SlideShare uma empresa Scribd logo
XVIII Congresso Brasileiro de Transporte e Tráfego - ANTP




VEÍCULO URBANO DE CARGA

                 São Paulo - outubro 2011
                     Mauricio Losada
O Trânsito e os Caminhões
População 2010 – 11.337. 021 habitantes (Fonte: SEADE/2011)

Sistema Viário – 15.600 km

Frota Registrada – 7.117.136 veículos (Fonte: DETRAN agosto/2011)

Frota Circulante        Caminhões        Automóveis
                         190.000         3.800.000




 5% que gera grandes interferências tendo em vista suas dimensões

 Medidas restritivas ao seu trânsito têm sido adotadas desde 1982
Caracterização dos Fluxos

                        Passagem


Castelo Branco

                                                  Viagens
                                           Internas ao Município
                                            Distribuição Urbana



Viagens com origem no
      Município
     Escoamento
                                            Viagens com origem fora do
                              Imigrantes             Município
                                                  Abastecimento
O Cenário da Distribuição Urbana
                        A busca por uma solução coerente


•   entregas por viagem: 22
•   peso médio por entrega: 83 kg.,
                                        Associação Brasileira de Supermercados – ABRAS 1993/95
•   volume médio por entrega: 0,15m3
•   Caminhões circulam com 30% de capacidade ociosa                  IMAM Consultoria 1997



                                                      IMAM Consultoria – Indicadores de Logística
Projeções para Década de 2000
•   Aumento de 12,7% nos serviços “just in time” e “delivery
•   Crescimento do “e-commerce”( pequenos pacotes clientes desconhecidos destinos altamente dispersos)

Necessidade de criação de veículo de menor porte para abastecimento das áreas restritas
ao caminhão

Negociação com montadoras e segmentos envolvidos na distribuição urbana
CONCEPÇÃO DO VEÍCULO URBANO DE CARGA
                            Aspectos Considerados


Estudos Iniciais - Definição das Características técnicas e mecânicas do veículo:
medidas externas - capacidade de carga - raio-de-giro mínimo -relação peso/potência.


Os estudos e negociações de 1994 até a concepção final do veículo, em 1997
foram voltados a equacionar:
• especificações apropriadas ao trânsito
      deveria se assemelhar, em dimensões e desempenho, a um automóvel
• necessidades dos operadores – transporte
      necessidade de se transportar a carga de forma paletizada
• disponibilidade de veículos no mercado
      envolvimento das montadoras através da ANFAVEA
Adequado ao abastecimento urbano e condições do trânsito




 Principais problemas decorrentes:                          Principais vantagens operacionais:
 •Tempo de ciclo insuficiente para realizar todas as        •Tempo de ciclo menor e suficiente para realizar todas
 entregas                                                   entregas
 •Veículo circulando com capacidade ociosa                  •Veículo circulando com ocupação máxima da capacidade
 •Pouca flexibilidade na escolha de caminhos alternativos   •Maior flexibilidade na escolha de caminhos alternativos
 •Dificuldade para estacionar                               •Maior facilidade para estacionar
Ocupação da Via - Veículos de Carga em Relação a Automóveis




                                      VUC: 2,20 X 6,30m + P5 (antigo VLC)




                                     Até 10/05/2007 VUC: 2,20 X 5,50m




                            VUC Capacidade de carga: 4.900kg
        20m
                            6 paletes PBR2 (1,15m X1,05m)
Veículo Urbano de Carga - VUC
             Decreto 48.338/07:

Caminhão de menor porte
leve e ágil

• comprimento máximo 6,30m
• largura máxima 2,20m
• emissão de poluentes
  PROCONVE P-5 ( Euro III)
Histórico Operacional do VUC
1996         1997           1998   2007             2008                 2010




                                            ZMRC 100km2
                                            ZMRC 100 km2
                                      VUC liberado das 10 às 16h
                                      VUC liberado das 10 às 16h
                                   com rodízio de placas (par e ímpar)
Publicação do Decreto 37.185/97
 Publicação do Decreto 48.338/07
      Instituindo VUC e VLC
   VUC liberado das 10 às 16h
  VUC liberado período integral
     (comprimento até 6,30m)
  VLC liberado das 10 às 15h
         Proconve P-5
                                                  Caráter experimental
                                               VUC liberado período integral
                                               VLC liberado das 10 às 15h
Centro Expandido


               10% de área
          15% das vias principais
 Área
  do
             59% das viagens
Rodízio
 1997
Regulamentação Atual para Caminhões
                                            Rodízio
                                       7h-10h e 17h-20h
                                     Produtos Perigosos
                                      5h -10h e 16h - 21h



 ZMRC 5h - 21h
                                 Via Estrutural Restrita
 VUC Liberado 10-16h
                                  Radial Leste 5h -21h
                                   VUC Liberado 10h-16h


                                 Vias Estruturais Restritas
                                          5h -21h
                                       VUC Proibido


Vias Estruturais Restritas
          5h -21h
 VUC Liberado Período Integral
Utilização do VUC
                                        Caçamba/Entulho




Coleta de Lixo




                            Entrega de Mercadorias
Cadastramento

• Não é possível identificá-lo pelo
  só pelo modelo

• No documento do veículo consta
  apenas que é um caminhão

• Necessidade de cadastramento
  prévio no sitio da PMSP
Resultados
•   Crescimento de 60% no número de VUC’s dentro da ZMRC e de 22%
    fora, durante o período da manhã

•   Número de caminhões médios diminuiu em 64% no período da manhã e em
    43% no da tarde (tendência de substituição de caminhões médios por VUC´s na distribuição urbana)
                                                                                 247%
•   Montadoras com maior oferta de VUC´s                                          6.149


•   Adaptação da frota circulante
                                                                      468%

                                                                     2.485

                                                            531

Cadastramento dos VUC’s
                                                          2009        2010       2011
Muito Obrigado!




     Mauricio Losada
  mauricioc@cetsp.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modal rodoviário Brasil
Modal rodoviário  BrasilModal rodoviário  Brasil
Modal rodoviário Brasil
Dayane RT
 
Logística - Modal Rodoviário
Logística - Modal RodoviárioLogística - Modal Rodoviário
Logística - Modal Rodoviário
Marynara Barros
 
Logistica de Transportes - Slides
Logistica de Transportes - SlidesLogistica de Transportes - Slides
Logistica de Transportes - Slides
Willian dos Santos Abreu
 
Transporte rodoviário (Editando)
Transporte rodoviário (Editando)Transporte rodoviário (Editando)
Transporte rodoviário (Editando)
Carlos Henrique Galli
 
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Edu Gonzaga
 
Transporte Rodoviário
Transporte RodoviárioTransporte Rodoviário
Transporte Rodoviário
Aluisio Junior
 
Fundamentos do transporte
Fundamentos do transporteFundamentos do transporte
Fundamentos do transporte
Jupira Silva
 
Modal de transportes brasileiro
Modal de transportes brasileiroModal de transportes brasileiro
Modal de transportes brasileiro
Wesley Torres
 
Slide modal rodoviário
Slide   modal rodoviárioSlide   modal rodoviário
Slide modal rodoviário
Reginaldo Moura
 
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
Infraestrutura do Setor Rodoviário de CargasInfraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
Transporte rodoviário internacional
Transporte rodoviário internacionalTransporte rodoviário internacional
Transporte rodoviário internacional
João Paulo Santos
 
Lei da-balanca
Lei da-balancaLei da-balanca
Lei da-balanca
fabiassena
 
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento NacionalLogística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Luis Nassif
 
Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)
Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)
Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
Modal rodoviário
Modal rodoviárioModal rodoviário
Modal rodoviário
Elisa Telles
 
Catálago de caminhões
Catálago de caminhõesCatálago de caminhões
Catálago de caminhões
Claudio Duarte
 
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
Editora Fórum
 
Modal rodoviario
Modal  rodoviarioModal  rodoviario
Modal rodoviario
edilene lemos gama
 
Modal Rodoviário
Modal RodoviárioModal Rodoviário
Modal Rodoviário
Samuel Henrique Santos
 
A escolha do tipo de transporte
A escolha do tipo de transporteA escolha do tipo de transporte
A escolha do tipo de transporte
Robson Soares Costa
 

Mais procurados (20)

Modal rodoviário Brasil
Modal rodoviário  BrasilModal rodoviário  Brasil
Modal rodoviário Brasil
 
Logística - Modal Rodoviário
Logística - Modal RodoviárioLogística - Modal Rodoviário
Logística - Modal Rodoviário
 
Logistica de Transportes - Slides
Logistica de Transportes - SlidesLogistica de Transportes - Slides
Logistica de Transportes - Slides
 
Transporte rodoviário (Editando)
Transporte rodoviário (Editando)Transporte rodoviário (Editando)
Transporte rodoviário (Editando)
 
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012Transporte e logistica edu gonzaga 2012
Transporte e logistica edu gonzaga 2012
 
Transporte Rodoviário
Transporte RodoviárioTransporte Rodoviário
Transporte Rodoviário
 
Fundamentos do transporte
Fundamentos do transporteFundamentos do transporte
Fundamentos do transporte
 
Modal de transportes brasileiro
Modal de transportes brasileiroModal de transportes brasileiro
Modal de transportes brasileiro
 
Slide modal rodoviário
Slide   modal rodoviárioSlide   modal rodoviário
Slide modal rodoviário
 
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
Infraestrutura do Setor Rodoviário de CargasInfraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
 
Transporte rodoviário internacional
Transporte rodoviário internacionalTransporte rodoviário internacional
Transporte rodoviário internacional
 
Lei da-balanca
Lei da-balancaLei da-balanca
Lei da-balanca
 
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento NacionalLogística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
Logística De Transportes Para A Desenvolvimento Nacional
 
Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)
Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)
Transportes de produtos e novas tecnologias (TCM)
 
Modal rodoviário
Modal rodoviárioModal rodoviário
Modal rodoviário
 
Catálago de caminhões
Catálago de caminhõesCatálago de caminhões
Catálago de caminhões
 
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
O Desenvolvimento de Infraestrutura de Transportes Contribuições do TCU - Min...
 
Modal rodoviario
Modal  rodoviarioModal  rodoviario
Modal rodoviario
 
Modal Rodoviário
Modal RodoviárioModal Rodoviário
Modal Rodoviário
 
A escolha do tipo de transporte
A escolha do tipo de transporteA escolha do tipo de transporte
A escolha do tipo de transporte
 

Semelhante a Antp vuc

Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...
Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...
Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...
transpoamazonia
 
Transporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargasTransporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargas
Wilian Gatti Jr
 
Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski
Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski
Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011
Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011
Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011
Amar Jardim Oceânico
 
Hidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor Junqueira
Hidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor JunqueiraHidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor Junqueira
Hidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor Junqueira
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
Propostas do SETCESP para o Abastecimento UrbanoPropostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...
Amar Jardim Oceânico
 
12 Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
12 Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano12 Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
Maricio lozata
Maricio lozataMaricio lozata
Maricio lozata
Eduardo Facchini
 
Sistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro
Sistema de ônibus da cidade do Rio de JaneiroSistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro
Sistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro
Rio Ônibus Informa
 
Análise de sensibilidade cct cana crua
Análise de sensibilidade cct cana cruaAnálise de sensibilidade cct cana crua
Análise de sensibilidade cct cana crua
Rafael José Rorato
 
VLTzação
VLTzaçãoVLTzação
VLTzação
Arlindo Pereira
 
PNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.pptPNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.ppt
Marcos Boaventura
 
Apresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano TravassosApresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano Travassos
PrefeituraRecife
 
Mobilidade de Bens e Serviços
Mobilidade de Bens e ServiçosMobilidade de Bens e Serviços
Mobilidade de Bens e Serviços
Chico Macena
 
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Amar Jardim Oceânico
 
Rede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de Inovação
Rede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de InovaçãoRede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de Inovação
Rede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de Inovação
Incubadora de Negócios Unifacs
 
SISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicos
SISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicosSISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicos
SISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicos
Andre Dantas
 
Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012
Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012
Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012
Secretaria Planejamento SC
 
Diretrizes para o TRC em São Paulo
Diretrizes para o TRC em São PauloDiretrizes para o TRC em São Paulo

Semelhante a Antp vuc (20)

Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...
Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...
Paulo Fernado Fleury - Oportunidades e Desafios para o Transporte Multimodal ...
 
Transporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargasTransporte urbano de cargas
Transporte urbano de cargas
 
Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski
Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski
Hidrovias e uso múltiplo das águas - Adalberto Tokarski
 
Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011
Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011
Palestra ADEMI - BRTs - Carta de Projetos de Transportes Rio - 04/07/2011
 
Hidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor Junqueira
Hidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor JunqueiraHidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor Junqueira
Hidrovia e o uso múltiplo das águas - Agenor Junqueira
 
Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
Propostas do SETCESP para o Abastecimento UrbanoPropostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
 
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao - Lelis Teixeira ...
 
12 Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
12 Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano12 Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
12 Propostas do SETCESP para o Abastecimento Urbano
 
Maricio lozata
Maricio lozataMaricio lozata
Maricio lozata
 
Sistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro
Sistema de ônibus da cidade do Rio de JaneiroSistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro
Sistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro
 
Análise de sensibilidade cct cana crua
Análise de sensibilidade cct cana cruaAnálise de sensibilidade cct cana crua
Análise de sensibilidade cct cana crua
 
VLTzação
VLTzaçãoVLTzação
VLTzação
 
PNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.pptPNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.ppt
 
Apresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano TravassosApresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano Travassos
 
Mobilidade de Bens e Serviços
Mobilidade de Bens e ServiçosMobilidade de Bens e Serviços
Mobilidade de Bens e Serviços
 
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
 
Rede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de Inovação
Rede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de InovaçãoRede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de Inovação
Rede Integrada de Transporte - O projeto BRT. 3° Rodadas de Inovação
 
SISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicos
SISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicosSISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicos
SISTEMAS BRT: conceitos e elementos técnicos
 
Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012
Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012
Ccr esse - solucoes integradas - 13/09/2012
 
Diretrizes para o TRC em São Paulo
Diretrizes para o TRC em São PauloDiretrizes para o TRC em São Paulo
Diretrizes para o TRC em São Paulo
 

Mais de trans_smt

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...
trans_smt
 
ANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTE
ANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTEANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTE
ANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTE
trans_smt
 
ANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANS
ANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANSANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANS
ANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANS
trans_smt
 
ANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTES
ANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTESANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTES
ANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTES
trans_smt
 
Plano Diretor Estratégico-CMTT
Plano Diretor Estratégico-CMTTPlano Diretor Estratégico-CMTT
Plano Diretor Estratégico-CMTT
trans_smt
 
Anexo i introd sistema integrado
Anexo i introd sistema integradoAnexo i introd sistema integrado
Anexo i introd sistema integrado
trans_smt
 
Revista Técnica SPTrans nº01
Revista Técnica SPTrans nº01Revista Técnica SPTrans nº01
Revista Técnica SPTrans nº01
trans_smt
 
Livro Ecofrota
Livro EcofrotaLivro Ecofrota
Livro Ecofrota
trans_smt
 
Manual de Identidade Visual
Manual de Identidade VisualManual de Identidade Visual
Manual de Identidade Visual
trans_smt
 
Apres zmrc antp 2011
Apres zmrc antp 2011Apres zmrc antp 2011
Apres zmrc antp 2011
trans_smt
 
Apresentacao antp zmrf 2011
Apresentacao antp zmrf 2011Apresentacao antp zmrf 2011
Apresentacao antp zmrf 2011
trans_smt
 
Planos de transporte
Planos de transportePlanos de transporte
Planos de transporte
trans_smt
 
Caracterizacao urbana m_boi
Caracterizacao  urbana m_boiCaracterizacao  urbana m_boi
Caracterizacao urbana m_boi
trans_smt
 
Conquistas e desafios na educacao
Conquistas e desafios na educacaoConquistas e desafios na educacao
Conquistas e desafios na educacao
trans_smt
 
Educacao para o transito instrumento para ed ambiental
Educacao para o transito  instrumento para ed ambientalEducacao para o transito  instrumento para ed ambiental
Educacao para o transito instrumento para ed ambiental
trans_smt
 
Educacao a distacia
Educacao a distaciaEducacao a distacia
Educacao a distacia
trans_smt
 
Pólos Geradores de Tráfego
Pólos Geradores de TráfegoPólos Geradores de Tráfego
Pólos Geradores de Tráfego
trans_smt
 
Coletivo revista técnica da sp trans - nº0
Coletivo   revista técnica da sp trans - nº0Coletivo   revista técnica da sp trans - nº0
Coletivo revista técnica da sp trans - nº0
trans_smt
 
Educação de Trânsito em Redes Sociais
Educação de Trânsito em Redes SociaisEducação de Trânsito em Redes Sociais
Educação de Trânsito em Redes Sociais
trans_smt
 
Sistemas automáticos de fiscalização de trânsito
Sistemas automáticos de fiscalização de trânsitoSistemas automáticos de fiscalização de trânsito
Sistemas automáticos de fiscalização de trânsito
trans_smt
 

Mais de trans_smt (20)

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE ...
 
ANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTE
ANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTEANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTE
ANEXO VIII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA CONSULTORIA INDEPENDENTE
 
ANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANS
ANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANSANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANS
ANEXO VII - DADOS DA MICROSSIMULAÇÃO DA SPTRANS
 
ANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTES
ANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTESANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTES
ANEXO V - PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE ACIDENTES
 
Plano Diretor Estratégico-CMTT
Plano Diretor Estratégico-CMTTPlano Diretor Estratégico-CMTT
Plano Diretor Estratégico-CMTT
 
Anexo i introd sistema integrado
Anexo i introd sistema integradoAnexo i introd sistema integrado
Anexo i introd sistema integrado
 
Revista Técnica SPTrans nº01
Revista Técnica SPTrans nº01Revista Técnica SPTrans nº01
Revista Técnica SPTrans nº01
 
Livro Ecofrota
Livro EcofrotaLivro Ecofrota
Livro Ecofrota
 
Manual de Identidade Visual
Manual de Identidade VisualManual de Identidade Visual
Manual de Identidade Visual
 
Apres zmrc antp 2011
Apres zmrc antp 2011Apres zmrc antp 2011
Apres zmrc antp 2011
 
Apresentacao antp zmrf 2011
Apresentacao antp zmrf 2011Apresentacao antp zmrf 2011
Apresentacao antp zmrf 2011
 
Planos de transporte
Planos de transportePlanos de transporte
Planos de transporte
 
Caracterizacao urbana m_boi
Caracterizacao  urbana m_boiCaracterizacao  urbana m_boi
Caracterizacao urbana m_boi
 
Conquistas e desafios na educacao
Conquistas e desafios na educacaoConquistas e desafios na educacao
Conquistas e desafios na educacao
 
Educacao para o transito instrumento para ed ambiental
Educacao para o transito  instrumento para ed ambientalEducacao para o transito  instrumento para ed ambiental
Educacao para o transito instrumento para ed ambiental
 
Educacao a distacia
Educacao a distaciaEducacao a distacia
Educacao a distacia
 
Pólos Geradores de Tráfego
Pólos Geradores de TráfegoPólos Geradores de Tráfego
Pólos Geradores de Tráfego
 
Coletivo revista técnica da sp trans - nº0
Coletivo   revista técnica da sp trans - nº0Coletivo   revista técnica da sp trans - nº0
Coletivo revista técnica da sp trans - nº0
 
Educação de Trânsito em Redes Sociais
Educação de Trânsito em Redes SociaisEducação de Trânsito em Redes Sociais
Educação de Trânsito em Redes Sociais
 
Sistemas automáticos de fiscalização de trânsito
Sistemas automáticos de fiscalização de trânsitoSistemas automáticos de fiscalização de trânsito
Sistemas automáticos de fiscalização de trânsito
 

Antp vuc

  • 1. XVIII Congresso Brasileiro de Transporte e Tráfego - ANTP VEÍCULO URBANO DE CARGA São Paulo - outubro 2011 Mauricio Losada
  • 2. O Trânsito e os Caminhões População 2010 – 11.337. 021 habitantes (Fonte: SEADE/2011) Sistema Viário – 15.600 km Frota Registrada – 7.117.136 veículos (Fonte: DETRAN agosto/2011) Frota Circulante Caminhões Automóveis 190.000 3.800.000 5% que gera grandes interferências tendo em vista suas dimensões Medidas restritivas ao seu trânsito têm sido adotadas desde 1982
  • 3. Caracterização dos Fluxos Passagem Castelo Branco Viagens Internas ao Município Distribuição Urbana Viagens com origem no Município Escoamento Viagens com origem fora do Imigrantes Município Abastecimento
  • 4. O Cenário da Distribuição Urbana A busca por uma solução coerente • entregas por viagem: 22 • peso médio por entrega: 83 kg., Associação Brasileira de Supermercados – ABRAS 1993/95 • volume médio por entrega: 0,15m3 • Caminhões circulam com 30% de capacidade ociosa IMAM Consultoria 1997 IMAM Consultoria – Indicadores de Logística Projeções para Década de 2000 • Aumento de 12,7% nos serviços “just in time” e “delivery • Crescimento do “e-commerce”( pequenos pacotes clientes desconhecidos destinos altamente dispersos) Necessidade de criação de veículo de menor porte para abastecimento das áreas restritas ao caminhão Negociação com montadoras e segmentos envolvidos na distribuição urbana
  • 5. CONCEPÇÃO DO VEÍCULO URBANO DE CARGA Aspectos Considerados Estudos Iniciais - Definição das Características técnicas e mecânicas do veículo: medidas externas - capacidade de carga - raio-de-giro mínimo -relação peso/potência. Os estudos e negociações de 1994 até a concepção final do veículo, em 1997 foram voltados a equacionar: • especificações apropriadas ao trânsito  deveria se assemelhar, em dimensões e desempenho, a um automóvel • necessidades dos operadores – transporte  necessidade de se transportar a carga de forma paletizada • disponibilidade de veículos no mercado  envolvimento das montadoras através da ANFAVEA
  • 6. Adequado ao abastecimento urbano e condições do trânsito Principais problemas decorrentes: Principais vantagens operacionais: •Tempo de ciclo insuficiente para realizar todas as •Tempo de ciclo menor e suficiente para realizar todas entregas entregas •Veículo circulando com capacidade ociosa •Veículo circulando com ocupação máxima da capacidade •Pouca flexibilidade na escolha de caminhos alternativos •Maior flexibilidade na escolha de caminhos alternativos •Dificuldade para estacionar •Maior facilidade para estacionar
  • 7. Ocupação da Via - Veículos de Carga em Relação a Automóveis VUC: 2,20 X 6,30m + P5 (antigo VLC) Até 10/05/2007 VUC: 2,20 X 5,50m VUC Capacidade de carga: 4.900kg 20m 6 paletes PBR2 (1,15m X1,05m)
  • 8. Veículo Urbano de Carga - VUC Decreto 48.338/07: Caminhão de menor porte leve e ágil • comprimento máximo 6,30m • largura máxima 2,20m • emissão de poluentes PROCONVE P-5 ( Euro III)
  • 9. Histórico Operacional do VUC 1996 1997 1998 2007 2008 2010 ZMRC 100km2 ZMRC 100 km2 VUC liberado das 10 às 16h VUC liberado das 10 às 16h com rodízio de placas (par e ímpar) Publicação do Decreto 37.185/97 Publicação do Decreto 48.338/07 Instituindo VUC e VLC VUC liberado das 10 às 16h VUC liberado período integral (comprimento até 6,30m) VLC liberado das 10 às 15h Proconve P-5 Caráter experimental VUC liberado período integral VLC liberado das 10 às 15h
  • 10. Centro Expandido 10% de área 15% das vias principais Área do 59% das viagens Rodízio 1997
  • 11. Regulamentação Atual para Caminhões Rodízio 7h-10h e 17h-20h Produtos Perigosos 5h -10h e 16h - 21h ZMRC 5h - 21h Via Estrutural Restrita VUC Liberado 10-16h Radial Leste 5h -21h VUC Liberado 10h-16h Vias Estruturais Restritas 5h -21h VUC Proibido Vias Estruturais Restritas 5h -21h VUC Liberado Período Integral
  • 12. Utilização do VUC Caçamba/Entulho Coleta de Lixo Entrega de Mercadorias
  • 13. Cadastramento • Não é possível identificá-lo pelo só pelo modelo • No documento do veículo consta apenas que é um caminhão • Necessidade de cadastramento prévio no sitio da PMSP
  • 14. Resultados • Crescimento de 60% no número de VUC’s dentro da ZMRC e de 22% fora, durante o período da manhã • Número de caminhões médios diminuiu em 64% no período da manhã e em 43% no da tarde (tendência de substituição de caminhões médios por VUC´s na distribuição urbana) 247% • Montadoras com maior oferta de VUC´s 6.149 • Adaptação da frota circulante 468% 2.485 531 Cadastramento dos VUC’s 2009 2010 2011
  • 15. Muito Obrigado! Mauricio Losada mauricioc@cetsp.com.br