SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução
Conforme Martorelli (2014), dados divulgados pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial
(IEMI) o setor de moda íntima cresceu 33% nos últimos quatro anos, gerando uma
concorrência acirrada, traduzida pela competição pelo menor preço. Sendo assim, torna-se
fundamental a obtenção de melhorias no processo produtivo para fazer frente a essa maior
concorrência e garantir participação neste mercado competitivo.
A empresa estudada na presente pesquisa apresentava problemas de cumprimento de
prazos de entrega, ou seja, não estava conseguindo suprir a demanda. O problema a ser
estudado se trata de uma realocação de recursos e mudança de alguns conceitos de uma
fábrica que produz componentes para o vestuário de moda íntima feminina. Assim, algumas
melhorias foram propostas para um determinado setor da empresa envolvendo o tamanho do
lote, o arranjo físico (ou layout), a produtividade e, consequentemente, o lead time..
Objetivo
Mediante o contexto apresentado, o objetivo deste trabalho é apresentar uma aplicação de
conceitos básicos de planejamento e controle da produção com o objetivo de reduzir o
tamanho de lote e, consequentemente, o lead time. Vale ressaltar que não há a preocupação
de otimização do processo e sim a estruturação do mesmo com o foco na redução do lead
time.
Revisão teórica
Planejamento e Controle da Produção (PCP)
As atividades de planejamento e controle da produção envolvem, segundo Fernandes e
Godinho Filho (2010), uma série de decisões com o objetivo de definir o que, quanto e
quando produzir, comprar e entregar, além de quem e/ou como produzir.
O PCP, de acordo com Nanci et. al. (2008), deve estar alinhado e orientado pelas definições
de: planejamento estratégico, marketing, projeto do processo, sendo que o marketing e o
planejamento estratégico são ações de planejamento articuladas em um horizonte de longo
prazo.
Apesar de o termo PCP ser muito utilizado, é importante ressaltar que há diferenças entre o
Planejamento (P) e o Controle (C) da Produção (P). Planejamento, para Slack, Chambers e
Johnston (2009), é a formalização do que se pretende que aconteça em determinado
momento no futuro. Mas um plano não garante que um evento vá, realmente, acontecer, pois
podem ocorrer mudanças por parte dos clientes. Já controle, para o mesmo autor, é o
processo de lidar com essas variações de previsões, isso pode significar que os planos
precisem ser refeitos, ou ainda pode significar que será preciso fazer uma intervenção na
operação para trazê-la de volta aos “trilhos”.
Conceitos básicos: layout, lead time, capacidade e tamanho de lote.
Para Moreira (2012), planejar o layout (arranjo físico) de uma instalação significa tomar
decisões sobre a forma como serão dispostos os centros de trabalho que aí devem
permanecer. Se o layout for bem planejado, pode-se diminuir o lead time da empresa.
De acordo com Ericksen, Stoflet e Suri (2007) lead time pode ser definido como o tempo
típico (medido em dias corridos), desde que o cliente faz o pedido, passando pelo caminho
crítico, até que a primeira peça do pedido seja entregue ao cliente. Com um bom lead time, a
capacidade de fabricação pode ser melhorada e melhor aproveitada.
A definição de capacidade de uma operação, segundo Slack, Chambers e Johnston (2009), é
o máximo nível de atividade de valor adicionado em determinado período de tempo que o
processo pode realizar sob condições normais de operação. A capacidade pode ser
aperfeiçoada através de algumas variáveis de produção, como, por exemplo, o tamanho de
lote.
Castro (2007) explica que o problema de tamanho de lote de produção consiste em
determinar quais produtos e em que quantidades produzir e estocar em cada período dentro
de um horizonte de planejamento de modo a atender demandas pré-estabelecidas.
Método de Pesquisa
Para este trabalho adotou-se como estratégia de pesquisa o estudo de caso. Os dados
utilizados são de uma indústria têxtil, localizada em Franca-São Paulo, considerada de médio
porte. Para a realização do estudo de caso foram realizadas algumas visitas à empresa em
questão e entrevistas com funcionários, chefes do setor e um gerente industrial e, por meio
de contatos via e-mail, houve discussão de algumas questões básicas da pesquisa.
Estudo de Caso
Situação no passado
Figura 1 – Layout anterior.
Observando-se o local de trabalho,
constatou-se que o próprio funcionário do balancim escolhia qual o próximo produto a ser
produzido. O deslocamento deste também era excessivo, e o mesmo ocorria com os setores
das aparadeiras e da revisão e embalagem. Não existia programação da produção. Estes
fatos implicavam em um atraso na entrega de produtos de 3 semanas. Nenhum estudo de
layout, projetos, lead time, fluxo, etc., foi desenvolvido para que o sistema produtivo fosse
elaborado.
Resultados (melhorias, propostas, situação atual)
Para resolver os problemas citados acima, foram tomadas as seguintes providências:
1)instalação de um setor de PCP na fábrica estudada; 2)alocação de funcionários para levar
a matéria prima do recortador e a ferramenta utilizada até ele, de acordo com as fichas pré-
estipuladas pelo setor de PCP; 3)implantação de esteiras de transporte entre os
recortadores, aparadeiras e revisão e embalagem, criando um fluxo mais contínuo; 4)
dividiu-se os produtos em famílias, de acordo com a demanda e o tipo de produto;
5)aperfeiçoamento da ferramenta “faca”, utilizada nos balancins, de modo que nas linhas de
alta produção, dispensou-se o Figura 2 – Layout Atual
setor das aparadeiras,
aumentando a capacidade da
empresa.
A figura 2 representa as duas
linhas de produção que foram
elaboradas, mediante as
famílias de produtos. Os
resultados foram:
a) Tempo de ciclo total era de
42,69s/par, mudou para 8,8s/
/par (linhas de alta produção)
e para 17,6s/par (linhas de
De produção e alta);
b)Com isso, a capacidade aumentou de 2400 pares/dia para 3600 pares/dia.
d)A redução do lead time e a estruturação do setor de PCP fizeram com que o número médio
de pedidos atrasados diminuísse de 3 semanas para aproximadamente 2 dias.
Conclusão
A organização do setor de PCP e realocação de alguns recursos fabris, fez com que a
organização ganhasse, nas linhas de alta produção, uma redução do lead time de 485%.
Esta reestruturação da empresa também fez com que os atrasos dos pedidos caíssem para
2 dias em média. Assim, o sistema produtivo ficou mais flexível, a confiabilidade dos clientes
aumentou substancialmente, a capacidade aumentou, aumentando os lucros da empresa.
Referências
ERICKSEN, P. D.; STOFLET, N.J.; SURI, R. Manufacturing critical-path time (MCT): the QRM metric for lead time.
Technical Report, Center for QRM, Wisconsin-Madison, 2007.
FERNANDES, Flávio César Faria; GODINHO FILHO, Moacir. Planejamento e controle da produção: dos
fundamentos ao essencial. São Paulo: Atlas, 2010.
MARTORELLI, Renata. Lojas de rua trazem glamour e aproximam consumidores de seus produtos: moda íntima
em alta.2014.Disponível em: <http://costuraperfeita.com/edicao/24/materia/mercado.html>. Acesso em: abr. 2014.
MOREIRA, Daniel Augusto. Administração da produção e operações. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2012.
NANCI, C. N; et. al. O pcp no contexto estratégico. In: LUSTOSA, L.; MESQUITA, M.A.; QUELHAS, O.;
OLIVEIRA, R (Org.). Planejamento e controle da produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.
SLACK, Nigel; CHAMBERS, Stuart; JOHNSTON, Robert. Administração da produção. Tradução de Maria Teresa
Corrêa de Oliveira. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009. Título original: Operations managment.
CASTRO, A. C. de. Tamanhos de lotes capacitados com preparação de máquina em sistemas produtivos
interruptos. 2007. 67 f. Tese (Mestrado em Engenharia de Produção) – Departamento de Engenharia de
Produção, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.
APLICAÇÃO DE CONCEITOS BÁSICOS DE PLANEJAMENTO E
CONTROLE DA PRODUÇÃO PARA MELHORIA DO DESEMPENHO
PRODUTIVO EM UMA EMPRESA DO SETOR TÊXTIL
CÓDIGO: TN_STP_195_102_26271
AUTORES:
Letícia Reis Rodrigues (lreisrodrigues@hotmail.com)
Marcel Heimar Ribeiro Utiyama (marcelc5@yahoo.com.br)
Clarissa Fullin Barco (cfbarco@hotmail.com)
O processo produtivo estudado é
constituído basicamente por 4 etapas
produtivas: corte no balancim,
aparação, revisão e embalagem. A
figura 1 ilustra esse processo produtivo
e a capacidade de produção diária de
cada um dos centros produtivos.
Dados:
- 18 linhas de produção (Figura 1)
- 8,8 horas/dia
- Estoque ( ) = 60 pares
26,4 segundos/par
26,4 segundos/par

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...
Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...
Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...
Gomes de Matos Consultores Associados
 
Gestão de Operações
Gestão de OperaçõesGestão de Operações
Gestão de Operações
Wilian Gatti Jr
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006
José Paulo Alves Fusco
 
PROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃO
PROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃOPROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃO
PROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃO
Helamin Bezerra
 
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
Luiz Fabiano Bonetti
 
51274331 apostila-gpo1-2011-1
51274331 apostila-gpo1-2011-151274331 apostila-gpo1-2011-1
51274331 apostila-gpo1-2011-1
Kátia Correia
 
Produto - FVG
Produto - FVGProduto - FVG
Plap proposta da situação base (2 15)-v03
Plap proposta da situação base (2 15)-v03Plap proposta da situação base (2 15)-v03
Plap proposta da situação base (2 15)-v03
Clovis Martins
 
Conceitos do sistema toyota
Conceitos do sistema toyotaConceitos do sistema toyota
Conceitos do sistema toyota
Paulo Henrique Fialho de Freitas
 
Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...
Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...
Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...
inventionjournals
 
Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1
Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1
Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1
Cristiano Ferreira Cesarino
 
Gestão de Operações II
Gestão de Operações IIGestão de Operações II
Gestão de Operações II
Cadernos PPT
 
Indicadores de desempenho produção enxuta
Indicadores de desempenho produção enxutaIndicadores de desempenho produção enxuta
Indicadores de desempenho produção enxuta
ASMartin
 
Apostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestreApostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestre
vivianepga
 
Texto aula mfv
Texto aula mfvTexto aula mfv
Texto aula mfv
Juh Reinaldo
 
Doc.Igor_2
Doc.Igor_2Doc.Igor_2
Doc.Igor_2
Igor Melo
 
Todas as aulas 2008
Todas as aulas 2008Todas as aulas 2008
Todas as aulas 2008
Eney Araujo
 
ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...
ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...
ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...
Carlos Fernando Jung
 
Cv moacir pazin filho b.16
Cv moacir pazin filho   b.16Cv moacir pazin filho   b.16
Cv moacir pazin filho b.16
Moacir Pazin Filho
 

Mais procurados (20)

Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...
Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...
Proposição de plano de ação para elevação do nível de implementação da manufa...
 
Gestão de Operações
Gestão de OperaçõesGestão de Operações
Gestão de Operações
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006
 
PROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃO
PROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃOPROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃO
PROGRAMA-MESTRE DE PRODUÇÃO
 
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
 
51274331 apostila-gpo1-2011-1
51274331 apostila-gpo1-2011-151274331 apostila-gpo1-2011-1
51274331 apostila-gpo1-2011-1
 
Produto - FVG
Produto - FVGProduto - FVG
Produto - FVG
 
Plap proposta da situação base (2 15)-v03
Plap proposta da situação base (2 15)-v03Plap proposta da situação base (2 15)-v03
Plap proposta da situação base (2 15)-v03
 
Conceitos do sistema toyota
Conceitos do sistema toyotaConceitos do sistema toyota
Conceitos do sistema toyota
 
Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...
Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...
Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor para otimizar a prestação de serviç...
 
Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1
Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1
Plano de ensino 2016 adm da produção e operações 1
 
Gestão de Operações II
Gestão de Operações IIGestão de Operações II
Gestão de Operações II
 
Indicadores de desempenho produção enxuta
Indicadores de desempenho produção enxutaIndicadores de desempenho produção enxuta
Indicadores de desempenho produção enxuta
 
Apostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestreApostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestre
 
Texto aula mfv
Texto aula mfvTexto aula mfv
Texto aula mfv
 
Doc.Igor_2
Doc.Igor_2Doc.Igor_2
Doc.Igor_2
 
Todas as aulas 2008
Todas as aulas 2008Todas as aulas 2008
Todas as aulas 2008
 
ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...
ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...
ADAPTAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EM UMA MICR...
 
Cv moacir pazin filho b.16
Cv moacir pazin filho   b.16Cv moacir pazin filho   b.16
Cv moacir pazin filho b.16
 

Destaque

Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Consultor em negócios de moda mineira
 
Apostila ppcp textil
Apostila ppcp textilApostila ppcp textil
Apostila ppcp textil
sollavanderias
 
Cadeia de Suprimentos
Cadeia de SuprimentosCadeia de Suprimentos
Cadeia de Suprimentos
Willian dos Santos Abreu
 
Logística de suprimentos
Logística de suprimentosLogística de suprimentos
Logística de suprimentos
Igor Onofre
 
Universo da Costura
Universo da CosturaUniverso da Costura
Universo da Costura
Nilzeth Gusmao
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_moda
Nilzeth Gusmao
 
Materiais e Processos Têxteis
Materiais e Processos TêxteisMateriais e Processos Têxteis
Materiais e Processos Têxteis
José Carlos de Castro
 
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e DistribuiçãoSistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Aline
 
04 cadeia de suprimentos
04 cadeia de suprimentos04 cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentosCadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
Felippi Perez
 
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
Daniel Camargos Frade
 

Destaque (11)

Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
 
Apostila ppcp textil
Apostila ppcp textilApostila ppcp textil
Apostila ppcp textil
 
Cadeia de Suprimentos
Cadeia de SuprimentosCadeia de Suprimentos
Cadeia de Suprimentos
 
Logística de suprimentos
Logística de suprimentosLogística de suprimentos
Logística de suprimentos
 
Universo da Costura
Universo da CosturaUniverso da Costura
Universo da Costura
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_moda
 
Materiais e Processos Têxteis
Materiais e Processos TêxteisMateriais e Processos Têxteis
Materiais e Processos Têxteis
 
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e DistribuiçãoSistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
 
04 cadeia de suprimentos
04 cadeia de suprimentos04 cadeia de suprimentos
04 cadeia de suprimentos
 
Cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentosCadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
 
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
 

Semelhante a Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para melhoria do desempenho produtivo em uma empresa do setor têxtil

Relação produção e logistica
Relação produção e logisticaRelação produção e logistica
Relação produção e logistica
Elaine Costa
 
Instalacao em-producao-e-operacoes
Instalacao em-producao-e-operacoesInstalacao em-producao-e-operacoes
Instalacao em-producao-e-operacoes
Wanderson Santos
 
Luis Steinle
Luis Steinle Luis Steinle
Luis Steinle
Luis Antonio Steinle
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Rogerio Sena
 
Leal f analise_comparativa_de[1]
Leal f analise_comparativa_de[1]Leal f analise_comparativa_de[1]
Leal f analise_comparativa_de[1]
Maicon Barrem
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
Willian dos Santos Abreu
 
utilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projeto
utilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projetoutilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projeto
utilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projeto
Julio Melgaço de Medeiros
 
Gestão de qualidade com ênfase no programa 5 ss
Gestão de qualidade com ênfase no programa 5 ssGestão de qualidade com ênfase no programa 5 ss
Gestão de qualidade com ênfase no programa 5 ss
Davidmulder Silva
 
Doc.Igor_9
Doc.Igor_9Doc.Igor_9
Doc.Igor_9
Igor Melo
 
5c0fb45d42658444630ae031c0c49842
5c0fb45d42658444630ae031c0c498425c0fb45d42658444630ae031c0c49842
5c0fb45d42658444630ae031c0c49842
Ana Beatriz Corrêa
 
Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...
Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...
Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...
Oxiteno
 
Gestão dinâmica planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...
Gestão dinâmica   planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...Gestão dinâmica   planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...
Gestão dinâmica planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...
Lucas Braga
 
Manufatura em massa
Manufatura em massaManufatura em massa
Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoques
Antonio Branco
 
Mtc exemplar 2009
Mtc   exemplar 2009Mtc   exemplar 2009
Mtc exemplar 2009
admrodrigolopes
 
FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...
FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...
FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...
Carlos Fernando Jung
 
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Neto Ortega
 
GESTAO DA QUALIDADE - O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdf
GESTAO DA QUALIDADE -  O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdfGESTAO DA QUALIDADE -  O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdf
GESTAO DA QUALIDADE - O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdf
HELENO FAVACHO
 

Semelhante a Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para melhoria do desempenho produtivo em uma empresa do setor têxtil (18)

Relação produção e logistica
Relação produção e logisticaRelação produção e logistica
Relação produção e logistica
 
Instalacao em-producao-e-operacoes
Instalacao em-producao-e-operacoesInstalacao em-producao-e-operacoes
Instalacao em-producao-e-operacoes
 
Luis Steinle
Luis Steinle Luis Steinle
Luis Steinle
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
 
Leal f analise_comparativa_de[1]
Leal f analise_comparativa_de[1]Leal f analise_comparativa_de[1]
Leal f analise_comparativa_de[1]
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
 
utilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projeto
utilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projetoutilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projeto
utilizacao qfd_ ferramenta_hierarquizar_ requisitos_projeto
 
Gestão de qualidade com ênfase no programa 5 ss
Gestão de qualidade com ênfase no programa 5 ssGestão de qualidade com ênfase no programa 5 ss
Gestão de qualidade com ênfase no programa 5 ss
 
Doc.Igor_9
Doc.Igor_9Doc.Igor_9
Doc.Igor_9
 
5c0fb45d42658444630ae031c0c49842
5c0fb45d42658444630ae031c0c498425c0fb45d42658444630ae031c0c49842
5c0fb45d42658444630ae031c0c49842
 
Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...
Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...
Revisão de procedimentos de gestão de projetos e implantação de nova ferramen...
 
Gestão dinâmica planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...
Gestão dinâmica   planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...Gestão dinâmica   planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...
Gestão dinâmica planejamento e controle de produção - suporte microsiga ,cr...
 
Manufatura em massa
Manufatura em massaManufatura em massa
Manufatura em massa
 
Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoques
 
Mtc exemplar 2009
Mtc   exemplar 2009Mtc   exemplar 2009
Mtc exemplar 2009
 
FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...
FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...
FATORES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO DE GRUPOS PARTICIPATIVOS EM UMA EMPRESA DO ...
 
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
Aplicação da ferramenta Mapeamento de Fluxo de Valor em uma fábrica de móveis...
 
GESTAO DA QUALIDADE - O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdf
GESTAO DA QUALIDADE -  O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdfGESTAO DA QUALIDADE -  O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdf
GESTAO DA QUALIDADE - O PEDIDO FOI TROCADO, E AGORA!.pdf
 

Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para melhoria do desempenho produtivo em uma empresa do setor têxtil

  • 1. Introdução Conforme Martorelli (2014), dados divulgados pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI) o setor de moda íntima cresceu 33% nos últimos quatro anos, gerando uma concorrência acirrada, traduzida pela competição pelo menor preço. Sendo assim, torna-se fundamental a obtenção de melhorias no processo produtivo para fazer frente a essa maior concorrência e garantir participação neste mercado competitivo. A empresa estudada na presente pesquisa apresentava problemas de cumprimento de prazos de entrega, ou seja, não estava conseguindo suprir a demanda. O problema a ser estudado se trata de uma realocação de recursos e mudança de alguns conceitos de uma fábrica que produz componentes para o vestuário de moda íntima feminina. Assim, algumas melhorias foram propostas para um determinado setor da empresa envolvendo o tamanho do lote, o arranjo físico (ou layout), a produtividade e, consequentemente, o lead time.. Objetivo Mediante o contexto apresentado, o objetivo deste trabalho é apresentar uma aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção com o objetivo de reduzir o tamanho de lote e, consequentemente, o lead time. Vale ressaltar que não há a preocupação de otimização do processo e sim a estruturação do mesmo com o foco na redução do lead time. Revisão teórica Planejamento e Controle da Produção (PCP) As atividades de planejamento e controle da produção envolvem, segundo Fernandes e Godinho Filho (2010), uma série de decisões com o objetivo de definir o que, quanto e quando produzir, comprar e entregar, além de quem e/ou como produzir. O PCP, de acordo com Nanci et. al. (2008), deve estar alinhado e orientado pelas definições de: planejamento estratégico, marketing, projeto do processo, sendo que o marketing e o planejamento estratégico são ações de planejamento articuladas em um horizonte de longo prazo. Apesar de o termo PCP ser muito utilizado, é importante ressaltar que há diferenças entre o Planejamento (P) e o Controle (C) da Produção (P). Planejamento, para Slack, Chambers e Johnston (2009), é a formalização do que se pretende que aconteça em determinado momento no futuro. Mas um plano não garante que um evento vá, realmente, acontecer, pois podem ocorrer mudanças por parte dos clientes. Já controle, para o mesmo autor, é o processo de lidar com essas variações de previsões, isso pode significar que os planos precisem ser refeitos, ou ainda pode significar que será preciso fazer uma intervenção na operação para trazê-la de volta aos “trilhos”. Conceitos básicos: layout, lead time, capacidade e tamanho de lote. Para Moreira (2012), planejar o layout (arranjo físico) de uma instalação significa tomar decisões sobre a forma como serão dispostos os centros de trabalho que aí devem permanecer. Se o layout for bem planejado, pode-se diminuir o lead time da empresa. De acordo com Ericksen, Stoflet e Suri (2007) lead time pode ser definido como o tempo típico (medido em dias corridos), desde que o cliente faz o pedido, passando pelo caminho crítico, até que a primeira peça do pedido seja entregue ao cliente. Com um bom lead time, a capacidade de fabricação pode ser melhorada e melhor aproveitada. A definição de capacidade de uma operação, segundo Slack, Chambers e Johnston (2009), é o máximo nível de atividade de valor adicionado em determinado período de tempo que o processo pode realizar sob condições normais de operação. A capacidade pode ser aperfeiçoada através de algumas variáveis de produção, como, por exemplo, o tamanho de lote. Castro (2007) explica que o problema de tamanho de lote de produção consiste em determinar quais produtos e em que quantidades produzir e estocar em cada período dentro de um horizonte de planejamento de modo a atender demandas pré-estabelecidas. Método de Pesquisa Para este trabalho adotou-se como estratégia de pesquisa o estudo de caso. Os dados utilizados são de uma indústria têxtil, localizada em Franca-São Paulo, considerada de médio porte. Para a realização do estudo de caso foram realizadas algumas visitas à empresa em questão e entrevistas com funcionários, chefes do setor e um gerente industrial e, por meio de contatos via e-mail, houve discussão de algumas questões básicas da pesquisa. Estudo de Caso Situação no passado Figura 1 – Layout anterior. Observando-se o local de trabalho, constatou-se que o próprio funcionário do balancim escolhia qual o próximo produto a ser produzido. O deslocamento deste também era excessivo, e o mesmo ocorria com os setores das aparadeiras e da revisão e embalagem. Não existia programação da produção. Estes fatos implicavam em um atraso na entrega de produtos de 3 semanas. Nenhum estudo de layout, projetos, lead time, fluxo, etc., foi desenvolvido para que o sistema produtivo fosse elaborado. Resultados (melhorias, propostas, situação atual) Para resolver os problemas citados acima, foram tomadas as seguintes providências: 1)instalação de um setor de PCP na fábrica estudada; 2)alocação de funcionários para levar a matéria prima do recortador e a ferramenta utilizada até ele, de acordo com as fichas pré- estipuladas pelo setor de PCP; 3)implantação de esteiras de transporte entre os recortadores, aparadeiras e revisão e embalagem, criando um fluxo mais contínuo; 4) dividiu-se os produtos em famílias, de acordo com a demanda e o tipo de produto; 5)aperfeiçoamento da ferramenta “faca”, utilizada nos balancins, de modo que nas linhas de alta produção, dispensou-se o Figura 2 – Layout Atual setor das aparadeiras, aumentando a capacidade da empresa. A figura 2 representa as duas linhas de produção que foram elaboradas, mediante as famílias de produtos. Os resultados foram: a) Tempo de ciclo total era de 42,69s/par, mudou para 8,8s/ /par (linhas de alta produção) e para 17,6s/par (linhas de De produção e alta); b)Com isso, a capacidade aumentou de 2400 pares/dia para 3600 pares/dia. d)A redução do lead time e a estruturação do setor de PCP fizeram com que o número médio de pedidos atrasados diminuísse de 3 semanas para aproximadamente 2 dias. Conclusão A organização do setor de PCP e realocação de alguns recursos fabris, fez com que a organização ganhasse, nas linhas de alta produção, uma redução do lead time de 485%. Esta reestruturação da empresa também fez com que os atrasos dos pedidos caíssem para 2 dias em média. Assim, o sistema produtivo ficou mais flexível, a confiabilidade dos clientes aumentou substancialmente, a capacidade aumentou, aumentando os lucros da empresa. Referências ERICKSEN, P. D.; STOFLET, N.J.; SURI, R. Manufacturing critical-path time (MCT): the QRM metric for lead time. Technical Report, Center for QRM, Wisconsin-Madison, 2007. FERNANDES, Flávio César Faria; GODINHO FILHO, Moacir. Planejamento e controle da produção: dos fundamentos ao essencial. São Paulo: Atlas, 2010. MARTORELLI, Renata. Lojas de rua trazem glamour e aproximam consumidores de seus produtos: moda íntima em alta.2014.Disponível em: <http://costuraperfeita.com/edicao/24/materia/mercado.html>. Acesso em: abr. 2014. MOREIRA, Daniel Augusto. Administração da produção e operações. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2012. NANCI, C. N; et. al. O pcp no contexto estratégico. In: LUSTOSA, L.; MESQUITA, M.A.; QUELHAS, O.; OLIVEIRA, R (Org.). Planejamento e controle da produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. SLACK, Nigel; CHAMBERS, Stuart; JOHNSTON, Robert. Administração da produção. Tradução de Maria Teresa Corrêa de Oliveira. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009. Título original: Operations managment. CASTRO, A. C. de. Tamanhos de lotes capacitados com preparação de máquina em sistemas produtivos interruptos. 2007. 67 f. Tese (Mestrado em Engenharia de Produção) – Departamento de Engenharia de Produção, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007. APLICAÇÃO DE CONCEITOS BÁSICOS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO PARA MELHORIA DO DESEMPENHO PRODUTIVO EM UMA EMPRESA DO SETOR TÊXTIL CÓDIGO: TN_STP_195_102_26271 AUTORES: Letícia Reis Rodrigues (lreisrodrigues@hotmail.com) Marcel Heimar Ribeiro Utiyama (marcelc5@yahoo.com.br) Clarissa Fullin Barco (cfbarco@hotmail.com) O processo produtivo estudado é constituído basicamente por 4 etapas produtivas: corte no balancim, aparação, revisão e embalagem. A figura 1 ilustra esse processo produtivo e a capacidade de produção diária de cada um dos centros produtivos. Dados: - 18 linhas de produção (Figura 1) - 8,8 horas/dia - Estoque ( ) = 60 pares 26,4 segundos/par 26,4 segundos/par