) g. Menos despesas e custos fixos não desembolsados 400.000 h. despesas e custos fixos desembolsados = e + f menos g 1.600.000 = Resultado do caixa do mês = d menos h ZERO 2.2 – Ponto de Equilíbrio Econômico – É quando o resultado da empresa é o lucro suficiente para cobrir o retorno financeiro que a empresa obteria sobre o seu Patrimônio Líquido. Este retorno financeiro que a empresa não está obtendo, é denominado “Custo de Oportunidade”. Para obter a quantidade de produto necessária (produção e venda) para obter o Ponto de Equilíbrio Econômico, basta utilizar a fórmula abaixo: _DESPESAS FIXAS + CUSTOS FIXOS__+ Custo de Oportunidade_ QPEE = MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA 2.3 – Margem de Segurança – é o percentual que a empresa poderá reduzir seu lucro, sem entrar na faixa de prejuízo. Sua fórmula é: Margem de _Receitas Atuais – Receitas no Ponto de Equilíbrio Segurança = Receitas Atuais 3 GRAU DE ALAVANCAGEM OPERACIONAL (GAO) 4
  • 5. Representa o efeito que um aumento na quantidade de vendas provocará no lucro de sua empresa. Fórmula para o cálculo do GAO Variação percentual no lucro _ GAO = Variação percentual na quantidade vendida O grau de alavancagem operacional é de extrema utilidade para as projeções dos resultados que determinada empresa obteria em diversos níveis de atividades de produção e de vendas, mantidas constantes as demais variáveis, tais como margem de contribuição, total das despesas e custos fixos etc. Exemplo de cálculo do Grau de Alavancagem Operacional Com utilização das mesmas informações utilizadas para cálculo do ponto de equilíbrio, conforme Quadro 4. Quadro 4 Gastos do produto e do período. $ Preço unitário de venda 1.000 Despesas variáveis, para cada unidade 130 Custos variáveis, para cada unidade 470 Total das despesas e custos variáveis para unidade 600 Margem de contribuição unitária 400 Preço de venda menos total das despesas e custos variáveis Despesas fixas, totais do mês 300.000 Custos fixos, totais do mês 1.700.000 Supondo que a empresa produziu e vendeu durante um determinado mês 7.000 unidades do seu produto, o lucro mensal seria o seguinte: Quadro 5 Lucro do mês, supondo um volume de atividades de 7.000 unidades. $ Total das Receitas = 7.000 unidades X $ 1.000 7.000.000 Menos Total das despesas variáveis = 7.000 unidade X $130 (910.000) Total dos custos variáveis = 7.000 unidades X $ 470 (3.290.000) = Margem de contribuição total 2.800.000 Menos Total das despesas fixas (300.000) Total dos custos fixos (1.700.000) = Resultado do mês 800.000 5
  • 6. Qual seria o Grau de Alavancagem Operacional dessa empresa, ao volume de atividades de 7.000 unidades? Em outras palavras, qual seria o reflexo no lucro se houvesse determinado aumento no volume de atividades? Supondo um acréscimo de 10% no volume de atividades – a empresa vendeu 7.700 unidades, em vez das 7.000 anteriores – o “novo” lucro seria apurado como segue: Quadro 6 Lucro do mês, supondo um volume de atividades de 7.700 unidades. $ Total das Receitas = 7.700 unidades X S 1.000 7.700.000 Menos Total das despesas variáveis = 7.700 unidades X $ 130 (1.001.000) Total dos custos variáveis = 7.700 unidades X $ 470 (3.619.000) = Margem de contribuição total 3.080.000 Menos Total das despesas fixas (300.000) Total dos custos fixos (1.700.000) = Resultado do mês 1.080.000 Portanto, o lucro anterior de $ 800.000 aumentou para $ 1.080.000, equivalente a $ 280.000 ou 35%. Aplicando a fórmula, o GAO seria, então Variação percentual no lucro _ GAO = Variação percentual na quantidade vendida 35% GAO = = 3,5 vezes 10% O GAO de 3,5 vezes significa que, no volume de atividade de 7.000 unidades, qualquer acréscimo percentual no volume dessa atividade implicará que o lucro aumentará proporcionalmente em 3,5 vezes. Comprovação numérica dessa afirmação: considerando que o volume de atividades, que era de 7.000 unidades, aumente em 25%, passando para 8.750 unidades. Como afirmado, o lucro do mês aumentaria 87,5% (25% vezes 3,5 vezes), passando de $ 800.000 para $ 1.500.000. 6
  • 7. Demonstração Quadro 7 Lucro do mês, supondo um volume de atividades de 8.750 unidades. $ Total das Receitas = 8.750 unidades X 1.000 8.750.000 Menos Total das despesas variáveis = 8.750 X $ 130 (1.137.500) Total dos custos variáveis = 8.750 unidades X $ 470 (4.112.500) = Margem de contribuição total 3.500.000 Menos Total das despesas fixas (300.000) Total dos custos fixos (1.700.000) = Resultado do mês 1.500.000 04. ALAVANCAGEM FINANCEIRA A alavancagem financeira resulta da presença de encargos financeiros fixos no fluxo de lucro da empresa. Pode ser definida como a capacidade da empresa para usar encargos financeiros fixos, a fim de maximizar os efeitos de variações no lucro antes dos juros e impostos (LAJIR) sobre os lucros por ação (LPA) da empresa. Os dois encargos financeiros fixos que podem ser encontrados na demonstração de resultado do exercício são: - juros sobre empréstimos - dividendos de ações preferenciais Exemplo: A CHEN FOODS espera lucros antes dos juros e IR de $ 10.000 no ano corrente. Ele tem empréstimos de longo prazo, no montante de $ 20.000, que sofrem a incidência de juros anuais de 10%. Dispõe, também de 600 ações preferenciais em circulação, com $ 4 de dividendo anual por ação. Possui, ainda, 1.000 ações ordinárias em circulação. Os encargos fixos são: $ 2.000 (resultantes do juro de 10% sobre $ 20.000 de empréstimos; e os dividendos anuais de $ 2.400, referente ao pagamento às ações preferenciais ($ 4,00/ação X 600 ações). O quadro abaixo apresenta os lucros por ação correspondentes aos níveis de lucros antes dos juros e impostos (LAJIR) de $ 6.000 e $ 14.000, supondo que alíquota de IR seja de 40%. Caso 1 – Um aumento de 40% no LAJIR (de $ 10.000 para $ 14.000) resulta num acréscimo de 100% em Lucros por Ação – LPA (de $ 2,40 para $ 4,80); Caso 2 – Uma queda de 40% no LAJIR (de $ 10.000 para $ 6.000) resulta num decréscimo de 100% nos lucros por ação – LPA (de $ 2,40 para $ 0) 7
  • 8. LPA PARA VÁRIOS NÍVEIS DE LAJIR CASO 02 ATUAL CASO 01 - 40% + 40% LAJIR $ 6.000 $ 10.000 $ 14.000 Menos juros (J) $ 2.000 $ 2.000 $ 2.000 Lucro antes do Imposto de Renda $ 4.000 $ 8.000 $ 12.000 Menos Imposto de Renda (T = 0,40) $ 1.600 $ 3.200 $ 4.800 Lucro líquido depois do Imposto de Renda $ 2.400 $ 4.800 $ 7.200 Menos Dividendos de ações preferenciais $ 2.400 $ 2.400 $ 2.400 (DP) Lucro disponível para acionistas (LAC) $0 $ 2.400 $ 4.800 Lucro por ação (LPA) $ 0/1000=$ 0 $2400/1000 $ 4800/1000 = $ 2,40 = $ 4,80 - 100% + 100% Grau de Alavancagem Financeira (GAF) GAF = VARIAÇÃO PERCENTUAL NO LPA VARIAÇÃO PERCENTUAL NO LAJIR Caso 01: GAF = + 100% = 2,5 GAF = - 100% = 2,5 + 40% - 40% Fórmula direta: GAF = LAJIR _________________________________________ LAJIR – J – (DP X (1/ 1- T)) 5. GRAU DE ALAVANCAGEM TOTAL (GAT) Impacto combinado da alavancagem financeira e da alavancagem operacional da empresa: GAT = GAO x GAF OBS.: Para Gitman, o lucro para obter o Grau de Alavancagem Operacional corresponde ao LAJIR, onde temos: GAO = variação percentual no LAJIR Variação percentual nas VENDAS 8
  • 9. Exemplo: A empresa CABOS S/A, fabricante de cabos para computadores., espera vender 20.000 unidades a $ 5 a unidade no próximo ano, e precisa atender aos seguintes compromissos: custos variáveis de $ 2.,00 por unidade, custos fixos de $ 10.000,00, juros de $ 20.000 e dividendos de ações preferenciais de $ 12.000. A empresa está na faixa de 40% na alíquota de imposto de renda e tem 5.000 ações ordinárias em circulação. O quadro abaixo mostra os níveis de Lucro por Ação (LPA) associados às vendas esperadas de 20.000 e 30.000 unidades: O EFEITO DA ALAVANCAGEM TOTAL: Vendas em Unidades 20.000 30.000 Variação de Vendas + 50% Receitas de Vendas $ 100.000 150.000 (-) Custos Variáveis $ 40.000 $ 60.000 (-) Custos Fixos $ 10.000 $ 10.000 LAJIR (Lucro antes dos Juros / IR) $ 50.000 $ 80.000 Variação no LAJIR + 60% (-) Juros $ 20.000 $ 20.000 Lucro líquido antes dos impostos $ 30.000 $ 60.000 (-) Impostos (T=0,40) $ 12.000 $ 24.000 Lucro líquido depois dos impostos $ 18.000 $ 36.000 (-) Dividendos de ações preferenciais $ 12.000 $ 12.000 Lucro disponível para ações $ 6.000 $ 24.000 ordinárias Lucro por ação (LPA) $ 6.000 $ 24.000 --------- = $ ---------- = $ 1,20 4,80 5.000 5.000 Variação no Lucro por Ação + 300% 9
  • 10. Lista de Exercícios 1 - A empresa Produtos Caseiros tem custos fixos de R$ 380.000,00, custo variável de R$ 16,00 por unidade e um preço de venda unitário de R$ 63,50: a) calcule o ponto de equilíbrio operacional em unidades; b) calcule o LAJIR da empresa a 9.000, 10.000 e 11.000 unidades, respectivamente; c) Usando 10.000 unidades como base, quais são as variações percentuais em unidades vendidas e LAJIR, à medida que as vendas se movem da base para outros níveis de vendas usados em “b “? d) Use as porcentagens calculadas em “c” para determinar o grau de alavancagem operacional (GAO); 2 – A Industriais do Sul tem R$ 60.000,00 em títulos, a 16% de juros anuais, 1.500 ações preferenciais, pagando um dividendo anual de R$ 5,00 por ação e 4.000 ações ordinárias emitidas. Supondo que a empresa esteja na alíquota de Imposto de 40%, calcule os lucros por ação LPA para aos seguintes níveis de LAJIR: a) R$ 24.600,00; b) R$ 30.600,00; c) R$ 35.000,00. 3 – Atualmente, a Nordeste Empreendimentos tem uma estrutura de capital composta de R$ 250.000,00 em títulos a 16% ao ano e 2.000 ações ordinárias. A firma encontra-se numa faixa de alíquota de Imposto de 40%: a) Usando o valor de R$ 80.000,00 e R$ 120.000,00 para o LAJIR, determine os lucros por ação – LPA; b) Usando como base o valor de R$ 80.000,00 para o LAJIR, calcule o Grau de Alavancagem Financeira – GAF; c) Refaça os itens “a” e “b”, considerando que a firma tem R$ 100.000,00 em títulos a 16% ao ano e 3.000 mil ações ordinárias. 4 – A empresa Jogos Divertidos produtos bolas de praia infláveis, vendendo 400.000 bolas por ano. Cada bola produzida tem um custo variável de R$ 0,84 e é vendida por R$ 1,00. Os custos fixos são de R$ 28.000,00. A empresa tem uma despesa com juros de R$ 6.000,00 por ano, dividendos preferenciais de R$ 2.000,00 e está na faixa de 40% na alíquota de imposto de renda. a) Calcule o ponto de equilíbrio em unidades; b) Calcule o Grau de Alavancagem Operacional; c) Calcule o Calcule o Grau de Alavancagem Financeira – GAF; d) Calcule o GAT – Grau de Alavancagem Total. 10